SlideShare uma empresa Scribd logo
CEDULAS DO BRASIL
(Padrão Real - 1833/1888)   IMPÉRIO DO BRASIL
REPÚBLICA MIL-REIS - 1888/1942
O Cruzeiro foi criado dia 5 de Outubro de 1942, mas só passou a valer como unidade monetária a partir da meia-noite do dia 31 de Outubro de 1942. Ele substituiu o padrão  Mil-Réis , que causava problemas por ter divisão milesimal. Outro objetivo dessa mudança foi unificar o meio circulante, já que na época existiam 56 tipos diferentes de cédulas, sendo 35 do tesouro nacional, 14 do Banco do Brasil e 7 da extinta Caixa de Estabilização. Foram usadas aproximadamente 8 notas do padrão  Mil-Réis , carimbadas para o novo valor.     1$000 = Cr$ 1,00
 
 
 
Cruzeiro Novo foi implantado no dia 13 de fevereiro de 1967. O  Cruzeiro , padrão monetário desde 1942, perdia três zeros e se transformava em Cruzeiro Novo. O Cruzeiro Novo foi o único padrão monetário que não teve cédulas próprias. Banco Central reaproveitou cédulas do  Cruzeiro , carimbando-as para o Cruzeiro Novo. O carimbo utilizado era formado por 2 círculos concêntricos, com o valor expresso no centro e as palavras BANCO CENTRAL e CENTAVOS ou CRUZEIROS NOVOS no espaço entre os círculos. Cr$ 1.000  = NCr$ 1,00
 
O Cruzeiro substituiu o Cruzeiro Novo em 15 de Maio de 1970, sendo que um Cruzeiro valia um Cruzeiro Novo. Durou até 27 de fevereiro de 1986.  NCr$ 1,00 = Cr$ 1,00 .
 
 
 
 
O Cruzado é proveniente do Plano Cruzado, implantado pelo governo Sarney. O Plano tinha como objetivo combater a inflação e aumentar o poder aquisitivo da população. A partir do dia 28 de Fevereiro de 1986, mil  cruzeiros  passaram a valer um cruzado.   Para implantar o Cruzado o governo aproveitou as cédulas de 10 mil, 50 mil e 100 mil  cruzeiros , carimbando-as para o novo padrão. O Carimbo era circular com as palavras "Banco Central do Brasil" e "Cruzado", com o valor no centro. Cr$ 1.000 = Cz$ 1,00
 
 
 
Cruzado Novo entrou em circulação no dia 15 de janeiro de 1989, na segunda reforma monetária do presidente José Sarney. A nova moeda substituía o  Cruzado , sendo que um Cruzado Novo valia 1000  Cruzados .  Foram aproveitadas as cédulas de mil, 5 mil e 10 mil  Cruzados , que receberam um carimbo para o novo padrão monetário. O carimbo adotado era um triangulo  com as palavras "cruzado novo" em duas linhas próximas à base do triângulo.   Cz$ 1.000,00 = NCz$ 1,00
 
 
O Cruzeiro foi reintroduzido como padrão monetário em substituição ao " Cruzado Novo ", como parte do "Plano Collor", sem ocorrer a perda de três zeros.     NCz$ 1,00 = Cr$ 1,00
 
 
 
O Cruzeiro Real foi implantado no 1 o  de Agosto de 1993, substituindo o  Cruzeiro , por excesso de zeros. Foram aproveitadas as notas de 50 mil, 100 mil e 500 mil  Cruzeiros , devidamente carimbadas para o novo padrão. Cr$ 1.000,00 = CR$ 1,00
 
 
O Real foi lançado em 01/07/1994 pelo Plano Real no governo Itamar Franco, com o objetivo de criar uma moeda forte e acabar com a inflação. Primeiramente foi estabelecido um índice paralelo para efeito de transição, a Unidade Real de Valor (URV). A Conversão de  Cruzeiros Reais  para Reais foi feita mediante a divisão do valor em Cruzeiros Reais pelo valor da URV de CR$2.750,00. CR$ 2.750,00 = R$ 1,00
 
 
RESUMO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
PERGUNTE AO SEUS PAIS OU AO SEUS AVOS O QUE PODIA SER FEITO COM     2.750.000.000.000.000$000 PARA COMPARAR EM 1940 - 1$000 = US$ 0,06 PORTANTO  R$ 1,00 = US$ 165.000.000.000.000,00

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Moeda Brasileira
Moeda BrasileiraMoeda Brasileira
Moeda Brasileira
Prof. Oliveira Andrade
 
Moedas brasileiras
Moedas brasileirasMoedas brasileiras
HistóRia Da Moeda Brasileira
HistóRia Da Moeda BrasileiraHistóRia Da Moeda Brasileira
HistóRia Da Moeda Brasileira
alex reges
 
