SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
Baixar para ler offline
SEMANA DA ÁGUA NA BACIA DO
            CAPIBARIBE



        RELATÓRIO DA
 AVALIAÇÃO PARTICIPATIVA DA
QUALIDADE DA ÁGUA NA BACIA DO
         CAPIBARIBE




                       22 de março de 2010

Endereço da Secretaria: Departamento de Engenharia Civil da UFPE, av. Hélio Ramos s/n,   1
      Cidade Universitária, Recife; CEP 50.740-530; Fone 2126 7216; Fax 34540482
SEMANA DA ÁGUA NA BACIA DO CAPIBARIBE


Promoção: Comitê da Bacia Hidrográfica do Capibaribe (COBH Capibaribe)

Patrocínio:
Secretaria Estadual de Recursos Hídricos e Energéticos (SRHE)
Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa)

Participação:
Secretaria de Recursos Hídricos e Energéticos (SRHE)
Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa)
Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH)
Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Universidade de Pernambuco (UPE)
Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP)
Prefeitura da Cidade do Recife
Prefeitura de Camaragibe
Prefeitura de Limoeiro
Prefeitura de Paudalho
Prefeitura e Vitória de Santo Antão
Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe
Prefeitura de Brejo da Madre de Deus
Prefeitura de Salgadinho
Prefeitura de Taquarintiga do Norte
Sociedade Nordestina de Ecologia (SNE)
Instituto Capibaribe
Associação dos Amigos do Poço da Panela (AMAPP)
Movimento Salve o Capibaribe
Fórum Ama Recife
Rede de Resistência Solidária
Projeto Eu quero nadar no Capibaribe. E você?
Sociedade de Apoio ao Meio Ambiente e Desenv. Sustentável (Amatur)
Associação Terra Lumens
Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC)
Federação Pernambucana de Remo
Departamento de Remo Sport Club do Recife
Centro de Defesa das Águas e da Natureza (Cedan)
Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE)
Serviço Nacional da Indústria (SENAI)
Rotary Club
Usina Petribú S.A
Engarrafamento Pitu
MID Comunicação
Escolas públicas e privadas

   Endereço da Secretaria: Departamento de Engenharia Civil da UFPE, av. Hélio Ramos s/n,   2
         Cidade Universitária, Recife; CEP 50.740-530; Fone 2126 7216; Fax 34540482
Comissão de Coordenação da Semana da Água no Capibaribe:


Coordenação geral:
Ricardo Braga


Atividade 1 - Avaliação participativa da qualidade da água do Capibaribe
Paulo Tadeu
Joaquim de Paula
Arnaldo Vitorino
Maria José Cordão


Atividade 2 - Carta e Termo de Adesão ao Capibaribe
Ivan Melo
Alcides Tedesco
Marcelo Mesel
Ricardo Braga


Atividade 3 - Painel coletivo: realidade e sonhos sobre o rio Capibaribe
Julien Ineichen
Caju


Atividade 4 - Mascote do Capibaribe
Leda Telles
Janaína Loureiro
Vanice Selva


Atividade 5 Pólos de mobilização
Santa Cruz do Capibaribe Arnaldo Vitorino
Limoeiro Julia Alves Rodrigues
Paudalho Diogo Falcão
Vitória de Santo Antão - Raimundo Canejo
Camaragibe Pedro de Melo
Recife - Marcelo Mesel


Atividade 6 Visita às nascentes do Capibaribe
Ricardo Braga


Atividade 7 - Assembléia aberta do COBH - Culminância
Ricardo Braga
   Endereço da Secretaria: Departamento de Engenharia Civil da UFPE, av. Hélio Ramos s/n,   3
         Cidade Universitária, Recife; CEP 50.740-530; Fone 2126 7216; Fax 34540482
ATIVIDADE: Avaliação participativa da qualidade da água na bacia do Capibaribe

Coordenador geral da Semana: Ricardo Braga

Coordenador técnico da atividade: Paulo Tadeu de Gusmão

Comissão coordenadora: Paulo Tadeu, Joaquim de Paula, Arnaldo Vitorino e Maria
José Cordão

Responsáveis locais:
Santa Cruz do Capibaribe Arnaldo Vitorino
Limoeiro Julia Alves Rodrigues
Paudalho Diogo Falcão
Vitória de Santo Antão Manassés Rocha
Recife Leda Telles e Daniela Macedo

Apoio institucional:
Secretaria de Recursos Hídricos e Energéticos (SRHE)
Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa)
Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH)
Sociedade Nordestina de Ecologia (SNE)


Introdução

Esta atividade fez parte da programação da Semana da Água na Bacia do Capibaribe,
desenvolvida no período de 22 a 30 de março de 2010. A avaliação participativa da
qualidade da água na bacia do Capibaribe ocorreu no dia 22 de março, no Dia
Mundial da Água.

Diante do slogan adotado pelo COBH Capibaribe neste ano: Capibaribe das águas
limpas, por que não? , surge imediatamente um outra pergunta: como está a água do
rio?

