PLANEJAMENTO
ESTRATÉGICO
Internacionalização da
Arquitetura Brasileira
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SETORIAL PARA
INTERNACIONALIZAÇÃO DA ARQUITETURA BRASILEIRA
MARCOS CRÍTICOS  MOBILIZAÇÃO SETORIA...
MERCADOS ALVO
• ANGOLA
• MOÇAMBIQUE
• COLOMBIA
• PERÚ
• PANAMÁ
• ÍNDIA
• ARÁBIA SAUDITA
• EMIRADOS ÁRABES
ANÁLISE DO AMBIENTE EXTERNO
- Instabilidade da economia mundial restringe investimentos.
- Concorrência de países com maio...
ANÁLISE DO AMBIENTE EXTERNO
- Bom momento do Brasil no cenário mundial favorece a
oferta de produtos e serviços brasileiro...
ANÁLISE DO AMBIENTE INTERNO
- Pouca especialização (segmentação) dos escritórios de arquitetura
brasileiros.
- Desarticula...
ANÁLISE DO INTERNO
- Passado / história da arquitetura brasileira.
- Diversidade cultural do país, que facilita a adaptaçã...
VISÃO DE FUTURO
“Escritórios brasileiros de arquitetura
inseridos no mercado mundial com
diferenciais claros e competitivo...
VISÃO DE FUTURO
Escritórios brasileiros de arquitetura...
Toda as iniciativas no projeto tem como foco inicial os
escritór...
VISÃO DE FUTURO
...diferenciais claros...
Ao longo do projeto, os escritórios de arquitetura deverão
incorporar padrões e ...
OBJETIVOS DA VISÃO
OBJETIVOS DA VISÃO
1. Construir a imagem do setor.
2. Estar capacitados a competir no mercado
internacional.
3. Inserir os...
ESTRATÉGIAS
ESTRATÉGIAS
Objetivos 1 - Construir a imagem do setor
• Desenvolver conteúdos sobre a arquitetura brasileira;
• Dar exposi...
ESTRATÉGIAS
Objetivo 2 - Estar capacitado a competir no
mercado internacional.
• Desenvolver Sistemas de Informação visand...
ESTRATÉGIAS
Objetivo 3 - Inserir os escritórios de arquitetura no
mercado mundial
• Desenvolver ações de marketing e geraç...
ESTRATÉGIAS
Objetivo 4 - Formar alianças estratégicas de
interesse setorial.
• Criar relações institucionais estratégicas ...
METAS
METAS PARA O SETOR DE ARQUITETURAS NO
PERÍODO DE 5 ANOS
•Promover o crescimento das exportações dos serviços de
arquitetur...
AÇÕES - INDICADORES
RECURSOS E FONTES
RECURSOS E FONTES
Para se fazer uma aproximação estimativa de
recursos necessários ao desenvolvimento das
estratégias e id...
Planejamento estrategico as_bea_resumo_final_01
Planejamento estrategico as_bea_resumo_final_01
Planejamento estrategico as_bea_resumo_final_01
Planejamento estrategico as_bea_resumo_final_01
Planejamento estrategico as_bea_resumo_final_01
Planejamento estrategico as_bea_resumo_final_01
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Planejamento estrategico as_bea_resumo_final_01

100 visualizações

Publicada em

Planejamento_estrategico_AsBEA_resumo_final_01

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
100
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Planejamento estrategico as_bea_resumo_final_01

