SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
Baixar para ler offline
Ciências da Natureza e suas
Tecnologias – Biologia II
Prof.º Bruno Oliveira
Ensino Médio, 2ª Série
A estrutura do Aparelho Reprodutor
Feminino
COMPONENTE CURRICULAR, Série – 3º Ano
Tópico: A estrutura do Aparelho Reprodutor Feminino
Imagem: Jesielt / GNU Free Documentation License
INTRODUÇÃO
O ser humano, assim como todas as espécies que habitam
nosso planeta, vem desde os primórdios reproduzindo-se e evoluindo.
É graças ao instinto animal do homem que a perpetuação da raça
humana está assegurada.
Os seres vivos, através da reprodução assexuada ou sexuada,
geram novos indivíduos. Na reprodução sexuada, quando ocorre a
fecundação, uma célula masculina e uma feminina se fundem para
formar um novo ser vivo.
No caso da espécie humana, a fecundação se dá quando os
gametas masculino e feminino se encontram, formando o zigoto que se
desloca pelas tubas uterinas em direção ao útero, e, uma nova vida
começa a se desenvolver. Mas vamos entender isso melhor
conhecendo o Aparelho Reprodutor Feminino.
OBJETIVOS
 Identificar a organização estrutural e a função do
Sistema Genital Feminino;
 Analisar as mudanças fisiológicas e comportamentais
que ocorrem durante a puberdade feminina;
 Relacionar os principais eventos do ciclo sexual feminino
e a influência dos hormônios sexuais sobre ele.
ESTRUTURA DO APARELHO REPRODUTOR FEMININO
O sistema genital feminino é composto por órgãos
situados externamente ao corpo da mulher (pudendo
feminino, também chamado de vulva) e de órgãos
localizados no interior do abdome (vagina, útero, um par
de tubas uterinas e um par de ovários).
SISTEMA GENITAL FEMININO
Imagem: Arcadian / Public Domain.
Imagem: Monk Bretton / GNU Free
Documentation License.
clitóris
Grandes
lábios
Pequenos
lábios
Uretra
Abertura vaginal
Glândulas de bartholin
VISTA LATERAL DO SISTEMA REPRODUTOR
FEMININO
Imagem: Dake / Creative Commons Licença 2.5
ESTRUTURAS E FUNÇÕES DO SISTEMA GENITAL FEMININO
 Pudendo feminino ou vulva: localiza-se na região baixa do
ventre, entre as coxas, sendo formado pelas estruturas
denominadas de lábios maiores, lábios menores, clitóris e
vestíbulo vaginal.
 Lábios maiores são duas dobras grossas de pele que se
estendem paralelamente desde a região inferior do púbis até
as proximidades do ânus.
 Lábios menores são duas pregas de pele menores e
delicadas situadas internamente aos lábios maiores, que
delimitam a entrada do vestíbulo vaginal (vagina).
 Clitóris é uma diminuta área de tecido bastante sensível à
estimulação sexual e responsável pelo orgasmo feminino.
 Vagina é um tubo de parede fibromusculares, com cerca de
10 cm de comprimento, que se estende desde o pudendo
feminino à base do útero com o qual se comunica.
 Útero é um órgão muscular, oco, de tamanho e forma
semelhante a uma pera. O interior do útero é revestido pelo
endométrio, um tecido rico em glândulas, vasos sanguíneos
e vasos linfáticos.
 Tubas uterinas (ou ovidutos) são dois tubos curvos, com
cerca de 10 cm de comprimento ligados à região superior do
útero. A extremidade de cada tuba uterina é alargada e
franjada, situando-se próxima a um dos ovários.
 Ovários são estruturas ovoides com cerca de 3 cm de
