SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 41
Baixar para ler offline
WORKSHOP

O Ciclo de Vida da Água em Contexto
Urbano
18	
  de	
  Abril	
  2013
WORKSHOP
Ciclo de Vida da Água em Contexto Urbano

Uma Visão para o Ciclo de Vida da Água em Contexto Urbano

A Perspetiva da Entidade Gestora – ERSAR

A Perspetiva da Entidade Abastecedora – EPAL

A Perspetiva da Entidade Gestora de Águas Residuais – SIMTEJO

A Energia e a Água – LN AGUAS

Fixação da Água Localmente - ECOAGUA

As Potencialidades de Melhoria de Desempenho - APCSLL
VISÃO para o
                   Uma

     CICLO DE VIDA DA ÁGUA em
        CONTEXTO URBANO
Uma Proposta desenvolvida no âmbito do Grupo de Trabalho
Reabilitação de Sistemas do Sustainable Construction Living
Lab e da Construção Sustentável®
As seguintes entidades colaboraram no desenvolvimento da VISÃO
para o CICLO DE VIDA DA ÁGUA em CONTEXTO URBANO
Desenvolvimento de Conteúdos: Câmara Municipal de Faro, Câmara
Municipal de Águeda, STR UrbHIS Santarém, ASEPMA, ECOAGUA,
LN AGUAS, HUNTSMAN (VYDRO), GRUNDFOS, ROCA, BOSCH
(VULCANO).
Contamos com o apoio de: ERSAR, EPAL, SIMTEJO, APA, ADENE
LPN
A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA

A Água faz parte da nossa Cultura




O	
  Papel	
  da	
  Água	
  na	
  Sociedade	
  é	
  tão	
  crucial	
  que	
  
chega	
  a	
  tornar-­‐se	
  tema	
  “Tabú”
A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA




                    Valores	
  para	
  a	
  
                    Resiliência	
  Urbana
A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA

Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento




   A Água Potável é um Recurso Escasso
A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA

Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento




                         Vários Estados
                         Membros já sofreram
                         de Stress Hídrico – o
                         impacte de falta de
                         água é profundo na
                         Sociedade
A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA

Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento




Práticas Comuns não serão Suficientes para
melhorar os cenários que se desenham...
PORQUÊ REPENSAR O CICLO DE VIDA DA ÁGUA?

Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento




Quando não chove nem as barragens oferecem
segurança de abastecimento…
A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA

Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento




As Alterações Climáticas aceleram o Stress Hídrico:
Chuvas Intensas e Eventos Extremos são mais frequentes
trazendo danos materiais e perda de vida humana
A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA

Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento




As Alterações Climáticas aceleram o Stress Hídrico:
Períodos prolongados de seca são mais frequentes e
causam instabilidade social
A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA

Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento




  Quase metade da água doce disponível na
 Europa encontra-se em risco de não atingir um
      bom grau de qualidade ecológica(1).
A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA

Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento




                                                Crops	
  Science	
  Society	
  of	
  America	
  
Evitar a contaminação do Meio Hídrico: As medidas
de prevenção precisam de incidir nos processos na
Industria e Agricultura a montante da
contaminação…
A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA

Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento




                                                                Stock	
  Photo	
  
         Apenas	
  encontramos	
  o	
  que	
  procuramos…	
  



Evitar a contaminação do Meio Hídrico:
O que a Indústria Farmacêutica produz pode alterar
o meio hídrico - poluentes emergentes e novos
organismos destrutivos...
A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA

Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento




A escorrência de águas pluviais à superfície pode
ter consequências devastadoras em contextos
urbanos (na maioria das cidades a drenagem de
águas residuais e de águas pluviais é conjunta)
ÁGUA: OPORTUNIDADES NA EUROPA

Inovação Social




Governância: Participação alargada das pessoas em
decisões sobre o Ciclo de Vida da Água
PORQUÊ REPENSAR O CICLO DE VIDA DA ÁGUA?




O UTILIZADOR FINAL É CADA VEZ MAIS EXIGENTE:
•  Pretende uma elevada qualidade da água (pressão,
   química e biológica) e um serviço de excelência
•  Pretende que as gerações vindouras possam ter o acesso
   à água de qualidade assegurado, pelo que não aceita
   níveis elevados de perdas na rede
•  O preço da água precisa de se manter acessível
PORQUÊ REPENSAR O CICLO DE VIDA DA ÁGUA?



