Banco de dados

5.144 visualizações

Publicada em

Banco de Dados aula3

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.144
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
174
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Banco de dados

  1. 1. BANCO DE DADOS AULA – 03 – PROF. DAVID FELIPE SANTOS OLIVEIRA
  2. 2. 2 DEFINIÇÃO – BANCO DE DADOS Um banco de dados é uma estrutura logica que armazena um conjunto de dados. O que é um dado ? “ Definimos dados como uma representação simbólica ( isto é, feita por um meio de símbolos) quantificada ou quantificável.” (SETZER;SILVA,2012,p.2) Um dado pode assumir varias formas, se alguém disser “dois”,, “azul”, “avião ” e “IV”. Todos estes são representações de textos ou símbolos, portanto eles são dados. Uma letra, um texto ou um gráfico também são dados.
  3. 3. 3 DEFINIÇÃO – BANCO DE DADOS O banco de dados é uma estrutura logica, isto é , um software que armazena os dados de uma empresa qualquer. Quando o usuário requisita estes dados através no do sistema, eles são expostos de forma organizada na tela do computador de forma que se tornem informações ou seja, tenham sentido. Um banco de dados ou base de dados BD é uma coleção de dados ou informações relacionadas entre si . GUIMARÃES (2012,p.19).
  4. 4. 4 DEFINIÇÃO – BANCO DE DADOS Para exemplificar a utilização de um BD, imagine uma concessionaria e a sua coleção de carros que estão a venda no pátio. Poderia se dizer que esta empresa tem um sistema de revendas de veículos e naturalmente seu BD vai ter os registros de cada um deles. Quando um cliente entrar na loja para comprar um carro, o vendedor consulta as informações a respeito daquele veiculo em seu sistema. Essa consulta utiliza a interface do sistema para acessar o BD e retornar essas informações organizadas em forma de lista (TABELA 1) .
  5. 5. 5 DEFINIÇÃO – BANCO DE DADOS
  6. 6. 6 DEFINIÇÃO – BANCO DE DADOS
  7. 7. DEFINIÇÃO BANCO DE DADOS 7  De acordo com DATE (2004,p.9) existem três classes gerais de usuários. 1. Primeiro, a os programadores de aplicações, responsáveis pela escrita de programas de aplicações de banco de dados em alguma linguagem de programação. 2. Em seguida os usuários finais, que acessam o banco de dados interativamente. 3. O administrador de Banco de Dados, ou DBA (de DATA BASE ADMINISTRATOR).
  8. 8. SISTEMA GERENCIADOR DE BANCO DE DADOS (SGBD). 8
  9. 9. SGBD 9 Definição: Sistema Gerenciador de Banco de Dados é uma coleção de programas que permitem aos usuários definirem, construírem e manipularem uma base de dados para o uso das diversas aplicações.
  10. 10. SISTEMA GERENCIADOR DE BANCO DE DADOS (SGBD). 10
  11. 11. SISTEMA GERENCIADOR DE BANCO DE DADOS (SGBD). 11 O MySQL é um sistema de gerenciamento de banco de dados (SGBD), que utiliza a linguagem SQL (Linguagem de Consulta Estruturada, do inglês Structured Query Language) como interface. É atualmente um dos bancos de dados mais populares , com mais de 10 milhões de instalações pelo mundo. Entre os usuários do banco de dados MySQL estão: NASA, Friendster, Banco Bradesco, Dataprev, HP, Nokia,Sony, Lufthansa, U.S. Army, U.S. Federal Reserve Bank, Associated Press, Alcatel, Slashdot, Cisco Systems,Google e outros. O Oracle é basicamente uma ferramenta cliente/servidor para a gestão de Bases de Dados. É um produto vendido a nível mundial, embora a grande potência que tem e seu elevado preço, faz com que só se veja em empresas muito grandes e multinacionais, por norma geral. No desenvolvimento de páginas web acontece o mesmo: como é um sistema muito caro não está tão espalhado como outras bases de dados, por exemplo, Access, MySQL, SQL Server, etc.
  12. 12. SISTEMA GERENCIADOR DE BANCO DE DADOS (SGBD). 12 O MS SQL Server é um SGBD - sistema gerenciador de Banco de dados relacional desenvolvido pela Microsoft. Foi criado em parceria com a Sybase em 1988 inicialmente para a plataforma OS/2 . Esta parceria durou até 1994, com o lançamento da versão para Windows NT e desde então a Microsoft mantém a manutenção do produto. Como um Banco de dados, é um produto de software cuja principal função é a de armazenar e recuperar dados solicitados por outras aplicações de software, seja aqueles no mesmo computador ou aqueles em execução em outro computador através de uma rede (incluindo a Internet). O DB2 é um Sistema Gerenciador de Banco de Dados Relacionais (SGDBR) produzido pela IBM. Existem diferentes versões do DB2 que rodam desde num simples PDA |computador de mão, até em potentes mainframes e funcionam em servidores baseados em sistemas Unix, Windows, ou Linux. O PostgreSQL é um sistema de gerenciamento de banco de dados objeto-relacional (SGBDOR), baseado no POSTGRES Versão 4.2 desenvolvido pelo Departamento de Ciência da Computação da Universidade da Califórnia em Berkeley. O POSTGRES foi pioneiro em vários conceitos que somente se tornaram disponíveis muito mais tarde em alguns sistemas de banco de dados comerciais.
