SlideShare uma empresa Scribd logo
das Palavras A Ilha
Era uma vez Uma  Ilha
Diferente  de Todas as outras
Quem a visitasse não encontrava rochas árvores rios pássaros grutas animais
Mas, afinal, de que ilha estamos a falar? Encontrava somente o vazio de tudo isso, mas sob a forma de uma massa sonora que encantava quem se aventurasse naquelas estranhas paragens.
Estamos a falar de uma ilha toda feita de palavras que eram a única riqueza e a verdadeira razão de existir daquela ilha perdida no mar imenso das coisas que ainda estão por descobrir.
e dos livros de Geografia fui à procura dos Atlas Quando me falaram da ilha das palavras
mas não encontrei  qualquer referência da ilha misteriosa.
Um dia um velho poeta disse-me que todos os poetas já a tinham visitado pelo menos em sonhos.
Achei a resposta bela mas fiquei exactamente na mesma. Certo dia, dei por mim a imaginar poetas como Luís de Camões, Bocage, ou Camilo Pessanha.
Mas, sendo-me impossível falar com eles continuei com a minha dúvida.
Voltei a consultar atlas e livros antigos nas bibliotecas mas em nenhum deles encontrei nada.
Certo dia, fui visitar um amigo que tinha dois papagaios vindos de terras exóticas.
Perguntei-lhes se conheciam a ilha misteriosa, que foi lá que aprenderam a falar. responderam-me
Ao longo dos séculos passaram por esta ilha  pessoas de todas as origens geográficas Portugueses Ingleses Vikings Holandeses Espanhóis
Finalmente, surgiu uma pista... disseram-me que durante o sono ficaria a saber a localização da Ilha das Palavras.
Nessa noite deitei-me cedo, mas com a ansiedade não conseguia adormecer. Quando já dormia  recebi a visita dos papagaios, que, em sonhos,
desenrolaram um velho mapa com o bico e finalmente indicaram a localização da misteriosa ilha.
...perdi a bagagem, apanhei umas febres estranhas  e por último as viagens marítimas para aquela zona foram todas canceladas. Como tenho boa memória, quando acordei recontruí o mapa. Pensei que seria fácil chegar à Ilha, mas surgiram-me alguns imprevistos...
Vi-me assim forçado a contratar um pescador que me levasse até ao destino chamado À Luz das Estrelas, no idioma daquela terra distante. no seu pequeno barco Quando chegámos ao sítio onde a Ilha estava localizada....
o céu escureceu de repente e fomos sobrevoados por um bando de papagaios. Era como se a noite tivesse caído a meio do dia  O que aconteceu a seguir não me lembro! e as aves exóticas nos viessem servir de guias.
Só me lembro de estar, já sem o pescador, num lugar estranho onde nada parecia ter a consistência das coisas materiais. No entanto, ouviam-se vozes que pronunciavam em várias línguas as mais estranhas e belas palavras que eu já tinha ouvido. Estava enfeitiçado por aquele conjunto de palavras que tinham o poder mágico de dar forma e consistência a tudo aquilo que chamavam.
Se diziam "montanha", eu via-me cercado por montes de picos muito altos e luminosos que se perdiam no meio das nuvens.
Não me restavam dúvidas eu estava no coração da Ilha das Palavras! Que não me tinha saído do espírito durante mais de dois anos de incessante pesquisa. Mas, o mais fantástico é que tudo o que eu ali via me parecia estranhamente familiar, dando-me uma sensação de segurança e de proximidade que não consigo explicar.
Quando uma voz pronunciou a palavra "livro", logo a ilha se encheu de livros de todas as cores e tamanhos. Mas o mais surpreendente, é que todos traziam  os seus autores, uns famosos e há muito desaparecidos e outros muito jovens e ainda em busca do seu lugar no mundo das palavras impressas.
Não era uma ilha igual às outras porque era imaterial e intensamente sonora. Ganhava uma beleza estonteante quando as palavras que pairavam no ar faziam parte de poemas que eu conhecia. Deambulando pela ilha sem sentir fome, ou cansaço, cruzei-me com escritores vivos e mortos que conhecia das páginas dos jornais e dos livros.
Quando senti fome e sede pronunciei os nomes daquilo que me apetecia comer e beber e logo as palavras soletradas se tranformaram em apetitosos alimentos. Enquanto comia vi poetas como Luís de Camões, Alexandre O,Neill, Cesário Verde e Sophia de Mello Brayner a conversar com as ondas do mar. Tudo o que ali acontecia começava e acabava nas palavras que eram a  alma e a matéria de que a ilha era feita.
Quando anoiteceu o sono acabou por me vencer. Entrei no território do sonho com a cabeça recheada de palavras e confesso que nunca adormeci tão feliz.
Durante o sono recebi a visita do papagaio do meu amigo, que me perguntou se tinha gostado da revelação que ele me fez. Respondi que sim e perguntei-lhe o que lhe poderia dar como forma de agradecimento. Ele respondeu-me que não teria de lhe dar absolutamente nada. Quando acordei, vi a minha cama rodeada de livros com palavras escritas em muitas línguas. Estavam ali como por encanto e debaixo deles estava o mapa  que me tinha levado até à Ilha das Palavras.
Como este  é um assunto de que é difícil falar sem ser chamado de louco, decidi passar esta história para o papel, mas sem lhe juntar o mapa que me permitiu chegar a um sítio tão longínquo e mágico. Tornei-me poeta depois dessa viagem e nunca mais deixei de o ser!
arranjo um barco e faço-me ao mar, na esperança de voltar a encontrar essa ilha que é diferente de todas as outras ilhas Agora, quando me faltarem as palavras de que preciso para nomear as coisas e os sentimentos que verdadeiramente interessam na vida das pessoas para que tudo volte de novo a ser possível, até a nossa felicidade.
Fim
Ser Poeta Ser poeta é ser mais alto, é ser maior Do que os homens! Morder como quem beija! É ser mendigo e dar como quem seja Rei do Reino de Aquém e de Além Dor! É ter de mil desejos o esplendor. E não saber sequer que se deseja! É ter cá dentro um astro que flameja. É ter garras e asas de condor! É ter fome, é ter sede de Infinito! Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...É condensar o mundo num só grito! E é amar-te, assim, perdidamente...É seres alma, e sangue, e vida em mim. E dizê-lo cantando a toda a gente!  Florbela Espanca
Uma ilha é uma porção de terra rodeada de água por todos os lados.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Atividade pontuada lp 1 etapa
Atividade pontuada lp 1 etapaAtividade pontuada lp 1 etapa
Atividade pontuada lp 1 etapa
Geiza Prado
 
Sitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amareloSitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amarelo
Sonia Amaral
 
A princesa e o sapo
A princesa e o sapoA princesa e o sapo
A princesa e o sapo
Suzy Santana
 
Problemas de 2º ano
Problemas de 2º anoProblemas de 2º ano
Problemas de 2º ano
Crescendo EAprendendo
 
Atividades tipos de moradias
Atividades tipos de moradiasAtividades tipos de moradias
Atividades tipos de moradias
Atividades Diversas Cláudia
 
Ficha avaliacao 5ºano(numeros naturais e geometria)[1]
Ficha avaliacao 5ºano(numeros naturais e geometria)[1]Ficha avaliacao 5ºano(numeros naturais e geometria)[1]
Ficha avaliacao 5ºano(numeros naturais e geometria)[1]
carina810
 
Livro de Poesias
Livro de PoesiasLivro de Poesias
Interpretacao de-texto-natal portugues
Interpretacao de-texto-natal portuguesInterpretacao de-texto-natal portugues
Interpretacao de-texto-natal portugues
Atividades Diversas Cláudia
 
Modelo plano folclore de simone drumond
Modelo plano folclore de simone drumondModelo plano folclore de simone drumond
Modelo plano folclore de simone drumond
SimoneHelenDrumond
 
Texto violeta e roxo
Texto   violeta e roxo Texto   violeta e roxo
Texto violeta e roxo
Leilajgr
 
Caracteristicas dos animais 3º ano
Caracteristicas dos animais  3º anoCaracteristicas dos animais  3º ano
Caracteristicas dos animais 3º ano
escolabeatriz
 
Fa em4-05 afc-fevereiro
Fa em4-05 afc-fevereiroFa em4-05 afc-fevereiro
Fa em4-05 afc-fevereiro
lveiga
 
