SlideShare uma empresa Scribd logo
eclesiologia 7 igreja nos dias atuais.pptx
PERÍODOS DA IGREJA
1 – PERÍODO APOSTÓLICO,
2 – PERÍODO PATRÍSTICO,
3 – FORMAÇÃO DO CANON SAGRADO,
4 – PERÍODO MEDIEVAL,
5 – PERÍODO DA REFORMA,
6 – PERÍODO DO AVIVAMENTO,
7 – PERÍODO ATUAL,
8 – IGREJA TRIUNFANTE.
AS TRÊS ONDAS
A presença evangélica, principalmente no Brasil,
obedece ao movimento de três ondas acontecidas
em três momentos diferentes de nossa história. Na
primeira, com a chegada das igrejas histórias
ligadas ou afinadas com o movimento da Reforma
Protestante liderada por Martinho Lutero: luteranos,
presbiterianos, batistas, episcopais,
congregacionais, etc.
AS TRÊS ONDAS
Na segunda, com o movimento pentecostal através
da Congregação Cristã do Brasil e Assembleia de
Deus. Na terceira, com a enxurrada do
neopentecostalismo de caráter
predominantemente nativo (Universal, Internacional
da Graça, Mundial, Renascer, etc).
RACIONALISMO – SEC XVIII e XIX
Corrente filosófica que privilegia a razão como via
de acesso ao conhecimento e de explicação da
realidade. Buscam um conhecimento puramente
racional, que não dependam dos sentidos e nem da
imaginação.
RACIONALISMO
A ideia de que toda verdade só pode ser alcançado
através do uso da razão, de evidências, trouxe para
igreja um esfriamento espiritual.
Tudo é a metodologia científica.
Iluminismo – Antropocentrismo.
RACIONALISMO
No século XIX temos a Revolução Industrial,
trazendo uma mudança na sociedade europeia. As
estruturas de grandes famílias foram reduzidas a
grupos pequenos (pais e filhos), perdendo as raízes
e tradições, ocasionando um individualismo, o “eu”
moderno.
DOUTRINAS LIBERAIS
O liberalismo tem fortes raízes no iluminismo, ou
seja, uma grande influência do movimento
filosófico. Para a teologia liberal manter Deus de
fora do conhecimento humano era simplesmente
normal para sua tese, afirmando que “ o
sobrenatural não invade a história”, ou seja, a
história passou a ser meramente causa e efeito.
DOUTRINAS LIBERAIS
Definitivamente a Bíblia não é a Palavra de Deus
muito menos inspirada por ele, ela contém vários
erros por ser ela escrita por homens e o ser
humano é falho gerando uma interrogação na
teologia cristã.
Estudar a Bíblia de forma crítica.
DOUTRINAS LIBERAIS
O homem pode-se ajudar e não precisa de nenhum
sacrifício de Jesus, sendo assim o inferno não é real
e nem a humanidade está perdida a caminho do
inferno e não existe um julgamento final pois o
próprio céu é uma grande utopia do cristianismo
isso nega a morte expiatória de Cristo.
Diferenças entre o Jesus de Nazaré e o Cristo.
FUNDAMENTALISTAS
O fundamentalismo cristão nasce na tentativa de
resposta ao liberalismo teológico, ou seja, as
doutrinas básicas, essenciais e vitais do cristianismo
foi sim, interpretada de forma totalmente errada
pela teologia liberal.
FUNDAMENTALISTAS
Os fundamentalistas ou conservadores tradicionais,
tem em sua maioria uma interpretação literal das
Sagradas Escritura eles tem a Bíblia com única
autoridade para base de seus ensinos e práticas e
que nela não há erro nenhum.
FUNDAMENTALISTAS
Em 1895 ocorre uma reunião dos fundamentalistas
perto das cataratas do Niágara, para estabelecer os
5 fundamentos da fé que iam contras as teorias
liberais.
