SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
A nova dieta das grávidas 
Estudo gaúcho inédito revela que gestantes devem evitar alimentos saudáveis, como o suco de uva e de laranja, brócolis e até a maça nos 
três meses antes do parto 
Francisco Amorim - francisco.amorim@zerohora.com.br 
Heroínas no combate ao envelhecimento e às doenças degenerativas, substâncias conhecidas como flavonoides presentes em alimentos como o 
suco de uva se transformam em vilãs quando ingeridas por mulheres nos últimos meses de gestação. Foi o que descobriu uma pesquisa realizada 
por três anos no Rio Grande do Sul e divulgada no prestigiado Journal of Perinatology, uma das principais publicações médicas ligada à Nature. 
O estudo gaúcho, coordenado pelo cardiologista Paulo Zielinsky, revela que essas substâncias encontradas em alimentos saudáveis, como sucos 
de uva e laranja, nos chás e até no chimarrão, podem prejudicar o funcionamento do coração do feto que está prestes a nascer. 
Com funções antioxidantes e anti-inflamatórias, os flavonoides estão presentes atualmente na maioria das dietas orientadas por especialistas. A 
todo o momento surgem novas pesquisas ao redor do mundo apontando os benefícios da ingestão dessas substâncias em diferentes fases da vida. 
Alçado ao estrelato por médicos e nutricionistas, os polifenóis, como também são conhecidos, agora têm sua imagem arranhada pela primeira 
vez por uma pesquisa científica. Ao acompanhar o desenvolvimento do coração de 143 fetos, Zielinsky descobriu evidências clínicas de que, no 
terceiro e último trimestre da gestação (entre a 28 e 40 semanas), o consumo de alimentos ricos nessas substâncias pode levar a insuficiência 
cardíaca do bebê em formação. Mesmo após o nascimento, a criança continua correndo riscos decorrente da ingestão de flavonoides pela mãe 
durante a gravidez, ficando vulnerável a sofrer após o parto de hipertensão pulmonar – quando os pulmões não funcionam direito devido à má 
oxigenação. Doenças que podem levar a morte, alerta o médico. 
A dúvida era por que substâncias que melhoram a qualidade de vida de crianças, adultos e idosos se mostram tão prejudiciais durante a fase 
fetal. Durante o estudo, os pesquisadores notaram que a função anti-inflamatória dos flavonoides inibe a produção da prostaglandina, substância 
produzida pela placenta que tem a função de manter aberto um canal que une a artéria pulmonar à aorta, chamado de ducto arterioso. Esse duto 
funciona como uma espécie de desvio para parte do sangue que sai do coração em direção aos pulmões que, por não estarem ainda funcionado, 
necessitam de apenas 15% do sangue que é bombeado a eles. Com o fechamento do canal, estimulado pela ingestão dos flavonoides, o coração 
começa a trabalha de forma incorreta. 
– Depois dos sete meses, esse canal depende da prostaglandina para ficar aberto. Quando a criança nasce saudável, ela começa a respirar, e o 
duto se fecha por falta da substância que era produzida na placenta – explica o cardiologista. 
Uma segundo passo da estudo tentará agora medir como se dá essa interferência dos flavonoides e quais sãos níveis toleráveis para consumo de 
alimentos ricos nessas substâncias. Até lá, a orientação do médico é radical: 
– A melhor medida preventiva é evitar a ingestão desses alimentos durante o terceiro trimestre da gestação. Depois, podem voltar a serem 
consumidos. 
Ao apresentar o estudo em congressos e seminários ocorridos recentemente, o cardiologista sentiu o peso de macular a imagem das substâncias 
que viraram estrelas da nutrição moderna. 
– Sempre tem um zum-zum-zum no início da apresentação – brinca. 
Apesar de novo, o estudo já angaria apoiadores. Surpreendida com efeitos prejudiciais dos flavonoides para os fetos, a nutricionista Martine 
Elisabeth Kienzle Hagen, professora de Nutrição da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), afirma que a 
pesquisa deve mudar a dieta repassadas a gestantes. 
– Pode causar estranheza retirar da dieta alimentos saudáveis, mas a pesquisa mostrou que existem efeitos que devem ser levados em conta – 
afirma. 
A obstetra Tânia Maria Silveira Jaques, que também investiga as relações da dieta da gestante no desenvolvimento fetal, reforma a importância 
do pesquisa desenvolvida no Instituto de Cardiologia, na Capital. 
– É um estudo inédito que abre uma discussão nova sobre a importância da alimentação na gestação – sintetiza. 
A importância da dieta na gestação 
