SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Instituto Federal de Educação, Ciência Tecnologia Baiano - Campus Serrinha.
Curso Técnico em agropecuária.
André Anunciação Martins
Cristovaldo Bispo Portugal
Fagner de Aquino Oliveira
Samuel Wendel Lima da Silva
Laudo Técnico
Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.
Serrinha- Ba Abril 2019
André Anunciação Martins
Cristovaldo Bispo Portugal
Fagner de Aquino Oliveira
Samuel Wendel Lima da Silva
Trabalho solicitado para composição da nota do I
Semestre do componente curricular Agroecologia
E gestão ambiental do curso técnico em agropecuária
do Instituto Federal de Educação, Ciência e
Tecnologia Baianas – Campus Serrinha
Orientador: Maria Auxiliadora
Serrinha- Ba
1. Introdução
Agricultura Orgânica
A agricultura orgânica é um sistema de produção agrícola com técnicas
totalmente natural de cultivo, sem o uso de produtos químicos, tais como
fertilizantes, agrotóxicos e entre outros. Um dos objetivos da agricultura orgânica é a
produção de alimentos naturais saudáveis para garantir a saúde dos seres humano.
O conceito de agricultura orgânica vem do mesmo termo da agricultura
sustentável. Para Darolt (2000a) transmite uma visão manutenção de longo prazo
dos recursos naturais e da produtividade agrícola, com mínimos impactos ao meio
ambiente. Dessa forma, um dos princípios básico gira em torno do respeito à
natureza, não desmatar as florestas e matas para ampliação de áreas agrícola.
A agricultura é uma atividade que demanda o uso da agua para a cultura dos
alimentos, de acordo com o Fundo das Nações Unidas para Agricultura e
Alimentação (FAO), a agricultura mundial consome 70% do montante de toda a água
consumida no planeta. No Brasil esse número só aumenta 72% a medica que o país
é menos desenvolvido, sem tecnologia avançadas para diminuir os desperdícios nas
atividades agrícolas.
É preciso ter um uso sustentável, a agua não acabar e nem vai sumir do
planeta, por conta dos ciclos hidrológicos que faz com que tenha a renovação. E
nem por isso deve-se deixa de planeja para o uso sustentável. Oque acaba é a
possibilidade do uso de uma agua melhor, com possibilidades de utilizamos uma
agua de má qualidade por conta dos impactos socioambientais causado pelo ser
humano.
A agua doce corresponde a 1% em seu estado natural no planeta
considerado um dos mais puros componentes naturais essências para toda forma de
vida, por outro lado essa característica tem passado por transformações tornando-se
um dos importantes veículos de propagação de doenças (REIS ROFFMANN, 2016)
sem o devido tratamento da agua oferece risco a saúde humana, por conta da sua
contaminação microbiológica, parasitas e substancia derreterias nocivas para saúde
humana.
Dessa Forma, foram realizadas analises no laboratório para saber se a
qualidade da agua é indica para o consumo humano e/ou for utilizada nas atividades
agrícolas. Com isso, foram verificadas as características químicas, físicas com base
nas regras de potabilidades da agua do Brasil de acordo com portaria N° 2.914/11
de 12 de dezembro de 2011 (Portaria 2.914/11 - Ministério Da Saúde, 2011).
Além disso, analisaram-se também com base na resolução 357 as aguas
Brutas sem tratamentos de rios e afluentes. Considerando que o enquadramento
dos corpos de água deve estar baseado não necessariamente no seu estado atual,
mas nos níveis de qualidade que deveriam possuir para atender às necessidades da
comunidade; Considerando que a saúde e o bem-estar humano, bem como o
equilíbrio ecológico aquático, não devem ser afetados pela deterioração da
qualidade das águas, onde se adeque as qualidades da portaria 2914/11 do
ministério da saúde.
2. Material e Procedimentos Metodológicos
A cidade de serrinha esta localizada na mesorregião do Nordeste Baiano e com uma
área, territorial de 568, 502 Km², sua população é abastecida com os recursos hídricos
da bacia hidrográfica de Inhambupe, pelos mananciais do município de Biritinga-Ba.
