SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Baixar para ler offline
Andaime Suspenso
Sistema de Cabo Passante
Rev: Fev/2010
Manual Técnico de Operação
Sumário
01. O Andaime Suspenso KTB...............................................................03
02. Componentes do Andaime Suspenso KTB.......................................04
03. Dimensões das Plataformas.............................................................04
04. Peso e Capacidades dos Andaimes.................................................05
05. Opções de Montagem.......................................................................05
06. Montagem Plataformas.............................................................06 e 07
07. Guincho de Cabo Passante..............................................................08
08. Passando o Cabo..............................................................................09
09. Montagem do Guincho de Cabo Passante.......................................10
10. Descrição do Guincho de Cabo Passante........................................11
11. Trava-quedas....................................................................................12
12. Opções de instalações..............................................................13 e 14
13. Manutenção Preventiva....................................................................15
14. Recomendações de Instalação.................................................16 e 17
15. Norma Regulamentadora NR-18..................................18, 19, 20 e 21
01. O Andaime Suspenso KTB.
Os Andaimes Suspensos da KTB, são caracterizados por serem,
portáteis, pois suas plataformas são totalmente desmontáveis, além de
serem versáteis , proporcionando movimentações rápidas e seguras, pois
utilizam o novo sistema de guincho de cabo passante manual com freio
absoluto.
Sua utilização corresponde a trabalhos verticais das construções,
para efeito de reparos, pinturas, acabamentos, reformas, limpeza, dentre
outros.
Os Andaimes Suspensos da KTB são modulares podendo ser de 2m
até 6m, com fácil montagem e utilização, além de proporcionar segurança
a sua obra, pois possui um cabo auxiliar (para cada guincho) com
sistema trava-queda automático. Suas plataformas foram projetadas para
proporcionar segurança pois estão de acordo com a norma NR-18.
A capacidade máxima de carga de trabalho está limitada no Capitulo
4 deste manual.
A Ktb Equipamentos não se responsabiliza pela montagem e fixação
do andaime suspenso à obra, pois estes devem ser realizados por
pessoas habilitadas, fornecendo o laudo dos mesmos aceitos legalmente
atestando a qualidade de seus serviços.
Nota: Entende-se como carga de trabalho, o somatório de todos os
produtos presentes na mesma (ferramentas, operários, cargas, etc.)
03
02. Componentes do Andaime Suspenso KTB.
1- Fechamento Lateral
2- Fechamento Frontal 2m
3- Guincho de Cabo passante Manual
4- Fechamento Posterior 2m
5- Base 2m
6- União
7- Fechamento Frontal 3m
8- Fechamento Posterior 3m
9- Base 3m
03. Dimensões das Plataformas
Plataforma Dimensão “A”(mm) *Dimensão “B”(mm)
2m 2080 2030
3m 3080 3030
4m 4120 4070
5m 5120 5070
6m 6120 6070
* A dimensão “B” é a distancia entre centro dos cabos.
04
04. Peso e Capacidades dos Andaimes
Tamanho Plataformas +
Guinchos
Capacidade Homens +
Cargas
2m 166 Kg 534 Kg
3m 182 Kg 518 Kg
4m 270 Kg 430 Kg
5m 286 Kg 414 Kg
6m 302 Kg 398 Kg
Cada guincho manual pesa 23 Kg. Cada metro linear de cabo Ø5/16",
pesa em media 0.24 Kg
05. Opções de Montagem
Abaixo segue as opções de montagens dos andaimes suspensos
KTB. Não é permitido montar plataformas além de 6m de
comprimento.
05
06. Montagem Plataformas
Para iniciar a montagem da plataforma, encaixe o fechamento
frontal e o fechamento posterior nos suportes existentes no fechamento
lateral parafusando os mesmos nos encaixes superiores. Conforme
ilustração abaixo. (Parafuso M12-Classe 8.8)
Em seguida encaixe o piso nos acoplamentos dos fechamentos
frontal e posterior.
Fechamento Posterior
Fechamento Frontal
Suportes
Fechamento Lateral
Base (Piso)
Logo após o encaixo da base (piso) nos fechamentos frontal e
posterior, é necessário colocar o ultimo fechamento lateral, do mesmo
modo que no primeiro caso. Conforme ilustração a seguir.
As plataformas modular da KTB, tem a opção de extender seu
comprimento através do elemento união. Para isso, repita todas as
etapas anterior, porém no lugar do ultimo fechamento lateral, é colocado
o elemento união , após o mesmo, fixe a outra plataforma no sentido
oposto.
07
União
07. Guincho do Cabo Passante
O guincho de cabo passante da KTB tem como acionamento duas
manivelas, como mostra a ilustração abaixo. No sentido anti-horário
temos uma razão de subida e no sentido oposto (horário) temos a razão
de descida.
No guincho de cabo passante da KTB, o freio é automático, ou seja,
tanto na subida como na descida, para acionar o freio basta
simplesmente parar de exercer atividade nas manivelas, o freio atua
impedindo que haja retrocesso nas polias condutoras.
O guincho de cabo passante possui em seu interior duas polias
condutoras ligadas a uma engrenagem motora. O cabo de aço é
tracionado através destas duas polias gerando atrito juntos as roldanas
de pressão que exercem pressão no cabo contra as ranhuras das
polias. Uma das roldanas de pressão, possui regulagem para aumentar
a pressão da mesma, melhorando assim a tração do guincho. Conforme
ilustração abaixo.
Para tracionar mais
a mola, basta apertar
a borboleta
localizada na lateral
do guincho.
08
08. Passando o Cabo
Abaixo temos a ilustração do cabo de tração e do cabo de segurança
já posicionados no guincho, em ordem crescente acompanhe o percurso.
Para passar o cabo de segurança no trava-quedas é necessário que
o mesmo seja inserido no orifício do guia pressionando-o para afastar as
esferas de frenagem.
O cabo de tração entra na bucha do braço do freio no ponto 1, entra
para dentro do guincho no ponto 2, no ponto 4, coloque o cabo entre a
polia condutora e a proteção do cabo, acione as manivelas do guincho no
sentido anti-horário, o guincho começará a puxar o cabo passando pelos
pontos 5, 6, 7, 8, 9, 10, após isso com o auxilio do operador guiar o cabo
até o mesmo sair pelo o outro orifício do guincho.
09
9. Montagem do Guincho do Cabo Passante
A fixação dos guinchos manuais nas plataformas devem ser
realizada por dois parafusos M12x80 classe 8.8(resistencia). O tipo de
cabo utilizado tanto no guincho para traciona-lo como no trava-quedas
deve ser de diametro 5/16" tipo 6x19 AF.
Veja as ilustrações.
Parafusos
10
10. Descrição do Guincho do Cabo Passante
1- Cj. caixa (carcaça)
2- Block Stop (anti-queda)
3- Polia Condutora
4- Fixador polia condutora
5- Rolamento
6- Anel
7- Protetor do Cabo
8- Cj. Roldana de pressão Reg.
9-********
10- Reg. roldana de pressão
11- Mola fixa
12-******
13-******
14- Engrenagem motora
15-******
21- Manivela acionadora
22- Braço acionador trava-
quedas
23- Roldana de pressão
26- Caixa freio automático
32- Tampa da caixa
33- Mola com regulagem
OBS: Os demais números
corresponde a detalhes
específicos, não havendo
necessidade de cita-los.
11
11. Trava-quedas
O trava quedas tem como objetivo, interromper a queda do andaime
no caso do cabo principal (cabo de tração do guincho) vier à romper.
Veja detalhes do trava quedas na ilustração abaixo.
01- Fixação do Block Stop
02- Batente
03- Esferas do freio
04- Mola de acionamento
05- Anel fixador
06 Arruela fixadora
Quando o cabo principal encontra-se tencionado, o braço
acionador do trava-quedas, empurra o batente para a posição inferior,
ou seja, para baixo, caso ocorra o rompimento do cabo principal, o
braço acionador para de tencionar o trava-quedas, assim a mola de
acionamento que encontra-se dentro do trava-quedas, empurra o
batente para cima, fazendo com que as esferas travem o cabo de
segurança.
Além de impedir a queda do andaime por rompimento do cabo
principal, o block stop atua também como sistema de anti-inclinação do
andaime, ou seja, no momento que um guincho estiver desalinhado
com o outro, o braço de acionamento de trava-quedas acionará,
evitando assim a continuidade do desalinhamento, o mesmo trabalha
12
12. Opções de instalações
A ancoragem dos andaimes suspensos manuais, pode ser feita
por meio de vigas, afastadores, dentre outras estruturas metálicas
desde que as mesmas suportem tres vezes mais o esforço do
andaime.
De acordo com a NR-18, qualquer tipo de ancoragem feita para
