SlideShare uma empresa Scribd logo
EEEP OSMIRA EDUARDO DE CASTRO
DISCIPLINA: GEOGRAFIA

ORDEM GEOPOLÍTICA E ECONÔMICA: DO
PÓS-GUERRA AOS DIAS ATUAIS.

Profª: Oberlania Alves
Blog: geograficlania.blogspot.com
GUERRA FRIA
•

•

•

•

Entre as décadas de 50 e 60 o mundo temia uma
guerra nuclear entre a URSS e os EUA.
Apesar da rivalidade entre as potências, elas não
se enfrentaram com armas – esse fator
caracterizou a guerra fria como uma guerra não
declarada.
De acordo com a corrida armamentista e
econômica, podemos concluir que a guerra fria, foi
uma guerra de palavras e imagens.
Propaganda do horror entre socialistas e
capitalistas
DOUTRINA TRUMAN
 11

de março de 1947, o presidente Harry
Truman fez um discurso propondo a
concessão de crédito para a Grécia e a
Turquia, com o objetivo de sustentar
governos pró-ocidentais naqueles países.

 Objetivo

geopolítico
fundamental
doutrina foi a contenção do Socialismo.

da
Lançado em 1947 nos Estados
Unidos. Seu objetivo era firmar o
capitalismo na Europa Ocidental
e reconquistar o espaço perdido
para os soviéticos na Europa
Oriental.
O plano era de uma ajuda
econômica de grande proporção
a todos os países europeus
atingidos
diretamente
pela
guerra. Os Estados Unidos
tentaram ajudar os países
socialistas, mas eles deveriam
ser capitalistas.
Pág: 67.
AS ALIANÇAS MILITARES
Efeito Dominó – Os EUA criaram blocos militares
com o objetivo de impedir a expansão da zona de
influência soviética. Os EUA acreditavam que
União Soviética poderiam influenciar outros países
como o Leste Europeu e a China a aderir o
socialismo.
 Para impedir isso os EUA criaram várias alianças
militares na Europa Ocidental. Ex: (OTAN –
Organização do Tratado do Atlântico Norte), no
Sudeste asiático (OTASE – Organização do
Tratado do Sudeste da Ásia) e no Oriente Médio
(Pacto de Bagdá).
 Esse fato ficou conhecido como cordão sanitário.

OTAN
(Organização do Tratado do Atlântico Norte )
 Foi criada em 1949 com sede em Bruxelas na
Bélgica;
com o objetivo de constituir uma frente oposta ao
bloco comunista/socialista.
 Países fundadores: Bélgica, Canadá, Dinamarca,
Estados
Unidos,
França,
Islândia,
Itália,
Luxemburgo, Países Baixos, Noruega, Portugal,
Reino Unido.
 Com a criação da OTAN os EUA delimitou sua zona
de influência na Europa Ocidental por meio da
construção de uma série de bases militares.

RDA República Democrática
Alemã foi um Estado nacional
criado em 1949 com o fim da
ocupação da Alemanha pelos
aliados, após a II Guerra Mundial,
quando o território alemão foi
repartido
entre
os
setores
estadunidense, britânico, francês
e soviético.

RFA Alemanha Ocidental era o nome vulgar da
República Federal da Alemanha, entre 1949 e 1990.
Era também frequentemente referida pela sigla RFA
em oposição a RDA da Alemanha Oriental.
Construído em 1961 pelo
governo do setor oriental.
Tornou-se símbolo máximo
da Guerra Fria.
A resolução de construir o
muro foi decorrências do fato
de milhares de alemães
orientais
migraram
para
Berlim Ocidental para ter uma
vida melhor na Alemanha
capitalista.
A partir de 13 de agosto de
1961
a
circulação
de
habitantes entre as duas
cidades foi proibida. O muro
materializava
o
conflito
capitalista versos socialista.
Aliança militar formada em 14 de maio de 1955
pelos países socialistas do leste europeu e pela União
Soviética. O tratado foi firmado na capital da Polônia,
Varsóvia e estabeleceu o alinhamento dos países
membros com Moscou, mas não estabeleceu nenhum
tipo de ajuda mútua em caso de agressões militares.
Na atualidade esse pacto garante a paz na
Europa e dar apoio em intervenções internacionais,
como o Afeganistão. Vem ganhando novos membros,
em 1999 entraram a Hungria, a Polônia e a Republica
Theca, elevando o número de associados para 19.
O primeiro buraco feito no Muro de Berlim fez desabar o
sistema socialista europeu por completo. Após essa noite, não
houve possibilidade de retorno. A queda do muro marca o início
da extinção do regime comunista no Leste Europeu e provoca
uma crise generalizada nos partidos comunistas.
Em 1991, a URSS desintegra-se e as ex-repúblicas
soviéticas formam a Comunidade de Estados Independentes.
Sobrevivem, contudo, os governos comunistas da Coréia do
Norte, Vietnã, Cuba e China.
A ONU E A CRISE DE LEGITIMIDADE
A Organização das Nações Unidas foi criada ao
final da segunda Guerra com o objetivo de
preservar a paz e a segurança no mundo, além de
promover a cooperação internacional para resolver
questões econômicas, sociais, culturais e
humanitária.
 Em 1945, representantes de 51 países, reunidos
na Conferência de São Francisco (EUA),
aprovaram uma carta de princípios que deveria
orientar as ações da entidade no mundo pósguerra.
 Possui
vários órgãos, os mais importantes:
Assembleia Geral e o Conselho de Segurança.