Avaliaçao 2 bimestre 5 ano - sobre Menino Maluquinho e Ziraldo -
Avaliaçao 2 bimestre 5 ano - sobre Menino Maluquinho e Ziraldo - Avaliaçao 2 bimestre 5 ano - sobre Menino Maluquinho e Ziraldo -
Avaliaçao 2 bimestre 5 ano - sobre Menino Maluquinho e Ziraldo -
Renata Marani Dourado Marques
 
Ser criança
Ser criançaSer criança
Cinderela história e atividades
Cinderela história e atividadesCinderela história e atividades
Cinderela história e atividades
Ledson Aldrovandi
 
Vogal u cursiva
Vogal u   cursivaVogal u   cursiva
Vogal u cursivamyespaco
 
Casos de leitura ar, er, ir, or, ur[1]
Casos de leitura ar, er, ir, or, ur[1]Casos de leitura ar, er, ir, or, ur[1]
Casos de leitura ar, er, ir, or, ur[1]
mariacarmcorreia
 
ADJETIVO: FICHA PARA CORREÇÃO DE ERROS E DINÂMICA EM SALA DE AULA
ADJETIVO: FICHA PARA CORREÇÃO DE ERROS E DINÂMICA EM SALA DE AULAADJETIVO: FICHA PARA CORREÇÃO DE ERROS E DINÂMICA EM SALA DE AULA
ADJETIVO: FICHA PARA CORREÇÃO DE ERROS E DINÂMICA EM SALA DE AULA
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
21 de setembro – Dia da Árvore.
 21 de setembro – Dia da Árvore. 21 de setembro – Dia da Árvore.
21 de setembro – Dia da Árvore.
Mary Alvarenga
 
Poemas de Natal
Poemas de NatalPoemas de Natal
Poemas de Natal
BibliotecadaEscoladaPonte
 

Mais procurados (20)

Atividade pontuada lp 1 etapa
Atividade pontuada lp 1 etapaAtividade pontuada lp 1 etapa
Atividade pontuada lp 1 etapa
 
Sitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amareloSitio do picapau amarelo
Sitio do picapau amarelo
 
A princesa e o sapo
A princesa e o sapoA princesa e o sapo
A princesa e o sapo
 
Problemas de 2º ano
Problemas de 2º anoProblemas de 2º ano
Problemas de 2º ano
 
Atividades tipos de moradias
Atividades tipos de moradiasAtividades tipos de moradias
Atividades tipos de moradias
 
Ficha avaliacao 5ºano(numeros naturais e geometria)[1]
Ficha avaliacao 5ºano(numeros naturais e geometria)[1]Ficha avaliacao 5ºano(numeros naturais e geometria)[1]
Ficha avaliacao 5ºano(numeros naturais e geometria)[1]
 
Livro de Poesias
Livro de PoesiasLivro de Poesias
Livro de Poesias
 
Interpretacao de-texto-natal portugues
Interpretacao de-texto-natal portuguesInterpretacao de-texto-natal portugues
Interpretacao de-texto-natal portugues
 
Modelo plano folclore de simone drumond
Modelo plano folclore de simone drumondModelo plano folclore de simone drumond
Modelo plano folclore de simone drumond
 
Texto violeta e roxo
Texto   violeta e roxo Texto   violeta e roxo
Texto violeta e roxo
 
Caracteristicas dos animais 3º ano
Caracteristicas dos animais  3º anoCaracteristicas dos animais  3º ano
Caracteristicas dos animais 3º ano
 
Fa em4-05 afc-fevereiro
Fa em4-05 afc-fevereiroFa em4-05 afc-fevereiro
Fa em4-05 afc-fevereiro
 
Avaliaçao 2 bimestre 5 ano - sobre Menino Maluquinho e Ziraldo -
Avaliaçao 2 bimestre 5 ano - sobre Menino Maluquinho e Ziraldo - Avaliaçao 2 bimestre 5 ano - sobre Menino Maluquinho e Ziraldo -
Avaliaçao 2 bimestre 5 ano - sobre Menino Maluquinho e Ziraldo -
 
Ser criança
Ser criançaSer criança
Ser criança
 
Cinderela história e atividades
Cinderela história e atividadesCinderela história e atividades
Cinderela história e atividades
 