sustentar o andaime, deve ser elaborada através de projetos, junto ao
acompanhamento de um profissinal habilitado, gerando assim um
laudo do mesmo.
Com isso, a KTB Equipamentos, não se
responsabiliza por erros de montagem e fixação
do andaime, as informações contidas neste
manual são métodos usuais, não dispensando a
avaliação de um profissinal tecnico.
Para um bom funcionamento e segurança deve-se seguir a tabela
abaixo em relação a distancia dos elementos de sustentação do
andaime. Lembramos que o método fornecido pela KTB
Equipamentos é o de utilização de afastadores de paredes.
Plataforma *Dimensão “B”(mm)
2m 2030
3m 3030
4m 4070
5m 5070
6m 6070
* Dimensões “B” equivalem o entre centros dos
cabos
13
Instalação com sistema de afastador
O afastador fornecido pela KTB Equipamentos tem como finalidade
afastar o cabo de aço na medida correta, é necessário monta-lo antes
de fixar os cabos. Conforme a NBR 6494, o afastador deve ser fixado
na mureta de alvenaria, com um cabo de aço, amarrado com três
clipes, a um ponto fixo (como um pilar).
Colocação de contrapesos
Para que os cabos de aços, tanto do trava-quedas como os de
tração do guincho de cabo passante, fiquem esticados, gerando um
bom funcionamento dos mesmos, deve-se colocar contrapesos em
suas extremidades próximas ao solo (aproximadamente 10 Kg).
14
13. Manutenção Preventiva
* Diária
1. Verificar se a posição do cabo de tração encontra-se devidamente
entre as polias condutoras;
2. Verificar se o cabo de trava-quedas encontra-se em sua devida
posição;
3. Verificar o acionamento do trava-quedas.
4. Inspecionar o interior do guincho visualmente, especificamente suas
engrenagem;
5. Testar o freio automático do guincho;
6. Inspecionar os cabos de tração e de segurança;
7. Ao movimentar o guincho, observar, ruídos em seu interior;
* Quinzenal
8. Retirar a proteção do sistema de freio absoluto, e
colocar graxa de alta densidade em seu
mecanismo. Este procedimento deve ser feito a
* Mensal
9. Limpeza geral (guincho, trava quedas, etc.);
10. Verificar ruídos no mecanismo do guincho, indicando
]rolamentos defeituosos;
11. Verificação geral em todo o equipamento, principalmente nos
cordões de soldas se não há sinal de oxidação (ferrugem);
12. Verificação detalhado dos cabos de aços;
13. Verificar se não há parafusos ou porcas sem aperto;
14. Realizar um inspeção visual em todas as engrenagens e no
sistema de freio absoluto, se necessitar substitui-las.
15
14. Recomendações de instalação
* O sistema de ancoragem (fixação) do andaime deve ser projetado e
acompanhado por um profissional responsavel habiiltado (engenheiro)
A KTB Equipamentos não se responsabiliza por
erros nas montagens e pela ancoragem do
andaime em sua utilidade;
* O elemento estrutural que fixará os cabos dos andaimes deve
suportar tres vezes mais a força de trabalho;
* Manter sempre o andaime nivelado em relação ao solo, não
trabalhando sob inclinação, evitando assim uma sobrecarga nos
guinchos;
* Respeitar a tabela da capacidade do andaime, dividindo o peso
uniformemente sobre o mesmo;
* Em caso de montagem, desmontagem e manutenção, o andaime
deve ser interditado, com excessão da equipe tecnica;
* É proibida a utilização de equipamentos de elevações (escadas, etc.)
dentro da área de trabalho do andaime;
* É proibida a retirada de qualquer dispositivo de segurança do
andaime;
* Os engates das plataformas devem ser fixado com todos os
parafusos, não descartando nenhum;
* Nunca deve-se permitir a utilização do andaime por uma única
pessoa, pois pode haver a necessidade de auxilio em caso de
emergencia;
* Verificar diáriamente avarias nos cabos, substituindo-os se for
* Sempre proteger os cabos das quinas, pois as mesmas podem
danificar os cabos;
* Não usar lubrificantes nos cabos;
16
* Os equipamentos de segurança individuais, devem ser sempre
utilizados, tendo os mesmos em bom estado, sendo de inteira
responsabilidade de seus operadores;
* Verificar diáriamente a fixação e o funcionamento do guincho e do
trava-quedas;
* Verificar se os cabos não se interlaçaram;
* Verificar o funcionamento do trava-quedas individual do operador, junto
com a inspeção de seu cabo;
* Verificar os encaixes das plataformas (Fechamento lateral, posterior,
frontal e base) junto com seus parafusos de fixação;
* Amarrar as ferramentas de trabalho manuais.
* Evitar acumulo de materias no andaime;
* Verificar ruidos no equipamento, se acorrer, solicitar o responsavel pela
manutenção.
17
15. Norma Regulamentadora NR-18 (andaimes
suspenso)
18.15 Andaimes e Plataformas de Trabalho
18.15.1 O dimensionamento dos andaimes, sua estrutura de sustentação
e fixação, deve ser realizado por
profissional legalmente habilitado.
18.15.2 Os andaimes devem ser dimensionados e construídos de modo a
suportar, com segurança, as cargas de
trabalho a que estarão sujeitos.
18.15.3 O piso de trabalho dos andaimes deve ter forração completa,
antiderrapante, ser nivelado e fixado de modo
seguro e resistente.
18.15.4 Devem ser tomadas precauções especiais, quando da
montagem, desmontagem e movimentação de
andaimes próximos às redes elétricas.
18.15.5 A madeira para confecção de andaimes deve ser de boa
qualidade, seca, sem apresentar nós e rachaduras
que comprometam a sua resistência, sendo proibido o uso de pintura que
encubra imperfeições.
18.15.5.1 É proibida a utilização de aparas de madeira na confecção de
andaimes.
18.15.6 Os andaimes devem dispor de sistema guarda-corpo e rodapé,
inclusive nas cabeceiras, em todo o perímetro,
conforme subitem 18.13.5, com exceção do lado da face de trabalho.
18.15.7 É proibido retirar qualquer dispositivo de segurança dos
andaimes ou anular sua ação.
18.15.8 É proibida, sobre o piso de trabalho de andaimes, a utilização de
escadas e outros meios para se atingirem
lugares mais altos.
18.15.9 O acesso aos andaimes deve ser feito de maneira segura.
ANDAIMES SUSPENSOS
18.15.30 Os sistemas de fixação e sustentação e as estruturas de apoio
dos andaimes suspensos, deverão ser
precedidos de projeto elaborado e acompanhado por profissional
legalmente habilitado.
18.15.30.1 Os andaimes suspensos deverão ser dotados de placa de
identificação, colocada em local visível, onde
conste a carga máxima de trabalho permitida.
18
18.15.30.2 A instalação e a manutenção dos andaimes suspensos devem
ser feitas por trabalhador qualificado, sob
supervisão e responsabilidade técnica de profissional legalmente
habilitado obedecendo, quando de fábrica, as
especificações técnicas do fabricante.
18.15.30.3 Deve ser garantida a estabilidade dos andaimes suspensos
durante todo o período de sua utilização,
através de procedimentos operacionais e de dispositivos ou
equipamentos específicos para tal fim.
18.15.31 O trabalhador deve utilizar cinto de segurança tipo pára-
quedista, ligado ao trava-quedas de segurança este,
ligado a cabo–guia fixado em estrutura independente da estrutura de
fixação e sustentação do andaime suspenso.
18.15.32 A sustentação dos andaimes suspensos deve ser feita por meio
de vigas, afastadores ou outras estruturas
metálicas de resistência equivalente a, no mínimo, três vezes o maior
esforço solicitante.
18.15.32.1 A sustentação dos andaimes suspensos somente poderá ser
apoiada ou fixada em elemento estrutural.
18.15.32.1.1 Em caso de sustentação de andaimes suspensos em
platibanda ou beiral da edificação, essa deverá ser
precedida de estudos de verificação estrutural sob responsabilidade de
profissional legalmente habilitado.
18.15.32.1.2 A verificação estrutural e as especificações técnicas para a
sustentação dos andaimes suspensos em
platibanda ou beiral de edificação deverão permanecer no local de
realização dos serviços.
18.15.32.2 A extremidade do dispositivo de sustentação, voltada para o
interior da construção, deve ser
adequadamente fixada, constando essa especificação do projeto emitido.
18.15.32.3 É proibida a fixação de sistemas de sustentação dos
andaimes por meio de sacos com areia, pedras ou
qualquer outro meio similar.
18.15.32.4 Quando da utilização do sistema contrapeso, como forma de
fixação da estrutura de sustentação dos
andaimes suspensos, este deverá atender as seguintes especificações
mínimas:
19
a) ser invariável (forma e peso especificados no projeto);
b) ser fixado à estrutura de sustentação dos andaimes;
c) ser de concreto, aço ou outro sólido não granulado, com seu peso
conhecido e marcado de forma indelével em
