SlideShare uma empresa Scribd logo
HORA
DO
CONTO
Animação da Leitura
Animação da Leitura
Animação da Leitura
O sapo
estava
sentado à
beira do
rio.
Sentia-se
esquisito.
Não sabia
se estava
contente
ou se
estava
triste.
Animação da Leitura
Toda a
semana
tinha andado
como que a
sonhar.
Que é que
teria?
Animação da Leitura
Então encontrou o
Porquinho.
_ Olá, Sapo
– disse o
Porquinho. – Não
estás com muito
bom ar. Que é que
tens?
- Não sei - disse o
Sapo. – Tenho
vontade de rir e
de chorar ao
mesmo tempo. E
aqui dentro de
mim tenho uma
coisa que faz tum-
tum.
Animação da Leitura
-Talvez estejas
constipado –
disse o
Porquinho. – É
melhor ires para
casa e meteres-
te na cama.
- O Sapo
continuou o seu
caminho. Estava
preocupado.
Depois passou
pela casa da
Lebre.
-Lebre – disse ele
– Não me sinto
muito bem.
- Entra e senta-te
um bocadinho –
disse a Lebre,
muito simpática.
- Ora então, que
é que tens?
- Umas vezes fico
com calor e
outras vezes fico
com frio.
- E aqui dentro de
mim tenho uma
coisa que faz
tum-tum.
Animação da Leitura
A Lebre pensou muito,
como um verdadeiro
médico. Depois disse:
-Já sei. É o teu coração.
O meu também faz tum-
tum.
- Mas o meu às vezes faz
tum-tum mais depressa
do que de costume -
disse o sapo. – Faz um-
dois, um-dois, um-dois.
A Lebre foi buscará
estante um grande livro
e pôs-se a virar as
folhas.
- Ah!- disse ela. - Ora
ouve. Coração a bater
acelerado, ataque de
calor e de frio…quer
dizer que estás
apaixonado!
- Apaixonado ?
- disse o Sapo,
surpreendido
- Ena pá! Estou
apaixonado!
Animação da Leitura
E ficou tão contente que deu um salto enorme pela porta fora.
Animação da Leitura
O Porquinho
assustou-se muito
quando o Sapo de
repente caiu do céu.
- Parece que estás
melhor - disse o
Porquinho.
- E estou! Sinto-me
óptimo – disse o
Sapo. – Estou
apaixonado!
- Bem, isso é uma
boa notícia. Por
quem é que estás
apaixonado? –
perguntou o
Porquinho.
O Sapo não tinha
tido tempo para
pensar nisso.
Animação da Leitura
- Já sei! – disse ele.
– estou apaixonado
pela linda e
adorável Patinha
branca!
- Não pode ser –
disse o Porquinho.
– um Sapo não
pode estar
apaixonado por
uma pata. Tu és
verde e ela é
branca.
Mas o Sapo não se
importou com isso.
Animação da Leitura
Não sabia
escrever, mas
sabia fazer
bonitas
pinturas.
Quando voltou
para casa fez
uma pintura
linda, com
vermelho, azul,
e muito verde
que era a cor
que ele mais
gostava.
Animação da Leitura
À noite,
quando já
estava escuro,
saiu com a
pintura e
enfiou-a por
baixo da porta
da Pata.
Com a
emoção, tinha
o coração a
bater com
toda a força.
Animação da Leitura
A Pata
ficou muito
admirada
quando
encontrou
a pintura.
- Quem é
que me
terá
mandado
esta linda
pintura? -
exclamou
ela, e
pendurou-
a na
parede.
Animação da Leitura
No dia seguinte o
Sapo colheu um
belo ramo de flores.
Ia oferece-las à
Pata.
Mas quando chegou
à porta não teve
coragem para a
enfrentar.
Pôs as flores na
soleira da porta e
fugiu o mais
depressa que pôde.
E assim
continuaram as
coisas, dia após dia.
O Sapo não
conseguia arranjar
coragem para falar.
Animação da Leitura
A Pata andava
muito contente
com todos
aqueles belos
presentes.
Mas quem é que
os mandaria?
Animação da Leitura
Pobre Sapo!
Perdeu o apetite
e à noite não
conseguia
dormir…
E as coisas
continuavam
assim durante
semanas.
Animação da Leitura
Como é que havia
de mostrar à Pata
que gostava dela?
- Tenho de fazer
uma coisa de que
mais ninguém seja
capaz – decidiu
ele. – tenho que
bater o recorde do
mundo de salto
em altura! A
Patinha vai ficar
muito
surpreendida, e
depois ela
também vai gostar
de mim.
Animação da Leitura
O Sapo
começou logo
a treinar.
Praticou salto
em alturas
durante dias a
fio.
Saltava cada
vez mais alto,
até às nuvens.
Nunca
nenhum sapo
do mundo
tinha saltado
tão alto.
Animação da Leitura
Que é que terá
o Sapo ? –
perguntou a
Pata
preocupada -
saltar assim é
perigoso. Ainda
acaba por se
magoar.
E tinha razão.
Animação da Leitura
Às duas horas e
treze minutos da
tarde de sexta-
feira, as coisas
correram mal.
O Sapo estava a
dar o salto mais
alto da história
quando perdeu o
equilíbrio e caiu
no chão.
A Pata, que ía a
passar nessa
altura, veio a
correr ajudá-lo.
Animação da Leitura
O Sapo mal conseguia
andar. A Pata amparou-
o com carinho e levou-o
para casa. Tratou dele
com toda a ternura.
-Ó Sapo, podias ter-te
matado! – disse ela. –
Olha que tens de ter
muito cuidado. Gosto
tanto de ti!
Então, finalmente o
sapo lá conseguiu
arranjar coragem:
- Eu também gosto
muito de ti, querida
Pata – balbuciou ele.
- Tinha ao coração a
fazer tum-tum, mais
depressa do que nunca,
e ficou com a cara
muito verde.
Animação da Leitura
Desde então.
amam-se
perdidamente.
Um sapo e
uma pata…
Verde e
branca.
O amor não
conhece
barreiras.
HORA
DO
CONTO
Animação da Leitura

