SlideShare uma empresa Scribd logo
A casinha de chocolate

    Eb1 s. João de Deus
            2011
A casinha de chocolate




Era uma vez...

Há muito tempo, numa cabana perto de um grande bosque, vivia um pobre
   lenhador com os seus dois filhos, um rapaz e uma rapariga.
O menino chamava-se João, e a menina Maria, e o lenhador era tão pobre que tinha
   muita dificuldade em sustentá-los.
Um dia, João e Maria foram com o seu pai ao bosque buscar lenha e, sem darem
   por isso, afastaram-se tanto dele que, quando escureceu, acabaram por se
   perder.
Mas, tendo andado durante horas a tentar encontrar o seu pai ou, pelo
menos, sair do bosque, quanto mais andavam mais se afastavam da sua casa.
Cheios de fome e muito assustados, vaguearam a noite inteira pelo bosque
escuro, pensando que nunca mais voltariam à sua casa, até que, por fim,
muito cansados, aninharam-se debaixo de uma árvore e acabaram por
adormecer.
De manhã recomeçaram a caminhada, mas cada vez penetravam mais no
bosque, e tinham tanta fome que quase não conseguiam andar:
- Olha - disse João olhando para o ramo de uma árvore - que pássaro tão
bonito! Um pássaro, branco como a neve, estava pousado num ramo. O seu
canto era tão bonito que os meninos pararam para o ouvir. Quando o pássaro
branco parou de cantar, abriu as asas e levantou voo.
Sem saber muito bem porquê, João e Maria seguiram o pássaro branco,
que voava baixinho e muito devagar, como se os quisesse levar a algum
sítio.
Seguiram durante várias horas o pássaro, que finalmente pousou numa
bonita casinha.
As crianças dirigiram-se para lá, muito contentes porque tinham encontrado um
sítio onde podiam arranjar alguma coisa para comer, e saber como podiam sair
rapidamente daquele bosque sinistro. Mas qual não foi a sua surpresa quando
chegaram ao pé da casinha e viram que as paredes eram de bolo, o telhado de
chocolate, e os vidros das janelas de rebuçado transparente.
- Que grande banquete que vamos ter Maria! - exclamou João. Vou já comer um
grande bocado do telhado! Correram para a apetitosa casinha. Joãosubiu ao
telhado e começou a comer uma telha. Maria aproximou-se de uma janela e
lambeu o vidro. Ao ver que era doce, e como era muito gulosa, arrancou um
pedaço e chupou-o.
De repente, abriu-se a porta da casinha e saiu de lá de dentro uma velhinha.
As crianças ficaram tão assustadas que deixaram cair as guloseimas que
estavam a comer, mas a velhinha acalmou-as dizendo-lhes:
- Não tenham medo, queridos meninos.
Como é que chegaram até aqui?
- Perdemo-nos no bosque - respondeu Maria.
- E temos muita fome - disse João.
- Então venham - disse a velhinha. Venham e comam o que quiserem.
Dito isto, a velha fê-los entrar para dentro de casa. Depois preparou-lhes uma
apetitosa refeição, com bolos e leite, maçãs e nozes.
Mas naquela casa tudo estava ao contrário:
Mas a velha era na realidade uma bruxa malvada, que tinha construído a casinha para
atrair as crianças e as devorar.
Ao anoitecer, a bruxa preparou uma cama para as crianças que, como estavam muito
cansadas, se deitaram contentíssimas, pensando que tinham tido muita sorte em
encontrarem aquela velhinha tão boazinha, e adormeceram logo. Mas de manhã, a bruxa
tirou João da cama bruscamente e fechou-o numa gaiola. Depois disse a Maria:
- Prepara comida para o teu irmão, que está muito magro e tem de engordar. Quando
Todos os dias Maria tinha de preparar muita comida para João, que ia engordando pouco
a pouco.
- Mostra-me um dedo para ver se estás a engordar - dizia a bruxa ao menino. Mas João
mostrava um osso de galinha, e a bruxa, que via muito mal, acreditava que o osso era o
dedo da criança e que este ainda estava magro.
Depois de quatro semanas, a bruxa cansou-se de esperar e disse a Maria:
- Não sei acendê-lo; vais ter de me ensinar - respondeu Maria.
- Pequena inútil! - gritou a bruxa.
Vê lá se aprendes como se faz.
A velha abriu a porta do forno e meteu metade do corpo dentro dele para o
acender. Então, Maria empurrou-a e fechou-a lá dentro.
A bruxa gritava e batia na porta do forno, mas esta era de ferro e não havia
Maria correu a libertar o seu irmão. As crianças abraçaram-se e pularam de
alegria, e, como a bruxa já não lhes podia fazer mal, foram fazer um
reconhecimento à casa.
Qual não foi o seu espanto ao encontrarem vários cofres cheios de pérolas
preciosas! Encheram os bolsos de jóias e saíram a correr da casinha de
chocolate, ansiosos por voltar para ao pé do seu pai.
Não demoraram muito a encontrar caminho de regresso a casa, onde o pai os
recebeu chorando de alegria. E com as jóias da bruxa, viveram felizes para