O órgão de maior poder da ONU é o Conselho de
Segurança, formado por delegados de quinze
países-membros, dos quais cinco são permanentes
e dez são eleitos a cada dez anos.



O Conselho de Segurança pode investigar disputas
e conflitos internacionais ou no interior de um país,
propor soluções visando a acordos de paz e adotar
sanções que vão desde o corte das comunicações
ou das relações diplomáticas até o bloqueio
econômico.



Países permanentes: Estados
Unido, França, China e Rússia.

Unidos,

Reino
COOPERAÇÃO SUL-SUL
Vários governos de países em desenvolvimento
tem se empenhado no aprofundamento da
cooperação entre si – que chamam de cooperação
Sul-Sul – com o objetivo de aumentar o poder de
negociação nos organismos internacionais com os
países desenvolvidos.
 Ex: Acordo de Cooperação trilateral firmado entre
Brasil, Índia e África do Sul (IBSA ou IBAS).
 O grupo busca atuar de forma coordenada nos
fóruns internacionais para aumentar o poder de
negociação de seus membros e. como candidatos
permanentes do Conselho de Segurança da ONU.

A ORDEM ECONÔMICA
A Conferência de Bretton Woods realizada em
1944 nos Estados Unidos foi convocada por norteamericanos e britânicos com o objetivo de elaborar
um arcabouço
que permitisse a recuperação
econômica do pós-guerra.
 Temiam crises econômicas.
 Nessa conferência foi estabelecido um novo
padrão monetário – Dolar/ouro – em substituição
ao ouro, padrão vigente até então.
 Década de 60 os EUA perdem a hegemonia no
mundo capitalista devido a concorrência da Europa
Ocidental e do Japão (já se recuperando da
guerra). Pag: 74.



Durante a Conferência de Bretton Woods foram
constituídos dois programas que até hoje são atuante
no cenário político, econômico e financeiro mundial: o
Banco
Internacional
de
Reconstrução
e
Desenvolvimento (Bird) e o Fundo Monetário
Internacional (FMI), ambos administradas pelos EUA.



O Bird, a AID e algumas instituições constituem o
Banco Central Mundial. Pág: 74.



Em 1947 foi constituído o Acordo Geral de Tarifas e
Comércio – GATT.



Em 1995 o Gatt passou a se chamar Organização
Mundial de Comércio (OMC), com o objetivo de
aumentar a influência nas questões comerciais
mundiais.
G8
ou
G7 MAIS A RÚSSIA
OS SETE PAÍSES MAIS INDUSTRIALIZADOS E A RÚSSIA



Originou-se em 1975 em uma reunião onde estavam presentes
as maiores potências capitalistas da época. São sete países com um
maior destaque em suas industrias, que se organizam para defender
seus interesses e fortalecer a influência que exercem sobre as questões
mundiais. Nações ricas com elevado desenvolvimento industrial, com
economias fortes.
OS SETE PAÍSES MAIS INDUSTRIALIZADOS E A RÚSSIA



A indústria constitui-se no setor econômico que produz maior
lucratividade, sendo o cidadão moderno o maior consumidor dos
produtos industrializados desta forma os países investem pesado na
industrialização para aumentar suas riquezas. Estes investimentos em
sua grande parte vai para a área de desenvolvimento tecnológico e
políticas para competir no mercado internacional.
OS SETE PAÍSES MAIS INDUSTRIALIZADOS E A RÚSSIA



Entre os sete países mais ricos estão aqueles que participaram
da primeira Revolução Industrial como: Inglaterra, França, Alemanha e
Itália.
E aquelas que mais tarde se industrializaram com rapidez,
assimilando o emprego e o desenvolvimento de tecnologia de ponta
como foi o caso dos EUA, Japão e Canadá.
OS SETE PAÍSES MAIS INDUSTRIALIZADOS E A RÚSSIA



A Federação Russa participa como convidada especial desde
1992, mas apenas em 1997 foi aceita como membro do G8, porém não
podendo participar das discussões econômicas. A principal justificativa
para a inclusão da Rússia no G7 consiste em seu arsenal nuclear, “
herança” da Guerra Fria, pois a economia russa não a habilita a
participar deste grupo tão seleto.
OS SETE PAÍSES MAIS INDUSTRIALIZADOS E A RÚSSIA



O principal objetivo do G8, quando foi organizado, era discutir o
ajustamento de políticas econômicas entre os países participantes, com
seu fortalecimento outras questões como políticas sociais, meio
ambiente e saúde entrou em pauta em suas reuniões.
OS SETE PAÍSES MAIS INDUSTRIALIZADOS E A RÚSSIA



Como se sabe, na sociedade capitalista, prevalece a lei do mais
forte. Nesse caso, o mais forte, representado pelos G8, terá suas
decisões direcionadas, em primeiro lugar, para os interesses dos seus
respectivos países. Pág: 75.
CONTINUA...