1. INFALIBILIDADE DA BÍBLIA – a Palavra de Deus é
infalível e inerrante;
2. DIVINDADE DE JESUS CRISTO – Jesus é Deus
entre nós (100% Deus, 100% homem);
3. NASCIMENTO VIRGINAL DE JESUS – Jesus
nasceu de forma milagrosa através da virgem
Maria;
4. MORTE EXPIATÓRIA DE JESUS NA CRUZ
5. RESSURREIÇÃO CORPÓREA DE JESUS E SUA
VOLTA.
FUNDAMENTALISTAS
Nessa época as Escolas Bíblicas Dominicais
surgiram com mais força, para combater as ideias
da teologia liberal.
MOVIMENTO HOLINESS
Busca intensa pela santidade nos EUA, ênfase
carismática (busca pelo Espírito Santo).
- Dwight Moody;
- Charles Fox Parham
Com influências desse movimento, teve o
surgimento do Avivamento da Rua Azusa, Los
Angeles (Pastor William Joseph – Pai do
Pentecostalismo) Filme.
eclesiologia 7 igreja nos dias atuais.pptx
PROTESTANTISMO NO BRASIL
Os protestantes só entraram no Brasil
definitivamente após o século XIX, quando a família
real vem para o Brasil, a Inglaterra começou a
pressionar para que fossem abertos os portos pra
relações comerciais.
PROTESTANTISMO NO BRASIL
E, nesse acordo assinado em 1807, tinha uma
cláusula que permitia aos protestantes entrarem no
Brasil para começarem os seus cultos religiosos,
desde que os templos não se parecessem com
templos.
PROTESTANTISMO DE IMIGRAÇÃO
1. Chegada dos alemães luteranos no sul do Brasil
em 1824.
“No Sul, também em 1824, 43 imigrantes alemães
fundaram, no Rio dos Sinos, uma comunidade que
recebeu o nome de São Leopoldo em homenagem
à Imperatriz Leopoldina”. (Mendonça, 1990 p.27)
PROTESTANTISMO DE IMIGRAÇÃO
As primeiras comunidades luteranas e seus pastores
foram:
1824, São Leopoldo, sendo pastor Johann Georg
Ehlers de 1824 a 1844;
1826, Três Forquilhas, sendo pastor Karl Leopold
Voges, de 1826 a 1829;
1829, Campo Bom, sendo pastor Friedrich Christian
Klingehöffer, 1829 a 1838;
Os primeiros foram os Congregacionais com o
médico Robert Kalley e sua esposa Sarah Poulton que
chegaram no Rio de Janeiro em 10 de maio de 1855
na cidade de Petrópolis.
1868 – Primeira Igreja Protestante Independente do
Brasil
PROTESTANTISMO MISSIONÁRIO
O segundo grupo a enviar missionários para o Brasil
foram os Presbiterianos.
Ashbel Green com 26 anos, chegou no Rio de
em 12 de agosto de 1859.
1862 – Primeira Igreja Presbiteriana do Brasil.
PROTESTANTISMO MISSIONÁRIO
Em 1881 chegaram no Brasil William e Anne Buck,
missionários batistas.
1882 – Primeira Igreja Batista do Brasil em Salvador.
PROTESTANTISMO MISSIONÁRIO
Em 1910 chega ao Brasil os missionários suecos
Gunnar Vingren e Daniel Berg em Belém do Pará.
1911 – Surgimento da Assembleia de Deus no Brasil.
PROTESTANTISMO MISSIONÁRIO
Em 1914/18 e 1939/45 temos a Primeira e a Segunda
Guerra Mundial. Com isso, a humanidade fica
desapontada com a tecnologia da Revolução
Industrial, deixando de lado os pensamentos da
teologia liberal. Desse desapontamento surge os
Evangelicais.
AS DUAS GRANDES GUERRAS
Doutrina tradicional do pecado original e salvação
apenas pela graça.
Marcam uma nova era de discussão com a sociedade,
interpretação bíblica.
Redescobrimento das coisas espirituais.
Apologética - defesa da fé.
Crescimento do seminários.
EVANGELICAIS
Expansão do rádio e da TV;
Cruzadas evangelísticas (Billy Graham);
1974 – congresso mundial de evangelismo em