LISBOA:
Consumo diário de água potável per capita 130 l;
Distância média percorrida pela água potável 100 km;
Stress Hídrico episódico devido à ocorrência secas extremas;
Segurança de Abastecimento (risco de contaminação)
Perdas na rede de abastecimento: 9% (WOne) 2012
Preço da água potável muito acessível
Qualidade da água potável abastecida é excelente
Serviço água prestado é excelente
Capacidade de água potável armazenada: 800.000 m3 volume
que equivale a 3 dias de consumo
PORQUÊ REPENSAR O CICLO DE VIDA DA ÁGUA?




FARO:
•  Consumo diário de água potável per capita 120 l;
•  Distância média percorrida pela água potável 30 km;
•  Stress Hídrico já existe
•  Segurança de Abastecimento (risco de contaminação)
•  Perdas na rede de abastecimento: 16,5%
•  Preço da água potável acessível
•  Qualidade da água potável abastecida é de qualidade
•  Serviço água prestado é bom
PORQUÊ REPENSAR O CICLO DE VIDA DA ÁGUA?

RESILIÊNCIA URBANA:
Como evitar os efeitos negativos das secas?

•  Água potável deve ser utilizada apenas para este uso
•  Reduzir a procura de água potável
•  Introduzir reservatórios para armazenamento e redes
   locais de água pluvial para usos não potáveis
•  Introduzir sistemas locais para o tratamento / reciclagem
   de água cinzenta para usos não potáveis
•  Desenvolver planos de contingência amplamente
   participados para que possam ser colocados em prática
   de forma eficaz sempre que necessário...
PORQUÊ REPENSAR O CICLO DE VIDA DA ÁGUA?

Mau Uso da Água




Será que precisamos de Água Potável para todos os Usos?
Apenas 10% da Água que utilizamos em casa serve para
usos potáveis
PORQUÊ REPENSAR O CICLO DE VIDA DA ÁGUA?

Mau Uso da Água




Enquanto utilizamos água potável para fazer a descarga
da sanita, sabemos que podemos melhorar o ciclo de vida
da água em contexto urbano…
NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO

CADA USO UMA ÁGUA



•  Beber e Cozinhar = Água Potável
•  Higiene corporal = Água para Contacto Humano
•  Rega de Agricultura Urbana = Água Pluvial Aproveitada
•  Rega de Superfícies Ajardinadas e Lavagem de Roupa =
   Água Pluvial Aproveitada e Água Cinzenta Reciclada
•  Lavagem de Superfícies Exteriores e Descarga de Sanitas
   = Água Cinzenta Reciclada e Água tratada
NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO

SISTEMAS: MONITORIZAÇÃO E CONTROLE




Medir o Pulso da Água à escala local:
Sistemas de monitorização contínua para minimizar as perdas
Sistemas de monitorização contínua em tempo real para
transformar comportamentos	
  
NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO

SISTEMAS: MONITORIZAÇÃO E CONTROLE




Sistemas de Monitorização contínua em tempo real precisam de
intercomunicar:
•  Proteção Civil
•  Infraestruturas de Abastecimento
•  Infraestruturas de Saneamento (Águas Residuais e Pluviais)…
•  Escorrências Superficiais e Contaminação…
NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO

VISÃO: CADA GOTA ACRESCENTA VALOR



Uma árvore (80m2 de folhagem) em clima
temperado e com acesso a água evapora 400
l por dia retirando uma quantidade de energia
equivalente a 280 kWh do meio.
Num dia de sol contribui para o arrefecimento
desse meio tanto quanto 10 unidades ‘split’.