A coleta da agua foi realizada na cidade de Ichu e em Serrinha. O Laudo dispõe de
agua tratadas e agua bruta.
Foram coletadas amostra de agua tradadas de filtro, potes e por fim das
cisternas de produção que são tratadas com hipoclorito de sódio, tornando a agua
potável para o consumo humano, acrescentando também analise da agua bruta de
poço e açude. As coletas foram realizadas com base nas orientações da professora
Maria Auxiliadora, as amostras foram analisadas no laboratório de química do
Instituto Federal de Educação, Ciência Tecnologia Baiano - Campus Serrinha. A
agua foi colhida em recipientes de garrafas pets, mergulhada a 15 cm da superfície
da agua, em seguida, transportada para o laboratório com os rótulos de
identificação: local da coleta, a pessoa que coletou e a característica do tipo de
agua.
Para analisar as características físico-químicas da agua, utilizaram-se
equipamentos digitais, todos sendo calibrados antes de serem manuseados. Todos
presentes no laboratório estavam utilizando luvas, jalecos mascara e tocas para
proteção a fim de evitar objetos e equipamentos que possam esta contaminada.
Foto 1. Equipamento de
proteção individual
No segundo momento foram analisadas as amostras coletas. Para
determinadas analisem. De acordo com a portaria 2914/11 os principais parâmetros
para analise de agua utilizaram os seguintes equipamentos para atender a portaria:
medidor de Ph; medidor de condutividade elétrica, turbidímetro, cor e cloro.
Todos os dados foram anotados em uma ficha técnica contendo os resultados
coletados das amostras, para isso, cada amostra foi medida três vezes, após os
resultados foi tirada uma media aritmética dos valores, dividindo por três.
Verificaram os parâmetros físicos da agua bruta e química. Para
determinação da turbidez e outros equipamentos, foi usado um fraco de vidro incolor
para as amostras. Além disso, em toda a passagem de agua diferente, foi passado
agua destilada nos béquer. Sendo assim, utilizando para outras analises. Lavou o
eletrodo do phmetro, para fazer novas analises repetindo as operações três vezes.
Foto 2. Aparelho Condutivímetro
elétrico.
FOTO 3. Sendo realizada a turbidez
da água.
Foto 4. Valor da amostra,
turbidímetro.
Fotômetro multiparametrico é um equipamento de bancada que realiza analise de
diversos parâmetros;
Foto 5. Medidorde Ph - Phmetro. Foto 6. Medidorde Cloro.
Foto 7. Fotômetro multiparametrico
3.Resultados e discursões
Esses parâmetros são utilizados para realizar as analises conforme resolução
da CONAMA N° 357 de março de 2005, e a Portaria N° 2.914/11 de 12 de
dezembro de 2011.
Dessa Forma, para analise da agua bruta os parâmetros foram avaliados de
acordo com os padrões de qualidades estabelecidos na resolução CONAMA N°
357/5 a fim de serem verificadas aguas de Açude e de poço para ser possível
identificar o nível de contaminação.
Tabela 1: Agua bruta
Parâmetros Poço -
Resolução
396 (*¹)
Açude Resolução
CONANA
N° 357/5 –
396/8
Ph 7,05 8,15 6,0 a 9,0
Cond.
Elétrica
5,16 122,8 < 100
Turbidez 49 477,6 Ate 40
Cor 0,5 0,5 Ate 75
(*) Considerando a necessidade de se promover a proteção da qualidade das águas
Subterrâneas, Art.1 Esta Resolução dispõe sobre a classificação e diretrizes
ambientais para o enquadramento, prevenção e controle da poluição das águas
subterrâneas indicando a qualidade dessas águas. (Resolução 396/8)
Para o parâmetro, o Ph da agua de poço e açude esta satisfatório, dentro do
limite da resolução CONAMA n° 357/5.
A condutividade elétrica da água de poço esta abaixo de 100 indica que a
água pode ser potável para o consumo humano por apresentarem concentrações
baixas de sais orgânicos e inorgânicos distribuídos na água. Já condutividade
elétrica do açude é superior a 100, sendo impropria para consumo de acordo com a
resolução CONAMA.
O parâmetro da turbidez do poço ultrapassou o limite da resolução CONAMA,
