SlideShare uma empresa Scribd logo
Rosa Lobato Faria Autobiografia
Quando eu era pequena havia um mistério chamado Infância. Nunca tínhamos ouvido falar de coisas aberrantes como educação sexual, política ou pedofilia. Vivíamos num mundo mágico de princesas imaginárias, príncipes encantados e animais que falavam. A pior pessoa que conhecíamos era a bruxa da Branca de Neve. Fazíamos hospitais para as formigas onde as camas eram folhinhas de oliveira e não comíamos à mesa com os adultos. Isto poupava nos a conversas enfadonhas e incompreensíveis, a milhas do nosso mundo tão outro e deixava-nos livres para projectos essenciais, como ir ver oscilar os agriões nos regatos e fazer colares e brincos de cerejas. Baptizávamos as árvores, passeávamos de burro, fabricávamos grinaldas de flores do campo. Fazíamos quadras ao desafio, inventávamos palavras e entoávamos melodias nunca aprendidas.
Na Infância as escolas ainda não tinham fechado. Não batíamos na professora, levávamos-lhe flores. E depois ainda havia infância para perceber o aroma do suco das maçãs trincadas com dentes novos, um rasto de hortelã nos aventais, a angustia de esperar o nascer do sol sem ter a certeza que viria, a beleza das cantigas límpidas das camponesas, o fulgor das papoilas. E havia a praia, o mar e as bolas de Berlim !!
Aos 4 anos aprendi a ler; aos 6 fazia versos, aos 9 ensinaram-me inglês e pude alargar o âmbito das minhas leituras infantis. Aos 13 fui, interna ,para o Colégio. Ali havia muitas raparigas que cheiravam a pão, escreviam cartas às escondidas, e sonhavam com os filmes que viam nas férias. Chamava-se a isto Adolescên- cia , as formas cresciam-nos como as necessidades de espírito, música, leitura, poesia, para mim sobretudo literatura, história universal, história de arte, descobrimentos e o Camões a contar aquilo tudo, e as professoras a dizerem, aplica-te, menina,que vais ser escritora
Eram aulas gloriosas, em que a espuma do mar entrava pela janela, a música da poesia medieval ressoava nas paredes cheias de sol Mas também tínhamos a célebre aula de Economia Doméstica de onde saíamos com a sensação de que a mulher era uma coisa frágil, sem vontade própria, sempre a obedecer ao marido, fraca de espírito que não de corpo, pois tendo passado o dia a esfregar o chão com palha de aço, mal ouvia a chave na porta havia de apresentar-se ao macho milagrosamente fresca…
Aos 17 anos entrei para a Faculdade sem fazer a mínima ideia do que isso fosse. Aos 19 casei-me, ainda completamente em branco (e não me refiro só à cor do vestido). Só 6 anos, três filhos e centenas de livros mais tarde é que resolvi arrumar os meus valores como quem arruma um guarda- vestidos. Isto não, isto não se usa , isto não gosto, isto sim, isto seguramente, isto talvez. Os preconceitos foram os primeiros a desandar A revolução que NÓS fizemos nos últimos 50 anos. E eu fiz tudo, quando ainda não era suposto. Quando descobri que ser livre era acreditar em mim própria, nos meus poucos, mas bons valores pessoais
Depois foram as circunstâncias da vida. A alegria de mais um filho, erros, acertos, disparates generosidades ,ingenuidades, tudo muito bom para aprender alguma coisa. Tudo muito bom. Aprender é a palavra chave e dou por mal empregue o dia em que não aprendo nada. Ainda espero ter tempo para aprender muita coisa, agora que decidi que a Bíblia é a metáfora da vida humana e posso glosar essa descoberta até, praticamente, ao infinito.
Pois é. Eu achava, pobre de mim que era poetisa. Ainda não sabia que estava só a tirar apontamentos para o que havia de fazer mais tarde. A ganhar intimidade, cumplicidade com as palavras Também escrevia crónicas e contos, recados à mulher-a-dias. E de repente, aos 63 anos renasci. Cresceu-me uma alma de romancista e vai de escrever 10 romances em 12 anos mais um livro de contos (Os linhos da Avó) e sete ou oito livros infantis
Isto da idade tem a sua graça. Por fora, realmente ,nota-se muito. Mas eu pouco olho para o espelho e esqueço-me dessa história da imagem. Quando estou em processo criativo sinto-me bonita. É como se tivesse luzinhas na cabeça. Há 45 anos, com aquela soberba muito feminina, costumava dizer que o meu espelho eram os olhos dos homens. Agora são os olhos dos meus leitores, sem distinção de sexo, raça, idade ou religião. É um progresso enorme. Perto dos 30 anos comecei a dizer poesia na televisão e pelos 40 e tais pus-me a fazer umas maluqueiras em novelas, séries,etc.
Já escrevi 1500 cantigas e é uma das coisas mais divertidas que me aconteceu. Ouvir a música e perceber o que é que lá vem escrito, porque a melodia, como o vento, tem uma alma e é preciso descobrir o que ela esconde. Depois é uma lotaria. Ou me cantam maravilhosamente bem ou tristemente mal. Mas há que arriscar e, no fundo, é só uma cantiga. Irrelevante.  Se isto fosse uma autobiografia teria muitas outras coisas para contar. Mas não conto. Primeiro porque não quero. Segundo porque só me dão este espaço que, para 75 anos de vida, convenhamos não é excessivo. Encontramo-nos no meu próximo romance.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A caminho do verão - Sarah Dessen
A caminho do verão - Sarah DessenA caminho do verão - Sarah Dessen
A caminho do verão - Sarah Dessen
JuFlores98
 
