SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Baixar para ler offline
MARGARETH MIRANDA AYRES




CONHECIMENTO DA PUÉRPERA ACERCA DOS
BENEFÍCIOS MATERNOS DA AMAMENTAÇÃO




                     Projeto de pesquisa apresentado ao
                     curso    de    Bacharelado      em
                     enfermagem    da   Faculdade       de
                     Guanambi, como registro parcial
                     para conclusão da disciplina TCC1 e
                     obtenção do título de Bacharelado
                     em enfermagem.

                     Orientadora: Prof: Lorena Gusmão
LISTA DE SIGLAS

MS- Ministério da Saúde

UNICEF-Fundo das Nações Unidas para a Infância

PNIAM-Programa Nacional de Incentivo ao Aleitamento Materno
SUMÁRIO




1 – Introdução
1.1 - Contextualização do problema
1.2 – Objetivos
1.2.2 – Objetivos Específicos
1.2.1 – Objetivo Geral
1.3 – Justificativa
2 – Revisão de Literatura
2.1- História da amamentação
2.2- - Definição de aleitamento materno
2.3- VANTAGENS PARA MÃE
2.3.1Espacamento entre as gestações
2..3.2 Prevenção de hemorragias e anemias pós-parto
2.3.3-Proteção contra o câncer ginecológico
2.3.4- Involução do útero
2.4-VANTAGENS PARA FAMÍLIA E A SOCIEDADE




3 – Metodologia
3.1 – Caracterização do estudo
3.2 – População (Universo)
3.3 – Amostra
3.4 – Definição das variáveis
3.5 – Instrumento(s)
3.6 – Procedimentos de Coleta de dados
3.7 – Tratamento estatístico (Proposto)
3.8 – Cuidados éticos
4 --Cronograma
5--Recursos (Opcional)
5.1-Humanos
5.2-Materiais
5.3-Físicos
5.4-Financeiros
Referências
Anexos
1 INTRODUÇÃO

      A amamentação é a melhor maneira de proporcionar o alimento ideal
para o crescimento saudável e o desenvolvimento dos recém-nascidos, além
de ser parte integral do processo reprodutivo, com importantes implicações
para a saúde materna. Muitos são os fatores que afetam o modo como às
mulheres alimentam seus filhos e o tempo durante o qual os amamentam.
Estes fatores têm sido intensamente estudados e incluem: O meio em que
vivem estas mulheres, se na área rural ou urbana, a situação econômica das
famílias e a educação das mães.

      O UNICEF calcula que o aleitamento materno exclusivo até o sexto mês
de vida pode evitar, anualmente, 1,3 milhão de mortes de crianças menores de
5 anos. Os bebês até os seis meses não precisam de chás, sucos, outros
leites, nem mesmo de água. Após essa idade, deverá ser dada alimentação
complementar apropriada, mas a amamentação deve continuar até o segundo
ano de vida da criança ou mais.

      Com o surgimento de produtos industrializados para substituir o leite
materno, prática iniciada nos países desenvolvidos, a amamentação natural
teve o seu declínio. No entanto, no Brasil, a partir dos anos 70 houve
crescimento da amamentação natural, atingindo o máximo nos anos 80,
coincidindo com o início de campanhas do governo e implantação do Programa
Nacional de Incentivo ao Aleitamento Materno (PNIAM). As revisões de
publicações mostraram que nos últimos anos existe tendência para aumento
das taxas de aleitamento materno em todo país.

      Ainda neste sentido pesquisas com populações em diversas regiões
brasileiras mostram que a mediana de aleitamento materno total passou de 74
dias em 1974 para 134 em 1989 e para 210 em 1996. Para o aleitamento
materno exclusivo nos primeiros quatro a seis meses também se verifica a
mesma tendência, porém ainda abaixo de atingir a maioria das crianças.

       A prática da amamentação natural tem sido resgatada em todo o
mundo, inclusive no Brasil. Pode-se atribuir que, dentre outros fatores, isto se
deve muito à ação de profissionais de saúde dedicados ao aleitamento
materno, bem como a adoção de políticas de apoio, incentivo e promoção
adotada pelo Ministério da Saúde - OMS seguindo as recomendações do
UNICEF.

        Nos últimos anos, vêm sendo discutido sobre as vantagens do
aleitamento materno para a saúde,      sendo priorizado os benefícios para o
desenvolvimento dos recém nascidos e crianças maiores, como uma forma
indiscutível de prevenção da morbi-mortalidade, especialmente no primeiro ano
de vida, porém, percebe-se a necessidade de pesquisas sobre a sua
importância para a saúde das mulheres que amamentam. Muitos benefícios
são atribuídos à amamentação com relação à saúde da criança.

      Só recentemente o mundo científico começou a reconhecer que a
mulher, mãe que amamenta, também é beneficiada em sua saúde física,
psicológica e emocional. Com o aumento dos índices de aleitamento materno
no mundo, e através dos resultados de pesquisas, apontando excelentes
resultados,   começou a ficar evidente algumas condições de saúde nas
mulheres que amamentavam, como benéficas, preventivas, e que não eram
situações comuns naquelas que não realizavam esta prática.

       Não é ampla a literatura sobre os benefícios da amamentação para a
saúde da mulher. Até o presente, sabe-se que há uma relação positiva entre
amamentar e apresentar menos doenças como o câncer de mama, ovarianos e
certas fraturas ósseas, especialmente coxofemorais, por osteoporose.

      Indaga-se também sobre o efeito da amamentação no menor risco de
morte por artrite reumatóide. Muitos estudos foram publicados mostrando como
a amamentação se relaciona à amenorréia pós-parto e ao conseqüente maior
espaçamento intergestacional. Outros benefícios para a mulher que amamenta
são o retorno ao peso pré-gestacional mais precocemente e o menor
sangramento uterino pós-parto (conseqüentemente, menos anemia), devido à
involução uterina mais rápida provocada pela maior liberação de ocitocina.

      Para tanto, este trabalho se faz de suma importância, porque embora
haja muitos benefícios de amamentação para a saúde da mulher pouco é
discutido sobre o assunto . Apesar da amamentação ser                tema
amplamente pesquisado na área da criança,ainda são encontrados
muitos aspectos a serem discutidos.

Não só para repensar a prática assistencial,mas unir também o
saber-pensar ao saber fazer.Só assim,os esforços beneficiarão a
realidade dos profissionais de saúde,das puérperas e                 seus
filhos,de seus companheiros e familiares e da sociedade.




1.1 CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROBLEMA

Diante do desconhecimento dos benefícios materno da amamentação para as
puérperas onde a prática ativa deste ato traz benefícios nutricionais e
alterações fisiológigas e um desenvolvimento saudável para a mulher.Surge o
questionamento qual o conhecimento prévio da puérpera sobre os benefícios
da amamentação?




1.2 OBJETIVOS

1.2.1 OBJETIVO GERAL

Investigar o conchecimento das puéperas acerca dos benefícios maternos da
amamentação.




1.2. 2 OBJETIVOS ESPECÍFICO
•     Identificar fatores que contribuiram para a escolha em amamentar.

   •     Descobrir se foram prestadas orientações a essas mulheres a respeito
         dos benefícios da amamentação.

   •     Levantar informações sobre o nivel de conhecimento que as puérperas
         possuem no que concerne aos benefícios proporcionados pela
         amamentação.

   •     Verificar se houve alguma alteração física e psicológica devido
         amamentação.

   •     Fazer um levantamneto da média, de termpo da amamentação das
         puérperas estudadas.




2 JUSTIFICATIVA:

Esta pesquisa se torna de suma importância porque apesar de várias
campanhas de incentivo e promoção do aleitamento materno como a semana
mundial      de   amamentação,televisão,cartilhas    auto-explicativas   pouco   é
discutido sobre o assunto as cifras em relação aos benefícios da amamentação
não são as melhores.Científicamente a amamentação exclusiva até os 6 meses
inclui    proteção   contra   diversas     doenças   agudas   e   crônicas   como
anemia,osteoporose,diabetes entre outras melhorando a qualidade de vida da
mulher além de melhorar o desenvolvimneto psicológico tanto para o filho como
para a mãe.

Apartir da iniciação científica,espera-se que a pesquisa possa contribuir com a
ampliação do conhecimento das            puérperas do H.M.C.D Hospital Municipal
Carmela Dutra em Bom Jesus da Lapa,estão conscientes acerca dos
benefícios que a amamentação lhes proporcionam e qual a percepção das
mães no ato de amamentar.

Espera-se ainda que este estudo forneça subsídios para o conhecimento e
informação dos profissionaios de saúde,acadêmicos e população em geral
quanto a prática cosciente e eficaz do aleitamento materno para a melhoria da
saúde das puérperas.
3 REFERÊNCIAL TEÓRICO



História da amamentação

        Segundo Diniz e Vinagre (2001, p.1), “o leite humano representa a
resposta que a natureza deu à pergunta do melhor alimento para o Homem que
se desenvolve.”

       Durante décadas de existência da espécie humana, com exceção dos
últimos anos, a alimentação ao seio foi considerada a forma natural e
praticamente exclusiva de alimentar a criança em seus primeiros meses de
vida (ACCIOLY; SAUNDERS; LACERDA, 2003).

       A mitologia Grega conta a história de Rômulo e Remo que foram
amamentados por uma loba, e Zeus, por uma cabra. Já os egípcios, babilônios
e hebreus, tinham como tradição amamentarem seus filhos por três anos,
enquanto as escravas eram alugadas por Gregos e Romanos ricos, como
amas-de-leite (BITAR, 1995).

        Entre os povos gregos e romanos, havia o hábito de utilizar as amas-
de-leite para amamentar os seus recém-nascidos, não sendo tão freqüente a
amamentação ao peito da própria mãe, porém, Hipócrates foi um dos primeiros
a reconhecer e escrever sobre os benefícios da amamentação, evidenciando a
maior mortalidade entre aqueles bebês que não amamentavam no peito.
Posteriormente, Sorano se interessou pelos aspectos cor, odor, sabor e
densidade do leite humano, e Galeno foi o primeiro a considerar que a
alimentação deveria ser feita sob a supervisão de um médico (VINAGRE;
DINIZ, 2001).

        A proteção às crianças e o incentivo à prática da amamentação
aumentou com o surgimento do cristianismo. Além do incentivo à prática da
amamentação,      também   promoviam   a   proteção   às   crianças   órfãs   e
abandonadas. Com o descobrimento das Américas, os povos nativos dessas
regiões chamavam a atenção, pois tinham por hábito amamentar as suas
crianças por um período aproximado de 3 a 4 anos. Nessa época, o
aleitamento materno estava em declínio, principalmente na França e na
Inglaterra (SILVA, 1989).

         Estudos apontam que, no século XVIII, a prática de amamentar não era
mais vista pelas pessoas da sociedade européia com admiração, sendo
utilizadas as amas-de-leite mercenárias como um hábito rotineiro. Em função
do desmame precoce, a mortalidade infantil aumentou muito, chegando a
alcançar a cifra de 99,6% das crianças em Dublin, as quais não tinham a opção
da ama-de-leite. Em Paris e em Londres este índice chegou a 80% e 56%,
respectivamente, mesmo as crianças sendo amamentadas pelas amas-de-leite.
Na Inglaterra, o índice menor foi devido ao trabalho de Cadogan, que instituiu
alguns cuidados na alimentação das crianças com amas-de-leite, e com esta
teoria de amamentar e introduzir mais tardiamente os alimentos ele conseguiu
salvar muitas vidas (BITAR, 1995).