cada peça; e,
d) ter contraventamentos que impeçam seu deslocamento horizontal.
18.15.33 É proibido o uso de cabos de fibras naturais ou artificiais para
sustentação dos andaimes suspensos.
18.15.34 Os cabos de suspensão devem trabalhar na vertical e o
estrado na horizontal.
18.15.35 Os dispositivos de suspensão devem ser diariamente
verificados pelos usuários e pelo responsável pela
obra, antes de iniciados os trabalhos.
18.15.35.1 Os usuários e o responsável pela verificação deverão receber
treinamento e manual de procedimentos
para a rotina de verificação diária.
18.15.36 Os cabos de aço utilizados nos guinchos tipo catraca dos
andaimes suspensos devem:
a) ter comprimento tal que para a posição mais baixa do estrado restem
pelo menos 6 (seis) voltas sobre cada
tambor; e,
b) passar livremente na roldana, devendo o respectivo sulco ser mantido
em bom estado de limpeza e conservação.
18.15.37 Os andaimes suspensos devem ser convenientemente fixados
à edificação na posição de trabalho.
18.15.38 É proibido acrescentar trechos em balanço ao estrado de
andaimes suspensos.
18.15.39 É proibida a interligação de andaimes suspensos para a
circulação de pessoas ou execução de tarefas.
18.15.40 Sobre os andaimes suspensos somente é permitido depositar
material para uso imediato.
18.15.40.1 É proibida a utilização de andaimes suspensos para
transporte de pessoas ou materiais que não estejam
vinculados aos serviços em execução.
18.15.41 Os quadros dos guinchos de elevação devem ser providos de
dispositivos para fixação de sistema guardacorpo
e rodapé, conforme subitem 18.13.5.
18.15.41.1 O estrado do andaime deve estar fixado aos estribos de
apoio e o guarda-corpo ao seu suporte.
20
18.15.42 Os guinchos de elevação para acionamento manual devem
observar os seguintes requisitos:
a) ter dispositivo que impeça o retrocesso do tambor para catraca;
b) ser acionado por meio de alavancas, manivelas ou automaticamente,
na subida e na descida do andaime;
c) possuir segunda trava de segurança para catraca; e,
d) ser dotado da capa de proteção da catraca.
18.15.43 - A largura mínima útil da plataforma de trabalho dos andaimes
suspensos será de 0,65 m (sessenta e cinco
centímetros).
18.15.43.1 - A largura máxima útil da plataforma de trabalho dos
andaimes suspensos, quando utilizado um guincho
em cada armação, será de 0,90m (noventa centímetros).
18.15.43.2
18.15.43.3 Os estrados dos andaimes suspensos mecânicos podem ter
comprimento máximo de 8,00 (oito metros).
18.15.44 Quando utilizado apenas um guincho de sustentação por
armação é obrigatório o uso de um cabo de
segurança adicional de aço, ligado a dispositivo de bloqueio mecânico
automático, observando-se a sobrecarga
indicada pelo fabricante do equipamento.
Revogado pela Portaria SIT n.º 15, de 10 de abril de 2006)
21
MANUAL
DE
OPERAÇÃO
Balancim Individual Manual
do Tipo Cadeirinha
Modelo Cabo Passante
Balancim Individual Manual KTB
O Balancim Individual Manual KTB é um equipamento para movimentações verticais
realizadas através do guincho de cabo passante, possui freio instantâneo e sistema antiqueda
(Bloq-Stop KTB). Indicado para utilização em locais onde não é possível a utilização de
Andaimes.
DESCRIÇÃO:
Modelo: BALANCIM INDIVIDUAL GUINCHO DE CABO PASSANTE B
Cabo de Aço: ¼” 6x19 AF
Carga Máxima: 120kg (sem cabo)
Acessórios de Segurança Recomendados: Corda, trava automática, cinto de segurança, cinto
pára-quedista, trava-quedas.
CARACTERÍSTICAS ESPECIAIS:
• Conforme a NR-18, todos os balancins manuais possuem placa de identificação na parte
interna da tampa, com fácil acesso.
• O balancim manual modelo de cabo passante possui freio instantâneo e sistema antiqueda.
• Os equipamentos de EPI não são fornecidos pela KTB.
CARACTERÍSTICAS DO CABO DE AÇO:
• Diâmetro de ¼”
• Tipo 6x19 AFD TRD
• Carga de trabalho: 448 kgf
• Carga de ruptura: 2240 kgf
• F.S: 5:1
APLICAÇÕES:
Utilizado em serviços de revestimento externos, pinturas, acabamentos e limpeza em geral,
serviços rápidos onde não há necessidade ou disponibilidade para instalar Andaimes
Suspensos.
INSTALAÇÃO:
As normas NBR 14.626, 14.627, 14.628 e 14.751 da ABNT exigem que os cabos e cordas das
cadeiras e trava-quedas sejam fixados em pontos com resistência de no mínimo 1.500kg.
A corda deve ser fixada obrigatoriamente em um ponto diferente do fixado o cabo de aço.
As normas internacionais determinam que todos os suportes estabilizados por contrapesos,
com simples encaixe ou grampos de aperto possuam ancoragem em ponto resistente
(mínimo de 1.500kg) por meio de corrente ou cabo de aço.
FIXAÇÃO DIRETA (sem uso de suportes): Nesse caso não há distancia entre os cabos e a
fachada, sendo possível a movimentação da cadeira com facilidade do solo ao penúltimo
andar. As cordas devem ser protegidas da quina da parede por meio de material flexível, tipo
borracha. Os cabos de aço não devem ser apoiados diretamente nas quinas, mesmo com
proteção tipo borracha, visto que sofrem deformação permanente e ficam com a resistência
comprometida. Para sua correta fixação é necessário usar corrente ou outro cabo de aço
(com diâmetro maior) ligados por meio de mosquetão ou manilhas.
FIXAÇÃO INDIRETA (com uso de suportes): Utilizando-se suportes que deixam os cabos
distanciados cerca de 30cm da fachada, é possível movimentar-se com facilidade do solo ao
último andar.
AFASTADOR: O afastador fornecido pela KTB Equipamentos é do modelo apresentado na
figura abaixo (figura 1). Este deve ser apoiado do lado da fachada desde que este suporte ao
menos 1.500kg. O cabo de aço de fixação para o gancho, esticado deve ser passado pelo
buraco na parte final do afastador (figura 2 - parte que fica para dentro de prédio e preso à
estrutura que deve também suportar 1.500kg). O cabo de aço da cadeirinha passa pelo
afastador através da canaleta (figura 2) existente na parte posterior do mesmo e deve ser
fixado em outro ponto que também suporte 1.500kg, ponto diferente do utilizado para fixar o
gancho.
A outra extremidade do cabo de aço que sustenta a cadeirinha deve ficar enrolado no carretel
manual posicionado no chão de forma que o cabo fique na posição vertical.
A corda do cinto pára-quedista passa pelo gancho e deve ser fixada em um terceiro ponto
diferente dos demais utilizados.
PASSANDO O CABO:
Para passar o cabo no equipamento primeiro passe o cabo trava-quedas (bloq-stop), após
coloque o cabo no ponto 1 conforme mostra a figura abaixo, acione o guincho no sentido
horário para que o mesmo comece a puxar o cabo, fazendo assim o mesmo sair pelo ponto 2.
Após passar o cabo pelo guincho, antes de tencioná-lo totalmente, coloque o cabo nas
roldanas guias do braço de força através do rasgo lateral.
Após a instalação devidamente supervisionada por um profissional capacitado o operador
deverá acionar o comando do guincho no sentido horário para a subida e no sentido anti-
horário para a descida, o equipamento deve se deslocar de maneira suave.
IMPORTANTE: O operador do Balancim Individual Manual deve utilizar cinto de segurança
tipo pára-quedista, ligado a um trava-queda em corda guia independente conforma a NR18.
Colocação de contrapeso:
Para que o cabo de aço de tração do guincho de cabo
passante, fique esticado, gerando um bom funcionamento do
mesmo, deve-se colocar contrapeso em sua extremidade
próxima ao solo (mínimo de 10 Kg).
SEGURANÇA:
A instalação da cadeirinha, incluindo a escolha da maneira de fixação do suporte, é de
responsabilidade do engenheiro responsável pela obra.
É obrigatório o uso de trava-quedas e cinto pára-quedista, bem como outros sistemas de
segurança para os trabalhos em alturas previstos na NR-18.
Sempre verificar se o cinto pára-quedista está bem colocado e preso ao operador e se o trava-
quedas esta colocado na corda de forma que este trave na descida brusca e permita a subida
e a descida suaves.
Sempre que se for iniciar a utilização do equipamento, verificar se o cabo de aço e a corda
estão bem fixadas.
MANUTENÇÃO PREVENTIVA:
• Verificar ao longo do cabo de aço se o mesmo não apresenta danos;
• Todos os dias apertar bem todos os parafusos, inclusive os da braçadeira e dos clips que
prendem o cabo de aço;
• Verificar se o gancho está bem preso;
• Verificar se o cabo não esta frouxo dentro do carretel.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teste ponte-rolante-docx
Teste ponte-rolante-docxTeste ponte-rolante-docx
Teste ponte-rolante-docxsandra brizolla
 