Esta resposta poderia ser dada lendo-se os relatórios anuais de monitoramento da
qualidade da água, elaborados pela CPRH, mas a organização do evento entendeu que
seria muito importante envolver as pessoas nessa descoberta, a partir da avaliação
participativa da qualidade da água na bacia do rio Capibaribe, mobilizando alunos e
professores de escolas públicas e privadas locais.

Para isso foram definidas 10 estações de amostragem de qualidade da água, para
análise de parâmetros físico-químicos e bacteriológicos. As estações situaram-se antes
e depois de cinco cidades importantes na bacia: Santa Cruz do Capibaribe, Limoeiro,
Paudalho, Vitória de Santo Antão e Recife. No caso da cidade do Recife, o último ponto
foi na Ponte da Capunga.


   Endereço da Secretaria: Departamento de Engenharia Civil da UFPE, av. Hélio Ramos s/n,   4
         Cidade Universitária, Recife; CEP 50.740-530; Fone 2126 7216; Fax 34540482
Para viabilizar resultados confiáveis, antes foram realizadas duas capacitações para
coleta e análise das amostras, nos dias 15 e 16 de março, respectivamente em Santa
Cruz do Capibaribe e em Carpina, reunindo os participantes por proximidade geográfica.


Resultados

Todos os trechos do rio Capibaribe e seus afluentes estão enquadrados na Classe 2, de
acordo com o Sistema de Classificação das Águas Doces do Conselho Nacional de Meio
Ambiente (CONAMA). Isto significa que suas águas devem ter qualidade adequada
para: consumo humano, após tratamento convencional; proteção das comunidades
aquáticas; recreação de contato primário (tais como natação, esqui aquático e
mergulho); irrigação de hortaliças, plantas frutíferas e de parques, jardins, campos de
esporte e lazer; aqüicultura e atividades de pesca.

A qualidade das águas de Classe 2 é definida por padrões físicos, químicos e
microbiológicos, tais como: turbidez, cor verdadeira, demanda bioquímica de oxigênio,
pH, concentrações de oxigênio dissolvido, de nutrientes (nitrato e de fósforo total), de
bactérias coliformes termotolerantes (fecais),     de cianobactérias, etc dentro da
programação da Semana da Água no Capibaribe, promovida pelo Comitê da Bacia
Hidrográfica do Capibaribe.

A Avaliação Participativa da Qualidade das Águas da Bacia do rio Capibaribe, foi
realizada no dia 22 de março, por equipes (professores e alunos) de escolas públicas e
privadas, localizadas na bacia do rio. Equipes de alunos e professores das escolas
participantes utilizaram equipamentos portáteis de fácil e segura manipulação, que
permitem a medição da turbidez, da temperatura, do pH e das concentrações de
oxigênio dissolvido, nitrato e fósforo, por meio de métodos colorimétricos simples. Dois
outros importantes parâmetros (demanda bioquímica de oxigênio e concentrações de
bactérias coliformes totais e termotolerantes) tiveram, no entanto, sua medição realizada
no laboratório da CPRH, utilizando-se os métodos e equipamentos cientificamente mais
adequados, para o caso.

Foram coletadas amostras das águas em locais situados imediatamente antes e
imediatamente depois (no sentido do fluxo das águas) das cidades de Santa Cruz do
Capibaribe, Limoeiro, Paudalho e Vitória de Santo Antão. No caso da cidade do Recife,
uma das amostras foi coletada na Várzea e a outra na Ponte da Capunga. Os resultados
da avaliação participativa indicaram:

      Com relação à turbidez (indicador da transparência) a situação das águas é
      razoavelmente boa, visto que, apenas nos locais de coleta situados após as
      cidades de Santa Cruz do Capibaribe e Vitória de Santo Antão, foram constatados
      valores próximos ao limite máximo permitido (100 uT), permanecendo abaixo
      desse limite nos demais pontos de coleta.



   Endereço da Secretaria: Departamento de Engenharia Civil da UFPE, av. Hélio Ramos s/n,   5
         Cidade Universitária, Recife; CEP 50.740-530; Fone 2126 7216; Fax 34540482
Quanto ao pH (indicador de condições ácidas, neutras ou alcalinas) a qualidade
      das águas é, também, boa visto que, apenas na ponte da Capunga (em Recife)
      foi observado valor (5,5), abaixo da faixa permitida (6 a 9).

      A presença de nutrientes (indicadores do grau de fertilização das águas) mostrou-
      se aceitável quanto à concentração de nitrato (abaixo do limite máximo         10
      mg/L), mas, extremamente preocupante com relação ao fósforo, cujo teor se
      apresentou muito acima do limite máximo (0,05 mg/L), em todos os pontos de
      coleta. Sabe-se que a presença excessiva desse nutriente pode acarretar, nos
      açudes e barragens, florações de microrganismos (cianofíceas) que,
      eventualmente, liberam nas águas toxinas não removíveis nos processos
      convencionais adotados nas estações de tratamento de águas e que, no
      organismo humano, podem causar sérios danos à saúde e até mortes (vide
      episódio de Caruaru na década de 1990).

