SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
A Geografia no Poder Mundial
Os deslocamentos dos centros de poder mundial
Historicamente, a incorporação de novos espaços à economia mundial tem levado à
decadência dos eixos econômicos tradicionais e ao surgimento de novos polos
econômicos e de poder. Até o século XVI, o mundo do Mediterrâneo era o centro da
civilização ocidental. Em torno de suas águas se concentrava o comércio, a cultura e
o poderio político e militar. Desde a Antiguidade Clássica, a baciado Mar Mediterrâneo
abrigou as civilizações egípcias, helênica, cartaginesa, romana, árabe e os modernos
povos cristãos que dele se valiam para efetuar o comércio com os povos "orientais".
Do outro lado do mundo, civilizações como a chinesa, a árabe e a hindu organizavam
cada uma em seu entorno, sistemas econômicos independentes, de proporções
maiores que os da Europa.
Poder mundial bipolar: capitalismo versus socialismo
O mundo passou a ser dividido em esferas de influência dessas duas
superpotências iniciando um período de polarização entre os dois blocos, com uma
série de conflitos entre países do bloco socialista, alinhados à União Soviética e os
países do bloco capitalista aliados aos Estados Unidos. Durante 44 anos de um
período histórico conhecido como guerra fria, os países da Europa Oriental integrantes
do bloco socialista deram sustentação à política internacional da União Soviética.
O primeiro bloco estava alinhado com os Estados Unidos, e o segundo, com a
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).
Formada em 1922, a União Soviética chegou a reunir 15 repúblicas do leste europeu
e da Ásia. Essa rivalidade ideológica provocou uma bipoliração da Europa e do
mundo.
A expansão do socialismo
Com o fim da Segunda Guerra mundial, novos países passaram a adotar sistemas
socialistas. 8 países europeus se tornaram socialistas. A China realizou sua revolução
e no início da década de 1960, Cuba se tornou o 1º país latino-americano a aderir o
bloco liderado pela URSS, que superou a devastação provocada pela guerra,
mantendo os mesmos princípios anteriores a 1939. Não houve ruptura no campo
político e social. Apenas a partir de 1953, com a morte de Stálin haveria alterações.
Em 1956, Kruschev, então secretário geral do partido comunista, fez veementes
ataques a Stalin em relatório lido nos 20 º congresso. A crítica estimulou a abertura
política.
Os países socialistas procuraram formar alianças econômicas, políticas e
militares, constituindo entre outros organismos o Pacto de Varsóvia, organização
militar comandada pela URSS, formada em 1955 e extinta em 1991. Os países
Capitalistas, sob o comando dos estados Unidos, reuniram seus aliados na
Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), fundada em 1949.
A Guerra Fria
Uma rivalidade por áreas deu origem a guerra fria que foi uma guerra sem
enfrentamento direto só por diversas hostilidades entre duas superpotências. A
primeira foi a URSS que no pós-guerra preocupou se em reconstruí se, mas depois
alcançou um grande desenvolvimento, que visava á expansão do socialismo com a
finalidade de garantir suas conquistas internas e conseguir novos aliados. A segunda
era os EUA que buscavam manter os mercados mundiais e assegurar a expansão do
capitalismo. Houve momentos de tensão entre elas durante a guerra fria o primeiro foi
em 1949 quando a Alemanha foi dividida em Alemanha capitalista e socialista que deu
origem ao muro de Berlim que foi construído em 1961 pela Alemanha socialista.
Houve facções pro-capitalistas apoiadas pelos EUA para impedir o avanço no
Sudeste Asiático e na América e os pro socialistas recebiam apoio da URSS. Um
combate ao comunismo foi liderado pelos EUA utilizando meios de comunicação para
divulgação do modo de vida capitalista, já URSS impedia a livre expressão e
condenava os que eram contrários ao regime socialista.
Na AFRICA e na ASIA, a guerra fria gerou divisão entre os continentes,
transformando-os em palco de muitas guerras internas que ainda persistem no século
XX. No século xv1 a AFRICA foi cobiçada por navegadores e comerciantes que
conseguiram bons lucros com o tráfico negreiro. Em 1884 foi realizada a conferencia
de Berlim que determinou a partilha da maior parte do território africano entre as
potencias colonizadoras europeias.
Ocorreu um enfraquecimento geopolítico das nações europeias após as duas
grandes guerras, então se iniciou uma descolonização na AFRICA e na ASIA, com
isso as colônias lutaram para adquirir ou recuperar sua independência. Em muitos dos
novos países o neocolonialismo foi viabilizado pelas elites locais, garantindo a
manutenção de laços econômicos e políticos.
A desintegração dos países socialistas e o fim da guerra fria
A URSS, por exemplo, obteve um grande crescimento econômico e chegou a
ser uma grande potência, mas diversos fatores contribuíram para a sua dissolução e
para a queda do regime socialista na maior parte dos países que o adotavam, entre
os quais se destacam:
· A inexistência de concorrência, que acarretou baixa produtividade, péssima
qualidade dos produtos e aumento dos custos da produção, provocando atraso
tecnológico e inviabilizando o ingresso da URSS na economia mundial;
· O controle centralizado do Estado, a corrupção, as estruturas burocráticas, os
privilégios das classes dirigentes e os limites impostos as liberdades individuais
aumentaram o descontentamento.
O fim da Guerra Fria é caracterizado, para alguns estudiosos, pela queda do
Muro de Berlim ocorrido na noite de 9 para 10 de novembro de 1989, e sua unificação.
No ano seguinte, o Pacto de Varsóvia anunciou o fim de suas funções militares e
finalmente, em 1991, a própria URSS deixou de existir e em seu lugar, surgiram quinze
países independentes formando a CEI (Comunidade de Estados Independentes). A
Rússia, a mais importante das antigas repúblicas soviéticas, continua sendo uma
potência militar, pois mantém o controle sobre as armas nucleares da extinta União
Soviéticas, mas certamente já perdeu a condição de superpotência.
A transição e expansão do capitalismo
O termo transição designa uma fase da evolução da sociedade em que se agravam
cada vez mais as dificuldades em manter o sistema econômico em vigor e começa a
surgir outro sistema que, após um período de grande tensão e até violência, consegue
assumir novas condições de existência.
Uma época de transição corresponde a um período de contradições e perturbações
econômicas, sociais e políticas susceptíveis de provocar uma revolução no
desenvolvimento das forças produtivas e das relações de produção.
As grandes descobertas, o comércio internacional, a pilhagem colonial, foram
alguns dos meios que permitiram a acumulação do capital e o desenvolvimento da
forma capitalista de produção de mercadorias. Marx cita, como outra forma de
transição para um modo de produção superior, as sociedades por ações e os
monopólios que concentram a propriedade privada à escala da sociedade.
A transição para o sistema capitalista resultou ainda da convergência de outros
fatores como: a modernização da agricultura que favoreceu o crescimento
populacional; a transição da manufatura e do artesanato corporativo na formação da
pequena indústria; a transformação da estrutura de propriedade; a revolução dos
transportes; o desenvolvimento do comércio; o desmoronar dum bloqueio estrutural
feudal que manteve o seu jugo sobre as sociedades europeias ao longo de vários