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a o-sapo-apaixonado.ppt

O sapo apaixonado
O sapo apaixonadoO sapo apaixonado
O sapo apaixonadoAna Barroca
 
C:\Users\Usuario\Desktop\Escola VáRios\O Sapo Apaixonado1 100223161817 Phpa...
C:\Users\Usuario\Desktop\Escola   VáRios\O Sapo Apaixonado1 100223161817 Phpa...C:\Users\Usuario\Desktop\Escola   VáRios\O Sapo Apaixonado1 100223161817 Phpa...
C:\Users\Usuario\Desktop\Escola VáRios\O Sapo Apaixonado1 100223161817 Phpa...Fernanda Gasalho
 
Osapoapaixonado[1]
Osapoapaixonado[1]Osapoapaixonado[1]
Osapoapaixonado[1]Ana Augusto
 
C:\users\usuario\desktop\escola vários\o-sapo-apaixonado1-100223161817-phpa...
C:\users\usuario\desktop\escola   vários\o-sapo-apaixonado1-100223161817-phpa...C:\users\usuario\desktop\escola   vários\o-sapo-apaixonado1-100223161817-phpa...
C:\users\usuario\desktop\escola vários\o-sapo-apaixonado1-100223161817-phpa...Fernanda Gasalho
 
O sapo-apaixonado
O sapo-apaixonadoO sapo-apaixonado
O sapo-apaixonadoAcilu
 
O Sapo Apaixonado[1]
O Sapo Apaixonado[1]O Sapo Apaixonado[1]
O Sapo Apaixonado[1]Sandra Luz
 
C:\Users\Usuario\Desktop\Escola VáRios\O Sapo Apaixonado1 100223161817 Phpa...
C:\Users\Usuario\Desktop\Escola   VáRios\O Sapo Apaixonado1 100223161817 Phpa...C:\Users\Usuario\Desktop\Escola   VáRios\O Sapo Apaixonado1 100223161817 Phpa...
C:\Users\Usuario\Desktop\Escola VáRios\O Sapo Apaixonado1 100223161817 Phpa...Fernanda Gasalho
 
O sapo-apaixonado[1]
O sapo-apaixonado[1]O sapo-apaixonado[1]
O sapo-apaixonado[1]teresastrecht
 
15. o sapo apaixonado (2)
15. o sapo apaixonado (2)15. o sapo apaixonado (2)
15. o sapo apaixonado (2)didsoak
 
15. o sapo apaixonado (2)
15. o sapo apaixonado (2)15. o sapo apaixonado (2)
15. o sapo apaixonado (2)didsoak
 

Semelhante a o-sapo-apaixonado.ppt (20)

O sapo apaixonado
O sapo apaixonadoO sapo apaixonado
O sapo apaixonado
 
C:\Users\Usuario\Desktop\Escola VáRios\O Sapo Apaixonado1 100223161817 Phpa...
C:\Users\Usuario\Desktop\Escola   VáRios\O Sapo Apaixonado1 100223161817 Phpa...C:\Users\Usuario\Desktop\Escola   VáRios\O Sapo Apaixonado1 100223161817 Phpa...
C:\Users\Usuario\Desktop\Escola VáRios\O Sapo Apaixonado1 100223161817 Phpa...
 
