SlideShare uma empresa Scribd logo
César Roberto Leite da Silva Sinclayr Luiz 19º Edição  | 2010 | Economia e mercados: Introdução à economia
Capítulo   7 Determinação da Renda e do Nível de Atividade
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
2. UMA ECONOMIA FECHADA E SEM GOVERNO Capacidade produtiva da economia é o conjunto de empresas e também pode ser chamada de capital. Produto ou renda: é distribuído sob forma de salários para os trabalhadores e lucros para os empresários. Y = W + L Y = produto ou renda (em inglês,  Yield ) W = salários (em inglês,  Wages ) L = lucros
Admitindo que os trabalhadores consomem toda a sua parte do produto temos: C W  = consumo dos trabalhadores W = C W Levando em conta que os empresários consomem apenas uma parte da renda e aplicam o restante em uma poupança, temos:  L = C L  + S C L  = consumo dos empresários S = poupança (em inglês,  Saving ) O = C W  + C L  + I W + L = C W  + C L  + I L = C L  + I L – C L  = I S > I
A poupança não é demanda, mas se transforma nela quando é investida em máquinas e equipamentos, podendo ser chamada então de demanda agregada: O = C W  + C L  + I Assumindo que o nível do produto é determinado pela demanda, temos: W + L = C W  + C L  + I ou:  L = C L  + I L – C L  = I Se por exemplo, os empresários estão pessimistas e não investem, a poupança passa a ser maior que o investimento: S > I
3. UMA ECONOMIA FECHADA E COM GOVERNO Levando em conta que o governo arrecada sua parte da renda por meio dos impostos, temos que o produto é: Y = W + L + T Y = renda W = salários L = lucros T = impostos (do inglês,  Tax ) D = C W  + C L  + I + G D = demanda agregada
Então, supondo-se que os gastos do governo com compras junto às empresas e os salários dos funcionários, temos que a demanda agregada é: D = C W  + C L  + I + G D = demanda agregada E, como é a demanda que determina o nível de renda, temos que: W + L + T = C W  + C L  + I + G C W  = consumo dos trabalhadores C L  = consumo dos empresários I = investimento G = gastos do governo
Mantendo a suposição de que os trabalhadores destinem ao consumo todo seu salários, temos que: W + L + T = C W  + C L  + I + G ou: L + C L  = I + (G – T) S = I + (G – T) (G – T) = orçamento do setor público Quando (G – T) > 0 significa que o resultado orçamentário do governo está deficitário.
Com mais um agente econômico, o governo, temos a igualdade fundamental da macroeconomia da seguinte forma: I = S – (G – T) I = S + (T – G) Lembrando que S = L –  C U , temos que: I = (L – C L ) + (T – G) Isso nos indica que os recursos para o investimento ou a poupança podem ter duas origens: o setor privado ou o governo: (L – C L ) Poupança do setor público: é quando a origem da poupança é o governo (T – G).
(G – T) = 0: significa que o orçamento do governo está equilibrado. (T – G) > 0: o governo apresenta superávit, pois as receitas são maiores do que as despesas. (T – G) < 0: o governo apresenta déficit, pois as despesas são maiores que as receitas. O déficit público reduz os investimentos gerando um fenômeno chamado de  crowding out. 4. UMA ECONOMIA ABERTA E COM GOVERNO Levando em conta as exportações (X) e as importações (Y), temos o exemplo de uma economia mais próxima da realidade de um país. A diferença entre as exportações e importações (X – M) é chamada de saldo da balança comercial.
Se (X – M) = 0, a balança comercial está equilibrada; Se (X – M) > 0, há superávit na balança comercial; Se (X – M) < 0, a balança comercial apresenta déficit. Por isso: W + L + T = C W  + C L  + I + G C W  = consumo dos trabalhadores C L  = consumo dos empresários I = investimento G = gastos do governo X = exportações M = importações
W + L + T + M = C W  + C L  + I + G + X e:  L – C L  = I + (G + T) + (X – M) ou: S = I + (G – T) + (X – M) A igualdade fundamental da macroeconomia, nesse caso, pode ser descrita assim: I = S – (G – T) – (X – M) I = S + (T – G) + (M – X) ou: I = (L – CL) + (T – G) + (M – X) Poupança externa: tem origem no setor externo, (M – X)  Poupança interna: é gerada pelo setor privado e pelo governo, ou seja,  S + (T – G)
Por isso, temos: S = (L – C L ) + (T – G) + (M – X) Poupança total = poupança privada + poupança pública + poupança externa Se (M – X) = 0, significa que o setor externo está em equilíbrio, portando a poupança externa é zero; Se (M – X) > 0, as importações são maiores que as exportações, por isso há déficit externo; Se (M – X) < 0, há um superávit no setor externo.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Determinação da Renda e do Nível de Atividade

