SlideShare uma empresa Scribd logo
CURSO TÉCNICO  EM MEIO AMBIENTE PROCESSOS  PRODUTIVOS I Prof. Sérgio Paulo Alcântara dos Santos [email_address]
Unidade I – Desenvolvimento e Meio Ambiente Histórico do Desenvolvimento Industrial Revolução Industrial e suas conseqüências Desenvolvimento x Consumo de Energia Evolução da questão ambiental Unidade II – Desenvolvimento e Poluição Os grandes acidentes ambientais Fontes de Poluição (fixas e móveis)  Poluição  do ar, água e solo Unidade III – Tecnologias de Monitoramento e Controle Produção mais limpa Ciclo de vida do produto Monitoramento Ambiental SUMÁRIO
Unidade II Desenvolvimento e Poluição
EVOLUÇÃO DA QUESTÃO AMBIENTAL  Primeira Guerra Mundial (1914-1918 ) Marco na consciência transnacional (decisões de uma nação afetam significativamente o mundo todo). Criação da Liga das Nações (1920) promover a cooperação, a paz e segurança internacionais  (pensar globalmente). Outros fatores: - desenvolvimento dos meios de comunicação e dos transportes (intensifica-se a relação entre povos);
Segunda Guerra Mundial (1939-1945) Bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki:  traumas humanos e ambientais. Criação da ONU  (Organização das Nações Unidas – 1945) Evitar a repetição de tragédias. Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948) : Proclamação internacional dos direitos básicos (políticos, econômicos e sociais) dos indivíduos. EVOLUÇÃO DA QUESTÃO AMBIENTAL
EVOLUÇÃO DA QUESTÃO AMBIENTAL
Anos 60 Industrialização Acelerada; Aceitação da idéia que os prejuízos ambientais devem ser assumidos pela sociedade;  Custos difusos em favor do desenvolvimento econômico; Guerra do Vietnã - Introdução em larga escala da Guerra Química;  Movimento Hippie, anti-guerra, movimento estudantil. EVOLUÇÃO DA QUESTÃO AMBIENTAL
Agente Laranja Bomba de Napalm EVOLUÇÃO DA QUESTÃO AMBIENTAL
PROBLEMAS AMBIENTAIS Água:  - Suprimento de água para consumo - Perda da qualidade da água - Destruição do ecossistema aquático Ar: - Poluição Atmosférica - Efeito Estufa  - Diminuição da camada de Ozônio Biodiversidade:    - Extinção de espécies EVOLUÇÃO DA QUESTÃO AMBIENTAL
PROBLEMAS AMBIENTAIS Energia: - Uso inadequado de Fontes Renováveis - Esgotamento de Fontes não Renováveis Solo: - Degradação do Solo - Aumento na geração total de Resíduos - Esgotamento da capacidade de aterros - Disposição Inadequada de Resíduos EVOLUÇÃO DA QUESTÃO AMBIENTAL
POLUIÇÃO Conceito: “ degradação da qualidade ambiental, resultante de atividades que direta ou indiretamente:  prejudiquem a saúde, a segurança e o bem estar da população; criem condições adversas às atividades sociais e econômicas;  afetem desfavoravelmente a Biota (Conjunto de seres vivos de um ecossistema);  afetem as condições estéticas ou sanitárias do meio ambiente;  lancem matérias ou energia em desacordo com os padrões ambientais estabelecidos”. INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
PRINCIPAIS  DESEQUILÍBRIOS GLOBAIS Chuva ácida  Efeito estufa Destruição da camada de ozônio Inversão térmica Desequilíbrio térmico INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
CHUVA  ÁCIDA A chuva ácida é provocada pelos  óxidos de nitrogênio  e  enxofre , proveniente de processos industriais e da combustão nos motores, lançados na atmosfera. Esses óxidos gasosos contaminam a água da chuva.  INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
Acidez Natural Causada pela dissociação do Dióxido de carbono (CO 2 )  CO 2  + H 2 O -->  H 2 CO 3  -  Ácido Carbônico As chuvas normais têm um pH de, aproximadamente 5,6 unidades; (levemente ácido) - Essa acidez natural é causada pela dissociação do dióxido de carbono (CO 2 )  em água INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
Chuva ácida causada pela queima de combustíveis que contém enxofre como impureza (gasolina e óleo diesel):  I - Queima do enxofre :  S + O 2  SO 2  (Dióxido de Enxofre)  II - Transformação do SO2 em SO3:   SO 2  + ½ O 2   SO 3  (Trióxido de Enxofre)   III - Reações dos óxidos com água: SO 2  + H 2 O  H 2 SO 3  (Ácido Sulfuroso)   SO 3  + H 2 O  H 2 SO 4  (Ácido Sulfúrico)   INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
Chuva ácida causada pelos óxidos de nitrogênio (NOx):  I - Reação entre N2 e O2 nos motores dos automóveis (temperatura elevada):  N2 + 2O 2  2NO 2  (Óxido Nítrico)  II - Reação do óxido com água: 2NO 2  + H 2 O  HNO 2  (Ácido nitroso)   +  HNO 3  (Ácido Nítrico)   INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
EFEITO ESTUFA A energia proveniente do Sol atravessa o espaço e a atmosfera terrestre na forma de radiação; Em contato com a Terra, essa radiação transforma-se em calor; Esta atmosfera fornecendo as condições necessárias à manutenção da vida no planeta; A mudança de temperatura da Terra provoca alterações climáticas que afetam a agricultura e os ecossistemas. INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
