empresas             reportagem de capa




r




        I'

    J




             24   I ~ios   Exame
o homematrás
        da vidraca se
                 .
    chama Laércio
        Cosentino.
    Ele transformou
        a M...
mpresas              -- reportagem de capa




   ffi
   Q
   ""
   -'
   <>
   z
   ..
   %
   '"
   ..
   ..




   <>
 ...
ão é preciso estar dentro do prédio da Microsiga para en-xergar o que
                         acontece na Microsiga. Os 8...
~                           .   reportagem de capa



    protegiam como segredo estratégico. A mudança é ca-            s...
Uma das figurasque ajudaria a espantar as moscas seria
o investidor individual. "O pequeno investidorse dispõe a
pagar 25%...
~                        ~   reportagem de capa




      o estilo Microsiga: café da manhã na piscina (11. bebedouro par'...
Definiçãodo valor da empresa e da oferta
                                                                          inicial...
_.mpresas          -   reportagem de capa



 sentino. que começou a trabalhar aos 17 anos como esta-           Foi essa e...
,
                                                                                    APROXIMA
    pos (SP). Oliveira inve...
Matéria sobre Desenvolvimento de Negócios - Exame abr01
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Matéria sobre Desenvolvimento de Negócios - Exame abr01

642 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
642
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Matéria sobre Desenvolvimento de Negócios - Exame abr01

  1. 1. empresas reportagem de capa r I' J 24 I ~ios Exame
  2. 2. o homematrás da vidraca se . chama Laércio Cosentino. Ele transformou a Microsiga na maior f I I fabricante ~ brasileira de software - e num exemplo de transparência. Agora, sem medo das pedradas, prepara a empresa para a primeira abertura de capital no Novo Mercado da Bovespa. ~ t @@ODO@ @(ill Q@(ill~@ ~ :t I II J Por Camila Guimarães e MarcosCoronato
  3. 3. mpresas -- reportagem de capa ffi Q "" -' <> z .. % '" .. .. <> % ... Z .. ID Q Q ~ r:;j!. , ': :g ~ !lllltit._::...J1. . . '. ". ,. . . . " .,'< '. .', 1I;t --i';~ Quando uma empresa decide vender pedaços de siao público, não basta mais que eles sejam um bom negócio. Elestêm de parecerum bom negócio.Nomercado .de capitais, ~~ ", . " ~~ crescer e diferentede parecer que vai crescer
  4. 4. ão é preciso estar dentro do prédio da Microsiga para en-xergar o que acontece na Microsiga. Os 800 metros quadrados de paredes de vidro revelam, para qualquer um do lado de fora, o que ninguém faz questão de esconder: como Laércio Cosentino transformou a empresa na maior fabricante brasileira de software e principal candidata a entrar para a história inaugurando o Novo Mercado acionário da Bolsa de Valores de São Paulo. Seu estilo está presente em cada detalhe do cotidiano da empresa. Gente circulando. Telefones sem fio. Cubículos de vidro. Agilidade. Poucas portas. Pouco concreto. O espírito da transparência -que se materializa em cada um dos 8 500 me- tros quadrados da sede da empresa - sempre rondou por ali. Agora ele é, mais uma vez, o aliado de Cosentino na campanha pela abertura do capital - sua maior cartada des- de que o jovem engenheiro fundou a Microsiga, em 1983. Se a Nasdaq está em baixa, se o mercado de capi- Tão estratégica quanto a decisão da Microsiga de tais brasileiro não existe, se o investidor está cada vez lançar ações na bolsa é a iniciativa de tentar criar, com mais desconfiado, e o ceticismo em relação ao .suces- o Novo Mercado, uma cultura de investimentos no so do Novo Mercado não pode ser ignorado, então mercado de capitais no Brasil. Moldada de maneira se- por que Laércio Cosentino vai se meter a abrir seu melhante à americana Nasdaq e ao Neuer Marli alemão, capital? Seria ele um gênio capaz de enxergar o que a versão brasileira não