Ch03 4e rev cmc
Ch03 4e rev cmcCh03 4e rev cmc
Ch03 4e rev cmc
cideni
 
REC2104 - Aula 1- Conceitos Básicos2.pptx
REC2104 - Aula 1- Conceitos Básicos2.pptxREC2104 - Aula 1- Conceitos Básicos2.pptx
REC2104 - Aula 1- Conceitos Básicos2.pptx
Sher Hamid
 
Ex 1 (mercado de bens e monetario)
Ex 1 (mercado de bens e monetario)Ex 1 (mercado de bens e monetario)
Ex 1 (mercado de bens e monetario)
Alexsandro Evangelista
 
Economia aula 4 - introdução à macroeconomia
Economia   aula 4 - introdução à macroeconomiaEconomia   aula 4 - introdução à macroeconomia
Economia aula 4 - introdução à macroeconomia
Felipe Leo
 
Resumo+de+macroeconomia
Resumo+de+macroeconomiaResumo+de+macroeconomia
Resumo+de+macroeconomia
bergerbird
 
Contabilidade nacional 2011
Contabilidade nacional   2011Contabilidade nacional   2011
Contabilidade nacional 2011
Ribeiro Miguel
 
Cap4macro 110223114451-phpapp01
Cap4macro 110223114451-phpapp01Cap4macro 110223114451-phpapp01
Cap4macro 110223114451-phpapp01
Vanessa Alves
 
Cap4macro 110223114451-phpapp01
Cap4macro 110223114451-phpapp01Cap4macro 110223114451-phpapp01
Cap4macro 110223114451-phpapp01
Vanessa Alves
 
ANALISE E RISCO DE CREDITO 2023 VA.pdf
ANALISE E  RISCO DE CREDITO 2023 VA.pdfANALISE E  RISCO DE CREDITO 2023 VA.pdf
ANALISE E RISCO DE CREDITO 2023 VA.pdf
FernandoAlves172844
 
Macroeconomia - Alex Mendes. Modelos de Crescimento Economico de longo prazo
Macroeconomia - Alex Mendes. Modelos de Crescimento Economico de longo prazoMacroeconomia - Alex Mendes. Modelos de Crescimento Economico de longo prazo
Macroeconomia - Alex Mendes. Modelos de Crescimento Economico de longo prazo
junior55cunha
 
Avaliacao de empresas - clase 1
Avaliacao de empresas - clase 1Avaliacao de empresas - clase 1
Avaliacao de empresas - clase 1
Guillermo L. Dumrauf
 
Mundo do trabalho limites e possibilidades
Mundo do trabalho   limites e possibilidadesMundo do trabalho   limites e possibilidades
Mundo do trabalho limites e possibilidades
Marcelo Manzano
 
Ap2
Ap2Ap2
Déficite da Dívida
Déficite da DívidaDéficite da Dívida
Déficite da Dívida
Diego Lopes
 
Cap11 macro
Cap11 macroCap11 macro
Cap11 macro
Roberto Arruda
 
Economia aula 7 - a macroeconomia keynesiana
Economia   aula 7 - a macroeconomia keynesianaEconomia   aula 7 - a macroeconomia keynesiana
Economia aula 7 - a macroeconomia keynesiana
Felipe Leo
 
Economia
EconomiaEconomia
402 macroeconomia-i-caderno-de-exercicios-para-exame-resolvidos
402 macroeconomia-i-caderno-de-exercicios-para-exame-resolvidos402 macroeconomia-i-caderno-de-exercicios-para-exame-resolvidos
402 macroeconomia-i-caderno-de-exercicios-para-exame-resolvidos
Ronne Seles
 
Operações mercadorias
Operações mercadoriasOperações mercadorias
Operações mercadorias
Fernando Cesar Mattos
 
As Funções do setor Público de uma Economia
As Funções do setor Público de uma EconomiaAs Funções do setor Público de uma Economia
As Funções do setor Público de uma Economia
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 

Semelhante a Determinação da Renda e do Nível de Atividade (20)