porem com determinados tratamentos isso pode reduzir e melhorar a qualidade. A
cor esta dentro do que se espera, sendo uma agua com poucas substâncias
dissolvida não sendo vistas a olho nu.
‘ A turbidez do açude expressa em unidades nefelométricas de turbidez muito
elevada, na qual a água tem grande presença de materiais em suspensão.
Portanto, isso significa que com os resultados desta analise as aguas brutas
que foram coletas, após um tratamento, pode se torna potável para o consumo
humano e ser utilizada na agricultura orgânica e para os animais.
Tabela 2: Água tratada
Parâmetros Pote Filtro Cisternas*¹ Portaria 2914/11
Ph 7,5 7,77 7,75 6,0 a 9,0
Cond.
Elétrica
548,1 501,2 876,4 100
Turbidez 0,58 0,13 0,23 Ate 5
Cor 1,3 0,6 1 Ate 15
Cloro 0,5 0,5 0,5 Mínimo 0,5 mg/L
Observação feita para água da cisterna* de acordo com a portaria n° 2914/11
CAPÍTULO IV DAS EXIGÊNCIAS APLICÁVEIS AOS SISTEMAS E SOLUÇÕES
ALTERNATIVAS COLETIVAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA PARA O
CONSUMO HUMANO (Art. 24.). Toda água para consumo humano, fornecida
coletivamente, deverá passar por processo de desinfecção ou cloração.
Observou os dados obtidos dos parâmetros do Ph das águas de pote, filtro e
cisternas, conclui-se que as medias estão em conformidade com o padrão de
potabilidade de acordo com os estudos feitos com base na Portaria. Para o
parâmetro da condutividade elétrica, foi observado que as amostras apresentam
uma media muito alta do que se esperava, passando do padrão da Portaria.
A turbidez indica o grau de atenuação em que o feixe de luz sofre ao
atravessar a água, que ocorre pela absorção e espalhamento da luz causada pelos
sólidos em suspensão, as medidas estão compatíveis com o valor máximo exigido
pela portaria. Em relação a cor esta os resultados estão baixo do padrão. O índice
de cloro nas amostras está no limite com uma media de 0,5mg/L miligramas por litro.
4.Considerações finais
A qualidade da água foi verificada de acordo com os parâmetros de
potabilidade da portaria 2914/11 e da resolução n° 357/05 com cinco amostras
analisadas no laboratório de química do IF Baiano campos – serrinha. Percebeu-se
que, analisar a água é muito importante para identificar os componentes químico-
físicos para saber se são próprias para consumo humano. Dessa forma, é evidente
que os resultados dos parâmetros, algumas medias estão acima do aceitável para
o consumo humano, sendo assim, necessitando de controles e de tratamentos para
a água.
Referencial teórico
Sousa, Rubens Amâncio; Marinho, Petrusk Homero; Figueiredo, Evandro. Análise
físico-química e microbiológica da água consumida em bebedouros de creche no
município de Coremas-PB. RELATÓRIO TÉCNICO.
http://www.gvaa.com.br/revista/index.php/INTESA
Siqueira, Lauda. ANÁLISE DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA FINS DE
ABASTECIMENTO PÚBLICO NO RIO PARDO, MUNICÍPIO DE OURINHOS-SP.
Avaliação de TCC, OURINHOS-SP MARÇO, 2016.
Parron, luciliar maria; Freitas, Daphne Eloisa de; Pereira, Claudia Maria manual de
procedimentos e amostragem químico-físico da agua. Dados eletrônicos.
Colombo EMBRAPA. Floresta, 2011. https://www.embrapa.br/busca-de-
publicacoes/-/publicacao/921050/manual-de-procedimentos-de-amostragem-e-
analise-fisico-quimica-de-agua/ acesso 22 de ago. de 2011
Resolução CONAMA
Numero 396, de 3 de abril de 2008 Publicada no DOU nº 66, de 7 de abril de
2008, Seção 1, páginas 64-68
Resoluçao CONAMA
Nº 357, DE 17 DE MARÇO DE 2005. http://www2.mma.gov.br/port/conama/
PORTARIA Nº2.914, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2011, Ministérioda Saúde
Gabinete doMinistro.
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2914_12_12_2011.html
Anexos
Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Água purificada obtenção e controle de qualidade
Água purificada obtenção e controle de qualidadeÁgua purificada obtenção e controle de qualidade
Água purificada obtenção e controle de qualidade
Giovanni Oliveira
 
