SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
ASCARIDÍASE
ASCARIDÍASE
 A ascaridíase é uma verminose intestinal, causada pelo parasita Ascaris
lumbricóides.
 A ascaridíase, popularmente conhecida como lombriga, é a verminose mais
difundida no mundo.
 A contaminação por Ascaris lumbricóides ocorre pela ingestão de água ou
alimentos contaminados por seus ovos. O ciclo tem inicio a partir de um
hospedeiro. A fêmea é capaz de produzir 200 mil ovos por dia, sendo que parte
desses ovos é eliminada através das fezes.
 A contaminação ocorre quando as condições de higiene e de saneamento
básico favorecem o contato desses ovos com a terra, a água, e com alimentos
que são ingeridos.
 As crianças são a população mais atingida, já que não entendem e respeitam
as regras de higiene.
CICLO DA ASCARIDÍASE
QUAIS OS SINTOMAS?
 A maioria das infecções é assintomática.
 A larva se libera do ovo no intestino delgado, penetra a mucosa e por
via venosa alcança o fígado e pulmão de onde alcançam a árvore
brônquica. Junto com as secreções respiratórias são deglutidas e
atingem o intestino onde crescem chegando ao tamanho adulto.
 Em várias situações podem surgir sintomas dependendo do órgão
atingido.
 A ascaridíase pode causar dor de barriga, diarréia, náuseas, falta de
apetite ou nenhum sintoma.
 Quando há grande número de vermes pode haver quadro de obstrução
intestinal.
 A larva pode contaminar as vias respiratórias, fazendo o indivíduo
apresentar tosse, catarro com sangue ou crise de asma.
 Outros sintomas são: dor .abdominal, flatulência, cólica, diarréia,
náuseas, vômito e presença de vermes nas fezes. Algumas reações
como alergias, pneumonia e choque anafilático podem ocorrer, embora
COMO SE FAZ O DIAGNÓSTICO?
 O diagnóstico é feito pelo exame de fezes, onde se encontram os ovos
do parasita.
COMO SE TRATA?
 Existem remédios específicos para erradicar a larva do organismo humano,
todos por via oral.
COMO SE PREVINE?
 Através de medidas de saneamento básico.
 É necessário, também, fazer o tratamento de todos os portadores da doença. A
ascaridíase está mais presente em países de clima tropical e subtropical. As
más condições de higiene e a utilização das fezes como adubo contribuem para
a prevalência dessa verminose nos países do terceiro mundo.
O TRATAMENTO
 O tratamento da ascaridíase é feito através de medicação. No entanto, a
medicação deve ser acompanhada de cuidados de higiene pessoal (lavar as
mãos, por exemplo), medidas de higiene em relação aos alimentos (lavar as
frutas e verduras em água corrente) e a água (ferver, caso a água não seja
tratada), e saneamento básico.
ASPECTO
 O parasita tem um corpo cilíndrico e alongado. De aspecto liso e
brilhante, sua cor varia entre o branco e o amarelo. Sua boca, em uma
das extremidades, possui três grandes lábios.Os machos são menores
que as fêmeas, e apresentam a cauda enrolada. O comprimento do
parasita varia entre 15 e 40 centímetros, sendo que o número de
parasitas em um mesmo hospedeiro pode chegar a 600.
COMO ACONTECE:
CICLO DO ASCARIS LUMBRICÓIDES
 A ascaridíase é o resultado da infestação do helminto Ascaris lumbricóides
no organismo, sendo mais frequentemente encontrado no intestino.
 Este patógeno, conhecido popularmente como lombriga, tem corpo
cilíndrico e alongado, e pode chegar até 40 centímetros de comprimento.
Fêmeas são maiores e mais robustas que os machos; e estes apresentam
a cauda enrolada.
CONTAMINAÇÃO
A contaminação por ele se dá pela ingestão de seus ovos, geralmente
encontrados no solo, água, alimentos e mãos que tiveram um contato anterior
com fezes humanas contaminadas.
PREVENÇÃO
 Quanto à prevenção, ingerir somente água tratada, lavar bem frutas e
legumes antes de ingeri-los, lavar sempre as mãos, não defecar em locais
inapropriados, dente outras, fazem parte desta lista.
Angela,Marcos,Dara e João.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Malária
MaláriaMalária
Malária
3a2011
 
Teniase e cisticercose
Teniase e cisticercoseTeniase e cisticercose
Teniase e cisticercose
feraps
 
Esquistossomose
EsquistossomoseEsquistossomose
Esquistossomose
3a2011
 

Mais procurados (20)

