SlideShare uma empresa Scribd logo
Rosa Lobato Faria  Escola EB2,3/S Vieira de Araújo 2009/2010
Nome: Rosa Maria de Bettencourt Rodrigues Lobato de FariaNasceu : 20  de Abril de 1932Morreu: 2 de Fevereiro de 2010 com 78 anos
Foi casada com oeditor Joaquim Figueiredo Magalhãescom quem estevecasada 33 anos.
Deixou 4 filhos ee12 netos.
“Foi a mulher dos 7 ofícios”.poetisa .romancista.argumentista .cronista e actriz de teatro, cinema e televisão. Autora de canções e fados.locutora.guionista…
“E, um dia, quando eu tinha 63 anos, Deus quis que eu nascesse de novo. Contaram-me uma história e fiquei a pensar nela. Aquela história não me largava a cabeça. E eu dizia para mim. Isto é um conto, tenho que escrever este conto, senão não me vejo livre desta maçada. E escrevi. Quando reparei tinha 240 páginas A4 e pensei: Isto se calhar é um bocadinho mais que um conto. Efectivamente, era um romance”.
Foi uma escritora tardia pois estriou-se a escrever na década de 80 já com 63 anos.Publicou o seu 1º livro em 1995.
O 1º livro que escreveu foi “O Pranto de Lúcifer”.O último foi “As esquinas do tempo” em 2008.
Em 2000 ganhou o prémio máximo de literatura.
Romances que escreveu Os Pássaros de Seda (1996); Os Três Casamentos de Camila (1997); Romance de Cordélia (1998); O Prenúncio das Águas (1999); A Trança de Inês (2001); O Sétimo Véu (2003); Os Linhos da Avó (2004;  A Flor do Sal (2005).
Séries onde participou Humor de Predição;Anaosa Lobato Fariaumor de Perdição - Chegada de José Estebes.flv A minha sogra é uma bruxa;Anaosa Lobato FariaA Minha Sogra é uma Bruxa] Até Sempre, Rosa Lobato Faria.flv Palavras Cruzadas;Anaosa Lobato Fariaalavras Cruzadas - episódio 2 - Chegada do João e o Tráfico de joias.flv Aqui não há quem viva; A mala de cartão;
Filmes onde participou  Tráfico A mulher que acreditava ser Presidente dos Estados Unidos da América Jogo de mão Paisagem sem barcos O vestido cor de fogo
Letras de Musicas que escreveu Amor d’água fresca (1992); Chamar a música (1994); Baunilha e chocolate (1995); Antes do Adeus (1997).
Amor d’água fresca Quando eu vi olhos de ameixa e a boca de amora silvestreTanto mel, tanto sol, nessa tua madeixa, perfil sumarento e agreste Foi a certeza que eras tu, o meu doce de uvaE nós sobre a mesa, o amor de morango e cajú Peguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeçaVem cá tenho sede, quero o teu amor d'água frescaPeguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeçaVem cá tenho sede, quero o teu amor d'água fresca, ohoh... Tens na pele travo a laranja e no beijo três gomos de risoTanto mel, tanto sol, fruta, sumo, água fresca, provei e perdi o juízo Foi na manhã acesa em ti, abacate, abrunhoE a pêra francesa, romã, framboesa, kiwi Peguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeçaVem cá tenho sede, quero o teu amor d'água frescaPeguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeçaVem... vem... vem cá, tenho sede, quero o teu amor d'água fresca Ah... foi na manhã acesa em ti, abacate, abrunhoE a pêra francesa, romã, framboesa, kiwi Peguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeçaVem cá, tenho sede, quero o teu amor d'água frescaPeguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeçaVem cá, tenho sede, quero o teu amor d'água fresca Peguei, trinquei e meti-te na cesta
Chamar a música Esta noite vou ficar assimPrisioneira desse olharDe mel pousado em mimVou chamar a músicaPôr à prova a minha vozNuma trova só p'ra nós Esta noite vou beber licorComo um filtro redentorDe amor,  amor,  amorVou chamar a músicaVou pegar na tua mãoVou compor uma canção Chamar a músicaA músicaTê-la aqui tão pertoComo o vento no desertoAcordado em mimChamar a músicaA músicaMusa dos meus temasNesta noite de açucenasAbraçar-te apenasÉ chamar a música Esta noite não quero a TVNem a folha do jornalBanal que ninguém lêVou chamar a músicaMurmurar um madrigalInventar um ritual Esta noite vou servir um cháFeito de ervas e jasmimE aromas que não háVou chamar a músicaEncontrar à flor de mimUm poema de cetim Chamar a músicaA músicaTê-la aqui tão perto
Poemas Quem me quiser; As pequenas palavras; Vimos chegar a andorinha; Quimera; Primeiro a tua mão; O teu amor absoluto; Quero dar-te; E de novo a armadilha dos braços; Imaginação; Tempo; Sorriso;
Quem me quiser Quem me quiser há-de saber as conchasa cantiga dos búzios e do mar.Quem me quiser há-de saber as ondase a verde tentação de naufragar.   Quem me quiser há-de saber as fontes,a laranjeira em flor, a cor do feno,a saudade lilás que há nos poentes,o cheiro de maçãs que há no inverno.   Quem me quiser há-de saber a chuvaque põe colares de pérolas nos ombroshá-de saber os beijos e as uvashá-de saber as asas e os pombos.   Quem me quiser há-de saber os medosque passam nos abismos infinitosa nudez clamorosa dos meus dedoso salmo penitente dos meus gritos.   Quem me quiser há-de saber a espumaem que sou turbilhão, subitamenteOu então não saber coisa nenhumae embalar-me ao peito, simplesmente.