  13. 13. SISTEMA GERENCIADOR DE BANCO DE DADOS (SGBD). 13
  14. 14. ESTRUTURA DE UM BANCO DE DADOS 14 Em termos de armazenamento de dados, um banco de dados é composto de Tabelas, Colunas e Linhas. Vamos verificar o conceito de cada um.  Tabelas (ou entidades ou relação) Nos modelos de base de dados relacionais, uma tabela é um conjunto de dados com um número determinado de colunas (ou campos) e um número infinito de linhas (ou registros ou tuplas). Um banco de dados é composto de uma ou mais tabelas (podemos chamar também de entidades), que uma forma comum de armazenagem de dados na empresa. O correto é que, através de um processo de modelagem de dados bem feito, todos os dados necessários ao negócio fiquemorganizados nestas tabelas. A criação de cada tabela de um banco de dados, deverá ser feita com coerência e verificando o “assunto” que cada tabela irá armazenar. Cada tabela deve armazenar dados relacionados com apenas um assunto ou conceito do negócio.
  15. 15. ESTRUTURA DE UM BANCO DE DADOS 15  Colunas (ou atributos) Cada tabela possui colunas (ou podemos chamar campos), que são os nomes dos dados que serão armazenados. coluna representa uma informação ou atributo da linha. Cada campo (ou atributo) possuem propriedades, como por exemplo o tipo de dados a ser armazenado (caracter, numérico, data), se é de preenchimento obrigatório e o tamanho.
  16. 16. ESTRUTURA DE UM BANCO DE DADOS 16 Linhas (ou tuplas ou ocorrência de entidade) As tabelas (ou entidades) também possuem linhas (ou tuplas) que são os registros contendo dados que estão armazenados em cada campo da tabela. Então podemos dizer que tabela (ou entidade) é: – Um objeto criado para armazenar os dados fisicamente – Os dados são armazenados em linhas (tuplas) e colunas (atributos) – Os dados de uma tabela normalmente descrevem um único assunto tal como clientes, vendas, produtos, curso, disciplina, bilhete, filme, cinema, sessão, viagem, hotel, voo, etc.
  17. 17. MODELAGEM DE DADOS 17 Para quem não sabe, a modelagem de dados é um processo no qual você projeta ou planeja o modelo a ser utilizado para a construção da sua base de dados (BANCO DE DADOS), de forma que reflita os conceitos do negócio a ser atendido. É muito importante que haja um perfeito entendimento e compreensão das necessidades de informação do negócio que está sendo atendido pelo projeto do banco de dados. Para isso, é necessário um bom levantamento de requisitos, atividade que é feita pelo analista de requisitos que atua junto ao analista de negócios a fim de descobrir os requisitos de informação que devem ser atendidos no projeto do banco de dados.
  18. 18. MODELAGEM DE DADOS 18 Qual o objetivo da modelagem de dados? Por que modelar os dados do ambiente de negócios? - Representar os conceitos do ambiente de negócios observado - Documentar e normalizar os dados no modelo de dados - Fornecer processos de validação - Observar fatos no ambiente de negócios e identificar relacionamentos entre os objetos do ambiente de negócios. - Representar as regras de negócio que regulam os processos no ambiente de negócios
  19. 19. MODELAGEM DE DADOS 19 Modelagem de dados – Funciona como receita, isto é, uma preparação para criação de um banco de dados propriamente dito. A modelagem precede a criação do BD. É imprescindível conhecer e entender seu funcionamento . A mesma dividida em três partes.  A parte inicial é independente do SGBD , ou seja, o modelo é mais teórico a ponto de não interferir na escolha da tecnologia a ser aplicada. A partir do modelo logico o quadro muda pois a tecnologia passa a ditar as regras do desenvolvimento, tornando o modelo mais especificamente voltado para o SGBD. Figura a seguir retrata essa separação.