Vogal u cursiva
Vogal u   cursivaVogal u   cursiva
Vogal u cursiva
 
Casos de leitura ar, er, ir, or, ur[1]
Casos de leitura ar, er, ir, or, ur[1]Casos de leitura ar, er, ir, or, ur[1]
Casos de leitura ar, er, ir, or, ur[1]
 
ADJETIVO: FICHA PARA CORREÇÃO DE ERROS E DINÂMICA EM SALA DE AULA
ADJETIVO: FICHA PARA CORREÇÃO DE ERROS E DINÂMICA EM SALA DE AULAADJETIVO: FICHA PARA CORREÇÃO DE ERROS E DINÂMICA EM SALA DE AULA
ADJETIVO: FICHA PARA CORREÇÃO DE ERROS E DINÂMICA EM SALA DE AULA
 
21 de setembro – Dia da Árvore.
 21 de setembro – Dia da Árvore. 21 de setembro – Dia da Árvore.
21 de setembro – Dia da Árvore.
 
Poemas de Natal
Poemas de NatalPoemas de Natal
Poemas de Natal
 

Destaque

Opatinhofeio
OpatinhofeioOpatinhofeio
Opatinhofeio
Maria José Ramos
 
A princesa baixinha power point
A princesa baixinha   power pointA princesa baixinha   power point
A princesa baixinha power point
labeques
 
Ativ 3 1_socializa_pitec_sheilajanes3
Ativ 3 1_socializa_pitec_sheilajanes3Ativ 3 1_socializa_pitec_sheilajanes3
Ativ 3 1_socializa_pitec_sheilajanes3
sheilajanes
 
Inez cabral fib valores humanos fonte_dafelicidade.09.11.2012
Inez cabral fib valores humanos fonte_dafelicidade.09.11.2012Inez cabral fib valores humanos fonte_dafelicidade.09.11.2012
Inez cabral fib valores humanos fonte_dafelicidade.09.11.2012
joaovictorsoaressampaio
 
Ética, Valores e Cidadania na Escola
Ética, Valores e Cidadania na Escola Ética, Valores e Cidadania na Escola
Ética, Valores e Cidadania na Escola
patricianahum
 
O carteiro chegou_-_janet_e_allan_ahlberg
O carteiro chegou_-_janet_e_allan_ahlbergO carteiro chegou_-_janet_e_allan_ahlberg
O carteiro chegou_-_janet_e_allan_ahlberg
ilima12
 
Branca de-neve-e-os-sete-anes
Branca de-neve-e-os-sete-anesBranca de-neve-e-os-sete-anes
Branca de-neve-e-os-sete-anes
Jorge Carnaz
 
Timokids - Histórias Patrocinadas
Timokids - Histórias PatrocinadasTimokids - Histórias Patrocinadas
Timokids - Histórias Patrocinadas
Fernando Padovan
 
Tic conto infantil
Tic conto infantilTic conto infantil
Tic conto infantil
VPS1
 
Livro sorriso estrela
Livro sorriso estrelaLivro sorriso estrela
Feira de ciências
Feira de ciênciasFeira de ciências
Feira de ciências
SoxxZ
 
Capuchinho Vermelho[1]
Capuchinho Vermelho[1]Capuchinho Vermelho[1]
Capuchinho Vermelho[1]
Li Tagarelinhas
 
Cinderela
CinderelaCinderela
Cinderela
NMBQ
 
Projeto proinfo slaids
Projeto proinfo slaidsProjeto proinfo slaids
Projeto proinfo slaids
Valdete Lopes
 
O macaco do rabo cortado
O macaco do rabo cortadoO macaco do rabo cortado
O macaco do rabo cortado
BBEBJB
 
Criando SituaçõEs De Leitura
Criando SituaçõEs De LeituraCriando SituaçõEs De Leitura
Criando SituaçõEs De Leitura
Maristela Couto
 
Contos de Fadas
Contos de FadasContos de Fadas
Contos de Fadas
Dayana Nepomuceno
 
Projeto interdisciplinar fundamentos da educação infantil
Projeto interdisciplinar fundamentos da educação infantilProjeto interdisciplinar fundamentos da educação infantil
Projeto interdisciplinar fundamentos da educação infantil
AlineGarotti
 