As pequenas palavras De todas as palavras escolhi água,porque lágrima, chuva, porque marporque saliva, bátega, nascenteporque rio, porque sede, porque fonte.De todas as palavras escolhi dar. De todas as palavras escolhi florporque terra, papoila, cor, sementeporque rosa, recado, porque peleporque pétala, pólen, porque vento.De todas as palavras escolhi mel. De todas as palavras escolhi vozporque cantiga, riso, porque amorporque partilha, boca, porque nósporque segredo, água, mel e flor. E porque poesia e porque adeusde todas as palavras escolhi dor.  
Vimos chegar a andorinha Vimos chegar as andorinhas     conjugarem-se as estrelas      impacientarem-se os ventos Agora     esperemos o verão     do teu nascimento tranquilos, preguiçosos  Tão inseparáveis as nossas fomes Tão emaranhadas as nossas veias Tão indestrutíveis os nossos sonhos Espera-te um nome     breve como um beijo     e o reino ilimitado     dos meus braços Virás     como a luz maior     no solstício de Junho.
Quimera Eu quis um violino no telhado      e uma arara exótica no banho. Eu quis uma toalha de brocado      e um pavão real do meu tamanho. Eu quis todos os cheiros do pecado             e toda a santidade que não tenho.  Eu quis uma pintura aos pés da cama      infinita de azul e perspectiva. Eu quis ouvir ouvir a história de Mira Burana      na hora da orgia prometida. Eu quis uma opulência de sultana      e a miséria amarga da mendiga. Eu quis um vinho feito de medronho      de veneno, de beijos, de suspiros. Eu quis a morte de viver dum sonho      eu quis a sorte de morrer dum tiro. Eu quis chorar por ti durante o sono       eu quis ao acordar fugir contigo.      Mas tudo o que é excessivo é muito pouco.      Por isso fiquei só, com o meu corpo.
Primeiro a tua mão Primeiro a tua mão sobre o meu seio.Depois o pé – o meu – sobre o teu pé.Logo o roçar urgente do joelhoe o ventre mais à frente na maré. É a onda do ombro que se instalaÉ a linha do dorso que se inscreve.A mão agora impõe, já não embalamas o beijo é carícia, de tão leve. O corpo roda: quer mais pele, mais quente.A boca exige: quer mais sal, mais morno.Já não há gesto que se não invente,ímpeto que não ache um abandono. Então já a maré subiu de vez.É todo o mar que inunda a nossa cama.Afogados de amor e de nudezSomos a maré alta de quem ama. Por fim o sono calmo, que não ésenão ternura, intimidade, enleio:o meu pé descansando no teu pé,a tua mão dormindo no meu seio.
O teu amor absoluto O teu amor absoluto     é como a hera que envolve as paredes da casa. Quero ser a casa     e que arranhes a cal da minha pele     e te aninhes nos meus ouvidos fendas     e perturbes a porta minha boca. E por fim     procures o perigo das janelas     e enfrentes os meus olhos     infinitos de mágoa     noite e assombração.
Quero dar-te   Quero dar-te a coisa mais pequenina que houver bago de arroz grão de areia semente de linho suspiro de pássaro pedra de sal som de regato a coisa mais pequena do mundo a sombra do meu nome o peso do meu coração na tua pele.  
E de novo a armadilha dos braços E de novo a armadilha dos abraços. E de novo o enredo das delícias. O rouco da garganta, os pés descalços a pele alucinada de carícias. As preces, os segredos, as risadas no altar esplendoroso das ofertas. De novo beijo a beijo as madrugadas de novo seio a seio as descobertas. Alcandorada no teu corpo imenso teço um colar de gritos e silêncios a ecoar no som dos precipícios. E tudo o que me dás eu te devolvo. E fazemos de novo, sempre novo o amor total dos deuses e dos bichos.
Imaginação A imaginação é magia e é arte que nos faz inventar, sonhar e viajar. Com imaginação podemos ir a Marte ou ao centro da Terra, ou ao fundo do mar. Com imaginação nunca estamos sozinhos. A imaginação é um voo, um lugar onde temos amigos, onde há outros caminhos nos quais, sem te mexeres, podes ir passear. Inventa uma cantiga, um poema, um desenho um arco-íris, um rio por entre mal me queres; esse lugar é teu, sem limite ou tamanho. A esse teu lugar, só vai quem tu quiseres.
Tempo O tempo tem aspectos misteriosos: Um ano passa a toda a velocidade, E um minuto, se estamos ansiosos Parece, às vezes, uma eternidade. Um dia ou é veloz ou pachorrento -depende do que está a acontecer-me  O tempo de estudar, pode ser lento. O tempo de brincar, passa a correr. E aquela terrível arrelia Que até te fez chorar, por ser tão má, deixa passar o tempo. Por magia, Quando olhamos para trás, já lá não está.
Sorriso O sorriso é uma chave Que abre portas e janelas. Entre muitas coisas mágicas O sorriso é uma delas. O sorriso é simpatia Também pode ser amor. O sorriso tem magia Tem ternura e calor. O sorriso dá carinho O sorriso faz amigos. Constrói tu, no teu caminho Uma ponte de sorrisos.
Trabalho realizado por: Ana Filipa Branco Nº3 Marta Pereira Nº18 10ºA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Concurso poesia na corda 2013
Concurso poesia na corda 2013Concurso poesia na corda 2013
Concurso poesia na corda 2013
Graça Neves Oliveira
 