Ao estranhar que fetos de mulheres sadias e com hábitos saudáveis apresentavam problemas cardíacos, o cardiologista Paulo Zielinsky tomou, 
em meados de 2006, uma decisão: esmiuçar a vida dessas mulheres em busca de uma resposta para doenças aparentemente inexplicáveis. 
Descobriu, primeiro, que eram futuras mães que seguiam a risca a dieta de nutricionistas e não tomavam medicamentos sem o conhecimentos de 
seus médicos. Então, onde estaria o problema? 
– Comecei a suspeitar que, assim como os medicamentos anti-inflamatórios fazem mal ao feto no final da gravidez, os flavonoides contido nas 
frutas e verduras, por exemplo, também poderiam causar prejuízo à saúde por terem essa mesma propriedade – conta o médico do Instituto de 
Cardiologista do Rio Grande do Sul (IC-RS). 
O resultado prático da pesquisa é que, a partir de agora, as dietas para gestantes começarão a suprimir ou reduzir ao máximo o consumo dessas 
substâncias. É um passo importante dado pela ciência para melhorar a gestação, mas não é o único. Pipocam ao redor do mundo estudos que 
relacionam a alimentação ao desenvolvimento fetal e à saúde das mamães.
– Isso é fruto, em parte, da tecnologia que permite que se avalie, além dos nutrientes, outras substâncias presentes no alimentos que tem 
importância nesta fase da vida da mulher – explica a nutricionista Raquel da Luz Dias, professora da Pontifícia Universidade Católica do Rio 
Grande do Sul (PUCRS). 
A ideia de que mães precisam comer por dois sem se preocupar com a balança já é coisa do passado. Hoje, o ideal é que as gestantes não 
ultrapassem os 12 quilos de sobrepeso. 
– A gestante vai ter de comer mais, sim, mas, principalmente, comer de forma correta. Ela vai precisar mais de alguns nutrientes do que de 
outros. Alguns deles dependerão de mulher para mulher – explica a nutricionista Martine Elisabeth Kienzle Hagen, professora do curso de 
Nutrição da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA). 
Por isso acompanhamento nutricional é fundamental. Segundo Martine, a mulher que está grávida terá de aumentar o consumo de proteínas e de 
cálcio, ferro, selênio e zinco, além de vitaminas do complexo B, que ajudam na formação do feto. O quanto é necessário ingerir dependerá de 
avaliações médicas e nutricionais. 
– Mesmo que a grávida acredite que tem uma alimentação saudável, ela deve ser avaliada novamente durante a gravidez – detalha. 
A pesquisa de Zielinsky contribui para melhorar os cuidados durante a gestação. Até os saudáveis sucos de uva e laranja podem se tornar 
inimigos quando a barriga cresce, e uma nova vida se encaminha. 
O que evitar no último estágio da gestação: 
– Uva e derivados; 
– Erva-mate; 
– Chás: verde, preto, de frutas e ervas (boldo, 
camomila,cidreira, erva-doce, etc.); 
– Chocolate preto; 
– Laranja e derivados; 
– Maçã vermelha com casca; 
– Morango cru, cereja, amora; 
– Lima; 
– Grão de soja; 
– Ameixa preta; 
– Cebola roxa crua; 
– Hortelã; 
– Couve crua; 
– Tempero verde; 
– Alcaparras; 
– Azeite de oliva; 
– Espinafre; 
– Brócolis; 
– Tomate com casca; 
Consumo de ferro e cálcio deve ser reforçado na gravidez . 
Fonte: < http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/noticia/2009/08/a-nova-dieta-das-gravidas-2617826.html > 15/08/2009 | 07h30 
Estes estudos foram sedimentados na literatura e constam em: 
1. ZIELINSKY, P.; PICCOLI JR, A.L.; MANICA, J.L.L.; NICOLOSO, L.H.S. New insights on fetal ductal constriction: role of maternal ingestion of 
polyphenol-rich foods. Expert Rev. Cardiovasc. Ther. V. 8, N° 2, p. 291 - 298, 2010. 
2. ZIELINSKY, P. et al. Maternal consumption of polyphenol-rich foods in late pregnancy and fetal ductus arteriosus flow dynamics. Journal of 
Perinatology. V. 30, p. 17 - 21, 2010. 
3. ZIELINSKY, P. et al. Reversal of fetal ductal constriction after maternal restriction of polyphenol-rich foods: an open clinical trial. Journal of 
Perinatology. V. 32, p. 574 - 579, 2012. 
4. ZIELINSKY, P. et al. Fetal ductal constriction caused by maternal ingestion of green tea in late pregnancy: an experimental study. Prenatal 
Diagnosis, V. 32, p. 1 - 6, 2012. 
5. ZIELINSKY, P. et al. Restriction of Polyphenols and Fetal Ductal Flow in Normal Pregancies: an Open clinical trial. Arq Bras Card, p. 1 - 9, 
2013. 
6. VIAN. I. et al. Development and validation of a food frequency questionnaire for consumption of polyphenol-rich foods in pregnant women. 
Maternal and Child Nutricion, p. 1 - 14, 2013. 
Maiores informações: <http://giselepacleite.blogspot.com.br/> 
Dra. Gisele Leite / Cardiologia Pediátrica – CRM: RN 6433