  1. 1. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Internacionalização da Arquitetura Brasileira
  2. 2. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SETORIAL PARA INTERNACIONALIZAÇÃO DA ARQUITETURA BRASILEIRA MARCOS CRÍTICOS  MOBILIZAÇÃO SETORIAL CONCLUSÃO PROCESSO ANÁLISE AMBIENTE INTERNO / EXTERNO MOBILIZAÇÃO SETORIAL  MOBILIZAÇÃO SETORIAL  COMITÊ DE PLANEJAMENTO  CONCENSO SOBRE PROPOSTA PES  MOBILIZAÇÃO MARÇO 10 WORKSHOP APRESENTAÇÃO PES AMBIENTE INTERNO AMBIENTE EXTERNO
  3. 3. MERCADOS ALVO • ANGOLA • MOÇAMBIQUE • COLOMBIA • PERÚ • PANAMÁ • ÍNDIA • ARÁBIA SAUDITA • EMIRADOS ÁRABES
  4. 4. ANÁLISE DO AMBIENTE EXTERNO - Instabilidade da economia mundial restringe investimentos. - Concorrência de países com maior tradição na venda de serviços no mercado mundial. - Grande influência cultural e política de países com tradição de exportação nos mercados alvo definidos. - Chegada tardia do Brasil na disputa de serviços de arquitetura. - Limitação de recursos para promoção comercial. AMEAÇAS
  5. 5. ANÁLISE DO AMBIENTE EXTERNO - Bom momento do Brasil no cenário mundial favorece a oferta de produtos e serviços brasileiros. - Forte possibilidade de desenvolver parcerias internacionais. - Grande déficit habitacional, principalmente nos países emergentes. - Conceito de sustentabilidade com diferencial no mercado mundial. - Políticas públicas direcionadas à internacionalização da economia nacional. OPORTUNIDADES
  6. 6. ANÁLISE DO AMBIENTE INTERNO - Pouca especialização (segmentação) dos escritórios de arquitetura brasileiros. - Desarticulação setorial e nenhuma articulação político-institucional. - Falta de cultura de trabalhar em consórcios. - Pouco ou quase nenhum posicionamento de marca no mercado. - Falta de visão empresarial dos escritórios. - Capacitação deficiente / baixa qualidade do ensino de arquitetura no Brasil. - Defasagem tecnológica. - Pouca integração / participação no circuito mundial de arquitetura. PONTOS FRACOS
  7. 7. ANÁLISE DO INTERNO - Passado / história da arquitetura brasileira. - Diversidade cultural do país, que facilita a adaptação a novas situações. - Sustentabilidade. - Know-how em lidar com aspectos sociais (favelas / subabitação). - Facilidade em lidar com diversidade de materiais e sistemas construtivos. - Desenvolvimento de uma arquitetura customizada (projetos). - Custos / preços. PONTOS FORTES
  8. 8. VISÃO DE FUTURO “Escritórios brasileiros de arquitetura inseridos no mercado mundial com diferenciais claros e competitivos”.
  9. 9. VISÃO DE FUTURO Escritórios brasileiros de arquitetura... Toda as iniciativas no projeto tem como foco inicial os escritório de arquitetura associados a AsBES. No longo prazo, deverão trazer reflexos sobre o desenvolvimento do setor de arquitetura brasileiro como um todo. ...inseridos no mercado mundial... O processo de globalização passou a ser, ao mesmo tempo, uma grande ameaça e a grande oportunidade. Aqueles que não estiverem preparados para essa realidade correm riscos. Ao contrário, os que estiverem posicionados serão favorecidos. O Projeto de Internacionalização deverá se constituir no vetor de inserção do setor de arquitetura brasileiro no mercado internacional, com foco na promoção da marca nacional e na exportação de serviços de arquitetura.
  10. 10. VISÃO DE FUTURO ...diferenciais claros... Ao longo do projeto, os escritórios de arquitetura deverão incorporar padrões e procedimentos internacionais de competência, performance e resultados que tragam com sigo valores agregados inerentes e decorrentes da cultura e experiência brasileira de fazer arquitetura. ...competitivos. Todo o esforço despendido deve ser orientado para a melhoria das condições de competitividade do segmento de arquitetura, com ênfase na gestão do conhecimento e com conseqüências positivas na ampliação de mercado, nacional e internacional para os seus serviços.
  11. 11. OBJETIVOS DA VISÃO
  12. 12. OBJETIVOS DA VISÃO 1. Construir a imagem do setor. 2. Estar capacitados a competir no mercado internacional. 3. Inserir os escritórios de arquitetura no mercado mundial. 4. Formar alianças estratégicas de interesse setorial.
  13. 13. ESTRATÉGIAS
  14. 14. ESTRATÉGIAS Objetivos 1 - Construir a imagem do setor • Desenvolver conteúdos sobre a arquitetura brasileira; • Dar exposição à arquitetura brasileira; • Desenvolver programa de posicionamento da marca setorial; • Ampliar a base associativa da AsBEA.
  15. 15. ESTRATÉGIAS Objetivo 2 - Estar capacitado a competir no mercado internacional. • Desenvolver Sistemas de Informação visando à disseminação de informações relevantes aos escritórios de arquitetura; • Organizar programa de capacitação orientado a internacionalização setorial;
  16. 16. ESTRATÉGIAS Objetivo 3 - Inserir os escritórios de arquitetura no mercado mundial • Desenvolver ações de marketing e geração de negócios (eventos / feiras / missões); • Capacitar e estruturar a AsBEA para promoção e articulação internacionais;
  17. 17. ESTRATÉGIAS Objetivo 4 - Formar alianças estratégicas de interesse setorial. • Criar relações institucionais estratégicas nos mercados alvo pré-definidos. • Promover ações de relacionamento com entidades , empresas e setores, nacionais e internacionais, de interesse para a arquitetura. • Ampliar parcerias com agentes financeiros.
  18. 18. METAS
  19. 19. METAS PARA O SETOR DE ARQUITETURAS NO PERÍODO DE 5 ANOS •Promover o crescimento das exportações dos serviços de arquitetura em 20% a. a., partindo-se de uma base de US$ 3,5 milhões, no primeiro ano. • Atingir um índice 70% de escritórios participantes do PSI exportando serviços de arquitetura, no prazo de 5 anos. • Ter uma participação mínima em 5 concursos internacionais, ao ano. • Conquistar pelo menos 5 projetos aprovados em cada mercado-alvo definido, perfazendo,um total de 40 projetos.
  20. 20. AÇÕES - INDICADORES
  21. 21. RECURSOS E FONTES
  22. 22. RECURSOS E FONTES Para se fazer uma aproximação estimativa de recursos necessários ao desenvolvimento das estratégias e identificar possíveis fontes de financiamento, será necessário um maior detalhamento das ações, o qual será a base para a construção do futuro Projeto a ser acordado como a APEX.

×