SlideShare uma empresa Scribd logo
Fermine como ferramenta de apoio à implantação do nível G
do MPS.Br
Juliana S. Cindra*; Lucas M. Sepulvida*; Marianna S. Reis*; Rafael L. de
Freitas*
*Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense -
Campos dos Goytacazes/RJ
jucindra@gmail.com, lmsepulvida@yahoo.com.br, mari.ounaum@gmail.com,
rafaelleitedefreitas@gmail.com
Abstract. This article aims to present the Fermine tool, developed as a plugin
for Redmine project manager and show how it can help a company / project to
suit the national maturity model of software MPS.Br level G in the areas of
projects and requirements management.
Resumo. Este artigo tem como objetivo apresentar a ferramenta Fermine,
desenvolvida como plugin do gerenciador de projetos Redmine e mostrar
como a mesma é capaz de auxiliar uma empresa/projeto a se adequar ao
modelo de maturidade de software nacional MPS.Br em nível G, nas áreas de
gerência de projetos e requisitos.
1. Fermine
O Fermine é uma ferramenta que foi desenvolvida inicialmente como trabalho de
conclusão de curso no Instituto Federal Fluminense. Com o passar do tempo, a mesma
foi incorporada ao projeto Quali-EPT (Garantia da Qualidade de Software da Educação
Profissional e Tecnológica), da RENAPI (Rede de Pesquisa e Inovação em Tecnologias
Digitais), pois fazia-se necessária a criação de uma ferramenta que tratasse de gerência
de projetos e qualidade de software. Esta ferramenta foi criada como um plugin para o
software livre de gerenciamento de projetos Redmine. A idéia inicial era criar um
repositório único dos artefatos da engenharia de requisitos, de forma a evitar o uso de
processadores de texto para o mesmo e a perda de dados.
A ferramenta evoluiu e passou a incorporar a função de criação automática de
tarefas no Redmine com a intenção de que todo requisito criado na ferramenta gerasse
uma tarefa para o gerente do projeto. Desta forma, a ferramenta passou a estar mais
integrada ao Redmine e a atender não apenas a gerência de requisitos, mas também a
gerência de projetos, auxiliando na adequação ao nível G do MPS.Br (Melhoria de
Processos de Software Brasileiro).
2. MPS.Br
A qualidade de software é um conjunto de atividades relacionadas com garantia da
qualidade de software. E é identificada como umas das áreas de conhecimento da
engenharia de software. O MPS.Br é um modelo brasileiro de qualidade de processo de
software e também um movimento para melhoria da qualidade de software.
Além de se basear na realidade do mercado brasileiro de software, o MPS.Br
também utiliza o CMMI (Integração do modelo de capacidade e maturidade, em
português), e as normas ISO IEC 12207 e 15504 como base.
A graduação da escala de implementação do MPS.BR varia entre os níveis G ao
A, onde o nível G é o menor nível e o nível A é o nível mais elevado da escala. Cada
nível trata de um assunto dentro da qualidade de software, e a cada um deles é atingido
um determinado grau de qualidade. Este artigo focará na obtenção do nível G, onde o
projeto passa a se encontrar em estado parcialmente gerenciado. Neste nível, o projeto
deve executar as tarefas de gerência de requisitos e de gerência de projetos.
3. Redmine
O Redmine é uma ferramenta de gerenciamento de projetos especialmente destinada ao 
gerenciamento de tarefas. Ela foi desenvolvida com o framework Ruby on Rails e está 
disponível sob a licença GPL.  Além do controle de tarefas, o Redmine integra uma 
grande variedade de funcionalidades, como wiki, fórum, controle de versão, etc. 
O software também tem a vantagem de ser bastante flexível, aceitando uma 
grande variedade de gerenciadores de bancos de dados e permitindo a criação de plugins 
para   adição   de   novas   funcionalidades.   Estes   plugins   são   instalados   de   forma 
independente, não necessitando alteração diretamente no código­fonte do software. 
Sendo assim, o processo de atualização do Redmine não tem tanto impacto sobre os 
plugins instalados.
Além disso, o Redmine possibilita o cadastro de projetos, definindo desta forma
o escopo do mesmo, além dos membros envolvidos, definindo inclusive os seus papéis
durante o ciclo de vida do projeto. O Redmine permite também o planejamento das 
tarefas que serão realizadas durante o projeto, sendo possível definir melhor a alocação 
de recursos humanos do projeto. É possivel ainda a geração de gráficos de Gantt para 
acompanhamento  do andamento  das atividades,  facilitando  assim  a percepção  dos 
gargalos que possam ocorrer durante o fluxo de desenvolvimento.
4. O Fermine e o MPS.Br em Nível G
O Fermine auxilia na implementação do MPS.Br em Nível G, que engloba as áreas de
gerência de requisitos e gerência de projetos, como pode ser visto nas subseções abaixo.
4.1. Fermine para gerência de requisitos
A gerência de requisitos é o processo responsável por um correto entendimento entre a
necessidade do cliente que contrata um serviço de desenvolvimento de software e a
equipe de desenvolvimento. Este processo também é responsável pela efetiva adequação
