SlideShare uma empresa Scribd logo
 Prof.º Luciano Pessanha
www.lucianopessanhageo.blogspot.com
ÁSIA
Quadro HUMANO
SOCIOECONÔMICO
População Asiática
- Total: 3.902.404.193 habitantes
- Densidade: 89,07 hab./km² (36% é urbana)
- Crescimento Populacional: 1,3% ao ano (os países pobres crescem mais)
- País mais populoso: R. P. China (1,321,851,888 hab.)
- País menos populoso: Maldivas (359.106 hab.)
- País mais povoado: Singapura (6.389 hab./km²)
- País menos povoado: Mongólia (1 hab./km²)
A População asiática é predominantemente rural e concentra-se
nas áreas férteis de planícies fluviais (rios); A população se
distribui irregularmente pelo território porque fatores
naturais dificultam a ocupação humana (desertos, áreas
frias e altas altitudes) com altas concentrações populacionais em
algumas áreas e vazios demográficos em outras;
A grande quantidade de população acarreta graves problemas
para as cidades que não possuem infra-estrutura adequada
para atendê-los. Faltam moradias, empregos, água,
saneamento básico, hospitais, o que ocasionam problemas
ambientais como a poluição do ar, das águas e grande
quantidade de lixo produzido diariamente;
Asia   quadro humano e economico
Asia   quadro humano e economico
Ásia - População
A Ásia possui atualmente (2009), 3,7 bilhões de habitantes (quase 65%).
Esse número represente mais da metade da população mundial num único
continente.
Esse número levante uma dúvida:
PODERÁ ESSA IMENSA POPULAÇÃO ALCANÇAR PADRÕES DE VIDA
ELEVADOS SEM COMPROMETER SERIAMENTE OS RECURSOS
NATURAIS DE SEUS PAÍSES E DO MUNDO ?
Desenvolvimento X 1 Bilhão de pessoas
População Asiática
Distribuição da População na Ásia
A China ( mais de 1,5 bilhão de hab.) e a Índia (mais de 1,2 bilhões de hab.)
são os países mais populosos
A maior parte da população concentra-se na parte litorânea (sul e leste do
continente) onde estão as planícies, favoráveis a agricultura. O interior é
cheio de montanhas e o clima e rigoroso assim como na parte ao norte.
Há áreas onde a concentração de pessoas (densidade demográfica) é muito
elevada como em Bangladesh (880 hab./Km2) e Índia (303 hab./Km2) e
outras com pouca concentração de pessoas como os desertos, montanhas e
extremo norte da Rússia e Mongólia.
Densidade Demográfica no Mundo
Políticas de Controle de Natalidade
 Devido ao constante crescimento da população
asiática foi necessário aos governos de alguns
países criar programas de controle de
natalidade.
China – Política do Filho Único
 Na China onde foi implantado a política do filho
único nas áreas urbanas (nas rurais pode-se
ter o 2º filho desde que o primeiro seja mulher)
Quem tem o 2º filho nas cidades paga multas e
perde direitos de cidadania para a criança. Isso
não é bom pois na China não há hospitais ou
escolas particulares. Os ricos podem pagar as
multas
 Na china não é permitido aos pais ou familiares
saber o sexo do bebê antes do nascimento
devido ao infanticídio feminino (a mulher não
carrega o nome da família do pai destruindo a
geração dos seus antepassados pois assume o
nome do marido). Isso gera um desequilíbrio
populacional com muito mais homens do que
mulheres na sociedade.
 Na internet já se percebe uma grande
quantidade de chineses procurando estrangeiras
em agências de casamento.
China - Propaganda Anti-Natalidade
Asia   quadro humano e economico
O governo decidiu reduzir o preço dos aparelhos de TV na Índia.
"O entretenimento é um componente importante da política de
controle da população", "Queremos que o povo veja televisão
Na Índia foram realizadas políticas de
conscientização por meios de comunicação e
planejamento familiar nas escolas.
India – Controle de Natalidade
População da Índia 2000 a 2005
Taxa de Natalidade na Índia
Taxa de Fecundidade e Mortalidade Infantil
Expectativa de Vida - Índia
População x Extinção de Animais
Na Índia, sete mil mulheres morrem por causa do dote - cerca de vinte por dia - assassinadas ou
por suicídio. As peças abaixo mostram a palavra dote (dowry) em ilustrações de forca, faca e poço,
numa alusão aos instrumentos mais usados nessas mortes.
A tradição não se limita ao mero desembolso econômico no momento do casamento, já que, nos
meses e anos seguintes, é possível que o marido e sua família continuem pedindo dinheiro ou bens à
esposa em relação às despesas vinculadas ao casamento, ou como confirmação de certo status
social. Por causa das chantagens, extorsões e maus-tratos, o pagamento do dote foi proibido na Índia
em 1961 com uma lei chamada Dowry Prohibition Act, aplicável quando uma mulher casada morre
em circunstâncias estranhas: nesse caso, o acusado, normalmente o marido, é considerado culpado
até que se prove o contrário.A lei só ampara as mulheres por sete anos após o casamento, prazo no
qual se considera que são mais vulneráveis de sofrer abusos relacionados com o dote.
Dote X Violência contras a Mulher
3 Civilizações do Mundo Moderno tem sua
origem na Ásia
1) CIVILIZAÇÃO HINDU OU
HINDUÍSTA
