SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 38
IRAR




Visão proposta para o ciclo de vida
da água em contexto urbano:
A perspetiva da entidade reguladora
CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL
Lisboa, 23 de Março de 2012   Centro Empresarial Torres de Lisboa             www.ersar.pt
                              Rua Tomás da Fonseca, Torre G – 8º    Tel.: +351 210 052 200
                              1600-209 LISBOA - PORTUGAL            Fax: +351 210 052 259
IRAR




       O que são os serviços
            de águas?
O serviço de
IRAR
                                                  abastecimento de água


       Água bruta
        850x106
        m3/ano


                     300 captações superficiais    230 estações de tratamento de
                    5700 captações subterrâneas     água para consumo humano




 Água potável          100 000 km de redes             8400 reservatórios          2400 elevatórias
615x106 m3/ano
O serviço de saneamento de
    IRAR
                                                      águas residuais




                Água residual recolhida         50 000 km de coletores
                   500x106 m3/ano




Água residual
  rejeitada



                                            2500 estações de tratamento de   4400 elevatórias
                                                   águas residuais e
                                                 1800 fossas coletivas
IRAR




 Qual a situação atual dos
   serviços de águas?
IRAR
                                            A situação atual
• Serviço de abastecimento público de água:
  – A situação tem melhorado muito, estando atingido o objectivo global.
  – Tem que continuar o investimento mas de forma racional, com o
    objectivo de resolver problemas localizados e com preocupações de
    gestão patrimonial, numa perspectiva custo benefício.
IRAR
                                                     A situação atual

• População com “água segura”:
  – A situação tem melhorado muito, prevendo-se atingir 99% da
    população, meta prevista no PEAASAR II.
  – Há apenas que manter / actualizar / aperfeiçoar / os mecanismos
    existentes, numa perspectiva custo benefício.

                                                           98%




                              Controlo de 50
                              parâmetros de
                              qualidade, de acordo
                              com a exigente
                              legislação europeia
IRAR
                                            A situação atual
• Serviço de saneamento de águas residuais:
  – A situação tem melhorado, mas ainda distante do objectivo de 90%.
  – Tem que continuar o investimento mas de forma racional, orientado
    por objectivos ambientais, de saúde pública e de gestão patrimonial,
    numa perspectiva custo benefício.
IRAR
                                      A situação atual
• Evolução da qualidade dos nossos recursos hídricos:
  – A situação tem melhorado muito.
A situação atual
IRAR


Portugal implementou nas últimas
duas décadas uma profunda reforma
do sector.
Embora essa implementação não
esteja completa, a situação melhorou
muito em termos de:
• Cobertura da população com abastecimento
  pública de água e sua fiabilidade;
• Qualidade da água segura para consumo
  humano;
• Cobertura da população com saneamento de
  águas residuais incluindo tratamento;
• Qualidade dos nossos recursos hídricos.
Os resultados da reforma
IRAR
                                          do sector em Portugal

Mas estará tudo bem? Certamente que não!
Temos necessidade de introduzir medidas
correctivas, sob pena de começarmos a degradar
/ colapsar o que já temos, nomeadamente:
• Melhorar a “eficiência estrutural do sector”, ainda
  excessivamente fragmentado e desarticulado;
• Melhorar a “eficiência das entidades gestoras”, o que
  implica boa informação interna e externa;
• Assegurar a sustentabilidade económica e financeira do
  sector e um adequado nível de recuperação de custos.
• Adequar os serviços aos novos desafios.
IRAR




        Quais os grandes
        desafios para os
       serviços de águas?
Outros desafios
 IRAR


• As captações de água para
  abastecimento ficarão mais sujeitas:
  – Ao risco de diminuição das
    disponibilidades hídricas e de aumento da
    sua assimetria sazonal e espacial, bem
    como de deterioração da qualidade, por
    efeito das alterações climáticas.
  – Ao risco de degradação da qualidade da
    água por efeito de poluentes químicos e
    biológicos emergentes.
  – Ao risco de competição crescente com
    outras utilizações da água.
Outros desafios
 IRAR


• No que respeita à rejeição de águas
  residuais:
  – O seu tratamento será mais complexo
    devido à legislação ambiental, à presença
    de poluentes químicos e biológicos
    emergentes e às alterações climáticas.
  – Vão aumentar as oportunidades de
    reutilização de águas e de aproveitamento
    de águas pluviais e de lamas do tratamento.
  – A rejeição de águas pluviais será mais
    complexa devido à legislação ambiental e
    às alterações climáticas.
Outros desafios
 IRAR