do produto aos requisitos preestabelecidos e pela atualização dos mesmos quando forem
necessárias alterações, que costumam ocorrer ao longo do ciclo de vida de um software.
Um problema muito comum que gera a deficiência da gerência de requisitos é a
não utilização de uma ferramenta para armazenar os artefatos relacionados à mesma. A
ausência de uma ferramenta pode causar a confusão entre diferentes versões dos
requisitos ou mesmo a perda de informação. Além disso, costuma-se utilizar
processadores de texto para escrever estes artefatos. O uso de uma ferramenta visa a
utilização de um único “local” para estes artefatos.
O Fermine se encaixa nesta lacuna, pois são poucas as ferramentas de gerência
de requisitos. Além disso, a grande maioria é feita para utilização no próprio
computador, não utilizando um repositório central, web, como é feito neste plugin. O
Fermine possibilita que a gerência de requisitos possa ser realizada de forma mais
rápida e mais eficiente, evitando o envio de e-mails e a perda de informação. Além
disso, possibilita a diferenciação dos requisitos de acordo com os mais diversos projetos
de uma organização, inclusive dividindo em módulos.
Na área de gerência de requisitos, a ferramenta possui a funcionalidade de
manter casos de uso, requisitos, regras de negócio, glossário, atores e mensagens. O
Fermine também consegue identificar a rastreabilidade entre os diversos artefatos para
uma melhor percepção dos impactos envolvidos em manutenções que vierem a ocorrer
durante o tempo de vida do projeto.
4.2. Fermine para gerência de projetos
Por ser um plugin para o Redmine, o Fermine inclui várias funcionalidades voltadas à
gerência de projetos, conforme visto na seção 2. Entre elas destaca-se um maior
controle sobre as tarefas desenvolvidas pelos membros da equipe.
Neste ponto, é importante destacar que o Fermine possibilita a
interdisciplinariedade entre a gerência de requisitos e a gerência de projetos ao
relacionar um requisito às tarefas que sejam relativas a ele da seguinte maneira: ao criar
um requisito, automaticamente uma tarefa será gerada pelo sistema para que o gerente
do projeto a aloque para um membro da equipe.
Figura 1. Inserção de Requisito no Fermine
Figura 2. Tarefa gerada automaticamente pelo Fermine para avaliação do gerente
As figuras 1 e 2 mostram o momento da inserção do requisito e a tarefa criada
baseada no mesmo. Pode-se verificar então que a partir dessa funcionalidade, os
diferentes requisitos dificilmente deixarão de ser avaliados e atendidos ou rejeitados,
pois o gerente terá controle imediato após a sua criação.
4.3. Resultados esperados do MPS.Br em nível G atendidos pelo Fermine
Como visto ao longo desse trabalho o Fermine em conjunto com o Redmine permite
alcançar diversos objetivos das áreas de gerência de requisitos e de projetos. O quadro
abaixo apresenta dentro dos resultados esperados pelo MPS.Br, quais são atendidos total
ou parcialmente pelo uso da ferramenta. Assim, pode-se verificar a sua utilidade na
prática e posibilitar que posteriormente possam ser realizadas melhorias na ferramenta
para atender aos demais resultados esperados.
Quadro 1. Resultados esperados da gerência de requisitos atendidos pelo Fermine
GRE1 O entendimento dos requisitos é obtido junto aos fornecedores de requisitos. Totalmente
GRE 3 A rastreabilidade bidirecional entre os requisitos e os produtos de trabalho é estabelecida 
e mantida.
Parcialmente
GRE 4 Revisões em planos e produtos de trabalho do projeto são realizadas visando identificar 
e corrigir inconsistências em relação aos requisitos.
Parcialmente
GRE 5 Mudanças nos requisitos são gerenciadas ao longo do projeto. Totalmente
Quadro 2. Resultados esperados da gerência de projetos atendidos pelo Fermine
GPR1 O escopo do trabalho para o projeto é definido. Totalmente
GPR 2 As tarefas e os produtos de trabalho do projeto são dimensionados utilizando métodos 
apropriados
Parcialmente
GPR8 As tarefas, os recursos e o ambiente de trabalho necessário para executar o projeto são 
planejados
Parcialmente
GPR9 Os dados relevantes do projeto são identificados e planejados quanto à forma de coleta, 
armazenamento   e   distribuição.   Um   mecanismo   é   estabelecido   para   acessá­los, 
incluindo, se pertinente, questões de privacidade e segurança.
Totalmente
GPR13 O progresso do projeto é monitorado com relação ao estabelecido no Plano de Projeto 
e os resultados são documentados
Parcialmente
Referências
Freitas, R., Siqueira K. and Souza, D. (2010) “Integração da Gerência de Requisitos
com a plataforma Redmine”.
Monteiro, P., Reis M. and Viana, J. (2010) “Integração de Metodologia Ágil com
Modelo de Maturidade de Software”.
Softex (2010) “Mps.Br”, http://www.softex.br/mpsBr/_apresentacoes/apresentacao.asp?
id=2337, Outubro.
Redmine (2010) “Redmine” , http://www.redmine.org, Outubro.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Definicao.Melhoria.Processos.Fabrica.SL
Definicao.Melhoria.Processos.Fabrica.SLDefinicao.Melhoria.Processos.Fabrica.SL
Definicao.Melhoria.Processos.Fabrica.SL
Annkatlover
 
