SlideShare uma empresa Scribd logo
A Philips Business Communications, ao elaborar este manual, teve como objetivo 
assegurar-lhe informações completas e precisas com a mais alta credibilidade. 
Logo, as informações deste manual podem sofrer alterações sem aviso prévio. 
Se você descobrir algum erro ou omissão, ou desejar fazer alguma sugestão para 
melhorar a qualidade deste manual, envia sua proposta para: 
PHILIPS BUSINESS COMMUNICATIONS 
Departamento de Produtos e Suporte a Vendas 
Rua Verbo Divino, 1400 
CEP 04719-002 - São Paulo - SP 
MANUAL DE COMANDOS DE OM - MML 
SOPHO iS3000 – Call@Net 
3506 391 08450 
(Edição : Janeiro 2007)
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
2 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
CONTEÚDO 
PREFÁCIO .........................................................................................................10 
1 INTRODUÇÃO...............................................................................................12 
1.1 O QUE É UM COMANDO DE OM ..........................................................12 
1.2 SINTAXE DE COMANDOS DE OM........................................................12 
1.3 REPRESENTAÇÃO DE COMANDOS OM..............................................14 
1.4 FUNÇÕES DE AJUDA NA TELA............................................................15 
1.5 COMANDOS DE TECLADO...................................................................16 
1.6 RESPOSTAS DO SISTEMA...................................................................16 
1.7 ESTRUTURA DO ENDEREÇO DE HARDWARE (EHWA).......................17 
2 ALARMES (RELATÓRIOS DE FALHAS).......................................................19 
2.1 BUFFERS DE ALARMES.......................................................................19 
2.2 BUFFER HISTÓRICO............................................................................20 
2.3 REDIRECIONAMENTO DE ALARME.....................................................21 
2.4 DECT - ALARMES DO ADAPTADOR DE TERMINAIS SEM FIO.............21 
3 ALARMES DIGITAIS.....................................................................................22 
4 ARMAZENAMENTO PERIFÉRICO DE ARQUIVO..........................................24 
4.1 MECANISMO DE ARMAZENAMENTO PERIFÉRICO DE ARQUIVO.......25 
4.2 TRACER DE PROTOCOLO PPH ...........................................................27 
5 ARQUIVOS - COMANDOS PARA MANIPULAÇÃO.......................................28 
6 ARQUIVOS DE SEGURANÇA (BACK-UP DE MANUTENÇÃO).....................31 
6.1 COMPATIBILIDADE DA UNIDADE.........................................................35 
6.2 ELABORAÇÃO DE UM "FIRE COPY" (CÓPIA DE EMERGÊNCIA). ........36 
7 ARVORE DE ANALISE / ESQUEMA DE NUMERAÇÃO ................................37 
7.1 ESQUEMA DE NUMERAÇÃO GERAL ...................................................37 
7.2 ARVORE DE ANÁLISE PARA ESQUEMA DE NUMERAÇÃO 
INTERNA...............................................................................................39 
7.3 ARVORE DE ANÁLISE PARA ESQUEMA DE NUMERAÇÃO 
EXTERNA..............................................................................................43 
8 BILHETAGEM AUTOMÁTICA E BILHETAGEM ESTENDIDA (Registro 
Detalhado de Chamadas - FDCR )................................................................45 
8.1 BILHETAGEM AUTOMÁTICA ................................................................45 
8.2 BILHETAGEM ESTENDIDA (FDCR).......................................................47 
9 BLOCO DE SINALIZAÇÃO E CADENCIA DE TONS (ALTERAÇÕES)...........49 
10 BUSCA PESSOA ..........................................................................................52 
10.1 BUSCA-PESSOA GERAL ......................................................................52 
10.2 BUSCA-PESSOA VIRTUAL ...................................................................53 
10.3 BUSCA-PESSOA REAL.........................................................................54 
0107 3
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
11 CADEADO - FACILIDADES DE PROTEÇÃO POR SENHAS......................... 55 
11.1 ATRIBUIR SENHA ................................................................................ 55 
11.2 CENTROS DE CUSTO, PID OU CRÉDITO (BUDGET)........................... 56 
11.3 DESCONEXÃO DE CHAMADA POR TEMPORIZAÇÃO QUANDO 
BUDGET (CRÉDITO) ZERO.................................................................. 57 
12 CANCELAMENTO GERAL / DESATIVAÇÃO DE COMPARTILHAMENTO 
DE MESA (DESKSHARING) / ALTERAÇÃO DE ESTADO DE 
FACILIDADE................................................................................................. 58 
12.1 CÓDIGO DE CANCELAMENTO GERAL................................................ 58 
12.2 DESKSHARING - DESATIVAÇÃO COLETIVA DO 
COMPARTILHAMENTO DE MESA........................................................ 59 
12.3 MUDAR O ESTADO DA FACILIDADE ................................................... 59 
13 CARGA AUTOMÁTICA (Download) ............................................................. 60 
13.1 CARGA AUTOMÁTICA DE RAMAIS...................................................... 60 
13.2 CARGA AUTOMÁTICA DE TERMINAL.................................................. 60 
13.3 CARREGAMENTO DE PLACA PERIFÉRICA......................................... 63 
14 CCIS SOBRE IP............................................................................................ 64 
15 CHEFE - SECRETÁRIA ................................................................................ 66 
15.1 CHEFE - SECRETÁRIA NORMAIS........................................................ 66 
15.2 CHEFE - SECRETÁRIA AVANÇADOS .................................................. 67 
16 CLASSES DE TRÁFEGO.............................................................................. 69 
17 COMANDOS DE SEGUNDA LINHA (Manutenção)....................................... 70 
18 CONDIÇÕES DE SERVIÇO........................................................................... 72 
19 CONFIGURAÇÃO DE HARDWARE.............................................................. 76 
19.1 MÓDULOS, PLACAS E CIRCUITOS...................................................... 76 
19.1.1 Compartimentos ......................................................................... 76 
19.1.2 Placas ........................................................................................ 77 
19.1.3 Circuitos ..................................................................................... 80 
19.2 GERADOR DE TOM DA REDE DE COMUTAÇÃO................................. 82 
19.3 CONFIGURAR UNIDADE DE REFERÊNCIA DE RELÓGIO................... 82 
19.4 CANAIS-D............................................................................................. 83 
19.5 DISPOSITIVOS E NOMES DE DISPOSITIVOS LÓGICOS. .................... 84 
19.5.1 Dispositivos ................................................................................ 84 
19.5.2 Nomes dos Dispositivos Lógicos ................................................. 88 
19.6 LINK (ENLACES) .................................................................................. 88 
20 CONFIGURAÇÃO IP E SERVIDOR FTP ....................................................... 90 
20.1 CONFIGURAÇÃO IP............................................................................. 90 
20.2 SERVIDOR FTP (Somente CPU3000) .................................................. 91 
20.3 PERFIS DE SERVIÇO DE CLIENTES.................................................... 93 
21 CONSOLE DA TELEFONISTA...................................................................... 96 
4 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
21.1 RELAÇÃO CÓDIGO DE ACESSO / TECLA-B.........................................96 
21.2 PREFERÊNCIA DAS FILAS DAS TELEFONISTAS.................................96 
21.2.1 Fila-A..........................................................................................97 
21.2.2 Fila-C..........................................................................................97 
21.2.3 Fila-M .........................................................................................98 
21.2.4 Relação Lâmpada-Fila................................................................98 
21.3 GRUPO DE ASSISTÊNCIA DA TELEFONISTA E LISTA DE 
DISPONIBILIDADE. ...............................................................................99 
21.3.1 Lista de Disponibilidade...............................................................99 
21.3.2 Grupo de Assistência...................................................................99 
21.4 ESTADO DA OPERADORA...................................................................101 
22 CONTROLE DE CARGA ...............................................................................103 
22.1 MONITORAR A CARGA.........................................................................103 
22.2 MOSTRAR A CARGA............................................................................104 
23 DATA, HORA E IDENTIFICAÇÃO DA CENTRAL ..........................................105 
24 DESCARGA DE SISTEMA (DUMP) ...............................................................108 
25 DISCAGEM ABREVIADA..............................................................................111 
26 DISCAGEM ABREVIADA INDIVIDUAL (IABD) E REPETIÇÃO DO ÚLTIMO 
NÚMERO EXTERNO DISCADO (LENR)........................................................112 
27 ESPERA AUTOMÁTICA SOBRE RAMAL OCUPADO (COB) ........................113 
28 ESTADOS DA UNIDADE...............................................................................114 
29 EXECUÇÃO DE ARQUIVO DE COMANDO ...................................................115 
29.1 EXECUTAR ARQUIVOS DE COMANDOS .............................................115 
29.2 ARQUIVOS DE COMANDOS DE AUTORIDADE ESPECIAL ..................117 
30 FERRAMENTAS............................................................................................118 
30.1 QUANTIDADE DE PACOTES LIVRES / CONTADOR DE 
ROTEAMENTO......................................................................................118 
31 GERENCIAMENTO DE DADOS MFC E CATEGORIA DE ASSINANTE .........119 
32 GRAVAÇÃO DE CHAMADAS – VOICE LOGGING........................................120 
33 GRUPO DE ANÁLISE, VALOR DE COMPATIBILIDADE E PERFIL DE 
SERVIÇO ......................................................................................................121 
33.1 GRUPO DE ANÁLISE E VALOR DE COMPATIBILIDADE.......................121 
33.2 PERFIL DE SERVIÇO............................................................................122 
34 GRUPO DE BUSCA / CAPTURA...................................................................123 
35 HABILITAÇÃO IP / SIP..................................................................................128 
35.1 HABILITAÇÃO IP - SINALIZAÇÃO TOTALMENTE TMP .........................128 
35.2 ENTRONCAMENTO SIP........................................................................132 
35.3 RAMAIS SIP..........................................................................................134 
0107 5
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
36 HOT LINE (LINHA DIRETA).......................................................................... 136 
37 IAS - SERVIDOR DE ANÚNCIO INTEGRADO / MÚSICA EM ESPERA 
(MOH)........................................................................................................... 137 
37.1 SERVIDOR DE ANÚNCIO INTEGRADO (IAS)....................................... 137 
37.2 MÚSICA EM ESPERA (MOH), PARA DIFERENTES GRUPOS DE 
ANÁLISE............................................................................................... 139 
38 IDENTIDADE DE CLUSTER DPNSS / PONTO DE ASSISTÊNCIA / 
NUMERAÇÃO LIVRE / MOBILIDADE DECT WAN iSNet .............................. 140 
38.1 IDENTIDADE DE CLUSTER.................................................................. 140 
38.2 PONTO DE ASSISTÊNCIA.................................................................... 140 
38.3 NUMERAÇÃO LIVRE............................................................................ 141 
38.4 MOBILIDADE DECT EM WAN iSNet...................................................... 142 
39 INICIALIZAÇÃO DE DISCO .......................................................................... 143 
40 LICENÇAS.................................................................................................... 144 
41 MANUTENÇÃO REMOTA............................................................................. 148 
42 MARCAS DE FACILIDADES......................................................................... 151 
42.1 MARCAS DE FACILIDADES PARA RAMAIS ......................................... 151 
42.2 MARCAS PADRÕES DE CLASSES DE FACILIDADES.......................... 152 
43 MEDIÇÃO DE TRÁFEGO E OBSERVAÇÃO. ................................................ 153 
43.1 OBSERVAÇÃO DE TRÁFEGO.............................................................. 153 
43.2 MEDIÇÃO DE TRÁFEGO...................................................................... 158 
43.2.1 Iniciar, Finalizar e Estado ............................................................ 158 
43.2.2 Temporização............................................................................. 158 
43.2.3 Saída ......................................................................................... 159 
43.2.4 Lista de Objeto ........................................................................... 160 
43.2.5 Formatos de Saída ..................................................................... 160 
44 MÓDULOS DE SUPERPOSIÇÃO (OVERLAY).............................................. 167 
45 MOSTRAR MEDIÇÃO.................................................................................. 168 
46 MÚLTIPLO NÚMERO DE ASSINANTE ( MSN )............................................ 169 
47 PONTO DE ASSISTÊNCIA............................................................................ 170 
48 PVN - REDE PRIVATIVA VIRTUAL............................................................... 171 
49 RAMAIS GÊMEOS (TWINNING) ................................................................... 175 
50 RAMAL (DNR) / BSP-ID – CIRCUITO DE LINHA (EHWA) / MÓDULO 
CENTRAL, ASSOCIAÇÃO............................................................................ 176 
51 RAMAL EMERGÊNCIA................................................................................. 179 
52 RAMAL NOTURNO, TRONCO EXECUTIVO E RAMAIS ESPECIAIS............. 180 
52.1 CANS E SINALIZAÇÃO EXTERNA........................................................ 180 
52.2 RAMAIS NOTURNOS............................................................................ 181 
6 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
52.3 TRONCO EXECUTIVO / RAMAIS ESPECIAIS .......................................182 
53 RDSI E QSIG ENDEREÇAMENTO.................................................................183 
53.1 DADO DE DOMÍNIO LOCAL..................................................................183 
53.2 PREFIXO DE SERVIÇO ESPECIAL.......................................................186 
53.3 RELAÇÃO DNR / ROTA - DOMÍNIO LOCAL...........................................187 
53.4 DADO DE DETERMINAÇÃO DE LOCALIZAÇÃO ...................................188 
53.5 CONVERSÃO DE PLANO DE NUMERAÇÃO.........................................189 
53.6 SELEÇÃO DE FACILIDADE QSIG .........................................................189 
54 REDE INTER-UNIDADES..............................................................................190 
54.1 ROTEAMENTO INTER-UNIDADE..........................................................190 
54.2 ROTAS DE TRÁFEGO INTERUNIDADE ................................................191 
55 REDIRECIONAMENTO DE CHAMADAS.......................................................192 
56 RELAÇÃO NOME USUÁRIO – NÚMERO RAMAL.........................................194 
57 RELAÇÕES BSPT - IBSC..............................................................................198 
58 REPROJETAR UNIDADE / PARTIDA DO SISTEMA e MODO DUAL. ............199 
59 ROTAS E TRONCOS - TRÁFEGO.................................................................204 
59.1 DESTINAÇÕES (OU DESTINOS)...........................................................204 
59.2 TABELAS DE ROTA..............................................................................205 
59.3 ROTAS..................................................................................................206 
59.3.1 Dados Gerais de Rotas ...............................................................206 
59.3.2 Características da Rota ...............................................................207 
59.3.3 Conversão de Dígitos ..................................................................207 
59.3.4 Conversão CLI ou COL para RDSI..............................................208 
59.3.5 Tabela de Encaminhamento para Desvio de Chamada QSIG .......210 
59.3.6 Relação Rota-BSPT....................................................................211 
59.4 FEIXES (BUNDLE) ................................................................................211 
59.4.1 Dados Gerais de Feixes ..............................................................211 
59.4.2 Relação Feixe-BSPT...................................................................212 
59.4.3 Feixes Digitais.............................................................................212 
59.5 LINHAS .................................................................................................213 
59.5.1 Identidade CLI/COL de uma Linha Tronco....................................214 
59.6 LINHAS TRONCO FIXAS.......................................................................215 
59.6.1 Destinos e Identidades ................................................................215 
59.6.2 Ponto de Entrada de Central Local...............................................216 
60 SEGURANÇA DO SISTEMA, COMANDOS DE OM e ARQUIVOS ................217 
60.1 AUTORIDADE E PROTEÇÃO................................................................218 
60.1.1 Índices de classe de autoridade...................................................219 
60.1.2 Classes de autoridade e níveis de proteção .................................219 
60.2 SENHAS................................................................................................220 
60.3 NÍVEIS DE RESTRIÇÃO........................................................................222 
60.3.1 Níveis de Restrição da Marca de Classe de Facilidade.................222 
60.3.2 Níveis de Restrição da Classe de Tráfego....................................222 
0107 7
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
61 SERVIÇO INDIRETO MERCURY .................................................................. 223 
62 SERVIÇO SMS.............................................................................................. 224 
63 SIGA-ME....................................................................................................... 226 
64 TMS – Parâmetros do SYSMANAGER......................................................... 227 
65 TECLAS DE FUNÇÃO E MENUS.................................................................. 230 
65.1 TECLAS DE FUNÇÃO........................................................................... 230 
65.2 RELAÇÕES MENU - RAMAL (DNR/BSP-ID).......................................... 231 
66 TEMPORIZAÇÃO DE FACILIDADES............................................................ 232 
67 TESTE AUTÔNOMO..................................................................................... 233 
67.1 TESTE AUTÔNOMO PERIÓDICO......................................................... 233 
67.2 TESTE CONTROLADO MANUALMENTE.............................................. 233 
67.3 TESTE DA CAIXA DE ALARME............................................................. 234 
67.4 CONEXÃO CONTROLADA ................................................................... 235 
67.5 CHAMADA DIRETA............................................................................... 237 
68 VALORE DE COMPATIBILIDADE E FUNÇÕES DE DADOS......................... 238 
68.1 VALORES DE COMPATIBILIDADE E CONVERSORES......................... 238 
68.1.1 Valores de Compatibilidade......................................................... 238 
68.1.2 Conversores ............................................................................... 239 
68.2 OBSERVAÇÕES SOBRE CARREGAMENTO (DOWNLOADING)........... 241 
68.3 RAMAL DE ATENDIMENTO SELETIVO ................................................ 242 
69 OBSERVAÇÕES SOBRE CARGA AUTOMÁTICA (Downloading)................ 243 
70 VERIFICAR DADOS DE PROJETO............................................................... 245 
70.1 LEITURA DE DADOS DO SISTEMA...................................................... 245 
A. MENSAGENS DE ERRO ......................................................................... 246 
A.1 MENSAGENS DE ERRO FIXAS RESIDENTES (1...99)....................... 246 
A.2 MENSAGENS DE ERRO ESPECÍFICAS NÃO RESIDENTES 
(100...189).......................................................................................... 252 
A.3 MENSAGENS DE ERRO GERAIS (190...256)..................................... 265 
B. PARÂMETROS........................................................................................ 268 
A 268 
B 274 
C 277 
D 282 
E 287 
F 290 
G 294 
H 296 
I 297 
J 300 
K 300 
L 301 
8 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
M 306 
N 310 
O 313 
P 316 
Q 321 
R 322 
S 326 
T 332 
U 358 
V 360 
W 361 
Y 362 
C. PLACAS E TIPOS DE PCT’s....................................................................363 
C.1 TABELA DE TIPOS DE PLACAS........................................................363 
C. 2 LISTA DE TIPOS DE PCT’s.................................................................367 
C.2.1 Circuitos de Linha (LCT) ..............................................................367 
C.2.2 Circuitos de Tronco (TRC) .................................................................369 
C.2.3 Circuito de operadora (OCT)...............................................................371 
C.2.4 RKT-SDT....................................................................................371 
C.2.5 SKT-RDT...........................................................................................371 
C.2.6 Entrada MFC......................................................................................372 
C.2.7 Saída MFC.........................................................................................372 
C.2.8 Música em Espera (MOH)...................................................................372 
C.2.9 Canal D..............................................................................................373 
C.2.10 Circuito de Tronco RDSI (TRC-RDSI)................................................373 
C.2.11 IAS-TS.............................................................................................374 
C.2.12 HATCH ............................................................................................374 
D. ÍNDICE REMISSIVO DOS COMANDOS DE OM .......................................375 
0107 9
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
PREFÁCIO 
Este manual é válido para o SOPHO SIP@Net (anteriormente conhecido como 
Call@Net ou pacote de software 810), operando em todos os membros da família 
SOPHO iS3000. 
Neste manual todos esses sistemas serão referidos como iS3000 ou como PABX. 
CONCORDÂNCIA DE LICENÇAS 
A concordância de licenças de um SOPHO iS3000 determina quais facilidades estão 
disponíveis. Dessa forma é possível que uma facilidade aqui descrita não opere em 
um SOPHO iS3000 específico, mesmo que corretamente configurada. Verifique a 
concordância de licença respectiva para determinas quais facilidades estão 
disponíveis. 
OBSERVAÇÕES GERAIS 
Redes Completamente Integradas (FIN - Fully Integrated Networks) somente são 
suportadas pelos equipamentos SOPHO iS3070 e 3090. 
Com relação às respostas dos sistemas aos comandos de OM, poderão ser 
encontradas diferenças entre os exemplos mostrados neste manual e a resposta real 
do SOPHO iS3000, devido às eventuais traduções (ou não) dos arquivos de MML dos 
pacotes de software. 
Caso não haja nenhuma indicação em contrário, os termos: 
- ALC-G representa a ALC-G, ALC-GP ou ALC-G(R). 
- DTX-I representa a DTX-I ou DTX-I(R). 
- PMC representa a PMC-HR, PMC-MC ou PMC-G : 
- PMC-HR representa a PMC-HR ou PMC-G (com NCC-HR). 
- PMC-MC representa a PMC-MC ou PMC-G (com ou sem NCC-MC). 
- DTU-PH representa a DTU-PH ou DTU-G. 
- DTU-PU representa a DTU-PU ou DTU-G. 
- DTU-G representa a DTU-PH ou DTU-PU. 
10 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
COMANDOS DE MANUTENÇÃO DE SEGUNDA LINHA 
A partir do pacote de software SOPHO Call@Net 2.4 os comandos de manutenção de 
segunda linha estão incluídos no pacote de software. Sendo assim não é mais 
necessário copiar esses comandos para o sistema. Entretanto, alguns desses 
comandos (veja relação á seguir) não estão descritos neste manual, mas sim no 
Manual de manutenção de Segunda Linha. 
CHBSPT DIISDN DIPVAR FIOWNR 
CHLDCT DILOAD DIROCO FRCPSW 
CHPERD / DIPERD DIMEUS DISIGQ STMONI 
CHPMFU / DIPMFU DIPCHD EXSUBC UPDUAL 
CHTRAP / DITRAP DIPOOL FCLAIM 
Esses comandos não são descritos nesse manual, e sim no Manual de Comandos de 
Segunda Liinha. 
0107 11
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
1 INTRODUÇÃO 
1.1 O QUE É UM COMANDO DE OM 
OM significa Manutenção Operacional. Um comando de OM permite que você execute 
funções de manutenção em um sistema operacional com o mínimo de inconveniência. 
Os comandos de OM podem ser executados através de um PC ou terminal de OM 
usando-se a Linguagem Homem-Máquina (MML). Um comando OM em MML é um 
mnemônico de 6 letras. Existem dois níveis de comando OM, chamados de 
manutenção de primeiro e segundo níveis. Este manual apresenta todos os comandos 
de manutenção de primeiro nível em MML. Os comandos de manutenção de segundo 
nível são reservados para os especialistas de sistema. 
Pode-se executar comandos de OM a partir do console da operadora, mas não é um 
meio convencional e a variedade de comandos que podem ser executados é restrita. 
Os comandos de OM executados do console da operadora são em código de 4 dígitos. 
Veja o Manual de Comandos de OM (Mesa Operadora) para estes comandos. 
O uso dos comandos de OM inclui: 
- A especificação e modificação de dados dependentes de projeto tais como Esquema 
de Numeração Externo e Classe de Tráfego. 
- Alteração de condições de serviço. 
- Leitura de alarmes e relatórios do estado do sistema. 
- Designação de facilidades a usuários de ramais. 
1.2 SINTAXE DE COMANDOS DE OM 
Cada comando de OM compreende um mnemônico de 6 caracteres, seguido de dois 
pontos (:), alguns números de parâmetros (o qual algum ou todos podem ser 
opcionais) separados por vírgulas e finalizado com um ponto e vírgula (;) ou ponto de 
exclamação (!). 
- Se você terminar um comando com um ponto e vírgula, o comando será executado e 
o "prompt" do sistema < será mostrado. 
- Se você terminar um comando com um ponto de exclamação (uma solicitação de 
continuação) o mnemônico e os dois pontos serão repetidos depois do comando ser 
completado, para você usar o mesmo comando novamente. 
Os parâmetros são mostrados assim: <DNR>. 
Isto significa que você deve digitar o número do ramal (DNR). 
Parâmetros opcionais são mostrados assim: [ <DNR> ]. 
12 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
Isto significa que qualquer item entre colchetes [ ] pode ser omitido. Em alguns 
casos, os colchetes podem conter um número de parâmetros ou um parâmetro e uma 
vírgula. Em tais casos isto indica que tudo entre colchetes deve ser digitado ou tudo 
deve ser omitido. 
Exemplo : O BSP-ID tem o seguinte formato : <DNR> [ <BSPT> ]. 
Nota: Números de unidade são sempre representados como [<UNIIT>]. Como regra 
este parâmetro é obrigatório em sistemas multiunidades e deve ser omitido em 
sistemas de unidade simples. 
Os parâmetros são sempre do tipo "simples" e alguns podem ser do tipo "série" e/ou 
"faixa", dependendo do comando de OM utilizado. 
· Simples Um único número, ex. <DNR> 
Por exemplo: 34078 
· Série Dois, três ou quatro números separados pelo sinal de ampersand (&). A 
possibilidade de digitar uma série é indicada neste manual por um 
subscrito “s” depois do parâmetro, ex. <DNR>s. 
Por exemplo: 34078&34079&34062 
A ação da OM é executada para cada um dos números. Os números 
não precisam estar em ordem de seqüência. 
· Faixa Dois números separados por dois ampersand (&&). A possibilidade de 
digitar uma faixa é indicada neste manual por um subscrito ”r” depois do 
parâmetro, ex. <DNR>r. 
Por exemplo: 34070&&34079 
Ação de OM é executada para todos os números do menor ao maior 
inclusive. O primeiro número deve ser menor que o segundo. 
· Série/Faixa O parâmetro pode ser de série ou faixa. Este é indicado por um 
subscrito ”s/r” depois do parâmetro ex. <DNR>s/r. 
Os dois tipos não podem ser misturado por exemplo: 
34070&34079&&34100 não é uma entrada válida. 
Série/faixa em parâmetros de um BSP-ID somente são possíveis 
quando a parte do BSPT é a mesma, por exemplo 2406-98&&2410-98 é 
permite, 2406-97&&2410-98 não é permitido 
0107 13
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
1.3 REPRESENTAÇÃO DE COMANDOS OM 
Em todo este manual tudo o que você deve digitar está escrito em letras maiúsculas 
grifadas: COMO ESTA. 
As respostas do sistema são em letras maiúsculas menores: COMO ESTA. 
Um comando OM neste manual, tem o seguinte formato: 
· Mudar Número Abreviado 124 # ! 
CHABNR: <ABBR-NUMBER> [ , [<EXP-NUMBER> ] , [<TRFC> ] [ , <AG>s/r ] ] ; 
O cabeçalho fornece a descrição do comando OM. O número depois do cabeçalho 
indica o índice de classe de autoridade. Este índice é usado para alterar a classe de 
autoridade do comando. 
O sinal # indica que este comando é escrito para o arquivo journal, se a atualização do 
journal estiver acionada. 
Ponto de exclamação ( ! ) significa que o comando somente pode ser executado com a 
atualização do journal acionada, isto é, ele não será executado quando o comando OM 
SWJUPD:0; for executado. 
Se o terminal não tem a mesma classe de autoridade, o comando não pode ser 
executado. O comando de OM DIIOVLM mostra a classe de autoridade deste 
comando. A descrição real do comando segue como na caixa. A caixa contém o 
mnemônico de 6 letras, seguido por parâmetros. O significado dos parâmetros está 
explicado no apêndiice ““B””. Este apêndice também apresenta o valor mínimo e máximo 
do parâmetro. Note este valor máximo pode ser menor, no projeto de sua central. 
Consulte o Manual de Dados da sua central para obtenção destes valores. 
O comando que você tecla, pode ser como este: 
CHABNR:**33,0224978,4; 
Este comando relaciona o número abreviado **33 ao número 0224978 e informa ao 
sistema que o usuário deste número abreviado deve ter no mínimo a classe de tráfego 
4. Devido ao número do grupo de análise <AG> estar omitido, o número abreviado é 
adicionado ao grupo comum. O sistema responde como: EXECUTADO. 
14 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
1.4 FUNÇÕES DE AJUDA NA TELA 
Para facilitar o uso dos comandos de OM, o sistema proporciona textos de ajuda 
(consulta) na tela durante uma atividade de OM. Esta consulta pode ser subdividida 
em: 
