SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 43
Baixar para ler offline
# Banco de Dados II #
Aula Prática 1
Modelo Conceitual  Modelo Lógico
Prof. Leinylson Fontinele Pereira
Naaulaanterior...
 MODELAGEM DE DADOS
# Modelo Lógico
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Introdução
00:47 3 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
O que vamosaprender?
 Conhecer a ferramenta de modelagem de base de dados: brModelo
 Realizar a conversão entre os modelos conceitual e lógico
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Vamos começar?
00:47 5 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Antes uma pequena revisão!
00:47 6 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Relacionamento1: 1
00:47
Uma ocorrência de A está associada a no máximo uma ocorrência de B, e
uma ocorrência em B está associada a no máximoumaocorrência em A.
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Relacionamento1: N
00:47
Uma ocorrência de A está associada a várias ocorrências de B, porém uma
ocorrência de B deve estar associada a no máximoumaocorrência em A
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
RelacionamentoM: N 𝑜𝑢 N: N
00:47
Uma ocorrência de A está associada a qualquer número de ocorrências de B, e
uma ocorrência em B está associada a qualquernúmero de ocorrências em A
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Relacionamento1: 1
00:47
Determinada instância da entidade A é associada com uma, e
somente uma, instância da entidade B
Um ESTADO é governado por um GOVERNADOR
Um GOVERNADOR governa um ESTADO
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Resultadodo Relacionamento1: 1
00:47
Repete-se a chave primária de qualquer uma das entidades na outra
GOVERNADOR = cod-governador + nome-governador + codestado
ESTADO = cod-estado + nome-estado
ou
GOVERNADOR = cod-governador + nome-governador
ESTADO = cod-estado + nome-estado + cod-governador
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Relacionamento1: N
00:47
Determinada instância da entidade A é associada com uma ou mais
instâncias da entidade B. Cada instância da entidade B é associada a
uma única instância da entidade A
Um departamento lota diversos funcionários
Um funcionário está lotado em um único departamento
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Resultadodo Relacionamento1: N
00:47
Repete-se a chave primária da entidade com grau 1 para a de grau N
DEPARTAMENTO = cod-depto + nome-departamento
FUNCIONÁRIO = ctps + nome + cod-depto
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
RelacionamentoN: N
00:47
Determinada instância da entidade A é associada com uma ou mais
instâncias da entidade B e vice-versa
Um fornecedor fornece várias peças
Uma peça é fornecida por vários fornecedores
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Resultadodo RelacionamentoN: N
00:47
Cria-se criando uma entidade própria (entidade relacionamento)
Esta entidade-relacionamento possuirá a chave primária de ambas as
entidades como sendo a sua chave primária composta
Poderá, ainda, ter atributos descritivos
PEÇA = cod-peça, descricao
FORNECEDOR = cod-fornecedor + cnpj + razao-social
PEÇA-FORNECEDOR = cod-peça + cod-fornecedor + preço
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Diagramade Ocorrências
00:47
Representa de forma gráfica as associações entre instâncias
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Auto-Relacionamento
00:47
Papel da Entidade: define que função uma instância da
entidade cumpre dentro de uma instância do
relacionamento
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Auto-Relacionamento
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
IdentificandoEntidades
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
IdentificandoEntidades
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
IdentificandoEntidades
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
IdentificandoEntidades
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
IdentificandoRelacionamentos
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
“Eduardo é proprietário de um jipe”
IdentificandoEntidades
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
IdentificandoEntidades
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
IdentificandoRelacionamentos
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
“Eduardo mora em uma Cabana”
IdentificandoRelacionamentos
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
“Eduardo possui um Jipe e mora em uma Cabana”
Perguntas
00:47
 Quantos automóveis pode ter Eduardo?
 Um automóvel pode ser propriedade de quantas pessoas?
 Uma pessoa pode morar em quantos imóveis?
 Em um imóvel podem morar quantas pessoas?
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Cardinalidade(mínima, máxima)
00:47
 Cardinalidade Máxima
#Expressam quantas instâncias de uma entidade podem estar
associadas, via relacionamento, a uma instância de outra
entidade
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Cardinalidade(mínima, máxima)
00:47
 Cardinalidade Máxima
#Expressam quantas instâncias de uma entidade podem estar
associadas, via relacionamento, a uma instância de outra
entidade
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Cardinalidade(mínima, máxima)
00:47
 Cardinalidade Mínima
#Representa o número mínimo de ocorrências de entidade que
são associadas a uma ocorrência de uma entidade através de um
relacionamento
#Duas cardinalidades mínimas: 0 e 1:
•Cardinalidade mínima 1: denominada obrigatória
•Cardinalidade mínima 0: denominada opcional
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Cardinalidade(mínima, máxima)
00:47
 Cardinalidade Mínima
#Representa o número mínimo de ocorrências de entidade que
são associadas a uma ocorrência de uma entidade através de um
relacionamento
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
“Eduardo possui um Jipe e mora em uma Cabana”
Cardinalidade(mínima, máxima)
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
AtributostambémpodemterCardinalidade
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
AtributostambémpodemterCardinalidade
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Agorasim! Vamos praticar!!
00:47 38 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Conhecendoa ferramenta
00:47
 BrModelo: um software free para modelagem de dados
 Funciona como um editor, e possui duas
funcionalidades básicas:
#Construção do modelo de entidade e relacionamento
#Mapeamento para o modelo relacional de banco de dados
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Material:https://sites.google.com/site/leinylsonuespi
00:47
Aula baseadano material da
Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Nestaaulaaprendemos...
 Conhecemos a ferramenta de modelagem de base de dados: brModelo
 Realizamos a conversão entre os modelos conceitual e lógico
00:50 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
Napróximaaulaveremos...
 Generalização
 Especialização
00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
AlgumaDúvida?
00:47
Até a próxima aula...
leinylson@gmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mer - Modelo Entidade Relacionamento
Mer - Modelo Entidade RelacionamentoMer - Modelo Entidade Relacionamento
Mer - Modelo Entidade RelacionamentoRademaker Siena
 