Plasmodium
PlasmodiumPlasmodium
Plasmodium
 
Aula helmintos 3 - Ascaridíase.pdf
Aula helmintos 3 - Ascaridíase.pdfAula helmintos 3 - Ascaridíase.pdf
Aula helmintos 3 - Ascaridíase.pdf
 
Ascaris lumbricoides
Ascaris lumbricoidesAscaris lumbricoides
Ascaris lumbricoides
 
Ancilostomose
AncilostomoseAncilostomose
Ancilostomose
 
Malária
MaláriaMalária
Malária
 
Malária
MaláriaMalária
Malária
 
Aula de enterobius vermicularis
Aula de  enterobius vermicularisAula de  enterobius vermicularis
Aula de enterobius vermicularis
 
Toxoplasmose
ToxoplasmoseToxoplasmose
Toxoplasmose
 
Ascaridase
Ascaridase Ascaridase
Ascaridase
 
slide Filarioses
slide Filariosesslide Filarioses
slide Filarioses
 
Teniase e cisticercose
Teniase e cisticercoseTeniase e cisticercose
Teniase e cisticercose
 
Esquistossomose
EsquistossomoseEsquistossomose
Esquistossomose
 
Esquistossomose
EsquistossomoseEsquistossomose
Esquistossomose
 
Amebíase
AmebíaseAmebíase
Amebíase
 
Ascaridíase
AscaridíaseAscaridíase
Ascaridíase
 
Doenças causadas por vermes
Doenças causadas por vermesDoenças causadas por vermes
Doenças causadas por vermes
 
Teníase
TeníaseTeníase
Teníase
 
Fasciola Hepatica (Trabalho de Zoologia dos Invertebrados)
Fasciola Hepatica (Trabalho de Zoologia dos Invertebrados)Fasciola Hepatica (Trabalho de Zoologia dos Invertebrados)
Fasciola Hepatica (Trabalho de Zoologia dos Invertebrados)
 
Giardia
GiardiaGiardia
Giardia
 
Apresentação slides andréa (Cruz Vermelha)
Apresentação slides andréa (Cruz Vermelha)Apresentação slides andréa (Cruz Vermelha)
Apresentação slides andréa (Cruz Vermelha)
 

Semelhante a Ascaridíase

Ascaridase 101025162204-phpapp02-140729150042-phpapp01
Ascaridase 101025162204-phpapp02-140729150042-phpapp01Ascaridase 101025162204-phpapp02-140729150042-phpapp01
Ascaridase 101025162204-phpapp02-140729150042-phpapp01
Luciana Duarte
 
5a série a importância da água potável
5a série   a importância da água potável5a série   a importância da água potável
5a série a importância da água potável
SESI 422 - Americana
 
Primeira prova de parasitologia
Primeira prova de parasitologiaPrimeira prova de parasitologia
Primeira prova de parasitologia
Marcel Vieira
 
Filo nematodea nematelmintos
Filo nematodea nematelmintosFilo nematodea nematelmintos
Filo nematodea nematelmintos
Estude Mais
 
Ascaridiase lumbricoides - Resumo
Ascaridiase lumbricoides - ResumoAscaridiase lumbricoides - Resumo
Ascaridiase lumbricoides - Resumo
ElderENF
 
Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)
Bio
 
Controle e biologia dos carrapatos
Controle e biologia dos carrapatosControle e biologia dos carrapatos
Controle e biologia dos carrapatos
flaviahuber59
 
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
LinoReisLino
 

Semelhante a Ascaridíase (20)

Ascaridase 101025162204-phpapp02-140729150042-phpapp01
Ascaridase 101025162204-phpapp02-140729150042-phpapp01Ascaridase 101025162204-phpapp02-140729150042-phpapp01
Ascaridase 101025162204-phpapp02-140729150042-phpapp01
 
Alessandra e Marcos 7ª A Saneamento Básico Ascaridíase
Alessandra e Marcos 7ª A Saneamento Básico AscaridíaseAlessandra e Marcos 7ª A Saneamento Básico Ascaridíase
Alessandra e Marcos 7ª A Saneamento Básico Ascaridíase
 
5a série a importância da água potável
5a série   a importância da água potável5a série   a importância da água potável
5a série a importância da água potável
 
Ascaris Lumbricoides, Trichuris, Enterobios
Ascaris Lumbricoides, Trichuris, EnterobiosAscaris Lumbricoides, Trichuris, Enterobios
Ascaris Lumbricoides, Trichuris, Enterobios
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Apresentação 4
Apresentação 4Apresentação 4
Apresentação 4
 