· Guia de Consulta de Todos os Comandos de OM 
Para obter uma lista dos comandos de OM disponíveis, basta digitar um ponto de 
interrogação (?) depois do "prompt" do sistema (<). 
· Guia de Consulta a Um Específico Comando OM 
Para obter a sintaxe correta (isto é, a versão do comando OM residente em seu 
sistema) de um específico comando OM, entre com o código de 6 caracteres, dois 
pontos e uma ponto de interrogação. A sintaxe é mostrada na tela com uma 
descrição dos parâmetros. O sistema encerra através da repetição do que já 
estava digitado. 
CHABNR: ? 
Mudar o Número Abreviado 
CHABNR: <ABBR-NUMBER> [, [ <EXP-NUMBER> ] , [<TRFC> ] [ . <AG>s/r ] ] ; 
Se somente for teclado o número abreviado, será executada a função de apagar. Se for 
omitido o número do grupo de análise, será adotado o número do grupo de análise comum. 
CHABNR: 
Depois deste pode ser usado o guia de consulta de parâmetro. Veja abaixo. 
· Consulta de um Parâmetro Específico 
Para obter informação de ajuda sobre um parâmetro digite um ponto de 
interrogação na posição do parâmetro desejado. Isto resulta em um texto de 
consulta curta relativo ao parâmetro solicitado. 
CHABNR:**005,? 
EXP-NUMBER: Número ampliado (1...20 algarismos) 
CHABNR:**005, 
Para obter ajuda para o primeiro parâmetro, primeiro solicite o guia de consulta a 
um específico comando de OM e quando o comando for repetido agora digite o 
ponto de interrogação depois dos dois pontos. 
0107 15
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
1.5 COMANDOS DE TECLADO 
Ctrl-G Início da sessão de OM. 
Ctrl-K Início do código de sessão de OM (para aplicações de máquina). 
Ctrl-X Aborta o comando de OM. 
Ctrl-S ou tecla NO-SCROLL: para a rolagem de OM na tela. 
Ctrl-Q ou tecla NO-SCROLL novamente: volta a rolagem de OM na tela. 
DEL Apaga o último caractere. 
? Informação de ajuda. 
Digitar END; ou Ctrl-E para terminar a sessão de OM. 
Digitar END! ou Ctrl-D para finalizar a sessão de OM e distribuir a informação de 
licença 
1.6 RESPOSTAS DO SISTEMA 
A resposta a um comando de OM pode ser: 
· Aceitação 
A resposta de aceitação significa que o comando estava correto e foi executado. 
Ele é constituído por uma mensagem: EXECUTADO. 
· Rejeição 
A resposta de rejeição consiste de uma linha contendo um código de erro seguido 
pela correspondente mensagem de erro, por ex.: 
Erro ###: texto correspondente 
REJEITADO 
< 
Veja o número do erro no apêndiice ““A””, para maiores informações sobre o erro. 
· Solicitação 
As vezes um parâmetro causa um erro não fatal. Isto significa que o sistema não 
para a execução do comando, embora o parâmetro esteja errado. O sistema 
responderá com: 
Px: 
O usuário pode digitar o valor de parâmetro x e depois digitar o ponto e vírgula (;) 
e o comando será executado. 
· Congestionamento 
O comando está correto, mas não pode ser executado, devido à falta temporária 
de recurso. Isto causa a mensagem: 
CONGESTIONAMENTO! 
O usuário não tem que repetir o comando, ele será executado quando o sistema 
tiver recursos disponíveis. Alternativamente o usuário pode abortar o comando, 
usando Ctrl-X e tentar executar o comando algum tempo depois. 
16 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
1.7 ESTRUTURA DO ENDEREÇO DE HARDWARE (EHWA) 
O formato do EHWA é o seguinte: 
<SHELF> [ , [ <BRD> ] [ , <CRT> ] [ , <B--CHANNEL> ] ] ; 
Isto permite as seguintes combinações: 
· <SHELF> ; 
Este é o endereço físico do compartimento. Dentro deste compartimento podem 
ser localizados um número módulos e outros recursos não relacionados com 
placas. Este endereço nunca pode ser usado para identificar um único módulo, 
mesmo que o compartimento contenha somente um módulo. 
Exemplo: 
EHWA do compartimento: 2011; 
· <SHELF> , , <CRT> ; 
Este é o endereço de um módulo (PM, CM ou SM). Estes são recursos 
administrativos e estão sempre na condição de serviço INS. 
Note que a ordem para endereçamento da controladora da PM (PPU ou PMC) o 
EHWA de uma placa controladora deve ser usado (ex.: 2011,17). 
Para permitir o endereçamento externo de módulos em todos os tipos de 
configuração de hardware, esses recursos recebem uma identificação de circuito 
de um compartimento físico. 
Os módulos compostos por compartimentos são mostrados pela OM: 
DIISHLF: <SHELF>; 
Exemplos: 
EHWA da CM: 2014,,0; (compartimento CM/SM combinado) 
· <SHELF> , <BRD> ; 
Este é o endereço físico da placa E (convencionalmente) se existir uma única 
função na placa, ele é também o endereço da função. 
Uma função da placa se constitui numa classificação de um tipo de recurso. 
Muitas vezes a função da placa executa um número de recursos. Um exemplo de 
função de placa é a função de placa CII. Os recursos que realmente realizam a 
função CII são os PCHs (canais físicos). 
Funções de placa devem ter um endereço de hardware externo. Isto é necessário 
para habilitar a identificação da função em certos relatórios de alarme. No caso da 
placa conter somente uma função, o endereço da placa física é também o 
endereço da função. 
0107 17
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
Quando mais funções são combinadas em um endereço físico de placa um 
parâmetro extra é necessário para identificar as diversas funções de placas. 
Exemplos: 
Placa PM convencional 
EWHA da placa: 2011,10; 
EHWA da função da placa PM: 2011,10; 
EHWA do primeiro PCT na placa: 2011,10,0; 
EHWA do último PCT na placa: 2011,10,7; 
EHWA de PMC: UU011,17; 
EHWA de DOC na placa PMC UU011,17,0; 
· <SHELF>,<BRD>,<CRT>; 
Este é endereço de uma função na placa (no caso em que mais funções são 
combinadas na mesma placa) OU ele é o endereço de um dos recursos realmente 
executa a função da placa. 
18 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
2 ALARMES (RELATÓRIOS DE FALHAS) 
Este capítulo contém os comandos relacionados com relatórios de falha. São 
comandos relativos a buffers de alarmes, buffers históricos e redirecionamento de 
alarmes. Em todos os comandos, se o número da unidade for omitido, o comando será 
executado para todo sistema (operação aconselhável). 
O relatório de falha (de todos os comandos mostrados neste capítulo) tem o seguinte 
formato: 
CODE TYPE SHELF BRD CRT OCC DATE TIME QLF ADD. INFO 
CODE dá o código de erro. Veja o Manual de Manutenção para maiores informações. 
TYPE define o TIPO DE DISPOSITIVO (RESOURCE TYPE). Veja apêndiice C. 
SHELF, BRD e CRT indicam , se aplicável, o endereço de hardware onde ocorreu a 
falha. OCOR, DATA e HORA mostram o número de ocorrências do erro, data e hora 
da primeira ocorrência. 
QLF define o qualificador. Veja qualificador no Manual de Manutenção. 
ADIC.INFO define informações adicionais e são de dois dígitos. Consulte para PAR1 e 
PAR2 no Manual de Manutenção para o significado destes dígitos. 
2.1 BUFFERS DE ALARMES 
· Limpar os Buffers de Alarme 52 
CLALRM :: [[ <UNIT>s/r ]] ;; 
Os alarmes devem ser lidos antes de poderem ser apagados. 
Nota: Apagar um alarme não significa retirar a causa do alarme. 
· Mostrar os Alarmes de Bloqueio 46 
DIIBLCK :: [[ <UNIT>s/r ]] ;; 
· Mostrar os Alarmes Principais 50 
DIIMAJA :: [[ <UNIT>s/r ]] ;; 
0107 19
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
· Mostrar os Alarmes Secundários 49 
DIIMIINA :: [[ <UNIT>s/r ]] ;; 
· Mostrar os Alarmes Silenciosos 48 
DIISIILA :: [[ <UNIT>s/r ]] ;; 
· Comutar a Opção de Expansão de Alarmes para On ou Off 443 
SWALEX :: [[<OFF-ON> ]] ;; 
Com este comando o código de alarme, qualificador e tipo de recurso podem ser 
expandidos com um texto explicativo (quando executado os comandos DIHIBU, 
DIMAJA, DIMINA, DISILA e DIBLCK). 
2.2 BUFFER HISTÓRICO 
· Mostrar os Buffer Histórico 47 
DIIHIIBU :: <REPORT-TYPE>s [[ ,, <UNIT>s/r ]] ;; 
20 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
2.3 REDIRECIONAMENTO DE ALARME 
· Confirmar Sinalização de Alarmes a Distância 389 
CALSIIG :: ;; 
Os Alarmes de Sinalização à Distancia (SAD) podem somente ser confirmados se o 
destino atual de alarme está no SAD. Este comando é usado para confirmar 
alarmes em um Centro de Manutenção Remota. 
Resposta: 
SE ALARMES NÃO SÃO CONFIRMADOS: 
ALARM. CONFIRMADOS TIPO-ROTA DESTINO-ALARME 
XXXXX XXXXXX XXXX 
· Redirecionamento de Sinalização de Alarme 51 
REROUT :: <ROUTE-TYPE> [[ ,, <UNIT>s/r ]] ;; 
O número da unidade deve ser digitado somente se o tipo de redirecionamento para 
sinalização de alarme (ROUTE-TYPE) for "Unidade Isolada". Em outros tipos de 
redirecionamento não é permitido digitar a unidade (UNIT). 
2.4 DECT - ALARMES DO ADAPTADOR DE TERMINAIS SEM FIO 
Esses comandos são usados para mostrar e apagar as informações de alarme dos 
Adaptadores de Terminais Sem Fio (CTA) conectadas às DCCs dentro do sistema. 
· Mostrar os alarmes CTA 529 
DIICTAA :: [[<SHELF>,, <BRD>]] ;; 
Resposta: 
DNR-BSPT CTA ALARM CURRENT TRANSIENT HISTORY 
2402-95 No No No No 
CTA software reset No No No 
Quando é fornecido o endereço de hardware da DCC são informados todos os 
relatórios de alarme das CTAs relacionadas à placa DCC informada. 
Se o endereço de hardware é omitido, então serão mostrados todos os alarmes das 
CTAs. 
· Apagar os alarmes CTA 530 # 
ERCTAA :: <BSP-ID> ;; 
Com o BSP-ID pose-se selecionar a CTA que reportou o alarme para ser apagado. 
0107 21
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
3 ALARMES DIGITAIS 
Este comando é usado para conseguir informações sobre o estado do detetor das 
DTUs recebidos pela CM. 
· Mostrar os Alarmes Digitais 300 
DIIDIILA :: <SHELF> ,, <BRD>s/r [[ ,, [[<CRT>s/r ]] [[ ,, <MODE> ]] ]] ;; 
O parâmetro CRT deve ser omitido para placas não-RDSI de acesso não básico, 
tais como DTU-CA, DTU-PR, DTU-CC, DTU-PH, e DTU-PU. O parâmetro CRT é 
mandatório para circuitos RDSI tais como DTU-PH e DTX-I. 
O modo de exibição (MODE) só é valido para placas DTU não-RDSI. Se MODE for 
omitido será fornecida uma exibição resumida. 
Resposta (resumida): 
Alarmes do recurso na posição <SHELF> , <BRD> desde <DATE> <DAY-OF-WEEK> <TIME> 
Estado do DetetorContador 
Detecção de erro de relógio S/N 0 
Perda de alinhamento de quadro S/N 0 
Detecção de excesso de taxa de erro S/N 0 
Detecção de lapso (slip) S/N 0 
Alarme de supervisão do tratamento da sinalização S/N 0 
Perda de alinhamento de multiquadro S/N 0 
Detecção de alarme remoto S/N 0 
Detecção de alarme remoto no TS16 S/N 0 
Detecção de AIS 2 Mbit/s S/N 0 
Detecção de AIS 64 kbit/s S/N 0 
Resposta (exibição completa): 
Alarmes do recurso na posição <SHELF> , <BRD> desde <DATE> <DAY-OF-WEEK> <TIME> 
Estado do DetetorContador 
Detecção de erro de relógio S/N 0 
Alarme indicado pela LTU S/N 0 
Perda de alinhamento de quadro S/N 0 
Detecção de excesso de taxa de erro S/N 0 
Detecção de escorregamento (slip) S/N 0 
Alarme de supervisão de tratamento de sinalização S/N 0 
Perda de alinhamento de multiquadro bit 0 S/N 0 
Perda de alinhamento de multiquadro bit 1 S/N 0 
Perda de alinhamento de multiquadro bit 2 S/N 0 
Perda de alinhamento de multiquadro bit 3 S/N 0 
Detecção de alarme remoto S/N 0 
Detecção de alarme remoto no TS16 S/N 0 
Detecção de AIS 2 Mbit/s S/N 0 
Detecção de AIS 64 kbit/s S/N 0 
22 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
Resposta (RDSI): 
Alarmes do recurso na posição <SHELF> , <BRD> desde <DATE> <DAY-OF-WEEK> <TIME> 
Estado do Detetor Contador 
Detecção de erro de bit S/N 0 
Advertência de escorregamento (slip) S/N 0 
Sobrecarga de alimentação S/N 0 
Perda de alinhamento de quadro S/N 0 
Sinal de indicação de alarme S/N 0 
Perda de sinal S/N 0 
RAI S/N 0 
RAI CRC4 S/N 0 
Excesso de erro de bit S/N 0 
Excesso de escorregamento (slip) S/N 0 
Erro de relógio S/N 0 
Falha de enlace S/N 0 
· Apagar os Alarmes Digitais 368 
ERDIILA :: <SHELF> ,, <BRD>s/r [[ ,, [[<CRT>s/r ]] [[ ,, <MODE> ]] ]] ;; 
0107 23
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
4 ARMAZENAMENTO PERIFÉRICO DE ARQUIVO 
O Mecanismo de Armazenamento Periférico de Arquivo (PFSM) funciona como um 
mecanismo genérico que oferece às placas periféricas e aos terminais TMP a 
possibilidade de transportar dados de qualquer tipo de ou para um arquivo em um 
dispositivo lógico (por exemplo, LBU). Aplicações nas placas periféricas e nos 
terminais TMP podem fazer uso das funções PFSM. 
Uma aplicação que deseja utilizar as funções de PFSM deve definir alguns ajustes 
relacionados à forma de utilização e de iniciar as tarefas PFSM. 
- a especificação do arquivo (por exemplo, nome do arquivo e extensão); 
- o tamanho máximo do arquivo (somente aplicável quando a aplicação escrever no 
arquivo); 
- o método de escrita; 
Existem dois métodos de escrita: 
- Encerrar a escrita quando o tamanho máximo do arquivo for atingido. 
Quando o arquivo alcança o tamanho máximo especificado nenhum dado a mais 
pode ser escrito e a aplicação (normalmente) deve fechar o arquivo. Se a aplicação 
vai parar ou não depende da aplicação. 
- Continuar a escrever quando o tamanho máximo é alcançado. 
Quando o arquivo alcança o tamanho máximo nenhum dado a mais é escrito. O 
arquivo é fechado, renomeado onde a extensão é alterada para ‘BAK’. Quando já 
existir um arquivo com extensão ‘BAK’, este arquivo é apagado. 
Conseqüentemente é aberto com novo arquivo com o nome original. A escrita 
continua nesse arquivo. 
Isto resulta em duas versões de arquivos, ou seja, um arquivo com o nome e 
extensão originais (por exemplo INFO.TXT) o qual está sendo atualmente utilizado 
pela aplicação e um arquivo com o nome original mas com a extensão BAK 
(INFO.BAK o qual era anteriormente o arquivo INFO.TXT). 
Cada tarefa PFSM está associada com um ‘número de tarefa’. O número de tarefa 
relaciona informações adicionais dos alarmes de SAS aplicáveis com o respectivo 
arquivo. O número da tarefa é visível por OM e em seguida liberado no arquivo de 
registro PDFSuu.LOG na LBU da unidade. O número de tarefa é único dentro do 
sistema. 
Existem dois tipos de comandos de OM relacionados com o PFSM; ou seja, comandos 
de OM para gerenciar a função PFSM e comandos de OM relacionados com a 
aplicação que utiliza a função PFSM. Um exemplo de aplicação é o Tracer de 
Protocolo PPH ou o Observador PM integrado (IPMO, desde o Call@Net 3.1C em 
combinação com a PMC-G com pacote 1810.03.01). 
24 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
4.1 MECANISMO DE ARMAZENAMENTO PERIFÉRICO DE 
ARQUIVO 
Com os comandos de OM descritos a seguir pode-se controlar o dispositivo lógico 
associado ao Mecanismo de Armazenamento Periférico de Arquivo. 
· Alterar o Dispositivo Periférico de Saída de Dados 525 # ! 
CHPDOD :: [[ <LDN> ]] [[ ,, <UNIT> s/r ]] ;; 
Define para qual dispositivo os arquivos de dados periféricos serão enviados. 
Alterando-se o LDN não influencia-se os arquivos que já estiverem abertos. 
Quando o LDN é omitido, a LBU da unidade torna-se o dispositivo de saída para os 
dados periféricos. 
· Mostrar o Dispositivo Periférico de Saída de Dados 526 ! 
DIIPDOD :: ;; 
Mostra o LDN definido em todas as unidades como dispositivo de saída de dados 
periféricos. 
Resposta: 
UNIT DEVICE-NAME 
xx xxxxxx x 
O comando é executado em todo o sistema e mostra o dispositivo de saída de 
dados periférico por unidade. 
Com os comandos de OM a seguir, é possível controlar o estado dos arquivos 
periféricos (mostrar/fechar arquivos). 
· Alterar o Estado do Arquivo Periférico de Dados 527 ! 
CHPDFS :: <TASK> [[ ,, <RENAME-AND-REOPEN> ]] ;; 
Cada tarefa PFSM está associada com um número de tarefa. Este número de tarefa 
é único no sistema. 
Este comando de OM altera o estado do arquivo relacionado com a aplicação que 
está utilizando a função PFSM. O estado do arquivo pode ser alterado de duas 
formas: 
- O arquivo é fechado. Isto implica que a tarefa PSFM para a aplicação que abriu o 
arquivo está encerrada. 
0107 25
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
- O arquivo é fechado e renomeado para um arquivo com o mesmo nome mas com 
extensão ‘BAK’. Quando um arquivo com extensão ‘BAK’ já existir, ele será 
apagado primeiramente. Conseqüentemente um novo arquivo é aberto com o 
mesmo nome de arquivo e extensão que o arquivo original. Isto implica que a 
tarefa para a PFSM continuou. A aplicação utiliza o novo arquivo aberto. Quando 
algo de errado acontecer durante a execução deste arquivo de comando, isto 
será notificado através de uma mensagem no terminal de OM. 
Quando o parâmetro RENAME-AND-OPEN = 1 (sim) (somente aplicável para tarefas 
de escrita), o arquivo (assumindo que seu nome é nome.txt) será fechado e 
renomeado para nome.bak. Subseqüentemente um novo arquivo name.txt será aberto 
(a tarefa de escrita continua). 
Quando o parâmetro RENAME-AND-OPEN = 0 (não) o arquivo será fechado (a tarefa 
de escrita ou leitura será finalizada) o arquivo não será renomeado e nem reaberto. 
Quando o parâmetro RENAME-AND-OPEN é omitido, o valor padrão NÃO é 
assumido. 
· Mostrar o Estado do Arquivo de Dados Periférico 528 ! 
DIIPDFS :: [[<TASK> s/r]] [[ ,, <UNIT> s/r]] ;; 
Mostra informações relacionadas com o(s) arquivo(s) de tarefa(s) não finalizada(s). 
Tarefas finalizadas podem ser encontradas no arquivo de registro PDFSuu.LOG na 
LBU da unidade. 
Quando o parâmetro TASK é omitido, será mostrado o estado de todos os arquivos 
de todas as tarefas em operação na(s) unidade(s). Não é permitido especificar 
ambos os parâmetros. 
Resposta: 
TASK PERIP-DATA-FILE SHELF BRD CRT BSP-ID APPL-ID R/W MAX-FILE-SIZE 
xxxxx xxxxxxxxxxxxx xxx xx xx xxxxx xx x xx 
xxx xxx 
STOP-AT-M-F-S START-TIME PASSED-BYTES ERRORS OVERWRITTEN-FILES 
26 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
4.2 TRACER DE PROTOCOLO PPH 
· Iniciar Trace de Circuito Periférico 519 ! 
STRTPT :: <SHELF> ,, <BRD>,, <FILE-NAME> .. <EXTENSION> ,, <MAX-FILE-SIZE> 
,, <STOP-AT-MAX-FILE-SIZE> ]] ;; 
O parâmetro adicional <CRT> [&&<CRT>] define o circuito ou a faixa de circuitos a 
serem observados. 
Ele pode ser terminado entrando-se com ponto e vírgula (;). 
O sistema solicitará a confirmação se os dados do tracer anterior delem ser salvos. 
· Encerrar Trace de Circuito Periférico 520 ! 
STOPPT :: <SHELF> ,, <BRD>;; 
Se esta ação obtém sucesso, então o nome do arquivo do tracer encerrado é 
mostrado no display. 
Além de encerrar a aplicação de tracer através deste comando, a aplicação de 
tracer é implicitamente encerrada quando determinadas situações ocorrem. Isto é 
indicado por “RAZÃO DE PARADA” no arquivo de registro. 
A seguir é fornecido um exemplo de arquivo de registro PDFSuu.log (com duas 
tarefas encerradas): 
TASK FILE-ID EHWA BSP-ID APPL MAX-F-S R/W STOP-AT-M-F-S 
2000 LBU02:T886.01 2011 7 - - 0 3 W No 
STARTED STOPPED LOST-FILES ERRORS REASON-FOR-STOPPING 
1999-04-10 +11:49 1999-04-10 +11:50 0 No 0 
TASK FILE-ID EHWA BSP-ID APPL MAX-F-S R/W STOP-AT-M-F-S 
2001 LBU02:T886.00 2011 7 - - 0 3 W No 
STARTED STOPPED LOST-FILES ERRORS REASON-FOR-STOPPING 
1999-04-10 +11:51 1999-04-10 +11:52 0 No 2 
· Mostrar a Informação de Tracer de Circuito Periférico 521 
DIIPCRT :: <SHELF> ,, <BRD>;; 
A informação a seguir é mostrada quando um tracer está em progresso: 
SHELF BRD OUTPUT-FILE MAX-FILE-SIZE STOP-AT-MAX-FILE-SIZE 
xxxxx xxx xxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxx xxxxxxxxx 
BOARD-FREE-MEMORY DATA-IN-MEMORY LOST-MESSAGES 
xxx xxx xxx 
CIRCUIT 
xxxxxxx 
0107 27
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
5 ARQUIVOS - COMANDOS PARA MANIPULAÇÃO. 
Se um comando de especificação de arquivo <FIILE> for usado, ele consiste dos 
seguintes itens: <LDN> : <FIILE--NAME> . <EXTENSIION> . <GENERATIION>. Se o 
GENERATIION for omitido será usada a última versão. 
No comando DIIRECT, em algumas especificações de arquivos, é possível indicá-los 
com caracteres coringa específicos. Esses caracteres são: 
- * substitui por completo o nome ou extensão do arquivo; 
- % substitui um único caractere, é possível usar mais de um %. 
· Copiar um Arquivo 90 
CPYFIIL :: <SOURCE-FILE> ,, <DESTINATION-FILE> ;; 
Se no arquivo de destino (DESTINATION-FILE), o nome e/ou extensão do arquivo 
for(em) omitido(s), estes serão criados com o mesmo nome do arquivo de origem. 
No arquivo de destino somente (último) pode ser usado para geração. 
· Criar um Arquivo 94 
CREFIIL :: <FILE> ;; 
Somente (último) pode ser usado para geração. O nível de proteção do terminal de 
OM deverá ser no mínimo 3 para cada uma das ações Nova, Anexar, Leitura e 
Apagar (NARD). 
Este comando somente é usado para criar arquivos de comando. Vejja capííttullo 29. 
Todos os comandos no arquivo de comando deverão ser os mesmos que aparecem 
na tela, eles deve começar com uma indicação de leitura (<). Se o comando 
perguntar por parâmetros adicionais ou senhas eles deverão ser digitados também 
no arquivo de comando, mas não devem ser precedido do <. O último comando no 
arquivo de comando deverá ser <END; . Digite EXIT; para fechar o arquivo de 
comando. Não é recomendável criar outros tipos de arquivos, usados pelo próprio 
sistema. 
Exemplo: Nós queremos criar um arquivo de comando para leitura da data e hora, 
criar um grupo. As respostas do sistema são mostradas em letras 
pequenas. 
CREFIL: LBU01: MYFILE.COM/.; 
LINE 0001 : <DIDATI: ; 
LINE 0002 : <CRGRPA: 1234,12,,1401; 
LINE 0003 : 1403,1,0; 
LINE 0004 : ; 
LINE 0005 : <END; 
LINE 0006 : EXIT; 
28 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
· Apagar um Arquivo 91 
DELFIIL :: <LDN> :: <FILE-NAME> .. <EXTENSION> .. <GENERATION> ;; 
Nota que o nível de proteção do terminal de OM deverá ser igual ou maior que os 
níveis de proteção do arquivo a ser apagado. Somente (último) ou 0 (zero = mais 
antigo) podem ser usados para geração. 
· Mostrar a Lista de Arquivos em Dispositivo Lógico 92 
DIIRECT:: <LDN> :: [[<FILE-NAME> [[ .. <EXTENSION> [[ .. <GENERATION> ]] ]] ]] [[ ,, 
<DIRECTORY-TYPE> ]] ;; 
Se o tipo de diretório (DIRECT-TYPE) for omitido, será atribuído o diretório do 
sistema. 
Resposta, depende do tipo de diretório (veja o apêndiice B para parâmetros): 
Diretório do sistema: 
VOLUME NOME-ARQ NARD CRE-DATA/HORA MOD-DATA/HORA TS 12NC 
Diretório do usuário: 
VOLUME NOME-ARQ NOME/SIN REFNOME ACI/FLAG DEF CUR 
Diretório de descrição: 
VOLUME NOME-ARQ DESCRIÇÃO 
O nome do arquivo ou a extensão do arquivo pode ser especificada com * como um 
caractere coringa. 
Exemplo: 
DIRECT: LBU01:ABC.*; 
Este comando lista todos os arquivos começando com "ABC". 
· Purificar um Arquivo 95 
PURFIIL :: <LDN> :: [[<FILE-NAME> ,, <EXTENSION> ]] ;; 
Este comando apaga todos as gerações anteriores de um arquivo. Somente a 
última versão não é afetada. 
· Ler um Arquivo 93 
TYPFIIL :: <FILE> [[ ,, <FORMAT-INDICATOR> ]] ;; 
Se a geração for omitida, será usada a última versão. Não é permitido ler arquivos 
binários ou executáveis. 
0107 29
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
· Mover um Arquivo 505 
MOVFIIL :: <SOURCE-FILE> ,, <DESTINATION-FILE> ;; 
Especificação do arquivo de origem <SOURCE--FIILE>: 
<LDN>: <FIILENAME> . <EXTENSIION> [.<GENERATIION>] 
Especificação do arquivo de destino <DESTIINATIION--FIILE>: 
<LDN>:[<FIILENAME> . [<EXTENSIION> [.<GENERATIION>] ] ] 
O comando MOVFIL faz uma copia do arquivo de origem no arquivo de destino e 
quando a ação é realizada com sucesso o arquivo de origem é apagado. 
Quando os arquivos de origem e de destino estão localizados na mesma BIIM uma 
cópia rápida é executada. Para uma cópia rápida, é requerida a versão 1.4 da BIIM. 
Quando for utilizada uma versão mais antiga de BIIM será realizada uma cópia (e 
cancelamento) normal. 
Quando uma cópia rápida for executada a marca de data e horário do arquivo de 
destino será a mesma do arquivo de origem. 
· Compactar (zipar) um Arquivo 560 
ZIIPFIIL :: <SOURCE-FILE> ,, <DESTINATION-FILE> ;; 
Este comando te o objetivo de ser utilizado em conjunto com o Management@net e 
o SysManager 410. 
O comando ZYPFIL compacta (zipa) um arquivo de origem em um arquivo de 
destino. O <LDN> deve ser a LBU ou a DBU. No caso da CPU3000, os arquivos 
GBU podem ser compactados. 
Nenhum coringa é permitido nos nomes dos arquivos de origem e destino. 
No nome do arquivo de origem a adição de “/” (última geração) pode ser utilizado. 
A extensão do arquivo de destino é sempre “ZIP”. 
30 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
6 ARQUIVOS DE SEGURANÇA (BACK-UP DE 
MANUTENÇÃO) 
Cada unidade tem uma base de dados na Memória Central (CM), contendo todos os 
dados administrativo. Estes dados devem também estar disponível nos dispositivos de 
back-up. 
Os seguintes arquivos, representando a base de dados na Memória Central, podem 
ser feitos: 
- Arquivos de Imagem Fotográfica da Memória (arquivos-MIS), contendo a base de 
dados da Memória Central em formato binário. 
- Arquivo de Formato Lógico, contendo a base de dados da Memória Central (CM) em 
formato de subcomando. 
Antes de fazer estes arquivos, deve-se fechar a Manutenção de back-up (Comando de 
OM BMLOCK ) para evitar a alteração da base de dados, enquanto ele estiver sendo 
copiado para um dispositivo de back-up. 
Quando reconfigurando um sistema é comum a prática de se criar arquivos de 
recuperação (retrieve), adaptar esses arquivos e a seguir reprojetar o sistema com 
esses arquivos adaptados. Entre a criação de um arquivo de retrieve e o reprojeto do 
sistema com esse arquivo adaptado a trava de manutenção de sistema (BM) 
permanece ativa, para restringir a execução de comandos de OM de alteração de 
dados. Entretanto, durante este período, também as ações de Compartilhamento de 
Mesa (Desksharing) não podem ser executadas enquanto a trava de BM estiver 
acionada. 
Para resolver este problema a OM de trava deve ser utilizada. Após Ter gerado os 
arquivos de retrieve, a OM de trava é acionada e a trava de BM é cancelada. As ações 
de Desksharing são agora possíveis e são gravadas no arquivo journal. Quando 
reprojetando o sistema com os arquivos de retrieve adaptados todas as ações de 
Desksharing, executadas no período em que a OM de travas foi acionada, estão 
presentes após o reprojeto do sistema (após reprojetar o sistema, o arquivo journal é 
executado). 
· Ativar ou Desativar a Trava da Manutenção de Backup 108 
BMLOCK :: <OFF-ON> ;; 
Desabilita (ou habilita) todas as atividades de alterações de dados de OM no 
sistema. Deve-se travar a manutenção de back-up antes de fazer um arquivo MIIS 
ou arquivo de Formato Lógico, e logo após liberá-la. 
Resposta: 
Forneça a identificação do usuário: ? 
Preencha com o seu nome (1 ... 6 caracteres) seguido de ponto e vírgula (;) 
0107 31
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
· Ativar ou Desativar a Trava da Manutenção Operacional – OM 511 
OMLOCK :: <OFF-ON> ;; 
Este comando pode ser usado para desabilitar temporariamente todas as ações de 
OM (executadas a partir de um dispositivo de OM) que modifiquem dados de 
configuração. Entretanto atividades de OM iniciadas a partir de ramais (por 
exemplo, quando o Desksharing executado) permanecem possíveis. 
Quando a trava de OM é acionada, a trava de BM somente pode ser desativada! 
Quando a trava de OM não é acionada, a trava de BM pode ser acionada e 
desativada. 
Quando a trava de BM é acionada, a trava de OM não tem função. A trava de BM 
possui uma prioridade superior à trava de OM. 
Resposta: 
Forneça a identificação do usuário: ? 
Preencha com o seu nome (1 ... 6 caracteres) seguido de ponto e vírgula (;) 
· Mudar para um Novo Arquivo Journal Vazio 109 
CHJOUR :: <NETWORK-SIN> ;; 
Antes de utilizar este comando, deve-se primeiramente fechar a BM. Este comando 
apaga todas as versões de arquivo journal e cria um novo arquivo journal vazio 
com a introdução SIN (Número de Identificação de Captura Instantânea). O SIN 
deve ser o mesmo dos arquivo-MIIS presentes. Verifique o SIN dos arquivos-MIIS 
digitando: DIIRECT: LBUxx:LMxx01.POM./,U; 
CUIDADO: Este comando apaga as informações ainda não presentes no 
último arquivo(s)-MIS. Usar o GEBUMI, a menos que isto seja o 
que você realmente necessite. 
· Gerar um Back-up em formato lógico 105 
RTRIIEV :: [[ [ <RETRIEVE-ACTION> ]] [[,,<UNIT> ]] [[ ,, <RETRIEVE-OPTIONS> ]] ;; 
CUIDADO: Não utilize o comando SWJUPD quando fazendo um retrieve. 
Antes de utilizar este comando, deve-se primeiramente fechar a BM. Se o número 
da unidade é omitido, os arquivos de formato lógico serão feitos em todas as 
unidades do sistema. Os arquivos de Formato Lógico são chamados PRxx.POM 
(dados de PE) e ORxx.POM (dados LL). 
O parâmetro <RETRIIEV--OPTIIONS> pode ser usado para indicar se os dados 
dinâmicos e/ou relação nome/número devem também serem incluídos nos arquivos 
de retriev. 
32 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
No caso de dados dinâmicos, os seguintes dados também são incluídos no retriev: 
- Destinos de siga-me (para ramais e grupos) 
- Preparações de siga-me (para ramais e grupos) 
- Ativações de siga-me fixos 
- Marcas de desvio de chamada em ramal ocupado 
- Presença de ramal noturno 
- Presença de ramal de chefe 
- Presença de ramal de secretária 
- Ausência de membro de grupo 
· Gerar um Backup em Imagem Fotográfica de Memória (MIS) 104 
GEBUMII :: [[<UNIT>]] ;; 
ATENÇÃO: Não use este comando quando houverem troncos em condição de 
serviço OUT. 
Antes de usar este comando, deve-se fechar a BM. Se o número da unidade for 
omitido, o arquivo-MIS (Imagem Fotográfica da Memória) será criado para todas as 
unidades do sistema, e um novo arquivo journal vazio será introduzido. Na 
conclusão do comando recomenda-se fazer uma cópia de emergência (se o 
arquivo-MIS foi feito em todas as unidades). vejja seção 6..2. 
Depois de feitos os arquivos MIS, as versões antigas podem ser apagadas para 
prover espaço no back-up local usando o comando PURFIIL (Vejja capííttullo 5). Cada 
arquivo MIS é chamado LMxx01.POM (xx = número da unidade) e está presente no 
back-up Local. 
Nota : É aconselhável manter as duas últimas versões dos arquivos MIS. 
· Apagar o arquivo MIS da memória de back-up 479 
PUBUMII:: [[ <UNIT> ]] ;; 
Com o comando PUBUMI os arquivos MIIS são apagados do dispositivo de back-up. 
Se a unidade não for especificada, os arquivos MIIS serão apagados na unidade em 
que o comando está sendo executado. Se apenas um arquivo MIIS estiver presente, 
nenhum arquivo MIIS será apagado. 
Resposta: 
UNIDADE 2 : Arquivo MISFILE versão a APAGADO ! 
UNIDADE 2 : Arquivo MISFILE versão b APAGADO ! 
UNIDADE 14 : Arquivo MISFILE versão c APAGADO ! 
Onde a, b e c indicam a geração dos arquivos. 
0107 33
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
· Liga ou Desliga a Atualização do Journal 106 
SWJUPD :: <OFF-ON> ;; 
Depois de iniciar uma sessão de OM, a atualização do journal está ligada, os 
comandos são gravados no arquivo journal. Para propósitos especiais (teste 
durante a instalação) ele não pode ser desligado. 
CUIDADO: Desligando a atualização do "journal" é criado um intervalo no 
arquivo "journal". Também o fechamento da BM prevalece para o 
terminal de OM em referência. 
· Atualizar a Unidade a Partir do Journal 107 
UPDATE :: [[ <UNIT> ]] ;; 
Após um reinicio operacional, normalmente é executado o arquivo journal. Quando 
um reinicio operacional ocorre durante a execução de um comando de OM, existe a 
possibilidade de que o reinicio operacional ocorreu devido a um subcomando 
errado. Porque este subcomando esta também presente no arquivo journal, a 
unidade ficaria reiniciando. Isto é uma situação de paralisação. 
ara prevenir isto, o arquivo journal não é executado quando a fechamento da 
unidade está estabelecida (isto ocorre automaticamente durante a execução de 
uma comando de OM). Se o arquivo journal não está executado, isto é sinalizado 
para o usuário. Existem duas possibilidades: 
- O reinicio operacional não foi resultado de um subcomando errado. Execute o 
