SlideShare uma empresa Scribd logo
PADRÕES DE DESCRIÇÃO
e
BOAS PRÁTICAS
para a difusão digital de
acervos musicais
Rosana Lanzelotte (rosana@musicabrasilis.org.br)
Rodrigo De Santis (rodrigo@musicabrasilis.org.br)
http://slideshare.net
Instituto Moreira Salles – 17/10/2018
Roteiro
• História
• Modelos conceituais
• Web semântica e RDF
• Linked Open Data (LOD): uma nuvem que cresce
• Boas práticas
• RDA – Resource Description & Access
• BIBFRAME
• O Brasil e o mundo
História
1964 1º computador da Biblioteca
do Congresso Americano
1965 padrão MARC (MAchine Readable Cataloging)
1969 ISBD (International Standard Bibliographic Description)
1978 AACR2 -> incorpora ISBD
1989 www (World Wide Web)
1995 DCMI (Dublin Core Metadata Initiative) -> digital
1998 IFLA aprova FRBR -> foco no usuário e nas buscas
1999 padrão RDF no âmbito w3c
2002 AACR2 passa a refletir documentos eletrônicos
2010
primeira versão do RDA (Resource Description and Access)
• foco no usuário e no digital
• todos os tipos de conteúdos e mídias
2011 LOC lança a ontologia BIBFRAME p/substituir MARC 21
2016 IFLA lança LRM (Library Reference Model)
Modelos conceituais
• Abstrações do mundo real
• Objetivos
• Facilitar a compreensão de um sistema
• Facilitar a troca de informação entre os usuários
• Fornecer base para especificações e buscas
• Documentação, colaboração, reuso
• Metadados (Bagley, 1968): dados que descrevem dados
• Modelo de entidades e relacionamentos (Chen, 1976)
• não hierárquico
• Dublin Core: primeiro padrão de metadados p/
recursos digitais
• Tendência atual: web semântica -> Linked Open Data
Web semântica
Web: páginas
processadas por
seres humanos
Web de páginas
Web semântica: dados e
informações manipuladas
pelo computador
Web de conceitos
Tim Berners-Lee, “The Semantic Web”, Scientific American, 2001.
“A Web Semântica é uma extensão da web na qual a informação recebe um
significado bem definido, permitindo que computadores e pessoas trabalhem
em cooperação.”
Tim Berners-Lee, Hendler e Lassila
Web semântica: exemplo
Consórcio w3c
• Fundado por Tim Berners-Lee em 1994
• Objetivo: estabelecer padrões para a criação e a
interpretação de conteúdos para a Web
• Hoje: 478 membros
Amazon, Apple, Boeing, Deutsche Nationalbibliothek
(DNB), Dublin Core Metadata Initiative (DCMI), Google,
Facebook, IBM, Library of Congress, Paypal, Sony, USP
• Ontologias
• Padrão RDF
Ontologias
• Descrevem os principais conceitos de um domínio e
seus relacionamentos
• Caracterização dos conceitos, através de definições de
• Classes
Ex: compositor, obra musical, partitura
• Relacionamentos
Ex: compositor compõe obra musical
partitura é uma manifestação de uma obra musical
• Propriedades (ou atributos)
Ex: um compositor tem nome, data de nascimento, ...
uma obra musical tem título, tonalidade, ...
RDF – Resource Description Framework
Formalismo para especificar ontologias
Sujeito Objetopredicado
Triplas RDF
Propicia interoperabilidade e reuso
Linked Open Data (LOD)
Recomendações para publicar recursos como LOD: Tim Berners LEE (2009)
★ o recurso deve estar disponível na Web, sob uma licença aberta;
★★ o recurso deve estar disponível em formato que pode ser
interpretado por máquina (Ex: .pdf ao invés de .jpg);
★★★ o recurso deve estar disponível em formato não-proprietário
(Ex: .xml ao invés de .doc);
★★★★ o recurso deve estar descrito de acordo com padrões
abertos do W3C (ex: RDF) e ter um identificador único persistente
(URI), de forma a poder ser apontado por outros recursos;
★★★★★ o recurso deve estar ligado a outros -> contexto
(interoperabilidade e reuso)
Identificador único e persistente
URL (Unique Record Locator)
URI (Unique Resource Identifier)
Ex: DOI (digital object identiifer) para artigos
opaco x mnemônico ???
http://musicabrasilis.org.br/partituras/luciano-gallet-suite-popular
LOD <-> boas práticas
Princípios FAIR
• Facilidade de localização
• Acessibilidade
• Interoperabilidade
• Reuso
