SlideShare uma empresa Scribd logo
Feminismo
Criação
O feminismo é um movimento que tem origem no ano de 1848, na convenção dos direitos da mulher em Nova
Iorque. Este movimento adquire cunho reivindicatório por ocasião das grandes revoluções. As conquistas
da Revolução Francesa, que tinha como lema Igualdade, Liberdade e Fraternidade, são reivindicadas pelas
feministas porque elas acreditavam que os direitos sociais e políticos adquiridos a partir das revoluções deveriam se
estender a elas enquanto cidadãs. Algumas conquistas podem ser registradas como conseqüência da participação
da mulher nesta revolução, um exemplo é o divórcio.
Os movimentos feministas são, sobretudo, movimentos políticos cuja meta é conquistar a igualdade de direitos entre
homens e mulheres, isto é, garantir a participação da mulher na sociedade de forma equivalente à dos homens.
Além disso, os movimentos feministas são movimentos intelectuais e teóricos que procuram desnaturalizar a idéia
de que há uma diferença entre os gêneros. No que se refere aos seus direitos, não deve haver diferenciação entre
os sexos. No entanto, a diferenciação dos gêneros é naturalizada em praticamente todas as culturas humanas.
Houve momentos na história da humanidade, como na Idade Média, em que a mulher tinha direitos mais
abrangentes como acesso total à profissão e à propriedade além de chefiar a família. Estes espaços se fecharam
com o advento do capitalismo. De modo geral, quase sempre houve hegemoniamasculina nos diferentes espaços
públicos e da mulher no espaço doméstico.
A luta dos movimentos feministas não se esgota na equalização das condições de trabalho entre homens e
mulheres. Trata-se de modificar a concepção, naturalizada, de que a mulher é mais “frágil” que o homem.
O movimento feminista se fortifica por ocasião da Revolução Industrial, quando a mulher assume postos de trabalho
e é explorada pelo fato de que assume uma tripla jornada de trabalho, dentro e fora de casa.
Na década de 1960, a publicação do livro O Segundo Sexo, de Simone de Beauvoir, viria influenciar os movimentos
feministas na medida em que mostra que a hierarquização dos sexos é uma construção social e não uma questão
biológica. Ou seja, a condição da mulher na sociedade é uma construção da sociedade patriarcal. Assim, a luta dos
movimentos feministas, além dos direitos pela igualdade de direitos incorpora a discussão acerca das raízes
culturais da desigualdade entre os sexos.
Porque os movimentos feministas se opõem às normas hegemônicas de atuação dos homens na sociedade, e por
desinformação acerca dos objetivos do movimento, estes sofrem diversas críticas. Muitos acreditam que as
mulheres pregam o ódio contra os homens ou tentam vê-los como inferiores. Os grupos feministas podem ser
vistos, ainda, como destruidores dos papéis tradicionais assumidos por homens e mulheres ou como destruidores
da família.
As feministas afirmam que sua luta não tem por objetivo destruir tradições ou a família, mas alterar a concepção de
que “lugar de mulher é em casa, cuidando dos filhos”. O compromisso dos movimentos feministas é pôr fim à
dominação masculina e à estrutura patriarcal. Com isso, acreditam, garantirão a igualdade de direitos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Movimento feminista
Movimento feminista Movimento feminista
Movimento feminista
Andressa Silveira
 
A revolução dos hábitos atual
A revolução dos hábitos atualA revolução dos hábitos atual
A revolução dos hábitos atual
Escola Estadual Alonso de Morais Andrade
 
Movimento feminista
Movimento feministaMovimento feminista
Movimento feminista
Milena Marçal
 
Feminismo - Problematizando o espaço da mulher na sociedade
Feminismo - Problematizando o espaço da mulher na sociedadeFeminismo - Problematizando o espaço da mulher na sociedade
Feminismo - Problematizando o espaço da mulher na sociedade
Claudio Henrique Ramos Sales
 
215820902 slavoj-zizek-crenca-na-utopia-ainda-a-melhor-forma-de-questionar-a-...
215820902 slavoj-zizek-crenca-na-utopia-ainda-a-melhor-forma-de-questionar-a-...215820902 slavoj-zizek-crenca-na-utopia-ainda-a-melhor-forma-de-questionar-a-...
215820902 slavoj-zizek-crenca-na-utopia-ainda-a-melhor-forma-de-questionar-a-...
Alline Garcia
 