comprimento, localizados na cavidade abdominal, na região
das virilhas. São também responsáveis pela produção regular
de hormônios sexuais, em resposta aos hormônios liberados
pela hipófise, glândula situada na base do encéfalo.
 Períneo situado entre o ânus e o pudendo, na entrada da
vagina.
 Mamas são estruturas formadas por tecido gorduroso e por
pequenas glândulas denominadas de mamárias. Cada mama
tem de 15 a 20 lobos, subdivididos em lóbulos nos quais
existem aglomerados de células denominadas de alvéolos (do
L. pequenos sacos) produtores de leite. E estes são ligados
aos mamilos por ductos, através dos quais o leite passa
durante a amamentação.
PUBERDADE
De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde),
a adolescência é o período que faz parte da segunda década
de vida (10 a 19 anos). Biologicamente, o início da
adolescência é marcado pela puberdade, época em que as
meninas apresentam grandes modificações físicas e
emocionais.
A puberdade inicia-se mais cedo nas meninas, é nessa
época que os órgãos sexuais começam a amadurecer,
tornando-se aptos a produzir gametas femininos (óvulos).
Nessa fase, aparecem os pelos pubianos, o crescimento da
mama, o aumento de peso, alargamento dos quadris e o
aparecimento da acne.
A PUBERDADE
Imagem:
Autor
desconhecido
/
Free
Art
Licens
OVULOGÊNESE
Também chamada de ovogênese, a ovulogênese é
o processo no qual ocorre a formação dos óvulos. Esse
processo tem início antes do nascimento da mulher, mais
ou menos no terceiro mês de sua vida intrauterina.
No início da fase fetal, as ovogônias (2n), células
precursoras dos gametas femininos, sofrem mitoses,
multiplicando-se. Após o nascimento, por volta do terceiro
mês de vida, as ovogônias param de se dividir, crescem,
duplicam seus cromossomos e entram na prófase I da
meiose, quando passam a ser chamadas de ovócitos
primários ou ovócitos I.
Os ovócitos primários permanecem dessa forma
até que a mulher atinja a puberdade. Ao nascer, a menina
já tem seus ovócitos primários formados no interior de
seus ovários, mas mais da metade deles se degenera ao
longo da vida da mulher.
OVOGÊNESE
Ciências da Natureza e suas Tecnologias
Ensino Médio, 2ªSérie
Imagem: Diagrama mostrando a redução no número de cromossomas no
processo de maturação do óvulo/ Mysid / Public Domain
OVULAÇÃO
A Ovulação é o acúmulo de líquido no interior do
folículo que acaba por causar sua ruptura e a libertação
do ovócito secundário. Na espécie humana, o que
chamamos de óvulo é, de fato, um ovócito secundário,
cuja meiose somente se completará se houver
fecundação. Se o ovócito secundário não for fecundado,
ele degenera aproximadamente 24 horas depois de
liberado, sem concluir a meiose. Tudo isso é
desencadeado pela ação hormonal (1).
PREPARAÇÃO PARA A OVULAÇÃO
Imagem:
Shazz
/
Imagem
adaptada
/
GNU
Free
Documentation
License
OVULAÇÃO
Imagem: D. Wu / imagem adaptada / public domain
ovócito
 O ciclo menstrual regular dura em média 28 dias,
contados a partir do primeiro da menstruação
propriamente dita.
 Os hormônios relacionados nesse processo são:
Progesterona e Estrógeno.
 FSH – Hormônio Folículo estimulante.
 LH – Hormônio Leitunizante.
CICLO MENSTRUAL
