SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 66
Baixar para ler offline
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: MARIA VICTÓRIA BEZERRA NASCIMENTO
ANO: 8º “A”        TURMA: B           TURNO: MANHÃ
PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA
GÊNERO: NARRAÇÃO




                   A CASA E OS QUATRO FANTASMAS


      Você pode até não acreditar, mas eu juro de dedos cruzados que é
verdade. No outono do ano passado tinha ido passar o “feriadão” numa casa
no interior de São Paulo com minhas amigas Samantha e Júlia. Chegando lá,
Samantha me perguntou com os olhos arregalados.
      – Porque você escolheu essa casa, sua sem noção?
      – Como assim, por quê? Eu avisei aonde era! - respondi meio indignada
com a sua pergunta.
      – Gente, vocês não conhecem a história dessa casa?! Então eu vou
contar.
      Por volta de 1920, nessa casa morava um casal com três filhos. Eles
eram muito felizes e amigos de todos que conheciam, até que um dia o homem
ficou viciado em bebida; na real ele já gostava da coisa, mas bebia
socialmente.
      Devido àquela doença o homem mudou bruscamente o comportamento
em casa, virou uma pessoa truculenta e bruta com a sua esposa e filhos.
      Um dia ele tinha bebido bastante, seu filho mais velho o desobedeceu e
ele com muita raiva pegou um “pau” e o ameaçou, então sua esposa disse:
      – Me bata, mas não bata nele.
      Sem pensar duas vezes, ele a matou com uma só paulada. Depois
desse terrível episódio o homem matou os seus filhos e para não ser
descoberto ele enterrou os corpos no quintal. Anos depois morreu de remorso.
A defunta e seus filhos viraram almas impiedosas devido à forma tão bruta com
que foram mortos e dizem que até hoje eles assustam todos que chegam perto
da antiga casa. Fim!




                                      1
Júlia e eu nos retiramos da sala sem dizer nada, estávamos com tanto
medo que não conseguimos abrir a boca. Fui dormir com certo receio, mas
acabei pegando no sono. Quando acordei de manhãzinha olhei para o quintal e
pela janela vi quatro buracos fundos no chão. (não comentei nada com
ninguém, pois achei que era besteira).
       Naquela noite o frio era bem grande, frio de tremer os lábios e tremer os
dentes; o vento fazia com que os galhos batessem nas janelas de vidro
trincado, qualquer barulho era motivo de medo. Como eu estava com fome fui à
cozinha para comer algo, com as pernas tremendo, mas fui. Na volta senti
alguma coisa me seguindo, olhei para o espelho do corredor e lá estava a
criatura mais fétida e horripilante que eu já tinha visto. Seus olhos eram
avermelhados de tanto chorar, seu cabelo era desgrenhado, seu corpo era
magricela e corcunda e na sua cabeça ainda tinha a marca da paulada que lhe
tinha sido fatal.
       Sai correndo e chamei Samantha e Ju, para irmos embora. Antes de dar
a partida no carro lembrei-me que tinha levado o meu gatinho, pois eu não
tinha com quem deixá-lo, quando cheguei na casa, vi sua coleirinha e ao lado
tinha um bilhete que dizia: “Se pisares os pés aqui mais uma vez, não ouvirão
mais os meus gritos!” Próximo ao bilhete tinha marcas de sangue da mão de
um adulto e três de crianças. Saí correndo, nem vi as pedras que tinha no
caminho, não sei como consegui dirigir até em casa.
        – A mulher e os três filhos?
       Se quiser saber, vá lá e comprove. Mas uma coisa eu garanto, nunca
mais eu ponho os pés naquela casa.




                                         2
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: MARIA VICTÓRIA BEZERRA NASCIMENTO
ANO: 8º “A”         TURMA: B            TURNO: MANHÃ
PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA
GÊNERO: NARRAÇÃO




                A PRINCESINHA QUE CAIU NO SONO


      Era uma vez num reino muito bizarro, vivia o rei do rock’roll Armando
que se casou com a rainha do pop Arabela. Juntos fundaram um reino de
Candentown, que era a mistura desses dois gêneros musicais fascinantes.
Depois de algum tempo Arabela conseguiu finalmente ter sua tão esperada
filha, cujo nome era Lyra.
      Os reis fizeram um chá de bebê para comemorar o nascimento da
pequenina, só fizeram isso, pois aquela era uma época de vacas magras e
estava faltando lã, que era a base da economia de Candentown. Arabela se
encarregou de convidar todas as fadas de todos os reinos, inclusive as de
Candentown.
      As quatro fadas do reino que foram convidadas eram: a fada da música,
a fada das artes cênicas, a fada da moda e, finalmente a fada do tear (que por
sinal era a mais rancorosa). Por ser muito distraída, a fada do tear não achou o
convite. Chegando o dia do Chade bebê...
       – Vocês vão me pagar caro por não ter me convidado pra essa festa de
bacana, viu?! Além de eu estar armando esse barraco histórico, a filha de
vocês, aos 15 anos, vai se espetar numa agulha bem enferrujada e morrerá.
Constatou a fada do tear.
              Com todo aquele fuzuê, as fadas foram embora sem abençoar a
pequena Lyra. Porém, restou uma (a fada da música, que por sinal era hippie)
que disse:
      –Relaxa coroa, sua filhinha não vai morrer não, só vai dormir por
insignificantes cem anos e só acordará (antes) se o seu verdadeiro amor lhe




                                       3
der um selinho, ai sim! Ah não fique grilada não, viu dona Arabela, que vocês
não vão envelhecer falou?
      Arnaldo e Arabela, sabendo que não poderiam desaparecer com todas
as agulhas do reino, sempre tentaram arranjar noivos para sua filha, mas, ela
nunca se interessava por nenhum deles. No seu aniversário de 15 anos, Lyra
subiu na torre mais alta do castelo e avistou uma “linda” agulha enferrujada
numa maquina de tear; como nunca tinha visto uma agulha de perto, a jovem
espetou o dedo naquela arma letal e caiu num sono profundo, afetando assim
todo o reino.
      Cem anos depois um príncipe que havia se interessado pela historia de
Lyra, venceu todos os obstáculos naturais que tinha se formado ao redor do
castelo. Ao chegar ao quarto da garota que pela idade não era jovem assim, se
apaixonou a primeira vista por ela e a beijou como se não houvesse amanhã.
Ao acordar, Lyra se apaixonou pelo príncipe e junto com ela todo o reino
acordou.
      Um ano depois Arabela e Armando descobriram que a tal fada morreu
de solidão, pois ninguém confiava nela. E a partir daí eles passaram a ensinar
a todos que “A bondade é necessária para a vida se tornar mais bela”. Ah, já ia
me esquecendo! Só pra confirmar os noivos se casaram e tiveram muitos
filhos. E também forma felizes para sempre.




                                      4
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: MARIA VICTÓRIA BEZERRA NASCIMENTO
ANO: 8º “A”         TURMA: B            TURNO: MANHÃ
PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA
GÊNERO: NARRAÇÃO




                            UM DUENDE REBELDE


      Na cidade encantada de SweetVille, viviam dois duendes, Filipino e
Napoleão. Eram filhos da fada Roseta (a fada das flores), eles não eram com
firmeza filhos dela, mas eram filhos de coração, pois ela adotava os bebês que
os seres encantados abandonavam.
      Filipino era um duende carinhoso e bondoso, ajudava Roseta em tudo;
ao contrário de Napoleão que apesar de muito bonito, tinha frieza por dentro,
zangado e sempre fazia más criações. Roseta tentava uma “análise” nos
pensamentos do guri rebelde, mas ele não abria seu coração e sempre dizia:
      – Eu sou homem e homem não chora! Com os olhos por um triz de abrir
a torneirinha das lágrimas.
      Um dia a charmosa Roseta teve uma ideia: Napoleão só confia em
Filipino, chamarei a elfa dos disfarces e pedirei para que se vista como Filipino
e ele abrirá seu coração!
      Feito isso, a fada descobriu o que afligia seu filho. Na realidade ele sofria
de bullying na escola, por ser muito inteligente, os populares o chamavam de
“nerd” e ele ficava deprimido por conta disso.
      Roseta conversou com Napoleão e contou tudo, então ela começou uma
campanha contra o bullying, junto com outros pais. Napoleão parou de sofrer
as agressões, passou ajudar sua mãe nas tarefas e virou um guri atencioso
com todos, pois ele tinha muitos amigos e não era mais menosprezado por
seus colegas.
      Enfim, Napoleão e todos de SweetVille viveram felizes para sempre
(pelo menos até onde eu sei).




                                        5
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: ÊNIO STEFANI RODRIGUES CARDOSO CIDRÃO
ANO: 9º     TURMA: B             TURNO: TARDE
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA
GÊNERO: NARRAÇÃO



                  BERRANDO POR UM CARNEIRO


      A família estava toda reunida naquele almoço de domingo, todos
estavam felizes por estarem juntos naquele momento, contavam piadas,
histórias de vida e planos futuros. Lá vinha a vovó com aquela tigela de
carneiro assado com aquela panela de feijoada bem cozidinha, com um cheiro
de acordar até defunto! Mamãe iniciou sua oração, papai começou a
resmungar de fome, meus irmãos cutucavam o carneiro discretamente e vovô
já estava botando seu prato como se nada tivesse acontecendo.
      - Amém! – todos diziam aliviados.
      Todos atacavam o carneiro como se fosse a última comida do mundo,
era um cutucando dum lado e outro, em dez minutos acabou todos os pedaços
da vasilha, não sobrou nenhum.
      - Huuum! Que comida boa dona Quitéria. – dizia meu pai de boca cheia
– A senhora não é santa, mas faz milagre!
      - Você devia agradecer por ter comida na mesa, pois com essa seca que
está tendo em Tauá, daqui a pouco nós vamos ter que se aperrear para
comprar comida. – falou a vovó preocupada.
      Enquanto todos comiam desesperadamente, vovô começava a fazer
umas caretas e levantar as suas mãos para o céu, todos pensavam que meu
avô estava agradecendo ao Senhor pela comida satisfatória e farta, mamãe,
que como eu disse, era a religiosa da família, elogiou o avô por um ato tão
nobre. Vovó como era esperta percebeu algo de errado quando o seu esposo
começou a ficar roxo e a tossir sem parar. Não demorou muito e o resto da
família também percebeu e começaram a ficar preocupados com o “rebuliço”.




                                      6
- Acuda o papai Francisco! – dizia minha mãe muito nervosa se
direcionando ao meu pai.
      Papai bateu a mão nas costas do sogro inúmeras vezes e nada
acontecia. Meu tio que estava no almoço pegou as pernas do meu avô duma
vez, virou ele e ficou balançando o coitado. Então vovó mandou minha irmã ir
buscar água no pote, mas para desespero de todos, o pote estava seco.
      - Vá chamar ali o médico que mora ali, vai! – gritava a vovó aos prantos.
      - Ele foi pra seresta ontem à noite e ainda está de ressaca o
irresponsável. – falava minha mãe sem esperança.
      E todos viam meu pobre avô passando mal e tossindo sem parar para a
agonia de vovó. Todos começaram a chorar e ficaram desesperançosos
quando meu avô para e começa a dizer:
      - Ah, ainda bem que parei, fiquei doidin quando você disse que não ia ter
mais carneiro enquanto tivesse seca.
      Todos olharam para o vovô com um olhar perplexo e então voltaram a
comer, desesperadamente!




                                       7
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: VALDIZAR SALES SOBREIRA JÚNIOR
ANO: 9º      TURMA: B           TURNO: TARDE
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA
GÊNERO: NARRAÇÃO



                         O LUGAR ONDE VIVO


      Andando de carro pela cidade com meu pai, percebi que há várias
coisas bonitas, coloridas e charmosas onde eu moro. Lugar um pouco
pequeno, com pessoas elegantes e simpáticas, onde geralmente se ver um
gesto amigável de se viver.
      Paramos em um restaurante para almoçar e pedimos o mais famoso
prato que existe em Tauá, aquele saboroso carneiro que na região todo mundo
quer provar. Em época de inverno o nosso forte em comida fica a desejar, pois
tudo fica mais gostoso onde o verde começa aflorar.
      Mas não há como falar de Tauá e deixar de falar do sol que por algumas
partes é bom e por outras ruins. Aquele carneiro que todo mundo aprova acaba
ficando mais fraco, a vegetação vai acabando, açudes secando e solo
rachando. Os tauaenses ficam nervosos com medo de tudo acabar, mas como
Deus é maravilhoso, isso tudo irá passar.
      Uma coisa surpreendente ao acontecer, aquele sol a queimar as nuvens
a escondê-lo, o povo a se alegrar com os rios a encher e a chuva cai em Tauá
onde todos se alegram em ver.
      Em meio ao inverno o sol não deixa perdoar, aqui é lugar muito quente
que chegou até a ganhar uma Usina Solar. Como astro excepcional, alguma
coisa do Sol pode se aproveitar. Um meio sustentável é uma grande riqueza
em nosso lugar.




                                       8
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: MARIA VICTÓRIA B. NASCIMENTO
ANO: 8º “A”        TURMA: B            TURNO: MANHÃ
PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA
GÊNERO: NARRAÇÃO




                                 POBREZA


       No interior de Manaus vivia que sobrevivia com base na coleta do látex.
Eles viviam aparentemente bem, tinha uma casa, os pais trabalhavam, os filhos
estudavam e nunca faltava comida na mesa.
       Mas, mesmo tendo uma vida regular, o pai por ser muito ambicioso
queria muitas riquezas como: mansões, carros importados e tudo que tinha
direito. Com isso em, mente, o homem decidiu ir para a capital. Falou com sua
esposa e filhos e mesmo depois de relutarem, concordaram.
       Chegando a São Paulo, a família teve dificuldades para se estabelecer;
mas com um ano e poucos meses na cidade, a mulher e o homem
conseguiram um trabalho descente. Um caso raro, afinal não é todo dia que se
consegue um trabalho bom numa metrópole.
       O homem conseguiu o que queria muitas riquezas e virou um
empresário bem sucedido. Mas com o passar dos anos perdeu o amor pela
família e pela vida, virou uma pessoa rancorosa e não tinha mais carinho pela
família.
       Algum tempo depois ele morreu de tristeza e sua família ficou com a
lembrança de quando eram pobres e tinham amor.




                                      9
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: GABRIELE MONTEIRO DO NASCIMENTO
ANO: 5º      TURMA: B             TURNO: TARDE
PROFESSORA: SIMONI LOIOLA LIMA
GÊNERO: FÁBULA



                       A ESPERTEZA DA RAPOSA


      A raposa estava velha demais, por isso, já não conseguia caçar como
antigamente. Fazia dias que não comia e seu estômago roncava de fome.
      Um dia, deitada à sombra de uma árvore, a raposa começou a sentir um
cheiro delicioso de comida. Levantou-se e avistou uma carroça carregadinha
de sardinha que ia em direção ao mercado.
      Assim que viu a carroça, a raposa pensou em comer os peixes.
      E quando o carroceiro pensou no dinheiro que ganharia com a venda
daquela valiosa pele. Sem perder tempo, levantou a espingarda, fez a mira e
disparou.
      Para sorte da raposa, além de enxergar mal, o carroceiro tinha péssima
pontaria.
      Para o azar do carroceiro, a raposa era esperta e teve logo uma ótima
ideia: cair no chão e fingir-se de morta. Foi o que fez.
      Orgulhoso da sua façanha, o homem desceu, pegou sua caça, jogou na
carroceria e seguiu viagem.
      Lá atrás, a raposa comeu peixe até não poder mais e fugiu satisfeita,
levando algumas sardinhas para a próxima refeição.
      Moral: Os gananciosos colhem o que merecem.




                                        10
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: MARIA LETÍCIA QUININO CARACAS
ANO: 7º      TURMA: A            TURNO: MANHÃ
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA
GÊNERO: NARRAÇÃO




                      A ASSASSINA DA ESQUINA


      Em 1888 ocorreu uma série de assassinatos causados por um homem
que se assinava por Jack o estripador. Uma mulher estava passeando por uma
sombria rua e foi esgoelada e estripada até as tripas saírem.
      Essa mulher fez um pacto em troca da alma para voltar à vida e se
vingar. Finalmente em 1901 essa pobre coitada voltou para se vingar desse
serial killer e no dia 30 de outubro ela finalmente concluiu a sua tão preciosa
vingança. Anos depois com a guerra entre os Estados Unidos e a Inglaterra os
soldados americanos invadiram a cidade de Londres onde estava aquela
esquina e a mulher decidiu voltar a matar.
      Atualmente a assassina ainda está na esquina esperando fazer justiça
com suas próprias mãos. Então tome cuidado e olhem por onde andam, pois
ela pode estar bem do seu lado em qualquer esquina.




                                       11
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: PALOMA LOIOLA LEITE
ANO: 7º      TURMA: B            TURNO: TARDE
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA
GÊNERO: NARRAÇÃO



                     A BRUXA DO GUARDA-ROUPA


      Certo dia algumas amigas estavam na escola quando elas decidiram
que no dia seguinte iriam matar aula para viajar para uma casa no interior de
“Cococi” nos sertões dos Inhamuns.
      No dia seguinte disseram para os pais que iam à escola, mas na
verdade foram para a casa no interior. Chegando lá, se hospedaram e
descansaram um pouco. Logo após foram conversar na sala e uma dela
propôs um desafio.
      O desafio era que cada uma fosse ao guarda-roupa e falasse a seguinte
frase: “Apareça, apareça bruxa feia, apareça!”. Tinham que dizer isso porque
ela morreu quando estava escolhendo uma roupa no seu guarda-roupa e até
então aterroriza as garotas que falam essa frase.
      Elas aceitaram o desafio e foi uma de cada vez. A primeira falou, mas
logo morreu e as outras ficaram assustadas.
      No mesmo dia elas foram para casa na cidade. Ficou tudo bem com as
outras garotas que sobreviveram, mas depois desse fato elas nunca fizeram
aquele desafio novamente.




                                      12
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: STEFANNY PEDROSA SALES
ANO: 7º      TURMA: A           TURNO: MANHÃ
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA
GÊNERO: NARRAÇÃO




                           A MENINA DA LUA


      Uma janela simples, mas com um mistério assustador. Um gato preto
grande de olhos vermelhos numa pequena janela pequena que aparece
somente à meia-noite na sexta-feira em dias de lua cheia.
      Na casa de uma menina chamada Magali, uma adolescente fechada
com os amigos e com os familiares, que gosta de passar o tempo em seu
quarto onde existe essa janela misteriosa. Ela não gosta de ficar andando na
casa toda, passa a maior parte do tempo no seu cantinho sozinha. Sua mãe
brigava porque ela não queria sair do quarto e ela dizia que estava cansada,
porém o que será que ela tanto faz no quarto?
      Certo dia sua mãe a chamou para ir até à escola e nada dela responder,
então sua mãe chamou o pai dela e arrombaram a porta. Ela não estava lá,
mas em cima da cama estava uma carta escrita por ela que dizia: “Fui embora,
porém estou feliz com meu amigo pretão. Todas às noites venho visitá-los com
o meu amigão. Adeus, foi muito bom conhecer vocês, mas a lua é minha casa
e nela sempre viverei.”