O emprego do_rup_na_uml_-_trabalho_poo_2012
O emprego do_rup_na_uml_-_trabalho_poo_2012O emprego do_rup_na_uml_-_trabalho_poo_2012
O emprego do_rup_na_uml_-_trabalho_poo_2012
Carlos Antonio Castro Oliveira
 
Implementing Product Line Variabilities
Implementing Product Line VariabilitiesImplementing Product Line Variabilities
Implementing Product Line Variabilities
Michel Alves
 
MPS.BR
MPS.BRMPS.BR
MPS.BR
KelvinSalton
 
PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL G
PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL GPROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL G
PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL G
jrnavarro
 
Documento de requisitos
Documento de requisitosDocumento de requisitos
Documento de requisitos
Thiago Luis Colozio Casácio
 
Revista Engenharia de Software n° 44
Revista Engenharia de Software n° 44Revista Engenharia de Software n° 44
Revista Engenharia de Software n° 44
Carlos Antonio Castro Oliveira
 
Es17 predicao de defeitos em software
Es17   predicao de defeitos em softwareEs17   predicao de defeitos em software
Es17 predicao de defeitos em software
Victor Hugo
 
Interação entre MDA e PMBOK para Suporte ao Desenvolvimento de Aplicações Com...
Interação entre MDA e PMBOK para Suporte ao Desenvolvimento de Aplicações Com...Interação entre MDA e PMBOK para Suporte ao Desenvolvimento de Aplicações Com...
Interação entre MDA e PMBOK para Suporte ao Desenvolvimento de Aplicações Com...
Thiago Fraga
 
Frameworks da web - Uma ferramenta de reutilização de software
Frameworks da web - Uma ferramenta de reutilização de softwareFrameworks da web - Uma ferramenta de reutilização de software
Frameworks da web - Uma ferramenta de reutilização de software
Thomas Kanzig
 
Desenvolvimento ágil de software: análise sintética a partir de KANBAN
Desenvolvimento ágil de software: análise sintética a partir de KANBANDesenvolvimento ágil de software: análise sintética a partir de KANBAN
Desenvolvimento ágil de software: análise sintética a partir de KANBAN
Fernando Palma
 
Rational Unified Process - RUP
Rational Unified Process - RUPRational Unified Process - RUP
Rational Unified Process - RUP
Fernando Nogueira
 
Engenharia de Software - Wikipedia
Engenharia de Software - WikipediaEngenharia de Software - Wikipedia
Engenharia de Software - Wikipedia
Robson Silva Espig
 
Reuso de software
Reuso de softwareReuso de software
Reuso de software
rebekinha
 
Criacao.Fabrica.Open.Source
Criacao.Fabrica.Open.SourceCriacao.Fabrica.Open.Source
Criacao.Fabrica.Open.Source
Annkatlover
 
Es06 teste de software
Es06   teste de softwareEs06   teste de software
Es06 teste de software
Carlos Antonio Castro Oliveira
 
Gerência de Configuração de Software: Benefícios Do Controle de Versões Distr...
Gerência de Configuração de Software: Benefícios Do Controle de Versões Distr...Gerência de Configuração de Software: Benefícios Do Controle de Versões Distr...
Gerência de Configuração de Software: Benefícios Do Controle de Versões Distr...
Gilmar Pupo
 
Métodos ágeis de desenvolvimento2
Métodos ágeis de desenvolvimento2Métodos ágeis de desenvolvimento2
Métodos ágeis de desenvolvimento2
GrupoAlves - professor
 
Es 09
Es 09Es 09
RAD - Métodos ágeis
RAD - Métodos ágeisRAD - Métodos ágeis
RAD - Métodos ágeis
Claudio Eckert
 

Mais procurados (20)

Definicao.Melhoria.Processos.Fabrica.SL
Definicao.Melhoria.Processos.Fabrica.SLDefinicao.Melhoria.Processos.Fabrica.SL
Definicao.Melhoria.Processos.Fabrica.SL
 
O emprego do_rup_na_uml_-_trabalho_poo_2012
O emprego do_rup_na_uml_-_trabalho_poo_2012O emprego do_rup_na_uml_-_trabalho_poo_2012
O emprego do_rup_na_uml_-_trabalho_poo_2012
 