  20. 20. 20 MODELAGEM DE DADOS
  21. 21. MODELAGEM DE DADOS 21  Modelo conceitual – levantamento de requisitos é o nome dado à tarefa de analisar o ambiente, aplicar a abstração e transformar o resultado da analise em um modelo chamado de conceitual. Esse modelo cria o conceito, isto é, as definições principais da empresa em relação a necessidade. É como se fosse um espelho da empresa, detalhando cada objeto importante dentro do ambiente observado.  Os modelos de dados conceituais utilizam conceitos como entidades, atributos e relacionamentos. Uma entidade representa um objeto do mundo real ou um conceito, como um funcionário ou um projeto, que são descritos no banco de dados. Um atributo corresponde a alguma propriedade de interesse que ajuda a descrever uma entidade, como o nome do funcionário ou seu salário. O relacionamento entre duas ou mais entidades mostra uma associação entre estas: por exemplo, um relacionamento trabalha-em de um funcionário com um projeto.
  22. 22. MODELAGEM DE DADOS 22  Modelo Conceitual  • usados na descrição do banco de dados.  • Independente de implementação e SGBD.  • Descrição mais abstrata do banco de dados.  • É o ponto de partida para o projeto  • Ex.: MER
  23. 23. MODELO E-R 23 Modelo baseado na percepção do mundo real, que consiste em um conjunto de objetos básicos chamados entidades e nos relacionamentos entre esses objetos Facilitar o projeto de banco de dados, possibilitando a especificação da estrutura lógica geral do banco de dados dfelipe.developer@gmail.com
  24. 24. MODELO E-R 24 Imagine o funcionamento de interno de uma agencia bancaria. Existem os clientes e as contas bancarias. Ambos são Entidades desse Ambiente, pois ambos são dados importantes que precisam ser armazenados para o uso posterior. Ficam então as duas ENTIDADES : CLIENTES e CONTAS.Veja omodelo abaixo exposto na figura 10 .
  25. 25. 25 MODELO E-R  Nesse exemplo da agência bancária, o que o modelo conceitual acima está indicando é que :  No ambiente existem Clientes e Contas Corrente.  Um cliente pode ter várias Contas Corrente. Já o modelo logico é mais especifico para cada metodologia o modelo relacional foi escolhido para este caso. Para representar o modelo relacional são utilizadas as tabelas. O modelo logico reflete a estrutura real do SGBD.
  26. 26. ENTIDADES - DEFINIÇÃO São objetos do “mundo real” sobre os quais deseja-se manter informações no banco de dados. Conjunto de objetos (coisas, tudo que é perceptível, manipulável) da realidade modelada sobre os quais deseja-se manter informações no banco de dados. Uma entidade tem um conjunto de propriedades, e os valores para alguns conjuntos dessas propriedades devem ser únicos. Uma entidade pode ser completa, como uma pessoa ou um livro, ou pode ser abstrata como um empréstimo, uma viagem de férias ou um conceito. 26
  27. 27. 27 ENTIDADES - DEFINIÇÃO  As entidades no modelo ER são representadas por um retângulo e dentro do retângulo encontra-se o nome da entidade. Como em uma empresa podem existir várias entidades, vários retângulos podem aparecer em um mesmo modelo ER. Veja a figura 12 que retrata entidades de um ambiente escolar.  Nessa figura apenas algumas entidades do ambiente estão sendo destacadas. A depender da necessidade, outras entidades poderão surgir. Contudo o modelo ER não se define apenas em exibir as entidades no diagrama. Estas entidades possuem outras propriedades que são deveras importantes.
  28. 28. ESTRATÉGIAS PARA RECONHECER ENTIDADES 28 As coisas tangíveis: aquilo que pode ser tocado. – avião, carro, cachorro, gato, livro, caderno.... Funções: todo o tipo de papel, atribuição, classificação, ou outra característica qualquer que para um dado elemento, especifique não sua existência mas sua atuação no ambiente em que está inserido. –Departamento de uma empresa, o autor deumlivro, ummédico Eventos ou ocorrências: são ações ou fatos que uma vez ocorrendo possuem características próprias sobre as quais podemos fazer alguma referência. –umvôo comercial, umacidente de trânsito, umjogo de futebol...
  29. 29. ATRIBUTOS 29 Uma entidade é representada por um conjunto de atributos Para cada atributo há um conjunto de valores permissíveis (domínio). – Um atributo é um dado que é associado a cada ocorrência de uma entidade ou de um relacionamento Atributos e valores, juntos, descrevem as instâncias/ocorrências de uma entidade
  30. 30. ENTIDADES E ATRIBUTOS 30 Entidades e Seus Atributos. O objeto básico que o modelo ER representa é uma entidade, 'algo' do mundo real, com uma existência independente. Uma entidade pode ser um objeto com uma existência física (por exemplo, uma pessoa, um carro, uma casa ou um funcionário) ou um objeto com uma existência conceitual (por exemplo, uma empresa, um trabalho ou um curso universitário). Cada entidade tem atributos — propriedades particulares que a escrevem. Por exemplo, uma entidade empregado pode ser descrita pelo nome do empregado, idade, endereço, salário e trabalho (função). Uma dada entidade terá um valor para cada um de seus atributos. Os valores dos atributos que descrevem cada entidade se tornarão a maior parte dos dados armazenados no banco de dados.