Cidades nas quais o Ciclo de Vida Integral da Água
acrescenta Valor, ao Fixar Cada Gota Localmente
NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO

SUPERFÍCIES INTERATIVAS




Coberturas e Fachadas Vivas fixam a Água Localmente:
•  Retardam a escorrência de águas pluviais
•  Mitigam o Efeito Ilha de Calor Urbana
•  Reduzem o Risco de Inundações
NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO

Inovação Tecnológica




                                                BABYLON	
  SYSTEM	
  -­‐	
  ASEPMA	
  
Soluções para o aproveitamento de águas cinzentas
NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO

ARMAZENAMENTO E PROTEÇÃO




Cisternas existentes (inativas e para armazenamento de água
não-potável) permitem armazenar de forma descentralizada
(com sistema de controle centralizado) a água pluvial durante
eventos extremos, sendo a capacidade de armazenamento
retirada das águas que poderão causar inundações – existem
muitas cisternas e depósitos em Lisboa!
NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO

Inovação Tecnológica




Soluções para o aproveitamento de águas pluviais
NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO

Inovação Tecnológica




Soluções para o aproveitamento
de águas pluviais
NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO

ÁGUA RENOVÁVEL LOCAL




Outras Dimensões Renováveis a Explorar:
•  Energia Azul
•  Recuperação de Nutrientes
NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO

ÁGUA RENOVÁVEL LOCAL




Outras Dimensões Renováveis a Explorar:
Água Quente Solar
NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO

ÁGUA E QUALIDADE DE VIDA




Água como Elemento da Experiência Urbana
O Papel da Água em Espaços Públicos
NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO




VISÃO: CADA GOTA ACRESCENTA VALOR
Cidades nas quais o Ciclo de Vida Integral da Água
acrescenta Valor, ao Fixar Cada Gota Localmente
NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO


Considera-se um dos grandes desafios: Como assegurar o
melhor serviço água possível, otimizando a utilização de
recursos (água, materiais e energia)?

•  Continuar a investir na utilização racional da água (eficiência)
•  Disponibilizar para cada Uso a Água adequada
•  Fixar a água da chuva localmente e tornar mais lenta a
   evaporação
•  Reciclar águas cinzentas localmente
•  Transportar recursos renováveis localmente (nutrientes,
   calor, frio...)
•  Transformar a energia incorporada na água (Blue Energy)
NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO




Considera-se um dos grandes desafios: Contribuir para a
Resiliência Urbana

•  Qualificar e colocar em comunicação todos os sistemas de
   monitorização existentes
•  Maximizar a infiltração das águas pluviais localmente

Manter o ciclo de vida da água em contexto urbano tão
autónomo e local quanto possível... e sempre a favor dos
utilizadores locais e da cidade.
NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO
VISÃO: CADA GOTA ACRESCENTA VALOR
NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO

VISÃO: CADA GOTA ACRESCENTA VALOR




Cidades nas quais o Ciclo de Vida Integral da Água
acrescenta Valor, ao Fixar Cada Gota Localmente
REVISTA CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL®
    DESENVOLVE TODOS ESTES TEMAS...

+ e-Revista em 2013

1               2      3         4
A CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL® agradece...
  Parceiros:




Apoios:

                                   Parceiros de Comunicação:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slides do aproveitamento da agua da chuva
Slides do aproveitamento da agua da chuvaSlides do aproveitamento da agua da chuva
Slides do aproveitamento da agua da chuva
Ricardo Ferrao
 
Aproveitamento de água da chuva - PET Ambiental (Apresentação)
Aproveitamento de água da chuva - PET Ambiental (Apresentação)Aproveitamento de água da chuva - PET Ambiental (Apresentação)
Aproveitamento de água da chuva - PET Ambiental (Apresentação)
petambiental
 

Mais procurados (19)

Redes de abastecimento de água
Redes de abastecimento de águaRedes de abastecimento de água
Redes de abastecimento de água
 
Beneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de Agua
Beneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de AguaBeneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de Agua
Beneficios dos Sistemas Naturais em Sistemas de Manejo Integrado de Agua
 
Aproveitamento de Água de Chuva
Aproveitamento de Água de ChuvaAproveitamento de Água de Chuva
Aproveitamento de Água de Chuva
 
Seminário Drenagem Urbana FIESP - Técnicas naturalisticas em drenagem urbana
Seminário Drenagem Urbana FIESP - Técnicas naturalisticas em drenagem urbanaSeminário Drenagem Urbana FIESP - Técnicas naturalisticas em drenagem urbana
Seminário Drenagem Urbana FIESP - Técnicas naturalisticas em drenagem urbana
 
Seguranca Hidrica em Debate
Seguranca Hidrica em Debate Seguranca Hidrica em Debate
Seguranca Hidrica em Debate
 
