SlideShare uma empresa Scribd logo
Conceito de Sistemas Operacionais 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 
Plano de Aula 
OBJETIVO: O Aluno irá aprender conceitos, funções e evolução dos sistemas operacionais. 
Fonte: Sistemas operacionais / Érika Lopes Vilela. Colatina: CEAD / Ifes, 2009. 
1
Segundo o Aurélio (verbete sistema), sistema operacional é um conjunto integrado de programas básicos, projetado para supervisionar e controlar a execução de programas de aplicação em um computador. 
Já para Silberschatz, um sistema operacional é um programa que atua como intermediário entre o usuário e o hardware de um computador. (Figura a seguir). 
O propósito de um sistema operacional é propiciar um ambiente no qual o usuário possa executar outros programas de forma conveniente, por esconder detalhes internos de funcionamento e eficiente, por procurar gerenciar da melhor forma os recursos do sistema. 
Já para Tanenbaum, um sistema operacional é uma máquina estendida. 
O que é um sistema operacional? 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 
2
O que é um sistema operacional? 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 
3
Facilidade de acesso aos recursos do sistema. 
Um sistema de computação possui, normalmente, diversos componentes, como monitores, impressoras e discos rígidos. 
Quando utilizamos um desses dispositivos, não nos preocupamos com a maneira como é realizada esta comunicação e os inúmeros detalhes envolvidos. 
Ao salvar um arquivo, você se preocupa em qual trilha ou setor deverá ser armazenado a informação ? 
O sistema operacional, então serve de interface entre o usuário e os recursos de hardware, tornando esta comunicação transparente (ou imperceptível) e permitindo ao usuário um trabalho mais eficiente e com menores chances de erros. 
Este conceito de ambiente simulado, criado pelo sistema operacional, é denominado máquina virtual (virtual machine) e está presente, de alguma forma, na maioria dos sistemas atuais. 
Função de um sistema operacional 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 
4
Compartilhamento de recursos de forma organizada e protegida. 
O SO nos permite executar várias tarefas, como imprimir um documento, copiar um arquivo pela internet ou processar uma planilha, aparentemente tudo ao mesmo tempo. 
O SO deve ser capaz de controlar a execução concorrente de todas essas tarefas. 
De um modo geral, os programas que os usuários executam não são escritos para um processador, mas sim para um SO. Isto facilita a comunicação do programa com o hardware do computador. As tarefas são executadas pelo SO, tornando os programas menores e mais fáceis de serem programados. 
Função de um sistema operacional 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 
5
Compartilhamento de recursos de forma organizada e protegida. 
Em uma situação ideal, somente o sistema operacional deve ter acesso ao hardware do computador. 
Função de um sistema operacional 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 
6 
Sistema operacional ESTÁVEL e SEGURO. Ex. (Windows Server, Linux). 
Se o programa não estivesse bem escrito, isto inevitavelmente era refletido no hardware, fazendo com que o programa parasse por travamento. 
Ex. (DOS, Windows 3, 95, 98 e ME).
A linguagem entendida pelo computador é uma linguagem binária de difícil entendimento pelos seres humanos, sendo chamada de linguagem de “baixo nível” ou “de máquina”. 
As linguagens mais próximas aos seres humanos são classificadas como linguagens de “alto nível”. 
Podemos considerar o computador como uma máquina de níveis ou camadas, onde inicialmente existem dois níveis: o nível 0 (hardware) e o nível 1 (sistema operacional). 
Os aplicativos são programas executados pelo usuário. 
Os utilitários são programas de uso genérico e frequente, geralmente fornecidos junto com o SO. 
Máquina de Níveis 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 
7
Máquina de Níveis 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 
8
Um sistema operacional pode então ser definido sob dois aspectos: como uma máquina estendida ou máquina virtual e como um gerenciador de recursos. 
O sistema operacional, como uma máquina virtual, esconde do programador detalhes do hardware, apresentando uma visão simples deste hardware, mais conveniente e mais fácil de utilizar. 
O sistema operacional, como um gerenciador de recursos, fornece uma alocação controlada e ordenada dos recursos do computador entre os vários programas que competem por esses recursos. Os recursos incluem processadores, memórias, dispositivos de E/S (unidades de disco, impressoras, mouse, etc.), interfaces de rede, dentre outros. 
Máquina de Níveis 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 
9
Desde os tempos do computador programado por chaves e cabos até o surgimento do teclado e impressora de caracteres, procurou-se ao longo do processo evolutivo do computador tornar a sua utilização mais amigável, precisa, rápida e eficaz. 
O conjunto de equipamentos e recursos utilizados para que o homem possa controlar o computador é genericamente denominado interface. 
O aprimoramento da interface atingiu o ponto em que o usuário passou a interagir com pequenos desenhos ou símbolos de objetos comuns ao seu trabalho. 
Pensou-se em representar, por exemplo, a tarefa de impressão de documentos pelo desenho de uma pequena impressora e a eliminação de um documento por uma pequena lixeira. Surgiram os ícones. 
Evolução dos Sistemas Operacionais 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 
10
No início da Segunda Guerra Mundial, surgiram os primeiros computadores digitais, formados por milhares de válvulas, que ocupavam áreas enormes, sendo de funcionamento lento e duvidoso. 
