SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIFACS
UniversidadeSalvador
Laureate Internacional Universities.
Ranielli Lima do Carmo.
RELATÓRIO DE LABORATÓRIO.
Processo de Filtração Simples: Dispersão do Tipo Homogênea e
Heterogênea.
Soluções e Misturas Químicas.
Paula Petitinga.
Salvador - BA.
2014.2
2.1 Introdução.
As dispersões se referem às misturas em geral. Por exemplo, quando misturamos sal
com água ou sal e areia obtemos duas dispersões. A substância que se encontra
espalhada, de maneira homogênea (como o sal na água) ou de maneira heterogênea
(como a areia na água), é denominada “disperso”. Já a água faz o papel de dispersante,
nesses casos. Chamamos simplesmente de Soluções, as também conhecidas: soluções
verdadeiras. Soluções são misturas homogêneas de duas ou mais substâncias. Nas
soluções o disperso recebe o nome de soluto e o dispersante o nome de solvente.
2.2 Objetivo.
I. Conhecer Materiais básicos de laboratório (Vidrarias).
II. Distinguir os tipos de dispersões.
III. Realizar a experiência com Dispersões Homogêneas e Heterogêneas.
2.3 Materiais Utilizados no Laboratório.
01. Vidro de Relógio - Serve para pesagem de substâncias não voláteis.
02. Proveta - Serve para medir e transferir volumes de líquidos.
03. Béquer- É de uso geral em laboratório. Serve para fazer reações entre soluções,
dissolver substâncias sólidas, e efetuar reações de precipitação.
04. Bastão de Vidro - Agitação de solução.
05. Pisseta (Pissete ou Frasco Lavador) - Usada para lavagens de materiais ou
recipientes através de jatos de água, álcool ou outros solventes.
06. Funil Analítico (Vidro) - Transferência de volume.
07. Suporte Universal - Sustentação de peças em geral.
08. Mufa e Garra - Utilizada como peça de fixação no suporte universal.
09. Erlenmeyer - Utilizado em titulações e dissolução de substâncias.
10. Papel de Filtro - É um tipo de papel utilizado como meio filtrante quer em
filtrações simples.
11. Espátulas - Apanhamento de substâncias sólidas.
12. Balança Analítica - Função especifica para esse experimento, "Tara" utilizada para
zerar a balança com ou sem peso.
2.3.1 Ilustrações;
01. 02. 03.
04. 05 06.
07. 08. 09.
10. 11. 12.
2.4 Parte Experimental.
2.4.1 Substâncias.
01. Água Destilada: é a água que foi obtida por meio da destilação de água não pura.
Enquanto que a água que bebemos é, em termos gerais, uma solução, a água destilada é,
em princípio, uma substância pura, possui fórmula química H2O.
02. Sulfato de Cobre: ou Sulfato Cúprico é um composto químico cuja fórmula
molecular CuSO4. Este sal existe sob algumas formas, que se diferem por seu grau de
hidratação.
03. Sílica: ou Dióxido de silício,é o óxido de silício cuja fórmula química é SiO2. Em
seu estado natural pode ser encontrado em diversas formas diferentes.
2.4.2 Etapas do Experimento.
1ª Etapa: Mistura Homogênea
 Foram separados 1g (um grama) de sulfato de cobre CuSO4, com a ajuda de uma
espátula, após a verificação do peso em uma balança analítica, despejamos em
um vidro de relógio;
 Com a pisseta foi depositado 20ml de água destilada em uma proveta;
 Transferimos a água destilada H2O e o sulfato de cobre CuSO4 para o béquer;
 Com o auxilio de um bastão de vidro, as substâncias foram agitadas, formando
assim, uma dispersão homogênea.
2ª Etapa: Mistura Heterogênea
 Foram separados 2g (dois gramas) de sílica SiO2, com a ajuda de uma espátula,
após a verificação do peso em uma balança analítica, despejou-se em um vidro
de relógio;
 Em um suporte universal, o funil analítico a garra estavam conectados;
 O papel de filtração foi dobrado adequadamente e encaixado no funil de vidro;
 Abaixo do funil de vidro, foi colocado o Erlenmeyer;
 A sílica SiO2 foi despejada no béquer que já estava com a dispersão homogênea
então foram misturados com um bastão de vidro;
 Formando assim uma dispersão heterogênea.
3ª Etapa: Processo de Filtração Simples
 A dispersão heterogênea foi transferida com o auxilio do bastão de vidro para o
funil que está com o papel de filtro e analisamos o processo;
 Foram aguardado até que a dispersão, conclui-se o processo de filtração;
 Separando então, a primeira dispersão formada por água destilada H2O e sulfato
de cobre CuSO4, da sílica SiO2, que não dissolveu.
2.5 Resultados e Discussão.
Com a realização dessa prática, verificou-se que, o primeiro experimento se tratava de
uma dispersão do tipo homogênea, pois a água destilada H2O, dissolveu o sulfato de
cobre CuSO4, e não era possível identificar duas substâncias, a olho nu. Com a
presença da sílica SiO2 no segundo experimento, foi possível verificar, que se tratava de
uma dispersão heterogênea, sendo que, a substância se tornava visível no recipiente, por
não dissolver. Ao realizarmos o processo de filtração, identificamos dois tipos de
substâncias, pois a sílica estava totalmente separada da dispersão homogênea.
Bibliografia.
FOGAÇA JENNIFER; Graduada em Química. Tipos de Dispersões. R7 Brasil Escola.
Link: http://www.brasilescola.com/quimica/tipos-dispersoes.htm. Acesso 25/10/14 ás
13:57.
UCSal; Universidade Católica do Salvador. Apostila PDF. Materiais de Laboratório
Químico.
VIDRARIAS DE UM LABORATÓRIO QUÍMICO; Apostila em Docx. Link:
http://minhateca.com.br/ acesso 25/10/2014 ás 15:00.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 4 processos de separação de misturas, eta e petróleo
Aula 4   processos de separação de misturas, eta e petróleoAula 4   processos de separação de misturas, eta e petróleo
Aula 4 processos de separação de misturas, eta e petróleo
profNICODEMOS
 
