SlideShare uma empresa Scribd logo
Energia Solar
Evolução do Sol O Sol formou-se à cerca de 4,57 bilhões (4,567 mil milhões) de anos atrás, quando uma nuvem molecular entrou em colapso. Dentro de 5 bilhões (5 mil milhões) de anos, o hidrogénio situado no núcleo, esgotará. Quando isto ocorrer, o Sol entrará em contracção devido à sua própria gravidade, elevando a temperatura do núcleo solar até 100 milhões de K, suficiente para iniciar a fusão nuclear de hélio, produzindo carbono.  O Sol irá originar uma gigante vermelha, que terá um raio máximo de 250 UA. A fusão de hélio sustentará o Sol por cerca de 100 milhões de anos. Quando este se esgotar, o Sol transformar-se-á numa Nebulosa Planetária. O seu núcleo permanecerá no espaço por biliões de anos e irá arrefecer gradualmente, permanecendo como uma Anã Branca, com aproximadamente metade da sua massa  actual. Este cenário de evolução é típico das estrelas de massa moderada ou baixa.
Consequências da evolução do sol Quando o Sol originar uma gigante vermelha, terá um raio máximo de 250 UA, o suficiente para “engolir” a Terra.  No entanto, tal provavelmente não acontecerá, uma vez que, devido aos ventos solares, a massa do Sol será reduzida em 30%, o que fará com que os planetas se afastem gradualmente deste. Tal acontecimento deveria ser suficiente para que a Terra não fosse “engolida”, mas devido às suas forças de Maré e à atracção gravitacional que estas originam, a Terra será provavelmente engolida. Por outro lado, se a Terra não for “engolida” pelo Sol, as altas temperaturas resultantes das reacções farão com que a água no estado líquido se evapore e com que a sua atmosfera se escape para o espaço.
O Sol na Via Láctea O Sol orbita em torno do centro da Via Láctea, atravessando a Nuvem Interestelar Local no interior do Braço de Órion e a sua velocidade orbital é da ordem dos 251 km/s.        Das 50 estrelas mais próximas do Sistema Solar, num raio de até 17 anos-luz da Terra, o Sol é a quarta maior em massa. É composto maioritariamente por hidrogénio (74% de sua massa) e hélio (24% da massa solar), com vestígios de outros elementos: ferro, níquel, oxigénio, silício, enxofre, magnésio, néon, cálcio e crómio.
O Solé a estrela central do Sistema Solar,responsável por 99,86% da massa deste. Esta fonte de energia possui uma massa 332 900 vezes maior que a da Terra, e um volume 1 300 000 vezes maior que o do nosso planeta. A distância do Sol à Terra é 1 UA (unidade astronómica), ou seja, 1,5 x 108 km
As Características do Sol O Sol não tem uma superfície bem definida como os planetas rochosos.  O interior solar possui três regiões diferentes: o núcleo, onde se produzem as reacções nucleares, nomeadamente fusão nuclear; a zona radioactiva e a zona de convecção. Tem uma estrutura interna diferenciada.   A coroa solar é a atmosfera externa do Sol, que é muito maior em volume do que o Sol propriamente dito. A coroa expande continuamente no espaço, formando o vento solar. A temperatura à superfície do Sol é, aproximadamente, 5 780 K, ou seja,   5506,85 °C. A camada mais fria do Sol é a região de temperatura mínima, que possui uma temperatura de 4 100 K, ou seja, 3826,85 °C.
 A energia do Sol também é responsável pelos fenómenos meteorológicos e o clima na Terra, assim como, pela realização da fotossíntese por parte dos seres autotróficos. A cada segundo, mais de 4 milhões de toneladas de matéria são convertidas em energia dentro do centro solar, produzindo neutrinos e radiação solar.
ENERGIA SOLAR
A luz solar é a principal fonte de energia da Terra.  A luz solar é indispensável para a manutenção da vida na Terra, sendo responsável pela manutenção de água no estado líquido. A manifestação de energia associada ao Sol é a energia solar.
Entende-se por energia solar, qualquer tipo de radiação emitida pelo Sol e a posterior transformação dessa energia em alguma forma utilizável pelo Homem.  É considerada um recurso energético renovável.
A energia solar pode ser aproveitada para :  Produção de electricidade ;  Aquecimento.
A energia solar pode ser aproveitada em todo o mundo a diferentes níveis, conforme a localização geográfica de cada país.  Portugal tem uma excelente localização geográfica para poder recorrer a este tipo de energia, pois é o país europeu com mais horas de Sol. Quanto mais perto do Equador é um país , mais energia solar pode ser captada.
MÉTODOS DE CAPTAÇÃO DE ENERGIA SOLAR Métodos Directos. Exemplos:  ,[object Object]