Projeto Integrador - Aproveitamento de água de chuva
Projeto Integrador - Aproveitamento de água de chuvaProjeto Integrador - Aproveitamento de água de chuva
Projeto Integrador - Aproveitamento de água de chuva
 
Manejo Integrado de Água
Manejo Integrado de ÁguaManejo Integrado de Água
Manejo Integrado de Água
 
Informativo insp 47
Informativo insp   47Informativo insp   47
Informativo insp 47
 
Resumo Nascente Acaba Mundo
Resumo Nascente Acaba MundoResumo Nascente Acaba Mundo
Resumo Nascente Acaba Mundo
 
Slides do aproveitamento da agua da chuva
Slides do aproveitamento da agua da chuvaSlides do aproveitamento da agua da chuva
Slides do aproveitamento da agua da chuva
 
Informativo insp 11
Informativo insp   11Informativo insp   11
Informativo insp 11
 
Pegada hídrica
Pegada hídricaPegada hídrica
Pegada hídrica
 
Aproveitamento de água da chuva - PET Ambiental (Apresentação)
Aproveitamento de água da chuva - PET Ambiental (Apresentação)Aproveitamento de água da chuva - PET Ambiental (Apresentação)
Aproveitamento de água da chuva - PET Ambiental (Apresentação)
 
Seminario Nacional - Arquitetura Paisagistica em tempos de crise hidrica
Seminario Nacional - Arquitetura Paisagistica em tempos de crise hidricaSeminario Nacional - Arquitetura Paisagistica em tempos de crise hidrica
Seminario Nacional - Arquitetura Paisagistica em tempos de crise hidrica
 
Informativo insp 78
Informativo insp   78Informativo insp   78
Informativo insp 78
 
(Thaisa goncaves da_silva_atividade1)- (1)
(Thaisa goncaves da_silva_atividade1)- (1)(Thaisa goncaves da_silva_atividade1)- (1)
(Thaisa goncaves da_silva_atividade1)- (1)
 
Cartilha Manejo Apropriado de Água
Cartilha Manejo Apropriado de ÁguaCartilha Manejo Apropriado de Água
Cartilha Manejo Apropriado de Água
 
Projeto de Valorização das Nascentes Urbanas
Projeto de Valorização das Nascentes UrbanasProjeto de Valorização das Nascentes Urbanas
Projeto de Valorização das Nascentes Urbanas
 
Água. manual de sobrevivencia
Água. manual de sobrevivenciaÁgua. manual de sobrevivencia
Água. manual de sobrevivencia
 

Semelhante a Livia Tirone

Ciclo da Água
Ciclo da ÁguaCiclo da Água
Ciclo da Água
Adminefa
 
Sandro Bassili - Ambev - Movimento CYAN
Sandro Bassili - Ambev - Movimento CYANSandro Bassili - Ambev - Movimento CYAN
Sandro Bassili - Ambev - Movimento CYAN
Movimento
 
consumo e escassez de agua
consumo e escassez de aguaconsumo e escassez de agua
consumo e escassez de agua
Catiac
 
Cartilha manejo bx
Cartilha manejo bxCartilha manejo bx
Cartilha manejo bx
ze_flavio
 
Recursos hídricos patrícia , rute & susana
Recursos hídricos   patrícia , rute & susanaRecursos hídricos   patrícia , rute & susana
Recursos hídricos patrícia , rute & susana
Thepatriciamartins12
 
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
João Boos Boos
 

Semelhante a Livia Tirone (20)

Ciclo da Água
Ciclo da ÁguaCiclo da Água
Ciclo da Água
 
Bio-Urbanismo _ Paisagem Urbana de “Alta Performance”- Uma nova visão para a...
Bio-Urbanismo  _ Paisagem Urbana de “Alta Performance”- Uma nova visão para a...Bio-Urbanismo  _ Paisagem Urbana de “Alta Performance”- Uma nova visão para a...
Bio-Urbanismo _ Paisagem Urbana de “Alta Performance”- Uma nova visão para a...
 