EFEITO ESTUFA É um efeito natural; Este fenômeno acontece desde a formação da Terra; Sem ele a temperatura média da terra giraria em torno de  (- 27ºC); Principais gases do Efeito Estufa: Dióxido de Carbono (CO 2 ) Metano (CH 4 ) Óxido Nitroso (N 2 O) Clorofluorcarbonetos (CFC’s) Vapor d’água INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO Fonte:  NOAA, 2008
INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO Fonte:  NOAA, 2008
INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO Fonte:  INPE
INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO DESTRUIÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO A camada de ozônio é uma "capa" desse gás que envolve a Terra e a protege de vários tipos de radiação, sendo que a principal delas a  radiação ultravioleta;     No último século, devido ao desenvolvimento industrial, passaram a ser utilizados produtos que emitem  clorofluorcarbono  ( CFC ), um gás que ao atingir a camada de ozônio destrói as moléculas que a formam (O 3 ), causando assim a destruição dessa camada da atmosfera.    Sem essa camada, a incidência de raios ultravioletas nocivos à Terra, fica sensivelmente maior, aumentando as chances de contração de câncer.  Nas últimas décadas tentou-se evitar ao máximo a utilização do  CFC  e, mesmo assim, o buraco na camada de ozônio continuou aumentando.  
INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO REAÇÕES: As moléculas de  clorofluorcarbono , ou  Freon , atingem a estratosfera, onde os raios ultravioletas do sol aparecem em maior quantidade.    Esses raios quebram as partículas de CFC (CL FC) liberando o átomo de cloro. Este átomo, então, rompe a molécula de ozônio (O3), formando monóxido de cloro (CL O) e oxigênio (O2). CFC  (CL FC)  +  UV  =  Cl   +  FC Cl   +  O3 (ozônio)  =  CLO  +  O2  CLO  (INSTÁVEL)  =  Cl   +  O CFC  (CL FC)  +  UV  =  Cl   +  FC
INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO A proibição do uso destes compostos tem sido adotada por diversos países visando proteger a integridade dos sistemas ambientais globais.
INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO INVERSÃO TÉRMICA Processo natural provocado pelo encontro de massas de ar com temperaturas, umidade e pressão atmosférica diferentes; É quando as massas de temperatura do ar  ficam ao contrário da estratificação normal; Uma das principais causas da inversão térmica em áreas poluídas é a formação de massas de ar frio, próximas a superfície, impedindo que o material poluído se disperse para altitudes mais elevadas.
INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA POLUENTE  “  Qualquer substância presente no ar e que,  pela  sua  concentração,  possa  torná-lo  IMPRÓPRIO ,  NOCIVO   ou  OFENSIVO  à saúde,  causando inconveniente ao bem estar público, danos aos  MATERIAIS , à  FAUNA  e à  FLORA  ou prejudicial à segurança, ao uso e gozo da propriedade e às atividades normais da comunidade”    Fonte:  CETESB
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Poluentes mais comuns Dióxido de Enxofre (CO 2 )  Combustões domésticas, usinas termelétricas, refinarias de petróleo, Olarias, usinas de aço e ferro. Material Particulado (PM) Emissões de veículos, combustões domésticas, usinas de gás, geração de eletricidade, incineradores, fábricas de cimento, refinarias de petróleo, fornos de cal, fábricas de cerâmica, fundições, estufas e carvão. Hidrocarbonetos (HC) Emissões de veículos, refinarias de petróleo. Óxidos de Nitrogênio (NO X ) Emissões de veículos, fábricas de acido nítrico, usinas termoelétricas, usinas de ferro e aço, fábricas de fertilizantes.
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Material Particulado (PM) O material particulado pode ser classificado como: Partículas Totais em Suspensão (PTS)   Ø < 50 µm  Algumas partículas são inaláveis e pode causar problemas à saúde; Outras podem interferir nas condições estéticas do ambiente. Partículas Inaláveis (PM 10 ) Ø < 10 µm  Partículas inaláveis grossas:  2,5 < Ø <10µm  Partículas inaláveis finas:  PM 2,5  (Ø <2,5µm)  Partículas finas podem atingir os alvéolos pulmonares; Partículas grossas ficam retidas na parte superior do sistema respiratório.
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA CLASSIFICAÇÃO DOS POLUENTES DO AR   1. Quanto ao estado físico 2. Quanto a origem 3. Quanto ao tipo da fonte 4. Quanto aos efeitos fisiológicos (materiais, vegetação)
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA 1) QUANTO AO ESTADO FÍSICO      Sólido :  fumos = formados pela condensação de vapores. Provém de  um  sólido  Poeiras = ruptura mecânica de um sólido Líquido :  névoas = rupturas mecânicas de um líquido Neblinas = condensação de vapor de um líquido   Smoke (fumaça) :  combustão de matéria orgânica  
