Um olhar para a história de nossas escolas, alunos   Cursistas Marisa Elsa Demarchi Maria Stela Busarello   Theis
Professores Parceiros:    <ul><li>escolas da 15ª GEECT 1 (gestores, ATP e educadores) </li></ul>A partir da reforma admini...
Escolas <ul><li>EEB Prefeito Germano Brandes Júnior- Indaial </li></ul><ul><li>EEB Hercílio Deeke - Blumenau </li></ul><ul...
Projeto piloto <ul><li>EEB Emilio Baumgart </li></ul><ul><li>Período de realização:junho de 2007 (1ª etapa) </li></ul><ul>...
Descrição do Projeto <ul><li>O conhecimento da história das escolas de região da 15ª Gerência de Educação de Blumenau ?  1...
Contexto <ul><li>A 15ª GEECT possui cerca de setenta escolas estaduais. Abaixo seus números de alunos, por município. </li...
Questões de Investigação:   <ul><li>1.Qual a &quot;verdadeira&quot; história de nossas escolas; </li></ul><ul><li>2.Transf...
Procedimentos de trabalho <ul><li>  A proposta deste projeto baseia-se em resgatar parte da história de dez escolas seleci...
Período provável de desenvolvimento do projeto:   <ul><li> Junho, julho e agosto  </li></ul>
Relação escola e sociedade <ul><li>“... A escola torna-se uma instituição fundamental para analisar as relações e tensões ...
O conhecimento do contexto escolar e a relação com tecnologia <ul><li>“ ... técnicas, tecnologias e ‘teletecnologias’ não ...
Uso de imagens <ul><li>“ As fotografias não são objetos isolados, independentes. São situadas em um contexto e indelevelme...
Fotografia + relato de depoente <ul><li>“ É importante ressaltar que uma fotografia sem legenda, títulos ou depoimento ora...
scanner softwares computador máquina fotográfica mídias impressas Internet Mídias
Formação de equipes por temática EEB Emílio Baumgart EEB Prefeito Germano Brandes Jr
Consulta à mídias impressas
Computadores com acesso à Internet - softwares Aprofundamento das pesquisas Apresentações Produção dos vídeos
Análise de imagens + entrevistas <ul><li>Pessoas da comunidade </li></ul><ul><li>Professores </li></ul><ul><li>Alunos </li...
Debates sobre as produções <ul><li>1.Qual a &quot;verdadeira&quot; história de nossas escolas; </li></ul><ul><li>2.Transfo...
Alguns resultados <ul><li>Projeto piloto :EEB Emílio Baumgart </li></ul><ul><li>Possibilitou reavaliar algumas etapas  (en...
Considerações / Convergências <ul><li>As três escolas foram criadas em datas muito próximas – contexto político nacional <...
Convergências <ul><li>Situam-se em locais que eram regiões rurais, com pequenas propriedades (criação de gado e agricultor...
Divergências Regiões de grande migração local (enchentes), criação de pólo industrial, proximidade de rodovias estaduais e...
Divergências Uma escola muito bem equipada, área do entorno arborizada, ampla biblioteca, ar condicionado em todas as sala...
História da escola <ul><li>Era desconhecida  </li></ul><ul><li>Grande envolvimento de todos nas pesquisas e construção da ...