O ENIAC (Electronic Numerical Integrator and Computer) o primeiro computador digital de propósito geral. Criado para a realização de cálculos balísticos, sua estrutura possuía 17.468 válvulas, 10 mil capacitores, 70 mil resistores e pesava 32 toneladas. Quando em operação era capaz de realizar 5 mil adições por segundo. 
A programação era feita em painéis, através de fios, utilizando linguagem de máquina. Não existia o conceito de “sistema operacional”. Outros computadores foram construídos nessa época, mas eram utilizados apenas em universidades e órgãos militares. 
Primeira Fase (1945-1955) Válvulas e Painéis de Programação 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 
11
Muitas empresas foram fundadas ou investiram no setor, como, por exemplo, a IBM, o que levou à criação dos primeiros computadores para aplicações comerciais. 
1953 – IBM 701 – 1º Primeiro SO da IBM – FMS (Fortran Monitor System). 
Primeira Fase (1945-1955) Válvulas e Painéis de Programação 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 
12
A criação do transistor e das memórias magnéticas contribuiu para o enorme avanço dos computadores da época. Acesso mais rápido aos dados, maior capacidade de armazenamento e computadores menores. 
Surgiram os primeiros sistemas operacionais, para tentar automatizar as tarefas manuais até então realizadas e as primeiras linguagens de programação, como Assembly e Fortran. Os programas deixaram de ser feitos diretamente no hardware, o que facilitou enormemente o processo de desenvolvimento de programas. 
Surgiu o processamento em batch, onde um lote (batch) de programas e de dados era submetido ao computador por vez. 
a) Os programas passaram a ser perfurados em cartões que, submetidos a uma leitora, eram processados e gravados em uma fita de entrada. 
b) A fita de entrada, então, era lida pelo computador, que executava um programa de cada vez, processando e gravando o resultado em uma fita de saída. 
c) Ao término de todos os programas, as fitas de saída eram lidas e processadas novamente para serem impressas, gerando assim os relatórios. (Figura a seguir). 
Segunda Fase (1956-1965) Transistores e Sistemas em Lote (batch) 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 
13
Segunda Fase (1956-1965) Transistores e Sistemas em Lote (batch) 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 
14
A evolução dos processadores de entrada/saída permitiu que, enquanto um programa esperasse por uma operação de leitura/gravação, o processador executasse um outro programa. 
A memória foi dividida em partições, onde cada programa esperava sua vez para ser processado. A essa técnica de compartilhamento da memória principal e processador deu-se o nome de multiprogramação. 
Com a substituição das fitas por discos no processo de submissão dos programas, o processamento batch tornou-se mais eficiente, pois permitia a alteração na ordem de execução das tarefas, até então somente sequencial. A essa técnica de submissão de programas chamou-se spooling, que, mais tarde, também viria a ser utilizada no processo de impressão. 
Para permitir a interação rápida entre o usuário e o computador, foram adicionados terminais de vídeo e teclado (interação on-line). 
A multiprogramação evoluiu e cada programa na memória utilizaria o processador em pequenos intervalos de tempo. A esse sistema de divisão de tempo do processador chamou-se time-sharing (tempo compartilhado). 
Nesta fase surgiu o UNIX. 
Terceira Fase (1966-1980) Circuitos Integrados e Multiprogramação 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 
15
Surgem as estações de trabalho (workstations) que, apesar de monousuárias, permitem que se executem diversas tarefas concorrentemente, criando o conceito de multitarefa. 
No final dos anos 80 os computadores tiveram um grande avanço com a adição de mais processadores, exigindo dos sistemas operacionais novos mecanismos de controle e sincronismo. 
Com o multiprocessamento, foi possível a execução de mais de um programa simultaneamente, ou até de um mesmo programa por mais de um processador. Foram introduzidos processadores vetoriais e técnicas de paralelismo de processamento, fazendo com que os computadores se tornassem ainda mais poderosos. 
O uso das redes distribuídas se difundiu por todo o mundo, permitindo o acesso a outros sistemas de computação, independentemente de cidade, país e, até mesmo, fabricante. 
Os softwares de rede passaram a estar intimamente relacionados com o sistema operacional de cada máquina e surgem os sistemas operacionais de rede. 
Quarta Fase (1981-1990) Computadores Pessoais 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 
16
Houve grandes avanços em termos de hardware, software e telecomunicações como consequência da evolução das aplicações, que necessitavam cada vez mais de capacidade de processamento e armazenamento de dados. 
Sistemas especialistas, sistemas multimídia, bancos de dados distribuídos, inteligência artificial e redes neurais são apenas alguns exemplos da necessidade cada vez maior de informação e de capacidade de processamento. 
O conceito de processamento distribuído é explorado nos sistemas operacionais, de forma que suas funções estejam espalhadas por vários processadores através de redes de computadores. 
A arquitetura cliente-servidor passa a ser oferecida em redes distribuídas, permitindo que qualquer pessoa tenha acesso a todo tipo de informação, independentemente de onde esteja armazenada. 
A década de 90 foi definitiva para a consolidação dos sistemas operacionais baseados em interfaces gráficas. 
Quinta Fase (1991-2000) 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 
17
Mãos a obra (Instalação do Windows 7) 
18 
Sistemas Operacionais - Prof. Danilo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho do sistemas operativos
Trabalho do sistemas operativosTrabalho do sistemas operativos
Trabalho do sistemas operativos
David Pereira
 