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Bruma seca :  suspensão de material particulado em grandes  concentrações   Fuligem :  parte sólida da fumaça   Smog :   smoke + fog = No x  + Hidrocarbonetos sob a ação do sol (Nox = Óxido Nitroso)
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA 2) QUANTO A ORIGEM     2.1)_Poluentes Primários:   Sai da fonte de emissão e chega ao receptor sem transformações químicas.  É fácil se chegar ao “culpado”. Ex.: Óxido de nitrogênio, Dióxido de enxofre, particulados, Chumbo, mercúrio.   2.2) Poluentes Secundários:   São emitidos, sofrem reações, são transformados e ataca o receptor.  Não se descobre o “culpado”.   Ex.: Ozônio troposférico (formado por diversas reações).
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Fonte:  CTESB Poluentes Primários   Poluentes Secundários Aqueles emitidos diretamente pelas fontes de emissão.   Aqueles formados na atmosfera através da reação química entre poluentes primários e componentes naturais da atmosfera.
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA 3. QUANTO AO TIPO DA FONTE Fontes estacionárias ou fixas fornos, caldeiras, inceneradores e outros equipamentos fixos constantes dos arranjos físicos dos nossos ambientes industriais, comerciais ou institucionais.   Fontes móveis constituindo-se estas dos nossos veículos automotores, ônibus, caminhões, trens, aviões, etc...
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Principais fontes de poluentes primários do ar Fontes Poluentes FIXAS Combustão Material particulado Dióxido e trióxido de enxofre Monóxido de carbono, hidrocarbonetos Processo industrial Material particulado (fumos, poeira) Gases – hidrocarbonetos Queima de resíduo sólido Material particulado e gases Outras Hidrocarbonetos, material particulado MÓVEIS Veículos - gasolina / diesel / ÁLCOOL, aviões, barcos, MOTOCICLETAS, locomotivas, etc. Material particulado, monóxido de carbono, óxidos de nitrogênio, hidrocarbonetos, ácidos orgânicos NATURAIS Material particulado (poeiras), hidrocarbonetos
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Principais fontes de poluentes secundários do ar Fontes Poluentes REAÇÕES QUÍMICAS NA ATMOSFERA HIDROCARBONETOS  +  ÓXIDOS DE NITROGÊNIO (LUZ SOLAR) POLUENTES SECUNDÁRIOS – O 3  , ALDEÍDOS, ÁCIDOS ORGÂNICOS, NITRATOS, ORGÂNICOS, AEROSSOL FOTOQUÍMICO, ETC.
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Irritação do trato respiratório; Asma;  Bronquite crônica; Enfisema pulmonar; Parada cardíaca; Obs.: População mais afetada: CRIANÇAS  E  IDOSOS EFEITOS DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA NO SER HUMANO
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Plantas:  atacam as folhas, estas caem, diminuem a fotossíntese,  respiração e a transpiração    crescimento mais lentos, tornando-se menos resistentes ás doenças e aos parasitas. EFEITOS DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA NO NAS PLANTAS
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Bacia Aérea I  - inserida na Bacia Hidrográfica da Baía de Sepetiba, localizada na Zona Oeste da Região Metropolitana, com cerca de 730 km² de área.  Bacia Aérea II  - localizada no município do Rio de Janeiro, envolve as regiões administrativas de Jacarepaguá e Barra da Tijuca, possuindo cerca de 140 km² de área.  Bacia Aérea III  –  compreende a Zona Norte do Município do Rio de Janeiro e os municípios da Baixada Fluminense, ocupando uma área de cerca de 700 km².  Bacia Aérea IV  –  localizada a leste da Baía de Guanabara, possui uma área de cerca de 830 km². BACIAS AÉREAS Fonte:   FEEMA
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA BACIAS AÉREAS Fonte:   FEEMA
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA BACIAS AÉREAS Bacia Aérea III Fonte:   FEEMA
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA BACIAS AÉREAS Vias de Tráfego Inventariadas na Região Metropolitana do Rio de Janeiro  Fonte:   FEEMA
Contribuição Percentual das Principais  Vias de Tráfego na Emissão de Poluentes  Nome da Via  MP 10   SO 2 NOx CO  HC  (%) Av. Brasil  22.9  30.0  33.4  25.3  25.2  Av. das Américas  5.7  9.6  7.9  12.2  12.3  Rod. Pres. Dutra  5.5  2.9  3.4  2.6  2.2  Linha Vermelha  3.1  3.4  3.8  2.8  2.8  Rod. Washington Luís  2.9  3.9  4.2  3.5  3.5  Ponte Rio - Niterói  1.9  3.2  2.7  3.9  3.9  Av. Ayrton Sena  *  2.2  1.8  2.9  2.9  Linha Amarela  *  1.9  1.9  2.5  2.5  Demais Vias  58.0  42.9  40.9  44.3  44.7  *Percentual incluído nas demais vias de tráfego  POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA BACIAS AÉREAS Fonte:   FEEMA
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA BACIAS AÉREAS Fonte:   FEEMA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Química ambiental volume 1 - a atmosfera
Química ambiental   volume 1 - a atmosferaQuímica ambiental   volume 1 - a atmosfera
Química ambiental volume 1 - a atmosfera
robertolima
 