Implementing Product Line Variabilities
Implementing Product Line VariabilitiesImplementing Product Line Variabilities
Implementing Product Line Variabilities
 
MPS.BR
MPS.BRMPS.BR
MPS.BR
 
PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL G
PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL GPROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL G
PROPOSTA DE ADAPTAÇÃO DAS PRÁTICAS DO SCRUM PARA O MPS.BR NIVEL G
 
Documento de requisitos
Documento de requisitosDocumento de requisitos
Documento de requisitos
 
Revista Engenharia de Software n° 44
Revista Engenharia de Software n° 44Revista Engenharia de Software n° 44
Revista Engenharia de Software n° 44
 
Es17 predicao de defeitos em software
Es17   predicao de defeitos em softwareEs17   predicao de defeitos em software
Es17 predicao de defeitos em software
 
Interação entre MDA e PMBOK para Suporte ao Desenvolvimento de Aplicações Com...
Interação entre MDA e PMBOK para Suporte ao Desenvolvimento de Aplicações Com...Interação entre MDA e PMBOK para Suporte ao Desenvolvimento de Aplicações Com...
Interação entre MDA e PMBOK para Suporte ao Desenvolvimento de Aplicações Com...
 
Frameworks da web - Uma ferramenta de reutilização de software
Frameworks da web - Uma ferramenta de reutilização de softwareFrameworks da web - Uma ferramenta de reutilização de software
Frameworks da web - Uma ferramenta de reutilização de software
 
Desenvolvimento ágil de software: análise sintética a partir de KANBAN
Desenvolvimento ágil de software: análise sintética a partir de KANBANDesenvolvimento ágil de software: análise sintética a partir de KANBAN
Desenvolvimento ágil de software: análise sintética a partir de KANBAN
 
Rational Unified Process - RUP
Rational Unified Process - RUPRational Unified Process - RUP
Rational Unified Process - RUP
 
Engenharia de Software - Wikipedia
Engenharia de Software - WikipediaEngenharia de Software - Wikipedia
Engenharia de Software - Wikipedia
 
Reuso de software
Reuso de softwareReuso de software
Reuso de software
 
Criacao.Fabrica.Open.Source
Criacao.Fabrica.Open.SourceCriacao.Fabrica.Open.Source
Criacao.Fabrica.Open.Source
 
Es06 teste de software
Es06   teste de softwareEs06   teste de software
Es06 teste de software
 
Gerência de Configuração de Software: Benefícios Do Controle de Versões Distr...
Gerência de Configuração de Software: Benefícios Do Controle de Versões Distr...Gerência de Configuração de Software: Benefícios Do Controle de Versões Distr...
Gerência de Configuração de Software: Benefícios Do Controle de Versões Distr...
 
Métodos ágeis de desenvolvimento2
Métodos ágeis de desenvolvimento2Métodos ágeis de desenvolvimento2
Métodos ágeis de desenvolvimento2
 
Es 09
Es 09Es 09
Es 09
 
RAD - Métodos ágeis
RAD - Métodos ágeisRAD - Métodos ágeis
RAD - Métodos ágeis
 

Semelhante a Fermine como ferramenta de apoio à implantação do nível G do MPS.Br

Redmine
RedmineRedmine
Redmine
yanmamon
 
Academia do Arquiteto - Introdução a ALM e Redmine
Academia do Arquiteto - Introdução a ALM e RedmineAcademia do Arquiteto - Introdução a ALM e Redmine
Academia do Arquiteto - Introdução a ALM e Redmine
Globalcode
 
FDD
FDDFDD
O Processo de Desenvolvimento de Software
O Processo de Desenvolvimento de SoftwareO Processo de Desenvolvimento de Software
O Processo de Desenvolvimento de Software
Camilo de Melo
 
Plano de Projeto de Software do​ Residents Control
Plano de Projeto de Software do​ Residents ControlPlano de Projeto de Software do​ Residents Control
Plano de Projeto de Software do​ Residents Control
azarael2607
 
Fdd em uma casca de banana
Fdd em uma casca de bananaFdd em uma casca de banana
Fdd em uma casca de banana
ejedelmal
 
Este trabalho trata
Este trabalho trataEste trabalho trata
Este trabalho trata
Roni Reis
 
Desenvolvimento Ágil
Desenvolvimento ÁgilDesenvolvimento Ágil
Desenvolvimento Ágil
Gefferson Vivan
 
Modelo Incremental - Engenharia de Software
Modelo Incremental - Engenharia de SoftwareModelo Incremental - Engenharia de Software
Modelo Incremental - Engenharia de Software
Daniela Franciosi
 
Gerenciamento de Projetos com o Redmine
Gerenciamento de Projetos com o RedmineGerenciamento de Projetos com o Redmine
Gerenciamento de Projetos com o Redmine
Patrick Kaminski
 