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Bruxa mimi
Bruxa mimiBruxa mimi
Bruxa mimi
Ana Alho
 
Mamã maravilha
Mamã maravilhaMamã maravilha
Mamã maravilha
Helena Cordeiro
 
A Bruxa Mimi
A Bruxa MimiA Bruxa Mimi
A Bruxa Mimi
JATG
 
Natal conto melhor-natal-de-sempre
Natal conto melhor-natal-de-sempreNatal conto melhor-natal-de-sempre
Natal conto melhor-natal-de-sempre
Marisol Santos
 
A Sopa Verde
A Sopa VerdeA Sopa Verde
A Sopa Verde
Be Antonio Macheira
 
Power Point Sapo Apaixonado!
Power Point Sapo Apaixonado!Power Point Sapo Apaixonado!
Power Point Sapo Apaixonado!
guest0bf490
 
O livro dos medos
O livro dos medosO livro dos medos
O livro dos medos
Professora Cida
 
A MINHA MÃE É A MELHOR MÃE DO MUNDO
A MINHA MÃE É A MELHOR MÃE DO MUNDOA MINHA MÃE É A MELHOR MÃE DO MUNDO
A MINHA MÃE É A MELHOR MÃE DO MUNDO
milperolas
 
Eu nunca na vida comerei tomate
Eu nunca na vida comerei tomateEu nunca na vida comerei tomate
Eu nunca na vida comerei tomate
bibabbe
 
Coração de Mãe
Coração de MãeCoração de Mãe
Coração de Mãe
Pedro Moura
 
A ovelhinha dá me lã - apresentação
A ovelhinha dá me lã - apresentaçãoA ovelhinha dá me lã - apresentação
A ovelhinha dá me lã - apresentação
Fátima Lares Correia
 
Historia de outono
Historia de outonoHistoria de outono
Historia de outono
Anabela Afonso
 
Um sonho de neve
Um sonho de neveUm sonho de neve
Um sonho de neve
lenatubal
 
Livro eu nunca na vida comerei tomate
Livro eu nunca na vida comerei tomateLivro eu nunca na vida comerei tomate
Livro eu nunca na vida comerei tomate
Teresa Ramos
 
O baile dos 3 porquinhos
O baile dos 3 porquinhosO baile dos 3 porquinhos
O baile dos 3 porquinhos
Danyela25
 
São martinho.ppt lenda
São martinho.ppt lendaSão martinho.ppt lenda
São martinho.ppt lenda
dinaflopes
 
O Patinho Feio
O Patinho FeioO Patinho Feio
O Patinho Feio
guesta03b6
 
Maria castanha com a historia dos duendes
Maria castanha com a historia dos duendesMaria castanha com a historia dos duendes
Maria castanha com a historia dos duendes
zemeira
 