tem, entretanto, a pretensão de ser ninguém está vendo? Ou um louco? Talvez. Mas tal- sinônimo de negociação de ações de empresas da Nova vez, também, ele tenha a sua lógica, baseada em Economia. Até porque, se a comparação pega, pega mal. anos de consolidação de uma empresa transparente, Quem vai se arriscar a abrir no Brasil um pregão que dá que não por acaso tem a cara do Novo Mercado. Em vexame lá fora? Em março, a Nasdaq acumulou a maior suas próprias palavras: "A abertura do capital toma a perda de sua história: 62,55%, desde janeiro de 2001. O Microsiga mais competitiva, multiplica infinitamen- que o Novo Mercado quer - não importa se com ações te suas chances de liderança de mercado e, principal- da nova Ollda velha economia - é atrairo investidor. a- P mente, nos toma uma empresa global". ra isso, as empresas listadasterão de cumprir regras rigoro- Não faltam, porém, fantasmas para perturbar o sono de sas .de transparência e govemança corporativa. Quesitos Cosentino e da Advent, a pareeira capitalistada Microsiga. em que a Microsiga é exemplar. Patrice Etlin, diretor da administradora de fundos, afirma Há cinco anos, ela vem sendo reformada para a aber- que a empresa tem um perfil "sexy"e torcida a favor,mas rura de capital. É fácil acompanhar o andamento dessa sabe que a oferta será uma pirueta em palco iluminado - obra justamente porque os números da empresa. ficam com toda a concorrência olhando da platéia. "Batemos na cada vez mais fáceis de conferir. Apesar de fechada, a madeira quando pensamos nisso", diz o executivo. A Ad- companhia mantém os balanços à disposição de todos vent entrou na composição acionária da Microsiga em os acionistas e funcionários. Por ter seus procedimentos 1999,atraída justamente pelo seu perfil transparente. Na fi- a-postos de maneira translúcida, a Microsiga entrou no Ia, havia 11 candidatos, mas o fundo acabou levando 25% jogo do novo mercado aberto economizando dinheiro. do capital da empresa por algo estimado em 10 milhões de Seu custo de adaptação ficará muito abaixo do usual em - reais.Agora,a aposta, esperança, torcida chame do que ofertas iniciais de ações. Esse é o momento delicado em quiser - é valorizaras ações e vend~as, embolsando mais que as companhias começam a divulgar balanços finan- dinheiro do que gastou há dois anos. E viva o capitalismo. ceiros e sua situação no mercado, informações que antes AbriV2001 I ri
  5. 5. ~ . reportagem de capa protegiam como segredo estratégico. A mudança é ca- seus tempos de glória. A bolha só se fonnou porque todo ra. A empresa de correios alemã Deutsche Post, por mundo acreditou que as empresas de tecnologia iriam exemplo, gastou nada menos que 10 milhões de dólares crescer. "O empreendedor muitas vezes não sabe o que os para abrir o capital em outubro passado no Neuer investidores precisam ouvir. A instituição que cuida da Markt alemão (no caso, o gasto foi só 0,5% do fatura- abertura de capital tem a responsabilidade de apresentar mento anual; em empresas menores, pode passar de o perfil da empresa da forma correta ao investidor corre- 4%). Para a Microsiga, o custo final pode ficar em to", afirma um executivo de banco com experiência em menos de um décimo disso. Mas o fato de colocar re- processos do tipo. Do lado dos investidores institucionais, lativamente pouco dinheiro na jo- quem vai gastar lábia para que os pa- gada não quer dizer que a Microsi- péis d~ Microsiga pareçam um so- ga esteja assumindo pouco risco. berbo negócio é o UBS Warburg, um banco que, entre as corretoras da Bovespa, pulou da décima posição COLARINHO FROUXO em 1998 para a disputa da liderança Para o investidor,as regrasde trans- no primeiro trimestre de 2001. Já pa- parência são urna afrouxadano colari- ra as pessoas físicas, a Microsiga terá nho. O atual mercado de capitaisbrasi- de se empenhar num pennanente e leiro é terIa árida, onde se arrisca