A energia solar atinge uma superfície escura e é transformada em calor, que aquecerá uma quantidade de água (colectores solares). Há apenas uma transformação para fazer da energia solar um tipo de energia utilizável pelo Homem.
Métodos Indirectos. Precisará de mais de uma transformação para que surja energia utilizável pelo Homem.  Exemplo:  ,[object Object],[object Object]
Os colectores solares são, geralmente, planos.  Tem uma cobertura transparente – vidro. As características do vidro devem ter a alta capacidade de penetração de raios solares e a baixa capacidade de os reflectir do interior para o exterior do painel, aumentando assim a temperatura no seu interior.  Tem também uma placa de absorção – onde está soldada uma serpentina de tubos – e uma caixa isolada para evitar perdas  de calor e é bastante resistente para proteger o colector dos agentes externos.  Há também uma placa reflectora constituída por metais como alumínio ou cobre.
Funcionamento de um colector solar A radiação solar incide no vidro da cobertura e depois propaga-se até atingir a placa absorsora e esta aquece. A placa aquecida emite radiação menos energética, em que uma parte não consegue atravessar o vidro e fica retida na caixa do colector. A temperatura da placa absorsora irá aumentar, e esta, por sua vez, irá transferir energia sob a forma de calor para a serpentina de tubos com o fluido que se encontra por baixo, até que se atinja o equilíbrio térmico entre o metal e o fluido no interior dos tubos de cobre.  Como o fluído é menos denso, irá subir até ao depósito que contém a água da casa. Ao passar no seu interior, o fluido irá transferir energia sob a forma de calor para a água no depósito. Esta, por sua vez, será utilizada na casa para as variadas tarefas. Após esta transferência, o fluido terá arrefecido, ficando mais denso e descendo de volta ao colector, onde reiniciará o seu ciclo. O fluido que circula na serpentina , pode facilmente atingir 60ºC.
Vantagens Utiliza energia renovável e aquece a água a custo zero. Os painéis solares são a cada dia que passa mais potentes e ao mesmo tempo, o seu custo tem vindo a diminuir. Tal facto, tem vindo a tornar a energia solar uma solução economicamente viável.  A manutenção das centrais solares é muito simples e económica.
Desvantagens Existe variação nas quantidades produzidas de acordo com a situação climatérica (chuvas, neve), além de que durante a noite não existe produção alguma, o que obriga a que existam meios de armazenamento da energia produzida durante o dia. Locais em latitudes médias e altas (Ex: Finlândia, Islândia, Nova Zelândia, Sul da Argentina e Chile) sofrem quedas bruscas de produção durante os meses de Inverno. Os painéis solares têm um rendimento de apenas 25%, em comparação com outras fontes de energia, como o petróleo, o gás natural e o carvão.
PAINeISFOTOVOLTAICOS Os PaineisFotovoltaicos são constituídos por constituídos por células solares.  A função de uma célula solar consiste em converter directamente energia solar em energia eléctrica. A forma mais comum de as células solares o fazerem é através do efeito fotovoltaico, para absorver a energia do sol e fazem a corrente eléctrica fluir entre duas camadas com cargas opostas.
Principais aplicações de paineisfotovoltaicos ,[object Object]
Iluminação exterior.
Sinalização. ,[object Object]
 O esquema da figura anterior representa uma célula fotovoltaica de silício. ,[object Object]
Gera-se assim um fluxo de electrões (corrente eléctrica) na conexão. Enquanto a luz continuar a incidir na célula, o fluxo de electrões manter-se-á.
 A intensidade da corrente gerada variará proporcionalmente conforme a intensidade da luz incidente.
 Cada módulo fotovoltaico é formado por uma quantidade de células conectadas em série. Ao unir-se a camada negativa de uma célula com a camada positiva da seguinte os electrões fluem através dos condutores de uma célula para a outra. Este fluxo repete-se até chegar à última célula do módulo, da qual fluem para o acumulador ou bateria. ,[object Object]
O cabo de interconexão entre módulo e bateria contem o fluxo, de modo que quando um electrão abandona a última célula do módulo e encaminha-se para a bateria, outro electrão entra na primeira célula a partir da bateria.
 É por isso que se considera inesgotável um dispositivo fotovoltaico. Produz energia eléctrica em resposta à energia luminosa que entra no mesmo. Deve-se esclarecer que uma célula fotovoltaica não pode armazenar energia eléctrica.
Vantagens  Não consome combustível.  Não produz poluição nem contaminação ambiental. É silencioso.  É resistente a situações climatéricas extremas.  Exige pouca manutenção.