• No que respeita às infraestruturas:
  – Ficarão mais sujeitas a riscos associados
    ao envelhecimento e degradação.
  – Estarão mais sujeitas ao risco de
    inundações, por efeito das alterações
    climáticas, com deterioração / destruição.
  – Poderão ser alvos de vandalismo e de
    terrorismo, potenciando pela globalização.
  – Deve reforçar-se a fiabilidade das
    infraestruturas dos serviços de águas.
  – A evolução tecnológica combinará nano
    tecnologias, biotecnologias e tecnologias
    informáticas e vai alterar o sector.
Outros desafios
 IRAR


• No que respeita gestão dos serviços:
  – As alterações demográficas vão alterar as
    quantidades necessárias de água e afetar a
    sustentabilidade das entidades gestoras.
  – A utilização mais eficiente da água vai
    alterar os padrões de consumo e afetar a
    sustentabilidade das entidades gestoras.
  – Tenderá a haver uma utilização mais
    eficiente da energia face ao seu preço
    crescente e às limitações ambientais.
  – As entidades gestoras serão pressionadas
    para aumentarem a eficiência para
    manterem os preços acessíveis.
IRAR




            Exemplo:
       Que medidas para um
       uso mais eficiente da
              água?
Uso eficiente da água
 IRAR

• Objetivo principal
  – Melhorar a eficiência da utilização da água
    nos sectores urbano,
    – sem pôr em causa as necessidades vitais
      e a qualidade de vida das populações
    – bem como o desenvolvimento
      socioeconómico do País
• Objetivos complementares
  – Reduzir a poluição dos meios hídricos
  – Reduzir o consumo de energia
• Guia Técnico 8: Uso Eficiente da Água              Disponível
                                                  gratuitamente em
  no Sector Urbano (ERSAR, INAG e LNEC)             www.ersar.pt
Uso eficiente da água
 IRAR


• Medidas ao nível dos sistemas
  públicos
  – Redução de consumos de água
    – Redução de pressões no sistema público
      de abastecimento
    – Utilização de sistema tarifário adequado
    – Utilização de águas residuais urbanas
      tratadas
  – Redução de perdas de água
    – Redução de perdas de água no sistema
      público de abastecimento
                             Disponível gratuitamente
                                     em www.ersar.pt
Uso eficiente da água
 IRAR



• Medidas ao nível dos sistemas prediais e de
  instalações coletivas
  – Redução de consumos de água
    – Redução de pressões no sistema predial de
      abastecimento
    – Isolamento térmico do sistema de distribuição de água
      quente
    – Reutilização ou uso de água de qualidade inferior
  – Redução de perdas de água
    – Redução de perdas de água no sistema predial
Uso eficiente da água
 IRAR

• Medidas ao nível dos dispositivos em instalações
  residenciais, coletivas e similares
  – Autoclismos
     – Adequação da utilização de autoclismos
     – Substituição ou adaptação de autoclismos
     – (Utilização de bacias de retrete sem uso de água)
     – (Utilização de bacias de retrete por vácuo)
  – Chuveiros
     – Adequação da utilização de chuveiros
     – Substituição ou adaptação de chuveiros
  – Torneiras
     – Adequação da utilização de torneiras
     – Substituição ou adaptação de torneiras
Uso eficiente da água
IRAR

– Máquinas de lavar roupa
   – Adequação de procedimentos de utilização de
     máquinas de lavar roupa
   – Substituição de máquinas de lavar roupa
– Máquinas de lavar louça
   – Adequação de procedimentos de utilização de
     máquinas de lavar louça
   – Substituição de máquinas de lavar louça
– Urinóis
   – Adequação da utilização de urinóis
   – Substituição ou adaptação de urinóis
– Sistemas de aquecimento e refrigeração de ar
   – Redução de perdas e consumos
Uso eficiente da água
 IRAR

• Medidas ao nível dos usos exteriores
  – Lavagem de pavimentos
     – Adequação de procedimentos na lavagem de
       pavimentos
     – Utilização de limpeza a seco de pavimentos
     – Utilização de água residual tratada na lavagem de
       pavimentos
  – Lavagem de veículos
     – Adequação de procedimentos na lavagem de veículos
     – Utilização de dispositivos portáteis de água sob
       pressão na lavagem de veículos
     – Recirculação de água nas estações de lavagem de
       veículos
Uso eficiente da água
IRAR


– Jardins e similares
   – Adequação da gestão da rega, do solo e das espécies
     plantadas em jardins e similares
   – Substituição ou adaptação de tecnologias de rega em
     jardins e similares
   – Utilização de água da chuva em jardins e similares
   – Utilização de água residual tratada em jardins e
     similares
– Piscinas, lagos e espelhos de água
   – Recirculação da água em piscinas, lagos e espelhos de
     água
Uso eficiente da água
IRAR