Agua
AguaAgua
Agua
 
Recursos hídricos semana da água
Recursos hídricos semana da águaRecursos hídricos semana da água
Recursos hídricos semana da água
 
Ana Margarida Luís - EPAL
Ana Margarida Luís - EPALAna Margarida Luís - EPAL
Ana Margarida Luís - EPAL
 
Aula_1 e 2_SAA.pptx
Aula_1 e 2_SAA.pptxAula_1 e 2_SAA.pptx
Aula_1 e 2_SAA.pptx
 
Sandro Bassili, Diretor de Sustentabilidade da AmBev
Sandro Bassili, Diretor de Sustentabilidade da AmBev Sandro Bassili, Diretor de Sustentabilidade da AmBev
Sandro Bassili, Diretor de Sustentabilidade da AmBev
 
Sandro Bassili - Ambev - Movimento CYAN
Sandro Bassili - Ambev - Movimento CYANSandro Bassili - Ambev - Movimento CYAN
Sandro Bassili - Ambev - Movimento CYAN
 
consumo e escassez de agua
consumo e escassez de aguaconsumo e escassez de agua
consumo e escassez de agua
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
 
Agua
AguaAgua
Agua
 
Cartilha manejo bx
Cartilha manejo bxCartilha manejo bx
Cartilha manejo bx
 
Carlos Póvoa - Águas de Portugal
Carlos Póvoa  - Águas de PortugalCarlos Póvoa  - Águas de Portugal
Carlos Póvoa - Águas de Portugal
 
Recursos hídricos patrícia , rute & susana
Recursos hídricos   patrícia , rute & susanaRecursos hídricos   patrícia , rute & susana
Recursos hídricos patrícia , rute & susana
 
TRABALHO DE LINGUA PORTUGUESA.docx
TRABALHO DE LINGUA PORTUGUESA.docxTRABALHO DE LINGUA PORTUGUESA.docx
TRABALHO DE LINGUA PORTUGUESA.docx
 
Vitor Simões - ECOAGUA
Vitor Simões - ECOAGUAVitor Simões - ECOAGUA
Vitor Simões - ECOAGUA
 
Atualidade Brasil - Agua - Blog do Prof. Marco Aurelio Gondim - www.mgondim.b...
Atualidade Brasil - Agua - Blog do Prof. Marco Aurelio Gondim - www.mgondim.b...Atualidade Brasil - Agua - Blog do Prof. Marco Aurelio Gondim - www.mgondim.b...
Atualidade Brasil - Agua - Blog do Prof. Marco Aurelio Gondim - www.mgondim.b...
 
Trabalho escrito de estatistica
Trabalho escrito de estatisticaTrabalho escrito de estatistica
Trabalho escrito de estatistica
 
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
 
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
 

Mais de Construção Sustentável

Janice Perlman - Human Habitat 2013 Part 2 of 2
Janice Perlman - Human Habitat 2013 Part 2 of 2Janice Perlman - Human Habitat 2013 Part 2 of 2
Janice Perlman - Human Habitat 2013 Part 2 of 2
Construção Sustentável
 
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
Construção Sustentável
 

Mais de Construção Sustentável (20)

Janice Perlman - Human Habitat 2013 Part 2 of 2
Janice Perlman - Human Habitat 2013 Part 2 of 2Janice Perlman - Human Habitat 2013 Part 2 of 2
Janice Perlman - Human Habitat 2013 Part 2 of 2
 
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
 
Lia Vasconcelos e Helena Farrall - Workshop 2013: Laboratório de Resiliência ...
Lia Vasconcelos e Helena Farrall - Workshop 2013: Laboratório de Resiliência ...Lia Vasconcelos e Helena Farrall - Workshop 2013: Laboratório de Resiliência ...
Lia Vasconcelos e Helena Farrall - Workshop 2013: Laboratório de Resiliência ...
 
Livia Tirone - Workshop 2013: Laboratório de Resiliência Urbana
Livia Tirone - Workshop 2013: Laboratório de Resiliência UrbanaLivia Tirone - Workshop 2013: Laboratório de Resiliência Urbana
Livia Tirone - Workshop 2013: Laboratório de Resiliência Urbana
 
Tiago Teixeira - VULCANO
Tiago Teixeira - VULCANOTiago Teixeira - VULCANO
Tiago Teixeira - VULCANO
 
Paula Duarte - LNEG
Paula Duarte - LNEGPaula Duarte - LNEG
Paula Duarte - LNEG
 
Alexandre Fernandes - Fabriwatt
Alexandre Fernandes - FabriwattAlexandre Fernandes - Fabriwatt
Alexandre Fernandes - Fabriwatt
 
