"Do librarians need new skills for the web 2.0?", por Paulo Leitão

1.577 visualizações

Publicada em

Comunicação de Paulo Leitão, Responsável pelo Sector de Gestão de Sistemas de Informação da Biblioteca de Arte da Fundação Calouste Gulbenkian, apresentada na conferência: "Videojogos e Web 2.0: Desafios para a formação dos Bibliotecários", no dia 20 de Maio de 2010 no Goethe-Institut em Portugal

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.577
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
45
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

"Do librarians need new skills for the web 2.0?", por Paulo Leitão

  1. 1. Precisam os bibliotecários de novas competências para enfrentar os desafios da web 2.0? Videojogos e Web 2.0: desafios para a formação dos bibliotecários Lisboa, 20/05/2010 Paulo Leitão
  2. 2. “ One of the most significant attributes mentioned over and over was vision – the ability to serve as a change agent, providing leadership and an idea of where the library should go next in technology ” (THOMPSON, 2009, 101)
  3. 3. <ul><li>Tendências fundamentais das tecnologias que afectam as competências: </li></ul><ul><li>1.1. Mudança veloz; </li></ul><ul><li>1.2. Aumento do nº de diferentes tecnologias em utilização; </li></ul><ul><li>1.3. Necessidade de conhecer com profundidade as tecnologias individuais; </li></ul><ul><li>1.4. Ubiquidade. </li></ul>
  4. 4. <ul><li> </li></ul><ul><li>Aumento das competências dos técnicos das bibliotecas – “power user”; </li></ul><ul><li>Expectativa de um aumento de competências tecnológicas por parte dos bibliotecários </li></ul>
  5. 5. <ul><li>2. Competências tecnológicas (“hard skills”) </li></ul><ul><li>2.1. Básicas (“para todos”) </li></ul><ul><li>Partes de um computador e suas funções </li></ul><ul><li>Sistemas operativos; </li></ul><ul><li>SW de Office; </li></ul><ul><li>Gestão de ficheiros; </li></ul><ul><li>Resolução de problemas básicos com PC’s; </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Instalar SW num PC; </li></ul><ul><li>Tecnologias de transferências de suporte (HW e SW) </li></ul><ul><li>Tecnologias móveis </li></ul><ul><li>Web: navegação, pesquisa, avaliação e design de informação, dowload, upload de informação / sw, utilização de plataformas de comunicação, publicação e edição) </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Redes de computadores </li></ul><ul><li>Segurança </li></ul><ul><li>NÍVEL: Utilizador / operação </li></ul>
  8. 8. <ul><li>2.2. Avançadas </li></ul><ul><li>2.2.1. Bibliotecário especializado </li></ul><ul><li>A tradição do “systems librarian” </li></ul><ul><li>Web Librarian, Digital Librarian, Electronic Resources Librarian…. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>2.2.2. Competências tecnológicas </li></ul><ul><li>Tecnologias específicas </li></ul><ul><li>Bases de dados e sistemas de gestão de bibliotecas; </li></ul><ul><li>Protocolos e standards de armazenamento, disponibilização e transferência de informação </li></ul><ul><li>Linguagens de interrogação de bases de dados (SQL) </li></ul>
  10. 10. <ul><li>b) Tecnologias de computadores, servidores e redes </li></ul><ul><li>Redes </li></ul><ul><li>Telecomunicação </li></ul><ul><li>Sistemas operativos </li></ul><ul><li>Hardware </li></ul><ul><li>Servidores </li></ul><ul><li>Internet </li></ul><ul><li>Mínimo: nível da compreensão sobre operações básicas em servidores e redes </li></ul>