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
Elaine Bogo Pavani
 
A segunda guerra mundial
A segunda guerra mundialA segunda guerra mundial
A segunda guerra mundial
Janayna Lira
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
Victor Said
 
A primeira guerra mundial slides
A primeira guerra mundial   slidesA primeira guerra mundial   slides
A primeira guerra mundial slides
Juliana_hst
 
Guerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolarGuerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolar
Thamires Bragança
 
O fim da guerra fria
O fim da guerra friaO fim da guerra fria
O fim da guerra fria
Vagner Roberto
 
Aula Geopolitica
Aula GeopoliticaAula Geopolitica
Aula Geopolitica
Italo Alan
 
Do mundo bipolar ao multipolar
Do mundo bipolar ao multipolarDo mundo bipolar ao multipolar
Do mundo bipolar ao multipolar
Luiz Carvalheira Junior
 
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
Daniel Alves Bronstrup
 
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 19183ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
Daniel Alves Bronstrup
 
3º ano primeira guerra mundial
3º ano   primeira guerra mundial3º ano   primeira guerra mundial
3º ano primeira guerra mundial
Daniel Alves Bronstrup
 
Conflitos mundiais
Conflitos mundiaisConflitos mundiais
Conflitos mundiais
karolpoa
 
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjUGuerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Kéliton Ferreira
 
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link:  https://youtu.be/XhS9vFASWjUGuerra fria completa - YouTube Link:  https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Kéliton Ferreira
 
3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria
Daniel Alves Bronstrup
 
PPT - A 2ª. Guerra de uma forma diferente
PPT - A 2ª. Guerra de uma forma diferentePPT - A 2ª. Guerra de uma forma diferente
PPT - A 2ª. Guerra de uma forma diferente
josafaslima
 
Diferentes formas de regionalizar o mundo
Diferentes formas de regionalizar o mundoDiferentes formas de regionalizar o mundo
Diferentes formas de regionalizar o mundo
Lauro Corrêa
 
Nova ordem mundial
Nova ordem mundialNova ordem mundial
Nova ordem mundial
karolpoa
 
Mundo multipolar - Geopolítica
Mundo multipolar - GeopolíticaMundo multipolar - Geopolítica
Mundo multipolar - Geopolítica
Artur Lara
 
Geopolitica, Imperialismo e a 1° e 2° Guerra Mundial
Geopolitica, Imperialismo e a 1° e 2° Guerra MundialGeopolitica, Imperialismo e a 1° e 2° Guerra Mundial
Geopolitica, Imperialismo e a 1° e 2° Guerra Mundial
Eddieuepg
 

Mais procurados (20)

Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
A segunda guerra mundial
A segunda guerra mundialA segunda guerra mundial
A segunda guerra mundial
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
A primeira guerra mundial slides
A primeira guerra mundial   slidesA primeira guerra mundial   slides
A primeira guerra mundial slides
 
Guerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolarGuerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolar
 
O fim da guerra fria
O fim da guerra friaO fim da guerra fria
O fim da guerra fria
 
Aula Geopolitica
Aula GeopoliticaAula Geopolitica
Aula Geopolitica
 
Do mundo bipolar ao multipolar
Do mundo bipolar ao multipolarDo mundo bipolar ao multipolar
Do mundo bipolar ao multipolar
 
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
 
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 19183ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
 
3º ano primeira guerra mundial
3º ano   primeira guerra mundial3º ano   primeira guerra mundial
3º ano primeira guerra mundial
 
Conflitos mundiais
Conflitos mundiaisConflitos mundiais
Conflitos mundiais
 
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjUGuerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
 
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link:  https://youtu.be/XhS9vFASWjUGuerra fria completa - YouTube Link:  https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
 
3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria
 
PPT - A 2ª. Guerra de uma forma diferente
PPT - A 2ª. Guerra de uma forma diferentePPT - A 2ª. Guerra de uma forma diferente
PPT - A 2ª. Guerra de uma forma diferente
 
Diferentes formas de regionalizar o mundo
Diferentes formas de regionalizar o mundoDiferentes formas de regionalizar o mundo
Diferentes formas de regionalizar o mundo
 
Nova ordem mundial
Nova ordem mundialNova ordem mundial
Nova ordem mundial
 
Mundo multipolar - Geopolítica
Mundo multipolar - GeopolíticaMundo multipolar - Geopolítica
Mundo multipolar - Geopolítica
 
Geopolitica, Imperialismo e a 1° e 2° Guerra Mundial
Geopolitica, Imperialismo e a 1° e 2° Guerra MundialGeopolitica, Imperialismo e a 1° e 2° Guerra Mundial
Geopolitica, Imperialismo e a 1° e 2° Guerra Mundial
 

Destaque

Startups - Ideias que viram negócios milionários
Startups - Ideias que viram negócios milionáriosStartups - Ideias que viram negócios milionários
Startups - Ideias que viram negócios milionários
Renzo Colnago
 
Gestão de Produtos em Startups
Gestão de Produtos em StartupsGestão de Produtos em Startups
Gestão de Produtos em Startups
Neue Labs
 
Design Thinking & Storytelling para Startups
Design Thinking & Storytelling  para StartupsDesign Thinking & Storytelling  para Startups
Design Thinking & Storytelling para Startups
Marcelo Pimenta (menta90)
 