Banco de Dados II Aula 03 - Modelagem de Dados (Modelo Lógico)
Banco de Dados II Aula 03 - Modelagem de Dados (Modelo Lógico)Banco de Dados II Aula 03 - Modelagem de Dados (Modelo Lógico)
Banco de Dados II Aula 03 - Modelagem de Dados (Modelo Lógico)Leinylson Fontinele
 
Banco de Dados II Projeto Final de Banco de Dados
Banco de Dados II Projeto Final de Banco de DadosBanco de Dados II Projeto Final de Banco de Dados
Banco de Dados II Projeto Final de Banco de DadosLeinylson Fontinele
 
Modelo Relacional, Rede e Hierárquico
Modelo Relacional, Rede e HierárquicoModelo Relacional, Rede e Hierárquico
Modelo Relacional, Rede e Hierárquicorosimaracorsino
 
Banco de Dados I Aula 06 - Generalização e Especialização
Banco de Dados I Aula 06 - Generalização e EspecializaçãoBanco de Dados I Aula 06 - Generalização e Especialização
Banco de Dados I Aula 06 - Generalização e EspecializaçãoLeinylson Fontinele
 
Conceitos de Banco de dados e SGBD
Conceitos de Banco de dados e SGBDConceitos de Banco de dados e SGBD
Conceitos de Banco de dados e SGBDVinicius Buffolo
 
Banco de Dados II Aula 08 - Linguagem de Consulta SQL (Comandos DML)
Banco de Dados II Aula 08 - Linguagem de Consulta SQL (Comandos DML)Banco de Dados II Aula 08 - Linguagem de Consulta SQL (Comandos DML)
Banco de Dados II Aula 08 - Linguagem de Consulta SQL (Comandos DML)Leinylson Fontinele
 
1.Introdução Banco de Dados
1.Introdução Banco de Dados1.Introdução Banco de Dados
1.Introdução Banco de Dadosvini_campos
 
Banco de Dados - Introdução - Projeto de Banco de Dados - DER
Banco de Dados - Introdução - Projeto de Banco de Dados - DERBanco de Dados - Introdução - Projeto de Banco de Dados - DER
Banco de Dados - Introdução - Projeto de Banco de Dados - DERRangel Javier
 
Banco de Dados I - Aula Prática - Criando o Primeiro Banco
Banco de Dados I - Aula Prática - Criando o Primeiro BancoBanco de Dados I - Aula Prática - Criando o Primeiro Banco
Banco de Dados I - Aula Prática - Criando o Primeiro BancoLeinylson Fontinele
 
Banco de Dados II: Normalização de dados e as Formas Normais (aula 5)
Banco de Dados II: Normalização de dados e as Formas Normais (aula 5)Banco de Dados II: Normalização de dados e as Formas Normais (aula 5)
Banco de Dados II: Normalização de dados e as Formas Normais (aula 5)Gustavo Zimmermann
 
06 Modelagem de banco de dados: Modelo Lógico
06  Modelagem de banco de dados: Modelo Lógico06  Modelagem de banco de dados: Modelo Lógico
06 Modelagem de banco de dados: Modelo LógicoCentro Paula Souza
 
Banco de Dados Conceitos
Banco de Dados ConceitosBanco de Dados Conceitos
Banco de Dados ConceitosCleber Ramos
 
Banco de Dados I - Aula 05 - Banco de Dados Relacional (Modelo Conceitual)
Banco de Dados I - Aula 05 - Banco de Dados Relacional (Modelo Conceitual)Banco de Dados I - Aula 05 - Banco de Dados Relacional (Modelo Conceitual)
Banco de Dados I - Aula 05 - Banco de Dados Relacional (Modelo Conceitual)Leinylson Fontinele
 

Mais procurados (20)

Mer - Modelo Entidade Relacionamento
Mer - Modelo Entidade RelacionamentoMer - Modelo Entidade Relacionamento
Mer - Modelo Entidade Relacionamento
 