Bilhete
BilheteBilhete
Situação de Aprendizagem - Medo da eternidade (Clarice Lispector) (1)
 Situação de Aprendizagem  - Medo da eternidade  (Clarice Lispector) (1) Situação de Aprendizagem  - Medo da eternidade  (Clarice Lispector) (1)
Situação de Aprendizagem - Medo da eternidade (Clarice Lispector) (1)
gilparizotto
 
Clarice lispector medo da eternidade
Clarice lispector   medo da eternidadeClarice lispector   medo da eternidade
Clarice lispector medo da eternidade
Amadeu Wolff
 
A moreninha-joaquim-manuel-de-macedo
A moreninha-joaquim-manuel-de-macedoA moreninha-joaquim-manuel-de-macedo
A moreninha-joaquim-manuel-de-macedo
Isabel Bacelar Barbosa
 
Textos autores biblioteca
Textos autores bibliotecaTextos autores biblioteca
Textos autores biblioteca
Ies Numeroun
 
Felicidade clandestina
Felicidade clandestinaFelicidade clandestina
Felicidade clandestina
Sahnahass
 

Mais procurados (7)

A caminho do verão - Sarah Dessen
A caminho do verão - Sarah DessenA caminho do verão - Sarah Dessen
A caminho do verão - Sarah Dessen
 
Bilhete
BilheteBilhete
Bilhete
 
Situação de Aprendizagem - Medo da eternidade (Clarice Lispector) (1)
 Situação de Aprendizagem  - Medo da eternidade  (Clarice Lispector) (1) Situação de Aprendizagem  - Medo da eternidade  (Clarice Lispector) (1)
Situação de Aprendizagem - Medo da eternidade (Clarice Lispector) (1)
 
Clarice lispector medo da eternidade
Clarice lispector   medo da eternidadeClarice lispector   medo da eternidade
Clarice lispector medo da eternidade
 
A moreninha-joaquim-manuel-de-macedo
A moreninha-joaquim-manuel-de-macedoA moreninha-joaquim-manuel-de-macedo
A moreninha-joaquim-manuel-de-macedo
 
Textos autores biblioteca
Textos autores bibliotecaTextos autores biblioteca
Textos autores biblioteca
 
Felicidade clandestina
Felicidade clandestinaFelicidade clandestina
Felicidade clandestina
 

