Vivian Cassoli
Você já sabe!
Vivian Cassoli
Fenilcetonúria
    • Origem.
      A fenilcetonúria foi inicialmente
      estudada na Alemanha pelo
      Doutor Abjörn F...
Fenilcetonúria
• Causa.

  Causa genética desta doença reside numa mutação
  num gene pertencente ao cromossomo 12 que
  c...
Fenilcetonúria

• Sintomas.

  Crianças com esta forma mais severa parecem
  normais até atingirem poucos meses de vida. S...
Fenilcetonúria
• Etiologia

  Sendo um doença genética autossômica recessiva é
  necessário que ambos os cromossomos do pa...
Fenilcetonúria

• Prevenção

 Mulheres com fenilcetonúria podem prevenir
 problemas nos seus bebês se seguirem um
 regime ...
Fenilcetonúria
      • Prevenção no
        desenvolvimento da
        doença.
        É necessário seguir uma
        die...
Referências
•   Baynes, John, Dominiczak, Marek H. "Bioquímica Médica". São Paulo: Editora Manole,
    2000.
•    Fonseca,...
Agradecimentos




            www.guida.com.br
" A saúde é conservada pelo
conhecimento e observação do próprio
                             corpo "
                    ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Fenilcetonuria

14.910 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.910
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
210
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fenilcetonuria

  1. 1. Vivian Cassoli
  2. 2. Você já sabe!
  3. 3. Vivian Cassoli
  4. 4. Fenilcetonúria • Origem. A fenilcetonúria foi inicialmente estudada na Alemanha pelo Doutor Abjörn Fölling em 1934, a partir da observação de dois irmãos com deficiência mental que apresentavam odor forte na urina. As amostras de urina foram estudadas e, em contacto com uma substância química (chamada cloreto férrico), tornavam-se verdes. Fölling provou que a substância eliminada na urina era derivada da fenilalanina (ácido fenilpirúvico).
  5. 5. Fenilcetonúria • Causa. Causa genética desta doença reside numa mutação num gene pertencente ao cromossomo 12 que codifica a fenilalanina hidroxilase. Esta enzima é responsável por transformar o aminoácido fenilalanina em outro aminoácido chamado tirosina. A tirosina, por sua vez, transforma-se em substâncias importantes para o funcionamento cerebral chamadas neurotransmissores (dopamina e noradrenalina).
  6. 6. Fenilcetonúria • Sintomas. Crianças com esta forma mais severa parecem normais até atingirem poucos meses de vida. Sem tratamento estas crianças desenvolvem problemas comportamentais e atraso mental permanente. Convulsões, desenvolvimento retardado e problemas de locomoção são também comuns. tendem a ter pele e cabelo mais claros que os restantes membros da família não afectados pela doença, uma vez que a fenilalanina é importante para a pigmentação da pele.
  7. 7. Fenilcetonúria • Etiologia Sendo um doença genética autossômica recessiva é necessário que ambos os cromossomos do par de homólogos 12 apresente a mutação. Assim, é necessário que ambos os pais apresentem a mutação num dos seus cromossomos para que a doença tenha probabilidade de se transmitir.
  8. 8. Fenilcetonúria • Prevenção Mulheres com fenilcetonúria podem prevenir problemas nos seus bebês se seguirem um regime alimentar sem fenilalanina antes da concepção e tentando manter os níveis sanguíneo de fenilalanina baixos.
  9. 9. Fenilcetonúria • Prevenção no desenvolvimento da doença. É necessário seguir uma dieta especial restringindo alimentos com alto teor em proteína como carnes vermelhas, ovos, aves, peixe, leite e queijo, e ainda o aspartame, um adoçante artificial.
  10. 10. Referências • Baynes, John, Dominiczak, Marek H. "Bioquímica Médica". São Paulo: Editora Manole, 2000. • Fonseca, Martha R. Marques. "Completamente Química - Química Orgânica" - São Paulo: FTD, 2001. • Halkides, Christopher J., Classroom Demonstration of a Spot Test for Phenylpyruvic Acid and Its Relationship to Phenylketonuria. J. Chem. Educ. 2004, 81, 366 - 367. • Jorde, Carey, Bamshad, White. Genética Médica. 2ª ed. - Rio de Janeiro: Editora Ganabara Koogan, 2000 • Koolman, Jan; Röhm, Klaus-Heinrich. "Color Atlas of Biochemistry" - New York: Editora Thieme Stuttgart, 1996. • Thomas, M. Delvin. "Manual de Bioquímica com Correlações Clínicas". São Paulo: Editora Edgard Blücher Ltda, 2002. • SOUZA, Carolina F. Moura de, SCHWARTZ, Ida Vanessa and GIUGLIANI, Roberto. Triagem neonatal de distúrbios metabólicos. Ciênc. saúde coletiva, 2002, vol.7, no.1, p.129-137. ISSN 1413-8123. • OLIVIERI A. A population-based study on the frequency of additional congenital malformations in the infants with Congenital Hypothyroidism: Data from the Italian registry for congenital Hypothyroidism (1991-1998).
  11. 11. Agradecimentos www.guida.com.br
  12. 12. " A saúde é conservada pelo conhecimento e observação do próprio corpo " Vivian Cassoli Fernanda Didone Estudantes de nutrição 06° semestre – Uninove nutricao.vivi@gmail.com fernandadidone@yahoo.com.br

×