Divindade : Brahma( o que se encontra na essência de tudo
que existe).
Também chamada de Bramanismo.
Acreditam que a situação de miséria do presente é
resultado de erros cometidos no passado e sua aceitação
indicará uma vida melhor na próxima encarnação.
Praticas da bondade encontra-se nos Vedas, conjunto de
orações que foram transmitidas oralmente de geração em
geração antes de serem escritas. Acreditam na
reencarnação pela transmigração do carma, a alma, de um
corpo para outro humano ou animal.
O rio Ganges é considerado sagrado.
Sistema de casta
Castas: sociedade dividida em grupos, cujo
integrantes não podem casar entre si.
Hierarquia social:
4. Sacerdotes - brâmanes 5.
Militares - xátrias
6. Comerciantes, artesãos e camponeses - vaixias 7.
Serviam as demais castas - sudras 8. Marginalizados,
sem qualquer direito - párias
Em 1947 o sistema de castas foi extinto oficialmente, porém
continua vigorando no cotidiano da cultura indiana.
Asia   quadro humano e economico
Brahma
Mahatma Gandhi
Mahatma Gandhi (1869 –
1948)
Líder pacifista Gandhi ajudou a
indiano. Principal libertar a Índia do
personalidade da governo britânico,
independência da inspirando outros
Índia. povos coloniais a
trabalhar pelas suasEinstein era um de
própriasseus maiores
independênciasadmiradores. Martin
Luther King inspirou- Frequentemente
se nele. Mahatma Gandhi afirmava a
Gandhi é um dos simplicidade de seus
grandes homens do valores, derivados da
século XX. crença tradicional
hindu: verdade
(satya) e não-
2) CIVILIZAÇÃO ISLÂMICA
Religião maometana, conhecida
como muçulmana.
Criada por Maomé no séc. VII.
Dinvidade: Alá, e o próprio
Maomé.
Livro sagrado: Alcorão ou Corão. Irã
possui um governo teocrático, política e
religião se misturam, autoridades
religiosas acabam ocupando cargos
importantes no
Divide-se em correntes, as mais
conhecidas são a sunita e xiita.
Sunita - mais moderada, separa política de religião.
Xiita - mais radical, fundamentalismo islâmico.
Arábia Saudita exemplo de governo xiita.
MundoÁrabe
3) CIVILIZAÇÃO CHINESA
Formam a base da civilização
chinesa - confucionismo, taoísmo e
budismo.
Confucionismo
Baseado nos ensinamentos de Confúcio, formulados no século V
a.C, introduziu um conjunto de regras que pregam o respeito ao
idoso, a família e a pátria.
"A sinceridade é principio e fim de
todas as coisas. Sem a sinceridade nada
seria possível.“
"O homem não deve viver retirado, mas entre a humanidade,
participando de suas dores. “ "Amemos os outros como a nós
mesmos, sintamos as suas dores e as suas alegrias como se fossem
as nossas dores e as nossas alegrias. E quando quisermos para eles
o mesmo que queremos para nós; e quando temermos para eles o
mesmo que para nós tememos- então seguiremos as leis da
verdadeira caridade."
Taoísmo
Baseado num livro chamado Tao Te Ching,
atribuído ao filosofo Lao-tsé, que viveu no
século VI a.C.
Segundo o Tao o mundo é dinâmico, com
contradições que se completam: o yin e o yang, a
busca do equilíbrio, mesmo que um dos dois
lados se sobreponha ao outro
momentaneamente, a vida é uma busca do
equilíbrio entre essas duas forças.
A acupuntura é um exemplo de utilização do
taoísmo no cotidiano da civilização ocidental, pois
parte do principio de que o corpo e o espírito estão
em equilíbrio, se o corpo adoece é porque o
espírito sofre.
Budismo
Budismo: Surgiu na Índia, VI a.C. Siddharta Gautama,
posteriormente chamado de Buda,”O
iluminado”, foi o fundador do budismo.
Pregava contra o sistema de casta.
A ideia fundamental é a de que o homem deve abandonar os
desejos materiais e BUSCAR A ILUMINAÇÃO
JERUSALÉM
A Cidade 3 vezes Santa
A terra santa para cristãos, judeus e muçulmanos
JUDEUS: Jerusalém é importante para os judeus por ter sido a
capital do reino de Judá e por abrigar as ruínas do Templo de
Salomão. Este templo fora construído a mando do rei judaico
entre 974-937 a.C. e era onde ficavam as tábuas dos 10
mandamentos. O templo foi destruído e reconstruído várias
vezes, e o que sobrou dele é chamado de Muro das
Lamentações. Esse nome se deve ao fato de os judeus – de
várias partes do mundo – se dirigirem para lá para orar e
lamentar a dispersão de seu povo após a destruição da cidade
pelos antigos romanos.
CRISTÃOS: A cidade é sagrada por ser o local onde Jesus
padeceu e foi morto, segundo as indicações bíblicas. Sobre o
local onde Jesus teria sido sepultado, construiu-se a Basílica do
Santo Sepulcro, no alto da Via Sacra, caminho que ele teria
percorrido com a Cruz nos ombros. Até hoje, recebe muitos
religiosos em procissão.
MUÇULMANOS: Para os muçulmanos, Jerusalém é uma cidade
santa porque lá se localiza a mesquita que abriga o Domo da
Rocha, ou seja, o rochedo de onde Maomé teria alçado voo aos
céus.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Regionalização do espaço brasileiro fundamental
Regionalização do espaço brasileiro    fundamentalRegionalização do espaço brasileiro    fundamental
Regionalização do espaço brasileiro fundamental
Abner de Paula
 