   – Redução de perdas em piscinas, lagos e espelhos de
     água
   – Redução de perdas por evaporação em piscinas
   – Utilização de água da chuva em lagos e espelhos de
     água
– Campos desportivos, campos de golfe e outros espaços
  verdes de recreio
   – Adequação da gestão da rega, do solo e das espécies
     plantadas
   – Utilização de água da chuva
   – Utilização de água residual tratada
IRAR




        Como sensibilizar o
       consumidor para estas
            questões
IRAR


Dia Mundial da Água
   22 de Março/2012
  “Pacotes de açúcar”
          dedicados à
    sensibilização dos
    consumidores dos
   serviços de águas e
              resíduos
IRAR
       Emissão
       filatélica
       “Emissão
       filatélica” de
       2011 dedicada à
       sensibilização
       dos
       consumidores
       dos serviços de
       águas e
       resíduos
IRAR




O nível de conhecimento
   das infraestruturas
IRAR
                  O índice de conhecimento

• Índice de conhecimento infraestrutural e de
  gestão patrimonial:
   – Calculado em função da informação disponível
     sobre:
     • as infraestruturas
     • as intervenções realizadas
     • o nível de gestão patrimonial
   – Determinado pela acumulação de pontos
     referentes a três grupos de informação,
     podendo variar entre 0 e 100.
IRAR
                                       A situação nacional
• Benchmarking do índice de conhecimento
  infraestrutural e de gestão patrimonial

       Área do desconhecimento


                                                 Área do conhecimento



                Abastecimento – serviço em baixa (261 EG)



       Área do desconhecimento

                                                 Área do conhecimento



                 Saneamento - serviço em baixa (264 EG)
IRAR




   Alguns exemplos de
      indicadores de
   qualidade de serviço
Avarias em condutas
               IRAR
                                                               Sistemas em
                                                                       alta
Urbano
Media Urbano
Rural




                                                                                    Sistemas
                                                                                    em baixa
                      Norte   Centro e Lisboa e Vale do Tejo   Alentejo e Algarve
Perdas reais de água
               IRAR
                                                               Sistemas em
                                                                       alta
Urbano
Media Urbano
Rural




                                                                                    Sistemas
                                                                                    em baixa
                      Norte   Centro e Lisboa e Vale do Tejo   Alentejo e Algarve
Reabilitação de condutas
               IRAR
                                                               Sistemas em
                                                                       alta
Urbano
Media Urbano
Rural




                                                                                    Sistemas
                                                                                    em baixa
                      Norte   Centro e Lisboa e Vale do Tejo   Alentejo e Algarve
IRAR




       Conclusão
Conclusão
 IRAR

• A natural evolução dos serviços de abastecimento
  de água e de saneamento de águas residuais tem
  que ser naturalmente progressiva, pois têm que ser
  superadas muitas barreiras:
  –   tecnologia fiável
  –   funcionalidade e simplicidade
  –   racionalidade económica
  –   adequação ambiental
  –   aceitabilidade social e cultural
  –   adequação legislativa (oportunidade!)
  –   segurança em termos de saúde pública
  –   adequação às infraestruturas existentes
• A ERSAR apoia a inovação sustentada do setor.
IRAR

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Amparo memorial descritivo e justificativo
Amparo memorial descritivo e justificativoAmparo memorial descritivo e justificativo
Amparo memorial descritivo e justificativo
Rogerio Catanese
 

Mais procurados (20)

Brasil é um País com 26 UF e Distrito Federal
Brasil é um País com 26 UF e Distrito FederalBrasil é um País com 26 UF e Distrito Federal
Brasil é um País com 26 UF e Distrito Federal
 
ENCONTRO DE PERFURADORES Ações da ABAS Voltadas a Perfuração de Poços
ENCONTRO DE PERFURADORES Ações da ABAS Voltadas a Perfuração de PoçosENCONTRO DE PERFURADORES Ações da ABAS Voltadas a Perfuração de Poços
ENCONTRO DE PERFURADORES Ações da ABAS Voltadas a Perfuração de Poços
 
3 aula
3 aula3 aula
3 aula
 
ÁGUA SUSTENTÁVEL (AS) E AS INDÚSTRIAS DE CERVEJA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS PCJ...
ÁGUA SUSTENTÁVEL (AS) E AS INDÚSTRIAS DE CERVEJA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS PCJ...ÁGUA SUSTENTÁVEL (AS) E AS INDÚSTRIAS DE CERVEJA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS PCJ...
ÁGUA SUSTENTÁVEL (AS) E AS INDÚSTRIAS DE CERVEJA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS PCJ...
 