comando UPDATE para que o arquivo journal seja executado. 
- O reinicio operacional foi resultado por um subcomando errado. Após o comando 
UPDATE, um novo reinicio operacional ocorreu. Relate a situação, pois ela é 
devido um erro de software. 
34 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
6.1 COMPATIBILIDADE DA UNIDADE 
Estes comando são usados quando uma atualização não simultânea deve ser 
criada em uma Rede Completamente Integrada (FIN). 
Nesta situação a rede consistirá de unidades com o pacote de software antigo 
(ainda não atualizado) e unidades com pacote de software novo, Isto significa que a 
rede total consiste de duas (incompatíveis) redes menores. A função 
compatibilidade da rede assegura que chamadas entre redes incompatíveis ainda 
são possíveis porém sem as facilidades. 
· Mudar a Compatibilidade da Rede 403 
CHCOMP :: <INC-OR-COM> ;; 
· Mostrar a Compatibilidade da Unidade 402 
DIICOMP :: <UNIT-1> [[ ,, <UNIT-2> ]] ;; 
O estado mostrado é o estado da Unidade-2 como visto pela Unidade-1 
Resposta: 
UNID COMPATIBILIDADE 
XX XXX 
A compatibilidade pode ser uma das seguintes: 
- Compatível; 
- Incompatível; 
- Desconhecida. 
0107 35
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
6.2 ELABORAÇÃO DE UM "FIRE COPY" (CÓPIA DE 
EMERGÊNCIA). 
Os arquivos-MIIS (consulte o comando de OM GEBUMII) devem ser copiado para um 
conjunto de disquetes, por razão de segurança. Este conjunto de arquivos é chamado 
de Fire Copy. 
Sistemas CCS 
Uma Fire Copy para um sistema com CCS é criado na Módulo de Interface e Back-up 
(BIIM) da seguinte forma: 
1. Selecione o menu de opções da BIIM : ‘Comutar para linha de comando’. 
2. Inserir um disquete na drive de disquetes da BIIM. 
3. Digitar : back-up -c 
Este comando copia os arquivos PE, LL, MIS, journal e Config para o disquete. 
4. Identifique o(s) disquete(s) com a data e o horário e guarde-os em um local 
seguro.. 
Sistemas com CPU3000 
Um fire copy dos arquivos relativos ao cliente (PE, LL, MIS, journal e Config) são 
criados no SMP como seguir: 
1. Selecionar o diretório específico do cliente. 
2. Inserir um disquete no drive do SMPC. 
3. Localizar a última versão dos arquivos que você deseja copiar para o disquete. 
4. Copiar os arquivos para o disquete. 
5. Identifique o(s) disquete(s) com a data e o horário e guarde-os em um local seguro. 
36 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
7 ARVORE DE ANALISE / ESQUEMA DE 
NUMERAÇÃO 
O esquema de numeração completo pode ser dividido em esquema de numeração 
interna e esquema de numeração externa. Ambos os tipos de dados de análise de 
número usam a mesmo tipo de árvore. Como os dados do esquema de numeração 
interna e externa requerem parâmetros diferentes, existem diferentes comandos de 
OM disponíveis. Alguns comandos são válidos para ambos os esquemas de 
numeração. 
Os nomes “número interno” e “esquema de numeração interna” podem causar 
confusão. Número interno são números que pertence ao ramais (DNRs). Sendo assim, 
um número interno é um dos resultados de análise do esquema de numeração interna. 
Outros resultados de análise do esquema de numeração interna são números 
abreviados, prefixo de siga-me, etc. 
7.1 ESQUEMA DE NUMERAÇÃO GERAL 
· Mudar a Restrição da Classe de Tráfego 38 # ! 
CHTBAR :: <TREE> ,, <NUMBER> ,, <TRFC> ;; 
Este comando é usado para mudar a classe de tráfego em uma árvore de análise 
numérica, sem afetar os dígitos analisados. 
· Mostrar a Série de Resultado de uma Análise Numérica 426 
DIINARS :: <TREE>s/r [[ ,, <RESULT-ID> ]] ;; 
Este comando procura por um número que está relacionado a identidade do 
resultado. Quando RESULT--IID for omitido, todos os números relacionados a árvore 
dada será mostrado. 
Resposta: 
TREE CODE ANALYSIS RESULT NUMBER ID NUMBER 
xx xxx xxxxxxxxxxxxxxxxxx xxxxx xx xxx 
O ‘ID NUMBER’ (quando aplicável) fornece informações sobre o destino (atribuído 
com ASIINTN e CHCSDD). A identidade de destino é fornecida e relacionada ao 
‘NÚMERO’. Por exemplo o ‘ID’ pode ser: 
P = Rota de busca pessoa 
D = Número de destino 
Q = Fila A 
S = Servidor 
U = Unidade 
0107 37
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
· Mostrar Dados do Esquema de Análise Numérica 42 
DIINASD :: <TREE>s/r [[ ,, <NUMBER> ]] ;; 
Este comando é usado para mostrar o conteúdo (ou parte dele) de uma árvore de 
análise numérica. Se um NUMBER é digitado, será mostrada a última pirâmide na 
qual esta seqüência de dígito é analisada. 
Os números da árvore para o esquema de numeração interna pode ser mostrado 
usando o comando DIIDIIAL, para DDI (entrada) usando o comando DIIROUT, e para 
DDO (saída) usando o comando DIIDEST. As tabelas de árvore são mostrados por 
nível. Cada tabela consiste de: 
A B C D E F G H I J K L M N O P Q 
Estas letras têm o seguinte significado: 
A Dígito discado J Tamanho máximo do número 
B Código do resultado da análise K Tom de discar local 
C Resultado da análise L Pré-dígito 
D Próxima tabela de análise / número de 
linha M Pós-dígito 
E 
Tamanho do número / Modo PVN / 
Quantidade de linhas Virtuais 
Consecutivas 
N Modo de restauração 
F 
Número do destino / tabela da rota / fila- 
A / Unidade / Validação de senha / 
Servidor 
O Operadora permitida intercalar 
/ número de carga 
G Número da rota de busca-pessoa / 
Pausa (s) P Marca de restrição possível 
H Classe de tráfego (TRFC) 
I Tamanho mínimo do número Q Classe de tarifa / Código de 
ponto (veja nota) 
Nota : Desde o pacote Call@Net 3.5 os Códigos de ponto podem ser relacionados a 
Códigos de Acesso a tronco. O código de ponto é mostrado para Códigos de 
Acesso a Troco e números externos da mesma forma que ele já era mostrado 
para Código de ACesso a Rede. Para Código de Acesso a Tronco o Código de 
Ponto é mostrado na coluna Q. O Código de Ponto para números externos é 
agora também mostrado na coluna Q. Devido ao fato desta coluna Q ser a 
combinação da Classe de Tarifa/Código de Ponto, a Classe de Tarifa foi movida 
para a coluna D. 
· Mostrar a Memória Usada para Esquema de Análise Numérica 45 
DIINASM :: ;; 
Resposta: 
TABELAS-ANALISE BLOCOS-NUMEROS-EXTERNOS 
(PROJETADO) (LIVRE) (MAXIMO) (LIVRE) 
XX XX XX XX 
38 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
· Apagar um número (Tornar o Número Inacessível) 39 # ! 
MAKENU:: <TREE> ,, <NUMBER> ;; 
Este comando é usado para apagar um número ou bloco do esquema de 
numeração externa ou interna. 
7.2 ARVORE DE ANÁLISE PARA ESQUEMA DE NUMERAÇÃO 
INTERNA 
· Designar Árvore de Análise para um Tipo de Discagem 33 # ! 
ASTREE :: <TREE> ,, <DIAL-TYPE>s [[ ,, <AG> // <ROUTE> ]] ;; 
O grupo de análise (AG) é usado apenas para os seguintes tipos de discagem: 
- 0 = Discagem de ramal 
- 1 = Discagem em consulta 
- 8 = Temporização em discagem de overlay 
- 9 = Continuação de discagem de overlay 
- 4 = Discagem de destino alternativo (desde Call@Net 3.4) 
Se o grupo de análise for omitido, será usado o padrão. Se o grupo de análise for 
omitido para destino alternativo então a árvore geral é atribuída para todos os 
grupos de análise que não possuem árvore específica para discagem de destino 
alternativo. 
Para os tipos de discagem 0 ... 9 e 11 o terceiro parâmetro é o AG. 
Para o tipo de discagem 10 (a partir do Call@Net 2.4) o terceiro parâmetro é 
ROUTE: a árvore de análise para ‘Discagem de Nó de Rede’ é associado à rota. 
· Designar Bloco de Esquema de Numeração Interna 34 # ! 
ASBLCK :: <TREE> ,, <NUMBER> ,, <TRFC> ,, < NUMBER-LENGTH / CV / POINT-CODE 
> ,, <RESULT-ID> [[ ,, <DEST> ]] ;; 
Este comando é usado para designar um bloco de números internos ou discagem 
abreviada. Somente os RESULT--IIDs 10, 23 e 24 são permitidos. 
Desde o pacote de software Call@Net 3.5, quando atribuindo um bloco de números 
internos na árvore de discagem inicial (usando o comando de OM ASBLCK com 
RESULT-ID 10), um destino opcional pode ser atribuído. 
0107 39
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
Uma chamada para um número projetado como 'número interno', para o qual 
nenhum DNR tiver sido atribuído, é considerada como 'número externo' e é 
encaminhada para o destino, seguindo o encaminhamento normal projetado: 
destino - tabela de rota - rota - feixe - linha. As características de destino 'opções de 
discagem', 'repetição de código de acesso' e 'atraso de ocupação' são ignorados. 
Suponha que a faixa 1xxx tenha sido atribuída a um destino específico, então 
quando 1234 for discado (o qual é um ramal não existente), a chamada é 
encaminhada para um destino específico. Ele sobrepõe-se ao "Desvio de chamada 
para ramal não existente (CF-TYPE 6) quando configurado. Também quando a 
faixa 2xxx é atribuída e nenhum destino é especificado, então quando 2345 for 
discado (o qual é um ramal não existente), a chamada é encaminhada para "Desvio 
de chamada quando ramal não existente" (CF-TYPE 6) quando configurado. 
· Designar Número do Esquema de Numeração Interna 36 # ! 
ASIINTN :: <TREE> ,, <NUMBER> ,, <TRFC> ,, <RESULT-ID> [[ ,, [[ <DEST / 
NUMBER> ]] [[ ,, <NUMBER-LENGTH / CV / POINT-CODE > ]] ]] ;; 
Este comando é usado para designar um prefixo. Neste comando devem ser 
omitidos os parâmetros DEST//NUMBER e NUMBER--LENGTH//CV. Exceções a 
regra são: 
- Se RESULT--IID = 48 ou 49 : 
CV é um parâmetro opcional e somente deve ser usado no caso de RESULT-ID 
= 48 ou 49. Quando CV é omitido no comando, a relação existente (se presente) 
é apagada. 
- Se RESULT--IID = 49 : 
DEST//NUMBER deve ser dado. Preencher com número da fila-A (1...16). 
- Se RESULT--IID = 14, 21, 91, 92, 138, 147 : 
DEST//NUMBER deve ser um número de destinação. 
- Se RESULT--IID = 12, 13, 120...125, 139 ... 142 : 
DEST//NUMBER de ser um número de rota de busca -pessoa (paging). 
- Se RESULT--IID = 20, 25, 43, 68, 69, 70, 71, 72, 73, 74, 82, 105 ... 115, 118, 119, 
127, 135, 136 : 
NUMBER--LENGTH deve ser dado e DEST//NUMBER deve ficar vazio 
Nota : O NUMBER--LENGTH no RESULT--IID = 111 é usado para validar o código do 
centro de custo discado. O último dígito do código do centro de custo deve ser 
igual a soma do outros comprimento MOD de dígitos. Ex.: se o comprimento é 
6 então 1 2 3 4 5 3 é um código de centro de custo válido. 1 + 2 + 3 + 4 + 5 = 
15. 15 MOD 6 = 3 (resto depois da divisão). O último dígito é também 3, 
portanto é um código de centro de custo válido. 
40 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
- Se RESULT--IID é 50, 51, 143 ou 144 e o DEST//NUMBER está vazio ou ‘0’, é 
usada a validação do PID (SSM). Se o DEST//NUMBER = 1 então é usada 
validação de senha (IPD). O NUMBER--LENGTH (0...16) indica o comprimento do 
PID ou da senha e NUMBER significa ‘prefixo’. 
- Se RESULT--IID = 82 : 
O número de caracteres no NUMBER deve ser compatível com a posição de 
dígito do TMS. 
- Se RESULT--IID = 104 : 
NUMBER--LENGTH (0...16) indica o comprimento da senha; DEST//NUMBER 
como 0 significa ‘alterar a senha do ramal corrente’ e 1 significa ‘alterar a senha 
de qualquer outro ramal’ deve ficar vazio 
- Se RESULT--IID = 132, 133 : DEST//NUMBER deve ser dado. Completar o número 
da unidade. O NUMBER--LENGTH deve estar vazio no caso de 132. No caso de 
133, DEST//NUMBER deve ser modo PVN. 
- Se RESULT-ID = 150: DEST/NUMBER é a quantidade de linhas virtuais e 
NUMBER-LENGHT indica a faixa de números de linhas virtuais consecutivas 1 ... 
99 (1 = padrão e 99 = quantidade máxima de linhas virtuais) 
- RESULT--IIDs 10, 22, 23, 24 e 145 não são permitidos. 
· Alterar os Dados do Serviço CSTA Discado 158 # ! 
CHCSDD :: <TREE> ,, <NUMBER> ,, <TRFC> ,, <SERVER-AND-ACTION-CODE> [[ 
,, [[ <PW-NBR-LENGTH> ]] [[ ,, <ADD-INFO-NBR-LENGTH> ]] ]] ;; 
Com este comando pode ser definido um prefixo para seguir o result-id ‘servidor 
CSTA discado’. 
· Mostrar os Dados do Serviço CSTA Discado 215 
DIICSDD :: <TREE> [[ ,, [[ <NUMBER> ]] [[ ,, <SERVER-AND-ACTION-CODE> ]] ]] ;; 
Este comando mostra os dados armazenados nos prefixos com result-id ‘servidor 
CSTA discado’. 
Se o parâmetro NUMBER é omitido, todos os dados disponíveis de servidor 
CSTA discado para a árvore de análise (TREE) e SERVER--AND--ACTIION--CODE 
indicados, serão mostrados. 
SE o parâmetro SERVER--AND--ACTIION--CODE é omitido, todos os dados 
disponíveis de servidor CSTA discado para a árvore de análise (TREE) e NUMBER 
indicados, serão mostrados. 
Se os parâmetros NUMBER e SERVER--AND--ACTIION--CODE forem omitidos, todos 
os dados disponíveis de servidor CSTA discado para a árvore de análise (TREE) 
indicada, serão mostrados. 
0107 41
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
O leiaute do display segue o exemplo indicado: 
TREE NUMBER SERVER-CODE ACTION-CODE #PASSWORD-DIGITS #ADD.INFO-DIGITS 
0 #49 1 5 0 4 
0 #49 1 5 0 4 
0 #49 1 5 0 4 
0 #49 1 5 0 4 
· Mostrar as Relações do Tipo de Discagem à Árvore de Análise 44 
DIIDIIAL :: [[<DIAL-TYPE>s/r ]] ;; 
Se DIAL-TYPE for omitido, será mostrado todos os tipos de discagem. 
Resposta: 
DIAL-TYPE GRUPO ARVORE ROTA Nº 
ANALISE Nº ANALISE Nº 
0: Extension dialling xx xx — 
1: Enquiry dialling xx xx — 
2: Operator dialling — xx — 
3: Post dialling — xx — 
4: Alternative destination dialling xx 2) xx — 
5: FM primary dialling — xx — 
6: Pick up destination dialling — xx — 
7: Executive secretary dialling — xx — 
8: Overlay time out dialling xx xx — 
9: Overlay continue dialling xx xx — 
10: QSIG network party dialling Route — xx xx 
11: Discagem de caminho 1) 
1) Desde Call@Net 3.2 
2) Desde Call@Net 3.4. Quando nenhum grupo de análise específico é atribuído (utilizando 
ASTREE) uma "-" é mostrado, significando o Grupo de Análise padrão. 
42 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
7.3 ARVORE DE ANÁLISE PARA ESQUEMA DE NUMERAÇÃO 
EXTERNA 
· Designar Número do Esquema de Numeração Externa 37 # ! 
ASEXTN:: <TREE> ,, <NUMBER> ,, <TRFC> ,, <MIN-LENGTH> ,, <MAX-LENGTH> 
,, <DIALTONE-PLACE> [[ ,, <TARIFF-CLASS> ]] [[,,<PAUSE-PLACE> ,, 
<INTERVAL> ]] ]];;;; 
Parâmetros adicionais : [ <ROUTE--TABLE> [ , <POIINT--CODE> ] ]; 
O número (ou faixa de número) tem o resultado da análise 022 (Número externo). 
ROUTE-TABLE somente é relevante para Rota d Menor Custo. 
ROUTE-TABLE e POINT-CODE somente são relevante para Rota de Menor Custo via 
CCIS. 
· Designar Número do Esquema de Numeração Externa com 
Parâmetros Adicionais 328 # ! 
ASEXTP:: <TREE> ,, <NUMBER> ,, <TRFC> ,, <MIN-LENGTH> ,, <MAX-LENGTH> 
,, <DIALTONE-PLACE> [[ ,, [[ <TARIFF-CLASS> ]] [[ ,, <PAUSE-PLACE> ,, 
<INTERVAL> ]] ]] ;; 
Parâmetros adicionais: 
[ <PRE--DIIGIIT> ] [ , [ <POST--DIIGIIT> ] [ , [ <REST--MODE> ] [ , [ <IINTR--ALL// 
CHARGED> ] [ , <ROUTE--TABLE> [ , <POIINT--CODE> ] ] ] ] ] ; 
Este comando é usado quando o número enviado para outra central deve ser 
precedido por um pré-dígito (também chamado de Classe-de-chamada ou Tipo-de-chamada) 
ou seguido por um pós-dígito e/ou quando o modo de restauração e/ou a 
permissão de intercalação (chamada gratuita, RDSI) são usados (CSS1). O número 
(ou faixa de número) tem o resultado da análise 022 (Número externo). 
· Designar Número Externo Bloqueado 40 # ! 
ASBARR :: <TREE> ,, <NUMBER> ;; 
Este comando é usado para bloquear um número externo. O número externo deve 
ser definido com ASEXTN. Isto significa que o resultado da análise 022 (Número 
externo) deve estar presente na árvore relativa. Use DIIDEST para localizar o 
número da árvore correta. Neste comando <NUMBER> pode ser 1...16 dígitos. 
0107 43
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
· Apagar Número Externo Bloqueado 41 # ! 
ERBARR :: ;; 
Toda a lista de números bloqueados serão apagados. 
· Mostrar Números Externos Bloqueados 43 
DIIBARR:: ;; 
A resposta será uma lista de números externos bloqueados e o número da árvore 
de análise. 
-- NUM-BLOQUEADO--- NUM-ARVORE-ANALISE 
XXXXXXXX XX 
44 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
8 BILHETAGEM AUTOMÁTICA E BILHETAGEM 
ESTENDIDA (Registro Detalhado de Chamadas - 
FDCR ) 
Os comandos OM para bilhetagem automática (TT) somente são relevantes quando a 
opção do sistema "Registro Detalhado de Chamada no lugar de Bilhetagem 
Automática" (60) está estabelecida em "FALSE" (Falso). Do mesmo modo os 
comandos OM para FDCR somente são relevante quando à opção do sistema 60 está 
estabelecida em "TRUE" (Verdadeiro). Comandos STOPTT e STOPFR são 
independentes da opção 60. 
8.1 BILHETAGEM AUTOMÁTICA 
· Mudar o Limite do Número da Rota 152 # ! 
CHTRLV :: <ROUTE>s/r ,, [[ <TICS> ]] [[ ,, <DURATION> ]] ;; 
Uma chamada somente é incluída no relatório de registro de chamada, se o número 
de pulso (medição por pulsos) ou a duração da chamada exceder um certo limite. 
Este comando é usado para designar estes limites. 
· Mostrar o Limite do Número da Rota 153 
DIITRLV :: [[<ROUTE> s/r ]] ;; 
Resposta: 
ROTA LIMITE LIMITE 
PULSO-MEDIÇÃO DURAÇÃO(segundo) 
· Mudar as Características da Bilhetagem 154 # ! 
CHTTCR :: <LINES-PER-PAGE> ;; 
Indica o número de linhas que cada campo de página será gerado no arquivo de 
registro de chamada. 
· Mudar o Dispositivo de Saída da Bilhetagem 155 # ! 
CHTTOD :: [[ [[<LDN> ]] [[ ,, [[ <OUTPUT-FORMAT-VERSION>]] [[ ,, <UNIT>s/r ]] ]] ]] ;; 
Indica para qual dispositivo o arquivo de bilhetagem será enviado. Se LDN (Nome 
do Dispositivo Local) for omitido não haverá qualquer dispositivo de saída definido. 
Se o dispositivo de saída for alterado durante a bilhetagem ativada, o dispositivo 
"antigo" permanece válido até que a bilhetagem seja reiniciada. 
0107 45
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
· Mostrar o Dispositivo de Saída da Bilhetagem 156 
DIITTOD :: ;; 
Se o dispositivo de saída for mudado enquanto a bilhetagem estiver ativa, o 
dispositivo "antigo" permanece válido até que a bilhetagem seja reiniciada. Neste 
caso o dispositivo de saída mostrado não é o atual. Este comando é sempre 
executado para todo o sistema. 
A resposta é: 
UNID DISPOSITIVO-DE-SAÍDA VERSÃO-DO-FORMATO-DE-SAÍDA 
XX XXXX X 
· Mostrar o Estado e Características da Bilhetagem 151 
DIISPTT :: ;; 
A resposta é: 
ARQ-SAÍDA-BILH ESTADO ESTADO EM ACUMULADO 
ARQUIV BILH ANDAM. CHAMS PULSOS DUR CHAMS 
nome-do-arquivo XXXX XXXXX XXXXX XXXXX XXXXX XXXX XXXX 
· Iniciar a Bilhetagem 149 # 
STRTTT :: <FILE-NAME> ;; 
Antes que a bilhetagem possa ser iniciada o dispositivo de saída deve ser 
especificado. Isto pode ser um LBUxx, um PC, um dispositivo ou uma impressora. 
Se necessário use DIIDEVC ou DIIPORT para obter uma lista de dispositivo válidos. 
Quando a bilhetagem estiver ativada, pode-se iniciar outra bilhetagem com um 
nome de arquivo diferente. Isto redireciona a saída para um outro arquivo e o antigo 
será fechado. Isto previne perda de bilhetagem. O arquivo contém os seguintes 
itens: 
CC CCT DP P/B RAM IBSC P/N PSW NUMERO DISCADO DATA HORA DUR. UNIDS TETN 
XX XX XX X XXXX XX X XXXXXX XXXX XXXX XXXX XX XXX XXXX 
Se o centro de custo (CC) e o tipo de centro de custo (CCT), departamento (DP), 
indicador private/business (P/B) e/ou senha (PSW) não são utilizado pelo 
chamador, um espaço será mostrado na área específica. TETN contém a rota e o 
número da linha de uma linha externa. 
· Parar a Bilhetagem 150 # 
STOPTT :: ;; 
46 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
8.2 BILHETAGEM ESTENDIDA (FDCR) 
· Mudar a Característica do FDCR 445 # ! 
CHFRCR :: <FDCR-CALL-TYPE>s//rr ,, <OFF-ON> ;; 
Este comando adiciona ou remove um tipo de chamada FDCR de ou para a lista 
de itens registrados. Ele permite registrar um conjunto restrito de tipos de 
chamadas. 
· Mudar o Dispositivo de Saída do FDCR 347 # ! 
CHFROD :: [[ [[<LDN> ]] [[ ,, [[<OUTPUT-FORMAT-VERSION> ]] [[ ,, <UNIT>s/r ]] ]] ]] ;; 
Indica para qual dispositivo o arquivo de FDCR será enviado. Se LDN for omitido 
não haverá qualquer dispositivo de saída definido. Se o dispositivo de saída for 
alterado durante o FDCR ativado, o dispositivo "antigo" permanece válido até que o 
FDCR seja reiniciado. 
· Mostrar o Dispositivo de Saída do FDCR 371 
DIIFROD :: ;; 
Se o dispositivo de saída for mudado enquanto o FDCR estiver ativo, o dispositivo 
"antigo" permanece válido até que o FDCR seja reiniciado. Neste caso o dispositivo 
de saída mostrado não é o atual. Este comando é sempre executado para todo o 
sistema. 
A resposta é : 
UNID DISPOSITIVO-DE-SAÍDA FORMAT-DA-VERSÃO-DE-SAÍDA 
XX XXXX X 
· Mostrar a Bilhetagem Estendida 345 
DIISPFR :: ;; 
Este comando é usado para mostrar o arquivo de saída do FDCR. Além disso este 
comando mostrar o acumulado da medição de pulsos e tempo de duração da 
chamada, quais são perdidos como resultados de congestionamento nos registros 
contados 
0107 47
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
A resposta é: 
FDCR-OUTPUTFILE FILE- TT- IN ACCUMULATIONS: 
FILE 
STATUS STATUS PROGR CALLS PULSES DUR CALLS 
filename xxxxx xxxxx xxxxx xxxxx x xxxx xxxxx xxxx 
Recording call types : 
internal calls : 1 
outgoing calls : 1 
incoming calls : 1 
tieline calls : 1 
assistance calls : 0 
paging calls : 0 
toll-ticketing calls : 1 
accounting DPNSS transit calls : 0 
filter accounting DPNSS internal calls : 0 
· Iniciar a Bilhetagem Estendida 340 # ! 
STRTFR :: <FILE-NAME> ;; 
Antes que o FDCR possa ser iniciado, o dispositivo de saída deve ser especificado. 
Este pode ser a LBUxx, um PC, ou uma impressora. Se necessário use o comando 
DIICHAR para obter a lista de dispositivo válidos. Quando o FDCR estiver ativo, 
pode-se iniciar outro FDCR com um nome de arquivo diferente. Isto redireciona a 
saída para um outro arquivo e o antigo será fechado. Esta ação previne perda de 
dados de FDCR. Para maiores informações sobre este arquivo, consulte o Manual 
de Implementação de Facilidades. 
· Parar a Bilhetagem Estendida 342 # ! 
STOPFR :: ;; 
Este comando é usado para fechar o arquivo de saída FDCR. 
48 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
9 BLOCO DE SINALIZAÇÃO E CADENCIA DE TONS 
(ALTERAÇÕES). 
Os comandos deste capítulo são usado para: 
- Mudar e mostrar o projeto de dados geral da PM, ex.: dados de escravo, dados de 
grupo de sinalização, dados de tom e dados de áudio; 
- Mudar e mostrar o projeto de dados do PPH (Manuseio do Projeto de Periféricos), 
ex.: dados PPH, L1, L2, L3 e TEI. 
· Mudar Dados Projeto da PM 75 # ! 
CHPMPD :: <PM-OBJECT> ,, <OBJ-INDEX> [[ ,, [[ <NBR-OF-ITEMS> ]] ,, [[ 
<PERIODICITY> ]] [[ ,, <UNIT> ]] ;; 
Os parâmetros <IITEM--NR> e <PERIIODIICIITY> devem ser omitido para PM-OBJECTS 
0 e 1. Se o parâmetro UNIT for omitido o comando será executado para todo o 
sistema. 
O comando solicitará por parâmetro adicionais, dependendo do PM-OBJECT digitado: 
- PM-OBJECT 0: Dados sinalização de grupo. 
Parâmetros adicionais: <IITEM--NR> , <BIIT//BYTE> [ , <DATA> ] ; 
Se DATA for omitido, os dados existentes serão apagados. 
- PM-OBJECT 1: Dados escravo. 
Dependendo do parâmetro OBJ-INDEX fornecido, os parâmetros adicionais terão 
o seguinte significado: 
OBJ-INDEX 6 (dados ATC): 
Parâmetros adicionais: <ITEM-NBR> [ , <DATA> ] ; 
Se DATA for omitido, os dados existentes serão apagados. 
Esta ação é requerida somente para determinadas configurações de PROM de 
tom na PSC. Consulte o manual de dados de sinalização. 
- PM-OBJECT 1: Dados escravo. 
Dependendo do parâmetro OBJ-INDEX fornecido, os parâmetros adicionais terão 
o seguinte significado 
. OBJ-INDEX 8 (dados de tons Stc) : 
Parâmetros adicionais: <TONE--SRC> [ , <FREQ--VALUE> ] ; 
- PM-OBJECT 1: Dados escravo. 
Dependendo do parâmetro OBJ-INDEX fornecido, os parâmetros adicionais terão 
o seguinte significado 
. OBJ-INDEX 9 (dados de nível Stc) : 
Parâmetros adicionais: <TONE--SRC> , <LEVEL-VALUE> ] ; 
0107 49
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
- PM-OBJECT 2: Dados de tons da PCS (quando utilizado hardware PPU(PMU)- 
PSC). 
Parâmetros adicionais: <IITEM--NR> [ , <TONE--SRC> , <T--VALUE> , <UNIIT--T> ] ; 
Se os parâmetros TONE-SRC, T-VALUE e UNIT-T forem omitidos, os dados 
existentes serão apagados. 
Nota : Quando um dado de PSC é alterado, um aviso é fornecido pois os dados de 
PMC também devem ser alterados. 
- PM-OBJECT 3: Dados corrente de toque. 
Parâmetros adicionais: <IITEM--NR> [ , <T--VALUE> , <UNIIT--T> ] ; 
Se os parâmetros T-VALUE e UNIT-T forem omitidos, os dados existentes serão 
apagados. 
- PM-OBJECT 4: Dados de intercalação. 
Parâmetros adicionais: <IITEM--NR> [ , <TONE--SRC> , <T--VALUE> , <UNIIT--T> ] ; 
Se os parâmetros TICKER-SRC, T-VALUE e UNIT-T forem omitidos, os dados 
existentes serão apagados. 
- PM-OBJECT 5: Dados de Tom da PMC (quando hardware PMC for usado). 
Parâmetros adicionais: <IITEM--NR> [ , <TONE--SRC> , <T--VALUE> , <UNIIT--T> ] ; 
Se os parâmetros TICKER-SRC, T-VALUE e UNIT-T forem omitidos, os dados 
existentes serão apagados. 
Nota : Quando o dado de PMC é alterado um aviso é fornecido pois os dados de 
PSC também devem ser alterados 
- PM-OBJECT 6: Dados de grupo de sinalização remotamente carregável na PM 
(download). 
Parâmetros adicionais: <IITEM--NR> , <BIIT//BYTE> [ , <DATA> ] ; 
Se o parâmetro DATA é omitido, os dados existentes serão apagados. Durante a 
carga remota (download) o terminal de OM fica travado. Não são fornecidas 
mensagens sobre o que pode ser remotamente carregável e o que não pode. Você 
pode verificar através do comando DIPMPD. 
Se nem todos os dados na PM forem alterados, é necessário executar-se um warm-start 
ou SETOUT/SETIINS. 
O manual de dados de sinalização descreve quais dados podem ser carregados 
remota e diretamente. 
50 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
· Mostrar Dados de Projeto da PM 76 
DIIPMPD :: <PM-OBJECT> [[ ,, [[ <OBJ-INDEX> ]] [[ ,, [[<ITEM-NR>]] [[ ,, [[ <BIT/BYTE> ]] 
]] ]] [[ [[ ,, <SHELF> // <UNIT> ]] [[ ,, <BRD>]] ]] ]];; 
Resposta para funções tom/corrente de toque/Intercalação: 
OBJ-PM FUNC NUM-ITENS PERIODO NUM-ITEM FONT-TOM/CONF VALOR-T UNID-T 
XXX XX XXX XX XX XX XX XX 
Resposta para dado escravo: 
TIPO-ESCRAVO NUM-ITEM DADO 
XX XX XX 
Resposta para dado de grupo de sinalização: 
GRUPO-SIG NUM-ITEM DADO 
XX XX XX 
0107 51
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
10 BUSCA PESSOA 
São definidos os seguintes tipos de busca-pessoa: 
- Busca-pessoa virtual, usando um sistema de alto-falantes; 
- Busca-pessoa real, usando equipamentos de busca-pessoa. Este pode ser subdivido 
em: 
. Busca-pessoa Encontre-me. O receptor portátil dá um "beep" quando há uma 
chamada em espera. 
. Busca-pessoa Não Encontre-me. O receptor portátil é equipado com display ou 
canal de voz. 
Os comandos de OM podem ser divididos em: 
- Comandos gerais, que podem ser executados tanto para busca-pessoa virtual e real; 
- Comandos para busca-pessoa virtual; 
- Comandos para busca-pessoa real (Encontre-me e Não Encontre-me). 
10.1 BUSCA-PESSOA GERAL 
Os comandos nesta seção são usados para criar e/ou mostrar as área(s) de busca-pessoa 
e rotas de busca-pessoa. 
· Criar Área de Busca-Pessoa 246 # ! 
CRPARE :: <AREA> [[ ,, <UNIT> ]] ;; 
Cada área de busca-pessoa tem uma unidade, onde é conectado o equipamento de 
busca-pessoa (ATU-PA no caso de busca-pessoa real). Este é chamado de 
Unidade-utilidade, <UNIIT> indica a Unidade-utilidade. Esta Unidade-utilidade deve 
também ser dada no caso de busca-pessoa virtual, embora não é conectado o 
equipamento de busca-pessoa. 
· Mudar Área de Busca-Pessoa 248 # ! 
CHPARE :: <UNIT> [[ ,, <AREA> ]] ;; 
Este comando é usado para acrescentar unidades para área de busca pessoa 
existente. Isto significa que o comando somente pode ser executada em um sistema 
de multi-unidade. 
· Mostrar Dados da Área de Busca-Pessoa 258 
DIIPARE :: <AREA> ;; 
52 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
· Apagar Área de Busca-Pessoa 247 # ! 
ERPARE :: <AREA> ;; 
· Criar Rota de Busca-Pessoa 249 # ! 
CRPART :: <AREA> ,, <ROUTE> [[ ,, <MIN> ,, <MAX> ]] ;; 
Se MIN e MAX são dados, será criado uma rota real, mais a rota virtual será criada 
mais tarde usando o comando de OM ASPACD. 
A diferença entre o mínimo e o máximo comprimento é igual à quantidade de dígitos 
que pode ser discado posteriormente. 
· Mostrar o Dado da Rota de Busca-Pessoa 257 
DIIPART :: <ROUTE> ;; 
Resposta: 
ROTA MIN MAX AREA UNID-UTILIDADE TIPO-VR 
seguido pelo modo de dígitos (busca-pessoa real) ou códigos virtual (busca-pessoa 
virtual). 
· Cancelar a Rota de Busca-Pessoa 250 # ! 
ERPART :: <ROUTE> ;; 
10.2 BUSCA-PESSOA VIRTUAL 
· Designar Código para Rota de Busca-Pessoa Virtual 253 # ! 
ASPACD :: <ROUTE> ,, <PAGING-CODE>s/r ;; 
O PAGING-CODE deve ser único no sistema. São possíveis conflitos com códigos 
usados para busca-pessoa real. Verificação “on-line” não pode ser executada com 
este comando. 
· Cancelar Código de Rota de Busca-Pessoa Virtual 254 # ! 
DEPACD :: <ROUTE> ,, <PAGING-CODE>s/r ;; 
O PAGING-CODE não pode estar em uso pela aplicação. 
0107 53
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
10.3 BUSCA-PESSOA REAL 
· Designar Linha para Rota de Busca-Pessoa Real 255 # ! 
ASPALN :: <ROUTE> ,, <SHELF> ,, <BRD>,, <CRT> ;; 
· Mudar Dígitos de Modo de Rota de Busca-Pessoa Real 252 # ! 
CHPAMD:: <ROUTE> ,, <REAL-TYPE> ,, <MD-TYPE> [[ ,, [[ <DIGIT-INT> ]] ,, [[ ,, [[ 
<DIGIT-EXT> ]] ,, [[ <DIGIT-ASSIST> ]] ]] ]] ;; 
Verificar na documentação do equipamento de busca-pessoa para ver se o dígitos 
de modo, para urgente, não-urgente e assistido, são suportados para busca-pessoa 
interna e externa. 
· Mudar o Tamanho do Número de Rota de Busca-Pessoa Real 80 # ! 
CHPANL :: <ROUTE> ,, <MIN> ,, <MAX> ;; 
· Cancelar Linha de Rota de Busca-Pessoa Real 256 # ! 
DEPALN :: <ROUTE> ,, <SHELF> ,, <BRD>,, <CRT> ;; 
A linha não pode estar em uso pela aplicação. 
· Mostrar Dados de Linha de Busca-Pessoa 259 
DIIPALN :: <SHELF> ,, <BRD>s/r ,, <CRT>s/r ;; 
Resposta: 
COMP PLA CRT ROTA 
XXXX XX XX XX 
54 0107
MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 
11 CADEADO - FACILIDADES DE PROTEÇÃO POR 
SENHAS 
11.1 ATRIBUIR SENHA 
Este grupo de comandos é usado para controlar o processo de discagem de senhas 
integradas. 
· Atribuir Cadeado - Facilidade de Proteção de Acesso por Senha 463 # ! 
ASAPPF :: <DNR>s/r [[ ,, <FAC-INDICATOR>s/r ]] ;; 
O comando ASAPPF é usado para atribuir as facilidades de proteção de acesso por 
senha : 
- Elevação / Diminuição da Classe de Tráfego (up/downgrading) 
- Discagem de Saída com Senha e Alteração de Senha 
- Desksharing 
- Registro de telefone IP 
Se a elevação/diminuição da classe de tráfego ou discagem de saída com senha 
(ou ambas) forem atribuídas, a facilidade de Alteração de Senha será 
implicitamente atribuída. 
Quando a facilidade é atribuída pela primeira vez para um ramal, a senha associada 
é ajustada para o valor padrão (tudo zero). O usuário do ramal deve então alterar 
esta senha padrão para a sua senha real, para então ela poder ser utilizada. 
Quando a proteção por senha é atribuída para Registro de telefone IP (FAC-- 
IINDIICATOR = 2), o registro no IP CallManager somente é possível com o número 
de ramal e a senha. O número do ramal e a senha são separados por um “#”. Um 
exemplo de seqüência de registro é: 2301#123456. 
Se o indicador de facilidade é omitido, a senha é ajustada para ‘tudo zero’ para o 
referido ramal. 
· Apagar Cadeado - Facilidade de Proteção de Acesso por Senha 464 # ! 
ERAPPF :: <DNR>s//rr [[ ,, <FAC-INDICATOR>s//rr ]] ;; 
Se o indicador de facilidade for omitido, todas as facilidades de proteção por senha 
relacionadas com o DNR fornecido serão apagadas. 
Se a facilidade de proteção por senha “Elevação/diminuição de Classe de Tráfego” 
(FAC--IINDIICATOR = 0) é apagada ou todas as facilidades de proteção por senha 
forem apagadas, então a classe de tráfego da ramal é alterada para o modo de 
comutação diurno/noturno. 
0107 55
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007
08450 manualcomandosdeommml edjan2007

