SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 49
Ocapitalismo eocenário
geopolítico
contemporâneo
Poliana-Geografia
3° Ensino Médio
A geopolítica envolve vários temas, desde as ações de guerra entre os países
disputas ideológicas entre defensores de regimes econômicos diferentes
(Socialismo x Capitalismo) até a defesa de patrimônios e recursos naturais,
essenciais ao desenvolvimento econômico de cada nação.
Oqueégeopolítica:
2°Guerramundial:Emergência
dedoismundos
A Segunda Guerra Mundial foi um conflito armado que ocorreu entre 1939 e
1945, envolvendo vários países, sendo os principais o continente europeu e o
leste e o sudeste asiáticos. Fatores esses que provocou mudanças no cenário
geopolítico internacional, que envolveu as maiores potências econômicas da
época.
2°Guerramundial:Emergênciadedoismundos
Os países do eixo que levaram à eclosão da Segunda Guerra.
1939
Alemanha invade a Polônia
1939
1945
Fim da Segunda Guerra Mundial
Hiroshima e Nagasaki
Pós-guerraeaemergênciadassuperpotências
1939 Alemanha invadiu vários países da Europa como Tchecoslováquia
( Republica Tcheca e Eslováquia). Áustria, Bélgica e parte do território francês.
Tendo apoio irrestrito da Itália.
No mesmo período Japão invadiu diversas áreas coloniais do Sudeste Asiático
que eram dominadas, por alguns países aliados europeus, além da Manchúria
(território Chinês) e de parte do território soviético.
O exército japonês se rendeu após a detonação de duas bombas atômicas,
pelo E.U.A, nas cidades japonesas Hiroshima e Nagasaki.
2°Guerramundial:Emergênciadedoismundos
WorldWarII keyfigures
Mercury is the closest
planet to the Sun
Venus is the second planet
from the Sun
Despite being red, Mars is
actually a very cold place
Jupiter is the biggest planet
of them all
Saturn is composed of
hydrogen and helium
Neptune is the farthest
planet from the Sun
AdolfHitler BenitoMussolini HidekiTojo
WinstonChurchill D.Roosevelt
1944Normandia.ImpedimentodosRussosapósavitóriados
alemães
Pós-guerraeaemergênciadassuperpotências
O Pós-Guerra, iniciado em 1945, conformou a divisão do mundo durante o
restante do século XX, opondo EUA e URSS e criando a chamada Guerra Fria.
O chamado pós-guerra impunha grandes desafios às populações e governantes de
todo o mundo. A grande devastação provocada na Europa e na Ásia necessitava de
amplos esforços de reconstrução econômica e social.
Por outro lado, as potências vencedoras, principalmente os EUA e a URSS, que
haviam se aliado para lutar contra o nazifascismo, tornaram-se potências rivais
logo após o fim do conflito, opondo o capitalismo ocidental ao chamado
comunismo soviético, na configuração do que ficou convencionado chamar de
mundo bipolar.
Pós-guerraeaemergênciadassuperpotências
OsSistemaseconômicosdominantesnopós-guerra
Allied civilians Allied military Axis civilians and military
KeynesianismoeaemergênciadosEstados
Unidos
Intervenção direta do Estado na economia. Obriga os proprietários dos meios de
produção a aplicar seus lucros no setor produtivo, criando novos postos de trabalho
e, consequentemente o consumo e a distribuição de renda.
AOrganizaçãodasNaçõesUnidas(ONU)
A criação da Organização das Nações Unidas (ONU) ainda nos
meses finais da II Guerra Mundial era uma tentativa de instituir
um organismo capaz de manter a paz e a segurança
internacionais, bem como promover o desenvolvimento da
cooperação entre os povos em vários aspectos.
Entretanto, esse esforço de unificação de ações governamentais
em nível internacional coexistiu com as rivalidades do pós-guerra.
vários novos países na África e na Ásia. A Europa viu-se dividida entre as esferas de
influência dos EUA e da URSS. O Ocidente europeu aproximou-se dos EUA, que
retiraram suas tropas do continente. A porção oriental da Europa estava sob
influência da URSS e das tropas de seu Exército Vermelho que se manteve nos
territórios ocupados para lutar contra os nazistas.
Para expressar essa divisão do continente europeu, o primeiro-ministro inglês expôs
a metáfora, em 1946, de que havia uma “Cortina de Ferro” que se estendia do mar
Báltico até o mar Adriático, separando o chamado “mundo livre” (o do capitalismo
ocidental) e o “mundo comunista” (sob influência do chamado comunismo soviético).
O mundo dividido pela “Cortina de Ferro” viveria ainda a denominada Guerra Fria.
Através dessa guerra sem confrontos diretos, EUA e URSS pretendiam influenciar
vastas extensões do planeta com seus sistemas socioeconômicos. O medo de uma
nova Guerra Mundial substanciava-se na detenção de um grande arsenal nuclear por
ambos os países.
O pós-guerra caracterizou-se também pela criação de mecanismos de cooperação
internacional entre os países das duas esferas de influência.
Pós-guerraeaemergênciadassuperpotências
Na esfera de influência dos EUA, a expansão de seu sistema socioeconômico ocorreu
através de alguns mecanismos de cooperação internacional criados já nos anos finais
da II Guerra Mundial. Enquanto as tropas lutaram nos campos de batalhas,
negociações econômicas entre os grandes grupos financeiros de ambos os lados em
conflito ocorria na Suíça, no Banco de Pagamentos Internacionais. O objetivo era
manter a integração econômica e ampliá-la, mesmo durante o desenrolar da II
Guerra Mundial. No imediato pós-guerra, um plano de cooperação e de recuperação
econômica e social foi proposto pelos EUA à Europa Ocidental. Totalizando um
montante de 18 bilhões de dólares, o Plano Marshall foi essencial para a
reconstrução socioeconômica da Europa e para conter o avanço do chamado
comunismo soviético. No aspecto militar, a criação da Organização do Tratado do
Atlântico Norte (OTAN) tinha por objetivo fazer frente à presença das tropas
soviéticas em solo europeu.
Pós-guerraeaemergênciadassuperpotências
Pós-guerraeaemergênciadassuperpotências
Cartaz feito para divulgar o Plano Marshall Selo húngaro feito para homenagear os
Para responder a essas ações do ocidente capitalista no pós-guerra, a URSS firmou,
em 1955, o Pacto de Varsóvia, que unia as forças militares da Albânia, Bulgária,
Tchecoslováquia, Alemanha Oriental, Hungria, Polônia e Romênia. Economicamente,
os países da esfera de influência soviética organizaram-se em torno do Comecon,
instituído em 1949 e responsável pela integração econômico-financeira dos países
considerados socialistas.
Pós-guerraeaemergênciadassuperpotências
O principal símbolo dessa divisão do mundo foi a cidade de Berlim, na Alemanha. A
criação do Muro de Berlim, que dividiu a cidade por quase 30 anos, expressou a
tensão existente entre os dois blocos.
Durante a Guerra Fria, não houve conflitos diretos entre EUA e URSS, mas ambos
