SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
Baixar para ler offline
A HISTÓRIA DO RÁDIO NO BRASIL
TIPOS DE RÁDIO
São várias as categorizações dos gêneros no rádio.
Para fins práticos de produção de programas, é mais eficiente caracterizarmos
os gêneros radiofônicos de acordo com os seus objetivos, apresentando a
seguinte conformação:
Gênero musical / Gênero de variedades / Gênero popular / Gênero
informativo/ Gênero esportivo / Gênero humorístico.
Musical
Quando a maior parte do tempo do programa é dedicado a reprodução de
músicas. São os mais fáceis de serem produzidos e o trabalho do locutor
resume-se em anunciar as músicas e trazer uma ou outra informação.
Este texto foi extraído da apostila Webrádio: Técnicas de produção, montagem e edição, de Rafael Garcia
Variedades
Durante muito tempo este gênero foi conhecido como Rádio-Revista e tem
como característica a mistura em um único programa dos vários gêneros
existentes, baseando-se principalmente no tripé música-informação-
entretenimento. Durante as décadas de 1940 e 1950 eram apresentadas,
neste tipo de programa, as famosas radionovelas (que serviram de base
para as telenovelas de hoje). Também é comum que o Programa de
variedades privilegie o setor de prestação de serviços. Normalmente,
deve ser desenvolvido por uma equipe de produção, dividida em núcleos,
de acordo com os assuntos/quadros do programa.
O papel do locutor é o de garantir a descontração da transmissão. Neste
gênero de programa o foco central é a mistura de assuntos.
Popular
O gênero popular também é um dos mais difundidos, visto que é responsável pela
maior parte da audiência nas emissoras. Este programa está centrado na figura do
apresentador, também chamado de comunicador popular. Ele deve ter um perfil
bastante específico: uma pessoa descontraída, com muito carisma, perspicácia e
emotividade.
Em termos de produção, sua programação divide-se entre música, muita prestação
de serviço de caráter básico, gincanas e notícias sobre artistas e personalidades,
tudo com a participação direta e permanente do apresentador. Assemelha-se, em
grande medida, com o gênero de variedades.
Os Trapalhões
Informativo
Responsável principal pela credibilidade de uma emissora, o gênero informativo
tem como base os programas que se encarregam de difundir notícias,
informação e prestação de serviços. Normalmente, são apresentados em
formato de radiojornal ou de boletins. No primeiro caso, é necessária uma
equipe de jornalismo para produção de todo o material a ser apresentado.
O ponto mais importante de um radiojornal são as entrevistas. Por conta disso,
é bom que este programa seja apresentado ao vivo, e que as entrevistas
também sejam realizadas ao vivo. A credibilidade de um bom radiojornal
depende basicamente da boa escolha das notícias que serão apresentadas ao
público e da fidelidade e qualidade com que são difundidas.
Esportivo
Aceito somente nos últimos anos como gênero, os programas
esportivos vêm cativando público cada vez maior.
É o que mais se desenvolveu nas últimas décadas, com uma rica
produção de vinhetas e efeitos especiais durante suas
transmissões, aliadas a constantes entrevistas e coberturas ao
vivo.
Humorístico
Muito difundido nas décadas de 1940 e 1950, o gênero humorístico
praticamente desapareceu do rádio brasileiro na década de 1960. Naquela
época, tal tipo de programa era caracterizado por uma sequencia
permanente de piadas e brincadeiras, tendo a família como público-alvo. A
mudança de muitos humoristas para a televisão e a transformação de perfil