séculos, impedindo o seu desenvolvimento.
A ONU entre a paz e a guerra
A Organização das Nações Unidas (ONU) foi formada em 1945, substituindo a
Liga das Nações, de 1920. Com sede em Nova York, seu principal instrumento, a
Carta das Nações Unidas, foi assinada por 192 países. Fazem parte da ONU
organismos especializados, tais como a Organização Mundial da Saúde (OMS), a
Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Fundo das Nações Unidas para a
Infância (UNICEF), o Banco Mundial e o FMI.
O Conselho de Segurança da ONU tem a função de manter a paz, regular a posse
de armamentos, empreender ações militares ou autorizá-las e resolver controvérsias
entre os países.
A nova ordem mundial
Com o fim da URSS, restou apenas uma única superpotência, os Estados Unidos,
fato que levou o mundo a uma busca por uma nova configuração pelo domínio
geopolítico, pois a disputa pela hegemonia deixa de ser pelo poder político-militar e
passa diretamente a concorrência comercial, efeito que leva as nações se
reorganizarem em blocos regionais, dando origem à nova ordem mundial, onde países
unem esforços para reduzir obstáculos econômicos e políticos, ampliando suas
fronteiras, resultando no surgimento de gigantes econômicos como a UE - União
Europeia e a Nafta - Acordo de Livre Comércio da América do Norte.
A nova ordem mundial
Com o fim da URSS, restou apenas uma única superpotência, os Estados Unidos,
fato que levou o mundo a uma busca por uma nova configuração pelo domínio
geopolítico, pois a disputa pela hegemonia deixa de ser pelo poder político-militar e
passa diretamente a concorrência comercial, efeito que leva as nações se
reorganizarem em blocos regionais, dando origem a nova ordem mundial, onde países
unem esforços para reduzir obstáculos econômicos e políticos, ampliando suas
fronteiras, resultando no surgimento de gigantes econômicos como a UE - União
Europeia e o Nafta - Acordo de Livre Comércio da América do Norte.
O império estadunidense
A partir da década de 1990, o império estadunidense iniciaria uma nova ofensiva
não apenas no mundo, mas, principalmente, na América Latina. Aproveitando-se da
crise que levaria ao fim da União Soviética em 1991, o então presidente George Bush
(pai) propôs, em 1989, o estabelecimento de uma “Nova Ordem Mundial” e
da “Iniciativa para as Américas”, sob o domínio dos EUA.
Naquele mesmo ano, sob o patrocínio formal do Instituto Internacional de
Economia, o governo dos EUA, o FMI, o Banco Mundial e as grandes corporações e
bancos daquele país realizaram uma conferência em Washington para examinar os
problemas dos EUA (então, há quase duas décadas com sua economia estagnada e
perdendo força relativa no mundo) e propor soluções para eles.
Rumo à ordem mundial bipolar?
Os EUA também exercem controle no mundo do capital globalizado por meio de
instituições financeiras como o FMI e o Banco Mundial.
A cooperação existente não impediu a ocorrência de diversas ações militares no
início do século XXI.
Como o poder dos EUA tem sido sem limites, poderíamos supor que o mundo hoje
caminha para uma nova estrutura: uma ORDEM MUNDIAL UNIPOLAR. No entanto,
se nem a bipolaridade foi total, pois diversos países não se alinharam a nenhuma das
potencias, a uni polaridade também tem seus contestadores.
Poder de ataque
Em setembro de 2001 os estadunidenses sofreram ataques em seu próprio
território, que destruíram, entre outros prédios, um complexo de edifícios considerado
símbolo da economia do país. Ainda em 2001, em resposta a esse ataque, os EUA
comandaram a invasão do Afeganistão, onde supostamente estaria escondido o líder
da Al Qaeda.
A Doutrina Bush
Com a Doutrina Bush, os Estados Unidos alteraram os padrões de política
externa típicos da Guerra Fria e do final do século XX, baseados na contenção ou na
tentativa de dissuadir os adversários. Segundo o documento, “não hesitaremos [os
Estados Unidos] em agir sozinhos, se preciso for, para fazer uso do direito de
autodefesa, de maneira preventiva e antecipada”. Dessa forma, os Estados Unidos
justificam suas ações contra países considerados hostis, como ficou comprovado na
invasão e na ocupação do Iraque, em 2003.
A Doutrina Bush determina ainda o fortalecimento das alianças com outros
Estados para derrotar o terrorismo no mundo e o fim da maioria dos tratados de não
proliferação de armas nucleares. Além disso, estabelece que os Estados Unidos não
permitam a ascensão de qualquer potência estrangeira que rivalize com a enorme
dianteira militar dos norte-americanos, alcançada desde o fim da Guerra Fria e a
derrocada da URSS. Estabelece também o compromisso do governo norte-americano
em auxiliar países cujos governantes “incentivem a liberdade econômica”, numa
indicação clara de que os países devem abrir ou intensificar a abertura de seus
mercados, adotando de forma intensa o processo de globalização.
Focos de resistência
Na América, além do socialismo em Cuba (que ainda preocupa os EUA), outros
países, como a Argentina e o Brasil, elegeram presidentes de esquerda.
Na Ásia, diversos países acenam com uma emancipação política, reunidos em
organizações como a Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean) ou na
Organização de Cooperação de Xangai (OCX).
A Coreia do Norte insiste o direito de dispor de uma indústria nuclear e anunciou em
2003 possuir a bomba atômica, retirando-se do Tratado de Não-Proliferação Nuclear
e contrariando as posições de Washington.
Já em 1990, o Iraque invadiu o Kuwait, provocando uma reação internacional. A ONU
autorizou o uso da força e uma coligação liderada pelos EUA, iniciou a Guerra do
Golfo.
A moderna diplomacia: a ONU como poder de decisão
A origem da diplomacia moderna pode ser encontrada nos Estados da Itália
setentrional, no começo do Renascimento, com o estabelecimento das primeiras
Missões diplomáticas no século XIII. A primeira Missão diplomática permanente foi
estabelecida por Milão em 1446 junto ao governo de Florença. No norte da Itália
surgiram diversas das tradições da diplomacia, como a apresentação de credenciais
dos embaixadores estrangeiros ao Chefe de Estado.
Dentre as grandes potências europeias, a Espanha foi a primeira a manter um
representante permanente no exterior - na corte inglesa, a partir de 1487. No final
do século XVI, o estabelecimento de Missões permanentes já se havia tornado
frequente na Europa.
O termo "diplomacia parlamentar" foi criado em 1955 por Dean Rush para designar as
negociações multilaterais que ocorrem no âmbito da ONU e foi posteriormente
estendido às demais organizações internacionais. A diplomacia parlamentar
distingue-se por ocorrer no seio de organização internacional, seguir regras de
procedimento e contar com debate permanente (assemelhando-se, portanto, ao que
ocorre com os parlamentos nacionais). Mais recentemente, encontram-se também
referências à diplomacia parlamentar como sendo a conduzida pelos membros
dos parlamentos nacionais.
Conclusão
Vimos que o fim da Guerra Fria e a desagregação da URSS puseram fim ao mundo
bipolar e à antiga classificação dos países em Primeiro, Segundo e Terceiro mundo.
O segundo mundo reunia os antigos países socialistas. Hoje, a nova ordem mundial,
divide as nações em pobres e ricas, ou subdesenvolvidas e desenvolvidas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aspectos geopolíticos do pós guerra
Aspectos geopolíticos do pós guerraAspectos geopolíticos do pós guerra
Aspectos geopolíticos do pós guerraAna Paula Alves
 