Lausanne - necessidade de evangelizar o mundo.
(Pacto de Lausanne), compromisso teológico e
hermenêutico.
EVANGELICAIS
No pós-guerra o Pentecostalismo cresceu
rapidamente.
A Primeira Onda Pentecostal - começou em 1910
com a fundação da Congregação Cristã no Brasil e as
Assembleias de Deus em 1911.
A Primeira Onda Pentecostal, portanto, vai de 1910 a
1950.
AS TRÊS ONDAS PENTECOSTAIS NO BRASIL
A Segunda Onda Pentecostal: Começou em 1950
quando dois missionários da International Church of
The Foursquare Gospel vieram ao Brasil e fundaram a
Igreja do Evangelho Quadrangular (I.E.Q), construindo
um pequeno templo (1951, São João da Boa Vista).
AS TRÊS ONDAS PENTECOSTAIS NO BRASIL
Surgiram muitas outras denominações como: O Brasil
para Cristo, a Igreja Pentecostal Deus é Amor, A Casa
da Bênção, Igreja Cristã Pentecostal da Bíblia do
Brasil, Igreja Pentecostal Unida do Brasil, Ministério
Cristo Vive, Igreja Unida, Igreja de Nova Vida e
diversas outras. A Segunda Onda Pentecostal vai de
1950 a 1970.
AS TRÊS ONDAS PENTECOSTAIS NO BRASIL
A Terceira Onda Pentecostal: Começou em 1970 e
deu origem a um novo ciclo chamado de
Neopentecostal (onde Neo quer dizer Novo), por
serem mais liberais, pois a maior parte das
denominações pentecostais anteriores proibiam,
inclusive, ouvir-se rádio ou assistir tv, e eram rígidas
com relação a usos e costumes.
AS TRÊS ONDAS PENTECOSTAIS NO BRASIL
Igreja Universal do Reino de Deus, fundada pelo
Bispo Edir Macedo (1977, Rio de Janeiro), a Igreja
Internacional da Graça de Deus, fundada pelo
Missionário R. R. Soares, (1980, Rio de Janeiro), a
Comunidade Cristã Paz e Vida, fundada pelo Pr
Juanribe Pagliarin (1982, São Paulo), Igreja Renascer
em Cristo, fundada pelo Apóstolo Estevan Hernandes
(1986, São Paulo),
AS TRÊS ONDAS PENTECOSTAIS NO BRASIL
Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra, fundada
pelo Bispo Robson Rodovalho (1992, Brasília) e Igreja
Mundial do Poder de Deus, fundada pelo Apóstolo
Valdemiro Santiago (1998, São Paulo).
AS TRÊS ONDAS PENTECOSTAIS NO BRASIL
De um modo geral, os Neopentecostais utilizam
intensamente a mídia eletrônica e aplicam métodos
de moderna administração, bem como o uso de
marketing, planejamento estatístico, análise de
resultados etc. O Neopentecostalismo é a vertente
pentecostal que mais cresce no Brasil e,
consequentemente, a mais influente. A Terceira Onda
Pentecostal está em pleno movimento.
AS TRÊS ONDAS PENTECOSTAIS NO BRASIL
Aproveitaram o crescimento do pós-guerra para
pregar a prosperidade financeira como bênçãos
divinas. Teologia triunfalista.
Final dos anos 80/90.
TEOLOGIA DA PROSPERIDADE
Surgimentos das megas igrejas, utilização de
estratégias de marketing, internet, redes sociais,
sociologia, psicologia;
Um evangelho mais aceito pela sociedade, mais
relevantes para as pessoas de classe alta e
acadêmicos.
Surgimentos de pequenos grupos ou células.
IGREJA MODERNA
Igrejas pretas e Worship
IGREJA MODERNA
Assim, constatamos em nosso país e no mundo o
surgimento continuado e crescente de novos ramos
denominacionais, mas o que interessa mesmo é ser
membro da Igreja Triunfante – aquela de Cristo,
cujas portas do Inferno não prevalecerão contra ela e
que subirá como Noiva do Senhor para morar
eternamente com Ele (Jo 14:1-3).

