SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Grupo: Ricardo Pasqualotto, Lucas Nogare,
  Erick Silveira, Pedro Barcelos, Fabio Lutz.
O princípio da propagação radiofônica veio mesmo em 1887,
         através de Hertz. Ele fez saltar faíscas através do ar que
     separavam duas bolas de cobre. Por causa disso os antigos
  "quilo ciclos" passaram a ser chamados de "ondas hertzianas"
                                                     ou "quilohertz“

          A partir de 1919 começa a chamada "Era do rádio"

         A primeira transmissão radiofônica oficial no Brasil, foi o
    discurso do Presidente Epitácio Pessoa, no Rio de Janeiro, em
   plena comemoração do centenário da Independência do Brasil,
      no dia 7 de setembro de 1922. O discurso aconteceu numa
exposição, na Praia Vermelha - Rio de Janeiro e o transmissor foi
  instalado no alto do Corcovado, pela Westinghouse Electric Co.
   A chegada do rádio comercial não demorou.
    Logo as emissoras reivindicaram o direito de
    conseguir sobreviver com seus próprios
    recursos. A pioneira no rádio comercial foi
    a WEAF de Nova Iorque, pertencente
    à Telephone and Telegraf Co.. Ela irradiava
    anúncios e cobrava dois dólares por 12
    segundos de comercial e cem dólares por 10
    minutos.
A técnologia tem evoluído de forma rápida, e
com isso temos vivenciado interligações e
convergências de mídias mostrando-se capazes
de interagirem umas com as outras. Isso, por
mais complexo que pareça, já é natural na
cultura atual da sociedade. Mas ao mesmo
tempo que amplia o campo de atuação de cada
meio, também dificulta a criação de peças para
atingir o público, pois não devemos pensar
somente nos aspectos físicos de cada meio, e
sim a maneira em que ele é usado e em quais
sentidos do ser humano ele é melhor recebido e
trabalhado.
   Interatividade.
   Locutores.
   Grade de Programação
   Sonoplastia.
   Informação instantânea.
   Portabilidade.
No celular, no carro, no ônibus, em casa. Hoje em dia
temos muitos meios e situações que é comum utilizar o
rádio. Hoje com o consumismo em alta, todas as classes
tem acesso aos aparelhos tecnológicos que como uma
das funções mais básicas, oferece acesso ao rádio.
      Isso amplia muito o público alvo que o meio atinge,
mas graças à integração possibilita que o rádio vá além
do atingir o público pela audição. Por exemplo, a Rádio
Jovem Pan (FM97.5) oferece prêmios para quem ouvir
uma música em específico, anotar o horário em que ela
tocou, e entrando no site da rádio elas se cadastram,
colocam as informações do horário da música e já estão
participando da promoção. Esse é um simples exemplo de
interatividade que o rádio, hoje, consegue demonstrar.
A proliferação das rádios FMs e AMs por todo o Brasil a partir da década de
90 e as rádios comunitarias que surgiram a partir da década de 2000, quando da
necessidade de se fazerem os programas, apareceram diversas pessoas não
preparadas, o que acabou banalizando a profissão.
Um bom locutor de rádio vai muito além de ser um simples falante, ele deve ser um
comunicador, alguém com uma responsabilidade que chega a falar para
centenas, milhares ou milhões de pessoas ao mesmo tempo.
 Dicção: A dicção é fundamental a todo locutor de Rádio. Um locutor deve ter sua
   dicção em 100 % para se tornar compreensível. Uma fonoaudióloga
   fonoaudiologia pode lhe ajudar a ter uma dicção melhor.
 Respiração: A respiração indicada para os locutores de rádio em geral é a
   respiração diafragmática. Para ter uma boa respiração depende de muito treino e
   técnica.
 Ênfase: A ênfase bem feito está relacionado com a respiração e significa uma
   pausa dentro da sua fala. Para dar ênfase, basta apenas que você faça uma pausa
   em sua fala.
 Interpretação: Quando você interpreta um texto dentro do rádio, você deve levar
   em consideração diversos fatores como o ritmo, as músicas, plástica da
