SlideShare uma empresa Scribd logo
Prof. Dr. Emanoel Barreto
        e.barreto@ufrnet.br
           @VelhoBarreto
  Monitora: Silvia Correia
JORNALISMO DE REVISTA
                                         CAPA

A PÁGINA MAIS IMPORTANTE:

   “Uma revista tem cinco segundos para atrair
   a atenção do leitor na banca. Nessa fração
   de tempo, a capa tem de transmitir a
   identidade e o conteúdo da publicação, deter
   o leitor, levá-lo a pegar o exemplar, abri-lo e
   comprá-lo.”



Fatima Ali – A Arte de Editar Revistas
JORNALISMO DE REVISTA
                                                               CAPA

   A CAPA – Maior recurso de venda
       Síntese irresistível de uma edição;
       Anúncio importante que, quando competente, faz o leitor comprar o
        exemplar da revista;
       Elemento isolado mais importante para estabelecer a sua imagem;
       Primeira e melhor oportunidade de atrair o leitor em uma banca;
       É ela quem faz o assinante abri-la no meio da correspondência;
       Desperta o interesse de novos anunciantes;
       Tem papel importante no lucro da publicação, pois boa parte da compra
        de revistas ocorre por impulso.
       Uma capa tem a função de “vender” a edição para seu leitor. Na
        maioria das vezes, é ela quem determina se o exemplar será aberto
        imediatamente, mais tarde ou nunca.
JORNALISMO DE REVISTA
                                                                CAPA

   Não existe uma fórmula exata ou regra para se produzir uma boa capa;

   Notícias quentes e exclusivas não existem para todas as capas;

   Boa imagem será sempre importante: é ela o primeiro elemento que
    prenderá a tenção do leitor;

   Logotipo: outro elemento fundamental de uma revista;

   Logo já conhecida: revista já detém uma imagem de credibilidade junto
    ao público;

   Chamadas claras e objetivas;

   Chamada principal + imagem da capa: devem se complementar, pasando
    mensagem coesa e coerente;

   Por melhor que seja a imagem escolhida, o fundo não pode atrapalhar a
    legibilidade das chamadas.
JORNALISMO DE REVISTA
                                            CAPA

      Tipos de leitores de revista:
      Gostam muito: compram não importa o que
       está na capa;
      Interessados: só deixam de comprar se a revista
       não possuir nada que os atraiam;
      Moderadamente        interessados:     compram
       metade das edições de um ano;
      Marginais: compram um ou duas edições por
       ano, quando são atraídos por um assunto de
       interesse ou apenas por terem sido atraídos por
       uma boa capa em uma banca qualquer.
          Este grupo é o que geralmente garante o lucro
           da edição;
          Criar uma capa que os atraia é um dos
           maiores desafios.
JORNALISMO DE REVISTA
                                                   CAPA

 Recursos para uma boa capa
    FORMATO:
      A escolha do formato ideal é um dos fatores mais
       fortes de uma capa;
      Juntamente do logotipo, compõe a base da identidade
       da revista, dá sentido de continuidade edição após
       edição;
      Ao longo do tempo, torna-se tão familiar que o leitor
       reconhece a revista mesmo sem ver o logotipo;
      Mudanças no formato devem ser realizadas com
       cuidado e só depois de ter público leitor estabelecido;
      Mudar só pela mudança pode irritar o leitor habitual.
MARCAS INCONFUNDÍVEIS




S ím lo famso d e s d e a p r i m e i r a e d i ç ã o , o c o e lh i n h o
    bo       o:
fa z p a r t e d a c a p a d a Plyby e a ju d o u a c r i a r a
                                    ao
i d e n ti d a d e d a re vi s ta . L o g o n o i n íc i o , e ra
MARCAS INCONFUNDÍVEIS




M o ra am la:
   ldu   are    E x e m p lo d e i d e n t i fi c a ç ã o e d i t o r i a l
MARCAS INCONFUNDÍVEIS




I lustraçõ s q e são o de arte D e s d e 1 9 2 5 TheNe Yokrt e m c a p a s
          e u        bra      :                            w re
c r i a d a s p o r g r a n d e s i lu s t r a d o r e s , c o m im ag e n s
b e m -h u m o r a d a s q u e t o c a m a e s s ê n c i a d a c i d a d e e
MARCAS INCONFUNDÍVEIS



        S acadas brilhante s:  A p ri n c i p a l
        m a r c a d a s c a p a s d a Th Ecnm t
                                           e o o is
        é     a     c o m p e tên c i a   p a ra
        a n a li s a r                         os
        a c o n te c i m e n to s             da
        s e m a n a e t i r a r c o n c lu s õ e s
        p e rs p i c a z e s e a g u d a s . As
        i m a g e n s s ã o a p re s e n ta d a s
        d e fo r m a b e m -h u m o r a d a .