Uso racional da água aula
Uso racional da água aulaUso racional da água aula
Uso racional da água aula
profgon
 
Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...
Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...
Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...
Veronika Nur
 

Mais procurados (17)

Manual Técnico Para Coleta de Amostras de Água
Manual Técnico Para Coleta de Amostras de ÁguaManual Técnico Para Coleta de Amostras de Água
Manual Técnico Para Coleta de Amostras de Água
 
Aula 09 legislação aplicada e padrões - prof. nelson (area 1)
Aula 09   legislação aplicada e padrões - prof. nelson (area 1)Aula 09   legislação aplicada e padrões - prof. nelson (area 1)
Aula 09 legislação aplicada e padrões - prof. nelson (area 1)
 
01
0101
01
 
Tratamento de Águas Residuárias II
Tratamento de Águas Residuárias IITratamento de Águas Residuárias II
Tratamento de Águas Residuárias II
 
Dissertação de mestrado ufpe utilização do lodo proveniente de uma eta
Dissertação de mestrado ufpe   utilização do lodo proveniente de uma etaDissertação de mestrado ufpe   utilização do lodo proveniente de uma eta
Dissertação de mestrado ufpe utilização do lodo proveniente de uma eta
 
Artigo bioterra v17_n2_01
Artigo bioterra v17_n2_01Artigo bioterra v17_n2_01
Artigo bioterra v17_n2_01
 
Água purificada obtenção e controle de qualidade
Água purificada obtenção e controle de qualidadeÁgua purificada obtenção e controle de qualidade
Água purificada obtenção e controle de qualidade
 
Aula 01 inicial - apresentação e introdução
Aula 01   inicial - apresentação e introduçãoAula 01   inicial - apresentação e introdução
Aula 01 inicial - apresentação e introdução
 
Uso racional da água aula
Uso racional da água aulaUso racional da água aula
Uso racional da água aula
 
Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...
Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...
Estudo da reduа¦o do consumo de ¦gua na produа¦o de etanol a partir da cana d...
 
Manual operador de eta
Manual operador de etaManual operador de eta
Manual operador de eta
 
Evento 50 sent1
Evento 50   sent1Evento 50   sent1
Evento 50 sent1
 
Gestão amb. da água
Gestão amb. da águaGestão amb. da água
Gestão amb. da água
 
Texto 1 -_caracterização
Texto 1 -_caracterizaçãoTexto 1 -_caracterização
Texto 1 -_caracterização
 
artigo - estudo da tratabilidade da água de chuva
artigo - estudo da tratabilidade da água de chuva artigo - estudo da tratabilidade da água de chuva
artigo - estudo da tratabilidade da água de chuva
 
Apostila geral eta
Apostila geral   etaApostila geral   eta
Apostila geral eta
 
Relatório anual de qualidade da água - 2018
Relatório anual de qualidade da água - 2018Relatório anual de qualidade da água - 2018
Relatório anual de qualidade da água - 2018
 

Semelhante a Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.

Tratamento de águas residuárias
Tratamento de águas residuárias Tratamento de águas residuárias
Tratamento de águas residuárias
FATEC Cariri
 
Tratamento de águas residuárias raimunda
Tratamento de águas residuárias raimundaTratamento de águas residuárias raimunda
Tratamento de águas residuárias raimunda
FATEC Cariri
 
Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...
Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...
Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...
Samuel J. Tacuana
 
04 relatorio-avaliacao-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe
04 relatorio-avaliacao-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe04 relatorio-avaliacao-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe
04 relatorio-avaliacao-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe
Comite
 
Apostila sobre tratatamento de agua
Apostila sobre tratatamento de aguaApostila sobre tratatamento de agua
Apostila sobre tratatamento de agua
Henrique rebouças
 

Semelhante a Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua. (20)

parametros qualidade agua
parametros qualidade aguaparametros qualidade agua
parametros qualidade agua
 
4025 texto do artigo-13363-1-10-20160211 (1)
4025 texto do artigo-13363-1-10-20160211 (1)4025 texto do artigo-13363-1-10-20160211 (1)
4025 texto do artigo-13363-1-10-20160211 (1)
 
Artigo Sobre Águas Residuárias!
Artigo Sobre Águas Residuárias!Artigo Sobre Águas Residuárias!
Artigo Sobre Águas Residuárias!
 