Capuchinho vermelho
Capuchinho vermelhoCapuchinho vermelho
Capuchinho vermelho
mfgd02041970
 
O dia e a noite
O dia e a noiteO dia e a noite

Destaque (20)

Opatinhofeio
OpatinhofeioOpatinhofeio
Opatinhofeio
 
A princesa baixinha power point
A princesa baixinha   power pointA princesa baixinha   power point
A princesa baixinha power point
 
Ativ 3 1_socializa_pitec_sheilajanes3
Ativ 3 1_socializa_pitec_sheilajanes3Ativ 3 1_socializa_pitec_sheilajanes3
Ativ 3 1_socializa_pitec_sheilajanes3
 
Inez cabral fib valores humanos fonte_dafelicidade.09.11.2012
Inez cabral fib valores humanos fonte_dafelicidade.09.11.2012Inez cabral fib valores humanos fonte_dafelicidade.09.11.2012
Inez cabral fib valores humanos fonte_dafelicidade.09.11.2012
 
Ética, Valores e Cidadania na Escola
Ética, Valores e Cidadania na Escola Ética, Valores e Cidadania na Escola
Ética, Valores e Cidadania na Escola
 
O carteiro chegou_-_janet_e_allan_ahlberg
O carteiro chegou_-_janet_e_allan_ahlbergO carteiro chegou_-_janet_e_allan_ahlberg
O carteiro chegou_-_janet_e_allan_ahlberg
 
Branca de-neve-e-os-sete-anes
Branca de-neve-e-os-sete-anesBranca de-neve-e-os-sete-anes
Branca de-neve-e-os-sete-anes
 
Timokids - Histórias Patrocinadas
Timokids - Histórias PatrocinadasTimokids - Histórias Patrocinadas
Timokids - Histórias Patrocinadas
 
Tic conto infantil
Tic conto infantilTic conto infantil
Tic conto infantil
 
Livro sorriso estrela
Livro sorriso estrelaLivro sorriso estrela
Livro sorriso estrela
 
Feira de ciências
Feira de ciênciasFeira de ciências
Feira de ciências
 
Capuchinho Vermelho[1]
Capuchinho Vermelho[1]Capuchinho Vermelho[1]
Capuchinho Vermelho[1]
 
Cinderela
CinderelaCinderela
Cinderela
 
Projeto proinfo slaids
Projeto proinfo slaidsProjeto proinfo slaids
Projeto proinfo slaids
 
O macaco do rabo cortado
O macaco do rabo cortadoO macaco do rabo cortado
O macaco do rabo cortado
 
Criando SituaçõEs De Leitura
Criando SituaçõEs De LeituraCriando SituaçõEs De Leitura
Criando SituaçõEs De Leitura
 
Contos de Fadas
Contos de FadasContos de Fadas
Contos de Fadas
 
Projeto interdisciplinar fundamentos da educação infantil
Projeto interdisciplinar fundamentos da educação infantilProjeto interdisciplinar fundamentos da educação infantil
Projeto interdisciplinar fundamentos da educação infantil
 
Capuchinho vermelho
Capuchinho vermelhoCapuchinho vermelho
Capuchinho vermelho
 
O dia e a noite
O dia e a noiteO dia e a noite
O dia e a noite
 

Semelhante a A Ilha Das Palavras

100 lendas do folclore brasilei a.s franchini
100 lendas do folclore brasilei   a.s franchini100 lendas do folclore brasilei   a.s franchini
100 lendas do folclore brasilei a.s franchini
Denilza Willian
 
100 lendas do folclore brasilei a.s franchini 2
100 lendas do folclore brasilei   a.s franchini 2100 lendas do folclore brasilei   a.s franchini 2
100 lendas do folclore brasilei a.s franchini 2
Catarina Cartaxo
 
100 lendas do folclore brasilei a.s franchini
100 lendas do folclore brasilei   a.s franchini100 lendas do folclore brasilei   a.s franchini
100 lendas do folclore brasilei a.s franchini
Maureen Bruxa
 
Capitao golfo
Capitao golfoCapitao golfo
Capitao golfo
Rosa Duarte
 
Apresentação de Sofia de Mello Breyner Andresen
Apresentação  de  Sofia de Mello Breyner AndresenApresentação  de  Sofia de Mello Breyner Andresen
Apresentação de Sofia de Mello Breyner Andresen
Maria Costa
 