   rádio, estilo do programa, sua voz e o objetivo do texto ou programa que você
   está fazendo. A interpretação de um texto gravado por exemplo é diferente de um
   comercial ao vivo, que por sua vez é diferente da interepretação de um programa
   romântico. A quantidade de pausas de respiração que você faz dentro de um texto
   (ênfase), determina se este texto será rápido ou lento.
   A grade de programação serve para delimitar os
    programas de forma linear. Separa programas
    distintos com gêneros e conteúdos claramente
    diferenciados. O fechamento dos programas, que
    tem começo, meio e fim, destina-se a agendar
    determinada audiência para um compromisso
    com dia e hora marcado. A grade é marcada em
    função de um tempo social, e seu impacto sobre
    a organização da vida dos diversos grupos
    humanos. Os ouvintes se habituam à
    programação, naturalizando a escuta na hora e
    dia programado ao longo de anos, muitas vezes.
    Estabelecendo-se aí uma construção mútua de
    identidade entre os programas e as audiências.
Com o advento do rádio teatro, houve a necessidade de se introduzir o
chamado “som ambiente”, o que facilitava ao ouvinte imaginar todo um
cenário.
De início eram apenas alguns instrumentos de percussão, ou então ruídos
reproduzidos através de fonógrafos, porém com o passar do tempo,
verificou-se que os ruídos obtidos a partir de reproduções „naturais”, não
soavam tão bem quando reproduzidos pelos alto falantes.
A solução encontrada, foi criar dispositivos que captados pelo microfone
correspondessem a algo mais próximo da realidade.
A partir da década de 1930, os estúdios passaram a contar com
equipamentos capazes de produzir uma imensidade de sons e que eram
muito semelhantes com aqueles das demais estações de rádio.
Iremos, nos próximos dias, mostrar como eram os equipamentos de
sonoplastia.
O primeiro deles, bastante simples, aliás, como todos os demais,
destinava-se a reproduzir o som equivalente a um batalhão em marcha, e
era composto por uma série de blocos de madeira , sacudidos sobre um
fundo de madeira compensada.
Mesmo com o avanço tecnológico e com a
popularidade da internet, televisao e jornais
impressos, o rádio não perde seu espaço na
mídia. Cada um desses meios tem sua linguagem
própria e seu público fiél.
A rádio, por sua vez, conta com um único recurso:
o som, a voz do locutor, microfone e ouvinte.Não
há mais nada entre eles.
Sendo assim a informação tem que ser objetiva,
clara e descritiva, não adianta enrolar, não tem
como o ouvinte voltar , a informação é instantânea
   Nos primórdios do rádio, a portabilidade era
    algo com que todos sonhavam. Um dos
    empecilhos eram as grandes e pesadas
    baterias, que deveriam ser recarregadas ou
    substituídas com freqüência.
Um programa de rádio transmitido pela
Jovem Pan FM desde 1993. A principal
característica sempre foi o tom humorístico
onde eram levados convidados e ouvintes. Tem
a audiência estimada em dezessete milhões de
ouvintes, o programa é transmitido de segunda
a sexta-feira, das 12h às 14h.
     Devido ao seu grande sucesso em 2003
começou a ser produzido e exibido pela Rede
TV onde foi a primeira versão televisionada do
programa.
Inicialmente foi voltado ao público adolescente
e veiculado somente na emissora de rádio. Os
ouvintes participavam para solicitar prêmios e
eram xingados pelos apresentadores, que
rendeu audiência, os produtores começaram a
moficar seu formato e 10 anos depois
apresenta-lo em um modo televisivo. Com
estréia em setembro de 2003, na Rede TV, não
demorou até que o público da radio migrasse
para a televisão.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula3 generoseformatosradiofnicosaula3
Aula3 generoseformatosradiofnicosaula3Aula3 generoseformatosradiofnicosaula3
Aula3 generoseformatosradiofnicosaula3
Anselmo Brandi
 