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a eclesiologia 7 igreja nos dias atuais.pptx

08 ramificacoes cristas
08 ramificacoes cristas08 ramificacoes cristas
08 ramificacoes cristas
Luiza Dayana
 
História dos Batistas2010 pt2
História dos Batistas2010 pt2História dos Batistas2010 pt2
História dos Batistas2010 pt2
Eliezer Almeida
 
Identidade Batistas Brasileiros
Identidade Batistas BrasileirosIdentidade Batistas Brasileiros
Identidade Batistas Brasileiros
usr_isaltino
 
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano IIHistória da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
Andre Nascimento
 
Identidade Nazarena - M1
Identidade Nazarena - M1 Identidade Nazarena - M1
Identidade Nazarena - M1
semnazarenovirtual
 
2 sidney de_moraes_sanches
2 sidney de_moraes_sanches2 sidney de_moraes_sanches
2 sidney de_moraes_sanches
Ronaldo Dos Santos Ramos
 
Tempo de reformas
Tempo de reformasTempo de reformas
Tempo de reformas
JULIO CESAR BATISTA BOIA
 
Tempo de reformas
Tempo de reformasTempo de reformas
Tempo de reformas
JULIO CESAR BATISTA BOIA
 
Cristianismo (1)
Cristianismo (1)Cristianismo (1)
Cristianismo (1)
Iran Teixeira
 
13 o cristianismo da idade moderna à contemporânea - 13ª aula
13   o cristianismo da idade moderna à contemporânea - 13ª aula13   o cristianismo da idade moderna à contemporânea - 13ª aula
13 o cristianismo da idade moderna à contemporânea - 13ª aula
PIB Penha
 
As 03 ondas do pentecostalismo
As 03 ondas do pentecostalismo As 03 ondas do pentecostalismo
As 03 ondas do pentecostalismo
Jorge A. Ferreira
 
A reforma e contrarreforma
A reforma e contrarreformaA reforma e contrarreforma
A reforma e contrarreforma
Matheus Augusto
 
Historia II - MIII
Historia II - MIIIHistoria II - MIII
Historia II - MIII
semnazarenovirtual
 
Historia II - M3
Historia II - M3Historia II - M3
Historia II - M3
semnazarenovirtual
 
A História da Igreja Presbiteriana no Brasil
A História da Igreja Presbiteriana no BrasilA História da Igreja Presbiteriana no Brasil
A História da Igreja Presbiteriana no Brasil
Jocarli Junior
 
Apostila 09
Apostila 09Apostila 09
Apostila 09
Omar Gebara
 
Apostila 09
Apostila 09Apostila 09
Apostila 09
Omar Gebara
 
Teologia 09
Teologia 09Teologia 09
Teologia 09
marcelo olegario
 
19 periodo da igreja primitiva
19  periodo da igreja primitiva19  periodo da igreja primitiva
19 periodo da igreja primitiva
Pib Penha
 
05 reforma protestante
05   reforma protestante05   reforma protestante
05 reforma protestante
Ciências Humanas e Suas Tecnologias
 

Semelhante a eclesiologia 7 igreja nos dias atuais.pptx (20)

08 ramificacoes cristas
08 ramificacoes cristas08 ramificacoes cristas
08 ramificacoes cristas
 
História dos Batistas2010 pt2
História dos Batistas2010 pt2História dos Batistas2010 pt2
História dos Batistas2010 pt2
 
Identidade Batistas Brasileiros
Identidade Batistas BrasileirosIdentidade Batistas Brasileiros
Identidade Batistas Brasileiros
 
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano IIHistória da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
História da Igreja II: Aula 14: Pentecostalismo, Ecumenismo e Vaticano II
 
Identidade Nazarena - M1
Identidade Nazarena - M1 Identidade Nazarena - M1
Identidade Nazarena - M1
 
2 sidney de_moraes_sanches
2 sidney de_moraes_sanches2 sidney de_moraes_sanches
2 sidney de_moraes_sanches
 
Tempo de reformas
Tempo de reformasTempo de reformas
Tempo de reformas
 
Tempo de reformas
Tempo de reformasTempo de reformas
Tempo de reformas
 
Cristianismo (1)
Cristianismo (1)Cristianismo (1)
Cristianismo (1)
 
13 o cristianismo da idade moderna à contemporânea - 13ª aula
13   o cristianismo da idade moderna à contemporânea - 13ª aula13   o cristianismo da idade moderna à contemporânea - 13ª aula
13 o cristianismo da idade moderna à contemporânea - 13ª aula
 
As 03 ondas do pentecostalismo
As 03 ondas do pentecostalismo As 03 ondas do pentecostalismo
As 03 ondas do pentecostalismo
 
A reforma e contrarreforma
A reforma e contrarreformaA reforma e contrarreforma
A reforma e contrarreforma
 