Aula01 - Logica de Programação
Aula01 - Logica de ProgramaçãoAula01 - Logica de Programação
Aula01 - Logica de Programação
Jorge Ávila Miranda
 
Introducao a informatica
Introducao a informaticaIntroducao a informatica
Introducao a informatica
Leide Sayuri Ogasawara
 
Organizacao e estrutura de Computadores
Organizacao e estrutura de ComputadoresOrganizacao e estrutura de Computadores
Organizacao e estrutura de Computadores
Suzana Viana Mota
 
Lógica de Programação
Lógica de ProgramaçãoLógica de Programação
Lógica de Programação
Adao Chiavelli
 
Aula 07 - Visualg e Pseudocódigo
Aula 07 - Visualg e PseudocódigoAula 07 - Visualg e Pseudocódigo
Aula 07 - Visualg e Pseudocódigo
Gabriel Vinicios Silva Maganha
 
Descritiva Narrativa (Lógica de Programação)
Descritiva Narrativa (Lógica de Programação)Descritiva Narrativa (Lógica de Programação)
Descritiva Narrativa (Lógica de Programação)
Gercélia Ramos
 
Sistemas operacionais
Sistemas operacionaisSistemas operacionais
Sistemas operacionais
vini_campos
 
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de SistemasAula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
Gustavo Gonzalez
 
Endereçamento de memória
Endereçamento de memóriaEndereçamento de memória
Endereçamento de memória
Elaine Cecília Gatto
 
1ª aula introdução a informática
1ª aula introdução a informática1ª aula introdução a informática
1ª aula introdução a informática
socrahn
 
Aula 1 word
Aula 1 wordAula 1 word
Aula 1 word
WELDES
 
Sistemas Computacionais - Aula 02 - Definição de SI - Composição
Sistemas Computacionais - Aula 02 - Definição de SI - ComposiçãoSistemas Computacionais - Aula 02 - Definição de SI - Composição
Sistemas Computacionais - Aula 02 - Definição de SI - Composição
Leinylson Fontinele
 
Lista de exercicios algoritmos resolvida-
Lista de exercicios   algoritmos  resolvida-Lista de exercicios   algoritmos  resolvida-
Lista de exercicios algoritmos resolvida-
Mauro Pereira
 
Aula I - Introdução ao Windows
Aula I - Introdução ao WindowsAula I - Introdução ao Windows
Aula I - Introdução ao Windows
Jéssica Amaral
 
Aula de hardware
Aula de hardwareAula de hardware
Aula de hardware
Clayton de Almeida Souza
 
Informática Básica - Aula 03 - Hardware
Informática Básica - Aula 03 - HardwareInformática Básica - Aula 03 - Hardware
Informática Básica - Aula 03 - Hardware
Joeldson Costa Damasceno
 
So-mod-4
So-mod-4So-mod-4
So-mod-4
diogoa21
 
Introdução à Informática (Módulo 1)
Introdução à Informática (Módulo 1)Introdução à Informática (Módulo 1)
Introdução à Informática (Módulo 1)
marconesilfer
 
2009 1 - sistemas operacionais - aula 3 - processos
2009 1 - sistemas operacionais - aula 3 - processos2009 1 - sistemas operacionais - aula 3 - processos
2009 1 - sistemas operacionais - aula 3 - processos
Computação Depressão
 

Mais procurados (20)

Trabalho do sistemas operativos
Trabalho do sistemas operativosTrabalho do sistemas operativos
Trabalho do sistemas operativos
 
Aula01 - Logica de Programação
Aula01 - Logica de ProgramaçãoAula01 - Logica de Programação
Aula01 - Logica de Programação
 
Introducao a informatica
Introducao a informaticaIntroducao a informatica
Introducao a informatica
 
Organizacao e estrutura de Computadores
Organizacao e estrutura de ComputadoresOrganizacao e estrutura de Computadores
Organizacao e estrutura de Computadores
 
Lógica de Programação
Lógica de ProgramaçãoLógica de Programação
Lógica de Programação
 
Aula 07 - Visualg e Pseudocódigo
Aula 07 - Visualg e PseudocódigoAula 07 - Visualg e Pseudocódigo
Aula 07 - Visualg e Pseudocódigo
 
Descritiva Narrativa (Lógica de Programação)
Descritiva Narrativa (Lógica de Programação)Descritiva Narrativa (Lógica de Programação)
Descritiva Narrativa (Lógica de Programação)
 
Sistemas operacionais
Sistemas operacionaisSistemas operacionais
Sistemas operacionais
 
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de SistemasAula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
Aula1 e aula2 - Analise e Projeto de Sistemas
 
Endereçamento de memória
Endereçamento de memóriaEndereçamento de memória
Endereçamento de memória
 
1ª aula introdução a informática
1ª aula introdução a informática1ª aula introdução a informática
1ª aula introdução a informática
 
Aula 1 word
Aula 1 wordAula 1 word
Aula 1 word
 
Sistemas Computacionais - Aula 02 - Definição de SI - Composição
Sistemas Computacionais - Aula 02 - Definição de SI - ComposiçãoSistemas Computacionais - Aula 02 - Definição de SI - Composição
Sistemas Computacionais - Aula 02 - Definição de SI - Composição
 
Lista de exercicios algoritmos resolvida-
Lista de exercicios   algoritmos  resolvida-Lista de exercicios   algoritmos  resolvida-
Lista de exercicios algoritmos resolvida-
 
Aula I - Introdução ao Windows
Aula I - Introdução ao WindowsAula I - Introdução ao Windows
Aula I - Introdução ao Windows
 
Aula de hardware
Aula de hardwareAula de hardware
Aula de hardware
 
Informática Básica - Aula 03 - Hardware
Informática Básica - Aula 03 - HardwareInformática Básica - Aula 03 - Hardware
Informática Básica - Aula 03 - Hardware
 
So-mod-4
So-mod-4So-mod-4
So-mod-4
 
Introdução à Informática (Módulo 1)
Introdução à Informática (Módulo 1)Introdução à Informática (Módulo 1)
Introdução à Informática (Módulo 1)
 
2009 1 - sistemas operacionais - aula 3 - processos
2009 1 - sistemas operacionais - aula 3 - processos2009 1 - sistemas operacionais - aula 3 - processos
2009 1 - sistemas operacionais - aula 3 - processos
 

Destaque

fundamentos de sistema operacional- S.O
fundamentos de sistema operacional- S.Ofundamentos de sistema operacional- S.O
fundamentos de sistema operacional- S.O
Pablo Lopes
 
Sistemas Operacionais aula 02
Sistemas Operacionais  aula 02 Sistemas Operacionais  aula 02
Sistemas Operacionais aula 02
Diego Rodrigues
 
QWERTcursos.com - Aula 01 - Sistema Operacional
QWERTcursos.com - Aula 01 - Sistema OperacionalQWERTcursos.com - Aula 01 - Sistema Operacional
QWERTcursos.com - Aula 01 - Sistema Operacional
Roney Sousa
 
Funções e caracteristicas de um so
Funções e caracteristicas de um soFunções e caracteristicas de um so
Funções e caracteristicas de um so
MiriamMiguel
 