Poluição atmosférica
Poluição atmosféricaPoluição atmosférica
Poluição atmosférica
Kassia Santos
 
Palestra: Poluição Atmosférica - UFC - Abril - 2016
Palestra: Poluição Atmosférica - UFC - Abril - 2016Palestra: Poluição Atmosférica - UFC - Abril - 2016
Palestra: Poluição Atmosférica - UFC - Abril - 2016
Luis Henrique Nunes Quezado
 
PoluiçãO Do Ar
PoluiçãO Do ArPoluiçãO Do Ar
PoluiçãO Do Ar
ecsette
 
2 poluiçao do ar e chuvas acidas
2 poluiçao do ar e chuvas acidas2 poluiçao do ar e chuvas acidas
2 poluiçao do ar e chuvas acidas
ap3bmachado
 
Poluição atmosférica
Poluição atmosféricaPoluição atmosférica
Poluição atmosférica
RafaelSampaio
 
Poluição do ar e suas consequências
Poluição do ar e suas consequênciasPoluição do ar e suas consequências
Poluição do ar e suas consequências
Geandre Costa Costa
 
Fisica nosso mundo
Fisica nosso mundoFisica nosso mundo
Fisica nosso mundo
Editora Moderna
 
Fisica Nosso Mundo
Fisica Nosso MundoFisica Nosso Mundo
Fisica Nosso Mundo
guestbf5561
 
Fisica Nosso Mundo
Fisica Nosso MundoFisica Nosso Mundo
Fisica Nosso Mundo
Carlos Castro
 
Gestão da qualidade do ar gestão ambiental - victoria e daniel
Gestão da qualidade do ar   gestão ambiental - victoria e danielGestão da qualidade do ar   gestão ambiental - victoria e daniel
Gestão da qualidade do ar gestão ambiental - victoria e daniel
victoriamclaro
 
Poluição Atmosférica(conceitos e esquemas)
Poluição Atmosférica(conceitos e esquemas)Poluição Atmosférica(conceitos e esquemas)
Poluição Atmosférica(conceitos e esquemas)
dresousa
 
Poluição atmosférica 9e
Poluição atmosférica 9ePoluição atmosférica 9e
Poluição atmosférica 9e
Mayjö .
 
Poluição atmosférica
Poluição atmosféricaPoluição atmosférica
Poluição atmosférica
Helena Marques
 
Biologia trabalho iulian luis
Biologia trabalho iulian luisBiologia trabalho iulian luis
Biologia trabalho iulian luis
becresforte
 
Trabalho escrito
Trabalho escritoTrabalho escrito
Trabalho escrito
Nina Melodia
 
Química Ambiental
Química AmbientalQuímica Ambiental
Química Ambiental
Cláudio Santos
 
Poluição do ar
Poluição do arPoluição do ar
Poluição do ar
guest1481536
 
POLUIÇÃO DO AR
POLUIÇÃO DO ARPOLUIÇÃO DO AR
POLUIÇÃO DO AR
estreladocevi
 
Poluição do ar atmosférico
Poluição do ar atmosféricoPoluição do ar atmosférico
Poluição do ar atmosférico
Ninho Cristo
 

Mais procurados (20)

Química ambiental volume 1 - a atmosfera
Química ambiental   volume 1 - a atmosferaQuímica ambiental   volume 1 - a atmosfera
Química ambiental volume 1 - a atmosfera
 
Poluição atmosférica
Poluição atmosféricaPoluição atmosférica
Poluição atmosférica
 
Palestra: Poluição Atmosférica - UFC - Abril - 2016
Palestra: Poluição Atmosférica - UFC - Abril - 2016Palestra: Poluição Atmosférica - UFC - Abril - 2016
Palestra: Poluição Atmosférica - UFC - Abril - 2016
 
PoluiçãO Do Ar
PoluiçãO Do ArPoluiçãO Do Ar
PoluiçãO Do Ar
 
2 poluiçao do ar e chuvas acidas
2 poluiçao do ar e chuvas acidas2 poluiçao do ar e chuvas acidas
2 poluiçao do ar e chuvas acidas
 
Poluição atmosférica
Poluição atmosféricaPoluição atmosférica
Poluição atmosférica
 
Poluição do ar e suas consequências
Poluição do ar e suas consequênciasPoluição do ar e suas consequências
Poluição do ar e suas consequências
 
Fisica nosso mundo
Fisica nosso mundoFisica nosso mundo
Fisica nosso mundo
 
Fisica Nosso Mundo
Fisica Nosso MundoFisica Nosso Mundo
Fisica Nosso Mundo
 
Fisica Nosso Mundo
Fisica Nosso MundoFisica Nosso Mundo
Fisica Nosso Mundo
 
Gestão da qualidade do ar gestão ambiental - victoria e daniel
Gestão da qualidade do ar   gestão ambiental - victoria e danielGestão da qualidade do ar   gestão ambiental - victoria e daniel
Gestão da qualidade do ar gestão ambiental - victoria e daniel
 
Poluição Atmosférica(conceitos e esquemas)
Poluição Atmosférica(conceitos e esquemas)Poluição Atmosférica(conceitos e esquemas)
Poluição Atmosférica(conceitos e esquemas)
 
Poluição atmosférica 9e
Poluição atmosférica 9ePoluição atmosférica 9e
Poluição atmosférica 9e
 
Poluição atmosférica
Poluição atmosféricaPoluição atmosférica
Poluição atmosférica
 
Biologia trabalho iulian luis
Biologia trabalho iulian luisBiologia trabalho iulian luis
Biologia trabalho iulian luis
 
Trabalho escrito
Trabalho escritoTrabalho escrito
Trabalho escrito
 
Química Ambiental
Química AmbientalQuímica Ambiental
Química Ambiental
 
Poluição do ar
Poluição do arPoluição do ar
Poluição do ar
 
POLUIÇÃO DO AR
POLUIÇÃO DO ARPOLUIÇÃO DO AR
POLUIÇÃO DO AR
 
Poluição do ar atmosférico
Poluição do ar atmosféricoPoluição do ar atmosférico
Poluição do ar atmosférico
 