      Com relação à demanda bioquímica de oxigênio(DBO), indicador da presença nas
      águas de materiais orgânicos biodegradáveis (esgotos sanitários, lixo, resíduos
      de matadouros, manipueira, etc.), a situação foi aceitável em Limoeiro e
      Paudalho, mas pode ser considerada péssima em Santa Cruz do Capibaribe,
      Vitória de Santo Antão e Recife, onde foram observados valores, em muito
      superiores ao limite máximo permitido (5 mg O2/L).

      Com relação à concentração de oxigênio dissolvido (OD), que é indicador da
      possibilidade de vida de peixes e outros seres aquáticos aeróbios, a qualidade
      das águas pode ser considerada péssima, visto que foram observados valores
      inferiores ao mínimo permitido (5 mg O2/L), em todos os pontos de coleta; a
      situação mostrou-se extremamente grave após as cidades de Santa Cruz do
      Capibaribe e Vitória de Santo Antão, onde foi observada total ausência de
      oxigênio dissolvido nas águas. No Recife o valor encontrado na ponte da
      Capunga (4 mg O2/L) está possivelmente influenciado pela mistura com águas
      mais oxigenadas trazidas pela maré, que era máxima no momento da coleta da
      amostra.

      As concentrações de bactérias coliformes termotolerantes ou fecais (indicadoras
      da presença de microrganismos causadores de doenças) mostram que a
      qualidade das águas é sanitariamente péssima, vez que foram constatados
      valores muito superiores ao limite máximo permitido (1.000 bactérias/100 mL), em
      todos os locais de coleta.

De maneira geral, os resultados obtidos, especialmente a diferença de qualidade
observada nas águas antes e depois de atravessarem as áreas urbanas, comprovam
claramente aquilo que as pessoas percebem em seu cotidiano: as águas da bacia do rio
Capibaribe estão fortemente poluídas, principalmente por lixo e despejos de esgotos
sanitários e industriais (matadouros e casas de farinha) gerados nas cidades.



   Endereço da Secretaria: Departamento de Engenharia Civil da UFPE, av. Hélio Ramos s/n,   6
         Cidade Universitária, Recife; CEP 50.740-530; Fone 2126 7216; Fax 34540482
A Avaliação Participativa da Qualidade das Águas da Bacia do rio Capibaribe teve o
objetivo de retratar instantaneamente a qualidade das águas desse rio na exata
ocasião em que foi comemorado o Dia da Água (22 de março). Essa avaliação não teve,
portanto, o objetivo de substituir o monitoramento da qualidade das águas efetuado
pelos órgãos estaduais competentes.

Observe-se que seu objetivo foi, principalmente, didático, pois a coleta e análise da
água envolveu professores e alunos de escolas, buscando e mobilizar a sociedade em
prol da preservação do rio, uma vez que os resultados foram apresentados e discutidos
na Assembléia Aberta do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Capibaribe, ocorrida em
30 de março de 2010, e estão sendo enviados a todas as escolas participantes, para
discussão interna e aproveitamento em atividades escolares (aulas, feiras de ciências,
peças teatrais e outras atividades correlatas).

Uma apresentação em power point está disponível como Anexo deste relatório,
apresentando os resultados em tabelas, gráficos e fotografias.




   Endereço da Secretaria: Departamento de Engenharia Civil da UFPE, av. Hélio Ramos s/n,   7
         Cidade Universitária, Recife; CEP 50.740-530; Fone 2126 7216; Fax 34540482

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

POTENCIAL DE USO DO LODO DE ESTAÇÔES DE TRATAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO
POTENCIAL DE USO DO LODO DE ESTAÇÔES DE TRATAMENTO DE ÁGUA E ESGOTOPOTENCIAL DE USO DO LODO DE ESTAÇÔES DE TRATAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO
POTENCIAL DE USO DO LODO DE ESTAÇÔES DE TRATAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO
Rural Pecuária
 
Palestra ucdb - campo grande
Palestra   ucdb - campo grandePalestra   ucdb - campo grande
Palestra ucdb - campo grande
Samara RH
 

Mais procurados (19)

Avaliação do nível de acessibilidade a água potável e ao saneamento adequado ...
Avaliação do nível de acessibilidade a água potável e ao saneamento adequado ...Avaliação do nível de acessibilidade a água potável e ao saneamento adequado ...
Avaliação do nível de acessibilidade a água potável e ao saneamento adequado ...
 
Conversando com as águas itu
Conversando com as águas   ituConversando com as águas   itu
Conversando com as águas itu
 
Brazil
BrazilBrazil
Brazil
 
Sistemas de tratamento_por_zona_de_raiz_-_altair
Sistemas de tratamento_por_zona_de_raiz_-_altairSistemas de tratamento_por_zona_de_raiz_-_altair
Sistemas de tratamento_por_zona_de_raiz_-_altair
 
Qualidade da Água
Qualidade da ÁguaQualidade da Água
Qualidade da Água
 
Dissertação andré carlos
Dissertação andré carlosDissertação andré carlos
Dissertação andré carlos
 
Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.
Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.
Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.
 