         No clássico tratado de Nils Rosen Von Rosentein, cujo título é As
doenças das crianças e seus remédios, publicado em 1764, encontram-se os
seguintes ensinamentos: “uma criança para se desenvolver bem deve ingerir
uma quantidade suficiente de um bom alimento. O melhor para tanto, sem
nenhuma dúvida, é o leite materno. Assim, achamos que as crianças
amamentadas por suas mães se desenvolvem bem.” (ICHISATO; SHIMO,
2002).

         Durante a história da humanidade, houve uma média de 15% a 25% de
mortes em crianças chegando a 90% quando as crianças eram órfãs e não
tinham mãe substituta para a amamentação. Até o final do século XIX a
amamentação ao peito era uma opção de vida ou morte, sendo o processo de
amamentar, bastante complicado (VINAGRE; DINIZ, 2001).

          Devido à falta de incentivo ao aleitamento materno pelos pediatras
durante a década de 70, o índice de aleitamento materno no Brasil era muito
baixo, havia também propaganda não ética de substitutos do leite materno e
grande venda desses produtos, e distribuição gratuita de leite em pó pelo
governo.
Segundo a OMS aleitamento materno está conceituado como
conjunto     de    processos    nutricionais,    comportamentais   e   fisiológicos
envolvidos na ingestão, pela criança, do leite produzido pela própria mãe, seja
diretamente no peito ou por extração artificial.

     Definições de aleitamento materno adotadas pela Organização Mundial
da Saúde (OMS) e reconhecidas no mundo inteiro (WORLD HEALTH
ORGANIZATION, 2007a). Assim, o aleitamento materno costuma ser
classificado em:

 Aleitamento materno exclusivo – quando a criança recebe somente leite
materno, direto da mama ou ordenhado, ou leite humano de outra fonte, sem
outros líquidos ou sólidos, com exceção de gotas ou xaropes contendo
vitaminas, sais de reidratação oral, suplementos minerais ou medicamentos.

 Aleitamento materno predominante – quando a criança recebe, além do
leite materno, água ou bebidas à base de água (água adocicada, chás,
infusões), sucos de frutas e fluidos rituais..

  Aleitamento materno – quando a criança recebe leite materno (direto da
mama ou ordenhado), independentemente de receber ou não outros alimentos.

  Aleitamento materno complementado – quando a criança recebe, além do
leite materno, qualquer alimento sólido ou semi-sólido com a finalidade de
complementá-lo, e não de substituí-lo. Nessa categoria a criança pode receber,
além do leite materno, outro tipo de leite, mas este não é considerado alimento
complementar.

   Aleitamento materno misto ou parcial – quando a criança recebe leite
materno e outros tipos de leite.

       O aleitamento materno supre as necessidades do bebê nos primeiros
meses de vida fazendo com que o bebê cresça e desenvolva sadio Sem
dúvida,o desenvolvimento da criança está muito ligado à alimentação.É a mãe
que interfere com seus conhecimentos e com seu carinho para a proteção de
seu filho. O aleitamento materno aumenta os laços afetivos entre mãe e
filho,envolvendo o pai e os familiares com isso favorecendo o prolongamento
da amamentação.

      O        leite         humano     é    o     alimento     ideal       porque   contém
minerais,vitaminas,gorduras,açucares,proteínas , linfócitos e imunoglobinas
que são apropriados para o bebê e ajudam a combater infecções e diversas
doenças como alergias, diarréias,pneumonias,infecções de ouvido entre outras.
A criança que amamenta no peito apresenta melhor crescimento e
desenvolvimento.Trabalhos científicos identificam que essas crianças são mais
inteligentes.Desde que não ofereça água,chá e nenhum outro alimento até os
seis meses de idade.

       A promoção do aleitamento materno deve ser vista como uma ação
prioritária para a melhoria da saúde e da qualidade de vida das crianças e de
suas famílias. As estratégias de promoção da amamentação devem variar de
acordo com a população, sua cultura, seus hábitos, suas crenças, sua posição
socioeconômica, entre outras características. No entanto, de fundamental
importância em qualquer estratégia e a conscientização da importância do
aleitamento materno.

.      A amamentação exclusiva até os seis meses de idade do bebê por livre
demanda traz muitos benefícios para a mãe, pois a amamentação protege a
saúde da mãe, ajuda o útero a recuperar o seu tamanho normal reduzindo o
risco de hemorragia pós-parto, reduz o risco de câncer de mama pré-
menopáusico e de ovário (LANA, 2001); a depressão pós-parto é reduzida, a
recuperação física no pós-parto é mais rápida além de trazer um bem-estar
maior para a mãe, melhorando a sua saúde e nutrição e transformando o
ambiente emocional mais calmo e tranqüilo ( BRASIL, 1996 ).

      Segundo José Dias Rego                     o aleitamento estimula a liberação de
ocitocina no organismo materno,hormônio que,além de produzir contrações
uterinas   e     ajudar        na”    descida”    do   leite,estimula   o    comportamento
maternal,acentuando o vínculo mãe-filho.A ocitocina é o “hormônio do
amor”.Mães que aconchegam seus récem-nascidos ao peito logo após o parto
amamentam              por     mais      tempo,tornando-se        menos        ansiosas   e
inseguras.Demostram prazer em alimentar seus filhos e interagem de forma
harmônica e carinhosa com a criança.O apego proporciona ao bebê perfeito
desenvolvimento emocional,livre do “fantasma” da separação.(pag.16)

       Além das vantagens para o bebê já citadas, com a amamentação as
puérperas tem alguns benefícios logo após o parto ocorre a contração do útero
com isso a diminuição do sangramento da mãe prevenindo anemia materna,
diminui o risco de câncer de mama e ovários, é um tipo de método natural de
planejamento familiar além de ser ecônomico e prático. Embora seja um ato
natural,a amamentação é também um comportamento aprendido.Amplas
pesquisas já demonstram que tanto as mães quanto os profissionais de saúde
e assistentes necessitam de encorajamento e apoio para manter práticas
apropriadas de amamentação.

VANTAGENS PARA A MÃE

ESPAÇAMENTO ENTRE AS GESTAÇÕES



      Ainda segundo José Dias Rego(2008,p.18) o          aleitamento materno
exclusivo aumenta o intervalo entre as gestações,pois enquanto amamenta
com    frequência    a   mulher    não    ovula    e   ,consequentemente,não
menstrua,tornando-se infértil temporariamente.È importante frisar que,para que
isso aconteça,é preciso que a mãe amamente diuturnamente,não usando
sequer chupeta para distrair a criança.Contudo,não existe segurança absoluta
e,assim,recomenda-se,além     da   anticoncepção   natural   da   amenorréia,a
utilização de outro método anticoncepcional.

      Pílulas combinadas contendo estrógeno e progesterona comprometem a
produção,porém minipílulas contendo exclusivamente progesterona podem ser
utilizadas,de preferência após o quinto mês.

      Métodos mecânicos s~so seguros e absolutamente não interferem com
a lactação.O DIU(dispositivo intra-uterino),camisinhas,diafragmas e cremes
espermicidas podem ser usados de forma segura,desde que aceitos pelo casal.
(pag.18-19)
PREVENÇÃO DAS HEMORRAGIAS PÓS-PARTO

      A sucção do bebê logo após o parto libera ocitocina,hormônio que atua
contraindo o útero.As contrações da musculatura uterina promovem a oclusão
dos vasos sangüíneos após a saída da placenta evitam as hemorragias.
(pag.19).

INVOLUÇÃO DO ÚTERO

      As contrações das fibras uterinas induzidas pela ocitocina promovem
uma rápida diminuição do volume do útero,que chega a alcançar até 20 vezes
o seu tamanho original ao final da gravidez.Dessa forma,a mãe recupera
rapidamente a silhueta exibida antes de engravidar.”O útero da mãe que não
amamenta nunca volta ao tamanho pré-gravídico,permanecendo sempre um
pouco aumentado”.

      Amamentar reduz rapidamente as medidas do quadril.A mãe perde peso
em menor tempo,graças ao gasto energético adicional de aproximadamente
500 calorias por dia com a produção do leite.(pag.19)

PREVENÇÃO DE ANEMIAS

      A amenorréia(ausência de fluxo menstrual),além de espaçar as
gestações,o que facilita o planejamento famíliar,preserva as reservas orgânicas
de ferro,prevenindo a anemiaq materna no período da amamentação.(pag.19)

PROTEÇÃO CONTRA O CÂNCER GINECOLÓGICO

      A mulher que amamenta fica protegida em relação ao câncer de
mama.Amamentar por 04 a 12 meses reduz as taxas de câncer de mama em
11% na população geral de mulheres férteis.

      Amamentar     por   24    meses    pode    reduzir   o   risco   em   até
25%,especialmente nas mulheres que amamentam ainda jovens.A proteção se
estende ao bebê do sexo feminino que mama no peito,pois estes terão25%
menos chances de câncer ginecológico.Não amamentar significa também
maior risco de câncer de ovário e câncer de endométrio(camada interna do
útero).(pag.19)
VANTAGENS PARA A FAMÍLIA E A SOCIEDADE

O leite materno não tem custo, é higiênico e não contém micróbios, já vem
pronto e em temperatura adequada. Possui vantagens na proteção do bebê
diminuindo      os      custos      de      internações      por   problemas
gastrointestinais,respiratórios entre outras doenças.Representa uma econômia
porque dispensa o uso de gás de cozinha com a prática da amamentação.Os
pais diminui o absenteísmo ao trabalho,uma vez que a criança mantém mais
saudável.

Segundo José Dias Rego (2008p. 24), O leite materno é a única forma de
garantir alimentação adequada aos bebês, pois não depende do poder
aquisitivo da família. Crianças pobres e ricas têm a mesma oportunidade de
receber o melhor alimento que existe, oferecido na temperatura certa, numa
embalagem repleta de amor, que permite a todos a mesma chance de
sobrevivência nos primeiros e mais difícil tempos da vida.

Conhecer os benefícios da amamentação para a saúde da mulher é muito
gratificante,não somente como estudo profissional,mas também para a vida
pessoal de qualquer mulheres,até mesmo para os homens,que devem
compreender e incentivar o aleitamento de seus filhos.

O sucesso do aleitamento materno como benefício para a saúde da puérpera
está diretamente ligado ao treinamento da equipe de enfermagem e
profissionais da área de saúde que saibam orientar corretamente a mulher e
familiares desde o princípio da gravidez,pois a mãe deve desejar amamentar o
seu bebê e não ver a amamentação como uma obrigação.São passos simples
de uma boa orientação que podem fazer com que surja uma grande mãe e
uma mulher muito mais feliz e muito mais saudável.
‘’’

 3 METODOLOGIA

3.1- Caracterização do estudo (Tipo de Estudo)

Esse estudo será descritivo, exploratório, com método quantitativo, com a
finalidade de analisar e documentar os dados e mensurá-los.

Os dados contidos no estudo irão permitir uma melhor visão sobre a percepção
e o nível de conhecimento das puérperas do H.M.C. D sobre os benefícios da
amamentação, além de observar se o atendimento poderia ser mais
direcionado e transformado em assistência ofertada em melhor qualidade de
vida.


3.2- População

Serão pesquisadas puérperas que amamentam, de qualquer idade e etnia, o
local escolhido será o H.M.C.D que aceitarem participar da pesquisa. A escolha
será baseada em mães que realmente amamentam.


3.3-Amostra

Serão pesquisadas 30 puérperas que amamentam ou já amamentaram.


3.4-Definições das variáveis

3.5-Instrumentos

Serão utilizados formulários em papel chamex com as perguntas e opções de
respostas fechadas e abertas, caneta e a acadêmica fazendo as perguntas e
marcando as respostas do formulário conforme resposta obtida pela puérperas .