O sapo-apaixonado
O sapo-apaixonadoO sapo-apaixonado
O sapo-apaixonado
 
O sapo apaixonado
O sapo apaixonadoO sapo apaixonado
O sapo apaixonado
 
O sapo apaixonado
O sapo apaixonadoO sapo apaixonado
O sapo apaixonado
 
Osapoapaixonado[1]
Osapoapaixonado[1]Osapoapaixonado[1]
Osapoapaixonado[1]
 
C:\users\usuario\desktop\escola vários\o-sapo-apaixonado1-100223161817-phpa...
C:\users\usuario\desktop\escola   vários\o-sapo-apaixonado1-100223161817-phpa...C:\users\usuario\desktop\escola   vários\o-sapo-apaixonado1-100223161817-phpa...
C:\users\usuario\desktop\escola vários\o-sapo-apaixonado1-100223161817-phpa...
 
O sapo apaixonado
O sapo apaixonadoO sapo apaixonado
O sapo apaixonado
 
O sapo-apaixonado
O sapo-apaixonadoO sapo-apaixonado
O sapo-apaixonado
 
O sapo-apaixonado
O sapo-apaixonadoO sapo-apaixonado
O sapo-apaixonado
 
O sapo-apaixonado
O sapo-apaixonadoO sapo-apaixonado
O sapo-apaixonado
 
O Sapo Apaixonado[1]
O Sapo Apaixonado[1]O Sapo Apaixonado[1]
O Sapo Apaixonado[1]
 
C:\Users\Usuario\Desktop\Escola VáRios\O Sapo Apaixonado1 100223161817 Phpa...
C:\Users\Usuario\Desktop\Escola   VáRios\O Sapo Apaixonado1 100223161817 Phpa...C:\Users\Usuario\Desktop\Escola   VáRios\O Sapo Apaixonado1 100223161817 Phpa...
C:\Users\Usuario\Desktop\Escola VáRios\O Sapo Apaixonado1 100223161817 Phpa...
 
O sapo-apaixonado
O sapo-apaixonadoO sapo-apaixonado
O sapo-apaixonado
 
Osapoapaixonado
OsapoapaixonadoOsapoapaixonado
Osapoapaixonado
 
O sapo-apaixonado[1]
O sapo-apaixonado[1]O sapo-apaixonado[1]
O sapo-apaixonado[1]
 
O sapo apaixonado
O sapo apaixonadoO sapo apaixonado
O sapo apaixonado
 
O sapo apaixonado
O sapo apaixonadoO sapo apaixonado
O sapo apaixonado
 
15. o sapo apaixonado (2)
15. o sapo apaixonado (2)15. o sapo apaixonado (2)
15. o sapo apaixonado (2)
 
15. o sapo apaixonado (2)
15. o sapo apaixonado (2)15. o sapo apaixonado (2)
15. o sapo apaixonado (2)
 

Último

Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-carloseduardogonalve36
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxSolangeWaltre
 
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxAULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxGraycyelleCavalcanti
 
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdfmanual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdfLeandroTelesRocha2
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfLeandroTelesRocha2
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxmairaviani
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosbiancaborges0906
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfrarakey779
 
Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40vitoriaalyce2011
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoPedroFerreira53928
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 

Último (20)

Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxAULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
 
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdfmanual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
manual-de-direito-civil-flacc81vio-tartuce-2015-11.pdf
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 