Rui Vinhas da Silva - ISCTE / University of Manchester
Rui Vinhas da Silva - ISCTE / University of ManchesterRui Vinhas da Silva - ISCTE / University of Manchester
Rui Vinhas da Silva - ISCTE / University of Manchester
 
Livia Tirone - Construção Sustentável
Livia Tirone - Construção SustentávelLivia Tirone - Construção Sustentável
Livia Tirone - Construção Sustentável
 
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 5 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 5 of 5Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 5 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 5 of 5
 
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 4 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 4 of 5Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 4 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 4 of 5
 
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 3 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 3 of 5Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 3 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 3 of 5
 
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 2 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 2 of 5Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 2 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 2 of 5
 
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 1 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 1 of 5Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 1 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 1 of 5
 
Teresa Correia - CM FARO
Teresa Correia - CM FAROTeresa Correia - CM FARO
Teresa Correia - CM FARO
 
António Frazão - SIMTEJO
António Frazão - SIMTEJOAntónio Frazão - SIMTEJO
António Frazão - SIMTEJO
 
Vitor Simões - ECOAGUA
Vitor Simões - ECOAGUAVitor Simões - ECOAGUA
Vitor Simões - ECOAGUA
 
Luis Neves - LN AGUAS
Luis Neves -  LN AGUASLuis Neves -  LN AGUAS
Luis Neves - LN AGUAS
 
Jaime Melo Baptista - ERSAR
Jaime Melo Baptista - ERSARJaime Melo Baptista - ERSAR
Jaime Melo Baptista - ERSAR
 
Helena Farrall
Helena Farrall Helena Farrall
Helena Farrall
 

Último

Último (9)

Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfAula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
 
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor SucroenergéticoConvergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
 