        -      A     cap a       ao      la d o
        re p re s e n ta    a    u n ião    de
        d u as       e m p re s a s .    E ssa
        e d i çã o      g e ro u       m u i ta
MARCAS INCONFUNDÍVEIS




F o s ine u cív is:
   to      sq e e      A i d e n t i d a d e d a V n y Fa , d e s d e s e u
                                                   a it ir
la n ç a m e n t o      em       1 983,       e s tá     d i re ta m e n te
r e la c i o n a d a   co m     a s e x c e p c i o n a i s fo t o s d e
FOTOGRAFIA X ILUSTRAÇÃO




F OTOGR A F I A : U m r o s t o c o m o o lh a r fi x o n o le i t o r é
m a g n e t i z a n t e e p o d e r o s o . P o r i s s o , é t ã o u t i li z a d o
n a s c a p a s . R ol Stne t e m a t r a d i ç ã o d e a p r e s e n t a r
                        ling o
r e t r a t o s o r i g i n a i s d e a r t i s t a s ; Pepl u t i li z a v á r i a s
                                                         oe
FOTOGRAFIA X ILUSTRAÇÃO




I L U S TR A Ç Ã O: C a p a s c r i a t i v a s e d e i m p a c t o v i s u a l
p o d e m s e r fe i t a s c o m fo t o i lu s t r a ç ã o , m o n t a g e e
o u ju s t a p o s i ç ã o d e i m a g e n s , c o m o e s s a s d a Vj e ea
CAPAS HISTÓRICAS - VEJA
CAPAS DE IMPACTO – UMA SÓ COR




  U m a c a p a li m p a c o m         u m a ú n ica
im ag e m      em     u m a s ó c o r /t o n a li d a d e
p re d o m i n a n te te m d e s ta q u e g a ra n ti d o
JORNALISMO DE REVISTA
             R ECU R S OS P A R A U M A B OA
                                       CA P A

         TÍ TU L O                                          L OGOTI PO
  É a expressão mais forte do conceito, da             Deve ser: proeminente, descritivo e legível;
identidade e do posicionamento da revista;
                                                        Na maioria das revistas se mantém igual em
Não   há regras para sua criação;                       todas as edições;

Algumas    vezes é a primeira coisa que surge no       Há casos em que se muda de cor ou de posição
nascimento de uma revista, em outros casos pode          ou é em parte coberto pela imagem da capa;
ser o último item a ser definido;
                                                        Depois de certo tempo, a logo torna-se um selo
Não    existe maneira eficaz de medir sua               de identificação;
influência no sucesso da revista;
                                                        Curiosidade: várias revistas têm seu logo do
Diz   logo a que vem a revista;                         lado esquerdo para serem facilmente
                                                         visualizados na arrumação da banca;
Curiosidade: um bom designer pode criar um
bom logo tanta para um título curto como para           A cor deve ter suficiente contraste para se
um longo. Porém, o longo com certeza é mais              destacar, mesmo quando visto a uma certa
difícil;                                                 distância;

Como     existem diversas revistas de mesmo            A mudança da logo deve ser feita aos poucos
assunto, um título diferente ajuda ao leitor a não       para atualização e reforço de sua identidade;
confundir uma revista com sua concorrente.
                                                        Mudança abrupta e radical deve ser evitada ao
                                                         máximo.
LOGOTIPOS – SERIFADAS
   TR A D I Ç Ã O e EL EGÂ N CI A
LOGOTIPOS – SEM SERIFA
   M OD ER N I D A D E   E
    CL A R EZ A
LOGOTIPOS – BOX E FAIXAS
   GA R A N TI A            de
    VI S I B I L I D A D E
LOGOTIPOS – MANIPULADOS E DESENHADOS
        U M L OGO Ú N I CO
LOGOTIPOS – BRINCAR COM A LOGO
REVISTAS POTIGUARES

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Jornalismo de revista

Jornalismo de revista capas 1
Jornalismo de revista  capas 1Jornalismo de revista  capas 1
Jornalismo de revista capas 1
Barreto
 
