SlideShare uma empresa Scribd logo
O que é a filosofia?
Reprodução sexuada
Conceitos gerais
• Na reprodução sexuada, os descendentes resultam de
fecundação, ou seja, da fusão de duas células
especializadas (os gâmetas portadores de DNA,
normalmente de indivíduos diferentes).
• Da união dos gâmetas – que são células haploides –
resulta o ovo ou zigoto – célula diploide –, que possui o
dobro dos cromossomas dos gâmetas.
Meiose I
Meiose II
Cromatídios-
irmãos
Interfase
Cromossomas
homólogos
Pontos de
quiasma
• O número de cromossomas e a sua estrutura
mantêm-se ao longo das gerações, devido à
ocorrência de meiose.
• Neste processo ocorrem duas divisões
consecutivas sem que ocorra interfase entre
elas:
meiose I – divisão reducional
meiose II – divisão equacional
• No final da divisão celular meiótica formam-se
quatro células haploides, ou seja, com metade
do número de cromossomas da célula inicial.
Prófase I Metáfase I Anáfase I Telófase I Prófase II Metáfase II Anáfase II Telófase II
Etapas da meiose
• Emparelhamento
dos cromossomas
homólogos.
• Formação dos
pontos de
quiasma.
• Ocorrência de
crossing-over.
• Os bivalentes
encontram-se
ligados às fibras do
fuso acromático.
• Os pontos de
quiasma formam a
placa equatorial.
• Os cromossomas
de cada bivalente
separam-se e
ascendem para os
polos opostos do
fuso acromático.
• Os cromossomas
atingem os polos e
descondensam.
• Originam-se dois
núcleos com metade
dos cromossomas.
• Os cromossomas
condensam,
forma-se o fuso, e
o invólucro nuclear
desaparece.
• Os cromatídios
dos cromossomas
estão unidos
pelos centrómeros
que formam a
placa equatorial.
• Rompimento dos
centrómeros e
ascensão polar
dos cromatídios
de cada
cromossoma.
• Formam-se
quatro núcleos
haploides.
Reprodução sexuada e variabilidade genética
• Troca recíproca de segmentos
dos cromatídios dos
cromossomas de origem
paterna e materna que
constituem o bivalente.
• Formação de cromossomas
recombinados, com genes de
origem materna e genes de
origem paterna.
Gene
Cromossomas
homólogos
Ponto de quiasma
Cromossomas recombinados
Crossing-over
Reprodução sexuada e variabilidade genética
• Durante a metáfase I, cada bivalente
dispõe-se de forma aleatória e
independente na placa equatorial do
fuso acromático.
• Durante a anáfase I, ocorre, portanto,
a separação independente dos
cromossomas homólogos.
Segregação aleatória dos cromossomas homólogos
Reprodução sexuada e variabilidade genética
• A união aleatória de um gâmeta masculino com um
gâmeta feminino, de entre a enorme variedade destas
células, faz com que a célula resultante da
fecundação – o ovo ou zigoto – possua uma
combinação única de genes.
Fecundação
Meiose e mitose
Aspetos comparativos:
Mitose Meiose
Prófase
Metáfase
Anáfase
Telófase
2n 2n
Prófase I
Metáfase I
Anáfase I
Telófase I
n n n n
Cromatídios-irmãos
Meiose II
• Alternância de fases nucleares,
haploide e diploide.
Ciclo de vida diplonte
• A meiose ocorre antes da formação
dos gâmetas (pré-gamética).
• A diplófase é a fase nuclear mais
desenvolvida e inclui o organismo
adulto (diplonte).
• A haplófase está reduzidas aos
gâmetas.
Ciclo de vida haplonte
Tubo de conjugação
Filamentos de
espirogira (n)
Germinação
do zigoto
Meiose
Ovo ou zigoto
Haplófase
Diplófase
• Alternância de fases nucleares
haploide e diploide.
• A haplófase é a fase nuclear mais
desenvolvida e inclui o organismo
adulto (haplonte).
• A diplófase está reduzida ao zigoto.
• A meiose ocorre no zigoto (pós-zigótica).
• A meiose origina os esporos (pré-espórica).
Meiose
Fecundação
Esporângio
Esporos
Esporângios
Esporófito jovem
Feto adulto (esporófito)
Anterozoides
Oosfera
Protalo
(gametófito)
Diplófase
Haplófase
Zigoto
Ciclo de vida haplodiplonte
• Alternância de fases nucleares, haploide
e diploide, desenvolvidas.
• Alternância de uma geração esporófita,
produtora de esporos, e de uma geração
gametófita, produtora de gâmetas.
• A estrutura mais desenvolvida da geração
esporófita é o esporófito.
• A estrutura multicelular mais desenvolvida
da geração gametófita é o gametófito.
Estratégias de reprodução e ciclos de vida
• Espécies unissexuadas (melro-de-asa-vermelha) e hermafroditas (caracóis e lesmas)
• Fecundação externa (rã-comum) e fecundação interna (joaninhas)
Melro-de-asa-vermelha
( Agelaius phoeniceus ), macho e fêmea.
Processo de acasalamento
no caracol terrestre
(Helix albescens).
Acasalamento da rã-comum
(Rana temporária).
Acasalamento da joaninha
(Coccinella septempunctata).
Animais
Estratégias de reprodução e ciclos de vida
• Espécies unissexuadas (dioicas) e hermafroditas (monoicas)
• Espécies com autopolinização e espécies com polinização cruzada
• O aparecimento de sementes e de frutos permitiu às plantas aumentarem a sua capacidade de dispersão.
Sementes de dente-de-leão (Taraxacum
officinale) a serem transportadas pelo vento.
Bulbul-de-peito-escamoso (Ixodia squamata) a
comer um fruto, no interior do qual se encontram
sementes que serão dispersas com as fezes.
Fruto do coqueiro (Cocos nucifera) em
germinação, flutuando em águas rasas.
Plantas