WILKINSON, M.D. et al. The FAIR Guiding Principles for scientific data management and stewardship.
Scientific Data volume 3, Article number: 160018 (2016). http://dx.doi.org/10.1038/sdata.2016.18
Boas práticas: princípios FAIR
1. Identificadores persistentes: cada recurso digital deve ser identificado por um
endereço único e estável
2. Armazenamento em servidores estáveis, de forma a assegurar a preservação
digital;
3. Acesso através de protocolos padrão, especificados no âmbito da iniciativa
W3C (World Wide Web Consortium);
4. Alinhamento com padrões consagrados de metadados;
5. Explicitação das licenças e direitos de uso de acordo com o Creative Commons;
6. Adoção de catálogos de autoridades, quando existirem (ex: VIAF – Virtual
International Authority File);
7. Indicação da proveniência - cronologia da propriedade do recurso – pode ser
útil para estabelecer contexto ou validar fontes;
8. Controle de qualidade dos metadados, por equipes especializadas.
KOSTER, L.; WINDHOUWER, S.W. FAIR Principles for Library, Archive and Museum Collections: A proposal for
standards for reusable collections. 2018.
Preservação digital (princípio 2)
Partituras nato digitais
Documento publicado ???
Política de preservação ???
Alinhamento com iniciativas internacionais
• VIAF – Virtual International Authority File
• ISNI - autoridade de nomes
• OMR – Open Metadata Registry
• GitHub - plataforma de hospedagem de código-
fonte com controle de versão
• IIIF – International Image Interoperability
Framework (p/ repositórios de imagens digitais)
LOD: uma nuvem que cresce
DBpedia: a versão Linked Data da Wikipedia
A nuvem dobrou de tamanho a cada 10 meses desde 2007
LOD: uma realidade
RDA – Resource Description & Access
• JSC (Joint Steering Commi7ee) estabelecido em 2004
para propor RDA em subs@tuição a AACR2
• Foco no usuário: dar suporte à busca de recursos (FRBR)
Achar, Iden@ficar, Selecionar, Obter, Esclarecer, Compreender
(Find, Iden'fy, Select, Obtain, Clarify, Understand)
• Conjunto de elementos e diretrizes para
Øcriar metadados para descrever recursos analógicos e digitais
Øde bibliotecas, arquivos, museus ou repositórios digitais
Øbem formados, de acordo com modelos internacionais
Ødados abertos interligados (LOD = linked open data)
RDA: elementos (classes)
• Work: criação / conteúdo intelectual ou artístico (conceito abstrato)
• Expression: uma realização de um work, na forma de notação, som, imagem, objeto,
movimento ou qualquer combinação dessas formas
• Manifestation: uma materialização de uma expression de um work
• Item: uma instância de uma manifestation
• Agent – superclasse de
• Person – pessoa real
• Collective Agent – superclasse de
• Corporate Body: uma organização ou grupo de pessoas e / ou organizações que é identificado por um nome específico e que age ou pode
agir como uma unidade.
• Family: família
• Nomen: uma designação que se refere a uma entidade RDA (ex: título de uma obra,
nome de uma pessoa)
• Place: uma dada extensão de espaço (ex: endereço)
• Timespan: um período temporal, tendo início, fim, duração
responsável pela criação
RDA: entidades primárias (FRBR 3.1.1)
work
expression
manifestation
item
é realizado através de
é materializado
é exemplificado por
RDA: entidades - propriedades
• Propriedades de work: identificador, título, compositor,
forma, data da 1ª manifestação, etc. (são 327)
• Propriedades de expression: tipo de conteúdo, tipo de
“musical notation”, tonalidade, meio de performance, data,
etc. (são 309)
• Propriedades de manifestation: tipo de mídia, editor,
data de copyright, etc. (são 275)
• Propriedades de item: identificador, proveniência, é
versão digital de, etc. (são 79)
RDA: exemplo
w = ópera O Guarany, de autoria de Carlos Gomes
e = par;tura escrita por Carlos Gomes
m = partitura publicada pela Ricordi
i = exemplar da BN
é realizado através de
é materializado por
é exemplificado por
RDA – alguns vocabulários