do público de rádio a partir da década de 1980, fez com que esses programas
fossem rareando.
Atualmente, percebe-se uma reintrodução de programas humorísticos no
rádio, de forma completamente diferente do que era antes: agora os
programas são veiculados em rádios FM's, voltados prioritariamente para o
público jovem e, ao contrário de entreter, buscam sempre o escracho, o
humor apelativo.
PRODUÇÃO
A arte de fazer rádio implica leis e regras específicas que compreendem
linguagens, técnicas e procedimentos que o profissional do rádio deverá levar em
conta e dominar de forma adequada. No entanto, antes de procedermos à etapa de
produção de notícias faz-se necessária a explicação de alguns termos que aqui
serão utilizados. São expressões comuns ao universo da construção noticiosa, em
particular ao universo do rádio, em geral.
BG (background): música, vozes ou ruído em fundo
Script: roteiro para gravação.
Deixa: palavras finais da matéria que indicam ao locutor e ao operador de som o
momento em que outro trecho da informação deve ir ao ar.
Vinheta: chamada de curta duração, usada para destacar o intervalo e o reinício
Produção da notícia
A produção da notícia implica atividades e ações que vão do percurso assim
descrito: pauta - texto - locução
Pauta
É um roteiro com perguntas básicas, por meio do qual o repórter orientará sua
entrevista. Faz parte da pauta um resumo dos acontecimentos, a respeito do
entrevistado e do que o ouvinte espera da matéria (enfoque).
Modelo de pauta
Tema:
Sinopse ( resumo do assunto)
Encaminhamento (objetivo da matéria)
Fontes (pessoas que serão contatadas para a matéria)
Sugestão de perguntas:
MODELO DE ROTEIRO PROGRAMA JORNALÍSTICO:
1- Vinheta de abertura (gravado)
2- Abertura feita pelos locutores.
3- Giro de manchetes (notícias mais importantes do dia)
4- Vinheta de virada (efeito de passagem-gravada)
5- Primeiro Bloco.
6- Vinheta de passagem
7- Segundo Bloco
8- Encerramento do jornal pelos locutores
9- Ficha Técnica (quem participou da elaboração do programa)
10- Vinheta de encerramento (gravado).
MODELO DE ROTEIRO PROGRAMA DE VARIEDADES:
1- Vinheta de abertura (gravado)
2- Abertura feita pelos locutores.
3- Música
4- Piada ou curiosidade
5- Vinheta de passagem (gravada)
6- Primeiro Bloco: Tema/Conversa/Ouvintes
7- Vinheta + Música
8- Quiz com ouvintes (perguntas entre dois concorrentes)
9-Música
10-Encerramento do jornal pelos locutores
11-Vinheta Final
MODELO DE ROTEIRO MESA REDONDA DE ESPORTES:
1- Vinheta de abertura (gravado)
2- Abertura feita pelos locutores.
3- Mesa redonda, apresentação dos participantes.
4- Vinheta do tema da semana (gravado)
5- Lance polêmico (opinião dos ouvintes)
6- Comentários dos participantes
7- Vinheta final+ Despedida
PLANO DE AULA:
IMPLEMENTAÇÃO DAS DIRETRIZES MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO
NOVAS TECNOLOGIAS: EDIÇÃO DE IMAGENS
EDIÇÃO DE SOM E EFEITOS ESPECIAIS
CRIAÇÃO DE RÁDIO ESCOLA
Objeto de Estudo:
-Representação/Forma e Som.
Critérios:
-Conhecer a história do Rádio no Brasil.
-Entender a técnica de edição de imagens.
-Utilizar os softwares de som e vídeo para enriquecer seu cotidiano.
-Utilizar técnicas de edição de som e imagem.
-Estimular a criatividade.
-Construir o conhecimento a partir da interação tecnológica.
-Registrar as atividades propostas em relação às produções desenvolvidas na formação.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Laboratório de Comunicação Popular - Aula 6
Laboratório de Comunicação Popular - Aula 6Laboratório de Comunicação Popular - Aula 6
Laboratório de Comunicação Popular - Aula 6Diedro Barros
 