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a odis11_bio_ppt_cap4.pptx

Genética4
Genética4Genética4
Genética4
Adila Trubat
 
Meiose
MeioseMeiose
Genética4
Genética4 Genética4
Genética4
Adila Trubat
 
Sexo
SexoSexo
Sexo
unesp
 
Mitose e meiose
Mitose e meioseMitose e meiose
Mitose e meiose
Marcos Albuquerque
 
7 ciclos de vida
7   ciclos de vida7   ciclos de vida
7 ciclos de vida
margaridabt
 
Ppoint.bio.reprodução
Ppoint.bio.reproduçãoPpoint.bio.reprodução
Ppoint.bio.reprodução
Albano Novaes
 
(3) ciclos de vida
(3) ciclos de vida(3) ciclos de vida
(3) ciclos de vida
Hugo Martins
 
Embiologia
EmbiologiaEmbiologia
Ciclos de vida II.pptx
Ciclos de vida II.pptxCiclos de vida II.pptx
Ciclos de vida II.pptx
mariagrave
 
Meiose reprodução sexuada
Meiose reprodução sexuadaMeiose reprodução sexuada
Meiose reprodução sexuada
PhoenixSportFitness
 
Reprodução sexuada e meiose
Reprodução sexuada e meioseReprodução sexuada e meiose
Reprodução sexuada e meiose
margaridabt
 
Ciclos De Vida 3
Ciclos De Vida 3Ciclos De Vida 3
Ciclos De Vida 3
Cidalia Aguiar
 
9 ciclos de vida
9   ciclos de vida9   ciclos de vida
9 ciclos de vida
margaridabt
 
Ciclo e divisão celular
Ciclo e divisão celularCiclo e divisão celular
Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
Ionara Urrutia Moura
 
Meiose
MeioseMeiose
(1) reprodução humana e manipulação da ferilidade
(1) reprodução humana e manipulação da ferilidade(1) reprodução humana e manipulação da ferilidade
(1) reprodução humana e manipulação da ferilidade
Hugo Martins
 
9 ciclos de vida
9   ciclos de vida9   ciclos de vida
9 ciclos de vida
margaridabt
 
espermatogênese e concepção.docx
espermatogênese e concepção.docxespermatogênese e concepção.docx
espermatogênese e concepção.docx
CirleiaGatty
 

Semelhante a odis11_bio_ppt_cap4.pptx (20)

Genética4
Genética4Genética4
Genética4
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
 
Genética4
Genética4 Genética4
Genética4
 
Sexo
SexoSexo
Sexo
 
Mitose e meiose
Mitose e meioseMitose e meiose
Mitose e meiose
 
7 ciclos de vida
7   ciclos de vida7   ciclos de vida
7 ciclos de vida
 
Ppoint.bio.reprodução
Ppoint.bio.reproduçãoPpoint.bio.reprodução
Ppoint.bio.reprodução
 