Modelagem de dados
Modelagem de dadosModelagem de dados
Modelagem de dados
 
Banco de Dados II Aula 03 - Modelagem de Dados (Modelo Lógico)
Banco de Dados II Aula 03 - Modelagem de Dados (Modelo Lógico)Banco de Dados II Aula 03 - Modelagem de Dados (Modelo Lógico)
Banco de Dados II Aula 03 - Modelagem de Dados (Modelo Lógico)
 
Banco de Dados II Projeto Final de Banco de Dados
Banco de Dados II Projeto Final de Banco de DadosBanco de Dados II Projeto Final de Banco de Dados
Banco de Dados II Projeto Final de Banco de Dados
 
SGBD
SGBDSGBD
SGBD
 
Modelo Relacional, Rede e Hierárquico
Modelo Relacional, Rede e HierárquicoModelo Relacional, Rede e Hierárquico
Modelo Relacional, Rede e Hierárquico
 
Banco de Dados I Aula 06 - Generalização e Especialização
Banco de Dados I Aula 06 - Generalização e EspecializaçãoBanco de Dados I Aula 06 - Generalização e Especialização
Banco de Dados I Aula 06 - Generalização e Especialização
 
Aula 4 banco de dados
Aula 4   banco de dados Aula 4   banco de dados
Aula 4 banco de dados
 
Conceitos de Banco de dados e SGBD
Conceitos de Banco de dados e SGBDConceitos de Banco de dados e SGBD
Conceitos de Banco de dados e SGBD
 
Banco de Dados II Aula 08 - Linguagem de Consulta SQL (Comandos DML)
Banco de Dados II Aula 08 - Linguagem de Consulta SQL (Comandos DML)Banco de Dados II Aula 08 - Linguagem de Consulta SQL (Comandos DML)
Banco de Dados II Aula 08 - Linguagem de Consulta SQL (Comandos DML)
 
1.Introdução Banco de Dados
1.Introdução Banco de Dados1.Introdução Banco de Dados
1.Introdução Banco de Dados
 
Banco de Dados - Introdução - Projeto de Banco de Dados - DER
Banco de Dados - Introdução - Projeto de Banco de Dados - DERBanco de Dados - Introdução - Projeto de Banco de Dados - DER
Banco de Dados - Introdução - Projeto de Banco de Dados - DER
 
Banco de Dados I - Aula Prática - Criando o Primeiro Banco
Banco de Dados I - Aula Prática - Criando o Primeiro BancoBanco de Dados I - Aula Prática - Criando o Primeiro Banco
Banco de Dados I - Aula Prática - Criando o Primeiro Banco
 
Banco de Dados II: Normalização de dados e as Formas Normais (aula 5)
Banco de Dados II: Normalização de dados e as Formas Normais (aula 5)Banco de Dados II: Normalização de dados e as Formas Normais (aula 5)
Banco de Dados II: Normalização de dados e as Formas Normais (aula 5)
 
Banco De Dados
Banco De DadosBanco De Dados
Banco De Dados
 
06 Modelagem de banco de dados: Modelo Lógico
06  Modelagem de banco de dados: Modelo Lógico06  Modelagem de banco de dados: Modelo Lógico
06 Modelagem de banco de dados: Modelo Lógico
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Aula 2 - Introdução a Banco de Dados
Aula 2 - Introdução a Banco de DadosAula 2 - Introdução a Banco de Dados
Aula 2 - Introdução a Banco de Dados
 
Banco de Dados Conceitos
Banco de Dados ConceitosBanco de Dados Conceitos
Banco de Dados Conceitos
 
Banco de Dados I - Aula 05 - Banco de Dados Relacional (Modelo Conceitual)
Banco de Dados I - Aula 05 - Banco de Dados Relacional (Modelo Conceitual)Banco de Dados I - Aula 05 - Banco de Dados Relacional (Modelo Conceitual)
Banco de Dados I - Aula 05 - Banco de Dados Relacional (Modelo Conceitual)
 

Destaque

Estrutura de Dados Aula 07 - Alocação dinâmica de memória
Estrutura de Dados Aula 07 - Alocação dinâmica de memóriaEstrutura de Dados Aula 07 - Alocação dinâmica de memória
Estrutura de Dados Aula 07 - Alocação dinâmica de memóriaLeinylson Fontinele
 
Utilização de Heurísticas Bioinspiradas em Sistemas de Inteligência Coletiva ...
Utilização de Heurísticas Bioinspiradas em Sistemas de Inteligência Coletiva ...Utilização de Heurísticas Bioinspiradas em Sistemas de Inteligência Coletiva ...
Utilização de Heurísticas Bioinspiradas em Sistemas de Inteligência Coletiva ...Leinylson Fontinele
 
Projeto de Banco de Dados: Gerenciamento de Locadora de Vídeo (parte escrita)
Projeto de Banco de Dados: Gerenciamento de Locadora de Vídeo (parte escrita)Projeto de Banco de Dados: Gerenciamento de Locadora de Vídeo (parte escrita)
Projeto de Banco de Dados: Gerenciamento de Locadora de Vídeo (parte escrita)Gleyciana Garrido
 