Destaque

Portalegre
PortalegrePortalegre
Portalegre
esscplalves
 
Manual férias divertidas[1]
Manual férias divertidas[1]Manual férias divertidas[1]
Manual férias divertidas[1]
anokas24
 
Cadernos desafios 3
Cadernos desafios 3Cadernos desafios 3
Cadernos desafios 3
José Matias Alves
 
Jogo do Quebra-Cabeça
Jogo do Quebra-CabeçaJogo do Quebra-Cabeça
Jogo do Quebra-Cabeça
Leofest0320
 
caderno de atividades_alfabetização
caderno de atividades_alfabetizaçãocaderno de atividades_alfabetização
caderno de atividades_alfabetização
Isa ...
 
Materiais didácticos de Matemática para o 1º ciclo do Ensino Básico
Materiais didácticos de Matemática para o 1º ciclo do Ensino BásicoMateriais didácticos de Matemática para o 1º ciclo do Ensino Básico
Materiais didácticos de Matemática para o 1º ciclo do Ensino Básico
Alexandra Tenente
 
Desafios 2º Ano
Desafios 2º AnoDesafios 2º Ano
Desafios 2º Ano
guestd37d83
 
Projetos desafios matemática - 2º ano - fichas avaliação
Projetos desafios   matemática - 2º ano - fichas avaliaçãoProjetos desafios   matemática - 2º ano - fichas avaliação
Projetos desafios matemática - 2º ano - fichas avaliação
Nozinhos
 
PLANO NACIONAL DE LEITURA
PLANO NACIONAL DE LEITURAPLANO NACIONAL DE LEITURA
PLANO NACIONAL DE LEITURA
Vitor Manuel de Carvalho
 
Férias iguatemi
Férias iguatemiFérias iguatemi
Férias iguatemi
ACIDADE ON
 
Libro experimentos ferias cientificas
Libro experimentos ferias cientificasLibro experimentos ferias cientificas
Libro experimentos ferias cientificas
Luz Marina
 
O senhor do seu nariz
O senhor do seu narizO senhor do seu nariz
O senhor do seu nariz
12_A
 

Destaque (12)

Portalegre
PortalegrePortalegre
Portalegre
 
Manual férias divertidas[1]
Manual férias divertidas[1]Manual férias divertidas[1]
Manual férias divertidas[1]
 
Cadernos desafios 3
Cadernos desafios 3Cadernos desafios 3
Cadernos desafios 3
 
Jogo do Quebra-Cabeça
Jogo do Quebra-CabeçaJogo do Quebra-Cabeça
Jogo do Quebra-Cabeça
 
caderno de atividades_alfabetização
caderno de atividades_alfabetizaçãocaderno de atividades_alfabetização
caderno de atividades_alfabetização
 
Materiais didácticos de Matemática para o 1º ciclo do Ensino Básico
Materiais didácticos de Matemática para o 1º ciclo do Ensino BásicoMateriais didácticos de Matemática para o 1º ciclo do Ensino Básico
Materiais didácticos de Matemática para o 1º ciclo do Ensino Básico
 
Desafios 2º Ano
Desafios 2º AnoDesafios 2º Ano
Desafios 2º Ano
 
Projetos desafios matemática - 2º ano - fichas avaliação
Projetos desafios   matemática - 2º ano - fichas avaliaçãoProjetos desafios   matemática - 2º ano - fichas avaliação
Projetos desafios matemática - 2º ano - fichas avaliação
 
PLANO NACIONAL DE LEITURA
PLANO NACIONAL DE LEITURAPLANO NACIONAL DE LEITURA
PLANO NACIONAL DE LEITURA
 
Férias iguatemi
Férias iguatemiFérias iguatemi
Férias iguatemi
 
Libro experimentos ferias cientificas
Libro experimentos ferias cientificasLibro experimentos ferias cientificas
Libro experimentos ferias cientificas
 
O senhor do seu nariz
O senhor do seu narizO senhor do seu nariz
O senhor do seu nariz
 

Semelhante a Rosa lobato faria[1]

Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr CarrascoObra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
IEE Wilcam
 
Ct
CtCt
Pressão
PressãoPressão
Manualparajovenssonhadores
ManualparajovenssonhadoresManualparajovenssonhadores
Manualparajovenssonhadores
Michael Cypriano.'.
 