O mar na poesia
O mar na poesiaO mar na poesia
O mar na poesia
BibliotecadaEscoladaPonte
 
E-book de Júlio Dinis, O canto da sereia
E-book de Júlio Dinis, O canto da sereiaE-book de Júlio Dinis, O canto da sereia
E-book de Júlio Dinis, O canto da sereia
Carla Crespo
 
O canto da sereia julio dinis
O canto da sereia   julio dinisO canto da sereia   julio dinis
O canto da sereia julio dinis
AnaRibeiro968038
 
Mar e Poesia
Mar e PoesiaMar e Poesia
Mar e Poesia
guida04
 
Os Lusíadas Ilha dos Amores - Canto X
Os Lusíadas   Ilha dos Amores -  Canto XOs Lusíadas   Ilha dos Amores -  Canto X
Os Lusíadas Ilha dos Amores - Canto X
Maria Inês de Souza Vitorino Justino
 
Kathársis2009
Kathársis2009Kathársis2009
Kathársis2009
guest7caa59
 
Francisco 7ºd
Francisco 7ºdFrancisco 7ºd
Francisco 7ºd
escrevermais
 
Adolfo caminha no país dos ianques
Adolfo caminha   no país dos ianquesAdolfo caminha   no país dos ianques
Adolfo caminha no país dos ianques
Tulipa Zoá
 
Ana_Maria_Goncalves_-_Um_Defeito_de_Cor.pdf
Ana_Maria_Goncalves_-_Um_Defeito_de_Cor.pdfAna_Maria_Goncalves_-_Um_Defeito_de_Cor.pdf
Ana_Maria_Goncalves_-_Um_Defeito_de_Cor.pdf
AmandaRocha197859
 
Francisco... 7ºd
Francisco... 7ºdFrancisco... 7ºd
Francisco... 7ºd
escrevermais
 
Sophia e o mar
Sophia e o marSophia e o mar
Sophia e o mar
Mario Ricca
 
Mania
ManiaMania
Atividade sobre o genero textual relato
Atividade sobre o genero textual relatoAtividade sobre o genero textual relato
Atividade sobre o genero textual relato
Marilza Fuentes
 
Antologia poética
Antologia poéticaAntologia poética
Antologia poética
Gabriela Rovani
 
Contos português 5ªs A e B 2011
Contos português 5ªs A e B 2011Contos português 5ªs A e B 2011
Contos português 5ªs A e B 2011
ConexaoAlvim
 

Semelhante a A Ilha Das Palavras (20)

100 lendas do folclore brasilei a.s franchini
100 lendas do folclore brasilei   a.s franchini100 lendas do folclore brasilei   a.s franchini
100 lendas do folclore brasilei a.s franchini
 
100 lendas do folclore brasilei a.s franchini 2
100 lendas do folclore brasilei   a.s franchini 2100 lendas do folclore brasilei   a.s franchini 2
100 lendas do folclore brasilei a.s franchini 2
 
100 lendas do folclore brasilei a.s franchini
100 lendas do folclore brasilei   a.s franchini100 lendas do folclore brasilei   a.s franchini
100 lendas do folclore brasilei a.s franchini
 
Capitao golfo
Capitao golfoCapitao golfo
Capitao golfo
 
Apresentação de Sofia de Mello Breyner Andresen
Apresentação  de  Sofia de Mello Breyner AndresenApresentação  de  Sofia de Mello Breyner Andresen
Apresentação de Sofia de Mello Breyner Andresen
 
O mar na poesia
O mar na poesiaO mar na poesia
O mar na poesia
 
E-book de Júlio Dinis, O canto da sereia
E-book de Júlio Dinis, O canto da sereiaE-book de Júlio Dinis, O canto da sereia
E-book de Júlio Dinis, O canto da sereia
 
O canto da sereia julio dinis
O canto da sereia   julio dinisO canto da sereia   julio dinis
O canto da sereia julio dinis
 
Mar e Poesia
Mar e PoesiaMar e Poesia
Mar e Poesia
 
Os Lusíadas Ilha dos Amores - Canto X
Os Lusíadas   Ilha dos Amores -  Canto XOs Lusíadas   Ilha dos Amores -  Canto X
Os Lusíadas Ilha dos Amores - Canto X
 