di- revigorado esforço de marketing. nheiro em ações de empresas que não Para que o Novo Mercado dê cer- são obrigadas a mostrar números de to, entretanto, é preciso mais do que maneira clara e ignoram o acionista rnarketing ou regras. Também não minoritário.Asregrasdo Novo Merca- basta atrairpara o jogo empresascomo do tomam as ações negociadas mais a Microsiga, que làzem parte do que atraentesjustamente por obrigarasem- se convencionou chamar de Nova presas a apresentar os números como Economia: nonnalmente menores, làzem asamericanas (em US Gaap, no culturalmente mais maleáveis e com jargãodosauditores)ou européias (IAS grande potencial de crescimento rápi- Gaap). Além disso,só podeIão ser lan- do. É fundamental que aconteça a çadas ações ordinárias, com direito a adesão de empresas grandes, que voto, o que elevao acionistaminoritá- dêem à bolsa estreante - pela ordem rio ao papel de protagonista. - volume, visibilidade e liquidez. Não há dúvida de que tais regras "Se issoacontecer, outras companhias podem transformar o mercado de ca- grandes não vão quererperder a opor- pitais em objeto de desejo do investi- tunidade de se capitalizar,e o ciclo vir- dor. Mas elas não bastam para gamn- ~. tuoso estará criado", afinna Maria He- tir o sucesso do lançamento de ~.I lena Santana, superintendente de rela- I ações. A Microsiga terá de conven- ~ ções com empresas da Bovespa. cer possíveis compradores de que o ~ O Novo Mercado também pre- lucro da empresa crescerá de forma : I cisará ganhar impulso inicial dos sustentada ao longo de anos. Note "- fundos de pensão, que poderão que" convencer de que vai crescer" é muito diferente de incentivar as empresas nas quais tenham participa- simplesmente "crescer". Quando uma empresa vende ção a migrar para o mundo da transparência. Só que pedaços de si publicamente, não basta mais que eles se- essa engrenagem pesadíssima pode parar de girar - jam bom negócio. Eles têm de parecer bom negócio. ou nem sequer começar a se mover. Por um simples Isso vale tanto para os investidores institucionais quan- motivo: para as empresas, não valerá a pena respei- to para o sujeito comum que quer aplicar em algo poten- tar normas rigorosíssimas de abertura e de respeito cialmente mais rentável que uma poupança. O mal do aos acionistas se as negociações de papéis correrem "parece mas não é", aliás, foi o que atacou a Nasdaq em em ritmo soporífero, como na bolsa tradicional. 28 I N4Pgócios xame E
  6. 6. Uma das figurasque ajudaria a espantar as moscas seria o investidor individual. "O pequeno investidorse dispõe a pagar 25% a mais por ação se houver respeito ao mi- noritário", afirma Eduardo Brenner, vice-presidenteda cor- Nio existe nenhuma senha secreta para retora Hedging-Griffo.Mas o mercado financeiro ainda se entrar no NovoMercado.Apassagem é multo mantém cético em relação a mudança tão profunda. O mais compUcadae cara que Isso. Nototal, próprio UBS Warburg não acha a pessoa físicao investidor se considerarmos que a oferta de ações será fundamental para o sucesso imediato da nova bolsa, e não feita também a investidoresintemadonall, os espera em número significativonos próximos dois anos, segundo consultores que trabalharam com o banco. Gênio o processo pode custar mais de 1 miLhão reais de ou louco, Cosentino discorda. Ele acha que o Novo Mer- e durar entre tras e novemeses. Acompanhe cado empolgará pessoasfísicas,e que necessita delas - o os passos que uma empresa tem de seguir que, na prática, significauma bela mudança na cultura de para abrir o capital: investimento do brasileiro. Escolha um underwriter, ou subscrito!: APROVEITA QUEESTOUCALMO Trata-se da instituição financeira que conduz Tudo isso poderia ser motivo para Cosentino estar ner- a abertura do capital na bolsa. Isso significa vosO.Só que ele exibe a serenidade de um bom jogador de que ela assume que as ações à venda são pôquer. Uma razão