                                      13
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: FRANCISCA MARIA DA LUZ NASCIMENTO
ANO: 6º      TURMA: A               TURNO: MANHÃ
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA
GÊNERO: NARRAÇÃO




                      A MENINA DO CORREDOR


      Há muito tempo atrás quatro alunos brincavam no corredor do colégio
quando um grave acidente aconteceu, Ariela morreu e ficou assombrando os
corredores do colégio. Por conta disso o colégio acabou sendo fechado porque
todos os meses na data em que Ariela, conhecida como a menina do corredor,
matava um aluno no corredor do colégio.
      Depois de muitos anos o colégio foi reaberto e num dia à tarde quando
acabou a aula, três irmãos brincavam no corredor quando Geovana falou:
      - Vou beber água, volto já.
      Ao sair da sala ela ouviu uma conversa entre a professora e o zelador.
Eles falavam de uma menina que havia morrido nos corredores do colégio.
      Geovana foi correndo contar para seus irmãos e enquanto contava ouviu
vozes, risadas e coisas se quebrando. De repente Ariela apareceu toda
sangrenta e Geovana juntamente com seus irmãos correram para casa quando
ouviram uma voz suave chamando:
      - Paulo vem aqui.
      Ele pensou que era sua mãe, mas quando chegou lá era a menina do
corredor. Ela tentou matá-lo e Paulo começou a gritar por socorro.
      Geovana e Felipe foram ajudar seu irmão, mas ao tentar ajudar o irmão
eles foram mortos pela menina do corredor juntamente com Paulo. Dizem que
ela ainda assombra os corredores desse colégio. Cuidado para não dar de cara
com a menina do corredor.




                                       14
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: GABRIEL RICARTE DE ARAÚJO
ANO: 7º       TURMA: A             TURNO: MANHÃ
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA
GÊNERO: NARRAÇÃO




                         A VIGANÇA DOS ALUNOS


        Em uma manhã, estudavam em uma sala de aula quatro alunos:
Leandro, Mateus, Álef e Gabriel. Leandro insultava com Gabriel chamando-o
até de quatro olhos, já Mateus insultava o Álef chamando ele de cabeção,
todos os dias era a mesma coisa.
        Passaram-se alguns dias, Álef e Gabriel combinaram de matar Leandro
e Mateus. No dia seguinte eles mataram seus inimigos com armas de fogo. Álef
e Gabriel voltaram a estudar, quando Mateus e Leandro aparecem e os matam
enforcados, logo após chegam às professoras e encontram eles mortos na
sala.
        E a partir desse dia a sala foi destruída, a escola fechou e a cidade ficou
aterrorizada. Essa lenda ficou conhecida por todo o mundo como a lenda da
vingança dos alunos.




                                         15
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: RAQUEL PEREIRA E SILVA
ANO: 7º     TURMA: A            TURNO: MANHÃ
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA
GÊNERO: NARRAÇÃO



                            A ESPOSA MALIGNA


      Todos os dias Robert Cruise e sua esposa Mebiu Cruise passeavam
pela cidade de Nova York, eles adoravam as lindas paisagens da cidade.
      No dia 10 de fevereiro de 1999no último passeio feito em família, Mebiu
morreu inesperadamente com dois tiros. A morte dela trouxe muita dor para
Robert que a amava muito.
      Anos se passaram e Robert conheceu Bella e se apaixonou
desesperadamente. Ela era uma mulher muito graciosa e que se rendeu de
corpo e alma para Robert.
      O fantasma de Mebiu não ficou satisfeito com a notícia e decidiu
assombrar a nova amada de Robert até ela sair de perto dele. Bella estava
assustada, mas não saía de perto dele.
      Bella viu que só tinha um jeito de mudar a situação, deixou bem claro
para Mebiu que amava Robert e prometeu cuidar dele até a morte.
      E assim todos foram felizes e a maldição foi desfeita no dia 10 de
fevereiro de 2000, quando Bella e Robert se casaram.




                                     16
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: EMANOEL MESSIAS DOS SANTOS
ANO: 6º      TURMA: A            TURNO: MANHÃ
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA
GÊNERO: NARRAÇÃO



                             A FERA DO MAR


      Muitas vezes quando um pescador joga lixo no mar as águas mudam de
cor, não por causa de lixo, mas porque irritam a fera do mar.
      A fera tem corpo de cobra com cabeça de dragão, a pele ardente que
queima como fogo e na água se torna fria. Dentro da Terras e esconde os ovos
da fera do mar.
      Certo dia um homem e seu amigo foram pescar e quando terminaram de
comer jogaram os restos de alimento no mar. Começaram a se afastar quando
rapidamente a fera do mar saltou da água e os espremeu queimando-os com
sua pele. A criatura voltou para a água com os dois presos e lá embaixo deu os
restos para o seu primeiro filho, que em breve faria a mesma coisa ou pior.
      Na cidade foi publicado “Monstro marinho devora dois pescadores por
causa de lixo”. A notícia foi publicada em todos os lugares. Então pregaram
uma placa dizendo: Cuidado! Preserve esse local por causa do monstro
marinho.
      Preserve a natureza, se uma fera dessa protege a água, imagine os que
protegem a Terra e o ar.




                                       17
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: ISABEL TEIXEIRA ARAÚJO
ANO: 6º      TURMA: B              TURNO: TARDE
PROFESSORA: KARLA SUELY SCARCELA AVELINO
GÊNERO: POEMA


                              AMOR CEGO
Existe um certo rapaz                      Ter muitos filhos
Vivendo grandes emoções,                   E uma boa morada.
Vítima do anjo cupido                      Ver seus sonhos acontecer
Das flechas da paixão,                     Sua sina realizada,
Pois por uma certa moça                    Viver feliz eternamente
Entregara seu coração.                     Ao lado de sua amada.

Sua paixão pela moça                       Mas ela vivia um dilema
Era tipo encantado                         Um grande tormento,
Pensava nela todos os instantes,           Pois havia um empecilho
Parecia sapo encantado,                    Que impedia o casamento.
Sentia-se muito feliz                      A moça não enxergava,
Como um pinto no melado.                   Era cega de nascimento.

Trabalhava o dia inteiro                   Mas o rapaz não sabia
E tinha uma rotina corrida,                Que ela era cega até então.
Mas todos os dias ele ia                   Disse pra ela não ficar triste
Encontrar a sua querida,                   Pois não se importava não.
Dizia todo orgulhoso                       Falou que casaria
Que ela era o amor de sua vida.            A resposta vinha do coração.

Abandonou seus estudos                     Eles se casaram e foram felizes,
Para poder trabalhar.                      Foi assim que aconteceu:
Seu maior desejo                           Tiveram lindos filhos
Era com ela se casar,                      Frutos do amor que não morreu.
Ganhar muito dinheiro                      Amor não ter perfeição,
E uma boa vida lhe dar.                    Cego do olho e caolho de coração.



                                      18
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: RODRIGO ANTÔNIO DE SOUZA HOLANDA CAVALCANTE
ANO: 9º       TURMA: A             TURNO: MANHÃ
PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA
GÊNERO: POEMA




                              AMOR, INFINITO AMOR


Olha pra mim você já sabe
O que sinto não é mais um segredo
Eu sempre quis alguém assim,
Para me amar e cuidar de mim.


E eu prometo, vou te retribuir
Tudo aquilo que tem feito por mim
Ah! Eu prometo te fazer mais feliz
E ser tudo que você sempre quis.


E quando você chorar
Eu vou estar aqui para te abraçar
Palavras nem sempre vão adiantar
Mas você será o brilho no meu olhar.


Amor, jamais deixarei você
Foi difícil chegar até aqui
Mas você sempre me fazia sorrir
Segurava minha mão dizendo:


“Deus conosco está
E o nosso amor resistirá
Olha pra mim leia em meus olhos
Jamais deixarei você!”


                                                     19
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: RÔMULO WELLINGTON RIBEIRO MENDES
ANO: 6º      TURMA: B             TURNO: TARDE
PROFESSORA: KARLA SUELY SCARCELA AVELINO
GÊNERO: POEMA



                             FALANDO DE TAUÁ

No lugar onde eu vivo tem carneiro assado,
Bom de se comer feito na brasa.
Na minha cidade não tem violência,
Cada um se respeitando com muita consciência.


Na minha cidade é bom de se viver,
Cada um no seu canto sem se desrespeitar.
Na minha cidade tem muito a se desejar
Tapioca, farofa e até vatapá.


Na minha cidade é bom de se cultivar
E tem carneiro e bode no campo a pastar.
A minha cidade é bonita de se ver
Montanhas e rios, são belezas pra valer.


A minha cidade falta água,
Com essa seca é difícil de se sobreviver.
Como a vida é dura
O povo do Sertão vive a sofrer.




                                                 20
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: SABRINA HELLEN
ANO: 6º      TURMA:               TURNO: TARDE
PROFESSORA: KARLA SUELY SCARCELA AVELINO
GÊNERO: POEMA



                        MINHA CIDADE QUERIDA

Na cidade em que moro
É muito bonito ver as crianças brincando
Se divertindo, o galo cantando
O dia raiando, como é lindo o nosso campo.


Aqui só é ruim porque é quente
Mas quando chove tudo fica contente.
A chuva caindo de amor
E a gente sentido o cheiro da flor.


Em Tauá tem lugares para passear,
No Parque da Cidade
As crianças gostam de brincar,
Lá elas mostram que são felizes de verdade.




                                                 21
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: FELIPE OLIVEIRA DA SILVA
ANO: 6º       TURMA: B          TURNO: TARDE
PROFESSORA: KARLA SUELY SCARCELA AVELINO
GÊNERO: POEMA




                            O LUGAR ONDE VIVO



Estou aqui para lhe falar              Essa cidade é demais
Da cidade de Tauá                      Por ela tenho paixão
Lugar legal                            Cidade dos bodes do povo do
Tem um nome especial.                  Sertão,
                                       Cidade de Tauá que ta no meu
Esta cidade é glamorosa                coração.
Localizada no Sertão
Habitada por gente amorosa             O que eu posso dizer
É de bom coração.                      Da nossa serra
                                       Abençoada pelo Paizão
Uma terra muito linda                  Que lá de cima cuida
Mas é quente de montão                 Pra amanhecer o solzão.
Uma das comidas preferidas
O povo escolhe o baião.




                                                                      22
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: BRENDA MOREIRA LOIOLA
ANO: 9º      TURMA: A           TURNO: MANHÃ
PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA
GÊNERO: POEMA


                          PAIXÃO QUE LEMBRO


Hoje eu acordei
Com uma vontade de falar
De um amor do passado
Que sempre vou lembrar.


No começo éramos amigos
Mas ele me conquistou
Foi tudo tão rápido
Que me apaixonou.


Tenho lembranças lindas
Que nunca vou esquecer
Juntos temos uma história
Que todos querem ter.


Tudo foi muito bom
Mas foi só uma paixão
O considero como amigo
Mas quando o vejo ainda
Sinto uma emoção.


Falei dos meus sentimentos
Precisava desabafar
Vendo o que escrevi
Me lembro de tudo
E sei que sempre vou lembrar.
                                               23
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: KAYANNE GONÇALVES DE OLIVEIRA
ANO: 5º       TURMA: B            TURNO: TARDE
PROFESSORA: SIMONI LOIOLA LIMA
GÊNERO: POEMA



                                 SER CRIANÇA


É bom ser criança
Ter toda a atenção.
Da mamãe o carinho,
E do papai a proteção.
É tão bom se divertir
E não ter que trabalhar
Só comer, crescer, dormir e brincar.


É bom ser criança
E não ter que se preocupar
Com a conta do banco,
Nem com os filhos pra criar,
Só brincar, brincar e brincar.


É bom ser criança
Ter amigos de montão,
Pulando e saltando
Tirando os pés do chão
Soltando pipa e jogando bola com muita diversão.




                                                   24
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: MARIANA OLIVEIRA DOS SANTOS
ANO: 6º      TURMA: B          TURNO: TARDE
PROFESSORA: KARLA SUELY SCARCELA AVELINO
GÊNERO: POEMA



                            TORRÃO QUERIDO


Olá minha gente amiga                 A cidade de Tauá
Preste bastante atenção,              É bonita por natureza
Pois quero falar um pouco             Tem o açude Favela
Da cidade de Tauá.                    Mostrando sua beleza.


O lugar onde vivo
É no Sertão do Ceará,                 O nosso povo
A minha cidade                        vive da agricultura,
Tem o nome de Tauá.                   Tem ano que é bom
Se quiser conhecer,                   Que tem muita fartura,
Então venha pra cá.                   Tem feijão e milho
                                      E até a verdura.
Temos o rio Trici
Que corta a cidade                    Tauá está crescendo
E o Serrote Quinamuiú                 Aumentando a população.
Beleza de verdade.                    Terra de barro vermelho
Gosto muito de Tauá                   Que amo de coração.
Com toda sinceridade.




                                                                25
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: GISELE DE ARAÚJO MORAIS
ANO: 6º       TURMA: B          TURNO: TARDE
PROFESSORA: KARLA SUELY SCARCELA AVELINO
GÊNERO: POEMA



                         UMA HISTÓRIA DE AMOR

Era uma vez                            A cada dia que se passa
Uma menina muito bela                  Mais eles aprendem a amar
Que era cheia de encantos.             Um a vida do outro
O nome dela era Gabriela               Isso é motivo de se alegrar
Gostava de um garoto,                  Afinal, com o amor
Mas ele não conhecia ela.              Não se pode brincar.

Os dois se viram                       Muito tempo se passou
E ela dele se aproximou                Eles pensaram em se casar.
Aos poucos foi conquistando            Unir-se para sempre
Ele logo se apaixonou                  Era aonde eles queriam chegar.
A menina não perdeu tempo              Viver uma vida a dois
E ao garoto logo se amarrou.           Até os bebezinhos chegar.

Começaram a namorar                    Casaram-se e foram felizes
Não perderam tempo não.                Vivendo em união
Se divertindo muito                    Sem ninguém para atrapalhar.
E alegrando o coração,                 Com muito amor no coração
Cheios de felicidade                   A vida assim continuou,
E pura emoção.                         Uma verdadeira diversão.

Embora muito alegres                   Assim eles viveram
As crises logo chegaram                E continuaram a vida
Começaram a brigar,                    Sendo muito felizes
Mas isso não os afetaram               Até chegar a primeira filha
Serviu apenas para fortalecer          Tão linda e querida
O relacionamento que começaram.        O nome dela era Emília.

                                                                        26
E eu como espectadora
Deste romance real
Peço a Deus que sempre
Abençoe este casal.
Dê a eles compreensão,
Paz, saúde e a direção
Da união ideal.




                         27
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: BRUNA KELLY FERREIRA CARLOS
ANO: 9º       TURMA: A         TURNO: MANHÃ
PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA
GÊNERO: POEMA




                               O SONHO

Numa tarde de domingo                O frio que lá fazia
Um belo sonho sonhei.                Chegava a estremecer.
Onde havia paisagem,                 Na praia a maresia
Pois nele eu viajei.                 Era bonita de se ver.


O lugar que sempre                   Durante a noite escura
Quis andar e conhecer,               Pessoas novas podem conhecer.
Onde era lindo                       Na simplicidade da vida
E perfeito o amanhecer.              Fiz a lua esplandecer.


Quando amanhecia o dia,              Então acordei,
Os pássaros vinham cantar.           Do meu sonho
Tudo ficava bonito                   Eu lembrei.
Pro trabalho começar.                Vi que não
                                     Era verdade
A tarde nesse meu sonho              E fiquei só na vontade.
Era muito diferente.
As comidas eram demais               De um sonho encantado
Só quem ganhava era a gente.         Que vai ser sempre lembrado,
                                     E quem sabe um dia
À noite a lua era bela               Ele será realizado.
Vinha sempre clarear,
Pois tudo ficava bonito
Até os peixes no mar.


                                                                     28
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: MARIA VICTÓRIA BEZERRA NASCIMENTO
ANO: 8º      TURMA: A            TURNO: MANHÃ
PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA
GÊNERO: ARTIGO DE OPINIÃO




                       O ALICERCE DA LEITURA


      Muitas pessoas dizem que ler é bom e que nos faz crescer. E elas estão
certas. Porém diga-me se é bom ler em um lugar sem ventilação e sem
segurança? Pois é isso que acontece em várias bibliotecas públicas.
      Quando vamos a uma biblioteca para pegar um livro legal, pesquisar
algo ou ler sossegados, nos deparamos com uma estrutura abalada, livros mal
conservados e falta segurança. Algo inadmissível em locais de leitura coletiva.
       Eu apenas não entendo porque o governo faz tantas campanhas a favor
da leitura se não cuidam das bibliotecas que conservam a maior parte do
patrimônio brasileiro. A razão dessa pergunta é que não começamos a
construir uma casa pelo telhado, mas sim pela sua base, o alicerce.




                                       29
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: VICTÓRIA GONÇALVES DE LOIOLA DOS SANTOS SENA
ANO: 8º      TURMA: A            TURNO: MANHÃ
PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA
GÊNERO: ARTIGO DE OPINIÃO




                               É SEGREDO!


      Na nossa sociedade atual, as pessoas estão querendo cada dia mais
privacidade, mas será mesmo que tanta gente, com tantas redes sociais e com
o avanço da tecnologia é capaz de guardar um segredo por muito tempo?
      O ser humano é bastante curioso e quando surge algo ou algum fato que
lhe desperta essa curiosidade a tendência é buscar saber, desvendar e depois
comentar sobre tal assunto, fato que muitas vezes causam constrangimentos e
até chega a prejudicar a reputação da pessoa, principalmente em cidades
pequenas, onde quase todas as pessoas se conhecem ou tem algum vinculo,
seja de amizade ou familiar.
      Atualmente as pessoas estão mais esclarecidas sobre os direitos e
deveres de cada um, principalmente ao que se refere à privacidade, onde há
leis que protegem o cidadão, mesmo assim se dão o desrespeito de viverem
bisbilhotando a vida do outro, na busca de alimentar o seu ego de curioso.
      As pessoas expõem suas vidas e depois querem privacidade, acham
ruim quando comentam suas particularidade. Então devemos ser conscientes
das nossas atitudes e termos convicção das consequências de nossos atos,
pensar antes de agir.
      Então se você quer ter privacidade, tem que se preservar e não dar
chance para os outros descobrirem e falarem de sua vida ter cuidado nas
colocações, principalmente nas redes sociais, que muitas vezes trazem
consequências muito prejudiciais à vida das pessoas, pois muitas vezes
causam comentários maldosos e distorcidos da realidade.




                                      30
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: ATHANARA ALVES DE SOUSA
ANO: 9º        TURMA: B           TURNO: TARDE
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA
GÊNERO: DISSERTAÇÃO




                 DESIGUALDADE: RICOS E POBRES


      Não só no Brasil, mas em todo o mundo sempre acontece o mesmo
problema, a falta de humanidade dos ricos com os que mais precisam.
      Várias pesquisas realizadas comprovam que 10% dos brasileiros mais
pobres recebem 0,9% da renda do país, enquanto os ricos ficam com 47,2%,
ou seja, os pobres são totalmente excluídos em questão das condições
financeiras.
      Se os ricos fossem mais humildes, com certeza esse problema seria
mais fácil de ser resolvido, até porque não teria tanta diferença.
      As crianças são quem mais sofre porque às vezes não tem onde morar,
o que comer, não tem o que mais precisam uma escola e isso muda muito
quando estamos falando do desenvolvimento delas.
      Atualmente está muito difícil, mas os pobres estão recebendo uma
grande ajuda por meio do governo, eles ganham uma boa quantia de dinheiro
que com certeza ajuda bastante.
      Muitas vezes quando não tem emprego, vão procurar isso nas ruas, por
meio de tráficos, prostituição e outras formas. Mas se a renda fosse igual para
todos isso não aconteceria.