Métodos de separação fab
Métodos de separação fabMétodos de separação fab
Métodos de separação fab
EEB Francisco Mazzola
 
Material laboratorio
Material laboratorioMaterial laboratorio
Material laboratorio
Maria Joao Ramalho
 
Trabalho - Apresentações
Trabalho -   ApresentaçõesTrabalho -   Apresentações
Trabalho - Apresentações
EEB Francisco Mazzola
 
Pré requisitos - quimica A 10º ano
Pré requisitos - quimica A 10º anoPré requisitos - quimica A 10º ano
Pré requisitos - quimica A 10º ano
madalenapico
 
Separação de misturas aula para o ensino fundamental
Separação de misturas aula para o ensino fundamentalSeparação de misturas aula para o ensino fundamental
Separação de misturas aula para o ensino fundamental
Priscila Oliveira Boralho
 
Trabalho de química - 1a O2.
Trabalho de química - 1a O2.Trabalho de química - 1a O2.
Trabalho de química - 1a O2.
EEB Francisco Mazzola
 
Roteiro 1---quimica-geral
Roteiro 1---quimica-geralRoteiro 1---quimica-geral
Roteiro 1---quimica-geral
Édino Farias dos San Santos
 
Separaçao de materias
Separaçao de materiasSeparaçao de materias
Separaçao de materias
EEB Francisco Mazzola
 
Processos de separação de misturas
Processos de separação de misturasProcessos de separação de misturas
Processos de separação de misturas
quimica_prefederal
 
Preparação para o teste prático de Quimica A 10º ano
Preparação para o teste prático de Quimica A 10º anoPreparação para o teste prático de Quimica A 10º ano
Preparação para o teste prático de Quimica A 10º ano
João Neves
 
Separação de misturas - prof. Laerte
Separação de misturas - prof. LaerteSeparação de misturas - prof. Laerte
Separação de misturas - prof. Laerte
Laerte Lima
 
Relatorio 3 quimica
Relatorio 3 quimicaRelatorio 3 quimica
Relatorio 3 quimica
Marcelo Pawlowski
 
Quimica 001
Quimica 001Quimica 001
Quimica 001
guilherme Silva
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
Ezequias Guimaraes
 
Separação de misturas
Separação de misturasSeparação de misturas
Separação de misturas
quipibid
 
Substâncias e misturas
Substâncias e misturasSubstâncias e misturas
Substâncias e misturas
Alpha Colégio e Vestibulares
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
Ezequias Guimaraes
 

Mais procurados (18)

Aula 4 processos de separação de misturas, eta e petróleo
Aula 4   processos de separação de misturas, eta e petróleoAula 4   processos de separação de misturas, eta e petróleo
Aula 4 processos de separação de misturas, eta e petróleo
 
Métodos de separação fab
Métodos de separação fabMétodos de separação fab
Métodos de separação fab
 
Material laboratorio
Material laboratorioMaterial laboratorio
Material laboratorio
 
Trabalho - Apresentações
Trabalho -   ApresentaçõesTrabalho -   Apresentações
Trabalho - Apresentações
 
Pré requisitos - quimica A 10º ano
Pré requisitos - quimica A 10º anoPré requisitos - quimica A 10º ano
Pré requisitos - quimica A 10º ano
 
Separação de misturas aula para o ensino fundamental
Separação de misturas aula para o ensino fundamentalSeparação de misturas aula para o ensino fundamental
Separação de misturas aula para o ensino fundamental
 
Trabalho de química - 1a O2.
Trabalho de química - 1a O2.Trabalho de química - 1a O2.
Trabalho de química - 1a O2.
 
