SlideShare uma empresa Scribd logo
Mineração no Brasil
Prof. Paulohttp://prof-paulo-geografia.blogspot.com.br/
O Que São Rochas?
Rochas são definidas como quaisquer agregados
naturais sólidos, compostos de um ou mais minerais,
e constituem parte essencial da crosta terrestre.
O Que São Minerais?
Mineral é um corpo natural sólido e cristalino formado
em resultado da integração de processos físico-
químicos em ambientes geológicos. Cada mineral é
classificado e denominado não apenas com base na
sua composição química, mas também na estrutura
cristalina dos materiais que o compõem.
Pirita: Conhecido como ''ouro dos tolos'', esse mineral metálico
amarelo é composto de ferro e enxofre.
Os minerais são
classificados em
metálicos (ferro,
manganês, alumínio
etc.) e não metálicos
(fosfatos, nitratos,
enxofre, cloreto de
sódio etc.).
Minério, portanto, é uma rocha ou mineral dos quais
são extraídas substâncias valiosas, como o ouro, o
ferro, o cobre, o diamante.
Quartzo – usado na fabricação de vidros
resistentes ao calor, células solares e
microchips.
Grafite – Serve para fazer minas de lápis
O Que e Minério?
Austrália,Canadá,EUA,RússiaeBrasil
Éo8ºeminvestimento
Chile,20%doPIB
Brasil,5%doPIB
5 PaísesComMaior Potencialde
DescobertasMinerais:
Reservas abundantes
Ferro,manganês,cassiterita,níquel,bauxita,cristalderocha,
zircônio,berilo,Magnesita,calcário,sal-gemaetório
Reservas suficientes
Ouro,cobre,zinco,potássio,petróleo,fluoritaexisto
Reservas deficientes
Chumbo,prata,platina,antimônio,cromo,tungstênio,
enxofre,carvãoegásnatural
Áreas Mineralógicas do Brasil
Minério de Ferro
 O Brasil apresenta grandes jazidas de minério de
ferro, localizadas em terrenos pré-cambrianos.
 Calcula-se que existam cerca de 28 bilhões de
toneladas em reservas de minério de ferro em nosso
território.
Os principais produtores de minério de ferro (2007)
Minério de Ferro
Os principais minérios de ferro encontrados no
Brasil são:
 Hematita e magnetita (óxidos de ferro), teor de
mais de 60%
 Limonita, teor entre 50% e 60%
 Siderita (carbonato ferroso), teor médio de cerca
de 48%
 Pirita (bissulfeto de ferro), explorada para
aproveitamento do enxofre
Minas Gerais
 A produção do Quadrilátero Ferrífero destina-se
às usinas siderúrgicas da região e ao mercado externo,
para o qual são exportados cerca de 50% da produção
obtida.
 Os principais compradores no exterior são países da
Europa ocidental e o Japão.
 A Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) é a maior
exportadora desse produto do mundo.
Minas Gerais
Quadrilátero
ferrífero (MG)
Principal região
de exploração
de minério de
ferro do país
Manganês,
cobre, níquel,
bauxita e
cassiterita
Mato Grosso do Sul
 As jazidas de minério de ferro desse estado possuem teor
médio de 60% e localizam-se no Pantanal
mato-grossense, onde também existem jazidas de minério
de manganês.
 Em virtude da distância e da falta de meios de transporte
para os principais centros consumidores, além da pequena
utilização in loco, a produção é modesta, sendo escoada em
chatas pelo rio Paraguai, para abastecer os países do
Mercosul.
Hidrovia do Rio Paraguai.
Pará
 A Vale do Rio Doce explora o minério de ferro de
Carajás, destinado a abastecer um consórcio de