Ciências da Natureza e suas Tecnologias
Ensino Médio, 2ªSérie
A MENSTRUAÇÃO
A cada 28 dias, aproximadamente, o sistema genital
feminino passa por modificações, que podem ser
interpretadas como uma “preparação” para uma possível
gravidez. Caso a gravidez não ocorra, haverá a
descamação do endométrio e, consequentemente, a
menstruação.
Dependendo da mulher, o ciclo menstrual de 28 dias
é bastante complexo. Dele participam quatro hormônios,
dos quais dois são produzidos na hipófise: o FSH
(hormônio estimulador do folículo) e o LH (hormônio
luteinizante); os outros dois, o estrógeno e a
progesterona são produzidos pelos ovários.
DESCAMAÇÃO DO ENDOMÉTRIO
Menstruação
Imagem: Redesenhado a partir de ilustração de Isometrik / imagem adaptada / Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0
CICLO MENSTRUAL DE 28 DIAS
Ciclo menstrual
Imagem: Vargklo / imagem adaptada / domínio público
AÇÃO HORMONAL NO CICLO MENSTRUAL
Ciências da Natureza e suas Tecnologias
Ensino Médio, 2ªSérie
Imagem:Escrição
Ciclo
menstrual
feminino
/
Autor
desconhecido/
Domínio
Público
O CLIMATÉRIO
O climatério é consequência de alterações nos
níveis dos vários hormônios sexuais femininos. Os
ovários produzem menos estrógenos e progesterona,
mas a hipófise produz mais o FSH e LH, em uma
tentativa infrutífera de estimular a produção de
estrogênio e progesterona. Os níveis de testosterona
podem ser mantidos ou diminuídos um pouco.
Obs: A menarca ocorre em média aos 12 anos de idade e o
climatério aproximadamente entre 45 e 55 anos de idade.
Podemos calcular quantos ovócitos primários podem
amadurecer durante o período fértil da mulher (cerca de 456
ovócitos).
MENARCA E CLIMATÉRIO
Imagem:
SEE-PE,
redesenhado
a
partir
de
ilustração
de
Autor
Desconhecido.
1. Observe o esquema
do sistema genital
feminino e responda:
a) Qual é a função do
útero?
b) Em que região do
sistema genital
feminino, o óvulo
pode ser fecundado?
c) Qual a função dos
ovários?
Imagem: Dake / Imagem adaptada / Creative Commons Licença 2.5
ATIVIDADES
 (UFRS) O sistema genital feminino é condicionado por flutuações
nos níveis de concentração de diferentes hormônios. Em algumas
mulheres, tanto o período do climatério quanto o período que
antecede a menstruação podem ser acompanhados de distúrbios
como irritabilidade e ansiedade. Assinale a alternativa que apresenta
os processos hormonais responsáveis por essas condições.
a) aumento da concentração hormonal (FSH) e de estrogênio.
b) aumento da concentração de progesterona e de hCG.
c) aumento das taxas do hormônio FSH e LH.
d) diminuição das taxas de estrogênio e de progesterona.
e) diminuição das taxas de somatotrofina e hCG.
BIBLIOGRAFIA E SITES PARA CONSULTA
 HICKMAN, C. P. Jr.; ROBERTS, L. S.; LARSON, A..
Princípios Integrados de Zoologia. 11ª ed. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan S.A., 2004.
 O Sistema Reprodutivo. Rio de Janeiro: Reader’s Digest,
2010.
 LOPES, S. Bio. Volume único.São Paulo: Saraiva, 2008.
 AMABIS, J. M.; MARTHO, G. R.. Biologia dos organismos.
São Paulo: Moderna, 2009.
 LOPES, S.; ROSSO, S.. Conecte BIO 1,2,3. São Paulo:
Saraiva, 2011.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Estrutura do Aparelho Reprodutor Feminino