Marketing para startups - Primavera
Marketing para startups - PrimaveraMarketing para startups - Primavera
Marketing para startups - Primavera
Startup Braga
 
Demo Day 2015 - Y Combinator
Demo Day 2015 -  Y CombinatorDemo Day 2015 -  Y Combinator
Demo Day 2015 - Y Combinator
Ibrahim Cesar
 
Vendas: o buraco negro das startups
Vendas: o buraco negro das startupsVendas: o buraco negro das startups
Vendas: o buraco negro das startups
Luiz Mauricio
 
Tentando desmistificar o empreendedorismo e a criação de startups
Tentando desmistificar o empreendedorismo e a criação de startupsTentando desmistificar o empreendedorismo e a criação de startups
Tentando desmistificar o empreendedorismo e a criação de startups
Thomas Buck
 
Book Demo Day Start-up Brasil 2014
Book Demo Day Start-up Brasil 2014Book Demo Day Start-up Brasil 2014
Book Demo Day Start-up Brasil 2014
startupbr
 
Nordea startup _2016_intro
Nordea startup _2016_introNordea startup _2016_intro
Nordea startup _2016_intro
NordeaAccelerator
 
Startup Braga - value proposition workshop
Startup Braga - value proposition workshopStartup Braga - value proposition workshop
Startup Braga - value proposition workshop
Startup Braga
 
Bootstraped Startups - QCon SP 2012
Bootstraped Startups - QCon SP 2012Bootstraped Startups - QCon SP 2012
Bootstraped Startups - QCon SP 2012
Joaquim Torres
 
O que mídias sociais têm a ver com startups?
O que mídias sociais têm a ver com startups?O que mídias sociais têm a ver com startups?
O que mídias sociais têm a ver com startups?
Felipe Pereira
 
#4 Startup Braga / FLAD Acceleration Program
#4 Startup Braga / FLAD Acceleration Program#4 Startup Braga / FLAD Acceleration Program
#4 Startup Braga / FLAD Acceleration Program
Startup Braga
 
As Startups e o Potencial de Transformação Econômica e Social
As Startups e o Potencial de Transformação Econômica e SocialAs Startups e o Potencial de Transformação Econômica e Social
As Startups e o Potencial de Transformação Econômica e Social
Ricardo Agostinho
 
Startups + UX = ♥
Startups + UX = ♥Startups + UX = ♥
Startups + UX = ♥
Neue Labs
 
PRIVEST - CAP. 01 - Geopolítica e economia mundial - 3º EM
PRIVEST - CAP. 01 - Geopolítica e economia mundial - 3º EMPRIVEST - CAP. 01 - Geopolítica e economia mundial - 3º EM
PRIVEST - CAP. 01 - Geopolítica e economia mundial - 3º EM
profrodrigoribeiro
 
Ferramentas e programas do Google para startups e apps
Ferramentas e programas do Google para startups e appsFerramentas e programas do Google para startups e apps
Ferramentas e programas do Google para startups e apps
Jose Papo, MSc
 
Service Design para Startups
Service Design para StartupsService Design para Startups
Service Design para Startups
Rafael Citadella Daron
 
Roteiro Para Business Plan
Roteiro Para Business PlanRoteiro Para Business Plan
Roteiro Para Business Plan
marrey
 
Plano de negócio
Plano de negócioPlano de negócio
Plano de negócio
Anderson Alberto Ramos
 

Destaque (20)

Startups - Ideias que viram negócios milionários
Startups - Ideias que viram negócios milionáriosStartups - Ideias que viram negócios milionários
Startups - Ideias que viram negócios milionários
 
Gestão de Produtos em Startups
Gestão de Produtos em StartupsGestão de Produtos em Startups
Gestão de Produtos em Startups
 
Design Thinking & Storytelling para Startups
Design Thinking & Storytelling  para StartupsDesign Thinking & Storytelling  para Startups
Design Thinking & Storytelling para Startups
 
Marketing para startups - Primavera
Marketing para startups - PrimaveraMarketing para startups - Primavera
Marketing para startups - Primavera
 
Demo Day 2015 - Y Combinator
Demo Day 2015 -  Y CombinatorDemo Day 2015 -  Y Combinator
Demo Day 2015 - Y Combinator
 
Vendas: o buraco negro das startups
Vendas: o buraco negro das startupsVendas: o buraco negro das startups
Vendas: o buraco negro das startups
 
Tentando desmistificar o empreendedorismo e a criação de startups
Tentando desmistificar o empreendedorismo e a criação de startupsTentando desmistificar o empreendedorismo e a criação de startups
Tentando desmistificar o empreendedorismo e a criação de startups
 
Book Demo Day Start-up Brasil 2014
Book Demo Day Start-up Brasil 2014Book Demo Day Start-up Brasil 2014
Book Demo Day Start-up Brasil 2014
 
Nordea startup _2016_intro
Nordea startup _2016_introNordea startup _2016_intro
Nordea startup _2016_intro
 
Startup Braga - value proposition workshop
Startup Braga - value proposition workshopStartup Braga - value proposition workshop
Startup Braga - value proposition workshop
 
Bootstraped Startups - QCon SP 2012
Bootstraped Startups - QCon SP 2012Bootstraped Startups - QCon SP 2012
Bootstraped Startups - QCon SP 2012
 
O que mídias sociais têm a ver com startups?
O que mídias sociais têm a ver com startups?O que mídias sociais têm a ver com startups?
O que mídias sociais têm a ver com startups?
 