Projeto de leitura - proeti -
Projeto de leitura  - proeti -Projeto de leitura  - proeti -
Projeto de leitura - proeti -
Josiane Amaral
 
Situação de aprendizagem machado de assis
Situação de aprendizagem machado de assisSituação de aprendizagem machado de assis
Situação de aprendizagem machado de assis
Ericaeduc
 
Situação de aprendizagem
Situação de aprendizagemSituação de aprendizagem
Situação de aprendizagem
Ericaeduc
 
PRINCESA DO DESEJO: desventuras de uma jovem
PRINCESA DO DESEJO: desventuras de uma jovemPRINCESA DO DESEJO: desventuras de uma jovem
PRINCESA DO DESEJO: desventuras de uma jovem
CamilaSGaspar
 
A persistência das memórias
A persistência das memóriasA persistência das memórias
A persistência das memórias
escritamemorialistica
 
383 a homossexualidade feminina
383 a homossexualidade feminina383 a homossexualidade feminina
383 a homossexualidade feminina
Renato Duarte
 
O enigma de Santo Antônio do Paraibuna
O enigma de Santo Antônio do ParaibunaO enigma de Santo Antônio do Paraibuna
O enigma de Santo Antônio do Paraibuna
Pablo Itaboray
 
Manula para jovens sonhadores
Manula para jovens sonhadoresManula para jovens sonhadores
Manula para jovens sonhadores
Marley Marques
 
O Retorno - Nicholas Sparks.pdf
O Retorno - Nicholas Sparks.pdfO Retorno - Nicholas Sparks.pdf
O Retorno - Nicholas Sparks.pdf
voxplaytech
 
1 4918339399097254230
1 49183393990972542301 4918339399097254230
1 4918339399097254230
Professora sonhadora
 
Chimamanda adichie[1]
Chimamanda adichie[1]Chimamanda adichie[1]
Chimamanda adichie[1]
evertongaide
 
Vo entr alex_honrado_c
Vo entr alex_honrado_cVo entr alex_honrado_c
Vo entr alex_honrado_c
acaciocarreira
 
A história de Florzinha
A história de FlorzinhaA história de Florzinha
A história de Florzinha
Sylvia Seny
 
D 11.pptx
D 11.pptxD 11.pptx
D 11.pptx
MilenaDoCarmo3
 
Manual para jovens sonhadores
Manual para jovens sonhadoresManual para jovens sonhadores
Manual para jovens sonhadores
Paulo Rogério Peixoto
 
A pedagogia dos caracois rubem alves
A pedagogia dos caracois   rubem alvesA pedagogia dos caracois   rubem alves
A pedagogia dos caracois rubem alves
Silvana Verciano
 

Semelhante a Rosa lobato faria[1] (20)

Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr CarrascoObra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
Obra literária "O caçador de palavras" de Walcyr Carrasco
 
Ct
CtCt
Ct
 
Pressão
PressãoPressão
Pressão
 
Manualparajovenssonhadores
ManualparajovenssonhadoresManualparajovenssonhadores
Manualparajovenssonhadores
 
Projeto de leitura - proeti -
Projeto de leitura  - proeti -Projeto de leitura  - proeti -
Projeto de leitura - proeti -
 
Situação de aprendizagem machado de assis
Situação de aprendizagem machado de assisSituação de aprendizagem machado de assis
Situação de aprendizagem machado de assis
 
Situação de aprendizagem
Situação de aprendizagemSituação de aprendizagem
Situação de aprendizagem
 
PRINCESA DO DESEJO: desventuras de uma jovem
PRINCESA DO DESEJO: desventuras de uma jovemPRINCESA DO DESEJO: desventuras de uma jovem
PRINCESA DO DESEJO: desventuras de uma jovem
 
A persistência das memórias
A persistência das memóriasA persistência das memórias
A persistência das memórias
 