participaram de vários conflitos indiretos.
● A Guerra da Coreia (1950-1953) e a Guerra do Vietnã (1965-1973) foram os
principais exemplos da participação indireta dos dois países em conflitos
armados durante a Guerra Fria.
● A eclosão da Revolução Chinesa, em 1949, contribuiu para acirrar essa divisão
do mundo, já que o novo regime instalado em Pequim também se declarava
comunista.
A configuração de um mundo bipolar, polarizado entre EUA e URSS, foi a principal
característica do pós-guerra, dando início à chamada Guerra Fria, que iria ter seu
fim apenas no início da década de 1990, com a derrocada da União Soviética.
Pós-guerraeaemergênciadassuperpotências
AascensãoSoviética ea ordembipolar
❖ Sociedade dividida em classes
Empresários ou capitalistas( donos do meio de produção)
Empregados assalariados( vendem a força de trabalho em troca de
salário)
❖ Predomínio da propriedade privada
❖ Busca do lucro e acumulação de capital
❖ Economia de mercado
Cartéis: As empresas atuam de forma coordenada, fixando os preços dos
produtos, regulando a oferta das mercadorias e das matérias-primas,
demarcando territórios para a atuação de cada uma.
Sistema Capitalista
CapitalismoComercial
O Capitalismo Comercial ou Mercantil é considerado o pré-capitalismo, uma vez que representou a primeira
fase do sistema econômico capitalista.
Ele surge no final do século XV, marcando o fim da Idade Média e o início a Idade Moderna, o qual durou até o
século XVIII, quando desponta a Revolução Industrial.
O capitalismo comercial foi empregado nas colônias da América, África e Ásia, donde a metrópole buscava
riquezas e produtos nas novas terras, intensificando cada vez mais as relações comerciais.
CapitalismoComercial
As principais características do capitalismo comercial são:
● Surgimento da moeda como valor de troca
● Produção de manufaturas
● Divisão Internacional do Trabalho
● Mercantilismo como sistema econômico
● Balança comercial favorável (superavit)
● Protecionismo (taxas alfandegárias)
● Metalismo (acúmulo de metais preciosos)
Caraterísticas docapitalismo:
CapitalismoIndustrial
A segunda fase do capitalismo é chamada de Capitalismo Industrial por ter sido um efeito direto da emergência,
expansão e centralidade exercida pelas fábricas graças ao processo de Revolução Industrial iniciado em meados do
século XVIII na Inglaterra. Com isso, a luta por matérias-primas, transformadas depois em mercadorias industrializadas,
intensificou-se ao longo do globo, e a Divisão Internacional do Trabalho foi assim estruturada: de um lado, as colônias
atuando como fornecedoras de matérias-primas e produtos primários em geral; do outro lado, as metrópoles e países
industrializados como fornecedores de mercadorias.
Nos países desenvolvidos, notadamente na Europa e em algumas partes da América do Norte, as cidades conheceram
um boom populacional, marcado pelo intensivo êxodo rural e pela expansão desordenada das periferias em locais como
Londres e Paris. A grande quantidade de trabalhadores empregados nas fábricas e a difusão do pensamento econômico
liberal, desenvolvido por Adam Smith, também foram elementos característicos desse contexto, que se estendeu até o
final do século XIX e o início do século XX.
CapitalismoIndustrial
Liberalismo
Liberalismo foi uma doutrina econômica, política e social, que surgiu na Europa, no século XVIII, contra o mercantilismo
e a intervenção do Estado na economia. O liberalismo foi dominante na economia e na política durante o século XIX e
caiu em descrédito após a Primeira Guerra Mundial.
Liberalismo Político
O liberalismo político, inicialmente, consistia em criticar a origem divina do poder. Mais tarde, lutou para dar aos
cidadãos maior poder de decisão política, como a escolha dos seus representantes. Jonh Locke
As bases do liberalismo político foram lançadas pelo filósofo inglês, representante do Iluminismo, John Locke (1632-
1704), em sua obra “Segundo Tratado do Governo Civil”.
Nela, ele negava a origem divina do poder e defendia que os cidadãos tinham o direito natural à liberdade, à propriedade
privada e à resistência contra governos tiranos.
Segundo Locke, o poder provinha dos cidadãos e não de Deus. Por isso, propunha a substituição do absolutismo por uma
Liberalismo
David Ricardo
Depois de Adam Smith, o economista inglês, David Ricardo (1772-1823) foi o maior representante da escola liberal
também chamada clássica, originada na Inglaterra.
Na obra “Princípios de Economia Política e Tributação”, Ricardo desenvolveu a teoria do valor do trabalho. Nela, defendeu a
lei férrea dos salários, segundo a qual o preço da força de trabalho seria sempre equivalente ao mínimo necessário à
subsistência do trabalhador.
Em oposição ao Mercantilismo e devido à Revolução Industrial, o Liberalismo Clássico solidifica-se no século XIX,
constituindo a ideologia predominante na sociedade ocidental.
Com a rápida expansão do capitalismo, o Liberalismo assumiu formas distintas, valorizadas diferentemente segundo cada
país.
No Brasil, um dos partidos que mais defendeu o liberalismo foi a União Democrática Nacional, surgida em 1945.
Liberalismo
CapitalismoMonopolistaouFinanceiro
"
O Capitalismo Financeiro ou Monopolista corresponde a terceira fase do sistema econômico capitalista
que surge em meados do século XX, com a Terceira Revolução Industrial e está presente até os dias
atuais.
Recebe esse nome visto que os bancos e outras instituições ligadas ao sistema financeiro, são os
principais agentes desse período.
Alguns estudiosos acreditam que o capitalismo financeiro terminou com a quebra da bolsa de valores de
Nova York, em 1929, levando ao surgimento de uma nova fase do capitalismo: o Capitalismo
Informacional ou Cognitivo.
CapitalismoMonopolistaouFinanceiro
As principais características do capitalismo financeiro são:
● Controle da economia pelos bancos e grandes corporações;
● Surgimento de empresas globais: transnacionais ou multinacionais;
● Aumento da concorrência internacional;
● Monopólio, oligopólio e crescimento econômico;
● Especulação e expansão do mercado financeiro;
● Produtos financeiros (ações, moedas, empréstimos, financiamentos, etc.);
● Bolsa de Valores (negociação de capitais, ações e títulos financeiros);
● Ampliação do mercado internacional e mundialização da economia;
● Expansão da Globalização e do Imperialismo;
● Avanços tecnológicos (era das tecnologias da informação) e científicos;
● Revolução da comunicação e dos transportes;
● Cartel (acordo entre empresas), Truste (fusão de empresas dos mesmo ramo) e o Holding (empresa que
controla as ações).