  31. 31. ENTIDADES E ATRIBUTOS 31 A Figura mostra duas entidades e os valores de seus atributos. A entidade empregado ej tem quatro atributos: Nome, Endereço, Idade e FoneResidencial; seus valores são 'John Smith', '2311 Kirby, Houston, Texas 77001', '55' e '713-749-2630', respectivamente. A entidade empresa que possui três atributos: Nome, Sede e Presidente. Seus valores são 'Sunco Oil', 'Houston' e 'John Smith', respectivamente.
  32. 32. 32 ENTIDADES E ATRIBUTOS
  33. 33. ATRIBUTOS 33 Todos atributos representados por um circulo com o nome do atributo dentro e uma seta indicando para qual entidade ele serve. As entidades podem ter inúmeros atributos que a representem. Um atributo é algo especifico da entidade. Basicamente atributos são características que identificam e representam o próprio objeto (entidade). Toda entidade do ambiente possuí suas características e essa é uma das provas de que realmente o elemento abstraído do ambiente seja de fato uma entidade, ou seja, significa que tais informações, isto é, seus atributos, precisam ser armazenados.
  34. 34. ATRIBUTOS 34 Propriedades que descrevem entidades. Exemplo de atributos para entidade escritor: • Nome • Nacionalidade • Data de nascimento • Local de nascimento • Data de morte • Heterônimo Todo objeto para ser uma entidade possui atributos e seus valores. –Vamos imaginar um funcionário de uma empresa. O que caracteriza o funcionário?
  35. 35. ATRIBUTOS 35 Valores de atributos para entidade escritor: Nome: Fernando Pessoa Nacionalidade: portuguesa Data de nascimento: 13 de Junho de 1888 Local de nascimento: Lisboa Data de morte: 30 de Novembro de 1935 Heterônimo: Álvaro de Campos, Ricardo Reis, Alberto Caeiro
  36. 36. 36 ATRIBUTOS
  37. 37. ATRIBUTOS 37 Dado que é associado a cada ocorrência de uma entidade ou de um relacionamento. Os atributos são as propriedades das entidades ou de um relacionamento.
  38. 38. ATRIBUTOS - RELACIONAMENTO 38 Observe abaixo a figura para um exemplo de RELACIONAMENTO com atributos. O que pode ser conferido na figura acima é que o prazo , o preço e a quantidade dependem diretamente das outras duas entidades. Ou seja, para estabelecer um prazo, um preço ou a quantidade, depende do material e também do fornecedor. Um fornecedor pode dar 30 dias de prazo para o pagamento, já outro pode oferecer 60 dias sobre o mesmo produto. Nesse caso mudou o fornecedor e alterou o prazo , porém o material permaneceu o mesmo.
  39. 39. ATRIBUTO SIMPLES 39 –Ocorre quando uma característica da entidade é representada por um único atributo. Exemplo: Matricula, Nome, Sexo, Salário.
  40. 40. ATRIBUTO COMPOSTO 40 É Composto de outros atributos (endereço composto de (rua, cidade, CEP); Os atributos compostos podem ser divididos em subpartes menores, que representam a maioria dos atributos básicos com significados independentes. Por exemplo, o atributo Endereço da entidade empregado, mostrado na Figura 3.3, pode ser subdividido em Endereco Rua, Cidade, Estado e CEP, com os valores '2311 Kirby', 'Houston', 'Texas' e '77001'.
  41. 41. ATRIBUTO COMPOSTO 41 Os atributos compostos são úteis para modelar as situações nas quais o usuário algumas vezes se refere ao atributo como um grupo e, em outras ocasiões, se refere especificamente a um de seus componentes. Se o atributo composto é referenciado apenas como um todo, não há necessidade de subdividi-lo em atributos componentes. Por exemplo, se não é necessário referir-se a um componente individual de um endereço (CEP, rua, e assim por diante), então o endereço pode ser definido como um atributo simples. Outro exemplo é data de nascimento.
  42. 42. ATRIBUTO MULTIVALORADO 42 Os atributos multivalorados são tratados pelos seus detalhes, seu conteúdo é formado por mais de um valor. Exemplo: Telefone. Um empregado poderá ter mais de um número de telefone. Um atributo multivalorado deve ter limite inferior e superior para restringir o número de valores permitidos a cada entidade individual. Por exemplo, o atributo Cor de um carro pode ter entre um e três valores, se presumirmos que um carro possa ter, no máximo, três cores.