Check list-de-cabos-e-cintas
Check list-de-cabos-e-cintasCheck list-de-cabos-e-cintas
Check list-de-cabos-e-cintasAndre Cruz
 
Segurança com pontes rolantes
Segurança com pontes rolantesSegurança com pontes rolantes
Segurança com pontes rolantesJoão Junior
 
Plano de rigging para a movimentação segura das cargas instruções gerais
Plano de rigging para a movimentação segura das cargas   instruções geraisPlano de rigging para a movimentação segura das cargas   instruções gerais
Plano de rigging para a movimentação segura das cargas instruções geraisUniversidade Federal Fluminense
 
Movimentação e içamento de cargas
 Movimentação e içamento de cargas Movimentação e içamento de cargas
Movimentação e içamento de cargasKarol Oliveira
 
Permissao para-trabalho-a-quente
Permissao para-trabalho-a-quentePermissao para-trabalho-a-quente
Permissao para-trabalho-a-quenteJose Fernandes
 
CONTEÚDO DE AULA - NR11-TREINAMENTO EMPILHADEIRA ( MOD 02).pdf
CONTEÚDO DE AULA - NR11-TREINAMENTO EMPILHADEIRA ( MOD 02).pdfCONTEÚDO DE AULA - NR11-TREINAMENTO EMPILHADEIRA ( MOD 02).pdf
CONTEÚDO DE AULA - NR11-TREINAMENTO EMPILHADEIRA ( MOD 02).pdfevellynlima7
 
Seguranca em talhas[1]
Seguranca em talhas[1]Seguranca em talhas[1]
Seguranca em talhas[1]Paulo H Bueno
 
Ts 1148-007-treinamento para operadores de retro escavadeira
Ts 1148-007-treinamento para operadores de retro escavadeiraTs 1148-007-treinamento para operadores de retro escavadeira
Ts 1148-007-treinamento para operadores de retro escavadeiraBiela_123456
 
Icamento carga instrutor.pdf vale
Icamento carga instrutor.pdf valeIcamento carga instrutor.pdf vale
Icamento carga instrutor.pdf valeMilton Moutinho
 
Nbr 14712 elevadores eletricos - elevadores de carga monta-cargas e elevado...
Nbr 14712   elevadores eletricos - elevadores de carga monta-cargas e elevado...Nbr 14712   elevadores eletricos - elevadores de carga monta-cargas e elevado...
Nbr 14712 elevadores eletricos - elevadores de carga monta-cargas e elevado...Everton Retore Teixeira
 
Check List para plataforma Elevatória - NR 18
Check List para plataforma Elevatória - NR 18Check List para plataforma Elevatória - NR 18
Check List para plataforma Elevatória - NR 18IZAIAS DE SOUZA AGUIAR
 
Treinamento para operação de guincho
Treinamento para operação de guinchoTreinamento para operação de guincho
Treinamento para operação de guinchoAndressa Macedo
 

Mais procurados (20)

Teste ponte-rolante-docx
Teste ponte-rolante-docxTeste ponte-rolante-docx
Teste ponte-rolante-docx
 
Capacitação nr 12
Capacitação nr 12Capacitação nr 12
Capacitação nr 12
 
NR-11 Ponte Rolante / Puente Grua
NR-11 Ponte Rolante / Puente GruaNR-11 Ponte Rolante / Puente Grua
NR-11 Ponte Rolante / Puente Grua
 
Check list-de-cabos-e-cintas
Check list-de-cabos-e-cintasCheck list-de-cabos-e-cintas
Check list-de-cabos-e-cintas
 
Segurança com pontes rolantes
Segurança com pontes rolantesSegurança com pontes rolantes
Segurança com pontes rolantes
 
Plano de rigging para a movimentação segura das cargas instruções gerais
Plano de rigging para a movimentação segura das cargas   instruções geraisPlano de rigging para a movimentação segura das cargas   instruções gerais
Plano de rigging para a movimentação segura das cargas instruções gerais
 
Movimentação e içamento de cargas
 Movimentação e içamento de cargas Movimentação e içamento de cargas
Movimentação e içamento de cargas
 
Permissao para-trabalho-a-quente
Permissao para-trabalho-a-quentePermissao para-trabalho-a-quente
Permissao para-trabalho-a-quente
 
Nr 20
Nr 20 Nr 20
Nr 20
 
Apr trabalho em altura
Apr trabalho em alturaApr trabalho em altura
Apr trabalho em altura
 
CONTEÚDO DE AULA - NR11-TREINAMENTO EMPILHADEIRA ( MOD 02).pdf
CONTEÚDO DE AULA - NR11-TREINAMENTO EMPILHADEIRA ( MOD 02).pdfCONTEÚDO DE AULA - NR11-TREINAMENTO EMPILHADEIRA ( MOD 02).pdf
CONTEÚDO DE AULA - NR11-TREINAMENTO EMPILHADEIRA ( MOD 02).pdf
 
Seguranca em talhas[1]
Seguranca em talhas[1]Seguranca em talhas[1]
Seguranca em talhas[1]
 
Ts 1148-007-treinamento para operadores de retro escavadeira
Ts 1148-007-treinamento para operadores de retro escavadeiraTs 1148-007-treinamento para operadores de retro escavadeira
Ts 1148-007-treinamento para operadores de retro escavadeira
 
Procedimentos de-seguranca-para-trabalhos-em-altura
Procedimentos de-seguranca-para-trabalhos-em-alturaProcedimentos de-seguranca-para-trabalhos-em-altura
Procedimentos de-seguranca-para-trabalhos-em-altura
 
Icamento carga instrutor.pdf vale
Icamento carga instrutor.pdf valeIcamento carga instrutor.pdf vale
Icamento carga instrutor.pdf vale
 
Treinamento NR 12
Treinamento NR 12Treinamento NR 12
Treinamento NR 12
 
Nbr 14712 elevadores eletricos - elevadores de carga monta-cargas e elevado...
Nbr 14712   elevadores eletricos - elevadores de carga monta-cargas e elevado...Nbr 14712   elevadores eletricos - elevadores de carga monta-cargas e elevado...
Nbr 14712 elevadores eletricos - elevadores de carga monta-cargas e elevado...
 
Check List para plataforma Elevatória - NR 18
Check List para plataforma Elevatória - NR 18Check List para plataforma Elevatória - NR 18
Check List para plataforma Elevatória - NR 18
 
Treinamento linha de vidas
Treinamento linha de vidasTreinamento linha de vidas
Treinamento linha de vidas
 
Treinamento para operação de guincho
Treinamento para operação de guinchoTreinamento para operação de guincho
Treinamento para operação de guincho
 

Destaque

Destaque (20)

Nr 18 - andaimes e plataformas de trabalho
Nr 18 - andaimes e plataformas de trabalhoNr 18 - andaimes e plataformas de trabalho
Nr 18 - andaimes e plataformas de trabalho
 
Segurança do Trabalho em Fachadas
Segurança do Trabalho em FachadasSegurança do Trabalho em Fachadas
Segurança do Trabalho em Fachadas
 
Trabalhos em altura e montagem de andaimes1
Trabalhos em altura e montagem de andaimes1Trabalhos em altura e montagem de andaimes1
Trabalhos em altura e montagem de andaimes1
 
Andaimes evolução gráfica
Andaimes   evolução gráficaAndaimes   evolução gráfica
Andaimes evolução gráfica
 
Montagem de andaime
Montagem de andaimeMontagem de andaime
Montagem de andaime
 
Balancins andaimes
Balancins andaimesBalancins andaimes
Balancins andaimes
 
Manual seguranca em_manutencao_de_fachadas_gianfranco
Manual seguranca em_manutencao_de_fachadas_gianfrancoManual seguranca em_manutencao_de_fachadas_gianfranco
Manual seguranca em_manutencao_de_fachadas_gianfranco
 
Checklist nr18
Checklist nr18Checklist nr18
Checklist nr18
 
Andaime
AndaimeAndaime
Andaime
 
Segurança Andaimes
Segurança AndaimesSegurança Andaimes
Segurança Andaimes
 
Manual Clipper CM41
Manual Clipper CM41Manual Clipper CM41
Manual Clipper CM41
 
Apr montagem de andaime
Apr montagem de andaimeApr montagem de andaime
Apr montagem de andaime
 
Memória de cálculo de linha de vida
Memória de cálculo de linha de vida  Memória de cálculo de linha de vida
Memória de cálculo de linha de vida
 