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Exame físico do coração
Exame físico do coraçãoExame físico do coração
Exame físico do coração
gisa_legal
 
Cadeno de aten o b_sica. n_ 23 - sa_de da crian_a
Cadeno de aten  o b_sica. n_ 23 - sa_de da crian_aCadeno de aten  o b_sica. n_ 23 - sa_de da crian_a
Cadeno de aten o b_sica. n_ 23 - sa_de da crian_a
gisa_legal
 

Destaque (20)

Bibliografia para o ambulatório de cardiologia pediátrica
Bibliografia para o ambulatório de cardiologia pediátricaBibliografia para o ambulatório de cardiologia pediátrica
Bibliografia para o ambulatório de cardiologia pediátrica
 
Golf ball para gestantes
Golf ball para gestantes Golf ball para gestantes
Golf ball para gestantes
 
Diagnostico precoce-oximetria
Diagnostico precoce-oximetriaDiagnostico precoce-oximetria
Diagnostico precoce-oximetria
 
Exame físico do coração
Exame físico do coraçãoExame físico do coração
Exame físico do coração
 
Recomendações de vacinas para cc
Recomendações de vacinas para ccRecomendações de vacinas para cc
Recomendações de vacinas para cc
 
Recomendações uso marevan
Recomendações uso marevan Recomendações uso marevan
Recomendações uso marevan
 
Importância clínica rx no diag de cc
Importância clínica rx no diag de ccImportância clínica rx no diag de cc
Importância clínica rx no diag de cc
 
Lista de alimentos ricos em polifenóis 1
Lista de alimentos ricos em polifenóis   1Lista de alimentos ricos em polifenóis   1
Lista de alimentos ricos em polifenóis 1
 
Preview cardiopatias congenitas no periodo neonatal
Preview   cardiopatias congenitas no periodo neonatalPreview   cardiopatias congenitas no periodo neonatal
Preview cardiopatias congenitas no periodo neonatal
 
Sopro inocente
Sopro inocenteSopro inocente
Sopro inocente
 
Exame físico do coração
Exame físico do coraçãoExame físico do coração
Exame físico do coração
 
Avaliação do sc na infância
Avaliação do sc na infânciaAvaliação do sc na infância
Avaliação do sc na infância
 
História ex e diag diferencial das cardiopatias na infância
História ex e diag diferencial das cardiopatias na infânciaHistória ex e diag diferencial das cardiopatias na infância
História ex e diag diferencial das cardiopatias na infância
 
Ausculta cardiaca bases fisiopatológicas (2)
Ausculta cardiaca bases fisiopatológicas (2)Ausculta cardiaca bases fisiopatológicas (2)
Ausculta cardiaca bases fisiopatológicas (2)
 
Distúrbios cardiológicos
Distúrbios cardiológicosDistúrbios cardiológicos
Distúrbios cardiológicos
 
P cardiopatia congenita
P cardiopatia congenitaP cardiopatia congenita
P cardiopatia congenita
 