História 12ºano - Resumos
História 12ºano - ResumosHistória 12ºano - Resumos
História 12ºano - ResumosMaria Rebelo
 
As revoluções liberais e a ruptura com o antigo regime resumo
As revoluções liberais e a ruptura com o antigo regime resumoAs revoluções liberais e a ruptura com o antigo regime resumo
As revoluções liberais e a ruptura com o antigo regime resumoEscoladocs
 
9 01 fim da guerra fria
9 01 fim da guerra fria9 01 fim da guerra fria
9 01 fim da guerra friaVítor Santos
 
Revisão bimestral de prova de geografia 2º ano
Revisão bimestral de prova de geografia 2º anoRevisão bimestral de prova de geografia 2º ano
Revisão bimestral de prova de geografia 2º anoeunamahcado
 
A nova ordem mundial ou mulitpolaridade
A nova ordem mundial ou mulitpolaridadeA nova ordem mundial ou mulitpolaridade
A nova ordem mundial ou mulitpolaridadeNeuma Matos
 
Globalizacao e nova ordem mundial
Globalizacao e nova ordem mundialGlobalizacao e nova ordem mundial
Globalizacao e nova ordem mundialEstude Mais
 
Aula 3 Ordem Mundial AZ
Aula 3 Ordem Mundial AZAula 3 Ordem Mundial AZ
Aula 3 Ordem Mundial AZCADUCOC1
 
Aula 01 sistemas econômicos e globalização
Aula 01   sistemas econômicos e globalizaçãoAula 01   sistemas econômicos e globalização
Aula 01 sistemas econômicos e globalizaçãoJonatas Carlos
 
