SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Apresentação
Marcio De Souza

            Projeto Soldado Cidadão

Aula:
Estruturas de Carrocerias Automotivas.
Tipos de materiais
 Aço


 Alumínio


 Fibra
Aço
             Vantagens x Desvantagens

                                Vantagem:

-Maior resistência a impacto.
-Fácil de manusear.
-Custo médio.

                            Desvantagem:

- Baixa resistência a oxidação sendo necessários tratamentos para
   retardar esse processo.

                                Aplicação:

-Na maioria dos carros convencionas.
Alumínio
                Vantagens x Desvantagens
                                 Vantagem:
-Leveza
-Alta resistência a oxidação
-Fácil de manusear

                               Desvantagem:
-Alto custo
-Baixa resistência ao desgastes por ser um material de baixa dureza
-Muito maleável se deforma com facilidade
-Transmite com facilidade o calor externo
-Baixa resistência a tração

                                 Aplicação:
-Ônibus
-Baú de Caminhões
Fibra de vidro
              Vantagens x Desvantagens
                            Vantagem:
-Baixo custo.
-Não sofre oxidação.


                          Desvantagem:

-Requer alguns cuidados na sua confecção.
-Devido a sua formação é necessários varias camadas para conseguir a
   resistência ideal, o que faz com que fique pesado.
-Necessita de uma estrutura combinada para aumentar a resistência.


                            Aplicação:
-Gurgel.
-Puma.
Estrutura de Carroceria
A carroceria de um veículo é tida como o
esqueleto do carro, sendo assim, ao
projetar uma carroceria deve-se preocupar
com uma série de fatores.
 Tipos       de carroceria:

•   Chassi

•   Monobloco

•   Treliça
Estrutura de Carroceria
   Monobloco
Estrutura de Carroceria
   Chassi
Estrutura de Carroceria

   Treliça
Estrutura de Carroceria
   Necessidades da carroceria tipo
    monobloco.

* Obter uma peça que seja resistente a torções porém,
   possa sofrer pequenas deformações.

* Chegar a uma liga metálica que apresente maior
 resistência a oxidação.

* Deforme afim de absorver impactos.

* E além de tudo com baixo custo.
Estrutura de Carroceria
   O que é carroceria monobloco?

     A carroceria monobloco é o resultado da
    união de várias peças, o assoalho é
    estampado juntamente com o restante da
    lataria, assim todas as partes do corpo do
    carro saem da linha de montagem como uma
    peça única, estampadas em metal (aço,
    alumínio); com espessuras de 0,6mm a
    1,5mm. A união dessas peças por solda (à
    ponto, cordões de MIG e/ou MAG ou ainda
    Laser ou Adesivo Estrutural)
Estrutura de Carroceria
   Segurança.

    As carrocerias atuais são mais finas e mais leves,
    porém tudo com o intuito de se deformarem com mais
    facilidade em caso de uma colisão. As engenharias
    das montadoras prevêem a deformação progressiva.
    Nesse projeto as extremidades do veículo se
    deformam, absorvendo o impacto e assegurando a
    integridade física dos ocupantes.
Tendências
  Polímeros na Indústria Automotiva

      Devido a razões econômicas e tecnológicas nos
últimos anos a indústria automobilística vem
inserindo os polímeros na fabricação de varias peças
dos seus carros.
Tendências
 Polímeros na Indústria Automotiva

  Podemos citar inúmeras peças que hoje sao
fabricadas com polímeros, uma delas são os
pára-choques dos carros substituídos quase que
100% por polímeros, antes eles eram de estrutura
metálicas eram muito pesadas sofriam muito com
a oxidação, já os polímeros são bem, mas leves
de fácil moldagem suavizando as linhas e
contornos dos veículos.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Tipos de carroceria

20090715 64congresso Bh Kleiner Merra
20090715 64congresso Bh Kleiner Merra20090715 64congresso Bh Kleiner Merra
20090715 64congresso Bh Kleiner Merra
Fabiana Tarabal
 
Construtech2009
Construtech2009Construtech2009
Construtech2009
SH Brasil
 
IO3-ECBRT Curriculum Adaptation and Development of Training Materials_PT.pdf
IO3-ECBRT Curriculum Adaptation and Development of Training Materials_PT.pdfIO3-ECBRT Curriculum Adaptation and Development of Training Materials_PT.pdf
IO3-ECBRT Curriculum Adaptation and Development of Training Materials_PT.pdf
MrioPereira69
 
ESTUDO DE CASO SOBRE DESGASTES EM MISTURADORES DE TINTAS
ESTUDO DE CASO SOBRE DESGASTES EM MISTURADORES DE TINTASESTUDO DE CASO SOBRE DESGASTES EM MISTURADORES DE TINTAS
ESTUDO DE CASO SOBRE DESGASTES EM MISTURADORES DE TINTAS
RIJEZA
 