Transmissão de vida
Transmissão de vidaTransmissão de vida
Transmissão de vidaleonoreis2
 
aula sistema reprodutor
aula sistema reprodutoraula sistema reprodutor
aula sistema reprodutorcarlotabuchi
 
Sexualidade E TransmissãO Da Vida
Sexualidade E TransmissãO Da VidaSexualidade E TransmissãO Da Vida
Sexualidade E TransmissãO Da Vidafernando2112
 
PLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.ppt
PLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.pptPLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.ppt
PLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.pptJosy Farias
 
Aparelho reprodutor feminino
Aparelho reprodutor femininoAparelho reprodutor feminino
Aparelho reprodutor femininotonhofsj
 
Puberdade e Adolescência
Puberdade e AdolescênciaPuberdade e Adolescência
Puberdade e Adolescêncialucikd
 
Sistema reprodutor feminino49 e 51
Sistema reprodutor feminino49 e 51Sistema reprodutor feminino49 e 51
Sistema reprodutor feminino49 e 51Cacilda Peixoto
 
Sistema genital feminino
Sistema genital femininoSistema genital feminino
Sistema genital femininoyaragessica
 
A estrutura aparelho reprodutor masculino aula 2.ppt
A estrutura aparelho reprodutor masculino aula 2.pptA estrutura aparelho reprodutor masculino aula 2.ppt
A estrutura aparelho reprodutor masculino aula 2.pptBruno Oliveira
 
Reproduçao e crescimento humano
Reproduçao e crescimento humanoReproduçao e crescimento humano
Reproduçao e crescimento humanoMariana Sofia
 

Semelhante a Estrutura do Aparelho Reprodutor Feminino (20)

Transmissão de vida
Transmissão de vidaTransmissão de vida
Transmissão de vida
 
Reprodução humana 2
Reprodução humana 2Reprodução humana 2
Reprodução humana 2
 
aula sistema reprodutor
aula sistema reprodutoraula sistema reprodutor
aula sistema reprodutor
 
Sexualidade E TransmissãO Da Vida
Sexualidade E TransmissãO Da VidaSexualidade E TransmissãO Da Vida
Sexualidade E TransmissãO Da Vida
 
PLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.ppt
PLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.pptPLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.ppt
PLANEJAMENTO FAMILIAR AULA.ppt
 
Aparelho reprodutor feminino
Aparelho reprodutor femininoAparelho reprodutor feminino
Aparelho reprodutor feminino
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Puberdade e Adolescência
Puberdade e AdolescênciaPuberdade e Adolescência
Puberdade e Adolescência
 
Aparelho Reprodutor Feminino
Aparelho Reprodutor FemininoAparelho Reprodutor Feminino
Aparelho Reprodutor Feminino
 
Sistema reprodutor feminino49 e 51
Sistema reprodutor feminino49 e 51Sistema reprodutor feminino49 e 51
Sistema reprodutor feminino49 e 51
 
A adolescência, fase de novas descobertas
A adolescência, fase de novas descobertas A adolescência, fase de novas descobertas
A adolescência, fase de novas descobertas
 
AULA 2, REPRODUÇÃO.pptx
AULA 2, REPRODUÇÃO.pptxAULA 2, REPRODUÇÃO.pptx
AULA 2, REPRODUÇÃO.pptx
 
Reprodução Humana
Reprodução HumanaReprodução Humana
Reprodução Humana
 
Sistema genital feminino
Sistema genital femininoSistema genital feminino
Sistema genital feminino
 
A estrutura aparelho reprodutor masculino aula 2.ppt
A estrutura aparelho reprodutor masculino aula 2.pptA estrutura aparelho reprodutor masculino aula 2.ppt
A estrutura aparelho reprodutor masculino aula 2.ppt
 
Reproduçao e crescimento humano
Reproduçao e crescimento humanoReproduçao e crescimento humano
Reproduçao e crescimento humano
 
Sistema reprodutor
Sistema reprodutorSistema reprodutor
Sistema reprodutor
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 
Reprodução
ReproduçãoReprodução
Reprodução
 

Mais de Bruno Oliveira

Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.ppt
Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.pptIntroducao com referencia ao estudo de Ecologia.ppt
Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.pptBruno Oliveira
 
Aula de Microscopia e História do estudo celular.ppt
Aula de Microscopia e História do estudo celular.pptAula de Microscopia e História do estudo celular.ppt
Aula de Microscopia e História do estudo celular.pptBruno Oliveira
 
Apresentação de slides sobre Gestação Normal
Apresentação de slides sobre Gestação NormalApresentação de slides sobre Gestação Normal
Apresentação de slides sobre Gestação NormalBruno Oliveira
 
Ondulatória 9º Ano.ppt
Ondulatória 9º Ano.pptOndulatória 9º Ano.ppt
Ondulatória 9º Ano.pptBruno Oliveira
 
Rotary Donana Horario Matutino 22-01-24.pdf
Rotary Donana Horario Matutino 22-01-24.pdfRotary Donana Horario Matutino 22-01-24.pdf
Rotary Donana Horario Matutino 22-01-24.pdfBruno Oliveira
 
As etapas da embriogênese comparada mexido.ppt
As etapas da embriogênese comparada mexido.pptAs etapas da embriogênese comparada mexido.ppt
As etapas da embriogênese comparada mexido.pptBruno Oliveira
 