Nova Ordem Mundial
Nova Ordem MundialNova Ordem Mundial
Nova Ordem MundialCarminha
 
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialAs transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialTeresa Maia
 
História guerra fria - conceitos
História   guerra fria - conceitosHistória   guerra fria - conceitos
História guerra fria - conceitosMaria Rebelo
 
Ordem geopolítica e econômica
Ordem geopolítica e econômicaOrdem geopolítica e econômica
Ordem geopolítica e econômicaOberlania Alves
 
Nova ordem internacional
Nova ordem internacionalNova ordem internacional
Nova ordem internacionalProfessor
 
9º ano a nova ordem
9º ano a nova ordem9º ano a nova ordem
9º ano a nova ordemRenata Cabral
 
APOIO AULA 2 - Texto Ordens Mundiais e Globalização
APOIO AULA 2 - Texto Ordens Mundiais e GlobalizaçãoAPOIO AULA 2 - Texto Ordens Mundiais e Globalização
APOIO AULA 2 - Texto Ordens Mundiais e GlobalizaçãoCADUCOC1
 

Mais procurados (20)

Aspectos geopolíticos do pós guerra
Aspectos geopolíticos do pós guerraAspectos geopolíticos do pós guerra
Aspectos geopolíticos do pós guerra
 
História 12ºano - Resumos
História 12ºano - ResumosHistória 12ºano - Resumos
História 12ºano - Resumos
 
As revoluções liberais e a ruptura com o antigo regime resumo
As revoluções liberais e a ruptura com o antigo regime resumoAs revoluções liberais e a ruptura com o antigo regime resumo
As revoluções liberais e a ruptura com o antigo regime resumo
 
9 01 fim da guerra fria
9 01 fim da guerra fria9 01 fim da guerra fria
9 01 fim da guerra fria
 
Revisão bimestral de prova de geografia 2º ano
Revisão bimestral de prova de geografia 2º anoRevisão bimestral de prova de geografia 2º ano
Revisão bimestral de prova de geografia 2º ano
 
A nova ordem mundial ou mulitpolaridade
A nova ordem mundial ou mulitpolaridadeA nova ordem mundial ou mulitpolaridade
A nova ordem mundial ou mulitpolaridade
 
Nova ordem mundial
Nova ordem mundialNova ordem mundial
Nova ordem mundial
 
O pós guerra (anos 80
O pós guerra (anos 80O pós guerra (anos 80
O pós guerra (anos 80
 
Globalizacao e nova ordem mundial
Globalizacao e nova ordem mundialGlobalizacao e nova ordem mundial
Globalizacao e nova ordem mundial
 
Aula 3 Ordem Mundial AZ
Aula 3 Ordem Mundial AZAula 3 Ordem Mundial AZ
Aula 3 Ordem Mundial AZ
 
Ordens Mundiais
Ordens MundiaisOrdens Mundiais
Ordens Mundiais
 
Aula 01 sistemas econômicos e globalização
Aula 01   sistemas econômicos e globalizaçãoAula 01   sistemas econômicos e globalização
Aula 01 sistemas econômicos e globalização
 
Nova Ordem Mundial
Nova Ordem MundialNova Ordem Mundial
Nova Ordem Mundial
 
Slide 1
Slide 1Slide 1
Slide 1
 
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialAs transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
 
História guerra fria - conceitos
História   guerra fria - conceitosHistória   guerra fria - conceitos
História guerra fria - conceitos
 
Ordem geopolítica e econômica
Ordem geopolítica e econômicaOrdem geopolítica e econômica
Ordem geopolítica e econômica
 
Nova ordem internacional
Nova ordem internacionalNova ordem internacional
Nova ordem internacional
 
9º ano a nova ordem
9º ano a nova ordem9º ano a nova ordem
9º ano a nova ordem
 
APOIO AULA 2 - Texto Ordens Mundiais e Globalização
APOIO AULA 2 - Texto Ordens Mundiais e GlobalizaçãoAPOIO AULA 2 - Texto Ordens Mundiais e Globalização
APOIO AULA 2 - Texto Ordens Mundiais e Globalização
 

Destaque

Ohio state university 3 year strategic plan
Ohio state university 3 year strategic planOhio state university 3 year strategic plan
Ohio state university 3 year strategic planhoganc1
 
Flood in Pakistan 2010.R
Flood in Pakistan 2010.RFlood in Pakistan 2010.R
Flood in Pakistan 2010.Rnisarmongar
 
Analisa software pembuatan perencanaan bisnis untuk persewaan aset
Analisa software pembuatan perencanaan bisnis untuk persewaan asetAnalisa software pembuatan perencanaan bisnis untuk persewaan aset
Analisa software pembuatan perencanaan bisnis untuk persewaan asetJMMI ITS
 
วรพล 6 6
วรพล 6 6วรพล 6 6
วรพล 6 6PhantomLord
 
Continuing Pakistan Floods
Continuing  Pakistan  FloodsContinuing  Pakistan  Floods
Continuing Pakistan Floodsnisarmongar
 
Join in Google Opensocail
Join in Google OpensocailJoin in Google Opensocail
Join in Google Opensocailcassey1123
 
Presentasi 3 d using perrspector
Presentasi 3 d using perrspectorPresentasi 3 d using perrspector
Presentasi 3 d using perrspectorbokay
 