Tratamento de águas residuárias
Tratamento de águas residuárias Tratamento de águas residuárias
Tratamento de águas residuárias
 
Tratamento de águas residuárias raimunda
Tratamento de águas residuárias raimundaTratamento de águas residuárias raimunda
Tratamento de águas residuárias raimunda
 
Aula 9 - Enquadramento dos corpos hídricos.ppt
Aula 9 - Enquadramento dos corpos hídricos.pptAula 9 - Enquadramento dos corpos hídricos.ppt
Aula 9 - Enquadramento dos corpos hídricos.ppt
 
Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...
Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...
Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...
 
Qualidade de água em Industria de laticínio
Qualidade de água em Industria de laticínioQualidade de água em Industria de laticínio
Qualidade de água em Industria de laticínio
 
Eco ii micorbiologia da água. indicadores2010
Eco ii micorbiologia da água. indicadores2010Eco ii micorbiologia da água. indicadores2010
Eco ii micorbiologia da água. indicadores2010
 
04 relatorio-avaliacao-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe
04 relatorio-avaliacao-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe04 relatorio-avaliacao-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe
04 relatorio-avaliacao-participativa-da-qualidade-agua-do-capibaribe
 
Saneamento básico
Saneamento básicoSaneamento básico
Saneamento básico
 
Apostila sobre tratatamento de agua
Apostila sobre tratatamento de aguaApostila sobre tratatamento de agua
Apostila sobre tratatamento de agua
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V24_...
 
Artigo bioterra v17_n1_06
Artigo bioterra v17_n1_06Artigo bioterra v17_n1_06
Artigo bioterra v17_n1_06
 
17/03 - tarde_Mesa 2 - Ricardo de Oliveira Figueiredo
17/03 - tarde_Mesa 2 - Ricardo de Oliveira Figueiredo17/03 - tarde_Mesa 2 - Ricardo de Oliveira Figueiredo
17/03 - tarde_Mesa 2 - Ricardo de Oliveira Figueiredo
 
contagem
contagemcontagem
contagem
 
Saneamento Ambiental
Saneamento AmbientalSaneamento Ambiental
Saneamento Ambiental
 
A UTILIZAÇÃO DOS MACROINVERTEBRADOS BENTÔNICOS COMO FERRAMENTA PARA EDUCAÇÃO ...
A UTILIZAÇÃO DOS MACROINVERTEBRADOS BENTÔNICOS COMO FERRAMENTA PARA EDUCAÇÃO ...A UTILIZAÇÃO DOS MACROINVERTEBRADOS BENTÔNICOS COMO FERRAMENTA PARA EDUCAÇÃO ...
A UTILIZAÇÃO DOS MACROINVERTEBRADOS BENTÔNICOS COMO FERRAMENTA PARA EDUCAÇÃO ...
 
Água potável nas fazendas e na nossa casa.
Água potável nas fazendas e na nossa casa.Água potável nas fazendas e na nossa casa.
Água potável nas fazendas e na nossa casa.
 
Manual de Analise de Agua 2ªed
Manual de Analise de Agua 2ªedManual de Analise de Agua 2ªed
Manual de Analise de Agua 2ªed
 

Mais de Fagner Aquino (10)

Relatório - Controle de pragas que estão atacando as laranjeiras
Relatório - Controle de pragas que estão atacando as laranjeirasRelatório - Controle de pragas que estão atacando as laranjeiras
Relatório - Controle de pragas que estão atacando as laranjeiras
 
Produção de Leite na Propriedade Olhos D'Agua.
Produção de Leite na Propriedade Olhos D'Agua.Produção de Leite na Propriedade Olhos D'Agua.
Produção de Leite na Propriedade Olhos D'Agua.
 
Relatório de Levantamento de Dados: Estudo detalhado sobre pecuária na comun...
Relatório de Levantamento de Dados: Estudo detalhado sobre pecuária  na comun...Relatório de Levantamento de Dados: Estudo detalhado sobre pecuária  na comun...
Relatório de Levantamento de Dados: Estudo detalhado sobre pecuária na comun...
 
Herborizaçao Material Botanico
Herborizaçao Material BotanicoHerborizaçao Material Botanico
Herborizaçao Material Botanico
 
Herbário exsicatas.
Herbário   exsicatas.Herbário   exsicatas.
Herbário exsicatas.
 
QUÍMICA - FUNÇÕES INORGÂNICAS.
QUÍMICA - FUNÇÕES INORGÂNICAS.QUÍMICA - FUNÇÕES INORGÂNICAS.
QUÍMICA - FUNÇÕES INORGÂNICAS.
 
