SlideShare uma empresa Scribd logo
COMISSÁRIO DE VOO
1Márcio Henrique
 A Terra é um planeta rochoso do
Sistema Solar, é o mais denso do
sistema e o terceiro mais próximo do
Astro Rei.
 É conhecida como o Planeta Azul ou
Planeta Água devido a cerca de 71%
de sua superfície ser coberta pelas
águas dos oceanos.
 Quanto a forma, ela não é
totalmente redonda pois há um
achatamento nos pólos, devido ao
movimento de rotação.
2
Márcio Henrique
3
Márcio Henrique
 A estrutura interna é dividia em três partes ou camadas:
1. Crosta terrestre(Litosfera): camada mais
externa,sólida que circunda aTerra constituída por
rochas e solo, abriga minerais
2. Manto: logo abaixo da litosfera e vai até quase metade
do raio daTerra, constituída por rochas diversificadas
em altas temperaturas e pastosas chamadas de
magma
3. Núcleo: Camada mais interna daTerra abrigando
altíssimas temperaturas local onde se formam metais
como ferro e níquel.
4
Márcio Henrique
 Sua denominação é um Geoide; Esse termo foi
designado pelo físico Gauss, quando desenvolveu um
modelo aperfeiçoado da figura da Terra, considerando
sua superfície irregular limitado com o campo
gravitacional e coincidindo com o nível do mar.
 Essa determinação é muito importante principalmente
para a navegação aérea; sistemas de navegação por
Satélite como o GNSS que determina altitudes acima
do nível do mar partir das diferenças das superfícies
geoides.
 A Título de ANAC é possível dizer que a forma da Terra é
o de uma Esferoide. Para efeitos de estudo e
navegação a Terra é uma esfera perfeita.
5
Márcio Henrique
 ATerra gira em torno de seu eixo imaginário que tem cerca
de 23,5º de inclinação. Uma rotação completa dura 24
horas, acarretando na sucessão dos dias e noites, esse
movimento é denominado Rotação.
6
Márcio Henrique
O movimento de rotação
ocorre no sentido Anti-horário
gerando a impressão de o Sol
nascer no lado leste e se por
no oeste; Movimento Aparente
do Sol.
 Translação: ATerra executa esse movimento ao redor do Sol
e não do seu próprio eixo como na rotação; a duração desse
movimento é cerca de 365 dias e 6 horas, equivalente a um
ano, também é o movimento responsável pelas 4 estações
do ano.
7
Márcio Henrique
OBS:rotação e translação
são movimentos
diferentes,independentes e
ocorrem de modo
simultâneo
 Movimento que a Terra faz inclinando os polos
para um lado e para o outro. Dá origem ao inverno
e verão nos polos.
 Há também o movimento de Precessão que se
refere ao movimento do eixo da Terra a longo
prazo; Nutação que o de curto prazo.
Os mais importantes, rotação e translação, são
mais comumente abordados nas bancas da ANAC.
Márcio Henrique
8
 Intro: Pode-se afirmar que navegação
aérea surgiu em meados de 1709,
apresentado pela primeira vez por, um
padre brasileiro oriundo de Santos-SP.
Bartolomeu de Gusmão – “O Padre
Voador”. Ele demonstrou a corte seu
experimento; Que o brinquedo chinês,
um balão de ar quente poderia não
apenas alçar voo mas transportar
“carga útil”.
9
Márcio Henrique
 As primeiras 2 tentativas foram frustradas e logo o descrédito
dos convidados foram manifestos. Muitos dos que o
invejavam,o acusaram de fazer “Pacto com o Diabo” devido
aos balões terem se elevado parcialmente e em seguida
incendiado. Entretanto D.JoãoV, o Magnânimo vislumbrou a
ideia e nas suas pretensões de ser pioneiro permitiu a
Bartolomeu de Gusmão o direito de explorar a atividade. No
mesmo ano em Agosto de 1709 o experimentou maravilhou a
todos.
 Assim o Pai da Navegação Aérea determinou os princípios de
navegação que até hoje são utilizados nesse tipo aeróstato, o
Balão.
10
Márcio Henrique
Balões são aeróstatos que voam pelo princípio
de Arquimedes, ao sabor dos ventos.
11
Márcio Henrique
 Definição: Do Latim navigatio,
“navegação”, de navis, “nau, navio,
embarcação”
 É a arte ou ciência de navegar ou mover-
se de um ponto de partida(origem) até