é evidente: faz muito tempo que ele um produto de boa qualidade. Se isso não se mostrar rumina os planos de abertura de capital. Cosentino perce- verdadeiro depois da abertura - ou seja, se os papéis beu a necessidade de a Microsiga entrar nas bolsas há pe- não se valorizarem -, a responsabilidade é dela. lo menos cinco anos, quando a IBM ó procurou para que Tanto risco custa uma comissão: o subscritor ganha avaliassea viabilidade comercial de um softwareno Brasil. uma porcentagem sobre o valor das ações ofertadas. Na época, ele não entendeu a preocupação da companhia americana em entrar no mercado nacional de soÍl:ware de gestão integrada, ou ERP, segmento em que a Microsiga é Auditoria dos balanços financeiros da ~ a primeira brasileira desde 1999. "Sabíamos, isso sim, que empresa. Em qualquer empresa aberta, a IBM deveria se preocupar com seu crescimento interno. essa auditoria é obrigatória. A diferença no Mas percebemos que chegá uma hora em que, para ser Novo Mercado é que os balanços têm de ser competitiva no seu próprio mercado, uma empresa preci- apresentados de acordo com as normas contábeis sa ser global." Aí, não tem outro jeito:.é preciso estar na americanas (US Gaap) ou européias (lASGaap). Se uma bolsa de acordo com normas globais. empresa não mantém seus números na linha, ela pode Mas a calma inabalável de Cosentino também vem do levar até cinco meses para organizar a casa. estilo Microsiga, que tem alicerces mais profundos. Ad- mirado por clientes, concorrentes e parceiros (sério: é quase impossível encontrar alguém que fale mal de Co- Due dilligence. Otermo pomposo serve para ~ sentino), seu maior feito foi ter transformado a Microsiga denominar a verificação de todos os números na maior empresa de software brasileira. E isso só acon- e documentos da empresa por advogados (da teceu graças ao alinhavo perfeito entre cultura interna e estratégia de negócios. A Microsiga foi baseada em prin- empresa, do banco e internacionais), o que custa em tomo de 700000 reais. Baseada nos cípios que podem soar piegas num mercado que preza competitividade acima de tudo. Outros teriam vergonha, balanços auditados, a due dilligence avalia, ainda, mas Cosentino fala sempre em palavra de honra, lealda- fatores de risco e posicionamento estratégico. Outro de e honestidade. Orgulha-se de pagar todos os impostos, aspecto avaliado é legal: os donos são mesmo os de sempre ter declarado lucros (a margem tem variado donos? Os contratos assinados são lícitos? A empresa entre 7% e 15% nos últimos anos) e de não ter nenhum é mesmo proprietária de tudo o que diz ter? Todas passivo trabalhista. Junto vêm qualidade de vida e trans- essas informações servem para o banco dar como garantia de que o produto que está vendendo é de boa qualidade. Pode levar de 30 a 60 dias.
  7. 7. ~ ~ reportagem de capa o estilo Microsiga: café da manhã na piscina (11. bebedouro par'a beija-flor no lobby de entrada da empresa [2), quiosques no p.:tio para o cõfezinho [3) e vegetõç50 exóticõ em volt.J de todo o prédio (4J. Até n.J hori3 de vender, a Microsígõ é originul. A c.Jd.J contruto fechudo, um sino é tOCudo pc:lu imugem de um pudre b.Jrroco nu sõlu do diretor comerci3l 151. O vendedor MLluro Biunchetti 161Llcumulu SUUSpecinhLls coloridõs. Cada pecínha, um contrato íech<Jdo 171 Foi graças ao estilo Cosentino que a Microsigachegou ao topo do mercado.Se esse estilo pudesse ser resumido em duas palavras, elas seriam: crescer junto - com funcionários" clientes" parceiros e, agora, com os acionistas