                                        31
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: LETÍCIA GONÇALVES PAULO
ANO: 9º      TURMA: B           TURNO: TARDE
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA
GÊNERO: DISSERTAÇÃO




            MAIS EDUCAÇÃO, MENOS DESIGUALDADE


      Em pleno século XXI, crianças fora das escolas e em péssimas
condições financeiras são comuns em nosso país, mas não as corretas.
      Nesses últimos anos foi detectado um nível muito alto de crianças fora
das escolas. De acordo com a pesquisa feita pelo UNICEF 6 milhões de
crianças, que é 10% de todas elas, estão em condições precárias.
      Com tudo isso, o governo, nossos representantes, devia ajudar as
famílias a inverterem essa situação. Dessa forma o estado terá que ampliar o
número de escolas e também terá que incentivar as famílias a fazer com que
seus filhos voltem a estudar e assim conseguir uma profissão.
      Só pesquisas não bastam para que as crianças estudem, tem que haver
ação, atitude, e principalmente, compromisso dos governantes para com a
sociedade, com o intuito de resolver esse problema.
      Bem, todos sabemos que educação e a desigualdade não vão mudar e
nem deixar de existir do dia para a noite, mas devemos nos juntar e tentar
resolver o conflito para que possamos ter um futuro melhor.




                                      32
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: ÊNIO STEFANI RODRIGUES CARDOSO CIDRÃO
ANO: 9º      TURMA: B           TURNO: TARDE
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA
GÊNERO: INFORMATIVO


  A IMPORTÂNCIA DA RÁDIO DIFUSORA DOS INHAMUNS NO
           CONTEXTO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL

      Esta rádio foi fundada em 1985 no dia 25 de maio e os diretores são:
Assis Araújo e Poliana Lima.
      A Rádio Difusora dos Inhamuns tem importância, dedicação e
responsabilidade conosco. Na Difusora dos Inhamuns você encontra tudo
sobre novelas, como: Avenida Brasil, Malhação e Rebeldes. E também você
encontra entretenimentos, receitas culinárias, textos para ensinamentos de
nossa vida e participações especiais de ouvintes e apresentadores, além disso,
nos ensina um pouco sobre a Bíblia fazendo perguntas para os espectadores
responderem e ganharem prêmios.
      A Difusora está completando 27 anos de trabalho e é uma das rádios
que tem mais audiência em Tauá, por conta de sua especial harmonia com
todos. A rádio oferece o que ela tem de melhor para os espectadores ficarem
bem informados sobre o que acontece em nossa cidade e no mundo, pois ao
passar do tempo está muito perigoso.
      Seu ponto de localização é na centro de Tauá-CE. Elas transmite sinal
para as seguintes localidades: Marruás, Santo Antônio Carrapateiro, Guaribas,
Fechadinho, Vázea do Boi, etc. E isso é muito importante para esses lugares
citados e outros. Mesmo morando nos interiores, as pessoas precisam estar
bem informadas sobre as estações climáticas porque dos seus cultivos
dependem disso.
      Em todo o contexto devemos nossos agradecimentos a vocês, pois se
não houvesse esse desenvolvimento de nos transmitir essas notícias
estaríamos mais preocupados e mal beneficiados, agradeço também a todos
que fazem essa transição crescer cada vez mais. Parabéns por esse grande
sucesso.


                                       33
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: RODRIGO ANTÔNIO DE SOUZA HOLANDA CAVALCANTE
ANO: 9º      TURMA: A          TURNO: MANHÃ
PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA
GÊNERO: INFORMATIVO




                        AQUECIMENTO GLOBAL


      O aquecimento global é o aumento da temperatura média dos oceanos e
do ar perto da superfície da Terra que ocorre desde o século XX e que
perdurará no século XXI.
      A maior parte do aumento da temperatura foi causada por concentração
crescente de gases do efeito estufa como resultado da queima de combustíveis
fósseis e de desflorestação.




                                     34
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: BIANCA CARLOS DOS REIS LIMA
ANO: 5º       TURMA: B              TURNO: TARDE
PROFESSORA: SIMONI LOIOLA LIMA
GÊNERO: INFORMATIVO



                                    A DENGUE


      Dengue clássica:
             Febre alta com início súbito;
             Forte dor de cabeça;
             Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento dos músculos;
             Perda do paladar e apetite;
             Manchas     e   erupções     na   pele   semelhantes   ao   sarampo
              principalmente no tórax e membros superiores;
             Náuseas e vômitos;
             Tontura;
             Moleza e dor no corpo;
             Muitas dores nos ossos e articulações.


      Dengue hemorrágica:
      Os sintomas da dengue hemorrágica são os mesmos da dengue comum
que diferenciam com o surgimento dos sinais de alerta:
             Dores abdominais fortes;
             Vômito persistente;
             Pele pálida, fria e úmida;
             Sangramento pelo nariz, boca e gengivas;
             Manchas vermelhas na pele;
             Sonolência, agitação e confusão mental;
             Sede excessiva e boca seca;
             Pulso rápido e fraco;
             Dificuldade respiratória;




                                           35
   Perda de consciência.


      Na dengue hemorrágica o quadro clínico se agrava rapidamente,
apresentando sinais de insuficiência circulatória e choque podendo levar a
pessoa à morte em até 24 horas de acordo com a estatística do Ministério da
Saúde, cerca de 5% das pessoas com dengue hemorrágica morrem.




                                     36
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: MARCOS GEBRIEL DE OLIVEIRA LIMA
ANO: 5º     TURMA: B            TURNO: TARDE
PROFESSORA: SIMONI LOIOLA LIMA
GÊNERO: INFORMATIVO



               ADOLESCÊNCIA: FIQUE POR DENTRO


      A adolescência é uma etapa intermediária do desenvolvimento humano
entre a infância e a fase adulta. Este período é marcado por diversas
transformações corporais, hormonais e até mesmo comportamentais.
      Muitas pessoas confundem puberdade com adolescência. A puberdade
é a fase inicial da adolescência caracterizada pelas transformações físicas e
biológicas no corpo dos meninos e das meninas. É durante a puberdade (entre
10 e 13 anos as meninas e entre 12 e 14 anos os meninos) que ocorre o
desenvolvimento dos órgãos sexuais.
      Durante a puberdade, os meninos passam pelas seguintes mudanças
corporais e biológicas nos meninos: aparecimento de pêlos nas regiões
pubianas, rosto e axilas, crescimento do pênis e dos testículos, engrossamento
da voz, crescimento corporal, surgimento do pomo de adão e primeira
ejaculação. Entre as meninas, as mudanças mais importantes são: começo da
menstruação, a primeira é chamada de menarca, também ocorre o
desenvolvimento das glândulas mamárias, aparecimento de pêlos nas regiões
pubianas e nas axilas, além do crescimento da região da bacia.
      Uma marca comum da maioria dos adolescentes é a necessidade de
fazer parte de um grupo. As amizades são importantes.




                                      37
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: EMILLY MARIA CIQUEIRA BARROS
ANO: 2º       TURMA: B           TURNO: TARDE
PROFESSORA: TAYNARA APARECIDA FERREIRA DA SILVA




                           A IDADE DE SER FELIZ


       Existe somente uma idade para a gente ser feliz, somente uma época na
vida de cada pessoa em que é possível sonhar, fazer planos e ter energia
bastante para realizá-los, a respeito de todas as dificuldades e obstáculos.
       Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver
apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo e sem
culpa de sentir prazer. Essa idade é agora, comece a sonhar e viver sem medo
de ser feliz, pois o tempo quem faz somos nós mesmos. Esse é o seu tempo,
aproveite a vida e seja feliz!




                                       38
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: LEANDRO SOBREIRA SILVA
ANO: 8º             TURMA: A                       TURNO: MANHÃ
PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA



                                  AQUELA DOSE DE AMOR



                                                   No dia de quinta-feira
                                                                                                          Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva
                                                   Naquela velha cidade
                                                   Conheci a bela Maria
                                                   Que vinha de Liberdade.
      Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva

Então nos conhecemos
Naquela cidade aquecida,
Que era quente demais
E nunca será esquecida.

                                                             Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva
                                                   Casamos logo no sábado
                                                   Um amor tão violento,
                                                   Os dois tão apaixonados
                                                   Que esquecia até do tempo.
 Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva

Quando se passou um mês
A bela Maria desapareceu
Então fiquei muito triste
E um bar me acolheu.
                                                     Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva

                                                   Então falei para o dono
                                                   A Maria foi embora,
                                                   Bote aqui nesse copo
                                                   O que faço para esquecer agora.
     Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva




                                                          39
Bem clara ficou a lembrança
Que aquela dose deixou,
Que dosinha de nada
Foi a dose do amor.                                Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva



                                              Nunca mais pude esquecer
                                              Aquela dose malvada,
                                              Tomo no amanhecer

 Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva   E termino na madrugada.


Passa o dia, passa a noite
Dela nunca me esqueço
Passa o dia entediado
E não tenho seu endereço.
                                                   Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva


                                              Hoje não bebo mais
                                              Se não posso morrer!
                                              Mesmo que ela não volte
                                              Jamais vou esquecer.
Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva

Aquela dose de amor
Tomei quando casei
Acho que não tem jeito
Foi quando me embriaguei.
                                              Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva




                                                       40
BIOGRAFIA DO AUTOR:

         Leandro Sobreira Silva nascido no dia 19 de novembro
  de 1999 na cidade de Crato no estado do Ceará hoje reside no
  município de Tauá localizado no mesmo estado de sua cidade
  natal. Filho de Cícero da Silva e Antônia Marta Sobreira gosta
  de filmes, desenhos animados, futebol e de estudar. Para fazer
 cordéis ele afirma que só basta se inspirar e fazer.




BIOGRAFIA DO ILUSTRADOR:

        Filho de Ana Meiry Aderaldo e Antonio Carlos Pires, o
 ilustrador Carlos Eduardo dos Santos Silva estuda na Escola
 Cantinho do Saber situada na cidade de Tauá – CE onde cursa o
 8º ano. Nasceu no dia 02 de abril do ano 1999 e gosta de
 desenhar, pois afirma que além de ter nascido com esse talento
natural também é muito bom no que faz.




                        41
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: ATHANARA ALVES DE SOUSA
ANO: 9º     TURMA: B          TURNO: TARDE
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA



                DECIDINDO MINHA PROFISSÃO
Em casa sozinha
Sozinha sem ter o que fazer
Peguei um caderno
E comecei a escrever
E pensando no futuro
Sobre o que ia acontecer.

Dos meus sonhos de criança
Comecei a lembrar
Nesse sonho eu lembrei
Que eu gostava de brincar
Mas hoje penso no futuro
E sei que quero trabalhar.

A minha profissão
Ainda não decidi
Pois tenho minhas dúvidas
Mas vou descobrir
Pois o tempo passa rápido
E sei que vou conseguir.

Na minha vida
Não posso mandar
Antes de alguma decisão
Sei que preciso estudar
Tenho que batalhar
Para um emprego conquistar.

Eu ainda não sei
Qual será minha profissão
Poderia ser engenheira
Que é uma ótima função
Mas o que sinto agora
È a verdadeira indecisão.

Mas acho que devo e posso
Os meus sonhos alcançar
Ser engenheira, quem sabe
Aqui ou em outro lugar
Deixando minha terra natal                        Ilustrador: Álefe Matias Nóbrega



                                 42
Para meu sonho conquistar.

Me formar em engenheira
Cursando uma faculdade
Não deixando de lado
Amigos e familiares
Se assim for meu destino
Que faça minha vontade.

Mas sei que não é fácil
Tenho que batalhar
Se surgir obstáculos
Não devo desanimar
Almejar uma profissão
Pois dificuldade haverá.

Mas assumir uma profissão
Precisa ter responsabilidade
Gostar principalmente
Ter força de vontade
Honrar a profissão
Sempre com honestidade.




                               43
BIOGRAFIA DA AUTORA:

                  Athanara Alves de Sousa nasceu no dia 23 de junho de
            1998 na cidade de Fortaleza, capital do estado do Ceará.
            Atualmente mora no município de Tauá há quatro anos.
                  Filha de Alberto Almeida e Ana Lúcia Alves que hoje são
           separados, mora com sua mãe. Estuda na Escola Cantinho do
          Saber cursando o nono ano do Ensino Fundamental. É uma aluna
         muito esforçada e se dedica bastante aos estudos.
             É uma garota muito extrovertida, simpática que gosta de ajudar
ao próximo.




         BIOGRAFIA DO ILUSTRADOR:

                 Álefe Matias Nóbrega nasceu na cidade de Fotaleza capital
           do estado do Ceará, tem 15 anos e mora atualmente no município
           de Tauá, onde estuda na Escola Cantinho do Saber.
                 Desde pequeno impressionava seus professores e colegas
          com a arte de desenhar.
                Filho de Carlos Alberto Nóbrega e Maria Rosângela da Silva,
         com seu desempenho e motivação pretende continuar desenhando e
      cursar Engenharia Civil futuramente.




                                    44
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: SARA ÍVNA MOREIRA LIMA
ANO: 9º     TURMA: B          TURNO: TARDE
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA



                   IDEIAS DE ADOLESCENTE
Voando sem destino
feito pássaros a vagar
a sombra de uma árvore
começo a cantar
alegrando toda gente
que de mim se aproximar.

Logo comecei a pensar
e tocou meu coração
olhando para o lado
vou vencer esse mundão
com fé e esperança
é minha obrigação.

Ainda sou muito jovem
muitos caminho a percorrer
É uma viagem intensa
Estudando posso vencer
Penso até em ser atriz
basta sonhar e querer.

Não jogue o sonho fora
É um aprendizado total
Valorize tudo que tem
nunca queira o mal
nem que seja por um segundo
busque seu ideal.

Meus pais sempre dizendo
estudar é a solução
mesmo com sono e cansada
Tenho força e dedicação
Vou fazer o impossível
Para me verem na televisão.

Toda noite peço a Deus
nas minhas orações
olhe para sua filha
dando-lhe realizações                                 Ilustrador: Álefe Matias Nóbrega
Saindo de minha terra


                                 45
deixo muitas recordações.

Amo muito minha terra
Tauá é o meu lugar
aqui não oferecem muito
É preciso longe buscar
sonhando ser atriz
Preciso me formar.

As pessoas dizem que é impossível
é mesmo muita ilusão
Estou bastante confiante
pois ando com pé no chão.
Um dia vocês vão ver
Eu trabalhar na Malhação.

O tempo passando
voando a minha frente
como se fosse um pássaro
cantando suavemente
Naquele instante eu senti
o sonho ardente.

NA longa estrada da vida
estranha e diferente
Deixo aqui um pouquinho
Dessa história inocente
sonho sempre bem alto
com ideais de adolescente.




                                    46
BIOGRAFIA DA AUTORA:

           Sara Ívna Moreira Lima, filha do agricultor Valdir Moreira da
    Silva e da professora Vausenira Mariano Lima, nasceu no dia 2 de
    abril do ano de 1998 na cidade de Tauá.
           Estuda na Escola Cantinho do Saber cursando o nono ano
    do Ensino Fundamental e define a si mesma como uma aluna
   engraçada.
         Ela é uma garota que não gosta de pessoas falsas, adora
escrever e ajudar os colegas quando precisam.




   BIOGRAFIA DO ILUSTRADOR:

          Álefe Matias Nóbrega nasceu na cidade de Fotaleza capital
    do estado do Ceará, tem 15 anos e mora atualmente no município
    de Tauá, onde estuda na Escola Cantinho do Saber.
          Desde pequeno impressionava seus professores e colegas
   com a arte de desenhar.
         Filho de Carlos Alberto Nóbrega e Maria Rosângela da
  Silva, com seu desempenho e motivação pretende continuar
desenhando e cursar Engenharia Civil futuramente.




                              47
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: ÊNIO STEFANI RODRIGUES CARDOSO CIDRÃO
ANO: 9º     TURMA: B            TURNO: TARDE
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA



                            MEU SONHO
A felicidade todos anseiam,
Mas apenas alguns conseguem encontrar,
A busca é difícil, é eterna,
Outros nem conseguem achar,
Achava que seria feliz rico,
E quando do conforto desfrutar.

Pelo menos era isso que eu pensava,
Até ontem quando fui me deitar,
Tive um sonho tão marcante,
Que minha opinião tive que mudar,
Descobri que toda essa ganância
A nenhum lugar iria me levar.

Era um povoado humilde
Onde passavam tinham que se cumprimentar
O rapaz respeitava a moça
Sua educação era exemplar
Sempre andavam rindo e prosando
Com um sorriso a contagiar.

As portas viviam escancaradas
Não tinham o que se preocupar
Ali não havia inimigos
E nem motivo para desconfiar
Não possuíam ambição
E nem vontade de cobiçar.

Os maridos sempre madrugavam
Na roça iam trabalhar
Nada de esmorecer
Seu prazer era plantar
Para dar de comer a família
E do seu esforço se fartar.

As mulheres não ficavam atrás
Cedo o fogão iam acender
Primeiro pegavam a lenha
Tinham que assim proceder
Não tinham fogão a gás
                                                      Ilustrador: Álefe Matias Nóbrega


                                      48
Deixar sujo, jamais
Iam nesse rojão até anoitecer.

As crianças auxiliavam as mães
E davam de comida ao gado
Sempre obedeciam aos pais
Não importa o que tenham mandado
Faziam com muito amor
E muito bem caprichado.

A tardezinha se uniam
E iam todos se sentar
Naquela mesa bem farta
Depois de comer iam comentar
Como era bom viver em família
E cada membro respeitar.

Depois de observar tudo isso
Não tive como me conter
Fiquei bastante curioso
Como eles podiam viver?
Sem muito dinheiro no bolso
E nem desejo de ter.

- Senhor, poderia me falar
O que tem de bom em viver
Num lugar tão pobre e sujo
Onde não tem o que fazer
No meio do nada
E o luxo, cadê?

- Eu lhe respondo satisfeito
Vivemos na felicidade
Unidos em família
Juntos até na adversidade
Aqui temos paz e alegria
Na base dos laços da amizade.

Na nossa vida humilde
Ar puro respiramos
Comemos do nosso trabalho
Verdadeiros amigos conquistamos
Estamos sempre alegres
Pois do amor desfrutamos.

- Do que adianta muito dinheiro
Se morremos e nada vamos levar?
Ele só traz medo e discórdia
Até ele se embriagar
Levando a ruína e a solidão



                                   49
Até quando então
Ficamos sozinhos a vagar.

A emoção invadiu meu coração
Muitas lágrimas derramei
Aquelas palavras eram profundas
Quando até que enfim me toquei
Que riquezas não são tudo
E que isso aprenderei.

De repente despertei
Mas de tudo vou me lembrar
Daquela vida simples
Que um dia quero levar
Daquele povo humilde
No coração irei guardar.

Aquela mensagem verdadeira
Vou te propagar
Para espalhar a felicidade
À aquelas que não a achar
Mostrando o que é ser feliz
E o sinônimo de amar!




                                  50
BIOGRAFIA DO AUTOR:
              Ênio Stefani Rodrigues Cardoso Cidrão nasceu no dia 13 de abril
        de 1999. Filho de Elizamar Soares e Teobaldo Júnior, mora com os
        avós maternos. Atualmente estudante sempre foi querido pelos
        professores, por causa da sua dedicação e meiguice. Gosta de
        confeccionar crônicas e sua matéria preferida é Matemática. Tem uma
        grande paixão por cálculos e descobrir soluções para problemas que
       envolvem números.
             Define a si próprio como um menino “muito família” que gosta de
    ser carinhoso com seus amigos, viver em harmonia e sintonia com as
pessoas respeitando seus direitos e entendendo seus deveres.