SISTEMA ALTERNATIVO PARA O DESAGUAMENTO EM MACIÇOS ROCHOSOS DE BAIXA PERMEABI...
SISTEMA ALTERNATIVO PARA O DESAGUAMENTO EM MACIÇOS ROCHOSOS DE BAIXA PERMEABI...SISTEMA ALTERNATIVO PARA O DESAGUAMENTO EM MACIÇOS ROCHOSOS DE BAIXA PERMEABI...
SISTEMA ALTERNATIVO PARA O DESAGUAMENTO EM MACIÇOS ROCHOSOS DE BAIXA PERMEABI...
 
VALOR: Aproveitamento de água de chuva
VALOR: Aproveitamento de água de chuvaVALOR: Aproveitamento de água de chuva
VALOR: Aproveitamento de água de chuva
 
Apresentacao vilarinho audiencia publica_14-03-2019_final
Apresentacao vilarinho audiencia publica_14-03-2019_finalApresentacao vilarinho audiencia publica_14-03-2019_final
Apresentacao vilarinho audiencia publica_14-03-2019_final
 
Aula tratamento de água
Aula tratamento de águaAula tratamento de água
Aula tratamento de água
 
Redes de abastecimento de água
Redes de abastecimento de águaRedes de abastecimento de água
Redes de abastecimento de água
 
Amparo memorial descritivo e justificativo
Amparo memorial descritivo e justificativoAmparo memorial descritivo e justificativo
Amparo memorial descritivo e justificativo
 
10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH
10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH
10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH
 
04 Jaime Melo Baptista Ersar 22 Jan 2010 Ics
04 Jaime Melo Baptista  Ersar 22 Jan 2010 Ics04 Jaime Melo Baptista  Ersar 22 Jan 2010 Ics
04 Jaime Melo Baptista Ersar 22 Jan 2010 Ics
 
Monografia nilson parte 2..
Monografia nilson parte 2..Monografia nilson parte 2..
Monografia nilson parte 2..
 
Copasa
CopasaCopasa
Copasa
 
Estudo de concepção de sistema de abastecimento de água
Estudo de concepção de sistema de abastecimento de águaEstudo de concepção de sistema de abastecimento de água
Estudo de concepção de sistema de abastecimento de água
 
Projeto de hidráulica
Projeto de hidráulicaProjeto de hidráulica
Projeto de hidráulica
 
Trabalho de Sistema de Abastecimento de Água
Trabalho de Sistema de Abastecimento de ÁguaTrabalho de Sistema de Abastecimento de Água
Trabalho de Sistema de Abastecimento de Água
 
Estudo de caso fev2019
Estudo de caso fev2019 Estudo de caso fev2019
Estudo de caso fev2019
 
Aula 05 - Considerações projeto eta - tecnica tratamento 25.08
Aula 05 - Considerações projeto eta - tecnica tratamento 25.08Aula 05 - Considerações projeto eta - tecnica tratamento 25.08
Aula 05 - Considerações projeto eta - tecnica tratamento 25.08
 
Introdução a engenharia - aula 5 - recursos hidricos, barragens e sistemas de...
Introdução a engenharia - aula 5 - recursos hidricos, barragens e sistemas de...Introdução a engenharia - aula 5 - recursos hidricos, barragens e sistemas de...
Introdução a engenharia - aula 5 - recursos hidricos, barragens e sistemas de...
 

Semelhante a Jaime Melo Baptista - ERSAR

Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdf
Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdfDiagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdf
Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdf
EdineiaKoelerGege
 
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
João Boos Boos
 
Legislação ambiental e a proteção dos recursos hídricos
Legislação ambiental e a proteção dos recursos hídricosLegislação ambiental e a proteção dos recursos hídricos
Legislação ambiental e a proteção dos recursos hídricos
nucleosul2svma
 
Projeto de lei - Reúso da água
Projeto de lei - Reúso da águaProjeto de lei - Reúso da água
Projeto de lei - Reúso da água
Aline Romani
 
Sistemas de aproveitamento de água pluvial
Sistemas de aproveitamento de água pluvialSistemas de aproveitamento de água pluvial
Sistemas de aproveitamento de água pluvial
Fábio Aguiar
 

Semelhante a Jaime Melo Baptista - ERSAR (20)

Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdf
Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdfDiagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdf
Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdf
 
Trabalho académico recurso hidricos portugueses
Trabalho académico   recurso hidricos portuguesesTrabalho académico   recurso hidricos portugueses
Trabalho académico recurso hidricos portugueses
 