Paineis de aço pré-pintado
Paineis de aço pré-pintadoPaineis de aço pré-pintado
Paineis de aço pré-pintado
Tiago Junior
 
Cba telhas 0707_pt_1
Cba telhas 0707_pt_1Cba telhas 0707_pt_1
Cba telhas 0707_pt_1
Ruan Moura
 

Semelhante a Tipos de carroceria (20)

20090715 64congresso Bh Kleiner Merra
20090715 64congresso Bh Kleiner Merra20090715 64congresso Bh Kleiner Merra
20090715 64congresso Bh Kleiner Merra
 
Materiais compósitos na engenharia automotiva
Materiais compósitos na engenharia automotivaMateriais compósitos na engenharia automotiva
Materiais compósitos na engenharia automotiva
 
Aula clo elementos de vedação
Aula clo elementos de vedaçãoAula clo elementos de vedação
Aula clo elementos de vedação
 
Construtech2009
Construtech2009Construtech2009
Construtech2009
 
Palestra Construtech 2009
Palestra Construtech 2009Palestra Construtech 2009
Palestra Construtech 2009
 
Apresentacao nano.docx 2
Apresentacao nano.docx 2Apresentacao nano.docx 2
Apresentacao nano.docx 2
 
IO3-ECBRT Curriculum Adaptation and Development of Training Materials_PT.pdf
IO3-ECBRT Curriculum Adaptation and Development of Training Materials_PT.pdfIO3-ECBRT Curriculum Adaptation and Development of Training Materials_PT.pdf
IO3-ECBRT Curriculum Adaptation and Development of Training Materials_PT.pdf
 
Chapas metalicas talita
Chapas metalicas talitaChapas metalicas talita
Chapas metalicas talita
 
Chapas metalicas talita
Chapas metalicas talitaChapas metalicas talita
Chapas metalicas talita
 
Trabalho fundição
Trabalho fundiçãoTrabalho fundição
Trabalho fundição
 
ESTUDO DE CASO SOBRE DESGASTES EM MISTURADORES DE TINTAS
ESTUDO DE CASO SOBRE DESGASTES EM MISTURADORES DE TINTASESTUDO DE CASO SOBRE DESGASTES EM MISTURADORES DE TINTAS
ESTUDO DE CASO SOBRE DESGASTES EM MISTURADORES DE TINTAS
 
Paineis de aço pré-pintado
Paineis de aço pré-pintadoPaineis de aço pré-pintado
Paineis de aço pré-pintado
 
Aula funilaria (saeb)
Aula funilaria (saeb)Aula funilaria (saeb)
Aula funilaria (saeb)
 
01-Aco_Carbono_Ligas.ppt
01-Aco_Carbono_Ligas.ppt01-Aco_Carbono_Ligas.ppt
01-Aco_Carbono_Ligas.ppt
 
Apresentação Brasil Visual Revestimentos & Comunicação Visual
Apresentação Brasil Visual Revestimentos & Comunicação VisualApresentação Brasil Visual Revestimentos & Comunicação Visual
Apresentação Brasil Visual Revestimentos & Comunicação Visual
 
Cba telhas 0707_pt_1
Cba telhas 0707_pt_1Cba telhas 0707_pt_1
Cba telhas 0707_pt_1
 
Estrutura de Metal para Garagem
Estrutura de Metal para GaragemEstrutura de Metal para Garagem
Estrutura de Metal para Garagem
 
Catalogo
CatalogoCatalogo
Catalogo
 
Dayco linha pesada
Dayco linha pesadaDayco linha pesada
Dayco linha pesada
 
Folder Eletron Quimica - Distribuidora Zaney
Folder Eletron Quimica - Distribuidora Zaney Folder Eletron Quimica - Distribuidora Zaney
Folder Eletron Quimica - Distribuidora Zaney
 

Mais de Fernando Mattos (17)

Passo a passo
Passo a passoPasso a passo
Passo a passo
 
Sistema elétrico veicular
Sistema elétrico veicularSistema elétrico veicular
Sistema elétrico veicular
 
Sistemas de capotaria
Sistemas de capotariaSistemas de capotaria
Sistemas de capotaria
 
Treinamento 5 s
Treinamento 5 sTreinamento 5 s
Treinamento 5 s
 
Sistemas de capotaria
Sistemas de capotariaSistemas de capotaria
Sistemas de capotaria
 
Sistema de transmissão parte 1
Sistema de transmissão parte 1Sistema de transmissão parte 1
Sistema de transmissão parte 1
 
Senai ba - transmissão roberto
Senai ba - transmissão robertoSenai ba - transmissão roberto
Senai ba - transmissão roberto
 
Senai ba - transmissão e embreagem - suzano roberto
Senai ba - transmissão e embreagem - suzano robertoSenai ba - transmissão e embreagem - suzano roberto
Senai ba - transmissão e embreagem - suzano roberto
 