      BIOGRAFIA DO ILUSTRADOR:

              Álefe Matias Nóbrega nasceu na cidade de Fotaleza capital do
        estado do Ceará, tem 15 anos e mora atualmente no município de
        Tauá, onde estuda na Escola Cantinho do Saber.
              Desde pequeno impressionava seus professores e colegas com
       a arte de desenhar.
             Filho de Carlos Alberto Nóbrega e Maria Rosângela da Silva,
      com seu desempenho e motivação pretende continuar desenhando e
    cursar Engenharia Civil futuramente.




                                     51
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: VALDIZAR SALES SOBREIRA JÚNIOR
ANO: 9º     TURMA: B             TURNO: TARDE
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA



                        MINHA PROFISSÃO
Mais um dia a passar
E uma noite a chegar
Deitado em um sofá
O sono começa a aumentar
Sonhos estão por vir
E neles vou me inspirar.

Da minha vida já pensei em ser de tudo
De muito já sonhei
Em muitos lugares do mundo
Um pouco repousei
Voando sem destino
Sem saber onde chegarei.

De todos esses sonhos
De um deles vou desfrutar
Diante do meu pensamento
Eu quero me formar
Batalhando todos os momentos
Para um dia poder trabalhar.

A vida é assim
Muito complicada
Mas não podemos desistir
E seguir firme na estrada
Percorrendo os trilhos dos meus sonhos                Ilustrador: Álefe Matias Nóbrega
Nesta longa caminhada.

Mas como sou um jovem
Não tenho certeza do que serei
Serei alguém de respeito
E de tudo eu farei
E sabendo o conceito
Do poder que terei.

Com essa indecisão
Parei um momento e pensei
Veio no meu coração
Algo que me despertei
Agora preste bem atenção


                                     52
Advogado eu serei.

Uma profissão
Bem requisitada
Em meio essa multidão
Muito bem procurada
Onde muitas pessoas precisarão
Ser administradas.

Em meio aos meus sonhos
Uma coisa a me incomodar
A cidade onde eu moro
Não há oportunidade de estudar
Formações mais avançadas
onde pretendo me especializar.

Aos nossos políticos
Eu quero alertar
O futuro dos brasileiros
É para quem quer trabalhar
Trabalhos dignos e social
Em que eles podem ajudar.

Vocês nossos representantes
A quem nos devem dar valor
Quero que me escute
E não leve isso a caô
Traga mais oportunidade
Para alguém trabalhador.

Jovens inteligentes
De várias idades
Que gostam de estudar
Em minha comunidade
Espero mais oportunidade
E também mais qualidade.

Eu quero me formar
E daqui não quero sair
Aqui eu vou ficar
E esperar oportunidade vir
Mas como curso o nono ano
Dá tempo ela chegar aqui.

Mas não quero parar por aqui
Tenho que continuar
Para poder conseguir
E também me espelhar
Antes de advogado
Em direito quero me formar.



                                 53
Depois de me formar
Minha família eu quero ter
Alguém que eu possa amar
E também para entender
Viver assim feliz
Esse é o meu querer.

Agora meu sonho falado
Fica a dica
Hoje tudo ralado
Amanhã se multiplica
Não fique aí parado
Se expresse e reflita.




       BIOGRAFIA DO AUTOR:

               Filho de Edileuza Vieira e Valdizar Sobreira, Valdizar Sales
        Sobreira Júnior tem 15 anos e estuda na Escola Cantinho do Saber
        situada na cidade de Tauá – CE. Um garoto muito extrovertido, gosta
        de estudar, fazer cordéis e, geralmente, é vidrado no que faz.




     BIOGRAFIA DO ILUSTRADOR:

               Álefe Matias Nóbrega nasceu na cidade de Fotaleza capital do
         estado do Ceará, tem 15 anos e mora atualmente no município de
         Tauá, onde estuda na Escola Cantinho do Saber.
                Desde pequeno impressionava seus professores e colegas
         com a arte de desenhar.
               Filho de Carlos Alberto Nóbrega e Maria Rosângela da Silva,
        com seu desempenho e motivação pretende continuar desenhando e
       cursar Engenharia Civil futuramente.




                                    54
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: MARIA LETÍCIA ARAÚJO NORONHA
ANO: 8º      TURMA: B           TURNO: TARDE
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA



                      MINHAS LEMBRANÇAS
Entrando no meu quarto
Veio a me despertar
A lembrança de um sonho
Que me fez pensar.

Então refleti sobre o mundo
E nas pessoas com mias dignidade
Isso me fez questionar
Por que tanta crueldade?

Pensando num mundo melhor
Na melhoria para a igualdade
Onde os políticos poderiam contribuir
Para uma melhor humanidade.

Imaginei como seria o planeta
Se as pessoas fossem mais solidárias
Teríamos uma sociedade mais justa                         Ilustradora: Tayná Veloso dos Santos Lima
Um lugar onde as tradições seriam ainda mais admiradas.

Então pensei nos jovens
Que procuram uma formação
Onde o governo poderia trazer faculdades mais avançadas
Para sua especialização.

E percebi que a vida
Poderia ser ainda mais bela
Se contribuíssemos com a sociedade
Ajudando a melhorar ela.

Pensei por muito tempo
Sobre a vida
O mundo e as pessoas
E que existem nele muitas coisas boas.

Então parei um instante
E para terminar
Essa foi a lembrança de um sonho
Que agora vou finalizar.




                                        55
BIOGRAFIA DA AUTORA:

                Hoje com 13 anos, Maria Letícia Araújo Noronha estuda na
         Escola Cantinho do Saber. Nasceu na cidade de Tauá situada no
          estado do Ceará e onde permanece morando.
                 Gosta de ler poesias, cordéis, histórias em quadrinho, assistir
         filmes de romance, aventura e comédia. Procura sempre se esforçar
         nos estudos e ser uma boa aluna para que futuramente possa
        concluir o curso de Medicina, onde pretende se formar.
              Espera alcançar todos os seus objetivos e que possam surgir
     novas oportunidades para que possa se tornar uma pessoa melhor.




       BIOGRAFIA DA ILUSTRADORA:

                   Com 13 anos, Tayná Veloso dos Santos Lima estuda na
           Escola Cantinho do Saber. Nasceu na cidade de Patos de Minas -
            MG e com apenas um ano e meio veio morar no município de Tauá
            localizado no estado do Ceará onde permanece até hoje em sua
            jornada pela educação.
                   Gosta de ler poesias, cordéis do seu querido sertão
          nordestino, histórias em quadrinho e de desenhar. Ama assistir filmes
         de comédia e ficção científica que demonstram o outro lado da vida.
       Se expressa na escola como uma aluna exemplar e se esforça ainda
mais nos estudos para futuramente concluir o curso de Psicologia, onde
pretende se formar.
       Espera que a oportunidade de escrever textos possa aumentar ainda
mais suas chances de ser uma pessoa melhor no futuro e alcançar seus
objetivos: uma desenhista de mão cheia e uma pscicóloga que o mundo possa
reconhecer seu trabalho.




                                      56
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: MARIANA OLIVEIRA DOS SANTOS
ANO: 6º         TURMA: B                          TURNO: TARDE
PROFESSORA: KARLA SUELY SCARCELA AVELINO



                           O AMOR DO OUTRO LADO
                                                      Como posso explicar
                                                      Uma coisa do além?
                                                      Fantasminha camarada
                                                      ou alma do bem?
                                                      Coisas diferentes
                                                      que não conto a ninguém.

                                                      É difícil de entender
                                                      e também de falar
                                                      uma mãe que dá a vida
                                                      para o filho salvar
    Ilustradora: Larissa Kelly Alves dos Santos       e depois volta a terra
                                                      para dele cuidar.



      O filho pensa estar sozinho
      sem ninguém ao seu lado
      mas o menino inocente
      estava enganado
      sua mãe estava ali
      tendo todo cuidado.
                                                          Ilustradora: Larissa Kelly Alves dos Santos




                                                      O menino foi crescendo
                                                      e passou a entender
                                                      que aqueles arrepios
                                                      era pra lhe proteger
                                                      era sua mãe
       Ilustradora: Larissa Kelly Alves dos Santos
                                                      que lhe ajudava a crescer.


      E quando estava triste
      Já sabia chamar
      -Mãe venha aqui!
      Venha me ajudar
      estou muito triste
      quero você para abraçar.
                                                                                     Ilustradora: Larissa Kelly Alves dos Santos



                                                     57
E logo ele sentia
sua mãe lhe abraçar
um abraço apertado
para lhe acalmar
Que fazia qualquer tristeza
logo, logo passar.

É um amor que vai além
que nunca vai acabar
mesmo que um se vá
o outro sempre vai lembrar
e esse amor é capaz
de tudo superar.




      BIOGRAFIA DA AUTORA:

              Hoje com 12 anos Mariana Oliveira dos Santos nasceu no dia 23
       de maio de 2000, filha de Filomena Ferreira Sobrinha e Luis Carlos
       dos Santos. Mora atualmente na Rua Amâncio Cordeiro Junior,
       situada no Bairro Alto Nelândia na cidade de Tauá –CE. Gosta de
       estudar, navegar na internet, brincar com os amigos e passear. Detesta
      falsidade e a frase que mais gosta de dizer é “Tudo posso naquele que
      me fortalece!”.




      BIOGRAFIA DA ILUSTRADORA:
             A ilustradora Larissa Kelly Alves dos Santos com 13 anos de
       idade nasceu no dia 15 de julho de 1999. Filha de Francivaldo
        Gonçalves dos Santos e Marta Eliane Alves da Silva, mora na rua
        Juvêncio Gomes de Freitas situada no bairro Alto Nelândia. Gosta de
       estudar, desenhar, não gosta de pessoas falsas e a frase que Larissa
       mais gosta é: “Eu amo minha família!”.




                                     58
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTOR: ANTONIO ELIÉZO MORAIS DE OLIVEIRA
ANO: 6º      TURMA: B           TURNO: TARDE
PROFESSORA: KARLA SUELY SCARCELA AVELINO



             OS TRÊS FANTASMAS CAMARADAS
Em uma linda casa
Três irmãos moravam
E viajavam com o pai
Felizes eles planejavam.

O dia da viagem chegou
Eles acordaram de madrugada
O pai cansado não reclamou
E saíram pela estrada.

A chuva dificultava a visão
O pai cansado cochilou
Ele perdeu a direção
E a viagem desejada terminou.

Os três irmãos agora
têm uma nova morada
vivem ao lado dos anjos
E são três fantasmas camaradas.

Os três fantasmas camaradas
Não assustam a garotada
brincam e fazem graça
para animar a criançada.

São fantasmas camaradas
que orientados pelos anjos
ajudam com alegria
a salvar vidas nas estradas.


                                               Ilustrador: AntonioEliezo Morais de Oliveira




                                   59
BIOGRAFIA DO AUTOR E ILUSTRADOR:
        Filho de Fernando Chagas de Oliveira e hoje com 12
  anos, Antônio Eliezo Morais de Oliveira nasceu no dia 05 de
  março de 2000. Mora na Rua Monsenhor Odorico de Andrade,
  situada no Bairro Alto Brilhante. Adora jogar bola e vídeo game,
  andar de bicicleta e brincar com os amigos. Não gosta de
 confusões e a frase que marcou sua vida é “O Senhor é meu
pastor e nada me faltará!”.




                        60
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: LETÍCIA GONÇALVES PAULO
ANO: 9º     TURMA: B             TURNO: TARDE
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA



           SONHANDO NA FUTURA PROFISSÃO
Estava no meu quarto
Cansada de pensar
Então cochilei
E comecei a sonhar
Que o futuro está próximo
E não sei em que me formar.

No sonho eu estava
Sentada refletindo
Então chegou um senhor
E me disse sorrindo
- Venha cá comigo
Que eu te ajudo menino

O segui lentamente
Com medo do que ele fosse dizer
Ele disse não tinha medo
De errar e de sofrer
Porque vou te ajudar
A sua profissão escolher (...)

Quando me dei conta
Estávamos na faculdade
Procurando uma profissão
Que sonhava de verdade
Ser fisioterapeuta
E ajudar a comunidade.

O senhor que estava comigo
Sumiu de repente
Depois de um tempo
Olhei atentamente
E o pequeno homem
Não se encontrava com a gente.
Entrei na sala
E comecei a estudar
Mas percebi
Que não podia falar
E a professora
Não conseguia escutar. (...)                      Ilustrador: Álefe Matias Nóbrega



                                    61
Era como se eu
Não estivesse naquele lugar
Pois por mais que eu tentasse
Não podia me expressar
Como se estivesse em câmera lenta
Conseguir continuar.

Então foi muito difícil
A minha adaptação
Pois como tirar as dúvidas
Sem exercer a expressão?
Todos entendendo o conteúdo
Sem precisar apelação.

Setindo-me com um
Se m poder voar
E nos estudos
Não podia me aprofundar
Lenta como uma tartaruga
Que quase não pode andar. (...)

De repente acordei
Assustada e chorando
Mas não de tristeza
Sim porque estava me formando
Finalmente na faculdade
Que eu estava desejando.

Todos os meus amigos
Estavam a prestigiar
Aquele lindo momento
Que consegui realizar
E quando chegou a minha vez
Comecei a me emocionar. (...)

Terminando a festa
Voltei ao meu lar
E aos meus familiares
Eu fui contar
A grande novidade
Eu fui lhes dar.

Fui depressa à minha família
Contar a novidade
Que estava exercendo
Uma profissão de dignidade
Minha mãe ficou alegre
Se encheu de felicidade.




                                    62
Ficou feliz de ver a filha
Ajudando a sociedade,
As pessoas que precisavam
De ajuda de verdade
E de ver a filha
Exercendo sem desigualdade.

Portanto, hoje eu posso
Essa história contar
Que é a grande vitória
Que consegui conquistar
Depois de muito tempo
E com luta me formar.

“Os anos na faculdade
Me fizeram lembrar,
De todas as dificuldades
Que tive que enfrentar
Para que finalmente hoje
Eu pudesse me orgulhar”.




                              63
BIOGRAFIA DA AUTORA:

                  Letícia Gonçalves de Paulo nasceu no dia 15 de novembro do
           ano de 1997 na cidade de Paracuru no estado do Ceará, mas
           atualmente mora no município de Tauá onde estuda na Escola
           Cantinho do Saber.
                  A autora gosta de se envolver com os trabalhos escolares,
          atividades e fazer os projetos desenvolvidos pela escola. Tem vários
         objetivos a conquistar, por isso se empenha muito no colégio.
               Uma menina muito estudiosa que os pais investem muito para que
tenha uma educação de qualidade. Tem como matérias preferidas Português e
Literatura. Espera com toda luta e dedicação se formar em Medicina.




          BIOGRAFIA DO ILUSTRADOR:

                 Álefe Matias Nóbrega nasceu na cidade de Fotaleza capital
           do estado do Ceará, tem 15 anos e mora atualmente no município
           de Tauá, onde estuda na Escola Cantinho do Saber.
                 Desde pequeno impressionava seus professores e colegas
           com a arte de desenhar.
                Filho de Carlos Alberto Nóbrega e Maria Rosângela da Silva,
         com seu desempenho e motivação pretende continuar desenhando e
       cursar Engenharia Civil futuramente.




                                     64
E. E. I. F. CANTINHO DO SABER
AUTORA: TAYNÁ VELOSO DOS SANTOS LIMA
ANO: 8º      TURMA: B         TURNO: TARDE
PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA



                         VOLTA AO MUNDO
Em meu leito na cama,
Adormeço em teus braços
Pensando naquele sonho,
De desembaraços.

Mundo diferente,
costumes, línguas e tradições
Países em que pretendo conhecer,
Do planeta das modificações.

O sonho de minha vida,
Faço dele uma realidade.
Vou vivendo e construindo
Tudo com simplicidade.

Daquele sonho também vivi,
no mundo da fantasia
e no planeta esquisito,
Que só traz melancolia.

E me perguntei:
- O que fazer?
Prédios e casas
Dali sem conhecer.

Nesse sonho que vivi
na Cidade Maravilhosa,
De que um dia foi
da amizade gloriosa.

Me preocupei,
Se alguma hora ia despertar
Daquele sonho maluco,
Onde tudo parecia me atormentar.

Parei um instante,
Comecei a refletir
Com tanto país lindo
Porém não ia desistir.

                                                  Ilustradora: Tayná Veloso dos Santos Lima


                                   65
No país do México,
Estados Unidos e França.
É por onde quero passar
Para ter uma lembrança.

De repente,
Me vem a cabeça.
Se daquele sonho,
Um dia eu esqueça.

No tormento do esquisito
Tiro dele uma alegria
A vontade de estar perto
Dos puises de boa companhia.

No silêncio de meu sono
termino essa história,
Um marco na minha vida
Que vai ficar para sempre na memória.




      BIOGRAFIA DA AUTORA E ILUSTRADORA:

                 Com 13 anos, Tayná Veloso dos Santos Lima estuda na Escola
          Cantinho do Saber. Nasceu na cidade de Patos de Minas - MG e com
           apenas um ano e meio veio morar no município de Tauá localizado no
           estado do Ceará onde permanece até hoje em sua jornada pela
          educação.
                 Gosta de ler poesias, cordéis do seu querido sertão nordestino,
         histórias em quadrinho e de desenhar. Ama assistir filmes de comédia e
       ficção científica que demonstram o outro lado da vida. Se expressa na
    escola como uma aluna exemplar e se esforça ainda mais nos estudos para
futuramente concluir o curso de Psicologia, onde pretende se formar.
       Espera que a oportunidade de escrever textos possa aumentar ainda
mais suas chances de ser uma pessoa melhor no futuro e alcançar seus
objetivos: uma desenhista de mão cheia e uma pscicóloga que o mundo possa
reconhecer seu trabalho.




                                      66

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Contos de terror
Contos de terrorContos de terror
Contos de terrorrgrecia
 
00. ali's pretty little lies [pequenas mentiras da ali]
00. ali's pretty little lies [pequenas mentiras da ali]00. ali's pretty little lies [pequenas mentiras da ali]
00. ali's pretty little lies [pequenas mentiras da ali]Talles Lisboa
 
Primeiras Estórias
Primeiras EstóriasPrimeiras Estórias
Primeiras EstóriasDenise Faria
 
12. burned [queimadas]
12. burned [queimadas]12. burned [queimadas]
12. burned [queimadas]Talles Lisboa
 
Três Contos Populares Portugueses
Três Contos Populares PortuguesesTrês Contos Populares Portugueses
Três Contos Populares PortuguesesRicardo Leonardo
 
Cheiro de feijao, estrelas e sonhos
Cheiro de feijao, estrelas e sonhosCheiro de feijao, estrelas e sonhos
Cheiro de feijao, estrelas e sonhosLuciano Soares
 
O Erro - 3 primeiros capítulos
O Erro - 3 primeiros capítulosO Erro - 3 primeiros capítulos
O Erro - 3 primeiros capítulosIuri Montenegro
 
01.5. alison's diary [o diário da alison]
01.5. alison's diary [o diário da alison]01.5. alison's diary [o diário da alison]
01.5. alison's diary [o diário da alison]Talles Lisboa
 
Monteiro lobato -_Negrinha
Monteiro lobato -_NegrinhaMonteiro lobato -_Negrinha
Monteiro lobato -_NegrinhaTânia Sampaio
 
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitos
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitosContos tradicionais, fábulas, lendas e mitos
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitosVânia Salvo Orso
 
As confissoes das irmas sulliva natalie standifor
As confissoes das irmas sulliva   natalie standiforAs confissoes das irmas sulliva   natalie standifor
As confissoes das irmas sulliva natalie standiforgabriellaferreira17morais
 
Sala de heróis episódio 101
Sala de heróis episódio 101Sala de heróis episódio 101
Sala de heróis episódio 101thais78543
 

Mais procurados (16)

Contos de terror
Contos de terrorContos de terror
Contos de terror
 
00. ali's pretty little lies [pequenas mentiras da ali]
00. ali's pretty little lies [pequenas mentiras da ali]00. ali's pretty little lies [pequenas mentiras da ali]
00. ali's pretty little lies [pequenas mentiras da ali]
 
Primeiras Estórias
Primeiras EstóriasPrimeiras Estórias
Primeiras Estórias
 
12. burned [queimadas]
12. burned [queimadas]12. burned [queimadas]
12. burned [queimadas]
 
Três Contos Populares Portugueses
Três Contos Populares PortuguesesTrês Contos Populares Portugueses
Três Contos Populares Portugueses
 
aula trovad.
aula trovad.aula trovad.
aula trovad.
 