  43. 43. OUTROS TIPOS DE ATRIBUTOS 43 Atributos Armazenados versus Derivados. Em alguns casos, dois (ou mais) valores de atributos estão relacionados — por exemplo, os atributos Idade e DataNascimento de uma pessoa. Para uma entidade pessoa em particular, o valor de Idade pode ser determinado pela data corrente (hoje) e o valor de DataNascimento da pessoa. Portanto, o atributo Idade é chamado atributo derivado, e é dito derivado do atributo DataNascimento, que, por sua vez, é chamado atributo armazenado. Alguns valores de atributos podem ser derivados de entidades relacionadas; por exemplo, um atributo NumerodeEmpregados, de uma entidade departamento, pode ser derivado da contagem do número de empregados relacionados (que trabalham) nesse departamento.
  44. 44. OUTROS TIPOS DE ATRIBUTOS 44 Atributo null: por exemplo, uma entidade professor pode não ter telefone celular. Em alguns casos, determinada entidade pode não ter um valor aplicável a um atributo. Por exemplo, o atributo Apartamento de um endereço se aplica apenas a endereços que estão em edifícios de apartamentos, e não a outros tipos de residência, como as casas. Por analogia, um atributo Titulação só se aplica a pessoas com titulação acadêmica. Para essas situações é criado um valor especial chamado null (nulo). Um endereço de uma casa teria valor null para seu atributo Apartamento, e uma pessoa sem titulação acadêmica teria valor null para Titulação. O valor null pode ser usado também quando não conhecemos o valor de um atributo para uma entidade em particular; por exemplo, se não soubermos o telefone residencial de 'John Smith', na Figura 3.3. O sentido do primeiro tipo de null corresponde a não aplicável, ao passo que o sentido do último se refere a desconhecido. A categoria 'desconhecido' de null pode ser, ainda, classificada em dois casos. O primeiro aparece quando se sabe que o valor do atributo existe mas está faltando — por exemplo, se o atributo Altura de uma pessoa é dado como null. O segundo caso surge quando não se sabe se o valor do atributo existe — por exemplo, se o atributo FoneResidencial de uma pessoa é null.
  45. 45. OUTROS TIPOS DE ATRIBUTOS 45 Atributo Identificador (Chave) - Atributo (ou combinação de atributos) que identifica univocamente uma instância de Entidade uma entidade pode tem mais de uma
  46. 46. RELACIONAMENTOS 46 Relacionamento é uma associação entre entidades Cada tipo entidade que participa de um tipo relacionamento executa um papel no relacionamento. Papéis não são necessários em relacionamentos cujas entidades associadas sejam distintas. Exemplos de Relacionamento :
  47. 47. 47 RELACIONAMENTOS Relacionamento: É uma associação entre entidades Representado através de um losângulo e linhas que ligam as entidades relacionadas A nomeDoRelacionamento B
  48. 48. 48 RELACIONAMENTOS  Como expressamos que João trabalha no Departamento de Contabilidade? Empregado Lotação Departamento João Pedro Paulo Maria Contabilidade Financeiro Jurídico Pessoal Diagrama de Ocorrências (instâncias)
  49. 49. Relacionamentos 49  Exemplos de Relacionamentos Medico Consulta Paciente Cliente ContaCliente Conta Residência Cidade
  50. 50. Relacionamentos com Atributos 50  Exemplo I Médico’ Consulta Paciente nome celular dataDaConsulta nome endereço Dr. Paulo Dr. Flora Vania José 22/10/2007 05/02/2009 20/03/2009 esquema instâncias
  51. 51. 51 RELACIONAMENTOS
  52. 52. CARDINALIDADES 52 A cardinalidade é um conceito importante para ajudar a definir o relacionamento, ela define o número de ocorrências em um relacionamento. Para determinarmos a cardinalidade, deve-se fazer algumas perguntas relativa ao relacionamento em ambas às direções. Especifica o número máximo de instâncias de relacionamento em que uma entidade pode participar: • um-para-um (1:1) • um-para-muitos (1:N) • ou muitos-para-um(N:1) • muitos-para-muitos (N:M)
  53. 53. Cardinalidade Máxima
  54. 54. Relacionamento Um para Um – 1:1 54  Uma ocorrência de A está associada a no máximo uma ocorrência de B, e uma ocorrência em B está associada a no máximo uma ocorrência em A. João Pedro Paulo Maria Contabilidade Financeiro Jurídico Conjunto A (Empregado) Conjunto B (Departamento) Empregado Gerencia Departamento 1 1