#4 Startup Braga / FLAD Acceleration Program
#4 Startup Braga / FLAD Acceleration Program#4 Startup Braga / FLAD Acceleration Program
#4 Startup Braga / FLAD Acceleration Program
 
As Startups e o Potencial de Transformação Econômica e Social
As Startups e o Potencial de Transformação Econômica e SocialAs Startups e o Potencial de Transformação Econômica e Social
As Startups e o Potencial de Transformação Econômica e Social
 
Startups + UX = ♥
Startups + UX = ♥Startups + UX = ♥
Startups + UX = ♥
 
PRIVEST - CAP. 01 - Geopolítica e economia mundial - 3º EM
PRIVEST - CAP. 01 - Geopolítica e economia mundial - 3º EMPRIVEST - CAP. 01 - Geopolítica e economia mundial - 3º EM
PRIVEST - CAP. 01 - Geopolítica e economia mundial - 3º EM
 
Ferramentas e programas do Google para startups e apps
Ferramentas e programas do Google para startups e appsFerramentas e programas do Google para startups e apps
Ferramentas e programas do Google para startups e apps
 
Service Design para Startups
Service Design para StartupsService Design para Startups
Service Design para Startups
 
Roteiro Para Business Plan
Roteiro Para Business PlanRoteiro Para Business Plan
Roteiro Para Business Plan
 
Plano de negócio
Plano de negócioPlano de negócio
Plano de negócio
 

Semelhante a Ordem geopolítica e econômica

A Guerra Fria: Um conflito Indireto.pptx
A Guerra Fria: Um conflito Indireto.pptxA Guerra Fria: Um conflito Indireto.pptx
A Guerra Fria: Um conflito Indireto.pptx
WirlanPaje2
 
Bárbara
BárbaraBárbara
Bárbara
Élida Maia
 
Guerra Fria - 9º ANO .pdf
Guerra Fria - 9º ANO .pdfGuerra Fria - 9º ANO .pdf
Guerra Fria - 9º ANO .pdf
Emmanuel Noimann
 
O mundo saído da 2ª guerra mundial
O mundo saído da 2ª guerra mundialO mundo saído da 2ª guerra mundial
O mundo saído da 2ª guerra mundial
José Palma
 
Geopolítica do mundo contemporâneo
Geopolítica do mundo contemporâneoGeopolítica do mundo contemporâneo
Geopolítica do mundo contemporâneo
Roberto Costa
 
A ordem internacional
A ordem internacionalA ordem internacional
A ordem internacional
Luiz Carvalheira Junior
 
Nicolas c. 9ºb
Nicolas c. 9ºbNicolas c. 9ºb
Nicolas c. 9ºb
Debora Deorio
 
Geop geopolítica no mundo conteporâneo
Geop geopolítica no mundo conteporâneoGeop geopolítica no mundo conteporâneo
Geop geopolítica no mundo conteporâneo
Zito Monteiro
 
O mundo bipolar
O mundo bipolarO mundo bipolar
O mundo bipolar
fabiofatudatrabalhos
 
Antecedentesgeopoliticoseestrategico
AntecedentesgeopoliticoseestrategicoAntecedentesgeopoliticoseestrategico
Antecedentesgeopoliticoseestrategico
borgesnuria
 
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºanoModulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
CludiaBelluschiCosta
 
Pwpl
PwplPwpl
Aula guerra fria (1945-1991) - história pensante
Aula   guerra fria (1945-1991) - história pensanteAula   guerra fria (1945-1991) - história pensante
Aula guerra fria (1945-1991) - história pensante
História Pensante
 
As ordens mundiais
As ordens mundiaisAs ordens mundiais
As ordens mundiais
Colégio Nova Geração COC
 
Europa Ocidental na Guerra Fria
Europa Ocidental na Guerra FriaEuropa Ocidental na Guerra Fria
Europa Ocidental na Guerra Fria
ProfessoresColeguium
 
Pós 2 guerra
Pós   2 guerraPós   2 guerra
Pós 2 guerra
Luciano Pessanha
 
O mundo após a 2ª guerra mundial
O mundo após a 2ª guerra mundialO mundo após a 2ª guerra mundial
O mundo após a 2ª guerra mundial
Daniel Coelho
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
Joana Melo
 
12º EvoluçãO Do Mundo No SéCulo Xx
12º   EvoluçãO Do Mundo No SéCulo Xx12º   EvoluçãO Do Mundo No SéCulo Xx
12º EvoluçãO Do Mundo No SéCulo Xx
Professores História
 
Os acordos do final da guerra & a
Os acordos do final da guerra & aOs acordos do final da guerra & a
Os acordos do final da guerra & a
ana paula santos molina
 

Semelhante a Ordem geopolítica e econômica (20)

A Guerra Fria: Um conflito Indireto.pptx
A Guerra Fria: Um conflito Indireto.pptxA Guerra Fria: Um conflito Indireto.pptx
A Guerra Fria: Um conflito Indireto.pptx
 