3.6- Procedimentos da Coleta de Dados

Os dados serão coletados por meio pesquisa de campo será aplicado um
formulário   contendo   questões   fechadas   referentes   aos   dados   sócio-
econômicos, obstétricos e questões abertas que permitirão conhecer a visão de
seus conhecimentos quanto os benefícios que a amamentação lhes
proporciona e em relação à assistência prestada quanto à prática da
amamentação, no H.M.C. D, onde será enviado um ofício ao diretor da
Instituição, solicitando a pesquisa. Será confeccionado       o Termo de
Consentimento Livre e Esclarecido que será utilizado como instrumento de
autorização dos dados coletados com as pesquisadas


3.7-Tratamento de Dados




3.8-Cuidados éticos

Após uma dinâmica de apresentação onde será distribuídos o formulário para
cada entrevistada referente ao Tema:O conhecimento da puérpera acerca dos
Benefícios Maternos da Amamentação .As puérperas que aceitarem participar
da pesquisa vão assinar o termo de consentimento livre e esclarecido,conforme
a Resolução196/96 do Ministério da Saúde,para pesquisas que envolveram
seres humanos.
Cronogramas




O conhecimento da puérpera acerca dos benefícios materno da amamentação

ETAPAS /DATAS                   AGOST. SETEM. OUT. NOVEM. DEZ
Formulação do Problema

Tema

Pré-projeto

Entrega ao orientador
Projeto
Revisão
Coletas de dados
Análise e discussão dos dados
Apresentação
Of. 01/10

                                      Bom Jesus da lapa - BA, ---- de-------------------- de 2010.




Ilmº. Sr. Diretor do Hospital Municipal Carmela Dutra



             Venho por meio desta solicitar vossa autorização para que a acadêmica do 8º
semestre vespertino de enfermagem Margareth Miranda Ayres realize uma pesquisa de
campo com as puérperas desta instituição, sendo esta pesquisa, parte do Projeto TCC II.




                                        Atenciosamente,




                  ___________________________________________________________

                        Diretor Marcélio Magno Magalhães Silva
Termos de Consentimento
Tema: O conhecimento da puérpera acerca dos benefícios materno da
amamentação


      Eu Margareth Miranda Ayres acadêmica, graduando o curso de
enfermagem da Faculdade de Guanambi, 8º Semestre Vespertino, pretende
desenvolver um estudo que objetiva conhecer a visão das nutrizes dessa
Instituição sobre O conhecimento da puérpera acerca dos benefícios materno
da amamentação
.      O estudo em questão é de relevância, pois o resultado obtido pode ser
utilizado por órgãos reguladores para abrirem discussões da importância dos
benefícios da amamentação para a saúde da mulher, pois, o ato de amamentar
traz consigo vários beneméritos para as mães que precisam torna-se cada vez
mais conscientes disso.

       A pesquisa será realizada a partir de coletas de dados, através de
formulário semi- estruturado que será aplicado às puérperas do H.M.C.D
situado na cidade de Bom Jesus da Lapa-Ba à Avenida Manoel Novais Nº
1022, Centro. Sendo que os resultados obtidos serão para fins científicos.

      Desde já esclareço que preservarei a identidade dos participantes,
garantindo assim os princípios éticos, da resolução 196/96 da lei de diretrizes e
normas regulamentares de pesquisa envolvendo seres humanos que
contemplam     os    princípios     éticos    básicos      da     autonomia,   justiça,
confidencialidade, fidelidade e veracidade.

     Agradecemos a colaboração.

Entrevistada___________________________________________________________

Acadêmica____________________________________________________________




                    Guanambi-Ba ---------------/---------------/2009
Questionário:

1. Identificação.

Idade:- ----------------------------anos

2. Estado civil

( )Solteira     ( )Casada      ( )Viúva       outras:--------------------------

3. Escolaridade:

( ) Analfabeta       ( )Alfabetizada       ( )1° grau incompleto

(   )2° grau incompleto         ( )nível superior

4. Profissão:

( )secretário        ( )Serviços Gerais          ( )Recepcionista

( )Agentes administrativos          ( )outros.

5. No decorrer da gestação, você participou de algum grupo de apoio ou
palestras no pré-natal sobre a importância dos benefícios da
amamentação para a mulher?

( )Sim                          ( )Não

6. Você conhece os benefícios para a amamentação para a mãe?

( )sim . Quais?               ( )não

_______________________________________________________________

_______________________________________________________________

 7. Pode citar pelo um dos benefícios que a amamentação trouxe para sua
saúde?

______________________________________________________________

______________________________________________________________

8. Você entende que o estresse, ansiedade e o cansaço podem prejudicar
a saída do leite?

( )sim                           ( )não

9. Qual a freqüência das suas amamentações?

( )2 vezes/dia
( )3 vezes/dia

( )5 vezes/dia

( )6 vezes/dia

10. Depois que começou a amamentar houve mudança no corpo?

( )sim           ( )não

11. Você encontrou dificuldade para amamentar?

( )sim            ( )não


13. Psicologicamente o que mudou em sua vida após a amamentação?

_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________



14. Se já amamentou outras vezes quando parou de amamentar, quais
foram às sensações que você sentiu?

_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

15- Você sabe a duração ideal do aleitamento materno para o seu filho?

_______________________________________________________________
_______________________________________________________________



16- Os acompanhamentos feitos às gestantes nas unidades de saúde
priorizam a amamentação?

SIM ( )                    NÂO ( )

17-O leite materno ajuda a aliviar cólicas da mãe?

(   ) Sim                   (   )Não
Metodologia

Metodologia é uma preocupação instrumental, (DEMO, 1985, p.19). Afinal
cuida dos procedimentos, das ferramentas, e dos caminhos. È a maneira
concreta como se realiza a busca do conhecimento. A metodologia de uma
pesquisa reúne elementos de grande relevância para o processo de
investigação.

O processo de estudo será orientado numa abordagem exploratória e
quantitativa devido à necessidade de mensurar e analisar os dados obtidos nos
formulários e através da observação sistemática. A pesquisa realizada é do tipo
descritivo com aplicação de formulário semi- estruturado, com questões
objetivas e subjetivas, no qual a essência voltada para o conhecimento da
puérpera acerca dos benefícios materno da amamentação.

Fase exploratória (GIL, 2007, p.144) objetiva determinar o campo de
investigação, as expectativas dos interessados, bem como o tipo de auxílio que
estes poderão oferecer ao longo do processo de pesquisa.

Quanto à fase quantitativo-Descritivo-(Lakatos;Marconi, 2010 p.170)Consistem
em investigações de pesquisa empírica cuja principal finalidade é o
delineamento ou análise das características de fatos ou fenômenos, a
avaliação de programas ou o isolamento de variáveis principais ou chaves.

Portanto, a pesquisa será coletada no hospital Carmela Dutra, através das
informações colhidas pelas puérperas que estejam amamentando. Dessa
maneira, com objetivo de verificar a importância do H.M.C.D no incentivo a
amamentação. (deve-se dar mais atenção a capacitação dos profissionais de
saúde. Em tempo, será realizada uma análise sobre possíveis incentivos
oferecidos pelo H.M.C. D à sensibilização da mulher sobre as vantagens em
amamentar o seu filho)




3.1 REVISÕES BIBLIOGRÁFICAS

A bibliografia tem por objetivo permitir ao cientista “o reforço paralelo na análise
de suas pesquisas ou manipulação de suas informações” (TRUJILLO, 1974,
p.230), pois a pesquisa bibliográfica não é mera repetição do que já foi dito ou
escrito sobre certo assunto, mas propicias as conclusões inovadoras. A
pesquisa bibliográfica consiste em três etapas, a seleção prévia do material e
finalmente a construção do texto.

3.2 FORMULÁRIOS

Serão aplicados as puérperas internadas no alojamento conjunto do Hospital
Municipal Carmela Dutra ,que já estejam amamentando antes da alta
hospitalar.O instrumento abordará questões sobre o conhecimento das
puérperas acerca dos benefícios materno da amamentação,onde será avaliada
e analisada as perdas de peso no pós-parto,redução de hemorragias ,redução
de anemia,maior espaçamento entre as gestações devido menor risco de uma
nova gravidez além de analisar a redução dos riscos de desenvolver câncer de
mama,ovário e doenças ósseas como a osteoporose entre outras patologias e
ao mesmo tempo incentivar a amamentação através de palestras realizadas no
alojamento conjunto.

A pesquisa de campo tem como objetivo conseguir informações ou
conhecimentos acerca de um problema, recolher e registrar, de maneira
ordenada, os dados sobre o assunto em estudo, ”Não deve ser confundida
como simples coleta de dados, é algo mais que isso, pois exige contar e
controles adequados, com objetivos preestabelecidos que descriminam
suficientemente o que deve ser coletado”. (TRUJILLO, 1982, p.229).

Será realizada um estudo prospectivo transversal com população de mulheres
internadas no alojamento conjunto do H.M.C.D da cidade de Bom Jesus da
Lapa-Ba, no período de fevereiro a maio de 2011 .A referida instituição presta
atendimento em horário integral.

A pesquisa inclui trabalho em campo com intuito de identificar o conhecimento
das puérperas acerca dos benefícios materno da amamentação e observar a
prática dos enfermeiros e sua atuação perante as ações de incentivo a
amamentação para as puérperas e seus benefícios para as próprias
desenvolvidas no H.M.C.D.

Como critérios de inclusão,Deve: Ser pacientes internadas no alojamento
conjunto do H.M.C.D; ter idade variadas ; estar amamentando.Será excluída do
estudo a paciente que: estiver em uso de medicamentos antivirais.




3.3 Análises do Material Coletado

A sistematização e análise do material coletado a fim de refletir sobre tais
resultados serão realizadas a partir dos formulários utilizando-se técnicas
estatísticas,para obtenção de medidas e percentuais.Para cada item a ser
avaliada opitarei pela construção de gráficos para realçar as informações mais
relevantes,de acordo com os objetivos previamente traçados neste estudo.




3.4 O Município




Bom Jesus da Lapa é um município brasileiro do estado da Bahia, situado a
região centro-oeste na zona Fisiográfica do Médio São Francisco,com território
totalmente abrangindo pelo “polígono das secas” a 796 km de Salvador. A sua
população em 2007 era de 62.199 habitantes conforme o IBGE, mas a
estimativa em 2009 tenha aumentado para 66.192 habitantes. Possui uma área
total de 4148,5 km² e é banhada pelo rio São Francisco. Suas atividades
econômicas estão baseadas na agricultura, comércio, turismo e pesca.Limita-
se ao norte com o município da Paratinga à 75KM; Ao sul com o município de
Malhada à 130 KM ; A leste com o município de Riacho de Santana à 68 KM e
a oeste com o município de Serra do Ramalho à 49 KM. A altitude da sede
municipal é de 4.838,199 metros,segundo se vê na chapa cravada junto à
parede no canto direito da Gruta do Bom Jesus.

A cidade de Bom Jesus da Lapa concentra a segunda maior festa religiosa
católica do Brasil, no mês de agosto, conhecida como a procissão ou romaria
do Bom Jesus em que atrai milhares de fiéis todos os anos, por este motivo é
conhecida como a “Capital Baiana da Fé”.O grande diferencial entre Bom
Jesus da Lapa e as outras cidades da região é o morro em estilo gótico e suas
grutas que lhe conferem um clima místico e diferenciado.




3 METODOLOGIA

3.1- Caracterização do estudo (Tipo de Estudo)

Esse estudo será descritivo, exploratório, com método quantitativo, com a
finalidade de analisar e documentar os dados e mensurá-los.

Os dados contidos no estudo irão permitir uma melhor visão sobre a percepção
e o nível de conhecimento das puérperas do H.M.C. D sobre os benefícios da
amamentação, além de observar se o atendimento poderia ser mais
direcionado e transformado em assistência ofertada em melhor qualidade de
vida.