Relatório de Soluções Eletrolíticas e Reações Iônicas
Relatório de Soluções Eletrolíticas e Reações IônicasRelatório de Soluções Eletrolíticas e Reações Iônicas
Relatório de Soluções Eletrolíticas e Reações Iônicas
 
Espectro eletromagnético
Espectro eletromagnéticoEspectro eletromagnético
Espectro eletromagnético
 
Substantivos - Tipos de Substantivos 
Substantivos - Tipos de Substantivos Substantivos - Tipos de Substantivos 
Substantivos - Tipos de Substantivos 
 
Biografia Ricardo reis
Biografia Ricardo reisBiografia Ricardo reis
Biografia Ricardo reis
 

Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.

  • 1. Instituto Federal de Educação, Ciência Tecnologia Baiano - Campus Serrinha. Curso Técnico em agropecuária. André Anunciação Martins Cristovaldo Bispo Portugal Fagner de Aquino Oliveira Samuel Wendel Lima da Silva Laudo Técnico Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua. Serrinha- Ba Abril 2019
  • 2. André Anunciação Martins Cristovaldo Bispo Portugal Fagner de Aquino Oliveira Samuel Wendel Lima da Silva Trabalho solicitado para composição da nota do I Semestre do componente curricular Agroecologia E gestão ambiental do curso técnico em agropecuária do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baianas – Campus Serrinha Orientador: Maria Auxiliadora Serrinha- Ba
  • 3. 1. Introdução Agricultura Orgânica A agricultura orgânica é um sistema de produção agrícola com técnicas totalmente natural de cultivo, sem o uso de produtos químicos, tais como fertilizantes, agrotóxicos e entre outros. Um dos objetivos da agricultura orgânica é a produção de alimentos naturais saudáveis para garantir a saúde dos seres humano. O conceito de agricultura orgânica vem do mesmo termo da agricultura sustentável. Para Darolt (2000a) transmite uma visão manutenção de longo prazo dos recursos naturais e da produtividade agrícola, com mínimos impactos ao meio ambiente. Dessa forma, um dos princípios básico gira em torno do respeito à natureza, não desmatar as florestas e matas para ampliação de áreas agrícola. A agricultura é uma atividade que demanda o uso da agua para a cultura dos alimentos, de acordo com o Fundo das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), a agricultura mundial consome 70% do montante de toda a água consumida no planeta. No Brasil esse número só aumenta 72% a medica que o país é menos desenvolvido, sem tecnologia avançadas para diminuir os desperdícios nas atividades agrícolas. É preciso ter um uso sustentável, a agua não acabar e nem vai sumir do planeta, por conta dos ciclos hidrológicos que faz com que tenha a renovação. E nem por isso deve-se deixa de planeja para o uso sustentável. Oque acaba é a possibilidade do uso de uma agua melhor, com possibilidades de utilizamos uma agua de má qualidade por conta dos impactos socioambientais causado pelo ser humano. A agua doce corresponde a 1% em seu estado natural no planeta considerado um dos mais puros componentes naturais essências para toda forma de vida, por outro lado essa característica tem passado por transformações tornando-se um dos importantes veículos de propagação de doenças (REIS ROFFMANN, 2016) sem o devido tratamento da agua oferece risco a saúde humana, por conta da sua contaminação microbiológica, parasitas e substancia derreterias nocivas para saúde humana. Dessa Forma, foram realizadas analises no laboratório para saber se a qualidade da agua é indica para o consumo humano e/ou for utilizada nas atividades agrícolas. Com isso, foram verificadas as características químicas, físicas com base nas regras de potabilidades da agua do Brasil de acordo com portaria N° 2.914/11 de 12 de dezembro de 2011 (Portaria 2.914/11 - Ministério Da Saúde, 2011). Além disso, analisaram-se também com base na resolução 357 as aguas Brutas sem tratamentos de rios e afluentes. Considerando que o enquadramento dos corpos de água deve estar baseado não necessariamente no seu estado atual,