Roteiro 1---quimica-geral
Roteiro 1---quimica-geralRoteiro 1---quimica-geral
Roteiro 1---quimica-geral
 
Separaçao de materias
Separaçao de materiasSeparaçao de materias
Separaçao de materias
 
Processos de separação de misturas
Processos de separação de misturasProcessos de separação de misturas
Processos de separação de misturas
 
Preparação para o teste prático de Quimica A 10º ano
Preparação para o teste prático de Quimica A 10º anoPreparação para o teste prático de Quimica A 10º ano
Preparação para o teste prático de Quimica A 10º ano
 
Separação de misturas - prof. Laerte
Separação de misturas - prof. LaerteSeparação de misturas - prof. Laerte
Separação de misturas - prof. Laerte
 
Relatorio 3 quimica
Relatorio 3 quimicaRelatorio 3 quimica
Relatorio 3 quimica
 
Quimica 001
Quimica 001Quimica 001
Quimica 001
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: DESTILAÇÃO FRACIONADA E PONTO DE EBULIÇÃO
 
Separação de misturas
Separação de misturasSeparação de misturas
Separação de misturas
 
Substâncias e misturas
Substâncias e misturasSubstâncias e misturas
Substâncias e misturas
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃORELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: PREPARO DE SOLUÇÃO
 

Semelhante a Roteiro aula laboratório ranielli lima do carmo.

Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
Đean Moore
 
Agua actividades
Agua actividadesAgua actividades
Agua actividades
Joana_Vilela
 
Química trabalho sobre separação de misturas
Química  trabalho sobre separação de misturasQuímica  trabalho sobre separação de misturas
Química trabalho sobre separação de misturas
ytamara_g22
 
Apostila experimentos
Apostila experimentosApostila experimentos
Apostila experimentos
Fabinho Silva
 
Relatório nº2
Relatório nº2Relatório nº2
Relatório nº2
joaosantosterrivel
 
Misturas homogéneas e heterogéneas
Misturas homogéneas e heterogéneasMisturas homogéneas e heterogéneas
Misturas homogéneas e heterogéneas
Rodrigo Miguel
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
 RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
Ezequias Guimaraes
 
Modelo de..[1]
Modelo de..[1]Modelo de..[1]
Modelo de..[1]
Abraão Matos
 
1-introducao-a-quimica-e-sistemas-materiaisdocx.pptx
1-introducao-a-quimica-e-sistemas-materiaisdocx.pptx1-introducao-a-quimica-e-sistemas-materiaisdocx.pptx
1-introducao-a-quimica-e-sistemas-materiaisdocx.pptx
ssuser9abcfe
 
aula 1 separação de misturas.pptx
aula 1 separação de misturas.pptxaula 1 separação de misturas.pptx
aula 1 separação de misturas.pptx
AlanaBrito11
 
Separacão de materiais
Separacão de materiaisSeparacão de materiais
Separacão de materiais
EEB Francisco Mazzola
 
Quimicageral ii fisqui2_pucrs
Quimicageral ii fisqui2_pucrsQuimicageral ii fisqui2_pucrs
Quimicageral ii fisqui2_pucrs
adalberto miran
 
Capitulo 02 processo de separação de misturas
Capitulo 02   processo de separação de misturasCapitulo 02   processo de separação de misturas
Capitulo 02 processo de separação de misturas
Marcos França
 
3196659 quimica-solucoes
3196659 quimica-solucoes3196659 quimica-solucoes
3196659 quimica-solucoes
Um Outro Olhar
 
Separação..
Separação..Separação..
Separação..
EEB Francisco Mazzola
 
Separação de materias
Separação de materiasSeparação de materias
Separação de materias
EEB Francisco Mazzola
 
Manualdeatividadesprticas gd-130515100228-phpapp01
Manualdeatividadesprticas gd-130515100228-phpapp01Manualdeatividadesprticas gd-130515100228-phpapp01
Manualdeatividadesprticas gd-130515100228-phpapp01
Giulianna Oehlmeyer
 