Referencial <ul><li>Apple, Michael W.  Educação e Poder.  Porto Alegre: Artes Médicas, 1989. </li></ul><ul><li>BATISTOTTI,...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentacaofinalrascunho2a

1.267 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Turismo
2 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.267
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
33
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
2
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentacaofinalrascunho2a

  1. 1. Um olhar para a história de nossas escolas, alunos Cursistas Marisa Elsa Demarchi Maria Stela Busarello Theis
  2. 2. Professores Parceiros:    <ul><li>escolas da 15ª GEECT 1 (gestores, ATP e educadores) </li></ul>A partir da reforma administrativa 15ª GERED e 35ªGERED
  3. 3. Escolas <ul><li>EEB Prefeito Germano Brandes Júnior- Indaial </li></ul><ul><li>EEB Hercílio Deeke - Blumenau </li></ul><ul><li>EB Pedro II - Blumenau </li></ul><ul><li>EEB Júlia Lopes de Almeida - Blumenau </li></ul><ul><li>EEB Arnoldo Agenor Zimmermann- Gaspar </li></ul><ul><li>EEB Izolete Gouveia Müller - Blumenau </li></ul><ul><li>EEB Padre José Maurício- Blumenau </li></ul><ul><li>EEB Cel. Pedro Cristiano Federsen- Blumenau </li></ul><ul><li>EEB Adolpho Konder- Blumenau </li></ul><ul><li>EEB Luiz Delfino - Blumenau </li></ul>
  4. 4. Projeto piloto <ul><li>EEB Emilio Baumgart </li></ul><ul><li>Período de realização:junho de 2007 (1ª etapa) </li></ul><ul><li>Local: escola </li></ul><ul><li>Envolvidos: professores, gestores e assistentes técnicos pedagógicos </li></ul><ul><li>Pesquisa: documental (atas, leis, decretos, PPP, álbuns,fotos) e entrevistas </li></ul><ul><li>Material produzido: apresentações no power point e vídeo no software Momento Express. </li></ul>
  5. 5. Descrição do Projeto <ul><li>O conhecimento da história das escolas de região da 15ª Gerência de Educação de Blumenau ? 15ª GEECT , é bastante superficial, e em muitos casos, restringindo-se a datas, nomes de primeiros diretores e docentes, mostrando ausência de fatos relevantes do contexto de sua criação, o tipo de aluno para o qual foi criada, a implicação social, econômica e cultural. Em relação às mudanças temporais, poucos pesquisadores têm se detido a dar visibilidade e tentar compreender aspectos importantes nas transformações ocorridas. A proposta deste projeto baseia-se em resgatar parte da história de dez escolas selecionadas num universo de setenta, a partir dos seguintes critérios: 1)localização: 08 escolas do município de Blumenau; 2) duas escolas do centro do município e seis escolas de bairros: uma de Gaspar e uma de Indaial 3) escolas com no mínimo vinte anos de funcionamento; 4) escolas com gestores, Assistentes Técnicos Pedagógicos e educadores com interesse de participar do projeto. Por meio da análise de imagens (fotos, álbuns, cartazes, murais, pinturas), documentos (projetos, atas, decretos, leis) e entrevistas com professores e gestores que atuaram ou atuam na escola e ex-alunos e pessoas da comunidade buscando construir recortes da história da escola. Apesar da ambigüidade da fotografia (BAUER, GASKELL, 2002), sabe-se que é um importante documento para tentar resgatar a história, quando imagens são acrescidas de outros documentos impressos ou sonoros, ampliam as informações e, ainda mais, quando irão servir para resgatar histórias presentes na memória de pessoas que participaram de eventos, solenidades, festas, ganham uma fidedignidade ainda maior como fontes histórica. </li></ul>
  6. 6. Contexto <ul><li>A 15ª GEECT possui cerca de setenta escolas estaduais. Abaixo seus números de alunos, por município. </li></ul><ul><li>Resultados do Censo Escolar 2006 </li></ul>
  7. 7. Questões de Investigação:   <ul><li>1.Qual a &quot;verdadeira&quot; história de nossas escolas; </li></ul><ul><li>2.Transformações nas escolas; </li></ul><ul><li>3.Informações históricas e culturais implícitas; </li></ul><ul><li>4.Contexto econômico; </li></ul><ul><li>5.Transformações no entorno da escola; </li></ul><ul><li>6.A escola hoje; </li></ul><ul><li>7.Convergências e divergências no contexto de criação, transformação e no perfil atual das escolas. </li></ul>