um ponto de destino.
 Principais Métodos: NavegaçãoVisual ou
por Contato, Navegação Estimada,
Navegação Eletrônica, Radionavegação,
Navegação Celestial e Navegação por
Satélite.
12
Márcio Henrique
 Navegação aérea visual é também conhecida como
navegação por contato; é onde o piloto estabelece
contato visual com diversos referenciais no solo, como
rios, lagos, estradas, pontes, morros, ferrovias,
aeródromos, etc.
 É o método mais simples de navegação aérea e mais
utilizado na aviação de pequeno porte devido a baixa
performance: voo a baixa altura e com baixas
velocidades.
13
Márcio Henrique
14
Márcio Henrique
Contato visual com referencias no solo > linhas de
transmissão,ferrovias, lagos ,rios,etc.
15
Márcio Henrique
Representação na carta WAC de referencias para a
navegação visual
16
Márcio Henrique
 É o método pelo qual o piloto determina a rota através
de cálculos estimando sua hora de chegada e/ou
sobrevoo num determinado local (Waypoints).
 Leva-se em consideração a direção e a velocidade do
vento.
 Instrumentos usados: Bússola, velocímetro e relógio.
17
Márcio Henrique
Considerando a velocidade e a direção do vento, com auxílio
da c, bússola, IAS e relógio estima-se posições e o horário
em cada posição numa carta.
 Navegação Eletrônica: É um método de navegação
muito mais preciso e mais ágil do que as duas
anteriores; capaz de determinar a posição de uma
aeronave baseado em equipamentos eletrônicos
modernos.
18
Márcio Henrique
 É também conhecida como navegação astronômica. É
muito mais difundido na navegação marítima, é uma das
maneiras mais antigas de se navegar.
Baseia-se na aferição da distância em graus, por meio de um
sextante, da de um corpo celeste com o horizonte. Ao
determinar essa altitude em graus é possível conhecer a
própria localização.
19
Márcio Henrique
 Equipamentos instalados nas aeronaves captam ondas de rádio
emitidas através de estações em terra. O piloto interpreta
corretamente a informação lida no instrumento e determina a
posição de sua aeronave
 Também conhecida como um palavrão: Navegação
Radiogoniométrica
 Os Instrumentos:
◦ A bordo, ReceptorVOR e o ADF
◦ No solo, EstaçãoVOR e o NDB
20
Márcio Henrique
21
Márcio Henrique
•VOR (Very High-FrequencyOmnidirection
Range) é um transmissor de frequência muito
alta que transmite sinais direcionais em 360º.
AntenaVOR ReceptorVOR
• NDB (No Directional Beacon) é uma estação
radiofarol fixo que envia ondas de baixa
frequência não direcionais entre 200 a 415Hz ou
ondas na faixa de 560 a 1600KHz em
Broadcasting (EmissoraAM). Os sinas são
captados na aeronave por um receptor ADF –
Automatic Direction Finder.
 Basicamente uma constelação mínima 24 satélites
orbitando aTerra a aproximadamente 20.000Km. Enviam
sinais a receptores estabelecendo de modo muito preciso
uma posição geográfica.
 O GPS é o principal elemento dessa maneira de navegar;
Nos voos visuais cada vez mais o uso desse equipamento
está presente.
22
Márcio Henrique
Aeróstatos: Aeronaves baseadas no princípio de Arquimedes, conhecidos como “mais leve
que o ar”
Astro Rei: Sol
Esfera: é um corpo limitado, cuja superfície fica equidistante de um ponto central.
Eixo imaginário: É uma linha imaginária que passa pelo centro da Terra no sentido dos
pólos, em torno da qual ela executa seu movimento de rotação.
IAS: Indicated Airspeed, Velocidade indicada do Ar.
Pólos: São extremidades de um EIXO IMAGINÁRIO, em torno do qual a Terra gira no
sentido anti-horário. A extremidade superior é chamada de Pólo Norte, a extremidade
inferior é chamada de Pólo Sul.
Princípio de Arquimedes: Todo corpo mergulhado num fluido recebe um empuxo(força)
pra cima igual ao peso de fluido deslocado.
Sextante: Aparelho usado por marinheiros baseado no principio de espelhos de Gauss
para aferir distâncias angulares dos astros em relação ao horizonte.
Márcio Henrique
23
24