O papel do pediatra no diag e tto cardiopatia na infância
O papel do pediatra no diag e tto cardiopatia na infânciaO papel do pediatra no diag e tto cardiopatia na infância
O papel do pediatra no diag e tto cardiopatia na infância
 
Quando suspeitar cardiopatia congenita rn
Quando suspeitar  cardiopatia congenita rnQuando suspeitar  cardiopatia congenita rn
Quando suspeitar cardiopatia congenita rn
 
Avaliação cardiovascular do neonato
Avaliação cardiovascular do neonatoAvaliação cardiovascular do neonato
Avaliação cardiovascular do neonato
 
Cadeno de aten o b_sica. n_ 23 - sa_de da crian_a
Cadeno de aten  o b_sica. n_ 23 - sa_de da crian_aCadeno de aten  o b_sica. n_ 23 - sa_de da crian_a
Cadeno de aten o b_sica. n_ 23 - sa_de da crian_a
 

Semelhante a A alimentação das gestantes

Efeito Protetor Do Aleitamento Materno Contra A Obesidade Infantil
Efeito Protetor Do Aleitamento Materno Contra A Obesidade InfantilEfeito Protetor Do Aleitamento Materno Contra A Obesidade Infantil
Efeito Protetor Do Aleitamento Materno Contra A Obesidade Infantil
Biblioteca Virtual
 
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que Amamenta
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que AmamentaA ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que Amamenta
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que Amamenta
Biblioteca Virtual
 
Margareth miranda ayres
Margareth miranda ayresMargareth miranda ayres
Margareth miranda ayres
Tamyslast
 
Medicamentos E AmamentaçãO AtualizaçãO E RevisãO Aplicadas à ClíNica Materno ...
Medicamentos E AmamentaçãO AtualizaçãO E RevisãO Aplicadas à ClíNica Materno ...Medicamentos E AmamentaçãO AtualizaçãO E RevisãO Aplicadas à ClíNica Materno ...
Medicamentos E AmamentaçãO AtualizaçãO E RevisãO Aplicadas à ClíNica Materno ...
Biblioteca Virtual
 
Aleitamento Materno E Uso De Medicamentos Durante A LactaçãO
Aleitamento Materno E Uso De Medicamentos Durante A LactaçãOAleitamento Materno E Uso De Medicamentos Durante A LactaçãO
Aleitamento Materno E Uso De Medicamentos Durante A LactaçãO
Biblioteca Virtual
 
BenefíCios Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da
BenefíCios Da AmamentaçãO Para A SaúDe DaBenefíCios Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da
BenefíCios Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da
Biblioteca Virtual
 
Aleitamento Materno Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Aleitamento Materno   Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...Aleitamento Materno   Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Aleitamento Materno Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Biblioteca Virtual
 
Benefícios da gravidez contra o câncer de mama
Benefícios da gravidez contra o câncer de mamaBenefícios da gravidez contra o câncer de mama
Benefícios da gravidez contra o câncer de mama
universitária
 
O Pediatra E A AmamentaçãO Exclusiva
O Pediatra E A AmamentaçãO ExclusivaO Pediatra E A AmamentaçãO Exclusiva
O Pediatra E A AmamentaçãO Exclusiva
Biblioteca Virtual
 
Riscos De Se Alimentar Um Bebê Com FóRmulas
Riscos De Se Alimentar Um Bebê Com FóRmulasRiscos De Se Alimentar Um Bebê Com FóRmulas
Riscos De Se Alimentar Um Bebê Com FóRmulas
Biblioteca Virtual
 
Recomendações para alimentação complementar em cr sob AME
Recomendações para alimentação complementar em cr sob AMERecomendações para alimentação complementar em cr sob AME
Recomendações para alimentação complementar em cr sob AME
gisa_legal
 

Semelhante a A alimentação das gestantes (20)

Efeito Protetor Do Aleitamento Materno Contra A Obesidade Infantil
Efeito Protetor Do Aleitamento Materno Contra A Obesidade InfantilEfeito Protetor Do Aleitamento Materno Contra A Obesidade Infantil
Efeito Protetor Do Aleitamento Materno Contra A Obesidade Infantil
 