Historia II - MIII
Historia II - MIIIHistoria II - MIII
Historia II - MIII
 
Historia II - M3
Historia II - M3Historia II - M3
Historia II - M3
 
A História da Igreja Presbiteriana no Brasil
A História da Igreja Presbiteriana no BrasilA História da Igreja Presbiteriana no Brasil
A História da Igreja Presbiteriana no Brasil
 
Apostila 09
Apostila 09Apostila 09
Apostila 09
 
Apostila 09
Apostila 09Apostila 09
Apostila 09
 
Teologia 09
Teologia 09Teologia 09
Teologia 09
 
19 periodo da igreja primitiva
19  periodo da igreja primitiva19  periodo da igreja primitiva
19 periodo da igreja primitiva
 
05 reforma protestante
05   reforma protestante05   reforma protestante
05 reforma protestante
 

Último

controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 

Último (20)

controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 

eclesiologia 7 igreja nos dias atuais.pptx

  • 2. PERÍODOS DA IGREJA 1 – PERÍODO APOSTÓLICO, 2 – PERÍODO PATRÍSTICO, 3 – FORMAÇÃO DO CANON SAGRADO, 4 – PERÍODO MEDIEVAL, 5 – PERÍODO DA REFORMA, 6 – PERÍODO DO AVIVAMENTO, 7 – PERÍODO ATUAL, 8 – IGREJA TRIUNFANTE.
  • 3. AS TRÊS ONDAS A presença evangélica, principalmente no Brasil, obedece ao movimento de três ondas acontecidas em três momentos diferentes de nossa história. Na primeira, com a chegada das igrejas histórias ligadas ou afinadas com o movimento da Reforma Protestante liderada por Martinho Lutero: luteranos, presbiterianos, batistas, episcopais, congregacionais, etc.
  • 4. AS TRÊS ONDAS Na segunda, com o movimento pentecostal através da Congregação Cristã do Brasil e Assembleia de Deus. Na terceira, com a enxurrada do neopentecostalismo de caráter predominantemente nativo (Universal, Internacional da Graça, Mundial, Renascer, etc).
  • 5. RACIONALISMO – SEC XVIII e XIX Corrente filosófica que privilegia a razão como via de acesso ao conhecimento e de explicação da realidade. Buscam um conhecimento puramente racional, que não dependam dos sentidos e nem da imaginação.
  • 6. RACIONALISMO A ideia de que toda verdade só pode ser alcançado através do uso da razão, de evidências, trouxe para igreja um esfriamento espiritual. Tudo é a metodologia científica. Iluminismo – Antropocentrismo.
  • 7. RACIONALISMO No século XIX temos a Revolução Industrial, trazendo uma mudança na sociedade europeia. As estruturas de grandes famílias foram reduzidas a grupos pequenos (pais e filhos), perdendo as raízes e tradições, ocasionando um individualismo, o “eu” moderno.
  • 8. DOUTRINAS LIBERAIS O liberalismo tem fortes raízes no iluminismo, ou seja, uma grande influência do movimento filosófico. Para a teologia liberal manter Deus de fora do conhecimento humano era simplesmente normal para sua tese, afirmando que “ o sobrenatural não invade a história”, ou seja, a história passou a ser meramente causa e efeito.
  • 9. DOUTRINAS LIBERAIS Definitivamente a Bíblia não é a Palavra de Deus muito menos inspirada por ele, ela contém vários erros por ser ela escrita por homens e o ser humano é falho gerando uma interrogação na teologia cristã. Estudar a Bíblia de forma crítica.
  • 10. DOUTRINAS LIBERAIS O homem pode-se ajudar e não precisa de nenhum sacrifício de Jesus, sendo assim o inferno não é real e nem a humanidade está perdida a caminho do inferno e não existe um julgamento final pois o próprio céu é uma grande utopia do cristianismo isso nega a morte expiatória de Cristo. Diferenças entre o Jesus de Nazaré e o Cristo.
  • 11. FUNDAMENTALISTAS O fundamentalismo cristão nasce na tentativa de resposta ao liberalismo teológico, ou seja, as doutrinas básicas, essenciais e vitais do cristianismo foi sim, interpretada de forma totalmente errada pela teologia liberal.