3.2- População

Serão pesquisadas puérperas que amamentam, de qualquer idade e etnia, o
local escolhido será o H.M.C.D que aceitarem participar da pesquisa. A escolha
será baseada em mães que realmente amamentam.


3.3-Amostra

Serão pesquisadas 30 puérperas que amamentam ou já amamentaram.


3.4-Definições das variáveis

3.5-Instrumentos

Serão utilizados formulários em papel chamex com as perguntas e opções de
respostas fechadas e abertas, caneta e a acadêmica fazendo as perguntas e
marcando as respostas do formulário conforme resposta obtida pela puérperas .




3.6- Procedimentos da Coleta de Dados

Os dados serão coletados por meio pesquisa de campo será aplicado um
formulário   contendo   questões   fechadas   referentes   aos   dados   sócio-
econômicos, obstétricos e questões abertas que permitirão conhecer a visão de
seus conhecimentos quanto os benefícios que a amamentação lhes
proporciona e em relação à assistência prestada quanto à prática da
amamentação, no H.M. C D, onde será enviado um ofício ao diretor da
Instituição, solicitando a pesquisa. Será confeccionado          o Termo de
Consentimento Livre e Esclarecido que será utilizado como instrumento de
autorização dos dados coletados com as pesquisadas


3.7-Tratamento de Dados
3.8-Cuidados éticos

Após uma dinâmica de apresentação onde será distribuídos o formulário para
cada entrevistada referente ao Tema:O conhecimento da puérpera acerca dos
Benefícios Maternos da Amamentação .As puérperas que aceitarem participar
da pesquisa vão assinar o termo de consentimento livre e esclarecido,conforme
a Resolução196/96 do Ministério da Saúde,para pesquisas que envolveram
seres humanos.
Termo de consentimento livre e esclarecido




Eu-------------------------------------------------------------------------,RG:----------------------,
                    nascido em-----------/--------/----------/e domiciliado
                          à-------------------------------------,município
       de---------------------------------------------------------------------------------------

        Declaro que         consinto em participar como voluntária do projeto “O
conhecimento          da     puérpera            acerca    dos     benefícios         materno           da
amamentação”,sob              responsabilidade            do(a)pesquisador(a)            Prof.Lorena
Gusmão.Declaro que fui satisfatoriamente esclarecido que:A) o estudo será
realizado a partir de entrevista registrada;B)que não haverá riscos para minha
saúde,C)que posso consultar os pesquisadores responsáveis em qualquer
época,pessoalmente           ou     por    telefone,para       esclarecimento          de    qualquer
dúvida;D)que estou livre para,a qualquer momento,deixar de participar da
pesquisa e que n~o preciso apresentar justificativas para isso;E) que todas as
informações por mim fornecidas e os resultados obtidos serão mantidos em
sigilo e que,estes últimos só serão utilizados para divulgação em reuniões e
revistas científicas sem a minha identificação;F) que serei informado de todos
os resultados obtidos,independentemente do fato de mudar meu consentimento
em participar da pesquisa;G) que não terei quaisquer benefícios ou direitos
financeiros sobre os eventuais resultados decorrentes da pesquisa;H) que esta
pesquisa é importantepara o estdo,melhor entendimento.

        Assim, consinto em participar do projeto de pesquisa em questão.




        -----------------------------------------    -----------de---------------de 201---.

        --------------------------------------        -----------------------------------------------

        Voluntária                                           Pesquisadora

        OBS: Este termo apresenta duas vias, uma destinada ao usuário ou seu
representante legal e a outra ao pesquisador.
Os benefícios maternos da amamentação: um estudo sobre o conhecimento de puérperas
Os benefícios maternos da amamentação: um estudo sobre o conhecimento de puérperas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho de estagio 1
Trabalho de estagio 1Trabalho de estagio 1
Trabalho de estagio 1Mabi Almeida
 
Fatores De Risco Para O Desmame Entre UsuáRias De Uma Unidade BáSica De SaúDe...
Fatores De Risco Para O Desmame Entre UsuáRias De Uma Unidade BáSica De SaúDe...Fatores De Risco Para O Desmame Entre UsuáRias De Uma Unidade BáSica De SaúDe...
Fatores De Risco Para O Desmame Entre UsuáRias De Uma Unidade BáSica De SaúDe...Biblioteca Virtual
 
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento Materno
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento MaternoMotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento Materno
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento MaternoBiblioteca Virtual
 
Aleitamento Materno Em Prematuros
Aleitamento Materno Em PrematurosAleitamento Materno Em Prematuros
Aleitamento Materno Em PrematurosBiblioteca Virtual
 
Aleitamento Materno Exclusivo Entre Trabalhadoras Com Creche No Local De Trab...
Aleitamento Materno Exclusivo Entre Trabalhadoras Com Creche No Local De Trab...Aleitamento Materno Exclusivo Entre Trabalhadoras Com Creche No Local De Trab...
Aleitamento Materno Exclusivo Entre Trabalhadoras Com Creche No Local De Trab...Biblioteca Virtual
 
Aleitamento Materno Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Aleitamento Materno   Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...Aleitamento Materno   Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Aleitamento Materno Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...Biblioteca Virtual
 
ALEITAMENTO IBCLE: nova lista de conteúdo para a prova de CERTIFICAÇÃO Intern...
ALEITAMENTO IBCLE: nova lista de conteúdo para a prova de CERTIFICAÇÃO Intern...ALEITAMENTO IBCLE: nova lista de conteúdo para a prova de CERTIFICAÇÃO Intern...
ALEITAMENTO IBCLE: nova lista de conteúdo para a prova de CERTIFICAÇÃO Intern...Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...Biblioteca Virtual
 
PráTicas De AmamentaçãO No MunicíPio De Ouro Preto, Mg, Brasil
PráTicas De AmamentaçãO No MunicíPio De Ouro Preto, Mg, BrasilPráTicas De AmamentaçãO No MunicíPio De Ouro Preto, Mg, Brasil
PráTicas De AmamentaçãO No MunicíPio De Ouro Preto, Mg, BrasilBiblioteca Virtual
 
PrevalêNcia Do Aleitamento Materno Na RegiãO Noroeste De Campinas, SãO Paulo,...
PrevalêNcia Do Aleitamento Materno Na RegiãO Noroeste De Campinas, SãO Paulo,...PrevalêNcia Do Aleitamento Materno Na RegiãO Noroeste De Campinas, SãO Paulo,...
PrevalêNcia Do Aleitamento Materno Na RegiãO Noroeste De Campinas, SãO Paulo,...Biblioteca Virtual
 
Fatores Que Interferem No Tempo Entre O Nascimento E A Primeira Mamada
Fatores Que Interferem No Tempo Entre O Nascimento E A Primeira MamadaFatores Que Interferem No Tempo Entre O Nascimento E A Primeira Mamada
Fatores Que Interferem No Tempo Entre O Nascimento E A Primeira MamadaBiblioteca Virtual
 
Fatores Associados Ao IníCio Da AmamentaçãO Em Uma Cidade Do Sul Do Brasil
Fatores Associados Ao IníCio Da AmamentaçãO Em Uma Cidade Do Sul Do BrasilFatores Associados Ao IníCio Da AmamentaçãO Em Uma Cidade Do Sul Do Brasil
Fatores Associados Ao IníCio Da AmamentaçãO Em Uma Cidade Do Sul Do BrasilBiblioteca Virtual
 
InfluêNcia Do Apoio à AmamentaçãO Nas TendêNcias Das Taxas De Aleitamento Mat...
InfluêNcia Do Apoio à AmamentaçãO Nas TendêNcias Das Taxas De Aleitamento Mat...InfluêNcia Do Apoio à AmamentaçãO Nas TendêNcias Das Taxas De Aleitamento Mat...
InfluêNcia Do Apoio à AmamentaçãO Nas TendêNcias Das Taxas De Aleitamento Mat...Biblioteca Virtual
 
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDe
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDeAmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDe
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDeBiblioteca Virtual
 
A PráTica De Amamentar Entre Mulheres Que Exercem Trabalho Remunerado Na Para...
A PráTica De Amamentar Entre Mulheres Que Exercem Trabalho Remunerado Na Para...A PráTica De Amamentar Entre Mulheres Que Exercem Trabalho Remunerado Na Para...
A PráTica De Amamentar Entre Mulheres Que Exercem Trabalho Remunerado Na Para...Biblioteca Virtual
 

Mais procurados (19)

Trabalho de estagio 1
Trabalho de estagio 1Trabalho de estagio 1
Trabalho de estagio 1
 
Fatores De Risco Para O Desmame Entre UsuáRias De Uma Unidade BáSica De SaúDe...
Fatores De Risco Para O Desmame Entre UsuáRias De Uma Unidade BáSica De SaúDe...Fatores De Risco Para O Desmame Entre UsuáRias De Uma Unidade BáSica De SaúDe...
Fatores De Risco Para O Desmame Entre UsuáRias De Uma Unidade BáSica De SaúDe...
 
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento Materno
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento MaternoMotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento Materno
MotivaçãO De Gestantes Para O Aleitamento Materno
 
Aleitamento Materno Em Prematuros
Aleitamento Materno Em PrematurosAleitamento Materno Em Prematuros
Aleitamento Materno Em Prematuros
 
Aleitamento Materno Exclusivo Entre Trabalhadoras Com Creche No Local De Trab...
Aleitamento Materno Exclusivo Entre Trabalhadoras Com Creche No Local De Trab...Aleitamento Materno Exclusivo Entre Trabalhadoras Com Creche No Local De Trab...
Aleitamento Materno Exclusivo Entre Trabalhadoras Com Creche No Local De Trab...
 
Aleitamento Materno Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Aleitamento Materno   Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...Aleitamento Materno   Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
Aleitamento Materno Uma ContribuiçãO CientíFica Para A PráTica Do Profissio...
 
Continuação
ContinuaçãoContinuação
Continuação
 
ALEITAMENTO IBCLE: nova lista de conteúdo para a prova de CERTIFICAÇÃO Intern...
ALEITAMENTO IBCLE: nova lista de conteúdo para a prova de CERTIFICAÇÃO Intern...ALEITAMENTO IBCLE: nova lista de conteúdo para a prova de CERTIFICAÇÃO Intern...
ALEITAMENTO IBCLE: nova lista de conteúdo para a prova de CERTIFICAÇÃO Intern...
 
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...
Incentivo Ao Aleitamento Materno A ImportâNcia Do Pediatra Com Treinamento Es...
 
Saúde Mental Perinatal
Saúde Mental PerinatalSaúde Mental Perinatal
Saúde Mental Perinatal
 
PráTicas De AmamentaçãO No MunicíPio De Ouro Preto, Mg, Brasil
PráTicas De AmamentaçãO No MunicíPio De Ouro Preto, Mg, BrasilPráTicas De AmamentaçãO No MunicíPio De Ouro Preto, Mg, Brasil
PráTicas De AmamentaçãO No MunicíPio De Ouro Preto, Mg, Brasil
 
11003
1100311003
11003
 
PrevalêNcia Do Aleitamento Materno Na RegiãO Noroeste De Campinas, SãO Paulo,...
PrevalêNcia Do Aleitamento Materno Na RegiãO Noroeste De Campinas, SãO Paulo,...PrevalêNcia Do Aleitamento Materno Na RegiãO Noroeste De Campinas, SãO Paulo,...
PrevalêNcia Do Aleitamento Materno Na RegiãO Noroeste De Campinas, SãO Paulo,...
 