Jornalismo de revista capas 2
Jornalismo de revista   capas 2Jornalismo de revista   capas 2
Jornalismo de revista capas 2
Barreto
 
Book Final_Bootcamp de Planejamento_Miami Ad School_ManuelaFigueiredo
Book Final_Bootcamp de Planejamento_Miami Ad School_ManuelaFigueiredoBook Final_Bootcamp de Planejamento_Miami Ad School_ManuelaFigueiredo
Book Final_Bootcamp de Planejamento_Miami Ad School_ManuelaFigueiredo
Manuela Figueiredo
 
Revistas em alta
Revistas em altaRevistas em alta
Revistas em alta
Tadashi Japlanner
 
Aula 02 Edição de Revistas - Público-alvo
Aula 02   Edição de Revistas - Público-alvoAula 02   Edição de Revistas - Público-alvo
Aula 02 Edição de Revistas - Público-alvo
Elizeu Nascimento Silva
 
Análise - Revista TPM
Análise - Revista TPMAnálise - Revista TPM
Análise - Revista TPM
Nathal1aGh1lard1
 
O Manual Secreto do Marketing
O Manual Secreto do Marketing O Manual Secreto do Marketing
O Manual Secreto do Marketing
Beto Lima Branding
 
O Manual Secreto do Marketing
O Manual Secreto do Marketing O Manual Secreto do Marketing
O Manual Secreto do Marketing
Beto Lima Branding
 
Ebook Copywriting Aprenda a Arte de Escrever
Ebook Copywriting Aprenda a Arte de EscreverEbook Copywriting Aprenda a Arte de Escrever
Ebook Copywriting Aprenda a Arte de Escrever
Lucas Matos dos Santos
 
Work Lab 2004
Work Lab 2004Work Lab 2004
Work Lab 2004
Madalena Lupi
 
7 Livros Que Não São de TI, Mas Que Um Programador Deveria Ler
7 Livros Que Não São de TI, Mas Que Um Programador Deveria Ler7 Livros Que Não São de TI, Mas Que Um Programador Deveria Ler
7 Livros Que Não São de TI, Mas Que Um Programador Deveria Ler
Vinícius Thiengo
 
MAPA - CIÊNCIAS SOCIAIS.docx
MAPA - CIÊNCIAS SOCIAIS.docxMAPA - CIÊNCIAS SOCIAIS.docx
MAPA - CIÊNCIAS SOCIAIS.docx
GT ASSESSORIA ACADÊMICA
 
Storytelling
StorytellingStorytelling
Storytelling
Alessandro Marlos
 
¿Cómo nace una startUp?
¿Cómo nace una startUp?¿Cómo nace una startUp?
¿Cómo nace una startUp?
cecilia rubio
 
Memorial Técnico Descritivo - Espaço Alternativo
Memorial Técnico Descritivo - Espaço AlternativoMemorial Técnico Descritivo - Espaço Alternativo
Memorial Técnico Descritivo - Espaço Alternativo
Marluci Scopel
 
apresentacao itau cabrun!
apresentacao itau cabrun!apresentacao itau cabrun!
apresentacao itau cabrun!
Endless Creativity
 
A era da humanização das marcas; Snapchat & IG Stories - smwsp 2017 - Pris...
A era da humanização das marcas; Snapchat & IG Stories -  smwsp 2017 - Pris...A era da humanização das marcas; Snapchat & IG Stories -  smwsp 2017 - Pris...
A era da humanização das marcas; Snapchat & IG Stories - smwsp 2017 - Pris...
Priscila Milk
 
29/04/2014 - Palestra "Comportamento sinérgico para transformar resultados"
29/04/2014 - Palestra "Comportamento sinérgico para transformar resultados"29/04/2014 - Palestra "Comportamento sinérgico para transformar resultados"
29/04/2014 - Palestra "Comportamento sinérgico para transformar resultados"
EMPZ Educação e Serviços
 
IlustrarMagazine 34
IlustrarMagazine 34IlustrarMagazine 34
IlustrarMagazine 34
Andre Aredes
 
Como promover sua marca na internet com Neuromarketing
Como promover sua marca na internet com NeuromarketingComo promover sua marca na internet com Neuromarketing
Como promover sua marca na internet com Neuromarketing
Edeilson Lima
 

Semelhante a Jornalismo de revista (20)