14987568107 coisas-software-gestao-projetos
14987568107 coisas-software-gestao-projetos14987568107 coisas-software-gestao-projetos
14987568107 coisas-software-gestao-projetos
Magnolia Barbosa
 
Artigo corrigido
Artigo corrigidoArtigo corrigido
Artigo corrigido
mpaf00 mpaf00
 
Apresentação sobre gerenciamento
Apresentação sobre gerenciamentoApresentação sobre gerenciamento
Apresentação sobre gerenciamento
Levi Tancredo
 
Artigo
ArtigoArtigo
Aula 3 - Engenharia de Software
Aula 3 - Engenharia de SoftwareAula 3 - Engenharia de Software
Aula 3 - Engenharia de Software
Rudson Kiyoshi Souza Carvalho
 
Plano de Projeto - OUTLAY
Plano de Projeto - OUTLAYPlano de Projeto - OUTLAY
Plano de Projeto - OUTLAY
Jocelino Neto
 
Desenvolvimento de ferramenta para automação de tarefas
Desenvolvimento de ferramenta para automação de tarefasDesenvolvimento de ferramenta para automação de tarefas
Desenvolvimento de ferramenta para automação de tarefas
Everton V. Tavares
 
Subm_SamuelPereira_FINAL
Subm_SamuelPereira_FINALSubm_SamuelPereira_FINAL
Rational Unified Process (RUP)
Rational Unified Process (RUP)Rational Unified Process (RUP)
Rational Unified Process (RUP)
Carlos Henrique Martins da Silva
 
Artigo Automação de testes funcionais com Demoiselle Behave
Artigo Automação de testes funcionais com Demoiselle BehaveArtigo Automação de testes funcionais com Demoiselle Behave
Artigo Automação de testes funcionais com Demoiselle Behave
Julian Cesar
 

Semelhante a Fermine como ferramenta de apoio à implantação do nível G do MPS.Br (20)

Redmine
RedmineRedmine
Redmine
 
Academia do Arquiteto - Introdução a ALM e Redmine
Academia do Arquiteto - Introdução a ALM e RedmineAcademia do Arquiteto - Introdução a ALM e Redmine
Academia do Arquiteto - Introdução a ALM e Redmine
 
FDD
FDDFDD
FDD
 
O Processo de Desenvolvimento de Software
O Processo de Desenvolvimento de SoftwareO Processo de Desenvolvimento de Software
O Processo de Desenvolvimento de Software
 
Plano de Projeto de Software do​ Residents Control
Plano de Projeto de Software do​ Residents ControlPlano de Projeto de Software do​ Residents Control
Plano de Projeto de Software do​ Residents Control
 
Fdd em uma casca de banana
Fdd em uma casca de bananaFdd em uma casca de banana
Fdd em uma casca de banana
 
Este trabalho trata
Este trabalho trataEste trabalho trata
Este trabalho trata
 
Desenvolvimento Ágil
Desenvolvimento ÁgilDesenvolvimento Ágil
Desenvolvimento Ágil
 
Modelo Incremental - Engenharia de Software
Modelo Incremental - Engenharia de SoftwareModelo Incremental - Engenharia de Software
Modelo Incremental - Engenharia de Software
 
Gerenciamento de Projetos com o Redmine
Gerenciamento de Projetos com o RedmineGerenciamento de Projetos com o Redmine
Gerenciamento de Projetos com o Redmine
 
14987568107 coisas-software-gestao-projetos
14987568107 coisas-software-gestao-projetos14987568107 coisas-software-gestao-projetos
14987568107 coisas-software-gestao-projetos
 
Artigo corrigido
Artigo corrigidoArtigo corrigido
Artigo corrigido
 
Apresentação sobre gerenciamento
Apresentação sobre gerenciamentoApresentação sobre gerenciamento
Apresentação sobre gerenciamento
 
Artigo
ArtigoArtigo
Artigo
 
Aula 3 - Engenharia de Software
Aula 3 - Engenharia de SoftwareAula 3 - Engenharia de Software
Aula 3 - Engenharia de Software
 
Plano de Projeto - OUTLAY
Plano de Projeto - OUTLAYPlano de Projeto - OUTLAY
Plano de Projeto - OUTLAY
 
Desenvolvimento de ferramenta para automação de tarefas
Desenvolvimento de ferramenta para automação de tarefasDesenvolvimento de ferramenta para automação de tarefas
Desenvolvimento de ferramenta para automação de tarefas
 
Subm_SamuelPereira_FINAL
Subm_SamuelPereira_FINALSubm_SamuelPereira_FINAL
Subm_SamuelPereira_FINAL
 
Rational Unified Process (RUP)
Rational Unified Process (RUP)Rational Unified Process (RUP)
Rational Unified Process (RUP)
 