1ª aula sistema operacional
1ª aula  sistema operacional1ª aula  sistema operacional
1ª aula sistema operacional
João Freire Abramowicz
 
Aise
AiseAise
Imei módulo3 - ficha formativa nº6
Imei   módulo3 - ficha formativa nº6Imei   módulo3 - ficha formativa nº6
Imei módulo3 - ficha formativa nº6
teacherpereira
 
Conceitos básicos de sistemas operacionais
Conceitos básicos de sistemas operacionaisConceitos básicos de sistemas operacionais
Conceitos básicos de sistemas operacionais
Ronildo Oliveira
 
Sistemas Operacionais
Sistemas OperacionaisSistemas Operacionais
Sistemas Operacionais
Adeildo Telles
 
Noções básicas de Sistemas Operacionais
Noções básicas de Sistemas OperacionaisNoções básicas de Sistemas Operacionais
Noções básicas de Sistemas Operacionais
Luciano Crecente
 
Sistemas Operacionais
Sistemas OperacionaisSistemas Operacionais
Sistemas Operacionais
Newarney da Costa
 
Visão Geral: Estruturas do Sistema Operacional
Visão Geral: Estruturas do Sistema OperacionalVisão Geral: Estruturas do Sistema Operacional
Visão Geral: Estruturas do Sistema Operacional
Alexandre Duarte
 
Sistemas Operacionais - 03 - Tipos e Estrutura dos SO
Sistemas Operacionais - 03 - Tipos e Estrutura dos SOSistemas Operacionais - 03 - Tipos e Estrutura dos SO
Sistemas Operacionais - 03 - Tipos e Estrutura dos SO
Mauro Duarte
 
Notas sobre Sistemas Operacionais
Notas sobre Sistemas Operacionais Notas sobre Sistemas Operacionais
Notas sobre Sistemas Operacionais
Daniel Brandão
 
Sistemas Operacionais - Introducao
Sistemas Operacionais - IntroducaoSistemas Operacionais - Introducao
Sistemas Operacionais - Introducao
Luiz Arthur
 
Teste diagnostico tic 9 e
Teste diagnostico tic 9 eTeste diagnostico tic 9 e
Teste diagnostico tic 9 e
Paulo Reis
 
Tipos de Sistema operacional
Tipos de Sistema operacionalTipos de Sistema operacional
Tipos de Sistema operacional
Gislaine Conceição
 
Aula 3 sistema computacional (hardware e software)
Aula 3   sistema computacional (hardware e software)Aula 3   sistema computacional (hardware e software)
Aula 3 sistema computacional (hardware e software)
Vitor Hugo Melo Araújo
 
Sistemas operativos 10º
Sistemas operativos 10ºSistemas operativos 10º
Sistemas operativos 10º
teacherpereira
 
Sistemas operacionais
Sistemas operacionaisSistemas operacionais
Sistemas operacionais
Samira Magalhaes
 

Destaque (20)

fundamentos de sistema operacional- S.O
fundamentos de sistema operacional- S.Ofundamentos de sistema operacional- S.O
fundamentos de sistema operacional- S.O
 
Sistemas Operacionais aula 02
Sistemas Operacionais  aula 02 Sistemas Operacionais  aula 02
Sistemas Operacionais aula 02
 
QWERTcursos.com - Aula 01 - Sistema Operacional
QWERTcursos.com - Aula 01 - Sistema OperacionalQWERTcursos.com - Aula 01 - Sistema Operacional
QWERTcursos.com - Aula 01 - Sistema Operacional
 
Funções e caracteristicas de um so
Funções e caracteristicas de um soFunções e caracteristicas de um so
Funções e caracteristicas de um so
 
1ª aula sistema operacional
1ª aula  sistema operacional1ª aula  sistema operacional
1ª aula sistema operacional
 
Aise
AiseAise
Aise
 
Imei módulo3 - ficha formativa nº6
Imei   módulo3 - ficha formativa nº6Imei   módulo3 - ficha formativa nº6
Imei módulo3 - ficha formativa nº6
 
Conceitos básicos de sistemas operacionais
Conceitos básicos de sistemas operacionaisConceitos básicos de sistemas operacionais
Conceitos básicos de sistemas operacionais
 
Sistemas Operacionais
Sistemas OperacionaisSistemas Operacionais
Sistemas Operacionais
 
Noções básicas de Sistemas Operacionais
Noções básicas de Sistemas OperacionaisNoções básicas de Sistemas Operacionais
Noções básicas de Sistemas Operacionais
 
Sistemas Operacionais
Sistemas OperacionaisSistemas Operacionais
Sistemas Operacionais
 
Visão Geral: Estruturas do Sistema Operacional
Visão Geral: Estruturas do Sistema OperacionalVisão Geral: Estruturas do Sistema Operacional
Visão Geral: Estruturas do Sistema Operacional
 
Sistemas Operacionais - 03 - Tipos e Estrutura dos SO
Sistemas Operacionais - 03 - Tipos e Estrutura dos SOSistemas Operacionais - 03 - Tipos e Estrutura dos SO
Sistemas Operacionais - 03 - Tipos e Estrutura dos SO
 
Notas sobre Sistemas Operacionais
Notas sobre Sistemas Operacionais Notas sobre Sistemas Operacionais
Notas sobre Sistemas Operacionais
 
Sistemas Operacionais - Introducao
Sistemas Operacionais - IntroducaoSistemas Operacionais - Introducao
Sistemas Operacionais - Introducao
 
Teste diagnostico tic 9 e
Teste diagnostico tic 9 eTeste diagnostico tic 9 e
Teste diagnostico tic 9 e
 
Tipos de Sistema operacional
Tipos de Sistema operacionalTipos de Sistema operacional
Tipos de Sistema operacional
 
Aula 3 sistema computacional (hardware e software)
Aula 3   sistema computacional (hardware e software)Aula 3   sistema computacional (hardware e software)
Aula 3 sistema computacional (hardware e software)
 