Característicasdo CapitalismoFinanceiro
Divisão Internacionaldo Trabalho
"
É o conceito utilizado para descrever a forma pela qual se dão os diferentes processos de produção nos
países e áreas econômicas.
Cada território possui uma forma específica de produção e desenvolvimento, criando divisões e
hierarquia entre os diferentes países. Esse contexto cria uma separação entre os países desenvolvidos
que compõem os centros econômicos e os países subdesenvolvidos, periféricos.
Com base na DIT, cada país desempenha um papel específico, possui uma especialização, que o torna
mais, ou menos, dependente economicamente no cenário global.
DivisãoInternacionaldo Trabalho
A nova DIT: A partir da segunda metade do século XX, ocorre um processo de industrialização em muitas partes do
globo, a chamada "industrialização tardia" e surgem os chamados países "em desenvolvimento". Dentre os países que se
industrializaram tardiamente, encontra-se o Brasil.
A nova DIT possui maior complexidade, há uma certa descentralização, alguns países assumem uma posição
intermediária entre os desenvolvidos que formam os grandes centros tradicionais e os países periféricos.
Entretanto, há a manutenção das desigualdades entre os países produtores e consumidores de tecnologia. Isso se dá a
partir do desenvolvimento de novas tecnologias nos países industrializados. A partir do advento da globalização, os
avanços técnicos nas comunicações e nos transportes permitiu uma grande mudança nos modos de produção.
DivisãoInternacionaldo Trabalho
Os países desenvolvidos investem em pesquisa, em mão-de-obra altamente qualificada e terceirizam a produção para os
países subdesenvolvidos. Nesses locais, os altos índices de desemprego e os baixos salários diminuem os custos do
processo produtivo.
Assim, surge um novo modo de produção que se difere da DIT tradicional. Com a expansão das empresas multinacionais,
muitos países subdesenvolvidos passam também a fornecer produtos industrializados, mas sem o domínio das
tecnologias necessárias para esse tipo de produção, que continuam sendo controladas pelos países dos centros
econômicos.
DivisãoInternacionaldo Trabalho
A DIT tradicional: A forma tradicional da DIT se desenvolveu a partir do século XVI, no período das grandes
navegações e da colonização. Assim, assume uma forte divisão entre a produção das metrópoles e a extração de
produtos nos territórios colonizados.
Nas metrópoles (centro), era desenvolvida a manufatura e o comércio a partir da atividade de trabalhadores livres ou
independentes. Já nas colônias (periferias), eram desenvolvidas atividades de exploração e extração de matéria-prima
com o uso do trabalho escravo.
A partir do século XVIII, dá-se início ao processo de industrialização da Europa, cresce a proporção de trabalhadores
assalariados com o objetivo de preenchimento dos postos de trabalho nas fábricas.
Enquanto nas colônias, mantém-se o trabalho de mão-de-obra escravizada, voltada para a produção de bens primários,
sobretudo agrícolas, destinada ao mercado externo.
DivisãoInternacionaldo Trabalho
A primeira metade do século XX marca a DIT entre os países desenvolvidos (industrializados): Estados Unidos, Japão e os
países da Europa.
O restante dos países (periféricos), ainda destinados à produção de bens primários, são marcados por uma ligeira
mudança com surgimento do trabalho assalariado.
Marca-se assim a DIT, a partir da especialização da produção em diferentes países, sua atuação e relevância para a
economia global.
Assim, como os países desenvolvidos ocupam lugares distintos no contexto econômico, os países periféricos, a partir da
década de 1950, passam por um processo de industrialização também desigual, chamado de "nova DIT".
DivisãoInternacionaldo Trabalho
❖ Socialismo contrário ao Capitalismo Final do Século XVIII-
Movimentos de trabalhadores contrários à ordem imposta do
capitalismo
❖ Socialismo Utópico- sociedade alternativa François-Charles Fourier
(1772-1837) e Robert Owen (1771- 1858)
❖ Socialismo Científico- Movimento para a construção de uma
sociedade igualitária
❖ Revolução Socialista-1922 até 1991 RÚSSIA, ARMÊNIA, UCRÂNIA,
TADJIQUISTÃO E A GEÓRGIA…
❖ URSS
Sistema Socialista
A classe proletária pôde enxergar uma solução no socialismo, que figurava como um acervo de ideias que tinha como
objetivo a implantação de um modelo de sociedade mais justa, para extinguir a sociedade de classes, na qual os
capitalistas exploram os trabalhadores.
A insatisfação e o desejo de mudanças foram reforçados com as ideias de dois grandes pensadores alemães, Karl Marx e
Friedrich Engels, que dispuseram de um conjunto de ideias necessárias para a instauração de uma sociedade plenamente
socialista. Tais ideias surgiram após um rigoroso estudo sobre o capitalismo.
"A implantação do socialismo ocorreu somente no século XX, mais precisamente em 1917, quando o governo monarquista
foi derrubado pela revolução russa, dando origem à União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Na segunda
metade do século XX o socialismo ganhou outros adeptos, como os países do Leste Europeu, além da China, Cuba e
algumas nações africanas e asiáticas. No entanto, com configurações socialistas distintas.
SistemaSocialista
❖ Sociedade sem divisão de classes
❖ Socialização dos meios de produção
❖ Economia planificada e controlada pelo Estado ( sem concorrência)
Planos periódicos ou quinzenais
Postos de trabalho
Sem desemprego
❖ Planejamento estatal centralizado, que estabelece as prioridades e os
objetivos econômicos internos a serem atingidos nos países
socialistas
Aspectos fundamentaisdoSocialismo
Meios de produção socializados: No socialismo toda estrutura produtiva, como empresas comerciais, indústrias, terras
agrícolas, dentre outras, são de propriedade da sociedade e gerenciados pelo Estado. Toda riqueza gerada pelos
processos produtivos é igualmente dividida entre todos.
• Inexistência de sociedade dividida em classes: como os meios de produção pertencem à sociedade, existe somente uma
classe; a dos proletários. Todos trabalham em conjunto e com o mesmo propósito: melhorar a sociedade. Por isso não
existem empregados nem patrões.
• Economia planificada e controlada pelo Estado: o Estado realiza o controle de todos os segmentos da economia e é
responsável por regular a produção e o estoque, o valor do salário, controle dos preços e etc. Configuração
completamente diferente do sistema liberal que vigora no capitalismo, no qual o próprio mercado controla a economia.
Dessa forma, não há concorrência e variação dos preços."
SistemaSocialista
O capitalismo e o cenário geopolítico contemporâneo