Bárbara
BárbaraBárbara
Bárbara
 
Guerra Fria - 9º ANO .pdf
Guerra Fria - 9º ANO .pdfGuerra Fria - 9º ANO .pdf
Guerra Fria - 9º ANO .pdf
 
O mundo saído da 2ª guerra mundial
O mundo saído da 2ª guerra mundialO mundo saído da 2ª guerra mundial
O mundo saído da 2ª guerra mundial
 
Geopolítica do mundo contemporâneo
Geopolítica do mundo contemporâneoGeopolítica do mundo contemporâneo
Geopolítica do mundo contemporâneo
 
A ordem internacional
A ordem internacionalA ordem internacional
A ordem internacional
 
Nicolas c. 9ºb
Nicolas c. 9ºbNicolas c. 9ºb
Nicolas c. 9ºb
 
Geop geopolítica no mundo conteporâneo
Geop geopolítica no mundo conteporâneoGeop geopolítica no mundo conteporâneo
Geop geopolítica no mundo conteporâneo
 
O mundo bipolar
O mundo bipolarO mundo bipolar
O mundo bipolar
 
Antecedentesgeopoliticoseestrategico
AntecedentesgeopoliticoseestrategicoAntecedentesgeopoliticoseestrategico
Antecedentesgeopoliticoseestrategico
 
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºanoModulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
 
Pwpl
PwplPwpl
Pwpl
 
Aula guerra fria (1945-1991) - história pensante
Aula   guerra fria (1945-1991) - história pensanteAula   guerra fria (1945-1991) - história pensante
Aula guerra fria (1945-1991) - história pensante
 
As ordens mundiais
As ordens mundiaisAs ordens mundiais
As ordens mundiais
 
Europa Ocidental na Guerra Fria
Europa Ocidental na Guerra FriaEuropa Ocidental na Guerra Fria
Europa Ocidental na Guerra Fria
 
Pós 2 guerra
Pós   2 guerraPós   2 guerra
Pós 2 guerra
 
O mundo após a 2ª guerra mundial
O mundo após a 2ª guerra mundialO mundo após a 2ª guerra mundial
O mundo após a 2ª guerra mundial
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
 
12º EvoluçãO Do Mundo No SéCulo Xx
12º   EvoluçãO Do Mundo No SéCulo Xx12º   EvoluçãO Do Mundo No SéCulo Xx
12º EvoluçãO Do Mundo No SéCulo Xx
 
Os acordos do final da guerra & a
Os acordos do final da guerra & aOs acordos do final da guerra & a
Os acordos do final da guerra & a
 

Mais de Oberlania Alves

Slides sistema de transportes
Slides sistema de transportesSlides sistema de transportes
Slides sistema de transportes
Oberlania Alves
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
Oberlania Alves
 
Região Nordeste
Região NordesteRegião Nordeste
Região Nordeste
Oberlania Alves
 
Países pioneiros na industrialização - Reino Unido e Estados Unidos
Países pioneiros na industrialização - Reino Unido e Estados UnidosPaíses pioneiros na industrialização - Reino Unido e Estados Unidos
Países pioneiros na industrialização - Reino Unido e Estados Unidos
Oberlania Alves
 
G 20 e o mundo multipolar
G 20 e o mundo multipolarG 20 e o mundo multipolar
G 20 e o mundo multipolar
Oberlania Alves
 
Países de industrialialização tardia - Alemanha e Japão
Países de industrialialização tardia - Alemanha e JapãoPaíses de industrialialização tardia - Alemanha e Japão
Países de industrialialização tardia - Alemanha e Japão
Oberlania Alves
 
Slides 2º ano idh e objetivos do milênio
Slides 2º ano idh e objetivos do milênioSlides 2º ano idh e objetivos do milênio
Slides 2º ano idh e objetivos do milênio
Oberlania Alves
 
Manual sobre a tese
Manual sobre a teseManual sobre a tese
Manual sobre a tese
Oberlania Alves
 
Slides Primeiros Socorros
Slides Primeiros SocorrosSlides Primeiros Socorros
Slides Primeiros Socorros
Oberlania Alves
 
Educaçaõ Física
Educaçaõ FísicaEducaçaõ Física
Educaçaõ Física
Oberlania Alves
 

Mais de Oberlania Alves (10)

Slides sistema de transportes
Slides sistema de transportesSlides sistema de transportes
Slides sistema de transportes
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
 
Região Nordeste
Região NordesteRegião Nordeste
Região Nordeste
 
Países pioneiros na industrialização - Reino Unido e Estados Unidos
Países pioneiros na industrialização - Reino Unido e Estados UnidosPaíses pioneiros na industrialização - Reino Unido e Estados Unidos
Países pioneiros na industrialização - Reino Unido e Estados Unidos
 
G 20 e o mundo multipolar
G 20 e o mundo multipolarG 20 e o mundo multipolar
G 20 e o mundo multipolar
 
Países de industrialialização tardia - Alemanha e Japão
Países de industrialialização tardia - Alemanha e JapãoPaíses de industrialialização tardia - Alemanha e Japão
Países de industrialialização tardia - Alemanha e Japão
 
Slides 2º ano idh e objetivos do milênio
Slides 2º ano idh e objetivos do milênioSlides 2º ano idh e objetivos do milênio
Slides 2º ano idh e objetivos do milênio
 