Fatores Que Interferem No Tempo Entre O Nascimento E A Primeira Mamada
Fatores Que Interferem No Tempo Entre O Nascimento E A Primeira MamadaFatores Que Interferem No Tempo Entre O Nascimento E A Primeira Mamada
Fatores Que Interferem No Tempo Entre O Nascimento E A Primeira Mamada
 
Mantendo o Aleitamento Materno em Situações Especiais
Mantendo o Aleitamento Materno em Situações EspeciaisMantendo o Aleitamento Materno em Situações Especiais
Mantendo o Aleitamento Materno em Situações Especiais
 
Fatores Associados Ao IníCio Da AmamentaçãO Em Uma Cidade Do Sul Do Brasil
Fatores Associados Ao IníCio Da AmamentaçãO Em Uma Cidade Do Sul Do BrasilFatores Associados Ao IníCio Da AmamentaçãO Em Uma Cidade Do Sul Do Brasil
Fatores Associados Ao IníCio Da AmamentaçãO Em Uma Cidade Do Sul Do Brasil
 
InfluêNcia Do Apoio à AmamentaçãO Nas TendêNcias Das Taxas De Aleitamento Mat...
InfluêNcia Do Apoio à AmamentaçãO Nas TendêNcias Das Taxas De Aleitamento Mat...InfluêNcia Do Apoio à AmamentaçãO Nas TendêNcias Das Taxas De Aleitamento Mat...
InfluêNcia Do Apoio à AmamentaçãO Nas TendêNcias Das Taxas De Aleitamento Mat...
 
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDe
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDeAmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDe
AmamentaçãO Natural Como Fonte De PrevençãO Em SaúDe
 
A PráTica De Amamentar Entre Mulheres Que Exercem Trabalho Remunerado Na Para...
A PráTica De Amamentar Entre Mulheres Que Exercem Trabalho Remunerado Na Para...A PráTica De Amamentar Entre Mulheres Que Exercem Trabalho Remunerado Na Para...
A PráTica De Amamentar Entre Mulheres Que Exercem Trabalho Remunerado Na Para...
 

Semelhante a Os benefícios maternos da amamentação: um estudo sobre o conhecimento de puérperas

BenefíCios Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da
BenefíCios Da AmamentaçãO Para A SaúDe DaBenefíCios Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da
BenefíCios Da AmamentaçãO Para A SaúDe DaBiblioteca Virtual
 
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua praticaAconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua praticabancodeleite
 
Como a amamentacao pode contribuir para um Planeta mais saudável
Como a amamentacao pode contribuir para um Planeta mais saudávelComo a amamentacao pode contribuir para um Planeta mais saudável
Como a amamentacao pode contribuir para um Planeta mais saudávelSilvia Marina Anaruma
 
XIV ENAM - Anais do Encontro Nacional de Aleitamento Materno - Florianópolis,...
XIV ENAM - Anais do Encontro Nacional de Aleitamento Materno - Florianópolis,...XIV ENAM - Anais do Encontro Nacional de Aleitamento Materno - Florianópolis,...
XIV ENAM - Anais do Encontro Nacional de Aleitamento Materno - Florianópolis,...Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Aleitamento Materno PrevalêNcia E Factores Condicionantes
Aleitamento Materno   PrevalêNcia E Factores CondicionantesAleitamento Materno   PrevalêNcia E Factores Condicionantes
Aleitamento Materno PrevalêNcia E Factores CondicionantesBiblioteca Virtual
 
A importância do pediatra com treinamento específico
A importância do pediatra com treinamento específicoA importância do pediatra com treinamento específico
A importância do pediatra com treinamento específicobancodeleite
 
XI ENAM - ENCONTRO NACIONAL de ALEITAMENTO MATERNO e I ENACS Santos, SP 2011 ...
XI ENAM - ENCONTRO NACIONAL de ALEITAMENTO MATERNO e I ENACS Santos, SP 2011 ...XI ENAM - ENCONTRO NACIONAL de ALEITAMENTO MATERNO e I ENACS Santos, SP 2011 ...
XI ENAM - ENCONTRO NACIONAL de ALEITAMENTO MATERNO e I ENACS Santos, SP 2011 ...Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
The Lancet: AMAMENTAÇÃO no século 21 - Epidemiologia, mecanismos e efeitos ao...
The Lancet: AMAMENTAÇÃO no século 21 - Epidemiologia, mecanismos e efeitos ao...The Lancet: AMAMENTAÇÃO no século 21 - Epidemiologia, mecanismos e efeitos ao...
The Lancet: AMAMENTAÇÃO no século 21 - Epidemiologia, mecanismos e efeitos ao...Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Aleitamento Maternoo Desafio De
Aleitamento Maternoo Desafio DeAleitamento Maternoo Desafio De
Aleitamento Maternoo Desafio DeBiblioteca Virtual
 
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que Amamenta
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que AmamentaA ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que Amamenta
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que AmamentaBiblioteca Virtual
 
AnáLise Da Efetividade De Um Programa De Incentivo Ao Aleitamento Materno Exc...
AnáLise Da Efetividade De Um Programa De Incentivo Ao Aleitamento Materno Exc...AnáLise Da Efetividade De Um Programa De Incentivo Ao Aleitamento Materno Exc...
AnáLise Da Efetividade De Um Programa De Incentivo Ao Aleitamento Materno Exc...Biblioteca Virtual
 
O Pediatra E A AmamentaçãO Exclusiva
O Pediatra E A AmamentaçãO ExclusivaO Pediatra E A AmamentaçãO Exclusiva
O Pediatra E A AmamentaçãO ExclusivaBiblioteca Virtual
 

Semelhante a Os benefícios maternos da amamentação: um estudo sobre o conhecimento de puérperas (20)

Aleitamento materno2 (2) (1)
Aleitamento materno2 (2) (1)Aleitamento materno2 (2) (1)
Aleitamento materno2 (2) (1)
 
BenefíCios Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da
BenefíCios Da AmamentaçãO Para A SaúDe DaBenefíCios Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da
BenefíCios Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da
 
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua praticaAconselhamento em amamentacao e sua pratica
Aconselhamento em amamentacao e sua pratica
 
Amamentação e sustentabilidade
Amamentação e sustentabilidadeAmamentação e sustentabilidade
Amamentação e sustentabilidade
 
Manual aleitamento
Manual aleitamentoManual aleitamento
Manual aleitamento
 
Como a amamentacao pode contribuir para um Planeta mais saudável
Como a amamentacao pode contribuir para um Planeta mais saudávelComo a amamentacao pode contribuir para um Planeta mais saudável
Como a amamentacao pode contribuir para um Planeta mais saudável
 
XIV ENAM - Anais do Encontro Nacional de Aleitamento Materno - Florianópolis,...
XIV ENAM - Anais do Encontro Nacional de Aleitamento Materno - Florianópolis,...XIV ENAM - Anais do Encontro Nacional de Aleitamento Materno - Florianópolis,...
XIV ENAM - Anais do Encontro Nacional de Aleitamento Materno - Florianópolis,...
 
Alojamento conjunto indicações e vantagens
Alojamento conjunto indicações e vantagensAlojamento conjunto indicações e vantagens
Alojamento conjunto indicações e vantagens
 
Alojamento conjunto indicações e vantagens
Alojamento conjunto indicações e vantagensAlojamento conjunto indicações e vantagens
Alojamento conjunto indicações e vantagens
 
Aleitamento Materno PrevalêNcia E Factores Condicionantes
Aleitamento Materno   PrevalêNcia E Factores CondicionantesAleitamento Materno   PrevalêNcia E Factores Condicionantes
Aleitamento Materno PrevalêNcia E Factores Condicionantes
 
A importância do pediatra com treinamento específico
A importância do pediatra com treinamento específicoA importância do pediatra com treinamento específico
A importância do pediatra com treinamento específico
 
XI ENAM - ENCONTRO NACIONAL de ALEITAMENTO MATERNO e I ENACS Santos, SP 2011 ...
XI ENAM - ENCONTRO NACIONAL de ALEITAMENTO MATERNO e I ENACS Santos, SP 2011 ...XI ENAM - ENCONTRO NACIONAL de ALEITAMENTO MATERNO e I ENACS Santos, SP 2011 ...
XI ENAM - ENCONTRO NACIONAL de ALEITAMENTO MATERNO e I ENACS Santos, SP 2011 ...
 
The Lancet: AMAMENTAÇÃO no século 21 - Epidemiologia, mecanismos e efeitos ao...
The Lancet: AMAMENTAÇÃO no século 21 - Epidemiologia, mecanismos e efeitos ao...The Lancet: AMAMENTAÇÃO no século 21 - Epidemiologia, mecanismos e efeitos ao...
The Lancet: AMAMENTAÇÃO no século 21 - Epidemiologia, mecanismos e efeitos ao...
 
The Lancet: Amamentação no século XXI - Epidemiologia, mecanismos e efeitos a...
The Lancet: Amamentação no século XXI - Epidemiologia, mecanismos e efeitos a...The Lancet: Amamentação no século XXI - Epidemiologia, mecanismos e efeitos a...
The Lancet: Amamentação no século XXI - Epidemiologia, mecanismos e efeitos a...
 
Aleitamento Maternoo Desafio De
Aleitamento Maternoo Desafio DeAleitamento Maternoo Desafio De
Aleitamento Maternoo Desafio De
 
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que Amamenta
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que AmamentaA ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que Amamenta
A ImportâNcia Da AmamentaçãO Para A SaúDe Da Mulher Que Amamenta
 
Materia capa
Materia capaMateria capa
Materia capa
 
AnáLise Da Efetividade De Um Programa De Incentivo Ao Aleitamento Materno Exc...
AnáLise Da Efetividade De Um Programa De Incentivo Ao Aleitamento Materno Exc...AnáLise Da Efetividade De Um Programa De Incentivo Ao Aleitamento Materno Exc...
AnáLise Da Efetividade De Um Programa De Incentivo Ao Aleitamento Materno Exc...
 
Manual Aleitamento
Manual AleitamentoManual Aleitamento
Manual Aleitamento
 
O Pediatra E A AmamentaçãO Exclusiva
O Pediatra E A AmamentaçãO ExclusivaO Pediatra E A AmamentaçãO Exclusiva
O Pediatra E A AmamentaçãO Exclusiva
 

Os benefícios maternos da amamentação: um estudo sobre o conhecimento de puérperas