  55. 55. Relacionamento Um para Muitos – 1:N 55  Uma ocorrência de A está associada a várias ocorrências de B, porém uma ocorrência de B deve estar associada a no máximo uma ocorrência em A Conjunto A (Departamento) Contabilidade Financeiro João Sandro Pedro Departamento Lotação Empregado 1 N Ana Conjunto B (Empregado)
  56. 56. Relacionamento Muitos para Muitos – M:N ou N:N 56  Uma ocorrência de A está associada a qualquer número de ocorrências de B, e uma ocorrência em B está associada a qualquer número de ocorrências em A Sinpli AATOM MM-TOM Sigmoda Conjunto A (Empregado) Conjunto B (Projeto) João Pedro Paulo Maria Empregado Atua N N Projeto
  57. 57. Cardinalidade Mínima 57 O modelo ER permite expressar cardinalidades mínimas e máximas em cada relacionamento Cardinalidade Mínima: número mínimo de ocorrências de uma entidade A com relação a uma outra entidade B Representação: (cardinalidade mínima, cardinalidade máxima) Cardinalidades Possíveis: (1,1); (1,N); (0,1);(0,N);(N,N) Cardinalidade mínima = 1 (relacionamento obrigatório) Cardinalidade mínima = 0 (relacionamento opcional)
  58. 58. 58 Cardinalidade Mínima e Máxima  Exemplo de Relacionamento Obrigatório:  cada ocorrência de cliente está relacionado a no mínimo quantas contas e no máximo quantas contas?  Cada ocorrência de conta está relacionada a no mínimo quantos clientes e no máximo quantos clientes? Cliente (1,1) ContaCliente (1,N) Conta  Exemplo de Relacionamento Opcional: Empregado (1,1) Gerencia (0,1) Departamento
  59. 59. Atributos também podem ter Cardinalidade 59 Monovalorado: possui um valor único em uma entidade  Exemplo: nome nome Endereço Salário Multivalorado: possui mais de um valor para cada ocorrência da entidade  Exemplo: telefone Empregado telefone (0,N) Empregado nome Endereço Salário
  60. 60. Atributos também podem ter Cardinalidade 60
  61. 61. 61 RELACIONAMENTOS 1:1
  62. 62. 62 RELACIONAMENTOS N:1
  63. 63. 63 RELACIONAMENTOS N:M
  64. 64. EXERCICIO - CARDINALIDADES  Identifique a cardinalidade dos relacionamentos através do diagrama de ocorrências.  64
  65. 65. 65
  66. 66. 66
  67. 67. 67 NOTAÇÃO
  68. 68. 68 Estudo de Caso: Um Supermercado • O Supermercado possui vários funcionários. Esses funcionários são identificados por um código. Ainda serão registrados nesses funcionários o nome de cada um, o cargo que eles ocupam, o salário e o telefone. • O Supermercado ainda deseja guardar as informações de seus fornecedores. Eles devem possuir um código para identificá-los, o nome da empresa fornecedora, o endereço e os telefones disponíveis da mesma empresa para contato. • O Supermercado também exige que o sistema em questão guarde as vendas ocorridas entre os fornecedores e o próprio supermercado. Tal venda deve conter um código de identificação, qual funcionário participou dessa venda, qual a empresa que vendeu o vendeu o produto, o valor total da venda e a data que a mesma ocorreu.
  69. 69. Relembrando: 69 – O Supermercado possui vários funcionários. Esses funcionários são identificados por um código. Ainda serão registrado nesses funcionários o nome de cada um, o cargo que eles ocupam, o salário e o telefone.
  70. 70. 70 O Supermercado ainda deseja guardar as informações de seus fornecedores. Eles devem possuir um código para identificá-los, o nome da empresa fornecedora, o endereço e os telefones disponíveis da mesma empresa para contato.
  71. 71. 71 O Supermercado também exige que o sistema em questão guarde as vendas ocorridas entre os fornecedores e o próprio supermercado. Tal venda deve conter um código de identificação, qual funcionário participou dessa venda, qual a empresa que vendeu o produto, o valor total da venda e a data que a mesma ocorreu.
  72. 72. CARDINALIDADE 72  Cardinalidades  A cardinalidade é um conceito importante para ajudar a definir o relacionamento, ela define o número de ocorrências em um relacionamento.  Para determinarmos a cardinalidade, deve-se fazer algumas perguntas relativa ao relacionamento em ambas às direções.