Manual de atividades práticas
Manual de atividades práticasManual de atividades práticas
Manual de atividades práticas
Jéssica Rodrigues'
 
26b miguel oliveira
26b miguel oliveira26b miguel oliveira
26b miguel oliveira
duartejanuario
 
Misturas homogéneas e heterogéneas
Misturas homogéneas e heterogéneasMisturas homogéneas e heterogéneas
Misturas homogéneas e heterogéneas
Rodrigo Miguel
 

Semelhante a Roteiro aula laboratório ranielli lima do carmo. (20)

Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
 
Agua actividades
Agua actividadesAgua actividades
Agua actividades
 
Química trabalho sobre separação de misturas
Química  trabalho sobre separação de misturasQuímica  trabalho sobre separação de misturas
Química trabalho sobre separação de misturas
 
Apostila experimentos
Apostila experimentosApostila experimentos
Apostila experimentos
 
Relatório nº2
Relatório nº2Relatório nº2
Relatório nº2
 
Misturas homogéneas e heterogéneas
Misturas homogéneas e heterogéneasMisturas homogéneas e heterogéneas
Misturas homogéneas e heterogéneas
 
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
 RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA: EXTRAÇÃO LÍQUIDO - LÍQUIDO
 
Modelo de..[1]
Modelo de..[1]Modelo de..[1]
Modelo de..[1]
 
1-introducao-a-quimica-e-sistemas-materiaisdocx.pptx
1-introducao-a-quimica-e-sistemas-materiaisdocx.pptx1-introducao-a-quimica-e-sistemas-materiaisdocx.pptx
1-introducao-a-quimica-e-sistemas-materiaisdocx.pptx
 
aula 1 separação de misturas.pptx
aula 1 separação de misturas.pptxaula 1 separação de misturas.pptx
aula 1 separação de misturas.pptx
 
Separacão de materiais
Separacão de materiaisSeparacão de materiais
Separacão de materiais
 
Quimicageral ii fisqui2_pucrs
Quimicageral ii fisqui2_pucrsQuimicageral ii fisqui2_pucrs
Quimicageral ii fisqui2_pucrs
 
Capitulo 02 processo de separação de misturas
Capitulo 02   processo de separação de misturasCapitulo 02   processo de separação de misturas
Capitulo 02 processo de separação de misturas
 
3196659 quimica-solucoes
3196659 quimica-solucoes3196659 quimica-solucoes
3196659 quimica-solucoes
 
Separação..
Separação..Separação..
Separação..
 
Separação de materias
Separação de materiasSeparação de materias
Separação de materias
 
Manualdeatividadesprticas gd-130515100228-phpapp01
Manualdeatividadesprticas gd-130515100228-phpapp01Manualdeatividadesprticas gd-130515100228-phpapp01
Manualdeatividadesprticas gd-130515100228-phpapp01
 
Manual de atividades práticas
Manual de atividades práticasManual de atividades práticas
Manual de atividades práticas
 
26b miguel oliveira
26b miguel oliveira26b miguel oliveira
26b miguel oliveira
 
Misturas homogéneas e heterogéneas
Misturas homogéneas e heterogéneasMisturas homogéneas e heterogéneas
Misturas homogéneas e heterogéneas
 

Roteiro aula laboratório ranielli lima do carmo.