Regionalização da américa
Regionalização da américaRegionalização da américa
Regionalização da américa
Gustavo Silva de Souza
 
Oriente Médio
Oriente MédioOriente Médio
Oriente Médio
Márcia Dutra
 
Vegetação Brasileira
Vegetação BrasileiraVegetação Brasileira
Vegetação Brasileira
Cleber Reis
 
AMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINAAMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINA
Conceição Fontolan
 
A Regionalização da América
A Regionalização da AméricaA Regionalização da América
A Regionalização da América
Cadernizando
 
Europa economia
Europa   economiaEuropa   economia
Europa economia
Camila Brito
 
América anglo saxônica
América anglo saxônicaAmérica anglo saxônica
América anglo saxônica
Professor
 
Tigres asiáticos
Tigres asiáticos  Tigres asiáticos
Tigres asiáticos
Camila Brito
 
Europa 9º
Europa 9ºEuropa 9º
Europa 9º
flaviocosac
 
Europa – aspectos naturais
Europa – aspectos naturaisEuropa – aspectos naturais
Europa – aspectos naturais
Professor
 
Capitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismoCapitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismo
André Luiz Marques
 
Aspectos naturais europa
Aspectos naturais europaAspectos naturais europa
Aspectos naturais europa
Prof.Paulo/geografia
 
Ásia
ÁsiaÁsia
Europa apresentação
Europa   apresentaçãoEuropa   apresentação
Europa apresentação
robertobraz
 
Oceania
OceaniaOceania
Aspectos Naturais do continente americano
Aspectos Naturais do continente americanoAspectos Naturais do continente americano
Aspectos Naturais do continente americano
Claudio Henrique Ramos Sales
 
América central
América  centralAmérica  central
América central
Agla Santos
 
África – clima e vegetação
África – clima e vegetaçãoÁfrica – clima e vegetação
África – clima e vegetação
Gerson Francisco de Moraes
 
Modulo 12 - América Latina - a produção econômica
Modulo 12 - América Latina - a produção econômicaModulo 12 - América Latina - a produção econômica
Modulo 12 - América Latina - a produção econômica
Claudio Henrique Ramos Sales
 

Mais procurados (20)

Regionalização do espaço brasileiro fundamental
Regionalização do espaço brasileiro    fundamentalRegionalização do espaço brasileiro    fundamental
Regionalização do espaço brasileiro fundamental
 
Regionalização da américa
Regionalização da américaRegionalização da américa
Regionalização da américa
 
Oriente Médio
Oriente MédioOriente Médio
Oriente Médio
 
Vegetação Brasileira
Vegetação BrasileiraVegetação Brasileira
Vegetação Brasileira
 
AMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINAAMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINA
 
A Regionalização da América
A Regionalização da AméricaA Regionalização da América
A Regionalização da América
 
Europa economia
Europa   economiaEuropa   economia
Europa economia
 
América anglo saxônica
América anglo saxônicaAmérica anglo saxônica
América anglo saxônica
 
Tigres asiáticos
Tigres asiáticos  Tigres asiáticos
Tigres asiáticos
 
Europa 9º
Europa 9ºEuropa 9º
Europa 9º
 
Europa – aspectos naturais
Europa – aspectos naturaisEuropa – aspectos naturais
Europa – aspectos naturais
 
Capitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismoCapitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismo
 
Aspectos naturais europa
Aspectos naturais europaAspectos naturais europa
Aspectos naturais europa
 
Ásia
ÁsiaÁsia
Ásia
 
Europa apresentação
Europa   apresentaçãoEuropa   apresentação
Europa apresentação
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
 
Aspectos Naturais do continente americano
Aspectos Naturais do continente americanoAspectos Naturais do continente americano
Aspectos Naturais do continente americano
 
América central
América  centralAmérica  central
América central
 
África – clima e vegetação
África – clima e vegetaçãoÁfrica – clima e vegetação
África – clima e vegetação
 
Modulo 12 - América Latina - a produção econômica
Modulo 12 - América Latina - a produção econômicaModulo 12 - América Latina - a produção econômica
Modulo 12 - América Latina - a produção econômica
 

Destaque

ÁSIA O QUADRO HUMANO E SOCIAL
ÁSIA O QUADRO HUMANO E SOCIALÁSIA O QUADRO HUMANO E SOCIAL
ÁSIA O QUADRO HUMANO E SOCIAL
Gustavo Silva de Souza
 
Canadá
CanadáCanadá
Conjuntos numéricos versão mini
Conjuntos numéricos   versão miniConjuntos numéricos   versão mini
Conjuntos numéricos versão mini
Luciano Pessanha
 