RDA Form of Musical Notation
• graphic notation
• letter notation
• mensural notation
• number notation
• solmization
• staff notation
• tablature
• tonic sol-fa
• neumatic notation
RDA Format of Notated music
• choir book
• chorus score
• condensed score
• part
• piano conductor part
• piano score
• score
• study score
• table book
• violin conductor part
• vocal score
RDA – alinhamento com padrões
• IFLA Library Reference Model (LRM), 2017
• Consolidação e atualização de 3 modelos funcionais
anteriores (FRBR, FRAD, FRSAD)
• CIDOC Conceptual Reference Model (CRM), 2006
• Desenvolvido para uso por museus e instituições de
patrimônio cultural
• FRBRoo é uma extensão orientada a objetos de CRM
RDA x LOD
w = https://www.wikidata.org/wiki/Q2735143 (Il Guarany),
autor http://viaf.org/viaf/24816997 (Carlos Gomes)
e = http://objdigital.bn.br/acervo_digital/div_musica/mas617632.pdf
(partitura escrita por Carlos Gomes)
m = partitura publicada pela Ricordi
i = exemplar da BN
é realizado através de
é materializado por
é exemplificado por
RDA – iniciativas em curso
• JSC inicialmente formado por instituições de 4 países :
Australia, Canada, Estados Unidos e Grã-Bretanha
• DACH aderiu desde 2010
(D) Alemanha, (A) Austria, (CH) Suiça germânica
• França: comitê de migração no âmbito da BNF
• América Latina: México, Chile, Argentina, Colombia, Costa Rica
• Publicado em inglês, alemão, catalão, espanhol, finlandês,
francês, italiano
• Não há tradução prevista para português
• BN Portugal: início de conversas
RDA: vantagens e desvantagens
PROS
Interoperabilidade
Reuso
Controle de autoridade
descentralizado
CONS
Modelo complexo
Alta curva de aprendizagem
Toolkit pago
BIBFRAME 2.0 (2016)
• Classes principais
oWork
oInstance
oItem
• Outras classes
oAgents: pessoas, organizações, etc.
oSubjects: topics, places, temporal expressions, events,
works, instances, items, agents, etc.
oEvents: ocorrências, manifestações de um Work
Work is planned to analyze elements in other cataloging rule sets and reconcile or
add them to the BIBFRAME vocabulary as appropriate. This along with community
extensions will enable broad use of BIBFRAME.
BIBFRAME x RDA
RDA tem um nível a mais de descrição no modelo
Linked World
Fonte: Tiziana Possemato . How RDA is essential in the reconciliation and conversion processes for quality Linked Data. 2018.
DOI: http://dx.doi.org/10.4403/jlis.it-12447
O Brasil e o mundo
• Grupo RDA la1no americano: sem interlocução no Brasil
• Brasil no IAML (Interna1onal Associa1on of Music
Libraries): 4 inscrições individuais, nenhuma ins1tucional
• Carlos Gomes no RISM (Répertoire Interna1onal des
Sources Musicales)
2 registros, que apontam manuscritos na Itália
• Biblioteca de música / COLUMBIA University
nenhuma obra de compositor brasileiro
• LOD: FBN recentemente alinhou-se com VIAF (2017)
Referências
• EL-SHERBINI, M. RDA implementation and the emergence of BIBFRAME (2018)
https://www.jlis.it/article/view/66-82
• HEATH, T.; BIZER, C. Linked Data: Evolving the Web into a Global Data Space. Lectures on the Semantic
Web: Theory and Technology (1st edition). Synthesis. Morgan & Claypool. 2011.
http://info.slis.indiana.edu/~dingying/Teaching/S604/LODBook.pdf
• IFLA / LRM. https://www.ifla.org/files/assets/cataloguing/frbr-lrm/ifla-lrm-august-2017_rev201712.pdf
• KOSTER, L.; WINDHOUWER, S.W. FAIR Principles for Library, Archive and Museum Collections: A
proposal for standards for reusable collections. 2018. http://journal.code4lib.org/articles/13427
• LANZELOTTE, R. Por um acervo digital de partituras de música brasileira. 2018.
https://cpdoc.fgv.br/sites/default/files/cpdoc/HDRio2018_Anais.pdf
• MLA. Music Library Association Best Practices for Music Cataloging Using RDA and MARC21 for Chapter
6: Identifying Works and Expressions. 2017. http://access.rdatoolkit.org/mlabpchp6.html
• RDA. http://www.rda-rsc.org
• RDA / BNF. http://www.bnf.fr/fr/professionnels/rda/s.rda_objectifs.html