Sistemas operativos 10º
Sistemas operativos 10ºSistemas operativos 10º
Sistemas operativos 10º
 
Sistemas operacionais
Sistemas operacionaisSistemas operacionais
Sistemas operacionais
 

Semelhante a Conceitos de sistemas operacionais

Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgelApostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
Pablo Mariano
 
Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgelApostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
Pablo Mariano
 
Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgelApostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
Pablo Mariano
 
Sistemas Operacionais
Sistemas OperacionaisSistemas Operacionais
Sistemas Operacionais
Daniel Paz de Araújo
 
Sistemas Operacionais
Sistemas OperacionaisSistemas Operacionais
Sistemas Operacionais
Adir Kuhn
 
Apostila SO
Apostila SOApostila SO
Apostila SO
Michael Soto
 
resumo-conceitos-de-sistemas-operacionais.pdf
resumo-conceitos-de-sistemas-operacionais.pdfresumo-conceitos-de-sistemas-operacionais.pdf
resumo-conceitos-de-sistemas-operacionais.pdf
RafaelPilan1
 
Sistemas operacionais introdução
Sistemas operacionais introduçãoSistemas operacionais introdução
Sistemas operacionais introdução
Carlos Melo
 
Sistemas Operacionais aula 01
Sistemas Operacionais aula 01Sistemas Operacionais aula 01
Sistemas Operacionais aula 01
Diego Rodrigues
 
Aula01 so
Aula01 soAula01 so
Sistemas Operacionais parte 1
Sistemas Operacionais parte 1Sistemas Operacionais parte 1
Sistemas Operacionais parte 1
Matheus Brito
 
Sistemas Operacionais
Sistemas OperacionaisSistemas Operacionais
Sistemas Operacionais
Sérgio Santos Silva Filho
 
TA1 Slides Acessibilidade - Preto e Branco.pdf
TA1 Slides Acessibilidade - Preto e Branco.pdfTA1 Slides Acessibilidade - Preto e Branco.pdf
TA1 Slides Acessibilidade - Preto e Branco.pdf
SandroPolizelLaurent
 
Aula 03 isc -softwares-hardwares-arquiteturas
Aula 03   isc -softwares-hardwares-arquiteturasAula 03   isc -softwares-hardwares-arquiteturas
Aula 03 isc -softwares-hardwares-arquiteturas
Fábio Andrade
 
ApresentaçãO2 Sistema Operacional
ApresentaçãO2  Sistema OperacionalApresentaçãO2  Sistema Operacional
ApresentaçãO2 Sistema Operacional
Cláudia Costa
 
Sistemas Operacionais
Sistemas OperacionaisSistemas Operacionais
Sistemas Operacionais
Virgínia
 
Sistema operacional-1-ano-de-informatica-completa
Sistema operacional-1-ano-de-informatica-completaSistema operacional-1-ano-de-informatica-completa
Sistema operacional-1-ano-de-informatica-completa
Odeberto Borges Vieira L. da Rocha
 
Infraestrutura de Software - Introdução
Infraestrutura de Software - IntroduçãoInfraestrutura de Software - Introdução
Infraestrutura de Software - Introdução
Rodrigo Rodrigues
 
Revsão sobre sistemas operacionais
Revsão sobre sistemas operacionaisRevsão sobre sistemas operacionais
Revsão sobre sistemas operacionais
Rodrigo Rodrigues
 
Evolução dos sistemas operativos
Evolução dos sistemas operativosEvolução dos sistemas operativos
Evolução dos sistemas operativos
Leo Simões
 

Semelhante a Conceitos de sistemas operacionais (20)

Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgelApostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
 
Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgelApostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
 
Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgelApostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
Apostila de sistemas operacionais emi mario gurgel
 
Sistemas Operacionais
Sistemas OperacionaisSistemas Operacionais
Sistemas Operacionais
 
Sistemas Operacionais
Sistemas OperacionaisSistemas Operacionais
Sistemas Operacionais
 
Apostila SO
Apostila SOApostila SO
Apostila SO
 
resumo-conceitos-de-sistemas-operacionais.pdf
resumo-conceitos-de-sistemas-operacionais.pdfresumo-conceitos-de-sistemas-operacionais.pdf
resumo-conceitos-de-sistemas-operacionais.pdf
 
Sistemas operacionais introdução
Sistemas operacionais introduçãoSistemas operacionais introdução
Sistemas operacionais introdução
 
Sistemas Operacionais aula 01
Sistemas Operacionais aula 01Sistemas Operacionais aula 01
Sistemas Operacionais aula 01
 
Aula01 so
Aula01 soAula01 so
Aula01 so
 
Sistemas Operacionais parte 1
Sistemas Operacionais parte 1Sistemas Operacionais parte 1
Sistemas Operacionais parte 1
 
Sistemas Operacionais
Sistemas OperacionaisSistemas Operacionais
Sistemas Operacionais
 
TA1 Slides Acessibilidade - Preto e Branco.pdf
TA1 Slides Acessibilidade - Preto e Branco.pdfTA1 Slides Acessibilidade - Preto e Branco.pdf
TA1 Slides Acessibilidade - Preto e Branco.pdf
 
Aula 03 isc -softwares-hardwares-arquiteturas
Aula 03   isc -softwares-hardwares-arquiteturasAula 03   isc -softwares-hardwares-arquiteturas
Aula 03 isc -softwares-hardwares-arquiteturas
 
ApresentaçãO2 Sistema Operacional
ApresentaçãO2  Sistema OperacionalApresentaçãO2  Sistema Operacional
ApresentaçãO2 Sistema Operacional
 
Sistemas Operacionais
Sistemas OperacionaisSistemas Operacionais
Sistemas Operacionais
 
Sistema operacional-1-ano-de-informatica-completa
Sistema operacional-1-ano-de-informatica-completaSistema operacional-1-ano-de-informatica-completa
Sistema operacional-1-ano-de-informatica-completa
 