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
Felipe Weizenmann
 
Energia Solar - Seminário de Ciências do Ambiente
Energia Solar - Seminário de Ciências do AmbienteEnergia Solar - Seminário de Ciências do Ambiente
Energia Solar - Seminário de Ciências do Ambiente
Aryelle Azevedo
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
Carlos Elson Cunha
 
Como é constituido o sol
Como é constituido o solComo é constituido o sol
Como é constituido o sol
vanessagomes216
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
eduardosalgdo
 
Energia Solar
Energia SolarEnergia Solar
Energia Solar
guestcace43
 
G6 energia solar
G6   energia solarG6   energia solar
G6 energia solar
cristbarb
 
O sol (nossa estrela)
O sol (nossa estrela)O sol (nossa estrela)
O sol (nossa estrela)
Pablo Nathan
 
Cruzadinha astronomia
Cruzadinha astronomiaCruzadinha astronomia
Cruzadinha astronomia
José Junior
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
walder_tt
 
Energia Solar
Energia SolarEnergia Solar
Energia Solar
Voltaicas
 
Quadriláteros
QuadriláterosQuadriláteros
Quadriláteros
alcanena
 
Introdução a energia solar fotovoltaica
Introdução a energia solar fotovoltaicaIntrodução a energia solar fotovoltaica
Introdução a energia solar fotovoltaica
Robson Josué Molgaro
 
âNgulos lista 1 a 8
âNgulos   lista 1 a 8âNgulos   lista 1 a 8
âNgulos lista 1 a 8
marina_cordova
 
O mundos dos Quadriláteros
O mundos dos QuadriláterosO mundos dos Quadriláteros
O mundos dos Quadriláteros
Projecto Alunos Inovadores
 
O Sistema Solar: Planetas, Sol e Lua
O Sistema Solar: Planetas, Sol e LuaO Sistema Solar: Planetas, Sol e Lua
O Sistema Solar: Planetas, Sol e Lua
Nayara Silva
 
Aula 21 composição sistema solar
Aula 21   composição sistema solarAula 21   composição sistema solar
Aula 21 composição sistema solar
Liliane Morgado
 
Atividade geografia
Atividade geografiaAtividade geografia
Atividade geografia
Núbia Maciel
 
Quadriláteros - Professora Renata
Quadriláteros - Professora RenataQuadriláteros - Professora Renata
Quadriláteros - Professora Renata
Renata Matos
 
Energia Solar Powerpoint
Energia Solar PowerpointEnergia Solar Powerpoint
Energia Solar Powerpointkravmagense
 

Destaque (20)

Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 
Energia Solar - Seminário de Ciências do Ambiente
Energia Solar - Seminário de Ciências do AmbienteEnergia Solar - Seminário de Ciências do Ambiente
Energia Solar - Seminário de Ciências do Ambiente
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 
Como é constituido o sol
Como é constituido o solComo é constituido o sol
Como é constituido o sol
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 
Energia Solar
Energia SolarEnergia Solar
Energia Solar
 
G6 energia solar
G6   energia solarG6   energia solar
G6 energia solar
 
O sol (nossa estrela)
O sol (nossa estrela)O sol (nossa estrela)
O sol (nossa estrela)
 
Cruzadinha astronomia
Cruzadinha astronomiaCruzadinha astronomia
Cruzadinha astronomia
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 
Energia Solar
Energia SolarEnergia Solar
Energia Solar
 
Quadriláteros
QuadriláterosQuadriláteros
Quadriláteros
 
Introdução a energia solar fotovoltaica
Introdução a energia solar fotovoltaicaIntrodução a energia solar fotovoltaica
Introdução a energia solar fotovoltaica
 
âNgulos lista 1 a 8
âNgulos   lista 1 a 8âNgulos   lista 1 a 8
âNgulos lista 1 a 8
 
O mundos dos Quadriláteros
O mundos dos QuadriláterosO mundos dos Quadriláteros
O mundos dos Quadriláteros
 