Sistemas Cooperativos Aula 10 - Sistemas e Domínios (Aprendizagem colaborati...
Sistemas Cooperativos  Aula 10 - Sistemas e Domínios (Aprendizagem colaborati...Sistemas Cooperativos  Aula 10 - Sistemas e Domínios (Aprendizagem colaborati...
Sistemas Cooperativos Aula 10 - Sistemas e Domínios (Aprendizagem colaborati...Leinylson Fontinele
 
Banco de Dados II Aula 05 - Modelagem de Dados (Normalização de dados e as fo...
Banco de Dados II Aula 05 - Modelagem de Dados (Normalização de dados e as fo...Banco de Dados II Aula 05 - Modelagem de Dados (Normalização de dados e as fo...
Banco de Dados II Aula 05 - Modelagem de Dados (Normalização de dados e as fo...Leinylson Fontinele
 
Introdução à Computação Aula 04 - INTRODUÇÃO A CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO (Hardwar...
Introdução à Computação Aula 04 - INTRODUÇÃO A CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO (Hardwar...Introdução à Computação Aula 04 - INTRODUÇÃO A CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO (Hardwar...
Introdução à Computação Aula 04 - INTRODUÇÃO A CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO (Hardwar...Leinylson Fontinele
 
DIAGRAMAS DE CASO DE USO
DIAGRAMAS DE CASO DE USODIAGRAMAS DE CASO DE USO
DIAGRAMAS DE CASO DE USOBiingeSof
 
DIAGRAMA DE COMPONENTES
DIAGRAMA DE COMPONENTESDIAGRAMA DE COMPONENTES
DIAGRAMA DE COMPONENTESBiingeSof
 
Introdução à programação para web com Java - Módulo 02: Conceitos básicos de...
Introdução à programação para web com Java -  Módulo 02: Conceitos básicos de...Introdução à programação para web com Java -  Módulo 02: Conceitos básicos de...
Introdução à programação para web com Java - Módulo 02: Conceitos básicos de...Professor Samuel Ribeiro
 
Introdução à programação para web com Java - Módulo 01: Conexão com bamco de...
Introdução à programação para web com Java -  Módulo 01: Conexão com bamco de...Introdução à programação para web com Java -  Módulo 01: Conexão com bamco de...
Introdução à programação para web com Java - Módulo 01: Conexão com bamco de...Professor Samuel Ribeiro
 
DIAGRAMA DE CLASES
DIAGRAMA DE CLASESDIAGRAMA DE CLASES
DIAGRAMA DE CLASESBiingeSof
 
Diagrama de actividades inscripcion, evaluacion, Asistencia
Diagrama de actividades inscripcion, evaluacion, AsistenciaDiagrama de actividades inscripcion, evaluacion, Asistencia
Diagrama de actividades inscripcion, evaluacion, AsistenciaRobert Rodriguez
 
Sistemas Cooperativos Aula 02 - Fundamentos (Sistemas Colaborativos)
Sistemas Cooperativos Aula 02 - Fundamentos (Sistemas Colaborativos)Sistemas Cooperativos Aula 02 - Fundamentos (Sistemas Colaborativos)
Sistemas Cooperativos Aula 02 - Fundamentos (Sistemas Colaborativos)Leinylson Fontinele
 
Lemons, Catastrophic Climate Change, and e-Portfolios: Implementing sustainab...
Lemons, Catastrophic Climate Change, and e-Portfolios: Implementing sustainab...Lemons, Catastrophic Climate Change, and e-Portfolios: Implementing sustainab...
Lemons, Catastrophic Climate Change, and e-Portfolios: Implementing sustainab...LearningandTeaching
 
Diseño logico de una base de datos
Diseño logico de  una base de datosDiseño logico de  una base de datos
Diseño logico de una base de datosRobert Rodriguez
 
Tecnologia, Inovação e uma pitada de Programação
Tecnologia, Inovação e uma pitada de ProgramaçãoTecnologia, Inovação e uma pitada de Programação
Tecnologia, Inovação e uma pitada de ProgramaçãoProfessor Samuel Ribeiro
 

Destaque (20)

Estrutura de Dados Aula 07 - Alocação dinâmica de memória
Estrutura de Dados Aula 07 - Alocação dinâmica de memóriaEstrutura de Dados Aula 07 - Alocação dinâmica de memória
Estrutura de Dados Aula 07 - Alocação dinâmica de memória
 
Utilização de Heurísticas Bioinspiradas em Sistemas de Inteligência Coletiva ...
Utilização de Heurísticas Bioinspiradas em Sistemas de Inteligência Coletiva ...Utilização de Heurísticas Bioinspiradas em Sistemas de Inteligência Coletiva ...
Utilização de Heurísticas Bioinspiradas em Sistemas de Inteligência Coletiva ...
 