indústrias japonesas criado para a importação do
produto.
 A companhia produz minério metalúrgico (manganês)
para ligas de ferro, dióxido de manganês para a
fabricação de baterias elétricas e minério para as
indústrias química, cerâmica, de fertilizantes e
de pesticidas.
 O Projeto Grande Carajás faz o aproveitamento do
minério de manganês, do cobre e da bauxita.
O Projeto Grande Carajás
Projetosde
colonizaçãoe
incentivosaos
empreendime
ntos
agrominerais
naAmazônia
(1960)
Voltadospara
mineração,
metalurgia,
agricultura,
reflorestament
oepecuária
(1979)
Bauxita
 O Brasil ocupa o terceiro lugar entre os maiores produtores
de bauxita, respondendo por 12% do total mundial.
 As principais jazidas de bauxita do Brasil são a de
Paragominas e a do vale do rio Trombetas (PA).
Mineração de bauxita no vale
do rio Trombetas, Pará
Alumínio
Minériodebauxitaéafonteparaobteralumínio
China,Rússia,Canadá,EstadosUnidoseAustrália
Minérios de Manganês
 O Brasil possui a segunda maior reserva do minério e é o seu
segundo maior produtor, com 10% do total mundial.
 As principais áreas de ocorrência e produção são: Minas
Gerais (Quadrilátero Ferrífero), Mato Grosso do Sul (maciço
do Urucum) e Pará (serra dos Carajás).
Manganês
Importanteparaa
industrializaçãodeumpaís
Empregadonaindústria
química,cerâmica,baterias
elétricas,fertilizantes
Rússia,ÁfricadoSul,Gabão,
Austrália,Índia,México,Gana,
HungriaeMarrocos O manganês é classificado como micronutriente
e exerce importantes funções dentro da planta,
como: participação na fotossíntese; participação
no metabolismo do nitrogênio; precursor de
aminoácidos, hormônios, fenóis e lignina
Cassiterita ou Minério de Estanho
 Os estados produtores de cassiterita no Brasil,
Amazonas e Rondônia, produzem, respectivamente,
60% e 40% do minério.
 Em 1971 o governo federal favoreceu a
transnacionalização dos recursos minerais, do espaço
geográfico e da economia de Rondônia, proibindo a
garimpagem da cassiterita no estado.
 Deu a concessão de exploração a várias empresas
estrangeiras e nacionais, como a Brascan, a British
Petroleum, a Billiton-Grupo Shell, o Grupo Itaú, a
Paranapanema e a Patiño.
EstanhoeObtido da cassiterita
Brasil,6,8%dasreservas,6,7daproduçãoe3,2deconsumo
China,Malásia,Tailândia,Indonésia,Austrália,BolíviaePeru
Outros Minerais
Áreas de exploração de outros minerais no
Brasil
Ouro e Garimpo na Amazônia
 A busca de ouro e pedras preciosas é realizada no Brasil desde a chegada
dos portugueses.
 Com a expansão da fronteira econômica em direção à Amazônia
aumentou a migração de brasileiros para essa região, e o garimpo de ouro,
diamantes e outros recursos minerais tornou-se uma profissão para
milhares de pessoas durante as últimas décadas do século XX.
 Existem muitos garimpos abandonados devido ao esgotamento dos
minérios ou da proibição governamental, como Serra Pelada, no Pará.
A Mineração e os Impactos Ambientais
O uso de recursos minerais é inevitável, mas a exploração não
pode ser mais uma causa de desastres ecológicos.
A exploração mineral a céu
aberto arrasa paisagens
inteiras, retira a cobertura
vegetal e destrói o relevo.
A mineração em larga escala,
como na Amazônia,
causa danos ao
ecossistema ainda não
convenientemente avaliados.