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Web semantica
Web semanticaWeb semantica
Web semantica
Gesse Santos
 
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Fabrício Silva Assumpção
 
Rda
RdaRda
Falando sobre RDA: O que é e o que podemos esperar do novo código de catalogação
Falando sobre RDA: O que é e o que podemos esperar do novo código de catalogaçãoFalando sobre RDA: O que é e o que podemos esperar do novo código de catalogação
Falando sobre RDA: O que é e o que podemos esperar do novo código de catalogação
Fabrício Silva Assumpção
 
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
Fabrício Silva Assumpção
 
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...
Fabrício Silva Assumpção
 
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDAIntrodução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Fabrício Silva Assumpção
 
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Fabrício Silva Assumpção
 
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)
Fabrício Silva Assumpção
 

Mais procurados (9)

Web semantica
Web semanticaWeb semantica
Web semantica
 
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
 
Rda
RdaRda
Rda
 
Falando sobre RDA: O que é e o que podemos esperar do novo código de catalogação
Falando sobre RDA: O que é e o que podemos esperar do novo código de catalogaçãoFalando sobre RDA: O que é e o que podemos esperar do novo código de catalogação
Falando sobre RDA: O que é e o que podemos esperar do novo código de catalogação
 
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
 
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...
 
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDAIntrodução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
 
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
 
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)
 

Semelhante a Padroes descricao boas_praticas_recursos_musicais

Metadados para difusão de partituras
Metadados para difusão de partiturasMetadados para difusão de partituras
Metadados para difusão de partituras
Rosana Lanzelotte
 
Dublin core
Dublin coreDublin core
Dublin core
Antonio Conserva Jr
 
Software DSpace 2 de 4
Software DSpace 2 de 4Software DSpace 2 de 4
Software DSpace 2 de 4
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Recursos didáticos: produzir, encontrar, remixar, organizar, catalogar
Recursos didáticos: produzir, encontrar, remixar, organizar, catalogarRecursos didáticos: produzir, encontrar, remixar, organizar, catalogar
Recursos didáticos: produzir, encontrar, remixar, organizar, catalogar
Bianca Santana
 
Biblioteca Escolar Digital
Biblioteca Escolar DigitalBiblioteca Escolar Digital
Biblioteca Escolar Digital
Carlos Pinheiro
 
Web Semântica no Domínio Bibliográfico
Web Semântica no Domínio BibliográficoWeb Semântica no Domínio Bibliográfico
Web Semântica no Domínio Bibliográfico
UNESP
 
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)
Fabrício Silva Assumpção
 
02_revisao_OO.pdf
02_revisao_OO.pdf02_revisao_OO.pdf
02_revisao_OO.pdf
BrunoVenturoso1
 
Arquivos Digitais com Semântica
Arquivos Digitais com SemânticaArquivos Digitais com Semântica
Arquivos Digitais com Semântica
José Carlos Ramalho
 
Apresentação - Primeiras Indicações Doutorado
Apresentação - Primeiras Indicações Doutorado Apresentação - Primeiras Indicações Doutorado
Apresentação - Primeiras Indicações Doutorado
Luis Felipe
 
[Minicurso - Módulo 3] Representação de imagens fotográficas e digitais: teor...
[Minicurso - Módulo 3] Representação de imagens fotográficas e digitais: teor...[Minicurso - Módulo 3] Representação de imagens fotográficas e digitais: teor...
[Minicurso - Módulo 3] Representação de imagens fotográficas e digitais: teor...
Ana Carolina Simionato
 
Sistemas abertos aplicados à gestão da informação científica: o desenvolvimen...
Sistemas abertos aplicados à gestão da informação científica: o desenvolvimen...Sistemas abertos aplicados à gestão da informação científica: o desenvolvimen...
Sistemas abertos aplicados à gestão da informação científica: o desenvolvimen...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Dspace
DspaceDspace
Bibliotecas digitais21
Bibliotecas digitais21Bibliotecas digitais21
Bibliotecas digitais21
silviaalves
 
Bibliotecas digitais21
Bibliotecas digitais21Bibliotecas digitais21
Bibliotecas digitais21
silviaalves
 
Tecnologias para bibliotecas
Tecnologias para bibliotecasTecnologias para bibliotecas
Tecnologias para bibliotecas
Anderson Santana
 
Perspectivas da web semântica para a biblioteconomia
Perspectivas da web semântica para a biblioteconomiaPerspectivas da web semântica para a biblioteconomia
Perspectivas da web semântica para a biblioteconomia
Naira Michelle Alves Pereira
 
Minicurso - Catalogação em RDA
Minicurso - Catalogação em RDAMinicurso - Catalogação em RDA
Minicurso - Catalogação em RDA
Universidade de São Paulo
 
Módulo 06 Introdução a metadados no DSpace
Módulo 06 Introdução a metadados no DSpaceMódulo 06 Introdução a metadados no DSpace
Módulo 06 Introdução a metadados no DSpace
Rodrigo Prado
 
Repositorios
RepositoriosRepositorios
Repositorios
denilsonmello
 

Semelhante a Padroes descricao boas_praticas_recursos_musicais (20)

Metadados para difusão de partituras
Metadados para difusão de partiturasMetadados para difusão de partituras
Metadados para difusão de partituras
 
Dublin core
Dublin coreDublin core
Dublin core
 
Software DSpace 2 de 4
Software DSpace 2 de 4Software DSpace 2 de 4
Software DSpace 2 de 4
 