Visão Geral sobre o Reuso de Água no Brasil
Visão Geral sobre o Reuso de Água no BrasilVisão Geral sobre o Reuso de Água no Brasil
Visão Geral sobre o Reuso de Água no Brasil
 
António Frazão - SIMTEJO
António Frazão - SIMTEJOAntónio Frazão - SIMTEJO
António Frazão - SIMTEJO
 
27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes
27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes
27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes
 
Apresentação - FITABES - Regulamentação do Reuso
Apresentação - FITABES - Regulamentação do ReusoApresentação - FITABES - Regulamentação do Reuso
Apresentação - FITABES - Regulamentação do Reuso
 
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
TRATAMENTO DE ESGOTO DOADO PELA CORSAN AO MUNICÍPIO DE MONTENEGRO EM 2007.
 
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
Trabalho tratamento esgoto final.ppt 2
 
Ana Margarida Luís - EPAL
Ana Margarida Luís - EPALAna Margarida Luís - EPAL
Ana Margarida Luís - EPAL
 
Aula_1 e 2_SAA.pptx
Aula_1 e 2_SAA.pptxAula_1 e 2_SAA.pptx
Aula_1 e 2_SAA.pptx
 
Legislação ambiental e a proteção dos recursos hídricos
Legislação ambiental e a proteção dos recursos hídricosLegislação ambiental e a proteção dos recursos hídricos
Legislação ambiental e a proteção dos recursos hídricos
 
Projeto de lei - Reúso da água
Projeto de lei - Reúso da águaProjeto de lei - Reúso da água
Projeto de lei - Reúso da água
 
O Impacto das Mudanças Climáticas em Empresas de Água e Saneamento no Brasil
O Impacto das Mudanças Climáticas em Empresas de Água e Saneamento no BrasilO Impacto das Mudanças Climáticas em Empresas de Água e Saneamento no Brasil
O Impacto das Mudanças Climáticas em Empresas de Água e Saneamento no Brasil
 
Jornal Semasa - Saneamento Básico de Santo André
Jornal Semasa - Saneamento Básico de Santo AndréJornal Semasa - Saneamento Básico de Santo André
Jornal Semasa - Saneamento Básico de Santo André
 
Sistemas de aproveitamento de água pluvial
Sistemas de aproveitamento de água pluvialSistemas de aproveitamento de água pluvial
Sistemas de aproveitamento de água pluvial
 
Hidrologia Bacias Hidrograficas e cursos dagua.ppt
Hidrologia Bacias Hidrograficas e cursos dagua.pptHidrologia Bacias Hidrograficas e cursos dagua.ppt
Hidrologia Bacias Hidrograficas e cursos dagua.ppt
 
Programa Produtor de Água_Devanir Garcia dos Santos
Programa Produtor de Água_Devanir Garcia dos SantosPrograma Produtor de Água_Devanir Garcia dos Santos
Programa Produtor de Água_Devanir Garcia dos Santos
 
Luis Neves - LN AGUAS
Luis Neves -  LN AGUASLuis Neves -  LN AGUAS
Luis Neves - LN AGUAS
 
Tratamento de esgoto (tratamentos de aguas reiduos)
Tratamento de esgoto (tratamentos de aguas reiduos)Tratamento de esgoto (tratamentos de aguas reiduos)
Tratamento de esgoto (tratamentos de aguas reiduos)
 
Aproveitamento de água da chuva
Aproveitamento de água da chuvaAproveitamento de água da chuva
Aproveitamento de água da chuva
 

Mais de Construção Sustentável

Janice Perlman - Human Habitat 2013 Part 2 of 2
Janice Perlman - Human Habitat 2013 Part 2 of 2Janice Perlman - Human Habitat 2013 Part 2 of 2
Janice Perlman - Human Habitat 2013 Part 2 of 2
Construção Sustentável
 
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
Construção Sustentável
 

Mais de Construção Sustentável (20)

Janice Perlman - Human Habitat 2013 Part 2 of 2
Janice Perlman - Human Habitat 2013 Part 2 of 2Janice Perlman - Human Habitat 2013 Part 2 of 2
Janice Perlman - Human Habitat 2013 Part 2 of 2
 
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
Janice Perlman Human Habitat 2013 - Part 1 of 2
 
Lia Vasconcelos e Helena Farrall - Workshop 2013: Laboratório de Resiliência ...
Lia Vasconcelos e Helena Farrall - Workshop 2013: Laboratório de Resiliência ...Lia Vasconcelos e Helena Farrall - Workshop 2013: Laboratório de Resiliência ...
Lia Vasconcelos e Helena Farrall - Workshop 2013: Laboratório de Resiliência ...
 