Projeto de Banco de Dados: Gerenciamento de Locadora de Vídeo (parte escrita)
Projeto de Banco de Dados: Gerenciamento de Locadora de Vídeo (parte escrita)Projeto de Banco de Dados: Gerenciamento de Locadora de Vídeo (parte escrita)
Projeto de Banco de Dados: Gerenciamento de Locadora de Vídeo (parte escrita)
 
Sistemas Cooperativos Aula 10 - Sistemas e Domínios (Aprendizagem colaborati...
Sistemas Cooperativos  Aula 10 - Sistemas e Domínios (Aprendizagem colaborati...Sistemas Cooperativos  Aula 10 - Sistemas e Domínios (Aprendizagem colaborati...
Sistemas Cooperativos Aula 10 - Sistemas e Domínios (Aprendizagem colaborati...
 
Banco de Dados II Aula 05 - Modelagem de Dados (Normalização de dados e as fo...
Banco de Dados II Aula 05 - Modelagem de Dados (Normalização de dados e as fo...Banco de Dados II Aula 05 - Modelagem de Dados (Normalização de dados e as fo...
Banco de Dados II Aula 05 - Modelagem de Dados (Normalização de dados e as fo...
 
Introdução à Computação Aula 04 - INTRODUÇÃO A CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO (Hardwar...
Introdução à Computação Aula 04 - INTRODUÇÃO A CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO (Hardwar...Introdução à Computação Aula 04 - INTRODUÇÃO A CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO (Hardwar...
Introdução à Computação Aula 04 - INTRODUÇÃO A CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO (Hardwar...
 
DIAGRAMAS DE CASO DE USO
DIAGRAMAS DE CASO DE USODIAGRAMAS DE CASO DE USO
DIAGRAMAS DE CASO DE USO
 
DIAGRAMA DE COMPONENTES
DIAGRAMA DE COMPONENTESDIAGRAMA DE COMPONENTES
DIAGRAMA DE COMPONENTES
 
Introdução à programação para web com Java - Módulo 02: Conceitos básicos de...
Introdução à programação para web com Java -  Módulo 02: Conceitos básicos de...Introdução à programação para web com Java -  Módulo 02: Conceitos básicos de...
Introdução à programação para web com Java - Módulo 02: Conceitos básicos de...
 
Introdução à programação para web com Java - Módulo 01: Conexão com bamco de...
Introdução à programação para web com Java -  Módulo 01: Conexão com bamco de...Introdução à programação para web com Java -  Módulo 01: Conexão com bamco de...
Introdução à programação para web com Java - Módulo 01: Conexão com bamco de...
 
DIAGRAMA DE CLASES
DIAGRAMA DE CLASESDIAGRAMA DE CLASES
DIAGRAMA DE CLASES
 
Diagrama de actividades inscripcion, evaluacion, Asistencia
Diagrama de actividades inscripcion, evaluacion, AsistenciaDiagrama de actividades inscripcion, evaluacion, Asistencia
Diagrama de actividades inscripcion, evaluacion, Asistencia
 
Boulevard monde
Boulevard mondeBoulevard monde
Boulevard monde
 
Peru
PeruPeru
Peru
 
Si diagrama de classes
Si  diagrama de classesSi  diagrama de classes
Si diagrama de classes
 
Introdução à UML com Casos de Uso
Introdução à UML com Casos de UsoIntrodução à UML com Casos de Uso
Introdução à UML com Casos de Uso
 
Sistemas Cooperativos Aula 02 - Fundamentos (Sistemas Colaborativos)
Sistemas Cooperativos Aula 02 - Fundamentos (Sistemas Colaborativos)Sistemas Cooperativos Aula 02 - Fundamentos (Sistemas Colaborativos)
Sistemas Cooperativos Aula 02 - Fundamentos (Sistemas Colaborativos)
 
Lemons, Catastrophic Climate Change, and e-Portfolios: Implementing sustainab...
Lemons, Catastrophic Climate Change, and e-Portfolios: Implementing sustainab...Lemons, Catastrophic Climate Change, and e-Portfolios: Implementing sustainab...
Lemons, Catastrophic Climate Change, and e-Portfolios: Implementing sustainab...
 
Diseño logico de una base de datos
Diseño logico de  una base de datosDiseño logico de  una base de datos
Diseño logico de una base de datos
 
Tecnologia, Inovação e uma pitada de Programação
Tecnologia, Inovação e uma pitada de ProgramaçãoTecnologia, Inovação e uma pitada de Programação
Tecnologia, Inovação e uma pitada de Programação
 

Semelhante a Modelo Lógico Banco Dados

Introdução à Computação - Aula Prática 3 - Banco de Dados (Conversão do model...
Introdução à Computação - Aula Prática 3 - Banco de Dados (Conversão do model...Introdução à Computação - Aula Prática 3 - Banco de Dados (Conversão do model...
Introdução à Computação - Aula Prática 3 - Banco de Dados (Conversão do model...Leinylson Fontinele
 
Modelagem Dados - Introdução à Conceitos
Modelagem Dados - Introdução à ConceitosModelagem Dados - Introdução à Conceitos
Modelagem Dados - Introdução à Conceitospaulocoob
 
Bancode dados modelagem conceitual
Bancode dados modelagem conceitualBancode dados modelagem conceitual
Bancode dados modelagem conceitualMario Sergio
 
