SlideShare uma empresa Scribd logo
ENCONTRO
               DE
          LITURGIA



NINGUÉM AMA AQUILO QUE NÃO CONHECE!
   CONHECER PARA SERVIR MELHOR!
“Ninguém é tão rico,
que nada possa aprender;
 e ninguém é tão pobre
que nada possa ensinar”.

UM BOM DOMINGO!
 “Instruindo os outros,
    muito aprendi".
    Santa Teresinha do Menino Jesus
Deus nem sempre chama
  pessoas qualificadas,
mas sempre qualifica as
  pessoas que chama.
REALIDADE LITÚRGICA
• Há Equipes de Liturgia na Paróquia e
  Comunidades?
• Como estão organizadas? Há reuniões?
  Quem participa? Que assuntos são
  abordados?
• Como são distribuídas as celebrações
  na sua Comunidade?
• Como são distribuídas as funções e
  serviços em cada celebração? Há
  reunião de preparação?
• Existe a Pastoral do Laço em sua
  Comunidade?
• E o Padre? Como está seu
  atendimento? Há apoio?
LITURGIA
• É serviço ou ação de uma pessoa ou
  de uma equipe em favor de uma
  comunidade, de um povo;
• Ação de Deus Pai, Filho e Espírito
  Santo; = Santíssima Trindade
• Ação celebrativa;
• É ação da comunidade de fé;
• É fonte e culminância da vida
  comunitária e cristã;
• É a celebração do Mistério Pascal de
  Cristo
CARACTERÍSTICAS
•   1º MILÊNIO              •   2º MILÊNIO
•   Mistério Pascal         •   Hóstia Consagrada
•   Festa: Páscoa           •   Festa: Corpus Christi
•   Comunidade Celebrante   •   Sacerdote celebra para
                                o povo
• Todos ao redor da         •   Sacerdote no altar de
  mesa                          costas para o povo
• Participação na Ação      •   Devoção ao Santíssimo
  Eucarística                   Sacramento
• Oração Eucarística        •   Destaque para a
  como um todo                  Consagração e
• Comer o Pão e Beber o         Elevação
  Vinho                     •   Ver a Hóstia e Adorar
• Iniciação a partir da     •   Catequese na Escola e
  Eucaristia                    outros lugares
FORMAS CELEBRATIVAS:
7 Sacramentos (Eucaristia é o
Coração);
Celebração da Palavra;
Sacramentais: bênçãos, funerais;
Liturgia das Horas e o Ofício das
Comunidades;
Oração e diversidade de
manifestações da Piedade Popular
(Terço, Novena, Tríduo, Procissões,
Via-Sacras, Romarias, Caminhadas,
Círculos Bíblicos, etc)
EXIGÊNCIAS DA
    CELEBRAÇÃO
Exige seu Tempo e seu
Momento;
Requer Ações e Ritos
adequados
Supõe Gratuidade
É Ação Comunitária: ação
de amigos e de pessoas
solidárias;
Supõe Espírito de Alegria
RITUAL LITURGICO
• O RITO - É o conjunto de
  gestos ou ações simbólicas de
  caráter repetitivo
• O RITUAL - É o conjunto de
  ritos
• O RITUALISMO - Significa
  realizar o rito pelo rito
  (mecanicamente, sem vida).
ELEMENTOS DO RITUAL
        CELEBRATIVO
•   As Pessoas
•   A Palavra de Deus
•   Oração Litúrgica = Comunitária
•   A Música e o Canto
•   Os Símbolos
•   O Gesto Litúrgico
•   A Dança e Expressão Corporal;
•   O Silêncio e a Contemplação
•   O Ambiente
DESAFIOS DO RITUAL
       CELEBRATIVO:




• Ritual e Criatividade;
• Autenticidade do Rito;
• Ritmo e Harmonia do Ritual
  Celebrativo;
• Rito e Rubricas (normas).
ANO LITURGICO
•    Calendário Litúrgico // Civil
•    Os Tempos Litúrgicos
•    Durante o ano - Domingos (52/53) =
     Lecionário Dominical
    – Ano A (2011, 2014)
    – Ano B (2012, 2015)
    – Ano C (2013, 2016)
•    Durante a Semana – Lecionário Semanal ou
     Ferial
    – ANO PAR (2012; 2014)
    – ANO IMPAR (2013; 2015)
•    Durante o Dia – Liturgia das Horas
•    Santos – Lecionário Santoral
•    Livros com os Rituais: (Sacramentos,
     Sacramentais e Bênçãos)
CALENDÁRIO LITÚRGICO
ORGANIZAÇÃO LITURGICA
 Importância da Organização
    Pastoral Litúrgica:

 1. Equipe de Liturgia

 2. Equipes de
   Celebrações
FUNÇÃO DA PASTORAL
       LITÚRGICA
• Planejar, animar e coordenar, assessorar,
  avaliar a vida litúrgica das comunidades de
  uma diocese/paróquia/comunidade;
• Garantir a celebração do mistério pascal de
  Cristo, principalmente as mais
  significativas;
• Elaborar subsídios, promover meios que
  dinamizem e sustentem a formação
  litúrgica progressiva e permanente das
  comunidades, equipes e dos ministros;
• Organizar, distribuir todas celebrações para
  as diversas equipes de celebrações.
• Construir, pela liturgia, comunidades
  eclesiais vivas e missionárias;
• Constituir, formar e fortalecer as equipes de
  celebração das comunidades;
  - programar e avaliar as atividades litúrgicas
  da paróquia ou diocese;
  - promover a integração entre as diferentes
  equipes de celebração.
  Uma equipe de liturgia compõe-se de pessoas
  de fé, engajadas na vida da comunidade e que
  assumem com responsabilidade vocacional o
  serviço de animação das celebrações. Sua
  ação se caracteriza por:
  - espírito de serviço e de comunhão;
  - capacidade de trabalhar em equipe;
  - exemplo de participação, oração e escuta;
  - vontade de participação, oração e escuta;
  - vontade de celebrar da melhor forma
  possível.
NB: EM DIVERSAS LOCALIDADES AS
                                 CELEBRAÇÕES NÃO SÃO
                           DISTRIBUIDAS A GRUPOS, E SIM UMA
                              GRANDE EQUIPE CENTRAL QUE
                           SEMANALMENTE VÃO FORMANDO AS
                                DIVERSAS EQUIPES PARA O
                              SERVIÇO NAS CELEBRAÇÕES.                Pasto