  73. 73. Exercicio-01 73 EXERCÍCIOS 1 ) Faça a análise dos problemas abaixo e identifique as cardinalidades máximas e mínimas. Faça a representação gráfica(modelagem) . Não esqueça das perguntas, para identificar as cardinalidades. a) FUNCIONÁRIO TRABALHA EM UM DEPARTAMENTO b) FORNECEDOR FORNECE PRODUTO c) UM GERENTE CHEFIA UMA SEÇÃO d) UM ALUNO SE MATRICULA EM UM CURSO
  74. 74. EXERCÍCIOS- 01 74 1. Elabore um modelo de entidade única para cada caso abaixo. Identifique o nome da entidade, cada atributo (campo) das entidades, o tipo e o tamanho de cada. Faça a representação gráfica da entidade e seu dicionário de dados. a) Navio: um navio tem um nome, um código de registro, uma capacidade de transporte e um ano de construção. b) Carro: um carro tem um fabricante, um nome de série e um modelo (exemplo: Honda Accord DX, no qual Honda é o fabricante, Accord é o nome de série e DX é o modelo). Um carro também possui um código de identificação do veículo, a placa e a cor. c) Restaurante: um restaurante tem um endereço, uma capacidade, um número de telefone e um estilo de comida (por exemplo: francesa, russa, chinesa).
  75. 75. Exercício I  Considere como exemplo um sistema acadêmico. A partir das seguintes Entidades, identifique os atributos e os relacionamentos entre elas. Aluno Disciplina Professor Turma
  76. 76. EXERCICIO 02 76  Questão 1 - Sistema de Conferências. Deseja-se construir um banco de dados de um sistema de informação para controlar a execução de conferências. Após a entrevista inicial foram obtidas as seguintes informações:  Um congresso, que tem como informações nome, data e local é composto de diversas sessões;  Cada sessão é identificada por um número. Registra-se ainda o local da sessão, horário de início e término da sessão. Dentro de cada sessão são apresentados diversos artigos;  Cada artigo tem como informações ao título, número de páginas. Um artigo pode ser escrito por um ou mais autores;  Para os autores é necessário armazenar o nome, data de nascimento, e-mail e instituição a qual o mesmo está vinculada. Um autor pode escrever vários artigos;  Ainda registram-se os participantes do congresso. Para os participantes deve-se registrar o número de identificação, nome, telefone e e-mail. Os participantes podem ser de 3  tipos: estudantes, profissionais associados e profissionais não associados. Para cada tipo temos um valor de inscrição diferenciado;  Para o participante estudante é emitido um diploma especial de participação, que tem uma numeração específica, data de impressão e deve ser registrado no sistema para fins de controle.
  77. 77. Exercicio-02 77 Questão 2 – Uma farmácia possui várias filiais. Os dados de cada filial são o código da filial, endereço, telefone e nome do gerente responsável. A farmácia comercializa, em cada filial, dois tipos de produtos: medicamentos e produtos de perfumaria. Todos os produtos possuem um código, nome e preço. No caso dos medicamentos, os mesmos possuem o nome do labotatorio, farmeceutico responsavel, data de validade e uma classificação como o tipo de faixa (preta, vermelha, etc) em que se enquadra o remédio. Os perfumes por sua vez são categorizados em Masculino, Feminino e Intantil. Toda venda de produto para um cliente deve ter data, nome do cliente, valor da venda e forma de pagamento que pode ser feita com cartao de credito, cartao de debito ou dinheiro. Uma venda de medicamento pode ser feita a um cliente, com ou sem receita médica, sendo que os medicamentos que são vendidos somente com receita médica precisam ter tipo de faixa preta. Os dados da receita são data da receita, nome do paciente e CRM do médico. Todos os medicamentos são fornecidos por um determinado fabricante, que pode fornecer muitos medicamentos. Os dados do fabricante são: CNPJ, nome do fabricante, endereço, telefone e email.