Modelo conceitual fisico_logico_er[1]
Modelo conceitual fisico_logico_er[1]Modelo conceitual fisico_logico_er[1]
Modelo conceitual fisico_logico_er[1]Miguel Aquino
 
Banco de Dados _ Modelagem Conceitual.pdf
Banco de Dados _ Modelagem Conceitual.pdfBanco de Dados _ Modelagem Conceitual.pdf
Banco de Dados _ Modelagem Conceitual.pdfPauloVictor415128
 
Modelagem
ModelagemModelagem
Modelagemprsimon
 
ModeloEntidadeRelacionamento-Completa.pdf
ModeloEntidadeRelacionamento-Completa.pdfModeloEntidadeRelacionamento-Completa.pdf
ModeloEntidadeRelacionamento-Completa.pdfValdeir7
 

Semelhante a Modelo Lógico Banco Dados (8)

Introdução à Computação - Aula Prática 3 - Banco de Dados (Conversão do model...
Introdução à Computação - Aula Prática 3 - Banco de Dados (Conversão do model...Introdução à Computação - Aula Prática 3 - Banco de Dados (Conversão do model...
Introdução à Computação - Aula Prática 3 - Banco de Dados (Conversão do model...
 
Modelagem Dados - Introdução à Conceitos
Modelagem Dados - Introdução à ConceitosModelagem Dados - Introdução à Conceitos
Modelagem Dados - Introdução à Conceitos
 
Bancode dados modelagem conceitual
Bancode dados modelagem conceitualBancode dados modelagem conceitual
Bancode dados modelagem conceitual
 
Modelo conceitual fisico_logico_er[1]
Modelo conceitual fisico_logico_er[1]Modelo conceitual fisico_logico_er[1]
Modelo conceitual fisico_logico_er[1]
 
Modelagem de dados
Modelagem de dadosModelagem de dados
Modelagem de dados
 
Banco de Dados _ Modelagem Conceitual.pdf
Banco de Dados _ Modelagem Conceitual.pdfBanco de Dados _ Modelagem Conceitual.pdf
Banco de Dados _ Modelagem Conceitual.pdf
 
Modelagem
ModelagemModelagem
Modelagem
 
ModeloEntidadeRelacionamento-Completa.pdf
ModeloEntidadeRelacionamento-Completa.pdfModeloEntidadeRelacionamento-Completa.pdf
ModeloEntidadeRelacionamento-Completa.pdf
 

Mais de Leinylson Fontinele

Utilização do editor de texto Word
Utilização do editor de texto WordUtilização do editor de texto Word
Utilização do editor de texto WordLeinylson Fontinele
 
Aula 05 - Importância do teste, auditoria e monitoramento
Aula 05 - Importância do teste, auditoria e monitoramentoAula 05 - Importância do teste, auditoria e monitoramento
Aula 05 - Importância do teste, auditoria e monitoramentoLeinylson Fontinele
 
Aula 04 - Implementação efetiva da política de segurança
Aula 04 - Implementação efetiva da política de segurançaAula 04 - Implementação efetiva da política de segurança
Aula 04 - Implementação efetiva da política de segurançaLeinylson Fontinele
 
Aula 02 - Aplicação de contramedidas de segurança para mitigar ataques malici...
Aula 02 - Aplicação de contramedidas de segurança para mitigar ataques malici...Aula 02 - Aplicação de contramedidas de segurança para mitigar ataques malici...
Aula 02 - Aplicação de contramedidas de segurança para mitigar ataques malici...Leinylson Fontinele
 
Aula 03 - Controles de acesso apropriados para sistemas, aplicativos e acesso...
Aula 03 - Controles de acesso apropriados para sistemas, aplicativos e acesso...Aula 03 - Controles de acesso apropriados para sistemas, aplicativos e acesso...
Aula 03 - Controles de acesso apropriados para sistemas, aplicativos e acesso...Leinylson Fontinele
 
Aula 01 - Fundamentos da segurança dos sistemas de informações
Aula 01 - Fundamentos da segurança dos sistemas de informaçõesAula 01 - Fundamentos da segurança dos sistemas de informações
Aula 01 - Fundamentos da segurança dos sistemas de informaçõesLeinylson Fontinele
 
A história da Segurança da Informação
A história da Segurança da InformaçãoA história da Segurança da Informação
A história da Segurança da InformaçãoLeinylson Fontinele
 
Introdução ao Prolog - Prof. Sérgio S. Costa
Introdução ao Prolog - Prof. Sérgio S. CostaIntrodução ao Prolog - Prof. Sérgio S. Costa
Introdução ao Prolog - Prof. Sérgio S. CostaLeinylson Fontinele
 
Aula 02 - Agentes e problemas de busca
Aula 02 - Agentes e problemas de buscaAula 02 - Agentes e problemas de busca
Aula 02 - Agentes e problemas de buscaLeinylson Fontinele
 

Mais de Leinylson Fontinele (20)

Utilização do editor de texto Word
Utilização do editor de texto WordUtilização do editor de texto Word
Utilização do editor de texto Word
 