Cheiro de feijao, estrelas e sonhos
Cheiro de feijao, estrelas e sonhosCheiro de feijao, estrelas e sonhos
Cheiro de feijao, estrelas e sonhos
 
Letras com rugas
Letras com rugasLetras com rugas
Letras com rugas
 
Lenda africana
Lenda africanaLenda africana
Lenda africana
 
O Erro - 3 primeiros capítulos
O Erro - 3 primeiros capítulosO Erro - 3 primeiros capítulos
O Erro - 3 primeiros capítulos
 
01.5. alison's diary [o diário da alison]
01.5. alison's diary [o diário da alison]01.5. alison's diary [o diário da alison]
01.5. alison's diary [o diário da alison]
 
Monteiro lobato -_Negrinha
Monteiro lobato -_NegrinhaMonteiro lobato -_Negrinha
Monteiro lobato -_Negrinha
 
Contos africanos
Contos africanosContos africanos
Contos africanos
 
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitos
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitosContos tradicionais, fábulas, lendas e mitos
Contos tradicionais, fábulas, lendas e mitos
 
As confissoes das irmas sulliva natalie standifor
As confissoes das irmas sulliva   natalie standiforAs confissoes das irmas sulliva   natalie standifor
As confissoes das irmas sulliva natalie standifor
 
Sala de heróis episódio 101
Sala de heróis episódio 101Sala de heróis episódio 101
Sala de heróis episódio 101
 

Semelhante a Livro Digital

Artur azevedo a tia aninha
Artur azevedo   a tia aninhaArtur azevedo   a tia aninha
Artur azevedo a tia aninhaTulipa Zoá
 
Castanho, j. a fada da minha vida. conto. aveiro, aems 11_a
Castanho, j. a fada da minha vida. conto. aveiro, aems 11_aCastanho, j. a fada da minha vida. conto. aveiro, aems 11_a
Castanho, j. a fada da minha vida. conto. aveiro, aems 11_aRia da Escrita
 
Livro das Histórias Populares
Livro das Histórias PopularesLivro das Histórias Populares
Livro das Histórias PopularesDenilton Santos
 
Projeto branca de neve
Projeto branca de neveProjeto branca de neve
Projeto branca de nevesandramirandan
 
um-castelo-bem-assombrado (1).pdf
um-castelo-bem-assombrado (1).pdfum-castelo-bem-assombrado (1).pdf
um-castelo-bem-assombrado (1).pdfLucliaCuranPedrini1
 
Anexo planejamento - Merces
Anexo planejamento - MercesAnexo planejamento - Merces
Anexo planejamento - MercesMariadasMerces
 
CONTOS_AFRICANOS.pdf
CONTOS_AFRICANOS.pdfCONTOS_AFRICANOS.pdf
CONTOS_AFRICANOS.pdfElisabete51
 
Capítulo 1: Lulital - a magia começa
Capítulo 1: Lulital - a magia começaCapítulo 1: Lulital - a magia começa
Capítulo 1: Lulital - a magia começapribeletato
 
O tempo e o vento o arquilpel - erico verissimo
O tempo e o vento   o arquilpel - erico verissimoO tempo e o vento   o arquilpel - erico verissimo
O tempo e o vento o arquilpel - erico verissimoPatrick François Jarwoski
 
Humor e ensino: Helio Sant'Anna - Professor do Colégio Pedro II
Humor e ensino: Helio Sant'Anna - Professor do Colégio Pedro IIHumor e ensino: Helio Sant'Anna - Professor do Colégio Pedro II
Humor e ensino: Helio Sant'Anna - Professor do Colégio Pedro IIHelio de Sant'Anna
 
Histórias em família
Histórias em famíliaHistórias em família
Histórias em famíliaMarcia Neves
 

Semelhante a Livro Digital (20)

.
..
.
 
Contos africanos
Contos africanosContos africanos
Contos africanos
 
Contos africanos
Contos africanosContos africanos
Contos africanos
 
Contos africanos
Contos africanosContos africanos
Contos africanos
 
Artur azevedo a tia aninha
Artur azevedo   a tia aninhaArtur azevedo   a tia aninha
Artur azevedo a tia aninha
 
Castanho, j. a fada da minha vida. conto. aveiro, aems 11_a
Castanho, j. a fada da minha vida. conto. aveiro, aems 11_aCastanho, j. a fada da minha vida. conto. aveiro, aems 11_a
Castanho, j. a fada da minha vida. conto. aveiro, aems 11_a
 
Vila criança
Vila criançaVila criança
Vila criança
 
Livro das Histórias Populares
Livro das Histórias PopularesLivro das Histórias Populares
Livro das Histórias Populares
 
Projeto branca de neve
Projeto branca de neveProjeto branca de neve
Projeto branca de neve
 
um-castelo-bem-assombrado (1).pdf
um-castelo-bem-assombrado (1).pdfum-castelo-bem-assombrado (1).pdf
um-castelo-bem-assombrado (1).pdf
 
UM CASTELO BEM ASSOMBRADO.pdf
UM CASTELO BEM ASSOMBRADO.pdfUM CASTELO BEM ASSOMBRADO.pdf
UM CASTELO BEM ASSOMBRADO.pdf
 
Anexo planejamento - Merces
Anexo planejamento - MercesAnexo planejamento - Merces
Anexo planejamento - Merces
 
CONTOS_AFRICANOS.pdf
CONTOS_AFRICANOS.pdfCONTOS_AFRICANOS.pdf
CONTOS_AFRICANOS.pdf
 
A história do pinda
A história do pindaA história do pinda
A história do pinda
 
Contando Histórias
Contando HistóriasContando Histórias
Contando Histórias
 
Capítulo 1: Lulital - a magia começa
Capítulo 1: Lulital - a magia começaCapítulo 1: Lulital - a magia começa
Capítulo 1: Lulital - a magia começa
 
O tempo e o vento o arquilpel - erico verissimo
O tempo e o vento   o arquilpel - erico verissimoO tempo e o vento   o arquilpel - erico verissimo
O tempo e o vento o arquilpel - erico verissimo
 
Mitos e lendas
Mitos e lendasMitos e lendas
Mitos e lendas
 
Humor e ensino: Helio Sant'Anna - Professor do Colégio Pedro II
Humor e ensino: Helio Sant'Anna - Professor do Colégio Pedro IIHumor e ensino: Helio Sant'Anna - Professor do Colégio Pedro II
Humor e ensino: Helio Sant'Anna - Professor do Colégio Pedro II
 
Histórias em família
Histórias em famíliaHistórias em família
Histórias em família
 

Último

472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...GisellySobral
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguaKelly Mendes
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxCarolineWaitman
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 

Último (20)