Moeda Brasileira
Moeda BrasileiraMoeda Brasileira
Moeda Brasileira
gueste7af2e
 
história do Dinheiro no Brasil
história do Dinheiro no Brasilhistória do Dinheiro no Brasil
história do Dinheiro no Brasil
Denise Rivera
 
Dinheiro brasil
Dinheiro brasilDinheiro brasil
Dinheiro brasil
Lu Arte e História
 

Mais procurados (6)

Moeda Brasileira
Moeda BrasileiraMoeda Brasileira
Moeda Brasileira
 
Moedas brasileiras
Moedas brasileirasMoedas brasileiras
Moedas brasileiras
 
HistóRia Da Moeda Brasileira
HistóRia Da Moeda BrasileiraHistóRia Da Moeda Brasileira
HistóRia Da Moeda Brasileira
 
Moeda Brasileira
Moeda BrasileiraMoeda Brasileira
Moeda Brasileira
 
história do Dinheiro no Brasil
história do Dinheiro no Brasilhistória do Dinheiro no Brasil
história do Dinheiro no Brasil
 
Dinheiro brasil
Dinheiro brasilDinheiro brasil
Dinheiro brasil
 

Semelhante a Cédulas do Brasil

Moeda brasileira
Moeda brasileiraMoeda brasileira
Moeda brasileira
Luiz Dias
 
História do dinheiro no brasil
História do dinheiro no brasilHistória do dinheiro no brasil
História do dinheiro no brasil
Denise Rivera
 
Moeda brasileira
Moeda brasileiraMoeda brasileira
Moeda brasileira
Ivan Gondim
 
Evolucao Da Moeda Brasileira
Evolucao Da Moeda BrasileiraEvolucao Da Moeda Brasileira
Evolucao Da Moeda Brasileira
guest329fde
 
Dos réis ao real.pptx
Dos réis ao real.pptxDos réis ao real.pptx
Dos réis ao real.pptx
MarcelaAndrade82
 
Dos réis ao real.pptx
Dos réis ao real.pptxDos réis ao real.pptx
Dos réis ao real.pptx
MarcelaAndrade82
 
Slides sistema monetário
Slides sistema monetárioSlides sistema monetário
Slides sistema monetário
eucenir
 
Brasil
BrasilBrasil
Brasil
naathyb
 
Histórico de moedas brasileiras
Histórico de moedas brasileirasHistórico de moedas brasileiras
Histórico de moedas brasileiras
Mario Miranda
 
Reis
ReisReis
Slides sistema monetário
Slides sistema monetárioSlides sistema monetário
Slides sistema monetário
Lúcia Marta de Lira
 
Padrão monetário brasileiro
Padrão monetário brasileiroPadrão monetário brasileiro
Padrão monetário brasileiro
apostilacontabil
 
Padrão monetário brasileiro
Padrão monetário brasileiroPadrão monetário brasileiro
Padrão monetário brasileiro
custos contabil
 
Cédulas do brasil (xxv)
Cédulas do brasil (xxv)Cédulas do brasil (xxv)
Cédulas do brasil (xxv)
Bruno Dinardi
 
Cédulas do brasil histórico
Cédulas do brasil históricoCédulas do brasil histórico

Semelhante a Cédulas do Brasil (15)

Moeda brasileira
Moeda brasileiraMoeda brasileira
Moeda brasileira
 
História do dinheiro no brasil
História do dinheiro no brasilHistória do dinheiro no brasil
História do dinheiro no brasil
 
Moeda brasileira
Moeda brasileiraMoeda brasileira
Moeda brasileira
 
Evolucao Da Moeda Brasileira
Evolucao Da Moeda BrasileiraEvolucao Da Moeda Brasileira
Evolucao Da Moeda Brasileira
 
Dos réis ao real.pptx
Dos réis ao real.pptxDos réis ao real.pptx
Dos réis ao real.pptx
 
Dos réis ao real.pptx
Dos réis ao real.pptxDos réis ao real.pptx
Dos réis ao real.pptx
 
Slides sistema monetário
Slides sistema monetárioSlides sistema monetário
Slides sistema monetário
 
Brasil
BrasilBrasil
Brasil
 
Histórico de moedas brasileiras
Histórico de moedas brasileirasHistórico de moedas brasileiras
Histórico de moedas brasileiras
 
Reis
ReisReis
Reis
 
Slides sistema monetário
Slides sistema monetárioSlides sistema monetário
Slides sistema monetário
 
Padrão monetário brasileiro
Padrão monetário brasileiroPadrão monetário brasileiro
Padrão monetário brasileiro
 