o-sapo-apaixonado.ppt

  • 3. Animação da Leitura O sapo estava sentado à beira do rio. Sentia-se esquisito. Não sabia se estava contente ou se estava triste.
  • 4. Animação da Leitura Toda a semana tinha andado como que a sonhar. Que é que teria?
  • 5. Animação da Leitura Então encontrou o Porquinho. _ Olá, Sapo – disse o Porquinho. – Não estás com muito bom ar. Que é que tens? - Não sei - disse o Sapo. – Tenho vontade de rir e de chorar ao mesmo tempo. E aqui dentro de mim tenho uma coisa que faz tum- tum.
  • 6. Animação da Leitura -Talvez estejas constipado – disse o Porquinho. – É melhor ires para casa e meteres- te na cama. - O Sapo continuou o seu caminho. Estava preocupado.
  • 7. Depois passou pela casa da Lebre. -Lebre – disse ele – Não me sinto muito bem. - Entra e senta-te um bocadinho – disse a Lebre, muito simpática. - Ora então, que é que tens? - Umas vezes fico com calor e outras vezes fico com frio. - E aqui dentro de mim tenho uma coisa que faz tum-tum.
  • 8. Animação da Leitura A Lebre pensou muito, como um verdadeiro médico. Depois disse: -Já sei. É o teu coração. O meu também faz tum- tum. - Mas o meu às vezes faz tum-tum mais depressa do que de costume - disse o sapo. – Faz um- dois, um-dois, um-dois. A Lebre foi buscará estante um grande livro e pôs-se a virar as folhas. - Ah!- disse ela. - Ora ouve. Coração a bater acelerado, ataque de calor e de frio…quer dizer que estás apaixonado! - Apaixonado ? - disse o Sapo, surpreendido - Ena pá! Estou apaixonado!
  • 9. Animação da Leitura E ficou tão contente que deu um salto enorme pela porta fora.
  • 10. Animação da Leitura O Porquinho assustou-se muito quando o Sapo de repente caiu do céu. - Parece que estás melhor - disse o Porquinho. - E estou! Sinto-me óptimo – disse o Sapo. – Estou apaixonado! - Bem, isso é uma boa notícia. Por quem é que estás apaixonado? – perguntou o Porquinho. O Sapo não tinha tido tempo para pensar nisso.
  • 11. Animação da Leitura - Já sei! – disse ele. – estou apaixonado pela linda e adorável Patinha branca! - Não pode ser – disse o Porquinho. – um Sapo não pode estar apaixonado por uma pata. Tu és verde e ela é branca. Mas o Sapo não se importou com isso.
  • 12. Animação da Leitura Não sabia escrever, mas sabia fazer bonitas pinturas. Quando voltou para casa fez uma pintura linda, com vermelho, azul, e muito verde que era a cor que ele mais gostava.
  • 13. Animação da Leitura À noite, quando já estava escuro, saiu com a pintura e enfiou-a por baixo da porta da Pata. Com a emoção, tinha o coração a bater com toda a força.
  • 14. Animação da Leitura A Pata ficou muito admirada quando encontrou a pintura. - Quem é que me terá mandado esta linda pintura? - exclamou ela, e pendurou- a na parede.
  • 15. Animação da Leitura No dia seguinte o Sapo colheu um belo ramo de flores. Ia oferece-las à Pata. Mas quando chegou à porta não teve coragem para a enfrentar. Pôs as flores na soleira da porta e fugiu o mais depressa que pôde. E assim continuaram as coisas, dia após dia. O Sapo não conseguia arranjar coragem para falar.
  • 16. Animação da Leitura A Pata andava muito contente com todos aqueles belos presentes. Mas quem é que os mandaria?
  • 17. Animação da Leitura Pobre Sapo! Perdeu o apetite e à noite não conseguia dormir… E as coisas continuavam assim durante semanas.
  • 18. Animação da Leitura Como é que havia de mostrar à Pata que gostava dela? - Tenho de fazer uma coisa de que mais ninguém seja capaz – decidiu ele. – tenho que bater o recorde do mundo de salto em altura! A Patinha vai ficar muito surpreendida, e depois ela também vai gostar de mim.
  • 19. Animação da Leitura O Sapo começou logo a treinar. Praticou salto em alturas durante dias a fio. Saltava cada vez mais alto, até às nuvens. Nunca nenhum sapo do mundo tinha saltado tão alto.
  • 20. Animação da Leitura Que é que terá o Sapo ? – perguntou a Pata preocupada - saltar assim é perigoso. Ainda acaba por se magoar. E tinha razão.
  • 21. Animação da Leitura Às duas horas e treze minutos da tarde de sexta- feira, as coisas correram mal. O Sapo estava a dar o salto mais alto da história quando perdeu o equilíbrio e caiu no chão. A Pata, que ía a passar nessa altura, veio a correr ajudá-lo.
  • 22. Animação da Leitura O Sapo mal conseguia andar. A Pata amparou- o com carinho e levou-o para casa. Tratou dele com toda a ternura. -Ó Sapo, podias ter-te matado! – disse ela. – Olha que tens de ter muito cuidado. Gosto tanto de ti! Então, finalmente o sapo lá conseguiu arranjar coragem: - Eu também gosto muito de ti, querida Pata – balbuciou ele. - Tinha ao coração a fazer tum-tum, mais depressa do que nunca, e ficou com a cara muito verde.
  • 23. Animação da Leitura Desde então. amam-se perdidamente. Um sapo e uma pata… Verde e branca. O amor não conhece barreiras.