  8. 8. Definiçãodo valor da empresa e da oferta inicial de ações. Aquise decide quantas parência. "Esse é o estilo Microsiga", diz ele. "Quanto !h ações serão lançadas e a que preço. O prospecto final, como gostam de chamar os especiaListas, também conta com ajuda dos mais conseguimos transmitir esses princípios aos funcio- advogados e está sujeito a alterações de acordo nários, maior o nosso sucesso." com os resultados do roadshow [item 6). Tarefa difícil - demorou dez anos para aperfeiçoar a equipe que hoje está aí -, mas parece que está dando certo. Nenhum diretor da Microsiga tem menos de seis anos de casa, e a maioria chegou lá com promoções. Sem usar recursos sofisticados sugeridos por consultores Registro na Comissão de VaLores de ocasião que cobram fortunas por qualquer palpite, Cosentino conseguiu dar uma uniformidade impressio- nante à Microsiga. Como? Em primeiro lugar, ele não fi- ca enfiado na sala da presidência. Circula pela empresa, ~ Mobiliários(CVM). o órgão que vai É avaliar tudo o que foifeito e dar o sinal verde para a entrada na bolsa. Oregistro custa em torno de 100 000 reais e, por Lei,tem de conversa com todo mundo, participa dos tradicionais in- ser liberado em 30 dias. Se houver alguma tervalos de 15 minutos duas vezes ao dia. incorreção no pedido da empresa, pode demorar Longe de demagógico, o passeio de Cosentino serve mais, até 60 dias. para ele falar e, principalmente, ouvir. Durante dez dias a cada seis meses, ele larga o dia-a-dia para ler e respon- der à pesquisa de satisfação dos funcionários. Qualquer Roadshow com investidores. Uma um pode usar a Intemetou urna caíXã-aesugestões para falar com o presidente. "Comunicação é essencial. Por isso fiz esse prédio todo transparente. As pessoas têm de se ver", diz. Detalhe: ele mesmo fez o prédio. Desenhou, @ :::~~ :;~=~~c~:~::::::;:ed:S- O . empresa foi bem avaliada. Nesse momento, a especuLaçãorola solta. Quem quer escolheu os materiais, decorou. A palmeira de 1Ometros, comprar diz quanto está disposto a pagar e quem encravada na recepção da empresa e que passa pelo teto vai vender diz quanto quer cobrar. Se houver de vidro, foi conservada por sua sugestão. consenso, o vendedor tem uma noção de quanto A outra maneira de deixar claro o que tem valor pa- pode receber no primeiro dia da abertura. O ra a Microsiga é mais direta: treinamento. Muito. Nin- roadshowprecisa ser rápido, não passa de 15 guém começa a trabalhar sem pelo menos 90 dias de aulas. Tem treinamento para estagiários, treinamento dias. Oscustos com materiaLe divuLgaçãopodem para recém-contratados, treinamento para quem já tra- chegar a 400 000 reais. balha. Se, ainda assim, alguém não entendeu, aí o azar é dele. Vai ser demitido. "Honestidade é essencial, mas sem competência não tem jeito", diz Cosentino. Normalmente, também é feito um As exigências para o crescimento na Microsiga pare- roadshowpara investidores estrangeiros, cem ser só talento e dedicação. "Tive sorte de ter o pen- samento afinado com o dos meus chefes", diz Wilson 7J simultãneo ao nacionaL.Até esse momento, a empresa não pode fazer nenhum tipo de divuLgação sobre números ou Soares Jr., vice-presidente técnico e de operações. Ele entrou na companhia em 1991 como analista, para ins- sobre o processo de abertura. É o que os talar programas nos clientes. Em três anos virou gerente, especialistas chamam de quiet período em seis diretor-geral, em oito vice-presidente. Hoje co- manda 700 pessoas. "Espero ter a mesma competência e passar para o meu time tudo o que o Cosentino passou Chega o dia D.As ações são lançadas no para odeIe", diz Soares. Se sorte fosse tudo na carreira O pregão ao preço combinado e na dele, Soares seria uma exceção na empresa. Mas não é. Se fosse possívelresumir a estratégia da Microsiga em duas palavras,elasseriam: crescer junto. Faz parte dessa es- @ O quantidade combinada. Os primeiros compradores - e, portanto, - empresa captará com a oferta já estão o vaLor que a tratégia detectar talentos internos e apostar neles. É até na- praticamente acertados por causa do roadshow. tural que seja assim, já que essa é a história do próprio Co- Depois, é deixar os papéis flutuar e ver quanto o mercado paga peLasações e quanto a empresa vaLede verdade.