Técnicas de redacção radiofónica
Técnicas de redacção radiofónicaTécnicas de redacção radiofónica
Técnicas de redacção radiofónicatchingandu
 
Gênero textual Entrevista - 6º ano
Gênero textual Entrevista - 6º anoGênero textual Entrevista - 6º ano
Gênero textual Entrevista - 6º anoClarice Lima
 
5.1.2.3. apresentação final entrevista
5.1.2.3. apresentação final   entrevista5.1.2.3. apresentação final   entrevista
5.1.2.3. apresentação final entrevistaMarianaRCV
 
O gênero textual entrevista
O gênero textual   entrevistaO gênero textual   entrevista
O gênero textual entrevistaRenally Arruda
 
Aula 3 o texto do rádio
Aula 3   o texto do rádioAula 3   o texto do rádio
Aula 3 o texto do rádioRenataAmoras
 
Apresentação Radio Texto
Apresentação Radio TextoApresentação Radio Texto
Apresentação Radio TextoRicardo Ferrao
 
A entrevista é um texto muito utilizado na comunicação social que serve para ...
A entrevista é um texto muito utilizado na comunicação social que serve para ...A entrevista é um texto muito utilizado na comunicação social que serve para ...
A entrevista é um texto muito utilizado na comunicação social que serve para ...Manuela Neto
 

Mais procurados (12)

O texto em rádio
O texto em rádioO texto em rádio
O texto em rádio
 
Radio
RadioRadio
Radio
 
Laboratório de Comunicação Popular - Aula 6
Laboratório de Comunicação Popular - Aula 6Laboratório de Comunicação Popular - Aula 6
Laboratório de Comunicação Popular - Aula 6
 
Técnicas de redacção radiofónica
Técnicas de redacção radiofónicaTécnicas de redacção radiofónica
Técnicas de redacção radiofónica
 
Gênero textual Entrevista - 6º ano
Gênero textual Entrevista - 6º anoGênero textual Entrevista - 6º ano
Gênero textual Entrevista - 6º ano
 
Porque Ter Programas De RáDio
Porque Ter Programas De RáDioPorque Ter Programas De RáDio
Porque Ter Programas De RáDio
 
5.1.2.3. apresentação final entrevista
5.1.2.3. apresentação final   entrevista5.1.2.3. apresentação final   entrevista
5.1.2.3. apresentação final entrevista
 
AULA 4 - ENTREVISTA
AULA 4 - ENTREVISTAAULA 4 - ENTREVISTA
AULA 4 - ENTREVISTA
 
O gênero textual entrevista
O gênero textual   entrevistaO gênero textual   entrevista
O gênero textual entrevista
 
Aula 3 o texto do rádio
Aula 3   o texto do rádioAula 3   o texto do rádio
Aula 3 o texto do rádio
 
Apresentação Radio Texto
Apresentação Radio TextoApresentação Radio Texto
Apresentação Radio Texto
 
A entrevista é um texto muito utilizado na comunicação social que serve para ...
A entrevista é um texto muito utilizado na comunicação social que serve para ...A entrevista é um texto muito utilizado na comunicação social que serve para ...
A entrevista é um texto muito utilizado na comunicação social que serve para ...
 

Destaque

Destaque (20)

Script rádio comunitaria
Script rádio comunitariaScript rádio comunitaria
Script rádio comunitaria
 
Modelo de Roteiro
Modelo de RoteiroModelo de Roteiro
Modelo de Roteiro
 
Roteiro com textos
Roteiro com textosRoteiro com textos
Roteiro com textos
 
Rádio da escola
Rádio da escolaRádio da escola
Rádio da escola
 
Tecnologia educacional: O rádio
Tecnologia educacional: O rádioTecnologia educacional: O rádio
Tecnologia educacional: O rádio
 
Curso Nas Ondas do Radio - Rádio - Encontro 3 Part 1
Curso Nas Ondas do Radio - Rádio - Encontro 3 Part 1Curso Nas Ondas do Radio - Rádio - Encontro 3 Part 1
Curso Nas Ondas do Radio - Rádio - Encontro 3 Part 1
 
Semantic Parsing to Linked Data
Semantic Parsing to Linked DataSemantic Parsing to Linked Data
Semantic Parsing to Linked Data
 
Script tv modelo_agenciade_noticias
Script tv modelo_agenciade_noticiasScript tv modelo_agenciade_noticias
Script tv modelo_agenciade_noticias
 