O Sistema Solar: Planetas, Sol e Lua
O Sistema Solar: Planetas, Sol e LuaO Sistema Solar: Planetas, Sol e Lua
O Sistema Solar: Planetas, Sol e Lua
 
Aula 21 composição sistema solar
Aula 21   composição sistema solarAula 21   composição sistema solar
Aula 21 composição sistema solar
 
Atividade geografia
Atividade geografiaAtividade geografia
Atividade geografia
 
Quadriláteros - Professora Renata
Quadriláteros - Professora RenataQuadriláteros - Professora Renata
Quadriláteros - Professora Renata
 
Energia Solar Powerpoint
Energia Solar PowerpointEnergia Solar Powerpoint
Energia Solar Powerpoint
 

Semelhante a O Sol 10º D

2002 g6 energia solar
2002 g6 energia solar2002 g6 energia solar
2002 g6 energia solar
cristbarb
 
Paineis Fotovotaicos 10o A
Paineis Fotovotaicos 10o APaineis Fotovotaicos 10o A
Paineis Fotovotaicos 10o A
guest7bb4ab
 
Paineis Fotovotaicos 10o A
Paineis Fotovotaicos 10o APaineis Fotovotaicos 10o A
Paineis Fotovotaicos 10o A
guest15dcbf
 
Deivid Dieison Felipee Jhonathan
Deivid Dieison Felipee JhonathanDeivid Dieison Felipee Jhonathan
Deivid Dieison Felipee Jhonathan
mariaarabel
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia origemeefeitos
Energia origemeefeitosEnergia origemeefeitos
Energia origemeefeitos
Petroleoecologia
 
Energia solar fotovoltaica
Energia solar fotovoltaicaEnergia solar fotovoltaica
Energia solar fotovoltaica
Fernando Teixeira
 
Sol - 10º E
Sol - 10º ESol - 10º E
Sol - 10º E
Física Química A
 
Energias renovaveis 30-06
Energias renovaveis 30-06Energias renovaveis 30-06
Energias renovaveis 30-06
Jaqueline Soares
 
Tutorial Energia solar 2006
Tutorial Energia solar 2006Tutorial Energia solar 2006
Tutorial Energia solar 2006
Clodomiro Unsihuay Vila
 
Tcc jeferson texto
Tcc jeferson  textoTcc jeferson  texto
Tcc jeferson texto
edsondps2019
 
8.Fontes convencionais e alternativas de energia.pdf
8.Fontes convencionais e alternativas de energia.pdf8.Fontes convencionais e alternativas de energia.pdf
8.Fontes convencionais e alternativas de energia.pdf
BrunaSilveira74
 
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001Astronomia e astrof´+¢sica parte 001
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001
Thommas Kevin
 
Origem dos elementos químicos
Origem dos elementos químicosOrigem dos elementos químicos
Origem dos elementos químicos
ct-esma
 
Objetos estelares
Objetos estelaresObjetos estelares
Objetos estelares
Ana Paula Roldão
 
Tópico 2 o sol e as fontes de energia
Tópico 2   o sol e as fontes de energiaTópico 2   o sol e as fontes de energia
Tópico 2 o sol e as fontes de energia
O mundo da FÍSICA
 
A biosfera
A biosferaA biosfera
A biosfera
Niepson Arruda
 
2015. aula 2 xviii oba terra
2015. aula 2 xviii oba terra2015. aula 2 xviii oba terra
2015. aula 2 xviii oba terra
Instituto Iprodesc
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
anacarolina05
 
Radiação Solar - Factores Explicativos e a sua Variação Espacial
Radiação Solar - Factores Explicativos e a sua Variação Espacial Radiação Solar - Factores Explicativos e a sua Variação Espacial
Radiação Solar - Factores Explicativos e a sua Variação Espacial
Patricia Martins
 

Semelhante a O Sol 10º D (20)

2002 g6 energia solar
2002 g6 energia solar2002 g6 energia solar
2002 g6 energia solar
 
Paineis Fotovotaicos 10o A
Paineis Fotovotaicos 10o APaineis Fotovotaicos 10o A
Paineis Fotovotaicos 10o A
 
Paineis Fotovotaicos 10o A
Paineis Fotovotaicos 10o APaineis Fotovotaicos 10o A
Paineis Fotovotaicos 10o A
 
Deivid Dieison Felipee Jhonathan
Deivid Dieison Felipee JhonathanDeivid Dieison Felipee Jhonathan
Deivid Dieison Felipee Jhonathan
 
Energia solar
Energia solarEnergia solar
Energia solar
 
Energia origemeefeitos
Energia origemeefeitosEnergia origemeefeitos
Energia origemeefeitos
 
Energia solar fotovoltaica
Energia solar fotovoltaicaEnergia solar fotovoltaica
Energia solar fotovoltaica
 
Sol - 10º E
Sol - 10º ESol - 10º E
Sol - 10º E
 
Energias renovaveis 30-06
Energias renovaveis 30-06Energias renovaveis 30-06
Energias renovaveis 30-06
 
Tutorial Energia solar 2006
Tutorial Energia solar 2006Tutorial Energia solar 2006
Tutorial Energia solar 2006
 
Tcc jeferson texto
Tcc jeferson  textoTcc jeferson  texto
Tcc jeferson texto
 
8.Fontes convencionais e alternativas de energia.pdf
8.Fontes convencionais e alternativas de energia.pdf8.Fontes convencionais e alternativas de energia.pdf
8.Fontes convencionais e alternativas de energia.pdf
 
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001Astronomia e astrof´+¢sica parte 001
Astronomia e astrof´+¢sica parte 001
 
Origem dos elementos químicos
Origem dos elementos químicosOrigem dos elementos químicos
Origem dos elementos químicos
 
Objetos estelares
Objetos estelaresObjetos estelares
Objetos estelares
 
Tópico 2 o sol e as fontes de energia
Tópico 2   o sol e as fontes de energiaTópico 2   o sol e as fontes de energia
Tópico 2 o sol e as fontes de energia
 
A biosfera
A biosferaA biosfera
A biosfera
 
2015. aula 2 xviii oba terra
2015. aula 2 xviii oba terra2015. aula 2 xviii oba terra
2015. aula 2 xviii oba terra
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
Radiação Solar - Factores Explicativos e a sua Variação Espacial
Radiação Solar - Factores Explicativos e a sua Variação Espacial Radiação Solar - Factores Explicativos e a sua Variação Espacial
Radiação Solar - Factores Explicativos e a sua Variação Espacial
 

Mais de Física Química A

Carvão - 10º E
Carvão - 10º ECarvão - 10º E
Carvão - 10º E
Física Química A
 
Ondas e Marés - 10º C
Ondas e Marés - 10º COndas e Marés - 10º C
Ondas e Marés - 10º C
Física Química A
 
Petróleo e gás natural - 10º C
Petróleo e gás natural - 10º CPetróleo e gás natural - 10º C
Petróleo e gás natural - 10º C
Física Química A
 
Carvão - 10º C
Carvão - 10º CCarvão - 10º C
Carvão - 10º C
Física Química A
 
Vento - 10º C
Vento - 10º CVento - 10º C
Vento - 10º C
Física Química A
 
Urânio - 10º C
Urânio - 10º CUrânio - 10º C
Urânio - 10º C
Física Química A
 
Matéria orgânica em decomposição - 10º C
Matéria orgânica em decomposição - 10º CMatéria orgânica em decomposição - 10º C
Matéria orgânica em decomposição - 10º C
Física Química A
 
Água - 10º C
Água - 10º CÁgua - 10º C
Água - 10º C
Física Química A
 
Vento - 10º B
Vento - 10º BVento - 10º B
Vento - 10º B
Física Química A
 
Urânio - 10º B
Urânio - 10º BUrânio - 10º B
Urânio - 10º B
Física Química A
 
Sol - 10º B
Sol - 10º BSol - 10º B
Sol - 10º B
Física Química A
 
Petróleo e Gás Natural - 10º B
Petróleo e Gás Natural - 10º BPetróleo e Gás Natural - 10º B
Petróleo e Gás Natural - 10º B
Física Química A
 
Ondas e Marés - 10º B
Ondas e Marés - 10º BOndas e Marés - 10º B
Ondas e Marés - 10º B
Física Química A
 
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º BMatéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Física Química A
 
Carvão - 10º B
Carvão - 10º BCarvão - 10º B
Carvão - 10º B
Física Química A
 
Água - 10º B
Água - 10º BÁgua - 10º B
Água - 10º B
Física Química A
 
Urânio - 10º A
Urânio - 10º AUrânio - 10º A
Urânio - 10º A
Física Química A
 
Petróleo e Gás Natural - 10º A
Petróleo e Gás Natural - 10º APetróleo e Gás Natural - 10º A
Petróleo e Gás Natural - 10º A
Física Química A
 
Ondas e Marés - 10º A
Ondas e Marés - 10º AOndas e Marés - 10º A
Ondas e Marés - 10º A
Física Química A
 
Vento - 10º A
Vento - 10º AVento - 10º A
Vento - 10º A
Física Química A
 

Mais de Física Química A (20)

Carvão - 10º E
Carvão - 10º ECarvão - 10º E
Carvão - 10º E
 
Ondas e Marés - 10º C
Ondas e Marés - 10º COndas e Marés - 10º C
Ondas e Marés - 10º C
 
Petróleo e gás natural - 10º C
Petróleo e gás natural - 10º CPetróleo e gás natural - 10º C
Petróleo e gás natural - 10º C
 
Carvão - 10º C
Carvão - 10º CCarvão - 10º C
Carvão - 10º C
 
Vento - 10º C
Vento - 10º CVento - 10º C
Vento - 10º C
 
Urânio - 10º C
Urânio - 10º CUrânio - 10º C
Urânio - 10º C
 
Matéria orgânica em decomposição - 10º C
Matéria orgânica em decomposição - 10º CMatéria orgânica em decomposição - 10º C
Matéria orgânica em decomposição - 10º C
 
Água - 10º C
Água - 10º CÁgua - 10º C
Água - 10º C
 
Vento - 10º B
Vento - 10º BVento - 10º B
Vento - 10º B
 
Urânio - 10º B
Urânio - 10º BUrânio - 10º B
Urânio - 10º B
 
Sol - 10º B
Sol - 10º BSol - 10º B
Sol - 10º B
 
Petróleo e Gás Natural - 10º B
Petróleo e Gás Natural - 10º BPetróleo e Gás Natural - 10º B
Petróleo e Gás Natural - 10º B
 
Ondas e Marés - 10º B
Ondas e Marés - 10º BOndas e Marés - 10º B
Ondas e Marés - 10º B
 
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º BMatéria Orgânica em Decomposição - 10º B
Matéria Orgânica em Decomposição - 10º B
 
Carvão - 10º B
Carvão - 10º BCarvão - 10º B
Carvão - 10º B
 
Água - 10º B
Água - 10º BÁgua - 10º B
Água - 10º B
 
Urânio - 10º A
Urânio - 10º AUrânio - 10º A
Urânio - 10º A
 
Petróleo e Gás Natural - 10º A
Petróleo e Gás Natural - 10º APetróleo e Gás Natural - 10º A
Petróleo e Gás Natural - 10º A
 
Ondas e Marés - 10º A
Ondas e Marés - 10º AOndas e Marés - 10º A
Ondas e Marés - 10º A
 