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a O capitalismo e o cenário geopolítico contemporâneo

História rafael - guerra fria - cursinho intensivo e sábado
História   rafael  - guerra fria - cursinho intensivo e sábadoHistória   rafael  - guerra fria - cursinho intensivo e sábado
História rafael - guerra fria - cursinho intensivo e sábado
Rafael Noronha
 
A geografia no poder mundial 1
A geografia no poder mundial 1A geografia no poder mundial 1
A geografia no poder mundial 1
papathy
 
Expansão dos eua e guerra fria
Expansão dos eua e guerra friaExpansão dos eua e guerra fria
Expansão dos eua e guerra fria
Fabio Furia
 
Mundo bipolar guerra fria
Mundo bipolar guerra friaMundo bipolar guerra fria
Mundo bipolar guerra fria
anabnsouza
 
Segunda guerra e guerra fria
Segunda guerra e guerra friaSegunda guerra e guerra fria
Segunda guerra e guerra fria
Isabel Aguiar
 
A geopolítica durante o período da ordem bipolar
A geopolítica durante o período da ordem bipolarA geopolítica durante o período da ordem bipolar
A geopolítica durante o período da ordem bipolar
Rafael Marques
 
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Va
O Mundo No Breve SéCulo Xx   2º VaO Mundo No Breve SéCulo Xx   2º Va
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Va
ProfMario De Mori
 
17234609 Guerra Fria 11 Otimo
17234609 Guerra Fria 11 Otimo17234609 Guerra Fria 11 Otimo
17234609 Guerra Fria 11 Otimo
João Couto
 
AS GRANDES GUERRAS E A GUERRA FRIA
AS GRANDES GUERRAS E A GUERRA FRIAAS GRANDES GUERRAS E A GUERRA FRIA
AS GRANDES GUERRAS E A GUERRA FRIA
DANUBIA ZANOTELLI
 
Revisão bimestral de prova de geografia 2º ano
Revisão bimestral de prova de geografia 2º anoRevisão bimestral de prova de geografia 2º ano
Revisão bimestral de prova de geografia 2º ano
eunamahcado
 

Semelhante a O capitalismo e o cenário geopolítico contemporâneo (20)

História rafael - guerra fria - cursinho intensivo e sábado
História   rafael  - guerra fria - cursinho intensivo e sábadoHistória   rafael  - guerra fria - cursinho intensivo e sábado
História rafael - guerra fria - cursinho intensivo e sábado
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
A geografia no poder mundial 1
A geografia no poder mundial 1A geografia no poder mundial 1
A geografia no poder mundial 1
 