Prática com slide.pptx
Prática com slide.pptxPrática com slide.pptx
Prática com slide.pptx
 
A galinha carijó
A galinha carijóA galinha carijó
A galinha carijó
 
Descrição do Projeto 8 puzzle
Descrição do Projeto 8 puzzleDescrição do Projeto 8 puzzle
Descrição do Projeto 8 puzzle
 
Aula 05 - Importância do teste, auditoria e monitoramento
Aula 05 - Importância do teste, auditoria e monitoramentoAula 05 - Importância do teste, auditoria e monitoramento
Aula 05 - Importância do teste, auditoria e monitoramento
 
Aula 04 - Implementação efetiva da política de segurança
Aula 04 - Implementação efetiva da política de segurançaAula 04 - Implementação efetiva da política de segurança
Aula 04 - Implementação efetiva da política de segurança
 
Aula 02 - Agentes Inteligentes
Aula 02 - Agentes InteligentesAula 02 - Agentes Inteligentes
Aula 02 - Agentes Inteligentes
 
Aula 01 - Visão Geral da IA
Aula 01 - Visão Geral da IAAula 01 - Visão Geral da IA
Aula 01 - Visão Geral da IA
 
Aula 02 - Aplicação de contramedidas de segurança para mitigar ataques malici...
Aula 02 - Aplicação de contramedidas de segurança para mitigar ataques malici...Aula 02 - Aplicação de contramedidas de segurança para mitigar ataques malici...
Aula 02 - Aplicação de contramedidas de segurança para mitigar ataques malici...
 
Aula 03 - Controles de acesso apropriados para sistemas, aplicativos e acesso...
Aula 03 - Controles de acesso apropriados para sistemas, aplicativos e acesso...Aula 03 - Controles de acesso apropriados para sistemas, aplicativos e acesso...
Aula 03 - Controles de acesso apropriados para sistemas, aplicativos e acesso...
 
Aula 01 - Fundamentos da segurança dos sistemas de informações
Aula 01 - Fundamentos da segurança dos sistemas de informaçõesAula 01 - Fundamentos da segurança dos sistemas de informações
Aula 01 - Fundamentos da segurança dos sistemas de informações
 
A história da Segurança da Informação
A história da Segurança da InformaçãoA história da Segurança da Informação
A história da Segurança da Informação
 
Introdução ao Prolog - Prof. Sérgio S. Costa
Introdução ao Prolog - Prof. Sérgio S. CostaIntrodução ao Prolog - Prof. Sérgio S. Costa
Introdução ao Prolog - Prof. Sérgio S. Costa
 
Caso 1 - Boing 777
Caso 1 - Boing 777Caso 1 - Boing 777
Caso 1 - Boing 777
 
Caso 2 - Aeroporto de Denver
Caso 2 - Aeroporto de DenverCaso 2 - Aeroporto de Denver
Caso 2 - Aeroporto de Denver
 
Aula 02 - Agentes e problemas de busca
Aula 02 - Agentes e problemas de buscaAula 02 - Agentes e problemas de busca
Aula 02 - Agentes e problemas de busca
 
Aula 01 - Visão geral da IA
Aula 01 - Visão geral da IAAula 01 - Visão geral da IA
Aula 01 - Visão geral da IA
 
Aula 7 - Modelagem de Software
Aula 7 - Modelagem de SoftwareAula 7 - Modelagem de Software
Aula 7 - Modelagem de Software
 
Aula 6 - Qualidade de Software
Aula 6 - Qualidade de SoftwareAula 6 - Qualidade de Software
Aula 6 - Qualidade de Software
 
Aula 07 - Diagrama de sequencia
Aula 07 - Diagrama de sequenciaAula 07 - Diagrama de sequencia
Aula 07 - Diagrama de sequencia
 

Último

Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimWashingtonSampaio5
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzAlexandrePereira818171
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 

Último (20)

Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mimJunto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
Junto ao poço estava eu Quando um homem judeu Viu a sede que havia em mim
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 