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Manual modulare e_conecta_portugues_01-18_site
Manual modulare e_conecta_portugues_01-18_siteManual modulare e_conecta_portugues_01-18_site
Manual modulare e_conecta_portugues_01-18_site
HenriqueTcnico1
 
Medidor de vazão ultrassônico Mafetech ind MAFET 1012 SERIES
Medidor de vazão ultrassônico Mafetech ind MAFET 1012 SERIESMedidor de vazão ultrassônico Mafetech ind MAFET 1012 SERIES
Medidor de vazão ultrassônico Mafetech ind MAFET 1012 SERIES
Braga Cruz
 
Itur Manual
Itur ManualItur Manual
Itur Manual
João Morim
 
255460654 departamento-pessoal
255460654 departamento-pessoal255460654 departamento-pessoal
255460654 departamento-pessoal
Everton Luiz Arcie
 
REGRAS OFICIAIS DO BASKETBALL
REGRAS OFICIAIS DO BASKETBALLREGRAS OFICIAIS DO BASKETBALL
REGRAS OFICIAIS DO BASKETBALL
João Antônio Granzotti
 
Desenvolvimento-web-com-html-css-e-javascript
Desenvolvimento-web-com-html-css-e-javascriptDesenvolvimento-web-com-html-css-e-javascript
Desenvolvimento-web-com-html-css-e-javascript
Manuel Fernando
 
Guia de Instrumentos Financeiros – 2ª edição - IOB e-Store
Guia de Instrumentos Financeiros – 2ª edição - IOB e-StoreGuia de Instrumentos Financeiros – 2ª edição - IOB e-Store
Guia de Instrumentos Financeiros – 2ª edição - IOB e-Store
IOB News
 
Catalogo Nava 2013
Catalogo Nava 2013Catalogo Nava 2013
Catalogo Nava 2013
Artur Lagoá
 
Excel para Contadores 7ª Ed. - IOB e-Store
Excel para Contadores 7ª Ed. - IOB e-StoreExcel para Contadores 7ª Ed. - IOB e-Store
Excel para Contadores 7ª Ed. - IOB e-Store
IOB News
 
Manual Moto Cbr1100 x xvwxy_02
Manual Moto Cbr1100 x xvwxy_02Manual Moto Cbr1100 x xvwxy_02
Manual Moto Cbr1100 x xvwxy_02
Thiago Huari
 
Auditoria trabalhista com ênfase no eSocial
Auditoria trabalhista com ênfase no eSocialAuditoria trabalhista com ênfase no eSocial
Auditoria trabalhista com ênfase no eSocial
IOB News
 
Vibria HTM - manual de instruções
Vibria HTM - manual de instruçõesVibria HTM - manual de instruções
Vibria HTM - manual de instruções
AmericanFisio
 
Apostila eletronica-digital
Apostila eletronica-digitalApostila eletronica-digital
Apostila eletronica-digital
Josemario Marques Silva
 
Modelos De Contabilidade - Resumo das Regras Contábeis Internacionais - IOB e...
Modelos De Contabilidade - Resumo das Regras Contábeis Internacionais - IOB e...Modelos De Contabilidade - Resumo das Regras Contábeis Internacionais - IOB e...
Modelos De Contabilidade - Resumo das Regras Contábeis Internacionais - IOB e...
IOB News
 
Departamento de Pessoal Modelo - 2ª Edição - IOB e-Store
Departamento de Pessoal Modelo - 2ª Edição - IOB e-StoreDepartamento de Pessoal Modelo - 2ª Edição - IOB e-Store
Departamento de Pessoal Modelo - 2ª Edição - IOB e-Store
IOB News
 
Excel para Contadores – 8ª edição
Excel para Contadores – 8ª ediçãoExcel para Contadores – 8ª edição
Excel para Contadores – 8ª edição
IOB News
 

Mais procurados (16)

Manual modulare e_conecta_portugues_01-18_site
Manual modulare e_conecta_portugues_01-18_siteManual modulare e_conecta_portugues_01-18_site
Manual modulare e_conecta_portugues_01-18_site
 
Medidor de vazão ultrassônico Mafetech ind MAFET 1012 SERIES
Medidor de vazão ultrassônico Mafetech ind MAFET 1012 SERIESMedidor de vazão ultrassônico Mafetech ind MAFET 1012 SERIES
Medidor de vazão ultrassônico Mafetech ind MAFET 1012 SERIES
 
Itur Manual
Itur ManualItur Manual
Itur Manual
 
255460654 departamento-pessoal
255460654 departamento-pessoal255460654 departamento-pessoal
255460654 departamento-pessoal
 
REGRAS OFICIAIS DO BASKETBALL
REGRAS OFICIAIS DO BASKETBALLREGRAS OFICIAIS DO BASKETBALL
REGRAS OFICIAIS DO BASKETBALL
 
Desenvolvimento-web-com-html-css-e-javascript
Desenvolvimento-web-com-html-css-e-javascriptDesenvolvimento-web-com-html-css-e-javascript
Desenvolvimento-web-com-html-css-e-javascript
 
Guia de Instrumentos Financeiros – 2ª edição - IOB e-Store
Guia de Instrumentos Financeiros – 2ª edição - IOB e-StoreGuia de Instrumentos Financeiros – 2ª edição - IOB e-Store
Guia de Instrumentos Financeiros – 2ª edição - IOB e-Store
 
Catalogo Nava 2013
Catalogo Nava 2013Catalogo Nava 2013
Catalogo Nava 2013
 
Excel para Contadores 7ª Ed. - IOB e-Store
Excel para Contadores 7ª Ed. - IOB e-StoreExcel para Contadores 7ª Ed. - IOB e-Store
Excel para Contadores 7ª Ed. - IOB e-Store
 
Manual Moto Cbr1100 x xvwxy_02
Manual Moto Cbr1100 x xvwxy_02Manual Moto Cbr1100 x xvwxy_02
Manual Moto Cbr1100 x xvwxy_02
 
Auditoria trabalhista com ênfase no eSocial
Auditoria trabalhista com ênfase no eSocialAuditoria trabalhista com ênfase no eSocial
Auditoria trabalhista com ênfase no eSocial
 
Vibria HTM - manual de instruções
Vibria HTM - manual de instruçõesVibria HTM - manual de instruções
Vibria HTM - manual de instruções
 
Apostila eletronica-digital
Apostila eletronica-digitalApostila eletronica-digital
Apostila eletronica-digital
 
Modelos De Contabilidade - Resumo das Regras Contábeis Internacionais - IOB e...
Modelos De Contabilidade - Resumo das Regras Contábeis Internacionais - IOB e...Modelos De Contabilidade - Resumo das Regras Contábeis Internacionais - IOB e...
Modelos De Contabilidade - Resumo das Regras Contábeis Internacionais - IOB e...
 