  • 1. UNIFACS UniversidadeSalvador Laureate Internacional Universities. Ranielli Lima do Carmo. RELATÓRIO DE LABORATÓRIO. Processo de Filtração Simples: Dispersão do Tipo Homogênea e Heterogênea. Soluções e Misturas Químicas. Paula Petitinga. Salvador - BA. 2014.2
  • 2. 2.1 Introdução. As dispersões se referem às misturas em geral. Por exemplo, quando misturamos sal com água ou sal e areia obtemos duas dispersões. A substância que se encontra espalhada, de maneira homogênea (como o sal na água) ou de maneira heterogênea (como a areia na água), é denominada “disperso”. Já a água faz o papel de dispersante, nesses casos. Chamamos simplesmente de Soluções, as também conhecidas: soluções verdadeiras. Soluções são misturas homogêneas de duas ou mais substâncias. Nas soluções o disperso recebe o nome de soluto e o dispersante o nome de solvente. 2.2 Objetivo. I. Conhecer Materiais básicos de laboratório (Vidrarias). II. Distinguir os tipos de dispersões. III. Realizar a experiência com Dispersões Homogêneas e Heterogêneas. 2.3 Materiais Utilizados no Laboratório. 01. Vidro de Relógio - Serve para pesagem de substâncias não voláteis. 02. Proveta - Serve para medir e transferir volumes de líquidos. 03. Béquer- É de uso geral em laboratório. Serve para fazer reações entre soluções, dissolver substâncias sólidas, e efetuar reações de precipitação. 04. Bastão de Vidro - Agitação de solução. 05. Pisseta (Pissete ou Frasco Lavador) - Usada para lavagens de materiais ou recipientes através de jatos de água, álcool ou outros solventes. 06. Funil Analítico (Vidro) - Transferência de volume. 07. Suporte Universal - Sustentação de peças em geral. 08. Mufa e Garra - Utilizada como peça de fixação no suporte universal. 09. Erlenmeyer - Utilizado em titulações e dissolução de substâncias. 10. Papel de Filtro - É um tipo de papel utilizado como meio filtrante quer em filtrações simples. 11. Espátulas - Apanhamento de substâncias sólidas. 12. Balança Analítica - Função especifica para esse experimento, "Tara" utilizada para zerar a balança com ou sem peso.
  • 3. 2.3.1 Ilustrações; 01. 02. 03. 04. 05 06. 07. 08. 09. 10. 11. 12. 2.4 Parte Experimental. 2.4.1 Substâncias. 01. Água Destilada: é a água que foi obtida por meio da destilação de água não pura. Enquanto que a água que bebemos é, em termos gerais, uma solução, a água destilada é, em princípio, uma substância pura, possui fórmula química H2O. 02. Sulfato de Cobre: ou Sulfato Cúprico é um composto químico cuja fórmula molecular CuSO4. Este sal existe sob algumas formas, que se diferem por seu grau de hidratação.
  • 4. 03. Sílica: ou Dióxido de silício,é o óxido de silício cuja fórmula química é SiO2. Em seu estado natural pode ser encontrado em diversas formas diferentes. 2.4.2 Etapas do Experimento. 1ª Etapa: Mistura Homogênea  Foram separados 1g (um grama) de sulfato de cobre CuSO4, com a ajuda de uma espátula, após a verificação do peso em uma balança analítica, despejamos em um vidro de relógio;  Com a pisseta foi depositado 20ml de água destilada em uma proveta;  Transferimos a água destilada H2O e o sulfato de cobre CuSO4 para o béquer;  Com o auxilio de um bastão de vidro, as substâncias foram agitadas, formando assim, uma dispersão homogênea. 2ª Etapa: Mistura Heterogênea  Foram separados 2g (dois gramas) de sílica SiO2, com a ajuda de uma espátula, após a verificação do peso em uma balança analítica, despejou-se em um vidro de relógio;  Em um suporte universal, o funil analítico a garra estavam conectados;  O papel de filtração foi dobrado adequadamente e encaixado no funil de vidro;  Abaixo do funil de vidro, foi colocado o Erlenmeyer;  A sílica SiO2 foi despejada no béquer que já estava com a dispersão homogênea então foram misturados com um bastão de vidro;  Formando assim uma dispersão heterogênea. 3ª Etapa: Processo de Filtração Simples  A dispersão heterogênea foi transferida com o auxilio do bastão de vidro para o funil que está com o papel de filtro e analisamos o processo;  Foram aguardado até que a dispersão, conclui-se o processo de filtração;  Separando então, a primeira dispersão formada por água destilada H2O e sulfato de cobre CuSO4, da sílica SiO2, que não dissolveu.
  • 5. 2.5 Resultados e Discussão. Com a realização dessa prática, verificou-se que, o primeiro experimento se tratava de uma dispersão do tipo homogênea, pois a água destilada H2O, dissolveu o sulfato de cobre CuSO4, e não era possível identificar duas substâncias, a olho nu. Com a presença da sílica SiO2 no segundo experimento, foi possível verificar, que se tratava de uma dispersão heterogênea, sendo que, a substância se tornava visível no recipiente, por não dissolver. Ao realizarmos o processo de filtração, identificamos dois tipos de substâncias, pois a sílica estava totalmente separada da dispersão homogênea.
  • 6. Bibliografia. FOGAÇA JENNIFER; Graduada em Química. Tipos de Dispersões. R7 Brasil Escola. Link: http://www.brasilescola.com/quimica/tipos-dispersoes.htm. Acesso 25/10/14 ás 13:57. UCSal; Universidade Católica do Salvador. Apostila PDF. Materiais de Laboratório Químico. VIDRARIAS DE UM LABORATÓRIO QUÍMICO; Apostila em Docx. Link: http://minhateca.com.br/ acesso 25/10/2014 ás 15:00.