90 anos do rádio
90 anos do rádio90 anos do rádio
90 anos do rádio
maxjic
 
PEC Bruna Merini e Matheus Gritten
PEC Bruna Merini e Matheus GrittenPEC Bruna Merini e Matheus Gritten
PEC Bruna Merini e Matheus Gritten
Fran Buzzi
 

Mais procurados (9)

Aula3 generoseformatosradiofnicosaula3
Aula3 generoseformatosradiofnicosaula3Aula3 generoseformatosradiofnicosaula3
Aula3 generoseformatosradiofnicosaula3
 
Radio plano de_aula
Radio plano de_aulaRadio plano de_aula
Radio plano de_aula
 
Rádio em Portugal: tendências e grupos de comunicação na actualidade
Rádio em Portugal: tendências e grupos de comunicação na actualidadeRádio em Portugal: tendências e grupos de comunicação na actualidade
Rádio em Portugal: tendências e grupos de comunicação na actualidade
 
90 anos do rádio
90 anos do rádio90 anos do rádio
90 anos do rádio
 
A Voz dos Ridículos
A Voz dos RidículosA Voz dos Ridículos
A Voz dos Ridículos
 
Aula 15
Aula 15Aula 15
Aula 15
 
Uso de rádio em aula
Uso de rádio em aulaUso de rádio em aula
Uso de rádio em aula
 
Rádio Clube Português em 1963
Rádio Clube Português em 1963Rádio Clube Português em 1963
Rádio Clube Português em 1963
 
PEC Bruna Merini e Matheus Gritten
PEC Bruna Merini e Matheus GrittenPEC Bruna Merini e Matheus Gritten
PEC Bruna Merini e Matheus Gritten
 

Semelhante a Convergencia de midia Radio

Aula 09 4 rpan_2010_2
Aula 09 4 rpan_2010_2Aula 09 4 rpan_2010_2
Aula 09 4 rpan_2010_2
Ney Queiroz
 
Aula 09 4 ppan_2010_2
Aula 09 4 ppan_2010_2Aula 09 4 ppan_2010_2
Aula 09 4 ppan_2010_2
Ney Queiroz
 
Cross midia (pesquisa)
Cross midia (pesquisa)Cross midia (pesquisa)
Cross midia (pesquisa)
Marco Mourao
 
BANDNEWS FM – JORNALISMO
BANDNEWS FM – JORNALISMOBANDNEWS FM – JORNALISMO
BANDNEWS FM – JORNALISMO
Willian Marques
 
Aula 10 4 Ppan 2010 1
Aula 10 4 Ppan 2010 1Aula 10 4 Ppan 2010 1
Aula 10 4 Ppan 2010 1
Ney Queiroz
 
40c31f36d4d023b0726c48094dd32b21
40c31f36d4d023b0726c48094dd32b2140c31f36d4d023b0726c48094dd32b21
40c31f36d4d023b0726c48094dd32b21
Pablo Oliveira
 
Aula 09 4 P P A N 2009 2
Aula 09 4 P P A N 2009 2Aula 09 4 P P A N 2009 2
Aula 09 4 P P A N 2009 2
Ney Queiroz
 
Rádio trabalho filo br
Rádio trabalho filo brRádio trabalho filo br
Rádio trabalho filo br
eTirloni
 
Aula 09 4 P P A D 2009 2
Aula 09 4 P P A D 2009 2Aula 09 4 P P A D 2009 2
Aula 09 4 P P A D 2009 2
Ney Queiroz
 

Semelhante a Convergencia de midia Radio (20)

Aula 09 4 rpan_2010_2
Aula 09 4 rpan_2010_2Aula 09 4 rpan_2010_2
Aula 09 4 rpan_2010_2
 
Aula 09 4 ppan_2010_2
Aula 09 4 ppan_2010_2Aula 09 4 ppan_2010_2
Aula 09 4 ppan_2010_2
 
OS ELEMENTOS SONOROS E SEUS SIGNIFICADOS NA CONSTRUÇÃO E TRANSMISSÃO DAS REPO...
OS ELEMENTOS SONOROS E SEUS SIGNIFICADOS NA CONSTRUÇÃO E TRANSMISSÃO DAS REPO...OS ELEMENTOS SONOROS E SEUS SIGNIFICADOS NA CONSTRUÇÃO E TRANSMISSÃO DAS REPO...
OS ELEMENTOS SONOROS E SEUS SIGNIFICADOS NA CONSTRUÇÃO E TRANSMISSÃO DAS REPO...
 
Ab cdo radio
Ab cdo radioAb cdo radio
Ab cdo radio
 
Cross midia (pesquisa)
Cross midia (pesquisa)Cross midia (pesquisa)
Cross midia (pesquisa)
 
BANDNEWS FM – JORNALISMO
BANDNEWS FM – JORNALISMOBANDNEWS FM – JORNALISMO
BANDNEWS FM – JORNALISMO
 
Aula 10 4 Ppan 2010 1
Aula 10 4 Ppan 2010 1Aula 10 4 Ppan 2010 1
Aula 10 4 Ppan 2010 1
 
40c31f36d4d023b0726c48094dd32b21
40c31f36d4d023b0726c48094dd32b2140c31f36d4d023b0726c48094dd32b21
40c31f36d4d023b0726c48094dd32b21
 