TEORIA DE CONJUNTOS
TEORIA DE CONJUNTOS TEORIA DE CONJUNTOS
TEORIA DE CONJUNTOS
Luciano Pessanha
 
Blocos econômicos
Blocos econômicosBlocos econômicos
Blocos econômicos
Luciano Pessanha
 
áSia Quadro Natural
áSia   Quadro NaturaláSia   Quadro Natural
áSia Quadro Natural
Luciano Pessanha
 
Japão aspectos naturais, humanos e econômicos
Japão aspectos naturais, humanos e econômicosJapão aspectos naturais, humanos e econômicos
Japão aspectos naturais, humanos e econômicos
Fernanda Lopes
 
México
MéxicoMéxico
Africa quadro humano
Africa   quadro humanoAfrica   quadro humano
Africa quadro humano
Luciano Pessanha
 
Brasil construção do espaço
Brasil   construção do espaçoBrasil   construção do espaço
Brasil construção do espaço
Luciano Pessanha
 
Africa quadro natural
Africa   quadro naturalAfrica   quadro natural
Africa quadro natural
Luciano Pessanha
 
ÁSIA humano
ÁSIA humanoÁSIA humano
Eua aula 1
Eua   aula 1Eua   aula 1
Eua aula 1
Luciano Pessanha
 
Asia_aspectos naturais
Asia_aspectos naturaisAsia_aspectos naturais
Asia_aspectos naturais
João José Ferreira Tojal
 
Ásia
ÁsiaÁsia
Ásia
PAFB
 
ORIENTE MÉDIO - ÁSIA (1º ANO - OBJETIVO)
ORIENTE MÉDIO - ÁSIA (1º ANO - OBJETIVO)ORIENTE MÉDIO - ÁSIA (1º ANO - OBJETIVO)
ORIENTE MÉDIO - ÁSIA (1º ANO - OBJETIVO)
Guilherme Lemos
 
Extremo oriente aspectos gerais
Extremo oriente aspectos geraisExtremo oriente aspectos gerais
Extremo oriente aspectos gerais
Laylis Amanda
 
Europa quadro socioeconomico
Europa   quadro socioeconomicoEuropa   quadro socioeconomico
Europa quadro socioeconomico
Luciano Pessanha
 
áSia localização e quadro natural final
áSia   localização e quadro natural finaláSia   localização e quadro natural final
áSia localização e quadro natural final
Luciano Pessanha
 

Destaque (20)

ÁSIA O QUADRO HUMANO E SOCIAL
ÁSIA O QUADRO HUMANO E SOCIALÁSIA O QUADRO HUMANO E SOCIAL
ÁSIA O QUADRO HUMANO E SOCIAL
 
Canadá
CanadáCanadá
Canadá
 
Conjuntos numéricos versão mini
Conjuntos numéricos   versão miniConjuntos numéricos   versão mini
Conjuntos numéricos versão mini
 
TEORIA DE CONJUNTOS
TEORIA DE CONJUNTOS TEORIA DE CONJUNTOS
TEORIA DE CONJUNTOS
 
Blocos econômicos
Blocos econômicosBlocos econômicos
Blocos econômicos
 
áSia Quadro Natural
áSia   Quadro NaturaláSia   Quadro Natural
áSia Quadro Natural
 
Migrações no brasil
Migrações no brasilMigrações no brasil
Migrações no brasil
 
Japão aspectos naturais, humanos e econômicos
Japão aspectos naturais, humanos e econômicosJapão aspectos naturais, humanos e econômicos
Japão aspectos naturais, humanos e econômicos
 
México
MéxicoMéxico
México
 
Africa quadro humano
Africa   quadro humanoAfrica   quadro humano
Africa quadro humano
 
Brasil construção do espaço
Brasil   construção do espaçoBrasil   construção do espaço
Brasil construção do espaço
 
Africa quadro natural
Africa   quadro naturalAfrica   quadro natural
Africa quadro natural
 
ÁSIA humano
ÁSIA humanoÁSIA humano
ÁSIA humano
 
Eua aula 1
Eua   aula 1Eua   aula 1
Eua aula 1
 
Asia_aspectos naturais
Asia_aspectos naturaisAsia_aspectos naturais
Asia_aspectos naturais
 
Ásia
ÁsiaÁsia
Ásia
 
ORIENTE MÉDIO - ÁSIA (1º ANO - OBJETIVO)
ORIENTE MÉDIO - ÁSIA (1º ANO - OBJETIVO)ORIENTE MÉDIO - ÁSIA (1º ANO - OBJETIVO)
ORIENTE MÉDIO - ÁSIA (1º ANO - OBJETIVO)
 
Extremo oriente aspectos gerais
Extremo oriente aspectos geraisExtremo oriente aspectos gerais
Extremo oriente aspectos gerais
 
Europa quadro socioeconomico
Europa   quadro socioeconomicoEuropa   quadro socioeconomico
Europa quadro socioeconomico
 
áSia localização e quadro natural final
áSia   localização e quadro natural finaláSia   localização e quadro natural final
áSia localização e quadro natural final
 

Semelhante a Asia quadro humano e economico

ÍNDIA
ÍNDIAÍNDIA
ÍNDIA
Manu Costa
 
#Diversidade Cultural.ppt sociologia E.M
#Diversidade Cultural.ppt sociologia E.M#Diversidade Cultural.ppt sociologia E.M
#Diversidade Cultural.ppt sociologia E.M
AurileneSousa9
 