  11. 11. <ul><li>c) Tecnologias web </li></ul><ul><li>Edição </li></ul><ul><li>Plataformas de comunicação e partilha de informação </li></ul><ul><li>Linguagens de formatação (HTML, XML, RDF, RSS, etc.) </li></ul><ul><li>Web Services (SOAP, WSDL, UDDI, REST) </li></ul><ul><li>Protocolos de transferência de informação </li></ul><ul><li>Processos de utilização / reutilização da informação por máquinas </li></ul><ul><li>Metainformação (linguagens e formatos) </li></ul><ul><li>d) Outras </li></ul><ul><li>Tecnologias ligadas ao multimédia e à digitalização </li></ul>
  12. 12. <ul><li>e) Competências de desenvolvimento (em alguns casos….) </li></ul><ul><li>Linguagens de programação para a web (Javscript, PERL, PHP, Ajax, Rubi on Rails, etc) </li></ul><ul><li>Aplicação das linguagens de programação em contexto (API’s, MASHUP’s, etc) </li></ul>
  13. 13. <ul><li>MAS, </li></ul><ul><li>Um perfil de competências demasiado específico neste domínio tem tendência para a cristalização, para a rápida desactualização e para implicar um especialização exagerada, contrária à necessária flexibilidade. </li></ul><ul><li>Por isso, mais IMPORTANTE : </li></ul><ul><li>Entender a teoria; </li></ul><ul><li>Dominar competências transferíveis; </li></ul><ul><li>Ter uma postura de aprendizagem constante </li></ul>
  14. 14. <ul><li>2.2.3. Outras competências </li></ul><ul><li>Planeamento: capacidade para planear, antecipar, perspectivar o futuro, definir estratégias; </li></ul><ul><li>Coordenação; </li></ul><ul><li>Supervisão; </li></ul><ul><li>Liderança; </li></ul><ul><li>Definir e implementar serviços junto dos clientes </li></ul><ul><li>Gestão de projectos; </li></ul><ul><li>Avaliação de tecnologias, produtos e serviços de informação; </li></ul><ul><li>Agente de ligação entre pessoas e grupos / tecnologia. </li></ul>
  15. 15. <ul><li>3. Aptidões </li></ul><ul><li>Espírito de curiosidade </li></ul><ul><li>Capacidade de aprender constantemente </li></ul><ul><li>Capacidade de adaptação à mudança constante </li></ul><ul><li>Flexibilidade </li></ul><ul><li>Propensão para arriscar </li></ul><ul><li>Capacidade de comunicação </li></ul><ul><li>Disponibilidade para os outros </li></ul><ul><li>Empatia </li></ul><ul><li>Sentido de antecipação. Detectar tendências e alterações e ser capaz de responder adequadamente e em tempo </li></ul><ul><li>Espírito de iniciativa </li></ul><ul><li>Autonomia VS Cooperação </li></ul>
  16. 16. <ul><li>4. O que exige de “novo” a web 2.0? </li></ul><ul><li>4.1. Competências tecnológicas </li></ul><ul><li>Conhecimento mais diversificado do universo tecnológico </li></ul><ul><li>MAS </li></ul><ul><li>Dificuldade em conhecer de forma profunda </li></ul><ul><li>“ Waiting until one is comfortable with the technology may mean that the opportunity has been missed or, even, that the technology may be reaching the end of its life cycle” </li></ul><ul><li>(THOMPSON, 2009, 23) </li></ul><ul><li>- Entender de forma mais profunda a teoria: arquitecturas de informação, características estruturais, tendências </li></ul>
  17. 17. <ul><li>4.2. Outras competências </li></ul><ul><li>Planeamento estratégico mais complexo – ambiente menos estável </li></ul><ul><li>Controle dos processos mais dinâmico </li></ul><ul><li>Avaliação de produtos e serviços – necessidade reforçada </li></ul>
  18. 18. <ul><li>4.3. Aptidões </li></ul><ul><li>Capacidade de adaptação à mudança </li></ul><ul><li>Capacidade de aprendizagem “just in time” vs treino em profundidade </li></ul><ul><li>Capacidade de comunicação e disponibilidade para os outros  colaboração e trabalho em equipa </li></ul><ul><li>“ THE FUTURE IS COLLABORATION” </li></ul><ul><li>(Checking out the future, 2010) </li></ul>
  19. 19. OBRIGADO! QUESTÕES? [email_address]

×