Uma Prenda de Natal
Uma Prenda de NatalUma Prenda de Natal
Uma Prenda de Natal
Biblioteca Escolar Sobreira
 
O polvo coceguinhas
O polvo coceguinhasO polvo coceguinhas
O polvo coceguinhas
Virgínia Ferreira
 

Mais procurados (20)

Bruxa mimi
Bruxa mimiBruxa mimi
Bruxa mimi
 
Mamã maravilha
Mamã maravilhaMamã maravilha
Mamã maravilha
 
A Bruxa Mimi
A Bruxa MimiA Bruxa Mimi
A Bruxa Mimi
 
Natal conto melhor-natal-de-sempre
Natal conto melhor-natal-de-sempreNatal conto melhor-natal-de-sempre
Natal conto melhor-natal-de-sempre
 
A Sopa Verde
A Sopa VerdeA Sopa Verde
A Sopa Verde
 
Power Point Sapo Apaixonado!
Power Point Sapo Apaixonado!Power Point Sapo Apaixonado!
Power Point Sapo Apaixonado!
 
O livro dos medos
O livro dos medosO livro dos medos
O livro dos medos
 
A MINHA MÃE É A MELHOR MÃE DO MUNDO
A MINHA MÃE É A MELHOR MÃE DO MUNDOA MINHA MÃE É A MELHOR MÃE DO MUNDO
A MINHA MÃE É A MELHOR MÃE DO MUNDO
 
Eu nunca na vida comerei tomate
Eu nunca na vida comerei tomateEu nunca na vida comerei tomate
Eu nunca na vida comerei tomate
 
Coração de Mãe
Coração de MãeCoração de Mãe
Coração de Mãe
 
A ovelhinha dá me lã - apresentação
A ovelhinha dá me lã - apresentaçãoA ovelhinha dá me lã - apresentação
A ovelhinha dá me lã - apresentação
 
Historia de outono
Historia de outonoHistoria de outono
Historia de outono
 
Um sonho de neve
Um sonho de neveUm sonho de neve
Um sonho de neve
 
Livro eu nunca na vida comerei tomate
Livro eu nunca na vida comerei tomateLivro eu nunca na vida comerei tomate
Livro eu nunca na vida comerei tomate
 
O baile dos 3 porquinhos
O baile dos 3 porquinhosO baile dos 3 porquinhos
O baile dos 3 porquinhos
 
São martinho.ppt lenda
São martinho.ppt lendaSão martinho.ppt lenda
São martinho.ppt lenda
 
O Patinho Feio
O Patinho FeioO Patinho Feio
O Patinho Feio
 
Maria castanha com a historia dos duendes
Maria castanha com a historia dos duendesMaria castanha com a historia dos duendes
Maria castanha com a historia dos duendes
 
Uma Prenda de Natal
Uma Prenda de NatalUma Prenda de Natal
Uma Prenda de Natal
 
O polvo coceguinhas
O polvo coceguinhasO polvo coceguinhas
O polvo coceguinhas
 

Destaque

A casa
A casa A casa
A casa
sueliabizzoto
 
Casa
CasaCasa
Sequência didática a casa e seu dono
Sequência didática a casa e seu donoSequência didática a casa e seu dono
Sequência didática a casa e seu dono
Dayse Neco
 
Apostila a casa de simone helen drumond
Apostila a casa de simone helen drumondApostila a casa de simone helen drumond
Apostila a casa de simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Atividades com o poema O Pato " Vinicius de Morais"
Atividades com o poema  O Pato  " Vinicius de Morais" Atividades com o poema  O Pato  " Vinicius de Morais"
Atividades com o poema O Pato " Vinicius de Morais"
Eliete Soares E Soares
 
A água slide
A água slideA água slide
A água slide
kelrryma
 

Destaque (6)

A casa
A casa A casa
A casa
 
Casa
CasaCasa
Casa
 
Sequência didática a casa e seu dono
Sequência didática a casa e seu donoSequência didática a casa e seu dono
Sequência didática a casa e seu dono
 