Mais de Bruno Oliveira (9)

Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.ppt
Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.pptIntroducao com referencia ao estudo de Ecologia.ppt
Introducao com referencia ao estudo de Ecologia.ppt
 
Aula de Microscopia e História do estudo celular.ppt
Aula de Microscopia e História do estudo celular.pptAula de Microscopia e História do estudo celular.ppt
Aula de Microscopia e História do estudo celular.ppt
 
Apresentação de slides sobre Gestação Normal
Apresentação de slides sobre Gestação NormalApresentação de slides sobre Gestação Normal
Apresentação de slides sobre Gestação Normal
 
Ondulatória 9º Ano.ppt
Ondulatória 9º Ano.pptOndulatória 9º Ano.ppt
Ondulatória 9º Ano.ppt
 
Rotary Donana Horario Matutino 22-01-24.pdf
Rotary Donana Horario Matutino 22-01-24.pdfRotary Donana Horario Matutino 22-01-24.pdf
Rotary Donana Horario Matutino 22-01-24.pdf
 
186328.pptx
186328.pptx186328.pptx
186328.pptx
 
As etapas da embriogênese comparada mexido.ppt
As etapas da embriogênese comparada mexido.pptAs etapas da embriogênese comparada mexido.ppt
As etapas da embriogênese comparada mexido.ppt
 
Portaria.pdf
Portaria.pdfPortaria.pdf
Portaria.pdf
 
DC GO AMPLIADO_EF.pdf
DC GO AMPLIADO_EF.pdfDC GO AMPLIADO_EF.pdf
DC GO AMPLIADO_EF.pdf
 

Último

TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoModelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoprofleticiasantosbio
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 

Último (20)

TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumoModelos atômicos: quais são, história, resumo
Modelos atômicos: quais são, história, resumo
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 