  78. 78. Exercicio-02 78 Pede-se: – Identifique as entidades – Identifique os relacionamentos entre as entidades – Identifique os atributos das entidades e relacionamentos, se houver. – Identifique as Regras de Negócio - Elabore o diagrama de entidade e relacionamentos para o mini-mundo
  79. 79. Exercicio-02 79 Dado o Mini Mundo abaixo sobre uma Consulta Médica:  Cada Receita pode conter muitos Remédios  Cada Remédio pode estar em inúmeras Receitas  A Receita é cadastrado por: Número, Data, Tipo e Controle O campo Controle indica se a receita é controlada ou não  Não existem 2 Receitas com o mesmo Número
  80. 80. Exercicio-02 80 O Remédio é registrado por: Código, Nome, Fabricante, Preço e Obs O campo Observação registra bastantes dados sobre o Remédio  Não existem 2 Remédios com o mesmo Código  Em cada Receita pode existir um Prazo e uma Dosagem diferente para cada Remédio  Cada Médico pode fazer várias Receitas  Cada Receita pode ser feita por apenas um Médico  O Médico é armazenado por: Crm, Nome, Email, Fone de contato e Endereço completo  Não existem 2 Médicos com o mesmo Crm
  81. 81. 81
  82. 82. EXERCICIO-03-1 Elabore um diagrama de entidade e relacionamentos para atender as 82 necessidades de informação de uma biblioteca universitária. São elas: · O cadastro dos usuários com endereço completo, inclusive com a informação do curso do usuário e data de início e de término previsto; · Cada usuário poderá fazer empréstimo de uma ou mais obras. Cada obra poderá ser emprestada mais de uma vez ao mesmo usuário. · O cadastro das obras que constam no acervo da biblioteca, com o titulo, codigo ISBN, ano de publicacao, edição, editora, autor e a devida classificação. As obras são clasificadas como: livros científicos, coleções, matemarica, historia, filosofia, economia, administracao e negocios, engenharia, sociologia, literatura, artes, periódicos científicos, periódicos informativos, entretenimento, etc.;
  83. 83. 83 EXERCICIO-03-1 A língua em que encontra-se a obra. Exemplo: inglês, espanhol, português, etc.; · O(s) autor(es) da obra, ou seja, cada obra poderá possuir um ou mais autores e cada autor poderá ter escrito uma ou mais obras. Para o cadastro de autores deverão constar o nome e a nacionalidade do mesmo; · As editoras das obras com a respectiva cidade. Cada editora poderá estar ligado a uma ou mais obras porém cada obra está associada a somente uma editora.
  84. 84. EXERCICIO-03-1 84 Para resolver o caso acima, siga os passos: 1 - Identifique as entidades que deverão ser criadas. 2 - Efetue os relacionamentos entre as entidades identificadas 3 - Identifique para cada entidade e relacionamento os atributos; 4 - Identifique para cada entidade o atributo que será o identificador das ocorrencias da entidade;
  85. 85. EXERCICIO – 03-02 85  Faça umDiagrama Entidade-Relacionamento que represente o mini-mundo abaixo:  Uma companhia de transporte é responsável pela entrega de remessas de armazéns para depósitos de uma empresa de varejo. Os armazéns e os depósitos são identificados por números e atualmente existem 6 localizações de armazéns e 45 de depósitos.  Um caminhão pode carregar várias remessas durante uma viagem e levar remessas para múltiplos depósitos (saindo de um armazém origem e chegando a vários depósitos destinos).  Uma viagem é identificada por um número e é necessário manter informações sobre peso (massa) e volume da viagem.  Cada remessa é identificada pelo número da remessa e inclui dado sobre volume, peso (massa) e destino da remessa.  O caminhão é identificado pelo código da licença e tem diferentes capacidades para volume e peso (massa) que eles podem carregar.  A companhia possui atualmente 150 caminhões e cada caminhão faz em média 3 a 4 viagens por semana.
  86. 86. EXERCICIO – 03 86  Considere a seguinte informação sobre a base de dados de uma universidade:  Os professores têm um número de contribuinte, um nome, uma idade, um posto, e uma especialidade de investigação.  Existem projectos que têm um número, um organismo financiador, uma data de início, uma data de final, e um orçamento.  Os estudantes de pós-graduação têm um número de contribuinte, um nome, uma idade, e um plano de curso (ex. mestrado, doutoramento).  Cada projecto é gerido por um professor (o investigador principal do projecto).  Cada projecto tem a participação de um ou mais professores.  Os professores podem gerir e/ou trabalhar em vários projectos.  Cada projecto tem um ou mais estudantes de pós-graduação (conhecidos como os assistentes de investigação).
  87. 87. EXERCICIO – 03 87  Sempre que um estudante de pós-graduação trabalha num projeto, terá que existir um professor a supervisionar esse trabalho. Os estudantes podem trabalhar em vários projetos com supervisores eventualmente diferentes.  Os departamentos têm um número, um nome, e um escritório principal.  Os departamentos são liderados por um professor.  Os professores podem trabalhar num ou mais departamentos. Associada a cada uma destas funções está uma percentagem do seu tempo.  Os estudantes de pós-graduação estão associados a um departamento no qual fazem o seu curso.  Cada estudante de pós-graduação tem um outro estudante mais velho que é o seu aconselhador.  Desenhe o diagrama de entidades e relacionamentos para este problema.
  88. 88. MODELAGEM DE DADOS 88 Modelo logico – Diferentemente do modelo conceitual, que contempla o ambiente da empresa e as Entidades desse ambiente, o modelo lógico tem sua definição baseada no SGBD escolhido. Nesse caso, o modelo escolhido será o modelo Relacional. De acordo com Cougo (1997,p 29) : Define-se como modelo logico de dados (MLD) aquele em que os objetivos, suas características tem e relacionamentos tem têm a representação de acordo com as regras de implementação e limites impostos por algum tipo de tecnologia.

×