Departamento de Pessoal Modelo - 2ª Edição - IOB e-Store
Departamento de Pessoal Modelo - 2ª Edição - IOB e-StoreDepartamento de Pessoal Modelo - 2ª Edição - IOB e-Store
Departamento de Pessoal Modelo - 2ª Edição - IOB e-Store
 
Excel para Contadores – 8ª edição
Excel para Contadores – 8ª ediçãoExcel para Contadores – 8ª edição
Excel para Contadores – 8ª edição
 

Semelhante a 08450 manualcomandosdeommml edjan2007

Apostila danfe
Apostila danfeApostila danfe
Apostila danfe
Maria Paula Z R
 
MIDI E MICROMASTER.en.pt.pdf
MIDI E MICROMASTER.en.pt.pdfMIDI E MICROMASTER.en.pt.pdf
MIDI E MICROMASTER.en.pt.pdf
José Nunes Borges
 
Telefone gigaset c620 manual pt
Telefone gigaset c620 manual ptTelefone gigaset c620 manual pt
Telefone gigaset c620 manual pt
Duarte Vieira
 
Manual de Referência do Format
Manual de Referência do FormatManual de Referência do Format
Manual de Referência do Format
vhsmiranda
 
Manual Intelbras Impacta 1402.pdf
Manual Intelbras Impacta 1402.pdfManual Intelbras Impacta 1402.pdf
Manual Intelbras Impacta 1402.pdf
GuilhermeDias277531
 
mecanização agrícola - 1º volume - motores e tractores.pdf
mecanização agrícola - 1º volume - motores e tractores.pdfmecanização agrícola - 1º volume - motores e tractores.pdf
mecanização agrícola - 1º volume - motores e tractores.pdf
CELSO PEREIRA DE OLIVEIRA
 
Logo p 09_99
Logo p 09_99Logo p 09_99
Logo p 09_99
Marcio Miranda
 
Logo siemens ( Controlador Lógico Programável )
Logo siemens ( Controlador Lógico Programável )Logo siemens ( Controlador Lógico Programável )
Logo siemens ( Controlador Lógico Programável )
Ricardo Akerman
 
Apostila logo
Apostila logo Apostila logo
Apostila bnb2014 cef_informatica_sergio_spolador
Apostila bnb2014 cef_informatica_sergio_spoladorApostila bnb2014 cef_informatica_sergio_spolador
Apostila bnb2014 cef_informatica_sergio_spolador
Eliene Meira
 
Manual da interface de Áudio FOCUSRITE FORTE
Manual da interface de Áudio FOCUSRITE FORTEManual da interface de Áudio FOCUSRITE FORTE
Manual da interface de Áudio FOCUSRITE FORTE
Habro Group
 
Monografia Arduino
Monografia ArduinoMonografia Arduino
Monografia Arduino
rafaelpouzada
 
BMD-BR000002CE1.pdf
BMD-BR000002CE1.pdfBMD-BR000002CE1.pdf
BMD-BR000002CE1.pdf
FabianoAlmeida54
 
Manual do winplot
Manual do winplotManual do winplot
Manual do winplot
Franbfk
 
Apostila piloto pósitron
Apostila piloto pósitronApostila piloto pósitron
Apostila piloto pósitron
Wilmar Mateus
 
Apostlia pilot lei de oms
Apostlia pilot lei de omsApostlia pilot lei de oms
Apostlia pilot lei de oms
mauricio gaioso de souza
 
Codigos de falhas kaptor .com
Codigos de falhas kaptor .comCodigos de falhas kaptor .com
Codigos de falhas kaptor .com
Jose Soares
 
Av
AvAv
Eletricista instalador predial
Eletricista instalador predialEletricista instalador predial
Eletricista instalador predial
alessandro oliveira
 
ZT230 - Manual de Usuário Para Impressora
ZT230 - Manual de Usuário Para ImpressoraZT230 - Manual de Usuário Para Impressora
ZT230 - Manual de Usuário Para Impressora
UseZ
 

Semelhante a 08450 manualcomandosdeommml edjan2007 (20)

Apostila danfe
Apostila danfeApostila danfe
Apostila danfe
 
MIDI E MICROMASTER.en.pt.pdf
MIDI E MICROMASTER.en.pt.pdfMIDI E MICROMASTER.en.pt.pdf
MIDI E MICROMASTER.en.pt.pdf
 
Telefone gigaset c620 manual pt
Telefone gigaset c620 manual ptTelefone gigaset c620 manual pt
Telefone gigaset c620 manual pt
 
Manual de Referência do Format
Manual de Referência do FormatManual de Referência do Format
Manual de Referência do Format
 
Manual Intelbras Impacta 1402.pdf
Manual Intelbras Impacta 1402.pdfManual Intelbras Impacta 1402.pdf
Manual Intelbras Impacta 1402.pdf
 
mecanização agrícola - 1º volume - motores e tractores.pdf
mecanização agrícola - 1º volume - motores e tractores.pdfmecanização agrícola - 1º volume - motores e tractores.pdf
mecanização agrícola - 1º volume - motores e tractores.pdf
 
Logo p 09_99
Logo p 09_99Logo p 09_99
Logo p 09_99
 
Logo siemens ( Controlador Lógico Programável )
Logo siemens ( Controlador Lógico Programável )Logo siemens ( Controlador Lógico Programável )
Logo siemens ( Controlador Lógico Programável )
 
Apostila logo
Apostila logo Apostila logo
Apostila logo
 
Apostila bnb2014 cef_informatica_sergio_spolador
Apostila bnb2014 cef_informatica_sergio_spoladorApostila bnb2014 cef_informatica_sergio_spolador
Apostila bnb2014 cef_informatica_sergio_spolador
 
Manual da interface de Áudio FOCUSRITE FORTE
Manual da interface de Áudio FOCUSRITE FORTEManual da interface de Áudio FOCUSRITE FORTE
Manual da interface de Áudio FOCUSRITE FORTE
 
Monografia Arduino
Monografia ArduinoMonografia Arduino
Monografia Arduino
 
BMD-BR000002CE1.pdf
BMD-BR000002CE1.pdfBMD-BR000002CE1.pdf
BMD-BR000002CE1.pdf
 
Manual do winplot
Manual do winplotManual do winplot
Manual do winplot
 
Apostila piloto pósitron
Apostila piloto pósitronApostila piloto pósitron
Apostila piloto pósitron
 
Apostlia pilot lei de oms
Apostlia pilot lei de omsApostlia pilot lei de oms
Apostlia pilot lei de oms
 
Codigos de falhas kaptor .com
Codigos de falhas kaptor .comCodigos de falhas kaptor .com
Codigos de falhas kaptor .com
 
Av
AvAv
Av
 
Eletricista instalador predial
Eletricista instalador predialEletricista instalador predial
Eletricista instalador predial
 
ZT230 - Manual de Usuário Para Impressora
ZT230 - Manual de Usuário Para ImpressoraZT230 - Manual de Usuário Para Impressora
ZT230 - Manual de Usuário Para Impressora
 

Mais de zeu1507

Theven iaula9ce
Theven iaula9ceTheven iaula9ce
Theven iaula9ce
zeu1507
 
Potência em circuitos trifásicos
Potência em circuitos trifásicosPotência em circuitos trifásicos
Potência em circuitos trifásicos
zeu1507
 
Manual controller 01_11
Manual controller 01_11Manual controller 01_11
Manual controller 01_11
zeu1507
 
Capitulo 16
Capitulo 16Capitulo 16
Capitulo 16
zeu1507
 
Capitulo 15
Capitulo 15Capitulo 15
Capitulo 15
zeu1507
 
Capitulo 14
Capitulo 14Capitulo 14
Capitulo 14
zeu1507
 
Capitulo 13
Capitulo 13Capitulo 13
Capitulo 13
zeu1507
 
Capitulo 12
Capitulo 12Capitulo 12
Capitulo 12
zeu1507
 
Capitulo 11
Capitulo 11Capitulo 11
Capitulo 11
zeu1507
 
Capitulo 10
Capitulo 10Capitulo 10
Capitulo 10
zeu1507
 
Capitulo 09
Capitulo 09Capitulo 09
Capitulo 09
zeu1507
 
Capitulo 08
Capitulo 08Capitulo 08
Capitulo 08
zeu1507
 
Capitulo 07
Capitulo 07Capitulo 07
Capitulo 07
zeu1507
 
Capitulo 06
Capitulo 06Capitulo 06
Capitulo 06
zeu1507
 
Capitulo 05
Capitulo 05Capitulo 05
Capitulo 05
zeu1507
 
Capitulo 04
Capitulo 04Capitulo 04
Capitulo 04
zeu1507
 
Capitulo 03
Capitulo 03Capitulo 03
Capitulo 03
zeu1507
 
Capitulo 02
Capitulo 02Capitulo 02
Capitulo 02
zeu1507
 
Capitulo 01
Capitulo 01Capitulo 01
Capitulo 01
zeu1507
 
Apêndice
ApêndiceApêndice
Apêndice
zeu1507
 

Mais de zeu1507 (20)

Theven iaula9ce
Theven iaula9ceTheven iaula9ce
Theven iaula9ce
 
Potência em circuitos trifásicos
Potência em circuitos trifásicosPotência em circuitos trifásicos
Potência em circuitos trifásicos
 
Manual controller 01_11
Manual controller 01_11Manual controller 01_11
Manual controller 01_11
 