(3) ciclos de vida
(3) ciclos de vida(3) ciclos de vida
(3) ciclos de vida
 
Embiologia
EmbiologiaEmbiologia
Embiologia
 
Ciclos de vida II.pptx
Ciclos de vida II.pptxCiclos de vida II.pptx
Ciclos de vida II.pptx
 
Meiose reprodução sexuada
Meiose reprodução sexuadaMeiose reprodução sexuada
Meiose reprodução sexuada
 
Reprodução sexuada e meiose
Reprodução sexuada e meioseReprodução sexuada e meiose
Reprodução sexuada e meiose
 
Ciclos De Vida 3
Ciclos De Vida 3Ciclos De Vida 3
Ciclos De Vida 3
 
9 ciclos de vida
9   ciclos de vida9   ciclos de vida
9 ciclos de vida
 
Ciclo e divisão celular
Ciclo e divisão celularCiclo e divisão celular
Ciclo e divisão celular
 
Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
Aula 2 3 s_ gametogênese e ciclo ovulatório fev 2013
 
Meiose
MeioseMeiose
Meiose
 
(1) reprodução humana e manipulação da ferilidade
(1) reprodução humana e manipulação da ferilidade(1) reprodução humana e manipulação da ferilidade
(1) reprodução humana e manipulação da ferilidade
 
9 ciclos de vida
9   ciclos de vida9   ciclos de vida
9 ciclos de vida
 
espermatogênese e concepção.docx
espermatogênese e concepção.docxespermatogênese e concepção.docx
espermatogênese e concepção.docx
 

Mais de IsauraSilva13

01 Subsistemas Terrestres.pptx
01 Subsistemas Terrestres.pptx01 Subsistemas Terrestres.pptx
01 Subsistemas Terrestres.pptx
IsauraSilva13
 
PPT - nutrição e dietética - 10º ano - Restaurante bar.pptx
PPT - nutrição e dietética - 10º ano - Restaurante bar.pptxPPT - nutrição e dietética - 10º ano - Restaurante bar.pptx
PPT - nutrição e dietética - 10º ano - Restaurante bar.pptx
IsauraSilva13
 
transportenasplantas-profissional.pptx
transportenasplantas-profissional.pptxtransportenasplantas-profissional.pptx
transportenasplantas-profissional.pptx
IsauraSilva13
 
Fluidos circulantes.pptx
Fluidos circulantes.pptxFluidos circulantes.pptx
Fluidos circulantes.pptx
IsauraSilva13
 
Sistema linfático.pptx
Sistema linfático.pptxSistema linfático.pptx
Sistema linfático.pptx
IsauraSilva13
 
11º PTAS- RESUMO Sistema urinário.pptx
11º PTAS- RESUMO Sistema urinário.pptx11º PTAS- RESUMO Sistema urinário.pptx
11º PTAS- RESUMO Sistema urinário.pptx
IsauraSilva13
 
66 Recursos geológicos.pptx
66 Recursos geológicos.pptx66 Recursos geológicos.pptx
66 Recursos geológicos.pptx
IsauraSilva13
 
odis11_geo_ppt_cap4.pptx
odis11_geo_ppt_cap4.pptxodis11_geo_ppt_cap4.pptx
odis11_geo_ppt_cap4.pptx
IsauraSilva13
 
BIOL11 R. Mag.Aulanº2.pptx
BIOL11 R. Mag.Aulanº2.pptxBIOL11 R. Mag.Aulanº2.pptx
BIOL11 R. Mag.Aulanº2.pptx
IsauraSilva13
 
BIOL_11_Aula1_20abril.pdf
BIOL_11_Aula1_20abril.pdfBIOL_11_Aula1_20abril.pdf
BIOL_11_Aula1_20abril.pdf
IsauraSilva13
 
55 Fixismo e evolucionismo.pptx
55 Fixismo e evolucionismo.pptx55 Fixismo e evolucionismo.pptx
55 Fixismo e evolucionismo.pptx
IsauraSilva13
 