Recursos didáticos: produzir, encontrar, remixar, organizar, catalogar
Recursos didáticos: produzir, encontrar, remixar, organizar, catalogarRecursos didáticos: produzir, encontrar, remixar, organizar, catalogar
Recursos didáticos: produzir, encontrar, remixar, organizar, catalogar
 
Biblioteca Escolar Digital
Biblioteca Escolar DigitalBiblioteca Escolar Digital
Biblioteca Escolar Digital
 
Web Semântica no Domínio Bibliográfico
Web Semântica no Domínio BibliográficoWeb Semântica no Domínio Bibliográfico
Web Semântica no Domínio Bibliográfico
 
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)
RDA - Resource Description and Access (UFC, Fortaleza, 24 out 2014)
 
02_revisao_OO.pdf
02_revisao_OO.pdf02_revisao_OO.pdf
02_revisao_OO.pdf
 
Arquivos Digitais com Semântica
Arquivos Digitais com SemânticaArquivos Digitais com Semântica
Arquivos Digitais com Semântica
 
Apresentação - Primeiras Indicações Doutorado
Apresentação - Primeiras Indicações Doutorado Apresentação - Primeiras Indicações Doutorado
Apresentação - Primeiras Indicações Doutorado
 
[Minicurso - Módulo 3] Representação de imagens fotográficas e digitais: teor...
[Minicurso - Módulo 3] Representação de imagens fotográficas e digitais: teor...[Minicurso - Módulo 3] Representação de imagens fotográficas e digitais: teor...
[Minicurso - Módulo 3] Representação de imagens fotográficas e digitais: teor...
 
Sistemas abertos aplicados à gestão da informação científica: o desenvolvimen...
Sistemas abertos aplicados à gestão da informação científica: o desenvolvimen...Sistemas abertos aplicados à gestão da informação científica: o desenvolvimen...
Sistemas abertos aplicados à gestão da informação científica: o desenvolvimen...
 
Dspace
DspaceDspace
Dspace
 
Bibliotecas digitais21
Bibliotecas digitais21Bibliotecas digitais21
Bibliotecas digitais21
 
Bibliotecas digitais21
Bibliotecas digitais21Bibliotecas digitais21
Bibliotecas digitais21
 
Tecnologias para bibliotecas
Tecnologias para bibliotecasTecnologias para bibliotecas
Tecnologias para bibliotecas
 
Perspectivas da web semântica para a biblioteconomia
Perspectivas da web semântica para a biblioteconomiaPerspectivas da web semântica para a biblioteconomia
Perspectivas da web semântica para a biblioteconomia
 
Minicurso - Catalogação em RDA
Minicurso - Catalogação em RDAMinicurso - Catalogação em RDA
Minicurso - Catalogação em RDA
 
Módulo 06 Introdução a metadados no DSpace
Módulo 06 Introdução a metadados no DSpaceMódulo 06 Introdução a metadados no DSpace
Módulo 06 Introdução a metadados no DSpace
 
Repositorios
RepositoriosRepositorios
Repositorios
 

Mais de Rosana Lanzelotte

Acervo digital de partituras - IGR (Assunção).pdf
Acervo digital de partituras - IGR (Assunção).pdfAcervo digital de partituras - IGR (Assunção).pdf
Acervo digital de partituras - IGR (Assunção).pdf
Rosana Lanzelotte
 
Musica Brasilis - Assembleia janeiro 2023
Musica Brasilis - Assembleia janeiro 2023Musica Brasilis - Assembleia janeiro 2023
Musica Brasilis - Assembleia janeiro 2023
Rosana Lanzelotte
 
Por uma política de difusão do patrimônio documental musical
Por uma política de difusão do patrimônio documental musicalPor uma política de difusão do patrimônio documental musical
Por uma política de difusão do patrimônio documental musical
Rosana Lanzelotte
 
Musica Brasilis - making available Brazilian music scores - UNESCO MOW 2018
Musica Brasilis - making available Brazilian music scores - UNESCO MOW 2018Musica Brasilis - making available Brazilian music scores - UNESCO MOW 2018
Musica Brasilis - making available Brazilian music scores - UNESCO MOW 2018
Rosana Lanzelotte
 
The challenge of making available a digital collection of brazilian music scores
The challenge of making available a digital collection of brazilian music scoresThe challenge of making available a digital collection of brazilian music scores
The challenge of making available a digital collection of brazilian music scores
Rosana Lanzelotte
 
Impacto da música no cérebro humano
Impacto da música no cérebro humanoImpacto da música no cérebro humano
Impacto da música no cérebro humano
Rosana Lanzelotte
 

Mais de Rosana Lanzelotte (6)

Acervo digital de partituras - IGR (Assunção).pdf
Acervo digital de partituras - IGR (Assunção).pdfAcervo digital de partituras - IGR (Assunção).pdf
Acervo digital de partituras - IGR (Assunção).pdf
 