Ch03 4e rev cmc
Ch03 4e rev cmcCh03 4e rev cmc
Ch03 4e rev cmc
 
REC2104 - Aula 1- Conceitos Básicos2.pptx
REC2104 - Aula 1- Conceitos Básicos2.pptxREC2104 - Aula 1- Conceitos Básicos2.pptx
REC2104 - Aula 1- Conceitos Básicos2.pptx
 
Ex 1 (mercado de bens e monetario)
Ex 1 (mercado de bens e monetario)Ex 1 (mercado de bens e monetario)
Ex 1 (mercado de bens e monetario)
 
Economia aula 4 - introdução à macroeconomia
Economia   aula 4 - introdução à macroeconomiaEconomia   aula 4 - introdução à macroeconomia
Economia aula 4 - introdução à macroeconomia
 
Resumo+de+macroeconomia
Resumo+de+macroeconomiaResumo+de+macroeconomia
Resumo+de+macroeconomia
 
Contabilidade nacional 2011
Contabilidade nacional   2011Contabilidade nacional   2011
Contabilidade nacional 2011
 
Cap4macro 110223114451-phpapp01
Cap4macro 110223114451-phpapp01Cap4macro 110223114451-phpapp01
Cap4macro 110223114451-phpapp01
 
Cap4macro 110223114451-phpapp01
Cap4macro 110223114451-phpapp01Cap4macro 110223114451-phpapp01
Cap4macro 110223114451-phpapp01
 
ANALISE E RISCO DE CREDITO 2023 VA.pdf
ANALISE E  RISCO DE CREDITO 2023 VA.pdfANALISE E  RISCO DE CREDITO 2023 VA.pdf
ANALISE E RISCO DE CREDITO 2023 VA.pdf
 
Macroeconomia - Alex Mendes. Modelos de Crescimento Economico de longo prazo
Macroeconomia - Alex Mendes. Modelos de Crescimento Economico de longo prazoMacroeconomia - Alex Mendes. Modelos de Crescimento Economico de longo prazo
Macroeconomia - Alex Mendes. Modelos de Crescimento Economico de longo prazo
 
Avaliacao de empresas - clase 1
Avaliacao de empresas - clase 1Avaliacao de empresas - clase 1
Avaliacao de empresas - clase 1
 
Mundo do trabalho limites e possibilidades
Mundo do trabalho   limites e possibilidadesMundo do trabalho   limites e possibilidades
Mundo do trabalho limites e possibilidades
 
Ap2
Ap2Ap2
Ap2
 
Déficite da Dívida
Déficite da DívidaDéficite da Dívida
Déficite da Dívida
 
Cap11 macro
Cap11 macroCap11 macro
Cap11 macro
 
Economia aula 7 - a macroeconomia keynesiana
Economia   aula 7 - a macroeconomia keynesianaEconomia   aula 7 - a macroeconomia keynesiana
Economia aula 7 - a macroeconomia keynesiana
 
Economia
EconomiaEconomia
Economia
 
402 macroeconomia-i-caderno-de-exercicios-para-exame-resolvidos
402 macroeconomia-i-caderno-de-exercicios-para-exame-resolvidos402 macroeconomia-i-caderno-de-exercicios-para-exame-resolvidos
402 macroeconomia-i-caderno-de-exercicios-para-exame-resolvidos
 
Operações mercadorias
Operações mercadoriasOperações mercadorias
Operações mercadorias
 
As Funções do setor Público de uma Economia
As Funções do setor Público de uma EconomiaAs Funções do setor Público de uma Economia
As Funções do setor Público de uma Economia
 

Mais de Yuri Silver

Renda 11
Renda 11Renda 11
Renda 11
Yuri Silver
 
Heg rev. russa -2010
Heg rev. russa -2010Heg rev. russa -2010
Heg rev. russa -2010
Yuri Silver
 
Grande depressao de 1929
Grande depressao de 1929Grande depressao de 1929
Grande depressao de 1929
Yuri Silver
 
Economia internacional
Economia internacionalEconomia internacional
Economia internacional
Yuri Silver
 
Desenvolvimento e pobreza 2
Desenvolvimento e pobreza 2Desenvolvimento e pobreza 2
Desenvolvimento e pobreza 2
Yuri Silver
 
Crescimento econ. 15
Crescimento econ. 15Crescimento econ. 15
Crescimento econ. 15
Yuri Silver
 
2 guerra mundial 2010
2 guerra mundial 20102 guerra mundial 2010
2 guerra mundial 2010
Yuri Silver
 