Livia Tirone - Workshop 2013: Laboratório de Resiliência Urbana
Livia Tirone - Workshop 2013: Laboratório de Resiliência UrbanaLivia Tirone - Workshop 2013: Laboratório de Resiliência Urbana
Livia Tirone - Workshop 2013: Laboratório de Resiliência Urbana
 
Tiago Teixeira - VULCANO
Tiago Teixeira - VULCANOTiago Teixeira - VULCANO
Tiago Teixeira - VULCANO
 
Paula Duarte - LNEG
Paula Duarte - LNEGPaula Duarte - LNEG
Paula Duarte - LNEG
 
Alexandre Fernandes - Fabriwatt
Alexandre Fernandes - FabriwattAlexandre Fernandes - Fabriwatt
Alexandre Fernandes - Fabriwatt
 
Rui Vinhas da Silva - ISCTE / University of Manchester
Rui Vinhas da Silva - ISCTE / University of ManchesterRui Vinhas da Silva - ISCTE / University of Manchester
Rui Vinhas da Silva - ISCTE / University of Manchester
 
Livia Tirone - Construção Sustentável
Livia Tirone - Construção SustentávelLivia Tirone - Construção Sustentável
Livia Tirone - Construção Sustentável
 
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 5 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 5 of 5Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 5 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 5 of 5
 
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 4 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 4 of 5Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 4 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 4 of 5
 
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 3 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 3 of 5Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 3 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 3 of 5
 
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 2 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 2 of 5Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 2 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 2 of 5
 
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 1 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 1 of 5Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 1 of 5
Human Habitat 2013: Alfonso Vegara - Part 1 of 5
 
Teresa Correia - CM FARO
Teresa Correia - CM FAROTeresa Correia - CM FARO
Teresa Correia - CM FARO
 
Vitor Simões - ECOAGUA
Vitor Simões - ECOAGUAVitor Simões - ECOAGUA
Vitor Simões - ECOAGUA
 
Livia Tirone
Livia TironeLivia Tirone
Livia Tirone
 
Helena Farrall
Helena Farrall Helena Farrall
Helena Farrall
 
Relatorio de Atividades Construção Sustentável (Ano 2012) Final
Relatorio de Atividades Construção Sustentável (Ano 2012) FinalRelatorio de Atividades Construção Sustentável (Ano 2012) Final
Relatorio de Atividades Construção Sustentável (Ano 2012) Final
 
João Ferrão
João FerrãoJoão Ferrão
João Ferrão
 

Último

Último (8)

Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfAula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor SucroenergéticoConvergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
 