Trabalho em altura nr 35
Trabalho em altura   nr 35Trabalho em altura   nr 35
Trabalho em altura nr 35
 
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e IITrabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
Trabalho em Altura (NR-35) + Anexos I e II
 
Manua contra quedas (gianfranco)
Manua contra quedas (gianfranco)Manua contra quedas (gianfranco)
Manua contra quedas (gianfranco)
 
Tbmanual montagem andaime fachadeiro
Tbmanual montagem andaime fachadeiroTbmanual montagem andaime fachadeiro
Tbmanual montagem andaime fachadeiro
 
Andaime simplesmente apoiado
Andaime simplesmente apoiadoAndaime simplesmente apoiado
Andaime simplesmente apoiado
 
Check list andaime
Check list   andaimeCheck list   andaime
Check list andaime
 
NBR 6494 / 1990
NBR 6494 / 1990NBR 6494 / 1990
NBR 6494 / 1990
 

Semelhante a Andaime suspenso cabo passante

Manual de serviço cb400 motor
Manual de serviço cb400 motorManual de serviço cb400 motor
Manual de serviço cb400 motorThiago Huari
 
Manual de serviço cb400 (1980) ms.001 05-80 motor
Manual de serviço cb400 (1980)   ms.001 05-80 motorManual de serviço cb400 (1980)   ms.001 05-80 motor
Manual de serviço cb400 (1980) ms.001 05-80 motorThiago Huari
 
Dimensionamento de um limitador de torque de fricção em uma esteira transport...
Dimensionamento de um limitador de torque de fricção em uma esteira transport...Dimensionamento de um limitador de torque de fricção em uma esteira transport...
Dimensionamento de um limitador de torque de fricção em uma esteira transport...Diego Siqueira de Lima
 
catalogo norgrenv pneumatica M46000 m46100 m46200
catalogo norgrenv pneumatica M46000 m46100 m46200catalogo norgrenv pneumatica M46000 m46100 m46200
catalogo norgrenv pneumatica M46000 m46100 m46200Marcio Carvalho
 
Manual De Serviço Motor Mvw Serie 12-e Euro 3.pdf
Manual De Serviço Motor Mvw Serie 12-e Euro 3.pdfManual De Serviço Motor Mvw Serie 12-e Euro 3.pdf
Manual De Serviço Motor Mvw Serie 12-e Euro 3.pdfDaniellyGerson
 
Nbr 14628-equipamento-de-protecao-individual-trava-queda-retratil-especificac...
Nbr 14628-equipamento-de-protecao-individual-trava-queda-retratil-especificac...Nbr 14628-equipamento-de-protecao-individual-trava-queda-retratil-especificac...
Nbr 14628-equipamento-de-protecao-individual-trava-queda-retratil-especificac...andresaints
 
Manual de serviço cr250 00 motor
Manual de serviço cr250 00 motorManual de serviço cr250 00 motor
Manual de serviço cr250 00 motorThiago Huari
 
Manaul de serviço cbr600 f(2) (1998~2000) cabecote
Manaul de serviço cbr600 f(2) (1998~2000) cabecoteManaul de serviço cbr600 f(2) (1998~2000) cabecote
Manaul de serviço cbr600 f(2) (1998~2000) cabecoteThiago Huari
 
Manual de serviço cb450 e cb450 custom (1983) ms443831 p motor
Manual de serviço cb450 e cb450 custom (1983)   ms443831 p motorManual de serviço cb450 e cb450 custom (1983)   ms443831 p motor
Manual de serviço cb450 e cb450 custom (1983) ms443831 p motorThiago Huari
 
Manual de serviço cb450 motor
Manual de serviço cb450 motorManual de serviço cb450 motor
Manual de serviço cb450 motorThiago Huari
 
Gaudencio Amos-- C--P.A.T.Correia11.pdf
Gaudencio Amos-- C--P.A.T.Correia11.pdfGaudencio Amos-- C--P.A.T.Correia11.pdf
Gaudencio Amos-- C--P.A.T.Correia11.pdfabacardarosagodinho
 
Manual de serviço cr80 r motor
Manual de serviço cr80 r motorManual de serviço cr80 r motor
Manual de serviço cr80 r motorThiago Huari
 
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) manivela
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) manivelaManaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) manivela
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) manivelaThiago Huari
 
Manual de serviço cbx750 f carcaca
Manual de serviço cbx750 f carcacaManual de serviço cbx750 f carcaca
Manual de serviço cbx750 f carcacaThiago Huari
 
Manual de serviço cbx750 f (1990) carcaca
Manual de serviço cbx750 f (1990) carcacaManual de serviço cbx750 f (1990) carcaca
Manual de serviço cbx750 f (1990) carcacaThiago Huari
 
Manual de serviço cb500 00 x6b-my5-001 cabecote
Manual de serviço cb500   00 x6b-my5-001 cabecoteManual de serviço cb500   00 x6b-my5-001 cabecote
Manual de serviço cb500 00 x6b-my5-001 cabecoteThiago Huari
 

Semelhante a Andaime suspenso cabo passante (20)

Manual bkl para_andaime_suspenso
Manual bkl para_andaime_suspensoManual bkl para_andaime_suspenso
Manual bkl para_andaime_suspenso
 
Manual geral-de-instruções
Manual geral-de-instruçõesManual geral-de-instruções
Manual geral-de-instruções
 
Manual de serviço cb400 motor
Manual de serviço cb400 motorManual de serviço cb400 motor
Manual de serviço cb400 motor
 
Manual de serviço cb400 (1980) ms.001 05-80 motor
Manual de serviço cb400 (1980)   ms.001 05-80 motorManual de serviço cb400 (1980)   ms.001 05-80 motor
Manual de serviço cb400 (1980) ms.001 05-80 motor
 
Dimensionamento de um limitador de torque de fricção em uma esteira transport...
Dimensionamento de um limitador de torque de fricção em uma esteira transport...Dimensionamento de um limitador de torque de fricção em uma esteira transport...
Dimensionamento de um limitador de torque de fricção em uma esteira transport...
 
catalogo norgrenv pneumatica M46000 m46100 m46200
catalogo norgrenv pneumatica M46000 m46100 m46200catalogo norgrenv pneumatica M46000 m46100 m46200
catalogo norgrenv pneumatica M46000 m46100 m46200
 
Manual De Serviço Motor Mvw Serie 12-e Euro 3.pdf
Manual De Serviço Motor Mvw Serie 12-e Euro 3.pdfManual De Serviço Motor Mvw Serie 12-e Euro 3.pdf
Manual De Serviço Motor Mvw Serie 12-e Euro 3.pdf
 
Nbr 14628-equipamento-de-protecao-individual-trava-queda-retratil-especificac...
Nbr 14628-equipamento-de-protecao-individual-trava-queda-retratil-especificac...Nbr 14628-equipamento-de-protecao-individual-trava-queda-retratil-especificac...
Nbr 14628-equipamento-de-protecao-individual-trava-queda-retratil-especificac...
 
Manual de serviço cr250 00 motor
Manual de serviço cr250 00 motorManual de serviço cr250 00 motor
Manual de serviço cr250 00 motor
 
Manaul de serviço cbr600 f(2) (1998~2000) cabecote
Manaul de serviço cbr600 f(2) (1998~2000) cabecoteManaul de serviço cbr600 f(2) (1998~2000) cabecote
Manaul de serviço cbr600 f(2) (1998~2000) cabecote
 
Manual de serviço cb450 e cb450 custom (1983) ms443831 p motor
Manual de serviço cb450 e cb450 custom (1983)   ms443831 p motorManual de serviço cb450 e cb450 custom (1983)   ms443831 p motor
Manual de serviço cb450 e cb450 custom (1983) ms443831 p motor
 
Manual de serviço cb450 motor
Manual de serviço cb450 motorManual de serviço cb450 motor
Manual de serviço cb450 motor
 
Gaudencio Amos-- C--P.A.T.Correia11.pdf
Gaudencio Amos-- C--P.A.T.Correia11.pdfGaudencio Amos-- C--P.A.T.Correia11.pdf
Gaudencio Amos-- C--P.A.T.Correia11.pdf
 
Manual de serviço cr80 r motor
Manual de serviço cr80 r motorManual de serviço cr80 r motor
Manual de serviço cr80 r motor
 
Reparo sistema 2
Reparo sistema 2Reparo sistema 2
Reparo sistema 2
 
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) manivela
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) manivelaManaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) manivela
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) manivela
 
Manual de serviço cbx750 f carcaca
Manual de serviço cbx750 f carcacaManual de serviço cbx750 f carcaca
Manual de serviço cbx750 f carcaca
 
Manual de serviço cbx750 f (1990) carcaca
Manual de serviço cbx750 f (1990) carcacaManual de serviço cbx750 f (1990) carcaca
Manual de serviço cbx750 f (1990) carcaca
 