Semelhante a Processos Produtivos I UD II

Poluição do ar
Poluição do arPoluição do ar
Poluição do ar
Danielle1610
 
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
Leonor Vaz Pereira
 
Influência da atividade humana na temperatura e no clima
Influência da atividade humana na temperatura e no climaInfluência da atividade humana na temperatura e no clima
Influência da atividade humana na temperatura e no clima
henriquemsg
 
Power Point Pinto
Power  Point  PintoPower  Point  Pinto
Power Point Pinto
elvira.sequeira
 
Pertubnosecossistemas 8cap1011 powerpoint
Pertubnosecossistemas 8cap1011 powerpointPertubnosecossistemas 8cap1011 powerpoint
Pertubnosecossistemas 8cap1011 powerpoint
Carla Ramalho
 
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemasPerturbações no equilíbrio dos ecossistemas
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas
Carla Ramalho
 
FUNDAMENTOS DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA E AÇÕES
FUNDAMENTOS DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA E AÇÕESFUNDAMENTOS DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA E AÇÕES
FUNDAMENTOS DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA E AÇÕES
PerilaMRebouas
 
A Fisica em nosso mundo
A Fisica em nosso mundoA Fisica em nosso mundo
A Fisica em nosso mundo
Editora Moderna
 
Fisica nosso mundo
Fisica nosso mundoFisica nosso mundo
Fisica nosso mundo
Antonio Carneiro
 
Alterações na atmosfera e suas implicações
Alterações na atmosfera e suas implicaçõesAlterações na atmosfera e suas implicações
Alterações na atmosfera e suas implicações
guest3eaec9
 
Poluicao_atmosferica.ppt
Poluicao_atmosferica.pptPoluicao_atmosferica.ppt
Poluicao_atmosferica.ppt
IsabelMaria77
 
Poluicao_atmosferica.ppt
Poluicao_atmosferica.pptPoluicao_atmosferica.ppt
Poluicao_atmosferica.ppt
IsabelMaria77
 
Poluição e desertificao final
Poluição e desertificao finalPoluição e desertificao final
Poluição e desertificao final
bfp1997
 
Quimica Atmosfera
Quimica AtmosferaQuimica Atmosfera
Quimica Atmosfera
Raquel Gastao Daniel
 
Sustentabilidade e meio ambiente
Sustentabilidade e meio ambienteSustentabilidade e meio ambiente
Sustentabilidade e meio ambiente
Marcus Corradini
 
Alterações na atmosfera
Alterações na atmosferaAlterações na atmosfera
Alterações na atmosfera
Mayjö .
 
7 - Controle de poluentes atmosféricos - 19-11.ppt
7 - Controle de poluentes atmosféricos - 19-11.ppt7 - Controle de poluentes atmosféricos - 19-11.ppt
7 - Controle de poluentes atmosféricos - 19-11.ppt
Ângela Tavares
 
Aula da 5ª série efeito estufa 2008
Aula da 5ª série efeito estufa 2008Aula da 5ª série efeito estufa 2008
Aula da 5ª série efeito estufa 2008
Lusiane Carvalho da Silva
 
Poluição e desertificao final
Poluição e desertificao finalPoluição e desertificao final
Poluição e desertificao final
bfp1997
 
Aula Poluição Atmosférica e Saúde - Ar e saúde
Aula Poluição Atmosférica e Saúde - Ar e saúdeAula Poluição Atmosférica e Saúde - Ar e saúde
Aula Poluição Atmosférica e Saúde - Ar e saúde
DboraAlvim1
 

Semelhante a Processos Produtivos I UD II (20)

Poluição do ar
Poluição do arPoluição do ar
Poluição do ar
 
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
 
Influência da atividade humana na temperatura e no clima
Influência da atividade humana na temperatura e no climaInfluência da atividade humana na temperatura e no clima
Influência da atividade humana na temperatura e no clima
 
Power Point Pinto
Power  Point  PintoPower  Point  Pinto
Power Point Pinto
 
Pertubnosecossistemas 8cap1011 powerpoint
Pertubnosecossistemas 8cap1011 powerpointPertubnosecossistemas 8cap1011 powerpoint
Pertubnosecossistemas 8cap1011 powerpoint
 
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemasPerturbações no equilíbrio dos ecossistemas
Perturbações no equilíbrio dos ecossistemas
 
FUNDAMENTOS DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA E AÇÕES
FUNDAMENTOS DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA E AÇÕESFUNDAMENTOS DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA E AÇÕES
FUNDAMENTOS DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA E AÇÕES
 
A Fisica em nosso mundo
A Fisica em nosso mundoA Fisica em nosso mundo
A Fisica em nosso mundo
 
Fisica nosso mundo
Fisica nosso mundoFisica nosso mundo
Fisica nosso mundo
 
Alterações na atmosfera e suas implicações
Alterações na atmosfera e suas implicaçõesAlterações na atmosfera e suas implicações
Alterações na atmosfera e suas implicações
 
Poluicao_atmosferica.ppt
Poluicao_atmosferica.pptPoluicao_atmosferica.ppt
Poluicao_atmosferica.ppt
 
Poluicao_atmosferica.ppt
Poluicao_atmosferica.pptPoluicao_atmosferica.ppt
Poluicao_atmosferica.ppt
 
Poluição e desertificao final
Poluição e desertificao finalPoluição e desertificao final
Poluição e desertificao final
 
Quimica Atmosfera
Quimica AtmosferaQuimica Atmosfera
Quimica Atmosfera
 
Sustentabilidade e meio ambiente
Sustentabilidade e meio ambienteSustentabilidade e meio ambiente
Sustentabilidade e meio ambiente
 