Livro de poemas dos alunos do 8º Ano C e D, do Bartolomeu
Livro de poemas  dos alunos do 8º Ano C e D, do BartolomeuLivro de poemas  dos alunos do 8º Ano C e D, do Bartolomeu
Livro de poemas dos alunos do 8º Ano C e D, do Bartolomeu
Paulo Sérgio
 
Livro do desejo i 1
Livro do desejo i 1Livro do desejo i 1
Livro do desejo i 1
Ashera
 
Portefolio de poemas_5_6_anos
Portefolio de poemas_5_6_anosPortefolio de poemas_5_6_anos
Portefolio de poemas_5_6_anos
bib2009
 
Poemas Ilustrados
Poemas IlustradosPoemas Ilustrados
Poemas Ilustrados
vales
 
20120803 caderno poemas ciclo 3
20120803 caderno poemas ciclo 320120803 caderno poemas ciclo 3
20120803 caderno poemas ciclo 3
crepalmela
 
Visita de um amigo
Visita de um amigoVisita de um amigo
Visita de um amigo
Prefeitura de Fortaleza
 
Natércia Freire
Natércia FreireNatércia Freire
Natércia Freire
davidaaduarte
 
Ilka+vieira renascitudes
Ilka+vieira renascitudesIlka+vieira renascitudes
Ilka+vieira renascitudes
rc1951
 
Homenagem a Francisco Neves de Macedo
Homenagem a Francisco Neves de MacedoHomenagem a Francisco Neves de Macedo
Homenagem a Francisco Neves de Macedo
Confraria Paranaense
 
Um coração, um cúpido e um beijo por um poema de amor em português
Um coração, um cúpido e um beijo por um poema de amor em portuguêsUm coração, um cúpido e um beijo por um poema de amor em português
Um coração, um cúpido e um beijo por um poema de amor em português
Leonor Costa
 
Livrinho Jogando e escrevendo poemas
Livrinho Jogando e escrevendo poemasLivrinho Jogando e escrevendo poemas
Livrinho Jogando e escrevendo poemas
Aline França Russo
 
Bocage Sonetos E Outros Poemas
Bocage Sonetos E Outros PoemasBocage Sonetos E Outros Poemas
Bocage Sonetos E Outros Poemas
Flávio Mello
 
Letras de musicas cifradas
Letras de musicas cifradasLetras de musicas cifradas
Letras de musicas cifradas
Nome Sobrenome
 
Últimas Águas
Últimas ÁguasÚltimas Águas
Últimas Águas
toni martin
 
Livro do Poeta Daniel Amaral - O Floral Poético
Livro do Poeta Daniel Amaral - O Floral PoéticoLivro do Poeta Daniel Amaral - O Floral Poético
Livro do Poeta Daniel Amaral - O Floral Poético
Daniel Amaral
 
LIVRO DE POESIAS DE DANIEL D'AMARAL - O FLORAL POÉTICO
LIVRO DE POESIAS DE DANIEL D'AMARAL - O FLORAL POÉTICOLIVRO DE POESIAS DE DANIEL D'AMARAL - O FLORAL POÉTICO
LIVRO DE POESIAS DE DANIEL D'AMARAL - O FLORAL POÉTICO
Daniel Amaral
 
Claro enigma
Claro enigmaClaro enigma
Claro enigma
Mauro Marcel
 
As pontes da eternidade
As pontes da eternidadeAs pontes da eternidade
As pontes da eternidade
Alfredo Kleper Chaves Lavor
 
Vinicius de-moraes-novos-poemas-ii
Vinicius de-moraes-novos-poemas-iiVinicius de-moraes-novos-poemas-ii
Vinicius de-moraes-novos-poemas-ii
jcmucuge
 

Mais procurados (20)

Concurso poesia na corda 2013
Concurso poesia na corda 2013Concurso poesia na corda 2013
Concurso poesia na corda 2013
 
Livro de poemas dos alunos do 8º Ano C e D, do Bartolomeu
Livro de poemas  dos alunos do 8º Ano C e D, do BartolomeuLivro de poemas  dos alunos do 8º Ano C e D, do Bartolomeu
Livro de poemas dos alunos do 8º Ano C e D, do Bartolomeu
 
Livro do desejo i 1
Livro do desejo i 1Livro do desejo i 1
Livro do desejo i 1
 
Portefolio de poemas_5_6_anos
Portefolio de poemas_5_6_anosPortefolio de poemas_5_6_anos
Portefolio de poemas_5_6_anos
 
Poemas Ilustrados
Poemas IlustradosPoemas Ilustrados
Poemas Ilustrados
 
20120803 caderno poemas ciclo 3
20120803 caderno poemas ciclo 320120803 caderno poemas ciclo 3
20120803 caderno poemas ciclo 3
 
Visita de um amigo
Visita de um amigoVisita de um amigo
Visita de um amigo
 
Natércia Freire
Natércia FreireNatércia Freire
Natércia Freire
 
Ilka+vieira renascitudes
Ilka+vieira renascitudesIlka+vieira renascitudes
Ilka+vieira renascitudes
 
Homenagem a Francisco Neves de Macedo
Homenagem a Francisco Neves de MacedoHomenagem a Francisco Neves de Macedo
Homenagem a Francisco Neves de Macedo
 
Um coração, um cúpido e um beijo por um poema de amor em português
Um coração, um cúpido e um beijo por um poema de amor em portuguêsUm coração, um cúpido e um beijo por um poema de amor em português
Um coração, um cúpido e um beijo por um poema de amor em português
 
Livrinho Jogando e escrevendo poemas
Livrinho Jogando e escrevendo poemasLivrinho Jogando e escrevendo poemas
Livrinho Jogando e escrevendo poemas
 
Bocage Sonetos E Outros Poemas
Bocage Sonetos E Outros PoemasBocage Sonetos E Outros Poemas
Bocage Sonetos E Outros Poemas
 
Letras de musicas cifradas
Letras de musicas cifradasLetras de musicas cifradas
Letras de musicas cifradas
 
Últimas Águas
Últimas ÁguasÚltimas Águas
Últimas Águas
 
Livro do Poeta Daniel Amaral - O Floral Poético
Livro do Poeta Daniel Amaral - O Floral PoéticoLivro do Poeta Daniel Amaral - O Floral Poético
Livro do Poeta Daniel Amaral - O Floral Poético
 
LIVRO DE POESIAS DE DANIEL D'AMARAL - O FLORAL POÉTICO
LIVRO DE POESIAS DE DANIEL D'AMARAL - O FLORAL POÉTICOLIVRO DE POESIAS DE DANIEL D'AMARAL - O FLORAL POÉTICO
LIVRO DE POESIAS DE DANIEL D'AMARAL - O FLORAL POÉTICO
 
Claro enigma
Claro enigmaClaro enigma
Claro enigma
 
As pontes da eternidade
As pontes da eternidadeAs pontes da eternidade
As pontes da eternidade
 
Vinicius de-moraes-novos-poemas-ii
Vinicius de-moraes-novos-poemas-iiVinicius de-moraes-novos-poemas-ii
Vinicius de-moraes-novos-poemas-ii
 

Semelhante a Rosa lobat - ana branco e marta

Poesias mostra cultural
Poesias mostra culturalPoesias mostra cultural
Poesias mostra cultural
Barbara Coelho
 
Poemas de vários autores
Poemas de vários autoresPoemas de vários autores
Poemas de vários autores
bibliotecanordeste
 
Concurso poesia na_corda_2010
Concurso poesia na_corda_2010Concurso poesia na_corda_2010
Concurso poesia na_corda_2010
Maria Da Graça Oliveira
 
Chuva de Poemas 1.pdf
Chuva de Poemas 1.pdfChuva de Poemas 1.pdf
Chuva de Poemas 1.pdf
VitorRibeiro261164
 
Vinícius+de+moraes
Vinícius+de+moraesVinícius+de+moraes
Vinícius+de+moraes
Lílian Alves
 
POESIAS escrito no site meu lado poético poesias de amor surreal mensagens
POESIAS escrito no site meu lado poético poesias de amor surreal mensagensPOESIAS escrito no site meu lado poético poesias de amor surreal mensagens
POESIAS escrito no site meu lado poético poesias de amor surreal mensagens
Terreza Lima
 
A MODERNIDADE NA PROSA E NO VERSO
A MODERNIDADE NA PROSA E NO VERSOA MODERNIDADE NA PROSA E NO VERSO
A MODERNIDADE NA PROSA E NO VERSO
Italo Delavechia
 
Leituras
LeiturasLeituras
Leituras
guida04
 
Poema da semana
Poema da semanaPoema da semana
Poema da semana
Raquel Rodriges
 
Poema da semana
Poema da semanaPoema da semana
Poema da semana
Raquel Rodriges
 
Memento Mori V Noite De Poesia Márcia Maranhão de Conti
Memento Mori   V Noite De Poesia   Márcia Maranhão de ContiMemento Mori   V Noite De Poesia   Márcia Maranhão de Conti
Memento Mori V Noite De Poesia Márcia Maranhão de Conti
Memento Mori
 
Calendário Mensal: Julho 2010
Calendário Mensal: Julho 2010Calendário Mensal: Julho 2010
Calendário Mensal: Julho 2010
Gisele Santos
 
Martins Fontes Apresentação
Martins Fontes   ApresentaçãoMartins Fontes   Apresentação
Martins Fontes Apresentação
marinhofontes
 
José Saramago - Poesia
José Saramago - PoesiaJosé Saramago - Poesia
José Saramago - Poesia
guida04
 
Suplemento acre 0011 e book
Suplemento acre 0011 e book Suplemento acre 0011 e book
Suplemento acre 0011 e book
AMEOPOEMA Editora
 
Poesia - aLer+ a Liberdade - Ficheiro B.pdf
Poesia - aLer+ a Liberdade - Ficheiro B.pdfPoesia - aLer+ a Liberdade - Ficheiro B.pdf
Poesia - aLer+ a Liberdade - Ficheiro B.pdf
Bibliotecas Infante D. Henrique
 
Vinte poemas de amor e uma canção desesperada, Pablo Neruda
Vinte poemas de amor e uma canção desesperada, Pablo NerudaVinte poemas de amor e uma canção desesperada, Pablo Neruda
Vinte poemas de amor e uma canção desesperada, Pablo Neruda
Zanah
 
O riode vinicius
O riode viniciusO riode vinicius
O riode vinicius
Marilia Brasil
 
O Rio de Vinicius de Moraes
O Rio de Vinicius de MoraesO Rio de Vinicius de Moraes
O Rio de Vinicius de Moraes
com_carinho_licia
 
FIGURAS DE LINGUAGEM
FIGURAS DE LINGUAGEMFIGURAS DE LINGUAGEM
FIGURAS DE LINGUAGEM
Angela Santos
 

Semelhante a Rosa lobat - ana branco e marta (20)

Poesias mostra cultural
Poesias mostra culturalPoesias mostra cultural
Poesias mostra cultural
 
Poemas de vários autores
Poemas de vários autoresPoemas de vários autores
Poemas de vários autores
 
Concurso poesia na_corda_2010
Concurso poesia na_corda_2010Concurso poesia na_corda_2010
Concurso poesia na_corda_2010
 
Chuva de Poemas 1.pdf
Chuva de Poemas 1.pdfChuva de Poemas 1.pdf
Chuva de Poemas 1.pdf
 
Vinícius+de+moraes
Vinícius+de+moraesVinícius+de+moraes
Vinícius+de+moraes
 
POESIAS escrito no site meu lado poético poesias de amor surreal mensagens
POESIAS escrito no site meu lado poético poesias de amor surreal mensagensPOESIAS escrito no site meu lado poético poesias de amor surreal mensagens
POESIAS escrito no site meu lado poético poesias de amor surreal mensagens
 
A MODERNIDADE NA PROSA E NO VERSO
A MODERNIDADE NA PROSA E NO VERSOA MODERNIDADE NA PROSA E NO VERSO
A MODERNIDADE NA PROSA E NO VERSO
 
Leituras
LeiturasLeituras
Leituras
 
Poema da semana
Poema da semanaPoema da semana
Poema da semana
 
Poema da semana
Poema da semanaPoema da semana
Poema da semana
 
Memento Mori V Noite De Poesia Márcia Maranhão de Conti
Memento Mori   V Noite De Poesia   Márcia Maranhão de ContiMemento Mori   V Noite De Poesia   Márcia Maranhão de Conti
Memento Mori V Noite De Poesia Márcia Maranhão de Conti
 
Calendário Mensal: Julho 2010
Calendário Mensal: Julho 2010Calendário Mensal: Julho 2010
Calendário Mensal: Julho 2010
 
Martins Fontes Apresentação
Martins Fontes   ApresentaçãoMartins Fontes   Apresentação
Martins Fontes Apresentação
 
José Saramago - Poesia
José Saramago - PoesiaJosé Saramago - Poesia
José Saramago - Poesia
 
Suplemento acre 0011 e book
Suplemento acre 0011 e book Suplemento acre 0011 e book
Suplemento acre 0011 e book
 
Poesia - aLer+ a Liberdade - Ficheiro B.pdf
Poesia - aLer+ a Liberdade - Ficheiro B.pdfPoesia - aLer+ a Liberdade - Ficheiro B.pdf
Poesia - aLer+ a Liberdade - Ficheiro B.pdf
 
Vinte poemas de amor e uma canção desesperada, Pablo Neruda
Vinte poemas de amor e uma canção desesperada, Pablo NerudaVinte poemas de amor e uma canção desesperada, Pablo Neruda
Vinte poemas de amor e uma canção desesperada, Pablo Neruda
 
O riode vinicius
O riode viniciusO riode vinicius
O riode vinicius
 
O Rio de Vinicius de Moraes
O Rio de Vinicius de MoraesO Rio de Vinicius de Moraes
O Rio de Vinicius de Moraes
 
FIGURAS DE LINGUAGEM
FIGURAS DE LINGUAGEMFIGURAS DE LINGUAGEM
FIGURAS DE LINGUAGEM
 

Último

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 

Último (20)