Xcmg qy 50 k
Xcmg qy 50 kXcmg qy 50 k
Xcmg qy 50 k
 
Manual de serviço cb500 00 x6b-my5-001 cabecote
Manual de serviço cb500   00 x6b-my5-001 cabecoteManual de serviço cb500   00 x6b-my5-001 cabecote
Manual de serviço cb500 00 x6b-my5-001 cabecote
 

Andaime suspenso cabo passante

  • 1. Andaime Suspenso Sistema de Cabo Passante Rev: Fev/2010 Manual Técnico de Operação
  • 2. Sumário 01. O Andaime Suspenso KTB...............................................................03 02. Componentes do Andaime Suspenso KTB.......................................04 03. Dimensões das Plataformas.............................................................04 04. Peso e Capacidades dos Andaimes.................................................05 05. Opções de Montagem.......................................................................05 06. Montagem Plataformas.............................................................06 e 07 07. Guincho de Cabo Passante..............................................................08 08. Passando o Cabo..............................................................................09 09. Montagem do Guincho de Cabo Passante.......................................10 10. Descrição do Guincho de Cabo Passante........................................11 11. Trava-quedas....................................................................................12 12. Opções de instalações..............................................................13 e 14 13. Manutenção Preventiva....................................................................15 14. Recomendações de Instalação.................................................16 e 17 15. Norma Regulamentadora NR-18..................................18, 19, 20 e 21
  • 3. 01. O Andaime Suspenso KTB. Os Andaimes Suspensos da KTB, são caracterizados por serem, portáteis, pois suas plataformas são totalmente desmontáveis, além de serem versáteis , proporcionando movimentações rápidas e seguras, pois utilizam o novo sistema de guincho de cabo passante manual com freio absoluto. Sua utilização corresponde a trabalhos verticais das construções, para efeito de reparos, pinturas, acabamentos, reformas, limpeza, dentre outros. Os Andaimes Suspensos da KTB são modulares podendo ser de 2m até 6m, com fácil montagem e utilização, além de proporcionar segurança a sua obra, pois possui um cabo auxiliar (para cada guincho) com sistema trava-queda automático. Suas plataformas foram projetadas para proporcionar segurança pois estão de acordo com a norma NR-18. A capacidade máxima de carga de trabalho está limitada no Capitulo 4 deste manual. A Ktb Equipamentos não se responsabiliza pela montagem e fixação do andaime suspenso à obra, pois estes devem ser realizados por pessoas habilitadas, fornecendo o laudo dos mesmos aceitos legalmente atestando a qualidade de seus serviços. Nota: Entende-se como carga de trabalho, o somatório de todos os produtos presentes na mesma (ferramentas, operários, cargas, etc.) 03
  • 4. 02. Componentes do Andaime Suspenso KTB. 1- Fechamento Lateral 2- Fechamento Frontal 2m 3- Guincho de Cabo passante Manual 4- Fechamento Posterior 2m 5- Base 2m 6- União 7- Fechamento Frontal 3m 8- Fechamento Posterior 3m 9- Base 3m 03. Dimensões das Plataformas Plataforma Dimensão “A”(mm) *Dimensão “B”(mm) 2m 2080 2030 3m 3080 3030 4m 4120 4070 5m 5120 5070 6m 6120 6070 * A dimensão “B” é a distancia entre centro dos cabos. 04
  • 5. 04. Peso e Capacidades dos Andaimes Tamanho Plataformas + Guinchos Capacidade Homens + Cargas 2m 166 Kg 534 Kg 3m 182 Kg 518 Kg 4m 270 Kg 430 Kg 5m 286 Kg 414 Kg 6m 302 Kg 398 Kg Cada guincho manual pesa 23 Kg. Cada metro linear de cabo Ø5/16", pesa em media 0.24 Kg 05. Opções de Montagem Abaixo segue as opções de montagens dos andaimes suspensos KTB. Não é permitido montar plataformas além de 6m de comprimento. 05
  • 6. 06. Montagem Plataformas Para iniciar a montagem da plataforma, encaixe o fechamento frontal e o fechamento posterior nos suportes existentes no fechamento lateral parafusando os mesmos nos encaixes superiores. Conforme ilustração abaixo. (Parafuso M12-Classe 8.8) Em seguida encaixe o piso nos acoplamentos dos fechamentos frontal e posterior. Fechamento Posterior Fechamento Frontal Suportes Fechamento Lateral Base (Piso)
  • 7. Logo após o encaixo da base (piso) nos fechamentos frontal e posterior, é necessário colocar o ultimo fechamento lateral, do mesmo modo que no primeiro caso. Conforme ilustração a seguir. As plataformas modular da KTB, tem a opção de extender seu comprimento através do elemento união. Para isso, repita todas as etapas anterior, porém no lugar do ultimo fechamento lateral, é colocado o elemento união , após o mesmo, fixe a outra plataforma no sentido oposto. 07 União
  • 8. 07. Guincho do Cabo Passante O guincho de cabo passante da KTB tem como acionamento duas manivelas, como mostra a ilustração abaixo. No sentido anti-horário temos uma razão de subida e no sentido oposto (horário) temos a razão de descida. No guincho de cabo passante da KTB, o freio é automático, ou seja, tanto na subida como na descida, para acionar o freio basta simplesmente parar de exercer atividade nas manivelas, o freio atua impedindo que haja retrocesso nas polias condutoras. O guincho de cabo passante possui em seu interior duas polias condutoras ligadas a uma engrenagem motora. O cabo de aço é tracionado através destas duas polias gerando atrito juntos as roldanas de pressão que exercem pressão no cabo contra as ranhuras das polias. Uma das roldanas de pressão, possui regulagem para aumentar a pressão da mesma, melhorando assim a tração do guincho. Conforme ilustração abaixo. Para tracionar mais a mola, basta apertar a borboleta localizada na lateral do guincho. 08
  • 9. 08. Passando o Cabo Abaixo temos a ilustração do cabo de tração e do cabo de segurança já posicionados no guincho, em ordem crescente acompanhe o percurso. Para passar o cabo de segurança no trava-quedas é necessário que o mesmo seja inserido no orifício do guia pressionando-o para afastar as esferas de frenagem. O cabo de tração entra na bucha do braço do freio no ponto 1, entra para dentro do guincho no ponto 2, no ponto 4, coloque o cabo entre a polia condutora e a proteção do cabo, acione as manivelas do guincho no sentido anti-horário, o guincho começará a puxar o cabo passando pelos pontos 5, 6, 7, 8, 9, 10, após isso com o auxilio do operador guiar o cabo até o mesmo sair pelo o outro orifício do guincho. 09
  • 10. 9. Montagem do Guincho do Cabo Passante A fixação dos guinchos manuais nas plataformas devem ser realizada por dois parafusos M12x80 classe 8.8(resistencia). O tipo de cabo utilizado tanto no guincho para traciona-lo como no trava-quedas deve ser de diametro 5/16" tipo 6x19 AF. Veja as ilustrações. Parafusos 10
  • 11. 10. Descrição do Guincho do Cabo Passante 1- Cj. caixa (carcaça) 2- Block Stop (anti-queda) 3- Polia Condutora 4- Fixador polia condutora 5- Rolamento 6- Anel 7- Protetor do Cabo 8- Cj. Roldana de pressão Reg. 9-******** 10- Reg. roldana de pressão 11- Mola fixa 12-****** 13-****** 14- Engrenagem motora 15-****** 21- Manivela acionadora 22- Braço acionador trava- quedas 23- Roldana de pressão 26- Caixa freio automático 32- Tampa da caixa 33- Mola com regulagem OBS: Os demais números corresponde a detalhes específicos, não havendo necessidade de cita-los. 11
  • 12. 11. Trava-quedas O trava quedas tem como objetivo, interromper a queda do andaime no caso do cabo principal (cabo de tração do guincho) vier à romper. Veja detalhes do trava quedas na ilustração abaixo. 01- Fixação do Block Stop 02- Batente 03- Esferas do freio 04- Mola de acionamento 05- Anel fixador 06 Arruela fixadora Quando o cabo principal encontra-se tencionado, o braço acionador do trava-quedas, empurra o batente para a posição inferior, ou seja, para baixo, caso ocorra o rompimento do cabo principal, o braço acionador para de tencionar o trava-quedas, assim a mola de acionamento que encontra-se dentro do trava-quedas, empurra o batente para cima, fazendo com que as esferas travem o cabo de segurança. Além de impedir a queda do andaime por rompimento do cabo principal, o block stop atua também como sistema de anti-inclinação do andaime, ou seja, no momento que um guincho estiver desalinhado com o outro, o braço de acionamento de trava-quedas acionará, evitando assim a continuidade do desalinhamento, o mesmo trabalha 12