Clorofila
ClorofilaClorofila
Clorofila
 
Amamentação: a base da vida - Documento Científico - SBP
Amamentação: a base da vida - Documento Científico - SBP Amamentação: a base da vida - Documento Científico - SBP
Amamentação: a base da vida - Documento Científico - SBP
 
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que Amamenta
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que AmamentaA ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que Amamenta
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que Amamenta
 
Margareth miranda ayres
Margareth miranda ayresMargareth miranda ayres
Margareth miranda ayres
 
Medicamentos E AmamentaçãO AtualizaçãO E RevisãO Aplicadas à ClíNica Materno ...
Medicamentos E AmamentaçãO AtualizaçãO E RevisãO Aplicadas à ClíNica Materno ...Medicamentos E AmamentaçãO AtualizaçãO E RevisãO Aplicadas à ClíNica Materno ...
Medicamentos E AmamentaçãO AtualizaçãO E RevisãO Aplicadas à ClíNica Materno ...
 
Nutrição & Epigenética
Nutrição  & EpigenéticaNutrição  & Epigenética
Nutrição & Epigenética
 
Aleitamento Materno E Uso De Medicamentos Durante A LactaçãO
Aleitamento Materno E Uso De Medicamentos Durante A LactaçãOAleitamento Materno E Uso De Medicamentos Durante A LactaçãO
Aleitamento Materno E Uso De Medicamentos Durante A LactaçãO
 
Fatores Genéticos na Síndrome Metabólica
Fatores Genéticos na Síndrome MetabólicaFatores Genéticos na Síndrome Metabólica
Fatores Genéticos na Síndrome Metabólica
 
BenefíCios Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da
BenefíCios Da AmamentaçãO Para A SaúDe DaBenefíCios Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da
BenefíCios Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da
 
Aleitamento Materno Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Aleitamento Materno   Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...Aleitamento Materno   Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Aleitamento Materno Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
 
Materia capa
Materia capaMateria capa
Materia capa
 
Obesos infanto juvenil
Obesos infanto juvenilObesos infanto juvenil
Obesos infanto juvenil
 
Benefícios da gravidez contra o câncer de mama
Benefícios da gravidez contra o câncer de mamaBenefícios da gravidez contra o câncer de mama
Benefícios da gravidez contra o câncer de mama
 
O Pediatra E A AmamentaçãO Exclusiva
O Pediatra E A AmamentaçãO ExclusivaO Pediatra E A AmamentaçãO Exclusiva
O Pediatra E A AmamentaçãO Exclusiva
 
Artigo nutri gestacional
Artigo nutri gestacionalArtigo nutri gestacional
Artigo nutri gestacional
 
Medicamentos e drogas durante a Amamentação: Doc Científico da SBP
Medicamentos e drogas durante a Amamentação: Doc Científico da SBP Medicamentos e drogas durante a Amamentação: Doc Científico da SBP
Medicamentos e drogas durante a Amamentação: Doc Científico da SBP
 
Riscos De Se Alimentar Um Bebê Com FóRmulas
Riscos De Se Alimentar Um Bebê Com FóRmulasRiscos De Se Alimentar Um Bebê Com FóRmulas
Riscos De Se Alimentar Um Bebê Com FóRmulas
 
Recomendações para alimentação complementar em cr sob AME
Recomendações para alimentação complementar em cr sob AMERecomendações para alimentação complementar em cr sob AME
Recomendações para alimentação complementar em cr sob AME
 
Conheça os benefícios do iogurte
Conheça os benefícios do iogurteConheça os benefícios do iogurte
Conheça os benefícios do iogurte
 