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

BLOCO II - RPA - CMS
BLOCO II - RPA - CMSBLOCO II - RPA - CMS
BLOCO II - RPA - CMS
TAS ESCOLA DE AVIAÇÃO CIVIL
 
Navegação aérea - Questões
Navegação aérea - QuestõesNavegação aérea - Questões
Navegação aérea - Questões
Vinícius Roggério da Rocha
 
BLOCO IV - CGA - CMS
BLOCO IV - CGA - CMSBLOCO IV - CGA - CMS
BLOCO IV - CGA - CMS
TAS ESCOLA DE AVIAÇÃO CIVIL
 
Navegación aerea diapositivas
Navegación aerea diapositivasNavegación aerea diapositivas
Navegación aerea diapositivas
Santiago Betancur
 
Cga
CgaCga
Bloco iii
Bloco iiiBloco iii
Navegação aérea importante brigadeiro recomenda
Navegação aérea importante brigadeiro recomendaNavegação aérea importante brigadeiro recomenda
Navegação aérea importante brigadeiro recomenda
Brigadeiro Hofmann
 
BLOCO I - ESS - CMS
BLOCO I - ESS - CMSBLOCO I - ESS - CMS
BLOCO I - ESS - CMS
TAS ESCOLA DE AVIAÇÃO CIVIL
 
BLOCO III - PSS - CMS
BLOCO III - PSS - CMSBLOCO III - PSS - CMS
BLOCO III - PSS - CMS
TAS ESCOLA DE AVIAÇÃO CIVIL
 
Navegação aérea ifr
Navegação aérea ifrNavegação aérea ifr
Navegação aérea ifr
Pedro Barros Neto
 
Bloco ii
Bloco iiBloco ii
Simulado para-banca-anac-reg
Simulado para-banca-anac-regSimulado para-banca-anac-reg
Simulado para-banca-anac-reg
Josy Queiroz
 
Teoria de Voo para Comissários
Teoria de Voo para ComissáriosTeoria de Voo para Comissários
Teoria de Voo para Comissários
Vinícius Roggério da Rocha
 
Blocoiv 110501195154-phpapp02
Blocoiv 110501195154-phpapp02Blocoiv 110501195154-phpapp02
Blocoiv 110501195154-phpapp02
Patricia Dietrich
 
Regras do ar - Questionario e gabarito
Regras do ar - Questionario e gabaritoRegras do ar - Questionario e gabarito
Regras do ar - Questionario e gabarito
Alcides Silva
 
Navegacion basica
Navegacion basicaNavegacion basica
Navegacion basica
Fede Cohen
 
Clase meteorologia aeronautica
Clase meteorologia aeronauticaClase meteorologia aeronautica
Clase meteorologia aeronautica
John Fredy Morales
 
Altimetría
AltimetríaAltimetría
Altimetría
juanmendoza7256
 
Navegação aula 2
Navegação   aula 2Navegação   aula 2
Navegação aula 2
Brigadeiro Hofmann
 
Introducción a los Servicios de Tránsito Aéreo (ATS)
Introducción a los Servicios de Tránsito Aéreo (ATS)Introducción a los Servicios de Tránsito Aéreo (ATS)
Introducción a los Servicios de Tránsito Aéreo (ATS)
Lic. Christian Buchanan
 

Mais procurados (20)

BLOCO II - RPA - CMS
BLOCO II - RPA - CMSBLOCO II - RPA - CMS
BLOCO II - RPA - CMS
 
Navegação aérea - Questões
Navegação aérea - QuestõesNavegação aérea - Questões
Navegação aérea - Questões
 
BLOCO IV - CGA - CMS
BLOCO IV - CGA - CMSBLOCO IV - CGA - CMS
BLOCO IV - CGA - CMS
 
Navegación aerea diapositivas
Navegación aerea diapositivasNavegación aerea diapositivas
Navegación aerea diapositivas
 
Cga
CgaCga
Cga
 
Bloco iii
Bloco iiiBloco iii
Bloco iii
 
Navegação aérea importante brigadeiro recomenda
Navegação aérea importante brigadeiro recomendaNavegação aérea importante brigadeiro recomenda
Navegação aérea importante brigadeiro recomenda
 