POTENCIAL DE USO DO LODO DE ESTAÇÔES DE TRATAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO
POTENCIAL DE USO DO LODO DE ESTAÇÔES DE TRATAMENTO DE ÁGUA E ESGOTOPOTENCIAL DE USO DO LODO DE ESTAÇÔES DE TRATAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO
POTENCIAL DE USO DO LODO DE ESTAÇÔES DE TRATAMENTO DE ÁGUA E ESGOTO
 
Catalogo de Nascentes Urbanas - Ribeirão Onça
Catalogo de Nascentes Urbanas - Ribeirão OnçaCatalogo de Nascentes Urbanas - Ribeirão Onça
Catalogo de Nascentes Urbanas - Ribeirão Onça
 
Anexo i cartilha nascentesprotegidas
Anexo i   cartilha nascentesprotegidasAnexo i   cartilha nascentesprotegidas
Anexo i cartilha nascentesprotegidas
 
Palestra ucdb - campo grande
Palestra   ucdb - campo grandePalestra   ucdb - campo grande
Palestra ucdb - campo grande
 
Aula 01 inicial - apresentação e introdução
Aula 01   inicial - apresentação e introduçãoAula 01   inicial - apresentação e introdução
Aula 01 inicial - apresentação e introdução
 
Captação e tratamento de águas pluviais estudo da viabilidade técnica e elabo...
Captação e tratamento de águas pluviais estudo da viabilidade técnica e elabo...Captação e tratamento de águas pluviais estudo da viabilidade técnica e elabo...
Captação e tratamento de águas pluviais estudo da viabilidade técnica e elabo...
 
08 camarao
08 camarao08 camarao
08 camarao
 
17/03 - tarde_Mesa 2 - Ricardo de Oliveira Figueiredo
17/03 - tarde_Mesa 2 - Ricardo de Oliveira Figueiredo17/03 - tarde_Mesa 2 - Ricardo de Oliveira Figueiredo
17/03 - tarde_Mesa 2 - Ricardo de Oliveira Figueiredo
 
RECARGA INDUZIDA ATRAVÉS DO BOMBEAMENTO NAS MARGENS E O PAPEL DA MEIOFAUNA NO...
RECARGA INDUZIDA ATRAVÉS DO BOMBEAMENTO NAS MARGENS E O PAPEL DA MEIOFAUNA NO...RECARGA INDUZIDA ATRAVÉS DO BOMBEAMENTO NAS MARGENS E O PAPEL DA MEIOFAUNA NO...
RECARGA INDUZIDA ATRAVÉS DO BOMBEAMENTO NAS MARGENS E O PAPEL DA MEIOFAUNA NO...
 
Conceitos fundamentais, principais_doenças_disseminadas_-_fabricio
Conceitos fundamentais, principais_doenças_disseminadas_-_fabricioConceitos fundamentais, principais_doenças_disseminadas_-_fabricio
Conceitos fundamentais, principais_doenças_disseminadas_-_fabricio
 
Água Subterrânea e Petróleo,uma avaliação no município de Mossoró-RN
Água Subterrânea e Petróleo,uma avaliação no município de Mossoró-RNÁgua Subterrânea e Petróleo,uma avaliação no município de Mossoró-RN
Água Subterrânea e Petróleo,uma avaliação no município de Mossoró-RN
 
Fontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelli
Fontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelliFontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelli
Fontes dispersas com_ênfase_nos_resíduos_-_lilian_martelli
 

Semelhante a 04 relatorio-avaliacao-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe

Tratamento de águas residuárias raimunda
Tratamento de águas residuárias raimundaTratamento de águas residuárias raimunda
Tratamento de águas residuárias raimunda
FATEC Cariri
 
Tratamento de águas residuárias
Tratamento de águas residuárias Tratamento de águas residuárias
Tratamento de águas residuárias
FATEC Cariri
 
161 publicacao07102011101118 ciranda das águas
161 publicacao07102011101118 ciranda das águas161 publicacao07102011101118 ciranda das águas
161 publicacao07102011101118 ciranda das águas
Daniel Oliveira Galdino
 
Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...
Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...
Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...
Samuel J. Tacuana
 
Apresentação projetos 3 e 4 aula 2
Apresentação projetos 3 e 4 aula 2Apresentação projetos 3 e 4 aula 2
Apresentação projetos 3 e 4 aula 2
escola
 

Semelhante a 04 relatorio-avaliacao-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe (20)

Avaliação Qualidade água Capibaribe 22 MarçO 2010
Avaliação Qualidade água Capibaribe 22 MarçO 2010Avaliação Qualidade água Capibaribe 22 MarçO 2010
Avaliação Qualidade água Capibaribe 22 MarçO 2010
 
Juliana Basile Nassin 2010
Juliana Basile Nassin 2010Juliana Basile Nassin 2010
Juliana Basile Nassin 2010
 
Projeto de biomonitoramento
Projeto de biomonitoramento Projeto de biomonitoramento
Projeto de biomonitoramento
 
Tratamento de águas residuárias raimunda
Tratamento de águas residuárias raimundaTratamento de águas residuárias raimunda
Tratamento de águas residuárias raimunda
 
Tratamento de águas residuárias
Tratamento de águas residuárias Tratamento de águas residuárias
Tratamento de águas residuárias
 
Artigo_Bioterra_V23_N1_01
Artigo_Bioterra_V23_N1_01Artigo_Bioterra_V23_N1_01
Artigo_Bioterra_V23_N1_01
 