Kathársis2009
Kathársis2009Kathársis2009
Kathársis2009
 
Francisco 7ºd
Francisco 7ºdFrancisco 7ºd
Francisco 7ºd
 
Adolfo caminha no país dos ianques
Adolfo caminha   no país dos ianquesAdolfo caminha   no país dos ianques
Adolfo caminha no país dos ianques
 
Ana_Maria_Goncalves_-_Um_Defeito_de_Cor.pdf
Ana_Maria_Goncalves_-_Um_Defeito_de_Cor.pdfAna_Maria_Goncalves_-_Um_Defeito_de_Cor.pdf
Ana_Maria_Goncalves_-_Um_Defeito_de_Cor.pdf
 
Francisco... 7ºd
Francisco... 7ºdFrancisco... 7ºd
Francisco... 7ºd
 
Sophia e o mar
Sophia e o marSophia e o mar
Sophia e o mar
 
Mania
ManiaMania
Mania
 
Atividade sobre o genero textual relato
Atividade sobre o genero textual relatoAtividade sobre o genero textual relato
Atividade sobre o genero textual relato
 
Antologia poética
Antologia poéticaAntologia poética
Antologia poética
 
Contos português 5ªs A e B 2011
Contos português 5ªs A e B 2011Contos português 5ªs A e B 2011
Contos português 5ªs A e B 2011
 

Último

Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
joaovmp3
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
Faga1939
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
TomasSousa7
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Danilo Pinotti
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Momento da Informática
 
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
Momento da Informática
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
Momento da Informática
 

Último (8)

Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
 
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
 
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
 

A Ilha Das Palavras

  • 2. Era uma vez Uma Ilha
  • 3. Diferente de Todas as outras
  • 4. Quem a visitasse não encontrava rochas árvores rios pássaros grutas animais
  • 5. Mas, afinal, de que ilha estamos a falar? Encontrava somente o vazio de tudo isso, mas sob a forma de uma massa sonora que encantava quem se aventurasse naquelas estranhas paragens.
  • 6. Estamos a falar de uma ilha toda feita de palavras que eram a única riqueza e a verdadeira razão de existir daquela ilha perdida no mar imenso das coisas que ainda estão por descobrir.
  • 7. e dos livros de Geografia fui à procura dos Atlas Quando me falaram da ilha das palavras
  • 8. mas não encontrei qualquer referência da ilha misteriosa.
  • 9. Um dia um velho poeta disse-me que todos os poetas já a tinham visitado pelo menos em sonhos.
  • 10. Achei a resposta bela mas fiquei exactamente na mesma. Certo dia, dei por mim a imaginar poetas como Luís de Camões, Bocage, ou Camilo Pessanha.
  • 11. Mas, sendo-me impossível falar com eles continuei com a minha dúvida.
  • 12. Voltei a consultar atlas e livros antigos nas bibliotecas mas em nenhum deles encontrei nada.
  • 13. Certo dia, fui visitar um amigo que tinha dois papagaios vindos de terras exóticas.
  • 14. Perguntei-lhes se conheciam a ilha misteriosa, que foi lá que aprenderam a falar. responderam-me
  • 15. Ao longo dos séculos passaram por esta ilha pessoas de todas as origens geográficas Portugueses Ingleses Vikings Holandeses Espanhóis
  • 16. Finalmente, surgiu uma pista... disseram-me que durante o sono ficaria a saber a localização da Ilha das Palavras.
  • 17. Nessa noite deitei-me cedo, mas com a ansiedade não conseguia adormecer. Quando já dormia recebi a visita dos papagaios, que, em sonhos,
  • 18. desenrolaram um velho mapa com o bico e finalmente indicaram a localização da misteriosa ilha.
  • 19. ...perdi a bagagem, apanhei umas febres estranhas e por último as viagens marítimas para aquela zona foram todas canceladas. Como tenho boa memória, quando acordei recontruí o mapa. Pensei que seria fácil chegar à Ilha, mas surgiram-me alguns imprevistos...
  • 20. Vi-me assim forçado a contratar um pescador que me levasse até ao destino chamado À Luz das Estrelas, no idioma daquela terra distante. no seu pequeno barco Quando chegámos ao sítio onde a Ilha estava localizada....
  • 21. o céu escureceu de repente e fomos sobrevoados por um bando de papagaios. Era como se a noite tivesse caído a meio do dia O que aconteceu a seguir não me lembro! e as aves exóticas nos viessem servir de guias.
  • 22. Só me lembro de estar, já sem o pescador, num lugar estranho onde nada parecia ter a consistência das coisas materiais. No entanto, ouviam-se vozes que pronunciavam em várias línguas as mais estranhas e belas palavras que eu já tinha ouvido. Estava enfeitiçado por aquele conjunto de palavras que tinham o poder mágico de dar forma e consistência a tudo aquilo que chamavam.
  • 23. Se diziam "montanha", eu via-me cercado por montes de picos muito altos e luminosos que se perdiam no meio das nuvens.
  • 24. Não me restavam dúvidas eu estava no coração da Ilha das Palavras! Que não me tinha saído do espírito durante mais de dois anos de incessante pesquisa. Mas, o mais fantástico é que tudo o que eu ali via me parecia estranhamente familiar, dando-me uma sensação de segurança e de proximidade que não consigo explicar.
  • 25. Quando uma voz pronunciou a palavra "livro", logo a ilha se encheu de livros de todas as cores e tamanhos. Mas o mais surpreendente, é que todos traziam os seus autores, uns famosos e há muito desaparecidos e outros muito jovens e ainda em busca do seu lugar no mundo das palavras impressas.
  • 26. Não era uma ilha igual às outras porque era imaterial e intensamente sonora. Ganhava uma beleza estonteante quando as palavras que pairavam no ar faziam parte de poemas que eu conhecia. Deambulando pela ilha sem sentir fome, ou cansaço, cruzei-me com escritores vivos e mortos que conhecia das páginas dos jornais e dos livros.
  • 27. Quando senti fome e sede pronunciei os nomes daquilo que me apetecia comer e beber e logo as palavras soletradas se tranformaram em apetitosos alimentos. Enquanto comia vi poetas como Luís de Camões, Alexandre O,Neill, Cesário Verde e Sophia de Mello Brayner a conversar com as ondas do mar. Tudo o que ali acontecia começava e acabava nas palavras que eram a alma e a matéria de que a ilha era feita.
  • 28. Quando anoiteceu o sono acabou por me vencer. Entrei no território do sonho com a cabeça recheada de palavras e confesso que nunca adormeci tão feliz.
  • 29. Durante o sono recebi a visita do papagaio do meu amigo, que me perguntou se tinha gostado da revelação que ele me fez. Respondi que sim e perguntei-lhe o que lhe poderia dar como forma de agradecimento. Ele respondeu-me que não teria de lhe dar absolutamente nada. Quando acordei, vi a minha cama rodeada de livros com palavras escritas em muitas línguas. Estavam ali como por encanto e debaixo deles estava o mapa que me tinha levado até à Ilha das Palavras.
  • 30. Como este é um assunto de que é difícil falar sem ser chamado de louco, decidi passar esta história para o papel, mas sem lhe juntar o mapa que me permitiu chegar a um sítio tão longínquo e mágico. Tornei-me poeta depois dessa viagem e nunca mais deixei de o ser!
  • 31. arranjo um barco e faço-me ao mar, na esperança de voltar a encontrar essa ilha que é diferente de todas as outras ilhas Agora, quando me faltarem as palavras de que preciso para nomear as coisas e os sentimentos que verdadeiramente interessam na vida das pessoas para que tudo volte de novo a ser possível, até a nossa felicidade.
  • 32. Fim
  • 33. Ser Poeta Ser poeta é ser mais alto, é ser maior Do que os homens! Morder como quem beija! É ser mendigo e dar como quem seja Rei do Reino de Aquém e de Além Dor! É ter de mil desejos o esplendor. E não saber sequer que se deseja! É ter cá dentro um astro que flameja. É ter garras e asas de condor! É ter fome, é ter sede de Infinito! Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...É condensar o mundo num só grito! E é amar-te, assim, perdidamente...É seres alma, e sangue, e vida em mim. E dizê-lo cantando a toda a gente! Florbela Espanca
  • 34. Uma ilha é uma porção de terra rodeada de água por todos os lados.