BLOCO I - ESS - CMS
BLOCO I - ESS - CMSBLOCO I - ESS - CMS
BLOCO I - ESS - CMS
 
BLOCO III - PSS - CMS
BLOCO III - PSS - CMSBLOCO III - PSS - CMS
BLOCO III - PSS - CMS
 
Navegação aérea ifr
Navegação aérea ifrNavegação aérea ifr
Navegação aérea ifr
 
Bloco ii
Bloco iiBloco ii
Bloco ii
 
Simulado para-banca-anac-reg
Simulado para-banca-anac-regSimulado para-banca-anac-reg
Simulado para-banca-anac-reg
 
Teoria de Voo para Comissários
Teoria de Voo para ComissáriosTeoria de Voo para Comissários
Teoria de Voo para Comissários
 
Blocoiv 110501195154-phpapp02
Blocoiv 110501195154-phpapp02Blocoiv 110501195154-phpapp02
Blocoiv 110501195154-phpapp02
 
Regras do ar - Questionario e gabarito
Regras do ar - Questionario e gabaritoRegras do ar - Questionario e gabarito
Regras do ar - Questionario e gabarito
 
Navegacion basica
Navegacion basicaNavegacion basica
Navegacion basica
 
Clase meteorologia aeronautica
Clase meteorologia aeronauticaClase meteorologia aeronautica
Clase meteorologia aeronautica
 
Altimetría
AltimetríaAltimetría
Altimetría
 
Navegação aula 2
Navegação   aula 2Navegação   aula 2
Navegação aula 2
 
Introducción a los Servicios de Tránsito Aéreo (ATS)
Introducción a los Servicios de Tránsito Aéreo (ATS)Introducción a los Servicios de Tránsito Aéreo (ATS)
Introducción a los Servicios de Tránsito Aéreo (ATS)
 

Destaque

Anatomia e fisiologia
Anatomia e fisiologiaAnatomia e fisiologia
Anatomia e fisiologia
Luísa Romanov
 
Curso de maquiagem comissários
Curso de maquiagem comissários Curso de maquiagem comissários
Curso de maquiagem comissários
Margit Didjurgeit
 
Escola de Aviação
Escola de AviaçãoEscola de Aviação
Escola de Aviação
Lilian Aguiar
 
Estudo de caso: Legacy [Design de Interação PUC/MG]
Estudo de caso: Legacy [Design de Interação PUC/MG]Estudo de caso: Legacy [Design de Interação PUC/MG]
Estudo de caso: Legacy [Design de Interação PUC/MG]
Leandro Alves
 
02 instrumentos de voo
02 instrumentos de voo02 instrumentos de voo
02 instrumentos de voo
Evanildo Leal
 
Para quase todos os bolsos
Para quase todos os bolsosPara quase todos os bolsos
Para quase todos os bolsos
Tabata Pitol
 
Navegação e Arquitetura de Informação
Navegação e Arquitetura de InformaçãoNavegação e Arquitetura de Informação
Navegação e Arquitetura de Informação
Luiz Agner
 
Lembretes Arrais Amador
Lembretes Arrais AmadorLembretes Arrais Amador
Lembretes Arrais Amador
Cleverson Sacramento
 
Manual de nós (arte do marinheiro 1)
Manual de nós (arte do marinheiro 1)Manual de nós (arte do marinheiro 1)
Manual de nós (arte do marinheiro 1)
Ismael Rosa
 
Aviões
AviõesAviões
Apostila curso-basico-de-vela
Apostila curso-basico-de-velaApostila curso-basico-de-vela
Apostila curso-basico-de-vela
Claudiney Thomazette
 
curso de vela
curso de velacurso de vela
curso de vela
José Taborda Miranda
 
Navegação aula 3
Navegação   aula 3Navegação   aula 3
Navegação aula 3
Brigadeiro Hofmann
 
Art nav03a classificação
Art nav03a classificaçãoArt nav03a classificação
Art nav03a classificação
Ana Cristina Vieira
 
Análise do texto energia - 3o.ANO
Análise do texto energia - 3o.ANOAnálise do texto energia - 3o.ANO
Análise do texto energia - 3o.ANO
jucimarpeixoto
 