  • 13. 12. Opções de instalações A ancoragem dos andaimes suspensos manuais, pode ser feita por meio de vigas, afastadores, dentre outras estruturas metálicas desde que as mesmas suportem tres vezes mais o esforço do andaime. De acordo com a NR-18, qualquer tipo de ancoragem feita para sustentar o andaime, deve ser elaborada através de projetos, junto ao acompanhamento de um profissinal habilitado, gerando assim um laudo do mesmo. Com isso, a KTB Equipamentos, não se responsabiliza por erros de montagem e fixação do andaime, as informações contidas neste manual são métodos usuais, não dispensando a avaliação de um profissinal tecnico. Para um bom funcionamento e segurança deve-se seguir a tabela abaixo em relação a distancia dos elementos de sustentação do andaime. Lembramos que o método fornecido pela KTB Equipamentos é o de utilização de afastadores de paredes. Plataforma *Dimensão “B”(mm) 2m 2030 3m 3030 4m 4070 5m 5070 6m 6070 * Dimensões “B” equivalem o entre centros dos cabos 13
  • 14. Instalação com sistema de afastador O afastador fornecido pela KTB Equipamentos tem como finalidade afastar o cabo de aço na medida correta, é necessário monta-lo antes de fixar os cabos. Conforme a NBR 6494, o afastador deve ser fixado na mureta de alvenaria, com um cabo de aço, amarrado com três clipes, a um ponto fixo (como um pilar). Colocação de contrapesos Para que os cabos de aços, tanto do trava-quedas como os de tração do guincho de cabo passante, fiquem esticados, gerando um bom funcionamento dos mesmos, deve-se colocar contrapesos em suas extremidades próximas ao solo (aproximadamente 10 Kg). 14
  • 15. 13. Manutenção Preventiva * Diária 1. Verificar se a posição do cabo de tração encontra-se devidamente entre as polias condutoras; 2. Verificar se o cabo de trava-quedas encontra-se em sua devida posição; 3. Verificar o acionamento do trava-quedas. 4. Inspecionar o interior do guincho visualmente, especificamente suas engrenagem; 5. Testar o freio automático do guincho; 6. Inspecionar os cabos de tração e de segurança; 7. Ao movimentar o guincho, observar, ruídos em seu interior; * Quinzenal 8. Retirar a proteção do sistema de freio absoluto, e colocar graxa de alta densidade em seu mecanismo. Este procedimento deve ser feito a * Mensal 9. Limpeza geral (guincho, trava quedas, etc.); 10. Verificar ruídos no mecanismo do guincho, indicando ]rolamentos defeituosos; 11. Verificação geral em todo o equipamento, principalmente nos cordões de soldas se não há sinal de oxidação (ferrugem); 12. Verificação detalhado dos cabos de aços; 13. Verificar se não há parafusos ou porcas sem aperto; 14. Realizar um inspeção visual em todas as engrenagens e no sistema de freio absoluto, se necessitar substitui-las. 15
  • 16. 14. Recomendações de instalação * O sistema de ancoragem (fixação) do andaime deve ser projetado e acompanhado por um profissional responsavel habiiltado (engenheiro) A KTB Equipamentos não se responsabiliza por erros nas montagens e pela ancoragem do andaime em sua utilidade; * O elemento estrutural que fixará os cabos dos andaimes deve suportar tres vezes mais a força de trabalho; * Manter sempre o andaime nivelado em relação ao solo, não trabalhando sob inclinação, evitando assim uma sobrecarga nos guinchos; * Respeitar a tabela da capacidade do andaime, dividindo o peso uniformemente sobre o mesmo; * Em caso de montagem, desmontagem e manutenção, o andaime deve ser interditado, com excessão da equipe tecnica; * É proibida a utilização de equipamentos de elevações (escadas, etc.) dentro da área de trabalho do andaime; * É proibida a retirada de qualquer dispositivo de segurança do andaime; * Os engates das plataformas devem ser fixado com todos os parafusos, não descartando nenhum; * Nunca deve-se permitir a utilização do andaime por uma única pessoa, pois pode haver a necessidade de auxilio em caso de emergencia; * Verificar diáriamente avarias nos cabos, substituindo-os se for * Sempre proteger os cabos das quinas, pois as mesmas podem danificar os cabos; * Não usar lubrificantes nos cabos; 16
  • 17. * Os equipamentos de segurança individuais, devem ser sempre utilizados, tendo os mesmos em bom estado, sendo de inteira responsabilidade de seus operadores; * Verificar diáriamente a fixação e o funcionamento do guincho e do trava-quedas; * Verificar se os cabos não se interlaçaram; * Verificar o funcionamento do trava-quedas individual do operador, junto com a inspeção de seu cabo; * Verificar os encaixes das plataformas (Fechamento lateral, posterior, frontal e base) junto com seus parafusos de fixação; * Amarrar as ferramentas de trabalho manuais. * Evitar acumulo de materias no andaime; * Verificar ruidos no equipamento, se acorrer, solicitar o responsavel pela manutenção. 17
  • 18. 15. Norma Regulamentadora NR-18 (andaimes suspenso) 18.15 Andaimes e Plataformas de Trabalho 18.15.1 O dimensionamento dos andaimes, sua estrutura de sustentação e fixação, deve ser realizado por profissional legalmente habilitado. 18.15.2 Os andaimes devem ser dimensionados e construídos de modo a suportar, com segurança, as cargas de trabalho a que estarão sujeitos. 18.15.3 O piso de trabalho dos andaimes deve ter forração completa, antiderrapante, ser nivelado e fixado de modo seguro e resistente. 18.15.4 Devem ser tomadas precauções especiais, quando da montagem, desmontagem e movimentação de andaimes próximos às redes elétricas. 18.15.5 A madeira para confecção de andaimes deve ser de boa qualidade, seca, sem apresentar nós e rachaduras que comprometam a sua resistência, sendo proibido o uso de pintura que encubra imperfeições. 18.15.5.1 É proibida a utilização de aparas de madeira na confecção de andaimes. 18.15.6 Os andaimes devem dispor de sistema guarda-corpo e rodapé, inclusive nas cabeceiras, em todo o perímetro, conforme subitem 18.13.5, com exceção do lado da face de trabalho. 18.15.7 É proibido retirar qualquer dispositivo de segurança dos andaimes ou anular sua ação. 18.15.8 É proibida, sobre o piso de trabalho de andaimes, a utilização de escadas e outros meios para se atingirem lugares mais altos. 18.15.9 O acesso aos andaimes deve ser feito de maneira segura. ANDAIMES SUSPENSOS 18.15.30 Os sistemas de fixação e sustentação e as estruturas de apoio dos andaimes suspensos, deverão ser precedidos de projeto elaborado e acompanhado por profissional legalmente habilitado. 18.15.30.1 Os andaimes suspensos deverão ser dotados de placa de identificação, colocada em local visível, onde conste a carga máxima de trabalho permitida. 18
  • 19. 18.15.30.2 A instalação e a manutenção dos andaimes suspensos devem ser feitas por trabalhador qualificado, sob supervisão e responsabilidade técnica de profissional legalmente habilitado obedecendo, quando de fábrica, as especificações técnicas do fabricante. 18.15.30.3 Deve ser garantida a estabilidade dos andaimes suspensos durante todo o período de sua utilização, através de procedimentos operacionais e de dispositivos ou equipamentos específicos para tal fim. 18.15.31 O trabalhador deve utilizar cinto de segurança tipo pára- quedista, ligado ao trava-quedas de segurança este, ligado a cabo–guia fixado em estrutura independente da estrutura de fixação e sustentação do andaime suspenso. 18.15.32 A sustentação dos andaimes suspensos deve ser feita por meio de vigas, afastadores ou outras estruturas metálicas de resistência equivalente a, no mínimo, três vezes o maior esforço solicitante. 18.15.32.1 A sustentação dos andaimes suspensos somente poderá ser apoiada ou fixada em elemento estrutural. 18.15.32.1.1 Em caso de sustentação de andaimes suspensos em platibanda ou beiral da edificação, essa deverá ser precedida de estudos de verificação estrutural sob responsabilidade de profissional legalmente habilitado. 18.15.32.1.2 A verificação estrutural e as especificações técnicas para a sustentação dos andaimes suspensos em platibanda ou beiral de edificação deverão permanecer no local de realização dos serviços. 18.15.32.2 A extremidade do dispositivo de sustentação, voltada para o interior da construção, deve ser adequadamente fixada, constando essa especificação do projeto emitido. 18.15.32.3 É proibida a fixação de sistemas de sustentação dos andaimes por meio de sacos com areia, pedras ou qualquer outro meio similar. 18.15.32.4 Quando da utilização do sistema contrapeso, como forma de fixação da estrutura de sustentação dos andaimes suspensos, este deverá atender as seguintes especificações mínimas: 19