1 guerra 2010 2
1 guerra 2010 21 guerra 2010 2
1 guerra 2010 2
Yuri Silver
 
Heg 2010
Heg 2010Heg 2010
Heg 2010
Yuri Silver
 
Microeconomia março 2010
Microeconomia março 2010Microeconomia março 2010
Microeconomia março 2010
Yuri Silver
 
Economia apres. 2010 10-4
Economia apres. 2010 10-4Economia apres. 2010 10-4
Economia apres. 2010 10-4
Yuri Silver
 
Desenvolvimento e pobreza 2
Desenvolvimento e pobreza 2Desenvolvimento e pobreza 2
Desenvolvimento e pobreza 2
Yuri Silver
 
Apres. curva possib. mar 2010-te
Apres. curva possib. mar 2010-teApres. curva possib. mar 2010-te
Apres. curva possib. mar 2010-te
Yuri Silver
 
Te 2011 31
Te 2011 31Te 2011 31
Te 2011 31
Yuri Silver
 
Direito natural e positivismo jurídico
Direito natural e positivismo jurídicoDireito natural e positivismo jurídico
Direito natural e positivismo jurídico
Yuri Silver
 
As fontes do direito
As fontes do direitoAs fontes do direito
As fontes do direito
Yuri Silver
 
Teoria Econômica
Teoria EconômicaTeoria Econômica
Teoria Econômica
Yuri Silver
 
Evolução da Teoria Microeconômica
Evolução da Teoria MicroeconômicaEvolução da Teoria Microeconômica
Evolução da Teoria Microeconômica
Yuri Silver
 
Teoria Elementar da Demanda
Teoria Elementar da DemandaTeoria Elementar da Demanda
Teoria Elementar da Demanda
Yuri Silver
 
O Setor Público
O Setor PúblicoO Setor Público
O Setor Público
Yuri Silver
 

Mais de Yuri Silver (20)

Renda 11
Renda 11Renda 11
Renda 11
 
Heg rev. russa -2010
Heg rev. russa -2010Heg rev. russa -2010
Heg rev. russa -2010
 
Grande depressao de 1929
Grande depressao de 1929Grande depressao de 1929
Grande depressao de 1929
 
Economia internacional
Economia internacionalEconomia internacional
Economia internacional
 
Desenvolvimento e pobreza 2
Desenvolvimento e pobreza 2Desenvolvimento e pobreza 2
Desenvolvimento e pobreza 2
 
Crescimento econ. 15
Crescimento econ. 15Crescimento econ. 15
Crescimento econ. 15
 
2 guerra mundial 2010
2 guerra mundial 20102 guerra mundial 2010
2 guerra mundial 2010
 
1 guerra 2010 2
1 guerra 2010 21 guerra 2010 2
1 guerra 2010 2
 
Heg 2010
Heg 2010Heg 2010
Heg 2010
 
Microeconomia março 2010
Microeconomia março 2010Microeconomia março 2010
Microeconomia março 2010
 
Economia apres. 2010 10-4
Economia apres. 2010 10-4Economia apres. 2010 10-4
Economia apres. 2010 10-4
 
Desenvolvimento e pobreza 2
Desenvolvimento e pobreza 2Desenvolvimento e pobreza 2
Desenvolvimento e pobreza 2
 
Apres. curva possib. mar 2010-te
Apres. curva possib. mar 2010-teApres. curva possib. mar 2010-te
Apres. curva possib. mar 2010-te
 
Te 2011 31
Te 2011 31Te 2011 31
Te 2011 31
 
Direito natural e positivismo jurídico
Direito natural e positivismo jurídicoDireito natural e positivismo jurídico
Direito natural e positivismo jurídico
 
As fontes do direito
As fontes do direitoAs fontes do direito
As fontes do direito
 
Teoria Econômica
Teoria EconômicaTeoria Econômica
Teoria Econômica
 
Evolução da Teoria Microeconômica
Evolução da Teoria MicroeconômicaEvolução da Teoria Microeconômica
Evolução da Teoria Microeconômica
 
Teoria Elementar da Demanda
Teoria Elementar da DemandaTeoria Elementar da Demanda
Teoria Elementar da Demanda
 