Roteiro Para TV
Roteiro Para TVRoteiro Para TV
Roteiro Para TV
 
Rádio ontem e hoje
Rádio ontem e hojeRádio ontem e hoje
Rádio ontem e hoje
 
Rádio escola
Rádio escolaRádio escola
Rádio escola
 
Rádio na Escola
Rádio na EscolaRádio na Escola
Rádio na Escola
 
História do Rádio
História do RádioHistória do Rádio
História do Rádio
 
Modelo de ficha de planejamento
Modelo de ficha de planejamentoModelo de ficha de planejamento
Modelo de ficha de planejamento
 
Vídeoaula técnica
Vídeoaula técnicaVídeoaula técnica
Vídeoaula técnica
 
Redação para rádio
Redação para rádio Redação para rádio
Redação para rádio
 
Roteiro de spot
Roteiro de spotRoteiro de spot
Roteiro de spot
 
Projeto Rádio Escolar
Projeto Rádio EscolarProjeto Rádio Escolar
Projeto Rádio Escolar
 
Produção de Spots Radio
Produção de Spots RadioProdução de Spots Radio
Produção de Spots Radio
 
Aula 3 PAUTA
Aula 3   PAUTAAula 3   PAUTA
Aula 3 PAUTA
 

Semelhante a História e gêneros do rádio brasileiro

Aula3 generoseformatosradiofnicosaula3
Aula3 generoseformatosradiofnicosaula3Aula3 generoseformatosradiofnicosaula3
Aula3 generoseformatosradiofnicosaula3Anselmo Brandi
 
Radio propaganda 2010ppt
Radio propaganda 2010pptRadio propaganda 2010ppt
Radio propaganda 2010ppthendsonsantana
 
Pesquisa Cross-media RFM
Pesquisa Cross-media RFMPesquisa Cross-media RFM
Pesquisa Cross-media RFMBCindia
 
Formatos radiofonicos
Formatos radiofonicosFormatos radiofonicos
Formatos radiofonicosJúlio Rocha
 
Mídia Kit - 89 FM - Agência Sakusen
Mídia Kit - 89 FM - Agência SakusenMídia Kit - 89 FM - Agência Sakusen
Mídia Kit - 89 FM - Agência SakusenAgência Sakusen
 
Midia kit finalizado.compressed
Midia kit finalizado.compressedMidia kit finalizado.compressed
Midia kit finalizado.compressedKassem Azanki
 
Fedelização – JORNALISMO
Fedelização – JORNALISMOFedelização – JORNALISMO
Fedelização – JORNALISMOWillian Marques
 
Abud - História do rádio
Abud - História do rádioAbud - História do rádio
Abud - História do rádiotalitacampione
 
Conheça o Projeto Som na Praça da TV Serra
Conheça o Projeto Som na Praça da TV SerraConheça o Projeto Som na Praça da TV Serra
Conheça o Projeto Som na Praça da TV SerraClaudio Pinho
 
Aula 09 4 rpan_2010_2
Aula 09 4 rpan_2010_2Aula 09 4 rpan_2010_2
Aula 09 4 rpan_2010_2Ney Queiroz
 
Aula 09 4 ppan_2010_2
Aula 09 4 ppan_2010_2Aula 09 4 ppan_2010_2
Aula 09 4 ppan_2010_2Ney Queiroz
 

Semelhante a História e gêneros do rádio brasileiro (20)

Radio JK
Radio JKRadio JK
Radio JK
 
Aula3 generoseformatosradiofnicosaula3
Aula3 generoseformatosradiofnicosaula3Aula3 generoseformatosradiofnicosaula3
Aula3 generoseformatosradiofnicosaula3
 
Radio propaganda 2010ppt
Radio propaganda 2010pptRadio propaganda 2010ppt
Radio propaganda 2010ppt
 
Convergencia de midia Radio
Convergencia de midia    RadioConvergencia de midia    Radio
Convergencia de midia Radio
 