  • 1. MARGARETH MIRANDA AYRES CONHECIMENTO DA PUÉRPERA ACERCA DOS BENEFÍCIOS MATERNOS DA AMAMENTAÇÃO Projeto de pesquisa apresentado ao curso de Bacharelado em enfermagem da Faculdade de Guanambi, como registro parcial para conclusão da disciplina TCC1 e obtenção do título de Bacharelado em enfermagem. Orientadora: Prof: Lorena Gusmão
  • 2. LISTA DE SIGLAS MS- Ministério da Saúde UNICEF-Fundo das Nações Unidas para a Infância PNIAM-Programa Nacional de Incentivo ao Aleitamento Materno
  • 3. SUMÁRIO 1 – Introdução 1.1 - Contextualização do problema 1.2 – Objetivos 1.2.2 – Objetivos Específicos 1.2.1 – Objetivo Geral 1.3 – Justificativa 2 – Revisão de Literatura 2.1- História da amamentação 2.2- - Definição de aleitamento materno 2.3- VANTAGENS PARA MÃE 2.3.1Espacamento entre as gestações 2..3.2 Prevenção de hemorragias e anemias pós-parto 2.3.3-Proteção contra o câncer ginecológico 2.3.4- Involução do útero 2.4-VANTAGENS PARA FAMÍLIA E A SOCIEDADE 3 – Metodologia 3.1 – Caracterização do estudo 3.2 – População (Universo) 3.3 – Amostra 3.4 – Definição das variáveis 3.5 – Instrumento(s) 3.6 – Procedimentos de Coleta de dados 3.7 – Tratamento estatístico (Proposto) 3.8 – Cuidados éticos 4 --Cronograma 5--Recursos (Opcional)
  • 5. 1 INTRODUÇÃO A amamentação é a melhor maneira de proporcionar o alimento ideal para o crescimento saudável e o desenvolvimento dos recém-nascidos, além de ser parte integral do processo reprodutivo, com importantes implicações para a saúde materna. Muitos são os fatores que afetam o modo como às mulheres alimentam seus filhos e o tempo durante o qual os amamentam. Estes fatores têm sido intensamente estudados e incluem: O meio em que vivem estas mulheres, se na área rural ou urbana, a situação econômica das famílias e a educação das mães. O UNICEF calcula que o aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida pode evitar, anualmente, 1,3 milhão de mortes de crianças menores de 5 anos. Os bebês até os seis meses não precisam de chás, sucos, outros leites, nem mesmo de água. Após essa idade, deverá ser dada alimentação complementar apropriada, mas a amamentação deve continuar até o segundo ano de vida da criança ou mais. Com o surgimento de produtos industrializados para substituir o leite materno, prática iniciada nos países desenvolvidos, a amamentação natural teve o seu declínio. No entanto, no Brasil, a partir dos anos 70 houve crescimento da amamentação natural, atingindo o máximo nos anos 80, coincidindo com o início de campanhas do governo e implantação do Programa Nacional de Incentivo ao Aleitamento Materno (PNIAM). As revisões de publicações mostraram que nos últimos anos existe tendência para aumento das taxas de aleitamento materno em todo país. Ainda neste sentido pesquisas com populações em diversas regiões brasileiras mostram que a mediana de aleitamento materno total passou de 74 dias em 1974 para 134 em 1989 e para 210 em 1996. Para o aleitamento materno exclusivo nos primeiros quatro a seis meses também se verifica a mesma tendência, porém ainda abaixo de atingir a maioria das crianças. A prática da amamentação natural tem sido resgatada em todo o mundo, inclusive no Brasil. Pode-se atribuir que, dentre outros fatores, isto se
  • 6. deve muito à ação de profissionais de saúde dedicados ao aleitamento materno, bem como a adoção de políticas de apoio, incentivo e promoção adotada pelo Ministério da Saúde - OMS seguindo as recomendações do UNICEF. Nos últimos anos, vêm sendo discutido sobre as vantagens do aleitamento materno para a saúde, sendo priorizado os benefícios para o desenvolvimento dos recém nascidos e crianças maiores, como uma forma indiscutível de prevenção da morbi-mortalidade, especialmente no primeiro ano de vida, porém, percebe-se a necessidade de pesquisas sobre a sua importância para a saúde das mulheres que amamentam. Muitos benefícios são atribuídos à amamentação com relação à saúde da criança. Só recentemente o mundo científico começou a reconhecer que a mulher, mãe que amamenta, também é beneficiada em sua saúde física, psicológica e emocional. Com o aumento dos índices de aleitamento materno no mundo, e através dos resultados de pesquisas, apontando excelentes resultados, começou a ficar evidente algumas condições de saúde nas mulheres que amamentavam, como benéficas, preventivas, e que não eram situações comuns naquelas que não realizavam esta prática. Não é ampla a literatura sobre os benefícios da amamentação para a saúde da mulher. Até o presente, sabe-se que há uma relação positiva entre amamentar e apresentar menos doenças como o câncer de mama, ovarianos e certas fraturas ósseas, especialmente coxofemorais, por osteoporose. Indaga-se também sobre o efeito da amamentação no menor risco de morte por artrite reumatóide. Muitos estudos foram publicados mostrando como a amamentação se relaciona à amenorréia pós-parto e ao conseqüente maior espaçamento intergestacional. Outros benefícios para a mulher que amamenta são o retorno ao peso pré-gestacional mais precocemente e o menor sangramento uterino pós-parto (conseqüentemente, menos anemia), devido à involução uterina mais rápida provocada pela maior liberação de ocitocina. Para tanto, este trabalho se faz de suma importância, porque embora haja muitos benefícios de amamentação para a saúde da mulher pouco é
  • 7. discutido sobre o assunto . Apesar da amamentação ser tema amplamente pesquisado na área da criança,ainda são encontrados muitos aspectos a serem discutidos. Não só para repensar a prática assistencial,mas unir também o saber-pensar ao saber fazer.Só assim,os esforços beneficiarão a realidade dos profissionais de saúde,das puérperas e seus filhos,de seus companheiros e familiares e da sociedade. 1.1 CONTEXTUALIZAÇÃO DO PROBLEMA Diante do desconhecimento dos benefícios materno da amamentação para as puérperas onde a prática ativa deste ato traz benefícios nutricionais e alterações fisiológigas e um desenvolvimento saudável para a mulher.Surge o questionamento qual o conhecimento prévio da puérpera sobre os benefícios da amamentação? 1.2 OBJETIVOS 1.2.1 OBJETIVO GERAL Investigar o conchecimento das puéperas acerca dos benefícios maternos da amamentação. 1.2. 2 OBJETIVOS ESPECÍFICO
  • 8. Identificar fatores que contribuiram para a escolha em amamentar. • Descobrir se foram prestadas orientações a essas mulheres a respeito dos benefícios da amamentação. • Levantar informações sobre o nivel de conhecimento que as puérperas possuem no que concerne aos benefícios proporcionados pela amamentação. • Verificar se houve alguma alteração física e psicológica devido amamentação. • Fazer um levantamneto da média, de termpo da amamentação das puérperas estudadas. 2 JUSTIFICATIVA: Esta pesquisa se torna de suma importância porque apesar de várias campanhas de incentivo e promoção do aleitamento materno como a semana mundial de amamentação,televisão,cartilhas auto-explicativas pouco é discutido sobre o assunto as cifras em relação aos benefícios da amamentação não são as melhores.Científicamente a amamentação exclusiva até os 6 meses inclui proteção contra diversas doenças agudas e crônicas como anemia,osteoporose,diabetes entre outras melhorando a qualidade de vida da mulher além de melhorar o desenvolvimneto psicológico tanto para o filho como para a mãe. Apartir da iniciação científica,espera-se que a pesquisa possa contribuir com a ampliação do conhecimento das puérperas do H.M.C.D Hospital Municipal Carmela Dutra em Bom Jesus da Lapa,estão conscientes acerca dos benefícios que a amamentação lhes proporcionam e qual a percepção das mães no ato de amamentar. Espera-se ainda que este estudo forneça subsídios para o conhecimento e informação dos profissionaios de saúde,acadêmicos e população em geral quanto a prática cosciente e eficaz do aleitamento materno para a melhoria da saúde das puérperas.
  • 9. 3 REFERÊNCIAL TEÓRICO História da amamentação Segundo Diniz e Vinagre (2001, p.1), “o leite humano representa a resposta que a natureza deu à pergunta do melhor alimento para o Homem que se desenvolve.” Durante décadas de existência da espécie humana, com exceção dos últimos anos, a alimentação ao seio foi considerada a forma natural e praticamente exclusiva de alimentar a criança em seus primeiros meses de vida (ACCIOLY; SAUNDERS; LACERDA, 2003). A mitologia Grega conta a história de Rômulo e Remo que foram amamentados por uma loba, e Zeus, por uma cabra. Já os egípcios, babilônios e hebreus, tinham como tradição amamentarem seus filhos por três anos, enquanto as escravas eram alugadas por Gregos e Romanos ricos, como amas-de-leite (BITAR, 1995). Entre os povos gregos e romanos, havia o hábito de utilizar as amas- de-leite para amamentar os seus recém-nascidos, não sendo tão freqüente a amamentação ao peito da própria mãe, porém, Hipócrates foi um dos primeiros a reconhecer e escrever sobre os benefícios da amamentação, evidenciando a maior mortalidade entre aqueles bebês que não amamentavam no peito. Posteriormente, Sorano se interessou pelos aspectos cor, odor, sabor e densidade do leite humano, e Galeno foi o primeiro a considerar que a alimentação deveria ser feita sob a supervisão de um médico (VINAGRE; DINIZ, 2001). A proteção às crianças e o incentivo à prática da amamentação aumentou com o surgimento do cristianismo. Além do incentivo à prática da amamentação, também promoviam a proteção às crianças órfãs e abandonadas. Com o descobrimento das Américas, os povos nativos dessas regiões chamavam a atenção, pois tinham por hábito amamentar as suas
  • 10. crianças por um período aproximado de 3 a 4 anos. Nessa época, o aleitamento materno estava em declínio, principalmente na França e na Inglaterra (SILVA, 1989). Estudos apontam que, no século XVIII, a prática de amamentar não era mais vista pelas pessoas da sociedade européia com admiração, sendo utilizadas as amas-de-leite mercenárias como um hábito rotineiro. Em função do desmame precoce, a mortalidade infantil aumentou muito, chegando a alcançar a cifra de 99,6% das crianças em Dublin, as quais não tinham a opção da ama-de-leite. Em Paris e em Londres este índice chegou a 80% e 56%, respectivamente, mesmo as crianças sendo amamentadas pelas amas-de-leite. Na Inglaterra, o índice menor foi devido ao trabalho de Cadogan, que instituiu alguns cuidados na alimentação das crianças com amas-de-leite, e com esta teoria de amamentar e introduzir mais tardiamente os alimentos ele conseguiu salvar muitas vidas (BITAR, 1995). No clássico tratado de Nils Rosen Von Rosentein, cujo título é As doenças das crianças e seus remédios, publicado em 1764, encontram-se os seguintes ensinamentos: “uma criança para se desenvolver bem deve ingerir uma quantidade suficiente de um bom alimento. O melhor para tanto, sem nenhuma dúvida, é o leite materno. Assim, achamos que as crianças amamentadas por suas mães se desenvolvem bem.” (ICHISATO; SHIMO, 2002). Durante a história da humanidade, houve uma média de 15% a 25% de mortes em crianças chegando a 90% quando as crianças eram órfãs e não tinham mãe substituta para a amamentação. Até o final do século XIX a amamentação ao peito era uma opção de vida ou morte, sendo o processo de amamentar, bastante complicado (VINAGRE; DINIZ, 2001). Devido à falta de incentivo ao aleitamento materno pelos pediatras durante a década de 70, o índice de aleitamento materno no Brasil era muito baixo, havia também propaganda não ética de substitutos do leite materno e grande venda desses produtos, e distribuição gratuita de leite em pó pelo governo.