  9. 9. _.mpresas - reportagem de capa sentino. que começou a trabalhar aos 17 anos como esta- Foi essa estratégia que levou a Microsiga ao topo do giário na Siga. empresa da qual surgiu a Microsiga. Com a mercado bmsileiro. Quando começou a oferecer sofuvare mesma idade. Rafael Marchetti Quadrotti. hoje com 19 de gestão para empresas. em 1983, Cosentino decidiu anos. foi contratado pela Microsiga como auxiliar de escri- não ficar no front para levar tiro. Justamente para não ter tório. Hoje é progIarnador da área de CRi1, softwarede re- d - de curarferidas.ele desviolHie a alemãSAP que fah.1- lacionamento com clientes. Rafaelfoi o primeiro aluno do rou. só no Bmsil. 250 milhões de reais em 2000 atenden- lnstih1to Microsiga contratado pela empresa. O instituto do a grandes corporações e hoje precisa crescer vendendo promove cursos de informática para pobres desde 1998. e para empresas médias (com variações. o mercado de ERP já passamm por ele 3 000 alunos. considera média uma empresa que A Microsiga usa em relação a fah1m entre 100 milhões e 400 mi- clientes e parceiros a mesma estra~ lhões de reais). Hoje, Cosentino con- gia de crescimento conjunto adotada ta com 4 500 clientes e 75 000 usuá- para os funcionários. Ao manter o fo- rios de seu software. E começa a dis- co nas pequenas e médias empresas. putar com a SAP os mesmos clientes. ela conseguiu. assim como fez inter- "A Microsiga está posicionada no namente. cultivar fidelidade em um mercado de menor porte. que é on- grupo com alto potencial. Com o pas- de a SAP está entrando. afirma José sar do tempo. os clientes cresceram e Ruy Antunes. presidente da SAP Bra- mudamm o perfil do mercado-aIvo siL É impossível fazer Antunes men- de C6sentino. Caso típico é a Video- cionar o nome Cosentino. mas ou- lar. fabricante de COs, DVOs e fitas tros concorrentes reconhecem o su- cassete. Em 1995, a empresa emitia cesso da Microsiga. "Admiro o Laér- pouco mais de 15 000 notas fiscais cio porque identificar as limitações por mês. Estava na adolescência: de uma empresa é muito importan- crescia rápido e precisava se organi- te". diz Mário Manuel Ferreira, pre- zar. Por isso adotou um software de sidente da holandesa Baan. "Já vi gestão. "A capacidade do sistema da muitas empresas nacionais darem Microsiga de atender ao crescimento um passo maior que a perna e depois rápido foi decisiva para nossa esco- recuarem. o que sempre é doloroso." lha". diz Abílio Marques, diretor de A Microsiga também foi pioneira sistemas. Seis anos depois, a VideoIar - numa outra manifestação da es- emite quase 50 000 notas fiscais por tratégia de crescimento conjunto - mês. Triplicou em tamanho. E o na adoção de franquias. "São empre- contrato com a Microsiga foi junto. sas separadas. com fatummentos se- pamdos, e por isso têm comprometi- 12 mento maior com as vendas". diz BEM LONGEDOFRONT 8 Cosentino. As atuais 58 franqueadas O modelode negócioda Microsi- ~ ~ bmsileiras - que representam 33% ga funciona ~im: a empresa fàz soft- ~L ~-- ;;1 do faturamento do grupo - são res- ware pam várias áreas. como ERP. ponsáveis por publicidade. vendas e CRi1, qualidade, comércio exterior, automação comer- assistência aos clientes locais. Parecem filiais da matriz cial e por aí vai. Ao comprar a licença para usar um deles. em São Paulo. Os vendedores e técnicos são treinados pe- o cliente ganha o direito a todos os outros. Cada amplia- la Microsiga. Mensalmente há reuniões entre franquea- ção é cobrada nos contratos de manutenção e assistência dos - representados pelo Conselho de Franquias da Mi- técnica. Assim.a Microsiga consegue vender a licença dos crosiga, o Cofram - e diretores do grupo Microsiga para progmmas mais barato - porque não precisa delas pam troca de informações. reclamações e sugestões. "Fazemos sobreviver -, gamnte que o cliente cresça sem precisar parte do grupo", diz William de Oliveira. presidente do mudar de fornecedor e que se mantenha fiel. Cofram e franqueado em Campinas e São José dos Cam- 32 I Negócios Exame