O anarquismo, as ideias anarquistas
O anarquismo, as ideias anarquistasO anarquismo, as ideias anarquistas
O anarquismo, as ideias anarquistas
alinesantana1422
 
Anarquismo - Tópicos
Anarquismo - TópicosAnarquismo - Tópicos
Anarquismo - Tópicos
Victor Lourenco
 
Anarquismo
AnarquismoAnarquismo
Anarquismo
Isabel Aguiar
 
O movimento estudantil
O movimento estudantilO movimento estudantil
O movimento estudantil
Lucas Nascimento
 
O outro lado da revol (ii) publico20180215
O outro lado da revol (ii) publico20180215O outro lado da revol (ii) publico20180215
O outro lado da revol (ii) publico20180215
Elisio Estanque
 
Liberdade ou segurança
Liberdade ou segurançaLiberdade ou segurança
Liberdade ou segurança
Aldenei Barros
 
Anarquismo
AnarquismoAnarquismo
Anarquismo
Gabriella Silveira
 
Movimentos sociais e políticos na America Latina e no Brasil nas décadas de 1...
Movimentos sociais e políticos na America Latina e no Brasil nas décadas de 1...Movimentos sociais e políticos na America Latina e no Brasil nas décadas de 1...
Movimentos sociais e políticos na America Latina e no Brasil nas décadas de 1...
Éricles Soares Cruz
 
Aula - Movimentos sociais em rede
Aula - Movimentos sociais em redeAula - Movimentos sociais em rede
Aula - Movimentos sociais em rede
Laércio Góes
 
Anarquismo
AnarquismoAnarquismo
Anarquismo
Gabriela Amaral
 
Surgimento e Breve perspectiva histórica do anarquismo (IMAGENS) - Felipe Corrêa
Surgimento e Breve perspectiva histórica do anarquismo (IMAGENS) - Felipe CorrêaSurgimento e Breve perspectiva histórica do anarquismo (IMAGENS) - Felipe Corrêa
Surgimento e Breve perspectiva histórica do anarquismo (IMAGENS) - Felipe Corrêa
BlackBlocRJ
 
Anarquismo
AnarquismoAnarquismo
Anarquismo
Barbara Delson
 
Anarquismo
AnarquismoAnarquismo
Anarquismo
Leila nny
 
Feminism premisses
Feminism premissesFeminism premisses
Feminism premisses
Professor Mario Eduardo
 
Os movimentos sociais contemporâneos formatado revisado-20-5-2014-final
Os movimentos sociais contemporâneos formatado revisado-20-5-2014-finalOs movimentos sociais contemporâneos formatado revisado-20-5-2014-final
Os movimentos sociais contemporâneos formatado revisado-20-5-2014-final
Rosane Domingues
 

Mais procurados (20)

Movimento feminista
Movimento feminista Movimento feminista
Movimento feminista
 
A revolução dos hábitos atual
A revolução dos hábitos atualA revolução dos hábitos atual
A revolução dos hábitos atual
 
Movimento feminista
Movimento feministaMovimento feminista
Movimento feminista
 
Feminismo - Problematizando o espaço da mulher na sociedade
Feminismo - Problematizando o espaço da mulher na sociedadeFeminismo - Problematizando o espaço da mulher na sociedade
Feminismo - Problematizando o espaço da mulher na sociedade
 
215820902 slavoj-zizek-crenca-na-utopia-ainda-a-melhor-forma-de-questionar-a-...
215820902 slavoj-zizek-crenca-na-utopia-ainda-a-melhor-forma-de-questionar-a-...215820902 slavoj-zizek-crenca-na-utopia-ainda-a-melhor-forma-de-questionar-a-...
215820902 slavoj-zizek-crenca-na-utopia-ainda-a-melhor-forma-de-questionar-a-...
 