  • 11. Segundo a OMS aleitamento materno está conceituado como conjunto de processos nutricionais, comportamentais e fisiológicos envolvidos na ingestão, pela criança, do leite produzido pela própria mãe, seja diretamente no peito ou por extração artificial. Definições de aleitamento materno adotadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e reconhecidas no mundo inteiro (WORLD HEALTH ORGANIZATION, 2007a). Assim, o aleitamento materno costuma ser classificado em: Aleitamento materno exclusivo – quando a criança recebe somente leite materno, direto da mama ou ordenhado, ou leite humano de outra fonte, sem outros líquidos ou sólidos, com exceção de gotas ou xaropes contendo vitaminas, sais de reidratação oral, suplementos minerais ou medicamentos. Aleitamento materno predominante – quando a criança recebe, além do leite materno, água ou bebidas à base de água (água adocicada, chás, infusões), sucos de frutas e fluidos rituais.. Aleitamento materno – quando a criança recebe leite materno (direto da mama ou ordenhado), independentemente de receber ou não outros alimentos. Aleitamento materno complementado – quando a criança recebe, além do leite materno, qualquer alimento sólido ou semi-sólido com a finalidade de complementá-lo, e não de substituí-lo. Nessa categoria a criança pode receber, além do leite materno, outro tipo de leite, mas este não é considerado alimento complementar. Aleitamento materno misto ou parcial – quando a criança recebe leite materno e outros tipos de leite. O aleitamento materno supre as necessidades do bebê nos primeiros meses de vida fazendo com que o bebê cresça e desenvolva sadio Sem dúvida,o desenvolvimento da criança está muito ligado à alimentação.É a mãe que interfere com seus conhecimentos e com seu carinho para a proteção de seu filho. O aleitamento materno aumenta os laços afetivos entre mãe e
  • 12. filho,envolvendo o pai e os familiares com isso favorecendo o prolongamento da amamentação. O leite humano é o alimento ideal porque contém minerais,vitaminas,gorduras,açucares,proteínas , linfócitos e imunoglobinas que são apropriados para o bebê e ajudam a combater infecções e diversas doenças como alergias, diarréias,pneumonias,infecções de ouvido entre outras. A criança que amamenta no peito apresenta melhor crescimento e desenvolvimento.Trabalhos científicos identificam que essas crianças são mais inteligentes.Desde que não ofereça água,chá e nenhum outro alimento até os seis meses de idade. A promoção do aleitamento materno deve ser vista como uma ação prioritária para a melhoria da saúde e da qualidade de vida das crianças e de suas famílias. As estratégias de promoção da amamentação devem variar de acordo com a população, sua cultura, seus hábitos, suas crenças, sua posição socioeconômica, entre outras características. No entanto, de fundamental importância em qualquer estratégia e a conscientização da importância do aleitamento materno. . A amamentação exclusiva até os seis meses de idade do bebê por livre demanda traz muitos benefícios para a mãe, pois a amamentação protege a saúde da mãe, ajuda o útero a recuperar o seu tamanho normal reduzindo o risco de hemorragia pós-parto, reduz o risco de câncer de mama pré- menopáusico e de ovário (LANA, 2001); a depressão pós-parto é reduzida, a recuperação física no pós-parto é mais rápida além de trazer um bem-estar maior para a mãe, melhorando a sua saúde e nutrição e transformando o ambiente emocional mais calmo e tranqüilo ( BRASIL, 1996 ). Segundo José Dias Rego o aleitamento estimula a liberação de ocitocina no organismo materno,hormônio que,além de produzir contrações uterinas e ajudar na” descida” do leite,estimula o comportamento maternal,acentuando o vínculo mãe-filho.A ocitocina é o “hormônio do amor”.Mães que aconchegam seus récem-nascidos ao peito logo após o parto amamentam por mais tempo,tornando-se menos ansiosas e inseguras.Demostram prazer em alimentar seus filhos e interagem de forma
  • 13. harmônica e carinhosa com a criança.O apego proporciona ao bebê perfeito desenvolvimento emocional,livre do “fantasma” da separação.(pag.16) Além das vantagens para o bebê já citadas, com a amamentação as puérperas tem alguns benefícios logo após o parto ocorre a contração do útero com isso a diminuição do sangramento da mãe prevenindo anemia materna, diminui o risco de câncer de mama e ovários, é um tipo de método natural de planejamento familiar além de ser ecônomico e prático. Embora seja um ato natural,a amamentação é também um comportamento aprendido.Amplas pesquisas já demonstram que tanto as mães quanto os profissionais de saúde e assistentes necessitam de encorajamento e apoio para manter práticas apropriadas de amamentação. VANTAGENS PARA A MÃE ESPAÇAMENTO ENTRE AS GESTAÇÕES Ainda segundo José Dias Rego(2008,p.18) o aleitamento materno exclusivo aumenta o intervalo entre as gestações,pois enquanto amamenta com frequência a mulher não ovula e ,consequentemente,não menstrua,tornando-se infértil temporariamente.È importante frisar que,para que isso aconteça,é preciso que a mãe amamente diuturnamente,não usando sequer chupeta para distrair a criança.Contudo,não existe segurança absoluta e,assim,recomenda-se,além da anticoncepção natural da amenorréia,a utilização de outro método anticoncepcional. Pílulas combinadas contendo estrógeno e progesterona comprometem a produção,porém minipílulas contendo exclusivamente progesterona podem ser utilizadas,de preferência após o quinto mês. Métodos mecânicos s~so seguros e absolutamente não interferem com a lactação.O DIU(dispositivo intra-uterino),camisinhas,diafragmas e cremes espermicidas podem ser usados de forma segura,desde que aceitos pelo casal. (pag.18-19)
  • 14. PREVENÇÃO DAS HEMORRAGIAS PÓS-PARTO A sucção do bebê logo após o parto libera ocitocina,hormônio que atua contraindo o útero.As contrações da musculatura uterina promovem a oclusão dos vasos sangüíneos após a saída da placenta evitam as hemorragias. (pag.19). INVOLUÇÃO DO ÚTERO As contrações das fibras uterinas induzidas pela ocitocina promovem uma rápida diminuição do volume do útero,que chega a alcançar até 20 vezes o seu tamanho original ao final da gravidez.Dessa forma,a mãe recupera rapidamente a silhueta exibida antes de engravidar.”O útero da mãe que não amamenta nunca volta ao tamanho pré-gravídico,permanecendo sempre um pouco aumentado”. Amamentar reduz rapidamente as medidas do quadril.A mãe perde peso em menor tempo,graças ao gasto energético adicional de aproximadamente 500 calorias por dia com a produção do leite.(pag.19) PREVENÇÃO DE ANEMIAS A amenorréia(ausência de fluxo menstrual),além de espaçar as gestações,o que facilita o planejamento famíliar,preserva as reservas orgânicas de ferro,prevenindo a anemiaq materna no período da amamentação.(pag.19) PROTEÇÃO CONTRA O CÂNCER GINECOLÓGICO A mulher que amamenta fica protegida em relação ao câncer de mama.Amamentar por 04 a 12 meses reduz as taxas de câncer de mama em 11% na população geral de mulheres férteis. Amamentar por 24 meses pode reduzir o risco em até 25%,especialmente nas mulheres que amamentam ainda jovens.A proteção se estende ao bebê do sexo feminino que mama no peito,pois estes terão25% menos chances de câncer ginecológico.Não amamentar significa também maior risco de câncer de ovário e câncer de endométrio(camada interna do útero).(pag.19)
  • 15. VANTAGENS PARA A FAMÍLIA E A SOCIEDADE O leite materno não tem custo, é higiênico e não contém micróbios, já vem pronto e em temperatura adequada. Possui vantagens na proteção do bebê diminuindo os custos de internações por problemas gastrointestinais,respiratórios entre outras doenças.Representa uma econômia porque dispensa o uso de gás de cozinha com a prática da amamentação.Os pais diminui o absenteísmo ao trabalho,uma vez que a criança mantém mais saudável. Segundo José Dias Rego (2008p. 24), O leite materno é a única forma de garantir alimentação adequada aos bebês, pois não depende do poder aquisitivo da família. Crianças pobres e ricas têm a mesma oportunidade de receber o melhor alimento que existe, oferecido na temperatura certa, numa embalagem repleta de amor, que permite a todos a mesma chance de sobrevivência nos primeiros e mais difícil tempos da vida. Conhecer os benefícios da amamentação para a saúde da mulher é muito gratificante,não somente como estudo profissional,mas também para a vida pessoal de qualquer mulheres,até mesmo para os homens,que devem compreender e incentivar o aleitamento de seus filhos. O sucesso do aleitamento materno como benefício para a saúde da puérpera está diretamente ligado ao treinamento da equipe de enfermagem e profissionais da área de saúde que saibam orientar corretamente a mulher e familiares desde o princípio da gravidez,pois a mãe deve desejar amamentar o seu bebê e não ver a amamentação como uma obrigação.São passos simples de uma boa orientação que podem fazer com que surja uma grande mãe e uma mulher muito mais feliz e muito mais saudável.
  • 16. ‘’’ 3 METODOLOGIA 3.1- Caracterização do estudo (Tipo de Estudo) Esse estudo será descritivo, exploratório, com método quantitativo, com a finalidade de analisar e documentar os dados e mensurá-los. Os dados contidos no estudo irão permitir uma melhor visão sobre a percepção e o nível de conhecimento das puérperas do H.M.C. D sobre os benefícios da amamentação, além de observar se o atendimento poderia ser mais direcionado e transformado em assistência ofertada em melhor qualidade de vida. 3.2- População Serão pesquisadas puérperas que amamentam, de qualquer idade e etnia, o local escolhido será o H.M.C.D que aceitarem participar da pesquisa. A escolha será baseada em mães que realmente amamentam. 3.3-Amostra Serão pesquisadas 30 puérperas que amamentam ou já amamentaram. 3.4-Definições das variáveis 3.5-Instrumentos Serão utilizados formulários em papel chamex com as perguntas e opções de respostas fechadas e abertas, caneta e a acadêmica fazendo as perguntas e marcando as respostas do formulário conforme resposta obtida pela puérperas . 3.6- Procedimentos da Coleta de Dados Os dados serão coletados por meio pesquisa de campo será aplicado um formulário contendo questões fechadas referentes aos dados sócio-
  • 17. econômicos, obstétricos e questões abertas que permitirão conhecer a visão de seus conhecimentos quanto os benefícios que a amamentação lhes proporciona e em relação à assistência prestada quanto à prática da amamentação, no H.M.C. D, onde será enviado um ofício ao diretor da Instituição, solicitando a pesquisa. Será confeccionado o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido que será utilizado como instrumento de autorização dos dados coletados com as pesquisadas 3.7-Tratamento de Dados 3.8-Cuidados éticos Após uma dinâmica de apresentação onde será distribuídos o formulário para cada entrevistada referente ao Tema:O conhecimento da puérpera acerca dos Benefícios Maternos da Amamentação .As puérperas que aceitarem participar da pesquisa vão assinar o termo de consentimento livre e esclarecido,conforme a Resolução196/96 do Ministério da Saúde,para pesquisas que envolveram seres humanos.
  • 18. Cronogramas O conhecimento da puérpera acerca dos benefícios materno da amamentação ETAPAS /DATAS AGOST. SETEM. OUT. NOVEM. DEZ Formulação do Problema Tema Pré-projeto Entrega ao orientador Projeto Revisão Coletas de dados Análise e discussão dos dados Apresentação
  • 19. Of. 01/10 Bom Jesus da lapa - BA, ---- de-------------------- de 2010. Ilmº. Sr. Diretor do Hospital Municipal Carmela Dutra Venho por meio desta solicitar vossa autorização para que a acadêmica do 8º semestre vespertino de enfermagem Margareth Miranda Ayres realize uma pesquisa de campo com as puérperas desta instituição, sendo esta pesquisa, parte do Projeto TCC II. Atenciosamente, ___________________________________________________________ Diretor Marcélio Magno Magalhães Silva
  • 20. Termos de Consentimento Tema: O conhecimento da puérpera acerca dos benefícios materno da amamentação Eu Margareth Miranda Ayres acadêmica, graduando o curso de enfermagem da Faculdade de Guanambi, 8º Semestre Vespertino, pretende desenvolver um estudo que objetiva conhecer a visão das nutrizes dessa Instituição sobre O conhecimento da puérpera acerca dos benefícios materno da amamentação . O estudo em questão é de relevância, pois o resultado obtido pode ser utilizado por órgãos reguladores para abrirem discussões da importância dos benefícios da amamentação para a saúde da mulher, pois, o ato de amamentar traz consigo vários beneméritos para as mães que precisam torna-se cada vez mais conscientes disso. A pesquisa será realizada a partir de coletas de dados, através de formulário semi- estruturado que será aplicado às puérperas do H.M.C.D situado na cidade de Bom Jesus da Lapa-Ba à Avenida Manoel Novais Nº 1022, Centro. Sendo que os resultados obtidos serão para fins científicos. Desde já esclareço que preservarei a identidade dos participantes, garantindo assim os princípios éticos, da resolução 196/96 da lei de diretrizes e normas regulamentares de pesquisa envolvendo seres humanos que contemplam os princípios éticos básicos da autonomia, justiça, confidencialidade, fidelidade e veracidade. Agradecemos a colaboração. Entrevistada___________________________________________________________ Acadêmica____________________________________________________________ Guanambi-Ba ---------------/---------------/2009