  • 4. mas nos níveis de qualidade que deveriam possuir para atender às necessidades da comunidade; Considerando que a saúde e o bem-estar humano, bem como o equilíbrio ecológico aquático, não devem ser afetados pela deterioração da qualidade das águas, onde se adeque as qualidades da portaria 2914/11 do ministério da saúde. 2. Material e Procedimentos Metodológicos A cidade de serrinha esta localizada na mesorregião do Nordeste Baiano e com uma área, territorial de 568, 502 Km², sua população é abastecida com os recursos hídricos da bacia hidrográfica de Inhambupe, pelos mananciais do município de Biritinga-Ba. A coleta da agua foi realizada na cidade de Ichu e em Serrinha. O Laudo dispõe de agua tratadas e agua bruta. Foram coletadas amostra de agua tradadas de filtro, potes e por fim das cisternas de produção que são tratadas com hipoclorito de sódio, tornando a agua potável para o consumo humano, acrescentando também analise da agua bruta de poço e açude. As coletas foram realizadas com base nas orientações da professora Maria Auxiliadora, as amostras foram analisadas no laboratório de química do Instituto Federal de Educação, Ciência Tecnologia Baiano - Campus Serrinha. A agua foi colhida em recipientes de garrafas pets, mergulhada a 15 cm da superfície da agua, em seguida, transportada para o laboratório com os rótulos de identificação: local da coleta, a pessoa que coletou e a característica do tipo de agua. Para analisar as características físico-químicas da agua, utilizaram-se equipamentos digitais, todos sendo calibrados antes de serem manuseados. Todos presentes no laboratório estavam utilizando luvas, jalecos mascara e tocas para proteção a fim de evitar objetos e equipamentos que possam esta contaminada. Foto 1. Equipamento de proteção individual
  • 5. No segundo momento foram analisadas as amostras coletas. Para determinadas analisem. De acordo com a portaria 2914/11 os principais parâmetros para analise de agua utilizaram os seguintes equipamentos para atender a portaria: medidor de Ph; medidor de condutividade elétrica, turbidímetro, cor e cloro. Todos os dados foram anotados em uma ficha técnica contendo os resultados coletados das amostras, para isso, cada amostra foi medida três vezes, após os resultados foi tirada uma media aritmética dos valores, dividindo por três. Verificaram os parâmetros físicos da agua bruta e química. Para determinação da turbidez e outros equipamentos, foi usado um fraco de vidro incolor para as amostras. Além disso, em toda a passagem de agua diferente, foi passado agua destilada nos béquer. Sendo assim, utilizando para outras analises. Lavou o eletrodo do phmetro, para fazer novas analises repetindo as operações três vezes. Foto 2. Aparelho Condutivímetro elétrico. FOTO 3. Sendo realizada a turbidez da água. Foto 4. Valor da amostra, turbidímetro.
  • 6. Fotômetro multiparametrico é um equipamento de bancada que realiza analise de diversos parâmetros; Foto 5. Medidorde Ph - Phmetro. Foto 6. Medidorde Cloro. Foto 7. Fotômetro multiparametrico
  • 7. 3.Resultados e discursões Esses parâmetros são utilizados para realizar as analises conforme resolução da CONAMA N° 357 de março de 2005, e a Portaria N° 2.914/11 de 12 de dezembro de 2011. Dessa Forma, para analise da agua bruta os parâmetros foram avaliados de acordo com os padrões de qualidades estabelecidos na resolução CONAMA N° 357/5 a fim de serem verificadas aguas de Açude e de poço para ser possível identificar o nível de contaminação. Tabela 1: Agua bruta Parâmetros Poço - Resolução 396 (*¹) Açude Resolução CONANA N° 357/5 – 396/8 Ph 7,05 8,15 6,0 a 9,0 Cond. Elétrica 5,16 122,8 < 100 Turbidez 49 477,6 Ate 40 Cor 0,5 0,5 Ate 75 (*) Considerando a necessidade de se promover a proteção da qualidade das águas Subterrâneas, Art.1 Esta Resolução dispõe sobre a classificação e diretrizes ambientais para o enquadramento, prevenção e controle da poluição das águas subterrâneas indicando a qualidade dessas águas. (Resolução 396/8) Para o parâmetro, o Ph da agua de poço e açude esta satisfatório, dentro do limite da resolução CONAMA n° 357/5. A condutividade elétrica da água de poço esta