Expansão dos eua e guerra fria
Expansão dos eua e guerra friaExpansão dos eua e guerra fria
Expansão dos eua e guerra fria
 
Unidade 2 oitavo ano
Unidade 2   oitavo anoUnidade 2   oitavo ano
Unidade 2 oitavo ano
 
Mundo bipolar guerra fria
Mundo bipolar guerra friaMundo bipolar guerra fria
Mundo bipolar guerra fria
 
Da 2 Guerra Mundial à Guerra Fria
Da 2 Guerra Mundial à Guerra FriaDa 2 Guerra Mundial à Guerra Fria
Da 2 Guerra Mundial à Guerra Fria
 
O mundo saido da guerra
O mundo saido da guerraO mundo saido da guerra
O mundo saido da guerra
 
Segunda guerra e guerra fria
Segunda guerra e guerra friaSegunda guerra e guerra fria
Segunda guerra e guerra fria
 
um-mundo-policentrico-antecedentes-geopoliticos-e-geoestrategicos-papel-da-on...
um-mundo-policentrico-antecedentes-geopoliticos-e-geoestrategicos-papel-da-on...um-mundo-policentrico-antecedentes-geopoliticos-e-geoestrategicos-papel-da-on...
um-mundo-policentrico-antecedentes-geopoliticos-e-geoestrategicos-papel-da-on...
 
A geopolítica durante o período da ordem bipolar
A geopolítica durante o período da ordem bipolarA geopolítica durante o período da ordem bipolar
A geopolítica durante o período da ordem bipolar
 
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Va
O Mundo No Breve SéCulo Xx   2º VaO Mundo No Breve SéCulo Xx   2º Va
O Mundo No Breve SéCulo Xx 2º Va
 
17234609 Guerra Fria 11 Otimo
17234609 Guerra Fria 11 Otimo17234609 Guerra Fria 11 Otimo
17234609 Guerra Fria 11 Otimo
 
Europa Ocidental na Guerra Fria
Europa Ocidental na Guerra FriaEuropa Ocidental na Guerra Fria
Europa Ocidental na Guerra Fria
 
A organização da europa após a segunda guerra
A organização da europa após a segunda guerraA organização da europa após a segunda guerra
A organização da europa após a segunda guerra
 
Guerra fria completo
Guerra fria completoGuerra fria completo
Guerra fria completo
 
AS GRANDES GUERRAS E A GUERRA FRIA
AS GRANDES GUERRAS E A GUERRA FRIAAS GRANDES GUERRAS E A GUERRA FRIA
AS GRANDES GUERRAS E A GUERRA FRIA
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Texto fragmentado
Texto fragmentadoTexto fragmentado
Texto fragmentado
 
Revisão bimestral de prova de geografia 2º ano
Revisão bimestral de prova de geografia 2º anoRevisão bimestral de prova de geografia 2º ano
Revisão bimestral de prova de geografia 2º ano
 

O capitalismo e o cenário geopolítico contemporâneo

  • 2. A geopolítica envolve vários temas, desde as ações de guerra entre os países disputas ideológicas entre defensores de regimes econômicos diferentes (Socialismo x Capitalismo) até a defesa de patrimônios e recursos naturais, essenciais ao desenvolvimento econômico de cada nação. Oqueégeopolítica:
  • 4. A Segunda Guerra Mundial foi um conflito armado que ocorreu entre 1939 e 1945, envolvendo vários países, sendo os principais o continente europeu e o leste e o sudeste asiáticos. Fatores esses que provocou mudanças no cenário geopolítico internacional, que envolveu as maiores potências econômicas da época. 2°Guerramundial:Emergênciadedoismundos
  • 5. Os países do eixo que levaram à eclosão da Segunda Guerra.
  • 6. 1939 Alemanha invade a Polônia 1939 1945 Fim da Segunda Guerra Mundial Hiroshima e Nagasaki Pós-guerraeaemergênciadassuperpotências
  • 7. 1939 Alemanha invadiu vários países da Europa como Tchecoslováquia ( Republica Tcheca e Eslováquia). Áustria, Bélgica e parte do território francês. Tendo apoio irrestrito da Itália. No mesmo período Japão invadiu diversas áreas coloniais do Sudeste Asiático que eram dominadas, por alguns países aliados europeus, além da Manchúria (território Chinês) e de parte do território soviético. O exército japonês se rendeu após a detonação de duas bombas atômicas, pelo E.U.A, nas cidades japonesas Hiroshima e Nagasaki. 2°Guerramundial:Emergênciadedoismundos
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11. WorldWarII keyfigures Mercury is the closest planet to the Sun Venus is the second planet from the Sun Despite being red, Mars is actually a very cold place Jupiter is the biggest planet of them all Saturn is composed of hydrogen and helium Neptune is the farthest planet from the Sun AdolfHitler BenitoMussolini HidekiTojo WinstonChurchill D.Roosevelt 1944Normandia.ImpedimentodosRussosapósavitóriados alemães
  • 13. O Pós-Guerra, iniciado em 1945, conformou a divisão do mundo durante o restante do século XX, opondo EUA e URSS e criando a chamada Guerra Fria. O chamado pós-guerra impunha grandes desafios às populações e governantes de todo o mundo. A grande devastação provocada na Europa e na Ásia necessitava de amplos esforços de reconstrução econômica e social. Por outro lado, as potências vencedoras, principalmente os EUA e a URSS, que haviam se aliado para lutar contra o nazifascismo, tornaram-se potências rivais logo após o fim do conflito, opondo o capitalismo ocidental ao chamado comunismo soviético, na configuração do que ficou convencionado chamar de mundo bipolar. Pós-guerraeaemergênciadassuperpotências
  • 15. Allied civilians Allied military Axis civilians and military KeynesianismoeaemergênciadosEstados Unidos Intervenção direta do Estado na economia. Obriga os proprietários dos meios de produção a aplicar seus lucros no setor produtivo, criando novos postos de trabalho e, consequentemente o consumo e a distribuição de renda.
  • 16.
  • 17. AOrganizaçãodasNaçõesUnidas(ONU) A criação da Organização das Nações Unidas (ONU) ainda nos meses finais da II Guerra Mundial era uma tentativa de instituir um organismo capaz de manter a paz e a segurança internacionais, bem como promover o desenvolvimento da cooperação entre os povos em vários aspectos. Entretanto, esse esforço de unificação de ações governamentais em nível internacional coexistiu com as rivalidades do pós-guerra.
  • 18. vários novos países na África e na Ásia. A Europa viu-se dividida entre as esferas de influência dos EUA e da URSS. O Ocidente europeu aproximou-se dos EUA, que retiraram suas tropas do continente. A porção oriental da Europa estava sob influência da URSS e das tropas de seu Exército Vermelho que se manteve nos territórios ocupados para lutar contra os nazistas. Para expressar essa divisão do continente europeu, o primeiro-ministro inglês expôs a metáfora, em 1946, de que havia uma “Cortina de Ferro” que se estendia do mar Báltico até o mar Adriático, separando o chamado “mundo livre” (o do capitalismo ocidental) e o “mundo comunista” (sob influência do chamado comunismo soviético). O mundo dividido pela “Cortina de Ferro” viveria ainda a denominada Guerra Fria. Através dessa guerra sem confrontos diretos, EUA e URSS pretendiam influenciar vastas extensões do planeta com seus sistemas socioeconômicos. O medo de uma nova Guerra Mundial substanciava-se na detenção de um grande arsenal nuclear por ambos os países. O pós-guerra caracterizou-se também pela criação de mecanismos de cooperação internacional entre os países das duas esferas de influência. Pós-guerraeaemergênciadassuperpotências
  • 19. Na esfera de influência dos EUA, a expansão de seu sistema socioeconômico ocorreu através de alguns mecanismos de cooperação internacional criados já nos anos finais da II Guerra Mundial. Enquanto as tropas lutaram nos campos de batalhas, negociações econômicas entre os grandes grupos financeiros de ambos os lados em conflito ocorria na Suíça, no Banco de Pagamentos Internacionais. O objetivo era manter a integração econômica e ampliá-la, mesmo durante o desenrolar da II Guerra Mundial. No imediato pós-guerra, um plano de cooperação e de recuperação econômica e social foi proposto pelos EUA à Europa Ocidental. Totalizando um montante de 18 bilhões de dólares, o Plano Marshall foi essencial para a reconstrução socioeconômica da Europa e para conter o avanço do chamado comunismo soviético. No aspecto militar, a criação da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) tinha por objetivo fazer frente à presença das tropas soviéticas em solo europeu. Pós-guerraeaemergênciadassuperpotências
  • 20. Pós-guerraeaemergênciadassuperpotências Cartaz feito para divulgar o Plano Marshall Selo húngaro feito para homenagear os
  • 21. Para responder a essas ações do ocidente capitalista no pós-guerra, a URSS firmou, em 1955, o Pacto de Varsóvia, que unia as forças militares da Albânia, Bulgária, Tchecoslováquia, Alemanha Oriental, Hungria, Polônia e Romênia. Economicamente, os países da esfera de influência soviética organizaram-se em torno do Comecon, instituído em 1949 e responsável pela integração econômico-financeira dos países considerados socialistas. Pós-guerraeaemergênciadassuperpotências