s?Pergunts?
ugestes?
nesrs
rsus?
ees
http://prof-paulo-geografia.blogspot.com.br/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Energia 6ano
Energia 6anoEnergia 6ano
Energia 6ano
Suely Takahashi
 
A regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasilA regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasil
Professor
 
Relevo Brasileiro
 Relevo Brasileiro Relevo Brasileiro
Relevo Brasileiro
Stéfano Silveira
 
Setores da economia
Setores da economiaSetores da economia
Setores da economia
Suely Takahashi
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
Professor
 
Coordenadas Geograficas
Coordenadas GeograficasCoordenadas Geograficas
Coordenadas Geograficas
Luciano Pessanha
 
Agricultura no brasil
Agricultura no brasilAgricultura no brasil
Agricultura no brasil
João José Ferreira Tojal
 
Origem e formação do solo
Origem e formação do soloOrigem e formação do solo
Origem e formação do solo
Fabíola Mello
 
Geografia do Brasil - Região Nordeste
Geografia do Brasil - Região Nordeste Geografia do Brasil - Região Nordeste
Geografia do Brasil - Região Nordeste
Vania Leão
 
Tempo Geológico
Tempo GeológicoTempo Geológico
Tempo Geológico
Lucca
 
Atmosfera
AtmosferaAtmosfera
Atmosfera
Simone Peixoto
 
Brasil características gerais
Brasil características geraisBrasil características gerais
Brasil características gerais
Salageo Cristina
 
Degradação do solo
Degradação do soloDegradação do solo
Degradação do solo
Ivan Araujo
 
Estrutura geológica
Estrutura geológicaEstrutura geológica
Estrutura geológica
João José Ferreira Tojal
 
Combustíveis Fósseis [8º ano]
Combustíveis Fósseis [8º ano] Combustíveis Fósseis [8º ano]
Combustíveis Fósseis [8º ano]
Vivian Reis
 
Hidrosfera 6º ano
Hidrosfera 6º anoHidrosfera 6º ano
Hidrosfera 6º ano
Márcia Dutra
 
A formação da terra
A formação da terraA formação da terra
A formação da terra
Professor
 
6 ano atmosfera
6 ano atmosfera6 ano atmosfera
6 ano atmosfera
crisbassanimedeiros
 
Relevo
RelevoRelevo
Aula 1 solos
Aula 1 solosAula 1 solos
Aula 1 solos
Giovanna Ortiz
 

Mais procurados (20)

Energia 6ano
Energia 6anoEnergia 6ano
Energia 6ano
 
A regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasilA regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasil
 
Relevo Brasileiro
 Relevo Brasileiro Relevo Brasileiro
Relevo Brasileiro
 
Setores da economia
Setores da economiaSetores da economia
Setores da economia
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
 
Coordenadas Geograficas
Coordenadas GeograficasCoordenadas Geograficas
Coordenadas Geograficas
 
Agricultura no brasil
Agricultura no brasilAgricultura no brasil
Agricultura no brasil
 
Origem e formação do solo
Origem e formação do soloOrigem e formação do solo
Origem e formação do solo
 
Geografia do Brasil - Região Nordeste
Geografia do Brasil - Região Nordeste Geografia do Brasil - Região Nordeste
Geografia do Brasil - Região Nordeste
 
Tempo Geológico
Tempo GeológicoTempo Geológico
Tempo Geológico
 
Atmosfera
AtmosferaAtmosfera
Atmosfera
 
Brasil características gerais
Brasil características geraisBrasil características gerais
Brasil características gerais
 
Degradação do solo
Degradação do soloDegradação do solo
Degradação do solo
 
Estrutura geológica
Estrutura geológicaEstrutura geológica
Estrutura geológica
 
Combustíveis Fósseis [8º ano]
Combustíveis Fósseis [8º ano] Combustíveis Fósseis [8º ano]
Combustíveis Fósseis [8º ano]
 
Hidrosfera 6º ano
Hidrosfera 6º anoHidrosfera 6º ano
Hidrosfera 6º ano
 
A formação da terra
A formação da terraA formação da terra
A formação da terra
 
6 ano atmosfera
6 ano atmosfera6 ano atmosfera
6 ano atmosfera
 
Relevo
RelevoRelevo
Relevo
 
Aula 1 solos
Aula 1 solosAula 1 solos
Aula 1 solos
 

Semelhante a MINERAÇÃO NO BRASIL

1º Mc Grupo 07
1º Mc   Grupo 071º Mc   Grupo 07
1º Mc Grupo 07
ProfMario De Mori
 
Recursos minerais brasil (geologia 02)
Recursos minerais  brasil (geologia 02)Recursos minerais  brasil (geologia 02)
Recursos minerais brasil (geologia 02)
Camila Brito
 
Trabalho para o dia 27 e 28 09
Trabalho para o dia 27 e 28 09Trabalho para o dia 27 e 28 09
Trabalho para o dia 27 e 28 09
geografiafelipe
 
