O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Mãos nas métricas uma abordagem prática na avaliação de processos - scrum rio 2016

Palestra sobre como utilizar métricas e visualizações para a melhoria do processo de desenvolvimento de software. O material foi apresentado no Scrum Gathering Rio de Janeiro 2016 por Breno Campos e Raphael Albino.

Mãos nas métricas uma abordagem prática na avaliação de processos - scrum rio 2016

  1. 1. Mãos nas métricas: uma abordagem prática na avaliação de processos Breno Campos Raphael Albino
  2. 2. Raphael Albino Bauruense Gerente de Projetos na Plataformatec Mestre em Administração pela FEA/USP Professor aos sábados
  3. 3. Breno Campos Paraense Gerente de Projetos na Plataformatec Esp. Gerência de Projetos de Software - UFPa. Membro da Comunidade Tá Safo - Belém
  4. 4. PO perguntando para o time.
  5. 5. QUANDO O PROJETO ESTARÁ PRONTO?
  6. 6. PO perguntando para o time.
  7. 7. PÔ, NÃO DÁ PARA ENTREGAR ANTES?
  8. 8. Pessoa aleatória "invocando o JAQUE" em alguma Review.
  9. 9. JÁ QUE ESTAMOS FAZENDO O FORM DE CADASTRO, POR QUE NÃO FAZEMOS O SISTEMA DE CHECKOUT?
  10. 10. QUANDO A HISTÓRIA FICARÁ PRONTA?
  11. 11. SERÁ QUE AS HISTÓRIAS DO TIME ESTÃO DO MESMO TAMANHO?
  12. 12. Quantidade de dias entre o início e o fim do desenvolvimento de um requisito/funcionalidade.
  13. 13. Indefinição nos requisitos/funcionalidades.
  14. 14. Requisitos/funcionalidades sem padronização de complexidade e incerteza.
  15. 15. Percentis: medidas que dividem a amostra ordenada (por ordem crescente dos dados) em 100 partes, cada uma com uma percentagem de dados aproximadamente igual. Dias úteis Itens
  16. 16. ¾ ou 75% dos itens desenvolvidos pelo time levaram até 7 dias para serem finalizados. Quanto menor a diferença entre as retas, menor a variabilidade do processo.
  17. 17. Outros fatores que podem afetar o lead time
  18. 18. Problemas de ambiente (QA, produção).
  19. 19. Mudanças no time (turn over, ausências).
  20. 20. Requisitos sem critério de definition done.
  21. 21. Dica amiga de leitura: http://itsadeliverything.com/lead-time- versus-cycle-time-untangling-the- confusion
  22. 22. Dica amiga de leitura: Looking at Lead Time in a different way
  23. 23. Dica amiga de leitura: Why we love metrics? Learning with Lead time
  24. 24. POR QUE ESSA HISTÓRIA LEVOU TANTO TEMPO?
  25. 25. ONDE ESTÁ O GARGALO DO PROCESSO NOS ITENS EM WIP?
  26. 26. Lead time breakdown Started Code review Waiting QA QA review Ready done Done
  27. 27. Avaliação do tempo em que os itens que estão em desenvolvimento passam em cada etapa do processo.
  28. 28. Identificar existência de gargalo em alguma etapa.
  29. 29. Existe algo que possa ser feito para ajudar nos testes? Por que o item está aguardando tanto tempo para ser testado? Em desenvolvimento Aguardando testes Em testes
  30. 30. Criar insumos para cerimônias como daily e retrospectiva.
  31. 31. Dica amiga de leitura: Why we love metrics? Cumulative flow diagrams
  32. 32. A CURVA DE HISTÓRIAS FINALIZADAS TEM CRESCIDO?
  33. 33. A CURVA DE HISTÓRIAS NO BACKLOG TEM AUMENTADO DEMAIS?
  34. 34. EXISTE ALGUMA ETAPA DO PROCESSO QUE ESTÁ ACUMULANDO HISTÓRIAS?
  35. 35. CFD
  36. 36. Ter uma visão geral de como está a cadeia de valor do projeto.
  37. 37. Identificar pontos de gargalo antes que ocorram.
  38. 38. Muitos itens acumulados no backlog precisando ser discutidos. Sem muitas variações em outras etapas (não há formação de pilhas).
  39. 39. Avaliar a saúde do processo como um todo.
  40. 40. Dica amiga de leitura: Cumulative Flow Diagram
  41. 41. Dica amiga de leitura: Why we love metrics? Cumulative flow diagrams
  42. 42. QUANDO O PROJETO SERÁ ENTREGUE?
  43. 43. Avaliar a data de entrega.
  44. 44. Crescimento do backlog fora do planejado.
  45. 45. Nível de entrega abaixo do desejado.
  46. 46. Finalizando
  47. 47. PÔ, NÃO DÁ PARA ENTREGAR ANTES?
  48. 48. JÁ QUE ESTAMOS FAZENDO O FORM DE CADASTRO, POR QUE NÃO FAZEMOS O SISTEMA DE CHECKOUT?
  49. 49. QUANDO O PROJETO ESTARÁ PRONTO?
  50. 50. MONITORAMENTO DO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO
  51. 51. MELHORIAS BASEADAS EM DADOS
  52. 52. DEADLINES SOFTS
  53. 53. PREVISIBILIDADE
  54. 54. Dicas de leitura Plataformatec (blog) Troy Magennis (blog) Actionable Agile Metrics (book) Leonardo Campos (blog)
  55. 55. Obrigado o/
  56. 56. @plataformatec @brenobcampos @rapha_albino

×