4025 texto do artigo-13363-1-10-20160211 (1)
4025 texto do artigo-13363-1-10-20160211 (1)4025 texto do artigo-13363-1-10-20160211 (1)
4025 texto do artigo-13363-1-10-20160211 (1)
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
LIVRO---Agua-tratamento-efluentes-e-lodos.pdf
LIVRO---Agua-tratamento-efluentes-e-lodos.pdfLIVRO---Agua-tratamento-efluentes-e-lodos.pdf
LIVRO---Agua-tratamento-efluentes-e-lodos.pdf
 
Guia nacional-coleta-2012
Guia nacional-coleta-2012Guia nacional-coleta-2012
Guia nacional-coleta-2012
 
Guia de COLETA ANA CETESB
Guia de COLETA ANA CETESBGuia de COLETA ANA CETESB
Guia de COLETA ANA CETESB
 
Plano de Bacia Hidrográfica
Plano de Bacia Hidrográfica Plano de Bacia Hidrográfica
Plano de Bacia Hidrográfica
 
Recomendações finais
Recomendações finaisRecomendações finais
Recomendações finais
 
Bazzarella bb 2005 pag70 (1)
Bazzarella bb 2005 pag70 (1)Bazzarella bb 2005 pag70 (1)
Bazzarella bb 2005 pag70 (1)
 
387-2622-1-PB.pdf
387-2622-1-PB.pdf387-2622-1-PB.pdf
387-2622-1-PB.pdf
 
161 publicacao07102011101118 ciranda das águas
161 publicacao07102011101118 ciranda das águas161 publicacao07102011101118 ciranda das águas
161 publicacao07102011101118 ciranda das águas
 
Hackeando as Aguas
Hackeando as AguasHackeando as Aguas
Hackeando as Aguas
 
Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...
Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...
Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...
 
Conflito pela água entre o urbano e o rural no sistema lagoa do campelo
Conflito pela água entre o urbano e o rural no sistema lagoa do campeloConflito pela água entre o urbano e o rural no sistema lagoa do campelo
Conflito pela água entre o urbano e o rural no sistema lagoa do campelo
 
Apresentação projetos 3 e 4 aula 2
Apresentação projetos 3 e 4 aula 2Apresentação projetos 3 e 4 aula 2
Apresentação projetos 3 e 4 aula 2
 

Mais de Comite

10 relacao-das-entidades-que-assinaram-o-termo-de-adesao-ao-capibaribe
10 relacao-das-entidades-que-assinaram-o-termo-de-adesao-ao-capibaribe10 relacao-das-entidades-que-assinaram-o-termo-de-adesao-ao-capibaribe
10 relacao-das-entidades-que-assinaram-o-termo-de-adesao-ao-capibaribe
Comite
 
07 apresentacao-oficinas-de-grafitagem-nos-6-polos
07 apresentacao-oficinas-de-grafitagem-nos-6-polos07 apresentacao-oficinas-de-grafitagem-nos-6-polos
07 apresentacao-oficinas-de-grafitagem-nos-6-polos
Comite
 
06 apresentacao-avaliacao-da-qualidade-da-agua
06 apresentacao-avaliacao-da-qualidade-da-agua06 apresentacao-avaliacao-da-qualidade-da-agua
06 apresentacao-avaliacao-da-qualidade-da-agua
Comite
 
05 apresentacao-da-visita-as-nascentes-do-capibaribe
05 apresentacao-da-visita-as-nascentes-do-capibaribe05 apresentacao-da-visita-as-nascentes-do-capibaribe
05 apresentacao-da-visita-as-nascentes-do-capibaribe
Comite
 
03 relatorio-semana-da-agua-2010
03 relatorio-semana-da-agua-201003 relatorio-semana-da-agua-2010
03 relatorio-semana-da-agua-2010
Comite
 
02 membros-2009-2011
02 membros-2009-201102 membros-2009-2011
02 membros-2009-2011
Comite
 
01 relatorio-gestao-cobh-capibaribe-2009
01 relatorio-gestao-cobh-capibaribe-200901 relatorio-gestao-cobh-capibaribe-2009
01 relatorio-gestao-cobh-capibaribe-2009
Comite
 
04 relatorio-avaliacão-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe
04 relatorio-avaliacão-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe04 relatorio-avaliacão-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe
04 relatorio-avaliacão-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe
Comite
 
03 relatorio-semana-da-água-2010
03 relatorio-semana-da-água-201003 relatorio-semana-da-água-2010
03 relatorio-semana-da-água-2010
Comite
 
02 membros-2009-2011
02 membros-2009-201102 membros-2009-2011
02 membros-2009-2011
Comite
 
01 relatorio-gestao-cobh-capibaribe-2009
01 relatorio-gestao-cobh-capibaribe-200901 relatorio-gestao-cobh-capibaribe-2009
01 relatorio-gestao-cobh-capibaribe-2009
Comite
 

Mais de Comite (13)