Artigo Automação de testes funcionais com Demoiselle Behave
Artigo Automação de testes funcionais com Demoiselle BehaveArtigo Automação de testes funcionais com Demoiselle Behave
Artigo Automação de testes funcionais com Demoiselle Behave
 

Mais de Juliana Cindra

Trabalho de Reengenharia de Software
Trabalho de Reengenharia de SoftwareTrabalho de Reengenharia de Software
Trabalho de Reengenharia de Software
Juliana Cindra
 
Trabalho Web Services
Trabalho Web ServicesTrabalho Web Services
Trabalho Web Services
Juliana Cindra
 
Trabalho de Sistemas Distribuídos
Trabalho de Sistemas DistribuídosTrabalho de Sistemas Distribuídos
Trabalho de Sistemas Distribuídos
Juliana Cindra
 
AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE UM SISTEMA DE GESTÃO ACADÊMICA ATRAVÉS DA MINERAÇÃO...
AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE UM SISTEMA DE GESTÃO ACADÊMICA ATRAVÉS DA MINERAÇÃO...AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE UM SISTEMA DE GESTÃO ACADÊMICA ATRAVÉS DA MINERAÇÃO...
AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE UM SISTEMA DE GESTÃO ACADÊMICA ATRAVÉS DA MINERAÇÃO...
Juliana Cindra
 
Exercicio de UML - Documentacao Restaurante
Exercicio de UML  - Documentacao RestauranteExercicio de UML  - Documentacao Restaurante
Exercicio de UML - Documentacao Restaurante
Juliana Cindra
 
Padrões de Projeto - Observer
Padrões de Projeto - ObserverPadrões de Projeto - Observer
Padrões de Projeto - Observer
Juliana Cindra
 
Padrão de Projeto - Adapter
Padrão de Projeto - AdapterPadrão de Projeto - Adapter
Padrão de Projeto - Adapter
Juliana Cindra
 
Fermine como ferramenta de apoio à implantação do nível G do MPS.Br
Fermine como ferramenta de apoio à implantação do nível G do MPS.BrFermine como ferramenta de apoio à implantação do nível G do MPS.Br
Fermine como ferramenta de apoio à implantação do nível G do MPS.Br
Juliana Cindra
 
Torre de Hanoi
Torre de HanoiTorre de Hanoi
Torre de Hanoi
Juliana Cindra
 
Rail road
Rail roadRail road
Rail road
Juliana Cindra
 

Mais de Juliana Cindra (10)

Trabalho de Reengenharia de Software
Trabalho de Reengenharia de SoftwareTrabalho de Reengenharia de Software
Trabalho de Reengenharia de Software
 
Trabalho Web Services
Trabalho Web ServicesTrabalho Web Services
Trabalho Web Services
 
Trabalho de Sistemas Distribuídos
Trabalho de Sistemas DistribuídosTrabalho de Sistemas Distribuídos
Trabalho de Sistemas Distribuídos
 
AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE UM SISTEMA DE GESTÃO ACADÊMICA ATRAVÉS DA MINERAÇÃO...
AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE UM SISTEMA DE GESTÃO ACADÊMICA ATRAVÉS DA MINERAÇÃO...AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE UM SISTEMA DE GESTÃO ACADÊMICA ATRAVÉS DA MINERAÇÃO...
AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE UM SISTEMA DE GESTÃO ACADÊMICA ATRAVÉS DA MINERAÇÃO...
 
Exercicio de UML - Documentacao Restaurante
Exercicio de UML  - Documentacao RestauranteExercicio de UML  - Documentacao Restaurante
Exercicio de UML - Documentacao Restaurante
 
Padrões de Projeto - Observer
Padrões de Projeto - ObserverPadrões de Projeto - Observer
Padrões de Projeto - Observer
 
Padrão de Projeto - Adapter
Padrão de Projeto - AdapterPadrão de Projeto - Adapter
Padrão de Projeto - Adapter
 
Fermine como ferramenta de apoio à implantação do nível G do MPS.Br
Fermine como ferramenta de apoio à implantação do nível G do MPS.BrFermine como ferramenta de apoio à implantação do nível G do MPS.Br
Fermine como ferramenta de apoio à implantação do nível G do MPS.Br
 
Torre de Hanoi
Torre de HanoiTorre de Hanoi
Torre de Hanoi
 
Rail road
Rail roadRail road
Rail road
 

Último

Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
joaovmp3
 
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
2m Assessoria
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
TomasSousa7
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Danilo Pinotti
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Momento da Informática
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
Momento da Informática
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
Momento da Informática
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
Faga1939
 
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Gabriel de Mattos Faustino
 

Último (10)

Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
 
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
 
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
 
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
 

Fermine como ferramenta de apoio à implantação do nível G do MPS.Br

  • 1. Fermine como ferramenta de apoio à implantação do nível G do MPS.Br Juliana S. Cindra*; Lucas M. Sepulvida*; Marianna S. Reis*; Rafael L. de Freitas* *Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense - Campos dos Goytacazes/RJ jucindra@gmail.com, lmsepulvida@yahoo.com.br, mari.ounaum@gmail.com, rafaelleitedefreitas@gmail.com Abstract. This article aims to present the Fermine tool, developed as a plugin for Redmine project manager and show how it can help a company / project to suit the national maturity model of software MPS.Br level G in the areas of projects and requirements management. Resumo. Este artigo tem como objetivo apresentar a ferramenta Fermine, desenvolvida como plugin do gerenciador de projetos Redmine e mostrar como a mesma é capaz de auxiliar uma empresa/projeto a se adequar ao modelo de maturidade de software nacional MPS.Br em nível G, nas áreas de gerência de projetos e requisitos. 1. Fermine O Fermine é uma ferramenta que foi desenvolvida inicialmente como trabalho de conclusão de curso no Instituto Federal Fluminense. Com o passar do tempo, a mesma foi incorporada ao projeto Quali-EPT (Garantia da Qualidade de Software da Educação Profissional e Tecnológica), da RENAPI (Rede de Pesquisa e Inovação em Tecnologias Digitais), pois fazia-se necessária a criação de uma ferramenta que tratasse de gerência de projetos e qualidade de software. Esta ferramenta foi criada como um plugin para o software livre de gerenciamento de projetos Redmine. A idéia inicial era criar um repositório único dos artefatos da engenharia de requisitos, de forma a evitar o uso de processadores de texto para o mesmo e a perda de dados. A ferramenta evoluiu e passou a incorporar a função de criação automática de tarefas no Redmine com a intenção de que todo requisito criado na ferramenta gerasse uma tarefa para o gerente do projeto. Desta forma, a ferramenta passou a estar mais integrada ao Redmine e a atender não apenas a gerência de requisitos, mas também a gerência de projetos, auxiliando na adequação ao nível G do MPS.Br (Melhoria de Processos de Software Brasileiro). 2. MPS.Br A qualidade de software é um conjunto de atividades relacionadas com garantia da qualidade de software. E é identificada como umas das áreas de conhecimento da engenharia de software. O MPS.Br é um modelo brasileiro de qualidade de processo de software e também um movimento para melhoria da qualidade de software. Além de se basear na realidade do mercado brasileiro de software, o MPS.Br também utiliza o CMMI (Integração do modelo de capacidade e maturidade, em
  • 2. português), e as normas ISO IEC 12207 e 15504 como base. A graduação da escala de implementação do MPS.BR varia entre os níveis G ao A, onde o nível G é o menor nível e o nível A é o nível mais elevado da escala. Cada nível trata de um assunto dentro da qualidade de software, e a cada um deles é atingido um determinado grau de qualidade. Este artigo focará na obtenção do nível G, onde o projeto passa a se encontrar em estado parcialmente gerenciado. Neste nível, o projeto deve executar as tarefas de gerência de requisitos e de gerência de projetos. 3. Redmine O Redmine é uma ferramenta de gerenciamento de projetos especialmente destinada ao  gerenciamento de tarefas. Ela foi desenvolvida com o framework Ruby on Rails e está  disponível sob a licença GPL.  Além do controle de tarefas, o Redmine integra uma  grande variedade de funcionalidades, como wiki, fórum, controle de versão, etc.  O software também tem a vantagem de ser bastante flexível, aceitando uma  grande variedade de gerenciadores de bancos de dados e permitindo a criação de plugins  para   adição   de   novas   funcionalidades.   Estes   plugins   são   instalados   de   forma  independente, não necessitando alteração diretamente no código­fonte do software.  Sendo assim, o processo de atualização do Redmine não tem tanto impacto sobre os  plugins instalados. Além disso, o Redmine possibilita o cadastro de projetos, definindo desta forma o escopo do mesmo, além dos membros envolvidos, definindo inclusive os seus papéis durante o ciclo de vida do projeto. O Redmine permite também o planejamento das  tarefas que serão realizadas durante o projeto, sendo possível definir melhor a alocação  de recursos humanos do projeto. É possivel ainda a geração de gráficos de Gantt para  acompanhamento  do andamento  das atividades,  facilitando  assim  a percepção  dos  gargalos que possam ocorrer durante o fluxo de desenvolvimento. 4. O Fermine e o MPS.Br em Nível G O Fermine auxilia na implementação do MPS.Br em Nível G, que engloba as áreas de gerência de requisitos e gerência de projetos, como pode ser visto nas subseções abaixo. 