  • 20. a) ser invariável (forma e peso especificados no projeto); b) ser fixado à estrutura de sustentação dos andaimes; c) ser de concreto, aço ou outro sólido não granulado, com seu peso conhecido e marcado de forma indelével em cada peça; e, d) ter contraventamentos que impeçam seu deslocamento horizontal. 18.15.33 É proibido o uso de cabos de fibras naturais ou artificiais para sustentação dos andaimes suspensos. 18.15.34 Os cabos de suspensão devem trabalhar na vertical e o estrado na horizontal. 18.15.35 Os dispositivos de suspensão devem ser diariamente verificados pelos usuários e pelo responsável pela obra, antes de iniciados os trabalhos. 18.15.35.1 Os usuários e o responsável pela verificação deverão receber treinamento e manual de procedimentos para a rotina de verificação diária. 18.15.36 Os cabos de aço utilizados nos guinchos tipo catraca dos andaimes suspensos devem: a) ter comprimento tal que para a posição mais baixa do estrado restem pelo menos 6 (seis) voltas sobre cada tambor; e, b) passar livremente na roldana, devendo o respectivo sulco ser mantido em bom estado de limpeza e conservação. 18.15.37 Os andaimes suspensos devem ser convenientemente fixados à edificação na posição de trabalho. 18.15.38 É proibido acrescentar trechos em balanço ao estrado de andaimes suspensos. 18.15.39 É proibida a interligação de andaimes suspensos para a circulação de pessoas ou execução de tarefas. 18.15.40 Sobre os andaimes suspensos somente é permitido depositar material para uso imediato. 18.15.40.1 É proibida a utilização de andaimes suspensos para transporte de pessoas ou materiais que não estejam vinculados aos serviços em execução. 18.15.41 Os quadros dos guinchos de elevação devem ser providos de dispositivos para fixação de sistema guardacorpo e rodapé, conforme subitem 18.13.5. 18.15.41.1 O estrado do andaime deve estar fixado aos estribos de apoio e o guarda-corpo ao seu suporte. 20
  • 21. 18.15.42 Os guinchos de elevação para acionamento manual devem observar os seguintes requisitos: a) ter dispositivo que impeça o retrocesso do tambor para catraca; b) ser acionado por meio de alavancas, manivelas ou automaticamente, na subida e na descida do andaime; c) possuir segunda trava de segurança para catraca; e, d) ser dotado da capa de proteção da catraca. 18.15.43 - A largura mínima útil da plataforma de trabalho dos andaimes suspensos será de 0,65 m (sessenta e cinco centímetros). 18.15.43.1 - A largura máxima útil da plataforma de trabalho dos andaimes suspensos, quando utilizado um guincho em cada armação, será de 0,90m (noventa centímetros). 18.15.43.2 18.15.43.3 Os estrados dos andaimes suspensos mecânicos podem ter comprimento máximo de 8,00 (oito metros). 18.15.44 Quando utilizado apenas um guincho de sustentação por armação é obrigatório o uso de um cabo de segurança adicional de aço, ligado a dispositivo de bloqueio mecânico automático, observando-se a sobrecarga indicada pelo fabricante do equipamento. Revogado pela Portaria SIT n.º 15, de 10 de abril de 2006) 21
  • 22. MANUAL DE OPERAÇÃO Balancim Individual Manual do Tipo Cadeirinha Modelo Cabo Passante
  • 23. Balancim Individual Manual KTB O Balancim Individual Manual KTB é um equipamento para movimentações verticais realizadas através do guincho de cabo passante, possui freio instantâneo e sistema antiqueda (Bloq-Stop KTB). Indicado para utilização em locais onde não é possível a utilização de Andaimes. DESCRIÇÃO: Modelo: BALANCIM INDIVIDUAL GUINCHO DE CABO PASSANTE B Cabo de Aço: ¼” 6x19 AF Carga Máxima: 120kg (sem cabo) Acessórios de Segurança Recomendados: Corda, trava automática, cinto de segurança, cinto pára-quedista, trava-quedas. CARACTERÍSTICAS ESPECIAIS: • Conforme a NR-18, todos os balancins manuais possuem placa de identificação na parte interna da tampa, com fácil acesso. • O balancim manual modelo de cabo passante possui freio instantâneo e sistema antiqueda. • Os equipamentos de EPI não são fornecidos pela KTB. CARACTERÍSTICAS DO CABO DE AÇO: • Diâmetro de ¼” • Tipo 6x19 AFD TRD
  • 24. • Carga de trabalho: 448 kgf • Carga de ruptura: 2240 kgf • F.S: 5:1 APLICAÇÕES: Utilizado em serviços de revestimento externos, pinturas, acabamentos e limpeza em geral, serviços rápidos onde não há necessidade ou disponibilidade para instalar Andaimes Suspensos. INSTALAÇÃO: As normas NBR 14.626, 14.627, 14.628 e 14.751 da ABNT exigem que os cabos e cordas das cadeiras e trava-quedas sejam fixados em pontos com resistência de no mínimo 1.500kg. A corda deve ser fixada obrigatoriamente em um ponto diferente do fixado o cabo de aço. As normas internacionais determinam que todos os suportes estabilizados por contrapesos, com simples encaixe ou grampos de aperto possuam ancoragem em ponto resistente (mínimo de 1.500kg) por meio de corrente ou cabo de aço. FIXAÇÃO DIRETA (sem uso de suportes): Nesse caso não há distancia entre os cabos e a fachada, sendo possível a movimentação da cadeira com facilidade do solo ao penúltimo andar. As cordas devem ser protegidas da quina da parede por meio de material flexível, tipo borracha. Os cabos de aço não devem ser apoiados diretamente nas quinas, mesmo com proteção tipo borracha, visto que sofrem deformação permanente e ficam com a resistência comprometida. Para sua correta fixação é necessário usar corrente ou outro cabo de aço (com diâmetro maior) ligados por meio de mosquetão ou manilhas. FIXAÇÃO INDIRETA (com uso de suportes): Utilizando-se suportes que deixam os cabos distanciados cerca de 30cm da fachada, é possível movimentar-se com facilidade do solo ao último andar. AFASTADOR: O afastador fornecido pela KTB Equipamentos é do modelo apresentado na figura abaixo (figura 1). Este deve ser apoiado do lado da fachada desde que este suporte ao menos 1.500kg. O cabo de aço de fixação para o gancho, esticado deve ser passado pelo buraco na parte final do afastador (figura 2 - parte que fica para dentro de prédio e preso à estrutura que deve também suportar 1.500kg). O cabo de aço da cadeirinha passa pelo afastador através da canaleta (figura 2) existente na parte posterior do mesmo e deve ser fixado em outro ponto que também suporte 1.500kg, ponto diferente do utilizado para fixar o gancho. A outra extremidade do cabo de aço que sustenta a cadeirinha deve ficar enrolado no carretel manual posicionado no chão de forma que o cabo fique na posição vertical. A corda do cinto pára-quedista passa pelo gancho e deve ser fixada em um terceiro ponto diferente dos demais utilizados.
  • 25. PASSANDO O CABO: Para passar o cabo no equipamento primeiro passe o cabo trava-quedas (bloq-stop), após coloque o cabo no ponto 1 conforme mostra a figura abaixo, acione o guincho no sentido horário para que o mesmo comece a puxar o cabo, fazendo assim o mesmo sair pelo ponto 2. Após passar o cabo pelo guincho, antes de tencioná-lo totalmente, coloque o cabo nas roldanas guias do braço de força através do rasgo lateral. Após a instalação devidamente supervisionada por um profissional capacitado o operador deverá acionar o comando do guincho no sentido horário para a subida e no sentido anti- horário para a descida, o equipamento deve se deslocar de maneira suave. IMPORTANTE: O operador do Balancim Individual Manual deve utilizar cinto de segurança tipo pára-quedista, ligado a um trava-queda em corda guia independente conforma a NR18.
  • 26. Colocação de contrapeso: Para que o cabo de aço de tração do guincho de cabo passante, fique esticado, gerando um bom funcionamento do mesmo, deve-se colocar contrapeso em sua extremidade próxima ao solo (mínimo de 10 Kg). SEGURANÇA: A instalação da cadeirinha, incluindo a escolha da maneira de fixação do suporte, é de responsabilidade do engenheiro responsável pela obra. É obrigatório o uso de trava-quedas e cinto pára-quedista, bem como outros sistemas de segurança para os trabalhos em alturas previstos na NR-18. Sempre verificar se o cinto pára-quedista está bem colocado e preso ao operador e se o trava- quedas esta colocado na corda de forma que este trave na descida brusca e permita a subida e a descida suaves. Sempre que se for iniciar a utilização do equipamento, verificar se o cabo de aço e a corda estão bem fixadas. MANUTENÇÃO PREVENTIVA: • Verificar ao longo do cabo de aço se o mesmo não apresenta danos; • Todos os dias apertar bem todos os parafusos, inclusive os da braçadeira e dos clips que prendem o cabo de aço; • Verificar se o gancho está bem preso; • Verificar se o cabo não esta frouxo dentro do carretel.