Sinapse Antes X Hj

487 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
487
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sinapse Antes X Hj

  1. 4. No Século XIX, na Inglaterra e nos EUA, existiam os corretores de propaganda. Com o tempo, esses corretores foram contratando o serviço de outros profissionais, como redatores e desenhistas. Mais tarde, dividiram-se, internamente, em setores/funções. Áreas que, no início, eram respectivas a uma pessoa, de forma simplista, foram (sub) dividindo-se em especialistas que hoje, cada vez mais, precisam ser multifuncionais, apesar das suas especificações.
  2. 5. Atendimento O Papel de Todos
  3. 6. Na década de 80, o trabalho do atendimento era muito mais voltado aos assuntos internos e, vez por outra, às áreas de negócios e prospecção, havia muita acomodação dos profissionais de atendimento. O atendimento não é mais um departamento, a agência inteira o faz. É indispensável boa interlocução, se não o cliente sente que a pessoa que senta na frente dele está num nível inferior, não sabe sobre distribuição, marketing, posicionamento, tecnologia...
  4. 7. Planejamento A Capacidade de Visualizar a floresta e as árvores
  5. 8. Antigamente era muito enfático, assim, como o cara já trabalhava há muito tempo na área, ele não tinha ferramenta, hoje ele tem um mundo de informação. Era muito mais por conhecimento do mercado. Hoje, o planejamento, é uma área que subdivide-se em especializações. Empresas de tecnologias fornecem, cada vez mais, ferramentas que permitem aos seus clientes desenvolver as suas próprias estratégias de comunicação.
  6. 9. Pesquisa Evidente meu caro Watson
  7. 10. A comunicação era menos amarrada à pesquisa de mercado, e a intuição era mais solta. Os clientes querem um arredondamento de todo o conceito em todas as suas instâncias de comunicação, tendem a parametizar isso, ou seja, vão querer saber o quanto cada uma dessas ações traz de retorno. Novas, tecnológicas e científicas, técnicas ( Clotaire Rapaille ).
  8. 11. Mídia O Louco da Vez
  9. 12. Meios de comunicação controlados por poucos poderosos que decidiam o que os leitores iriam ler. A propaganda era ruim porque não havia mídia. Já na década de 60, a TV, utilizada para fazer mudanças sociais, se tornou símbolo de status. Chamados de os “loucos” da vez, atribuídos antes aos criativos, “os mídias” são muito importantes. Com tantas mudanças no negócio da publicidade, a área em que a mudança tem sido maior é a mídia. Antes era tudo TV e impresso. Hoje, o panorama é outro,a internet cresce a cada dia.
  10. 13. Criação Sensibilidade e Originalidade
  11. 14. Tinham suas idéias, colocavam no papel, com uma moldura em “papel-cartão” e apresentavam para o cliente, que aprovando, mandavam para a impressão. Anúncio em verso era a grande trunfo da criação, com boa parte da população analfabeta os versos ajudavam memorizar. Aprendeu a ter uma visão estratégica, um diferencial, começando a se tornar algo diferente para o homem de marketing. Tal “ecleticismo”, junto com a tecnologia, cada vez mais valorizada para esses profissionais, permitiu a mudança de apresentação dos layouts aos clientes, que começaram a aprovar, ou desaprovar, (quase) tudo por e-mail.
  12. 15. Produção A última volta do Parafuso
  13. 16. Os antecedentes da produção impressa se entrelaçam aos da criação, pois quem criava era quem produzia, devido aos poucos meios de comunicação, e por falta dos de reprodução, da época. A era digital marca como nunca essa área, levando-a a produções virtuais. Uma das grandes oportunidades que as agências têm, é que muitos clientes nem queriam construir sites, agora eles imploram para que as agências os façam. O processo de produção do material impresso passa a ser digitalizado – diagramado, editado e escrito – em computadores , depois enviado às gráficas por e-mail.
  14. 17. Mais de 60 milhões de consumidores e aproximadamente 65 milhões de blogs estão disponíveis na web, com informações valiosas de como esse público se relaciona com aquilo que lhe agrada, seja produto ou serviço. Atualmente, as chamadas “social networks”, quando bem analisadas, ajudam as marcas a entenderem melhor seu público, promovendo excelente marketing de oportunidade e ainda compartilham informações.
  15. 21. <ul><li>http://confissoesdeumpublici tario.blogspot.com; </li></ul><ul><li>http://atendimentopublicitario .blogspot.com; </li></ul><ul><li>http://realitypublicidade.blogs pot.com; </li></ul><ul><li>http://barrildeideias.blogspot. com; </li></ul><ul><li>http://pipocapp.blogspot.com </li></ul><ul><li>http://irisfd.multiply.com; </li></ul><ul><li>http://www.adonline.com.br; </li></ul><ul><li>http://www.meiosepublicidad e.pt; </li></ul><ul><li>http://darlanglauber.wordpres s.com; </li></ul><ul><li>http://www.portaldapropagan da.com; </li></ul><ul><li>http://www.meioemensagem. com.br; </li></ul><ul><li>Revista Exame – 30 de agos to 2006; </li></ul><ul><li>Meio Digital – Dezembro 200 7 / Janeiro 2008. </li></ul>Referências Bibliográficas

×