Alertade info. grl. 1
Alertade info. grl. 1Alertade info. grl. 1
Alertade info. grl. 1sergio64
 
La semana laboral de 4 horas
La semana laboral de 4 horasLa semana laboral de 4 horas
La semana laboral de 4 horassergio64
 

Destaque (16)

Garden Design
Garden DesignGarden Design
Garden Design
 
Vs 13 - kopija
Vs 13 - kopijaVs 13 - kopija
Vs 13 - kopija
 
Ohio state university 3 year strategic plan
Ohio state university 3 year strategic planOhio state university 3 year strategic plan
Ohio state university 3 year strategic plan
 
Flood in Pakistan 2010.R
Flood in Pakistan 2010.RFlood in Pakistan 2010.R
Flood in Pakistan 2010.R
 
Analisa software pembuatan perencanaan bisnis untuk persewaan aset
Analisa software pembuatan perencanaan bisnis untuk persewaan asetAnalisa software pembuatan perencanaan bisnis untuk persewaan aset
Analisa software pembuatan perencanaan bisnis untuk persewaan aset
 
วรพล 6 6
วรพล 6 6วรพล 6 6
วรพล 6 6
 
Continuing Pakistan Floods
Continuing  Pakistan  FloodsContinuing  Pakistan  Floods
Continuing Pakistan Floods
 
Join in Google Opensocail
Join in Google OpensocailJoin in Google Opensocail
Join in Google Opensocail
 
Presentasi 3 d using perrspector
Presentasi 3 d using perrspectorPresentasi 3 d using perrspector
Presentasi 3 d using perrspector
 
Alertade info. grl. 1
Alertade info. grl. 1Alertade info. grl. 1
Alertade info. grl. 1
 
puff
puffpuff
puff
 
Gadalaiku mozaika k
Gadalaiku mozaika   kGadalaiku mozaika   k
Gadalaiku mozaika k
 
Base de datos historia
Base de datos historiaBase de datos historia
Base de datos historia
 
Patologia mamaria
Patologia mamariaPatologia mamaria
Patologia mamaria
 
La semana laboral de 4 horas
La semana laboral de 4 horasLa semana laboral de 4 horas
La semana laboral de 4 horas
 
Marketing Portfolio
Marketing PortfolioMarketing Portfolio
Marketing Portfolio
 

Semelhante a A geografia no poder mundial 1

O MUNDO DIVIDIDO ENTRE PAÍSES SOCIALISTS E CAPITALISTAS
O MUNDO DIVIDIDO ENTRE PAÍSES SOCIALISTS E CAPITALISTASO MUNDO DIVIDIDO ENTRE PAÍSES SOCIALISTS E CAPITALISTAS
O MUNDO DIVIDIDO ENTRE PAÍSES SOCIALISTS E CAPITALISTASDANUBIA ZANOTELLI
 
Resumo de História B
Resumo de História BResumo de História B
Resumo de História BAndré Torres
 
O capitalismo e o cenário geopolítico contemporâneo
O capitalismo e o cenário geopolítico contemporâneoO capitalismo e o cenário geopolítico contemporâneo
O capitalismo e o cenário geopolítico contemporâneopolyanabritto35
 
Guerra fria - parte final
Guerra fria - parte finalGuerra fria - parte final
Guerra fria - parte finaledsonluz
 
AULA 2o ANO geografia escola integral.pdf
AULA 2o ANO geografia escola integral.pdfAULA 2o ANO geografia escola integral.pdf
AULA 2o ANO geografia escola integral.pdfssuser6b433b
 
Guerra fria parte 1 - geografia , 9° ano B
Guerra fria parte 1 -  geografia , 9° ano BGuerra fria parte 1 -  geografia , 9° ano B
Guerra fria parte 1 - geografia , 9° ano BNádya Dixon
 
Resumos de História 12ºano - Preparação para exame
Resumos de História 12ºano - Preparação para exameResumos de História 12ºano - Preparação para exame
Resumos de História 12ºano - Preparação para exameMaria Rebelo
 
GUERRA FRIA.pptx
GUERRA FRIA.pptxGUERRA FRIA.pptx
GUERRA FRIA.pptxMiSink1
 
Textos de apoio_1_e_2
Textos de apoio_1_e_2Textos de apoio_1_e_2
Textos de apoio_1_e_2LUIS ABREU
 
AULA_2o_ANO_15.06.2021.pptx
AULA_2o_ANO_15.06.2021.pptxAULA_2o_ANO_15.06.2021.pptx
AULA_2o_ANO_15.06.2021.pptxssuser6b433b
 
Do mundo multipolar para o bipolar da Guerra Fria
Do mundo multipolar para o bipolar da Guerra FriaDo mundo multipolar para o bipolar da Guerra Fria
Do mundo multipolar para o bipolar da Guerra FriaCharles Santos
 

Semelhante a A geografia no poder mundial 1 (20)

O MUNDO DIVIDIDO ENTRE PAÍSES SOCIALISTS E CAPITALISTAS
O MUNDO DIVIDIDO ENTRE PAÍSES SOCIALISTS E CAPITALISTASO MUNDO DIVIDIDO ENTRE PAÍSES SOCIALISTS E CAPITALISTAS
O MUNDO DIVIDIDO ENTRE PAÍSES SOCIALISTS E CAPITALISTAS
 
Resumo de História B
Resumo de História BResumo de História B
Resumo de História B
 