472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 

Livro Digital

  • 1. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: MARIA VICTÓRIA BEZERRA NASCIMENTO ANO: 8º “A” TURMA: B TURNO: MANHÃ PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA GÊNERO: NARRAÇÃO A CASA E OS QUATRO FANTASMAS Você pode até não acreditar, mas eu juro de dedos cruzados que é verdade. No outono do ano passado tinha ido passar o “feriadão” numa casa no interior de São Paulo com minhas amigas Samantha e Júlia. Chegando lá, Samantha me perguntou com os olhos arregalados. – Porque você escolheu essa casa, sua sem noção? – Como assim, por quê? Eu avisei aonde era! - respondi meio indignada com a sua pergunta. – Gente, vocês não conhecem a história dessa casa?! Então eu vou contar. Por volta de 1920, nessa casa morava um casal com três filhos. Eles eram muito felizes e amigos de todos que conheciam, até que um dia o homem ficou viciado em bebida; na real ele já gostava da coisa, mas bebia socialmente. Devido àquela doença o homem mudou bruscamente o comportamento em casa, virou uma pessoa truculenta e bruta com a sua esposa e filhos. Um dia ele tinha bebido bastante, seu filho mais velho o desobedeceu e ele com muita raiva pegou um “pau” e o ameaçou, então sua esposa disse: – Me bata, mas não bata nele. Sem pensar duas vezes, ele a matou com uma só paulada. Depois desse terrível episódio o homem matou os seus filhos e para não ser descoberto ele enterrou os corpos no quintal. Anos depois morreu de remorso. A defunta e seus filhos viraram almas impiedosas devido à forma tão bruta com que foram mortos e dizem que até hoje eles assustam todos que chegam perto da antiga casa. Fim! 1
  • 2. Júlia e eu nos retiramos da sala sem dizer nada, estávamos com tanto medo que não conseguimos abrir a boca. Fui dormir com certo receio, mas acabei pegando no sono. Quando acordei de manhãzinha olhei para o quintal e pela janela vi quatro buracos fundos no chão. (não comentei nada com ninguém, pois achei que era besteira). Naquela noite o frio era bem grande, frio de tremer os lábios e tremer os dentes; o vento fazia com que os galhos batessem nas janelas de vidro trincado, qualquer barulho era motivo de medo. Como eu estava com fome fui à cozinha para comer algo, com as pernas tremendo, mas fui. Na volta senti alguma coisa me seguindo, olhei para o espelho do corredor e lá estava a criatura mais fétida e horripilante que eu já tinha visto. Seus olhos eram avermelhados de tanto chorar, seu cabelo era desgrenhado, seu corpo era magricela e corcunda e na sua cabeça ainda tinha a marca da paulada que lhe tinha sido fatal. Sai correndo e chamei Samantha e Ju, para irmos embora. Antes de dar a partida no carro lembrei-me que tinha levado o meu gatinho, pois eu não tinha com quem deixá-lo, quando cheguei na casa, vi sua coleirinha e ao lado tinha um bilhete que dizia: “Se pisares os pés aqui mais uma vez, não ouvirão mais os meus gritos!” Próximo ao bilhete tinha marcas de sangue da mão de um adulto e três de crianças. Saí correndo, nem vi as pedras que tinha no caminho, não sei como consegui dirigir até em casa. – A mulher e os três filhos? Se quiser saber, vá lá e comprove. Mas uma coisa eu garanto, nunca mais eu ponho os pés naquela casa. 2
  • 3. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: MARIA VICTÓRIA BEZERRA NASCIMENTO ANO: 8º “A” TURMA: B TURNO: MANHÃ PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA GÊNERO: NARRAÇÃO A PRINCESINHA QUE CAIU NO SONO Era uma vez num reino muito bizarro, vivia o rei do rock’roll Armando que se casou com a rainha do pop Arabela. Juntos fundaram um reino de Candentown, que era a mistura desses dois gêneros musicais fascinantes. Depois de algum tempo Arabela conseguiu finalmente ter sua tão esperada filha, cujo nome era Lyra. Os reis fizeram um chá de bebê para comemorar o nascimento da pequenina, só fizeram isso, pois aquela era uma época de vacas magras e estava faltando lã, que era a base da economia de Candentown. Arabela se encarregou de convidar todas as fadas de todos os reinos, inclusive as de Candentown. As quatro fadas do reino que foram convidadas eram: a fada da música, a fada das artes cênicas, a fada da moda e, finalmente a fada do tear (que por sinal era a mais rancorosa). Por ser muito distraída, a fada do tear não achou o convite. Chegando o dia do Chade bebê... – Vocês vão me pagar caro por não ter me convidado pra essa festa de bacana, viu?! Além de eu estar armando esse barraco histórico, a filha de vocês, aos 15 anos, vai se espetar numa agulha bem enferrujada e morrerá. Constatou a fada do tear. Com todo aquele fuzuê, as fadas foram embora sem abençoar a pequena Lyra. Porém, restou uma (a fada da música, que por sinal era hippie) que disse: –Relaxa coroa, sua filhinha não vai morrer não, só vai dormir por insignificantes cem anos e só acordará (antes) se o seu verdadeiro amor lhe 3
  • 4. der um selinho, ai sim! Ah não fique grilada não, viu dona Arabela, que vocês não vão envelhecer falou? Arnaldo e Arabela, sabendo que não poderiam desaparecer com todas as agulhas do reino, sempre tentaram arranjar noivos para sua filha, mas, ela nunca se interessava por nenhum deles. No seu aniversário de 15 anos, Lyra subiu na torre mais alta do castelo e avistou uma “linda” agulha enferrujada numa maquina de tear; como nunca tinha visto uma agulha de perto, a jovem espetou o dedo naquela arma letal e caiu num sono profundo, afetando assim todo o reino. Cem anos depois um príncipe que havia se interessado pela historia de Lyra, venceu todos os obstáculos naturais que tinha se formado ao redor do castelo. Ao chegar ao quarto da garota que pela idade não era jovem assim, se apaixonou a primeira vista por ela e a beijou como se não houvesse amanhã. Ao acordar, Lyra se apaixonou pelo príncipe e junto com ela todo o reino acordou. Um ano depois Arabela e Armando descobriram que a tal fada morreu de solidão, pois ninguém confiava nela. E a partir daí eles passaram a ensinar a todos que “A bondade é necessária para a vida se tornar mais bela”. Ah, já ia me esquecendo! Só pra confirmar os noivos se casaram e tiveram muitos filhos. E também forma felizes para sempre. 4
  • 5. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: MARIA VICTÓRIA BEZERRA NASCIMENTO ANO: 8º “A” TURMA: B TURNO: MANHÃ PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA GÊNERO: NARRAÇÃO UM DUENDE REBELDE Na cidade encantada de SweetVille, viviam dois duendes, Filipino e Napoleão. Eram filhos da fada Roseta (a fada das flores), eles não eram com firmeza filhos dela, mas eram filhos de coração, pois ela adotava os bebês que os seres encantados abandonavam. Filipino era um duende carinhoso e bondoso, ajudava Roseta em tudo; ao contrário de Napoleão que apesar de muito bonito, tinha frieza por dentro, zangado e sempre fazia más criações. Roseta tentava uma “análise” nos pensamentos do guri rebelde, mas ele não abria seu coração e sempre dizia: – Eu sou homem e homem não chora! Com os olhos por um triz de abrir a torneirinha das lágrimas. Um dia a charmosa Roseta teve uma ideia: Napoleão só confia em Filipino, chamarei a elfa dos disfarces e pedirei para que se vista como Filipino e ele abrirá seu coração! Feito isso, a fada descobriu o que afligia seu filho. Na realidade ele sofria de bullying na escola, por ser muito inteligente, os populares o chamavam de “nerd” e ele ficava deprimido por conta disso. Roseta conversou com Napoleão e contou tudo, então ela começou uma campanha contra o bullying, junto com outros pais. Napoleão parou de sofrer as agressões, passou ajudar sua mãe nas tarefas e virou um guri atencioso com todos, pois ele tinha muitos amigos e não era mais menosprezado por seus colegas. Enfim, Napoleão e todos de SweetVille viveram felizes para sempre (pelo menos até onde eu sei). 5
  • 6. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: ÊNIO STEFANI RODRIGUES CARDOSO CIDRÃO ANO: 9º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA GÊNERO: NARRAÇÃO BERRANDO POR UM CARNEIRO A família estava toda reunida naquele almoço de domingo, todos estavam felizes por estarem juntos naquele momento, contavam piadas, histórias de vida e planos futuros. Lá vinha a vovó com aquela tigela de carneiro assado com aquela panela de feijoada bem cozidinha, com um cheiro de acordar até defunto! Mamãe iniciou sua oração, papai começou a resmungar de fome, meus irmãos cutucavam o carneiro discretamente e vovô já estava botando seu prato como se nada tivesse acontecendo. - Amém! – todos diziam aliviados. Todos atacavam o carneiro como se fosse a última comida do mundo, era um cutucando dum lado e outro, em dez minutos acabou todos os pedaços da vasilha, não sobrou nenhum. - Huuum! Que comida boa dona Quitéria. – dizia meu pai de boca cheia – A senhora não é santa, mas faz milagre! - Você devia agradecer por ter comida na mesa, pois com essa seca que está tendo em Tauá, daqui a pouco nós vamos ter que se aperrear para comprar comida. – falou a vovó preocupada. Enquanto todos comiam desesperadamente, vovô começava a fazer umas caretas e levantar as suas mãos para o céu, todos pensavam que meu avô estava agradecendo ao Senhor pela comida satisfatória e farta, mamãe, que como eu disse, era a religiosa da família, elogiou o avô por um ato tão nobre. Vovó como era esperta percebeu algo de errado quando o seu esposo começou a ficar roxo e a tossir sem parar. Não demorou muito e o resto da família também percebeu e começaram a ficar preocupados com o “rebuliço”. 6
  • 7. - Acuda o papai Francisco! – dizia minha mãe muito nervosa se direcionando ao meu pai. Papai bateu a mão nas costas do sogro inúmeras vezes e nada acontecia. Meu tio que estava no almoço pegou as pernas do meu avô duma vez, virou ele e ficou balançando o coitado. Então vovó mandou minha irmã ir buscar água no pote, mas para desespero de todos, o pote estava seco. - Vá chamar ali o médico que mora ali, vai! – gritava a vovó aos prantos. - Ele foi pra seresta ontem à noite e ainda está de ressaca o irresponsável. – falava minha mãe sem esperança. E todos viam meu pobre avô passando mal e tossindo sem parar para a agonia de vovó. Todos começaram a chorar e ficaram desesperançosos quando meu avô para e começa a dizer: - Ah, ainda bem que parei, fiquei doidin quando você disse que não ia ter mais carneiro enquanto tivesse seca. Todos olharam para o vovô com um olhar perplexo e então voltaram a comer, desesperadamente! 7
  • 8. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: VALDIZAR SALES SOBREIRA JÚNIOR ANO: 9º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA GÊNERO: NARRAÇÃO O LUGAR ONDE VIVO Andando de carro pela cidade com meu pai, percebi que há várias coisas bonitas, coloridas e charmosas onde eu moro. Lugar um pouco pequeno, com pessoas elegantes e simpáticas, onde geralmente se ver um gesto amigável de se viver. Paramos em um restaurante para almoçar e pedimos o mais famoso prato que existe em Tauá, aquele saboroso carneiro que na região todo mundo quer provar. Em época de inverno o nosso forte em comida fica a desejar, pois tudo fica mais gostoso onde o verde começa aflorar. Mas não há como falar de Tauá e deixar de falar do sol que por algumas partes é bom e por outras ruins. Aquele carneiro que todo mundo aprova acaba ficando mais fraco, a vegetação vai acabando, açudes secando e solo rachando. Os tauaenses ficam nervosos com medo de tudo acabar, mas como Deus é maravilhoso, isso tudo irá passar. Uma coisa surpreendente ao acontecer, aquele sol a queimar as nuvens a escondê-lo, o povo a se alegrar com os rios a encher e a chuva cai em Tauá onde todos se alegram em ver. Em meio ao inverno o sol não deixa perdoar, aqui é lugar muito quente que chegou até a ganhar uma Usina Solar. Como astro excepcional, alguma coisa do Sol pode se aproveitar. Um meio sustentável é uma grande riqueza em nosso lugar. 8
  • 9. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: MARIA VICTÓRIA B. NASCIMENTO ANO: 8º “A” TURMA: B TURNO: MANHÃ PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA GÊNERO: NARRAÇÃO POBREZA No interior de Manaus vivia que sobrevivia com base na coleta do látex. Eles viviam aparentemente bem, tinha uma casa, os pais trabalhavam, os filhos estudavam e nunca faltava comida na mesa. Mas, mesmo tendo uma vida regular, o pai por ser muito ambicioso queria muitas riquezas como: mansões, carros importados e tudo que tinha direito. Com isso em, mente, o homem decidiu ir para a capital. Falou com sua esposa e filhos e mesmo depois de relutarem, concordaram. Chegando a São Paulo, a família teve dificuldades para se estabelecer; mas com um ano e poucos meses na cidade, a mulher e o homem conseguiram um trabalho descente. Um caso raro, afinal não é todo dia que se consegue um trabalho bom numa metrópole. O homem conseguiu o que queria muitas riquezas e virou um empresário bem sucedido. Mas com o passar dos anos perdeu o amor pela família e pela vida, virou uma pessoa rancorosa e não tinha mais carinho pela família. Algum tempo depois ele morreu de tristeza e sua família ficou com a lembrança de quando eram pobres e tinham amor. 9
  • 10. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: GABRIELE MONTEIRO DO NASCIMENTO ANO: 5º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: SIMONI LOIOLA LIMA GÊNERO: FÁBULA A ESPERTEZA DA RAPOSA A raposa estava velha demais, por isso, já não conseguia caçar como antigamente. Fazia dias que não comia e seu estômago roncava de fome. Um dia, deitada à sombra de uma árvore, a raposa começou a sentir um cheiro delicioso de comida. Levantou-se e avistou uma carroça carregadinha de sardinha que ia em direção ao mercado. Assim que viu a carroça, a raposa pensou em comer os peixes. E quando o carroceiro pensou no dinheiro que ganharia com a venda daquela valiosa pele. Sem perder tempo, levantou a espingarda, fez a mira e disparou. Para sorte da raposa, além de enxergar mal, o carroceiro tinha péssima pontaria. Para o azar do carroceiro, a raposa era esperta e teve logo uma ótima ideia: cair no chão e fingir-se de morta. Foi o que fez. Orgulhoso da sua façanha, o homem desceu, pegou sua caça, jogou na carroceria e seguiu viagem. Lá atrás, a raposa comeu peixe até não poder mais e fugiu satisfeita, levando algumas sardinhas para a próxima refeição. Moral: Os gananciosos colhem o que merecem. 10
  • 11. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: MARIA LETÍCIA QUININO CARACAS ANO: 7º TURMA: A TURNO: MANHÃ PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA GÊNERO: NARRAÇÃO A ASSASSINA DA ESQUINA Em 1888 ocorreu uma série de assassinatos causados por um homem que se assinava por Jack o estripador. Uma mulher estava passeando por uma sombria rua e foi esgoelada e estripada até as tripas saírem. Essa mulher fez um pacto em troca da alma para voltar à vida e se vingar. Finalmente em 1901 essa pobre coitada voltou para se vingar desse serial killer e no dia 30 de outubro ela finalmente concluiu a sua tão preciosa vingança. Anos depois com a guerra entre os Estados Unidos e a Inglaterra os soldados americanos invadiram a cidade de Londres onde estava aquela esquina e a mulher decidiu voltar a matar. Atualmente a assassina ainda está na esquina esperando fazer justiça com suas próprias mãos. Então tome cuidado e olhem por onde andam, pois ela pode estar bem do seu lado em qualquer esquina. 11
  • 12. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: PALOMA LOIOLA LEITE ANO: 7º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA GÊNERO: NARRAÇÃO A BRUXA DO GUARDA-ROUPA Certo dia algumas amigas estavam na escola quando elas decidiram que no dia seguinte iriam matar aula para viajar para uma casa no interior de “Cococi” nos sertões dos Inhamuns. No dia seguinte disseram para os pais que iam à escola, mas na verdade foram para a casa no interior. Chegando lá, se hospedaram e descansaram um pouco. Logo após foram conversar na sala e uma dela propôs um desafio. O desafio era que cada uma fosse ao guarda-roupa e falasse a seguinte frase: “Apareça, apareça bruxa feia, apareça!”. Tinham que dizer isso porque ela morreu quando estava escolhendo uma roupa no seu guarda-roupa e até então aterroriza as garotas que falam essa frase. Elas aceitaram o desafio e foi uma de cada vez. A primeira falou, mas logo morreu e as outras ficaram assustadas. No mesmo dia elas foram para casa na cidade. Ficou tudo bem com as outras garotas que sobreviveram, mas depois desse fato elas nunca fizeram aquele desafio novamente. 12
  • 13. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: STEFANNY PEDROSA SALES ANO: 7º TURMA: A TURNO: MANHÃ PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA GÊNERO: NARRAÇÃO A MENINA DA LUA Uma janela simples, mas com um mistério assustador. Um gato preto grande de olhos vermelhos numa pequena janela pequena que aparece somente à meia-noite na sexta-feira em dias de lua cheia. Na casa de uma menina chamada Magali, uma adolescente fechada com os amigos e com os familiares, que gosta de passar o tempo em seu quarto onde existe essa janela misteriosa. Ela não gosta de ficar andando na casa toda, passa a maior parte do tempo no seu cantinho sozinha. Sua mãe brigava porque ela não queria sair do quarto e ela dizia que estava cansada, porém o que será que ela tanto faz no quarto? Certo dia sua mãe a chamou para ir até à escola e nada dela responder, então sua mãe chamou o pai dela e arrombaram a porta. Ela não estava lá, mas em cima da cama estava uma carta escrita por ela que dizia: “Fui embora, porém estou feliz com meu amigo pretão. Todas às noites venho visitá-los com o meu amigão. Adeus, foi muito bom conhecer vocês, mas a lua é minha casa e nela sempre viverei.” 13
  • 14. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: FRANCISCA MARIA DA LUZ NASCIMENTO ANO: 6º TURMA: A TURNO: MANHÃ PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA GÊNERO: NARRAÇÃO A MENINA DO CORREDOR Há muito tempo atrás quatro alunos brincavam no corredor do colégio quando um grave acidente aconteceu, Ariela morreu e ficou assombrando os corredores do colégio. Por conta disso o colégio acabou sendo fechado porque todos os meses na data em que Ariela, conhecida como a menina do corredor, matava um aluno no corredor do colégio. Depois de muitos anos o colégio foi reaberto e num dia à tarde quando acabou a aula, três irmãos brincavam no corredor quando Geovana falou: - Vou beber água, volto já. Ao sair da sala ela ouviu uma conversa entre a professora e o zelador. Eles falavam de uma menina que havia morrido nos corredores do colégio. Geovana foi correndo contar para seus irmãos e enquanto contava ouviu vozes, risadas e coisas se quebrando. De repente Ariela apareceu toda sangrenta e Geovana juntamente com seus irmãos correram para casa quando ouviram uma voz suave chamando: - Paulo vem aqui. Ele pensou que era sua mãe, mas quando chegou lá era a menina do corredor. Ela tentou matá-lo e Paulo começou a gritar por socorro. Geovana e Felipe foram ajudar seu irmão, mas ao tentar ajudar o irmão eles foram mortos pela menina do corredor juntamente com Paulo. Dizem que ela ainda assombra os corredores desse colégio. Cuidado para não dar de cara com a menina do corredor. 14
  • 15. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: GABRIEL RICARTE DE ARAÚJO ANO: 7º TURMA: A TURNO: MANHÃ PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA GÊNERO: NARRAÇÃO A VIGANÇA DOS ALUNOS Em uma manhã, estudavam em uma sala de aula quatro alunos: Leandro, Mateus, Álef e Gabriel. Leandro insultava com Gabriel chamando-o até de quatro olhos, já Mateus insultava o Álef chamando ele de cabeção, todos os dias era a mesma coisa. Passaram-se alguns dias, Álef e Gabriel combinaram de matar Leandro e Mateus. No dia seguinte eles mataram seus inimigos com armas de fogo. Álef e Gabriel voltaram a estudar, quando Mateus e Leandro aparecem e os matam enforcados, logo após chegam às professoras e encontram eles mortos na sala. E a partir desse dia a sala foi destruída, a escola fechou e a cidade ficou aterrorizada. Essa lenda ficou conhecida por todo o mundo como a lenda da vingança dos alunos. 15
  • 16. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: RAQUEL PEREIRA E SILVA ANO: 7º TURMA: A TURNO: MANHÃ PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA GÊNERO: NARRAÇÃO A ESPOSA MALIGNA Todos os dias Robert Cruise e sua esposa Mebiu Cruise passeavam pela cidade de Nova York, eles adoravam as lindas paisagens da cidade. No dia 10 de fevereiro de 1999no último passeio feito em família, Mebiu morreu inesperadamente com dois tiros. A morte dela trouxe muita dor para Robert que a amava muito. Anos se passaram e Robert conheceu Bella e se apaixonou desesperadamente. Ela era uma mulher muito graciosa e que se rendeu de corpo e alma para Robert. O fantasma de Mebiu não ficou satisfeito com a notícia e decidiu assombrar a nova amada de Robert até ela sair de perto dele. Bella estava assustada, mas não saía de perto dele. Bella viu que só tinha um jeito de mudar a situação, deixou bem claro para Mebiu que amava Robert e prometeu cuidar dele até a morte. E assim todos foram felizes e a maldição foi desfeita no dia 10 de fevereiro de 2000, quando Bella e Robert se casaram. 16
  • 17. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: EMANOEL MESSIAS DOS SANTOS ANO: 6º TURMA: A TURNO: MANHÃ PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA GÊNERO: NARRAÇÃO A FERA DO MAR Muitas vezes quando um pescador joga lixo no mar as águas mudam de cor, não por causa de lixo, mas porque irritam a fera do mar. A fera tem corpo de cobra com cabeça de dragão, a pele ardente que queima como fogo e na água se torna fria. Dentro da Terras e esconde os ovos da fera do mar. Certo dia um homem e seu amigo foram pescar e quando terminaram de comer jogaram os restos de alimento no mar. Começaram a se afastar quando rapidamente a fera do mar saltou da água e os espremeu queimando-os com sua pele. A criatura voltou para a água com os dois presos e lá embaixo deu os restos para o seu primeiro filho, que em breve faria a mesma coisa ou pior. Na cidade foi publicado “Monstro marinho devora dois pescadores por causa de lixo”. A notícia foi publicada em todos os lugares. Então pregaram uma placa dizendo: Cuidado! Preserve esse local por causa do monstro marinho. Preserve a natureza, se uma fera dessa protege a água, imagine os que protegem a Terra e o ar. 17