  8. 8. Procedimentos de trabalho <ul><li>  A proposta deste projeto baseia-se em resgatar parte da história de dez escolas selecionadas num universo de setenta, a partir dos seguintes critérios: 1)localização: municípios da 15ª GEECT de Blumenau(08 de Blumenau, uma de Indaial e uma de Gaspar); 2) em Blumenau duas escolas do centro do município e seis escolas de bairros: 3) escolas com no mínimo vinte anos de funcionamento; 4) escolas com gestores, Assistentes Técnicos Pedagógicos e educadores com interesse de participar do projeto. Por meio da análise de imagens (fotos, álbuns, cartazes, murais, pinturas), documentos (projetos, atas, decretos, leis) e entrevistas com professores e gestores que atuaram ou atuam na escola e ex-alunos e pessoas da comunidade buscando construir recortes da história da escola. </li></ul><ul><li>Este projeto envolve alunos de que série?:   Envolve alunos de diferentes séries na coleta de dados, na divulgação das informações; </li></ul>
  9. 9. Período provável de desenvolvimento do projeto:   <ul><li> Junho, julho e agosto </li></ul>
  10. 10. Relação escola e sociedade <ul><li>“... A escola torna-se uma instituição fundamental para analisar as relações e tensões dialéticas entre as esferas econômicas, política e cultural”. </li></ul><ul><li>(APPLE, 1989, p.113) </li></ul>
  11. 11. O conhecimento do contexto escolar e a relação com tecnologia <ul><li>“ ... técnicas, tecnologias e ‘teletecnologias’ não devem, preferencialmente, estar dissociadas das populações a que irão servir, pois provocam modificações no entorno, nas formas de ser, se comunicar e viver.” </li></ul><ul><li>(DEMARCHI, 2006, p.27) </li></ul>
  12. 12. Uso de imagens <ul><li>“ As fotografias não são objetos isolados, independentes. São situadas em um contexto e indelevelmente marcadas por quem as produziu, pelo olhar de quem as recortou da realidade Destacam-se, nas diversas abordagens examinadas, a historicidade das imagens e seu potencial para a informação e para a educação. Como representação do passado geram uma memória que alimenta a compreensão do presente e orienta as perspectivas do futuro. Como memória ou como comunicação, as imagens constroem um discurso visual que organiza o conhecimento da realidade. Metodologicamente, os caminhos estão sendo feitos nas diversas áreas. Ainda mais do que as palavras, as imagens fotográficas inundam as várias dimensões da vida humana. Se não sabemos ainda, exatamente, como lidar com elas, não há como ignorá-las. Desde o início, no uso de imagens em pesquisa nas ciências sociais, deu-se ênfase às ‘conversas transdisciplinares'. A imagem fugiu sempre da característica única e limitadora de ‘objeto disciplinar’ e exigiu um tratamento nos limites alargados da transdisciplinaridade. Isso, tanto por sua origem quanto ao espaço/tempo de produção (nos tantos contextos cotidianos, na vida social ou nas artes – pintura, fotografia, cinema, vídeo - na produção das ciências, na educação etc.), como pela incorporação de arquivos diversos (públicos e privados). O que ocorre também pelas relações com a ciência e com a técnica que permitem e desenvolvem os artefatos culturais necessários à sua produção (tintas, máquinas, etc.), como pelo modo como as vamos usando na própria pesquisa.” Leitura de imagens na pesquisa social, A - História, Comunicação e Educação Ed. Cortez </li></ul><ul><li>Maria Ciavatta e Nilda Alves </li></ul>
  13. 13. Fotografia + relato de depoente <ul><li>“ É importante ressaltar que uma fotografia sem legenda, títulos ou depoimento oral é um meio que produz informação e que pode ser usada enquanto dado para projetos de pesquisa, desde que, naturalmente, esteja inserido dentro do contexto e do objetivo dessa pesquisa. Porém, quando se consegue extrair de um depoente um relato que é despertado por uma imagem fotográfica e, portanto, tem-se então mais um dado informativo, há um material completo que engrandece os caminhos e os resultados de um trabalho científico, tornando-o cheio de novas informações.” </li></ul><ul><li>O oral e a fotografia na pesquisa com professores </li></ul><ul><li>Prof. Dra. Valeska Fortes de Oliveira </li></ul><ul><li>Psic. Vânia Fortes de Oliveira </li></ul><ul><li>Jorn. Laura Elise de Oliveira Fabrício </li></ul><ul><li>http://www. ufsm . br/gepeis/oral . htm Acesso: 28/06/2007 </li></ul>