  • 22. O principal símbolo dessa divisão do mundo foi a cidade de Berlim, na Alemanha. A criação do Muro de Berlim, que dividiu a cidade por quase 30 anos, expressou a tensão existente entre os dois blocos. Durante a Guerra Fria, não houve conflitos diretos entre EUA e URSS, mas ambos participaram de vários conflitos indiretos. ● A Guerra da Coreia (1950-1953) e a Guerra do Vietnã (1965-1973) foram os principais exemplos da participação indireta dos dois países em conflitos armados durante a Guerra Fria. ● A eclosão da Revolução Chinesa, em 1949, contribuiu para acirrar essa divisão do mundo, já que o novo regime instalado em Pequim também se declarava comunista. A configuração de um mundo bipolar, polarizado entre EUA e URSS, foi a principal característica do pós-guerra, dando início à chamada Guerra Fria, que iria ter seu fim apenas no início da década de 1990, com a derrocada da União Soviética. Pós-guerraeaemergênciadassuperpotências
  • 24.
  • 25. ❖ Sociedade dividida em classes Empresários ou capitalistas( donos do meio de produção) Empregados assalariados( vendem a força de trabalho em troca de salário) ❖ Predomínio da propriedade privada ❖ Busca do lucro e acumulação de capital ❖ Economia de mercado Cartéis: As empresas atuam de forma coordenada, fixando os preços dos produtos, regulando a oferta das mercadorias e das matérias-primas, demarcando territórios para a atuação de cada uma. Sistema Capitalista
  • 27. O Capitalismo Comercial ou Mercantil é considerado o pré-capitalismo, uma vez que representou a primeira fase do sistema econômico capitalista. Ele surge no final do século XV, marcando o fim da Idade Média e o início a Idade Moderna, o qual durou até o século XVIII, quando desponta a Revolução Industrial. O capitalismo comercial foi empregado nas colônias da América, África e Ásia, donde a metrópole buscava riquezas e produtos nas novas terras, intensificando cada vez mais as relações comerciais. CapitalismoComercial
  • 28. As principais características do capitalismo comercial são: ● Surgimento da moeda como valor de troca ● Produção de manufaturas ● Divisão Internacional do Trabalho ● Mercantilismo como sistema econômico ● Balança comercial favorável (superavit) ● Protecionismo (taxas alfandegárias) ● Metalismo (acúmulo de metais preciosos) Caraterísticas docapitalismo:
  • 30. A segunda fase do capitalismo é chamada de Capitalismo Industrial por ter sido um efeito direto da emergência, expansão e centralidade exercida pelas fábricas graças ao processo de Revolução Industrial iniciado em meados do século XVIII na Inglaterra. Com isso, a luta por matérias-primas, transformadas depois em mercadorias industrializadas, intensificou-se ao longo do globo, e a Divisão Internacional do Trabalho foi assim estruturada: de um lado, as colônias atuando como fornecedoras de matérias-primas e produtos primários em geral; do outro lado, as metrópoles e países industrializados como fornecedores de mercadorias. Nos países desenvolvidos, notadamente na Europa e em algumas partes da América do Norte, as cidades conheceram um boom populacional, marcado pelo intensivo êxodo rural e pela expansão desordenada das periferias em locais como Londres e Paris. A grande quantidade de trabalhadores empregados nas fábricas e a difusão do pensamento econômico liberal, desenvolvido por Adam Smith, também foram elementos característicos desse contexto, que se estendeu até o final do século XIX e o início do século XX. CapitalismoIndustrial
  • 32. Liberalismo foi uma doutrina econômica, política e social, que surgiu na Europa, no século XVIII, contra o mercantilismo e a intervenção do Estado na economia. O liberalismo foi dominante na economia e na política durante o século XIX e caiu em descrédito após a Primeira Guerra Mundial. Liberalismo Político O liberalismo político, inicialmente, consistia em criticar a origem divina do poder. Mais tarde, lutou para dar aos cidadãos maior poder de decisão política, como a escolha dos seus representantes. Jonh Locke As bases do liberalismo político foram lançadas pelo filósofo inglês, representante do Iluminismo, John Locke (1632- 1704), em sua obra “Segundo Tratado do Governo Civil”. Nela, ele negava a origem divina do poder e defendia que os cidadãos tinham o direito natural à liberdade, à propriedade privada e à resistência contra governos tiranos. Segundo Locke, o poder provinha dos cidadãos e não de Deus. Por isso, propunha a substituição do absolutismo por uma Liberalismo
  • 33. David Ricardo Depois de Adam Smith, o economista inglês, David Ricardo (1772-1823) foi o maior representante da escola liberal também chamada clássica, originada na Inglaterra. Na obra “Princípios de Economia Política e Tributação”, Ricardo desenvolveu a teoria do valor do trabalho. Nela, defendeu a lei férrea dos salários, segundo a qual o preço da força de trabalho seria sempre equivalente ao mínimo necessário à subsistência do trabalhador. Em oposição ao Mercantilismo e devido à Revolução Industrial, o Liberalismo Clássico solidifica-se no século XIX, constituindo a ideologia predominante na sociedade ocidental. Com a rápida expansão do capitalismo, o Liberalismo assumiu formas distintas, valorizadas diferentemente segundo cada país. No Brasil, um dos partidos que mais defendeu o liberalismo foi a União Democrática Nacional, surgida em 1945. Liberalismo
  • 35. " O Capitalismo Financeiro ou Monopolista corresponde a terceira fase do sistema econômico capitalista que surge em meados do século XX, com a Terceira Revolução Industrial e está presente até os dias atuais. Recebe esse nome visto que os bancos e outras instituições ligadas ao sistema financeiro, são os principais agentes desse período. Alguns estudiosos acreditam que o capitalismo financeiro terminou com a quebra da bolsa de valores de Nova York, em 1929, levando ao surgimento de uma nova fase do capitalismo: o Capitalismo Informacional ou Cognitivo. CapitalismoMonopolistaouFinanceiro
  • 36. As principais características do capitalismo financeiro são: ● Controle da economia pelos bancos e grandes corporações; ● Surgimento de empresas globais: transnacionais ou multinacionais; ● Aumento da concorrência internacional; ● Monopólio, oligopólio e crescimento econômico; ● Especulação e expansão do mercado financeiro; ● Produtos financeiros (ações, moedas, empréstimos, financiamentos, etc.); ● Bolsa de Valores (negociação de capitais, ações e títulos financeiros); ● Ampliação do mercado internacional e mundialização da economia; ● Expansão da Globalização e do Imperialismo; ● Avanços tecnológicos (era das tecnologias da informação) e científicos; ● Revolução da comunicação e dos transportes; ● Cartel (acordo entre empresas), Truste (fusão de empresas dos mesmo ramo) e o Holding (empresa que controla as ações). Característicasdo CapitalismoFinanceiro
  • 38. " É o conceito utilizado para descrever a forma pela qual se dão os diferentes processos de produção nos países e áreas econômicas. Cada território possui uma forma específica de produção e desenvolvimento, criando divisões e hierarquia entre os diferentes países. Esse contexto cria uma separação entre os países desenvolvidos que compõem os centros econômicos e os países subdesenvolvidos, periféricos. Com base na DIT, cada país desempenha um papel específico, possui uma especialização, que o torna mais, ou menos, dependente economicamente no cenário global. DivisãoInternacionaldo Trabalho
  • 39. A nova DIT: A partir da segunda metade do século XX, ocorre um processo de industrialização em muitas partes do globo, a chamada "industrialização tardia" e surgem os chamados países "em desenvolvimento". Dentre os países que se industrializaram tardiamente, encontra-se o Brasil. A nova DIT possui maior complexidade, há uma certa descentralização, alguns países assumem uma posição intermediária entre os desenvolvidos que formam os grandes centros tradicionais e os países periféricos. Entretanto, há a manutenção das desigualdades entre os países produtores e consumidores de tecnologia. Isso se dá a partir do desenvolvimento de novas tecnologias nos países industrializados. A partir do advento da globalização, os avanços técnicos nas comunicações e nos transportes permitiu uma grande mudança nos modos de produção. DivisãoInternacionaldo Trabalho
  • 40. Os países desenvolvidos investem em pesquisa, em mão-de-obra altamente qualificada e terceirizam a produção para os países subdesenvolvidos. Nesses locais, os altos índices de desemprego e os baixos salários diminuem os custos do processo produtivo. Assim, surge um novo modo de produção que se difere da DIT tradicional. Com a expansão das empresas multinacionais, muitos países subdesenvolvidos passam também a fornecer produtos industrializados, mas sem o domínio das tecnologias necessárias para esse tipo de produção, que continuam sendo controladas pelos países dos centros econômicos. DivisãoInternacionaldo Trabalho
  • 41. A DIT tradicional: A forma tradicional da DIT se desenvolveu a partir do século XVI, no período das grandes navegações e da colonização. Assim, assume uma forte divisão entre a produção das metrópoles e a extração de produtos nos territórios colonizados. Nas metrópoles (centro), era desenvolvida a manufatura e o comércio a partir da atividade de trabalhadores livres ou independentes. Já nas colônias (periferias), eram desenvolvidas atividades de exploração e extração de matéria-prima com o uso do trabalho escravo. A partir do século XVIII, dá-se início ao processo de industrialização da Europa, cresce a proporção de trabalhadores assalariados com o objetivo de preenchimento dos postos de trabalho nas fábricas. Enquanto nas colônias, mantém-se o trabalho de mão-de-obra escravizada, voltada para a produção de bens primários, sobretudo agrícolas, destinada ao mercado externo. DivisãoInternacionaldo Trabalho
  • 42. A primeira metade do século XX marca a DIT entre os países desenvolvidos (industrializados): Estados Unidos, Japão e os países da Europa. O restante dos países (periféricos), ainda destinados à produção de bens primários, são marcados por uma ligeira mudança com surgimento do trabalho assalariado. Marca-se assim a DIT, a partir da especialização da produção em diferentes países, sua atuação e relevância para a economia global. Assim, como os países desenvolvidos ocupam lugares distintos no contexto econômico, os países periféricos, a partir da década de 1950, passam por um processo de industrialização também desigual, chamado de "nova DIT". DivisãoInternacionaldo Trabalho
  • 43. ❖ Socialismo contrário ao Capitalismo Final do Século XVIII- Movimentos de trabalhadores contrários à ordem imposta do capitalismo ❖ Socialismo Utópico- sociedade alternativa François-Charles Fourier (1772-1837) e Robert Owen (1771- 1858) ❖ Socialismo Científico- Movimento para a construção de uma sociedade igualitária ❖ Revolução Socialista-1922 até 1991 RÚSSIA, ARMÊNIA, UCRÂNIA, TADJIQUISTÃO E A GEÓRGIA… ❖ URSS Sistema Socialista
  • 44. A classe proletária pôde enxergar uma solução no socialismo, que figurava como um acervo de ideias que tinha como objetivo a implantação de um modelo de sociedade mais justa, para extinguir a sociedade de classes, na qual os capitalistas exploram os trabalhadores. A insatisfação e o desejo de mudanças foram reforçados com as ideias de dois grandes pensadores alemães, Karl Marx e Friedrich Engels, que dispuseram de um conjunto de ideias necessárias para a instauração de uma sociedade plenamente socialista. Tais ideias surgiram após um rigoroso estudo sobre o capitalismo. "A implantação do socialismo ocorreu somente no século XX, mais precisamente em 1917, quando o governo monarquista foi derrubado pela revolução russa, dando origem à União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Na segunda metade do século XX o socialismo ganhou outros adeptos, como os países do Leste Europeu, além da China, Cuba e algumas nações africanas e asiáticas. No entanto, com configurações socialistas distintas. SistemaSocialista
  • 45.
  • 46. ❖ Sociedade sem divisão de classes ❖ Socialização dos meios de produção ❖ Economia planificada e controlada pelo Estado ( sem concorrência) Planos periódicos ou quinzenais Postos de trabalho Sem desemprego ❖ Planejamento estatal centralizado, que estabelece as prioridades e os objetivos econômicos internos a serem atingidos nos países socialistas Aspectos fundamentaisdoSocialismo
  • 47.
  • 48. Meios de produção socializados: No socialismo toda estrutura produtiva, como empresas comerciais, indústrias, terras agrícolas, dentre outras, são de propriedade da sociedade e gerenciados pelo Estado. Toda riqueza gerada pelos processos produtivos é igualmente dividida entre todos. • Inexistência de sociedade dividida em classes: como os meios de produção pertencem à sociedade, existe somente uma classe; a dos proletários. Todos trabalham em conjunto e com o mesmo propósito: melhorar a sociedade. Por isso não existem empregados nem patrões. • Economia planificada e controlada pelo Estado: o Estado realiza o controle de todos os segmentos da economia e é responsável por regular a produção e o estoque, o valor do salário, controle dos preços e etc. Configuração completamente diferente do sistema liberal que vigora no capitalismo, no qual o próprio mercado controla a economia. Dessa forma, não há concorrência e variação dos preços." SistemaSocialista