Cartilha-Indigenas-1.pdf
Cartilha-Indigenas-1.pdfCartilha-Indigenas-1.pdf
Cartilha-Indigenas-1.pdf
JaquelineSouza798953
 
Religioes indigenas
Religioes indigenasReligioes indigenas
Religioes indigenas
Antonio Miranda Pereira
 
A visão africana em relação à natureza
A visão africana em relação à naturezaA visão africana em relação à natureza
A visão africana em relação à natureza
Edineuda Soares
 
Racismo
RacismoRacismo
indíegnas no ceara.ppt
indíegnas no ceara.pptindíegnas no ceara.ppt
indíegnas no ceara.ppt
Zé Neto
 
Cf 2007-palestra
Cf 2007-palestraCf 2007-palestra
Cf 2007-palestra
MJohnnyIS
 
Cultura Um Conceito Antropológico
Cultura Um Conceito AntropológicoCultura Um Conceito Antropológico
Cultura Um Conceito Antropológico
Dacifran Carvalho
 
Infanticidio y derechos_humanos
Infanticidio y derechos_humanosInfanticidio y derechos_humanos
Infanticidio y derechos_humanos
Rony Keito
 
Diversidade cultural
Diversidade culturalDiversidade cultural
Diversidade cultural
Carla Silva
 
Mapa de História das religiões.pptx
Mapa de História das religiões.pptxMapa de História das religiões.pptx
Mapa de História das religiões.pptx
LucasSantana421078
 
Idade Antiga - Índia
Idade Antiga - ÍndiaIdade Antiga - Índia
Idade Antiga - Índia
isameucci
 
Apresentação Medicina tradicional (2).pptx
Apresentação Medicina tradicional (2).pptxApresentação Medicina tradicional (2).pptx
Apresentação Medicina tradicional (2).pptx
VivianaGraziela
 
Índia.pdf
Índia.pdfÍndia.pdf
Índia.pdf
VillaLobosWilson
 
A população Indígena Mundial, Brasil, Maranhão, Bom Jardim
A população Indígena Mundial, Brasil, Maranhão, Bom JardimA população Indígena Mundial, Brasil, Maranhão, Bom Jardim
A população Indígena Mundial, Brasil, Maranhão, Bom Jardim
Adilson P Motta Motta
 
Uma conquista dos Povos Indígenas
Uma conquista dos Povos Indígenas Uma conquista dos Povos Indígenas
Uma conquista dos Povos Indígenas
MarcosAll1
 
Diálogo inter religioso
Diálogo inter religiosoDiálogo inter religioso
Diálogo inter religioso
luciano
 
Trabalho de ensino religioso
Trabalho de ensino religiosoTrabalho de ensino religioso
Trabalho de ensino religioso
thayscler
 
Trabalho de ensino religioso
Trabalho de ensino religiosoTrabalho de ensino religioso
Trabalho de ensino religioso
thayscler
 

Semelhante a Asia quadro humano e economico (20)

ÍNDIA
ÍNDIAÍNDIA
ÍNDIA
 
#Diversidade Cultural.ppt sociologia E.M
#Diversidade Cultural.ppt sociologia E.M#Diversidade Cultural.ppt sociologia E.M
#Diversidade Cultural.ppt sociologia E.M
 
Cartilha-Indigenas-1.pdf
Cartilha-Indigenas-1.pdfCartilha-Indigenas-1.pdf
Cartilha-Indigenas-1.pdf
 
Religioes indigenas
Religioes indigenasReligioes indigenas
Religioes indigenas
 
A visão africana em relação à natureza
A visão africana em relação à naturezaA visão africana em relação à natureza
A visão africana em relação à natureza
 
Racismo
RacismoRacismo
Racismo
 
indíegnas no ceara.ppt
indíegnas no ceara.pptindíegnas no ceara.ppt
indíegnas no ceara.ppt
 
Cf 2007-palestra
Cf 2007-palestraCf 2007-palestra
Cf 2007-palestra
 
Cultura Um Conceito Antropológico
Cultura Um Conceito AntropológicoCultura Um Conceito Antropológico
Cultura Um Conceito Antropológico
 
Infanticidio y derechos_humanos
Infanticidio y derechos_humanosInfanticidio y derechos_humanos
Infanticidio y derechos_humanos
 
Diversidade cultural
Diversidade culturalDiversidade cultural
Diversidade cultural
 
Mapa de História das religiões.pptx
Mapa de História das religiões.pptxMapa de História das religiões.pptx
Mapa de História das religiões.pptx
 
Idade Antiga - Índia
Idade Antiga - ÍndiaIdade Antiga - Índia
Idade Antiga - Índia
 
Apresentação Medicina tradicional (2).pptx
Apresentação Medicina tradicional (2).pptxApresentação Medicina tradicional (2).pptx
Apresentação Medicina tradicional (2).pptx
 
Índia.pdf
Índia.pdfÍndia.pdf
Índia.pdf
 
A população Indígena Mundial, Brasil, Maranhão, Bom Jardim
A população Indígena Mundial, Brasil, Maranhão, Bom JardimA população Indígena Mundial, Brasil, Maranhão, Bom Jardim
A população Indígena Mundial, Brasil, Maranhão, Bom Jardim
 