MANUAL DE NÓS AVANÇADO
MANUAL DE NÓS AVANÇADOMANUAL DE NÓS AVANÇADO
MANUAL DE NÓS AVANÇADO
chefenei
 
A EvoluçãO Do AviãO
A EvoluçãO Do AviãOA EvoluçãO Do AviãO
A EvoluçãO Do AviãO
carlaefans
 
Materiais Ct Nos Amarras
Materiais Ct Nos AmarrasMateriais Ct Nos Amarras
Materiais Ct Nos Amarras
tropantera
 
Exercícios
ExercíciosExercícios

Destaque (19)

Anatomia e fisiologia
Anatomia e fisiologiaAnatomia e fisiologia
Anatomia e fisiologia
 
Curso de maquiagem comissários
Curso de maquiagem comissários Curso de maquiagem comissários
Curso de maquiagem comissários
 
Escola de Aviação
Escola de AviaçãoEscola de Aviação
Escola de Aviação
 
Estudo de caso: Legacy [Design de Interação PUC/MG]
Estudo de caso: Legacy [Design de Interação PUC/MG]Estudo de caso: Legacy [Design de Interação PUC/MG]
Estudo de caso: Legacy [Design de Interação PUC/MG]
 
02 instrumentos de voo
02 instrumentos de voo02 instrumentos de voo
02 instrumentos de voo
 
Para quase todos os bolsos
Para quase todos os bolsosPara quase todos os bolsos
Para quase todos os bolsos
 
Navegação e Arquitetura de Informação
Navegação e Arquitetura de InformaçãoNavegação e Arquitetura de Informação
Navegação e Arquitetura de Informação
 
Lembretes Arrais Amador
Lembretes Arrais AmadorLembretes Arrais Amador
Lembretes Arrais Amador
 
Manual de nós (arte do marinheiro 1)
Manual de nós (arte do marinheiro 1)Manual de nós (arte do marinheiro 1)
Manual de nós (arte do marinheiro 1)
 
Aviões
AviõesAviões
Aviões
 
Apostila curso-basico-de-vela
Apostila curso-basico-de-velaApostila curso-basico-de-vela
Apostila curso-basico-de-vela
 
curso de vela
curso de velacurso de vela
curso de vela
 
Navegação aula 3
Navegação   aula 3Navegação   aula 3
Navegação aula 3
 
Art nav03a classificação
Art nav03a classificaçãoArt nav03a classificação
Art nav03a classificação
 
Análise do texto energia - 3o.ANO
Análise do texto energia - 3o.ANOAnálise do texto energia - 3o.ANO
Análise do texto energia - 3o.ANO
 
MANUAL DE NÓS AVANÇADO
MANUAL DE NÓS AVANÇADOMANUAL DE NÓS AVANÇADO
MANUAL DE NÓS AVANÇADO
 
A EvoluçãO Do AviãO
A EvoluçãO Do AviãOA EvoluçãO Do AviãO
A EvoluçãO Do AviãO
 
Materiais Ct Nos Amarras
Materiais Ct Nos AmarrasMateriais Ct Nos Amarras
Materiais Ct Nos Amarras
 
Exercícios
ExercíciosExercícios
Exercícios
 

Semelhante a Introdução a Navegação Aérea - Comissário de Voo - Modulo 1

Navegação aérea vfr
Navegação aérea vfrNavegação aérea vfr
Navegação aérea vfr
Pedro Barros Neto
 
Satélites de comunicação
Satélites de comunicaçãoSatélites de comunicação
Satélites de comunicação
Casimiro Coelho
 
Satélites de comunicação
Satélites de comunicaçãoSatélites de comunicação
Satélites de comunicação
Casimiro Coelho
 
Satélites de comunicação
Satélites de comunicaçãoSatélites de comunicação
Satélites de comunicação
Casimiro Coelho
 
Satélites de comunicação
Satélites de comunicaçãoSatélites de comunicação
Satélites de comunicação
Casimiro Coelho
 
Hidrologia Geral
Hidrologia GeralHidrologia Geral
Hidrologia Geral
Thalles Barbosa
 
O sistema solar 01
O sistema solar 01O sistema solar 01
O sistema solar 01
fernando
 