Jornalismo de revista capas 1
Jornalismo de revista  capas 1Jornalismo de revista  capas 1
Jornalismo de revista capas 1
 
Jornalismo de revista capas 2
Jornalismo de revista   capas 2Jornalismo de revista   capas 2
Jornalismo de revista capas 2
 
Book Final_Bootcamp de Planejamento_Miami Ad School_ManuelaFigueiredo
Book Final_Bootcamp de Planejamento_Miami Ad School_ManuelaFigueiredoBook Final_Bootcamp de Planejamento_Miami Ad School_ManuelaFigueiredo
Book Final_Bootcamp de Planejamento_Miami Ad School_ManuelaFigueiredo
 
Revistas em alta
Revistas em altaRevistas em alta
Revistas em alta
 
Aula 02 Edição de Revistas - Público-alvo
Aula 02   Edição de Revistas - Público-alvoAula 02   Edição de Revistas - Público-alvo
Aula 02 Edição de Revistas - Público-alvo
 
Análise - Revista TPM
Análise - Revista TPMAnálise - Revista TPM
Análise - Revista TPM
 
O Manual Secreto do Marketing
O Manual Secreto do Marketing O Manual Secreto do Marketing
O Manual Secreto do Marketing
 
O Manual Secreto do Marketing
O Manual Secreto do Marketing O Manual Secreto do Marketing
O Manual Secreto do Marketing
 
Ebook Copywriting Aprenda a Arte de Escrever
Ebook Copywriting Aprenda a Arte de EscreverEbook Copywriting Aprenda a Arte de Escrever
Ebook Copywriting Aprenda a Arte de Escrever
 
Work Lab 2004
Work Lab 2004Work Lab 2004
Work Lab 2004
 
7 Livros Que Não São de TI, Mas Que Um Programador Deveria Ler
7 Livros Que Não São de TI, Mas Que Um Programador Deveria Ler7 Livros Que Não São de TI, Mas Que Um Programador Deveria Ler
7 Livros Que Não São de TI, Mas Que Um Programador Deveria Ler
 
MAPA - CIÊNCIAS SOCIAIS.docx
MAPA - CIÊNCIAS SOCIAIS.docxMAPA - CIÊNCIAS SOCIAIS.docx
MAPA - CIÊNCIAS SOCIAIS.docx
 
Storytelling
StorytellingStorytelling
Storytelling
 
¿Cómo nace una startUp?
¿Cómo nace una startUp?¿Cómo nace una startUp?
¿Cómo nace una startUp?
 
Memorial Técnico Descritivo - Espaço Alternativo
Memorial Técnico Descritivo - Espaço AlternativoMemorial Técnico Descritivo - Espaço Alternativo
Memorial Técnico Descritivo - Espaço Alternativo
 
apresentacao itau cabrun!
apresentacao itau cabrun!apresentacao itau cabrun!
apresentacao itau cabrun!
 
A era da humanização das marcas; Snapchat & IG Stories - smwsp 2017 - Pris...
A era da humanização das marcas; Snapchat & IG Stories -  smwsp 2017 - Pris...A era da humanização das marcas; Snapchat & IG Stories -  smwsp 2017 - Pris...
A era da humanização das marcas; Snapchat & IG Stories - smwsp 2017 - Pris...
 
29/04/2014 - Palestra "Comportamento sinérgico para transformar resultados"
29/04/2014 - Palestra "Comportamento sinérgico para transformar resultados"29/04/2014 - Palestra "Comportamento sinérgico para transformar resultados"
29/04/2014 - Palestra "Comportamento sinérgico para transformar resultados"
 
IlustrarMagazine 34
IlustrarMagazine 34IlustrarMagazine 34
IlustrarMagazine 34
 
Como promover sua marca na internet com Neuromarketing
Como promover sua marca na internet com NeuromarketingComo promover sua marca na internet com Neuromarketing
Como promover sua marca na internet com Neuromarketing
 

Mais de Barreto

Novo Jornal - capa
Novo Jornal - capaNovo Jornal - capa
Novo Jornal - capa
Barreto
 
Produção editorial elementos básicos
Produção editorial elementos básicosProdução editorial elementos básicos
Produção editorial elementos básicos
Barreto
 
Produção editorial tipologia
Produção editorial tipologiaProdução editorial tipologia
Produção editorial tipologia
Barreto
 