Uma conquista dos Povos Indígenas
Uma conquista dos Povos Indígenas Uma conquista dos Povos Indígenas
Uma conquista dos Povos Indígenas
 
Diálogo inter religioso
Diálogo inter religiosoDiálogo inter religioso
Diálogo inter religioso
 
Trabalho de ensino religioso
Trabalho de ensino religiosoTrabalho de ensino religioso
Trabalho de ensino religioso
 
Trabalho de ensino religioso
Trabalho de ensino religiosoTrabalho de ensino religioso
Trabalho de ensino religioso
 

Mais de Luciano Pessanha

Industrialização brasileira alterações no espaço
Industrialização brasileira   alterações no espaçoIndustrialização brasileira   alterações no espaço
Industrialização brasileira alterações no espaço
Luciano Pessanha
 
Transporte no brasil
Transporte no brasilTransporte no brasil
Transporte no brasil
Luciano Pessanha
 
Documentos cartográficos conceitos e representações
Documentos  cartográficos   conceitos e representaçõesDocumentos  cartográficos   conceitos e representações
Documentos cartográficos conceitos e representações
Luciano Pessanha
 
Escala geografica x cartografica aula 3
Escala geografica x cartografica   aula 3Escala geografica x cartografica   aula 3
Escala geografica x cartografica aula 3
Luciano Pessanha
 
Orientação no espaço localização
Orientação no espaço   localizaçãoOrientação no espaço   localização
Orientação no espaço localização
Luciano Pessanha
 
O continente americano localização
O continente americano   localizaçãoO continente americano   localização
O continente americano localização
Luciano Pessanha
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
Luciano Pessanha
 
Universo
UniversoUniverso
Sistemas Economicos E Sociais
Sistemas Economicos E SociaisSistemas Economicos E Sociais
Sistemas Economicos E Sociais
Luciano Pessanha
 
Coordenadas Geograficas
Coordenadas GeograficasCoordenadas Geograficas
Coordenadas Geograficas
Luciano Pessanha
 
Europa LocalizaçãO
Europa   LocalizaçãOEuropa   LocalizaçãO
Europa LocalizaçãO
Luciano Pessanha
 
Conceitos Da Geografia
Conceitos Da GeografiaConceitos Da Geografia
Conceitos Da Geografia
Luciano Pessanha
 
Introdução A Geografia
Introdução A GeografiaIntrodução A Geografia
Introdução A Geografia
Luciano Pessanha
 
Transportes No Brasil
Transportes No BrasilTransportes No Brasil
Transportes No Brasil
Luciano Pessanha
 
Formação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do BrasilFormação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do Brasil
Luciano Pessanha
 
ConstruçãO Do EspaçO Brasileiro
ConstruçãO Do EspaçO BrasileiroConstruçãO Do EspaçO Brasileiro
ConstruçãO Do EspaçO Brasileiro
Luciano Pessanha
 
Africa Quadro Natural
Africa   Quadro NaturalAfrica   Quadro Natural
Africa Quadro Natural
Luciano Pessanha
 

Mais de Luciano Pessanha (17)

Industrialização brasileira alterações no espaço
Industrialização brasileira   alterações no espaçoIndustrialização brasileira   alterações no espaço
Industrialização brasileira alterações no espaço
 
Transporte no brasil
Transporte no brasilTransporte no brasil
Transporte no brasil
 
Documentos cartográficos conceitos e representações
Documentos  cartográficos   conceitos e representaçõesDocumentos  cartográficos   conceitos e representações
Documentos cartográficos conceitos e representações
 
Escala geografica x cartografica aula 3
Escala geografica x cartografica   aula 3Escala geografica x cartografica   aula 3
Escala geografica x cartografica aula 3
 
Orientação no espaço localização
Orientação no espaço   localizaçãoOrientação no espaço   localização
Orientação no espaço localização
 
O continente americano localização
O continente americano   localizaçãoO continente americano   localização
O continente americano localização
 
Globalização
GlobalizaçãoGlobalização
Globalização
 
Universo
UniversoUniverso
Universo
 
Sistemas Economicos E Sociais
Sistemas Economicos E SociaisSistemas Economicos E Sociais
Sistemas Economicos E Sociais
 
Coordenadas Geograficas
Coordenadas GeograficasCoordenadas Geograficas
Coordenadas Geograficas
 
Europa LocalizaçãO
Europa   LocalizaçãOEuropa   LocalizaçãO
Europa LocalizaçãO
 
Conceitos Da Geografia
Conceitos Da GeografiaConceitos Da Geografia
Conceitos Da Geografia
 
Introdução A Geografia
Introdução A GeografiaIntrodução A Geografia
Introdução A Geografia
 
Transportes No Brasil
Transportes No BrasilTransportes No Brasil
Transportes No Brasil
 
Formação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do BrasilFormação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do Brasil
 
ConstruçãO Do EspaçO Brasileiro
ConstruçãO Do EspaçO BrasileiroConstruçãO Do EspaçO Brasileiro
ConstruçãO Do EspaçO Brasileiro
 