Sdf saeb
Sdf saebSdf saeb
Sdf saeb
 
A tendimento ao cliente cai tec
A tendimento ao cliente cai tecA tendimento ao cliente cai tec
A tendimento ao cliente cai tec
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
A tendimento ao cliente cai tec
A tendimento ao cliente cai tecA tendimento ao cliente cai tec
A tendimento ao cliente cai tec
 
Senai ba - transmissão e embreagem - suzano roberto
Senai ba - transmissão e embreagem - suzano robertoSenai ba - transmissão e embreagem - suzano roberto
Senai ba - transmissão e embreagem - suzano roberto
 
Senai ba - transmissão e embreagem - suzano roberto
Senai ba - transmissão e embreagem - suzano robertoSenai ba - transmissão e embreagem - suzano roberto
Senai ba - transmissão e embreagem - suzano roberto
 
Suspenção direção e freios
Suspenção direção e freiosSuspenção direção e freios
Suspenção direção e freios
 
Suspenção direção e freios Lar Luiz fabiano
Suspenção direção e freios Lar Luiz fabianoSuspenção direção e freios Lar Luiz fabiano
Suspenção direção e freios Lar Luiz fabiano
 
Avaliacao e frequencia
Avaliacao e frequenciaAvaliacao e frequencia
Avaliacao e frequencia
 

Tipos de carroceria

  • 1. Apresentação Marcio De Souza Projeto Soldado Cidadão Aula: Estruturas de Carrocerias Automotivas.
  • 2. Tipos de materiais  Aço  Alumínio  Fibra
  • 3. Aço Vantagens x Desvantagens Vantagem: -Maior resistência a impacto. -Fácil de manusear. -Custo médio. Desvantagem: - Baixa resistência a oxidação sendo necessários tratamentos para retardar esse processo. Aplicação: -Na maioria dos carros convencionas.
  • 4. Alumínio Vantagens x Desvantagens Vantagem: -Leveza -Alta resistência a oxidação -Fácil de manusear Desvantagem: -Alto custo -Baixa resistência ao desgastes por ser um material de baixa dureza -Muito maleável se deforma com facilidade -Transmite com facilidade o calor externo -Baixa resistência a tração Aplicação: -Ônibus -Baú de Caminhões
  • 5. Fibra de vidro Vantagens x Desvantagens Vantagem: -Baixo custo. -Não sofre oxidação. Desvantagem: -Requer alguns cuidados na sua confecção. -Devido a sua formação é necessários varias camadas para conseguir a resistência ideal, o que faz com que fique pesado. -Necessita de uma estrutura combinada para aumentar a resistência. Aplicação: -Gurgel. -Puma.
  • 6. Estrutura de Carroceria A carroceria de um veículo é tida como o esqueleto do carro, sendo assim, ao projetar uma carroceria deve-se preocupar com uma série de fatores.
  • 7.  Tipos de carroceria: • Chassi • Monobloco • Treliça
  • 11. Estrutura de Carroceria  Necessidades da carroceria tipo monobloco. * Obter uma peça que seja resistente a torções porém, possa sofrer pequenas deformações. * Chegar a uma liga metálica que apresente maior resistência a oxidação. * Deforme afim de absorver impactos. * E além de tudo com baixo custo.
  • 12. Estrutura de Carroceria  O que é carroceria monobloco? A carroceria monobloco é o resultado da união de várias peças, o assoalho é estampado juntamente com o restante da lataria, assim todas as partes do corpo do carro saem da linha de montagem como uma peça única, estampadas em metal (aço, alumínio); com espessuras de 0,6mm a 1,5mm. A união dessas peças por solda (à ponto, cordões de MIG e/ou MAG ou ainda Laser ou Adesivo Estrutural)
  • 13. Estrutura de Carroceria  Segurança. As carrocerias atuais são mais finas e mais leves, porém tudo com o intuito de se deformarem com mais facilidade em caso de uma colisão. As engenharias das montadoras prevêem a deformação progressiva. Nesse projeto as extremidades do veículo se deformam, absorvendo o impacto e assegurando a integridade física dos ocupantes.
  • 14. Tendências Polímeros na Indústria Automotiva Devido a razões econômicas e tecnológicas nos últimos anos a indústria automobilística vem inserindo os polímeros na fabricação de varias peças dos seus carros.
  • 15. Tendências Polímeros na Indústria Automotiva Podemos citar inúmeras peças que hoje sao fabricadas com polímeros, uma delas são os pára-choques dos carros substituídos quase que 100% por polímeros, antes eles eram de estrutura metálicas eram muito pesadas sofriam muito com a oxidação, já os polímeros são bem, mas leves de fácil moldagem suavizando as linhas e contornos dos veículos.