  10. 10. , APROXIMA pos (SP). Oliveira investiu 100000 reais para abrir cada loja, e, juntas, as duas faturaram 5 milhões em 2000. No melhor estilo Cosentino, ele diz que seu maior ativo não ~@[ID&[ID& Até agora. Cosentinomostrou-se um ás são as lojas, mas a equipe que formou: "Isso é mais difí- cil que vender um produto". na pilotagem. Masa corrida ainda não acabou Ultrapassagem da Datasul pela Microsiga foi SER PIGNEIRO É PARA QUEM PODE Se a abertura de capital levar dinheiro novo para a Mi- crosiga,é principalmente em franquias que será investido, A uma manobra em condicões adversas -numa curva com neblina, podemos dizer. DepoIs de crescer 40% ao ano - de 1996 a 1998 -, o mercado de Depois de espalhá-Iaspor Chile, Paraguai, Uruguai, C0- programas de gestão integrada (ERPI freou no meio de lômbia, México e Porto Rico, Cosentino quer mais fôle- 1999. Desde então, a líder SAP e outras, como a go. Neste ano devem nascer franqueados nos Estados holandesa Baan, viram o faturamento estagnar. A Unidos, na Espanha e em Portugal. "A tendência é o cres- Datasul, principal concorrente da Microsiga, faturou cimento da área internacional. O Brasilestá saturado", diz em 1999 o bastante só para cobrir os gastos. Não deu Fábio Celeguim, diretor de novos negócios. para manter a vice-liderança, atrás da SAPoNaquele Transparência, forte cultura interna e estratégias de ano, a Microsiga ultrapassou os 100 milhões de reais e mercado certeiras. Não é difícil entender como a Micro- virou a maior brasileira do segmento. Os concorrentes siga ultrapassou a principal concorrente, a catarinense pararam por duas causas: saturação e fim da fase de Datasul. Segundo a International Data Corporation prevenção do bug do milênio. Laén::ioCosentino já havia (IDC). a Microsiga. em 1999. detinha 6.7% do mercado desviado dessa rota. mirando em clientes pequenos. de software de gestão. Se, em 2000, o mercado cresceu Enquanto o mercado cresceu cerca de 8% no ano algo perto de 7,8% (como a IDC previa em julho). a par- passado, o faturamento da Microsiga subiu 50%. ticipação da Microsiga passou dos 9% (os números ofi- Só que pode haver acidentes de pen::urso. Milton da ciais serão divulgados em abril). ViUa,consultor de gestão na Deloitte Touche A briga no setor de programas de gestão, porém, ainda Tohmatsu, alerta para a possibilidade de retomada de está no meio (veiaquadro(/f)lado).E a possibilidadede se programas não integrados. Eles não dão a mesma estender ao mercado de capitais só dificulta a previsão do desfecho. A Datasul também é uma forte candidata a flexibilidade que os ERPs, mas atendem melhor a cada área da empresa. já que são específicos. abrir o capital no Novo Mercado. Carlos Sá, presidente da Além disso, a concorrência já providencia pedradas empresa, diz que acha bom que a Microsiga vá na frente nesse caminho enevoado. Cosentino, de dentro de sua no castelo de vidro de Cosentino. Para chegar nas empresa translúcida, já falou o que pensa: "O custo do empresas menores, a SAP aposta na tendência de . pioneirismo não existepara a Microsiga. Pioneirismo aqui adoção de ERP por cadeia produtiva (verticalmentel- é sinônimode oportunidade". « não mais por tamanho de empresa (horizontalmente). A Datasul também quer alargar a faixa de atuação, com clientes que faturem de 30 milhões a 1 bilhão de ULTRAPASSAGEM NA CURVA reais. Carlos Sã, executivo-chefe, sabe que vem Faturamentos no setor de ERP -em milliões de reais _SAP _Microsiga _Oatasul briga boa pela frente: Ha Laércio é um centralizador 300 e um vendedor. Sabe convencer os outros". 250 2&9,3 250. As pedradas na vidraça podem vir também de baixo. A Socil, fabricante de ração animal, por 200 175~ -- 152 exemplo, já experimentou o software Microsiga. Não 150 """.. gostou - "Tive problemas de atendimento e 100 8 7 ~ liiiii888 83 -;;: customização", diz o diretor financeiro James Numm -e hoje usa ERP da pequena New.Age. O 508= 1998 1999 2000 que vem de baixo, nesse caso, atinge Cosentino. Fonte: Empresas Uma coisa é certa: os tempos de 40% de crescimento do mercado se foram. Sobreviverá quem se adaptar a ritmos de avanço de 10% a 15%.

×