Capitulo 16
Capitulo 16Capitulo 16
Capitulo 16
 
Capitulo 15
Capitulo 15Capitulo 15
Capitulo 15
 
Capitulo 14
Capitulo 14Capitulo 14
Capitulo 14
 
Capitulo 13
Capitulo 13Capitulo 13
Capitulo 13
 
Capitulo 12
Capitulo 12Capitulo 12
Capitulo 12
 
Capitulo 11
Capitulo 11Capitulo 11
Capitulo 11
 
Capitulo 10
Capitulo 10Capitulo 10
Capitulo 10
 
Capitulo 09
Capitulo 09Capitulo 09
Capitulo 09
 
Capitulo 08
Capitulo 08Capitulo 08
Capitulo 08
 
Capitulo 07
Capitulo 07Capitulo 07
Capitulo 07
 
Capitulo 06
Capitulo 06Capitulo 06
Capitulo 06
 
Capitulo 05
Capitulo 05Capitulo 05
Capitulo 05
 
Capitulo 04
Capitulo 04Capitulo 04
Capitulo 04
 
Capitulo 03
Capitulo 03Capitulo 03
Capitulo 03
 
Capitulo 02
Capitulo 02Capitulo 02
Capitulo 02
 
Capitulo 01
Capitulo 01Capitulo 01
Capitulo 01
 
Apêndice
ApêndiceApêndice
Apêndice
 

08450 manualcomandosdeommml edjan2007

  • 1. A Philips Business Communications, ao elaborar este manual, teve como objetivo assegurar-lhe informações completas e precisas com a mais alta credibilidade. Logo, as informações deste manual podem sofrer alterações sem aviso prévio. Se você descobrir algum erro ou omissão, ou desejar fazer alguma sugestão para melhorar a qualidade deste manual, envia sua proposta para: PHILIPS BUSINESS COMMUNICATIONS Departamento de Produtos e Suporte a Vendas Rua Verbo Divino, 1400 CEP 04719-002 - São Paulo - SP MANUAL DE COMANDOS DE OM - MML SOPHO iS3000 – Call@Net 3506 391 08450 (Edição : Janeiro 2007)
  • 2. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 2 0107
  • 3. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET CONTEÚDO PREFÁCIO .........................................................................................................10 1 INTRODUÇÃO...............................................................................................12 1.1 O QUE É UM COMANDO DE OM ..........................................................12 1.2 SINTAXE DE COMANDOS DE OM........................................................12 1.3 REPRESENTAÇÃO DE COMANDOS OM..............................................14 1.4 FUNÇÕES DE AJUDA NA TELA............................................................15 1.5 COMANDOS DE TECLADO...................................................................16 1.6 RESPOSTAS DO SISTEMA...................................................................16 1.7 ESTRUTURA DO ENDEREÇO DE HARDWARE (EHWA).......................17 2 ALARMES (RELATÓRIOS DE FALHAS).......................................................19 2.1 BUFFERS DE ALARMES.......................................................................19 2.2 BUFFER HISTÓRICO............................................................................20 2.3 REDIRECIONAMENTO DE ALARME.....................................................21 2.4 DECT - ALARMES DO ADAPTADOR DE TERMINAIS SEM FIO.............21 3 ALARMES DIGITAIS.....................................................................................22 4 ARMAZENAMENTO PERIFÉRICO DE ARQUIVO..........................................24 4.1 MECANISMO DE ARMAZENAMENTO PERIFÉRICO DE ARQUIVO.......25 4.2 TRACER DE PROTOCOLO PPH ...........................................................27 5 ARQUIVOS - COMANDOS PARA MANIPULAÇÃO.......................................28 6 ARQUIVOS DE SEGURANÇA (BACK-UP DE MANUTENÇÃO).....................31 6.1 COMPATIBILIDADE DA UNIDADE.........................................................35 6.2 ELABORAÇÃO DE UM "FIRE COPY" (CÓPIA DE EMERGÊNCIA). ........36 7 ARVORE DE ANALISE / ESQUEMA DE NUMERAÇÃO ................................37 7.1 ESQUEMA DE NUMERAÇÃO GERAL ...................................................37 7.2 ARVORE DE ANÁLISE PARA ESQUEMA DE NUMERAÇÃO INTERNA...............................................................................................39 7.3 ARVORE DE ANÁLISE PARA ESQUEMA DE NUMERAÇÃO EXTERNA..............................................................................................43 8 BILHETAGEM AUTOMÁTICA E BILHETAGEM ESTENDIDA (Registro Detalhado de Chamadas - FDCR )................................................................45 8.1 BILHETAGEM AUTOMÁTICA ................................................................45 8.2 BILHETAGEM ESTENDIDA (FDCR).......................................................47 9 BLOCO DE SINALIZAÇÃO E CADENCIA DE TONS (ALTERAÇÕES)...........49 10 BUSCA PESSOA ..........................................................................................52 10.1 BUSCA-PESSOA GERAL ......................................................................52 10.2 BUSCA-PESSOA VIRTUAL ...................................................................53 10.3 BUSCA-PESSOA REAL.........................................................................54 0107 3
  • 4. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 11 CADEADO - FACILIDADES DE PROTEÇÃO POR SENHAS......................... 55 11.1 ATRIBUIR SENHA ................................................................................ 55 11.2 CENTROS DE CUSTO, PID OU CRÉDITO (BUDGET)........................... 56 11.3 DESCONEXÃO DE CHAMADA POR TEMPORIZAÇÃO QUANDO BUDGET (CRÉDITO) ZERO.................................................................. 57 12 CANCELAMENTO GERAL / DESATIVAÇÃO DE COMPARTILHAMENTO DE MESA (DESKSHARING) / ALTERAÇÃO DE ESTADO DE FACILIDADE................................................................................................. 58 12.1 CÓDIGO DE CANCELAMENTO GERAL................................................ 58 12.2 DESKSHARING - DESATIVAÇÃO COLETIVA DO COMPARTILHAMENTO DE MESA........................................................ 59 12.3 MUDAR O ESTADO DA FACILIDADE ................................................... 59 13 CARGA AUTOMÁTICA (Download) ............................................................. 60 13.1 CARGA AUTOMÁTICA DE RAMAIS...................................................... 60 13.2 CARGA AUTOMÁTICA DE TERMINAL.................................................. 60 13.3 CARREGAMENTO DE PLACA PERIFÉRICA......................................... 63 14 CCIS SOBRE IP............................................................................................ 64 15 CHEFE - SECRETÁRIA ................................................................................ 66 15.1 CHEFE - SECRETÁRIA NORMAIS........................................................ 66 15.2 CHEFE - SECRETÁRIA AVANÇADOS .................................................. 67 16 CLASSES DE TRÁFEGO.............................................................................. 69 17 COMANDOS DE SEGUNDA LINHA (Manutenção)....................................... 70 18 CONDIÇÕES DE SERVIÇO........................................................................... 72 19 CONFIGURAÇÃO DE HARDWARE.............................................................. 76 19.1 MÓDULOS, PLACAS E CIRCUITOS...................................................... 76 19.1.1 Compartimentos ......................................................................... 76 19.1.2 Placas ........................................................................................ 77 19.1.3 Circuitos ..................................................................................... 80 19.2 GERADOR DE TOM DA REDE DE COMUTAÇÃO................................. 82 19.3 CONFIGURAR UNIDADE DE REFERÊNCIA DE RELÓGIO................... 82 19.4 CANAIS-D............................................................................................. 83 19.5 DISPOSITIVOS E NOMES DE DISPOSITIVOS LÓGICOS. .................... 84 19.5.1 Dispositivos ................................................................................ 84 19.5.2 Nomes dos Dispositivos Lógicos ................................................. 88 19.6 LINK (ENLACES) .................................................................................. 88 20 CONFIGURAÇÃO IP E SERVIDOR FTP ....................................................... 90 20.1 CONFIGURAÇÃO IP............................................................................. 90 20.2 SERVIDOR FTP (Somente CPU3000) .................................................. 91 20.3 PERFIS DE SERVIÇO DE CLIENTES.................................................... 93 21 CONSOLE DA TELEFONISTA...................................................................... 96 4 0107
  • 5. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 21.1 RELAÇÃO CÓDIGO DE ACESSO / TECLA-B.........................................96 21.2 PREFERÊNCIA DAS FILAS DAS TELEFONISTAS.................................96 21.2.1 Fila-A..........................................................................................97 21.2.2 Fila-C..........................................................................................97 21.2.3 Fila-M .........................................................................................98 21.2.4 Relação Lâmpada-Fila................................................................98 21.3 GRUPO DE ASSISTÊNCIA DA TELEFONISTA E LISTA DE DISPONIBILIDADE. ...............................................................................99 21.3.1 Lista de Disponibilidade...............................................................99 21.3.2 Grupo de Assistência...................................................................99 21.4 ESTADO DA OPERADORA...................................................................101 22 CONTROLE DE CARGA ...............................................................................103 22.1 MONITORAR A CARGA.........................................................................103 22.2 MOSTRAR A CARGA............................................................................104 23 DATA, HORA E IDENTIFICAÇÃO DA CENTRAL ..........................................105 24 DESCARGA DE SISTEMA (DUMP) ...............................................................108 25 DISCAGEM ABREVIADA..............................................................................111 26 DISCAGEM ABREVIADA INDIVIDUAL (IABD) E REPETIÇÃO DO ÚLTIMO NÚMERO EXTERNO DISCADO (LENR)........................................................112 27 ESPERA AUTOMÁTICA SOBRE RAMAL OCUPADO (COB) ........................113 28 ESTADOS DA UNIDADE...............................................................................114 29 EXECUÇÃO DE ARQUIVO DE COMANDO ...................................................115 29.1 EXECUTAR ARQUIVOS DE COMANDOS .............................................115 29.2 ARQUIVOS DE COMANDOS DE AUTORIDADE ESPECIAL ..................117 30 FERRAMENTAS............................................................................................118 30.1 QUANTIDADE DE PACOTES LIVRES / CONTADOR DE ROTEAMENTO......................................................................................118 31 GERENCIAMENTO DE DADOS MFC E CATEGORIA DE ASSINANTE .........119 32 GRAVAÇÃO DE CHAMADAS – VOICE LOGGING........................................120 33 GRUPO DE ANÁLISE, VALOR DE COMPATIBILIDADE E PERFIL DE SERVIÇO ......................................................................................................121 33.1 GRUPO DE ANÁLISE E VALOR DE COMPATIBILIDADE.......................121 33.2 PERFIL DE SERVIÇO............................................................................122 34 GRUPO DE BUSCA / CAPTURA...................................................................123 35 HABILITAÇÃO IP / SIP..................................................................................128 35.1 HABILITAÇÃO IP - SINALIZAÇÃO TOTALMENTE TMP .........................128 35.2 ENTRONCAMENTO SIP........................................................................132 35.3 RAMAIS SIP..........................................................................................134 0107 5
  • 6. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 36 HOT LINE (LINHA DIRETA).......................................................................... 136 37 IAS - SERVIDOR DE ANÚNCIO INTEGRADO / MÚSICA EM ESPERA (MOH)........................................................................................................... 137 37.1 SERVIDOR DE ANÚNCIO INTEGRADO (IAS)....................................... 137 37.2 MÚSICA EM ESPERA (MOH), PARA DIFERENTES GRUPOS DE ANÁLISE............................................................................................... 139 38 IDENTIDADE DE CLUSTER DPNSS / PONTO DE ASSISTÊNCIA / NUMERAÇÃO LIVRE / MOBILIDADE DECT WAN iSNet .............................. 140 38.1 IDENTIDADE DE CLUSTER.................................................................. 140 38.2 PONTO DE ASSISTÊNCIA.................................................................... 140 38.3 NUMERAÇÃO LIVRE............................................................................ 141 38.4 MOBILIDADE DECT EM WAN iSNet...................................................... 142 39 INICIALIZAÇÃO DE DISCO .......................................................................... 143 40 LICENÇAS.................................................................................................... 144 41 MANUTENÇÃO REMOTA............................................................................. 148 42 MARCAS DE FACILIDADES......................................................................... 151 42.1 MARCAS DE FACILIDADES PARA RAMAIS ......................................... 151 42.2 MARCAS PADRÕES DE CLASSES DE FACILIDADES.......................... 152 43 MEDIÇÃO DE TRÁFEGO E OBSERVAÇÃO. ................................................ 153 43.1 OBSERVAÇÃO DE TRÁFEGO.............................................................. 153 43.2 MEDIÇÃO DE TRÁFEGO...................................................................... 158 43.2.1 Iniciar, Finalizar e Estado ............................................................ 158 43.2.2 Temporização............................................................................. 158 43.2.3 Saída ......................................................................................... 159 43.2.4 Lista de Objeto ........................................................................... 160 43.2.5 Formatos de Saída ..................................................................... 160 44 MÓDULOS DE SUPERPOSIÇÃO (OVERLAY).............................................. 167 45 MOSTRAR MEDIÇÃO.................................................................................. 168 46 MÚLTIPLO NÚMERO DE ASSINANTE ( MSN )............................................ 169 47 PONTO DE ASSISTÊNCIA............................................................................ 170 48 PVN - REDE PRIVATIVA VIRTUAL............................................................... 171 49 RAMAIS GÊMEOS (TWINNING) ................................................................... 175 50 RAMAL (DNR) / BSP-ID – CIRCUITO DE LINHA (EHWA) / MÓDULO CENTRAL, ASSOCIAÇÃO............................................................................ 176 51 RAMAL EMERGÊNCIA................................................................................. 179 52 RAMAL NOTURNO, TRONCO EXECUTIVO E RAMAIS ESPECIAIS............. 180 52.1 CANS E SINALIZAÇÃO EXTERNA........................................................ 180 52.2 RAMAIS NOTURNOS............................................................................ 181 6 0107
  • 7. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 52.3 TRONCO EXECUTIVO / RAMAIS ESPECIAIS .......................................182 53 RDSI E QSIG ENDEREÇAMENTO.................................................................183 53.1 DADO DE DOMÍNIO LOCAL..................................................................183 53.2 PREFIXO DE SERVIÇO ESPECIAL.......................................................186 53.3 RELAÇÃO DNR / ROTA - DOMÍNIO LOCAL...........................................187 53.4 DADO DE DETERMINAÇÃO DE LOCALIZAÇÃO ...................................188 53.5 CONVERSÃO DE PLANO DE NUMERAÇÃO.........................................189 53.6 SELEÇÃO DE FACILIDADE QSIG .........................................................189 54 REDE INTER-UNIDADES..............................................................................190 54.1 ROTEAMENTO INTER-UNIDADE..........................................................190 54.2 ROTAS DE TRÁFEGO INTERUNIDADE ................................................191 55 REDIRECIONAMENTO DE CHAMADAS.......................................................192 56 RELAÇÃO NOME USUÁRIO – NÚMERO RAMAL.........................................194 57 RELAÇÕES BSPT - IBSC..............................................................................198 58 REPROJETAR UNIDADE / PARTIDA DO SISTEMA e MODO DUAL. ............199 59 ROTAS E TRONCOS - TRÁFEGO.................................................................204 59.1 DESTINAÇÕES (OU DESTINOS)...........................................................204 59.2 TABELAS DE ROTA..............................................................................205 59.3 ROTAS..................................................................................................206 59.3.1 Dados Gerais de Rotas ...............................................................206 59.3.2 Características da Rota ...............................................................207 59.3.3 Conversão de Dígitos ..................................................................207 59.3.4 Conversão CLI ou COL para RDSI..............................................208 59.3.5 Tabela de Encaminhamento para Desvio de Chamada QSIG .......210 59.3.6 Relação Rota-BSPT....................................................................211 59.4 FEIXES (BUNDLE) ................................................................................211 59.4.1 Dados Gerais de Feixes ..............................................................211 59.4.2 Relação Feixe-BSPT...................................................................212 59.4.3 Feixes Digitais.............................................................................212 59.5 LINHAS .................................................................................................213 59.5.1 Identidade CLI/COL de uma Linha Tronco....................................214 59.6 LINHAS TRONCO FIXAS.......................................................................215 59.6.1 Destinos e Identidades ................................................................215 59.6.2 Ponto de Entrada de Central Local...............................................216 60 SEGURANÇA DO SISTEMA, COMANDOS DE OM e ARQUIVOS ................217 60.1 AUTORIDADE E PROTEÇÃO................................................................218 60.1.1 Índices de classe de autoridade...................................................219 60.1.2 Classes de autoridade e níveis de proteção .................................219 60.2 SENHAS................................................................................................220 60.3 NÍVEIS DE RESTRIÇÃO........................................................................222 60.3.1 Níveis de Restrição da Marca de Classe de Facilidade.................222 60.3.2 Níveis de Restrição da Classe de Tráfego....................................222 0107 7
  • 8. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 61 SERVIÇO INDIRETO MERCURY .................................................................. 223 62 SERVIÇO SMS.............................................................................................. 224 63 SIGA-ME....................................................................................................... 226 64 TMS – Parâmetros do SYSMANAGER......................................................... 227 65 TECLAS DE FUNÇÃO E MENUS.................................................................. 230 65.1 TECLAS DE FUNÇÃO........................................................................... 230 65.2 RELAÇÕES MENU - RAMAL (DNR/BSP-ID).......................................... 231 66 TEMPORIZAÇÃO DE FACILIDADES............................................................ 232 67 TESTE AUTÔNOMO..................................................................................... 233 67.1 TESTE AUTÔNOMO PERIÓDICO......................................................... 233 67.2 TESTE CONTROLADO MANUALMENTE.............................................. 233 67.3 TESTE DA CAIXA DE ALARME............................................................. 234 67.4 CONEXÃO CONTROLADA ................................................................... 235 67.5 CHAMADA DIRETA............................................................................... 237 68 VALORE DE COMPATIBILIDADE E FUNÇÕES DE DADOS......................... 238 68.1 VALORES DE COMPATIBILIDADE E CONVERSORES......................... 238 68.1.1 Valores de Compatibilidade......................................................... 238 68.1.2 Conversores ............................................................................... 239 68.2 OBSERVAÇÕES SOBRE CARREGAMENTO (DOWNLOADING)........... 241 68.3 RAMAL DE ATENDIMENTO SELETIVO ................................................ 242 69 OBSERVAÇÕES SOBRE CARGA AUTOMÁTICA (Downloading)................ 243 70 VERIFICAR DADOS DE PROJETO............................................................... 245 70.1 LEITURA DE DADOS DO SISTEMA...................................................... 245 A. MENSAGENS DE ERRO ......................................................................... 246 A.1 MENSAGENS DE ERRO FIXAS RESIDENTES (1...99)....................... 246 A.2 MENSAGENS DE ERRO ESPECÍFICAS NÃO RESIDENTES (100...189).......................................................................................... 252 A.3 MENSAGENS DE ERRO GERAIS (190...256)..................................... 265 B. PARÂMETROS........................................................................................ 268 A 268 B 274 C 277 D 282 E 287 F 290 G 294 H 296 I 297 J 300 K 300 L 301 8 0107
  • 9. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET M 306 N 310 O 313 P 316 Q 321 R 322 S 326 T 332 U 358 V 360 W 361 Y 362 C. PLACAS E TIPOS DE PCT’s....................................................................363 C.1 TABELA DE TIPOS DE PLACAS........................................................363 C. 2 LISTA DE TIPOS DE PCT’s.................................................................367 C.2.1 Circuitos de Linha (LCT) ..............................................................367 C.2.2 Circuitos de Tronco (TRC) .................................................................369 C.2.3 Circuito de operadora (OCT)...............................................................371 C.2.4 RKT-SDT....................................................................................371 C.2.5 SKT-RDT...........................................................................................371 C.2.6 Entrada MFC......................................................................................372 C.2.7 Saída MFC.........................................................................................372 C.2.8 Música em Espera (MOH)...................................................................372 C.2.9 Canal D..............................................................................................373 C.2.10 Circuito de Tronco RDSI (TRC-RDSI)................................................373 C.2.11 IAS-TS.............................................................................................374 C.2.12 HATCH ............................................................................................374 D. ÍNDICE REMISSIVO DOS COMANDOS DE OM .......................................375 0107 9
  • 10. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET PREFÁCIO Este manual é válido para o SOPHO SIP@Net (anteriormente conhecido como Call@Net ou pacote de software 810), operando em todos os membros da família SOPHO iS3000. Neste manual todos esses sistemas serão referidos como iS3000 ou como PABX. CONCORDÂNCIA DE LICENÇAS A concordância de licenças de um SOPHO iS3000 determina quais facilidades estão disponíveis. Dessa forma é possível que uma facilidade aqui descrita não opere em um SOPHO iS3000 específico, mesmo que corretamente configurada. Verifique a concordância de licença respectiva para determinas quais facilidades estão disponíveis. OBSERVAÇÕES GERAIS Redes Completamente Integradas (FIN - Fully Integrated Networks) somente são suportadas pelos equipamentos SOPHO iS3070 e 3090. Com relação às respostas dos sistemas aos comandos de OM, poderão ser encontradas diferenças entre os exemplos mostrados neste manual e a resposta real do SOPHO iS3000, devido às eventuais traduções (ou não) dos arquivos de MML dos pacotes de software. Caso não haja nenhuma indicação em contrário, os termos: - ALC-G representa a ALC-G, ALC-GP ou ALC-G(R). - DTX-I representa a DTX-I ou DTX-I(R). - PMC representa a PMC-HR, PMC-MC ou PMC-G : - PMC-HR representa a PMC-HR ou PMC-G (com NCC-HR). - PMC-MC representa a PMC-MC ou PMC-G (com ou sem NCC-MC). - DTU-PH representa a DTU-PH ou DTU-G. - DTU-PU representa a DTU-PU ou DTU-G. - DTU-G representa a DTU-PH ou DTU-PU. 10 0107
  • 11. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET COMANDOS DE MANUTENÇÃO DE SEGUNDA LINHA A partir do pacote de software SOPHO Call@Net 2.4 os comandos de manutenção de segunda linha estão incluídos no pacote de software. Sendo assim não é mais necessário copiar esses comandos para o sistema. Entretanto, alguns desses comandos (veja relação á seguir) não estão descritos neste manual, mas sim no Manual de manutenção de Segunda Linha. CHBSPT DIISDN DIPVAR FIOWNR CHLDCT DILOAD DIROCO FRCPSW CHPERD / DIPERD DIMEUS DISIGQ STMONI CHPMFU / DIPMFU DIPCHD EXSUBC UPDUAL CHTRAP / DITRAP DIPOOL FCLAIM Esses comandos não são descritos nesse manual, e sim no Manual de Comandos de Segunda Liinha. 0107 11
  • 12. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 1 INTRODUÇÃO 1.1 O QUE É UM COMANDO DE OM OM significa Manutenção Operacional. Um comando de OM permite que você execute funções de manutenção em um sistema operacional com o mínimo de inconveniência. Os comandos de OM podem ser executados através de um PC ou terminal de OM usando-se a Linguagem Homem-Máquina (MML). Um comando OM em MML é um mnemônico de 6 letras. Existem dois níveis de comando OM, chamados de manutenção de primeiro e segundo níveis. Este manual apresenta todos os comandos de manutenção de primeiro nível em MML. Os comandos de manutenção de segundo nível são reservados para os especialistas de sistema. Pode-se executar comandos de OM a partir do console da operadora, mas não é um meio convencional e a variedade de comandos que podem ser executados é restrita. Os comandos de OM executados do console da operadora são em código de 4 dígitos. Veja o Manual de Comandos de OM (Mesa Operadora) para estes comandos. O uso dos comandos de OM inclui: - A especificação e modificação de dados dependentes de projeto tais como Esquema de Numeração Externo e Classe de Tráfego. - Alteração de condições de serviço. - Leitura de alarmes e relatórios do estado do sistema. - Designação de facilidades a usuários de ramais. 1.2 SINTAXE DE COMANDOS DE OM Cada comando de OM compreende um mnemônico de 6 caracteres, seguido de dois pontos (:), alguns números de parâmetros (o qual algum ou todos podem ser opcionais) separados por vírgulas e finalizado com um ponto e vírgula (;) ou ponto de exclamação (!). - Se você terminar um comando com um ponto e vírgula, o comando será executado e o "prompt" do sistema < será mostrado. - Se você terminar um comando com um ponto de exclamação (uma solicitação de continuação) o mnemônico e os dois pontos serão repetidos depois do comando ser completado, para você usar o mesmo comando novamente. Os parâmetros são mostrados assim: <DNR>. Isto significa que você deve digitar o número do ramal (DNR). Parâmetros opcionais são mostrados assim: [ <DNR> ]. 12 0107
  • 13. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET Isto significa que qualquer item entre colchetes [ ] pode ser omitido. Em alguns casos, os colchetes podem conter um número de parâmetros ou um parâmetro e uma vírgula. Em tais casos isto indica que tudo entre colchetes deve ser digitado ou tudo deve ser omitido. Exemplo : O BSP-ID tem o seguinte formato : <DNR> [ <BSPT> ]. Nota: Números de unidade são sempre representados como [<UNIIT>]. Como regra este parâmetro é obrigatório em sistemas multiunidades e deve ser omitido em sistemas de unidade simples. Os parâmetros são sempre do tipo "simples" e alguns podem ser do tipo "série" e/ou "faixa", dependendo do comando de OM utilizado. · Simples Um único número, ex. <DNR> Por exemplo: 34078 · Série Dois, três ou quatro números separados pelo sinal de ampersand (&). A possibilidade de digitar uma série é indicada neste manual por um subscrito “s” depois do parâmetro, ex. <DNR>s. Por exemplo: 34078&34079&34062 A ação da OM é executada para cada um dos números. Os números não precisam estar em ordem de seqüência. · Faixa Dois números separados por dois ampersand (&&). A possibilidade de digitar uma faixa é indicada neste manual por um subscrito ”r” depois do parâmetro, ex. <DNR>r. Por exemplo: 34070&&34079 Ação de OM é executada para todos os números do menor ao maior inclusive. O primeiro número deve ser menor que o segundo. · Série/Faixa O parâmetro pode ser de série ou faixa. Este é indicado por um subscrito ”s/r” depois do parâmetro ex. <DNR>s/r. Os dois tipos não podem ser misturado por exemplo: 34070&34079&&34100 não é uma entrada válida. Série/faixa em parâmetros de um BSP-ID somente são possíveis quando a parte do BSPT é a mesma, por exemplo 2406-98&&2410-98 é permite, 2406-97&&2410-98 não é permitido 0107 13
  • 14. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 1.3 REPRESENTAÇÃO DE COMANDOS OM Em todo este manual tudo o que você deve digitar está escrito em letras maiúsculas grifadas: COMO ESTA. As respostas do sistema são em letras maiúsculas menores: COMO ESTA. Um comando OM neste manual, tem o seguinte formato: · Mudar Número Abreviado 124 # ! CHABNR: <ABBR-NUMBER> [ , [<EXP-NUMBER> ] , [<TRFC> ] [ , <AG>s/r ] ] ; O cabeçalho fornece a descrição do comando OM. O número depois do cabeçalho indica o índice de classe de autoridade. Este índice é usado para alterar a classe de autoridade do comando. O sinal # indica que este comando é escrito para o arquivo journal, se a atualização do journal estiver acionada. Ponto de exclamação ( ! ) significa que o comando somente pode ser executado com a atualização do journal acionada, isto é, ele não será executado quando o comando OM SWJUPD:0; for executado. Se o terminal não tem a mesma classe de autoridade, o comando não pode ser executado. O comando de OM DIIOVLM mostra a classe de autoridade deste comando. A descrição real do comando segue como na caixa. A caixa contém o mnemônico de 6 letras, seguido por parâmetros. O significado dos parâmetros está explicado no apêndiice ““B””. Este apêndice também apresenta o valor mínimo e máximo do parâmetro. Note este valor máximo pode ser menor, no projeto de sua central. Consulte o Manual de Dados da sua central para obtenção destes valores. O comando que você tecla, pode ser como este: CHABNR:**33,0224978,4; Este comando relaciona o número abreviado **33 ao número 0224978 e informa ao sistema que o usuário deste número abreviado deve ter no mínimo a classe de tráfego 4. Devido ao número do grupo de análise <AG> estar omitido, o número abreviado é adicionado ao grupo comum. O sistema responde como: EXECUTADO. 14 0107