ASTRONOMIA.pptx
ASTRONOMIA.pptxASTRONOMIA.pptx
ASTRONOMIA.pptx
Dell Andrade
 
Sistema solar
Sistema solarSistema solar
Sistema solar
fernando
 
Gravitação e satelites
Gravitação e satelitesGravitação e satelites
Gravitação e satelites
Ricardo Bonaldo
 
Revisão
RevisãoRevisão
Revisão
karolpoa
 
2015. aula 6 xviii oba sistema solar
2015. aula 6 xviii oba sistema solar2015. aula 6 xviii oba sistema solar
2015. aula 6 xviii oba sistema solar
Instituto Iprodesc
 
Sistema solar.oba
Sistema solar.obaSistema solar.oba
Sistema solar.oba
Sirley Zancanari Ferrantte
 
Aula 2 Orientação e localização
Aula 2 Orientação e localizaçãoAula 2 Orientação e localização
Aula 2 Orientação e localização
Péricles Penuel
 
Física expansionismo2
Física expansionismo2Física expansionismo2
Física expansionismo2
Miguel Jorge Neto Mjoe
 
Aula 01 introdução a navegação aérea
Aula 01 introdução a navegação aéreaAula 01 introdução a navegação aérea
Aula 01 introdução a navegação aérea
José Batista de Holanda
 
Sistema Solar
Sistema SolarSistema Solar
Sistema Solar
fernando
 
História da astronomia: o trânsito de Vênus
História da astronomia: o trânsito de VênusHistória da astronomia: o trânsito de Vênus
História da astronomia: o trânsito de Vênus
Lucas Guimaraes
 
6°ano cap.3
6°ano cap.36°ano cap.3
6°ano cap.3
Alexandre Alves
 
NV 01.ppt
NV 01.pptNV 01.ppt
NV 01.ppt
ssuser7db139
 

Semelhante a Introdução a Navegação Aérea - Comissário de Voo - Modulo 1 (20)

Navegação aérea vfr
Navegação aérea vfrNavegação aérea vfr
Navegação aérea vfr
 
Satélites de comunicação
Satélites de comunicaçãoSatélites de comunicação
Satélites de comunicação
 
Satélites de comunicação
Satélites de comunicaçãoSatélites de comunicação
Satélites de comunicação
 
Satélites de comunicação
Satélites de comunicaçãoSatélites de comunicação
Satélites de comunicação
 
Satélites de comunicação
Satélites de comunicaçãoSatélites de comunicação
Satélites de comunicação
 
Hidrologia Geral
Hidrologia GeralHidrologia Geral
Hidrologia Geral
 
O sistema solar 01
O sistema solar 01O sistema solar 01
O sistema solar 01
 
ASTRONOMIA.pptx
ASTRONOMIA.pptxASTRONOMIA.pptx
ASTRONOMIA.pptx
 
Sistema solar
Sistema solarSistema solar
Sistema solar
 
Gravitação e satelites
Gravitação e satelitesGravitação e satelites
Gravitação e satelites
 
Revisão
RevisãoRevisão
Revisão
 
2015. aula 6 xviii oba sistema solar
2015. aula 6 xviii oba sistema solar2015. aula 6 xviii oba sistema solar
2015. aula 6 xviii oba sistema solar
 
Sistema solar.oba
Sistema solar.obaSistema solar.oba
Sistema solar.oba
 
Aula 2 Orientação e localização
Aula 2 Orientação e localizaçãoAula 2 Orientação e localização
Aula 2 Orientação e localização
 
Física expansionismo2
Física expansionismo2Física expansionismo2
Física expansionismo2
 
Aula 01 introdução a navegação aérea
Aula 01 introdução a navegação aéreaAula 01 introdução a navegação aérea
Aula 01 introdução a navegação aérea
 
Sistema Solar
Sistema SolarSistema Solar
Sistema Solar
 
História da astronomia: o trânsito de Vênus
História da astronomia: o trânsito de VênusHistória da astronomia: o trânsito de Vênus
História da astronomia: o trânsito de Vênus
 
6°ano cap.3
6°ano cap.36°ano cap.3
6°ano cap.3
 
NV 01.ppt
NV 01.pptNV 01.ppt
NV 01.ppt
 

Introdução a Navegação Aérea - Comissário de Voo - Modulo 1

  • 2.  A Terra é um planeta rochoso do Sistema Solar, é o mais denso do sistema e o terceiro mais próximo do Astro Rei.  É conhecida como o Planeta Azul ou Planeta Água devido a cerca de 71% de sua superfície ser coberta pelas águas dos oceanos.  Quanto a forma, ela não é totalmente redonda pois há um achatamento nos pólos, devido ao movimento de rotação. 2 Márcio Henrique
  • 4.  A estrutura interna é dividia em três partes ou camadas: 1. Crosta terrestre(Litosfera): camada mais externa,sólida que circunda aTerra constituída por rochas e solo, abriga minerais 2. Manto: logo abaixo da litosfera e vai até quase metade do raio daTerra, constituída por rochas diversificadas em altas temperaturas e pastosas chamadas de magma 3. Núcleo: Camada mais interna daTerra abrigando altíssimas temperaturas local onde se formam metais como ferro e níquel. 4 Márcio Henrique
  • 5.  Sua denominação é um Geoide; Esse termo foi designado pelo físico Gauss, quando desenvolveu um modelo aperfeiçoado da figura da Terra, considerando sua superfície irregular limitado com o campo gravitacional e coincidindo com o nível do mar.  Essa determinação é muito importante principalmente para a navegação aérea; sistemas de navegação por Satélite como o GNSS que determina altitudes acima do nível do mar partir das diferenças das superfícies geoides.  A Título de ANAC é possível dizer que a forma da Terra é o de uma Esferoide. Para efeitos de estudo e navegação a Terra é uma esfera perfeita. 5 Márcio Henrique
  • 6.  ATerra gira em torno de seu eixo imaginário que tem cerca de 23,5º de inclinação. Uma rotação completa dura 24 horas, acarretando na sucessão dos dias e noites, esse movimento é denominado Rotação. 6 Márcio Henrique O movimento de rotação ocorre no sentido Anti-horário gerando a impressão de o Sol nascer no lado leste e se por no oeste; Movimento Aparente do Sol.
  • 7.  Translação: ATerra executa esse movimento ao redor do Sol e não do seu próprio eixo como na rotação; a duração desse movimento é cerca de 365 dias e 6 horas, equivalente a um ano, também é o movimento responsável pelas 4 estações do ano. 7 Márcio Henrique OBS:rotação e translação são movimentos diferentes,independentes e ocorrem de modo simultâneo
  • 8.  Movimento que a Terra faz inclinando os polos para um lado e para o outro. Dá origem ao inverno e verão nos polos.  Há também o movimento de Precessão que se refere ao movimento do eixo da Terra a longo prazo; Nutação que o de curto prazo. Os mais importantes, rotação e translação, são mais comumente abordados nas bancas da ANAC. Márcio Henrique 8
  • 9.  Intro: Pode-se afirmar que navegação aérea surgiu em meados de 1709, apresentado pela primeira vez por, um padre brasileiro oriundo de Santos-SP. Bartolomeu de Gusmão – “O Padre Voador”. Ele demonstrou a corte seu experimento; Que o brinquedo chinês, um balão de ar quente poderia não apenas alçar voo mas transportar “carga útil”. 9 Márcio Henrique
  • 10.  As primeiras 2 tentativas foram frustradas e logo o descrédito dos convidados foram manifestos. Muitos dos que o invejavam,o acusaram de fazer “Pacto com o Diabo” devido aos balões terem se elevado parcialmente e em seguida incendiado. Entretanto D.JoãoV, o Magnânimo vislumbrou a ideia e nas suas pretensões de ser pioneiro permitiu a Bartolomeu de Gusmão o direito de explorar a atividade. No mesmo ano em Agosto de 1709 o experimentou maravilhou a todos.  Assim o Pai da Navegação Aérea determinou os princípios de navegação que até hoje são utilizados nesse tipo aeróstato, o Balão. 10 Márcio Henrique
  • 11. Balões são aeróstatos que voam pelo princípio de Arquimedes, ao sabor dos ventos. 11 Márcio Henrique