Musica Brasilis - Assembleia janeiro 2023
Musica Brasilis - Assembleia janeiro 2023Musica Brasilis - Assembleia janeiro 2023
Musica Brasilis - Assembleia janeiro 2023
 
Por uma política de difusão do patrimônio documental musical
Por uma política de difusão do patrimônio documental musicalPor uma política de difusão do patrimônio documental musical
Por uma política de difusão do patrimônio documental musical
 
Musica Brasilis - making available Brazilian music scores - UNESCO MOW 2018
Musica Brasilis - making available Brazilian music scores - UNESCO MOW 2018Musica Brasilis - making available Brazilian music scores - UNESCO MOW 2018
Musica Brasilis - making available Brazilian music scores - UNESCO MOW 2018
 
The challenge of making available a digital collection of brazilian music scores
The challenge of making available a digital collection of brazilian music scoresThe challenge of making available a digital collection of brazilian music scores
The challenge of making available a digital collection of brazilian music scores
 
Impacto da música no cérebro humano
Impacto da música no cérebro humanoImpacto da música no cérebro humano
Impacto da música no cérebro humano
 

Padroes descricao boas_praticas_recursos_musicais

  • 1. PADRÕES DE DESCRIÇÃO e BOAS PRÁTICAS para a difusão digital de acervos musicais Rosana Lanzelotte (rosana@musicabrasilis.org.br) Rodrigo De Santis (rodrigo@musicabrasilis.org.br) http://slideshare.net Instituto Moreira Salles – 17/10/2018
  • 2. Roteiro • História • Modelos conceituais • Web semântica e RDF • Linked Open Data (LOD): uma nuvem que cresce • Boas práticas • RDA – Resource Description & Access • BIBFRAME • O Brasil e o mundo
  • 3. História 1964 1º computador da Biblioteca do Congresso Americano 1965 padrão MARC (MAchine Readable Cataloging) 1969 ISBD (International Standard Bibliographic Description) 1978 AACR2 -> incorpora ISBD 1989 www (World Wide Web) 1995 DCMI (Dublin Core Metadata Initiative) -> digital 1998 IFLA aprova FRBR -> foco no usuário e nas buscas 1999 padrão RDF no âmbito w3c 2002 AACR2 passa a refletir documentos eletrônicos 2010 primeira versão do RDA (Resource Description and Access) • foco no usuário e no digital • todos os tipos de conteúdos e mídias 2011 LOC lança a ontologia BIBFRAME p/substituir MARC 21 2016 IFLA lança LRM (Library Reference Model)
  • 4. Modelos conceituais • Abstrações do mundo real • Objetivos • Facilitar a compreensão de um sistema • Facilitar a troca de informação entre os usuários • Fornecer base para especificações e buscas • Documentação, colaboração, reuso • Metadados (Bagley, 1968): dados que descrevem dados • Modelo de entidades e relacionamentos (Chen, 1976) • não hierárquico • Dublin Core: primeiro padrão de metadados p/ recursos digitais • Tendência atual: web semântica -> Linked Open Data
  • 5. Web semântica Web: páginas processadas por seres humanos Web de páginas Web semântica: dados e informações manipuladas pelo computador Web de conceitos Tim Berners-Lee, “The Semantic Web”, Scientific American, 2001. “A Web Semântica é uma extensão da web na qual a informação recebe um significado bem definido, permitindo que computadores e pessoas trabalhem em cooperação.” Tim Berners-Lee, Hendler e Lassila
  • 7. Consórcio w3c • Fundado por Tim Berners-Lee em 1994 • Objetivo: estabelecer padrões para a criação e a interpretação de conteúdos para a Web • Hoje: 478 membros Amazon, Apple, Boeing, Deutsche Nationalbibliothek (DNB), Dublin Core Metadata Initiative (DCMI), Google, Facebook, IBM, Library of Congress, Paypal, Sony, USP • Ontologias • Padrão RDF
  • 8. Ontologias • Descrevem os principais conceitos de um domínio e seus relacionamentos • Caracterização dos conceitos, através de definições de • Classes Ex: compositor, obra musical, partitura • Relacionamentos Ex: compositor compõe obra musical partitura é uma manifestação de uma obra musical • Propriedades (ou atributos) Ex: um compositor tem nome, data de nascimento, ... uma obra musical tem título, tonalidade, ...
  • 9. RDF – Resource Description Framework Formalismo para especificar ontologias Sujeito Objetopredicado Triplas RDF Propicia interoperabilidade e reuso