O capitalismo e o cenário geopolítico contemporâneo
O capitalismo e o cenário geopolítico contemporâneoO capitalismo e o cenário geopolítico contemporâneo
O capitalismo e o cenário geopolítico contemporâneo
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Guerra fria - parte final
Guerra fria - parte finalGuerra fria - parte final
Guerra fria - parte final
 
União soviética URSS
União soviética  URSSUnião soviética  URSS
União soviética URSS
 
Texto fragmentado
Texto fragmentadoTexto fragmentado
Texto fragmentado
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
 
As ordens mundiais
As ordens mundiaisAs ordens mundiais
As ordens mundiais
 
Europa Ocidental na Guerra Fria
Europa Ocidental na Guerra FriaEuropa Ocidental na Guerra Fria
Europa Ocidental na Guerra Fria
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
AULA 2o ANO geografia escola integral.pdf
AULA 2o ANO geografia escola integral.pdfAULA 2o ANO geografia escola integral.pdf
AULA 2o ANO geografia escola integral.pdf
 
Guerra fria parte 1 - geografia , 9° ano B
Guerra fria parte 1 -  geografia , 9° ano BGuerra fria parte 1 -  geografia , 9° ano B
Guerra fria parte 1 - geografia , 9° ano B
 
Resumos de História 12ºano - Preparação para exame
Resumos de História 12ºano - Preparação para exameResumos de História 12ºano - Preparação para exame
Resumos de História 12ºano - Preparação para exame
 
GUERRA FRIA.pptx
GUERRA FRIA.pptxGUERRA FRIA.pptx
GUERRA FRIA.pptx
 
Textos de apoio_1_e_2
Textos de apoio_1_e_2Textos de apoio_1_e_2
Textos de apoio_1_e_2
 
AULA_2o_ANO_15.06.2021.pptx
AULA_2o_ANO_15.06.2021.pptxAULA_2o_ANO_15.06.2021.pptx
AULA_2o_ANO_15.06.2021.pptx
 
A organização da europa após a segunda guerra
A organização da europa após a segunda guerraA organização da europa após a segunda guerra
A organização da europa após a segunda guerra
 
Do mundo multipolar para o bipolar da Guerra Fria
Do mundo multipolar para o bipolar da Guerra FriaDo mundo multipolar para o bipolar da Guerra Fria
Do mundo multipolar para o bipolar da Guerra Fria
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 