Alterações na atmosfera
Alterações na atmosferaAlterações na atmosfera
Alterações na atmosfera
 
7 - Controle de poluentes atmosféricos - 19-11.ppt
7 - Controle de poluentes atmosféricos - 19-11.ppt7 - Controle de poluentes atmosféricos - 19-11.ppt
7 - Controle de poluentes atmosféricos - 19-11.ppt
 
Aula da 5ª série efeito estufa 2008
Aula da 5ª série efeito estufa 2008Aula da 5ª série efeito estufa 2008
Aula da 5ª série efeito estufa 2008
 
Poluição e desertificao final
Poluição e desertificao finalPoluição e desertificao final
Poluição e desertificao final
 
Aula Poluição Atmosférica e Saúde - Ar e saúde
Aula Poluição Atmosférica e Saúde - Ar e saúdeAula Poluição Atmosférica e Saúde - Ar e saúde
Aula Poluição Atmosférica e Saúde - Ar e saúde
 

Processos Produtivos I UD II

  • 1. CURSO TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE PROCESSOS PRODUTIVOS I Prof. Sérgio Paulo Alcântara dos Santos [email_address]
  • 2. Unidade I – Desenvolvimento e Meio Ambiente Histórico do Desenvolvimento Industrial Revolução Industrial e suas conseqüências Desenvolvimento x Consumo de Energia Evolução da questão ambiental Unidade II – Desenvolvimento e Poluição Os grandes acidentes ambientais Fontes de Poluição (fixas e móveis) Poluição do ar, água e solo Unidade III – Tecnologias de Monitoramento e Controle Produção mais limpa Ciclo de vida do produto Monitoramento Ambiental SUMÁRIO
  • 4. EVOLUÇÃO DA QUESTÃO AMBIENTAL Primeira Guerra Mundial (1914-1918 ) Marco na consciência transnacional (decisões de uma nação afetam significativamente o mundo todo). Criação da Liga das Nações (1920) promover a cooperação, a paz e segurança internacionais (pensar globalmente). Outros fatores: - desenvolvimento dos meios de comunicação e dos transportes (intensifica-se a relação entre povos);
  • 5. Segunda Guerra Mundial (1939-1945) Bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki: traumas humanos e ambientais. Criação da ONU (Organização das Nações Unidas – 1945) Evitar a repetição de tragédias. Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948) : Proclamação internacional dos direitos básicos (políticos, econômicos e sociais) dos indivíduos. EVOLUÇÃO DA QUESTÃO AMBIENTAL
  • 7. Anos 60 Industrialização Acelerada; Aceitação da idéia que os prejuízos ambientais devem ser assumidos pela sociedade; Custos difusos em favor do desenvolvimento econômico; Guerra do Vietnã - Introdução em larga escala da Guerra Química; Movimento Hippie, anti-guerra, movimento estudantil. EVOLUÇÃO DA QUESTÃO AMBIENTAL
  • 8. Agente Laranja Bomba de Napalm EVOLUÇÃO DA QUESTÃO AMBIENTAL
  • 9. PROBLEMAS AMBIENTAIS Água: - Suprimento de água para consumo - Perda da qualidade da água - Destruição do ecossistema aquático Ar: - Poluição Atmosférica - Efeito Estufa - Diminuição da camada de Ozônio Biodiversidade: - Extinção de espécies EVOLUÇÃO DA QUESTÃO AMBIENTAL
  • 10. PROBLEMAS AMBIENTAIS Energia: - Uso inadequado de Fontes Renováveis - Esgotamento de Fontes não Renováveis Solo: - Degradação do Solo - Aumento na geração total de Resíduos - Esgotamento da capacidade de aterros - Disposição Inadequada de Resíduos EVOLUÇÃO DA QUESTÃO AMBIENTAL
  • 11. POLUIÇÃO Conceito: “ degradação da qualidade ambiental, resultante de atividades que direta ou indiretamente: prejudiquem a saúde, a segurança e o bem estar da população; criem condições adversas às atividades sociais e econômicas; afetem desfavoravelmente a Biota (Conjunto de seres vivos de um ecossistema); afetem as condições estéticas ou sanitárias do meio ambiente; lancem matérias ou energia em desacordo com os padrões ambientais estabelecidos”. INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
  • 12. PRINCIPAIS DESEQUILÍBRIOS GLOBAIS Chuva ácida Efeito estufa Destruição da camada de ozônio Inversão térmica Desequilíbrio térmico INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
  • 13. CHUVA ÁCIDA A chuva ácida é provocada pelos óxidos de nitrogênio e enxofre , proveniente de processos industriais e da combustão nos motores, lançados na atmosfera. Esses óxidos gasosos contaminam a água da chuva. INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
  • 14. Acidez Natural Causada pela dissociação do Dióxido de carbono (CO 2 ) CO 2 + H 2 O --> H 2 CO 3 - Ácido Carbônico As chuvas normais têm um pH de, aproximadamente 5,6 unidades; (levemente ácido) - Essa acidez natural é causada pela dissociação do dióxido de carbono (CO 2 ) em água INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
  • 15. Chuva ácida causada pela queima de combustíveis que contém enxofre como impureza (gasolina e óleo diesel): I - Queima do enxofre : S + O 2 SO 2 (Dióxido de Enxofre) II - Transformação do SO2 em SO3: SO 2 + ½ O 2 SO 3 (Trióxido de Enxofre) III - Reações dos óxidos com água: SO 2 + H 2 O H 2 SO 3 (Ácido Sulfuroso) SO 3 + H 2 O H 2 SO 4 (Ácido Sulfúrico) INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