O anarquismo, as ideias anarquistas
O anarquismo, as ideias anarquistasO anarquismo, as ideias anarquistas
O anarquismo, as ideias anarquistas
 
Anarquismo - Tópicos
Anarquismo - TópicosAnarquismo - Tópicos
Anarquismo - Tópicos
 
Anarquismo
AnarquismoAnarquismo
Anarquismo
 
O movimento estudantil
O movimento estudantilO movimento estudantil
O movimento estudantil
 
O outro lado da revol (ii) publico20180215
O outro lado da revol (ii) publico20180215O outro lado da revol (ii) publico20180215
O outro lado da revol (ii) publico20180215
 
Liberdade ou segurança
Liberdade ou segurançaLiberdade ou segurança
Liberdade ou segurança
 
Anarquismo
AnarquismoAnarquismo
Anarquismo
 
Movimentos sociais e políticos na America Latina e no Brasil nas décadas de 1...
Movimentos sociais e políticos na America Latina e no Brasil nas décadas de 1...Movimentos sociais e políticos na America Latina e no Brasil nas décadas de 1...
Movimentos sociais e políticos na America Latina e no Brasil nas décadas de 1...
 
Aula - Movimentos sociais em rede
Aula - Movimentos sociais em redeAula - Movimentos sociais em rede
Aula - Movimentos sociais em rede
 
Anarquismo
AnarquismoAnarquismo
Anarquismo
 
Surgimento e Breve perspectiva histórica do anarquismo (IMAGENS) - Felipe Corrêa
Surgimento e Breve perspectiva histórica do anarquismo (IMAGENS) - Felipe CorrêaSurgimento e Breve perspectiva histórica do anarquismo (IMAGENS) - Felipe Corrêa
Surgimento e Breve perspectiva histórica do anarquismo (IMAGENS) - Felipe Corrêa
 
Anarquismo
AnarquismoAnarquismo
Anarquismo
 
Anarquismo
AnarquismoAnarquismo
Anarquismo
 
Feminism premisses
Feminism premissesFeminism premisses
Feminism premisses
 
Os movimentos sociais contemporâneos formatado revisado-20-5-2014-final
Os movimentos sociais contemporâneos formatado revisado-20-5-2014-finalOs movimentos sociais contemporâneos formatado revisado-20-5-2014-final
Os movimentos sociais contemporâneos formatado revisado-20-5-2014-final
 

Destaque

Detecção de Movimento - Criação de instrumento musical
Detecção de Movimento - Criação de instrumento musicalDetecção de Movimento - Criação de instrumento musical
Detecção de Movimento - Criação de instrumento musical
Aristidis Jesus
 
Feminismo
FeminismoFeminismo
Feminismo
petrainfante
 
Dia internacional da mulher 3
Dia internacional da mulher 3Dia internacional da mulher 3
Dia internacional da mulher 3
Mensagens Virtuais
 
Estrategias parvulario claudia gutiérrez
Estrategias parvulario claudia gutiérrezEstrategias parvulario claudia gutiérrez
Estrategias parvulario claudia gutiérrez
Dulfredo Martinez Dir.Martínez Fajardo
 
Potencialidades educativas dos_wikis_-_tic_educa2010
Potencialidades educativas dos_wikis_-_tic_educa2010Potencialidades educativas dos_wikis_-_tic_educa2010
Potencialidades educativas dos_wikis_-_tic_educa2010
António Faria
 
Lei maria da penha
Lei maria da penhaLei maria da penha
Lei maria da penha
Lucas Dias
 
Lei 11.340 maria da penha
Lei 11.340   maria da penhaLei 11.340   maria da penha
Lei 11.340 maria da penha
eriiclima
 
Cartilha maria-da-penha-e-direitos-da-mulher-pfdc-mpf
Cartilha maria-da-penha-e-direitos-da-mulher-pfdc-mpfCartilha maria-da-penha-e-direitos-da-mulher-pfdc-mpf
Cartilha maria-da-penha-e-direitos-da-mulher-pfdc-mpf
Silvana Eloisa
 
Empreendedorismo para o Empoderamento das Mulheres
Empreendedorismo para o Empoderamento das MulheresEmpreendedorismo para o Empoderamento das Mulheres
Empreendedorismo para o Empoderamento das Mulheres
RRossiter2015
 
13. apresentação cras leste ii acolhida
13. apresentação cras leste ii acolhida13. apresentação cras leste ii acolhida
13. apresentação cras leste ii acolhida
NandaTome
 
Preconceito contra a Mulher
Preconceito contra a MulherPreconceito contra a Mulher
Preconceito contra a Mulher
carolpixel
 
Lei Maria da Penha
Lei Maria da PenhaLei Maria da Penha
Lei Maria da Penha
Alexandre Jesus Marcolino
 