O Setor Público
O Setor PúblicoO Setor Público
O Setor Público
 

Determinação da Renda e do Nível de Atividade

  • 1. César Roberto Leite da Silva Sinclayr Luiz 19º Edição | 2010 | Economia e mercados: Introdução à economia
  • 2. Capítulo 7 Determinação da Renda e do Nível de Atividade
  • 3.
  • 4. 2. UMA ECONOMIA FECHADA E SEM GOVERNO Capacidade produtiva da economia é o conjunto de empresas e também pode ser chamada de capital. Produto ou renda: é distribuído sob forma de salários para os trabalhadores e lucros para os empresários. Y = W + L Y = produto ou renda (em inglês, Yield ) W = salários (em inglês, Wages ) L = lucros
  • 5. Admitindo que os trabalhadores consomem toda a sua parte do produto temos: C W = consumo dos trabalhadores W = C W Levando em conta que os empresários consomem apenas uma parte da renda e aplicam o restante em uma poupança, temos: L = C L + S C L = consumo dos empresários S = poupança (em inglês, Saving ) O = C W + C L + I W + L = C W + C L + I L = C L + I L – C L = I S > I
  • 6. A poupança não é demanda, mas se transforma nela quando é investida em máquinas e equipamentos, podendo ser chamada então de demanda agregada: O = C W + C L + I Assumindo que o nível do produto é determinado pela demanda, temos: W + L = C W + C L + I ou: L = C L + I L – C L = I Se por exemplo, os empresários estão pessimistas e não investem, a poupança passa a ser maior que o investimento: S > I
  • 7. 3. UMA ECONOMIA FECHADA E COM GOVERNO Levando em conta que o governo arrecada sua parte da renda por meio dos impostos, temos que o produto é: Y = W + L + T Y = renda W = salários L = lucros T = impostos (do inglês, Tax ) D = C W + C L + I + G D = demanda agregada
  • 8. Então, supondo-se que os gastos do governo com compras junto às empresas e os salários dos funcionários, temos que a demanda agregada é: D = C W + C L + I + G D = demanda agregada E, como é a demanda que determina o nível de renda, temos que: W + L + T = C W + C L + I + G C W = consumo dos trabalhadores C L = consumo dos empresários I = investimento G = gastos do governo
  • 9. Mantendo a suposição de que os trabalhadores destinem ao consumo todo seu salários, temos que: W + L + T = C W + C L + I + G ou: L + C L = I + (G – T) S = I + (G – T) (G – T) = orçamento do setor público Quando (G – T) > 0 significa que o resultado orçamentário do governo está deficitário.
  • 10. Com mais um agente econômico, o governo, temos a igualdade fundamental da macroeconomia da seguinte forma: I = S – (G – T) I = S + (T – G) Lembrando que S = L – C U , temos que: I = (L – C L ) + (T – G) Isso nos indica que os recursos para o investimento ou a poupança podem ter duas origens: o setor privado ou o governo: (L – C L ) Poupança do setor público: é quando a origem da poupança é o governo (T – G).
  • 11. (G – T) = 0: significa que o orçamento do governo está equilibrado. (T – G) > 0: o governo apresenta superávit, pois as receitas são maiores do que as despesas. (T – G) < 0: o governo apresenta déficit, pois as despesas são maiores que as receitas. O déficit público reduz os investimentos gerando um fenômeno chamado de crowding out. 4. UMA ECONOMIA ABERTA E COM GOVERNO Levando em conta as exportações (X) e as importações (Y), temos o exemplo de uma economia mais próxima da realidade de um país. A diferença entre as exportações e importações (X – M) é chamada de saldo da balança comercial.
  • 12. Se (X – M) = 0, a balança comercial está equilibrada; Se (X – M) > 0, há superávit na balança comercial; Se (X – M) < 0, a balança comercial apresenta déficit. Por isso: W + L + T = C W + C L + I + G C W = consumo dos trabalhadores C L = consumo dos empresários I = investimento G = gastos do governo X = exportações M = importações
  • 13. W + L + T + M = C W + C L + I + G + X e: L – C L = I + (G + T) + (X – M) ou: S = I + (G – T) + (X – M) A igualdade fundamental da macroeconomia, nesse caso, pode ser descrita assim: I = S – (G – T) – (X – M) I = S + (T – G) + (M – X) ou: I = (L – CL) + (T – G) + (M – X) Poupança externa: tem origem no setor externo, (M – X) Poupança interna: é gerada pelo setor privado e pelo governo, ou seja, S + (T – G)
  • 14. Por isso, temos: S = (L – C L ) + (T – G) + (M – X) Poupança total = poupança privada + poupança pública + poupança externa Se (M – X) = 0, significa que o setor externo está em equilíbrio, portando a poupança externa é zero; Se (M – X) > 0, as importações são maiores que as exportações, por isso há déficit externo; Se (M – X) < 0, há um superávit no setor externo.