Manual sobre a tese
Manual sobre a teseManual sobre a tese
Manual sobre a tese
 
Slides Primeiros Socorros
Slides Primeiros SocorrosSlides Primeiros Socorros
Slides Primeiros Socorros
 
Educaçaõ Física
Educaçaõ FísicaEducaçaõ Física
Educaçaõ Física
 

Último

A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 

Último (20)

A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 

Ordem geopolítica e econômica

  • 1. EEEP OSMIRA EDUARDO DE CASTRO DISCIPLINA: GEOGRAFIA ORDEM GEOPOLÍTICA E ECONÔMICA: DO PÓS-GUERRA AOS DIAS ATUAIS. Profª: Oberlania Alves Blog: geograficlania.blogspot.com
  • 2. GUERRA FRIA • • • • Entre as décadas de 50 e 60 o mundo temia uma guerra nuclear entre a URSS e os EUA. Apesar da rivalidade entre as potências, elas não se enfrentaram com armas – esse fator caracterizou a guerra fria como uma guerra não declarada. De acordo com a corrida armamentista e econômica, podemos concluir que a guerra fria, foi uma guerra de palavras e imagens. Propaganda do horror entre socialistas e capitalistas
  • 3. DOUTRINA TRUMAN  11 de março de 1947, o presidente Harry Truman fez um discurso propondo a concessão de crédito para a Grécia e a Turquia, com o objetivo de sustentar governos pró-ocidentais naqueles países.  Objetivo geopolítico fundamental doutrina foi a contenção do Socialismo. da
  • 4. Lançado em 1947 nos Estados Unidos. Seu objetivo era firmar o capitalismo na Europa Ocidental e reconquistar o espaço perdido para os soviéticos na Europa Oriental. O plano era de uma ajuda econômica de grande proporção a todos os países europeus atingidos diretamente pela guerra. Os Estados Unidos tentaram ajudar os países socialistas, mas eles deveriam ser capitalistas. Pág: 67.
  • 5. AS ALIANÇAS MILITARES Efeito Dominó – Os EUA criaram blocos militares com o objetivo de impedir a expansão da zona de influência soviética. Os EUA acreditavam que União Soviética poderiam influenciar outros países como o Leste Europeu e a China a aderir o socialismo.  Para impedir isso os EUA criaram várias alianças militares na Europa Ocidental. Ex: (OTAN – Organização do Tratado do Atlântico Norte), no Sudeste asiático (OTASE – Organização do Tratado do Sudeste da Ásia) e no Oriente Médio (Pacto de Bagdá).  Esse fato ficou conhecido como cordão sanitário. 
  • 6. OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte )  Foi criada em 1949 com sede em Bruxelas na Bélgica; com o objetivo de constituir uma frente oposta ao bloco comunista/socialista.  Países fundadores: Bélgica, Canadá, Dinamarca, Estados Unidos, França, Islândia, Itália, Luxemburgo, Países Baixos, Noruega, Portugal, Reino Unido.  Com a criação da OTAN os EUA delimitou sua zona de influência na Europa Ocidental por meio da construção de uma série de bases militares. 
  • 7. RDA República Democrática Alemã foi um Estado nacional criado em 1949 com o fim da ocupação da Alemanha pelos aliados, após a II Guerra Mundial, quando o território alemão foi repartido entre os setores estadunidense, britânico, francês e soviético. RFA Alemanha Ocidental era o nome vulgar da República Federal da Alemanha, entre 1949 e 1990. Era também frequentemente referida pela sigla RFA em oposição a RDA da Alemanha Oriental.
  • 8. Construído em 1961 pelo governo do setor oriental. Tornou-se símbolo máximo da Guerra Fria. A resolução de construir o muro foi decorrências do fato de milhares de alemães orientais migraram para Berlim Ocidental para ter uma vida melhor na Alemanha capitalista. A partir de 13 de agosto de 1961 a circulação de habitantes entre as duas cidades foi proibida. O muro materializava o conflito capitalista versos socialista.
  • 9. Aliança militar formada em 14 de maio de 1955 pelos países socialistas do leste europeu e pela União Soviética. O tratado foi firmado na capital da Polônia, Varsóvia e estabeleceu o alinhamento dos países membros com Moscou, mas não estabeleceu nenhum tipo de ajuda mútua em caso de agressões militares. Na atualidade esse pacto garante a paz na Europa e dar apoio em intervenções internacionais, como o Afeganistão. Vem ganhando novos membros, em 1999 entraram a Hungria, a Polônia e a Republica Theca, elevando o número de associados para 19.
  • 10. O primeiro buraco feito no Muro de Berlim fez desabar o sistema socialista europeu por completo. Após essa noite, não houve possibilidade de retorno. A queda do muro marca o início da extinção do regime comunista no Leste Europeu e provoca uma crise generalizada nos partidos comunistas. Em 1991, a URSS desintegra-se e as ex-repúblicas soviéticas formam a Comunidade de Estados Independentes. Sobrevivem, contudo, os governos comunistas da Coréia do Norte, Vietnã, Cuba e China.