Estrutura do Aparelho Reprodutor Feminino

  • 1. Ciências da Natureza e suas Tecnologias – Biologia II Prof.º Bruno Oliveira Ensino Médio, 2ª Série A estrutura do Aparelho Reprodutor Feminino
  • 2. COMPONENTE CURRICULAR, Série – 3º Ano Tópico: A estrutura do Aparelho Reprodutor Feminino Imagem: Jesielt / GNU Free Documentation License
  • 3. INTRODUÇÃO O ser humano, assim como todas as espécies que habitam nosso planeta, vem desde os primórdios reproduzindo-se e evoluindo. É graças ao instinto animal do homem que a perpetuação da raça humana está assegurada. Os seres vivos, através da reprodução assexuada ou sexuada, geram novos indivíduos. Na reprodução sexuada, quando ocorre a fecundação, uma célula masculina e uma feminina se fundem para formar um novo ser vivo. No caso da espécie humana, a fecundação se dá quando os gametas masculino e feminino se encontram, formando o zigoto que se desloca pelas tubas uterinas em direção ao útero, e, uma nova vida começa a se desenvolver. Mas vamos entender isso melhor conhecendo o Aparelho Reprodutor Feminino.
  • 4. OBJETIVOS  Identificar a organização estrutural e a função do Sistema Genital Feminino;  Analisar as mudanças fisiológicas e comportamentais que ocorrem durante a puberdade feminina;  Relacionar os principais eventos do ciclo sexual feminino e a influência dos hormônios sexuais sobre ele.
  • 5. ESTRUTURA DO APARELHO REPRODUTOR FEMININO O sistema genital feminino é composto por órgãos situados externamente ao corpo da mulher (pudendo feminino, também chamado de vulva) e de órgãos localizados no interior do abdome (vagina, útero, um par de tubas uterinas e um par de ovários).
  • 6. SISTEMA GENITAL FEMININO Imagem: Arcadian / Public Domain. Imagem: Monk Bretton / GNU Free Documentation License. clitóris Grandes lábios Pequenos lábios Uretra Abertura vaginal Glândulas de bartholin
  • 7. VISTA LATERAL DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO Imagem: Dake / Creative Commons Licença 2.5
  • 8. ESTRUTURAS E FUNÇÕES DO SISTEMA GENITAL FEMININO  Pudendo feminino ou vulva: localiza-se na região baixa do ventre, entre as coxas, sendo formado pelas estruturas denominadas de lábios maiores, lábios menores, clitóris e vestíbulo vaginal.  Lábios maiores são duas dobras grossas de pele que se estendem paralelamente desde a região inferior do púbis até as proximidades do ânus.  Lábios menores são duas pregas de pele menores e delicadas situadas internamente aos lábios maiores, que delimitam a entrada do vestíbulo vaginal (vagina).  Clitóris é uma diminuta área de tecido bastante sensível à estimulação sexual e responsável pelo orgasmo feminino.
  • 9.  Vagina é um tubo de parede fibromusculares, com cerca de 10 cm de comprimento, que se estende desde o pudendo feminino à base do útero com o qual se comunica.  Útero é um órgão muscular, oco, de tamanho e forma semelhante a uma pera. O interior do útero é revestido pelo endométrio, um tecido rico em glândulas, vasos sanguíneos e vasos linfáticos.  Tubas uterinas (ou ovidutos) são dois tubos curvos, com cerca de 10 cm de comprimento ligados à região superior do útero. A extremidade de cada tuba uterina é alargada e franjada, situando-se próxima a um dos ovários.
  • 10.  Ovários são estruturas ovoides com cerca de 3 cm de comprimento, localizados na cavidade abdominal, na região das virilhas. São também responsáveis pela produção regular de hormônios sexuais, em resposta aos hormônios liberados pela hipófise, glândula situada na base do encéfalo.  Períneo situado entre o ânus e o pudendo, na entrada da vagina.  Mamas são estruturas formadas por tecido gorduroso e por pequenas glândulas denominadas de mamárias. Cada mama tem de 15 a 20 lobos, subdivididos em lóbulos nos quais existem aglomerados de células denominadas de alvéolos (do L. pequenos sacos) produtores de leite. E estes são ligados aos mamilos por ductos, através dos quais o leite passa durante a amamentação.
  • 11. PUBERDADE De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), a adolescência é o período que faz parte da segunda década de vida (10 a 19 anos). Biologicamente, o início da adolescência é marcado pela puberdade, época em que as meninas apresentam grandes modificações físicas e emocionais. A puberdade inicia-se mais cedo nas meninas, é nessa época que os órgãos sexuais começam a amadurecer, tornando-se aptos a produzir gametas femininos (óvulos). Nessa fase, aparecem os pelos pubianos, o crescimento da mama, o aumento de peso, alargamento dos quadris e o aparecimento da acne.