O que toda mulher precisa saber
O que toda mulher precisa saberO que toda mulher precisa saber
O que toda mulher precisa saber
Unichristus Centro Universitário
 
Fazer Uma Mulher Feliz
Fazer Uma Mulher FelizFazer Uma Mulher Feliz
Fazer Uma Mulher Feliz
Carlos Fran
 
Área de Civência da Construção Civil. NR 18.4
Área de Civência da Construção Civil. NR 18.4Área de Civência da Construção Civil. NR 18.4
Área de Civência da Construção Civil. NR 18.4
Jean Maciel
 
Violência Contra a Mulher
Violência Contra a MulherViolência Contra a Mulher
Violência Contra a Mulher
avonfalesemmedo
 
Desafios do nosso tempo
Desafios do nosso tempoDesafios do nosso tempo
Desafios do nosso tempo
Carlos Vieira
 
Lei maria da penha de uma forma resumida slide
Lei maria da penha de uma forma resumida slideLei maria da penha de uma forma resumida slide
Lei maria da penha de uma forma resumida slide
Leandro Corrêa
 
A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.
interatividade
 
Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
bejr
 

Destaque (20)

Detecção de Movimento - Criação de instrumento musical
Detecção de Movimento - Criação de instrumento musicalDetecção de Movimento - Criação de instrumento musical
Detecção de Movimento - Criação de instrumento musical
 
Feminismo
FeminismoFeminismo
Feminismo
 
Dia internacional da mulher 3
Dia internacional da mulher 3Dia internacional da mulher 3
Dia internacional da mulher 3
 
Estrategias parvulario claudia gutiérrez
Estrategias parvulario claudia gutiérrezEstrategias parvulario claudia gutiérrez
Estrategias parvulario claudia gutiérrez
 
Potencialidades educativas dos_wikis_-_tic_educa2010
Potencialidades educativas dos_wikis_-_tic_educa2010Potencialidades educativas dos_wikis_-_tic_educa2010
Potencialidades educativas dos_wikis_-_tic_educa2010
 
Lei maria da penha
Lei maria da penhaLei maria da penha
Lei maria da penha
 
Lei 11.340 maria da penha
Lei 11.340   maria da penhaLei 11.340   maria da penha
Lei 11.340 maria da penha
 
Cartilha maria-da-penha-e-direitos-da-mulher-pfdc-mpf
Cartilha maria-da-penha-e-direitos-da-mulher-pfdc-mpfCartilha maria-da-penha-e-direitos-da-mulher-pfdc-mpf
Cartilha maria-da-penha-e-direitos-da-mulher-pfdc-mpf
 
Empreendedorismo para o Empoderamento das Mulheres
Empreendedorismo para o Empoderamento das MulheresEmpreendedorismo para o Empoderamento das Mulheres
Empreendedorismo para o Empoderamento das Mulheres
 
13. apresentação cras leste ii acolhida
13. apresentação cras leste ii acolhida13. apresentação cras leste ii acolhida
13. apresentação cras leste ii acolhida
 
Preconceito contra a Mulher
Preconceito contra a MulherPreconceito contra a Mulher
Preconceito contra a Mulher
 
Lei Maria da Penha
Lei Maria da PenhaLei Maria da Penha
Lei Maria da Penha
 
O que toda mulher precisa saber
O que toda mulher precisa saberO que toda mulher precisa saber
O que toda mulher precisa saber
 
Fazer Uma Mulher Feliz
Fazer Uma Mulher FelizFazer Uma Mulher Feliz
Fazer Uma Mulher Feliz
 
Área de Civência da Construção Civil. NR 18.4
Área de Civência da Construção Civil. NR 18.4Área de Civência da Construção Civil. NR 18.4
Área de Civência da Construção Civil. NR 18.4
 
Violência Contra a Mulher
Violência Contra a MulherViolência Contra a Mulher
Violência Contra a Mulher
 
Desafios do nosso tempo
Desafios do nosso tempoDesafios do nosso tempo
Desafios do nosso tempo
 
Lei maria da penha de uma forma resumida slide
Lei maria da penha de uma forma resumida slideLei maria da penha de uma forma resumida slide
Lei maria da penha de uma forma resumida slide
 
A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.A mulher na sociedade.
A mulher na sociedade.
 