Livia Tirone

  • 1. WORKSHOP O Ciclo de Vida da Água em Contexto Urbano 18  de  Abril  2013
  • 2. WORKSHOP Ciclo de Vida da Água em Contexto Urbano Uma Visão para o Ciclo de Vida da Água em Contexto Urbano A Perspetiva da Entidade Gestora – ERSAR A Perspetiva da Entidade Abastecedora – EPAL A Perspetiva da Entidade Gestora de Águas Residuais – SIMTEJO A Energia e a Água – LN AGUAS Fixação da Água Localmente - ECOAGUA As Potencialidades de Melhoria de Desempenho - APCSLL
  • 3. VISÃO para o Uma CICLO DE VIDA DA ÁGUA em CONTEXTO URBANO Uma Proposta desenvolvida no âmbito do Grupo de Trabalho Reabilitação de Sistemas do Sustainable Construction Living Lab e da Construção Sustentável® As seguintes entidades colaboraram no desenvolvimento da VISÃO para o CICLO DE VIDA DA ÁGUA em CONTEXTO URBANO Desenvolvimento de Conteúdos: Câmara Municipal de Faro, Câmara Municipal de Águeda, STR UrbHIS Santarém, ASEPMA, ECOAGUA, LN AGUAS, HUNTSMAN (VYDRO), GRUNDFOS, ROCA, BOSCH (VULCANO). Contamos com o apoio de: ERSAR, EPAL, SIMTEJO, APA, ADENE LPN
  • 4. A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA A Água faz parte da nossa Cultura O  Papel  da  Água  na  Sociedade  é  tão  crucial  que   chega  a  tornar-­‐se  tema  “Tabú”
  • 5. A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA Valores  para  a   Resiliência  Urbana
  • 6. A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento A Água Potável é um Recurso Escasso
  • 7. A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento Vários Estados Membros já sofreram de Stress Hídrico – o impacte de falta de água é profundo na Sociedade
  • 8. A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento Práticas Comuns não serão Suficientes para melhorar os cenários que se desenham...
  • 9. PORQUÊ REPENSAR O CICLO DE VIDA DA ÁGUA? Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento Quando não chove nem as barragens oferecem segurança de abastecimento…
  • 10. A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento As Alterações Climáticas aceleram o Stress Hídrico: Chuvas Intensas e Eventos Extremos são mais frequentes trazendo danos materiais e perda de vida humana
  • 11. A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento As Alterações Climáticas aceleram o Stress Hídrico: Períodos prolongados de seca são mais frequentes e causam instabilidade social
  • 12. A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento Quase metade da água doce disponível na Europa encontra-se em risco de não atingir um bom grau de qualidade ecológica(1).
  • 13. A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento Crops  Science  Society  of  America   Evitar a contaminação do Meio Hídrico: As medidas de prevenção precisam de incidir nos processos na Industria e Agricultura a montante da contaminação…
  • 14. A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento Stock  Photo   Apenas  encontramos  o  que  procuramos…   Evitar a contaminação do Meio Hídrico: O que a Indústria Farmacêutica produz pode alterar o meio hídrico - poluentes emergentes e novos organismos destrutivos...
  • 15. A ÁGUA É UM DESAFIO NA EUROPA Paisagem de Risco: Segurança de Abastecimento A escorrência de águas pluviais à superfície pode ter consequências devastadoras em contextos urbanos (na maioria das cidades a drenagem de águas residuais e de águas pluviais é conjunta)
  • 16. ÁGUA: OPORTUNIDADES NA EUROPA Inovação Social Governância: Participação alargada das pessoas em decisões sobre o Ciclo de Vida da Água
  • 17. PORQUÊ REPENSAR O CICLO DE VIDA DA ÁGUA? O UTILIZADOR FINAL É CADA VEZ MAIS EXIGENTE: •  Pretende uma elevada qualidade da água (pressão, química e biológica) e um serviço de excelência •  Pretende que as gerações vindouras possam ter o acesso à água de qualidade assegurado, pelo que não aceita níveis elevados de perdas na rede •  O preço da água precisa de se manter acessível
  • 18. PORQUÊ REPENSAR O CICLO DE VIDA DA ÁGUA? LISBOA: Consumo diário de água potável per capita 130 l; Distância média percorrida pela água potável 100 km; Stress Hídrico episódico devido à ocorrência secas extremas; Segurança de Abastecimento (risco de contaminação) Perdas na rede de abastecimento: 9% (WOne) 2012 Preço da água potável muito acessível Qualidade da água potável abastecida é excelente Serviço água prestado é excelente Capacidade de água potável armazenada: 800.000 m3 volume que equivale a 3 dias de consumo
  • 19. PORQUÊ REPENSAR O CICLO DE VIDA DA ÁGUA? FARO: •  Consumo diário de água potável per capita 120 l; •  Distância média percorrida pela água potável 30 km; •  Stress Hídrico já existe •  Segurança de Abastecimento (risco de contaminação) •  Perdas na rede de abastecimento: 16,5% •  Preço da água potável acessível •  Qualidade da água potável abastecida é de qualidade •  Serviço água prestado é bom
  • 20. PORQUÊ REPENSAR O CICLO DE VIDA DA ÁGUA? RESILIÊNCIA URBANA: Como evitar os efeitos negativos das secas? •  Água potável deve ser utilizada apenas para este uso •  Reduzir a procura de água potável •  Introduzir reservatórios para armazenamento e redes locais de água pluvial para usos não potáveis •  Introduzir sistemas locais para o tratamento / reciclagem de água cinzenta para usos não potáveis •  Desenvolver planos de contingência amplamente participados para que possam ser colocados em prática de forma eficaz sempre que necessário...