  • 16. Chuva ácida causada pelos óxidos de nitrogênio (NOx): I - Reação entre N2 e O2 nos motores dos automóveis (temperatura elevada): N2 + 2O 2 2NO 2 (Óxido Nítrico) II - Reação do óxido com água: 2NO 2 + H 2 O HNO 2 (Ácido nitroso) + HNO 3 (Ácido Nítrico) INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
  • 18. EFEITO ESTUFA A energia proveniente do Sol atravessa o espaço e a atmosfera terrestre na forma de radiação; Em contato com a Terra, essa radiação transforma-se em calor; Esta atmosfera fornecendo as condições necessárias à manutenção da vida no planeta; A mudança de temperatura da Terra provoca alterações climáticas que afetam a agricultura e os ecossistemas. INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
  • 21. EFEITO ESTUFA É um efeito natural; Este fenômeno acontece desde a formação da Terra; Sem ele a temperatura média da terra giraria em torno de (- 27ºC); Principais gases do Efeito Estufa: Dióxido de Carbono (CO 2 ) Metano (CH 4 ) Óxido Nitroso (N 2 O) Clorofluorcarbonetos (CFC’s) Vapor d’água INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO
  • 22. INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO Fonte: NOAA, 2008
  • 23. INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO Fonte: NOAA, 2008
  • 26. INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO Fonte: INPE
  • 27. INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO DESTRUIÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO A camada de ozônio é uma &quot;capa&quot; desse gás que envolve a Terra e a protege de vários tipos de radiação, sendo que a principal delas a radiação ultravioleta;   No último século, devido ao desenvolvimento industrial, passaram a ser utilizados produtos que emitem clorofluorcarbono ( CFC ), um gás que ao atingir a camada de ozônio destrói as moléculas que a formam (O 3 ), causando assim a destruição dessa camada da atmosfera.   Sem essa camada, a incidência de raios ultravioletas nocivos à Terra, fica sensivelmente maior, aumentando as chances de contração de câncer. Nas últimas décadas tentou-se evitar ao máximo a utilização do CFC e, mesmo assim, o buraco na camada de ozônio continuou aumentando.  
  • 28. INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO REAÇÕES: As moléculas de clorofluorcarbono , ou Freon , atingem a estratosfera, onde os raios ultravioletas do sol aparecem em maior quantidade.   Esses raios quebram as partículas de CFC (CL FC) liberando o átomo de cloro. Este átomo, então, rompe a molécula de ozônio (O3), formando monóxido de cloro (CL O) e oxigênio (O2). CFC (CL FC) + UV = Cl + FC Cl + O3 (ozônio) = CLO + O2 CLO (INSTÁVEL) = Cl + O CFC (CL FC) + UV = Cl + FC
  • 29. INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO A proibição do uso destes compostos tem sido adotada por diversos países visando proteger a integridade dos sistemas ambientais globais.
  • 30. INTRODUÇÃO: MEIO AMBIENTE E POLUIÇÃO INVERSÃO TÉRMICA Processo natural provocado pelo encontro de massas de ar com temperaturas, umidade e pressão atmosférica diferentes; É quando as massas de temperatura do ar ficam ao contrário da estratificação normal; Uma das principais causas da inversão térmica em áreas poluídas é a formação de massas de ar frio, próximas a superfície, impedindo que o material poluído se disperse para altitudes mais elevadas.
  • 33. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA POLUENTE “ Qualquer substância presente no ar e que, pela sua concentração, possa torná-lo IMPRÓPRIO , NOCIVO ou OFENSIVO à saúde, causando inconveniente ao bem estar público, danos aos MATERIAIS , à FAUNA e à FLORA ou prejudicial à segurança, ao uso e gozo da propriedade e às atividades normais da comunidade” Fonte: CETESB
  • 34. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Poluentes mais comuns Dióxido de Enxofre (CO 2 ) Combustões domésticas, usinas termelétricas, refinarias de petróleo, Olarias, usinas de aço e ferro. Material Particulado (PM) Emissões de veículos, combustões domésticas, usinas de gás, geração de eletricidade, incineradores, fábricas de cimento, refinarias de petróleo, fornos de cal, fábricas de cerâmica, fundições, estufas e carvão. Hidrocarbonetos (HC) Emissões de veículos, refinarias de petróleo. Óxidos de Nitrogênio (NO X ) Emissões de veículos, fábricas de acido nítrico, usinas termoelétricas, usinas de ferro e aço, fábricas de fertilizantes.
  • 35. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Material Particulado (PM) O material particulado pode ser classificado como: Partículas Totais em Suspensão (PTS) Ø < 50 µm Algumas partículas são inaláveis e pode causar problemas à saúde; Outras podem interferir nas condições estéticas do ambiente. Partículas Inaláveis (PM 10 ) Ø < 10 µm Partículas inaláveis grossas: 2,5 < Ø <10µm Partículas inaláveis finas: PM 2,5 (Ø <2,5µm) Partículas finas podem atingir os alvéolos pulmonares; Partículas grossas ficam retidas na parte superior do sistema respiratório.
  • 36. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA CLASSIFICAÇÃO DOS POLUENTES DO AR   1. Quanto ao estado físico 2. Quanto a origem 3. Quanto ao tipo da fonte 4. Quanto aos efeitos fisiológicos (materiais, vegetação)