A geografia no poder mundial 1

  • 1. A Geografia no Poder Mundial Os deslocamentos dos centros de poder mundial Historicamente, a incorporação de novos espaços à economia mundial tem levado à decadência dos eixos econômicos tradicionais e ao surgimento de novos polos econômicos e de poder. Até o século XVI, o mundo do Mediterrâneo era o centro da civilização ocidental. Em torno de suas águas se concentrava o comércio, a cultura e o poderio político e militar. Desde a Antiguidade Clássica, a baciado Mar Mediterrâneo abrigou as civilizações egípcias, helênica, cartaginesa, romana, árabe e os modernos povos cristãos que dele se valiam para efetuar o comércio com os povos "orientais". Do outro lado do mundo, civilizações como a chinesa, a árabe e a hindu organizavam cada uma em seu entorno, sistemas econômicos independentes, de proporções maiores que os da Europa. Poder mundial bipolar: capitalismo versus socialismo O mundo passou a ser dividido em esferas de influência dessas duas superpotências iniciando um período de polarização entre os dois blocos, com uma série de conflitos entre países do bloco socialista, alinhados à União Soviética e os países do bloco capitalista aliados aos Estados Unidos. Durante 44 anos de um período histórico conhecido como guerra fria, os países da Europa Oriental integrantes do bloco socialista deram sustentação à política internacional da União Soviética. O primeiro bloco estava alinhado com os Estados Unidos, e o segundo, com a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Formada em 1922, a União Soviética chegou a reunir 15 repúblicas do leste europeu e da Ásia. Essa rivalidade ideológica provocou uma bipoliração da Europa e do mundo. A expansão do socialismo Com o fim da Segunda Guerra mundial, novos países passaram a adotar sistemas socialistas. 8 países europeus se tornaram socialistas. A China realizou sua revolução e no início da década de 1960, Cuba se tornou o 1º país latino-americano a aderir o bloco liderado pela URSS, que superou a devastação provocada pela guerra, mantendo os mesmos princípios anteriores a 1939. Não houve ruptura no campo político e social. Apenas a partir de 1953, com a morte de Stálin haveria alterações. Em 1956, Kruschev, então secretário geral do partido comunista, fez veementes ataques a Stalin em relatório lido nos 20 º congresso. A crítica estimulou a abertura política. Os países socialistas procuraram formar alianças econômicas, políticas e militares, constituindo entre outros organismos o Pacto de Varsóvia, organização militar comandada pela URSS, formada em 1955 e extinta em 1991. Os países Capitalistas, sob o comando dos estados Unidos, reuniram seus aliados na Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), fundada em 1949. A Guerra Fria Uma rivalidade por áreas deu origem a guerra fria que foi uma guerra sem enfrentamento direto só por diversas hostilidades entre duas superpotências. A
  • 2. primeira foi a URSS que no pós-guerra preocupou se em reconstruí se, mas depois alcançou um grande desenvolvimento, que visava á expansão do socialismo com a finalidade de garantir suas conquistas internas e conseguir novos aliados. A segunda era os EUA que buscavam manter os mercados mundiais e assegurar a expansão do capitalismo. Houve momentos de tensão entre elas durante a guerra fria o primeiro foi em 1949 quando a Alemanha foi dividida em Alemanha capitalista e socialista que deu origem ao muro de Berlim que foi construído em 1961 pela Alemanha socialista. Houve facções pro-capitalistas apoiadas pelos EUA para impedir o avanço no Sudeste Asiático e na América e os pro socialistas recebiam apoio da URSS. Um combate ao comunismo foi liderado pelos EUA utilizando meios de comunicação para divulgação do modo de vida capitalista, já URSS impedia a livre expressão e condenava os que eram contrários ao regime socialista. Na AFRICA e na ASIA, a guerra fria gerou divisão entre os continentes, transformando-os em palco de muitas guerras internas que ainda persistem no século XX. No século xv1 a AFRICA foi cobiçada por navegadores e comerciantes que conseguiram bons lucros com o tráfico negreiro. Em 1884 foi realizada a conferencia de Berlim que determinou a partilha da maior parte do território africano entre as potencias colonizadoras europeias. Ocorreu um enfraquecimento geopolítico das nações europeias após as duas grandes guerras, então se iniciou uma descolonização na AFRICA e na ASIA, com isso as colônias lutaram para adquirir ou recuperar sua independência. Em muitos dos novos países o neocolonialismo foi viabilizado pelas elites locais, garantindo a manutenção de laços econômicos e políticos. A desintegração dos países socialistas e o fim da guerra fria A URSS, por exemplo, obteve um grande crescimento econômico e chegou a ser uma grande potência, mas diversos fatores contribuíram para a sua dissolução e para a queda do regime socialista na maior parte dos países que o adotavam, entre os quais se destacam: · A inexistência de concorrência, que acarretou baixa produtividade, péssima qualidade dos produtos e aumento dos custos da produção, provocando atraso tecnológico e inviabilizando o ingresso da URSS na economia mundial; · O controle centralizado do Estado, a corrupção, as estruturas burocráticas, os privilégios das classes dirigentes e os limites impostos as liberdades individuais aumentaram o descontentamento. O fim da Guerra Fria é caracterizado, para alguns estudiosos, pela queda do Muro de Berlim ocorrido na noite de 9 para 10 de novembro de 1989, e sua unificação. No ano seguinte, o Pacto de Varsóvia anunciou o fim de suas funções militares e finalmente, em 1991, a própria URSS deixou de existir e em seu lugar, surgiram quinze países independentes formando a CEI (Comunidade de Estados Independentes). A Rússia, a mais importante das antigas repúblicas soviéticas, continua sendo uma potência militar, pois mantém o controle sobre as armas nucleares da extinta União Soviéticas, mas certamente já perdeu a condição de superpotência. A transição e expansão do capitalismo O termo transição designa uma fase da evolução da sociedade em que se agravam cada vez mais as dificuldades em manter o sistema econômico em vigor e começa a
