Por que seus e-mails caem no spam?

192 visualizações

Publicada em

Veja porque suas campanhas de e-mail marketing podem estar caindo no spam.

Publicada em: Internet
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
192
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Por que seus e-mails caem no spam?

  1. 1. Por que os provedores classificam seu e-mail como spam? A reputação é fundamental para determinar se suas mensagens cairão na caixa de entrada dos usuários, mas é preciso estar ciente de que diversos fatores podem influenciar nessa classificação. Entre eles estão: índices de envio para usuários desconhecidos, mensagens classificadas como Spam, baixas taxas de abertura, número de spamtraps detectados em suas listas, etc. Em geral os remetentes precisam realizar configurações de autenticação para seus envios. Os provedores suportam inúmeros sistemas de autenticação, sendo os principais: SPF (Sender Policy Framework), DomainKeys e DKIM (DomainKeys Identified Mail) e CNAME, sendo necessários para que os provedores comprovem a origem dos e-mails. A utilização destes protocolos para autenticação dos envios são consideradas condição “sine-qua-non” para quem deseja entregar na caixa de entrada de qualquer grande provedor. Falando especificamente de cada um dos três maiores provedores (Gmail, Hotmail e Yahoo), temos algumas características e direcionamentos chaves que podem determinar o destino das mensagens. Listamos aqui as principais: Gmail: Dentre os grandes provedores de e-mail que existem atualmente, o Gmail é o que tem chamado mais atenção pela sua rápida expansão e receptividade entre os usuários. Além da leitura dos protocolos de autenticação, o Gmail tem uma particularidade no sistema de reconhecimento de caracteres das campanhas de e-mail marketing. Como a maioria das campanhas classificadas como Spam pelos usuários tem seus HMTLs baseados em imagens, o Gmail utiliza um sistema de reconhecimento ótico, chamado OCR. Este sistema é baseado em
  2. 2. algoritmos que conseguem classificar os resultados de pesquisas feitas no Google para reconhecer as imagens que indicam que um e-mail é um spam. Por isso, é importante que as campanhas de e-mail marketing mesclem as imagens com texto. Hotmail: O Hotmail utiliza a tecnologia Microsoft antispam SmartScreen e considera o volume de mensagens enviadas, o número de reclamações de cada remetente e a quantidade de spamtraps. Além disso, utiliza o Painel SRD, que classifica as mensagens com base no conteúdo e reputação do remetente de acordo com a experiência dos próprios usuários. A Microsoft convida pessoas que possuem contas ativas há bastante tempo e com relativa movimentação. O grupo selecionado colabora com o processo de monitoramento e classificação da reputação das empresas que enviam e-mail em massa ao repassar para o provedor as percepções que estão tendo das mensagens que vem recebendo, ou seja, as classificam como spam ou reconhecem remetentes idôneos. A identidade dos usuários que fazem parte do painel SRD é mantida em sigilo, de tal modo que nem os remetentes diretos, nem as empresas responsáveis pelos disparos conseguem saber se quer quantos usuários deste tipo existem em suas listas. Yahoo: O Yahoo constrói a maioria dos seus algoritmos de spam in-house, ou seja, como critério de reputação, eles dão ênfase a filtragem de conteúdos e URLs, além das reclamações de spam efetuadas por seus usuários. Os emails são filtrados a partir da relação: Domínios X IPs. Para que você possa identificar os usuários que estão se queixando de suas mensagens, uma saída interessante é se inscrever no serviço de Feedback Loop (FBL) do Yahoo. Ao assinar o FBL, toda vez que um usuário reportar seu e-mail marketing como Spam, você receberá um alerta, indicando o endereço desses
  3. 3. usuários. Assim, poderá retira-los de suas listas imediatamente, evitando problemas futuros. Para assinar o FBL é necessário possuir o sistema de autenticação DKIM. Além das configurações técnicas e estruturais os provedores também observam o comportamento de envio dos remetentes para classificar a reputação. Volume, frequência e constância são constantemente monitorados. Por mais que as campanhas sejam enviadas para usuários 100% opt-in, se a estratégia adotada for baseada em picos de envios sem frequência determinada, por exemplo, o remetente certamente terá sua entregabilidade comprometida. Fonte: http://www.ecommercebrasil.com.br

×