Infraestrutura de Software - Introdução
Infraestrutura de Software - IntroduçãoInfraestrutura de Software - Introdução
Infraestrutura de Software - Introdução
 
Revsão sobre sistemas operacionais
Revsão sobre sistemas operacionaisRevsão sobre sistemas operacionais
Revsão sobre sistemas operacionais
 
Evolução dos sistemas operativos
Evolução dos sistemas operativosEvolução dos sistemas operativos
Evolução dos sistemas operativos
 

Mais de Aparicio Junior

Tips For the TOELF ITP
Tips For the TOELF ITPTips For the TOELF ITP
Tips For the TOELF ITP
Aparicio Junior
 
Mock test structure TOEFL ITP
Mock test structure TOEFL ITPMock test structure TOEFL ITP
Mock test structure TOEFL ITP
Aparicio Junior
 
Mock test reading TOEFL ITP
Mock test reading TOEFL ITPMock test reading TOEFL ITP
Mock test reading TOEFL ITP
Aparicio Junior
 
Mock Test Listening TOEFL ITP
Mock Test Listening TOEFL ITPMock Test Listening TOEFL ITP
Mock Test Listening TOEFL ITP
Aparicio Junior
 
General view of the TOEFL ITP
General view of the TOEFL ITPGeneral view of the TOEFL ITP
General view of the TOEFL ITP
Aparicio Junior
 
HERANÇA - Programação Orientada a Objetos JAVA
HERANÇA - Programação Orientada a Objetos JAVAHERANÇA - Programação Orientada a Objetos JAVA
HERANÇA - Programação Orientada a Objetos JAVA
Aparicio Junior
 
Banco de Dados - Junções Externas e internas
Banco de Dados - Junções Externas e internasBanco de Dados - Junções Externas e internas
Banco de Dados - Junções Externas e internas
Aparicio Junior
 
Lista 2 5
Lista 2 5Lista 2 5
Lista 2 5
Aparicio Junior
 
Aula sobre Programação Orientada a Objetos em Java
Aula sobre Programação Orientada a Objetos em JavaAula sobre Programação Orientada a Objetos em Java
Aula sobre Programação Orientada a Objetos em Java
Aparicio Junior
 
Lista 2 4
Lista 2 4Lista 2 4
Lista 2 4
Aparicio Junior
 
Aula Programação Orientada a Objetos em Java
Aula Programação Orientada a Objetos em JavaAula Programação Orientada a Objetos em Java
Aula Programação Orientada a Objetos em Java
Aparicio Junior
 
Estrutura de Dados - PILHAS
Estrutura de Dados - PILHASEstrutura de Dados - PILHAS
Estrutura de Dados - PILHAS
Aparicio Junior
 
Tutorial instalacão java
Tutorial instalacão javaTutorial instalacão java
Tutorial instalacão java
Aparicio Junior
 
Lista1 3 java
Lista1 3 javaLista1 3 java
Lista1 3 java
Aparicio Junior
 
Lista 2 2 java
Lista 2 2 javaLista 2 2 java
Lista 2 2 java
Aparicio Junior
 
Lista 2 1 java
Lista 2 1 javaLista 2 1 java
Lista 2 1 java
Aparicio Junior
 
Lista 1 9 java
Lista 1 9 javaLista 1 9 java
Lista 1 9 java
Aparicio Junior
 
Lista 1 8 java
Lista 1 8 javaLista 1 8 java
Lista 1 8 java
Aparicio Junior
 
Lista 1 7 java
Lista 1 7 javaLista 1 7 java
Lista 1 7 java
Aparicio Junior
 
Lista 1 6 java
Lista 1 6 javaLista 1 6 java
Lista 1 6 java
Aparicio Junior
 

Mais de Aparicio Junior (20)

Tips For the TOELF ITP
Tips For the TOELF ITPTips For the TOELF ITP
Tips For the TOELF ITP
 
Mock test structure TOEFL ITP
Mock test structure TOEFL ITPMock test structure TOEFL ITP
Mock test structure TOEFL ITP
 
Mock test reading TOEFL ITP
Mock test reading TOEFL ITPMock test reading TOEFL ITP
Mock test reading TOEFL ITP
 
Mock Test Listening TOEFL ITP
Mock Test Listening TOEFL ITPMock Test Listening TOEFL ITP
Mock Test Listening TOEFL ITP
 
General view of the TOEFL ITP
General view of the TOEFL ITPGeneral view of the TOEFL ITP
General view of the TOEFL ITP
 
HERANÇA - Programação Orientada a Objetos JAVA
HERANÇA - Programação Orientada a Objetos JAVAHERANÇA - Programação Orientada a Objetos JAVA
HERANÇA - Programação Orientada a Objetos JAVA
 
Banco de Dados - Junções Externas e internas
Banco de Dados - Junções Externas e internasBanco de Dados - Junções Externas e internas
Banco de Dados - Junções Externas e internas
 
Lista 2 5
Lista 2 5Lista 2 5
Lista 2 5
 
Aula sobre Programação Orientada a Objetos em Java
Aula sobre Programação Orientada a Objetos em JavaAula sobre Programação Orientada a Objetos em Java
Aula sobre Programação Orientada a Objetos em Java
 
Lista 2 4
Lista 2 4Lista 2 4
Lista 2 4
 
Aula Programação Orientada a Objetos em Java
Aula Programação Orientada a Objetos em JavaAula Programação Orientada a Objetos em Java
Aula Programação Orientada a Objetos em Java
 
Estrutura de Dados - PILHAS
Estrutura de Dados - PILHASEstrutura de Dados - PILHAS
Estrutura de Dados - PILHAS
 
Tutorial instalacão java
Tutorial instalacão javaTutorial instalacão java
Tutorial instalacão java
 