  • 21. PORQUÊ REPENSAR O CICLO DE VIDA DA ÁGUA? Mau Uso da Água Será que precisamos de Água Potável para todos os Usos? Apenas 10% da Água que utilizamos em casa serve para usos potáveis
  • 22. PORQUÊ REPENSAR O CICLO DE VIDA DA ÁGUA? Mau Uso da Água Enquanto utilizamos água potável para fazer a descarga da sanita, sabemos que podemos melhorar o ciclo de vida da água em contexto urbano…
  • 23. NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO CADA USO UMA ÁGUA •  Beber e Cozinhar = Água Potável •  Higiene corporal = Água para Contacto Humano •  Rega de Agricultura Urbana = Água Pluvial Aproveitada •  Rega de Superfícies Ajardinadas e Lavagem de Roupa = Água Pluvial Aproveitada e Água Cinzenta Reciclada •  Lavagem de Superfícies Exteriores e Descarga de Sanitas = Água Cinzenta Reciclada e Água tratada
  • 24. NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO SISTEMAS: MONITORIZAÇÃO E CONTROLE Medir o Pulso da Água à escala local: Sistemas de monitorização contínua para minimizar as perdas Sistemas de monitorização contínua em tempo real para transformar comportamentos  
  • 25. NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO SISTEMAS: MONITORIZAÇÃO E CONTROLE Sistemas de Monitorização contínua em tempo real precisam de intercomunicar: •  Proteção Civil •  Infraestruturas de Abastecimento •  Infraestruturas de Saneamento (Águas Residuais e Pluviais)… •  Escorrências Superficiais e Contaminação…
  • 26. NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO VISÃO: CADA GOTA ACRESCENTA VALOR Uma árvore (80m2 de folhagem) em clima temperado e com acesso a água evapora 400 l por dia retirando uma quantidade de energia equivalente a 280 kWh do meio. Num dia de sol contribui para o arrefecimento desse meio tanto quanto 10 unidades ‘split’. Cidades nas quais o Ciclo de Vida Integral da Água acrescenta Valor, ao Fixar Cada Gota Localmente
  • 27. NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO SUPERFÍCIES INTERATIVAS Coberturas e Fachadas Vivas fixam a Água Localmente: •  Retardam a escorrência de águas pluviais •  Mitigam o Efeito Ilha de Calor Urbana •  Reduzem o Risco de Inundações
  • 28. NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO Inovação Tecnológica BABYLON  SYSTEM  -­‐  ASEPMA   Soluções para o aproveitamento de águas cinzentas
  • 29. NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO ARMAZENAMENTO E PROTEÇÃO Cisternas existentes (inativas e para armazenamento de água não-potável) permitem armazenar de forma descentralizada (com sistema de controle centralizado) a água pluvial durante eventos extremos, sendo a capacidade de armazenamento retirada das águas que poderão causar inundações – existem muitas cisternas e depósitos em Lisboa!
  • 30. NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO Inovação Tecnológica Soluções para o aproveitamento de águas pluviais
  • 31. NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO Inovação Tecnológica Soluções para o aproveitamento de águas pluviais
  • 32. NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO ÁGUA RENOVÁVEL LOCAL Outras Dimensões Renováveis a Explorar: •  Energia Azul •  Recuperação de Nutrientes
  • 33. NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO ÁGUA RENOVÁVEL LOCAL Outras Dimensões Renováveis a Explorar: Água Quente Solar
  • 34. NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO ÁGUA E QUALIDADE DE VIDA Água como Elemento da Experiência Urbana O Papel da Água em Espaços Públicos
  • 35. NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO VISÃO: CADA GOTA ACRESCENTA VALOR Cidades nas quais o Ciclo de Vida Integral da Água acrescenta Valor, ao Fixar Cada Gota Localmente
  • 36. NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO Considera-se um dos grandes desafios: Como assegurar o melhor serviço água possível, otimizando a utilização de recursos (água, materiais e energia)? •  Continuar a investir na utilização racional da água (eficiência) •  Disponibilizar para cada Uso a Água adequada •  Fixar a água da chuva localmente e tornar mais lenta a evaporação •  Reciclar águas cinzentas localmente •  Transportar recursos renováveis localmente (nutrientes, calor, frio...) •  Transformar a energia incorporada na água (Blue Energy)
  • 37. NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO Considera-se um dos grandes desafios: Contribuir para a Resiliência Urbana •  Qualificar e colocar em comunicação todos os sistemas de monitorização existentes •  Maximizar a infiltração das águas pluviais localmente Manter o ciclo de vida da água em contexto urbano tão autónomo e local quanto possível... e sempre a favor dos utilizadores locais e da cidade.
  • 38. NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO VISÃO: CADA GOTA ACRESCENTA VALOR
  • 39. NOVO CICLO DE VIDA DA ÁGUA URBANO VISÃO: CADA GOTA ACRESCENTA VALOR Cidades nas quais o Ciclo de Vida Integral da Água acrescenta Valor, ao Fixar Cada Gota Localmente
  • 40. REVISTA CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL® DESENVOLVE TODOS ESTES TEMAS... + e-Revista em 2013 1 2 3 4
  • 41. A CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL® agradece... Parceiros: Apoios: Parceiros de Comunicação: