A Terra Conta A Sua HistóRia

8.608 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Turismo

A Terra Conta A Sua HistóRia

  1. 1. A Terra conta a sua história<br />
  2. 2. A Terra conta já com cerca de 4.600 Milhões de anos! E neste vasto período de tempo, a Terra e a Vida não pararam de se transformar!<br />Hoje com o auxílio dos fósseis, das rochas e das paisagens geológicas, conhecemos cada vez melhor a longa história do nosso planeta azul e da nossa região.<br />
  3. 3. A Terra é um planeta em transformação!<br />Se no espaço de um ano ocorrem tantas variações no nosso Mundo, tais como: inundações, sismos, vulcões, tempestades, aluimentos de terras, alteração das praias, entre muitas outras, durante um intervalo de tempo tão grande ocorrerão muitas mais. <br />Estas modificações incessantes são devidas a fontes de energia que podem ser externas (Sol)e/ou internas (radioactividade natural das rochas), e condicionam tudo o que existe à superfície do planeta azul - as rochas da litosfera, as águas da hidrosfera, os gases da atmosfera e os seres vivos da biosfera.<br />A maior parte destas transformações desapareceu sem deixar rasto. Contudo, algumas vezes ficaram preservadas e são testemunhos do passado, funcionando como documentos históricos que nos ajudam a reconstituir o passado do nosso planeta.<br />Mas então…<br />
  4. 4. …Onde está escrita a História da Terra? <br />
  5. 5. Podemos encontrar respostas a esta questão nos Fósseis, nas Rochas e nas Paisagens Geológicas.<br />
  6. 6. As rochas constituem o “livro” onde se escreve a história da Terra; os fósseis são as “palavras”, muitas vezes frases incompletas, e, por isso, é fundamental saber interpretá-las. <br />TrilobiteDalmanitessocialis, Ordovícico.Local: Buçaco.<br />
  7. 7. A Ciência que estuda os fósseis é a Paleontologia [nome que deriva do grego palaios (antigo)+ontos (ser)+logos (tratado)].<br />Esta ciência estuda os organismos que viveram no passado da Terra sob todos os aspectos. Procura especialmente conhecer as relações entre os seres vivos, entre estes e o meio ambiente, e a sua ordem no tempo.<br />
  8. 8. A Paleontologia pretende conhecer do modo mais completo possível os seres vivos que antecederam os actuais: o seu modo de vida, as condições ambientais e bióticas nas quais se desenvolveram, as causas da morte ou da sua extinção, e as possíveis relações evolutivas entre eles.<br />
  9. 9. Fósseis (do latim fossilis) são os restos materiais de antigos organismos ou as manifestações da sua actividade, que ficaram preservados nas rochas em que se depositaram.<br />
  10. 10. Entende-se por:<br /><ul><li>restos materiais – evidências de partes duras do organismo como ossos, dentes, troncos, chifres, ou o corpo inteiro em casos excepcionais;
  11. 11. manifestações de actividade</li></ul>são de dois tipos:<br />a)vestígios orgânicos, como estruturas reprodutoras (ovos, sementes, esporos, pólenes, etc.), excrementos e restos de construções orgânicas;<br />b)rastos, como pegadas ou impressões de outras partes do corpo (dentadas, por exemplo), pistas, galerias abertas em rochas, esqueletos ou troncos, etc.<br />
  12. 12. Para queservemosfósseis?<br />Os fósseis são muito importantes para saberes e entenderes a vida das gerações passadas.<br />Através das camadas das rochas podemos saber mais ou menos a idade da Terra e dos seres vivos.<br />
  13. 13. Como se formam os fósseis? <br />De um modo geral, os organismos são completamente destruídos após a morte e num determinado espaço de tempo, processo este que se designa por decomposição.<br />Estes são decompostos pela acção combinada de:<br />organismos decompositores (geralmente microorganismos); agentes físicos (alterações de pressão e temperatura) e agentes químicos (dissoluções, oxidações, entre outros). <br />
  14. 14. Por vezes, os restos orgânicos ficam rapidamente envolvidos num material protector que os preserva do contacto com a atmosfera, da água e da acção dos decompositores.<br />Este processo é raro (acontece em menos de 1% das situações), complexo e geralmente só as partes duras (troncos, conchas, carapaças, ossos e dentes) fossilizam. <br />A fossilização é um processo muito lento e complexo!<br />
  15. 15. De acordo com as condições do ser vivo e do meio, podem ocorrer diversos tipos de fossilização. Podemos classificar, simplificadamente, estes processos em três grupos:<br />