  • 37. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA 1) QUANTO AO ESTADO FÍSICO     Sólido : fumos = formados pela condensação de vapores. Provém de um  sólido Poeiras = ruptura mecânica de um sólido Líquido : névoas = rupturas mecânicas de um líquido Neblinas = condensação de vapor de um líquido   Smoke (fumaça) : combustão de matéria orgânica  
  • 38. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Bruma seca : suspensão de material particulado em grandes  concentrações   Fuligem : parte sólida da fumaça   Smog : smoke + fog = No x + Hidrocarbonetos sob a ação do sol (Nox = Óxido Nitroso)
  • 39. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA 2) QUANTO A ORIGEM     2.1)_Poluentes Primários:   Sai da fonte de emissão e chega ao receptor sem transformações químicas. É fácil se chegar ao “culpado”. Ex.: Óxido de nitrogênio, Dióxido de enxofre, particulados, Chumbo, mercúrio.   2.2) Poluentes Secundários:   São emitidos, sofrem reações, são transformados e ataca o receptor. Não se descobre o “culpado”.   Ex.: Ozônio troposférico (formado por diversas reações).
  • 40. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Fonte: CTESB Poluentes Primários   Poluentes Secundários Aqueles emitidos diretamente pelas fontes de emissão.   Aqueles formados na atmosfera através da reação química entre poluentes primários e componentes naturais da atmosfera.
  • 41. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA 3. QUANTO AO TIPO DA FONTE Fontes estacionárias ou fixas fornos, caldeiras, inceneradores e outros equipamentos fixos constantes dos arranjos físicos dos nossos ambientes industriais, comerciais ou institucionais.   Fontes móveis constituindo-se estas dos nossos veículos automotores, ônibus, caminhões, trens, aviões, etc...
  • 42. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Principais fontes de poluentes primários do ar Fontes Poluentes FIXAS Combustão Material particulado Dióxido e trióxido de enxofre Monóxido de carbono, hidrocarbonetos Processo industrial Material particulado (fumos, poeira) Gases – hidrocarbonetos Queima de resíduo sólido Material particulado e gases Outras Hidrocarbonetos, material particulado MÓVEIS Veículos - gasolina / diesel / ÁLCOOL, aviões, barcos, MOTOCICLETAS, locomotivas, etc. Material particulado, monóxido de carbono, óxidos de nitrogênio, hidrocarbonetos, ácidos orgânicos NATURAIS Material particulado (poeiras), hidrocarbonetos
  • 43. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Principais fontes de poluentes secundários do ar Fontes Poluentes REAÇÕES QUÍMICAS NA ATMOSFERA HIDROCARBONETOS + ÓXIDOS DE NITROGÊNIO (LUZ SOLAR) POLUENTES SECUNDÁRIOS – O 3 , ALDEÍDOS, ÁCIDOS ORGÂNICOS, NITRATOS, ORGÂNICOS, AEROSSOL FOTOQUÍMICO, ETC.
  • 44. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Irritação do trato respiratório; Asma; Bronquite crônica; Enfisema pulmonar; Parada cardíaca; Obs.: População mais afetada: CRIANÇAS E IDOSOS EFEITOS DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA NO SER HUMANO
  • 47. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Plantas: atacam as folhas, estas caem, diminuem a fotossíntese, respiração e a transpiração  crescimento mais lentos, tornando-se menos resistentes ás doenças e aos parasitas. EFEITOS DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA NO NAS PLANTAS
  • 48. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA Bacia Aérea I - inserida na Bacia Hidrográfica da Baía de Sepetiba, localizada na Zona Oeste da Região Metropolitana, com cerca de 730 km² de área. Bacia Aérea II - localizada no município do Rio de Janeiro, envolve as regiões administrativas de Jacarepaguá e Barra da Tijuca, possuindo cerca de 140 km² de área. Bacia Aérea III – compreende a Zona Norte do Município do Rio de Janeiro e os municípios da Baixada Fluminense, ocupando uma área de cerca de 700 km². Bacia Aérea IV – localizada a leste da Baía de Guanabara, possui uma área de cerca de 830 km². BACIAS AÉREAS Fonte: FEEMA
  • 49. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA BACIAS AÉREAS Fonte: FEEMA
  • 50. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA BACIAS AÉREAS Bacia Aérea III Fonte: FEEMA
  • 51. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA BACIAS AÉREAS Vias de Tráfego Inventariadas na Região Metropolitana do Rio de Janeiro Fonte: FEEMA
  • 52. Contribuição Percentual das Principais Vias de Tráfego na Emissão de Poluentes Nome da Via MP 10 SO 2 NOx CO HC (%) Av. Brasil 22.9 30.0 33.4 25.3 25.2 Av. das Américas 5.7 9.6 7.9 12.2 12.3 Rod. Pres. Dutra 5.5 2.9 3.4 2.6 2.2 Linha Vermelha 3.1 3.4 3.8 2.8 2.8 Rod. Washington Luís 2.9 3.9 4.2 3.5 3.5 Ponte Rio - Niterói 1.9 3.2 2.7 3.9 3.9 Av. Ayrton Sena * 2.2 1.8 2.9 2.9 Linha Amarela * 1.9 1.9 2.5 2.5 Demais Vias 58.0 42.9 40.9 44.3 44.7 *Percentual incluído nas demais vias de tráfego POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA BACIAS AÉREAS Fonte: FEEMA
  • 53. POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA BACIAS AÉREAS Fonte: FEEMA