10 relacao-das-entidades-que-assinaram-o-termo-de-adesao-ao-capibaribe
10 relacao-das-entidades-que-assinaram-o-termo-de-adesao-ao-capibaribe10 relacao-das-entidades-que-assinaram-o-termo-de-adesao-ao-capibaribe
10 relacao-das-entidades-que-assinaram-o-termo-de-adesao-ao-capibaribe
 
07 apresentacao-oficinas-de-grafitagem-nos-6-polos
07 apresentacao-oficinas-de-grafitagem-nos-6-polos07 apresentacao-oficinas-de-grafitagem-nos-6-polos
07 apresentacao-oficinas-de-grafitagem-nos-6-polos
 
06 apresentacao-avaliacao-da-qualidade-da-agua
06 apresentacao-avaliacao-da-qualidade-da-agua06 apresentacao-avaliacao-da-qualidade-da-agua
06 apresentacao-avaliacao-da-qualidade-da-agua
 
05 apresentacao-da-visita-as-nascentes-do-capibaribe
05 apresentacao-da-visita-as-nascentes-do-capibaribe05 apresentacao-da-visita-as-nascentes-do-capibaribe
05 apresentacao-da-visita-as-nascentes-do-capibaribe
 
03 relatorio-semana-da-agua-2010
03 relatorio-semana-da-agua-201003 relatorio-semana-da-agua-2010
03 relatorio-semana-da-agua-2010
 
02 membros-2009-2011
02 membros-2009-201102 membros-2009-2011
02 membros-2009-2011
 
01 relatorio-gestao-cobh-capibaribe-2009
01 relatorio-gestao-cobh-capibaribe-200901 relatorio-gestao-cobh-capibaribe-2009
01 relatorio-gestao-cobh-capibaribe-2009
 
04 relatorio-avaliacão-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe
04 relatorio-avaliacão-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe04 relatorio-avaliacão-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe
04 relatorio-avaliacão-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe
 
03 relatorio-semana-da-água-2010
03 relatorio-semana-da-água-201003 relatorio-semana-da-água-2010
03 relatorio-semana-da-água-2010
 
02 membros-2009-2011
02 membros-2009-201102 membros-2009-2011
02 membros-2009-2011
 
01 relatorio-gestao-cobh-capibaribe-2009
01 relatorio-gestao-cobh-capibaribe-200901 relatorio-gestao-cobh-capibaribe-2009
01 relatorio-gestao-cobh-capibaribe-2009
 
Nascentes Do Capibaribe
Nascentes Do CapibaribeNascentes Do Capibaribe
Nascentes Do Capibaribe
 
Termo Adesão Capibaribe
Termo Adesão CapibaribeTermo Adesão Capibaribe
Termo Adesão Capibaribe
 