383 a homossexualidade feminina
383 a homossexualidade feminina383 a homossexualidade feminina
383 a homossexualidade feminina
 
O enigma de Santo Antônio do Paraibuna
O enigma de Santo Antônio do ParaibunaO enigma de Santo Antônio do Paraibuna
O enigma de Santo Antônio do Paraibuna
 
Manula para jovens sonhadores
Manula para jovens sonhadoresManula para jovens sonhadores
Manula para jovens sonhadores
 
O Retorno - Nicholas Sparks.pdf
O Retorno - Nicholas Sparks.pdfO Retorno - Nicholas Sparks.pdf
O Retorno - Nicholas Sparks.pdf
 
1 4918339399097254230
1 49183393990972542301 4918339399097254230
1 4918339399097254230
 
Chimamanda adichie[1]
Chimamanda adichie[1]Chimamanda adichie[1]
Chimamanda adichie[1]
 
Vo entr alex_honrado_c
Vo entr alex_honrado_cVo entr alex_honrado_c
Vo entr alex_honrado_c
 
A história de Florzinha
A história de FlorzinhaA história de Florzinha
A história de Florzinha
 
D 11.pptx
D 11.pptxD 11.pptx
D 11.pptx
 
Manual para jovens sonhadores
Manual para jovens sonhadoresManual para jovens sonhadores
Manual para jovens sonhadores
 
A pedagogia dos caracois rubem alves
A pedagogia dos caracois   rubem alvesA pedagogia dos caracois   rubem alves
A pedagogia dos caracois rubem alves
 

Mais de Agrupamento de Escolas do Tortosendo

13 Mulheres Nobel da Literatura
13 Mulheres Nobel da Literatura13 Mulheres Nobel da Literatura
13 Mulheres Nobel da Literatura
Agrupamento de Escolas do Tortosendo
 
Grelha sl lf
Grelha sl  lfGrelha sl  lf
Grelha sl 2_3_v4
Grelha sl 2_3_v4Grelha sl 2_3_v4
Listagem livros leitura
Listagem livros leituraListagem livros leitura
Listagem livros leitura
Agrupamento de Escolas do Tortosendo
 
Semana Leitura - 1º ciclo e JI
Semana Leitura - 1º ciclo e JISemana Leitura - 1º ciclo e JI
Semana Leitura - 1º ciclo e JI
Agrupamento de Escolas do Tortosendo
 
Semana Leitura - 1º ciclo e JI
Semana Leitura - 1º ciclo e JISemana Leitura - 1º ciclo e JI
Semana Leitura - 1º ciclo e JI
Agrupamento de Escolas do Tortosendo
 
Gui e o_natal_verde_no_pll
Gui e o_natal_verde_no_pllGui e o_natal_verde_no_pll
Gui e o_natal_verde_no_pll
Agrupamento de Escolas do Tortosendo
 
A Marta tem bolsos à farta
A Marta tem bolsos à farta A Marta tem bolsos à farta
A Marta tem bolsos à farta
Agrupamento de Escolas do Tortosendo
 
Peca teatro semana da leitura
Peca teatro  semana da leituraPeca teatro  semana da leitura
Peca teatro semana da leitura
Agrupamento de Escolas do Tortosendo
 
Cartaz feiralivro[1]
Cartaz feiralivro[1]Cartaz feiralivro[1]
Ler é divertido
Ler é divertidoLer é divertido
Ji e eb1 peso convite
Ji e eb1 peso conviteJi e eb1 peso convite
Convite à Comunidade - Sarau Cultural
Convite à Comunidade - Sarau CulturalConvite à Comunidade - Sarau Cultural
Convite à Comunidade - Sarau Cultural
Agrupamento de Escolas do Tortosendo
 
Convite à Comunidade - Sarau
Convite à Comunidade - SarauConvite à Comunidade - Sarau
Convite à Comunidade - Sarau
Agrupamento de Escolas do Tortosendo
 
Convite para o Sarau
Convite para o SarauConvite para o Sarau
Convite sarau
Convite sarauConvite sarau