  • 10. Linked Open Data (LOD) Recomendações para publicar recursos como LOD: Tim Berners LEE (2009) ★ o recurso deve estar disponível na Web, sob uma licença aberta; ★★ o recurso deve estar disponível em formato que pode ser interpretado por máquina (Ex: .pdf ao invés de .jpg); ★★★ o recurso deve estar disponível em formato não-proprietário (Ex: .xml ao invés de .doc); ★★★★ o recurso deve estar descrito de acordo com padrões abertos do W3C (ex: RDF) e ter um identificador único persistente (URI), de forma a poder ser apontado por outros recursos; ★★★★★ o recurso deve estar ligado a outros -> contexto (interoperabilidade e reuso)
  • 11. Identificador único e persistente URL (Unique Record Locator) URI (Unique Resource Identifier) Ex: DOI (digital object identiifer) para artigos opaco x mnemônico ??? http://musicabrasilis.org.br/partituras/luciano-gallet-suite-popular
  • 12. LOD <-> boas práticas Princípios FAIR • Facilidade de localização • Acessibilidade • Interoperabilidade • Reuso WILKINSON, M.D. et al. The FAIR Guiding Principles for scientific data management and stewardship. Scientific Data volume 3, Article number: 160018 (2016). http://dx.doi.org/10.1038/sdata.2016.18
  • 13. Boas práticas: princípios FAIR 1. Identificadores persistentes: cada recurso digital deve ser identificado por um endereço único e estável 2. Armazenamento em servidores estáveis, de forma a assegurar a preservação digital; 3. Acesso através de protocolos padrão, especificados no âmbito da iniciativa W3C (World Wide Web Consortium); 4. Alinhamento com padrões consagrados de metadados; 5. Explicitação das licenças e direitos de uso de acordo com o Creative Commons; 6. Adoção de catálogos de autoridades, quando existirem (ex: VIAF – Virtual International Authority File); 7. Indicação da proveniência - cronologia da propriedade do recurso – pode ser útil para estabelecer contexto ou validar fontes; 8. Controle de qualidade dos metadados, por equipes especializadas. KOSTER, L.; WINDHOUWER, S.W. FAIR Principles for Library, Archive and Museum Collections: A proposal for standards for reusable collections. 2018.
  • 14. Preservação digital (princípio 2) Partituras nato digitais Documento publicado ??? Política de preservação ???
  • 15. Alinhamento com iniciativas internacionais • VIAF – Virtual International Authority File • ISNI - autoridade de nomes • OMR – Open Metadata Registry • GitHub - plataforma de hospedagem de código- fonte com controle de versão • IIIF – International Image Interoperability Framework (p/ repositórios de imagens digitais)
  • 16. LOD: uma nuvem que cresce DBpedia: a versão Linked Data da Wikipedia A nuvem dobrou de tamanho a cada 10 meses desde 2007
  • 18. RDA – Resource Description & Access • JSC (Joint Steering Commi7ee) estabelecido em 2004 para propor RDA em subs@tuição a AACR2 • Foco no usuário: dar suporte à busca de recursos (FRBR) Achar, Iden@ficar, Selecionar, Obter, Esclarecer, Compreender (Find, Iden'fy, Select, Obtain, Clarify, Understand) • Conjunto de elementos e diretrizes para Øcriar metadados para descrever recursos analógicos e digitais Øde bibliotecas, arquivos, museus ou repositórios digitais Øbem formados, de acordo com modelos internacionais Ødados abertos interligados (LOD = linked open data)
  • 19. RDA: elementos (classes) • Work: criação / conteúdo intelectual ou artístico (conceito abstrato) • Expression: uma realização de um work, na forma de notação, som, imagem, objeto, movimento ou qualquer combinação dessas formas • Manifestation: uma materialização de uma expression de um work • Item: uma instância de uma manifestation • Agent – superclasse de • Person – pessoa real • Collective Agent – superclasse de • Corporate Body: uma organização ou grupo de pessoas e / ou organizações que é identificado por um nome específico e que age ou pode agir como uma unidade. • Family: família • Nomen: uma designação que se refere a uma entidade RDA (ex: título de uma obra, nome de uma pessoa) • Place: uma dada extensão de espaço (ex: endereço) • Timespan: um período temporal, tendo início, fim, duração responsável pela criação
  • 20. RDA: entidades primárias (FRBR 3.1.1) work expression manifestation item é realizado através de é materializado é exemplificado por
  • 21. RDA: entidades - propriedades • Propriedades de work: identificador, título, compositor, forma, data da 1ª manifestação, etc. (são 327) • Propriedades de expression: tipo de conteúdo, tipo de “musical notation”, tonalidade, meio de performance, data, etc. (são 309) • Propriedades de manifestation: tipo de mídia, editor, data de copyright, etc. (são 275) • Propriedades de item: identificador, proveniência, é versão digital de, etc. (são 79)