Apostila a casa de simone helen drumond
Apostila a casa de simone helen drumondApostila a casa de simone helen drumond
Apostila a casa de simone helen drumond
 
Atividades com o poema O Pato " Vinicius de Morais"
Atividades com o poema  O Pato  " Vinicius de Morais" Atividades com o poema  O Pato  " Vinicius de Morais"
Atividades com o poema O Pato " Vinicius de Morais"
 
A água slide
A água slideA água slide
A água slide
 

Semelhante a A casinha de chocolate

Livro virtual 2014
Livro virtual 2014Livro virtual 2014
Livro virtual 2014
Deusani Nunes
 
Historia joao e maria para a aula de quinta[1]
Historia joao e maria para a aula de quinta[1]Historia joao e maria para a aula de quinta[1]
Historia joao e maria para a aula de quinta[1]
contosdefadas2012
 
João e_maria_atividades_1.doc_
 João e_maria_atividades_1.doc_ João e_maria_atividades_1.doc_
João e_maria_atividades_1.doc_
Rosana Toledo
 
aula trovad.
aula trovad.aula trovad.
aula trovad.
La-Antunes
 
Conto joao.pe.feijao bevans
Conto joao.pe.feijao bevansConto joao.pe.feijao bevans
Conto joao.pe.feijao bevans
sandramarlene
 
João e o pé de feijão
João e o pé de feijãoJoão e o pé de feijão
João e o pé de feijão
Maria Aparecida de Almeida
 
Capuchinho Vermelho[1]
Capuchinho Vermelho[1]Capuchinho Vermelho[1]
Capuchinho Vermelho[1]
Li Tagarelinhas
 
Maria castanha(história)
Maria castanha(história)Maria castanha(história)
Maria castanha(história)
labeques
 
Apresentação marcelina 2
Apresentação marcelina 2Apresentação marcelina 2
Apresentação marcelina 2
Ana Lúcia Freilão Água
 
Textos a pares
Textos a paresTextos a pares
Textos a pares
SaraHonorio
 
Uma pobre viúva tinha um único filho
Uma pobre viúva tinha um único filhoUma pobre viúva tinha um único filho
Uma pobre viúva tinha um único filho
Ana Cristina sousa
 
Nx zero e chapeuzinho[1]
Nx zero e chapeuzinho[1]Nx zero e chapeuzinho[1]
Nx zero e chapeuzinho[1]
sallesz
 
O pequeno polegar
O pequeno polegarO pequeno polegar
O pequeno polegar
Maria Aparecida de Almeida
 
A culpa é toda do rato
A culpa é toda do ratoA culpa é toda do rato
A culpa é toda do rato
Biblioteca Escolar Marinhas do Sal
 
Dia das bruxas 1
Dia das bruxas 1Dia das bruxas 1
Dia das bruxas 1
Mensagens Virtuais
 
17287522 Espiritismo Infantil Historia 51
17287522 Espiritismo Infantil Historia 5117287522 Espiritismo Infantil Historia 51
17287522 Espiritismo Infantil Historia 51
Ana Cristina Freitas
 
Resumo da historia
Resumo da historiaResumo da historia
Resumo da historia
Maria João Araujo
 
Teatro maria castanha_duendes(2)
Teatro maria castanha_duendes(2)Teatro maria castanha_duendes(2)
Teatro maria castanha_duendes(2)
Mara Pinto
 
Contando Histórias
Contando HistóriasContando Histórias
Contando Histórias
Cassiano Santana
 
15 ATIVIDADES DE PORTUGUÊS (AULA) 22_10.doc
15 ATIVIDADES DE PORTUGUÊS (AULA) 22_10.doc15 ATIVIDADES DE PORTUGUÊS (AULA) 22_10.doc
15 ATIVIDADES DE PORTUGUÊS (AULA) 22_10.doc
DoloresRicci
 

Semelhante a A casinha de chocolate (20)

Livro virtual 2014
Livro virtual 2014Livro virtual 2014
Livro virtual 2014
 
Historia joao e maria para a aula de quinta[1]
Historia joao e maria para a aula de quinta[1]Historia joao e maria para a aula de quinta[1]
Historia joao e maria para a aula de quinta[1]
 
João e_maria_atividades_1.doc_
 João e_maria_atividades_1.doc_ João e_maria_atividades_1.doc_
João e_maria_atividades_1.doc_
 
aula trovad.
aula trovad.aula trovad.
aula trovad.
 