  • 13. OVULOGÊNESE Também chamada de ovogênese, a ovulogênese é o processo no qual ocorre a formação dos óvulos. Esse processo tem início antes do nascimento da mulher, mais ou menos no terceiro mês de sua vida intrauterina. No início da fase fetal, as ovogônias (2n), células precursoras dos gametas femininos, sofrem mitoses, multiplicando-se. Após o nascimento, por volta do terceiro mês de vida, as ovogônias param de se dividir, crescem, duplicam seus cromossomos e entram na prófase I da meiose, quando passam a ser chamadas de ovócitos primários ou ovócitos I. Os ovócitos primários permanecem dessa forma até que a mulher atinja a puberdade. Ao nascer, a menina já tem seus ovócitos primários formados no interior de seus ovários, mas mais da metade deles se degenera ao longo da vida da mulher.
  • 14. OVOGÊNESE Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 2ªSérie Imagem: Diagrama mostrando a redução no número de cromossomas no processo de maturação do óvulo/ Mysid / Public Domain
  • 15. OVULAÇÃO A Ovulação é o acúmulo de líquido no interior do folículo que acaba por causar sua ruptura e a libertação do ovócito secundário. Na espécie humana, o que chamamos de óvulo é, de fato, um ovócito secundário, cuja meiose somente se completará se houver fecundação. Se o ovócito secundário não for fecundado, ele degenera aproximadamente 24 horas depois de liberado, sem concluir a meiose. Tudo isso é desencadeado pela ação hormonal (1).
  • 16. PREPARAÇÃO PARA A OVULAÇÃO Imagem: Shazz / Imagem adaptada / GNU Free Documentation License
  • 17. OVULAÇÃO Imagem: D. Wu / imagem adaptada / public domain ovócito
  • 18.  O ciclo menstrual regular dura em média 28 dias, contados a partir do primeiro da menstruação propriamente dita.  Os hormônios relacionados nesse processo são: Progesterona e Estrógeno.  FSH – Hormônio Folículo estimulante.  LH – Hormônio Leitunizante. CICLO MENSTRUAL Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 2ªSérie
  • 19. A MENSTRUAÇÃO A cada 28 dias, aproximadamente, o sistema genital feminino passa por modificações, que podem ser interpretadas como uma “preparação” para uma possível gravidez. Caso a gravidez não ocorra, haverá a descamação do endométrio e, consequentemente, a menstruação. Dependendo da mulher, o ciclo menstrual de 28 dias é bastante complexo. Dele participam quatro hormônios, dos quais dois são produzidos na hipófise: o FSH (hormônio estimulador do folículo) e o LH (hormônio luteinizante); os outros dois, o estrógeno e a progesterona são produzidos pelos ovários.
  • 20. DESCAMAÇÃO DO ENDOMÉTRIO Menstruação Imagem: Redesenhado a partir de ilustração de Isometrik / imagem adaptada / Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0
  • 21. CICLO MENSTRUAL DE 28 DIAS Ciclo menstrual Imagem: Vargklo / imagem adaptada / domínio público
  • 22. AÇÃO HORMONAL NO CICLO MENSTRUAL Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 2ªSérie Imagem:Escrição Ciclo menstrual feminino / Autor desconhecido/ Domínio Público
  • 23. O CLIMATÉRIO O climatério é consequência de alterações nos níveis dos vários hormônios sexuais femininos. Os ovários produzem menos estrógenos e progesterona, mas a hipófise produz mais o FSH e LH, em uma tentativa infrutífera de estimular a produção de estrogênio e progesterona. Os níveis de testosterona podem ser mantidos ou diminuídos um pouco. Obs: A menarca ocorre em média aos 12 anos de idade e o climatério aproximadamente entre 45 e 55 anos de idade. Podemos calcular quantos ovócitos primários podem amadurecer durante o período fértil da mulher (cerca de 456 ovócitos).
  • 25. 1. Observe o esquema do sistema genital feminino e responda: a) Qual é a função do útero? b) Em que região do sistema genital feminino, o óvulo pode ser fecundado? c) Qual a função dos ovários? Imagem: Dake / Imagem adaptada / Creative Commons Licença 2.5
  • 26. ATIVIDADES  (UFRS) O sistema genital feminino é condicionado por flutuações nos níveis de concentração de diferentes hormônios. Em algumas mulheres, tanto o período do climatério quanto o período que antecede a menstruação podem ser acompanhados de distúrbios como irritabilidade e ansiedade. Assinale a alternativa que apresenta os processos hormonais responsáveis por essas condições. a) aumento da concentração hormonal (FSH) e de estrogênio. b) aumento da concentração de progesterona e de hCG. c) aumento das taxas do hormônio FSH e LH. d) diminuição das taxas de estrogênio e de progesterona. e) diminuição das taxas de somatotrofina e hCG.
  • 27. BIBLIOGRAFIA E SITES PARA CONSULTA  HICKMAN, C. P. Jr.; ROBERTS, L. S.; LARSON, A.. Princípios Integrados de Zoologia. 11ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan S.A., 2004.  O Sistema Reprodutivo. Rio de Janeiro: Reader’s Digest, 2010.  LOPES, S. Bio. Volume único.São Paulo: Saraiva, 2008.  AMABIS, J. M.; MARTHO, G. R.. Biologia dos organismos. São Paulo: Moderna, 2009.  LOPES, S.; ROSSO, S.. Conecte BIO 1,2,3. São Paulo: Saraiva, 2011.

Notas do Editor

  1. Introdução