Lista1 3 java
Lista1 3 javaLista1 3 java
Lista1 3 java
 
Lista 2 2 java
Lista 2 2 javaLista 2 2 java
Lista 2 2 java
 
Lista 2 1 java
Lista 2 1 javaLista 2 1 java
Lista 2 1 java
 
Lista 1 9 java
Lista 1 9 javaLista 1 9 java
Lista 1 9 java
 
Lista 1 8 java
Lista 1 8 javaLista 1 8 java
Lista 1 8 java
 
Lista 1 7 java
Lista 1 7 javaLista 1 7 java
Lista 1 7 java
 
Lista 1 6 java
Lista 1 6 javaLista 1 6 java
Lista 1 6 java
 

Último

Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdfEletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
barbosajucy47
 
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWSSubindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Ismael Ash
 
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebuliçãoExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão
 
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptxSegurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
Divina Vitorino
 
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
Faga1939
 
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoudFerramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ismael Ash
 
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docxse38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
ronaldos10
 

Último (7)

Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdfEletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
Eletiva_O-mundo-conectado-Ensino-Médio.docx.pdf
 
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWSSubindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
Subindo uma aplicação WordPress em docker na AWS
 
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebuliçãoExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
ExpoGestão 2024 - Desvendando um mundo em ebulição
 
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptxSegurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
Segurança da Informação - Onde estou e para onde eu vou.pptx
 
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL + COMPUTAÇÃO QUÂNTICA = MAIOR REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA D...
 
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoudFerramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de   DevOps/CLoud
Ferramentas que irão te ajudar a entrar no mundo de DevOps/CLoud
 
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docxse38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
se38_layout_erro_xxxxxxxxxxxxxxxxxx.docx
 