Jaime Melo Baptista - ERSAR

  • 1. IRAR Visão proposta para o ciclo de vida da água em contexto urbano: A perspetiva da entidade reguladora CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL Lisboa, 23 de Março de 2012 Centro Empresarial Torres de Lisboa www.ersar.pt Rua Tomás da Fonseca, Torre G – 8º Tel.: +351 210 052 200 1600-209 LISBOA - PORTUGAL Fax: +351 210 052 259
  • 2. IRAR O que são os serviços de águas?
  • 3. O serviço de IRAR abastecimento de água Água bruta 850x106 m3/ano 300 captações superficiais 230 estações de tratamento de 5700 captações subterrâneas água para consumo humano Água potável 100 000 km de redes 8400 reservatórios 2400 elevatórias 615x106 m3/ano
  • 4. O serviço de saneamento de IRAR águas residuais Água residual recolhida 50 000 km de coletores 500x106 m3/ano Água residual rejeitada 2500 estações de tratamento de 4400 elevatórias águas residuais e 1800 fossas coletivas
  • 5. IRAR Qual a situação atual dos serviços de águas?
  • 6. IRAR A situação atual • Serviço de abastecimento público de água: – A situação tem melhorado muito, estando atingido o objectivo global. – Tem que continuar o investimento mas de forma racional, com o objectivo de resolver problemas localizados e com preocupações de gestão patrimonial, numa perspectiva custo benefício.
  • 7. IRAR A situação atual • População com “água segura”: – A situação tem melhorado muito, prevendo-se atingir 99% da população, meta prevista no PEAASAR II. – Há apenas que manter / actualizar / aperfeiçoar / os mecanismos existentes, numa perspectiva custo benefício. 98% Controlo de 50 parâmetros de qualidade, de acordo com a exigente legislação europeia
  • 8. IRAR A situação atual • Serviço de saneamento de águas residuais: – A situação tem melhorado, mas ainda distante do objectivo de 90%. – Tem que continuar o investimento mas de forma racional, orientado por objectivos ambientais, de saúde pública e de gestão patrimonial, numa perspectiva custo benefício.
  • 9. IRAR A situação atual • Evolução da qualidade dos nossos recursos hídricos: – A situação tem melhorado muito.
  • 10. A situação atual IRAR Portugal implementou nas últimas duas décadas uma profunda reforma do sector. Embora essa implementação não esteja completa, a situação melhorou muito em termos de: • Cobertura da população com abastecimento pública de água e sua fiabilidade; • Qualidade da água segura para consumo humano; • Cobertura da população com saneamento de águas residuais incluindo tratamento; • Qualidade dos nossos recursos hídricos.
  • 11. Os resultados da reforma IRAR do sector em Portugal Mas estará tudo bem? Certamente que não! Temos necessidade de introduzir medidas correctivas, sob pena de começarmos a degradar / colapsar o que já temos, nomeadamente: • Melhorar a “eficiência estrutural do sector”, ainda excessivamente fragmentado e desarticulado; • Melhorar a “eficiência das entidades gestoras”, o que implica boa informação interna e externa; • Assegurar a sustentabilidade económica e financeira do sector e um adequado nível de recuperação de custos. • Adequar os serviços aos novos desafios.
  • 12. IRAR Quais os grandes desafios para os serviços de águas?
  • 13. Outros desafios IRAR • As captações de água para abastecimento ficarão mais sujeitas: – Ao risco de diminuição das disponibilidades hídricas e de aumento da sua assimetria sazonal e espacial, bem como de deterioração da qualidade, por efeito das alterações climáticas. – Ao risco de degradação da qualidade da água por efeito de poluentes químicos e biológicos emergentes. – Ao risco de competição crescente com outras utilizações da água.
  • 14. Outros desafios IRAR • No que respeita à rejeição de águas residuais: – O seu tratamento será mais complexo devido à legislação ambiental, à presença de poluentes químicos e biológicos emergentes e às alterações climáticas. – Vão aumentar as oportunidades de reutilização de águas e de aproveitamento de águas pluviais e de lamas do tratamento. – A rejeição de águas pluviais será mais complexa devido à legislação ambiental e às alterações climáticas.
  • 15. Outros desafios IRAR • No que respeita às infraestruturas: – Ficarão mais sujeitas a riscos associados ao envelhecimento e degradação. – Estarão mais sujeitas ao risco de inundações, por efeito das alterações climáticas, com deterioração / destruição. – Poderão ser alvos de vandalismo e de terrorismo, potenciando pela globalização. – Deve reforçar-se a fiabilidade das infraestruturas dos serviços de águas. – A evolução tecnológica combinará nano tecnologias, biotecnologias e tecnologias informáticas e vai alterar o sector.
  • 16. Outros desafios IRAR • No que respeita gestão dos serviços: – As alterações demográficas vão alterar as quantidades necessárias de água e afetar a sustentabilidade das entidades gestoras. – A utilização mais eficiente da água vai alterar os padrões de consumo e afetar a sustentabilidade das entidades gestoras. – Tenderá a haver uma utilização mais eficiente da energia face ao seu preço crescente e às limitações ambientais. – As entidades gestoras serão pressionadas para aumentarem a eficiência para manterem os preços acessíveis.
  • 17. IRAR Exemplo: Que medidas para um uso mais eficiente da água?