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 

Rosa lobat - ana branco e marta

  • 1. Rosa Lobato Faria Escola EB2,3/S Vieira de Araújo 2009/2010
  • 2. Nome: Rosa Maria de Bettencourt Rodrigues Lobato de FariaNasceu : 20 de Abril de 1932Morreu: 2 de Fevereiro de 2010 com 78 anos
  • 3. Foi casada com oeditor Joaquim Figueiredo Magalhãescom quem estevecasada 33 anos.
  • 4. Deixou 4 filhos ee12 netos.
  • 5. “Foi a mulher dos 7 ofícios”.poetisa .romancista.argumentista .cronista e actriz de teatro, cinema e televisão. Autora de canções e fados.locutora.guionista…
  • 6. “E, um dia, quando eu tinha 63 anos, Deus quis que eu nascesse de novo. Contaram-me uma história e fiquei a pensar nela. Aquela história não me largava a cabeça. E eu dizia para mim. Isto é um conto, tenho que escrever este conto, senão não me vejo livre desta maçada. E escrevi. Quando reparei tinha 240 páginas A4 e pensei: Isto se calhar é um bocadinho mais que um conto. Efectivamente, era um romance”.
  • 7. Foi uma escritora tardia pois estriou-se a escrever na década de 80 já com 63 anos.Publicou o seu 1º livro em 1995.
  • 8. O 1º livro que escreveu foi “O Pranto de Lúcifer”.O último foi “As esquinas do tempo” em 2008.
  • 9. Em 2000 ganhou o prémio máximo de literatura.
  • 10. Romances que escreveu Os Pássaros de Seda (1996); Os Três Casamentos de Camila (1997); Romance de Cordélia (1998); O Prenúncio das Águas (1999); A Trança de Inês (2001); O Sétimo Véu (2003); Os Linhos da Avó (2004; A Flor do Sal (2005).
  • 11. Séries onde participou Humor de Predição;Anaosa Lobato Fariaumor de Perdição - Chegada de José Estebes.flv A minha sogra é uma bruxa;Anaosa Lobato FariaA Minha Sogra é uma Bruxa] Até Sempre, Rosa Lobato Faria.flv Palavras Cruzadas;Anaosa Lobato Fariaalavras Cruzadas - episódio 2 - Chegada do João e o Tráfico de joias.flv Aqui não há quem viva; A mala de cartão;
  • 12. Filmes onde participou Tráfico A mulher que acreditava ser Presidente dos Estados Unidos da América Jogo de mão Paisagem sem barcos O vestido cor de fogo
  • 13. Letras de Musicas que escreveu Amor d’água fresca (1992); Chamar a música (1994); Baunilha e chocolate (1995); Antes do Adeus (1997).
  • 14. Amor d’água fresca Quando eu vi olhos de ameixa e a boca de amora silvestreTanto mel, tanto sol, nessa tua madeixa, perfil sumarento e agreste Foi a certeza que eras tu, o meu doce de uvaE nós sobre a mesa, o amor de morango e cajú Peguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeçaVem cá tenho sede, quero o teu amor d'água frescaPeguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeçaVem cá tenho sede, quero o teu amor d'água fresca, ohoh... Tens na pele travo a laranja e no beijo três gomos de risoTanto mel, tanto sol, fruta, sumo, água fresca, provei e perdi o juízo Foi na manhã acesa em ti, abacate, abrunhoE a pêra francesa, romã, framboesa, kiwi Peguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeçaVem cá tenho sede, quero o teu amor d'água frescaPeguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeçaVem... vem... vem cá, tenho sede, quero o teu amor d'água fresca Ah... foi na manhã acesa em ti, abacate, abrunhoE a pêra francesa, romã, framboesa, kiwi Peguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeçaVem cá, tenho sede, quero o teu amor d'água frescaPeguei, trinquei e meti-te na cesta, ris e dás-me a volta à cabeçaVem cá, tenho sede, quero o teu amor d'água fresca Peguei, trinquei e meti-te na cesta
  • 15. Chamar a música Esta noite vou ficar assimPrisioneira desse olharDe mel pousado em mimVou chamar a músicaPôr à prova a minha vozNuma trova só p'ra nós Esta noite vou beber licorComo um filtro redentorDe amor, amor, amorVou chamar a músicaVou pegar na tua mãoVou compor uma canção Chamar a músicaA músicaTê-la aqui tão pertoComo o vento no desertoAcordado em mimChamar a músicaA músicaMusa dos meus temasNesta noite de açucenasAbraçar-te apenasÉ chamar a música Esta noite não quero a TVNem a folha do jornalBanal que ninguém lêVou chamar a músicaMurmurar um madrigalInventar um ritual Esta noite vou servir um cháFeito de ervas e jasmimE aromas que não háVou chamar a músicaEncontrar à flor de mimUm poema de cetim Chamar a músicaA músicaTê-la aqui tão perto
  • 16. Poemas Quem me quiser; As pequenas palavras; Vimos chegar a andorinha; Quimera; Primeiro a tua mão; O teu amor absoluto; Quero dar-te; E de novo a armadilha dos braços; Imaginação; Tempo; Sorriso;
  • 17. Quem me quiser Quem me quiser há-de saber as conchasa cantiga dos búzios e do mar.Quem me quiser há-de saber as ondase a verde tentação de naufragar.   Quem me quiser há-de saber as fontes,a laranjeira em flor, a cor do feno,a saudade lilás que há nos poentes,o cheiro de maçãs que há no inverno.   Quem me quiser há-de saber a chuvaque põe colares de pérolas nos ombroshá-de saber os beijos e as uvashá-de saber as asas e os pombos.   Quem me quiser há-de saber os medosque passam nos abismos infinitosa nudez clamorosa dos meus dedoso salmo penitente dos meus gritos.   Quem me quiser há-de saber a espumaem que sou turbilhão, subitamenteOu então não saber coisa nenhumae embalar-me ao peito, simplesmente.