04 relatorio-avaliacao-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe

  • 1. SEMANA DA ÁGUA NA BACIA DO CAPIBARIBE RELATÓRIO DA AVALIAÇÃO PARTICIPATIVA DA QUALIDADE DA ÁGUA NA BACIA DO CAPIBARIBE 22 de março de 2010 Endereço da Secretaria: Departamento de Engenharia Civil da UFPE, av. Hélio Ramos s/n, 1 Cidade Universitária, Recife; CEP 50.740-530; Fone 2126 7216; Fax 34540482
  • 2. SEMANA DA ÁGUA NA BACIA DO CAPIBARIBE Promoção: Comitê da Bacia Hidrográfica do Capibaribe (COBH Capibaribe) Patrocínio: Secretaria Estadual de Recursos Hídricos e Energéticos (SRHE) Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) Participação: Secretaria de Recursos Hídricos e Energéticos (SRHE) Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Universidade de Pernambuco (UPE) Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP) Prefeitura da Cidade do Recife Prefeitura de Camaragibe Prefeitura de Limoeiro Prefeitura de Paudalho Prefeitura e Vitória de Santo Antão Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe Prefeitura de Brejo da Madre de Deus Prefeitura de Salgadinho Prefeitura de Taquarintiga do Norte Sociedade Nordestina de Ecologia (SNE) Instituto Capibaribe Associação dos Amigos do Poço da Panela (AMAPP) Movimento Salve o Capibaribe Fórum Ama Recife Rede de Resistência Solidária Projeto Eu quero nadar no Capibaribe. E você? Sociedade de Apoio ao Meio Ambiente e Desenv. Sustentável (Amatur) Associação Terra Lumens Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) Federação Pernambucana de Remo Departamento de Remo Sport Club do Recife Centro de Defesa das Águas e da Natureza (Cedan) Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE) Serviço Nacional da Indústria (SENAI) Rotary Club Usina Petribú S.A Engarrafamento Pitu MID Comunicação Escolas públicas e privadas Endereço da Secretaria: Departamento de Engenharia Civil da UFPE, av. Hélio Ramos s/n, 2 Cidade Universitária, Recife; CEP 50.740-530; Fone 2126 7216; Fax 34540482
  • 3. Comissão de Coordenação da Semana da Água no Capibaribe: Coordenação geral: Ricardo Braga Atividade 1 - Avaliação participativa da qualidade da água do Capibaribe Paulo Tadeu Joaquim de Paula Arnaldo Vitorino Maria José Cordão Atividade 2 - Carta e Termo de Adesão ao Capibaribe Ivan Melo Alcides Tedesco Marcelo Mesel Ricardo Braga Atividade 3 - Painel coletivo: realidade e sonhos sobre o rio Capibaribe Julien Ineichen Caju Atividade 4 - Mascote do Capibaribe Leda Telles Janaína Loureiro Vanice Selva Atividade 5 Pólos de mobilização Santa Cruz do Capibaribe Arnaldo Vitorino Limoeiro Julia Alves Rodrigues Paudalho Diogo Falcão Vitória de Santo Antão - Raimundo Canejo Camaragibe Pedro de Melo Recife - Marcelo Mesel Atividade 6 Visita às nascentes do Capibaribe Ricardo Braga Atividade 7 - Assembléia aberta do COBH - Culminância Ricardo Braga Endereço da Secretaria: Departamento de Engenharia Civil da UFPE, av. Hélio Ramos s/n, 3 Cidade Universitária, Recife; CEP 50.740-530; Fone 2126 7216; Fax 34540482
  • 4. ATIVIDADE: Avaliação participativa da qualidade da água na bacia do Capibaribe Coordenador geral da Semana: Ricardo Braga Coordenador técnico da atividade: Paulo Tadeu de Gusmão Comissão coordenadora: Paulo Tadeu, Joaquim de Paula, Arnaldo Vitorino e Maria José Cordão Responsáveis locais: Santa Cruz do Capibaribe Arnaldo Vitorino Limoeiro Julia Alves Rodrigues Paudalho Diogo Falcão Vitória de Santo Antão Manassés Rocha Recife Leda Telles e Daniela Macedo Apoio institucional: Secretaria de Recursos Hídricos e Energéticos (SRHE) Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) Sociedade Nordestina de Ecologia (SNE) Introdução Esta atividade fez parte da programação da Semana da Água na Bacia do Capibaribe, desenvolvida no período de 22 a 30 de março de 2010. A avaliação participativa da qualidade da água na bacia do Capibaribe ocorreu no dia 22 de março, no Dia Mundial da Água. Diante do slogan adotado pelo COBH Capibaribe neste ano: Capibaribe das águas limpas, por que não? , surge imediatamente um outra pergunta: como está a água do rio? Esta resposta poderia ser dada lendo-se os relatórios anuais de monitoramento da qualidade da água, elaborados pela CPRH, mas a organização do evento entendeu que seria muito importante envolver as pessoas nessa descoberta, a partir da avaliação participativa da qualidade da água na bacia do rio Capibaribe, mobilizando alunos e professores de escolas públicas e privadas locais. Para isso foram definidas 10 estações de amostragem de qualidade da água, para análise de parâmetros físico-químicos e bacteriológicos. As estações situaram-se antes e depois de cinco cidades importantes na bacia: Santa Cruz do Capibaribe, Limoeiro, Paudalho, Vitória de Santo Antão e Recife. No caso da cidade do Recife, o último ponto foi na Ponte da Capunga. Endereço da Secretaria: Departamento de Engenharia Civil da UFPE, av. Hélio Ramos s/n, 4 Cidade Universitária, Recife; CEP 50.740-530; Fone 2126 7216; Fax 34540482
  • 5. Para viabilizar resultados confiáveis, antes foram realizadas duas capacitações para coleta e análise das amostras, nos dias 15 e 16 de março, respectivamente em Santa Cruz do Capibaribe e em Carpina, reunindo os participantes por proximidade geográfica. Resultados Todos os trechos do rio Capibaribe e seus afluentes estão enquadrados na Classe 2, de acordo com o Sistema de Classificação das Águas Doces do Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA). Isto significa que suas águas devem ter qualidade adequada para: consumo humano, após tratamento convencional; proteção das comunidades aquáticas; recreação de contato primário (tais como natação, esqui aquático e mergulho); irrigação de hortaliças, plantas frutíferas e de parques, jardins, campos de esporte e lazer; aqüicultura e atividades de pesca. A qualidade das águas de Classe 2 é definida por padrões físicos, químicos e microbiológicos, tais como: turbidez, cor verdadeira, demanda bioquímica de oxigênio, pH, concentrações de oxigênio dissolvido, de nutrientes (nitrato e de fósforo