Exuberância dos recursos naturais no brasil e em pitangui-MG
Exuberância dos recursos naturais no brasil e em pitangui-MGExuberância dos recursos naturais no brasil e em pitangui-MG
Exuberância dos recursos naturais no brasil e em pitangui-MG
Shinnayder
 
1471 manganês
1471   manganês1471   manganês
Recursos Minerais
Recursos MineraisRecursos Minerais
Recursos Minerais
Rogério Bartilotti
 
A geologia de Paracatu - MG
A geologia de Paracatu - MGA geologia de Paracatu - MG
A geologia de Paracatu - MG
marciotecsoma
 
GEO: Recursos minerais
GEO: Recursos mineraisGEO: Recursos minerais
GEO: Recursos minerais
Adriana Gomes Messias
 
VUNESP vestibular 2018
VUNESP vestibular 2018VUNESP vestibular 2018
VUNESP vestibular 2018
Camila Brito
 
1º Va Grupo 07
1º Va   Grupo 071º Va   Grupo 07
1º Va Grupo 07
ProfMario De Mori
 
Recursos Minerais e Energéticos
Recursos Minerais e EnergéticosRecursos Minerais e Energéticos
Recursos Minerais e Energéticos
Gabriel Caseiro
 
Recursos-Minerais_a4743e40566b4568a489309c9cfbd132.pptx
Recursos-Minerais_a4743e40566b4568a489309c9cfbd132.pptxRecursos-Minerais_a4743e40566b4568a489309c9cfbd132.pptx
Recursos-Minerais_a4743e40566b4568a489309c9cfbd132.pptx
ssuser9fa580
 
10 a aula geo cpvem relevo-3
10 a aula geo cpvem   relevo-310 a aula geo cpvem   relevo-3
10 a aula geo cpvem relevo-3
Wellington Moreira
 
A mineração em Minas gerais - Salesiano 2015
A mineração em Minas gerais - Salesiano 2015A mineração em Minas gerais - Salesiano 2015
A mineração em Minas gerais - Salesiano 2015
Matheus Henrique
 
Extração de itabirito em MG
Extração de itabirito em MGExtração de itabirito em MG
Extração de itabirito em MG
Fernando Ribeiro de Souza
 
1 recursos mineirais-brasileiro
1 recursos mineirais-brasileiro1 recursos mineirais-brasileiro
1 recursos mineirais-brasileiro
Lucas Cechinel
 
Recursos minerais
Recursos mineraisRecursos minerais
Recursos minerais
Raquel De Almeida
 
Mineração
MineraçãoMineração
Recuros minerais
Recuros mineraisRecuros minerais
Recuros minerais
Espa Cn 8
 
Brasil recursos minerais
Brasil recursos mineraisBrasil recursos minerais
Brasil recursos minerais
Roberta Sumar
 

Semelhante a MINERAÇÃO NO BRASIL (20)

1º Mc Grupo 07
1º Mc   Grupo 071º Mc   Grupo 07
1º Mc Grupo 07
 
Recursos minerais brasil (geologia 02)
Recursos minerais  brasil (geologia 02)Recursos minerais  brasil (geologia 02)
Recursos minerais brasil (geologia 02)
 
Trabalho para o dia 27 e 28 09
Trabalho para o dia 27 e 28 09Trabalho para o dia 27 e 28 09
Trabalho para o dia 27 e 28 09
 
Exuberância dos recursos naturais no brasil e em pitangui-MG
Exuberância dos recursos naturais no brasil e em pitangui-MGExuberância dos recursos naturais no brasil e em pitangui-MG
Exuberância dos recursos naturais no brasil e em pitangui-MG
 
1471 manganês
1471   manganês1471   manganês
1471 manganês
 
Recursos Minerais
Recursos MineraisRecursos Minerais
Recursos Minerais
 
A geologia de Paracatu - MG
A geologia de Paracatu - MGA geologia de Paracatu - MG
A geologia de Paracatu - MG
 
GEO: Recursos minerais
GEO: Recursos mineraisGEO: Recursos minerais
GEO: Recursos minerais
 