Uso de rádio em aula
Uso de rádio em aulaUso de rádio em aula
Uso de rádio em aula
 
Pesquisa Cross-media RFM
Pesquisa Cross-media RFMPesquisa Cross-media RFM
Pesquisa Cross-media RFM
 
Formatos radiofonicos
Formatos radiofonicosFormatos radiofonicos
Formatos radiofonicos
 
Mídia Kit - 89 FM - Agência Sakusen
Mídia Kit - 89 FM - Agência SakusenMídia Kit - 89 FM - Agência Sakusen
Mídia Kit - 89 FM - Agência Sakusen
 
Midia kit finalizado.compressed
Midia kit finalizado.compressedMidia kit finalizado.compressed
Midia kit finalizado.compressed
 
Fedelização – JORNALISMO
Fedelização – JORNALISMOFedelização – JORNALISMO
Fedelização – JORNALISMO
 
Abud - História do rádio
Abud - História do rádioAbud - História do rádio
Abud - História do rádio
 
Conheça o Projeto Som na Praça da TV Serra
Conheça o Projeto Som na Praça da TV SerraConheça o Projeto Som na Praça da TV Serra
Conheça o Projeto Som na Praça da TV Serra
 
Aula I
Aula IAula I
Aula I
 
Produçao da radio
Produçao da radioProduçao da radio
Produçao da radio
 
Aula 09 4 rpan_2010_2
Aula 09 4 rpan_2010_2Aula 09 4 rpan_2010_2
Aula 09 4 rpan_2010_2
 
Aula 09 4 ppan_2010_2
Aula 09 4 ppan_2010_2Aula 09 4 ppan_2010_2
Aula 09 4 ppan_2010_2
 
Sonsda nova filipecatto
Sonsda nova filipecattoSonsda nova filipecatto
Sonsda nova filipecatto
 
Novabrasil
NovabrasilNovabrasil
Novabrasil
 
Meus prêmios nick 2015
Meus prêmios nick 2015Meus prêmios nick 2015
Meus prêmios nick 2015
 
Aula 15
Aula 15Aula 15
Aula 15
 

Mais de Lismara de Oliveira (19)

Escolinha do mar
Escolinha do marEscolinha do mar
Escolinha do mar
 
Livro a casa sonolenta - ed infantil
Livro   a casa sonolenta - ed infantilLivro   a casa sonolenta - ed infantil
Livro a casa sonolenta - ed infantil
 
Musicalização - Formação para RMDs - dia 24/04/2014
Musicalização - Formação para RMDs - dia 24/04/2014Musicalização - Formação para RMDs - dia 24/04/2014
Musicalização - Formação para RMDs - dia 24/04/2014
 
Formacao Anos Finais Abril 2014
Formacao Anos Finais Abril 2014Formacao Anos Finais Abril 2014
Formacao Anos Finais Abril 2014
 
Planejamento único
Planejamento únicoPlanejamento único
Planejamento único
 
Cores - Formação para RMDs dia 20/03/2014
Cores - Formação para RMDs dia 20/03/2014Cores - Formação para RMDs dia 20/03/2014
Cores - Formação para RMDs dia 20/03/2014
 
Formação de Arte dos Anos Finais - Jogos Teatrais
Formação de Arte dos Anos Finais - Jogos TeatraisFormação de Arte dos Anos Finais - Jogos Teatrais
Formação de Arte dos Anos Finais - Jogos Teatrais
 
Teatro - Formação de Arte para RMD's - 18/09/2013
Teatro - Formação de Arte para RMD's - 18/09/2013 Teatro - Formação de Arte para RMD's - 18/09/2013
Teatro - Formação de Arte para RMD's - 18/09/2013
 
Dança - Anos Finais
Dança - Anos FinaisDança - Anos Finais
Dança - Anos Finais
 
Danca anos finais2
Danca anos finais2Danca anos finais2
Danca anos finais2
 
Teatro do Oprimido
Teatro do OprimidoTeatro do Oprimido
Teatro do Oprimido
 
Educação musical
Educação musicalEducação musical
Educação musical
 
Commedia Dell'Arte
Commedia Dell'ArteCommedia Dell'Arte
Commedia Dell'Arte
 
Ritmo movimento plano_de_aula2
Ritmo movimento plano_de_aula2Ritmo movimento plano_de_aula2
Ritmo movimento plano_de_aula2
 