54 Unicelularidade e multicelularidade.pptx
54 Unicelularidade e multicelularidade.pptx54 Unicelularidade e multicelularidade.pptx
54 Unicelularidade e multicelularidade.pptx
IsauraSilva13
 
52 Reprodução sexuada.pptx
52 Reprodução sexuada.pptx52 Reprodução sexuada.pptx
52 Reprodução sexuada.pptx
IsauraSilva13
 
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.pptfluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
IsauraSilva13
 

Mais de IsauraSilva13 (14)

01 Subsistemas Terrestres.pptx
01 Subsistemas Terrestres.pptx01 Subsistemas Terrestres.pptx
01 Subsistemas Terrestres.pptx
 
PPT - nutrição e dietética - 10º ano - Restaurante bar.pptx
PPT - nutrição e dietética - 10º ano - Restaurante bar.pptxPPT - nutrição e dietética - 10º ano - Restaurante bar.pptx
PPT - nutrição e dietética - 10º ano - Restaurante bar.pptx
 
transportenasplantas-profissional.pptx
transportenasplantas-profissional.pptxtransportenasplantas-profissional.pptx
transportenasplantas-profissional.pptx
 
Fluidos circulantes.pptx
Fluidos circulantes.pptxFluidos circulantes.pptx
Fluidos circulantes.pptx
 
Sistema linfático.pptx
Sistema linfático.pptxSistema linfático.pptx
Sistema linfático.pptx
 
11º PTAS- RESUMO Sistema urinário.pptx
11º PTAS- RESUMO Sistema urinário.pptx11º PTAS- RESUMO Sistema urinário.pptx
11º PTAS- RESUMO Sistema urinário.pptx
 
66 Recursos geológicos.pptx
66 Recursos geológicos.pptx66 Recursos geológicos.pptx
66 Recursos geológicos.pptx
 
odis11_geo_ppt_cap4.pptx
odis11_geo_ppt_cap4.pptxodis11_geo_ppt_cap4.pptx
odis11_geo_ppt_cap4.pptx
 
BIOL11 R. Mag.Aulanº2.pptx
BIOL11 R. Mag.Aulanº2.pptxBIOL11 R. Mag.Aulanº2.pptx
BIOL11 R. Mag.Aulanº2.pptx
 
BIOL_11_Aula1_20abril.pdf
BIOL_11_Aula1_20abril.pdfBIOL_11_Aula1_20abril.pdf
BIOL_11_Aula1_20abril.pdf
 
55 Fixismo e evolucionismo.pptx
55 Fixismo e evolucionismo.pptx55 Fixismo e evolucionismo.pptx
55 Fixismo e evolucionismo.pptx
 
54 Unicelularidade e multicelularidade.pptx
54 Unicelularidade e multicelularidade.pptx54 Unicelularidade e multicelularidade.pptx
54 Unicelularidade e multicelularidade.pptx
 
52 Reprodução sexuada.pptx
52 Reprodução sexuada.pptx52 Reprodução sexuada.pptx
52 Reprodução sexuada.pptx
 
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.pptfluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
 