VUNESP vestibular 2018
VUNESP vestibular 2018VUNESP vestibular 2018
VUNESP vestibular 2018
 
1º Va Grupo 07
1º Va   Grupo 071º Va   Grupo 07
1º Va Grupo 07
 
Recursos Minerais e Energéticos
Recursos Minerais e EnergéticosRecursos Minerais e Energéticos
Recursos Minerais e Energéticos
 
Recursos-Minerais_a4743e40566b4568a489309c9cfbd132.pptx
Recursos-Minerais_a4743e40566b4568a489309c9cfbd132.pptxRecursos-Minerais_a4743e40566b4568a489309c9cfbd132.pptx
Recursos-Minerais_a4743e40566b4568a489309c9cfbd132.pptx
 
10 a aula geo cpvem relevo-3
10 a aula geo cpvem   relevo-310 a aula geo cpvem   relevo-3
10 a aula geo cpvem relevo-3
 
A mineração em Minas gerais - Salesiano 2015
A mineração em Minas gerais - Salesiano 2015A mineração em Minas gerais - Salesiano 2015
A mineração em Minas gerais - Salesiano 2015
 
Extração de itabirito em MG
Extração de itabirito em MGExtração de itabirito em MG
Extração de itabirito em MG
 
1 recursos mineirais-brasileiro
1 recursos mineirais-brasileiro1 recursos mineirais-brasileiro
1 recursos mineirais-brasileiro
 
Recursos minerais
Recursos mineraisRecursos minerais
Recursos minerais
 
Mineração
MineraçãoMineração
Mineração
 
Recuros minerais
Recuros mineraisRecuros minerais
Recuros minerais
 
Brasil recursos minerais
Brasil recursos mineraisBrasil recursos minerais
Brasil recursos minerais
 

Mais de Prof.Paulo/geografia

ESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASIL
ESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASILESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASIL
ESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASIL
Prof.Paulo/geografia
 
Estudo Orientado
Estudo OrientadoEstudo Orientado
Estudo Orientado
Prof.Paulo/geografia
 
Mundo do Trabalho
Mundo do TrabalhoMundo do Trabalho
Mundo do Trabalho
Prof.Paulo/geografia
 
Ética e Cidadania
Ética e CidadaniaÉtica e Cidadania
Ética e Cidadania
Prof.Paulo/geografia
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
Prof.Paulo/geografia
 
Estrutura fundiaria no Brasil
Estrutura fundiaria no BrasilEstrutura fundiaria no Brasil
Estrutura fundiaria no Brasil
Prof.Paulo/geografia
 
El nino
El ninoEl nino
Racismo xenofobia
Racismo xenofobiaRacismo xenofobia
Racismo xenofobia
Prof.Paulo/geografia
 
Industrializao
IndustrializaoIndustrializao
Industrializao
Prof.Paulo/geografia
 
oriente medio
oriente mediooriente medio
oriente medio
Prof.Paulo/geografia
 
Oriente medio
Oriente medioOriente medio
Oriente medio
Prof.Paulo/geografia
 
Energia
EnergiaEnergia
Cidades
CidadesCidades
Guia ilustrado video criar
Guia ilustrado video criarGuia ilustrado video criar
Guia ilustrado video criar
Prof.Paulo/geografia
 
Tigres asiáticos
Tigres asiáticosTigres asiáticos
Tigres asiáticos
Prof.Paulo/geografia
 
Japão
JapãoJapão
Aula jornal blog
Aula jornal blogAula jornal blog
Aula jornal blog
Prof.Paulo/geografia
 
As grandes paisagens vegetais do brasil
As grandes paisagens vegetais  do brasilAs grandes paisagens vegetais  do brasil
As grandes paisagens vegetais do brasil
Prof.Paulo/geografia
 
Clima
ClimaClima
Migraçoes
MigraçoesMigraçoes

Mais de Prof.Paulo/geografia (20)

ESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASIL
ESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASILESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASIL
ESTRUTURA GEOLÓGICA DO BRASIL
 