Jornal do Brasil primeira edição
Jornal do Brasil primeira ediçãoJornal do Brasil primeira edição
Jornal do Brasil primeira ediçãoBarreto
 
Notícias populares
Notícias popularesNotícias populares
Notícias populares
Barreto
 
Jornal da forma ao sentido 1
Jornal   da forma ao sentido 1Jornal   da forma ao sentido 1
Jornal da forma ao sentido 1
Barreto
 
História da imprensa
História da imprensa História da imprensa
História da imprensa
Barreto
 
História da imprensa jornalismo impresso
História da imprensa jornalismo impressoHistória da imprensa jornalismo impresso
História da imprensa jornalismo impresso
Barreto
 
Barreto gis-j.2012
Barreto gis-j.2012Barreto gis-j.2012
Barreto gis-j.2012
Barreto
 
Jornal da forma ao sentido
Jornal   da forma ao sentidoJornal   da forma ao sentido
Jornal da forma ao sentido
Barreto
 
Jornalismo de revista capas
Jornalismo de revista  capasJornalismo de revista  capas
Jornalismo de revista capas
Barreto
 
O protagonismo hegemônico de assis chateaubriand
O protagonismo hegemônico de assis chateaubriandO protagonismo hegemônico de assis chateaubriand
O protagonismo hegemônico de assis chateaubriand
Barreto
 
Edital1 seleção pública bolsa língua estrangeira UFRN
Edital1 seleção pública bolsa língua estrangeira UFRNEdital1 seleção pública bolsa língua estrangeira UFRN
Edital1 seleção pública bolsa língua estrangeira UFRN
Barreto
 
Edital2
Edital2Edital2
Edital2
Barreto
 
Edital2
Edital2Edital2
Edital2
Barreto
 
Capa Estado de Minas
Capa Estado de MinasCapa Estado de Minas
Capa Estado de Minas
Barreto
 
Pl 1638 2011[1]
Pl 1638 2011[1]Pl 1638 2011[1]
Pl 1638 2011[1]
Barreto
 
A fotografia como paixão em Cartier-Bresson
A fotografia como paixão em Cartier-BressonA fotografia como paixão em Cartier-Bresson
A fotografia como paixão em Cartier-Bresson
Barreto
 
A fotografia como paixão em Cartier-Bresson
A fotografia como paixão em Cartier-BressonA fotografia como paixão em Cartier-Bresson
A fotografia como paixão em Cartier-Bresson
Barreto
 

Mais de Barreto (20)

Capas
CapasCapas
Capas
 
Novo Jornal - capa
Novo Jornal - capaNovo Jornal - capa
Novo Jornal - capa
 
Produção editorial elementos básicos
Produção editorial elementos básicosProdução editorial elementos básicos
Produção editorial elementos básicos
 
Produção editorial tipologia
Produção editorial tipologiaProdução editorial tipologia
Produção editorial tipologia
 
Jornal do Brasil primeira edição
Jornal do Brasil primeira ediçãoJornal do Brasil primeira edição
Jornal do Brasil primeira edição
 
Notícias populares
Notícias popularesNotícias populares
Notícias populares
 
Jornal da forma ao sentido 1
Jornal   da forma ao sentido 1Jornal   da forma ao sentido 1
Jornal da forma ao sentido 1
 
História da imprensa
História da imprensa História da imprensa
História da imprensa
 
História da imprensa jornalismo impresso
História da imprensa jornalismo impressoHistória da imprensa jornalismo impresso
História da imprensa jornalismo impresso
 
Barreto gis-j.2012
Barreto gis-j.2012Barreto gis-j.2012
Barreto gis-j.2012
 
Jornal da forma ao sentido
Jornal   da forma ao sentidoJornal   da forma ao sentido
Jornal da forma ao sentido
 
Jornalismo de revista capas
Jornalismo de revista  capasJornalismo de revista  capas
Jornalismo de revista capas
 
O protagonismo hegemônico de assis chateaubriand
O protagonismo hegemônico de assis chateaubriandO protagonismo hegemônico de assis chateaubriand
O protagonismo hegemônico de assis chateaubriand
 
Edital1 seleção pública bolsa língua estrangeira UFRN
Edital1 seleção pública bolsa língua estrangeira UFRNEdital1 seleção pública bolsa língua estrangeira UFRN
Edital1 seleção pública bolsa língua estrangeira UFRN
 