Direitos da mulher
Direitos da mulherDireitos da mulher
Direitos da mulher
 

Semelhante a Feminismo criação

O Feminismo
O FeminismoO Feminismo
O Feminismo
DaviLucasOliveira
 
Feminismo (2)
Feminismo (2)Feminismo (2)
Feminismo (2)
Turmacef201617
 
Feminismo (2)
Feminismo (2)Feminismo (2)
Feminismo (2)
Turmacef201617
 
feminismo.pptx
feminismo.pptxfeminismo.pptx
feminismo.pptx
cernutosornatus
 
Mulher cópia
Mulher   cópiaMulher   cópia
Mulher cópia
Vera Moreira
 
A evolução da mulher no cenário político
A evolução da mulher no cenário políticoA evolução da mulher no cenário político
A evolução da mulher no cenário político
Danillo Rodrigues
 
As sufragistas
As sufragistasAs sufragistas
As sufragistas
tontinhasilva
 
Representação da mulher no livro didático da 3ª série de histíoria da década ...
Representação da mulher no livro didático da 3ª série de histíoria da década ...Representação da mulher no livro didático da 3ª série de histíoria da década ...
Representação da mulher no livro didático da 3ª série de histíoria da década ...
UNEB
 
Atualidades 06 os movimentos feministas e seus objetivo
Atualidades 06   os movimentos feministas e seus objetivoAtualidades 06   os movimentos feministas e seus objetivo
Atualidades 06 os movimentos feministas e seus objetivo
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO
 
Trab soc feminismo
Trab soc  feminismoTrab soc  feminismo
Trab soc feminismo
Turmacef201617
 
Mujeres libres
Mujeres libresMujeres libres
Mujeres libres
Lorena Mundim
 
FEMINISMO
FEMINISMOFEMINISMO
FEMINISMO
Luciana Tenório
 
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICO
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICOA EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICO
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICO
Danillo Rodrigues
 
As mulheres e a filosofia
As mulheres e a filosofiaAs mulheres e a filosofia
As mulheres e a filosofia
Erica Frau
 
Feminismo sociologia
Feminismo sociologiaFeminismo sociologia
Feminismo sociologia
Ana Maciel
 
Artigo: O papel da mulher na sociedade enc.moderna
Artigo: O papel da mulher na sociedade enc.modernaArtigo: O papel da mulher na sociedade enc.moderna
Artigo: O papel da mulher na sociedade enc.moderna
Josiane Costa
 
Palavras reveladoras
Palavras reveladorasPalavras reveladoras
Palavras reveladoras
UmaFeminista Dialética
 
Palavras reveladoras
Palavras reveladorasPalavras reveladoras
Palavras reveladoras
UmaFeminista Dialética
 
Feminism premisses
Feminism premissesFeminism premisses
Feminism premisses
Professor Mario Eduardo
 
Material completo sobre o FEMINISMO - Sociologia
Material completo sobre o FEMINISMO - SociologiaMaterial completo sobre o FEMINISMO - Sociologia
Material completo sobre o FEMINISMO - Sociologia
Ana Maciel
 

Semelhante a Feminismo criação (20)

O Feminismo
O FeminismoO Feminismo
O Feminismo
 
Feminismo (2)
Feminismo (2)Feminismo (2)
Feminismo (2)
 
Feminismo (2)
Feminismo (2)Feminismo (2)
Feminismo (2)
 
feminismo.pptx
feminismo.pptxfeminismo.pptx
feminismo.pptx
 
Mulher cópia
Mulher   cópiaMulher   cópia
Mulher cópia
 
A evolução da mulher no cenário político
A evolução da mulher no cenário políticoA evolução da mulher no cenário político
A evolução da mulher no cenário político
 
As sufragistas
As sufragistasAs sufragistas
As sufragistas
 
Representação da mulher no livro didático da 3ª série de histíoria da década ...
Representação da mulher no livro didático da 3ª série de histíoria da década ...Representação da mulher no livro didático da 3ª série de histíoria da década ...
Representação da mulher no livro didático da 3ª série de histíoria da década ...
 