  • 12. FUNDAMENTALISTAS Os fundamentalistas ou conservadores tradicionais, tem em sua maioria uma interpretação literal das Sagradas Escritura eles tem a Bíblia com única autoridade para base de seus ensinos e práticas e que nela não há erro nenhum.
  • 13. FUNDAMENTALISTAS Em 1895 ocorre uma reunião dos fundamentalistas perto das cataratas do Niágara, para estabelecer os 5 fundamentos da fé que iam contras as teorias liberais.
  • 14. 1. INFALIBILIDADE DA BÍBLIA – a Palavra de Deus é infalível e inerrante; 2. DIVINDADE DE JESUS CRISTO – Jesus é Deus entre nós (100% Deus, 100% homem); 3. NASCIMENTO VIRGINAL DE JESUS – Jesus nasceu de forma milagrosa através da virgem Maria; 4. MORTE EXPIATÓRIA DE JESUS NA CRUZ 5. RESSURREIÇÃO CORPÓREA DE JESUS E SUA VOLTA.
  • 15. FUNDAMENTALISTAS Nessa época as Escolas Bíblicas Dominicais surgiram com mais força, para combater as ideias da teologia liberal.
  • 16. MOVIMENTO HOLINESS Busca intensa pela santidade nos EUA, ênfase carismática (busca pelo Espírito Santo). - Dwight Moody; - Charles Fox Parham Com influências desse movimento, teve o surgimento do Avivamento da Rua Azusa, Los Angeles (Pastor William Joseph – Pai do Pentecostalismo) Filme.
  • 18. PROTESTANTISMO NO BRASIL Os protestantes só entraram no Brasil definitivamente após o século XIX, quando a família real vem para o Brasil, a Inglaterra começou a pressionar para que fossem abertos os portos pra relações comerciais.
  • 19. PROTESTANTISMO NO BRASIL E, nesse acordo assinado em 1807, tinha uma cláusula que permitia aos protestantes entrarem no Brasil para começarem os seus cultos religiosos, desde que os templos não se parecessem com templos.
  • 20. PROTESTANTISMO DE IMIGRAÇÃO 1. Chegada dos alemães luteranos no sul do Brasil em 1824. “No Sul, também em 1824, 43 imigrantes alemães fundaram, no Rio dos Sinos, uma comunidade que recebeu o nome de São Leopoldo em homenagem à Imperatriz Leopoldina”. (Mendonça, 1990 p.27)
  • 21. PROTESTANTISMO DE IMIGRAÇÃO As primeiras comunidades luteranas e seus pastores foram: 1824, São Leopoldo, sendo pastor Johann Georg Ehlers de 1824 a 1844; 1826, Três Forquilhas, sendo pastor Karl Leopold Voges, de 1826 a 1829; 1829, Campo Bom, sendo pastor Friedrich Christian Klingehöffer, 1829 a 1838;
  • 22. Os primeiros foram os Congregacionais com o médico Robert Kalley e sua esposa Sarah Poulton que chegaram no Rio de Janeiro em 10 de maio de 1855 na cidade de Petrópolis. 1868 – Primeira Igreja Protestante Independente do Brasil PROTESTANTISMO MISSIONÁRIO
  • 23. O segundo grupo a enviar missionários para o Brasil foram os Presbiterianos. Ashbel Green com 26 anos, chegou no Rio de em 12 de agosto de 1859. 1862 – Primeira Igreja Presbiteriana do Brasil. PROTESTANTISMO MISSIONÁRIO
  • 24. Em 1881 chegaram no Brasil William e Anne Buck, missionários batistas. 1882 – Primeira Igreja Batista do Brasil em Salvador. PROTESTANTISMO MISSIONÁRIO
  • 25. Em 1910 chega ao Brasil os missionários suecos Gunnar Vingren e Daniel Berg em Belém do Pará. 1911 – Surgimento da Assembleia de Deus no Brasil. PROTESTANTISMO MISSIONÁRIO
  • 26. Em 1914/18 e 1939/45 temos a Primeira e a Segunda Guerra Mundial. Com isso, a humanidade fica desapontada com a tecnologia da Revolução Industrial, deixando de lado os pensamentos da teologia liberal. Desse desapontamento surge os Evangelicais. AS DUAS GRANDES GUERRAS