Conto joao.pe.feijao bevans
Conto joao.pe.feijao bevansConto joao.pe.feijao bevans
Conto joao.pe.feijao bevans
 
João e o pé de feijão
João e o pé de feijãoJoão e o pé de feijão
João e o pé de feijão
 
Capuchinho Vermelho[1]
Capuchinho Vermelho[1]Capuchinho Vermelho[1]
Capuchinho Vermelho[1]
 
Maria castanha(história)
Maria castanha(história)Maria castanha(história)
Maria castanha(história)
 
Apresentação marcelina 2
Apresentação marcelina 2Apresentação marcelina 2
Apresentação marcelina 2
 
Textos a pares
Textos a paresTextos a pares
Textos a pares
 
Uma pobre viúva tinha um único filho
Uma pobre viúva tinha um único filhoUma pobre viúva tinha um único filho
Uma pobre viúva tinha um único filho
 
Nx zero e chapeuzinho[1]
Nx zero e chapeuzinho[1]Nx zero e chapeuzinho[1]
Nx zero e chapeuzinho[1]
 
O pequeno polegar
O pequeno polegarO pequeno polegar
O pequeno polegar
 
A culpa é toda do rato
A culpa é toda do ratoA culpa é toda do rato
A culpa é toda do rato
 
Dia das bruxas 1
Dia das bruxas 1Dia das bruxas 1
Dia das bruxas 1
 
17287522 Espiritismo Infantil Historia 51
17287522 Espiritismo Infantil Historia 5117287522 Espiritismo Infantil Historia 51
17287522 Espiritismo Infantil Historia 51
 
Resumo da historia
Resumo da historiaResumo da historia
Resumo da historia
 
Teatro maria castanha_duendes(2)
Teatro maria castanha_duendes(2)Teatro maria castanha_duendes(2)
Teatro maria castanha_duendes(2)
 
Contando Histórias
Contando HistóriasContando Histórias
Contando Histórias
 
15 ATIVIDADES DE PORTUGUÊS (AULA) 22_10.doc
15 ATIVIDADES DE PORTUGUÊS (AULA) 22_10.doc15 ATIVIDADES DE PORTUGUÊS (AULA) 22_10.doc
15 ATIVIDADES DE PORTUGUÊS (AULA) 22_10.doc
 

Último

Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 

Último (20)

Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 

A casinha de chocolate

  • 1. A casinha de chocolate Eb1 s. João de Deus 2011
  • 2. A casinha de chocolate Era uma vez... Há muito tempo, numa cabana perto de um grande bosque, vivia um pobre lenhador com os seus dois filhos, um rapaz e uma rapariga. O menino chamava-se João, e a menina Maria, e o lenhador era tão pobre que tinha muita dificuldade em sustentá-los. Um dia, João e Maria foram com o seu pai ao bosque buscar lenha e, sem darem por isso, afastaram-se tanto dele que, quando escureceu, acabaram por se perder.
  • 3. Mas, tendo andado durante horas a tentar encontrar o seu pai ou, pelo menos, sair do bosque, quanto mais andavam mais se afastavam da sua casa. Cheios de fome e muito assustados, vaguearam a noite inteira pelo bosque escuro, pensando que nunca mais voltariam à sua casa, até que, por fim, muito cansados, aninharam-se debaixo de uma árvore e acabaram por adormecer.
  • 4. De manhã recomeçaram a caminhada, mas cada vez penetravam mais no bosque, e tinham tanta fome que quase não conseguiam andar: - Olha - disse João olhando para o ramo de uma árvore - que pássaro tão bonito! Um pássaro, branco como a neve, estava pousado num ramo. O seu canto era tão bonito que os meninos pararam para o ouvir. Quando o pássaro branco parou de cantar, abriu as asas e levantou voo.
  • 5. Sem saber muito bem porquê, João e Maria seguiram o pássaro branco, que voava baixinho e muito devagar, como se os quisesse levar a algum sítio. Seguiram durante várias horas o pássaro, que finalmente pousou numa bonita casinha.
  • 6. As crianças dirigiram-se para lá, muito contentes porque tinham encontrado um sítio onde podiam arranjar alguma coisa para comer, e saber como podiam sair rapidamente daquele bosque sinistro. Mas qual não foi a sua surpresa quando chegaram ao pé da casinha e viram que as paredes eram de bolo, o telhado de chocolate, e os vidros das janelas de rebuçado transparente.
  • 7. - Que grande banquete que vamos ter Maria! - exclamou João. Vou já comer um grande bocado do telhado! Correram para a apetitosa casinha. Joãosubiu ao telhado e começou a comer uma telha. Maria aproximou-se de uma janela e lambeu o vidro. Ao ver que era doce, e como era muito gulosa, arrancou um pedaço e chupou-o.
  • 8. De repente, abriu-se a porta da casinha e saiu de lá de dentro uma velhinha. As crianças ficaram tão assustadas que deixaram cair as guloseimas que estavam a comer, mas a velhinha acalmou-as dizendo-lhes: - Não tenham medo, queridos meninos. Como é que chegaram até aqui?
  • 9. - Perdemo-nos no bosque - respondeu Maria. - E temos muita fome - disse João. - Então venham - disse a velhinha. Venham e comam o que quiserem. Dito isto, a velha fê-los entrar para dentro de casa. Depois preparou-lhes uma apetitosa refeição, com bolos e leite, maçãs e nozes.
  • 10. Mas naquela casa tudo estava ao contrário:
  • 11. Mas a velha era na realidade uma bruxa malvada, que tinha construído a casinha para atrair as crianças e as devorar. Ao anoitecer, a bruxa preparou uma cama para as crianças que, como estavam muito cansadas, se deitaram contentíssimas, pensando que tinham tido muita sorte em encontrarem aquela velhinha tão boazinha, e adormeceram logo. Mas de manhã, a bruxa tirou João da cama bruscamente e fechou-o numa gaiola. Depois disse a Maria: - Prepara comida para o teu irmão, que está muito magro e tem de engordar. Quando
  • 12. Todos os dias Maria tinha de preparar muita comida para João, que ia engordando pouco a pouco. - Mostra-me um dedo para ver se estás a engordar - dizia a bruxa ao menino. Mas João mostrava um osso de galinha, e a bruxa, que via muito mal, acreditava que o osso era o dedo da criança e que este ainda estava magro. Depois de quatro semanas, a bruxa cansou-se de esperar e disse a Maria:
  • 13. - Não sei acendê-lo; vais ter de me ensinar - respondeu Maria. - Pequena inútil! - gritou a bruxa. Vê lá se aprendes como se faz. A velha abriu a porta do forno e meteu metade do corpo dentro dele para o acender. Então, Maria empurrou-a e fechou-a lá dentro. A bruxa gritava e batia na porta do forno, mas esta era de ferro e não havia
  • 14. Maria correu a libertar o seu irmão. As crianças abraçaram-se e pularam de alegria, e, como a bruxa já não lhes podia fazer mal, foram fazer um reconhecimento à casa.
  • 15. Qual não foi o seu espanto ao encontrarem vários cofres cheios de pérolas preciosas! Encheram os bolsos de jóias e saíram a correr da casinha de chocolate, ansiosos por voltar para ao pé do seu pai. Não demoraram muito a encontrar caminho de regresso a casa, onde o pai os recebeu chorando de alegria. E com as jóias da bruxa, viveram felizes para