                                           Ju
                                                                              o




                                         Pa ven
                                                                            ral d




                                           sto tu
                                                ld
                                                                       Dízim o




                                                  a
                                              ra de




                              Pa
                                                                                          al
                                                                                        or r
                            Ter s to ra l                                             st ia
                               cei r      d                                         Pa m il
                                    a Id a
                                         ade                                         Fa
                                                                   DE
                                                                 EQUIPE




                                      ?
                                                      LITURGIA




                                  M ú ??                                               R.C.
                                 Co sico
                                 Co i                                                       C.
                                   ro
                                   ro     s
                                          s
                                      nh
                                 ME inha
                                  E      a
                                Pa C E
                                Pa C E
                                  dre
                                    e
                                                                             g



                                                Pas
                                                                              M


                                                    to
                                                                           Le ari
                                                                              ião a




                                                     que
                                                                                  de




                                                        se
                                                Cate ral da




 EQUIPES DE CELEBRAÇÕES
                                                                                                 EQUIPE DE LITURGIA




PESSOAS QUE COORDENAM AS
EQUIPE DE CELEBRAÇÃO




                    ad s




                                   Le it res
                                        o ras
                      or
                Re rece




                                    L eit o
                  P
                  z
                                                           ha
                                                      r oin
                                                    Co
     Anim
         ador

                                                      Acol
                                                           hida
                                                         e
                                                     Amb
                                                        iente
              as
          e nd
        er
      Of

                               m




                                                Pa C E
                                                Pa C E
                               e
                           a so




                                                 ME
                                                 ME
                    Téc ú sica




                                                  dre
                                                  dr
                       nic
                      M




 PESSOAS QUE PREPARAM E
 EXECUTAM A CELEBRAÇÃO
TAREFAS DA EQUIPE DE
         CELEBRAÇÃO
• Preparar, com certa antecedência, as
  celebrações, de forma criativa, alegre,
  participativa e adaptada à cultura e a
  experiência religiosa da comunidade;
• Organizar o espaço celebrativo de modo
  agradável, acolhedor e orante;
• Preparar tudo o que for necessário para uma
  determinada forma celebrativa;
• Prever os diferentes elementos e momentos
  da celebração, tendo em vista a integração
  entre o mistério celebrado e a vida das
  pessoas;
• Definir as expressões e gestos simbólicos;
• Escolher os cânticos e hinos levando em conta
  os momentos da celebração, o tempo litúrgico
  e a experiência da comunidade;
• Distribuir corresponsavelmente as diversas
  funções e serviços;
• Preparar-se técnica e espiritualmente para o
  desempenho competente das funções
  litúrgicas, tendo em vista a participação ativa
  da assembléia;
• Executar ritualmente o que a equipe preparou
• Avaliar, periodicamente, a prática celebrativa
  à luz da vida eclesial e da vido do povo
• Evite-se o uso de folhetos litúrgicos ou livretos
  pela assembléia celebrante. A atenção de
  todos deve centrar no altar, no ambão e na
  ação de quem preside ou anima a celebração.
Comece por fazer o
  que é necessário,
   depois o que é
possível e de repente
  estará fazendo o
     impossível.
  (São Francisco de Assis)
MATERIAS E SUBSÍDIOS
     PARA REUNIÃO
• Bíblia, Lecionário
• Liturgia Diária, Missal
• Planejamento ou Agenda
  (Comunidade, Paróquia, Forania e
  Diocese)
• Revista Pastoral
• Diretório Litúrgico
• Hinário Litúrgico
• Mês Temático
• Fatos da Realidade
PREPARAÇÃO DA
    CELEBRAÇÃO – ANTES
• Dia e Horário e as Pessoas para
  reunião
• II – Providenciar os subsídios de apoio
• III – Passos a seguir na Reunião:
• 1º - Momento de Oração
• 2º - Breve Avaliação
• 3º - Situar a Celebração
• 4º - Aprofundar as Leituras;
• 5º - Exercício da Criatividade
• 6º - Elaborar a Folha Roteiro
• 7º - Distribuir os Serviços/Funções
• 8º - Vivenciar e Ensaiar as ações simbólicas
PREPARAÇÃO DA
    CELEBRAÇÃO – DURANTE
•   Chegar cedo para a Celebração;
•   Abrir a Igreja; Montar o Som;
•   Arrumar o ambiente; Colocar no devido lugar
    os Objetos, Vasos, Livros, Panos Litúrgicos
•   Localizar as leituras no Lecionário e deixar
    no ambão já aberto
•   Sentar o mais próximo do local onde irá
    realizar sua função;
•   Se não foi possível conversar no decorrer da
    semana, assim que o padre chegar colocar a
    par do que irá acontecer; Folha Roteiro
•   Cinco minutos antes do início, tudo tem que
    estar pronto em clima de silêncio;
•   Cada um realizar a sua tarefa conforme
    preparou e vivenciou.
PREPARAÇÃO DA
    CELEBRAÇÃO – DEPOIS