  • 18. Uso eficiente da água IRAR • Objetivo principal – Melhorar a eficiência da utilização da água nos sectores urbano, – sem pôr em causa as necessidades vitais e a qualidade de vida das populações – bem como o desenvolvimento socioeconómico do País • Objetivos complementares – Reduzir a poluição dos meios hídricos – Reduzir o consumo de energia • Guia Técnico 8: Uso Eficiente da Água Disponível gratuitamente em no Sector Urbano (ERSAR, INAG e LNEC) www.ersar.pt
  • 19. Uso eficiente da água IRAR • Medidas ao nível dos sistemas públicos – Redução de consumos de água – Redução de pressões no sistema público de abastecimento – Utilização de sistema tarifário adequado – Utilização de águas residuais urbanas tratadas – Redução de perdas de água – Redução de perdas de água no sistema público de abastecimento Disponível gratuitamente em www.ersar.pt
  • 20. Uso eficiente da água IRAR • Medidas ao nível dos sistemas prediais e de instalações coletivas – Redução de consumos de água – Redução de pressões no sistema predial de abastecimento – Isolamento térmico do sistema de distribuição de água quente – Reutilização ou uso de água de qualidade inferior – Redução de perdas de água – Redução de perdas de água no sistema predial
  • 21. Uso eficiente da água IRAR • Medidas ao nível dos dispositivos em instalações residenciais, coletivas e similares – Autoclismos – Adequação da utilização de autoclismos – Substituição ou adaptação de autoclismos – (Utilização de bacias de retrete sem uso de água) – (Utilização de bacias de retrete por vácuo) – Chuveiros – Adequação da utilização de chuveiros – Substituição ou adaptação de chuveiros – Torneiras – Adequação da utilização de torneiras – Substituição ou adaptação de torneiras
  • 22. Uso eficiente da água IRAR – Máquinas de lavar roupa – Adequação de procedimentos de utilização de máquinas de lavar roupa – Substituição de máquinas de lavar roupa – Máquinas de lavar louça – Adequação de procedimentos de utilização de máquinas de lavar louça – Substituição de máquinas de lavar louça – Urinóis – Adequação da utilização de urinóis – Substituição ou adaptação de urinóis – Sistemas de aquecimento e refrigeração de ar – Redução de perdas e consumos
  • 23. Uso eficiente da água IRAR • Medidas ao nível dos usos exteriores – Lavagem de pavimentos – Adequação de procedimentos na lavagem de pavimentos – Utilização de limpeza a seco de pavimentos – Utilização de água residual tratada na lavagem de pavimentos – Lavagem de veículos – Adequação de procedimentos na lavagem de veículos – Utilização de dispositivos portáteis de água sob pressão na lavagem de veículos – Recirculação de água nas estações de lavagem de veículos
  • 24. Uso eficiente da água IRAR – Jardins e similares – Adequação da gestão da rega, do solo e das espécies plantadas em jardins e similares – Substituição ou adaptação de tecnologias de rega em jardins e similares – Utilização de água da chuva em jardins e similares – Utilização de água residual tratada em jardins e similares – Piscinas, lagos e espelhos de água – Recirculação da água em piscinas, lagos e espelhos de água
  • 25. Uso eficiente da água IRAR – Redução de perdas em piscinas, lagos e espelhos de água – Redução de perdas por evaporação em piscinas – Utilização de água da chuva em lagos e espelhos de água – Campos desportivos, campos de golfe e outros espaços verdes de recreio – Adequação da gestão da rega, do solo e das espécies plantadas – Utilização de água da chuva – Utilização de água residual tratada
  • 26. IRAR Como sensibilizar o consumidor para estas questões
  • 27. IRAR Dia Mundial da Água 22 de Março/2012 “Pacotes de açúcar” dedicados à sensibilização dos consumidores dos serviços de águas e resíduos
  • 28. IRAR Emissão filatélica “Emissão filatélica” de 2011 dedicada à sensibilização dos consumidores dos serviços de águas e resíduos
  • 29. IRAR O nível de conhecimento das infraestruturas
  • 30. IRAR O índice de conhecimento • Índice de conhecimento infraestrutural e de gestão patrimonial: – Calculado em função da informação disponível sobre: • as infraestruturas • as intervenções realizadas • o nível de gestão patrimonial – Determinado pela acumulação de pontos referentes a três grupos de informação, podendo variar entre 0 e 100.
  • 31. IRAR A situação nacional • Benchmarking do índice de conhecimento infraestrutural e de gestão patrimonial Área do desconhecimento Área do conhecimento Abastecimento – serviço em baixa (261 EG) Área do desconhecimento Área do conhecimento Saneamento - serviço em baixa (264 EG)
  • 32. IRAR Alguns exemplos de indicadores de qualidade de serviço
  • 33. Avarias em condutas IRAR Sistemas em alta Urbano Media Urbano Rural Sistemas em baixa Norte Centro e Lisboa e Vale do Tejo Alentejo e Algarve
  • 34. Perdas reais de água IRAR Sistemas em alta Urbano Media Urbano Rural Sistemas em baixa Norte Centro e Lisboa e Vale do Tejo Alentejo e Algarve
  • 35. Reabilitação de condutas IRAR Sistemas em alta Urbano Media Urbano Rural Sistemas em baixa Norte Centro e Lisboa e Vale do Tejo Alentejo e Algarve
  • 36. IRAR Conclusão
  • 37. Conclusão IRAR • A natural evolução dos serviços de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais tem que ser naturalmente progressiva, pois têm que ser superadas muitas barreiras: – tecnologia fiável – funcionalidade e simplicidade – racionalidade económica – adequação ambiental – aceitabilidade social e cultural – adequação legislativa (oportunidade!) – segurança em termos de saúde pública – adequação às infraestruturas existentes • A ERSAR apoia a inovação sustentada do setor.
  • 38. IRAR