Vento - 10º A
Vento - 10º AVento - 10º A
Vento - 10º A
 

O Sol 10º D

  • 2. Evolução do Sol O Sol formou-se à cerca de 4,57 bilhões (4,567 mil milhões) de anos atrás, quando uma nuvem molecular entrou em colapso. Dentro de 5 bilhões (5 mil milhões) de anos, o hidrogénio situado no núcleo, esgotará. Quando isto ocorrer, o Sol entrará em contracção devido à sua própria gravidade, elevando a temperatura do núcleo solar até 100 milhões de K, suficiente para iniciar a fusão nuclear de hélio, produzindo carbono. O Sol irá originar uma gigante vermelha, que terá um raio máximo de 250 UA. A fusão de hélio sustentará o Sol por cerca de 100 milhões de anos. Quando este se esgotar, o Sol transformar-se-á numa Nebulosa Planetária. O seu núcleo permanecerá no espaço por biliões de anos e irá arrefecer gradualmente, permanecendo como uma Anã Branca, com aproximadamente metade da sua massa actual. Este cenário de evolução é típico das estrelas de massa moderada ou baixa.
  • 3. Consequências da evolução do sol Quando o Sol originar uma gigante vermelha, terá um raio máximo de 250 UA, o suficiente para “engolir” a Terra. No entanto, tal provavelmente não acontecerá, uma vez que, devido aos ventos solares, a massa do Sol será reduzida em 30%, o que fará com que os planetas se afastem gradualmente deste. Tal acontecimento deveria ser suficiente para que a Terra não fosse “engolida”, mas devido às suas forças de Maré e à atracção gravitacional que estas originam, a Terra será provavelmente engolida. Por outro lado, se a Terra não for “engolida” pelo Sol, as altas temperaturas resultantes das reacções farão com que a água no estado líquido se evapore e com que a sua atmosfera se escape para o espaço.
  • 4. O Sol na Via Láctea O Sol orbita em torno do centro da Via Láctea, atravessando a Nuvem Interestelar Local no interior do Braço de Órion e a sua velocidade orbital é da ordem dos 251 km/s. Das 50 estrelas mais próximas do Sistema Solar, num raio de até 17 anos-luz da Terra, o Sol é a quarta maior em massa. É composto maioritariamente por hidrogénio (74% de sua massa) e hélio (24% da massa solar), com vestígios de outros elementos: ferro, níquel, oxigénio, silício, enxofre, magnésio, néon, cálcio e crómio.
  • 5. O Solé a estrela central do Sistema Solar,responsável por 99,86% da massa deste. Esta fonte de energia possui uma massa 332 900 vezes maior que a da Terra, e um volume 1 300 000 vezes maior que o do nosso planeta. A distância do Sol à Terra é 1 UA (unidade astronómica), ou seja, 1,5 x 108 km
  • 6. As Características do Sol O Sol não tem uma superfície bem definida como os planetas rochosos. O interior solar possui três regiões diferentes: o núcleo, onde se produzem as reacções nucleares, nomeadamente fusão nuclear; a zona radioactiva e a zona de convecção. Tem uma estrutura interna diferenciada. A coroa solar é a atmosfera externa do Sol, que é muito maior em volume do que o Sol propriamente dito. A coroa expande continuamente no espaço, formando o vento solar. A temperatura à superfície do Sol é, aproximadamente, 5 780 K, ou seja, 5506,85 °C. A camada mais fria do Sol é a região de temperatura mínima, que possui uma temperatura de 4 100 K, ou seja, 3826,85 °C.
  • 7. A energia do Sol também é responsável pelos fenómenos meteorológicos e o clima na Terra, assim como, pela realização da fotossíntese por parte dos seres autotróficos. A cada segundo, mais de 4 milhões de toneladas de matéria são convertidas em energia dentro do centro solar, produzindo neutrinos e radiação solar.
  • 9. A luz solar é a principal fonte de energia da Terra. A luz solar é indispensável para a manutenção da vida na Terra, sendo responsável pela manutenção de água no estado líquido. A manifestação de energia associada ao Sol é a energia solar.
  • 10. Entende-se por energia solar, qualquer tipo de radiação emitida pelo Sol e a posterior transformação dessa energia em alguma forma utilizável pelo Homem. É considerada um recurso energético renovável.
  • 11. A energia solar pode ser aproveitada para : Produção de electricidade ; Aquecimento.
  • 12. A energia solar pode ser aproveitada em todo o mundo a diferentes níveis, conforme a localização geográfica de cada país. Portugal tem uma excelente localização geográfica para poder recorrer a este tipo de energia, pois é o país europeu com mais horas de Sol. Quanto mais perto do Equador é um país , mais energia solar pode ser captada.
  • 13.
  • 14. A energia solar atinge uma superfície escura e é transformada em calor, que aquecerá uma quantidade de água (colectores solares). Há apenas uma transformação para fazer da energia solar um tipo de energia utilizável pelo Homem.
  • 15.