total), de bactérias coliformes termotolerantes (fecais), de cianobactérias, etc dentro da programação da Semana da Água no Capibaribe, promovida pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Capibaribe. A Avaliação Participativa da Qualidade das Águas da Bacia do rio Capibaribe, foi realizada no dia 22 de março, por equipes (professores e alunos) de escolas públicas e privadas, localizadas na bacia do rio. Equipes de alunos e professores das escolas participantes utilizaram equipamentos portáteis de fácil e segura manipulação, que permitem a medição da turbidez, da temperatura, do pH e das concentrações de oxigênio dissolvido, nitrato e fósforo, por meio de métodos colorimétricos simples. Dois outros importantes parâmetros (demanda bioquímica de oxigênio e concentrações de bactérias coliformes totais e termotolerantes) tiveram, no entanto, sua medição realizada no laboratório da CPRH, utilizando-se os métodos e equipamentos cientificamente mais adequados, para o caso. Foram coletadas amostras das águas em locais situados imediatamente antes e imediatamente depois (no sentido do fluxo das águas) das cidades de Santa Cruz do Capibaribe, Limoeiro, Paudalho e Vitória de Santo Antão. No caso da cidade do Recife, uma das amostras foi coletada na Várzea e a outra na Ponte da Capunga. Os resultados da avaliação participativa indicaram: Com relação à turbidez (indicador da transparência) a situação das águas é razoavelmente boa, visto que, apenas nos locais de coleta situados após as cidades de Santa Cruz do Capibaribe e Vitória de Santo Antão, foram constatados valores próximos ao limite máximo permitido (100 uT), permanecendo abaixo desse limite nos demais pontos de coleta. Endereço da Secretaria: Departamento de Engenharia Civil da UFPE, av. Hélio Ramos s/n, 5 Cidade Universitária, Recife; CEP 50.740-530; Fone 2126 7216; Fax 34540482
  • 6. Quanto ao pH (indicador de condições ácidas, neutras ou alcalinas) a qualidade das águas é, também, boa visto que, apenas na ponte da Capunga (em Recife) foi observado valor (5,5), abaixo da faixa permitida (6 a 9). A presença de nutrientes (indicadores do grau de fertilização das águas) mostrou- se aceitável quanto à concentração de nitrato (abaixo do limite máximo 10 mg/L), mas, extremamente preocupante com relação ao fósforo, cujo teor se apresentou muito acima do limite máximo (0,05 mg/L), em todos os pontos de coleta. Sabe-se que a presença excessiva desse nutriente pode acarretar, nos açudes e barragens, florações de microrganismos (cianofíceas) que, eventualmente, liberam nas águas toxinas não removíveis nos processos convencionais adotados nas estações de tratamento de águas e que, no organismo humano, podem causar sérios danos à saúde e até mortes (vide episódio de Caruaru na década de 1990). Com relação à demanda bioquímica de oxigênio(DBO), indicador da presença nas águas de materiais orgânicos biodegradáveis (esgotos sanitários, lixo, resíduos de matadouros, manipueira, etc.), a situação foi aceitável em Limoeiro e Paudalho, mas pode ser considerada péssima em Santa Cruz do Capibaribe, Vitória de Santo Antão e Recife, onde foram observados valores, em muito superiores ao limite máximo permitido (5 mg O2/L). Com relação à concentração de oxigênio dissolvido (OD), que é indicador da possibilidade de vida de peixes e outros seres aquáticos aeróbios, a qualidade das águas pode ser considerada péssima, visto que foram observados valores inferiores ao mínimo permitido (5 mg O2/L), em todos os pontos de coleta; a situação mostrou-se extremamente grave após as cidades de Santa Cruz do Capibaribe e Vitória de Santo Antão, onde foi observada total ausência de oxigênio dissolvido nas águas. No Recife o valor encontrado na ponte da Capunga (4 mg O2/L) está possivelmente influenciado pela mistura com águas mais oxigenadas trazidas pela maré, que era máxima no momento da coleta da amostra. As concentrações de bactérias coliformes termotolerantes ou fecais (indicadoras da presença de microrganismos causadores de doenças) mostram que a qualidade das águas é sanitariamente péssima, vez que foram constatados valores muito superiores ao limite máximo permitido (1.000 bactérias/100 mL), em todos os locais de coleta. De maneira geral, os resultados obtidos, especialmente a diferença de qualidade observada nas águas antes e depois de atravessarem as áreas urbanas, comprovam claramente aquilo que as pessoas percebem em seu cotidiano: as águas da bacia do rio Capibaribe estão fortemente poluídas, principalmente por lixo e despejos de esgotos sanitários e industriais (matadouros e casas de farinha) gerados nas cidades. Endereço da Secretaria: Departamento de Engenharia Civil da UFPE, av. Hélio Ramos s/n, 6 Cidade Universitária, Recife; CEP 50.740-530; Fone 2126 7216; Fax 34540482
  • 7. A Avaliação Participativa da Qualidade das Águas da Bacia do rio Capibaribe teve o objetivo de retratar instantaneamente a qualidade das águas desse rio na exata ocasião em que foi comemorado o Dia da Água (22 de março). Essa avaliação não teve, portanto, o objetivo de substituir o monitoramento da qualidade das águas efetuado pelos órgãos estaduais competentes. Observe-se que seu objetivo foi, principalmente, didático, pois a coleta e análise da água envolveu professores e alunos de escolas, buscando e mobilizar a sociedade em prol da preservação do rio, uma vez que os resultados foram apresentados e discutidos na Assembléia Aberta do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Capibaribe, ocorrida em 30 de março de 2010, e estão sendo enviados a todas as escolas participantes, para discussão interna e aproveitamento em atividades escolares (aulas, feiras de ciências, peças teatrais e outras atividades correlatas). Uma apresentação em power point está disponível como Anexo deste relatório, apresentando os resultados em tabelas, gráficos e fotografias. Endereço da Secretaria: Departamento de Engenharia Civil da UFPE, av. Hélio Ramos s/n, 7 Cidade Universitária, Recife; CEP 50.740-530; Fone 2126 7216; Fax 34540482