Radio plano de_aula
Radio plano de_aulaRadio plano de_aula
Radio plano de_aula
 
Teoria editado2
Teoria editado2Teoria editado2
Teoria editado2
 
Slide autorretrato
Slide autorretratoSlide autorretrato
Slide autorretrato
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
 
A figura humana na arte
A figura humana na arteA figura humana na arte
A figura humana na arte
 

História e gêneros do rádio brasileiro

  • 1.
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5. A HISTÓRIA DO RÁDIO NO BRASIL
  • 6. TIPOS DE RÁDIO São várias as categorizações dos gêneros no rádio. Para fins práticos de produção de programas, é mais eficiente caracterizarmos os gêneros radiofônicos de acordo com os seus objetivos, apresentando a seguinte conformação: Gênero musical / Gênero de variedades / Gênero popular / Gênero informativo/ Gênero esportivo / Gênero humorístico. Musical Quando a maior parte do tempo do programa é dedicado a reprodução de músicas. São os mais fáceis de serem produzidos e o trabalho do locutor resume-se em anunciar as músicas e trazer uma ou outra informação. Este texto foi extraído da apostila Webrádio: Técnicas de produção, montagem e edição, de Rafael Garcia
  • 7. Variedades Durante muito tempo este gênero foi conhecido como Rádio-Revista e tem como característica a mistura em um único programa dos vários gêneros existentes, baseando-se principalmente no tripé música-informação- entretenimento. Durante as décadas de 1940 e 1950 eram apresentadas, neste tipo de programa, as famosas radionovelas (que serviram de base para as telenovelas de hoje). Também é comum que o Programa de variedades privilegie o setor de prestação de serviços. Normalmente, deve ser desenvolvido por uma equipe de produção, dividida em núcleos, de acordo com os assuntos/quadros do programa. O papel do locutor é o de garantir a descontração da transmissão. Neste gênero de programa o foco central é a mistura de assuntos.
  • 8. Popular O gênero popular também é um dos mais difundidos, visto que é responsável pela maior parte da audiência nas emissoras. Este programa está centrado na figura do apresentador, também chamado de comunicador popular. Ele deve ter um perfil bastante específico: uma pessoa descontraída, com muito carisma, perspicácia e emotividade. Em termos de produção, sua programação divide-se entre música, muita prestação de serviço de caráter básico, gincanas e notícias sobre artistas e personalidades, tudo com a participação direta e permanente do apresentador. Assemelha-se, em grande medida, com o gênero de variedades. Os Trapalhões
  • 9. Informativo Responsável principal pela credibilidade de uma emissora, o gênero informativo tem como base os programas que se encarregam de difundir notícias, informação e prestação de serviços. Normalmente, são apresentados em formato de radiojornal ou de boletins. No primeiro caso, é necessária uma equipe de jornalismo para produção de todo o material a ser apresentado. O ponto mais importante de um radiojornal são as entrevistas. Por conta disso, é bom que este programa seja apresentado ao vivo, e que as entrevistas também sejam realizadas ao vivo. A credibilidade de um bom radiojornal depende basicamente da boa escolha das notícias que serão apresentadas ao público e da fidelidade e qualidade com que são difundidas.
  • 10. Esportivo Aceito somente nos últimos anos como gênero, os programas esportivos vêm cativando público cada vez maior. É o que mais se desenvolveu nas últimas décadas, com uma rica produção de vinhetas e efeitos especiais durante suas transmissões, aliadas a constantes entrevistas e coberturas ao vivo.