  • 16. Os colectores solares são, geralmente, planos. Tem uma cobertura transparente – vidro. As características do vidro devem ter a alta capacidade de penetração de raios solares e a baixa capacidade de os reflectir do interior para o exterior do painel, aumentando assim a temperatura no seu interior. Tem também uma placa de absorção – onde está soldada uma serpentina de tubos – e uma caixa isolada para evitar perdas de calor e é bastante resistente para proteger o colector dos agentes externos. Há também uma placa reflectora constituída por metais como alumínio ou cobre.
  • 17.
  • 18. Funcionamento de um colector solar A radiação solar incide no vidro da cobertura e depois propaga-se até atingir a placa absorsora e esta aquece. A placa aquecida emite radiação menos energética, em que uma parte não consegue atravessar o vidro e fica retida na caixa do colector. A temperatura da placa absorsora irá aumentar, e esta, por sua vez, irá transferir energia sob a forma de calor para a serpentina de tubos com o fluido que se encontra por baixo, até que se atinja o equilíbrio térmico entre o metal e o fluido no interior dos tubos de cobre. Como o fluído é menos denso, irá subir até ao depósito que contém a água da casa. Ao passar no seu interior, o fluido irá transferir energia sob a forma de calor para a água no depósito. Esta, por sua vez, será utilizada na casa para as variadas tarefas. Após esta transferência, o fluido terá arrefecido, ficando mais denso e descendo de volta ao colector, onde reiniciará o seu ciclo. O fluido que circula na serpentina , pode facilmente atingir 60ºC.
  • 19. Vantagens Utiliza energia renovável e aquece a água a custo zero. Os painéis solares são a cada dia que passa mais potentes e ao mesmo tempo, o seu custo tem vindo a diminuir. Tal facto, tem vindo a tornar a energia solar uma solução economicamente viável. A manutenção das centrais solares é muito simples e económica.
  • 20. Desvantagens Existe variação nas quantidades produzidas de acordo com a situação climatérica (chuvas, neve), além de que durante a noite não existe produção alguma, o que obriga a que existam meios de armazenamento da energia produzida durante o dia. Locais em latitudes médias e altas (Ex: Finlândia, Islândia, Nova Zelândia, Sul da Argentina e Chile) sofrem quedas bruscas de produção durante os meses de Inverno. Os painéis solares têm um rendimento de apenas 25%, em comparação com outras fontes de energia, como o petróleo, o gás natural e o carvão.
  • 21. PAINeISFOTOVOLTAICOS Os PaineisFotovoltaicos são constituídos por constituídos por células solares. A função de uma célula solar consiste em converter directamente energia solar em energia eléctrica. A forma mais comum de as células solares o fazerem é através do efeito fotovoltaico, para absorver a energia do sol e fazem a corrente eléctrica fluir entre duas camadas com cargas opostas.
  • 22.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27. Gera-se assim um fluxo de electrões (corrente eléctrica) na conexão. Enquanto a luz continuar a incidir na célula, o fluxo de electrões manter-se-á.
  • 28. A intensidade da corrente gerada variará proporcionalmente conforme a intensidade da luz incidente.
  • 29.
  • 30. O cabo de interconexão entre módulo e bateria contem o fluxo, de modo que quando um electrão abandona a última célula do módulo e encaminha-se para a bateria, outro electrão entra na primeira célula a partir da bateria.
  • 31. É por isso que se considera inesgotável um dispositivo fotovoltaico. Produz energia eléctrica em resposta à energia luminosa que entra no mesmo. Deve-se esclarecer que uma célula fotovoltaica não pode armazenar energia eléctrica.
  • 32. Vantagens Não consome combustível. Não produz poluição nem contaminação ambiental. É silencioso. É resistente a situações climatéricas extremas. Exige pouca manutenção.
  • 33. desvantagens Necessidade de tecnologia avançada para o fabrico dos módulos. Baixo apoio fiscal. Custo de investimento elevado. Rendimento das células reduzido.
  • 35. A maior central fotovoltaica do mundo esta instalada em Portugal, no Alentejo. Tem 350 000 painéis solares com 262 080 módulos fotovoltaicos, distribuidos por 114 hectares. Produz anualmente 88 GW h. Esta construção reduzirá em 60 000 toneladas anuais a emissão de dióxido de carbono.
  • 36. Bibliografia http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20090608173121AA3hb2n http://pt.wikipedia.org/wiki/Sol http://symbolom.com.br/wp/wp-content/uploads/2010/01/sol.jpg http://amandovoce.files.wordpress.com/2008/05/sol1.jpg http://www.scribd.com/doc/4696/Curso-de-energia-solar-fotovoltaica http://sites.google.com/site/engenhariaeficiente/1773627686_5315a23d33.jpg http://pt.wikipedia.org/wiki/Coletor_solar http://www.aguaquentesolar.com/publicacoes/9/domestico.pdf http://images.google.pt/images?um=1&hl=pt-PT&tbs=isch:1&q=%22sol%22&sa=N&start=21&ndsp=21 http://images.google.pt/images?um=1&hl=pt-PT&tbs=isch%3A1&sa=1&q=energia+solar&aq=f&aqi=g4&aql=&oq=&gs_rfai=&start=0
  • 37. Disciplina: Física e Química A Professor: Nuno Câmara Manoel Trabalho realizado por: Marcela Gomes, nº16, 10ºD Rute Abreu, nº23, 10ºD Cristina Silva, nº26, 10ºD