Mais de Agrupamento de Escolas do Tortosendo (17)

13 Mulheres Nobel da Literatura
13 Mulheres Nobel da Literatura13 Mulheres Nobel da Literatura
13 Mulheres Nobel da Literatura
 
Grelha sl lf
Grelha sl  lfGrelha sl  lf
Grelha sl lf
 
Grelha sl 2_3_v4
Grelha sl 2_3_v4Grelha sl 2_3_v4
Grelha sl 2_3_v4
 
Listagem livros leitura
Listagem livros leituraListagem livros leitura
Listagem livros leitura
 
Semana Leitura - 1º ciclo e JI
Semana Leitura - 1º ciclo e JISemana Leitura - 1º ciclo e JI
Semana Leitura - 1º ciclo e JI
 
Semana Leitura - 1º ciclo e JI
Semana Leitura - 1º ciclo e JISemana Leitura - 1º ciclo e JI
Semana Leitura - 1º ciclo e JI
 
Gui e o_natal_verde_no_pll
Gui e o_natal_verde_no_pllGui e o_natal_verde_no_pll
Gui e o_natal_verde_no_pll
 
Tu é que és o pai natal
Tu é que és o pai natalTu é que és o pai natal
Tu é que és o pai natal
 
A Marta tem bolsos à farta
A Marta tem bolsos à farta A Marta tem bolsos à farta
A Marta tem bolsos à farta
 
Peca teatro semana da leitura
Peca teatro  semana da leituraPeca teatro  semana da leitura
Peca teatro semana da leitura
 
Cartaz feiralivro[1]
Cartaz feiralivro[1]Cartaz feiralivro[1]
Cartaz feiralivro[1]
 
Ler é divertido
Ler é divertidoLer é divertido
Ler é divertido
 
Ji e eb1 peso convite
Ji e eb1 peso conviteJi e eb1 peso convite
Ji e eb1 peso convite
 
Convite à Comunidade - Sarau Cultural
Convite à Comunidade - Sarau CulturalConvite à Comunidade - Sarau Cultural
Convite à Comunidade - Sarau Cultural
 
Convite à Comunidade - Sarau
Convite à Comunidade - SarauConvite à Comunidade - Sarau
Convite à Comunidade - Sarau
 
Convite para o Sarau
Convite para o SarauConvite para o Sarau
Convite para o Sarau
 
Convite sarau
Convite sarauConvite sarau
Convite sarau
 

Último

História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 

Rosa lobato faria[1]