  • 11. A ONU E A CRISE DE LEGITIMIDADE A Organização das Nações Unidas foi criada ao final da segunda Guerra com o objetivo de preservar a paz e a segurança no mundo, além de promover a cooperação internacional para resolver questões econômicas, sociais, culturais e humanitária.  Em 1945, representantes de 51 países, reunidos na Conferência de São Francisco (EUA), aprovaram uma carta de princípios que deveria orientar as ações da entidade no mundo pósguerra.  Possui vários órgãos, os mais importantes: Assembleia Geral e o Conselho de Segurança. 
  • 12.  O órgão de maior poder da ONU é o Conselho de Segurança, formado por delegados de quinze países-membros, dos quais cinco são permanentes e dez são eleitos a cada dez anos.  O Conselho de Segurança pode investigar disputas e conflitos internacionais ou no interior de um país, propor soluções visando a acordos de paz e adotar sanções que vão desde o corte das comunicações ou das relações diplomáticas até o bloqueio econômico.  Países permanentes: Estados Unido, França, China e Rússia. Unidos, Reino
  • 13. COOPERAÇÃO SUL-SUL Vários governos de países em desenvolvimento tem se empenhado no aprofundamento da cooperação entre si – que chamam de cooperação Sul-Sul – com o objetivo de aumentar o poder de negociação nos organismos internacionais com os países desenvolvidos.  Ex: Acordo de Cooperação trilateral firmado entre Brasil, Índia e África do Sul (IBSA ou IBAS).  O grupo busca atuar de forma coordenada nos fóruns internacionais para aumentar o poder de negociação de seus membros e. como candidatos permanentes do Conselho de Segurança da ONU. 
  • 14. A ORDEM ECONÔMICA A Conferência de Bretton Woods realizada em 1944 nos Estados Unidos foi convocada por norteamericanos e britânicos com o objetivo de elaborar um arcabouço que permitisse a recuperação econômica do pós-guerra.  Temiam crises econômicas.  Nessa conferência foi estabelecido um novo padrão monetário – Dolar/ouro – em substituição ao ouro, padrão vigente até então.  Década de 60 os EUA perdem a hegemonia no mundo capitalista devido a concorrência da Europa Ocidental e do Japão (já se recuperando da guerra). Pag: 74. 
  • 15.  Durante a Conferência de Bretton Woods foram constituídos dois programas que até hoje são atuante no cenário político, econômico e financeiro mundial: o Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (Bird) e o Fundo Monetário Internacional (FMI), ambos administradas pelos EUA.  O Bird, a AID e algumas instituições constituem o Banco Central Mundial. Pág: 74.  Em 1947 foi constituído o Acordo Geral de Tarifas e Comércio – GATT.  Em 1995 o Gatt passou a se chamar Organização Mundial de Comércio (OMC), com o objetivo de aumentar a influência nas questões comerciais mundiais.
  • 16. G8 ou G7 MAIS A RÚSSIA
  • 17. OS SETE PAÍSES MAIS INDUSTRIALIZADOS E A RÚSSIA  Originou-se em 1975 em uma reunião onde estavam presentes as maiores potências capitalistas da época. São sete países com um maior destaque em suas industrias, que se organizam para defender seus interesses e fortalecer a influência que exercem sobre as questões mundiais. Nações ricas com elevado desenvolvimento industrial, com economias fortes.
  • 18. OS SETE PAÍSES MAIS INDUSTRIALIZADOS E A RÚSSIA  A indústria constitui-se no setor econômico que produz maior lucratividade, sendo o cidadão moderno o maior consumidor dos produtos industrializados desta forma os países investem pesado na industrialização para aumentar suas riquezas. Estes investimentos em sua grande parte vai para a área de desenvolvimento tecnológico e políticas para competir no mercado internacional.
  • 19. OS SETE PAÍSES MAIS INDUSTRIALIZADOS E A RÚSSIA  Entre os sete países mais ricos estão aqueles que participaram da primeira Revolução Industrial como: Inglaterra, França, Alemanha e Itália. E aquelas que mais tarde se industrializaram com rapidez, assimilando o emprego e o desenvolvimento de tecnologia de ponta como foi o caso dos EUA, Japão e Canadá.
  • 20. OS SETE PAÍSES MAIS INDUSTRIALIZADOS E A RÚSSIA  A Federação Russa participa como convidada especial desde 1992, mas apenas em 1997 foi aceita como membro do G8, porém não podendo participar das discussões econômicas. A principal justificativa para a inclusão da Rússia no G7 consiste em seu arsenal nuclear, “ herança” da Guerra Fria, pois a economia russa não a habilita a participar deste grupo tão seleto.
  • 21. OS SETE PAÍSES MAIS INDUSTRIALIZADOS E A RÚSSIA  O principal objetivo do G8, quando foi organizado, era discutir o ajustamento de políticas econômicas entre os países participantes, com seu fortalecimento outras questões como políticas sociais, meio ambiente e saúde entrou em pauta em suas reuniões.
  • 22. OS SETE PAÍSES MAIS INDUSTRIALIZADOS E A RÚSSIA  Como se sabe, na sociedade capitalista, prevalece a lei do mais forte. Nesse caso, o mais forte, representado pelos G8, terá suas decisões direcionadas, em primeiro lugar, para os interesses dos seus respectivos países. Pág: 75.