abaixo de 100 indica que a água pode ser potável para o consumo humano por apresentarem concentrações baixas de sais orgânicos e inorgânicos distribuídos na água. Já condutividade elétrica do açude é superior a 100, sendo impropria para consumo de acordo com a resolução CONAMA. O parâmetro da turbidez do poço ultrapassou o limite da resolução CONAMA, porem com determinados tratamentos isso pode reduzir e melhorar a qualidade. A cor esta dentro do que se espera, sendo uma agua com poucas substâncias dissolvida não sendo vistas a olho nu. ‘ A turbidez do açude expressa em unidades nefelométricas de turbidez muito elevada, na qual a água tem grande presença de materiais em suspensão. Portanto, isso significa que com os resultados desta analise as aguas brutas que foram coletas, após um tratamento, pode se torna potável para o consumo humano e ser utilizada na agricultura orgânica e para os animais.
  • 8. Tabela 2: Água tratada Parâmetros Pote Filtro Cisternas*¹ Portaria 2914/11 Ph 7,5 7,77 7,75 6,0 a 9,0 Cond. Elétrica 548,1 501,2 876,4 100 Turbidez 0,58 0,13 0,23 Ate 5 Cor 1,3 0,6 1 Ate 15 Cloro 0,5 0,5 0,5 Mínimo 0,5 mg/L Observação feita para água da cisterna* de acordo com a portaria n° 2914/11 CAPÍTULO IV DAS EXIGÊNCIAS APLICÁVEIS AOS SISTEMAS E SOLUÇÕES ALTERNATIVAS COLETIVAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA PARA O CONSUMO HUMANO (Art. 24.). Toda água para consumo humano, fornecida coletivamente, deverá passar por processo de desinfecção ou cloração. Observou os dados obtidos dos parâmetros do Ph das águas de pote, filtro e cisternas, conclui-se que as medias estão em conformidade com o padrão de potabilidade de acordo com os estudos feitos com base na Portaria. Para o parâmetro da condutividade elétrica, foi observado que as amostras apresentam uma media muito alta do que se esperava, passando do padrão da Portaria. A turbidez indica o grau de atenuação em que o feixe de luz sofre ao atravessar a água, que ocorre pela absorção e espalhamento da luz causada pelos sólidos em suspensão, as medidas estão compatíveis com o valor máximo exigido pela portaria. Em relação a cor esta os resultados estão baixo do padrão. O índice de cloro nas amostras está no limite com uma media de 0,5mg/L miligramas por litro. 4.Considerações finais A qualidade da água foi verificada de acordo com os parâmetros de potabilidade da portaria 2914/11 e da resolução n° 357/05 com cinco amostras analisadas no laboratório de química do IF Baiano campos – serrinha. Percebeu-se que, analisar a água é muito importante para identificar os componentes químico- físicos para saber se são próprias para consumo humano. Dessa forma, é evidente que os resultados dos parâmetros, algumas medias estão acima do aceitável para o consumo humano, sendo assim, necessitando de controles e de tratamentos para a água.
  • 9. Referencial teórico Sousa, Rubens Amâncio; Marinho, Petrusk Homero; Figueiredo, Evandro. Análise físico-química e microbiológica da água consumida em bebedouros de creche no município de Coremas-PB. RELATÓRIO TÉCNICO. http://www.gvaa.com.br/revista/index.php/INTESA Siqueira, Lauda. ANÁLISE DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA FINS DE ABASTECIMENTO PÚBLICO NO RIO PARDO, MUNICÍPIO DE OURINHOS-SP. Avaliação de TCC, OURINHOS-SP MARÇO, 2016. Parron, luciliar maria; Freitas, Daphne Eloisa de; Pereira, Claudia Maria manual de procedimentos e amostragem químico-físico da agua. Dados eletrônicos. Colombo EMBRAPA. Floresta, 2011. https://www.embrapa.br/busca-de- publicacoes/-/publicacao/921050/manual-de-procedimentos-de-amostragem-e- analise-fisico-quimica-de-agua/ acesso 22 de ago. de 2011 Resolução CONAMA Numero 396, de 3 de abril de 2008 Publicada no DOU nº 66, de 7 de abril de 2008, Seção 1, páginas 64-68 Resoluçao CONAMA Nº 357, DE 17 DE MARÇO DE 2005. http://www2.mma.gov.br/port/conama/ PORTARIA Nº2.914, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2011, Ministérioda Saúde Gabinete doMinistro. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2914_12_12_2011.html