  • 22. RDA: exemplo w = ópera O Guarany, de autoria de Carlos Gomes e = par;tura escrita por Carlos Gomes m = partitura publicada pela Ricordi i = exemplar da BN é realizado através de é materializado por é exemplificado por
  • 23. RDA – alguns vocabulários RDA Form of Musical Notation • graphic notation • letter notation • mensural notation • number notation • solmization • staff notation • tablature • tonic sol-fa • neumatic notation RDA Format of Notated music • choir book • chorus score • condensed score • part • piano conductor part • piano score • score • study score • table book • violin conductor part • vocal score
  • 24. RDA – alinhamento com padrões • IFLA Library Reference Model (LRM), 2017 • Consolidação e atualização de 3 modelos funcionais anteriores (FRBR, FRAD, FRSAD) • CIDOC Conceptual Reference Model (CRM), 2006 • Desenvolvido para uso por museus e instituições de patrimônio cultural • FRBRoo é uma extensão orientada a objetos de CRM
  • 25. RDA x LOD w = https://www.wikidata.org/wiki/Q2735143 (Il Guarany), autor http://viaf.org/viaf/24816997 (Carlos Gomes) e = http://objdigital.bn.br/acervo_digital/div_musica/mas617632.pdf (partitura escrita por Carlos Gomes) m = partitura publicada pela Ricordi i = exemplar da BN é realizado através de é materializado por é exemplificado por
  • 26. RDA – iniciativas em curso • JSC inicialmente formado por instituições de 4 países : Australia, Canada, Estados Unidos e Grã-Bretanha • DACH aderiu desde 2010 (D) Alemanha, (A) Austria, (CH) Suiça germânica • França: comitê de migração no âmbito da BNF • América Latina: México, Chile, Argentina, Colombia, Costa Rica • Publicado em inglês, alemão, catalão, espanhol, finlandês, francês, italiano • Não há tradução prevista para português • BN Portugal: início de conversas
  • 27. RDA: vantagens e desvantagens PROS Interoperabilidade Reuso Controle de autoridade descentralizado CONS Modelo complexo Alta curva de aprendizagem Toolkit pago
  • 28. BIBFRAME 2.0 (2016) • Classes principais oWork oInstance oItem • Outras classes oAgents: pessoas, organizações, etc. oSubjects: topics, places, temporal expressions, events, works, instances, items, agents, etc. oEvents: ocorrências, manifestações de um Work Work is planned to analyze elements in other cataloging rule sets and reconcile or add them to the BIBFRAME vocabulary as appropriate. This along with community extensions will enable broad use of BIBFRAME.
  • 29. BIBFRAME x RDA RDA tem um nível a mais de descrição no modelo
  • 30. Linked World Fonte: Tiziana Possemato . How RDA is essential in the reconciliation and conversion processes for quality Linked Data. 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.4403/jlis.it-12447
  • 31. O Brasil e o mundo • Grupo RDA la1no americano: sem interlocução no Brasil • Brasil no IAML (Interna1onal Associa1on of Music Libraries): 4 inscrições individuais, nenhuma ins1tucional • Carlos Gomes no RISM (Répertoire Interna1onal des Sources Musicales) 2 registros, que apontam manuscritos na Itália • Biblioteca de música / COLUMBIA University nenhuma obra de compositor brasileiro • LOD: FBN recentemente alinhou-se com VIAF (2017)
  • 32. Referências • EL-SHERBINI, M. RDA implementation and the emergence of BIBFRAME (2018) https://www.jlis.it/article/view/66-82 • HEATH, T.; BIZER, C. Linked Data: Evolving the Web into a Global Data Space. Lectures on the Semantic Web: Theory and Technology (1st edition). Synthesis. Morgan & Claypool. 2011. http://info.slis.indiana.edu/~dingying/Teaching/S604/LODBook.pdf • IFLA / LRM. https://www.ifla.org/files/assets/cataloguing/frbr-lrm/ifla-lrm-august-2017_rev201712.pdf • KOSTER, L.; WINDHOUWER, S.W. FAIR Principles for Library, Archive and Museum Collections: A proposal for standards for reusable collections. 2018. http://journal.code4lib.org/articles/13427 • LANZELOTTE, R. Por um acervo digital de partituras de música brasileira. 2018. https://cpdoc.fgv.br/sites/default/files/cpdoc/HDRio2018_Anais.pdf • MLA. Music Library Association Best Practices for Music Cataloging Using RDA and MARC21 for Chapter 6: Identifying Works and Expressions. 2017. http://access.rdatoolkit.org/mlabpchp6.html • RDA. http://www.rda-rsc.org • RDA / BNF. http://www.bnf.fr/fr/professionnels/rda/s.rda_objectifs.html