  • 1. Rosa Lobato Faria Autobiografia
  • 2. Quando eu era pequena havia um mistério chamado Infância. Nunca tínhamos ouvido falar de coisas aberrantes como educação sexual, política ou pedofilia. Vivíamos num mundo mágico de princesas imaginárias, príncipes encantados e animais que falavam. A pior pessoa que conhecíamos era a bruxa da Branca de Neve. Fazíamos hospitais para as formigas onde as camas eram folhinhas de oliveira e não comíamos à mesa com os adultos. Isto poupava nos a conversas enfadonhas e incompreensíveis, a milhas do nosso mundo tão outro e deixava-nos livres para projectos essenciais, como ir ver oscilar os agriões nos regatos e fazer colares e brincos de cerejas. Baptizávamos as árvores, passeávamos de burro, fabricávamos grinaldas de flores do campo. Fazíamos quadras ao desafio, inventávamos palavras e entoávamos melodias nunca aprendidas.
  • 3. Na Infância as escolas ainda não tinham fechado. Não batíamos na professora, levávamos-lhe flores. E depois ainda havia infância para perceber o aroma do suco das maçãs trincadas com dentes novos, um rasto de hortelã nos aventais, a angustia de esperar o nascer do sol sem ter a certeza que viria, a beleza das cantigas límpidas das camponesas, o fulgor das papoilas. E havia a praia, o mar e as bolas de Berlim !!
  • 4. Aos 4 anos aprendi a ler; aos 6 fazia versos, aos 9 ensinaram-me inglês e pude alargar o âmbito das minhas leituras infantis. Aos 13 fui, interna ,para o Colégio. Ali havia muitas raparigas que cheiravam a pão, escreviam cartas às escondidas, e sonhavam com os filmes que viam nas férias. Chamava-se a isto Adolescên- cia , as formas cresciam-nos como as necessidades de espírito, música, leitura, poesia, para mim sobretudo literatura, história universal, história de arte, descobrimentos e o Camões a contar aquilo tudo, e as professoras a dizerem, aplica-te, menina,que vais ser escritora
  • 5. Eram aulas gloriosas, em que a espuma do mar entrava pela janela, a música da poesia medieval ressoava nas paredes cheias de sol Mas também tínhamos a célebre aula de Economia Doméstica de onde saíamos com a sensação de que a mulher era uma coisa frágil, sem vontade própria, sempre a obedecer ao marido, fraca de espírito que não de corpo, pois tendo passado o dia a esfregar o chão com palha de aço, mal ouvia a chave na porta havia de apresentar-se ao macho milagrosamente fresca…
  • 6. Aos 17 anos entrei para a Faculdade sem fazer a mínima ideia do que isso fosse. Aos 19 casei-me, ainda completamente em branco (e não me refiro só à cor do vestido). Só 6 anos, três filhos e centenas de livros mais tarde é que resolvi arrumar os meus valores como quem arruma um guarda- vestidos. Isto não, isto não se usa , isto não gosto, isto sim, isto seguramente, isto talvez. Os preconceitos foram os primeiros a desandar A revolução que NÓS fizemos nos últimos 50 anos. E eu fiz tudo, quando ainda não era suposto. Quando descobri que ser livre era acreditar em mim própria, nos meus poucos, mas bons valores pessoais
  • 7. Depois foram as circunstâncias da vida. A alegria de mais um filho, erros, acertos, disparates generosidades ,ingenuidades, tudo muito bom para aprender alguma coisa. Tudo muito bom. Aprender é a palavra chave e dou por mal empregue o dia em que não aprendo nada. Ainda espero ter tempo para aprender muita coisa, agora que decidi que a Bíblia é a metáfora da vida humana e posso glosar essa descoberta até, praticamente, ao infinito.
  • 8. Pois é. Eu achava, pobre de mim que era poetisa. Ainda não sabia que estava só a tirar apontamentos para o que havia de fazer mais tarde. A ganhar intimidade, cumplicidade com as palavras Também escrevia crónicas e contos, recados à mulher-a-dias. E de repente, aos 63 anos renasci. Cresceu-me uma alma de romancista e vai de escrever 10 romances em 12 anos mais um livro de contos (Os linhos da Avó) e sete ou oito livros infantis
  • 9. Isto da idade tem a sua graça. Por fora, realmente ,nota-se muito. Mas eu pouco olho para o espelho e esqueço-me dessa história da imagem. Quando estou em processo criativo sinto-me bonita. É como se tivesse luzinhas na cabeça. Há 45 anos, com aquela soberba muito feminina, costumava dizer que o meu espelho eram os olhos dos homens. Agora são os olhos dos meus leitores, sem distinção de sexo, raça, idade ou religião. É um progresso enorme. Perto dos 30 anos comecei a dizer poesia na televisão e pelos 40 e tais pus-me a fazer umas maluqueiras em novelas, séries,etc.
  • 10. Já escrevi 1500 cantigas e é uma das coisas mais divertidas que me aconteceu. Ouvir a música e perceber o que é que lá vem escrito, porque a melodia, como o vento, tem uma alma e é preciso descobrir o que ela esconde. Depois é uma lotaria. Ou me cantam maravilhosamente bem ou tristemente mal. Mas há que arriscar e, no fundo, é só uma cantiga. Irrelevante. Se isto fosse uma autobiografia teria muitas outras coisas para contar. Mas não conto. Primeiro porque não quero. Segundo porque só me dão este espaço que, para 75 anos de vida, convenhamos não é excessivo. Encontramo-nos no meu próximo romance.