  14. 14. scanner softwares computador máquina fotográfica mídias impressas Internet Mídias
  15. 15. Formação de equipes por temática EEB Emílio Baumgart EEB Prefeito Germano Brandes Jr
  16. 16. Consulta à mídias impressas
  17. 17. Computadores com acesso à Internet - softwares Aprofundamento das pesquisas Apresentações Produção dos vídeos
  18. 18. Análise de imagens + entrevistas <ul><li>Pessoas da comunidade </li></ul><ul><li>Professores </li></ul><ul><li>Alunos </li></ul>Softwares Produção de uma apresentação sobre a temática escolhida pelo grupo Produção de vídeos
  19. 19. Debates sobre as produções <ul><li>1.Qual a &quot;verdadeira&quot; história de nossas escolas; </li></ul><ul><li>2.Transformações nas escolas; </li></ul><ul><li>3.Informações históricas e culturais implícitas; </li></ul><ul><li>4.Contexto econômico; </li></ul><ul><li>5.Transformações no entorno da escola; </li></ul><ul><li>6.A escola hoje; </li></ul><ul><li>7.Convergências e divergências no contexto de criação, transformação e no perfil atual das escolas. </li></ul>
  20. 20. Alguns resultados <ul><li>Projeto piloto :EEB Emílio Baumgart </li></ul><ul><li>Possibilitou reavaliar algumas etapas (envolver todos os educadores, ampliar para mais escolas o estudo) </li></ul><ul><li>Projeto </li></ul><ul><li>EEB Prefeito Germano Brandes Júnior - Indaial </li></ul><ul><li>EEB Hercílio Deeke- Blumenau </li></ul>
  21. 21. Considerações / Convergências <ul><li>As três escolas foram criadas em datas muito próximas – contexto político nacional </li></ul><ul><li>Patronos- duas levam o nome de prefeitos da cidade, uma de um engenheiro ilustre </li></ul><ul><li>A criação ocorre em função de grande crescimento do bairro . </li></ul>
  22. 22. Convergências <ul><li>Situam-se em locais que eram regiões rurais, com pequenas propriedades (criação de gado e agricultora familiar) </li></ul>Comércio Indústria Evolução
  23. 23. Divergências Regiões de grande migração local (enchentes), criação de pólo industrial, proximidade de rodovias estaduais e federais Mudança no perfil de escola Tradição, cultura alemã Região passou de proprietários rurais para lotes com residências de alto padrão, outra loteamentos clandestinos, problemas de violência, miséria, baixo poder aquisitivo e a terceira convive com as duas situações
  24. 24. Divergências Uma escola muito bem equipada, área do entorno arborizada, ampla biblioteca, ar condicionado em todas as salas, bom ambiente de trabalho (relações). Duas têm muitas deficiências de materiais, salas de aulas pequenas, número muito grande de alunos, conflitos fortes na escola e seu entorno (assaltos, violência, evasão escolar...)
  25. 25. História da escola <ul><li>Era desconhecida </li></ul><ul><li>Grande envolvimento de todos nas pesquisas e construção da memória escolar </li></ul><ul><li>A análise de imagens é subjetiva e necessita estar ancorada em outros documentos, legendas, entrevistas </li></ul><ul><li>Realizar a reconstrução da história das escolas de forma coletiva e compartilhada possibilita um trabalho mais rico, com diferentes olhares, com múltiplas contribuições e questionamentos </li></ul>
  26. 26. Referencial <ul><li>Apple, Michael W. Educação e Poder. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989. </li></ul><ul><li>BATISTOTTI, Edna Corrêa. A Informática no Ensino Público de Santa Catarina Registrando e Contextualizando sua História. Florianópolis: Dissertação de mestrado, UFSC/ PPEP, 2001. </li></ul><ul><li>BAUER, Martin W. e GASKEL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002. </li></ul><ul><li>DEMARCHI, Marisa Elsa. Tecnologias na escola: o mito de Sísisfo ou um salto na aprendizagem . Blumenau: Dissertação de mestrado, FURB/PPGE, 2006. </li></ul><ul><li>CIAVATTA,Maria e ALVES,Nilda. Leitura de imagens na pesquisa social, A - História, Comunicação e Educação Ed. Cortez. </li></ul><ul><li>Oliveira, Waleska fortes et all. O oral e a fotografia na pesquisa com professores. http: //www.ufsm.br/gepeis/oral.htm Acesso: 28/06/2007 </li></ul>

×