Conceitos de sistemas operacionais

  • 1. Conceito de Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais - Prof. Danilo Plano de Aula OBJETIVO: O Aluno irá aprender conceitos, funções e evolução dos sistemas operacionais. Fonte: Sistemas operacionais / Érika Lopes Vilela. Colatina: CEAD / Ifes, 2009. 1
  • 2. Segundo o Aurélio (verbete sistema), sistema operacional é um conjunto integrado de programas básicos, projetado para supervisionar e controlar a execução de programas de aplicação em um computador. Já para Silberschatz, um sistema operacional é um programa que atua como intermediário entre o usuário e o hardware de um computador. (Figura a seguir). O propósito de um sistema operacional é propiciar um ambiente no qual o usuário possa executar outros programas de forma conveniente, por esconder detalhes internos de funcionamento e eficiente, por procurar gerenciar da melhor forma os recursos do sistema. Já para Tanenbaum, um sistema operacional é uma máquina estendida. O que é um sistema operacional? Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 2
  • 3. O que é um sistema operacional? Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 3
  • 4. Facilidade de acesso aos recursos do sistema. Um sistema de computação possui, normalmente, diversos componentes, como monitores, impressoras e discos rígidos. Quando utilizamos um desses dispositivos, não nos preocupamos com a maneira como é realizada esta comunicação e os inúmeros detalhes envolvidos. Ao salvar um arquivo, você se preocupa em qual trilha ou setor deverá ser armazenado a informação ? O sistema operacional, então serve de interface entre o usuário e os recursos de hardware, tornando esta comunicação transparente (ou imperceptível) e permitindo ao usuário um trabalho mais eficiente e com menores chances de erros. Este conceito de ambiente simulado, criado pelo sistema operacional, é denominado máquina virtual (virtual machine) e está presente, de alguma forma, na maioria dos sistemas atuais. Função de um sistema operacional Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 4
  • 5. Compartilhamento de recursos de forma organizada e protegida. O SO nos permite executar várias tarefas, como imprimir um documento, copiar um arquivo pela internet ou processar uma planilha, aparentemente tudo ao mesmo tempo. O SO deve ser capaz de controlar a execução concorrente de todas essas tarefas. De um modo geral, os programas que os usuários executam não são escritos para um processador, mas sim para um SO. Isto facilita a comunicação do programa com o hardware do computador. As tarefas são executadas pelo SO, tornando os programas menores e mais fáceis de serem programados. Função de um sistema operacional Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 5
  • 6. Compartilhamento de recursos de forma organizada e protegida. Em uma situação ideal, somente o sistema operacional deve ter acesso ao hardware do computador. Função de um sistema operacional Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 6 Sistema operacional ESTÁVEL e SEGURO. Ex. (Windows Server, Linux). Se o programa não estivesse bem escrito, isto inevitavelmente era refletido no hardware, fazendo com que o programa parasse por travamento. Ex. (DOS, Windows 3, 95, 98 e ME).
  • 7. A linguagem entendida pelo computador é uma linguagem binária de difícil entendimento pelos seres humanos, sendo chamada de linguagem de “baixo nível” ou “de máquina”. As linguagens mais próximas aos seres humanos são classificadas como linguagens de “alto nível”. Podemos considerar o computador como uma máquina de níveis ou camadas, onde inicialmente existem dois níveis: o nível 0 (hardware) e o nível 1 (sistema operacional). Os aplicativos são programas executados pelo usuário. Os utilitários são programas de uso genérico e frequente, geralmente fornecidos junto com o SO. Máquina de Níveis Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 7
  • 8. Máquina de Níveis Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 8
  • 9. Um sistema operacional pode então ser definido sob dois aspectos: como uma máquina estendida ou máquina virtual e como um gerenciador de recursos. O sistema operacional, como uma máquina virtual, esconde do programador detalhes do hardware, apresentando uma visão simples deste hardware, mais conveniente e mais fácil de utilizar. O sistema operacional, como um gerenciador de recursos, fornece uma alocação controlada e ordenada dos recursos do computador entre os vários programas que competem por esses recursos. Os recursos incluem processadores, memórias, dispositivos de E/S (unidades de disco, impressoras, mouse, etc.), interfaces de rede, dentre outros. Máquina de Níveis Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 9
  • 10. Desde os tempos do computador programado por chaves e cabos até o surgimento do teclado e impressora de caracteres, procurou-se ao longo do processo evolutivo do computador tornar a sua utilização mais amigável, precisa, rápida e eficaz. O conjunto de equipamentos e recursos utilizados para que o homem possa controlar o computador é genericamente denominado interface. O aprimoramento da interface atingiu o ponto em que o usuário passou a interagir com pequenos desenhos ou símbolos de objetos comuns ao seu trabalho. Pensou-se em representar, por exemplo, a tarefa de impressão de documentos pelo desenho de uma pequena impressora e a eliminação de um documento por uma pequena lixeira. Surgiram os ícones. Evolução dos Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 10
  • 11. No início da Segunda Guerra Mundial, surgiram os primeiros computadores digitais, formados por milhares de válvulas, que ocupavam áreas enormes, sendo de funcionamento lento e duvidoso. O ENIAC (Electronic Numerical Integrator and Computer) o primeiro computador digital de propósito geral. Criado para a realização de cálculos balísticos, sua estrutura possuía 17.468 válvulas, 10 mil capacitores, 70 mil resistores e pesava 32 toneladas. Quando em operação era capaz de realizar 5 mil adições por segundo. A programação era feita em painéis, através de fios, utilizando linguagem de máquina. Não existia o conceito de “sistema operacional”. Outros computadores foram construídos nessa época, mas eram utilizados apenas em universidades e órgãos militares. Primeira Fase (1945-1955) Válvulas e Painéis de Programação Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 11
  • 12. Muitas empresas foram fundadas ou investiram no setor, como, por exemplo, a IBM, o que levou à criação dos primeiros computadores para aplicações comerciais. 1953 – IBM 701 – 1º Primeiro SO da IBM – FMS (Fortran Monitor System). Primeira Fase (1945-1955) Válvulas e Painéis de Programação Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 12
  • 13. A criação do transistor e das memórias magnéticas contribuiu para o enorme avanço dos computadores da época. Acesso mais rápido aos dados, maior capacidade de armazenamento e computadores menores. Surgiram os primeiros sistemas operacionais, para tentar automatizar as tarefas manuais até então realizadas e as primeiras linguagens de programação, como Assembly e Fortran. Os programas deixaram de ser feitos diretamente no hardware, o que facilitou enormemente o processo de desenvolvimento de programas. Surgiu o processamento em batch, onde um lote (batch) de programas e de dados era submetido ao computador por vez. a) Os programas passaram a ser perfurados em cartões que, submetidos a uma leitora, eram processados e gravados em uma fita de entrada. b) A fita de entrada, então, era lida pelo computador, que executava um programa de cada vez, processando e gravando o resultado em uma fita de saída. c) Ao término de todos os programas, as fitas de saída eram lidas e processadas novamente para serem impressas, gerando assim os relatórios. (Figura a seguir). Segunda Fase (1956-1965) Transistores e Sistemas em Lote (batch) Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 13
  • 14. Segunda Fase (1956-1965) Transistores e Sistemas em Lote (batch) Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 14
  • 15. A evolução dos processadores de entrada/saída permitiu que, enquanto um programa esperasse por uma operação de leitura/gravação, o processador executasse um outro programa. A memória foi dividida em partições, onde cada programa esperava sua vez para ser processado. A essa técnica de compartilhamento da memória principal e processador deu-se o nome de multiprogramação. Com a substituição das fitas por discos no processo de submissão dos programas, o processamento batch tornou-se mais eficiente, pois permitia a alteração na ordem de execução das tarefas, até então somente sequencial. A essa técnica de submissão de programas chamou-se spooling, que, mais tarde, também viria a ser utilizada no processo de impressão. Para permitir a interação rápida entre o usuário e o computador, foram adicionados terminais de vídeo e teclado (interação on-line). A multiprogramação evoluiu e cada programa na memória utilizaria o processador em pequenos intervalos de tempo. A esse sistema de divisão de tempo do processador chamou-se time-sharing (tempo compartilhado). Nesta fase surgiu o UNIX. Terceira Fase (1966-1980) Circuitos Integrados e Multiprogramação Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 15
  • 16. Surgem as estações de trabalho (workstations) que, apesar de monousuárias, permitem que se executem diversas tarefas concorrentemente, criando o conceito de multitarefa. No final dos anos 80 os computadores tiveram um grande avanço com a adição de mais processadores, exigindo dos sistemas operacionais novos mecanismos de controle e sincronismo. Com o multiprocessamento, foi possível a execução de mais de um programa simultaneamente, ou até de um mesmo programa por mais de um processador. Foram introduzidos processadores vetoriais e técnicas de paralelismo de processamento, fazendo com que os computadores se tornassem ainda mais poderosos. O uso das redes distribuídas se difundiu por todo o mundo, permitindo o acesso a outros sistemas de computação, independentemente de cidade, país e, até mesmo, fabricante. Os softwares de rede passaram a estar intimamente relacionados com o sistema operacional de cada máquina e surgem os sistemas operacionais de rede. Quarta Fase (1981-1990) Computadores Pessoais Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 16
  • 17. Houve grandes avanços em termos de hardware, software e telecomunicações como consequência da evolução das aplicações, que necessitavam cada vez mais de capacidade de processamento e armazenamento de dados. Sistemas especialistas, sistemas multimídia, bancos de dados distribuídos, inteligência artificial e redes neurais são apenas alguns exemplos da necessidade cada vez maior de informação e de capacidade de processamento. O conceito de processamento distribuído é explorado nos sistemas operacionais, de forma que suas funções estejam espalhadas por vários processadores através de redes de computadores. A arquitetura cliente-servidor passa a ser oferecida em redes distribuídas, permitindo que qualquer pessoa tenha acesso a todo tipo de informação, independentemente de onde esteja armazenada. A década de 90 foi definitiva para a consolidação dos sistemas operacionais baseados em interfaces gráficas. Quinta Fase (1991-2000) Sistemas Operacionais - Prof. Danilo 17
  • 18. Mãos a obra (Instalação do Windows 7) 18 Sistemas Operacionais - Prof. Danilo