• Ao término, colocar tudo em ordem: guardar o
  tudo aquilo que utilizou na celebração
• Deixar o local pronto para outra celebração
• Desligar som, luzes do local, fechar as portas
  dos armários, igreja, etc.
• Oportunamente fazer uma avaliação da
  celebração
MOMENTOS DO ANIMADOR

•   Introdução da Celebração;
•   Ato Penitencial (opcional);
•   Hino de Louvor;
•   Antes das Leituras;
•   Aclamação ao Evangelho (opcional;
•   Apresentação das Oferendas
    (opcional);
•   Comunhão (opcional)
•   Avisos
O SUCESSO DA
COMUNICAÇÃO DEPENDEM
07% - PALAVRAS = conteúdo

38% - SONS - TOM DE VOZ =
       Inflexões – volume – ritmo –
       ênfase – Intensidade...

55% - GESTOS E EXPRESSÕES
       FACIAL NÃO VERBAL =
       olhar – movimento – postura
       – modo de se vestir...
LEITORES DA PALAVRA
• Conhecer e compreender o texto
• Preparar uma leitura expressiva
• Exprimir os sentimentos do autor e dos
  personagens.
• Examinar algumas minúcias antes da
  celebração: livro, página, microfone
• Saber deslocar-se para o ambão
• Postura e Apresentação
• Antes de começar – Comunicar com o Olhar
• Título da Leitura
• Ler devagar
• Ler com a cabeça levantada
• Conclusão da Leitura
• A importância da Pontuação
O problema maior das equipes
 de celebrações não está nas
pessoas que lêem mal, mas no
   silêncio e na omissão dos
    bons leitores e leitoras.
O único modo de
  evitar os erros é
     adquirindo
experiência; mas a
 única maneira de
adquirir experiência
é cometendo erros.
ORAÇÃO DA COMUNIDADE
  (5, no máximo 6 preces)
• Pela Santa Igreja
• Pelos Poderes Públicos
• Pelos que sofrem algumas
  necessidades;
• Por todos os seres humanos e pela
  salvação do mundo inteiro
• Rezar pela realidade local;
   • As orações devem brotar do coração da
    comunidade, inspirada pelo Espírito, pela
        Palavra ouvida e pela vida vivida.
"Deixo meus bens à
minha irmã não a meu
sobrinho jamais será
   paga a conta do
  alfaiate nada aos
       pobres".
O sobrinho fez a
seguinte pontuação:
"Deixo meus bens à
     minha irmã?
Não, a meu sobrinho.
 Jamais será paga a
  conta do alfaiate.
  Nada aos pobres".
A irmã chegou em seguida
e pontuou assim, o escrito:
  "Deixo meus bens à
      minha irmã,
  não a meu sobrinho.
   Jamais será paga a
    conta do alfaiate.
    Nada aos pobres."
O alfaiate pediu cópia do
 original e puxou a brasa pra
        sardinha dele:
  "Deixo meus bens à
   minha irmã? Não!
Ao meu sobrinho jamais!
 Será paga a conta do
       alfaiate.
   Nada aos pobres".
Aí, chegaram os descamisados
da cidade. Um deles, sabido, fez
       esta interpretação:
  "Deixo meus bens à
   minha irmã? Não!
A meu sobrinho jamais!
 Será paga a conta do
    alfaiate? Nada!
     Aos pobres".
Se ficarmos
    reparando os
 defeitos das outras
   pessoas nunca
iremos participar da
vida, pois vamos nos
  contentar com as
 nossas desculpas.
MICROFONE
•   Os Direcionais ou Unidirecionais
     •   Cardióide (uso geral – comum)
     •   Supercardióide (show)
     •   Hipercardióide (studio)
•   Os Bidirecionais (Entrevistas)
•   Os Omnidirecionais (Baterias)
             TIPOS: Com Fio - Sem Fio – Lapela

           7 MANDAMENTOS
                      •     Não Bata
                   •      Não Assopre
                       •    Não Grite
             •   Não Fale se Movimentando
                 •       Não Tenha Medo
                   •      Não o Engula
                     •     Não Enrole
MICROFONE
Os Direcionais ou Unidirecionais
* Cardióide (uso geral – comum)
    * Supercardióide (show)
    * Hipercardióide (studio)
  Os Bidirecionais (Entrevistas)
 Os Omnidirecionais (Baterias)
TIPO: Com Fio - Sem Fio - Lapela
7MANDAMENTOS
        Não Bata
       Não Assopre
        Não Grite
 Não Fale se Movimentando
     Não Tenha Medo
       Não o Engula
        Não Enrole
“Não somos o que
   deveríamos ser;
também não somos o
 que queríamos ser;
 mas graças a Deus,
   não somos o que
      éramos."
        ramos
TONY MELENDEZ
               “Por favor, não me
                 digam que não
                    podem...
               Não me digam que
               não podem, porque
               vocês podem fazer
               muito, muito mais.
  Somente levantem-se digam eu
quero, eu posso e eu vou mover-me
 para frente. Tem um mundo que
   está somente esperando suas
        mãos dizerem SIM!”
Assessoria

     DOURADOS – MS

        Organização
Montagem dos Slides do Curso
   José Vieira dos Santos

  jvieiras@hotmail.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

CNBB DOC 43 ANIMAÇÃO DA VIDA LITÚRGICA NO BRASIL
CNBB DOC 43 ANIMAÇÃO DA VIDA LITÚRGICA NO BRASILCNBB DOC 43 ANIMAÇÃO DA VIDA LITÚRGICA NO BRASIL
CNBB DOC 43 ANIMAÇÃO DA VIDA LITÚRGICA NO BRASIL
José Vieira Dos Santos
 
A santa missa parte por parte
A santa missa parte por parteA santa missa parte por parte
A santa missa parte por parte
Francisco Rodrigues
 
Mistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistérioMistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistério
Fábio Vasconcelos
 
Formação em Liturgia
Formação em LiturgiaFormação em Liturgia
Formação em Liturgia
iaymesobrino
 
Formação de acólitos
Formação de acólitosFormação de acólitos
Formação de acólitos
Jean
 
Material de apoio à iniciação cristã
Material de apoio à iniciação cristãMaterial de apoio à iniciação cristã
Material de apoio à iniciação cristã
Catequese Anjos dos Céus
 
Objetos e paramentos litúrgicos
Objetos e paramentos litúrgicosObjetos e paramentos litúrgicos
Objetos e paramentos litúrgicos
Rafaella Vasconcellos
 
Folheto 1° comunhao 2012
Folheto 1° comunhao 2012Folheto 1° comunhao 2012
Folheto 1° comunhao 2012
Rogenia
 
Eucaristia Ceia do Senhor
Eucaristia Ceia do SenhorEucaristia Ceia do Senhor
Eucaristia Ceia do Senhor
José Vieira Dos Santos
 
missal passo a passo
missal passo a passomissal passo a passo
missal passo a passo
naejanamor
 
Missa da 1ª eucaristia.
Missa da 1ª eucaristia.Missa da 1ª eucaristia.
Missa da 1ª eucaristia.
Lucas Licerre
 
Função ritual do canto nos diferentes momentos de uma celebração
Função ritual do canto nos diferentes momentos de uma celebraçãoFunção ritual do canto nos diferentes momentos de uma celebração
Função ritual do canto nos diferentes momentos de uma celebração
Paróquia Nossa Senhora das Mercês
 
Missa parte por parte
Missa parte por parteMissa parte por parte
Missa parte por parte
Nahor Lopes de Souza Junior
 
Missa parte a parte
Missa parte a parteMissa parte a parte
Missa parte a parte
paroquianogueira
 
Celebração do Dia da Bíblia - Pe Gesildo
Celebração do Dia da Bíblia - Pe GesildoCelebração do Dia da Bíblia - Pe Gesildo
Celebração do Dia da Bíblia - Pe Gesildo
nsaparecida
 
Livro ODC -oficio-divino-das-comunidades-completo
Livro ODC -oficio-divino-das-comunidades-completoLivro ODC -oficio-divino-das-comunidades-completo
Livro ODC -oficio-divino-das-comunidades-completo
Bernadetecebs .
 
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro ppsFormação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
José Luiz Silva Pinto
 
FORMAÇÃO DO DÍZIMO
FORMAÇÃO DO DÍZIMOFORMAÇÃO DO DÍZIMO
FORMAÇÃO DO DÍZIMO
Paulo David
 
Livrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismoLivrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismo
torrasko
 
Catequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidadeCatequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidade
Fábio Vasconcelos
 

Mais procurados (20)

CNBB DOC 43 ANIMAÇÃO DA VIDA LITÚRGICA NO BRASIL
CNBB DOC 43 ANIMAÇÃO DA VIDA LITÚRGICA NO BRASILCNBB DOC 43 ANIMAÇÃO DA VIDA LITÚRGICA NO BRASIL
CNBB DOC 43 ANIMAÇÃO DA VIDA LITÚRGICA NO BRASIL
 
A santa missa parte por parte
A santa missa parte por parteA santa missa parte por parte
A santa missa parte por parte
 
Mistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistérioMistagogia: caminho para o mistério
Mistagogia: caminho para o mistério
 
Formação em Liturgia
Formação em LiturgiaFormação em Liturgia
Formação em Liturgia
 
Formação de acólitos
Formação de acólitosFormação de acólitos
Formação de acólitos
 
Material de apoio à iniciação cristã
Material de apoio à iniciação cristãMaterial de apoio à iniciação cristã
Material de apoio à iniciação cristã
 
Objetos e paramentos litúrgicos
Objetos e paramentos litúrgicosObjetos e paramentos litúrgicos
Objetos e paramentos litúrgicos
 
Folheto 1° comunhao 2012
Folheto 1° comunhao 2012Folheto 1° comunhao 2012
Folheto 1° comunhao 2012
 
Eucaristia Ceia do Senhor
Eucaristia Ceia do SenhorEucaristia Ceia do Senhor
Eucaristia Ceia do Senhor
 
missal passo a passo
missal passo a passomissal passo a passo
missal passo a passo
 
Missa da 1ª eucaristia.
Missa da 1ª eucaristia.Missa da 1ª eucaristia.
Missa da 1ª eucaristia.
 
Função ritual do canto nos diferentes momentos de uma celebração
Função ritual do canto nos diferentes momentos de uma celebraçãoFunção ritual do canto nos diferentes momentos de uma celebração
Função ritual do canto nos diferentes momentos de uma celebração
 
Missa parte por parte
Missa parte por parteMissa parte por parte
Missa parte por parte
 
Missa parte a parte
Missa parte a parteMissa parte a parte
Missa parte a parte
 
Celebração do Dia da Bíblia - Pe Gesildo
Celebração do Dia da Bíblia - Pe GesildoCelebração do Dia da Bíblia - Pe Gesildo
Celebração do Dia da Bíblia - Pe Gesildo
 
Livro ODC -oficio-divino-das-comunidades-completo
Livro ODC -oficio-divino-das-comunidades-completoLivro ODC -oficio-divino-das-comunidades-completo
Livro ODC -oficio-divino-das-comunidades-completo
 
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro ppsFormação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
Formação para Ministros Extraordinário da Palavra 17° encontro pps
 
FORMAÇÃO DO DÍZIMO
FORMAÇÃO DO DÍZIMOFORMAÇÃO DO DÍZIMO
FORMAÇÃO DO DÍZIMO
 
Livrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismoLivrinho encontros de preparação batismo
Livrinho encontros de preparação batismo
 
Catequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidadeCatequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidade
 

Mais de José Vieira Dos Santos

Eucaristia: Escola Vivencial
Eucaristia: Escola VivencialEucaristia: Escola Vivencial
Eucaristia: Escola Vivencial
José Vieira Dos Santos
 
Ano Litúrgico
Ano Litúrgico Ano Litúrgico
Ano Litúrgico
José Vieira Dos Santos
 
Artigo Igreja Povo de Deus 2021
Artigo Igreja Povo de Deus 2021Artigo Igreja Povo de Deus 2021
Artigo Igreja Povo de Deus 2021
José Vieira Dos Santos
 
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
José Vieira Dos Santos
 
Formação com Catequistas
Formação com CatequistasFormação com Catequistas
Formação com Catequistas
José Vieira Dos Santos
 
Dourados MS Candidatos Vereadores 2016
Dourados MS Candidatos Vereadores 2016Dourados MS Candidatos Vereadores 2016
Dourados MS Candidatos Vereadores 2016
José Vieira Dos Santos
 
Slides cristãos leigos e leigas na igreja e na sociedade
Slides cristãos leigos e leigas na igreja e na sociedadeSlides cristãos leigos e leigas na igreja e na sociedade
Slides cristãos leigos e leigas na igreja e na sociedade
José Vieira Dos Santos
 
Papa francisco Exortação Amoris Laetitia amor na família
Papa francisco Exortação Amoris Laetitia amor na famíliaPapa francisco Exortação Amoris Laetitia amor na família
Papa francisco Exortação Amoris Laetitia amor na família
José Vieira Dos Santos
 
Dia leigo 2015
Dia leigo 2015Dia leigo 2015
Dia leigo 2015
José Vieira Dos Santos
 
Diretrizes da Igreja no Brasil 2015 a 2019
Diretrizes da Igreja no Brasil 2015 a 2019Diretrizes da Igreja no Brasil 2015 a 2019
Diretrizes da Igreja no Brasil 2015 a 2019
José Vieira Dos Santos
 
Carta Enciclica Laudato Si
Carta Enciclica Laudato SiCarta Enciclica Laudato Si
Carta Enciclica Laudato Si
José Vieira Dos Santos
 
Campanha da Fraternidade 2015
Campanha da Fraternidade 2015Campanha da Fraternidade 2015
Campanha da Fraternidade 2015
José Vieira Dos Santos
 
Gincana Bíblica Eucaristia I
Gincana Bíblica Eucaristia IGincana Bíblica Eucaristia I
Gincana Bíblica Eucaristia I
José Vieira Dos Santos
 
Gincana Bíblica Adolescentes II
Gincana Bíblica Adolescentes IIGincana Bíblica Adolescentes II
Gincana Bíblica Adolescentes II
José Vieira Dos Santos
 
Gincana Bíblica Adolescentes III
Gincana Bíblica Adolescentes IIIGincana Bíblica Adolescentes III
Gincana Bíblica Adolescentes III
José Vieira Dos Santos
 
Gincana Bíblica Eucaristia II
Gincana Bíblica Eucaristia IIGincana Bíblica Eucaristia II
Gincana Bíblica Eucaristia II
José Vieira Dos Santos
 
Gincana Bíblica Eucaristia III
Gincana Bíblica Eucaristia IIIGincana Bíblica Eucaristia III
Gincana Bíblica Eucaristia III
José Vieira Dos Santos
 
Gincana Bíblica Adolescentes I
Gincana Bíblica Adolescentes IGincana Bíblica Adolescentes I
Gincana Bíblica Adolescentes I
José Vieira Dos Santos
 
Gincana bíblica
Gincana bíblicaGincana bíblica
Gincana bíblica
José Vieira Dos Santos
 
Vida Comunitária
Vida ComunitáriaVida Comunitária
Vida Comunitária
José Vieira Dos Santos
 

Mais de José Vieira Dos Santos (20)

Eucaristia: Escola Vivencial
Eucaristia: Escola VivencialEucaristia: Escola Vivencial
Eucaristia: Escola Vivencial
 
Ano Litúrgico
Ano Litúrgico Ano Litúrgico
Ano Litúrgico
 
Artigo Igreja Povo de Deus 2021
Artigo Igreja Povo de Deus 2021Artigo Igreja Povo de Deus 2021
Artigo Igreja Povo de Deus 2021
 
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
Diretrizes da Igreja no Brasil 2019 a 2023
 
Formação com Catequistas
Formação com CatequistasFormação com Catequistas
Formação com Catequistas
 
Dourados MS Candidatos Vereadores 2016
Dourados MS Candidatos Vereadores 2016Dourados MS Candidatos Vereadores 2016
Dourados MS Candidatos Vereadores 2016
 
Slides cristãos leigos e leigas na igreja e na sociedade
Slides cristãos leigos e leigas na igreja e na sociedadeSlides cristãos leigos e leigas na igreja e na sociedade
Slides cristãos leigos e leigas na igreja e na sociedade
 
Papa francisco Exortação Amoris Laetitia amor na família
Papa francisco Exortação Amoris Laetitia amor na famíliaPapa francisco Exortação Amoris Laetitia amor na família
Papa francisco Exortação Amoris Laetitia amor na família
 
Dia leigo 2015
Dia leigo 2015Dia leigo 2015
Dia leigo 2015
 
Diretrizes da Igreja no Brasil 2015 a 2019
Diretrizes da Igreja no Brasil 2015 a 2019Diretrizes da Igreja no Brasil 2015 a 2019
Diretrizes da Igreja no Brasil 2015 a 2019
 
Carta Enciclica Laudato Si
Carta Enciclica Laudato SiCarta Enciclica Laudato Si
Carta Enciclica Laudato Si
 
Campanha da Fraternidade 2015
Campanha da Fraternidade 2015Campanha da Fraternidade 2015
Campanha da Fraternidade 2015
 
Gincana Bíblica Eucaristia I
Gincana Bíblica Eucaristia IGincana Bíblica Eucaristia I
Gincana Bíblica Eucaristia I
 
Gincana Bíblica Adolescentes II
Gincana Bíblica Adolescentes IIGincana Bíblica Adolescentes II
Gincana Bíblica Adolescentes II
 
Gincana Bíblica Adolescentes III
Gincana Bíblica Adolescentes IIIGincana Bíblica Adolescentes III
Gincana Bíblica Adolescentes III
 
Gincana Bíblica Eucaristia II
Gincana Bíblica Eucaristia IIGincana Bíblica Eucaristia II
Gincana Bíblica Eucaristia II
 
Gincana Bíblica Eucaristia III
Gincana Bíblica Eucaristia IIIGincana Bíblica Eucaristia III
Gincana Bíblica Eucaristia III
 
Gincana Bíblica Adolescentes I
Gincana Bíblica Adolescentes IGincana Bíblica Adolescentes I
Gincana Bíblica Adolescentes I
 
Gincana bíblica
Gincana bíblicaGincana bíblica
Gincana bíblica
 
Vida Comunitária
Vida ComunitáriaVida Comunitária
Vida Comunitária
 

Último

A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxZacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
lindalva da cruz
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADASCARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introduçãoEstudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsxBíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhorCultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
MasaCalixto2
 
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Janilson Noca
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTASEscola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
ceciliafonseca16
 

Último (18)

A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
 
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxZacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADASCARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introduçãoEstudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
 
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsxBíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
 
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhorCultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
 
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTASEscola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
 

Encontro de Liturgia

  • 1. ENCONTRO DE LITURGIA NINGUÉM AMA AQUILO QUE NÃO CONHECE! CONHECER PARA SERVIR MELHOR!
  • 2.
  • 3. “Ninguém é tão rico, que nada possa aprender; e ninguém é tão pobre que nada possa ensinar”. UM BOM DOMINGO! “Instruindo os outros, muito aprendi". Santa Teresinha do Menino Jesus
  • 4. Deus nem sempre chama pessoas qualificadas, mas sempre qualifica as pessoas que chama.
  • 5. REALIDADE LITÚRGICA • Há Equipes de Liturgia na Paróquia e Comunidades? • Como estão organizadas? Há reuniões? Quem participa? Que assuntos são abordados? • Como são distribuídas as celebrações na sua Comunidade? • Como são distribuídas as funções e serviços em cada celebração? Há reunião de preparação? • Existe a Pastoral do Laço em sua Comunidade? • E o Padre? Como está seu atendimento? Há apoio?
  • 6. LITURGIA • É serviço ou ação de uma pessoa ou de uma equipe em favor de uma comunidade, de um povo; • Ação de Deus Pai, Filho e Espírito Santo; = Santíssima Trindade • Ação celebrativa; • É ação da comunidade de fé; • É fonte e culminância da vida comunitária e cristã; • É a celebração do Mistério Pascal de Cristo
  • 7. CARACTERÍSTICAS • 1º MILÊNIO • 2º MILÊNIO • Mistério Pascal • Hóstia Consagrada • Festa: Páscoa • Festa: Corpus Christi • Comunidade Celebrante • Sacerdote celebra para o povo • Todos ao redor da • Sacerdote no altar de mesa costas para o povo • Participação na Ação • Devoção ao Santíssimo Eucarística Sacramento • Oração Eucarística • Destaque para a como um todo Consagração e • Comer o Pão e Beber o Elevação Vinho • Ver a Hóstia e Adorar • Iniciação a partir da • Catequese na Escola e Eucaristia outros lugares
  • 8. FORMAS CELEBRATIVAS: 7 Sacramentos (Eucaristia é o Coração); Celebração da Palavra; Sacramentais: bênçãos, funerais; Liturgia das Horas e o Ofício das Comunidades; Oração e diversidade de manifestações da Piedade Popular (Terço, Novena, Tríduo, Procissões, Via-Sacras, Romarias, Caminhadas, Círculos Bíblicos, etc)
  • 9. EXIGÊNCIAS DA CELEBRAÇÃO Exige seu Tempo e seu Momento; Requer Ações e Ritos adequados Supõe Gratuidade É Ação Comunitária: ação de amigos e de pessoas solidárias; Supõe Espírito de Alegria
  • 10. RITUAL LITURGICO • O RITO - É o conjunto de gestos ou ações simbólicas de caráter repetitivo • O RITUAL - É o conjunto de ritos • O RITUALISMO - Significa realizar o rito pelo rito (mecanicamente, sem vida).
  • 11. ELEMENTOS DO RITUAL CELEBRATIVO • As Pessoas • A Palavra de Deus • Oração Litúrgica = Comunitária • A Música e o Canto • Os Símbolos • O Gesto Litúrgico • A Dança e Expressão Corporal; • O Silêncio e a Contemplação • O Ambiente
  • 12. DESAFIOS DO RITUAL CELEBRATIVO: • Ritual e Criatividade; • Autenticidade do Rito; • Ritmo e Harmonia do Ritual Celebrativo; • Rito e Rubricas (normas).
  • 13. ANO LITURGICO • Calendário Litúrgico // Civil • Os Tempos Litúrgicos • Durante o ano - Domingos (52/53) = Lecionário Dominical – Ano A (2011, 2014) – Ano B (2012, 2015) – Ano C (2013, 2016) • Durante a Semana – Lecionário Semanal ou Ferial – ANO PAR (2012; 2014) – ANO IMPAR (2013; 2015) • Durante o Dia – Liturgia das Horas • Santos – Lecionário Santoral • Livros com os Rituais: (Sacramentos, Sacramentais e Bênçãos)
  • 15. ORGANIZAÇÃO LITURGICA Importância da Organização Pastoral Litúrgica: 1. Equipe de Liturgia 2. Equipes de Celebrações
  • 16. FUNÇÃO DA PASTORAL LITÚRGICA • Planejar, animar e coordenar, assessorar, avaliar a vida litúrgica das comunidades de uma diocese/paróquia/comunidade; • Garantir a celebração do mistério pascal de Cristo, principalmente as mais significativas; • Elaborar subsídios, promover meios que dinamizem e sustentem a formação litúrgica progressiva e permanente das comunidades, equipes e dos ministros; • Organizar, distribuir todas celebrações para as diversas equipes de celebrações. • Construir, pela liturgia, comunidades eclesiais vivas e missionárias;
  • 17. • Constituir, formar e fortalecer as equipes de celebração das comunidades; - programar e avaliar as atividades litúrgicas da paróquia ou diocese; - promover a integração entre as diferentes equipes de celebração. Uma equipe de liturgia compõe-se de pessoas de fé, engajadas na vida da comunidade e que assumem com responsabilidade vocacional o serviço de animação das celebrações. Sua ação se caracteriza por: - espírito de serviço e de comunhão; - capacidade de trabalhar em equipe; - exemplo de participação, oração e escuta; - vontade de participação, oração e escuta; - vontade de celebrar da melhor forma possível.
  • 18. NB: EM DIVERSAS LOCALIDADES AS CELEBRAÇÕES NÃO SÃO DISTRIBUIDAS A GRUPOS, E SIM UMA GRANDE EQUIPE CENTRAL QUE SEMANALMENTE VÃO FORMANDO AS DIVERSAS EQUIPES PARA O SERVIÇO NAS CELEBRAÇÕES. Pasto Ju o Pa ven ral d sto tu ld Dízim o a ra de Pa al or r Ter s to ra l st ia cei r d Pa m il a Id a ade Fa DE EQUIPE ? LITURGIA M ú ?? R.C. Co sico Co i C. ro ro s s nh ME inha E a Pa C E Pa C E dre e g Pas M to Le ari ião a que de se Cate ral da EQUIPES DE CELEBRAÇÕES EQUIPE DE LITURGIA PESSOAS QUE COORDENAM AS
  • 19. EQUIPE DE CELEBRAÇÃO ad s Le it res o ras or Re rece L eit o P z ha r oin Co Anim ador Acol hida e Amb iente as e nd er Of m Pa C E Pa C E e a so ME ME Téc ú sica dre dr nic M PESSOAS QUE PREPARAM E EXECUTAM A CELEBRAÇÃO
  • 20. TAREFAS DA EQUIPE DE CELEBRAÇÃO • Preparar, com certa antecedência, as celebrações, de forma criativa, alegre, participativa e adaptada à cultura e a experiência religiosa da comunidade; • Organizar o espaço celebrativo de modo agradável, acolhedor e orante; • Preparar tudo o que for necessário para uma determinada forma celebrativa; • Prever os diferentes elementos e momentos da celebração, tendo em vista a integração entre o mistério celebrado e a vida das pessoas;
  • 21. • Definir as expressões e gestos simbólicos; • Escolher os cânticos e hinos levando em conta os momentos da celebração, o tempo litúrgico e a experiência da comunidade; • Distribuir corresponsavelmente as diversas funções e serviços; • Preparar-se técnica e espiritualmente para o desempenho competente das funções litúrgicas, tendo em vista a participação ativa da assembléia; • Executar ritualmente o que a equipe preparou • Avaliar, periodicamente, a prática celebrativa à luz da vida eclesial e da vido do povo • Evite-se o uso de folhetos litúrgicos ou livretos pela assembléia celebrante. A atenção de todos deve centrar no altar, no ambão e na ação de quem preside ou anima a celebração.
  • 22. Comece por fazer o que é necessário, depois o que é possível e de repente estará fazendo o impossível. (São Francisco de Assis)
  • 23. MATERIAS E SUBSÍDIOS PARA REUNIÃO • Bíblia, Lecionário • Liturgia Diária, Missal • Planejamento ou Agenda (Comunidade, Paróquia, Forania e Diocese) • Revista Pastoral • Diretório Litúrgico • Hinário Litúrgico • Mês Temático • Fatos da Realidade
  • 24. PREPARAÇÃO DA CELEBRAÇÃO – ANTES • Dia e Horário e as Pessoas para reunião • II – Providenciar os subsídios de apoio • III – Passos a seguir na Reunião: • 1º - Momento de Oração • 2º - Breve Avaliação • 3º - Situar a Celebração • 4º - Aprofundar as Leituras; • 5º - Exercício da Criatividade • 6º - Elaborar a Folha Roteiro • 7º - Distribuir os Serviços/Funções • 8º - Vivenciar e Ensaiar as ações simbólicas
  • 25. PREPARAÇÃO DA CELEBRAÇÃO – DURANTE • Chegar cedo para a Celebração; • Abrir a Igreja; Montar o Som; • Arrumar o ambiente; Colocar no devido lugar os Objetos, Vasos, Livros, Panos Litúrgicos • Localizar as leituras no Lecionário e deixar no ambão já aberto • Sentar o mais próximo do local onde irá realizar sua função; • Se não foi possível conversar no decorrer da semana, assim que o padre chegar colocar a par do que irá acontecer; Folha Roteiro • Cinco minutos antes do início, tudo tem que estar pronto em clima de silêncio; • Cada um realizar a sua tarefa conforme preparou e vivenciou.
  • 26. PREPARAÇÃO DA CELEBRAÇÃO – DEPOIS • Ao término, colocar tudo em ordem: guardar o tudo aquilo que utilizou na celebração • Deixar o local pronto para outra celebração • Desligar som, luzes do local, fechar as portas dos armários, igreja, etc. • Oportunamente fazer uma avaliação da celebração
  • 27. MOMENTOS DO ANIMADOR • Introdução da Celebração; • Ato Penitencial (opcional); • Hino de Louvor; • Antes das Leituras; • Aclamação ao Evangelho (opcional; • Apresentação das Oferendas (opcional); • Comunhão (opcional) • Avisos
  • 28. O SUCESSO DA COMUNICAÇÃO DEPENDEM 07% - PALAVRAS = conteúdo 38% - SONS - TOM DE VOZ = Inflexões – volume – ritmo – ênfase – Intensidade... 55% - GESTOS E EXPRESSÕES FACIAL NÃO VERBAL = olhar – movimento – postura – modo de se vestir...
  • 29. LEITORES DA PALAVRA • Conhecer e compreender o texto • Preparar uma leitura expressiva • Exprimir os sentimentos do autor e dos personagens. • Examinar algumas minúcias antes da celebração: livro, página, microfone • Saber deslocar-se para o ambão • Postura e Apresentação • Antes de começar – Comunicar com o Olhar • Título da Leitura • Ler devagar • Ler com a cabeça levantada • Conclusão da Leitura • A importância da Pontuação
  • 30. O problema maior das equipes de celebrações não está nas pessoas que lêem mal, mas no silêncio e na omissão dos bons leitores e leitoras.
  • 31. O único modo de evitar os erros é adquirindo experiência; mas a única maneira de adquirir experiência é cometendo erros.
  • 32. ORAÇÃO DA COMUNIDADE (5, no máximo 6 preces) • Pela Santa Igreja • Pelos Poderes Públicos • Pelos que sofrem algumas necessidades; • Por todos os seres humanos e pela salvação do mundo inteiro • Rezar pela realidade local; • As orações devem brotar do coração da comunidade, inspirada pelo Espírito, pela Palavra ouvida e pela vida vivida.
  • 33. "Deixo meus bens à minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a conta do alfaiate nada aos pobres".
  • 34. O sobrinho fez a seguinte pontuação: "Deixo meus bens à minha irmã? Não, a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres".
  • 35. A irmã chegou em seguida e pontuou assim, o escrito: "Deixo meus bens à minha irmã, não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres."
  • 36. O alfaiate pediu cópia do original e puxou a brasa pra sardinha dele: "Deixo meus bens à minha irmã? Não! Ao meu sobrinho jamais! Será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres".
  • 37. Aí, chegaram os descamisados da cidade. Um deles, sabido, fez esta interpretação: "Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho jamais! Será paga a conta do alfaiate? Nada! Aos pobres".
  • 38. Se ficarmos reparando os defeitos das outras pessoas nunca iremos participar da vida, pois vamos nos contentar com as nossas desculpas.
  • 39. MICROFONE • Os Direcionais ou Unidirecionais • Cardióide (uso geral – comum) • Supercardióide (show) • Hipercardióide (studio) • Os Bidirecionais (Entrevistas) • Os Omnidirecionais (Baterias) TIPOS: Com Fio - Sem Fio – Lapela 7 MANDAMENTOS • Não Bata • Não Assopre • Não Grite • Não Fale se Movimentando • Não Tenha Medo • Não o Engula • Não Enrole
  • 40. MICROFONE Os Direcionais ou Unidirecionais * Cardióide (uso geral – comum) * Supercardióide (show) * Hipercardióide (studio) Os Bidirecionais (Entrevistas) Os Omnidirecionais (Baterias) TIPO: Com Fio - Sem Fio - Lapela
  • 41. 7MANDAMENTOS Não Bata Não Assopre Não Grite Não Fale se Movimentando Não Tenha Medo Não o Engula Não Enrole
  • 42. “Não somos o que deveríamos ser; também não somos o que queríamos ser; mas graças a Deus, não somos o que éramos." ramos
  • 43. TONY MELENDEZ “Por favor, não me digam que não podem... Não me digam que não podem, porque vocês podem fazer muito, muito mais. Somente levantem-se digam eu quero, eu posso e eu vou mover-me para frente. Tem um mundo que está somente esperando suas mãos dizerem SIM!”
  • 44. Assessoria DOURADOS – MS Organização Montagem dos Slides do Curso José Vieira dos Santos jvieiras@hotmail.com.br