Proposta de Metodologia para Valoração de Serviços Ancilares das Usinas da CESP<br />Apresentador: Thales Sousa<br />
Proposta de Metodologia para Valoração de Serviços Ancilares das Usinas da CESP<br />Empresa Proponente: <br />CESP - Comp...
Década de 90<br />Reestruturação do Setor Elétrico<br />Definição do Mercado de Energia<br />Participação de Agentes Disti...
Objetivos<br />Nesse sentido, o presente trabalho propôs a elaboração de uma metodologia para o ressarcimento e remuneraçã...
 Reserva de Potência Ativa;
 Sistemas Especiais de Proteção e;
 Suporte de Potência Reativa. </li></ul>A validação da metodologia proposta foi realizada a partir de estudos teóricos e p...
metodologia<br /><ul><li> Serviços Ancilares no Brasil</li></ul>*Onde CPSA significa Contrato de Prestação de Serviços Anc...
1. Auto-restabelecimento (Black-Start)<br />onde:<br />Rec1 é a receita destinada ao ressarcimento pelo investimento/adequ...
2. Reserva de Potência Ativa (CAG e RT)<br />onde:<br />Rec1 é a receita destinada ao ressarcimento pelo investimento/adeq...
 Com objetivo de mensurar o C.O. foi proposta a seguinte rotina:<br />
3. Sistemas Especiais de Proteção (SEP’s)<br />onde:<br />Rec1 é a receita total destinada ao ressarcimento do investiment...
4. Suporte de Potência Reativa<br />onde:<br />Rec1 é a receita total destinada ao ressarcimento do investimento/ adequaçã...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

17.ago safira 11.50_213_cesp

451 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
451
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
67
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

17.ago safira 11.50_213_cesp

  1. 1. Proposta de Metodologia para Valoração de Serviços Ancilares das Usinas da CESP<br />Apresentador: Thales Sousa<br />
  2. 2. Proposta de Metodologia para Valoração de Serviços Ancilares das Usinas da CESP<br />Empresa Proponente: <br />CESP - Companhia Energética de São Paulo<br />Gerente do Projeto: José Antônio de Oliveira Rosa<br />Entidades Executoras: <br />Fundação para o Desenvolvimento Tecnológico da Engenharia - FDTE<br />Fundação de Ensino, Pesquisa e Extensão de Ilha Solteira - FEPISA <br />Coordenador: Prof. Carlos Marcio Vieira Tahan (FDTE)<br />Duração: 24 meses<br />
  3. 3. Década de 90<br />Reestruturação do Setor Elétrico<br />Definição do Mercado de Energia<br />Participação de Agentes Distintos<br />Necessidade de separar os diferentes tipos de serviços prestados<br />Resoluções No265/2003 e 251/2007 <br />Definição dos Serviços Ancilares<br />Remuneração dos Serviços Ancilares<br />MOTIVAÇÃO DO PROJETO<br />
  4. 4. Objetivos<br />Nesse sentido, o presente trabalho propôs a elaboração de uma metodologia para o ressarcimento e remuneração dos seguintes Serviços Ancilares:<br /><ul><li> Auto-restabelecimento;
  5. 5. Reserva de Potência Ativa;
  6. 6. Sistemas Especiais de Proteção e;
  7. 7. Suporte de Potência Reativa. </li></ul>A validação da metodologia proposta foi realizada a partir de estudos teóricos e práticos (simulações) relacionados aos Serviços Ancilares prestados pelas usinas da CESP. <br />
  8. 8. metodologia<br /><ul><li> Serviços Ancilares no Brasil</li></ul>*Onde CPSA significa Contrato de Prestação de Serviços Ancilares <br />
  9. 9. 1. Auto-restabelecimento (Black-Start)<br />onde:<br />Rec1 é a receita destinada ao ressarcimento pelo investimento/adequação da(s) instalação(ões);<br />Rec2 é a receita relacionada ao ressarcimento dos custos fixos e variáveis de operação e manutenção (O&M) do serviço;<br />Rec3 é a receita relacionada à remuneração pelo serviço, através de um Fator de Incentivo (X). <br />
  10. 10. 2. Reserva de Potência Ativa (CAG e RT)<br />onde:<br />Rec1 é a receita destinada ao ressarcimento pelo investimento/adequação da(s) instalação(ões);<br />Rec2é a receita relacionada ao ressarcimento dos custos fixos e variáveis de Operação e Manutenção (O&M) do serviço;<br />Rec3é a receita relacionada à remuneração pelo serviço, determinada a partir da mensuração da perda de eficiência - Custo de Oportunidade (C.O.).<br />
  11. 11.  Com objetivo de mensurar o C.O. foi proposta a seguinte rotina:<br />
  12. 12. 3. Sistemas Especiais de Proteção (SEP’s)<br />onde:<br />Rec1 é a receita total destinada ao ressarcimento do investimento/ adequação (Inv) da(s) instalação(ões);<br />Rec2 é a receita relacionada ao ressarcimento dos custos fixos e variáveis de O&M relativo(s) ao SEP e à(s) unidade(s) envolvida(s) no fornecimento do serviço;<br />Rec3é a receita relacionada à remuneração pelo serviço, podendo ser determinada a partir das perdas técnicas; do Custo de Oportunidade (C.O.) e; de uma parcela de incentivo pela provisão do serviço de SEP, se pertinente. <br />
  13. 13. 4. Suporte de Potência Reativa<br />onde:<br />Rec1 é a receita total destinada ao ressarcimento do investimento/ adequação (Inv) da(s) instalação(ões) relacionadas à provisão do serviço;<br />Rec2 é a receita relacionada ao ressarcimento dos custos fixos e variáveis de O&M resultante da prestação do serviço;<br />Rec3é a receita relacionada à remuneração pelo serviço determinada a partir da mensuração das perdas de potência ativa e/ou pelo Custo de Oportunidade (C.O.) resultante da prestação do serviço (custo evitado). <br />
  14. 14. A Parcela Rec3 foi determinada a partir da rotina:<br />
  15. 15. 5. Mecanismos Transacionais Aplicáveis <br />
  16. 16. SÍNTESE<br />

×