A alimentação das gestantes

  • 1. A nova dieta das grávidas Estudo gaúcho inédito revela que gestantes devem evitar alimentos saudáveis, como o suco de uva e de laranja, brócolis e até a maça nos três meses antes do parto Francisco Amorim - francisco.amorim@zerohora.com.br Heroínas no combate ao envelhecimento e às doenças degenerativas, substâncias conhecidas como flavonoides presentes em alimentos como o suco de uva se transformam em vilãs quando ingeridas por mulheres nos últimos meses de gestação. Foi o que descobriu uma pesquisa realizada por três anos no Rio Grande do Sul e divulgada no prestigiado Journal of Perinatology, uma das principais publicações médicas ligada à Nature. O estudo gaúcho, coordenado pelo cardiologista Paulo Zielinsky, revela que essas substâncias encontradas em alimentos saudáveis, como sucos de uva e laranja, nos chás e até no chimarrão, podem prejudicar o funcionamento do coração do feto que está prestes a nascer. Com funções antioxidantes e anti-inflamatórias, os flavonoides estão presentes atualmente na maioria das dietas orientadas por especialistas. A todo o momento surgem novas pesquisas ao redor do mundo apontando os benefícios da ingestão dessas substâncias em diferentes fases da vida. Alçado ao estrelato por médicos e nutricionistas, os polifenóis, como também são conhecidos, agora têm sua imagem arranhada pela primeira vez por uma pesquisa científica. Ao acompanhar o desenvolvimento do coração de 143 fetos, Zielinsky descobriu evidências clínicas de que, no terceiro e último trimestre da gestação (entre a 28 e 40 semanas), o consumo de alimentos ricos nessas substâncias pode levar a insuficiência cardíaca do bebê em formação. Mesmo após o nascimento, a criança continua correndo riscos decorrente da ingestão de flavonoides pela mãe durante a gravidez, ficando vulnerável a sofrer após o parto de hipertensão pulmonar – quando os pulmões não funcionam direito devido à má oxigenação. Doenças que podem levar a morte, alerta o médico. A dúvida era por que substâncias que melhoram a qualidade de vida de crianças, adultos e idosos se mostram tão prejudiciais durante a fase fetal. Durante o estudo, os pesquisadores notaram que a função anti-inflamatória dos flavonoides inibe a produção da prostaglandina, substância produzida pela placenta que tem a função de manter aberto um canal que une a artéria pulmonar à aorta, chamado de ducto arterioso. Esse duto funciona como uma espécie de desvio para parte do sangue que sai do coração em direção aos pulmões que, por não estarem ainda funcionado, necessitam de apenas 15% do sangue que é bombeado a eles. Com o fechamento do canal, estimulado pela ingestão dos flavonoides, o coração começa a trabalha de forma incorreta. – Depois dos sete meses, esse canal depende da prostaglandina para ficar aberto. Quando a criança nasce saudável, ela começa a respirar, e o duto se fecha por falta da substância que era produzida na placenta – explica o cardiologista. Uma segundo passo da estudo tentará agora medir como se dá essa interferência dos flavonoides e quais sãos níveis toleráveis para consumo de alimentos ricos nessas substâncias. Até lá, a orientação do médico é radical: – A melhor medida preventiva é evitar a ingestão desses alimentos durante o terceiro trimestre da gestação. Depois, podem voltar a serem consumidos. Ao apresentar o estudo em congressos e seminários ocorridos recentemente, o cardiologista sentiu o peso de macular a imagem das substâncias que viraram estrelas da nutrição moderna. – Sempre tem um zum-zum-zum no início da apresentação – brinca. Apesar de novo, o estudo já angaria apoiadores. Surpreendida com efeitos prejudiciais dos flavonoides para os fetos, a nutricionista Martine Elisabeth Kienzle Hagen, professora de Nutrição da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), afirma que a pesquisa deve mudar a dieta repassadas a gestantes. – Pode causar estranheza retirar da dieta alimentos saudáveis, mas a pesquisa mostrou que existem efeitos que devem ser levados em conta – afirma. A obstetra Tânia Maria Silveira Jaques, que também investiga as relações da dieta da gestante no desenvolvimento fetal, reforma a importância do pesquisa desenvolvida no Instituto de Cardiologia, na Capital. – É um estudo inédito que abre uma discussão nova sobre a importância da alimentação na gestação – sintetiza. A importância da dieta na gestação Ao estranhar que fetos de mulheres sadias e com hábitos