Africa Quadro Natural
Africa   Quadro NaturalAfrica   Quadro Natural
Africa Quadro Natural
 

Asia quadro humano e economico

  • 1.  Prof.º Luciano Pessanha www.lucianopessanhageo.blogspot.com ÁSIA Quadro HUMANO SOCIOECONÔMICO
  • 2. População Asiática - Total: 3.902.404.193 habitantes - Densidade: 89,07 hab./km² (36% é urbana) - Crescimento Populacional: 1,3% ao ano (os países pobres crescem mais) - País mais populoso: R. P. China (1,321,851,888 hab.) - País menos populoso: Maldivas (359.106 hab.) - País mais povoado: Singapura (6.389 hab./km²) - País menos povoado: Mongólia (1 hab./km²) A População asiática é predominantemente rural e concentra-se nas áreas férteis de planícies fluviais (rios); A população se distribui irregularmente pelo território porque fatores naturais dificultam a ocupação humana (desertos, áreas frias e altas altitudes) com altas concentrações populacionais em algumas áreas e vazios demográficos em outras; A grande quantidade de população acarreta graves problemas para as cidades que não possuem infra-estrutura adequada para atendê-los. Faltam moradias, empregos, água, saneamento básico, hospitais, o que ocasionam problemas ambientais como a poluição do ar, das águas e grande quantidade de lixo produzido diariamente;
  • 5. Ásia - População A Ásia possui atualmente (2009), 3,7 bilhões de habitantes (quase 65%). Esse número represente mais da metade da população mundial num único continente. Esse número levante uma dúvida: PODERÁ ESSA IMENSA POPULAÇÃO ALCANÇAR PADRÕES DE VIDA ELEVADOS SEM COMPROMETER SERIAMENTE OS RECURSOS NATURAIS DE SEUS PAÍSES E DO MUNDO ?
  • 6. Desenvolvimento X 1 Bilhão de pessoas
  • 8. Distribuição da População na Ásia A China ( mais de 1,5 bilhão de hab.) e a Índia (mais de 1,2 bilhões de hab.) são os países mais populosos A maior parte da população concentra-se na parte litorânea (sul e leste do continente) onde estão as planícies, favoráveis a agricultura. O interior é cheio de montanhas e o clima e rigoroso assim como na parte ao norte. Há áreas onde a concentração de pessoas (densidade demográfica) é muito elevada como em Bangladesh (880 hab./Km2) e Índia (303 hab./Km2) e outras com pouca concentração de pessoas como os desertos, montanhas e extremo norte da Rússia e Mongólia.
  • 10. Políticas de Controle de Natalidade  Devido ao constante crescimento da população asiática foi necessário aos governos de alguns países criar programas de controle de natalidade.
  • 11. China – Política do Filho Único  Na China onde foi implantado a política do filho único nas áreas urbanas (nas rurais pode-se ter o 2º filho desde que o primeiro seja mulher) Quem tem o 2º filho nas cidades paga multas e perde direitos de cidadania para a criança. Isso não é bom pois na China não há hospitais ou escolas particulares. Os ricos podem pagar as multas  Na china não é permitido aos pais ou familiares saber o sexo do bebê antes do nascimento devido ao infanticídio feminino (a mulher não carrega o nome da família do pai destruindo a geração dos seus antepassados pois assume o nome do marido). Isso gera um desequilíbrio populacional com muito mais homens do que mulheres na sociedade.  Na internet já se percebe uma grande quantidade de chineses procurando estrangeiras em agências de casamento.
  • 12. China - Propaganda Anti-Natalidade
  • 14. O governo decidiu reduzir o preço dos aparelhos de TV na Índia. "O entretenimento é um componente importante da política de controle da população", "Queremos que o povo veja televisão Na Índia foram realizadas políticas de conscientização por meios de comunicação e planejamento familiar nas escolas. India – Controle de Natalidade
  • 15. População da Índia 2000 a 2005 Taxa de Natalidade na Índia
  • 16. Taxa de Fecundidade e Mortalidade Infantil Expectativa de Vida - Índia
  • 18. Na Índia, sete mil mulheres morrem por causa do dote - cerca de vinte por dia - assassinadas ou por suicídio. As peças abaixo mostram a palavra dote (dowry) em ilustrações de forca, faca e poço, numa alusão aos instrumentos mais usados nessas mortes. A tradição não se limita ao mero desembolso econômico no momento do casamento, já que, nos meses e anos seguintes, é possível que o marido e sua família continuem pedindo dinheiro ou bens à esposa em relação às despesas vinculadas ao casamento, ou como confirmação de certo status social. Por causa das chantagens, extorsões e maus-tratos, o pagamento do dote foi proibido na Índia em 1961 com uma lei chamada Dowry Prohibition Act, aplicável quando uma mulher casada morre em circunstâncias estranhas: nesse caso, o acusado, normalmente o marido, é considerado culpado até que se prove o contrário.A lei só ampara as mulheres por sete anos após o casamento, prazo no qual se considera que são mais vulneráveis de sofrer abusos relacionados com o dote. Dote X Violência contras a Mulher