Primeira prova de parasitologia
Primeira prova de parasitologiaPrimeira prova de parasitologia
Primeira prova de parasitologia
 
Saneamento
SaneamentoSaneamento
Saneamento
 
Plano de aula 10
Plano de aula 10Plano de aula 10
Plano de aula 10
 
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).pptAMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
 
Filo nematodea nematelmintos
Filo nematodea nematelmintosFilo nematodea nematelmintos
Filo nematodea nematelmintos
 
Microbiologia 26.11.2022.pptx
Microbiologia 26.11.2022.pptxMicrobiologia 26.11.2022.pptx
Microbiologia 26.11.2022.pptx
 
Ascaridiase lumbricoides - Resumo
Ascaridiase lumbricoides - ResumoAscaridiase lumbricoides - Resumo
Ascaridiase lumbricoides - Resumo
 
Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
 
Nematelmintes
NematelmintesNematelmintes
Nematelmintes
 
Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)
 
Controle e biologia dos carrapatos
Controle e biologia dos carrapatosControle e biologia dos carrapatos
Controle e biologia dos carrapatos
 
Esquistossomose
Esquistossomose Esquistossomose
Esquistossomose
 
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
010520221459476. Doenças causadas por Nematóides.ppt
 
Microbiologia
MicrobiologiaMicrobiologia
Microbiologia
 

Mais de crishmuler

Teia alimentar
Teia alimentarTeia alimentar
Teia alimentar
crishmuler
 
Formação das pérolas
Formação das pérolasFormação das pérolas
Formação das pérolas
crishmuler
 
Formação das pérolas
Formação das pérolasFormação das pérolas
Formação das pérolas
crishmuler
 
Diogo e juliane
Diogo e julianeDiogo e juliane
Diogo e juliane
crishmuler
 
Diogo e juliane
Diogo e julianeDiogo e juliane
Diogo e juliane
crishmuler
 
Adélia ,samuel.
Adélia  ,samuel.Adélia  ,samuel.
Adélia ,samuel.
crishmuler
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
crishmuler
 
Wellinton e gabriel
Wellinton e gabrielWellinton e gabriel
Wellinton e gabriel
crishmuler
 
Quadrinhos para completar sobre índio
Quadrinhos para completar sobre índioQuadrinhos para completar sobre índio
Quadrinhos para completar sobre índio
crishmuler
 
Consequências da movimentação de placas tectônica
Consequências da movimentação de placas tectônicaConsequências da movimentação de placas tectônica
Consequências da movimentação de placas tectônica
crishmuler
 
Conceitos de termos da ecologia
Conceitos de termos da ecologiaConceitos de termos da ecologia
Conceitos de termos da ecologia
crishmuler
 
Conceitos de termos da ecologia
Conceitos de termos da ecologiaConceitos de termos da ecologia
Conceitos de termos da ecologia
crishmuler
 
Conceitos de termos da ecologia
Conceitos de termos da ecologiaConceitos de termos da ecologia
Conceitos de termos da ecologia
crishmuler
 
Ação de graças
Ação de graçasAção de graças
Ação de graças
crishmuler
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
crishmuler
 
Teia alimentar
Teia alimentarTeia alimentar
Teia alimentar
crishmuler
 

Mais de crishmuler (20)

Teia alimentar
Teia alimentarTeia alimentar
Teia alimentar
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
Formação das pérolas
Formação das pérolasFormação das pérolas
Formação das pérolas
 
Formação das pérolas
Formação das pérolasFormação das pérolas
Formação das pérolas
 
Estéfani e
Estéfani eEstéfani e
Estéfani e
 
Diogo e juliane
Diogo e julianeDiogo e juliane
Diogo e juliane
 
Diogo e juliane
Diogo e julianeDiogo e juliane
Diogo e juliane
 
Adélia ,samuel.
Adélia  ,samuel.Adélia  ,samuel.
Adélia ,samuel.
 
Aids
AidsAids
Aids
 
Amebíase
AmebíaseAmebíase
Amebíase
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
 
Wellinton e gabriel
Wellinton e gabrielWellinton e gabriel
Wellinton e gabriel
 
Quadrinhos para completar sobre índio
Quadrinhos para completar sobre índioQuadrinhos para completar sobre índio
Quadrinhos para completar sobre índio
 
Consequências da movimentação de placas tectônica
Consequências da movimentação de placas tectônicaConsequências da movimentação de placas tectônica
Consequências da movimentação de placas tectônica
 
Conceitos de termos da ecologia
Conceitos de termos da ecologiaConceitos de termos da ecologia
Conceitos de termos da ecologia
 