Edital2
Edital2Edital2
Edital2
 
Edital2
Edital2Edital2
Edital2
 
Capa Estado de Minas
Capa Estado de MinasCapa Estado de Minas
Capa Estado de Minas
 
Pl 1638 2011[1]
Pl 1638 2011[1]Pl 1638 2011[1]
Pl 1638 2011[1]
 
A fotografia como paixão em Cartier-Bresson
A fotografia como paixão em Cartier-BressonA fotografia como paixão em Cartier-Bresson
A fotografia como paixão em Cartier-Bresson
 
A fotografia como paixão em Cartier-Bresson
A fotografia como paixão em Cartier-BressonA fotografia como paixão em Cartier-Bresson
A fotografia como paixão em Cartier-Bresson
 

Último

PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 

Último (20)

PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 

Jornalismo de revista

  • 1. Prof. Dr. Emanoel Barreto e.barreto@ufrnet.br @VelhoBarreto Monitora: Silvia Correia
  • 2. JORNALISMO DE REVISTA CAPA A PÁGINA MAIS IMPORTANTE: “Uma revista tem cinco segundos para atrair a atenção do leitor na banca. Nessa fração de tempo, a capa tem de transmitir a identidade e o conteúdo da publicação, deter o leitor, levá-lo a pegar o exemplar, abri-lo e comprá-lo.” Fatima Ali – A Arte de Editar Revistas
  • 3. JORNALISMO DE REVISTA CAPA  A CAPA – Maior recurso de venda  Síntese irresistível de uma edição;  Anúncio importante que, quando competente, faz o leitor comprar o exemplar da revista;  Elemento isolado mais importante para estabelecer a sua imagem;  Primeira e melhor oportunidade de atrair o leitor em uma banca;  É ela quem faz o assinante abri-la no meio da correspondência;  Desperta o interesse de novos anunciantes;  Tem papel importante no lucro da publicação, pois boa parte da compra de revistas ocorre por impulso.  Uma capa tem a função de “vender” a edição para seu leitor. Na maioria das vezes, é ela quem determina se o exemplar será aberto imediatamente, mais tarde ou nunca.
  • 4. JORNALISMO DE REVISTA CAPA  Não existe uma fórmula exata ou regra para se produzir uma boa capa;  Notícias quentes e exclusivas não existem para todas as capas;  Boa imagem será sempre importante: é ela o primeiro elemento que prenderá a tenção do leitor;  Logotipo: outro elemento fundamental de uma revista;  Logo já conhecida: revista já detém uma imagem de credibilidade junto ao público;  Chamadas claras e objetivas;  Chamada principal + imagem da capa: devem se complementar, pasando mensagem coesa e coerente;  Por melhor que seja a imagem escolhida, o fundo não pode atrapalhar a legibilidade das chamadas.
  • 5. JORNALISMO DE REVISTA CAPA  Tipos de leitores de revista:  Gostam muito: compram não importa o que está na capa;  Interessados: só deixam de comprar se a revista não possuir nada que os atraiam;  Moderadamente interessados: compram metade das edições de um ano;  Marginais: compram um ou duas edições por ano, quando são atraídos por um assunto de interesse ou apenas por terem sido atraídos por uma boa capa em uma banca qualquer.  Este grupo é o que geralmente garante o lucro da edição;  Criar uma capa que os atraia é um dos maiores desafios.
  • 6. JORNALISMO DE REVISTA CAPA  Recursos para uma boa capa  FORMATO:  A escolha do formato ideal é um dos fatores mais fortes de uma capa;  Juntamente do logotipo, compõe a base da identidade da revista, dá sentido de continuidade edição após edição;  Ao longo do tempo, torna-se tão familiar que o leitor reconhece a revista mesmo sem ver o logotipo;  Mudanças no formato devem ser realizadas com cuidado e só depois de ter público leitor estabelecido;  Mudar só pela mudança pode irritar o leitor habitual.
  • 7. MARCAS INCONFUNDÍVEIS S ím lo famso d e s d e a p r i m e i r a e d i ç ã o , o c o e lh i n h o bo o: fa z p a r t e d a c a p a d a Plyby e a ju d o u a c r i a r a ao i d e n ti d a d e d a re vi s ta . L o g o n o i n íc i o , e ra