  • 27. Doutrina tradicional do pecado original e salvação apenas pela graça. Marcam uma nova era de discussão com a sociedade, interpretação bíblica. Redescobrimento das coisas espirituais. Apologética - defesa da fé. Crescimento do seminários. EVANGELICAIS
  • 28. Expansão do rádio e da TV; Cruzadas evangelísticas (Billy Graham); 1974 – congresso mundial de evangelismo em Lausanne - necessidade de evangelizar o mundo. (Pacto de Lausanne), compromisso teológico e hermenêutico. EVANGELICAIS
  • 29. No pós-guerra o Pentecostalismo cresceu rapidamente. A Primeira Onda Pentecostal - começou em 1910 com a fundação da Congregação Cristã no Brasil e as Assembleias de Deus em 1911. A Primeira Onda Pentecostal, portanto, vai de 1910 a 1950. AS TRÊS ONDAS PENTECOSTAIS NO BRASIL
  • 30. A Segunda Onda Pentecostal: Começou em 1950 quando dois missionários da International Church of The Foursquare Gospel vieram ao Brasil e fundaram a Igreja do Evangelho Quadrangular (I.E.Q), construindo um pequeno templo (1951, São João da Boa Vista). AS TRÊS ONDAS PENTECOSTAIS NO BRASIL
  • 31. Surgiram muitas outras denominações como: O Brasil para Cristo, a Igreja Pentecostal Deus é Amor, A Casa da Bênção, Igreja Cristã Pentecostal da Bíblia do Brasil, Igreja Pentecostal Unida do Brasil, Ministério Cristo Vive, Igreja Unida, Igreja de Nova Vida e diversas outras. A Segunda Onda Pentecostal vai de 1950 a 1970. AS TRÊS ONDAS PENTECOSTAIS NO BRASIL
  • 32. A Terceira Onda Pentecostal: Começou em 1970 e deu origem a um novo ciclo chamado de Neopentecostal (onde Neo quer dizer Novo), por serem mais liberais, pois a maior parte das denominações pentecostais anteriores proibiam, inclusive, ouvir-se rádio ou assistir tv, e eram rígidas com relação a usos e costumes. AS TRÊS ONDAS PENTECOSTAIS NO BRASIL
  • 33. Igreja Universal do Reino de Deus, fundada pelo Bispo Edir Macedo (1977, Rio de Janeiro), a Igreja Internacional da Graça de Deus, fundada pelo Missionário R. R. Soares, (1980, Rio de Janeiro), a Comunidade Cristã Paz e Vida, fundada pelo Pr Juanribe Pagliarin (1982, São Paulo), Igreja Renascer em Cristo, fundada pelo Apóstolo Estevan Hernandes (1986, São Paulo), AS TRÊS ONDAS PENTECOSTAIS NO BRASIL
  • 34. Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra, fundada pelo Bispo Robson Rodovalho (1992, Brasília) e Igreja Mundial do Poder de Deus, fundada pelo Apóstolo Valdemiro Santiago (1998, São Paulo). AS TRÊS ONDAS PENTECOSTAIS NO BRASIL
  • 35. De um modo geral, os Neopentecostais utilizam intensamente a mídia eletrônica e aplicam métodos de moderna administração, bem como o uso de marketing, planejamento estatístico, análise de resultados etc. O Neopentecostalismo é a vertente pentecostal que mais cresce no Brasil e, consequentemente, a mais influente. A Terceira Onda Pentecostal está em pleno movimento. AS TRÊS ONDAS PENTECOSTAIS NO BRASIL
  • 36. Aproveitaram o crescimento do pós-guerra para pregar a prosperidade financeira como bênçãos divinas. Teologia triunfalista. Final dos anos 80/90. TEOLOGIA DA PROSPERIDADE
  • 37. Surgimentos das megas igrejas, utilização de estratégias de marketing, internet, redes sociais, sociologia, psicologia; Um evangelho mais aceito pela sociedade, mais relevantes para as pessoas de classe alta e acadêmicos. Surgimentos de pequenos grupos ou células. IGREJA MODERNA
  • 38. Igrejas pretas e Worship IGREJA MODERNA
  • 39. Assim, constatamos em nosso país e no mundo o surgimento continuado e crescente de novos ramos denominacionais, mas o que interessa mesmo é ser membro da Igreja Triunfante – aquela de Cristo, cujas portas do Inferno não prevalecerão contra ela e que subirá como Noiva do Senhor para morar eternamente com Ele (Jo 14:1-3).