Padrão monetário brasileiro
Padrão monetário brasileiroPadrão monetário brasileiro
Padrão monetário brasileiro
 
Cédulas do brasil (xxv)
Cédulas do brasil (xxv)Cédulas do brasil (xxv)
Cédulas do brasil (xxv)
 
Cédulas do brasil histórico
Cédulas do brasil históricoCédulas do brasil histórico
Cédulas do brasil histórico
 

Mais de Joao Germano Teixeira

Cara nova para o Brasil - com capa
Cara nova para o Brasil - com capaCara nova para o Brasil - com capa
Cara nova para o Brasil - com capa
Joao Germano Teixeira
 
Guia de drinks Sagatiba
Guia de drinks SagatibaGuia de drinks Sagatiba
Guia de drinks Sagatiba
Joao Germano Teixeira
 
Patios Andaluces
Patios AndalucesPatios Andaluces
Patios Andaluces
Joao Germano Teixeira
 
45 fotografias históricas
45 fotografias históricas45 fotografias históricas
45 fotografias históricas
Joao Germano Teixeira
 
Zoom
ZoomZoom
Propagandas de motel
Propagandas de motelPropagandas de motel
Propagandas de motel
Joao Germano Teixeira
 
Brasil x Argentina
Brasil x ArgentinaBrasil x Argentina
Brasil x Argentina
Joao Germano Teixeira
 
KERS
KERSKERS
SUPERINTERESSANTE
SUPERINTERESSANTESUPERINTERESSANTE
SUPERINTERESSANTE
Joao Germano Teixeira
 
SIMPLESMENTECORAJOSA
SIMPLESMENTECORAJOSASIMPLESMENTECORAJOSA
SIMPLESMENTECORAJOSA
Joao Germano Teixeira
 
As estradas mais incríveis do mundo
As estradas mais incríveis do mundoAs estradas mais incríveis do mundo
As estradas mais incríveis do mundo
Joao Germano Teixeira
 
Simulador de bêbado
Simulador de bêbadoSimulador de bêbado
Simulador de bêbado
Joao Germano Teixeira
 
Bolas de gelo na praia
Bolas de gelo na praiaBolas de gelo na praia
Bolas de gelo na praia
Joao Germano Teixeira
 
Hiroshima e Brasil
Hiroshima e BrasilHiroshima e Brasil
Hiroshima e Brasil
Joao Germano Teixeira
 
Dilma Trajetoria Criminosa
Dilma Trajetoria CriminosaDilma Trajetoria Criminosa
Dilma Trajetoria Criminosa
Joao Germano Teixeira
 
Areia em alto mar?
Areia em alto mar?Areia em alto mar?
Areia em alto mar?
Joao Germano Teixeira
 

Mais de Joao Germano Teixeira (16)

Cara nova para o Brasil - com capa
Cara nova para o Brasil - com capaCara nova para o Brasil - com capa
Cara nova para o Brasil - com capa
 
Guia de drinks Sagatiba
Guia de drinks SagatibaGuia de drinks Sagatiba
Guia de drinks Sagatiba
 
Patios Andaluces
Patios AndalucesPatios Andaluces
Patios Andaluces
 
45 fotografias históricas
45 fotografias históricas45 fotografias históricas
45 fotografias históricas
 
Zoom
ZoomZoom
Zoom
 
Propagandas de motel
Propagandas de motelPropagandas de motel
Propagandas de motel
 
Brasil x Argentina
Brasil x ArgentinaBrasil x Argentina
Brasil x Argentina
 
KERS
KERSKERS
KERS
 
SUPERINTERESSANTE
SUPERINTERESSANTESUPERINTERESSANTE
SUPERINTERESSANTE
 
SIMPLESMENTECORAJOSA
SIMPLESMENTECORAJOSASIMPLESMENTECORAJOSA
SIMPLESMENTECORAJOSA
 
As estradas mais incríveis do mundo
As estradas mais incríveis do mundoAs estradas mais incríveis do mundo
As estradas mais incríveis do mundo
 
Simulador de bêbado
Simulador de bêbadoSimulador de bêbado
Simulador de bêbado
 
Bolas de gelo na praia
Bolas de gelo na praiaBolas de gelo na praia
Bolas de gelo na praia
 
Hiroshima e Brasil
Hiroshima e BrasilHiroshima e Brasil
Hiroshima e Brasil
 
Dilma Trajetoria Criminosa
Dilma Trajetoria CriminosaDilma Trajetoria Criminosa
Dilma Trajetoria Criminosa
 
Areia em alto mar?
Areia em alto mar?Areia em alto mar?
Areia em alto mar?
 