  • 3. surgir outro sistema que, após um período de grande tensão e até violência, consegue assumir novas condições de existência. Uma época de transição corresponde a um período de contradições e perturbações econômicas, sociais e políticas susceptíveis de provocar uma revolução no desenvolvimento das forças produtivas e das relações de produção. As grandes descobertas, o comércio internacional, a pilhagem colonial, foram alguns dos meios que permitiram a acumulação do capital e o desenvolvimento da forma capitalista de produção de mercadorias. Marx cita, como outra forma de transição para um modo de produção superior, as sociedades por ações e os monopólios que concentram a propriedade privada à escala da sociedade. A transição para o sistema capitalista resultou ainda da convergência de outros fatores como: a modernização da agricultura que favoreceu o crescimento populacional; a transição da manufatura e do artesanato corporativo na formação da pequena indústria; a transformação da estrutura de propriedade; a revolução dos transportes; o desenvolvimento do comércio; o desmoronar dum bloqueio estrutural feudal que manteve o seu jugo sobre as sociedades europeias ao longo de vários séculos, impedindo o seu desenvolvimento. A ONU entre a paz e a guerra A Organização das Nações Unidas (ONU) foi formada em 1945, substituindo a Liga das Nações, de 1920. Com sede em Nova York, seu principal instrumento, a Carta das Nações Unidas, foi assinada por 192 países. Fazem parte da ONU organismos especializados, tais como a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), o Banco Mundial e o FMI. O Conselho de Segurança da ONU tem a função de manter a paz, regular a posse de armamentos, empreender ações militares ou autorizá-las e resolver controvérsias entre os países. A nova ordem mundial Com o fim da URSS, restou apenas uma única superpotência, os Estados Unidos, fato que levou o mundo a uma busca por uma nova configuração pelo domínio geopolítico, pois a disputa pela hegemonia deixa de ser pelo poder político-militar e passa diretamente a concorrência comercial, efeito que leva as nações se reorganizarem em blocos regionais, dando origem à nova ordem mundial, onde países unem esforços para reduzir obstáculos econômicos e políticos, ampliando suas fronteiras, resultando no surgimento de gigantes econômicos como a UE - União Europeia e a Nafta - Acordo de Livre Comércio da América do Norte. A nova ordem mundial Com o fim da URSS, restou apenas uma única superpotência, os Estados Unidos, fato que levou o mundo a uma busca por uma nova configuração pelo domínio geopolítico, pois a disputa pela hegemonia deixa de ser pelo poder político-militar e passa diretamente a concorrência comercial, efeito que leva as nações se reorganizarem em blocos regionais, dando origem a nova ordem mundial, onde países unem esforços para reduzir obstáculos econômicos e políticos, ampliando suas
  • 4. fronteiras, resultando no surgimento de gigantes econômicos como a UE - União Europeia e o Nafta - Acordo de Livre Comércio da América do Norte. O império estadunidense A partir da década de 1990, o império estadunidense iniciaria uma nova ofensiva não apenas no mundo, mas, principalmente, na América Latina. Aproveitando-se da crise que levaria ao fim da União Soviética em 1991, o então presidente George Bush (pai) propôs, em 1989, o estabelecimento de uma “Nova Ordem Mundial” e da “Iniciativa para as Américas”, sob o domínio dos EUA. Naquele mesmo ano, sob o patrocínio formal do Instituto Internacional de Economia, o governo dos EUA, o FMI, o Banco Mundial e as grandes corporações e bancos daquele país realizaram uma conferência em Washington para examinar os problemas dos EUA (então, há quase duas décadas com sua economia estagnada e perdendo força relativa no mundo) e propor soluções para eles. Rumo à ordem mundial bipolar? Os EUA também exercem controle no mundo do capital globalizado por meio de instituições financeiras como o FMI e o Banco Mundial. A cooperação existente não impediu a ocorrência de diversas ações militares no início do século XXI. Como o poder dos EUA tem sido sem limites, poderíamos supor que o mundo hoje caminha para uma nova estrutura: uma ORDEM MUNDIAL UNIPOLAR. No entanto, se nem a bipolaridade foi total, pois diversos países não se alinharam a nenhuma das potencias, a uni polaridade também tem seus contestadores. Poder de ataque Em setembro de 2001 os estadunidenses sofreram ataques em seu próprio território, que destruíram, entre outros prédios, um complexo de edifícios considerado símbolo da economia do país. Ainda em 2001, em resposta a esse ataque, os EUA comandaram a invasão do Afeganistão, onde supostamente estaria escondido o líder da Al Qaeda. A Doutrina Bush Com a Doutrina Bush, os Estados Unidos alteraram os padrões de política externa típicos da Guerra Fria e do final do século XX, baseados na contenção ou na tentativa de dissuadir os adversários. Segundo o documento, “não hesitaremos [os Estados Unidos] em agir sozinhos, se preciso for, para fazer uso do direito de autodefesa, de maneira preventiva e antecipada”. Dessa forma, os Estados Unidos justificam suas ações contra países considerados hostis, como ficou comprovado na invasão e na ocupação do Iraque, em 2003. A Doutrina Bush determina ainda o fortalecimento das alianças com outros Estados para derrotar o terrorismo no mundo e o fim da maioria dos tratados de não proliferação de armas nucleares. Além disso, estabelece que os Estados Unidos não permitam a ascensão de qualquer potência estrangeira que rivalize com a enorme dianteira militar dos norte-americanos, alcançada desde o fim da Guerra Fria e a derrocada da URSS. Estabelece também o compromisso do governo norte-americano em auxiliar países cujos governantes “incentivem a liberdade econômica”, numa
  • 5. indicação clara de que os países devem abrir ou intensificar a abertura de seus mercados, adotando de forma intensa o processo de globalização. Focos de resistência Na América, além do socialismo em Cuba (que ainda preocupa os EUA), outros países, como a Argentina e o Brasil, elegeram presidentes de esquerda. Na Ásia, diversos países acenam com uma emancipação política, reunidos em organizações como a Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean) ou na Organização de Cooperação de Xangai (OCX). A Coreia do Norte insiste o direito de dispor de uma indústria nuclear e anunciou em 2003 possuir a bomba atômica, retirando-se do Tratado de Não-Proliferação Nuclear e contrariando as posições de Washington. Já em 1990, o Iraque invadiu o Kuwait, provocando uma reação internacional. A ONU autorizou o uso da força e uma coligação liderada pelos EUA, iniciou a Guerra do Golfo. A moderna diplomacia: a ONU como poder de decisão A origem da diplomacia moderna pode ser encontrada nos Estados da Itália setentrional, no começo do Renascimento, com o estabelecimento das primeiras Missões diplomáticas no século XIII. A primeira Missão diplomática permanente foi estabelecida por Milão em 1446 junto ao governo de Florença. No norte da Itália surgiram diversas das tradições da diplomacia, como a apresentação de credenciais dos embaixadores estrangeiros ao Chefe de Estado. Dentre as grandes potências europeias, a Espanha foi a primeira a manter um representante permanente no exterior - na corte inglesa, a partir de 1487. No final do século XVI, o estabelecimento de Missões permanentes já se havia tornado frequente na Europa. O termo "diplomacia parlamentar" foi criado em 1955 por Dean Rush para designar as negociações multilaterais que ocorrem no âmbito da ONU e foi posteriormente estendido às demais organizações internacionais. A diplomacia parlamentar distingue-se por ocorrer no seio de organização internacional, seguir regras de procedimento e contar com debate permanente (assemelhando-se, portanto, ao que ocorre com os parlamentos nacionais). Mais recentemente, encontram-se também referências à diplomacia parlamentar como sendo a conduzida pelos membros dos parlamentos nacionais. Conclusão Vimos que o fim da Guerra Fria e a desagregação da URSS puseram fim ao mundo bipolar e à antiga classificação dos países em Primeiro, Segundo e Terceiro mundo. O segundo mundo reunia os antigos países socialistas. Hoje, a nova ordem mundial, divide as nações em pobres e ricas, ou subdesenvolvidas e desenvolvidas.