  • 15. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 1.4 FUNÇÕES DE AJUDA NA TELA Para facilitar o uso dos comandos de OM, o sistema proporciona textos de ajuda (consulta) na tela durante uma atividade de OM. Esta consulta pode ser subdividida em: · Guia de Consulta de Todos os Comandos de OM Para obter uma lista dos comandos de OM disponíveis, basta digitar um ponto de interrogação (?) depois do "prompt" do sistema (<). · Guia de Consulta a Um Específico Comando OM Para obter a sintaxe correta (isto é, a versão do comando OM residente em seu sistema) de um específico comando OM, entre com o código de 6 caracteres, dois pontos e uma ponto de interrogação. A sintaxe é mostrada na tela com uma descrição dos parâmetros. O sistema encerra através da repetição do que já estava digitado. CHABNR: ? Mudar o Número Abreviado CHABNR: <ABBR-NUMBER> [, [ <EXP-NUMBER> ] , [<TRFC> ] [ . <AG>s/r ] ] ; Se somente for teclado o número abreviado, será executada a função de apagar. Se for omitido o número do grupo de análise, será adotado o número do grupo de análise comum. CHABNR: Depois deste pode ser usado o guia de consulta de parâmetro. Veja abaixo. · Consulta de um Parâmetro Específico Para obter informação de ajuda sobre um parâmetro digite um ponto de interrogação na posição do parâmetro desejado. Isto resulta em um texto de consulta curta relativo ao parâmetro solicitado. CHABNR:**005,? EXP-NUMBER: Número ampliado (1...20 algarismos) CHABNR:**005, Para obter ajuda para o primeiro parâmetro, primeiro solicite o guia de consulta a um específico comando de OM e quando o comando for repetido agora digite o ponto de interrogação depois dos dois pontos. 0107 15
  • 16. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 1.5 COMANDOS DE TECLADO Ctrl-G Início da sessão de OM. Ctrl-K Início do código de sessão de OM (para aplicações de máquina). Ctrl-X Aborta o comando de OM. Ctrl-S ou tecla NO-SCROLL: para a rolagem de OM na tela. Ctrl-Q ou tecla NO-SCROLL novamente: volta a rolagem de OM na tela. DEL Apaga o último caractere. ? Informação de ajuda. Digitar END; ou Ctrl-E para terminar a sessão de OM. Digitar END! ou Ctrl-D para finalizar a sessão de OM e distribuir a informação de licença 1.6 RESPOSTAS DO SISTEMA A resposta a um comando de OM pode ser: · Aceitação A resposta de aceitação significa que o comando estava correto e foi executado. Ele é constituído por uma mensagem: EXECUTADO. · Rejeição A resposta de rejeição consiste de uma linha contendo um código de erro seguido pela correspondente mensagem de erro, por ex.: Erro ###: texto correspondente REJEITADO < Veja o número do erro no apêndiice ““A””, para maiores informações sobre o erro. · Solicitação As vezes um parâmetro causa um erro não fatal. Isto significa que o sistema não para a execução do comando, embora o parâmetro esteja errado. O sistema responderá com: Px: O usuário pode digitar o valor de parâmetro x e depois digitar o ponto e vírgula (;) e o comando será executado. · Congestionamento O comando está correto, mas não pode ser executado, devido à falta temporária de recurso. Isto causa a mensagem: CONGESTIONAMENTO! O usuário não tem que repetir o comando, ele será executado quando o sistema tiver recursos disponíveis. Alternativamente o usuário pode abortar o comando, usando Ctrl-X e tentar executar o comando algum tempo depois. 16 0107
  • 17. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 1.7 ESTRUTURA DO ENDEREÇO DE HARDWARE (EHWA) O formato do EHWA é o seguinte: <SHELF> [ , [ <BRD> ] [ , <CRT> ] [ , <B--CHANNEL> ] ] ; Isto permite as seguintes combinações: · <SHELF> ; Este é o endereço físico do compartimento. Dentro deste compartimento podem ser localizados um número módulos e outros recursos não relacionados com placas. Este endereço nunca pode ser usado para identificar um único módulo, mesmo que o compartimento contenha somente um módulo. Exemplo: EHWA do compartimento: 2011; · <SHELF> , , <CRT> ; Este é o endereço de um módulo (PM, CM ou SM). Estes são recursos administrativos e estão sempre na condição de serviço INS. Note que a ordem para endereçamento da controladora da PM (PPU ou PMC) o EHWA de uma placa controladora deve ser usado (ex.: 2011,17). Para permitir o endereçamento externo de módulos em todos os tipos de configuração de hardware, esses recursos recebem uma identificação de circuito de um compartimento físico. Os módulos compostos por compartimentos são mostrados pela OM: DIISHLF: <SHELF>; Exemplos: EHWA da CM: 2014,,0; (compartimento CM/SM combinado) · <SHELF> , <BRD> ; Este é o endereço físico da placa E (convencionalmente) se existir uma única função na placa, ele é também o endereço da função. Uma função da placa se constitui numa classificação de um tipo de recurso. Muitas vezes a função da placa executa um número de recursos. Um exemplo de função de placa é a função de placa CII. Os recursos que realmente realizam a função CII são os PCHs (canais físicos). Funções de placa devem ter um endereço de hardware externo. Isto é necessário para habilitar a identificação da função em certos relatórios de alarme. No caso da placa conter somente uma função, o endereço da placa física é também o endereço da função. 0107 17
  • 18. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET Quando mais funções são combinadas em um endereço físico de placa um parâmetro extra é necessário para identificar as diversas funções de placas. Exemplos: Placa PM convencional EWHA da placa: 2011,10; EHWA da função da placa PM: 2011,10; EHWA do primeiro PCT na placa: 2011,10,0; EHWA do último PCT na placa: 2011,10,7; EHWA de PMC: UU011,17; EHWA de DOC na placa PMC UU011,17,0; · <SHELF>,<BRD>,<CRT>; Este é endereço de uma função na placa (no caso em que mais funções são combinadas na mesma placa) OU ele é o endereço de um dos recursos realmente executa a função da placa. 18 0107
  • 19. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 2 ALARMES (RELATÓRIOS DE FALHAS) Este capítulo contém os comandos relacionados com relatórios de falha. São comandos relativos a buffers de alarmes, buffers históricos e redirecionamento de alarmes. Em todos os comandos, se o número da unidade for omitido, o comando será executado para todo sistema (operação aconselhável). O relatório de falha (de todos os comandos mostrados neste capítulo) tem o seguinte formato: CODE TYPE SHELF BRD CRT OCC DATE TIME QLF ADD. INFO CODE dá o código de erro. Veja o Manual de Manutenção para maiores informações. TYPE define o TIPO DE DISPOSITIVO (RESOURCE TYPE). Veja apêndiice C. SHELF, BRD e CRT indicam , se aplicável, o endereço de hardware onde ocorreu a falha. OCOR, DATA e HORA mostram o número de ocorrências do erro, data e hora da primeira ocorrência. QLF define o qualificador. Veja qualificador no Manual de Manutenção. ADIC.INFO define informações adicionais e são de dois dígitos. Consulte para PAR1 e PAR2 no Manual de Manutenção para o significado destes dígitos. 2.1 BUFFERS DE ALARMES · Limpar os Buffers de Alarme 52 CLALRM :: [[ <UNIT>s/r ]] ;; Os alarmes devem ser lidos antes de poderem ser apagados. Nota: Apagar um alarme não significa retirar a causa do alarme. · Mostrar os Alarmes de Bloqueio 46 DIIBLCK :: [[ <UNIT>s/r ]] ;; · Mostrar os Alarmes Principais 50 DIIMAJA :: [[ <UNIT>s/r ]] ;; 0107 19
  • 20. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET · Mostrar os Alarmes Secundários 49 DIIMIINA :: [[ <UNIT>s/r ]] ;; · Mostrar os Alarmes Silenciosos 48 DIISIILA :: [[ <UNIT>s/r ]] ;; · Comutar a Opção de Expansão de Alarmes para On ou Off 443 SWALEX :: [[<OFF-ON> ]] ;; Com este comando o código de alarme, qualificador e tipo de recurso podem ser expandidos com um texto explicativo (quando executado os comandos DIHIBU, DIMAJA, DIMINA, DISILA e DIBLCK). 2.2 BUFFER HISTÓRICO · Mostrar os Buffer Histórico 47 DIIHIIBU :: <REPORT-TYPE>s [[ ,, <UNIT>s/r ]] ;; 20 0107
  • 21. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 2.3 REDIRECIONAMENTO DE ALARME · Confirmar Sinalização de Alarmes a Distância 389 CALSIIG :: ;; Os Alarmes de Sinalização à Distancia (SAD) podem somente ser confirmados se o destino atual de alarme está no SAD. Este comando é usado para confirmar alarmes em um Centro de Manutenção Remota. Resposta: SE ALARMES NÃO SÃO CONFIRMADOS: ALARM. CONFIRMADOS TIPO-ROTA DESTINO-ALARME XXXXX XXXXXX XXXX · Redirecionamento de Sinalização de Alarme 51 REROUT :: <ROUTE-TYPE> [[ ,, <UNIT>s/r ]] ;; O número da unidade deve ser digitado somente se o tipo de redirecionamento para sinalização de alarme (ROUTE-TYPE) for "Unidade Isolada". Em outros tipos de redirecionamento não é permitido digitar a unidade (UNIT). 2.4 DECT - ALARMES DO ADAPTADOR DE TERMINAIS SEM FIO Esses comandos são usados para mostrar e apagar as informações de alarme dos Adaptadores de Terminais Sem Fio (CTA) conectadas às DCCs dentro do sistema. · Mostrar os alarmes CTA 529 DIICTAA :: [[<SHELF>,, <BRD>]] ;; Resposta: DNR-BSPT CTA ALARM CURRENT TRANSIENT HISTORY 2402-95 No No No No CTA software reset No No No Quando é fornecido o endereço de hardware da DCC são informados todos os relatórios de alarme das CTAs relacionadas à placa DCC informada. Se o endereço de hardware é omitido, então serão mostrados todos os alarmes das CTAs. · Apagar os alarmes CTA 530 # ERCTAA :: <BSP-ID> ;; Com o BSP-ID pose-se selecionar a CTA que reportou o alarme para ser apagado. 0107 21
  • 22. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 3 ALARMES DIGITAIS Este comando é usado para conseguir informações sobre o estado do detetor das DTUs recebidos pela CM. · Mostrar os Alarmes Digitais 300 DIIDIILA :: <SHELF> ,, <BRD>s/r [[ ,, [[<CRT>s/r ]] [[ ,, <MODE> ]] ]] ;; O parâmetro CRT deve ser omitido para placas não-RDSI de acesso não básico, tais como DTU-CA, DTU-PR, DTU-CC, DTU-PH, e DTU-PU. O parâmetro CRT é mandatório para circuitos RDSI tais como DTU-PH e DTX-I. O modo de exibição (MODE) só é valido para placas DTU não-RDSI. Se MODE for omitido será fornecida uma exibição resumida. Resposta (resumida): Alarmes do recurso na posição <SHELF> , <BRD> desde <DATE> <DAY-OF-WEEK> <TIME> Estado do DetetorContador Detecção de erro de relógio S/N 0 Perda de alinhamento de quadro S/N 0 Detecção de excesso de taxa de erro S/N 0 Detecção de lapso (slip) S/N 0 Alarme de supervisão do tratamento da sinalização S/N 0 Perda de alinhamento de multiquadro S/N 0 Detecção de alarme remoto S/N 0 Detecção de alarme remoto no TS16 S/N 0 Detecção de AIS 2 Mbit/s S/N 0 Detecção de AIS 64 kbit/s S/N 0 Resposta (exibição completa): Alarmes do recurso na posição <SHELF> , <BRD> desde <DATE> <DAY-OF-WEEK> <TIME> Estado do DetetorContador Detecção de erro de relógio S/N 0 Alarme indicado pela LTU S/N 0 Perda de alinhamento de quadro S/N 0 Detecção de excesso de taxa de erro S/N 0 Detecção de escorregamento (slip) S/N 0 Alarme de supervisão de tratamento de sinalização S/N 0 Perda de alinhamento de multiquadro bit 0 S/N 0 Perda de alinhamento de multiquadro bit 1 S/N 0 Perda de alinhamento de multiquadro bit 2 S/N 0 Perda de alinhamento de multiquadro bit 3 S/N 0 Detecção de alarme remoto S/N 0 Detecção de alarme remoto no TS16 S/N 0 Detecção de AIS 2 Mbit/s S/N 0 Detecção de AIS 64 kbit/s S/N 0 22 0107
  • 23. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET Resposta (RDSI): Alarmes do recurso na posição <SHELF> , <BRD> desde <DATE> <DAY-OF-WEEK> <TIME> Estado do Detetor Contador Detecção de erro de bit S/N 0 Advertência de escorregamento (slip) S/N 0 Sobrecarga de alimentação S/N 0 Perda de alinhamento de quadro S/N 0 Sinal de indicação de alarme S/N 0 Perda de sinal S/N 0 RAI S/N 0 RAI CRC4 S/N 0 Excesso de erro de bit S/N 0 Excesso de escorregamento (slip) S/N 0 Erro de relógio S/N 0 Falha de enlace S/N 0 · Apagar os Alarmes Digitais 368 ERDIILA :: <SHELF> ,, <BRD>s/r [[ ,, [[<CRT>s/r ]] [[ ,, <MODE> ]] ]] ;; 0107 23
  • 24. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 4 ARMAZENAMENTO PERIFÉRICO DE ARQUIVO O Mecanismo de Armazenamento Periférico de Arquivo (PFSM) funciona como um mecanismo genérico que oferece às placas periféricas e aos terminais TMP a possibilidade de transportar dados de qualquer tipo de ou para um arquivo em um dispositivo lógico (por exemplo, LBU). Aplicações nas placas periféricas e nos terminais TMP podem fazer uso das funções PFSM. Uma aplicação que deseja utilizar as funções de PFSM deve definir alguns ajustes relacionados à forma de utilização e de iniciar as tarefas PFSM. - a especificação do arquivo (por exemplo, nome do arquivo e extensão); - o tamanho máximo do arquivo (somente aplicável quando a aplicação escrever no arquivo); - o método de escrita; Existem dois métodos de escrita: - Encerrar a escrita quando o tamanho máximo do arquivo for atingido. Quando o arquivo alcança o tamanho máximo especificado nenhum dado a mais pode ser escrito e a aplicação (normalmente) deve fechar o arquivo. Se a aplicação vai parar ou não depende da aplicação. - Continuar a escrever quando o tamanho máximo é alcançado. Quando o arquivo alcança o tamanho máximo nenhum dado a mais é escrito. O arquivo é fechado, renomeado onde a extensão é alterada para ‘BAK’. Quando já existir um arquivo com extensão ‘BAK’, este arquivo é apagado. Conseqüentemente é aberto com novo arquivo com o nome original. A escrita continua nesse arquivo. Isto resulta em duas versões de arquivos, ou seja, um arquivo com o nome e extensão originais (por exemplo INFO.TXT) o qual está sendo atualmente utilizado pela aplicação e um arquivo com o nome original mas com a extensão BAK (INFO.BAK o qual era anteriormente o arquivo INFO.TXT). Cada tarefa PFSM está associada com um ‘número de tarefa’. O número de tarefa relaciona informações adicionais dos alarmes de SAS aplicáveis com o respectivo arquivo. O número da tarefa é visível por OM e em seguida liberado no arquivo de registro PDFSuu.LOG na LBU da unidade. O número de tarefa é único dentro do sistema. Existem dois tipos de comandos de OM relacionados com o PFSM; ou seja, comandos de OM para gerenciar a função PFSM e comandos de OM relacionados com a aplicação que utiliza a função PFSM. Um exemplo de aplicação é o Tracer de Protocolo PPH ou o Observador PM integrado (IPMO, desde o Call@Net 3.1C em combinação com a PMC-G com pacote 1810.03.01). 24 0107
  • 25. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 4.1 MECANISMO DE ARMAZENAMENTO PERIFÉRICO DE ARQUIVO Com os comandos de OM descritos a seguir pode-se controlar o dispositivo lógico associado ao Mecanismo de Armazenamento Periférico de Arquivo. · Alterar o Dispositivo Periférico de Saída de Dados 525 # ! CHPDOD :: [[ <LDN> ]] [[ ,, <UNIT> s/r ]] ;; Define para qual dispositivo os arquivos de dados periféricos serão enviados. Alterando-se o LDN não influencia-se os arquivos que já estiverem abertos. Quando o LDN é omitido, a LBU da unidade torna-se o dispositivo de saída para os dados periféricos. · Mostrar o Dispositivo Periférico de Saída de Dados 526 ! DIIPDOD :: ;; Mostra o LDN definido em todas as unidades como dispositivo de saída de dados periféricos. Resposta: UNIT DEVICE-NAME xx xxxxxx x O comando é executado em todo o sistema e mostra o dispositivo de saída de dados periférico por unidade. Com os comandos de OM a seguir, é possível controlar o estado dos arquivos periféricos (mostrar/fechar arquivos). · Alterar o Estado do Arquivo Periférico de Dados 527 ! CHPDFS :: <TASK> [[ ,, <RENAME-AND-REOPEN> ]] ;; Cada tarefa PFSM está associada com um número de tarefa. Este número de tarefa é único no sistema. Este comando de OM altera o estado do arquivo relacionado com a aplicação que está utilizando a função PFSM. O estado do arquivo pode ser alterado de duas formas: - O arquivo é fechado. Isto implica que a tarefa PSFM para a aplicação que abriu o arquivo está encerrada. 0107 25
  • 26. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET - O arquivo é fechado e renomeado para um arquivo com o mesmo nome mas com extensão ‘BAK’. Quando um arquivo com extensão ‘BAK’ já existir, ele será apagado primeiramente. Conseqüentemente um novo arquivo é aberto com o mesmo nome de arquivo e extensão que o arquivo original. Isto implica que a tarefa para a PFSM continuou. A aplicação utiliza o novo arquivo aberto. Quando algo de errado acontecer durante a execução deste arquivo de comando, isto será notificado através de uma mensagem no terminal de OM. Quando o parâmetro RENAME-AND-OPEN = 1 (sim) (somente aplicável para tarefas de escrita), o arquivo (assumindo que seu nome é nome.txt) será fechado e renomeado para nome.bak. Subseqüentemente um novo arquivo name.txt será aberto (a tarefa de escrita continua). Quando o parâmetro RENAME-AND-OPEN = 0 (não) o arquivo será fechado (a tarefa de escrita ou leitura será finalizada) o arquivo não será renomeado e nem reaberto. Quando o parâmetro RENAME-AND-OPEN é omitido, o valor padrão NÃO é assumido. · Mostrar o Estado do Arquivo de Dados Periférico 528 ! DIIPDFS :: [[<TASK> s/r]] [[ ,, <UNIT> s/r]] ;; Mostra informações relacionadas com o(s) arquivo(s) de tarefa(s) não finalizada(s). Tarefas finalizadas podem ser encontradas no arquivo de registro PDFSuu.LOG na LBU da unidade. Quando o parâmetro TASK é omitido, será mostrado o estado de todos os arquivos de todas as tarefas em operação na(s) unidade(s). Não é permitido especificar ambos os parâmetros. Resposta: TASK PERIP-DATA-FILE SHELF BRD CRT BSP-ID APPL-ID R/W MAX-FILE-SIZE xxxxx xxxxxxxxxxxxx xxx xx xx xxxxx xx x xx xxx xxx STOP-AT-M-F-S START-TIME PASSED-BYTES ERRORS OVERWRITTEN-FILES 26 0107
  • 27. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 4.2 TRACER DE PROTOCOLO PPH · Iniciar Trace de Circuito Periférico 519 ! STRTPT :: <SHELF> ,, <BRD>,, <FILE-NAME> .. <EXTENSION> ,, <MAX-FILE-SIZE> ,, <STOP-AT-MAX-FILE-SIZE> ]] ;; O parâmetro adicional <CRT> [&&<CRT>] define o circuito ou a faixa de circuitos a serem observados. Ele pode ser terminado entrando-se com ponto e vírgula (;). O sistema solicitará a confirmação se os dados do tracer anterior delem ser salvos. · Encerrar Trace de Circuito Periférico 520 ! STOPPT :: <SHELF> ,, <BRD>;; Se esta ação obtém sucesso, então o nome do arquivo do tracer encerrado é mostrado no display. Além de encerrar a aplicação de tracer através deste comando, a aplicação de tracer é implicitamente encerrada quando determinadas situações ocorrem. Isto é indicado por “RAZÃO DE PARADA” no arquivo de registro. A seguir é fornecido um exemplo de arquivo de registro PDFSuu.log (com duas tarefas encerradas): TASK FILE-ID EHWA BSP-ID APPL MAX-F-S R/W STOP-AT-M-F-S 2000 LBU02:T886.01 2011 7 - - 0 3 W No STARTED STOPPED LOST-FILES ERRORS REASON-FOR-STOPPING 1999-04-10 +11:49 1999-04-10 +11:50 0 No 0 TASK FILE-ID EHWA BSP-ID APPL MAX-F-S R/W STOP-AT-M-F-S 2001 LBU02:T886.00 2011 7 - - 0 3 W No STARTED STOPPED LOST-FILES ERRORS REASON-FOR-STOPPING 1999-04-10 +11:51 1999-04-10 +11:52 0 No 2 · Mostrar a Informação de Tracer de Circuito Periférico 521 DIIPCRT :: <SHELF> ,, <BRD>;; A informação a seguir é mostrada quando um tracer está em progresso: SHELF BRD OUTPUT-FILE MAX-FILE-SIZE STOP-AT-MAX-FILE-SIZE xxxxx xxx xxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxx xxxxxxxxx BOARD-FREE-MEMORY DATA-IN-MEMORY LOST-MESSAGES xxx xxx xxx CIRCUIT xxxxxxx 0107 27
  • 28. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 5 ARQUIVOS - COMANDOS PARA MANIPULAÇÃO. Se um comando de especificação de arquivo <FIILE> for usado, ele consiste dos seguintes itens: <LDN> : <FIILE--NAME> . <EXTENSIION> . <GENERATIION>. Se o GENERATIION for omitido será usada a última versão. No comando DIIRECT, em algumas especificações de arquivos, é possível indicá-los com caracteres coringa específicos. Esses caracteres são: - * substitui por completo o nome ou extensão do arquivo; - % substitui um único caractere, é possível usar mais de um %. · Copiar um Arquivo 90 CPYFIIL :: <SOURCE-FILE> ,, <DESTINATION-FILE> ;; Se no arquivo de destino (DESTINATION-FILE), o nome e/ou extensão do arquivo for(em) omitido(s), estes serão criados com o mesmo nome do arquivo de origem. No arquivo de destino somente (último) pode ser usado para geração. · Criar um Arquivo 94 CREFIIL :: <FILE> ;; Somente (último) pode ser usado para geração. O nível de proteção do terminal de OM deverá ser no mínimo 3 para cada uma das ações Nova, Anexar, Leitura e Apagar (NARD). Este comando somente é usado para criar arquivos de comando. Vejja capííttullo 29. Todos os comandos no arquivo de comando deverão ser os mesmos que aparecem na tela, eles deve começar com uma indicação de leitura (<). Se o comando perguntar por parâmetros adicionais ou senhas eles deverão ser digitados também no arquivo de comando, mas não devem ser precedido do <. O último comando no arquivo de comando deverá ser <END; . Digite EXIT; para fechar o arquivo de comando. Não é recomendável criar outros tipos de arquivos, usados pelo próprio sistema. Exemplo: Nós queremos criar um arquivo de comando para leitura da data e hora, criar um grupo. As respostas do sistema são mostradas em letras pequenas. CREFIL: LBU01: MYFILE.COM/.; LINE 0001 : <DIDATI: ; LINE 0002 : <CRGRPA: 1234,12,,1401; LINE 0003 : 1403,1,0; LINE 0004 : ; LINE 0005 : <END; LINE 0006 : EXIT; 28 0107
  • 29. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET · Apagar um Arquivo 91 DELFIIL :: <LDN> :: <FILE-NAME> .. <EXTENSION> .. <GENERATION> ;; Nota que o nível de proteção do terminal de OM deverá ser igual ou maior que os níveis de proteção do arquivo a ser apagado. Somente (último) ou 0 (zero = mais antigo) podem ser usados para geração. · Mostrar a Lista de Arquivos em Dispositivo Lógico 92 DIIRECT:: <LDN> :: [[<FILE-NAME> [[ .. <EXTENSION> [[ .. <GENERATION> ]] ]] ]] [[ ,, <DIRECTORY-TYPE> ]] ;; Se o tipo de diretório (DIRECT-TYPE) for omitido, será atribuído o diretório do sistema. Resposta, depende do tipo de diretório (veja o apêndiice B para parâmetros): Diretório do sistema: VOLUME NOME-ARQ NARD CRE-DATA/HORA MOD-DATA/HORA TS 12NC Diretório do usuário: VOLUME NOME-ARQ NOME/SIN REFNOME ACI/FLAG DEF CUR Diretório de descrição: VOLUME NOME-ARQ DESCRIÇÃO O nome do arquivo ou a extensão do arquivo pode ser especificada com * como um caractere coringa. Exemplo: DIRECT: LBU01:ABC.*; Este comando lista todos os arquivos começando com "ABC". · Purificar um Arquivo 95 PURFIIL :: <LDN> :: [[<FILE-NAME> ,, <EXTENSION> ]] ;; Este comando apaga todos as gerações anteriores de um arquivo. Somente a última versão não é afetada. · Ler um Arquivo 93 TYPFIIL :: <FILE> [[ ,, <FORMAT-INDICATOR> ]] ;; Se a geração for omitida, será usada a última versão. Não é permitido ler arquivos binários ou executáveis. 0107 29
  • 30. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET · Mover um Arquivo 505 MOVFIIL :: <SOURCE-FILE> ,, <DESTINATION-FILE> ;; Especificação do arquivo de origem <SOURCE--FIILE>: <LDN>: <FIILENAME> . <EXTENSIION> [.<GENERATIION>] Especificação do arquivo de destino <DESTIINATIION--FIILE>: <LDN>:[<FIILENAME> . [<EXTENSIION> [.<GENERATIION>] ] ] O comando MOVFIL faz uma copia do arquivo de origem no arquivo de destino e quando a ação é realizada com sucesso o arquivo de origem é apagado. Quando os arquivos de origem e de destino estão localizados na mesma BIIM uma cópia rápida é executada. Para uma cópia rápida, é requerida a versão 1.4 da BIIM. Quando for utilizada uma versão mais antiga de BIIM será realizada uma cópia (e cancelamento) normal. Quando uma cópia rápida for executada a marca de data e horário do arquivo de destino será a mesma do arquivo de origem. · Compactar (zipar) um Arquivo 560 ZIIPFIIL :: <SOURCE-FILE> ,, <DESTINATION-FILE> ;; Este comando te o objetivo de ser utilizado em conjunto com o Management@net e o SysManager 410. O comando ZYPFIL compacta (zipa) um arquivo de origem em um arquivo de destino. O <LDN> deve ser a LBU ou a DBU. No caso da CPU3000, os arquivos GBU podem ser compactados. Nenhum coringa é permitido nos nomes dos arquivos de origem e destino. No nome do arquivo de origem a adição de “/” (última geração) pode ser utilizado. A extensão do arquivo de destino é sempre “ZIP”. 30 0107
  • 31. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 6 ARQUIVOS DE SEGURANÇA (BACK-UP DE MANUTENÇÃO) Cada unidade tem uma base de dados na Memória Central (CM), contendo todos os dados administrativo. Estes dados devem também estar disponível nos dispositivos de back-up. Os seguintes arquivos, representando a base de dados na Memória Central, podem ser feitos: - Arquivos de Imagem Fotográfica da Memória (arquivos-MIS), contendo a base de dados da Memória Central em formato binário. - Arquivo de Formato Lógico, contendo a base de dados da Memória Central (CM) em formato de subcomando. Antes de fazer estes arquivos, deve-se fechar a Manutenção de back-up (Comando de OM BMLOCK ) para evitar a alteração da base de dados, enquanto ele estiver sendo copiado para um dispositivo de back-up. Quando reconfigurando um sistema é comum a prática de se criar arquivos de recuperação (retrieve), adaptar esses arquivos e a seguir reprojetar o sistema com esses arquivos adaptados. Entre a criação de um arquivo de retrieve e o reprojeto do sistema com esse arquivo adaptado a trava de manutenção de sistema (BM) permanece ativa, para restringir a execução de comandos de OM de alteração de dados. Entretanto, durante este período, também as ações de Compartilhamento de Mesa (Desksharing) não podem ser executadas enquanto a trava de BM estiver acionada. Para resolver este problema a OM de trava deve ser utilizada. Após Ter gerado os arquivos de retrieve, a OM de trava é acionada e a trava de BM é cancelada. As ações de Desksharing são agora possíveis e são gravadas no arquivo journal. Quando reprojetando o sistema com os arquivos de retrieve adaptados todas as ações de Desksharing, executadas no período em que a OM de travas foi acionada, estão presentes após o reprojeto do sistema (após reprojetar o sistema, o arquivo journal é executado). · Ativar ou Desativar a Trava da Manutenção de Backup 108 BMLOCK :: <OFF-ON> ;; Desabilita (ou habilita) todas as atividades de alterações de dados de OM no sistema. Deve-se travar a manutenção de back-up antes de fazer um arquivo MIIS ou arquivo de Formato Lógico, e logo após liberá-la. Resposta: Forneça a identificação do usuário: ? Preencha com o seu nome (1 ... 6 caracteres) seguido de ponto e vírgula (;) 0107 31
  • 32. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET · Ativar ou Desativar a Trava da Manutenção Operacional – OM 511 OMLOCK :: <OFF-ON> ;; Este comando pode ser usado para desabilitar temporariamente todas as ações de OM (executadas a partir de um dispositivo de OM) que modifiquem dados de configuração. Entretanto atividades de OM iniciadas a partir de ramais (por exemplo, quando o Desksharing executado) permanecem possíveis. Quando a trava de OM é acionada, a trava de BM somente pode ser desativada! Quando a trava de OM não é acionada, a trava de BM pode ser acionada e desativada. Quando a trava de BM é acionada, a trava de OM não tem função. A trava de BM possui uma prioridade superior à trava de OM. Resposta: Forneça a identificação do usuário: ? Preencha com o seu nome (1 ... 6 caracteres) seguido de ponto e vírgula (;) · Mudar para um Novo Arquivo Journal Vazio 109 CHJOUR :: <NETWORK-SIN> ;; Antes de utilizar este comando, deve-se primeiramente fechar a BM. Este comando apaga todas as versões de arquivo journal e cria um novo arquivo journal vazio com a introdução SIN (Número de Identificação de Captura Instantânea). O SIN deve ser o mesmo dos arquivo-MIIS presentes. Verifique o SIN dos arquivos-MIIS digitando: DIIRECT: LBUxx:LMxx01.POM./,U; CUIDADO: Este comando apaga as informações ainda não presentes no último arquivo(s)-MIS. Usar o GEBUMI, a menos que isto seja o que você realmente necessite. · Gerar um Back-up em formato lógico 105 RTRIIEV :: [[ [ <RETRIEVE-ACTION> ]] [[,,<UNIT> ]] [[ ,, <RETRIEVE-OPTIONS> ]] ;; CUIDADO: Não utilize o comando SWJUPD quando fazendo um retrieve. Antes de utilizar este comando, deve-se primeiramente fechar a BM. Se o número da unidade é omitido, os arquivos de formato lógico serão feitos em todas as unidades do sistema. Os arquivos de Formato Lógico são chamados PRxx.POM (dados de PE) e ORxx.POM (dados LL). O parâmetro <RETRIIEV--OPTIIONS> pode ser usado para indicar se os dados dinâmicos e/ou relação nome/número devem também serem incluídos nos arquivos de retriev. 32 0107
  • 33. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET No caso de dados dinâmicos, os seguintes dados também são incluídos no retriev: - Destinos de siga-me (para ramais e grupos) - Preparações de siga-me (para ramais e grupos) - Ativações de siga-me fixos - Marcas de desvio de chamada em ramal ocupado - Presença de ramal noturno - Presença de ramal de chefe - Presença de ramal de secretária - Ausência de membro de grupo · Gerar um Backup em Imagem Fotográfica de Memória (MIS) 104 GEBUMII :: [[<UNIT>]] ;; ATENÇÃO: Não use este comando quando houverem troncos em condição de serviço OUT. Antes de usar este comando, deve-se fechar a BM. Se o número da unidade for omitido, o arquivo-MIS (Imagem Fotográfica da Memória) será criado para todas as unidades do sistema, e um novo arquivo journal vazio será introduzido. Na conclusão do comando recomenda-se fazer uma cópia de emergência (se o arquivo-MIS foi feito em todas as unidades). vejja seção 6..2. Depois de feitos os arquivos MIS, as versões antigas podem ser apagadas para prover espaço no back-up local usando o comando PURFIIL (Vejja capííttullo 5). Cada arquivo MIS é chamado LMxx01.POM (xx = número da unidade) e está presente no back-up Local. Nota : É aconselhável manter as duas últimas versões dos arquivos MIS. · Apagar o arquivo MIS da memória de back-up 479 PUBUMII:: [[ <UNIT> ]] ;; Com o comando PUBUMI os arquivos MIIS são apagados do dispositivo de back-up. Se a unidade não for especificada, os arquivos MIIS serão apagados na unidade em que o comando está sendo executado. Se apenas um arquivo MIIS estiver presente, nenhum arquivo MIIS será apagado. Resposta: UNIDADE 2 : Arquivo MISFILE versão a APAGADO ! UNIDADE 2 : Arquivo MISFILE versão b APAGADO ! UNIDADE 14 : Arquivo MISFILE versão c APAGADO ! Onde a, b e c indicam a geração dos arquivos. 0107 33
  • 34. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET · Liga ou Desliga a Atualização do Journal 106 SWJUPD :: <OFF-ON> ;; Depois de iniciar uma sessão de OM, a atualização do journal está ligada, os comandos são gravados no arquivo journal. Para propósitos especiais (teste durante a instalação) ele não pode ser desligado. CUIDADO: Desligando a atualização do "journal" é criado um intervalo no arquivo "journal". Também o fechamento da BM prevalece para o terminal de OM em referência. · Atualizar a Unidade a Partir do Journal 107 UPDATE :: [[ <UNIT> ]] ;; Após um reinicio operacional, normalmente é executado o arquivo journal. Quando um reinicio operacional ocorre durante a execução de um comando de OM, existe a possibilidade de que o reinicio operacional ocorreu devido a um subcomando errado. Porque este subcomando esta também presente no arquivo journal, a unidade ficaria reiniciando. Isto é uma situação de paralisação. ara prevenir isto, o arquivo journal não é executado quando a fechamento da unidade está estabelecida (isto ocorre automaticamente durante a execução de uma comando de OM). Se o arquivo journal não está executado, isto é sinalizado para o usuário. Existem duas possibilidades: - O reinicio operacional não foi resultado de um subcomando errado. Execute o comando UPDATE para que o arquivo journal seja executado. - O reinicio operacional foi resultado por um subcomando errado. Após o comando UPDATE, um novo reinicio operacional ocorreu. Relate a situação, pois ela é devido um erro de software. 34 0107