Último

O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
IslanderAndrade
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Mary Alvarenga
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.Caça-palavras    ortografia M antes de P e B.
Caça-palavras ortografia M antes de P e B.
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 

Cédulas do Brasil

  • 2. (Padrão Real - 1833/1888) IMPÉRIO DO BRASIL
  • 4. O Cruzeiro foi criado dia 5 de Outubro de 1942, mas só passou a valer como unidade monetária a partir da meia-noite do dia 31 de Outubro de 1942. Ele substituiu o padrão Mil-Réis , que causava problemas por ter divisão milesimal. Outro objetivo dessa mudança foi unificar o meio circulante, já que na época existiam 56 tipos diferentes de cédulas, sendo 35 do tesouro nacional, 14 do Banco do Brasil e 7 da extinta Caixa de Estabilização. Foram usadas aproximadamente 8 notas do padrão Mil-Réis , carimbadas para o novo valor. 1$000 = Cr$ 1,00
  • 5.  
  • 6.  
  • 7.  
  • 8. Cruzeiro Novo foi implantado no dia 13 de fevereiro de 1967. O Cruzeiro , padrão monetário desde 1942, perdia três zeros e se transformava em Cruzeiro Novo. O Cruzeiro Novo foi o único padrão monetário que não teve cédulas próprias. Banco Central reaproveitou cédulas do Cruzeiro , carimbando-as para o Cruzeiro Novo. O carimbo utilizado era formado por 2 círculos concêntricos, com o valor expresso no centro e as palavras BANCO CENTRAL e CENTAVOS ou CRUZEIROS NOVOS no espaço entre os círculos. Cr$ 1.000 = NCr$ 1,00
  • 9.  
  • 10. O Cruzeiro substituiu o Cruzeiro Novo em 15 de Maio de 1970, sendo que um Cruzeiro valia um Cruzeiro Novo. Durou até 27 de fevereiro de 1986. NCr$ 1,00 = Cr$ 1,00 .
  • 11.  
  • 12.  
  • 13.  
  • 14.  
  • 15. O Cruzado é proveniente do Plano Cruzado, implantado pelo governo Sarney. O Plano tinha como objetivo combater a inflação e aumentar o poder aquisitivo da população. A partir do dia 28 de Fevereiro de 1986, mil cruzeiros passaram a valer um cruzado. Para implantar o Cruzado o governo aproveitou as cédulas de 10 mil, 50 mil e 100 mil cruzeiros , carimbando-as para o novo padrão. O Carimbo era circular com as palavras "Banco Central do Brasil" e "Cruzado", com o valor no centro. Cr$ 1.000 = Cz$ 1,00
  • 16.  
  • 17.  
  • 18.  
  • 19. Cruzado Novo entrou em circulação no dia 15 de janeiro de 1989, na segunda reforma monetária do presidente José Sarney. A nova moeda substituía o Cruzado , sendo que um Cruzado Novo valia 1000 Cruzados . Foram aproveitadas as cédulas de mil, 5 mil e 10 mil Cruzados , que receberam um carimbo para o novo padrão monetário. O carimbo adotado era um triangulo com as palavras "cruzado novo" em duas linhas próximas à base do triângulo. Cz$ 1.000,00 = NCz$ 1,00
  • 20.  
  • 21.  
  • 22. O Cruzeiro foi reintroduzido como padrão monetário em substituição ao " Cruzado Novo ", como parte do "Plano Collor", sem ocorrer a perda de três zeros. NCz$ 1,00 = Cr$ 1,00
  • 23.  
  • 24.  
  • 25.  
  • 26. O Cruzeiro Real foi implantado no 1 o de Agosto de 1993, substituindo o Cruzeiro , por excesso de zeros. Foram aproveitadas as notas de 50 mil, 100 mil e 500 mil Cruzeiros , devidamente carimbadas para o novo padrão. Cr$ 1.000,00 = CR$ 1,00
  • 27.  
  • 28.  
  • 29. O Real foi lançado em 01/07/1994 pelo Plano Real no governo Itamar Franco, com o objetivo de criar uma moeda forte e acabar com a inflação. Primeiramente foi estabelecido um índice paralelo para efeito de transição, a Unidade Real de Valor (URV). A Conversão de Cruzeiros Reais para Reais foi feita mediante a divisão do valor em Cruzeiros Reais pelo valor da URV de CR$2.750,00. CR$ 2.750,00 = R$ 1,00
  • 30.  
  • 31.  
  • 32.
  • 33. PERGUNTE AO SEUS PAIS OU AO SEUS AVOS O QUE PODIA SER FEITO COM 2.750.000.000.000.000$000 PARA COMPARAR EM 1940 - 1$000 = US$ 0,06 PORTANTO R$ 1,00 = US$ 165.000.000.000.000,00