  • 12.  Definição: Do Latim navigatio, “navegação”, de navis, “nau, navio, embarcação”  É a arte ou ciência de navegar ou mover- se de um ponto de partida(origem) até um ponto de destino.  Principais Métodos: NavegaçãoVisual ou por Contato, Navegação Estimada, Navegação Eletrônica, Radionavegação, Navegação Celestial e Navegação por Satélite. 12 Márcio Henrique
  • 13.  Navegação aérea visual é também conhecida como navegação por contato; é onde o piloto estabelece contato visual com diversos referenciais no solo, como rios, lagos, estradas, pontes, morros, ferrovias, aeródromos, etc.  É o método mais simples de navegação aérea e mais utilizado na aviação de pequeno porte devido a baixa performance: voo a baixa altura e com baixas velocidades. 13 Márcio Henrique
  • 14. 14 Márcio Henrique Contato visual com referencias no solo > linhas de transmissão,ferrovias, lagos ,rios,etc.
  • 15. 15 Márcio Henrique Representação na carta WAC de referencias para a navegação visual
  • 16. 16 Márcio Henrique  É o método pelo qual o piloto determina a rota através de cálculos estimando sua hora de chegada e/ou sobrevoo num determinado local (Waypoints).  Leva-se em consideração a direção e a velocidade do vento.  Instrumentos usados: Bússola, velocímetro e relógio.
  • 17. 17 Márcio Henrique Considerando a velocidade e a direção do vento, com auxílio da c, bússola, IAS e relógio estima-se posições e o horário em cada posição numa carta.
  • 18.  Navegação Eletrônica: É um método de navegação muito mais preciso e mais ágil do que as duas anteriores; capaz de determinar a posição de uma aeronave baseado em equipamentos eletrônicos modernos. 18 Márcio Henrique
  • 19.  É também conhecida como navegação astronômica. É muito mais difundido na navegação marítima, é uma das maneiras mais antigas de se navegar. Baseia-se na aferição da distância em graus, por meio de um sextante, da de um corpo celeste com o horizonte. Ao determinar essa altitude em graus é possível conhecer a própria localização. 19 Márcio Henrique
  • 20.  Equipamentos instalados nas aeronaves captam ondas de rádio emitidas através de estações em terra. O piloto interpreta corretamente a informação lida no instrumento e determina a posição de sua aeronave  Também conhecida como um palavrão: Navegação Radiogoniométrica  Os Instrumentos: ◦ A bordo, ReceptorVOR e o ADF ◦ No solo, EstaçãoVOR e o NDB 20 Márcio Henrique
  • 21. 21 Márcio Henrique •VOR (Very High-FrequencyOmnidirection Range) é um transmissor de frequência muito alta que transmite sinais direcionais em 360º. AntenaVOR ReceptorVOR • NDB (No Directional Beacon) é uma estação radiofarol fixo que envia ondas de baixa frequência não direcionais entre 200 a 415Hz ou ondas na faixa de 560 a 1600KHz em Broadcasting (EmissoraAM). Os sinas são captados na aeronave por um receptor ADF – Automatic Direction Finder.
  • 22.  Basicamente uma constelação mínima 24 satélites orbitando aTerra a aproximadamente 20.000Km. Enviam sinais a receptores estabelecendo de modo muito preciso uma posição geográfica.  O GPS é o principal elemento dessa maneira de navegar; Nos voos visuais cada vez mais o uso desse equipamento está presente. 22 Márcio Henrique
  • 23. Aeróstatos: Aeronaves baseadas no princípio de Arquimedes, conhecidos como “mais leve que o ar” Astro Rei: Sol Esfera: é um corpo limitado, cuja superfície fica equidistante de um ponto central. Eixo imaginário: É uma linha imaginária que passa pelo centro da Terra no sentido dos pólos, em torno da qual ela executa seu movimento de rotação. IAS: Indicated Airspeed, Velocidade indicada do Ar. Pólos: São extremidades de um EIXO IMAGINÁRIO, em torno do qual a Terra gira no sentido anti-horário. A extremidade superior é chamada de Pólo Norte, a extremidade inferior é chamada de Pólo Sul. Princípio de Arquimedes: Todo corpo mergulhado num fluido recebe um empuxo(força) pra cima igual ao peso de fluido deslocado. Sextante: Aparelho usado por marinheiros baseado no principio de espelhos de Gauss para aferir distâncias angulares dos astros em relação ao horizonte. Márcio Henrique 23
  • 24. 24