Estudo Orientado
Estudo OrientadoEstudo Orientado
Estudo Orientado
 
Mundo do Trabalho
Mundo do TrabalhoMundo do Trabalho
Mundo do Trabalho
 
Ética e Cidadania
Ética e CidadaniaÉtica e Cidadania
Ética e Cidadania
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Estrutura fundiaria no Brasil
Estrutura fundiaria no BrasilEstrutura fundiaria no Brasil
Estrutura fundiaria no Brasil
 
El nino
El ninoEl nino
El nino
 
Racismo xenofobia
Racismo xenofobiaRacismo xenofobia
Racismo xenofobia
 
Industrializao
IndustrializaoIndustrializao
Industrializao
 
oriente medio
oriente mediooriente medio
oriente medio
 
Oriente medio
Oriente medioOriente medio
Oriente medio
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia
 
Cidades
CidadesCidades
Cidades
 
Guia ilustrado video criar
Guia ilustrado video criarGuia ilustrado video criar
Guia ilustrado video criar
 
Tigres asiáticos
Tigres asiáticosTigres asiáticos
Tigres asiáticos
 
Japão
JapãoJapão
Japão
 
Aula jornal blog
Aula jornal blogAula jornal blog
Aula jornal blog
 
As grandes paisagens vegetais do brasil
As grandes paisagens vegetais  do brasilAs grandes paisagens vegetais  do brasil
As grandes paisagens vegetais do brasil
 
Clima
ClimaClima
Clima
 
Migraçoes
MigraçoesMigraçoes
Migraçoes
 

Último

Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FredFringeFringeDola
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
MarcoAurlioResende
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
EdimaresSilvestre
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 

Último (20)

Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
A Formação da Moral Cristã na Infância - CESB - DIJ - DIEF - G. de PAIS - 16....
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 