saudáveis apresentavam problemas cardíacos, o cardiologista Paulo Zielinsky tomou, em meados de 2006, uma decisão: esmiuçar a vida dessas mulheres em busca de uma resposta para doenças aparentemente inexplicáveis. Descobriu, primeiro, que eram futuras mães que seguiam a risca a dieta de nutricionistas e não tomavam medicamentos sem o conhecimentos de seus médicos. Então, onde estaria o problema? – Comecei a suspeitar que, assim como os medicamentos anti-inflamatórios fazem mal ao feto no final da gravidez, os flavonoides contido nas frutas e verduras, por exemplo, também poderiam causar prejuízo à saúde por terem essa mesma propriedade – conta o médico do Instituto de Cardiologista do Rio Grande do Sul (IC-RS). O resultado prático da pesquisa é que, a partir de agora, as dietas para gestantes começarão a suprimir ou reduzir ao máximo o consumo dessas substâncias. É um passo importante dado pela ciência para melhorar a gestação, mas não é o único. Pipocam ao redor do mundo estudos que relacionam a alimentação ao desenvolvimento fetal e à saúde das mamães.
  • 2. – Isso é fruto, em parte, da tecnologia que permite que se avalie, além dos nutrientes, outras substâncias presentes no alimentos que tem importância nesta fase da vida da mulher – explica a nutricionista Raquel da Luz Dias, professora da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). A ideia de que mães precisam comer por dois sem se preocupar com a balança já é coisa do passado. Hoje, o ideal é que as gestantes não ultrapassem os 12 quilos de sobrepeso. – A gestante vai ter de comer mais, sim, mas, principalmente, comer de forma correta. Ela vai precisar mais de alguns nutrientes do que de outros. Alguns deles dependerão de mulher para mulher – explica a nutricionista Martine Elisabeth Kienzle Hagen, professora do curso de Nutrição da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA). Por isso acompanhamento nutricional é fundamental. Segundo Martine, a mulher que está grávida terá de aumentar o consumo de proteínas e de cálcio, ferro, selênio e zinco, além de vitaminas do complexo B, que ajudam na formação do feto. O quanto é necessário ingerir dependerá de avaliações médicas e nutricionais. – Mesmo que a grávida acredite que tem uma alimentação saudável, ela deve ser avaliada novamente durante a gravidez – detalha. A pesquisa de Zielinsky contribui para melhorar os cuidados durante a gestação. Até os saudáveis sucos de uva e laranja podem se tornar inimigos quando a barriga cresce, e uma nova vida se encaminha. O que evitar no último estágio da gestação: – Uva e derivados; – Erva-mate; – Chás: verde, preto, de frutas e ervas (boldo, camomila,cidreira, erva-doce, etc.); – Chocolate preto; – Laranja e derivados; – Maçã vermelha com casca; – Morango cru, cereja, amora; – Lima; – Grão de soja; – Ameixa preta; – Cebola roxa crua; – Hortelã; – Couve crua; – Tempero verde; – Alcaparras; – Azeite de oliva; – Espinafre; – Brócolis; – Tomate com casca; Consumo de ferro e cálcio deve ser reforçado na gravidez . Fonte: < http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/noticia/2009/08/a-nova-dieta-das-gravidas-2617826.html > 15/08/2009 | 07h30 Estes estudos foram sedimentados na literatura e constam em: 1. ZIELINSKY, P.; PICCOLI JR, A.L.; MANICA, J.L.L.; NICOLOSO, L.H.S. New insights on fetal ductal constriction: role of maternal ingestion of polyphenol-rich foods. Expert Rev. Cardiovasc. Ther. V. 8, N° 2, p. 291 - 298, 2010. 2. ZIELINSKY, P. et al. Maternal consumption of polyphenol-rich foods in late pregnancy and fetal ductus arteriosus flow dynamics. Journal of Perinatology. V. 30, p. 17 - 21, 2010. 3. ZIELINSKY, P. et al. Reversal of fetal ductal constriction after maternal restriction of polyphenol-rich foods: an open clinical trial. Journal of Perinatology. V. 32, p. 574 - 579, 2012. 4. ZIELINSKY, P. et al. Fetal ductal constriction caused by maternal ingestion of green tea in late pregnancy: an experimental study. Prenatal Diagnosis, V. 32, p. 1 - 6, 2012. 5. ZIELINSKY, P. et al. Restriction of Polyphenols and Fetal Ductal Flow in Normal Pregancies: an Open clinical trial. Arq Bras Card, p. 1 - 9, 2013. 6. VIAN. I. et al. Development and validation of a food frequency questionnaire for consumption of polyphenol-rich foods in pregnant women. Maternal and Child Nutricion, p. 1 - 14, 2013. Maiores informações: <http://giselepacleite.blogspot.com.br/> Dra. Gisele Leite / Cardiologia Pediátrica – CRM: RN 6433