  • 11. Humorístico Muito difundido nas décadas de 1940 e 1950, o gênero humorístico praticamente desapareceu do rádio brasileiro na década de 1960. Naquela época, tal tipo de programa era caracterizado por uma sequencia permanente de piadas e brincadeiras, tendo a família como público-alvo. A mudança de muitos humoristas para a televisão e a transformação de perfil do público de rádio a partir da década de 1980, fez com que esses programas fossem rareando. Atualmente, percebe-se uma reintrodução de programas humorísticos no rádio, de forma completamente diferente do que era antes: agora os programas são veiculados em rádios FM's, voltados prioritariamente para o público jovem e, ao contrário de entreter, buscam sempre o escracho, o humor apelativo.
  • 12. PRODUÇÃO A arte de fazer rádio implica leis e regras específicas que compreendem linguagens, técnicas e procedimentos que o profissional do rádio deverá levar em conta e dominar de forma adequada. No entanto, antes de procedermos à etapa de produção de notícias faz-se necessária a explicação de alguns termos que aqui serão utilizados. São expressões comuns ao universo da construção noticiosa, em particular ao universo do rádio, em geral. BG (background): música, vozes ou ruído em fundo Script: roteiro para gravação. Deixa: palavras finais da matéria que indicam ao locutor e ao operador de som o momento em que outro trecho da informação deve ir ao ar. Vinheta: chamada de curta duração, usada para destacar o intervalo e o reinício
  • 13. Produção da notícia A produção da notícia implica atividades e ações que vão do percurso assim descrito: pauta - texto - locução Pauta É um roteiro com perguntas básicas, por meio do qual o repórter orientará sua entrevista. Faz parte da pauta um resumo dos acontecimentos, a respeito do entrevistado e do que o ouvinte espera da matéria (enfoque). Modelo de pauta Tema: Sinopse ( resumo do assunto) Encaminhamento (objetivo da matéria) Fontes (pessoas que serão contatadas para a matéria) Sugestão de perguntas:
  • 14. MODELO DE ROTEIRO PROGRAMA JORNALÍSTICO: 1- Vinheta de abertura (gravado) 2- Abertura feita pelos locutores. 3- Giro de manchetes (notícias mais importantes do dia) 4- Vinheta de virada (efeito de passagem-gravada) 5- Primeiro Bloco. 6- Vinheta de passagem 7- Segundo Bloco 8- Encerramento do jornal pelos locutores 9- Ficha Técnica (quem participou da elaboração do programa) 10- Vinheta de encerramento (gravado).
  • 15. MODELO DE ROTEIRO PROGRAMA DE VARIEDADES: 1- Vinheta de abertura (gravado) 2- Abertura feita pelos locutores. 3- Música 4- Piada ou curiosidade 5- Vinheta de passagem (gravada) 6- Primeiro Bloco: Tema/Conversa/Ouvintes 7- Vinheta + Música 8- Quiz com ouvintes (perguntas entre dois concorrentes) 9-Música 10-Encerramento do jornal pelos locutores 11-Vinheta Final
  • 16. MODELO DE ROTEIRO MESA REDONDA DE ESPORTES: 1- Vinheta de abertura (gravado) 2- Abertura feita pelos locutores. 3- Mesa redonda, apresentação dos participantes. 4- Vinheta do tema da semana (gravado) 5- Lance polêmico (opinião dos ouvintes) 6- Comentários dos participantes 7- Vinheta final+ Despedida
  • 17. PLANO DE AULA: IMPLEMENTAÇÃO DAS DIRETRIZES MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO NOVAS TECNOLOGIAS: EDIÇÃO DE IMAGENS EDIÇÃO DE SOM E EFEITOS ESPECIAIS CRIAÇÃO DE RÁDIO ESCOLA Objeto de Estudo: -Representação/Forma e Som. Critérios: -Conhecer a história do Rádio no Brasil. -Entender a técnica de edição de imagens. -Utilizar os softwares de som e vídeo para enriquecer seu cotidiano. -Utilizar técnicas de edição de som e imagem. -Estimular a criatividade. -Construir o conhecimento a partir da interação tecnológica. -Registrar as atividades propostas em relação às produções desenvolvidas na formação.