Atualidades 06 os movimentos feministas e seus objetivo
Atualidades 06   os movimentos feministas e seus objetivoAtualidades 06   os movimentos feministas e seus objetivo
Atualidades 06 os movimentos feministas e seus objetivo
 
Trab soc feminismo
Trab soc  feminismoTrab soc  feminismo
Trab soc feminismo
 
Mujeres libres
Mujeres libresMujeres libres
Mujeres libres
 
FEMINISMO
FEMINISMOFEMINISMO
FEMINISMO
 
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICO
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICOA EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICO
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICO
 
As mulheres e a filosofia
As mulheres e a filosofiaAs mulheres e a filosofia
As mulheres e a filosofia
 
Feminismo sociologia
Feminismo sociologiaFeminismo sociologia
Feminismo sociologia
 
Artigo: O papel da mulher na sociedade enc.moderna
Artigo: O papel da mulher na sociedade enc.modernaArtigo: O papel da mulher na sociedade enc.moderna
Artigo: O papel da mulher na sociedade enc.moderna
 
Palavras reveladoras
Palavras reveladorasPalavras reveladoras
Palavras reveladoras
 
Palavras reveladoras
Palavras reveladorasPalavras reveladoras
Palavras reveladoras
 
Feminism premisses
Feminism premissesFeminism premisses
Feminism premisses
 
Material completo sobre o FEMINISMO - Sociologia
Material completo sobre o FEMINISMO - SociologiaMaterial completo sobre o FEMINISMO - Sociologia
Material completo sobre o FEMINISMO - Sociologia
 

Último

Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
AntonioVieira539017
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 

Último (20)

Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 

Feminismo criação

  • 1. Feminismo Criação O feminismo é um movimento que tem origem no ano de 1848, na convenção dos direitos da mulher em Nova Iorque. Este movimento adquire cunho reivindicatório por ocasião das grandes revoluções. As conquistas da Revolução Francesa, que tinha como lema Igualdade, Liberdade e Fraternidade, são reivindicadas pelas feministas porque elas acreditavam que os direitos sociais e políticos adquiridos a partir das revoluções deveriam se estender a elas enquanto cidadãs. Algumas conquistas podem ser registradas como conseqüência da participação da mulher nesta revolução, um exemplo é o divórcio. Os movimentos feministas são, sobretudo, movimentos políticos cuja meta é conquistar a igualdade de direitos entre homens e mulheres, isto é, garantir a participação da mulher na sociedade de forma equivalente à dos homens. Além disso, os movimentos feministas são movimentos intelectuais e teóricos que procuram desnaturalizar a idéia de que há uma diferença entre os gêneros. No que se refere aos seus direitos, não deve haver diferenciação entre os sexos. No entanto, a diferenciação dos gêneros é naturalizada em praticamente todas as culturas humanas. Houve momentos na história da humanidade, como na Idade Média, em que a mulher tinha direitos mais abrangentes como acesso total à profissão e à propriedade além de chefiar a família. Estes espaços se fecharam com o advento do capitalismo. De modo geral, quase sempre houve hegemoniamasculina nos diferentes espaços públicos e da mulher no espaço doméstico. A luta dos movimentos feministas não se esgota na equalização das condições de trabalho entre homens e mulheres. Trata-se de modificar a concepção, naturalizada, de que a mulher é mais “frágil” que o homem. O movimento feminista se fortifica por ocasião da Revolução Industrial, quando a mulher assume postos de trabalho e é explorada pelo fato de que assume uma tripla jornada de trabalho, dentro e fora de casa. Na década de 1960, a publicação do livro O Segundo Sexo, de Simone de Beauvoir, viria influenciar os movimentos feministas na medida em que mostra que a hierarquização dos sexos é uma construção social e não uma questão biológica. Ou seja, a condição da mulher na sociedade é uma construção da sociedade patriarcal. Assim, a luta dos movimentos feministas, além dos direitos pela igualdade de direitos incorpora a discussão acerca das raízes culturais da desigualdade entre os sexos. Porque os movimentos feministas se opõem às normas hegemônicas de atuação dos homens na sociedade, e por desinformação acerca dos objetivos do movimento, estes sofrem diversas críticas. Muitos acreditam que as mulheres pregam o ódio contra os homens ou tentam vê-los como inferiores. Os grupos feministas podem ser vistos, ainda, como destruidores dos papéis tradicionais assumidos por homens e mulheres ou como destruidores da família. As feministas afirmam que sua luta não tem por objetivo destruir tradições ou a família, mas alterar a concepção de que “lugar de mulher é em casa, cuidando dos filhos”. O compromisso dos movimentos feministas é pôr fim à dominação masculina e à estrutura patriarcal. Com isso, acreditam, garantirão a igualdade de direitos.