  • 21. Questionário: 1. Identificação. Idade:- ----------------------------anos 2. Estado civil ( )Solteira ( )Casada ( )Viúva outras:-------------------------- 3. Escolaridade: ( ) Analfabeta ( )Alfabetizada ( )1° grau incompleto ( )2° grau incompleto ( )nível superior 4. Profissão: ( )secretário ( )Serviços Gerais ( )Recepcionista ( )Agentes administrativos ( )outros. 5. No decorrer da gestação, você participou de algum grupo de apoio ou palestras no pré-natal sobre a importância dos benefícios da amamentação para a mulher? ( )Sim ( )Não 6. Você conhece os benefícios para a amamentação para a mãe? ( )sim . Quais? ( )não _______________________________________________________________ _______________________________________________________________ 7. Pode citar pelo um dos benefícios que a amamentação trouxe para sua saúde? ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ 8. Você entende que o estresse, ansiedade e o cansaço podem prejudicar a saída do leite? ( )sim ( )não 9. Qual a freqüência das suas amamentações? ( )2 vezes/dia
  • 22. ( )3 vezes/dia ( )5 vezes/dia ( )6 vezes/dia 10. Depois que começou a amamentar houve mudança no corpo? ( )sim ( )não 11. Você encontrou dificuldade para amamentar? ( )sim ( )não 13. Psicologicamente o que mudou em sua vida após a amamentação? _______________________________________________________________ _______________________________________________________________ _______________________________________________________________ _______________________________________________________________ 14. Se já amamentou outras vezes quando parou de amamentar, quais foram às sensações que você sentiu? _______________________________________________________________ _______________________________________________________________ _______________________________________________________________ _______________________________________________________________ 15- Você sabe a duração ideal do aleitamento materno para o seu filho? _______________________________________________________________ _______________________________________________________________ 16- Os acompanhamentos feitos às gestantes nas unidades de saúde priorizam a amamentação? SIM ( ) NÂO ( ) 17-O leite materno ajuda a aliviar cólicas da mãe? ( ) Sim ( )Não
  • 23. Metodologia Metodologia é uma preocupação instrumental, (DEMO, 1985, p.19). Afinal cuida dos procedimentos, das ferramentas, e dos caminhos. È a maneira concreta como se realiza a busca do conhecimento. A metodologia de uma pesquisa reúne elementos de grande relevância para o processo de investigação. O processo de estudo será orientado numa abordagem exploratória e quantitativa devido à necessidade de mensurar e analisar os dados obtidos nos formulários e através da observação sistemática. A pesquisa realizada é do tipo descritivo com aplicação de formulário semi- estruturado, com questões objetivas e subjetivas, no qual a essência voltada para o conhecimento da puérpera acerca dos benefícios materno da amamentação. Fase exploratória (GIL, 2007, p.144) objetiva determinar o campo de investigação, as expectativas dos interessados, bem como o tipo de auxílio que estes poderão oferecer ao longo do processo de pesquisa. Quanto à fase quantitativo-Descritivo-(Lakatos;Marconi, 2010 p.170)Consistem em investigações de pesquisa empírica cuja principal finalidade é o delineamento ou análise das características de fatos ou fenômenos, a avaliação de programas ou o isolamento de variáveis principais ou chaves. Portanto, a pesquisa será coletada no hospital Carmela Dutra, através das informações colhidas pelas puérperas que estejam amamentando. Dessa maneira, com objetivo de verificar a importância do H.M.C.D no incentivo a
  • 24. amamentação. (deve-se dar mais atenção a capacitação dos profissionais de saúde. Em tempo, será realizada uma análise sobre possíveis incentivos oferecidos pelo H.M.C. D à sensibilização da mulher sobre as vantagens em amamentar o seu filho) 3.1 REVISÕES BIBLIOGRÁFICAS A bibliografia tem por objetivo permitir ao cientista “o reforço paralelo na análise de suas pesquisas ou manipulação de suas informações” (TRUJILLO, 1974, p.230), pois a pesquisa bibliográfica não é mera repetição do que já foi dito ou escrito sobre certo assunto, mas propicias as conclusões inovadoras. A pesquisa bibliográfica consiste em três etapas, a seleção prévia do material e finalmente a construção do texto. 3.2 FORMULÁRIOS Serão aplicados as puérperas internadas no alojamento conjunto do Hospital Municipal Carmela Dutra ,que já estejam amamentando antes da alta hospitalar.O instrumento abordará questões sobre o conhecimento das puérperas acerca dos benefícios materno da amamentação,onde será avaliada e analisada as perdas de peso no pós-parto,redução de hemorragias ,redução de anemia,maior espaçamento entre as gestações devido menor risco de uma nova gravidez além de analisar a redução dos riscos de desenvolver câncer de mama,ovário e doenças ósseas como a osteoporose entre outras patologias e ao mesmo tempo incentivar a amamentação através de palestras realizadas no alojamento conjunto. A pesquisa de campo tem como objetivo conseguir informações ou conhecimentos acerca de um problema, recolher e registrar, de maneira ordenada, os dados sobre o assunto em estudo, ”Não deve ser confundida como simples coleta de dados, é algo mais que isso, pois exige contar e
  • 25. controles adequados, com objetivos preestabelecidos que descriminam suficientemente o que deve ser coletado”. (TRUJILLO, 1982, p.229). Será realizada um estudo prospectivo transversal com população de mulheres internadas no alojamento conjunto do H.M.C.D da cidade de Bom Jesus da Lapa-Ba, no período de fevereiro a maio de 2011 .A referida instituição presta atendimento em horário integral. A pesquisa inclui trabalho em campo com intuito de identificar o conhecimento das puérperas acerca dos benefícios materno da amamentação e observar a prática dos enfermeiros e sua atuação perante as ações de incentivo a amamentação para as puérperas e seus benefícios para as próprias desenvolvidas no H.M.C.D. Como critérios de inclusão,Deve: Ser pacientes internadas no alojamento conjunto do H.M.C.D; ter idade variadas ; estar amamentando.Será excluída do estudo a paciente que: estiver em uso de medicamentos antivirais. 3.3 Análises do Material Coletado A sistematização e análise do material coletado a fim de refletir sobre tais resultados serão realizadas a partir dos formulários utilizando-se técnicas estatísticas,para obtenção de medidas e percentuais.Para cada item a ser avaliada opitarei pela construção de gráficos para realçar as informações mais relevantes,de acordo com os objetivos previamente traçados neste estudo. 3.4 O Município Bom Jesus da Lapa é um município brasileiro do estado da Bahia, situado a região centro-oeste na zona Fisiográfica do Médio São Francisco,com território totalmente abrangindo pelo “polígono das secas” a 796 km de Salvador. A sua população em 2007 era de 62.199 habitantes conforme o IBGE, mas a estimativa em 2009 tenha aumentado para 66.192 habitantes. Possui uma área
  • 26. total de 4148,5 km² e é banhada pelo rio São Francisco. Suas atividades econômicas estão baseadas na agricultura, comércio, turismo e pesca.Limita- se ao norte com o município da Paratinga à 75KM; Ao sul com o município de Malhada à 130 KM ; A leste com o município de Riacho de Santana à 68 KM e a oeste com o município de Serra do Ramalho à 49 KM. A altitude da sede municipal é de 4.838,199 metros,segundo se vê na chapa cravada junto à parede no canto direito da Gruta do Bom Jesus. A cidade de Bom Jesus da Lapa concentra a segunda maior festa religiosa católica do Brasil, no mês de agosto, conhecida como a procissão ou romaria do Bom Jesus em que atrai milhares de fiéis todos os anos, por este motivo é conhecida como a “Capital Baiana da Fé”.O grande diferencial entre Bom Jesus da Lapa e as outras cidades da região é o morro em estilo gótico e suas grutas que lhe conferem um clima místico e diferenciado. 3 METODOLOGIA 3.1- Caracterização do estudo (Tipo de Estudo) Esse estudo será descritivo, exploratório, com método quantitativo, com a finalidade de analisar e documentar os dados e mensurá-los. Os dados contidos no estudo irão permitir uma melhor visão sobre a percepção e o nível de conhecimento das puérperas do H.M.C. D sobre os benefícios da amamentação, além de observar se o atendimento poderia ser mais
  • 27. direcionado e transformado em assistência ofertada em melhor qualidade de vida. 3.2- População Serão pesquisadas puérperas que amamentam, de qualquer idade e etnia, o local escolhido será o H.M.C.D que aceitarem participar da pesquisa. A escolha será baseada em mães que realmente amamentam. 3.3-Amostra Serão pesquisadas 30 puérperas que amamentam ou já amamentaram. 3.4-Definições das variáveis 3.5-Instrumentos Serão utilizados formulários em papel chamex com as perguntas e opções de respostas fechadas e abertas, caneta e a acadêmica fazendo as perguntas e marcando as respostas do formulário conforme resposta obtida pela puérperas . 3.6- Procedimentos da Coleta de Dados Os dados serão coletados por meio pesquisa de campo será aplicado um formulário contendo questões fechadas referentes aos dados sócio- econômicos, obstétricos e questões abertas que permitirão conhecer a visão de seus conhecimentos quanto os benefícios que a amamentação lhes proporciona e em relação à assistência prestada quanto à prática da amamentação, no H.M. C D, onde será enviado um ofício ao diretor da Instituição, solicitando a pesquisa. Será confeccionado o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido que será utilizado como instrumento de autorização dos dados coletados com as pesquisadas 3.7-Tratamento de Dados
  • 28. 3.8-Cuidados éticos Após uma dinâmica de apresentação onde será distribuídos o formulário para cada entrevistada referente ao Tema:O conhecimento da puérpera acerca dos Benefícios Maternos da Amamentação .As puérperas que aceitarem participar da pesquisa vão assinar o termo de consentimento livre e esclarecido,conforme a Resolução196/96 do Ministério da Saúde,para pesquisas que envolveram seres humanos.
  • 29. Termo de consentimento livre e esclarecido Eu-------------------------------------------------------------------------,RG:----------------------, nascido em-----------/--------/----------/e domiciliado à-------------------------------------,município de--------------------------------------------------------------------------------------- Declaro que consinto em participar como voluntária do projeto “O conhecimento da puérpera acerca dos benefícios materno da amamentação”,sob responsabilidade do(a)pesquisador(a) Prof.Lorena Gusmão.Declaro que fui satisfatoriamente esclarecido que:A) o estudo será realizado a partir de entrevista registrada;B)que não haverá riscos para minha saúde,C)que posso consultar os pesquisadores responsáveis em qualquer época,pessoalmente ou por telefone,para esclarecimento de qualquer dúvida;D)que estou livre para,a qualquer momento,deixar de participar da pesquisa e que n~o preciso apresentar justificativas para isso;E) que todas as informações por mim fornecidas e os resultados obtidos serão mantidos em sigilo e que,estes últimos só serão utilizados para divulgação em reuniões e revistas científicas sem a minha identificação;F) que serei informado de todos os resultados obtidos,independentemente do fato de mudar meu consentimento em participar da pesquisa;G) que não terei quaisquer benefícios ou direitos financeiros sobre os eventuais resultados decorrentes da pesquisa;H) que esta pesquisa é importantepara o estdo,melhor entendimento. Assim, consinto em participar do projeto de pesquisa em questão. ----------------------------------------- -----------de---------------de 201---. -------------------------------------- ----------------------------------------------- Voluntária Pesquisadora OBS: Este termo apresenta duas vias, uma destinada ao usuário ou seu representante legal e a outra ao pesquisador.