  • 35. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 6.1 COMPATIBILIDADE DA UNIDADE Estes comando são usados quando uma atualização não simultânea deve ser criada em uma Rede Completamente Integrada (FIN). Nesta situação a rede consistirá de unidades com o pacote de software antigo (ainda não atualizado) e unidades com pacote de software novo, Isto significa que a rede total consiste de duas (incompatíveis) redes menores. A função compatibilidade da rede assegura que chamadas entre redes incompatíveis ainda são possíveis porém sem as facilidades. · Mudar a Compatibilidade da Rede 403 CHCOMP :: <INC-OR-COM> ;; · Mostrar a Compatibilidade da Unidade 402 DIICOMP :: <UNIT-1> [[ ,, <UNIT-2> ]] ;; O estado mostrado é o estado da Unidade-2 como visto pela Unidade-1 Resposta: UNID COMPATIBILIDADE XX XXX A compatibilidade pode ser uma das seguintes: - Compatível; - Incompatível; - Desconhecida. 0107 35
  • 36. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 6.2 ELABORAÇÃO DE UM "FIRE COPY" (CÓPIA DE EMERGÊNCIA). Os arquivos-MIIS (consulte o comando de OM GEBUMII) devem ser copiado para um conjunto de disquetes, por razão de segurança. Este conjunto de arquivos é chamado de Fire Copy. Sistemas CCS Uma Fire Copy para um sistema com CCS é criado na Módulo de Interface e Back-up (BIIM) da seguinte forma: 1. Selecione o menu de opções da BIIM : ‘Comutar para linha de comando’. 2. Inserir um disquete na drive de disquetes da BIIM. 3. Digitar : back-up -c Este comando copia os arquivos PE, LL, MIS, journal e Config para o disquete. 4. Identifique o(s) disquete(s) com a data e o horário e guarde-os em um local seguro.. Sistemas com CPU3000 Um fire copy dos arquivos relativos ao cliente (PE, LL, MIS, journal e Config) são criados no SMP como seguir: 1. Selecionar o diretório específico do cliente. 2. Inserir um disquete no drive do SMPC. 3. Localizar a última versão dos arquivos que você deseja copiar para o disquete. 4. Copiar os arquivos para o disquete. 5. Identifique o(s) disquete(s) com a data e o horário e guarde-os em um local seguro. 36 0107
  • 37. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 7 ARVORE DE ANALISE / ESQUEMA DE NUMERAÇÃO O esquema de numeração completo pode ser dividido em esquema de numeração interna e esquema de numeração externa. Ambos os tipos de dados de análise de número usam a mesmo tipo de árvore. Como os dados do esquema de numeração interna e externa requerem parâmetros diferentes, existem diferentes comandos de OM disponíveis. Alguns comandos são válidos para ambos os esquemas de numeração. Os nomes “número interno” e “esquema de numeração interna” podem causar confusão. Número interno são números que pertence ao ramais (DNRs). Sendo assim, um número interno é um dos resultados de análise do esquema de numeração interna. Outros resultados de análise do esquema de numeração interna são números abreviados, prefixo de siga-me, etc. 7.1 ESQUEMA DE NUMERAÇÃO GERAL · Mudar a Restrição da Classe de Tráfego 38 # ! CHTBAR :: <TREE> ,, <NUMBER> ,, <TRFC> ;; Este comando é usado para mudar a classe de tráfego em uma árvore de análise numérica, sem afetar os dígitos analisados. · Mostrar a Série de Resultado de uma Análise Numérica 426 DIINARS :: <TREE>s/r [[ ,, <RESULT-ID> ]] ;; Este comando procura por um número que está relacionado a identidade do resultado. Quando RESULT--IID for omitido, todos os números relacionados a árvore dada será mostrado. Resposta: TREE CODE ANALYSIS RESULT NUMBER ID NUMBER xx xxx xxxxxxxxxxxxxxxxxx xxxxx xx xxx O ‘ID NUMBER’ (quando aplicável) fornece informações sobre o destino (atribuído com ASIINTN e CHCSDD). A identidade de destino é fornecida e relacionada ao ‘NÚMERO’. Por exemplo o ‘ID’ pode ser: P = Rota de busca pessoa D = Número de destino Q = Fila A S = Servidor U = Unidade 0107 37
  • 38. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET · Mostrar Dados do Esquema de Análise Numérica 42 DIINASD :: <TREE>s/r [[ ,, <NUMBER> ]] ;; Este comando é usado para mostrar o conteúdo (ou parte dele) de uma árvore de análise numérica. Se um NUMBER é digitado, será mostrada a última pirâmide na qual esta seqüência de dígito é analisada. Os números da árvore para o esquema de numeração interna pode ser mostrado usando o comando DIIDIIAL, para DDI (entrada) usando o comando DIIROUT, e para DDO (saída) usando o comando DIIDEST. As tabelas de árvore são mostrados por nível. Cada tabela consiste de: A B C D E F G H I J K L M N O P Q Estas letras têm o seguinte significado: A Dígito discado J Tamanho máximo do número B Código do resultado da análise K Tom de discar local C Resultado da análise L Pré-dígito D Próxima tabela de análise / número de linha M Pós-dígito E Tamanho do número / Modo PVN / Quantidade de linhas Virtuais Consecutivas N Modo de restauração F Número do destino / tabela da rota / fila- A / Unidade / Validação de senha / Servidor O Operadora permitida intercalar / número de carga G Número da rota de busca-pessoa / Pausa (s) P Marca de restrição possível H Classe de tráfego (TRFC) I Tamanho mínimo do número Q Classe de tarifa / Código de ponto (veja nota) Nota : Desde o pacote Call@Net 3.5 os Códigos de ponto podem ser relacionados a Códigos de Acesso a tronco. O código de ponto é mostrado para Códigos de Acesso a Troco e números externos da mesma forma que ele já era mostrado para Código de ACesso a Rede. Para Código de Acesso a Tronco o Código de Ponto é mostrado na coluna Q. O Código de Ponto para números externos é agora também mostrado na coluna Q. Devido ao fato desta coluna Q ser a combinação da Classe de Tarifa/Código de Ponto, a Classe de Tarifa foi movida para a coluna D. · Mostrar a Memória Usada para Esquema de Análise Numérica 45 DIINASM :: ;; Resposta: TABELAS-ANALISE BLOCOS-NUMEROS-EXTERNOS (PROJETADO) (LIVRE) (MAXIMO) (LIVRE) XX XX XX XX 38 0107
  • 39. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET · Apagar um número (Tornar o Número Inacessível) 39 # ! MAKENU:: <TREE> ,, <NUMBER> ;; Este comando é usado para apagar um número ou bloco do esquema de numeração externa ou interna. 7.2 ARVORE DE ANÁLISE PARA ESQUEMA DE NUMERAÇÃO INTERNA · Designar Árvore de Análise para um Tipo de Discagem 33 # ! ASTREE :: <TREE> ,, <DIAL-TYPE>s [[ ,, <AG> // <ROUTE> ]] ;; O grupo de análise (AG) é usado apenas para os seguintes tipos de discagem: - 0 = Discagem de ramal - 1 = Discagem em consulta - 8 = Temporização em discagem de overlay - 9 = Continuação de discagem de overlay - 4 = Discagem de destino alternativo (desde Call@Net 3.4) Se o grupo de análise for omitido, será usado o padrão. Se o grupo de análise for omitido para destino alternativo então a árvore geral é atribuída para todos os grupos de análise que não possuem árvore específica para discagem de destino alternativo. Para os tipos de discagem 0 ... 9 e 11 o terceiro parâmetro é o AG. Para o tipo de discagem 10 (a partir do Call@Net 2.4) o terceiro parâmetro é ROUTE: a árvore de análise para ‘Discagem de Nó de Rede’ é associado à rota. · Designar Bloco de Esquema de Numeração Interna 34 # ! ASBLCK :: <TREE> ,, <NUMBER> ,, <TRFC> ,, < NUMBER-LENGTH / CV / POINT-CODE > ,, <RESULT-ID> [[ ,, <DEST> ]] ;; Este comando é usado para designar um bloco de números internos ou discagem abreviada. Somente os RESULT--IIDs 10, 23 e 24 são permitidos. Desde o pacote de software Call@Net 3.5, quando atribuindo um bloco de números internos na árvore de discagem inicial (usando o comando de OM ASBLCK com RESULT-ID 10), um destino opcional pode ser atribuído. 0107 39
  • 40. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET Uma chamada para um número projetado como 'número interno', para o qual nenhum DNR tiver sido atribuído, é considerada como 'número externo' e é encaminhada para o destino, seguindo o encaminhamento normal projetado: destino - tabela de rota - rota - feixe - linha. As características de destino 'opções de discagem', 'repetição de código de acesso' e 'atraso de ocupação' são ignorados. Suponha que a faixa 1xxx tenha sido atribuída a um destino específico, então quando 1234 for discado (o qual é um ramal não existente), a chamada é encaminhada para um destino específico. Ele sobrepõe-se ao "Desvio de chamada para ramal não existente (CF-TYPE 6) quando configurado. Também quando a faixa 2xxx é atribuída e nenhum destino é especificado, então quando 2345 for discado (o qual é um ramal não existente), a chamada é encaminhada para "Desvio de chamada quando ramal não existente" (CF-TYPE 6) quando configurado. · Designar Número do Esquema de Numeração Interna 36 # ! ASIINTN :: <TREE> ,, <NUMBER> ,, <TRFC> ,, <RESULT-ID> [[ ,, [[ <DEST / NUMBER> ]] [[ ,, <NUMBER-LENGTH / CV / POINT-CODE > ]] ]] ;; Este comando é usado para designar um prefixo. Neste comando devem ser omitidos os parâmetros DEST//NUMBER e NUMBER--LENGTH//CV. Exceções a regra são: - Se RESULT--IID = 48 ou 49 : CV é um parâmetro opcional e somente deve ser usado no caso de RESULT-ID = 48 ou 49. Quando CV é omitido no comando, a relação existente (se presente) é apagada. - Se RESULT--IID = 49 : DEST//NUMBER deve ser dado. Preencher com número da fila-A (1...16). - Se RESULT--IID = 14, 21, 91, 92, 138, 147 : DEST//NUMBER deve ser um número de destinação. - Se RESULT--IID = 12, 13, 120...125, 139 ... 142 : DEST//NUMBER de ser um número de rota de busca -pessoa (paging). - Se RESULT--IID = 20, 25, 43, 68, 69, 70, 71, 72, 73, 74, 82, 105 ... 115, 118, 119, 127, 135, 136 : NUMBER--LENGTH deve ser dado e DEST//NUMBER deve ficar vazio Nota : O NUMBER--LENGTH no RESULT--IID = 111 é usado para validar o código do centro de custo discado. O último dígito do código do centro de custo deve ser igual a soma do outros comprimento MOD de dígitos. Ex.: se o comprimento é 6 então 1 2 3 4 5 3 é um código de centro de custo válido. 1 + 2 + 3 + 4 + 5 = 15. 15 MOD 6 = 3 (resto depois da divisão). O último dígito é também 3, portanto é um código de centro de custo válido. 40 0107
  • 41. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET - Se RESULT--IID é 50, 51, 143 ou 144 e o DEST//NUMBER está vazio ou ‘0’, é usada a validação do PID (SSM). Se o DEST//NUMBER = 1 então é usada validação de senha (IPD). O NUMBER--LENGTH (0...16) indica o comprimento do PID ou da senha e NUMBER significa ‘prefixo’. - Se RESULT--IID = 82 : O número de caracteres no NUMBER deve ser compatível com a posição de dígito do TMS. - Se RESULT--IID = 104 : NUMBER--LENGTH (0...16) indica o comprimento da senha; DEST//NUMBER como 0 significa ‘alterar a senha do ramal corrente’ e 1 significa ‘alterar a senha de qualquer outro ramal’ deve ficar vazio - Se RESULT--IID = 132, 133 : DEST//NUMBER deve ser dado. Completar o número da unidade. O NUMBER--LENGTH deve estar vazio no caso de 132. No caso de 133, DEST//NUMBER deve ser modo PVN. - Se RESULT-ID = 150: DEST/NUMBER é a quantidade de linhas virtuais e NUMBER-LENGHT indica a faixa de números de linhas virtuais consecutivas 1 ... 99 (1 = padrão e 99 = quantidade máxima de linhas virtuais) - RESULT--IIDs 10, 22, 23, 24 e 145 não são permitidos. · Alterar os Dados do Serviço CSTA Discado 158 # ! CHCSDD :: <TREE> ,, <NUMBER> ,, <TRFC> ,, <SERVER-AND-ACTION-CODE> [[ ,, [[ <PW-NBR-LENGTH> ]] [[ ,, <ADD-INFO-NBR-LENGTH> ]] ]] ;; Com este comando pode ser definido um prefixo para seguir o result-id ‘servidor CSTA discado’. · Mostrar os Dados do Serviço CSTA Discado 215 DIICSDD :: <TREE> [[ ,, [[ <NUMBER> ]] [[ ,, <SERVER-AND-ACTION-CODE> ]] ]] ;; Este comando mostra os dados armazenados nos prefixos com result-id ‘servidor CSTA discado’. Se o parâmetro NUMBER é omitido, todos os dados disponíveis de servidor CSTA discado para a árvore de análise (TREE) e SERVER--AND--ACTIION--CODE indicados, serão mostrados. SE o parâmetro SERVER--AND--ACTIION--CODE é omitido, todos os dados disponíveis de servidor CSTA discado para a árvore de análise (TREE) e NUMBER indicados, serão mostrados. Se os parâmetros NUMBER e SERVER--AND--ACTIION--CODE forem omitidos, todos os dados disponíveis de servidor CSTA discado para a árvore de análise (TREE) indicada, serão mostrados. 0107 41
  • 42. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET O leiaute do display segue o exemplo indicado: TREE NUMBER SERVER-CODE ACTION-CODE #PASSWORD-DIGITS #ADD.INFO-DIGITS 0 #49 1 5 0 4 0 #49 1 5 0 4 0 #49 1 5 0 4 0 #49 1 5 0 4 · Mostrar as Relações do Tipo de Discagem à Árvore de Análise 44 DIIDIIAL :: [[<DIAL-TYPE>s/r ]] ;; Se DIAL-TYPE for omitido, será mostrado todos os tipos de discagem. Resposta: DIAL-TYPE GRUPO ARVORE ROTA Nº ANALISE Nº ANALISE Nº 0: Extension dialling xx xx — 1: Enquiry dialling xx xx — 2: Operator dialling — xx — 3: Post dialling — xx — 4: Alternative destination dialling xx 2) xx — 5: FM primary dialling — xx — 6: Pick up destination dialling — xx — 7: Executive secretary dialling — xx — 8: Overlay time out dialling xx xx — 9: Overlay continue dialling xx xx — 10: QSIG network party dialling Route — xx xx 11: Discagem de caminho 1) 1) Desde Call@Net 3.2 2) Desde Call@Net 3.4. Quando nenhum grupo de análise específico é atribuído (utilizando ASTREE) uma "-" é mostrado, significando o Grupo de Análise padrão. 42 0107
  • 43. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 7.3 ARVORE DE ANÁLISE PARA ESQUEMA DE NUMERAÇÃO EXTERNA · Designar Número do Esquema de Numeração Externa 37 # ! ASEXTN:: <TREE> ,, <NUMBER> ,, <TRFC> ,, <MIN-LENGTH> ,, <MAX-LENGTH> ,, <DIALTONE-PLACE> [[ ,, <TARIFF-CLASS> ]] [[,,<PAUSE-PLACE> ,, <INTERVAL> ]] ]];;;; Parâmetros adicionais : [ <ROUTE--TABLE> [ , <POIINT--CODE> ] ]; O número (ou faixa de número) tem o resultado da análise 022 (Número externo). ROUTE-TABLE somente é relevante para Rota d Menor Custo. ROUTE-TABLE e POINT-CODE somente são relevante para Rota de Menor Custo via CCIS. · Designar Número do Esquema de Numeração Externa com Parâmetros Adicionais 328 # ! ASEXTP:: <TREE> ,, <NUMBER> ,, <TRFC> ,, <MIN-LENGTH> ,, <MAX-LENGTH> ,, <DIALTONE-PLACE> [[ ,, [[ <TARIFF-CLASS> ]] [[ ,, <PAUSE-PLACE> ,, <INTERVAL> ]] ]] ;; Parâmetros adicionais: [ <PRE--DIIGIIT> ] [ , [ <POST--DIIGIIT> ] [ , [ <REST--MODE> ] [ , [ <IINTR--ALL// CHARGED> ] [ , <ROUTE--TABLE> [ , <POIINT--CODE> ] ] ] ] ] ; Este comando é usado quando o número enviado para outra central deve ser precedido por um pré-dígito (também chamado de Classe-de-chamada ou Tipo-de-chamada) ou seguido por um pós-dígito e/ou quando o modo de restauração e/ou a permissão de intercalação (chamada gratuita, RDSI) são usados (CSS1). O número (ou faixa de número) tem o resultado da análise 022 (Número externo). · Designar Número Externo Bloqueado 40 # ! ASBARR :: <TREE> ,, <NUMBER> ;; Este comando é usado para bloquear um número externo. O número externo deve ser definido com ASEXTN. Isto significa que o resultado da análise 022 (Número externo) deve estar presente na árvore relativa. Use DIIDEST para localizar o número da árvore correta. Neste comando <NUMBER> pode ser 1...16 dígitos. 0107 43
  • 44. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET · Apagar Número Externo Bloqueado 41 # ! ERBARR :: ;; Toda a lista de números bloqueados serão apagados. · Mostrar Números Externos Bloqueados 43 DIIBARR:: ;; A resposta será uma lista de números externos bloqueados e o número da árvore de análise. -- NUM-BLOQUEADO--- NUM-ARVORE-ANALISE XXXXXXXX XX 44 0107
  • 45. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 8 BILHETAGEM AUTOMÁTICA E BILHETAGEM ESTENDIDA (Registro Detalhado de Chamadas - FDCR ) Os comandos OM para bilhetagem automática (TT) somente são relevantes quando a opção do sistema "Registro Detalhado de Chamada no lugar de Bilhetagem Automática" (60) está estabelecida em "FALSE" (Falso). Do mesmo modo os comandos OM para FDCR somente são relevante quando à opção do sistema 60 está estabelecida em "TRUE" (Verdadeiro). Comandos STOPTT e STOPFR são independentes da opção 60. 8.1 BILHETAGEM AUTOMÁTICA · Mudar o Limite do Número da Rota 152 # ! CHTRLV :: <ROUTE>s/r ,, [[ <TICS> ]] [[ ,, <DURATION> ]] ;; Uma chamada somente é incluída no relatório de registro de chamada, se o número de pulso (medição por pulsos) ou a duração da chamada exceder um certo limite. Este comando é usado para designar estes limites. · Mostrar o Limite do Número da Rota 153 DIITRLV :: [[<ROUTE> s/r ]] ;; Resposta: ROTA LIMITE LIMITE PULSO-MEDIÇÃO DURAÇÃO(segundo) · Mudar as Características da Bilhetagem 154 # ! CHTTCR :: <LINES-PER-PAGE> ;; Indica o número de linhas que cada campo de página será gerado no arquivo de registro de chamada. · Mudar o Dispositivo de Saída da Bilhetagem 155 # ! CHTTOD :: [[ [[<LDN> ]] [[ ,, [[ <OUTPUT-FORMAT-VERSION>]] [[ ,, <UNIT>s/r ]] ]] ]] ;; Indica para qual dispositivo o arquivo de bilhetagem será enviado. Se LDN (Nome do Dispositivo Local) for omitido não haverá qualquer dispositivo de saída definido. Se o dispositivo de saída for alterado durante a bilhetagem ativada, o dispositivo "antigo" permanece válido até que a bilhetagem seja reiniciada. 0107 45
  • 46. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET · Mostrar o Dispositivo de Saída da Bilhetagem 156 DIITTOD :: ;; Se o dispositivo de saída for mudado enquanto a bilhetagem estiver ativa, o dispositivo "antigo" permanece válido até que a bilhetagem seja reiniciada. Neste caso o dispositivo de saída mostrado não é o atual. Este comando é sempre executado para todo o sistema. A resposta é: UNID DISPOSITIVO-DE-SAÍDA VERSÃO-DO-FORMATO-DE-SAÍDA XX XXXX X · Mostrar o Estado e Características da Bilhetagem 151 DIISPTT :: ;; A resposta é: ARQ-SAÍDA-BILH ESTADO ESTADO EM ACUMULADO ARQUIV BILH ANDAM. CHAMS PULSOS DUR CHAMS nome-do-arquivo XXXX XXXXX XXXXX XXXXX XXXXX XXXX XXXX · Iniciar a Bilhetagem 149 # STRTTT :: <FILE-NAME> ;; Antes que a bilhetagem possa ser iniciada o dispositivo de saída deve ser especificado. Isto pode ser um LBUxx, um PC, um dispositivo ou uma impressora. Se necessário use DIIDEVC ou DIIPORT para obter uma lista de dispositivo válidos. Quando a bilhetagem estiver ativada, pode-se iniciar outra bilhetagem com um nome de arquivo diferente. Isto redireciona a saída para um outro arquivo e o antigo será fechado. Isto previne perda de bilhetagem. O arquivo contém os seguintes itens: CC CCT DP P/B RAM IBSC P/N PSW NUMERO DISCADO DATA HORA DUR. UNIDS TETN XX XX XX X XXXX XX X XXXXXX XXXX XXXX XXXX XX XXX XXXX Se o centro de custo (CC) e o tipo de centro de custo (CCT), departamento (DP), indicador private/business (P/B) e/ou senha (PSW) não são utilizado pelo chamador, um espaço será mostrado na área específica. TETN contém a rota e o número da linha de uma linha externa. · Parar a Bilhetagem 150 # STOPTT :: ;; 46 0107
  • 47. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 8.2 BILHETAGEM ESTENDIDA (FDCR) · Mudar a Característica do FDCR 445 # ! CHFRCR :: <FDCR-CALL-TYPE>s//rr ,, <OFF-ON> ;; Este comando adiciona ou remove um tipo de chamada FDCR de ou para a lista de itens registrados. Ele permite registrar um conjunto restrito de tipos de chamadas. · Mudar o Dispositivo de Saída do FDCR 347 # ! CHFROD :: [[ [[<LDN> ]] [[ ,, [[<OUTPUT-FORMAT-VERSION> ]] [[ ,, <UNIT>s/r ]] ]] ]] ;; Indica para qual dispositivo o arquivo de FDCR será enviado. Se LDN for omitido não haverá qualquer dispositivo de saída definido. Se o dispositivo de saída for alterado durante o FDCR ativado, o dispositivo "antigo" permanece válido até que o FDCR seja reiniciado. · Mostrar o Dispositivo de Saída do FDCR 371 DIIFROD :: ;; Se o dispositivo de saída for mudado enquanto o FDCR estiver ativo, o dispositivo "antigo" permanece válido até que o FDCR seja reiniciado. Neste caso o dispositivo de saída mostrado não é o atual. Este comando é sempre executado para todo o sistema. A resposta é : UNID DISPOSITIVO-DE-SAÍDA FORMAT-DA-VERSÃO-DE-SAÍDA XX XXXX X · Mostrar a Bilhetagem Estendida 345 DIISPFR :: ;; Este comando é usado para mostrar o arquivo de saída do FDCR. Além disso este comando mostrar o acumulado da medição de pulsos e tempo de duração da chamada, quais são perdidos como resultados de congestionamento nos registros contados 0107 47
  • 48. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET A resposta é: FDCR-OUTPUTFILE FILE- TT- IN ACCUMULATIONS: FILE STATUS STATUS PROGR CALLS PULSES DUR CALLS filename xxxxx xxxxx xxxxx xxxxx x xxxx xxxxx xxxx Recording call types : internal calls : 1 outgoing calls : 1 incoming calls : 1 tieline calls : 1 assistance calls : 0 paging calls : 0 toll-ticketing calls : 1 accounting DPNSS transit calls : 0 filter accounting DPNSS internal calls : 0 · Iniciar a Bilhetagem Estendida 340 # ! STRTFR :: <FILE-NAME> ;; Antes que o FDCR possa ser iniciado, o dispositivo de saída deve ser especificado. Este pode ser a LBUxx, um PC, ou uma impressora. Se necessário use o comando DIICHAR para obter a lista de dispositivo válidos. Quando o FDCR estiver ativo, pode-se iniciar outro FDCR com um nome de arquivo diferente. Isto redireciona a saída para um outro arquivo e o antigo será fechado. Esta ação previne perda de dados de FDCR. Para maiores informações sobre este arquivo, consulte o Manual de Implementação de Facilidades. · Parar a Bilhetagem Estendida 342 # ! STOPFR :: ;; Este comando é usado para fechar o arquivo de saída FDCR. 48 0107
  • 49. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 9 BLOCO DE SINALIZAÇÃO E CADENCIA DE TONS (ALTERAÇÕES). Os comandos deste capítulo são usado para: - Mudar e mostrar o projeto de dados geral da PM, ex.: dados de escravo, dados de grupo de sinalização, dados de tom e dados de áudio; - Mudar e mostrar o projeto de dados do PPH (Manuseio do Projeto de Periféricos), ex.: dados PPH, L1, L2, L3 e TEI. · Mudar Dados Projeto da PM 75 # ! CHPMPD :: <PM-OBJECT> ,, <OBJ-INDEX> [[ ,, [[ <NBR-OF-ITEMS> ]] ,, [[ <PERIODICITY> ]] [[ ,, <UNIT> ]] ;; Os parâmetros <IITEM--NR> e <PERIIODIICIITY> devem ser omitido para PM-OBJECTS 0 e 1. Se o parâmetro UNIT for omitido o comando será executado para todo o sistema. O comando solicitará por parâmetro adicionais, dependendo do PM-OBJECT digitado: - PM-OBJECT 0: Dados sinalização de grupo. Parâmetros adicionais: <IITEM--NR> , <BIIT//BYTE> [ , <DATA> ] ; Se DATA for omitido, os dados existentes serão apagados. - PM-OBJECT 1: Dados escravo. Dependendo do parâmetro OBJ-INDEX fornecido, os parâmetros adicionais terão o seguinte significado: OBJ-INDEX 6 (dados ATC): Parâmetros adicionais: <ITEM-NBR> [ , <DATA> ] ; Se DATA for omitido, os dados existentes serão apagados. Esta ação é requerida somente para determinadas configurações de PROM de tom na PSC. Consulte o manual de dados de sinalização. - PM-OBJECT 1: Dados escravo. Dependendo do parâmetro OBJ-INDEX fornecido, os parâmetros adicionais terão o seguinte significado . OBJ-INDEX 8 (dados de tons Stc) : Parâmetros adicionais: <TONE--SRC> [ , <FREQ--VALUE> ] ; - PM-OBJECT 1: Dados escravo. Dependendo do parâmetro OBJ-INDEX fornecido, os parâmetros adicionais terão o seguinte significado . OBJ-INDEX 9 (dados de nível Stc) : Parâmetros adicionais: <TONE--SRC> , <LEVEL-VALUE> ] ; 0107 49
  • 50. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET - PM-OBJECT 2: Dados de tons da PCS (quando utilizado hardware PPU(PMU)- PSC). Parâmetros adicionais: <IITEM--NR> [ , <TONE--SRC> , <T--VALUE> , <UNIIT--T> ] ; Se os parâmetros TONE-SRC, T-VALUE e UNIT-T forem omitidos, os dados existentes serão apagados. Nota : Quando um dado de PSC é alterado, um aviso é fornecido pois os dados de PMC também devem ser alterados. - PM-OBJECT 3: Dados corrente de toque. Parâmetros adicionais: <IITEM--NR> [ , <T--VALUE> , <UNIIT--T> ] ; Se os parâmetros T-VALUE e UNIT-T forem omitidos, os dados existentes serão apagados. - PM-OBJECT 4: Dados de intercalação. Parâmetros adicionais: <IITEM--NR> [ , <TONE--SRC> , <T--VALUE> , <UNIIT--T> ] ; Se os parâmetros TICKER-SRC, T-VALUE e UNIT-T forem omitidos, os dados existentes serão apagados. - PM-OBJECT 5: Dados de Tom da PMC (quando hardware PMC for usado). Parâmetros adicionais: <IITEM--NR> [ , <TONE--SRC> , <T--VALUE> , <UNIIT--T> ] ; Se os parâmetros TICKER-SRC, T-VALUE e UNIT-T forem omitidos, os dados existentes serão apagados. Nota : Quando o dado de PMC é alterado um aviso é fornecido pois os dados de PSC também devem ser alterados - PM-OBJECT 6: Dados de grupo de sinalização remotamente carregável na PM (download). Parâmetros adicionais: <IITEM--NR> , <BIIT//BYTE> [ , <DATA> ] ; Se o parâmetro DATA é omitido, os dados existentes serão apagados. Durante a carga remota (download) o terminal de OM fica travado. Não são fornecidas mensagens sobre o que pode ser remotamente carregável e o que não pode. Você pode verificar através do comando DIPMPD. Se nem todos os dados na PM forem alterados, é necessário executar-se um warm-start ou SETOUT/SETIINS. O manual de dados de sinalização descreve quais dados podem ser carregados remota e diretamente. 50 0107
  • 51. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET · Mostrar Dados de Projeto da PM 76 DIIPMPD :: <PM-OBJECT> [[ ,, [[ <OBJ-INDEX> ]] [[ ,, [[<ITEM-NR>]] [[ ,, [[ <BIT/BYTE> ]] ]] ]] [[ [[ ,, <SHELF> // <UNIT> ]] [[ ,, <BRD>]] ]] ]];; Resposta para funções tom/corrente de toque/Intercalação: OBJ-PM FUNC NUM-ITENS PERIODO NUM-ITEM FONT-TOM/CONF VALOR-T UNID-T XXX XX XXX XX XX XX XX XX Resposta para dado escravo: TIPO-ESCRAVO NUM-ITEM DADO XX XX XX Resposta para dado de grupo de sinalização: GRUPO-SIG NUM-ITEM DADO XX XX XX 0107 51
  • 52. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 10 BUSCA PESSOA São definidos os seguintes tipos de busca-pessoa: - Busca-pessoa virtual, usando um sistema de alto-falantes; - Busca-pessoa real, usando equipamentos de busca-pessoa. Este pode ser subdivido em: . Busca-pessoa Encontre-me. O receptor portátil dá um "beep" quando há uma chamada em espera. . Busca-pessoa Não Encontre-me. O receptor portátil é equipado com display ou canal de voz. Os comandos de OM podem ser divididos em: - Comandos gerais, que podem ser executados tanto para busca-pessoa virtual e real; - Comandos para busca-pessoa virtual; - Comandos para busca-pessoa real (Encontre-me e Não Encontre-me). 10.1 BUSCA-PESSOA GERAL Os comandos nesta seção são usados para criar e/ou mostrar as área(s) de busca-pessoa e rotas de busca-pessoa. · Criar Área de Busca-Pessoa 246 # ! CRPARE :: <AREA> [[ ,, <UNIT> ]] ;; Cada área de busca-pessoa tem uma unidade, onde é conectado o equipamento de busca-pessoa (ATU-PA no caso de busca-pessoa real). Este é chamado de Unidade-utilidade, <UNIIT> indica a Unidade-utilidade. Esta Unidade-utilidade deve também ser dada no caso de busca-pessoa virtual, embora não é conectado o equipamento de busca-pessoa. · Mudar Área de Busca-Pessoa 248 # ! CHPARE :: <UNIT> [[ ,, <AREA> ]] ;; Este comando é usado para acrescentar unidades para área de busca pessoa existente. Isto significa que o comando somente pode ser executada em um sistema de multi-unidade. · Mostrar Dados da Área de Busca-Pessoa 258 DIIPARE :: <AREA> ;; 52 0107
  • 53. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET · Apagar Área de Busca-Pessoa 247 # ! ERPARE :: <AREA> ;; · Criar Rota de Busca-Pessoa 249 # ! CRPART :: <AREA> ,, <ROUTE> [[ ,, <MIN> ,, <MAX> ]] ;; Se MIN e MAX são dados, será criado uma rota real, mais a rota virtual será criada mais tarde usando o comando de OM ASPACD. A diferença entre o mínimo e o máximo comprimento é igual à quantidade de dígitos que pode ser discado posteriormente. · Mostrar o Dado da Rota de Busca-Pessoa 257 DIIPART :: <ROUTE> ;; Resposta: ROTA MIN MAX AREA UNID-UTILIDADE TIPO-VR seguido pelo modo de dígitos (busca-pessoa real) ou códigos virtual (busca-pessoa virtual). · Cancelar a Rota de Busca-Pessoa 250 # ! ERPART :: <ROUTE> ;; 10.2 BUSCA-PESSOA VIRTUAL · Designar Código para Rota de Busca-Pessoa Virtual 253 # ! ASPACD :: <ROUTE> ,, <PAGING-CODE>s/r ;; O PAGING-CODE deve ser único no sistema. São possíveis conflitos com códigos usados para busca-pessoa real. Verificação “on-line” não pode ser executada com este comando. · Cancelar Código de Rota de Busca-Pessoa Virtual 254 # ! DEPACD :: <ROUTE> ,, <PAGING-CODE>s/r ;; O PAGING-CODE não pode estar em uso pela aplicação. 0107 53
  • 54. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 10.3 BUSCA-PESSOA REAL · Designar Linha para Rota de Busca-Pessoa Real 255 # ! ASPALN :: <ROUTE> ,, <SHELF> ,, <BRD>,, <CRT> ;; · Mudar Dígitos de Modo de Rota de Busca-Pessoa Real 252 # ! CHPAMD:: <ROUTE> ,, <REAL-TYPE> ,, <MD-TYPE> [[ ,, [[ <DIGIT-INT> ]] ,, [[ ,, [[ <DIGIT-EXT> ]] ,, [[ <DIGIT-ASSIST> ]] ]] ]] ;; Verificar na documentação do equipamento de busca-pessoa para ver se o dígitos de modo, para urgente, não-urgente e assistido, são suportados para busca-pessoa interna e externa. · Mudar o Tamanho do Número de Rota de Busca-Pessoa Real 80 # ! CHPANL :: <ROUTE> ,, <MIN> ,, <MAX> ;; · Cancelar Linha de Rota de Busca-Pessoa Real 256 # ! DEPALN :: <ROUTE> ,, <SHELF> ,, <BRD>,, <CRT> ;; A linha não pode estar em uso pela aplicação. · Mostrar Dados de Linha de Busca-Pessoa 259 DIIPALN :: <SHELF> ,, <BRD>s/r ,, <CRT>s/r ;; Resposta: COMP PLA CRT ROTA XXXX XX XX XX 54 0107
  • 55. MANUAL DE COMANDO OM- MML SOPHO IS3000 – CALL@NET 11 CADEADO - FACILIDADES DE PROTEÇÃO POR SENHAS 11.1 ATRIBUIR SENHA Este grupo de comandos é usado para controlar o processo de discagem de senhas integradas. · Atribuir Cadeado - Facilidade de Proteção de Acesso por Senha 463 # ! ASAPPF :: <DNR>s/r [[ ,, <FAC-INDICATOR>s/r ]] ;; O comando ASAPPF é usado para atribuir as facilidades de proteção de acesso por senha : - Elevação / Diminuição da Classe de Tráfego (up/downgrading) - Discagem de Saída com Senha e Alteração de Senha - Desksharing - Registro de telefone IP Se a elevação/diminuição da classe de tráfego ou discagem de saída com senha (ou ambas) forem atribuídas, a facilidade de Alteração de Senha será implicitamente atribuída. Quando a facilidade é atribuída pela primeira vez para um ramal, a senha associada é ajustada para o valor padrão (tudo zero). O usuário do ramal deve então alterar esta senha padrão para a sua senha real, para então ela poder ser utilizada. Quando a proteção por senha é atribuída para Registro de telefone IP (FAC-- IINDIICATOR = 2), o registro no IP CallManager somente é possível com o número de ramal e a senha. O número do ramal e a senha são separados por um “#”. Um exemplo de seqüência de registro é: 2301#123456. Se o indicador de facilidade é omitido, a senha é ajustada para ‘tudo zero’ para o referido ramal. · Apagar Cadeado - Facilidade de Proteção de Acesso por Senha 464 # ! ERAPPF :: <DNR>s//rr [[ ,, <FAC-INDICATOR>s//rr ]] ;; Se o indicador de facilidade for omitido, todas as facilidades de proteção por senha relacionadas com o DNR fornecido serão apagadas. Se a facilidade de proteção por senha “Elevação/diminuição de Classe de Tráfego” (FAC--IINDIICATOR = 0) é apagada ou todas as facilidades de proteção por senha forem apagadas, então a classe de tráfego da ramal é alterada para o modo de comutação diurno/noturno. 0107 55