Conceitos de termos da ecologia
Conceitos de termos da ecologiaConceitos de termos da ecologia
Conceitos de termos da ecologia
 
Conceitos de termos da ecologia
Conceitos de termos da ecologiaConceitos de termos da ecologia
Conceitos de termos da ecologia
 
Ação de graças
Ação de graçasAção de graças
Ação de graças
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Teia alimentar
Teia alimentarTeia alimentar
Teia alimentar
 

Último

Último (8)

Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfAula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
 
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor SucroenergéticoConvergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
 

Ascaridíase

  • 2. ASCARIDÍASE  A ascaridíase é uma verminose intestinal, causada pelo parasita Ascaris lumbricóides.  A ascaridíase, popularmente conhecida como lombriga, é a verminose mais difundida no mundo.  A contaminação por Ascaris lumbricóides ocorre pela ingestão de água ou alimentos contaminados por seus ovos. O ciclo tem inicio a partir de um hospedeiro. A fêmea é capaz de produzir 200 mil ovos por dia, sendo que parte desses ovos é eliminada através das fezes.  A contaminação ocorre quando as condições de higiene e de saneamento básico favorecem o contato desses ovos com a terra, a água, e com alimentos que são ingeridos.  As crianças são a população mais atingida, já que não entendem e respeitam as regras de higiene.
  • 4. QUAIS OS SINTOMAS?  A maioria das infecções é assintomática.  A larva se libera do ovo no intestino delgado, penetra a mucosa e por via venosa alcança o fígado e pulmão de onde alcançam a árvore brônquica. Junto com as secreções respiratórias são deglutidas e atingem o intestino onde crescem chegando ao tamanho adulto.  Em várias situações podem surgir sintomas dependendo do órgão atingido.  A ascaridíase pode causar dor de barriga, diarréia, náuseas, falta de apetite ou nenhum sintoma.  Quando há grande número de vermes pode haver quadro de obstrução intestinal.  A larva pode contaminar as vias respiratórias, fazendo o indivíduo apresentar tosse, catarro com sangue ou crise de asma.  Outros sintomas são: dor .abdominal, flatulência, cólica, diarréia, náuseas, vômito e presença de vermes nas fezes. Algumas reações como alergias, pneumonia e choque anafilático podem ocorrer, embora
  • 5. COMO SE FAZ O DIAGNÓSTICO?  O diagnóstico é feito pelo exame de fezes, onde se encontram os ovos do parasita.
  • 6. COMO SE TRATA?  Existem remédios específicos para erradicar a larva do organismo humano, todos por via oral.
  • 7. COMO SE PREVINE?  Através de medidas de saneamento básico.  É necessário, também, fazer o tratamento de todos os portadores da doença. A ascaridíase está mais presente em países de clima tropical e subtropical. As más condições de higiene e a utilização das fezes como adubo contribuem para a prevalência dessa verminose nos países do terceiro mundo.
  • 8. O TRATAMENTO  O tratamento da ascaridíase é feito através de medicação. No entanto, a medicação deve ser acompanhada de cuidados de higiene pessoal (lavar as mãos, por exemplo), medidas de higiene em relação aos alimentos (lavar as frutas e verduras em água corrente) e a água (ferver, caso a água não seja tratada), e saneamento básico.
  • 9. ASPECTO  O parasita tem um corpo cilíndrico e alongado. De aspecto liso e brilhante, sua cor varia entre o branco e o amarelo. Sua boca, em uma das extremidades, possui três grandes lábios.Os machos são menores que as fêmeas, e apresentam a cauda enrolada. O comprimento do parasita varia entre 15 e 40 centímetros, sendo que o número de parasitas em um mesmo hospedeiro pode chegar a 600.
  • 11. CICLO DO ASCARIS LUMBRICÓIDES  A ascaridíase é o resultado da infestação do helminto Ascaris lumbricóides no organismo, sendo mais frequentemente encontrado no intestino.  Este patógeno, conhecido popularmente como lombriga, tem corpo cilíndrico e alongado, e pode chegar até 40 centímetros de comprimento. Fêmeas são maiores e mais robustas que os machos; e estes apresentam a cauda enrolada.
  • 12. CONTAMINAÇÃO A contaminação por ele se dá pela ingestão de seus ovos, geralmente encontrados no solo, água, alimentos e mãos que tiveram um contato anterior com fezes humanas contaminadas.
  • 13. PREVENÇÃO  Quanto à prevenção, ingerir somente água tratada, lavar bem frutas e legumes antes de ingeri-los, lavar sempre as mãos, não defecar em locais inapropriados, dente outras, fazem parte desta lista. Angela,Marcos,Dara e João.