Aula 09 4 P P A N 2009 2
Aula 09 4 P P A N 2009 2Aula 09 4 P P A N 2009 2
Aula 09 4 P P A N 2009 2
 
Os mass media
Os mass mediaOs mass media
Os mass media
 
Os mass media
Os mass mediaOs mass media
Os mass media
 
Radio plano de_aula
Radio plano de_aulaRadio plano de_aula
Radio plano de_aula
 
Dicas comunicadores1
Dicas comunicadores1Dicas comunicadores1
Dicas comunicadores1
 
O rádio como prática educomunicativa 01
O rádio como prática educomunicativa  01O rádio como prática educomunicativa  01
O rádio como prática educomunicativa 01
 
O rádio como prática educomunicativa 01
O rádio como prática educomunicativa  01O rádio como prática educomunicativa  01
O rádio como prática educomunicativa 01
 
Rádio trabalho filo br
Rádio trabalho filo brRádio trabalho filo br
Rádio trabalho filo br
 
Rádio bla bla bla
Rádio bla bla blaRádio bla bla bla
Rádio bla bla bla
 
Aula 09 4 P P A D 2009 2
Aula 09 4 P P A D 2009 2Aula 09 4 P P A D 2009 2
Aula 09 4 P P A D 2009 2
 
Radio educativa
Radio educativaRadio educativa
Radio educativa
 
Mídias e meios de comunicação rádio
Mídias e meios de comunicação   rádioMídias e meios de comunicação   rádio
Mídias e meios de comunicação rádio
 