  • 18. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: ISABEL TEIXEIRA ARAÚJO ANO: 6º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: KARLA SUELY SCARCELA AVELINO GÊNERO: POEMA AMOR CEGO Existe um certo rapaz Ter muitos filhos Vivendo grandes emoções, E uma boa morada. Vítima do anjo cupido Ver seus sonhos acontecer Das flechas da paixão, Sua sina realizada, Pois por uma certa moça Viver feliz eternamente Entregara seu coração. Ao lado de sua amada. Sua paixão pela moça Mas ela vivia um dilema Era tipo encantado Um grande tormento, Pensava nela todos os instantes, Pois havia um empecilho Parecia sapo encantado, Que impedia o casamento. Sentia-se muito feliz A moça não enxergava, Como um pinto no melado. Era cega de nascimento. Trabalhava o dia inteiro Mas o rapaz não sabia E tinha uma rotina corrida, Que ela era cega até então. Mas todos os dias ele ia Disse pra ela não ficar triste Encontrar a sua querida, Pois não se importava não. Dizia todo orgulhoso Falou que casaria Que ela era o amor de sua vida. A resposta vinha do coração. Abandonou seus estudos Eles se casaram e foram felizes, Para poder trabalhar. Foi assim que aconteceu: Seu maior desejo Tiveram lindos filhos Era com ela se casar, Frutos do amor que não morreu. Ganhar muito dinheiro Amor não ter perfeição, E uma boa vida lhe dar. Cego do olho e caolho de coração. 18
  • 19. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: RODRIGO ANTÔNIO DE SOUZA HOLANDA CAVALCANTE ANO: 9º TURMA: A TURNO: MANHÃ PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA GÊNERO: POEMA AMOR, INFINITO AMOR Olha pra mim você já sabe O que sinto não é mais um segredo Eu sempre quis alguém assim, Para me amar e cuidar de mim. E eu prometo, vou te retribuir Tudo aquilo que tem feito por mim Ah! Eu prometo te fazer mais feliz E ser tudo que você sempre quis. E quando você chorar Eu vou estar aqui para te abraçar Palavras nem sempre vão adiantar Mas você será o brilho no meu olhar. Amor, jamais deixarei você Foi difícil chegar até aqui Mas você sempre me fazia sorrir Segurava minha mão dizendo: “Deus conosco está E o nosso amor resistirá Olha pra mim leia em meus olhos Jamais deixarei você!” 19
  • 20. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: RÔMULO WELLINGTON RIBEIRO MENDES ANO: 6º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: KARLA SUELY SCARCELA AVELINO GÊNERO: POEMA FALANDO DE TAUÁ No lugar onde eu vivo tem carneiro assado, Bom de se comer feito na brasa. Na minha cidade não tem violência, Cada um se respeitando com muita consciência. Na minha cidade é bom de se viver, Cada um no seu canto sem se desrespeitar. Na minha cidade tem muito a se desejar Tapioca, farofa e até vatapá. Na minha cidade é bom de se cultivar E tem carneiro e bode no campo a pastar. A minha cidade é bonita de se ver Montanhas e rios, são belezas pra valer. A minha cidade falta água, Com essa seca é difícil de se sobreviver. Como a vida é dura O povo do Sertão vive a sofrer. 20
  • 21. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: SABRINA HELLEN ANO: 6º TURMA: TURNO: TARDE PROFESSORA: KARLA SUELY SCARCELA AVELINO GÊNERO: POEMA MINHA CIDADE QUERIDA Na cidade em que moro É muito bonito ver as crianças brincando Se divertindo, o galo cantando O dia raiando, como é lindo o nosso campo. Aqui só é ruim porque é quente Mas quando chove tudo fica contente. A chuva caindo de amor E a gente sentido o cheiro da flor. Em Tauá tem lugares para passear, No Parque da Cidade As crianças gostam de brincar, Lá elas mostram que são felizes de verdade. 21
  • 22. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: FELIPE OLIVEIRA DA SILVA ANO: 6º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: KARLA SUELY SCARCELA AVELINO GÊNERO: POEMA O LUGAR ONDE VIVO Estou aqui para lhe falar Essa cidade é demais Da cidade de Tauá Por ela tenho paixão Lugar legal Cidade dos bodes do povo do Tem um nome especial. Sertão, Cidade de Tauá que ta no meu Esta cidade é glamorosa coração. Localizada no Sertão Habitada por gente amorosa O que eu posso dizer É de bom coração. Da nossa serra Abençoada pelo Paizão Uma terra muito linda Que lá de cima cuida Mas é quente de montão Pra amanhecer o solzão. Uma das comidas preferidas O povo escolhe o baião. 22
  • 23. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: BRENDA MOREIRA LOIOLA ANO: 9º TURMA: A TURNO: MANHÃ PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA GÊNERO: POEMA PAIXÃO QUE LEMBRO Hoje eu acordei Com uma vontade de falar De um amor do passado Que sempre vou lembrar. No começo éramos amigos Mas ele me conquistou Foi tudo tão rápido Que me apaixonou. Tenho lembranças lindas Que nunca vou esquecer Juntos temos uma história Que todos querem ter. Tudo foi muito bom Mas foi só uma paixão O considero como amigo Mas quando o vejo ainda Sinto uma emoção. Falei dos meus sentimentos Precisava desabafar Vendo o que escrevi Me lembro de tudo E sei que sempre vou lembrar. 23
  • 24. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: KAYANNE GONÇALVES DE OLIVEIRA ANO: 5º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: SIMONI LOIOLA LIMA GÊNERO: POEMA SER CRIANÇA É bom ser criança Ter toda a atenção. Da mamãe o carinho, E do papai a proteção. É tão bom se divertir E não ter que trabalhar Só comer, crescer, dormir e brincar. É bom ser criança E não ter que se preocupar Com a conta do banco, Nem com os filhos pra criar, Só brincar, brincar e brincar. É bom ser criança Ter amigos de montão, Pulando e saltando Tirando os pés do chão Soltando pipa e jogando bola com muita diversão. 24
  • 25. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: MARIANA OLIVEIRA DOS SANTOS ANO: 6º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: KARLA SUELY SCARCELA AVELINO GÊNERO: POEMA TORRÃO QUERIDO Olá minha gente amiga A cidade de Tauá Preste bastante atenção, É bonita por natureza Pois quero falar um pouco Tem o açude Favela Da cidade de Tauá. Mostrando sua beleza. O lugar onde vivo É no Sertão do Ceará, O nosso povo A minha cidade vive da agricultura, Tem o nome de Tauá. Tem ano que é bom Se quiser conhecer, Que tem muita fartura, Então venha pra cá. Tem feijão e milho E até a verdura. Temos o rio Trici Que corta a cidade Tauá está crescendo E o Serrote Quinamuiú Aumentando a população. Beleza de verdade. Terra de barro vermelho Gosto muito de Tauá Que amo de coração. Com toda sinceridade. 25
  • 26. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: GISELE DE ARAÚJO MORAIS ANO: 6º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: KARLA SUELY SCARCELA AVELINO GÊNERO: POEMA UMA HISTÓRIA DE AMOR Era uma vez A cada dia que se passa Uma menina muito bela Mais eles aprendem a amar Que era cheia de encantos. Um a vida do outro O nome dela era Gabriela Isso é motivo de se alegrar Gostava de um garoto, Afinal, com o amor Mas ele não conhecia ela. Não se pode brincar. Os dois se viram Muito tempo se passou E ela dele se aproximou Eles pensaram em se casar. Aos poucos foi conquistando Unir-se para sempre Ele logo se apaixonou Era aonde eles queriam chegar. A menina não perdeu tempo Viver uma vida a dois E ao garoto logo se amarrou. Até os bebezinhos chegar. Começaram a namorar Casaram-se e foram felizes Não perderam tempo não. Vivendo em união Se divertindo muito Sem ninguém para atrapalhar. E alegrando o coração, Com muito amor no coração Cheios de felicidade A vida assim continuou, E pura emoção. Uma verdadeira diversão. Embora muito alegres Assim eles viveram As crises logo chegaram E continuaram a vida Começaram a brigar, Sendo muito felizes Mas isso não os afetaram Até chegar a primeira filha Serviu apenas para fortalecer Tão linda e querida O relacionamento que começaram. O nome dela era Emília. 26
  • 27. E eu como espectadora Deste romance real Peço a Deus que sempre Abençoe este casal. Dê a eles compreensão, Paz, saúde e a direção Da união ideal. 27
  • 28. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: BRUNA KELLY FERREIRA CARLOS ANO: 9º TURMA: A TURNO: MANHÃ PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA GÊNERO: POEMA O SONHO Numa tarde de domingo O frio que lá fazia Um belo sonho sonhei. Chegava a estremecer. Onde havia paisagem, Na praia a maresia Pois nele eu viajei. Era bonita de se ver. O lugar que sempre Durante a noite escura Quis andar e conhecer, Pessoas novas podem conhecer. Onde era lindo Na simplicidade da vida E perfeito o amanhecer. Fiz a lua esplandecer. Quando amanhecia o dia, Então acordei, Os pássaros vinham cantar. Do meu sonho Tudo ficava bonito Eu lembrei. Pro trabalho começar. Vi que não Era verdade A tarde nesse meu sonho E fiquei só na vontade. Era muito diferente. As comidas eram demais De um sonho encantado Só quem ganhava era a gente. Que vai ser sempre lembrado, E quem sabe um dia À noite a lua era bela Ele será realizado. Vinha sempre clarear, Pois tudo ficava bonito Até os peixes no mar. 28
  • 29. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: MARIA VICTÓRIA BEZERRA NASCIMENTO ANO: 8º TURMA: A TURNO: MANHÃ PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA GÊNERO: ARTIGO DE OPINIÃO O ALICERCE DA LEITURA Muitas pessoas dizem que ler é bom e que nos faz crescer. E elas estão certas. Porém diga-me se é bom ler em um lugar sem ventilação e sem segurança? Pois é isso que acontece em várias bibliotecas públicas. Quando vamos a uma biblioteca para pegar um livro legal, pesquisar algo ou ler sossegados, nos deparamos com uma estrutura abalada, livros mal conservados e falta segurança. Algo inadmissível em locais de leitura coletiva. Eu apenas não entendo porque o governo faz tantas campanhas a favor da leitura se não cuidam das bibliotecas que conservam a maior parte do patrimônio brasileiro. A razão dessa pergunta é que não começamos a construir uma casa pelo telhado, mas sim pela sua base, o alicerce. 29
  • 30. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: VICTÓRIA GONÇALVES DE LOIOLA DOS SANTOS SENA ANO: 8º TURMA: A TURNO: MANHÃ PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA GÊNERO: ARTIGO DE OPINIÃO É SEGREDO! Na nossa sociedade atual, as pessoas estão querendo cada dia mais privacidade, mas será mesmo que tanta gente, com tantas redes sociais e com o avanço da tecnologia é capaz de guardar um segredo por muito tempo? O ser humano é bastante curioso e quando surge algo ou algum fato que lhe desperta essa curiosidade a tendência é buscar saber, desvendar e depois comentar sobre tal assunto, fato que muitas vezes causam constrangimentos e até chega a prejudicar a reputação da pessoa, principalmente em cidades pequenas, onde quase todas as pessoas se conhecem ou tem algum vinculo, seja de amizade ou familiar. Atualmente as pessoas estão mais esclarecidas sobre os direitos e deveres de cada um, principalmente ao que se refere à privacidade, onde há leis que protegem o cidadão, mesmo assim se dão o desrespeito de viverem bisbilhotando a vida do outro, na busca de alimentar o seu ego de curioso. As pessoas expõem suas vidas e depois querem privacidade, acham ruim quando comentam suas particularidade. Então devemos ser conscientes das nossas atitudes e termos convicção das consequências de nossos atos, pensar antes de agir. Então se você quer ter privacidade, tem que se preservar e não dar chance para os outros descobrirem e falarem de sua vida ter cuidado nas colocações, principalmente nas redes sociais, que muitas vezes trazem consequências muito prejudiciais à vida das pessoas, pois muitas vezes causam comentários maldosos e distorcidos da realidade. 30
  • 31. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: ATHANARA ALVES DE SOUSA ANO: 9º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA GÊNERO: DISSERTAÇÃO DESIGUALDADE: RICOS E POBRES Não só no Brasil, mas em todo o mundo sempre acontece o mesmo problema, a falta de humanidade dos ricos com os que mais precisam. Várias pesquisas realizadas comprovam que 10% dos brasileiros mais pobres recebem 0,9% da renda do país, enquanto os ricos ficam com 47,2%, ou seja, os pobres são totalmente excluídos em questão das condições financeiras. Se os ricos fossem mais humildes, com certeza esse problema seria mais fácil de ser resolvido, até porque não teria tanta diferença. As crianças são quem mais sofre porque às vezes não tem onde morar, o que comer, não tem o que mais precisam uma escola e isso muda muito quando estamos falando do desenvolvimento delas. Atualmente está muito difícil, mas os pobres estão recebendo uma grande ajuda por meio do governo, eles ganham uma boa quantia de dinheiro que com certeza ajuda bastante. Muitas vezes quando não tem emprego, vão procurar isso nas ruas, por meio de tráficos, prostituição e outras formas. Mas se a renda fosse igual para todos isso não aconteceria. 31
  • 32. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: LETÍCIA GONÇALVES PAULO ANO: 9º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA GÊNERO: DISSERTAÇÃO MAIS EDUCAÇÃO, MENOS DESIGUALDADE Em pleno século XXI, crianças fora das escolas e em péssimas condições financeiras são comuns em nosso país, mas não as corretas. Nesses últimos anos foi detectado um nível muito alto de crianças fora das escolas. De acordo com a pesquisa feita pelo UNICEF 6 milhões de crianças, que é 10% de todas elas, estão em condições precárias. Com tudo isso, o governo, nossos representantes, devia ajudar as famílias a inverterem essa situação. Dessa forma o estado terá que ampliar o número de escolas e também terá que incentivar as famílias a fazer com que seus filhos voltem a estudar e assim conseguir uma profissão. Só pesquisas não bastam para que as crianças estudem, tem que haver ação, atitude, e principalmente, compromisso dos governantes para com a sociedade, com o intuito de resolver esse problema. Bem, todos sabemos que educação e a desigualdade não vão mudar e nem deixar de existir do dia para a noite, mas devemos nos juntar e tentar resolver o conflito para que possamos ter um futuro melhor. 32
  • 33. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: ÊNIO STEFANI RODRIGUES CARDOSO CIDRÃO ANO: 9º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA GÊNERO: INFORMATIVO A IMPORTÂNCIA DA RÁDIO DIFUSORA DOS INHAMUNS NO CONTEXTO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL Esta rádio foi fundada em 1985 no dia 25 de maio e os diretores são: Assis Araújo e Poliana Lima. A Rádio Difusora dos Inhamuns tem importância, dedicação e responsabilidade conosco. Na Difusora dos Inhamuns você encontra tudo sobre novelas, como: Avenida Brasil, Malhação e Rebeldes. E também você encontra entretenimentos, receitas culinárias, textos para ensinamentos de nossa vida e participações especiais de ouvintes e apresentadores, além disso, nos ensina um pouco sobre a Bíblia fazendo perguntas para os espectadores responderem e ganharem prêmios. A Difusora está completando 27 anos de trabalho e é uma das rádios que tem mais audiência em Tauá, por conta de sua especial harmonia com todos. A rádio oferece o que ela tem de melhor para os espectadores ficarem bem informados sobre o que acontece em nossa cidade e no mundo, pois ao passar do tempo está muito perigoso. Seu ponto de localização é na centro de Tauá-CE. Elas transmite sinal para as seguintes localidades: Marruás, Santo Antônio Carrapateiro, Guaribas, Fechadinho, Vázea do Boi, etc. E isso é muito importante para esses lugares citados e outros. Mesmo morando nos interiores, as pessoas precisam estar bem informadas sobre as estações climáticas porque dos seus cultivos dependem disso. Em todo o contexto devemos nossos agradecimentos a vocês, pois se não houvesse esse desenvolvimento de nos transmitir essas notícias estaríamos mais preocupados e mal beneficiados, agradeço também a todos que fazem essa transição crescer cada vez mais. Parabéns por esse grande sucesso. 33
  • 34. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: RODRIGO ANTÔNIO DE SOUZA HOLANDA CAVALCANTE ANO: 9º TURMA: A TURNO: MANHÃ PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA GÊNERO: INFORMATIVO AQUECIMENTO GLOBAL O aquecimento global é o aumento da temperatura média dos oceanos e do ar perto da superfície da Terra que ocorre desde o século XX e que perdurará no século XXI. A maior parte do aumento da temperatura foi causada por concentração crescente de gases do efeito estufa como resultado da queima de combustíveis fósseis e de desflorestação. 34
  • 35. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: BIANCA CARLOS DOS REIS LIMA ANO: 5º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: SIMONI LOIOLA LIMA GÊNERO: INFORMATIVO A DENGUE Dengue clássica:  Febre alta com início súbito;  Forte dor de cabeça;  Dor atrás dos olhos, que piora com o movimento dos músculos;  Perda do paladar e apetite;  Manchas e erupções na pele semelhantes ao sarampo principalmente no tórax e membros superiores;  Náuseas e vômitos;  Tontura;  Moleza e dor no corpo;  Muitas dores nos ossos e articulações. Dengue hemorrágica: Os sintomas da dengue hemorrágica são os mesmos da dengue comum que diferenciam com o surgimento dos sinais de alerta:  Dores abdominais fortes;  Vômito persistente;  Pele pálida, fria e úmida;  Sangramento pelo nariz, boca e gengivas;  Manchas vermelhas na pele;  Sonolência, agitação e confusão mental;  Sede excessiva e boca seca;  Pulso rápido e fraco;  Dificuldade respiratória; 35
  • 36. Perda de consciência. Na dengue hemorrágica o quadro clínico se agrava rapidamente, apresentando sinais de insuficiência circulatória e choque podendo levar a pessoa à morte em até 24 horas de acordo com a estatística do Ministério da Saúde, cerca de 5% das pessoas com dengue hemorrágica morrem. 36
  • 37. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: MARCOS GEBRIEL DE OLIVEIRA LIMA ANO: 5º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: SIMONI LOIOLA LIMA GÊNERO: INFORMATIVO ADOLESCÊNCIA: FIQUE POR DENTRO A adolescência é uma etapa intermediária do desenvolvimento humano entre a infância e a fase adulta. Este período é marcado por diversas transformações corporais, hormonais e até mesmo comportamentais. Muitas pessoas confundem puberdade com adolescência. A puberdade é a fase inicial da adolescência caracterizada pelas transformações físicas e biológicas no corpo dos meninos e das meninas. É durante a puberdade (entre 10 e 13 anos as meninas e entre 12 e 14 anos os meninos) que ocorre o desenvolvimento dos órgãos sexuais. Durante a puberdade, os meninos passam pelas seguintes mudanças corporais e biológicas nos meninos: aparecimento de pêlos nas regiões pubianas, rosto e axilas, crescimento do pênis e dos testículos, engrossamento da voz, crescimento corporal, surgimento do pomo de adão e primeira ejaculação. Entre as meninas, as mudanças mais importantes são: começo da menstruação, a primeira é chamada de menarca, também ocorre o desenvolvimento das glândulas mamárias, aparecimento de pêlos nas regiões pubianas e nas axilas, além do crescimento da região da bacia. Uma marca comum da maioria dos adolescentes é a necessidade de fazer parte de um grupo. As amizades são importantes. 37
  • 38. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: EMILLY MARIA CIQUEIRA BARROS ANO: 2º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: TAYNARA APARECIDA FERREIRA DA SILVA A IDADE DE SER FELIZ Existe somente uma idade para a gente ser feliz, somente uma época na vida de cada pessoa em que é possível sonhar, fazer planos e ter energia bastante para realizá-los, a respeito de todas as dificuldades e obstáculos. Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo e sem culpa de sentir prazer. Essa idade é agora, comece a sonhar e viver sem medo de ser feliz, pois o tempo quem faz somos nós mesmos. Esse é o seu tempo, aproveite a vida e seja feliz! 38
  • 39. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: LEANDRO SOBREIRA SILVA ANO: 8º TURMA: A TURNO: MANHÃ PROFESSORA: MARIA ADRIANA NORONHA ROCHA AQUELA DOSE DE AMOR No dia de quinta-feira Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva Naquela velha cidade Conheci a bela Maria Que vinha de Liberdade. Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva Então nos conhecemos Naquela cidade aquecida, Que era quente demais E nunca será esquecida. Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva Casamos logo no sábado Um amor tão violento, Os dois tão apaixonados Que esquecia até do tempo. Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva Quando se passou um mês A bela Maria desapareceu Então fiquei muito triste E um bar me acolheu. Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva Então falei para o dono A Maria foi embora, Bote aqui nesse copo O que faço para esquecer agora. Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva 39
  • 40. Bem clara ficou a lembrança Que aquela dose deixou, Que dosinha de nada Foi a dose do amor. Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva Nunca mais pude esquecer Aquela dose malvada, Tomo no amanhecer Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva E termino na madrugada. Passa o dia, passa a noite Dela nunca me esqueço Passa o dia entediado E não tenho seu endereço. Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva Hoje não bebo mais Se não posso morrer! Mesmo que ela não volte Jamais vou esquecer. Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva Aquela dose de amor Tomei quando casei Acho que não tem jeito Foi quando me embriaguei. Ilustrador: Carlos Eduardo dosSantos Silva 40
  • 41. BIOGRAFIA DO AUTOR: Leandro Sobreira Silva nascido no dia 19 de novembro de 1999 na cidade de Crato no estado do Ceará hoje reside no município de Tauá localizado no mesmo estado de sua cidade natal. Filho de Cícero da Silva e Antônia Marta Sobreira gosta de filmes, desenhos animados, futebol e de estudar. Para fazer cordéis ele afirma que só basta se inspirar e fazer. BIOGRAFIA DO ILUSTRADOR: Filho de Ana Meiry Aderaldo e Antonio Carlos Pires, o ilustrador Carlos Eduardo dos Santos Silva estuda na Escola Cantinho do Saber situada na cidade de Tauá – CE onde cursa o 8º ano. Nasceu no dia 02 de abril do ano 1999 e gosta de desenhar, pois afirma que além de ter nascido com esse talento natural também é muito bom no que faz. 41
  • 42. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: ATHANARA ALVES DE SOUSA ANO: 9º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA DECIDINDO MINHA PROFISSÃO Em casa sozinha Sozinha sem ter o que fazer Peguei um caderno E comecei a escrever E pensando no futuro Sobre o que ia acontecer. Dos meus sonhos de criança Comecei a lembrar Nesse sonho eu lembrei Que eu gostava de brincar Mas hoje penso no futuro E sei que quero trabalhar. A minha profissão Ainda não decidi Pois tenho minhas dúvidas Mas vou descobrir Pois o tempo passa rápido E sei que vou conseguir. Na minha vida Não posso mandar Antes de alguma decisão Sei que preciso estudar Tenho que batalhar Para um emprego conquistar. Eu ainda não sei Qual será minha profissão Poderia ser engenheira Que é uma ótima função Mas o que sinto agora È a verdadeira indecisão. Mas acho que devo e posso Os meus sonhos alcançar Ser engenheira, quem sabe Aqui ou em outro lugar Deixando minha terra natal Ilustrador: Álefe Matias Nóbrega 42