odis11_bio_ppt_cap4.pptx

  • 1. O que é a filosofia? Reprodução sexuada
  • 2. Conceitos gerais • Na reprodução sexuada, os descendentes resultam de fecundação, ou seja, da fusão de duas células especializadas (os gâmetas portadores de DNA, normalmente de indivíduos diferentes). • Da união dos gâmetas – que são células haploides – resulta o ovo ou zigoto – célula diploide –, que possui o dobro dos cromossomas dos gâmetas.
  • 3. Meiose I Meiose II Cromatídios- irmãos Interfase Cromossomas homólogos Pontos de quiasma • O número de cromossomas e a sua estrutura mantêm-se ao longo das gerações, devido à ocorrência de meiose. • Neste processo ocorrem duas divisões consecutivas sem que ocorra interfase entre elas: meiose I – divisão reducional meiose II – divisão equacional • No final da divisão celular meiótica formam-se quatro células haploides, ou seja, com metade do número de cromossomas da célula inicial.
  • 4. Prófase I Metáfase I Anáfase I Telófase I Prófase II Metáfase II Anáfase II Telófase II Etapas da meiose • Emparelhamento dos cromossomas homólogos. • Formação dos pontos de quiasma. • Ocorrência de crossing-over. • Os bivalentes encontram-se ligados às fibras do fuso acromático. • Os pontos de quiasma formam a placa equatorial. • Os cromossomas de cada bivalente separam-se e ascendem para os polos opostos do fuso acromático. • Os cromossomas atingem os polos e descondensam. • Originam-se dois núcleos com metade dos cromossomas. • Os cromossomas condensam, forma-se o fuso, e o invólucro nuclear desaparece. • Os cromatídios dos cromossomas estão unidos pelos centrómeros que formam a placa equatorial. • Rompimento dos centrómeros e ascensão polar dos cromatídios de cada cromossoma. • Formam-se quatro núcleos haploides.
  • 5. Reprodução sexuada e variabilidade genética • Troca recíproca de segmentos dos cromatídios dos cromossomas de origem paterna e materna que constituem o bivalente. • Formação de cromossomas recombinados, com genes de origem materna e genes de origem paterna. Gene Cromossomas homólogos Ponto de quiasma Cromossomas recombinados Crossing-over
  • 6. Reprodução sexuada e variabilidade genética • Durante a metáfase I, cada bivalente dispõe-se de forma aleatória e independente na placa equatorial do fuso acromático. • Durante a anáfase I, ocorre, portanto, a separação independente dos cromossomas homólogos. Segregação aleatória dos cromossomas homólogos
  • 7. Reprodução sexuada e variabilidade genética • A união aleatória de um gâmeta masculino com um gâmeta feminino, de entre a enorme variedade destas células, faz com que a célula resultante da fecundação – o ovo ou zigoto – possua uma combinação única de genes. Fecundação
  • 8. Meiose e mitose Aspetos comparativos: Mitose Meiose Prófase Metáfase Anáfase Telófase 2n 2n Prófase I Metáfase I Anáfase I Telófase I n n n n Cromatídios-irmãos Meiose II
  • 9. • Alternância de fases nucleares, haploide e diploide. Ciclo de vida diplonte • A meiose ocorre antes da formação dos gâmetas (pré-gamética). • A diplófase é a fase nuclear mais desenvolvida e inclui o organismo adulto (diplonte). • A haplófase está reduzidas aos gâmetas.
  • 10. Ciclo de vida haplonte Tubo de conjugação Filamentos de espirogira (n) Germinação do zigoto Meiose Ovo ou zigoto Haplófase Diplófase • Alternância de fases nucleares haploide e diploide. • A haplófase é a fase nuclear mais desenvolvida e inclui o organismo adulto (haplonte). • A diplófase está reduzida ao zigoto. • A meiose ocorre no zigoto (pós-zigótica).
  • 11. • A meiose origina os esporos (pré-espórica). Meiose Fecundação Esporângio Esporos Esporângios Esporófito jovem Feto adulto (esporófito) Anterozoides Oosfera Protalo (gametófito) Diplófase Haplófase Zigoto Ciclo de vida haplodiplonte • Alternância de fases nucleares, haploide e diploide, desenvolvidas. • Alternância de uma geração esporófita, produtora de esporos, e de uma geração gametófita, produtora de gâmetas. • A estrutura mais desenvolvida da geração esporófita é o esporófito. • A estrutura multicelular mais desenvolvida da geração gametófita é o gametófito.
  • 12. Estratégias de reprodução e ciclos de vida • Espécies unissexuadas (melro-de-asa-vermelha) e hermafroditas (caracóis e lesmas) • Fecundação externa (rã-comum) e fecundação interna (joaninhas) Melro-de-asa-vermelha ( Agelaius phoeniceus ), macho e fêmea. Processo de acasalamento no caracol terrestre (Helix albescens). Acasalamento da rã-comum (Rana temporária). Acasalamento da joaninha (Coccinella septempunctata). Animais
  • 13. Estratégias de reprodução e ciclos de vida • Espécies unissexuadas (dioicas) e hermafroditas (monoicas) • Espécies com autopolinização e espécies com polinização cruzada • O aparecimento de sementes e de frutos permitiu às plantas aumentarem a sua capacidade de dispersão. Sementes de dente-de-leão (Taraxacum officinale) a serem transportadas pelo vento. Bulbul-de-peito-escamoso (Ixodia squamata) a comer um fruto, no interior do qual se encontram sementes que serão dispersas com as fezes. Fruto do coqueiro (Cocos nucifera) em germinação, flutuando em águas rasas. Plantas