MINERAÇÃO NO BRASIL

  • 1. Mineração no Brasil Prof. Paulohttp://prof-paulo-geografia.blogspot.com.br/
  • 2. O Que São Rochas? Rochas são definidas como quaisquer agregados naturais sólidos, compostos de um ou mais minerais, e constituem parte essencial da crosta terrestre.
  • 3. O Que São Minerais? Mineral é um corpo natural sólido e cristalino formado em resultado da integração de processos físico- químicos em ambientes geológicos. Cada mineral é classificado e denominado não apenas com base na sua composição química, mas também na estrutura cristalina dos materiais que o compõem. Pirita: Conhecido como ''ouro dos tolos'', esse mineral metálico amarelo é composto de ferro e enxofre. Os minerais são classificados em metálicos (ferro, manganês, alumínio etc.) e não metálicos (fosfatos, nitratos, enxofre, cloreto de sódio etc.).
  • 4. Minério, portanto, é uma rocha ou mineral dos quais são extraídas substâncias valiosas, como o ouro, o ferro, o cobre, o diamante. Quartzo – usado na fabricação de vidros resistentes ao calor, células solares e microchips. Grafite – Serve para fazer minas de lápis O Que e Minério?
  • 7. Minério de Ferro  O Brasil apresenta grandes jazidas de minério de ferro, localizadas em terrenos pré-cambrianos.  Calcula-se que existam cerca de 28 bilhões de toneladas em reservas de minério de ferro em nosso território. Os principais produtores de minério de ferro (2007)
  • 8. Minério de Ferro Os principais minérios de ferro encontrados no Brasil são:  Hematita e magnetita (óxidos de ferro), teor de mais de 60%  Limonita, teor entre 50% e 60%  Siderita (carbonato ferroso), teor médio de cerca de 48%  Pirita (bissulfeto de ferro), explorada para aproveitamento do enxofre
  • 9. Minas Gerais  A produção do Quadrilátero Ferrífero destina-se às usinas siderúrgicas da região e ao mercado externo, para o qual são exportados cerca de 50% da produção obtida.  Os principais compradores no exterior são países da Europa ocidental e o Japão.  A Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) é a maior exportadora desse produto do mundo.
  • 10. Minas Gerais Quadrilátero ferrífero (MG) Principal região de exploração de minério de ferro do país Manganês, cobre, níquel, bauxita e cassiterita
  • 11. Mato Grosso do Sul  As jazidas de minério de ferro desse estado possuem teor médio de 60% e localizam-se no Pantanal mato-grossense, onde também existem jazidas de minério de manganês.  Em virtude da distância e da falta de meios de transporte para os principais centros consumidores, além da pequena utilização in loco, a produção é modesta, sendo escoada em chatas pelo rio Paraguai, para abastecer os países do Mercosul. Hidrovia do Rio Paraguai.
  • 12. Pará  A Vale do Rio Doce explora o minério de ferro de Carajás, destinado a abastecer um consórcio de indústrias japonesas criado para a importação do produto.  A companhia produz minério metalúrgico (manganês) para ligas de ferro, dióxido de manganês para a fabricação de baterias elétricas e minério para as indústrias química, cerâmica, de fertilizantes e de pesticidas.  O Projeto Grande Carajás faz o aproveitamento do minério de manganês, do cobre e da bauxita.
  • 13. O Projeto Grande Carajás Projetosde colonizaçãoe incentivosaos empreendime ntos agrominerais naAmazônia (1960) Voltadospara mineração, metalurgia, agricultura, reflorestament oepecuária (1979)
  • 14.
  • 15. Bauxita  O Brasil ocupa o terceiro lugar entre os maiores produtores de bauxita, respondendo por 12% do total mundial.  As principais jazidas de bauxita do Brasil são a de Paragominas e a do vale do rio Trombetas (PA). Mineração de bauxita no vale do rio Trombetas, Pará
  • 17. Minérios de Manganês  O Brasil possui a segunda maior reserva do minério e é o seu segundo maior produtor, com 10% do total mundial.  As principais áreas de ocorrência e produção são: Minas Gerais (Quadrilátero Ferrífero), Mato Grosso do Sul (maciço do Urucum) e Pará (serra dos Carajás).
  • 18. Manganês Importanteparaa industrializaçãodeumpaís Empregadonaindústria química,cerâmica,baterias elétricas,fertilizantes Rússia,ÁfricadoSul,Gabão, Austrália,Índia,México,Gana, HungriaeMarrocos O manganês é classificado como micronutriente e exerce importantes funções dentro da planta, como: participação na fotossíntese; participação no metabolismo do nitrogênio; precursor de aminoácidos, hormônios, fenóis e lignina
  • 19. Cassiterita ou Minério de Estanho  Os estados produtores de cassiterita no Brasil, Amazonas e Rondônia, produzem, respectivamente, 60% e 40% do minério.  Em 1971 o governo federal favoreceu a transnacionalização dos recursos minerais, do espaço geográfico e da economia de Rondônia, proibindo a garimpagem da cassiterita no estado.  Deu a concessão de exploração a várias empresas estrangeiras e nacionais, como a Brascan, a British Petroleum, a Billiton-Grupo Shell, o Grupo Itaú, a Paranapanema e a Patiño.
  • 21. Outros Minerais Áreas de exploração de outros minerais no Brasil
  • 22. Ouro e Garimpo na Amazônia  A busca de ouro e pedras preciosas é realizada no Brasil desde a chegada dos portugueses.  Com a expansão da fronteira econômica em direção à Amazônia aumentou a migração de brasileiros para essa região, e o garimpo de ouro, diamantes e outros recursos minerais tornou-se uma profissão para milhares de pessoas durante as últimas décadas do século XX.  Existem muitos garimpos abandonados devido ao esgotamento dos minérios ou da proibição governamental, como Serra Pelada, no Pará.
  • 23. A Mineração e os Impactos Ambientais O uso de recursos minerais é inevitável, mas a exploração não pode ser mais uma causa de desastres ecológicos. A exploração mineral a céu aberto arrasa paisagens inteiras, retira a cobertura vegetal e destrói o relevo. A mineração em larga escala, como na Amazônia, causa danos ao ecossistema ainda não convenientemente avaliados.

Notas do Editor

  1. Professor: a escala indicada se refere ao mapa impresso no módulo.
  2. Professor: a escala indicada se refere ao mapa impresso no módulo.