  • 8. MARCAS INCONFUNDÍVEIS M o ra am la: ldu are E x e m p lo d e i d e n t i fi c a ç ã o e d i t o r i a l
  • 9. MARCAS INCONFUNDÍVEIS I lustraçõ s q e são o de arte D e s d e 1 9 2 5 TheNe Yokrt e m c a p a s e u bra : w re c r i a d a s p o r g r a n d e s i lu s t r a d o r e s , c o m im ag e n s b e m -h u m o r a d a s q u e t o c a m a e s s ê n c i a d a c i d a d e e
  • 10. MARCAS INCONFUNDÍVEIS S acadas brilhante s: A p ri n c i p a l m a r c a d a s c a p a s d a Th Ecnm t e o o is é a c o m p e tên c i a p a ra a n a li s a r os a c o n te c i m e n to s da s e m a n a e t i r a r c o n c lu s õ e s p e rs p i c a z e s e a g u d a s . As i m a g e n s s ã o a p re s e n ta d a s d e fo r m a b e m -h u m o r a d a . - A cap a ao la d o re p re s e n ta a u n ião de d u as e m p re s a s . E ssa e d i çã o g e ro u m u i ta
  • 11. MARCAS INCONFUNDÍVEIS F o s ine u cív is: to sq e e A i d e n t i d a d e d a V n y Fa , d e s d e s e u a it ir la n ç a m e n t o em 1 983, e s tá d i re ta m e n te r e la c i o n a d a co m a s e x c e p c i o n a i s fo t o s d e
  • 12. FOTOGRAFIA X ILUSTRAÇÃO F OTOGR A F I A : U m r o s t o c o m o o lh a r fi x o n o le i t o r é m a g n e t i z a n t e e p o d e r o s o . P o r i s s o , é t ã o u t i li z a d o n a s c a p a s . R ol Stne t e m a t r a d i ç ã o d e a p r e s e n t a r ling o r e t r a t o s o r i g i n a i s d e a r t i s t a s ; Pepl u t i li z a v á r i a s oe
  • 13. FOTOGRAFIA X ILUSTRAÇÃO I L U S TR A Ç Ã O: C a p a s c r i a t i v a s e d e i m p a c t o v i s u a l p o d e m s e r fe i t a s c o m fo t o i lu s t r a ç ã o , m o n t a g e e o u ju s t a p o s i ç ã o d e i m a g e n s , c o m o e s s a s d a Vj e ea
  • 15. CAPAS DE IMPACTO – UMA SÓ COR  U m a c a p a li m p a c o m u m a ú n ica im ag e m em u m a s ó c o r /t o n a li d a d e p re d o m i n a n te te m d e s ta q u e g a ra n ti d o
  • 16. JORNALISMO DE REVISTA R ECU R S OS P A R A U M A B OA CA P A TÍ TU L O L OGOTI PO  É a expressão mais forte do conceito, da  Deve ser: proeminente, descritivo e legível; identidade e do posicionamento da revista;  Na maioria das revistas se mantém igual em Não há regras para sua criação; todas as edições; Algumas vezes é a primeira coisa que surge no  Há casos em que se muda de cor ou de posição nascimento de uma revista, em outros casos pode ou é em parte coberto pela imagem da capa; ser o último item a ser definido;  Depois de certo tempo, a logo torna-se um selo Não existe maneira eficaz de medir sua de identificação; influência no sucesso da revista;  Curiosidade: várias revistas têm seu logo do Diz logo a que vem a revista; lado esquerdo para serem facilmente visualizados na arrumação da banca; Curiosidade: um bom designer pode criar um bom logo tanta para um título curto como para  A cor deve ter suficiente contraste para se um longo. Porém, o longo com certeza é mais destacar, mesmo quando visto a uma certa difícil; distância; Como existem diversas revistas de mesmo  A mudança da logo deve ser feita aos poucos assunto, um título diferente ajuda ao leitor a não para atualização e reforço de sua identidade; confundir uma revista com sua concorrente.  Mudança abrupta e radical deve ser evitada ao máximo.
  • 17. LOGOTIPOS – SERIFADAS  TR A D I Ç Ã O e EL EGÂ N CI A
  • 18. LOGOTIPOS – SEM SERIFA  M OD ER N I D A D E E CL A R EZ A
  • 19. LOGOTIPOS – BOX E FAIXAS  GA R A N TI A de VI S I B I L I D A D E
  • 20. LOGOTIPOS – MANIPULADOS E DESENHADOS  U M L OGO Ú N I CO
  • 21. LOGOTIPOS – BRINCAR COM A LOGO