  16. 16. Moldagem – o organismo imprime um molde nos sedimentos que o envolvem. As partes duras dos organismos acabam por desaparecer deixando nas rochas as suas marcas. Certos orgãos de pequena espessura, como folhas, podem fossilizar num tipo de moldagem chamado impressão. <br />Impressão de folhas em sedimentos<br />Molde interno de Gastrópode<br />
  17. 17.
  18. 18. Mineralização - os materiais originais que compõem o ser vivo são substituídos, partícula a partícula, por substâncias minerais, mantendo as características do organismo.<br />Trilobite fóssil denotando-se uma elevada perfeição<br />Troncos de árvores mineralizados<br />
  19. 19. Consiste no preenchimento das partes duras de um organismo por minerais transportados em solução nas águas subterrâneas e que precipitam, como a sílica e a calcite. Os minerais, devido a elevadas condições de pressão, acabam por cimentar e formar uma rocha. <br />
  20. 20. Conservação (ou mumificação)- o material original do ser vivo conserva-se parcial ou totalmente. Ocorre quando o ser vivo é envolvido totalmente por uma substância (resina, gelo) que impede a sua decomposição. <br />Garra de ave (Moa) com partes moles preservadas. A preservação ocorreu no interior de uma gruta com atmosfera seca e estéril.<br />Mamute preservado em gelo descoberto na Sibéria. O gelo interrompe a actividade dos microorganismos decompositores e retarda a decomposição físico-química.<br />Mosquito preservado em âmbar. O âmbar isola o organismo do contacto com o exterior.<br />
  21. 21. Icnofósseis (marcas fósseis): pegadas, marcas de reptação, rastos, ninhos, fezes, que constituem evidências da actividade do ser vivo cuja marca não foi destruida. Abaixo vê-se uma pegada de um dinossáurio carnívoro (Terópode). <br />
  22. 22. As trilobites eram artrópodes marinhos que viveram exclusivamente nos mares do Paleozóico. Extinguiram-se antes do aparecimento dos dinossauros.<br />As Trilobites eram artrópodes, tal como os insectos, as aranhas, os caranguejos e as lagostas.<br />
  23. 23. Como é queuma Trilobite fossiliza?<br />
  24. 24.
  25. 25.
  26. 26.
  27. 27.
  28. 28.
  29. 29. Os fósseis de Estromatólitos são os fósseis mais antigos que se conhecem. Tiveram origem em algas microscópicas e encontram-se em África do Sul e na Austrália, respectivamente com cerca de 3200 e 3600 milhões de anos. <br />
  30. 30. As amonites eram moluscos que se extinguiram na mesma altura dos dinossauros. Chegavam a atingir um metro de diâmetro e a pesar até 100Kg. Alguns parentes mais próximos ainda vivem actualmente, como é o caso do Nautilus. <br />
  31. 31. http://www.youtube.com/watch?v=YXSEyttblMI<br />http://www.youtube.com/watch?v=GUNpPg2h0YA<br />
  32. 32. Exercício página 53 e 57.<br />
  33. 33. Os dinossauros surgiram em nosso planeta na Era Mesozóica, conhecida por isso como Era dos Grande Répteis. Esta era  durou desde há 240 milhões até há 65 milhões de anos atrás. <br />Os dinossauros surgiram há aproximadamente 220 milhões de anos, e dominaram o planeta durante toda a Era Mesozóica.<br />Pesando, na maioria dos casos, toneladas, os enormes répteis alimentavam-se de carne, frutas, plantas e de insectos.<br />
  34. 34.
  35. 35. Brachiosaurus<br />
  36. 36. Pterossaurus<br />
  37. 37. Ictiossauros<br />
  38. 38. http://www.youtube.com/watch?v=L6ARCje8r2o<br />
  39. 39. &quot;Fóssil vivo&quot;<br />&quot;Fóssil vivo&quot; é uma expressão utilizada informalmente para qualificar organismos de grupos biológicos actuais que são morfologicamente muito similares a organismos dos quais há conhecimento apenas do registo fóssil. Frequentemente, os &quot;fósseis vivos&quot; pertencem a grupos biológicos que no passado geológico da Terra foram muito mais abundantes e diversificados que actualmente.<br />Comparando as baratas de hoje com as do passado elas mudaram muito pouco<br />
  40. 40. Ginkgobiloba, de origem chinesa, é uma árvore considerada um fóssil vivo. É símbolo de paz e longevidade, por ter sobrevivido as explosões atómicas no Japão.<br />
  41. 41. Fósseis de Idade<br />São os que tiveram uma ampla distribuição <br />geográfica num curto espaço de tempo.<br />Quando descobrimos um fóssil de idade...<br />Permite-nos saber a idade da rocha em que se encontra.<br />Ex: Trilobites, por terem vivido em curtos Períodos da <br />Era Paleozóica, datam todos os terrenos onde se encontram,<br />como sendo desses Períodos.<br />
  42. 42. Fósseis de Fácies<br />Permitem-nos caracterizar ou reconstituir ambientes passados.<br />Ex: Rochas com Amonites, encontradas em zonas afastadas<br />do mar, permitem concluir que estas se formaram em <br />ambiente marinho.<br />

×