  • 43. Para meu sonho conquistar. Me formar em engenheira Cursando uma faculdade Não deixando de lado Amigos e familiares Se assim for meu destino Que faça minha vontade. Mas sei que não é fácil Tenho que batalhar Se surgir obstáculos Não devo desanimar Almejar uma profissão Pois dificuldade haverá. Mas assumir uma profissão Precisa ter responsabilidade Gostar principalmente Ter força de vontade Honrar a profissão Sempre com honestidade. 43
  • 44. BIOGRAFIA DA AUTORA: Athanara Alves de Sousa nasceu no dia 23 de junho de 1998 na cidade de Fortaleza, capital do estado do Ceará. Atualmente mora no município de Tauá há quatro anos. Filha de Alberto Almeida e Ana Lúcia Alves que hoje são separados, mora com sua mãe. Estuda na Escola Cantinho do Saber cursando o nono ano do Ensino Fundamental. É uma aluna muito esforçada e se dedica bastante aos estudos. É uma garota muito extrovertida, simpática que gosta de ajudar ao próximo. BIOGRAFIA DO ILUSTRADOR: Álefe Matias Nóbrega nasceu na cidade de Fotaleza capital do estado do Ceará, tem 15 anos e mora atualmente no município de Tauá, onde estuda na Escola Cantinho do Saber. Desde pequeno impressionava seus professores e colegas com a arte de desenhar. Filho de Carlos Alberto Nóbrega e Maria Rosângela da Silva, com seu desempenho e motivação pretende continuar desenhando e cursar Engenharia Civil futuramente. 44
  • 45. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: SARA ÍVNA MOREIRA LIMA ANO: 9º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA IDEIAS DE ADOLESCENTE Voando sem destino feito pássaros a vagar a sombra de uma árvore começo a cantar alegrando toda gente que de mim se aproximar. Logo comecei a pensar e tocou meu coração olhando para o lado vou vencer esse mundão com fé e esperança é minha obrigação. Ainda sou muito jovem muitos caminho a percorrer É uma viagem intensa Estudando posso vencer Penso até em ser atriz basta sonhar e querer. Não jogue o sonho fora É um aprendizado total Valorize tudo que tem nunca queira o mal nem que seja por um segundo busque seu ideal. Meus pais sempre dizendo estudar é a solução mesmo com sono e cansada Tenho força e dedicação Vou fazer o impossível Para me verem na televisão. Toda noite peço a Deus nas minhas orações olhe para sua filha dando-lhe realizações Ilustrador: Álefe Matias Nóbrega Saindo de minha terra 45
  • 46. deixo muitas recordações. Amo muito minha terra Tauá é o meu lugar aqui não oferecem muito É preciso longe buscar sonhando ser atriz Preciso me formar. As pessoas dizem que é impossível é mesmo muita ilusão Estou bastante confiante pois ando com pé no chão. Um dia vocês vão ver Eu trabalhar na Malhação. O tempo passando voando a minha frente como se fosse um pássaro cantando suavemente Naquele instante eu senti o sonho ardente. NA longa estrada da vida estranha e diferente Deixo aqui um pouquinho Dessa história inocente sonho sempre bem alto com ideais de adolescente. 46
  • 47. BIOGRAFIA DA AUTORA: Sara Ívna Moreira Lima, filha do agricultor Valdir Moreira da Silva e da professora Vausenira Mariano Lima, nasceu no dia 2 de abril do ano de 1998 na cidade de Tauá. Estuda na Escola Cantinho do Saber cursando o nono ano do Ensino Fundamental e define a si mesma como uma aluna engraçada. Ela é uma garota que não gosta de pessoas falsas, adora escrever e ajudar os colegas quando precisam. BIOGRAFIA DO ILUSTRADOR: Álefe Matias Nóbrega nasceu na cidade de Fotaleza capital do estado do Ceará, tem 15 anos e mora atualmente no município de Tauá, onde estuda na Escola Cantinho do Saber. Desde pequeno impressionava seus professores e colegas com a arte de desenhar. Filho de Carlos Alberto Nóbrega e Maria Rosângela da Silva, com seu desempenho e motivação pretende continuar desenhando e cursar Engenharia Civil futuramente. 47
  • 48. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: ÊNIO STEFANI RODRIGUES CARDOSO CIDRÃO ANO: 9º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA MEU SONHO A felicidade todos anseiam, Mas apenas alguns conseguem encontrar, A busca é difícil, é eterna, Outros nem conseguem achar, Achava que seria feliz rico, E quando do conforto desfrutar. Pelo menos era isso que eu pensava, Até ontem quando fui me deitar, Tive um sonho tão marcante, Que minha opinião tive que mudar, Descobri que toda essa ganância A nenhum lugar iria me levar. Era um povoado humilde Onde passavam tinham que se cumprimentar O rapaz respeitava a moça Sua educação era exemplar Sempre andavam rindo e prosando Com um sorriso a contagiar. As portas viviam escancaradas Não tinham o que se preocupar Ali não havia inimigos E nem motivo para desconfiar Não possuíam ambição E nem vontade de cobiçar. Os maridos sempre madrugavam Na roça iam trabalhar Nada de esmorecer Seu prazer era plantar Para dar de comer a família E do seu esforço se fartar. As mulheres não ficavam atrás Cedo o fogão iam acender Primeiro pegavam a lenha Tinham que assim proceder Não tinham fogão a gás Ilustrador: Álefe Matias Nóbrega 48
  • 49. Deixar sujo, jamais Iam nesse rojão até anoitecer. As crianças auxiliavam as mães E davam de comida ao gado Sempre obedeciam aos pais Não importa o que tenham mandado Faziam com muito amor E muito bem caprichado. A tardezinha se uniam E iam todos se sentar Naquela mesa bem farta Depois de comer iam comentar Como era bom viver em família E cada membro respeitar. Depois de observar tudo isso Não tive como me conter Fiquei bastante curioso Como eles podiam viver? Sem muito dinheiro no bolso E nem desejo de ter. - Senhor, poderia me falar O que tem de bom em viver Num lugar tão pobre e sujo Onde não tem o que fazer No meio do nada E o luxo, cadê? - Eu lhe respondo satisfeito Vivemos na felicidade Unidos em família Juntos até na adversidade Aqui temos paz e alegria Na base dos laços da amizade. Na nossa vida humilde Ar puro respiramos Comemos do nosso trabalho Verdadeiros amigos conquistamos Estamos sempre alegres Pois do amor desfrutamos. - Do que adianta muito dinheiro Se morremos e nada vamos levar? Ele só traz medo e discórdia Até ele se embriagar Levando a ruína e a solidão 49
  • 50. Até quando então Ficamos sozinhos a vagar. A emoção invadiu meu coração Muitas lágrimas derramei Aquelas palavras eram profundas Quando até que enfim me toquei Que riquezas não são tudo E que isso aprenderei. De repente despertei Mas de tudo vou me lembrar Daquela vida simples Que um dia quero levar Daquele povo humilde No coração irei guardar. Aquela mensagem verdadeira Vou te propagar Para espalhar a felicidade À aquelas que não a achar Mostrando o que é ser feliz E o sinônimo de amar! 50
  • 51. BIOGRAFIA DO AUTOR: Ênio Stefani Rodrigues Cardoso Cidrão nasceu no dia 13 de abril de 1999. Filho de Elizamar Soares e Teobaldo Júnior, mora com os avós maternos. Atualmente estudante sempre foi querido pelos professores, por causa da sua dedicação e meiguice. Gosta de confeccionar crônicas e sua matéria preferida é Matemática. Tem uma grande paixão por cálculos e descobrir soluções para problemas que envolvem números. Define a si próprio como um menino “muito família” que gosta de ser carinhoso com seus amigos, viver em harmonia e sintonia com as pessoas respeitando seus direitos e entendendo seus deveres. BIOGRAFIA DO ILUSTRADOR: Álefe Matias Nóbrega nasceu na cidade de Fotaleza capital do estado do Ceará, tem 15 anos e mora atualmente no município de Tauá, onde estuda na Escola Cantinho do Saber. Desde pequeno impressionava seus professores e colegas com a arte de desenhar. Filho de Carlos Alberto Nóbrega e Maria Rosângela da Silva, com seu desempenho e motivação pretende continuar desenhando e cursar Engenharia Civil futuramente. 51
  • 52. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: VALDIZAR SALES SOBREIRA JÚNIOR ANO: 9º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA MINHA PROFISSÃO Mais um dia a passar E uma noite a chegar Deitado em um sofá O sono começa a aumentar Sonhos estão por vir E neles vou me inspirar. Da minha vida já pensei em ser de tudo De muito já sonhei Em muitos lugares do mundo Um pouco repousei Voando sem destino Sem saber onde chegarei. De todos esses sonhos De um deles vou desfrutar Diante do meu pensamento Eu quero me formar Batalhando todos os momentos Para um dia poder trabalhar. A vida é assim Muito complicada Mas não podemos desistir E seguir firme na estrada Percorrendo os trilhos dos meus sonhos Ilustrador: Álefe Matias Nóbrega Nesta longa caminhada. Mas como sou um jovem Não tenho certeza do que serei Serei alguém de respeito E de tudo eu farei E sabendo o conceito Do poder que terei. Com essa indecisão Parei um momento e pensei Veio no meu coração Algo que me despertei Agora preste bem atenção 52
  • 53. Advogado eu serei. Uma profissão Bem requisitada Em meio essa multidão Muito bem procurada Onde muitas pessoas precisarão Ser administradas. Em meio aos meus sonhos Uma coisa a me incomodar A cidade onde eu moro Não há oportunidade de estudar Formações mais avançadas onde pretendo me especializar. Aos nossos políticos Eu quero alertar O futuro dos brasileiros É para quem quer trabalhar Trabalhos dignos e social Em que eles podem ajudar. Vocês nossos representantes A quem nos devem dar valor Quero que me escute E não leve isso a caô Traga mais oportunidade Para alguém trabalhador. Jovens inteligentes De várias idades Que gostam de estudar Em minha comunidade Espero mais oportunidade E também mais qualidade. Eu quero me formar E daqui não quero sair Aqui eu vou ficar E esperar oportunidade vir Mas como curso o nono ano Dá tempo ela chegar aqui. Mas não quero parar por aqui Tenho que continuar Para poder conseguir E também me espelhar Antes de advogado Em direito quero me formar. 53
  • 54. Depois de me formar Minha família eu quero ter Alguém que eu possa amar E também para entender Viver assim feliz Esse é o meu querer. Agora meu sonho falado Fica a dica Hoje tudo ralado Amanhã se multiplica Não fique aí parado Se expresse e reflita. BIOGRAFIA DO AUTOR: Filho de Edileuza Vieira e Valdizar Sobreira, Valdizar Sales Sobreira Júnior tem 15 anos e estuda na Escola Cantinho do Saber situada na cidade de Tauá – CE. Um garoto muito extrovertido, gosta de estudar, fazer cordéis e, geralmente, é vidrado no que faz. BIOGRAFIA DO ILUSTRADOR: Álefe Matias Nóbrega nasceu na cidade de Fotaleza capital do estado do Ceará, tem 15 anos e mora atualmente no município de Tauá, onde estuda na Escola Cantinho do Saber. Desde pequeno impressionava seus professores e colegas com a arte de desenhar. Filho de Carlos Alberto Nóbrega e Maria Rosângela da Silva, com seu desempenho e motivação pretende continuar desenhando e cursar Engenharia Civil futuramente. 54
  • 55. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: MARIA LETÍCIA ARAÚJO NORONHA ANO: 8º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA MINHAS LEMBRANÇAS Entrando no meu quarto Veio a me despertar A lembrança de um sonho Que me fez pensar. Então refleti sobre o mundo E nas pessoas com mias dignidade Isso me fez questionar Por que tanta crueldade? Pensando num mundo melhor Na melhoria para a igualdade Onde os políticos poderiam contribuir Para uma melhor humanidade. Imaginei como seria o planeta Se as pessoas fossem mais solidárias Teríamos uma sociedade mais justa Ilustradora: Tayná Veloso dos Santos Lima Um lugar onde as tradições seriam ainda mais admiradas. Então pensei nos jovens Que procuram uma formação Onde o governo poderia trazer faculdades mais avançadas Para sua especialização. E percebi que a vida Poderia ser ainda mais bela Se contribuíssemos com a sociedade Ajudando a melhorar ela. Pensei por muito tempo Sobre a vida O mundo e as pessoas E que existem nele muitas coisas boas. Então parei um instante E para terminar Essa foi a lembrança de um sonho Que agora vou finalizar. 55
  • 56. BIOGRAFIA DA AUTORA: Hoje com 13 anos, Maria Letícia Araújo Noronha estuda na Escola Cantinho do Saber. Nasceu na cidade de Tauá situada no estado do Ceará e onde permanece morando. Gosta de ler poesias, cordéis, histórias em quadrinho, assistir filmes de romance, aventura e comédia. Procura sempre se esforçar nos estudos e ser uma boa aluna para que futuramente possa concluir o curso de Medicina, onde pretende se formar. Espera alcançar todos os seus objetivos e que possam surgir novas oportunidades para que possa se tornar uma pessoa melhor. BIOGRAFIA DA ILUSTRADORA: Com 13 anos, Tayná Veloso dos Santos Lima estuda na Escola Cantinho do Saber. Nasceu na cidade de Patos de Minas - MG e com apenas um ano e meio veio morar no município de Tauá localizado no estado do Ceará onde permanece até hoje em sua jornada pela educação. Gosta de ler poesias, cordéis do seu querido sertão nordestino, histórias em quadrinho e de desenhar. Ama assistir filmes de comédia e ficção científica que demonstram o outro lado da vida. Se expressa na escola como uma aluna exemplar e se esforça ainda mais nos estudos para futuramente concluir o curso de Psicologia, onde pretende se formar. Espera que a oportunidade de escrever textos possa aumentar ainda mais suas chances de ser uma pessoa melhor no futuro e alcançar seus objetivos: uma desenhista de mão cheia e uma pscicóloga que o mundo possa reconhecer seu trabalho. 56
  • 57. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: MARIANA OLIVEIRA DOS SANTOS ANO: 6º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: KARLA SUELY SCARCELA AVELINO O AMOR DO OUTRO LADO Como posso explicar Uma coisa do além? Fantasminha camarada ou alma do bem? Coisas diferentes que não conto a ninguém. É difícil de entender e também de falar uma mãe que dá a vida para o filho salvar Ilustradora: Larissa Kelly Alves dos Santos e depois volta a terra para dele cuidar. O filho pensa estar sozinho sem ninguém ao seu lado mas o menino inocente estava enganado sua mãe estava ali tendo todo cuidado. Ilustradora: Larissa Kelly Alves dos Santos O menino foi crescendo e passou a entender que aqueles arrepios era pra lhe proteger era sua mãe Ilustradora: Larissa Kelly Alves dos Santos que lhe ajudava a crescer. E quando estava triste Já sabia chamar -Mãe venha aqui! Venha me ajudar estou muito triste quero você para abraçar. Ilustradora: Larissa Kelly Alves dos Santos 57
  • 58. E logo ele sentia sua mãe lhe abraçar um abraço apertado para lhe acalmar Que fazia qualquer tristeza logo, logo passar. É um amor que vai além que nunca vai acabar mesmo que um se vá o outro sempre vai lembrar e esse amor é capaz de tudo superar. BIOGRAFIA DA AUTORA: Hoje com 12 anos Mariana Oliveira dos Santos nasceu no dia 23 de maio de 2000, filha de Filomena Ferreira Sobrinha e Luis Carlos dos Santos. Mora atualmente na Rua Amâncio Cordeiro Junior, situada no Bairro Alto Nelândia na cidade de Tauá –CE. Gosta de estudar, navegar na internet, brincar com os amigos e passear. Detesta falsidade e a frase que mais gosta de dizer é “Tudo posso naquele que me fortalece!”. BIOGRAFIA DA ILUSTRADORA: A ilustradora Larissa Kelly Alves dos Santos com 13 anos de idade nasceu no dia 15 de julho de 1999. Filha de Francivaldo Gonçalves dos Santos e Marta Eliane Alves da Silva, mora na rua Juvêncio Gomes de Freitas situada no bairro Alto Nelândia. Gosta de estudar, desenhar, não gosta de pessoas falsas e a frase que Larissa mais gosta é: “Eu amo minha família!”. 58
  • 59. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTOR: ANTONIO ELIÉZO MORAIS DE OLIVEIRA ANO: 6º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: KARLA SUELY SCARCELA AVELINO OS TRÊS FANTASMAS CAMARADAS Em uma linda casa Três irmãos moravam E viajavam com o pai Felizes eles planejavam. O dia da viagem chegou Eles acordaram de madrugada O pai cansado não reclamou E saíram pela estrada. A chuva dificultava a visão O pai cansado cochilou Ele perdeu a direção E a viagem desejada terminou. Os três irmãos agora têm uma nova morada vivem ao lado dos anjos E são três fantasmas camaradas. Os três fantasmas camaradas Não assustam a garotada brincam e fazem graça para animar a criançada. São fantasmas camaradas que orientados pelos anjos ajudam com alegria a salvar vidas nas estradas. Ilustrador: AntonioEliezo Morais de Oliveira 59
  • 60. BIOGRAFIA DO AUTOR E ILUSTRADOR: Filho de Fernando Chagas de Oliveira e hoje com 12 anos, Antônio Eliezo Morais de Oliveira nasceu no dia 05 de março de 2000. Mora na Rua Monsenhor Odorico de Andrade, situada no Bairro Alto Brilhante. Adora jogar bola e vídeo game, andar de bicicleta e brincar com os amigos. Não gosta de confusões e a frase que marcou sua vida é “O Senhor é meu pastor e nada me faltará!”. 60
  • 61. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: LETÍCIA GONÇALVES PAULO ANO: 9º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA SONHANDO NA FUTURA PROFISSÃO Estava no meu quarto Cansada de pensar Então cochilei E comecei a sonhar Que o futuro está próximo E não sei em que me formar. No sonho eu estava Sentada refletindo Então chegou um senhor E me disse sorrindo - Venha cá comigo Que eu te ajudo menino O segui lentamente Com medo do que ele fosse dizer Ele disse não tinha medo De errar e de sofrer Porque vou te ajudar A sua profissão escolher (...) Quando me dei conta Estávamos na faculdade Procurando uma profissão Que sonhava de verdade Ser fisioterapeuta E ajudar a comunidade. O senhor que estava comigo Sumiu de repente Depois de um tempo Olhei atentamente E o pequeno homem Não se encontrava com a gente. Entrei na sala E comecei a estudar Mas percebi Que não podia falar E a professora Não conseguia escutar. (...) Ilustrador: Álefe Matias Nóbrega 61
  • 62. Era como se eu Não estivesse naquele lugar Pois por mais que eu tentasse Não podia me expressar Como se estivesse em câmera lenta Conseguir continuar. Então foi muito difícil A minha adaptação Pois como tirar as dúvidas Sem exercer a expressão? Todos entendendo o conteúdo Sem precisar apelação. Setindo-me com um Se m poder voar E nos estudos Não podia me aprofundar Lenta como uma tartaruga Que quase não pode andar. (...) De repente acordei Assustada e chorando Mas não de tristeza Sim porque estava me formando Finalmente na faculdade Que eu estava desejando. Todos os meus amigos Estavam a prestigiar Aquele lindo momento Que consegui realizar E quando chegou a minha vez Comecei a me emocionar. (...) Terminando a festa Voltei ao meu lar E aos meus familiares Eu fui contar A grande novidade Eu fui lhes dar. Fui depressa à minha família Contar a novidade Que estava exercendo Uma profissão de dignidade Minha mãe ficou alegre Se encheu de felicidade. 62
  • 63. Ficou feliz de ver a filha Ajudando a sociedade, As pessoas que precisavam De ajuda de verdade E de ver a filha Exercendo sem desigualdade. Portanto, hoje eu posso Essa história contar Que é a grande vitória Que consegui conquistar Depois de muito tempo E com luta me formar. “Os anos na faculdade Me fizeram lembrar, De todas as dificuldades Que tive que enfrentar Para que finalmente hoje Eu pudesse me orgulhar”. 63
  • 64. BIOGRAFIA DA AUTORA: Letícia Gonçalves de Paulo nasceu no dia 15 de novembro do ano de 1997 na cidade de Paracuru no estado do Ceará, mas atualmente mora no município de Tauá onde estuda na Escola Cantinho do Saber. A autora gosta de se envolver com os trabalhos escolares, atividades e fazer os projetos desenvolvidos pela escola. Tem vários objetivos a conquistar, por isso se empenha muito no colégio. Uma menina muito estudiosa que os pais investem muito para que tenha uma educação de qualidade. Tem como matérias preferidas Português e Literatura. Espera com toda luta e dedicação se formar em Medicina. BIOGRAFIA DO ILUSTRADOR: Álefe Matias Nóbrega nasceu na cidade de Fotaleza capital do estado do Ceará, tem 15 anos e mora atualmente no município de Tauá, onde estuda na Escola Cantinho do Saber. Desde pequeno impressionava seus professores e colegas com a arte de desenhar. Filho de Carlos Alberto Nóbrega e Maria Rosângela da Silva, com seu desempenho e motivação pretende continuar desenhando e cursar Engenharia Civil futuramente. 64
  • 65. E. E. I. F. CANTINHO DO SABER AUTORA: TAYNÁ VELOSO DOS SANTOS LIMA ANO: 8º TURMA: B TURNO: TARDE PROFESSORA: MARIA HÉRICA PATRÍCIA OLIVEIRA DA SILVA VOLTA AO MUNDO Em meu leito na cama, Adormeço em teus braços Pensando naquele sonho, De desembaraços. Mundo diferente, costumes, línguas e tradições Países em que pretendo conhecer, Do planeta das modificações. O sonho de minha vida, Faço dele uma realidade. Vou vivendo e construindo Tudo com simplicidade. Daquele sonho também vivi, no mundo da fantasia e no planeta esquisito, Que só traz melancolia. E me perguntei: - O que fazer? Prédios e casas Dali sem conhecer. Nesse sonho que vivi na Cidade Maravilhosa, De que um dia foi da amizade gloriosa. Me preocupei, Se alguma hora ia despertar Daquele sonho maluco, Onde tudo parecia me atormentar. Parei um instante, Comecei a refletir Com tanto país lindo Porém não ia desistir. Ilustradora: Tayná Veloso dos Santos Lima 65
  • 66. No país do México, Estados Unidos e França. É por onde quero passar Para ter uma lembrança. De repente, Me vem a cabeça. Se daquele sonho, Um dia eu esqueça. No tormento do esquisito Tiro dele uma alegria A vontade de estar perto Dos puises de boa companhia. No silêncio de meu sono termino essa história, Um marco na minha vida Que vai ficar para sempre na memória. BIOGRAFIA DA AUTORA E ILUSTRADORA: Com 13 anos, Tayná Veloso dos Santos Lima estuda na Escola Cantinho do Saber. Nasceu na cidade de Patos de Minas - MG e com apenas um ano e meio veio morar no município de Tauá localizado no estado do Ceará onde permanece até hoje em sua jornada pela educação. Gosta de ler poesias, cordéis do seu querido sertão nordestino, histórias em quadrinho e de desenhar. Ama assistir filmes de comédia e ficção científica que demonstram o outro lado da vida. Se expressa na escola como uma aluna exemplar e se esforça ainda mais nos estudos para futuramente concluir o curso de Psicologia, onde pretende se formar. Espera que a oportunidade de escrever textos possa aumentar ainda mais suas chances de ser uma pessoa melhor no futuro e alcançar seus objetivos: uma desenhista de mão cheia e uma pscicóloga que o mundo possa reconhecer seu trabalho. 66