  • 18. As pequenas palavras De todas as palavras escolhi água,porque lágrima, chuva, porque marporque saliva, bátega, nascenteporque rio, porque sede, porque fonte.De todas as palavras escolhi dar. De todas as palavras escolhi florporque terra, papoila, cor, sementeporque rosa, recado, porque peleporque pétala, pólen, porque vento.De todas as palavras escolhi mel. De todas as palavras escolhi vozporque cantiga, riso, porque amorporque partilha, boca, porque nósporque segredo, água, mel e flor. E porque poesia e porque adeusde todas as palavras escolhi dor.  
  • 19. Vimos chegar a andorinha Vimos chegar as andorinhas conjugarem-se as estrelas impacientarem-se os ventos Agora esperemos o verão do teu nascimento tranquilos, preguiçosos Tão inseparáveis as nossas fomes Tão emaranhadas as nossas veias Tão indestrutíveis os nossos sonhos Espera-te um nome breve como um beijo e o reino ilimitado dos meus braços Virás como a luz maior no solstício de Junho.
  • 20. Quimera Eu quis um violino no telhado e uma arara exótica no banho. Eu quis uma toalha de brocado e um pavão real do meu tamanho. Eu quis todos os cheiros do pecado e toda a santidade que não tenho. Eu quis uma pintura aos pés da cama infinita de azul e perspectiva. Eu quis ouvir ouvir a história de Mira Burana na hora da orgia prometida. Eu quis uma opulência de sultana e a miséria amarga da mendiga. Eu quis um vinho feito de medronho de veneno, de beijos, de suspiros. Eu quis a morte de viver dum sonho eu quis a sorte de morrer dum tiro. Eu quis chorar por ti durante o sono eu quis ao acordar fugir contigo. Mas tudo o que é excessivo é muito pouco. Por isso fiquei só, com o meu corpo.
  • 21. Primeiro a tua mão Primeiro a tua mão sobre o meu seio.Depois o pé – o meu – sobre o teu pé.Logo o roçar urgente do joelhoe o ventre mais à frente na maré. É a onda do ombro que se instalaÉ a linha do dorso que se inscreve.A mão agora impõe, já não embalamas o beijo é carícia, de tão leve. O corpo roda: quer mais pele, mais quente.A boca exige: quer mais sal, mais morno.Já não há gesto que se não invente,ímpeto que não ache um abandono. Então já a maré subiu de vez.É todo o mar que inunda a nossa cama.Afogados de amor e de nudezSomos a maré alta de quem ama. Por fim o sono calmo, que não ésenão ternura, intimidade, enleio:o meu pé descansando no teu pé,a tua mão dormindo no meu seio.
  • 22. O teu amor absoluto O teu amor absoluto é como a hera que envolve as paredes da casa. Quero ser a casa e que arranhes a cal da minha pele e te aninhes nos meus ouvidos fendas e perturbes a porta minha boca. E por fim procures o perigo das janelas e enfrentes os meus olhos infinitos de mágoa noite e assombração.
  • 23. Quero dar-te   Quero dar-te a coisa mais pequenina que houver bago de arroz grão de areia semente de linho suspiro de pássaro pedra de sal som de regato a coisa mais pequena do mundo a sombra do meu nome o peso do meu coração na tua pele.  
  • 24. E de novo a armadilha dos braços E de novo a armadilha dos abraços. E de novo o enredo das delícias. O rouco da garganta, os pés descalços a pele alucinada de carícias. As preces, os segredos, as risadas no altar esplendoroso das ofertas. De novo beijo a beijo as madrugadas de novo seio a seio as descobertas. Alcandorada no teu corpo imenso teço um colar de gritos e silêncios a ecoar no som dos precipícios. E tudo o que me dás eu te devolvo. E fazemos de novo, sempre novo o amor total dos deuses e dos bichos.
  • 25. Imaginação A imaginação é magia e é arte que nos faz inventar, sonhar e viajar. Com imaginação podemos ir a Marte ou ao centro da Terra, ou ao fundo do mar. Com imaginação nunca estamos sozinhos. A imaginação é um voo, um lugar onde temos amigos, onde há outros caminhos nos quais, sem te mexeres, podes ir passear. Inventa uma cantiga, um poema, um desenho um arco-íris, um rio por entre mal me queres; esse lugar é teu, sem limite ou tamanho. A esse teu lugar, só vai quem tu quiseres.
  • 26. Tempo O tempo tem aspectos misteriosos: Um ano passa a toda a velocidade, E um minuto, se estamos ansiosos Parece, às vezes, uma eternidade. Um dia ou é veloz ou pachorrento -depende do que está a acontecer-me O tempo de estudar, pode ser lento. O tempo de brincar, passa a correr. E aquela terrível arrelia Que até te fez chorar, por ser tão má, deixa passar o tempo. Por magia, Quando olhamos para trás, já lá não está.
  • 27. Sorriso O sorriso é uma chave Que abre portas e janelas. Entre muitas coisas mágicas O sorriso é uma delas. O sorriso é simpatia Também pode ser amor. O sorriso tem magia Tem ternura e calor. O sorriso dá carinho O sorriso faz amigos. Constrói tu, no teu caminho Uma ponte de sorrisos.
  • 28. Trabalho realizado por: Ana Filipa Branco Nº3 Marta Pereira Nº18 10ºA