  • 19. 3 Civilizações do Mundo Moderno tem sua origem na Ásia
  • 20. 1) CIVILIZAÇÃO HINDU OU HINDUÍSTA Divindade : Brahma( o que se encontra na essência de tudo que existe). Também chamada de Bramanismo. Acreditam que a situação de miséria do presente é resultado de erros cometidos no passado e sua aceitação indicará uma vida melhor na próxima encarnação. Praticas da bondade encontra-se nos Vedas, conjunto de orações que foram transmitidas oralmente de geração em geração antes de serem escritas. Acreditam na reencarnação pela transmigração do carma, a alma, de um corpo para outro humano ou animal. O rio Ganges é considerado sagrado.
  • 21. Sistema de casta Castas: sociedade dividida em grupos, cujo integrantes não podem casar entre si. Hierarquia social: 4. Sacerdotes - brâmanes 5. Militares - xátrias 6. Comerciantes, artesãos e camponeses - vaixias 7. Serviam as demais castas - sudras 8. Marginalizados, sem qualquer direito - párias Em 1947 o sistema de castas foi extinto oficialmente, porém continua vigorando no cotidiano da cultura indiana.
  • 25. Mahatma Gandhi (1869 – 1948) Líder pacifista Gandhi ajudou a indiano. Principal libertar a Índia do personalidade da governo britânico, independência da inspirando outros Índia. povos coloniais a trabalhar pelas suasEinstein era um de própriasseus maiores independênciasadmiradores. Martin Luther King inspirou- Frequentemente se nele. Mahatma Gandhi afirmava a Gandhi é um dos simplicidade de seus grandes homens do valores, derivados da século XX. crença tradicional hindu: verdade (satya) e não-
  • 26. 2) CIVILIZAÇÃO ISLÂMICA Religião maometana, conhecida como muçulmana. Criada por Maomé no séc. VII. Dinvidade: Alá, e o próprio Maomé. Livro sagrado: Alcorão ou Corão. Irã possui um governo teocrático, política e religião se misturam, autoridades religiosas acabam ocupando cargos importantes no
  • 27. Divide-se em correntes, as mais conhecidas são a sunita e xiita. Sunita - mais moderada, separa política de religião. Xiita - mais radical, fundamentalismo islâmico. Arábia Saudita exemplo de governo xiita.
  • 29. 3) CIVILIZAÇÃO CHINESA Formam a base da civilização chinesa - confucionismo, taoísmo e budismo.
  • 30. Confucionismo Baseado nos ensinamentos de Confúcio, formulados no século V a.C, introduziu um conjunto de regras que pregam o respeito ao idoso, a família e a pátria. "A sinceridade é principio e fim de todas as coisas. Sem a sinceridade nada seria possível.“ "O homem não deve viver retirado, mas entre a humanidade, participando de suas dores. “ "Amemos os outros como a nós mesmos, sintamos as suas dores e as suas alegrias como se fossem as nossas dores e as nossas alegrias. E quando quisermos para eles o mesmo que queremos para nós; e quando temermos para eles o mesmo que para nós tememos- então seguiremos as leis da verdadeira caridade."
  • 31. Taoísmo Baseado num livro chamado Tao Te Ching, atribuído ao filosofo Lao-tsé, que viveu no século VI a.C. Segundo o Tao o mundo é dinâmico, com contradições que se completam: o yin e o yang, a busca do equilíbrio, mesmo que um dos dois lados se sobreponha ao outro momentaneamente, a vida é uma busca do equilíbrio entre essas duas forças. A acupuntura é um exemplo de utilização do taoísmo no cotidiano da civilização ocidental, pois parte do principio de que o corpo e o espírito estão em equilíbrio, se o corpo adoece é porque o espírito sofre.
  • 32. Budismo Budismo: Surgiu na Índia, VI a.C. Siddharta Gautama, posteriormente chamado de Buda,”O iluminado”, foi o fundador do budismo. Pregava contra o sistema de casta. A ideia fundamental é a de que o homem deve abandonar os desejos materiais e BUSCAR A ILUMINAÇÃO
  • 33. JERUSALÉM A Cidade 3 vezes Santa A terra santa para cristãos, judeus e muçulmanos
  • 34. JUDEUS: Jerusalém é importante para os judeus por ter sido a capital do reino de Judá e por abrigar as ruínas do Templo de Salomão. Este templo fora construído a mando do rei judaico entre 974-937 a.C. e era onde ficavam as tábuas dos 10 mandamentos. O templo foi destruído e reconstruído várias vezes, e o que sobrou dele é chamado de Muro das Lamentações. Esse nome se deve ao fato de os judeus – de várias partes do mundo – se dirigirem para lá para orar e lamentar a dispersão de seu povo após a destruição da cidade pelos antigos romanos. CRISTÃOS: A cidade é sagrada por ser o local onde Jesus padeceu e foi morto, segundo as indicações bíblicas. Sobre o local onde Jesus teria sido sepultado, construiu-se a Basílica do Santo Sepulcro, no alto da Via Sacra, caminho que ele teria percorrido com a Cruz nos ombros. Até hoje, recebe muitos religiosos em procissão. MUÇULMANOS: Para os muçulmanos, Jerusalém é uma cidade santa porque lá se localiza a mesquita que abriga o Domo da Rocha, ou seja, o rochedo de onde Maomé teria alçado voo aos céus.