Modelo Lógico Banco Dados

  • 1. # Banco de Dados II # Aula Prática 1 Modelo Conceitual  Modelo Lógico Prof. Leinylson Fontinele Pereira
  • 2. Naaulaanterior...  MODELAGEM DE DADOS # Modelo Lógico 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 3. Introdução 00:47 3 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 4. O que vamosaprender?  Conhecer a ferramenta de modelagem de base de dados: brModelo  Realizar a conversão entre os modelos conceitual e lógico 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 5. Vamos começar? 00:47 5 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 6. Antes uma pequena revisão! 00:47 6 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 7. Relacionamento1: 1 00:47 Uma ocorrência de A está associada a no máximo uma ocorrência de B, e uma ocorrência em B está associada a no máximoumaocorrência em A. Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 8. Relacionamento1: N 00:47 Uma ocorrência de A está associada a várias ocorrências de B, porém uma ocorrência de B deve estar associada a no máximoumaocorrência em A Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 9. RelacionamentoM: N 𝑜𝑢 N: N 00:47 Uma ocorrência de A está associada a qualquer número de ocorrências de B, e uma ocorrência em B está associada a qualquernúmero de ocorrências em A Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 10. Relacionamento1: 1 00:47 Determinada instância da entidade A é associada com uma, e somente uma, instância da entidade B Um ESTADO é governado por um GOVERNADOR Um GOVERNADOR governa um ESTADO Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 11. Resultadodo Relacionamento1: 1 00:47 Repete-se a chave primária de qualquer uma das entidades na outra GOVERNADOR = cod-governador + nome-governador + codestado ESTADO = cod-estado + nome-estado ou GOVERNADOR = cod-governador + nome-governador ESTADO = cod-estado + nome-estado + cod-governador Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 12. Relacionamento1: N 00:47 Determinada instância da entidade A é associada com uma ou mais instâncias da entidade B. Cada instância da entidade B é associada a uma única instância da entidade A Um departamento lota diversos funcionários Um funcionário está lotado em um único departamento Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 13. Resultadodo Relacionamento1: N 00:47 Repete-se a chave primária da entidade com grau 1 para a de grau N DEPARTAMENTO = cod-depto + nome-departamento FUNCIONÁRIO = ctps + nome + cod-depto Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 14. RelacionamentoN: N 00:47 Determinada instância da entidade A é associada com uma ou mais instâncias da entidade B e vice-versa Um fornecedor fornece várias peças Uma peça é fornecida por vários fornecedores Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 15. Resultadodo RelacionamentoN: N 00:47 Cria-se criando uma entidade própria (entidade relacionamento) Esta entidade-relacionamento possuirá a chave primária de ambas as entidades como sendo a sua chave primária composta Poderá, ainda, ter atributos descritivos PEÇA = cod-peça, descricao FORNECEDOR = cod-fornecedor + cnpj + razao-social PEÇA-FORNECEDOR = cod-peça + cod-fornecedor + preço Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 16. Diagramade Ocorrências 00:47 Representa de forma gráfica as associações entre instâncias Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 17. Auto-Relacionamento 00:47 Papel da Entidade: define que função uma instância da entidade cumpre dentro de uma instância do relacionamento Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 18. Auto-Relacionamento 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 19. IdentificandoEntidades 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 20. IdentificandoEntidades 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 21. IdentificandoEntidades 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 22. IdentificandoEntidades 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 23. IdentificandoRelacionamentos 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico “Eduardo é proprietário de um jipe”
  • 24. IdentificandoEntidades 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 25. IdentificandoEntidades 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 26. IdentificandoRelacionamentos 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico “Eduardo mora em uma Cabana”
  • 27. IdentificandoRelacionamentos 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 28. 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico “Eduardo possui um Jipe e mora em uma Cabana”
  • 29. Perguntas 00:47  Quantos automóveis pode ter Eduardo?  Um automóvel pode ser propriedade de quantas pessoas?  Uma pessoa pode morar em quantos imóveis?  Em um imóvel podem morar quantas pessoas? Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 30. Cardinalidade(mínima, máxima) 00:47  Cardinalidade Máxima #Expressam quantas instâncias de uma entidade podem estar associadas, via relacionamento, a uma instância de outra entidade Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 31. Cardinalidade(mínima, máxima) 00:47  Cardinalidade Máxima #Expressam quantas instâncias de uma entidade podem estar associadas, via relacionamento, a uma instância de outra entidade Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 32. Cardinalidade(mínima, máxima) 00:47  Cardinalidade Mínima #Representa o número mínimo de ocorrências de entidade que são associadas a uma ocorrência de uma entidade através de um relacionamento #Duas cardinalidades mínimas: 0 e 1: •Cardinalidade mínima 1: denominada obrigatória •Cardinalidade mínima 0: denominada opcional Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 33. Cardinalidade(mínima, máxima) 00:47  Cardinalidade Mínima #Representa o número mínimo de ocorrências de entidade que são associadas a uma ocorrência de uma entidade através de um relacionamento Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 34. 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico “Eduardo possui um Jipe e mora em uma Cabana”
  • 35. Cardinalidade(mínima, máxima) 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 36. AtributostambémpodemterCardinalidade 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 37. AtributostambémpodemterCardinalidade 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 38. Agorasim! Vamos praticar!! 00:47 38 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 39. Conhecendoa ferramenta 00:47  BrModelo: um software free para modelagem de dados  Funciona como um editor, e possui duas funcionalidades básicas: #Construção do modelo de entidade e relacionamento #Mapeamento para o modelo relacional de banco de dados Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 40. Material:https://sites.google.com/site/leinylsonuespi 00:47 Aula baseadano material da Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 41. Nestaaulaaprendemos...  Conhecemos a ferramenta de modelagem de base de dados: brModelo  Realizamos a conversão entre os modelos conceitual e lógico 00:50 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 42. Napróximaaulaveremos...  Generalização  Especialização 00:47 Banco de Dados - Aula Prática 1: Conversão do Modelo Conceitual para o Modelo Lógico
  • 43. AlgumaDúvida? 00:47 Até a próxima aula... leinylson@gmail.com