4.1. Fermine para gerência de requisitos A gerência de requisitos é o processo responsável por um correto entendimento entre a necessidade do cliente que contrata um serviço de desenvolvimento de software e a equipe de desenvolvimento. Este processo também é responsável pela efetiva adequação do produto aos requisitos preestabelecidos e pela atualização dos mesmos quando forem necessárias alterações, que costumam ocorrer ao longo do ciclo de vida de um software. Um problema muito comum que gera a deficiência da gerência de requisitos é a não utilização de uma ferramenta para armazenar os artefatos relacionados à mesma. A ausência de uma ferramenta pode causar a confusão entre diferentes versões dos requisitos ou mesmo a perda de informação. Além disso, costuma-se utilizar processadores de texto para escrever estes artefatos. O uso de uma ferramenta visa a utilização de um único “local” para estes artefatos. O Fermine se encaixa nesta lacuna, pois são poucas as ferramentas de gerência de requisitos. Além disso, a grande maioria é feita para utilização no próprio
  • 3. computador, não utilizando um repositório central, web, como é feito neste plugin. O Fermine possibilita que a gerência de requisitos possa ser realizada de forma mais rápida e mais eficiente, evitando o envio de e-mails e a perda de informação. Além disso, possibilita a diferenciação dos requisitos de acordo com os mais diversos projetos de uma organização, inclusive dividindo em módulos. Na área de gerência de requisitos, a ferramenta possui a funcionalidade de manter casos de uso, requisitos, regras de negócio, glossário, atores e mensagens. O Fermine também consegue identificar a rastreabilidade entre os diversos artefatos para uma melhor percepção dos impactos envolvidos em manutenções que vierem a ocorrer durante o tempo de vida do projeto. 4.2. Fermine para gerência de projetos Por ser um plugin para o Redmine, o Fermine inclui várias funcionalidades voltadas à gerência de projetos, conforme visto na seção 2. Entre elas destaca-se um maior controle sobre as tarefas desenvolvidas pelos membros da equipe. Neste ponto, é importante destacar que o Fermine possibilita a interdisciplinariedade entre a gerência de requisitos e a gerência de projetos ao relacionar um requisito às tarefas que sejam relativas a ele da seguinte maneira: ao criar um requisito, automaticamente uma tarefa será gerada pelo sistema para que o gerente do projeto a aloque para um membro da equipe. Figura 1. Inserção de Requisito no Fermine Figura 2. Tarefa gerada automaticamente pelo Fermine para avaliação do gerente As figuras 1 e 2 mostram o momento da inserção do requisito e a tarefa criada baseada no mesmo. Pode-se verificar então que a partir dessa funcionalidade, os diferentes requisitos dificilmente deixarão de ser avaliados e atendidos ou rejeitados, pois o gerente terá controle imediato após a sua criação.
  • 4. 4.3. Resultados esperados do MPS.Br em nível G atendidos pelo Fermine Como visto ao longo desse trabalho o Fermine em conjunto com o Redmine permite alcançar diversos objetivos das áreas de gerência de requisitos e de projetos. O quadro abaixo apresenta dentro dos resultados esperados pelo MPS.Br, quais são atendidos total ou parcialmente pelo uso da ferramenta. Assim, pode-se verificar a sua utilidade na prática e posibilitar que posteriormente possam ser realizadas melhorias na ferramenta para atender aos demais resultados esperados. Quadro 1. Resultados esperados da gerência de requisitos atendidos pelo Fermine GRE1 O entendimento dos requisitos é obtido junto aos fornecedores de requisitos. Totalmente GRE 3 A rastreabilidade bidirecional entre os requisitos e os produtos de trabalho é estabelecida  e mantida. Parcialmente GRE 4 Revisões em planos e produtos de trabalho do projeto são realizadas visando identificar  e corrigir inconsistências em relação aos requisitos. Parcialmente GRE 5 Mudanças nos requisitos são gerenciadas ao longo do projeto. Totalmente Quadro 2. Resultados esperados da gerência de projetos atendidos pelo Fermine GPR1 O escopo do trabalho para o projeto é definido. Totalmente GPR 2 As tarefas e os produtos de trabalho do projeto são dimensionados utilizando métodos  apropriados Parcialmente GPR8 As tarefas, os recursos e o ambiente de trabalho necessário para executar o projeto são  planejados Parcialmente GPR9 Os dados relevantes do projeto são identificados e planejados quanto à forma de coleta,  armazenamento   e   distribuição.   Um   mecanismo   é   estabelecido   para   acessá­los,  incluindo, se pertinente, questões de privacidade e segurança. Totalmente GPR13 O progresso do projeto é monitorado com relação ao estabelecido no Plano de Projeto  e os resultados são documentados Parcialmente Referências Freitas, R., Siqueira K. and Souza, D. (2010) “Integração da Gerência de Requisitos com a plataforma Redmine”. Monteiro, P., Reis M. and Viana, J. (2010) “Integração de Metodologia Ágil com Modelo de Maturidade de Software”. Softex (2010) “Mps.Br”, http://www.softex.br/mpsBr/_apresentacoes/apresentacao.asp? id=2337, Outubro. Redmine (2010) “Redmine” , http://www.redmine.org, Outubro.