Convergencia de midia Radio

  • 1. Grupo: Ricardo Pasqualotto, Lucas Nogare, Erick Silveira, Pedro Barcelos, Fabio Lutz.
  • 2. O princípio da propagação radiofônica veio mesmo em 1887, através de Hertz. Ele fez saltar faíscas através do ar que separavam duas bolas de cobre. Por causa disso os antigos "quilo ciclos" passaram a ser chamados de "ondas hertzianas" ou "quilohertz“ A partir de 1919 começa a chamada "Era do rádio" A primeira transmissão radiofônica oficial no Brasil, foi o discurso do Presidente Epitácio Pessoa, no Rio de Janeiro, em plena comemoração do centenário da Independência do Brasil, no dia 7 de setembro de 1922. O discurso aconteceu numa exposição, na Praia Vermelha - Rio de Janeiro e o transmissor foi instalado no alto do Corcovado, pela Westinghouse Electric Co.
  • 3. A chegada do rádio comercial não demorou. Logo as emissoras reivindicaram o direito de conseguir sobreviver com seus próprios recursos. A pioneira no rádio comercial foi a WEAF de Nova Iorque, pertencente à Telephone and Telegraf Co.. Ela irradiava anúncios e cobrava dois dólares por 12 segundos de comercial e cem dólares por 10 minutos.
  • 4. A técnologia tem evoluído de forma rápida, e com isso temos vivenciado interligações e convergências de mídias mostrando-se capazes de interagirem umas com as outras. Isso, por mais complexo que pareça, já é natural na cultura atual da sociedade. Mas ao mesmo tempo que amplia o campo de atuação de cada meio, também dificulta a criação de peças para atingir o público, pois não devemos pensar somente nos aspectos físicos de cada meio, e sim a maneira em que ele é usado e em quais sentidos do ser humano ele é melhor recebido e trabalhado.
  • 5. Interatividade.  Locutores.  Grade de Programação  Sonoplastia.  Informação instantânea.  Portabilidade.
  • 6. No celular, no carro, no ônibus, em casa. Hoje em dia temos muitos meios e situações que é comum utilizar o rádio. Hoje com o consumismo em alta, todas as classes tem acesso aos aparelhos tecnológicos que como uma das funções mais básicas, oferece acesso ao rádio. Isso amplia muito o público alvo que o meio atinge, mas graças à integração possibilita que o rádio vá além do atingir o público pela audição. Por exemplo, a Rádio Jovem Pan (FM97.5) oferece prêmios para quem ouvir uma música em específico, anotar o horário em que ela tocou, e entrando no site da rádio elas se cadastram, colocam as informações do horário da música e já estão participando da promoção. Esse é um simples exemplo de interatividade que o rádio, hoje, consegue demonstrar.
  • 7. A proliferação das rádios FMs e AMs por todo o Brasil a partir da década de 90 e as rádios comunitarias que surgiram a partir da década de 2000, quando da necessidade de se fazerem os programas, apareceram diversas pessoas não preparadas, o que acabou banalizando a profissão. Um bom locutor de rádio vai muito além de ser um simples falante, ele deve ser um comunicador, alguém com uma responsabilidade que chega a falar para centenas, milhares ou milhões de pessoas ao mesmo tempo.  Dicção: A dicção é fundamental a todo locutor de Rádio. Um locutor deve ter sua dicção em 100 % para se tornar compreensível. Uma fonoaudióloga fonoaudiologia pode lhe ajudar a ter uma dicção melhor.  Respiração: A respiração indicada para os locutores de rádio em geral é a respiração diafragmática. Para ter uma boa respiração depende de muito treino e técnica.  Ênfase: A ênfase bem feito está relacionado com a respiração e significa uma pausa dentro da sua fala. Para dar ênfase, basta apenas que você faça uma pausa em sua fala.  Interpretação: Quando você interpreta um texto dentro do rádio, você deve levar em consideração diversos fatores como o ritmo, as músicas, plástica da rádio, estilo do programa, sua voz e o objetivo do texto ou programa que você está fazendo. A interpretação de um texto gravado por exemplo é diferente de um comercial ao vivo, que por sua vez é diferente da interepretação de um programa romântico. A quantidade de pausas de respiração que você faz dentro de um texto (ênfase), determina se este texto será rápido ou lento.
  • 8. A grade de programação serve para delimitar os programas de forma linear. Separa programas distintos com gêneros e conteúdos claramente diferenciados. O fechamento dos programas, que tem começo, meio e fim, destina-se a agendar determinada audiência para um compromisso com dia e hora marcado. A grade é marcada em função de um tempo social, e seu impacto sobre a organização da vida dos diversos grupos humanos. Os ouvintes se habituam à programação, naturalizando a escuta na hora e dia programado ao longo de anos, muitas vezes. Estabelecendo-se aí uma construção mútua de identidade entre os programas e as audiências.
  • 9. Com o advento do rádio teatro, houve a necessidade de se introduzir o chamado “som ambiente”, o que facilitava ao ouvinte imaginar todo um cenário. De início eram apenas alguns instrumentos de percussão, ou então ruídos reproduzidos através de fonógrafos, porém com o passar do tempo, verificou-se que os ruídos obtidos a partir de reproduções „naturais”, não soavam tão bem quando reproduzidos pelos alto falantes. A solução encontrada, foi criar dispositivos que captados pelo microfone correspondessem a algo mais próximo da realidade. A partir da década de 1930, os estúdios passaram a contar com equipamentos capazes de produzir uma imensidade de sons e que eram muito semelhantes com aqueles das demais estações de rádio. Iremos, nos próximos dias, mostrar como eram os equipamentos de sonoplastia. O primeiro deles, bastante simples, aliás, como todos os demais, destinava-se a reproduzir o som equivalente a um batalhão em marcha, e era composto por uma série de blocos de madeira , sacudidos sobre um fundo de madeira compensada.
  • 10. Mesmo com o avanço tecnológico e com a popularidade da internet, televisao e jornais impressos, o rádio não perde seu espaço na mídia. Cada um desses meios tem sua linguagem própria e seu público fiél. A rádio, por sua vez, conta com um único recurso: o som, a voz do locutor, microfone e ouvinte.Não há mais nada entre eles. Sendo assim a informação tem que ser objetiva, clara e descritiva, não adianta enrolar, não tem como o ouvinte voltar , a informação é instantânea
  • 11. Nos primórdios do rádio, a portabilidade era algo com que todos sonhavam. Um dos empecilhos eram as grandes e pesadas baterias, que deveriam ser recarregadas ou substituídas com freqüência.
  • 12. Um programa de rádio transmitido pela Jovem Pan FM desde 1993. A principal característica sempre foi o tom humorístico onde eram levados convidados e ouvintes. Tem a audiência estimada em dezessete milhões de ouvintes, o programa é transmitido de segunda a sexta-feira, das 12h às 14h. Devido ao seu grande sucesso em 2003 começou a ser produzido e exibido pela Rede TV onde foi a primeira versão televisionada do programa.
  • 13. Inicialmente foi voltado ao público adolescente e veiculado somente na emissora de rádio. Os ouvintes participavam para solicitar prêmios e eram xingados pelos apresentadores, que rendeu audiência, os produtores começaram a moficar seu formato e 10 anos depois apresenta-lo em um modo televisivo. Com estréia em setembro de 2003, na Rede TV, não demorou até que o público da radio migrasse para a televisão.